26 de julho de 2015

8 Artigos Devocionais e Doutrinários



• Artigos Devocionais



• Artigos sobre calvinismo ou arminianismo

O livre-arbítrio nos Pais da Igreja


• Artigos sobre dom de línguas e cessacionismo


• Artigos sobre espiritismo


• Outras doutrinas e dificuldades bíblicas



• O Novo Testamento Comentado
(*) Este projeto está em andamento.

Marcos
Lucas
João


- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!




8 comentários:

  1. Boa Noite, tudo bem?
    Li o artigo "Enoque morreu?" e fiquei com uma dúvida. Você pode me responder?

    pergunta
    Cristo disse "Ninguém subiu ao céu senão o filho do homem que desceu do céu" Jo 3:13. Como fica a ida de Enoque ao céu? Parecem passagens antagônicas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem? Sobre o texto de João 3:13, há duas possibilidades: (1) Enoque e Elias eram exceções à regra geral que Jesus passou; ou (2) Jesus não estava falando sobre literalmente ir para o céu, mas sim sobre trazer a mensagem do Céu. É essa segunda opção que Geisler e Howe argumentam em seu "Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e 'Contradições' da Bíblia':

      “Nesse contexto, Jesus está demonstrando o seu conhecimento superior acerca das coisas celestiais. Em essência ele está dizendo: “Nenhum outro ser humano pode falar com base num conhecimento de primeira-mão acerca dessas coisas, como eu posso, já que descido ". Ele está declarando que ninguém subiu ao céu para trazer de volta a mensagem que ele trouxe. De forma alguma ele está negando que qualquer outra pessoa esteja no céu, como Elias ou Enoque (Gn 5:24). Não, Jesus está simplesmente declarando que ninguém na terra foi ao céu e depois retornou com uma mensagem tal como a que Ele lhes dava”

      Excluir
  2. Bom dia. Existe algum artigo a respeito do livro Autoridade Espiritual, do Watchman Nee? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, ainda não tenho artigo a este respeito especificamente mas agradeço a sugestão, vou providenciar quando possível. Abs!

      Excluir
    2. Legal. Perguntei porque quando eu era criança, esse livro foi estudado na igreja que eu cresci e depois, invocando a doutrina do livro, o pastor fez uma série de coisas que a igreja acabou se partindo ao meio. Aquilo ficou na minha memória por causa das discussões que seria melhor que nunca tivesse sido lido e estudado aquele livro. Quando eu era adolescente, já em outra cidade e em outra igreja, esse livro foi estudado novamente e me recusei a continuar congregando mas não falei para ninguem, simplesmente deixei de ir. E aos poucos, muita gente legal e séria foi saindo e atribuo a raiz dos desentendimentos a esse livro, porque sempre o pastor fala: eu sou a autoridade e bla bla bla... agora sou adulto e, como falo inglês, descobri muita literatura que refuta esse livro e muitas pessoas que o detestam esse livro também, da mesma forma muita gente o ama. Sendo adulto, reli esse livro e me incomoda muito a psicologia meio que mística, sei lá tem um linguajar bem doloso na minha opinião. Ainda acho que seria melhor estudar a Bíblia em si do que doutrinas, sei lá. Perguntei porque queria ver uma outra opinião, espero que um dia analise o livro. Obrigado.

      Excluir
    3. Eu baixei o livro aqui e vou ler logo que possível, embora pelo tamanho do mesmo talvez leve um tempo até o artigo ficar pronto. Mas a priori, eu discordo completamente dessa mística em torno do pastor, do "não toque no ungido do Senhor" e coisas afins. Discorro um pouco sobre isso no meu livro "O Enigma do Falso Profeta".

      Excluir
    4. A propósito, você pode baixar o livro na página dos livros (é o décimo quinto da lista):

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      Excluir
    5. Obrigado. Vou ler.

      Excluir

Fique à vontade para deixar seu comentário, sua participação é importante e será publicada e respondida após passar pela moderação. Todas as perguntas e comentários educados são bem-vindos, mesmo que não tenham a ver com o tema do artigo. Críticas serão publicadas desde que não faltem com o respeito e não sejam feitas em anonimato.

Caso o seu comentário não tenha sido publicado dentro de 24h, reenvie-o.