2 de junho de 2018

124 Teremos livre-arbítrio na eternidade?



Uma discussão muito popular que se vê na internet é se no Céu, nova terra ou em qualquer lugar onde os cristãos creem que passarão a eternidade haverá livre-arbítrio, ou se em função do fato de não haver mais pecado o livre-arbítrio estará inviabilizado e não mais existirá. Isso porque a forma com que a maior parte dos apologistas responde ao problema do mal é apelando ao livre-arbítrio, e se não haverá qualquer resquício de mal no estado eterno logicamente não faria sentido continuar havendo o livre-arbítrio.

Em tese, para que os salvos não pequem nunca mais durante não apenas dias ou semanas, mas pelos séculos dos séculos, seria necessário que Deus suprimisse o livre-arbítrio que temos hoje e nos transformássemos em “robôs” que somente poderão dizer “não” ao pecado e que serão humanamente incapazes de tomar decisões por si mesmos. Mas eu não penso que esse tipo de conclusão seja necessária ou verdadeira. Há uma razão pela qual os salvos não mais pecarão na eternidade, e essa razão não é a supressão total do livre-arbítrio.

Para saber como isso é possível, primeiramente temos que entender o que é livre-arbítrio. Para resumir de uma forma mais prática e simples, livre-arbítrio seria a capacidade humana de tomar decisões por conta própria, inclusive de ter agido da maneira contrária da qual você agiu. Deixe-me citar um exemplo: um carro te fecha na rua, então você bate a buzina, xinga o motorista e chama pro fight. Você não agiu assim porque foi obrigado a agir assim necessariamente, mas porque escolheu agir assim por alguma razão. Em outras palavras, você poderia não ter buzinado, ou ter buzinado mas não xingado, ou ter buzinado e xingado, mas não “chamado pro fight”. Isso tudo você escolheu porque quis, ainda que influenciado pela natureza pecaminosa que possui.

O mesmo ocorre em situações mais corriqueiras do cotidiano, como escolher qual roupa vestir, que calçado usar, se vai tentar correr para passar no sinal amarelo ou se breca e espera até o verde chegar, se vai dormir porque já tem sono ou se vai ficar acordado até um pouco mais tarde, se vai chutar a alternativa A ou C numa prova do ENEM em que você não sabe nada, se vai passar a bola para o companheiro sair na cara do gol ou se vai aproveitar a oportunidade para ser fominha e chutar você mesmo, e assim por diante. Se você está passando em uma rua que não conhece bem e o GPS te dá duas opções de trajeto, você tende a aceitar o caminho mais curto, mas se você sabe que esse caminho mais curto costuma ser mais perigoso, talvez você opte pelo caminho mais longo mesmo, ou talvez queira arriscar por estar com pressa ou por subestimar o perigo.

Tudo isso são decisões que tomamos no nosso dia-a-dia e que são frutos do nosso livre-arbítrio, caso contrário não seríamos mais do que simples robôs seguindo comandos pré-ordenados com a mera ilusão de possuir algum senso de autonomia. Mas se isso é verdade, é extremamente sem sentido Deus suplantar o nosso livre-arbítrio ao chegarmos à sua presença. Não há qualquer lógica em dizer que Deus nos deu o livre-arbítrio nessa vida justamente para não sermos meras marionetes, se nos tornássemos marionetes ao chegarmos na glória. Algo de errado não está certo aqui.

A conclusão parcial que chegamos é que o livre-arbítrio continuará existindo na eternidade da mesma forma que existe hoje. Mas então como será possível que nunca mais pequemos? Essa é a segunda parte da resposta, que exige um pouco mais de compreensão. Apesar do nosso livre-arbítrio, nós só pecamos porque sentimos vontade de pecar. Isso não significa que iremos pecar necessariamente, mesmo porque Paulo foi claro em dizer que Deus não nos dá nenhuma tentação que não possamos suportar (1Co 10:13). Mas significa que, se caímos, é porque sentimos vontade naquilo. Alguma forma de prazer ilícito, carnal, mundano. Ou senão não teríamos caído.

Não há tentação que seja 100% impossível de resistir, mas se somos inclinados da menor forma possível a um pecado, é porque sentimos desejo em realizar aquilo. Voltemos ao exemplo do motorista que te fecha no trânsito: você buzinou porque sentiu vontade de buzinar, xingou porque sentiu vontade de xingar, “chamou pro fight” porque sentiu vontade disso também. Tudo o que você fez, só fez porque sentiu vontade. Essa vontade pode ser uma coisa instintiva, ou algo planejado e calculado de antemão, não interessa. O fato é que há uma vontade inclusa, e essa vontade dá a luz ao pecado quando não temos domínio próprio, ou seja, quando usamos o nosso livre-arbítrio para ceder aos desejos mundanos da carne em vez do desejo do Espírito Santo que habita em nós e da nossa própria mente que quer fazer o bem no íntimo do nosso ser.

Há um texto clássico em que Paulo aborda essa “luta interna”, onde ele relata:

Romanos 7
15 Não entendo o que faço. Pois não faço o que desejo, mas o que odeio.
16 E, se faço o que não desejo, admito que a lei é boa.
17 Neste caso, não sou mais eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim.
18 Sei que nada de bom habita em mim, isto é, em minha carne. Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo.
19 Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo.
20 Ora, se faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim.
21 Assim, encontro esta lei que atua em mim: Quando quero fazer o bem, o mal está junto a mim.
22 Pois, no íntimo do meu ser tenho prazer na lei de Deus;
23 mas vejo outra lei atuando nos membros do meu corpo, guerreando contra a lei da minha mente, tornando-me prisioneiro da lei do pecado que atua em meus membros.
24 Miserável homem eu que sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte?
25 Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor! De modo que, com a mente, eu próprio sou escravo da lei de Deus; mas, com a carne, da lei do pecado.

O que Paulo estava fazendo neste capítulo era basicamente tentar responder à pergunta: “Por que pecamos, se racionalmente não queremos pecar?”. É evidente que nenhum cristão sincero peca porque quer pecar, racionalmente falando. Por isso Paulo diz que não faz o que deseja, mas o que odeia, e que não fazia o bem que queria, mas o mal que não queria. Mas por que ele pecava mesmo sem querer pecar? Porque a mente não é tudo: nós também temos uma inclinação natural ao pecado muito forte, que são os instintos carnais que nos impulsionam ao pecado mesmo quando intelectualmente falando não queremos pecar.

Então atuam em nós duas leis: a lei da mente, que diz “não” ao pecado quando estamos em Cristo, e a lei da carne, que só quer pecar praticamente o tempo todo, e que além disso é instigada pelo diabo. É por causa desse conflito interno que nós às vezes pecamos, e às vezes não, dependendo do quão forte estamos para resistir ao pecado ou sucumbir a ele – daí a necessidade de se buscar formas espirituais de enfraquecer a carne, como a oração, o louvor, a leitura bíblica, a comunhão na igreja, etc. O que ocorre é que na eternidade não haverá essa luta interna, porque o lado da inclinação carnal será tirado de cena.

Vamos passar isso para uma analogia com efeitos puramente ilustrativos: imagine um jogo de futebol entre São Paulo e Corinthians onde o time que já foi rebaixado representa a carne, e o que nunca caiu representa a mente. Naturalmente haverá uma disputa, gols feitos e gols tomados, embora a carne esteja prevalecendo com a ajuda da arbitragem do maligno. Agora imagine que o time que já foi rebaixado abandona o jogo e deixa o Soberano e Tri-Mundial sozinho em campo. Logicamente, ele não irá mais tomar gol, não irá mais passar sufoco, e provavelmente fará muitos gols sem goleiro desde que não seja o Tréllez chutando.

Assim será na eternidade. Como não haverá mais qualquer inclinação carnal na nossa natureza, não teremos mais essa luta interna contra o pecado, e viver uma vida íntegra em santidade será apenas o natural. Por isso a Bíblia diz que ressuscitaremos em “corpo espiritual” (1Co 15:44), que não se trata de um corpo não-físico como provo neste artigo, mas sim de um corpo guiado pelo Espírito, e não pelos impulsos carnais que temos hoje. Não havendo mais inclinação ao pecado, não haverá mais pecado, embora ainda exista o livre-arbítrio.

Podemos exemplificar isso de uma outra maneira. Imagine que você está morrendo de fome e tem pela frente um bolo de chocolate maravilhoso, daqueles que te dá água na boca, e você se enche de vontade de comer o bolo, mas está de dieta ou de jejum e já tinha se comprometido consigo mesmo que não iria comer bolo nenhum. No fim das contas, você irá comer? Talvez. Pode ser que você não resista e coma o bolo, ou pode ser que consiga resistir e não coma. A resposta é uma incógnita, embora dependendo do indivíduo seja mais provável que sim ou que não.

Agora imagine um outro cenário em que você não tem fome nenhuma, já está de barriga cheia e não aguenta comer mais nada, e alguém te oferece para comer... cocô. Isso mesmo, o cocô que ele acabou de fazer na privada. Você poderia considerar isso nojento, abominável, poderia repreender a pessoa que fez tal convite insolente, mas certamente uma coisa você não faria: comer o cocô. Você não teria seu livre-arbítrio violado para conseguir tomar essa decisão, mas simplesmente não faria isso porque teria absolutamente vontade zero por tal coisa.

Da mesma forma, não será preciso violar ou suprimir o livre-arbítrio de ninguém para impedir o pecado na eternidade, simplesmente não o cometeremos porque teremos menos vontade de pecar no Paraíso do que temos de comer cocô nos dias de hoje. Nossa natureza será completamente transformada por dentro sem nenhuma inclinação pecaminosa e o diabo não mais existirá para tentar a quem quer que seja, e seremos inteiramente preenchidos pela presença e pela glória de Deus pelos séculos dos séculos. É isso, e não a ausência do livre-arbítrio, que explica a inexistência do pecado na eternidade.

• Compartilhe este artigo nas redes:

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.

ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)

124 comentários:

  1. Me lembro que fiz uma pergunta sobre isso... ótimo artigo!

    Eu acho que penso como vc, mas um dia o diabo sentiu esse
    desejo de pecar, por isso acho difícil elucidar agora uma resposta que permita afirmar o motivo pelo qual nunca mais ninguém, nem homem nem anjo, sentirá em qualquer momento o desejo de pecar, revoltando-se contra Deus, como o diabo e a terça parte dos anjos dos céus fez. Ou os anjos que relacionaram-se com as mulheres e geraram gigantes.

    Algum momento o pecado começou a existir por causa da vontade de um anjo, e acredito que nunca mais existirá pelos extos bíblicos, mas não consigo ainda elucidar uma resposta que não suprima o livre arbítrio que satanás tbm teve.

    Lutero acreditava em livre arbítrio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O motivo pelo qual Deus em algum momento deixou em aberto a possibilidade dos anjos pecarem é a mesma pela qual ele permite isso hoje aos seres humanos, mas ao invés de responder de forma suscinta eu acho que isso dá pano pra manga pra um próximo artigo, onde vou abordar isso aí.

      Sobre Lutero, o conceito de livre-arbítrio em seu escrito "A Escravidão da Vontade" é diferente do conceito que eu abordo aqui. Não se tratava de um determinismo total no sentido de Deus determinar cada ato que cometemos para bem ou para mal, mas uma negação do livre-arbítrio no sentido de que nós não podemos por nós mesmos fazer qualquer coisa boa para Deus, mas apenas se a graça de Deus estiver em nós. Mas em Calvino há um determinismo rigoroso, no sentido em que nós não somos mais do que "máquinas" mesmo.

      Excluir
  2. Interessante. Eu também acho que na Nova Terra haverá livre-arbítrio. Mas tem uma coisa que eu não vou entender nunca: Por que Deus não criou todas as coisas desse jeito desde o início? Por que não nos criou nos mesmos moldes da Nova Terra? Como é possível haver relacionamento verdadeiro sem a chance de pecar, então era pra Deus ter nos criado assim desde o início. Não era pra Deus ter colocado aquela árvore do conhecimento do bem e do mal no jardim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu disse acima na minha resposta à Gabriela, esta é uma questão bem pertinente que eu vou abordar à parte no próximo artigo (não perca).

      Excluir
    2. "Como eu disse acima na minha resposta à Gabriela, esta é uma questão bem pertinente que eu vou abordar à parte no próximo artigo (não perca)"

      Não perderei :)

      Excluir
  3. Sensacional!
    O que responder ao argumento de que O Espírito Santo não é uma pessoa e nem Deus, por causa que Cristo disse que NINGUÉM sabia o dia de sua vinda, nem os anjos, nem o Filho mas só o Pai. (Ou seja Jesus nem falou no Espírito Santo, porque ele não o via como um ser.
    E em João 17.3 que Jesus afirma que a vida eterna é concedida a quem conhece Jesus e o Pai (cadê o Espírito Santo?)
    Além de dizer Único Deus verdadeiro e a Jesus a quem enviaste, fazendo distinção clara do Filho e do único Deus, o Pai.
    Gostaria de entender.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre o Espírito Santo ser uma pessoa:

      1. O Espírito Santo ensina (Jo 14:26)
      2. O Espírito Santo fala (Ap 2:7,11, 17)
      3. O Espírito Santo guia (Gl 5:18; Rm 8:14)
      4. O Espírito Santo clama (Gl 4:6)
      5. O Espírito Santo convence (Jo 16:7, 8)
      6. O Espírito Santo regenera (Jo 3:6; Tt 3:5)
      7. O Espírito Santo testifica (Jo 15:26; Rm 8:16)
      8. O Espírito Santo escolhe obreiros (At 13:2; 20:28)
      9. O Espírito Santo julga (At 15:28)
      10. O Espírito Santo advoga (Jo 14:16; At 5:32)
      11. O Espírito Santo envia missionários (At 13:4)
      12. O Espírito Santo convida (Ap 22:17)
      13. O Espírito Santo intercede (Rm 8:26)
      14. O Espírito Santo impede (At 16:6, 7)
      15. O Espírito Santo Se entristece (Ef 4:30)
      16. O Espírito Santo contende (Gn 6:3)

      Sobre Jesus ter dito que não sabia o dia da sua volta, isso é verdade, ele não sabia disso naquele momento mesmo, era humano quando disse isso. Mas na sua condição atual no Céu junto a Deus é claro que ele sabe.

      Sobre Jesus não ter falado do Espírito Santo, veja João 15:26.

      Sobre o Pai ser o "único Deus verdadeiro", isso não foi dito no sentido de excluir Cristo, mas sim no sentido de excluir os falsos deuses do paganismo da época. Ou seja, só YHWH é o Deus verdadeiro, e não os ídolos adorados no mundo greco-romano. Isso não exclui a divindade de Cristo junto ao Pai, da mesma forma que por Paulo ter dito que Jesus é o "único Senhor" (cf. 1Co 8:6) não significa que o Pai também não seja Senhor, como de fato também é chamado em toda a Bíblia.

      Excluir
    2. Não entendi. Em que sentido Jo 10. Vinte e seis, tem ralação com Jesus não falar sobre o Espírito Santo sabendo o diadia?

      Excluir
    3. Na verdade eu que não entendi o que João 10:26 tem a ver com isso.

      "Mas vocês não crêem, porque não são minhas ovelhas" (João 10:26)

      ???

      Excluir
    4. 15. vinte e seis*
      Desculpa. Foi o teclado.
      Não entendi a relação do versículo que você passou com Jesus não falar sobre o Espírito Santo.

      Excluir
    5. Você tinha dito que "Jesus nem falou no Espírito Santo, porque ele não o via como um ser", mas em João 15:26 Jesus menciona o Espírito Santo expressamente e como sendo um ser. Então a ausência da menção do Espírito Santo no outro texto citado não implica que Jesus não reconhecesse a sua existência. Paulo disse que "ninguém conhece as coisas de Deus, a não ser o Espírito de Deus" (1Co 2:11), então por presunção o Espírito Santo conhece o dia da volta de Jesus.

      Excluir
  4. Obrigado por ser sempre objetivo! Ainda no tema do livre-arbítrio, se os homens são predestinados não existiria sentido o livre-arbítrio certo? Ei Lucas eu vi em outro postagem sua que você disse que os sexo antes do casamento era um pecado grave, queria saber qual seu argumento sobre isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se tudo é predestinado, de fato não tem como existir livre-arbítrio, pois não sobraria nada de "não-predestinado" que coubesse aos homens realizar. Sobre o sexo antes do casamento eu não me lembro de ter usado essas palavras, mas que é pecado você pode ver por exemplo quando Paulo diz que é "melhor casar do que abrasar" (1Co 7:9), sendo que o "abrasar" está se referindo a duas pessoas ainda não-casadas que sentem desejo sexual uma pela outra, por isso a NVI traduz por "ardendo de desejo".

      Excluir
    2. Concordo com você, eu acredito que existe uma relação, no casamento, que transcende o nosso conhecimento. Por isso uma só carne, e uma mulher e um homem. Ei Lucas não me leve a mal, sei que tenho perguntado umas coisas que não tem nada relacionado com as suas postagens, é que hoje todo mundo "é" cristão, mas não encontro um só que discuta coisas simples. Tenho analisado faz tempo isso que as pessoas dizem ser manifestação do Espírito santo. Como tenho que ser objetivo não posso admitir plenamente nada ainda, mas algumas coisas me chamam atenção, eu não creio nesse negocio de estado extático(embora posso mudar de opinião), através de alguns estudos também cheguei a algumas hipóteses de que, a batida musical, tonalidade, movimentação e outras vezes que isso já sucedeu a pessoa influenciam, ela a entrar nesse estado. Sei que você estuda muito, e Deus tem lhe ajudado nisso, se for possível pode deixar suas conclusões a respeito disso. Já agradeço.

      Excluir
    3. Pra mim isso depende do tipo de "êxtase" que a pessoa tem. Paulo disse que toda forma de êxtase deve passar por um crivo bíblico, pois "os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas; porque Deus não é Deus de confusão, mas sim de paz" (1Co 14:32-33). Então se a pessoa entra em êxtase no sentido de ficar fora de si, ou de começar a rodopiar, sapatear, gritar e etc, isso pode ser qualquer coisa, mas não o Espírito Santo. Por outro lado experiências espirituais os profetas e santos do AT tiveram, assim como os apóstolos e o povo cristão no NT; uma pessoa pode ter uma experiência com Deus independentemente da música ou do momento, mas se ela sentiu Deus realmente isso será a vida prática dela que vai dizer, porque quando Deus se revela sempre ocorre transformação de vida ou de mentalidade na pessoa, ela não fica igual era antes, nem pior.

      Abs.

      Excluir
    4. Obrigado por responder. Foi exatamente isso, da pessoa ficar fora de si, que me fez refletir seriamente no assunto. Lembro de uma vez em que eu levei um shoryuken, duma pessoa assim, isso faz tempo. Eu fiquei constrangido. Uma das coisas que me fazia ficar constrangido também era que como eu nunca fiquei num estado desse, por mais que seus "profetas" alegassem que me induziriam, eu era tratado tipo como rejeitado por Deus, como se a graça Deus fosse parcial em mim, só porque eu não entrava em êxtase.

      Excluir
    5. Na verdade isso é justamente uma das coisas que diferencia a possessão demoníaca do agir do Espírito Santo. Na possessão demoníaca a pessoa perde o controle de si e é totalmente dominada pelo diabo que toma conta dela, de seu corpo, de suas palavras e etc, enquanto na ação do Espírito Santo o espírito dos profetas continua sujeito aos profetas, ou seja, o profeta continua tendo controle sobre si, inclusive pode parar aquilo quando quiser. Enquanto o diabo arromba a porta da casa e toma posse dela para si o Espírito Santo é como um cavalheiro que só entra se você quiser e abrir a porta, e que continua respeitando a sua posse (essa é a razão pela qual podemos entristecer e apagar o Espírito Santo em nós, porque se não o quisermos mais ele vai embora, enquanto o diabo só vai quando é expulso).

      Excluir
  5. Eu acho que você está enganado.

    ResponderExcluir
  6. Em relação aos ímpios, será que podemos mesmo chamar a liberdade deles de "livre-arbítrio"? Ou só arbítrio? Pergunto isso por causa do pecado como elemento escravizador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema dos ímpios é que a própria mente deles está inclinada para o mal, não é como a luta interna que Paulo sentia entre mente vs carne, porque ambos estão do mesmo lado quando se trata dos ímpios. Eles ainda tem livre-arbítrio? Tecnicamente sim, não se tornaram robôs ou coisa do tipo, mas para tomar uma atitude decisiva contra o pecado e em prol de Cristo só é possível se Deus derramar sobre eles a graça preveniente, abrindo a possibilidade de uma escolha real contra a vida de pecado e incredulidade.

      Excluir
    2. Conheci uma pessoa assim na faculdade, totalmente cética que não conseguia entender nada sobre Deus. Acredito que Deus tenha fechado por completo a mente dessa pessoa, pq era incrível ele não entendia porque Deus era maior do que os seres humanos e achava isso impossível de ser real...tem coisas que realmente são espirituais...

      Excluir
    3. Em alguns casos a pessoa está endurecida como o Faraó e aí não tem esforço humano que seja capaz de mudar a mente da criatura, mas em outros casos é apenas burrice e ignorância mesmo (nestes casos dá pra mudar sim).

      Excluir
  7. Banban, me indique bons livros de apologética. Poderia fazer uma listinha? Se não for incômodo, claro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você se refere a alguma apologética específica (ex: refutando o catolicismo, ou o ateísmo, etc) ou de um modo geral?

      Excluir
    2. "Você se refere a alguma apologética específica"

      Me refiro a livros que falem sobre a confiabilidade da Bíblia, da existência de Deus e do Jesus histórico, da veracidade da fé cristã... coisas do tipo, que inclui a apologética contra o ateísmo.

      Excluir
    3. Me contacte no facebook que eu envio vários livros em pdf que eu tenho aqui sobre estes assuntos, aqui no blog não tem como anexar arquivos, infelizmente.

      Excluir
    4. Manda uma mensagem pelo face (na minha conta pessoal ou na da page, tanto faz) que eu envio os arquivos em anexo.

      Excluir
  8. Lucas os calvinistas dizem que se o homem tem livre arbitrio, então Deus não é soberano. Mas como todo calvinista acredita que adão e eva tinha o livre arbítrio, então para eles antes da queda Deus não era soberano.

    ResponderExcluir
  9. Vc confunde livre arbitrio com livre agência. Livre arbitrio é uma palavra sempre relacionada com soteriologia. Já a livre agência é aquilo que vc citou no texto sobre eu brigar no transito, escolher a alternativa de uma questão de prova,etc...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A definição de livre-arbítrio que eu uso é a mesma definição histórica, filosófica e clássica que todos os Pais e doutores da Igreja sempre usaram. Essa tal "livre agência" foi uma criação de calvinistas em um momento bem posterior, cuja legitimidade eu desconheço completamente. Você nunca vai ver um Pai da Igreja falando em "livre agência", eles só falavam em livre-arbítrio, como eu também faço, seja para falar de ações do dia-a-dia ou de aspectos relacionados à salvação.

      Excluir
  10. ¿Amigo, usted ha pensado en traducir sus artículos al español? Como usted domina el español, sería de gran ayuda para nosotros, tener sus excelentes artículos en nuestra lengua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola, yo pienso en hacer esto en el futuro, así como en inglés, pero todavía aún hay mucho por escribir en portugués, por eso pienso en empezar a escribir en otros idiomas cuando haya terminado los libros sobre la Reforma, tal vez al final del año.

      Excluir
  11. Lucas, você já ouviu falar sobre os códigos da Bíblia? Será verdade isso?

    https://www.youtube.com/watch?v=isIloUUgrPg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já ouvi falar mas não tem muito fundamento não. Você pode ver uma crítica aqui:

      http://www.cacp.org.br/codigo-da-biblia/

      Excluir
  12. https://youtu.be/jzYYSmtiuHs <<< Já viu esse vídeo? Esta bem popular atualmente, mostra a visão de que o Apocalipse não foi escrito para falar sobre o fim do mundo. Se não me engano isso é o preterismo não é?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vídeo cheio de distorções feitas por um ateu que diz que João "profetizava" sobre o passado. Não dá pra levar a sério nem pra perder tempo escrevendo uma refutação, embora o site do Alon como um todo já destrua tudo isso:

      https://agrandecidade.com/

      Excluir
    2. Aproveitando o tema do preterismo, você sabe dizer quando que essa corrente de interpretação foi criada, se é recente ou antiga? E quais são os grupos que a seguem? Católicos, algumas denominações talvez?

      Excluir
    3. E o pior é que nos comentários só tem gente admirando o vídeo, dizendo: "Aprendo sobre a Bíblia mais com ateus do que com cristãos", e coisas do tipo, aceitando cegamente tudo oque o vídeo fala como uma verdade absoluta, achando uma coisa sensacional, fantástica, e crendo que que agora são os sabe tudo, os conhecedores da verdade, isso é muito triste.

      Excluir
    4. "Aproveitando o tema do preterismo, você sabe dizer quando que essa corrente de interpretação foi criada, se é recente ou antiga? E quais são os grupos que a seguem? Católicos, algumas denominações talvez?"

      Quem inventou essa linha de interpretação foi John Hentenius em 1547, mas o jesuíta português Luís de Alcazar (1554-1613) a desenvolveu mais plenamente. Isso foi pouco tempo depois da Reforma do século XVI, porque os protestantes acusavam o papado de ser o anticristo e os católicos precisavam dar uma resposta ou inventar um pretexto já que essa relação era bem óbvia quando se interpretava o Apocalipse de forma futurista. Mas embora haja muitos católicos por aí defendendo o preterismo pelo mesmo pretexto, a Igreja Romana nunca bateu o martelo sobre a questão e sequer tem um verbete sobre escatologia em seu catecismo (por isso existem católicos futuristas também). Também há uma minoria de indivíduos que se dizem protestantes e defendem o preterismo, mas estes são casos raros e questionáveis. Já o futurismo foi a versão sempre defendida pela Igreja desde os seus primórdios:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2012/11/manual-de-como-esmagar-o-preterismo-com.html

      "E o pior é que nos comentários só tem gente admirando o vídeo, dizendo: "Aprendo sobre a Bíblia mais com ateus do que com cristãos", e coisas do tipo, aceitando cegamente tudo oque o vídeo fala como uma verdade absoluta, achando uma coisa sensacional, fantástica, e crendo que que agora são os sabe tudo, os conhecedores da verdade, isso é muito triste"

      É o mesmo que fazem nos vídeos do Salatiel e nos de qualquer maluco, idiota e conspiracionista que não sabe porcaria nenhuma de nada sobre Bíblia ou teologia e mesmo assim saem por aí disseminando asneiras que só engana outros idiotas sem estudo como eles.

      Excluir
    5. Queria oferecer minha filha em casamento. A preferência dela é por homens que têm canal no YouTube com mais de 100 mil Inscritos.

      Excluir
    6. Então quando eu tiver 99 mil seguidores a mais você volta aqui.

      Excluir
    7. Lucas, "E o pior é que nos comentários só tem gente admirando o vídeo, dizendo..."
      Quando será que se vai aprender que o critério para validar uma idéia/premissa/argumento é a Palavra de Deus revelada na Bíblia?

      Excluir
  13. Olá Lucas,

    No capítulo 14 do livro da didaquê, é falado sobre um sacrifício, seria esse uma prova do sacrifício da hostia da missa católica? Segue o texto

    CAPÍTULO XIV
    1 Reúna-se no dia do Senhor para partir o pão e agradecer após ter confessado seus
    pecados, para que o sacrifício seja puro. 2 Aquele que está brigado com seu
    companheiro não pode juntar-se antes de se reconciliar, para que o sacrifício oferecido
    não seja profanado. 3 Esse é o sacrifício do qual o Senhor disse: "Em todo lugar e em
    todo tempo, seja oferecido um sacrifício puro porque sou um grande rei - diz o Senhor -
    e o meu nome é admirável entre as nações".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, eu comentei sobre isso há um tempo atrás a outra pessoa que perguntou coisa semelhante, segue abaixo a resposta:

      A eucaristia era um "sacrifício" no mesmo sentido em que Paulo diz que devemos nos oferecer como um "em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus" (Rm 12:1), que não significa um sacrifício literal, da mesma forma que Cristo não é literalmente sacrificado novamente na Ceia ou eucarfistia. A eucaristia é um memorial do sacrifício de Cristo (1Co 5:7; 1Co 11:24), por isso a designação. Não tem nada a ver com um sacrifício literal, da mesma forma que em textos como esses:

      "Contudo, mesmo que eu esteja sendo derramado como oferta de bebida sobre o serviço que provém da FÉ que vocês têm, o SACRIFÍCIO que oferecem a Deus, estou alegre e me regozijo com todos vocês" (Filipenses 2:17)

      "Recebi tudo, e o que tenho é mais que suficiente. Estou amplamente suprido, agora que recebi de Epafrodito os DONATIVOS que vocês enviaram. São uma oferta de aroma suave, um SACRIFÍCIO aceitável e agradável a Deus" (Filipenses 4:18)

      "Vocês também estão sendo utilizados como pedras vivas na edificação de uma casa espiritual para serem sacerdócio santo, oferecendo SACRIFÍCIOS ESPIRITUAIS aceitáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo" (1 Pedro 2:5)

      "Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em SACRIFÍCIO vivo, santo e agradável a Deus; este é o CULTO racional de vocês" (Romanos 12:1)

      Nestes textos vemos a fé, a oferta, a espiritualidade e o culto sendo chamados de "sacrifício", da mesma forma que a Ceia. Claro que não um sacrifício literal, pois em sentido literal o autor de Hebreus foi perfeitamente claro ao dizer:

      "Pelo cumprimento dessa vontade fomos santificados, por meio do sacrifício do corpo de Jesus Cristo, oferecido UMA VEZ POR TODAS" (Hebreus 10:10)

      "Dia após dia, todo sacerdote apresenta-se e exerce os seus deveres religiosos; repetidamente oferece os mesmos sacrifícios, que nunca podem remover os pecados. Mas quando este sacerdote acabou de oferecer, para sempre, UM ÚNICO sacrifício pelos pecados, assentou-se à direita de Deus" (Hebreus 10:11-12)

      O sacrifício de Jesus foi um só, e ocorreu na cruz. Não há mais sacrifícios literalmente falando.

      Excluir
    2. Qual sentido a didaque nos passa? Eu particularmente notei que o texto passa uma forma literal na ceia. Eu fiquei intrigado lendo e relendo e não encontrei uma resposta plausível sobre esse texto.

      Excluir
    3. O Bruno já explicou isso aqui:

      http://respostascristas.blogspot.com/2016/02/os-pais-da-igreja-e-eucaristia-inacio.html

      Excluir
  14. Analise:

    1: http://bereianos.blogspot.com/2016/11/refutando-o-aniquilacionismo.html?m=1


    2:http://bereianos.blogspot.com/2017/12/resposta-ao-questionario.html?m=1


    3:http://olharunificado.blogspot.com/2016/02/inferno-eterno-ou-aniquilacao.html?m=1


    4:http://www.monergismo.com/textos/inferno/aniquilacionismo_packer.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho tempo pra refutar cada linha de cada artigo contra aniquilacionismo que tem por aí, mas TODOS os argumentos que eu já vi em toda a minha vida contra o aniquilacionismo eu já refutei nos meus artigos e livros:

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-imortalidade-da-alma.html

      E mais recentemente nestes artigos:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/para-entender-o-aniquilacionismo-de.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/11/esclarecendo-duvidas-basicas-sobre.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/03/o-dragao-na-garagem-da-teologia-crista.html

      Neste último artigo em questão vá à caixa de comentários que tem muitos debates com o Apologeta, inclusive em artigos copiados desses links aí e de outros. Se houver algum argumento em particular que eu ainda não tenha refutado ou que talvez tenha mas você não conheça, fique à vontade para citar este argumento aqui que eu respondo sem problemas, qualquer argumento que seja.

      Excluir
  15. Banzoli, você trabalha ou só estuda? Aí em Curitiba é fácil conseguir emprego?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No momento eu estou cursando licenciatura em história e o tempo livre eu uso pro blog e pro livro, mas até um tempo atrás eu fazia trabalhos freelancer pra um site (não tinha nada a ver com teologia). Se em Curitiba é fácil arrumar emprego, eu acho que no momento atual do Brasil não é fácil em lugar nenhum.

      Excluir
    2. Lucas, gostaria de pastorear uma igreja, caso fosse convidado?

      Excluir
    3. "eu acho que no momento atual do Brasil não é fácil em lugar nenhum"

      Essa é uma dura realidade.

      Excluir
    4. "Lucas, gostaria de pastorear uma igreja, caso fosse convidado?"

      Desde que fosse uma igreja pequena. Como eu nunca preguei em igrejas e tenho timidez para falar em público, me colocar para pregar em um lugar grande seria pedir para perder metade dos membros da igreja de uma vez só.

      Excluir
    5. "... eu acho que no momento atual do Brasil não é fácil em lugar nenhum..."
      Lucas, qual sua perspectiva socio-politico-econômica para nosso Brasil? Você se considera otimista, cético ou pessimista?

      Excluir
    6. Isso vai depender muito de quem elegeremos em outubro, mas se for um liberal eu tenho otimismo sim, apesar de tudo. Se você for ver o PIB brasileiro, ele costumou subir mesmo em regimes esquerdistas como os de FHC e Lula, imagine se colocássemos no poder um cara que presta. A tendência da economia mundial é sempre de crescimento, com algumas quedas ocasionadas por crises que naturalmente ocorrem de tempos em tempos, mas o quadro geral é de crescimento, tudo o que precisamos é de um presidente que não atrapalhe.

      Excluir
  16. Lucas, você já leu o livro ARMINIANISMO: A MECÂNICA DA SALVAÇÃO, do Silas Daniel?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não li, na verdade após escrever meu livro sobre o tema em 2013 eu fiz questão de deixar completamente este assunto de lado e me focar em temas mais relevantes.

      Excluir
  17. Lucas, tenho uma pergunta, por acaso em que vc Irá votar este ano?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não tenho certeza, mas quando os candidatos estiverem formalizados e com um plano de governo eu estudo melhor cada um e faço um artigo fundamentando minha posição.

      Excluir
  18. Olá Lucas, como vai? Gostaria de saber sua opinião sobre o livro "Democracia: o deus que falhou" de Hanshermann Hoppe. Eis a sinopse: "O núcleo deste livro consiste em uma análise sistemática da transformação histórica da monarquia à democracia pela qual o Ocidente passou. Revisionista por natureza, este livro chega à conclusão de que a monarquia é um mal menor do que a democracia, mas aponta a existência de problemas em ambos. A sua metodologia é axiomático-dedutiva, permitindo-se, assim, a derivação de teoremas econômicos e sociológicos a serem aplicados na interpretação dos eventos históricos. Hoppe desconstrói a crença liberal-clássica na possibilidade do governo limitado e conclama por um alinhamento entre o conservadorismo e o libertarianismo, pois os vê como aliados naturais almejando objetivos comuns. Ele defende que a provisão de serviços de defesa seja assumida por companhias de seguro atuando em um mercado livre, e descreve o florescimento da lei privada entre as seguradoras concorrentes. Um capítulo fascinante acerca da preferência temporal explica o progresso da civilização como sendo fruto da diminuição da preferência temporal enquanto a estrutura do capital é construída, e explana sobre como a interação entre as pessoas pode diminuir a preferência temporal de todos, realizando paralelos interessantes com a Lei da Associação ricardiana. Por focar-se nesse tema, o autor se habilita a interpretar muitos fenômenos históricos tais como os níveis crescentes de crime, a degeneração dos padrões de conduta e moralidade e o surgimento do megaestado. Ao enfatizar as deficiências da monarquia e da democracia, o autor demonstra o quanto esses sistemas são inferiores a uma ordem natural baseada na propriedade privada. Democracia – o Deus que falhou será de grande valia para acadêmicos e estudantes de história, economia política e filosofia política."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um libertariano monarquista? Essa é nova. Agora oficialmente só falta encontrar um palmeirense corinthiano e um judeu nazista.

      Eu não posso comentar sobre os argumentos que ele usa em favor da monarquia porque não li o livro e para ser sincero nem pretendo, mas já dando a minha opinião a respeito, a monarquia só existe hoje em países desenvolvidos em lugares onde o rei ou rainha não manda em nada ou em quase nada de fato, e onde o primeiro-ministro é realmente quem governa o país. Ou seja, são monarquias de fachada, mantidas pelo apego à tradição ou para lucrar com turismo (no caso inglês), e não por alguma questão efetiva ou prática. Hoje em dia as únicas monarquias em que tem um rei mandando de fato como no passado são em países africanos dos mais atrasados do mundo, países tão atrasados que fazem o Brasil parecer próspero e desenvolvido. E a razão pela qual os países mais desenvolvidos do mundo evoluíram para uma forma republicana de governo ou parlamentarista em que o rei tem os poderes profundamente limitados é justamente porque todos tem a consciência do quão superior a democracia é em relação às outras formas de governo, especialmente a monarquia. É uma superioridade notória, indiscutível e insofismável. O mundo evoluiu a passos lerdos durante milênios de regimes monárquicos nos mais diversos lugares, para uma evolução vigorosa e enérgica em todos os dados de desenvolvimento humano nos últimos séculos para cá, que é justamente o período no qual muitas monarquias se dissolveram e as outras continuaram de fachada.

      Excluir
    2. Lucas, pegando carona no tema, qual a sua opinião sobre a justificativa (nem sempre católica) que o a centralização do poder é o ideal bíblico pois na Nova Jerusalém o governo de Cristo é representado como monarquia centralizada em Cristo.

      Excluir
    3. A pergunta já traz a resposta consigo. Na Nova Jerusalém há uma autoridade única centralizada porque essa autoridade é CRISTO, ou seja, um ser infalível, Deus. Nenhuma autoridade terrena sequer chega perto disso, são todas elas passíveis de repreensão como o próprio Pedro (suposto "primeiro papa" para os católicos) foi repreendido em Antioquia:

      "E, chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível. Porque, antes que alguns tivessem chegado da parte de Tiago, comia com os gentios; mas, depois que chegaram, se foi retirando, e se apartou deles, temendo os que eram da circuncisão. E os outros judeus também dissimulavam com ele, de maneira que até Barnabé se deixou levar pela sua dissimulação. Mas, quando vi que não andavam bem e direitamente conforme a verdade do evangelho, disse a Pedro na presença de todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus?" (Gálatas 2:11-14)

      Em síntese, o poder é descentralizado quando se trata de autoridades humanas por serem todas elas falíveis e sujeitas à apostasia e ao erro (o que explica por que os regimes de autoridade centralizada são tão miseravelmente ruins sob qualquer aspecto), mas é centralizado quando se trata de uma autoridade divina que não pode errar (Jesus).

      Excluir
  19. Ola Lucas, tudo bem ?!
    Achei pela internet essa frase que teria sido extraída de uma obra de Russel Kirk, que é um dos mais famosos expoentes do conservadorismo. Eu não li a obra dele por isso não posso afirmar a veracidade, embora tudo leva a crer que sim. Está em inglês e é um pouco grande, mas gostaria que você desse sua crítica a respeito.

    “Under Protestantism, religion is left entirely to the control of the individual, who selects his own creed, or makes a creed to suit himself, devises his own worship and discipline and submits to no restraints but such as are self-imposed. When this stage is reached, disintegration of the religious spirit is imminent; for man is not sufficient unto himself, reason unaided cannot sustain faith, and Authority is required to preserve Christianity from degenerating into a congeries of fanatic sects and egotistical professions. Under Protestantism, the sect governs religion, rather than submitting to governance; the congregation bully their ministers and insist upon palatable sermons, flattering to their vanity; Protestantism cannot sustain popular Liberty because it is itself subject to popular control, and must follow in all things the popular will, passion, interest, prejudice, or caprice.”

    Obs.: provavelmente era um católico lunatico, porque isso que ele afirmou aqui é simplesmente a descrição da mentalidade do próprio catolicismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nataly, tudo bem?

      Seja lá quem foi o doente que escreveu isso, é apenas a expressão da mentalidade autoritária e totalitária do catolicismo romano em sua face mais ditatorial e nefasta. Note que toda a "crítica" está embasada no "horror" que eles sentem à autonomia individual que o protestantismo oferece, o que foi justamente o crucial para a formação da democracia moderna, das liberdades individuais e civis, da tolerância e do pluralismo, contra todo o despotismo papal e tiranismo dos Estados que a ele se submetiam. Gente desse tipo tem horror à democracia e à consciência individual, o que eles gostam mesmo é de uma autoridade central e única (o papado) impondo as regras do jogo a todos como um grande ditador que sempre foi, ou pelo menos até o Concílio Vaticano II. Por isso queimavam quem discordava de qualquer ponto da teologia deles, por isso perseguiam os dissindentes, por isso proibiam a leitura da Bíblia, e por isso até hoje proíbem a sua interpretação, ficando tudo a cargo do "magistério", com o gado podendo apenas balançar a cabeça e dizer "sim" de forma incondicional e acrítica igual vaquinha de presépio. Sobre isso inclusive recomendo os seguintes artigos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2016/08/igreja-catolica-inimiga-da-liberdade.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/04/quanto-custa-liberdade.html

      Abs!

      Excluir
    2. Lucas, como fica a sujeição à hierarquia sem concordar com Russel Kirk?

      Excluir
    3. Exatamente. “.... com o gado podendo apenas balançar a cabeça..”, kkk, ótimo! É isso aí, resumiu um típico católico em uma curta frase. Sendo eu testemunha pois fui uma, acho incrível como alguém poderia escrever uma baboseira como a que o Kirk escreveu. Na boa, nem dá vontade de levar um cara desses a sério depois disso, mesmo sendo ele um pensador tão importante pro conservadorismo contemporâneo.

      Excluir
    4. "Lucas, como fica a sujeição à hierarquia sem concordar com Russel Kirk?"

      Nenhuma hierarquia é infalível, todos devem ser corrigidos e repreendidos quando incorrem em erro, até Pedro foi repreendido em Antioquia, quanto mais qualquer líder religioso de uma igreja moderna. Essa coisa de seguir o clero de forma passiva e acrítica é coisa de católico, principalmente de católico medieval (já que hoje tá cheio de católico descendo o cacete em bispos da CNBB, mas se fizessem isso há séculos atrás queimavam em fogueiras por desacato à autoridade). O próprio Paulo foi claro quando disse:

      "Sei que, depois da minha partida, lobos ferozes penetrarão no meio de vocês e não pouparão o rebanho. E dentre vocês mesmos se levantarão homens que torcerão a verdade, a fim de atrair os discípulos" (Atos 20:29-30)

      Por isso nas igrejas evangélicas existe hierarquia (pastor, bispo, presbítero e etc), mas não no sentido de superioridade ou de autoridade que deva ser seguida a despeito de tudo. Veja o que Pedro escreveu a respeito:

      "Portanto, apelo para os presbíteros que há entre vocês, e o faço na qualidade de presbítero como eles e testemunha dos sofrimentos de Cristo, como alguém que participará da glória a ser revelada: Pastoreiem o rebanho de Deus que está aos seus cuidados. Olhem por ele, não por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer. Não façam isso por ganância, mas com o desejo de servir. Não ajam como dominadores dos que lhes foram confiados, mas como exemplos para o rebanho" (1 Pedro 5:1-3)

      Excluir
    5. "Exatamente. “.... com o gado podendo apenas balançar a cabeça..”, kkk, ótimo! É isso aí, resumiu um típico católico em uma curta frase. Sendo eu testemunha pois fui uma, acho incrível como alguém poderia escrever uma baboseira como a que o Kirk escreveu. Na boa, nem dá vontade de levar um cara desses a sério depois disso, mesmo sendo ele um pensador tão importante pro conservadorismo contemporâneo"

      O tipo de "conservadorismo" defendido por caras assim não é o conservadorismo clássico liberal que conhecemos (no estilo do conservadorismo americano), mas sim um tipo de conservadorismo reacionário e oposto às liberdades individuais, no maior estilo "conservador" da ditadura militar brasileira de décadas atrás. É preciso deixar essa distinção bem clara, porque embora católicos e protestantes se designem como conservadores, o tipo de conservadorismo defendido por cada um é muito diferente do outro. Eles defendem um conservadorismo centrado em uma autoridade única e despótica com restrição de direitos aos que se opõe a ela, enquanto nós defendemos um conservadorismo liberal que prioriza a liberdade de consciência e de direitos a todos os cidadãos em pé de igualdade. É por isso que os conservadores católicos detestam tanto o conservadorismo americano (que chamam de "neocons") e adoram o conservadorismo de regimes fascistas como o do general Franco na Espanha.

      Excluir
  20. O Alon é jovem assim como você, ou já é velho?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele está na casa dos 60 anos.

      Excluir
    2. Onde posso ver uma foto dele

      Excluir
    3. Não é tão velho. Ele é daí de Curitiba?

      Excluir
    4. "Onde posso ver uma foto dele"

      Não sei se tem alguma.

      "Não é tão velho. Ele é daí de Curitiba?"

      Mora em Londres.

      Excluir
    5. Problema resolvido. Está aí minha foto

      Excluir
    6. "Problema resolvido. Está aí minha foto"
      Faltou a idade.

      Excluir
    7. "Problema resolvido. Está aí minha foto"

      Alon, você parece o Rev. Augustus Nicodemus. Só falta deixar a barba crescer mais.

      Excluir
    8. Alon o que você faz em Londres? Trabalha? Ou tá fazendo algum doutorado?

      Excluir
    9. Vocês são terríveis! Deus me livre!

      Tisc tisc tisc

      Excluir
    10. O banzoli quer botar o alon na roda

      Excluir
    11. "Vocês são terríveis! Deus me livre"

      Porque? Só porque queremos saber um pouco sobre você?

      Excluir
    12. "O banzoli quer botar o alon na roda"

      Eu não quero nada.

      "Porque? Só porque queremos saber um pouco sobre você?"

      Algumas perguntas são meio indiscretas, eu mesmo não liberei uma.

      Excluir
    13. "O banzoli quer botar o alon na roda"

      Não entendi. O que isso quer dizer?

      Excluir
    14. Cara, você é muito malicioso. Só porque eu perguntei se o Alon tem filhas solteiras, já fica pensando bobagem e não aprova o comentário. Ou seja, porque alguém pergunta a um cara se ele tem filhas solteiras, é porque quer fazer coisas errada. Essa é sua lógica.

      Excluir
    15. Eu não vejo propósito numa pergunta dessas. Uma coisa é perguntar a alguém se tem filhos, outra coisa é perguntar especificamente se tem filhas, e ainda mais solteiras. Tipo, isso não é o Tinder. Seja lá qual a sua intenção com uma pergunta dessas, isso não faz o perfil desse blog.

      Excluir
    16. Nada demais. Eu só queria ver a reação do Alon. Não que eu tenha a esperança de um dia namorar ou casar com uma delas (não sei nem se ele tem). Não fiz nenhuma pergunta indecente.

      Excluir
    17. Ele já não estava gostando do rumo das perguntas, então não achei pertinente publicar mais essa que o deixaria provavelmente mais irritado, foi só isso. Não disse que você foi "indecente", só disse que não foi conveniente neste contexto.

      Excluir
    18. Tudo bem cara. Tranquilo. Eu não sabia que ele era tão mal-humorado. Só porque estávamos fazendo algumas perguntas para conhecermos mais ele, já ficou chateado e nos chamou de "terríveis". Uma pessoa assim eu não quero conhecer pessoalmente nunca. Perguntaram o que ele fazia em Londres, se trabalhava ou fazia algum doutorado e ele não respondeu. Por isso que eu admiro você. Sempre responde as perguntas que fazem, seja perguntas sobre teologia ou perguntas sobre sua vida pessoal.

      Excluir
    19. Para encerrar o assunto: Essa é minha filha, e é casada!

      https://youtu.be/uDrgn28SHoc

      Excluir
  21. Outro tema como sugestão de artigo: Porque ser bom? A bondade do ser humano sem Deus é possível de ser realizada? Tema bastante discutido entre os ateus...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tema tem muito a ver com o que eu escrevi no livro "Deus é um Delírio?", mais especificamente neste capítulo que publiquei no meu outro blog:

      http://ateismorefutado.blogspot.com/2015/04/o-trecho-abaixo-e-extraido-de-meu-livro.html

      Excluir
  22. Jogar vídeo-game é pecado? Olha o resident evil 7 no ps4, como é massa:

    https://www.youtube.com/watch?v=TQUrlSk25EE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é pecado, desde que não vicie (tudo o que vira vício é pecado, o problema não está no jogo em si mas sim no vício de alguns). Pessoalmente eu não gosto de jogos em primeira pessoa, vi parte desse gameplay aí e os gráficos são excelentes, mas eu jamais jogaria algo que me dá medo xD

      Excluir
    2. "eu jamais jogaria algo que me dá medo"

      Então você jamais vai jogar Outlast 2. Veja isso, mano, que bizarro:

      https://www.youtube.com/watch?v=_aWZn6aXF9M

      Excluir
    3. "Tá amarrado"

      kkkkk

      Excluir
  23. Avalie:

    "Deus odeia o pecado, mas ama o pecador".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "True"

      Os calvinistas dizem que é mentira kkk. Dizem que Deus odeia o pecador também.

      Excluir
    2. "Os calvinistas dizem que é mentira..."
      Ainda bem que são os calvinistas, porque se fosse a Bíblia todos nós estávamos perdidos.

      Excluir
  24. https://youtu.be/67VQri0lmsc?t=156 olha só até o minuto 2:45 (o vídeo já ta no ponto certo) o que você acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendi o ponto. É pra comentar do processo ou sobre o padre Paulo que foi mencionado nessa parte do vídeo? Pra ser sincero eu não tenho nenhum interesse em ambos.

      Excluir
    2. é só sobre o nando ter dito ai que o paulo é uma das pessoas "mais corretas e descentes"

      Excluir
    3. É por essas e outras que o Nando é um excelente comediante.

      Excluir
  25. Lucas é verdade que nem sempre os Estados Unidos era rico, ou seja, um país próspero principalmente na época das 13 colônias britânicas onde a própia capitania de pernambuco era até mais rica?É verdade que os americanos se apropriaram do oportunismo de capitar dinheiro com o grande poder dos bancos no século 19 para financiar uma grande revolução industrial e se industrializar mais rapidamente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os EUA sempre foi mais rico que o Brasil, embora essa diferença tenha se tornado maior no século XIX. Sobre isso eu escrevi aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/04/o-brasil-era-mais-rico-e-desenvolvido.html

      Excluir
  26. Prof.Lucas que bom é ver aqui seus esclarecimento espetacular, parabéns e que nosso Pai Eterno te recompense. Prof. Lucas nós estaremos aqui no corpo glorificado ajudando o Senhor yesus governar durante o milênio como Reis e sacerdotes ou no milênio nós estaríamos aguardando a ressurreição do ultimo dia?. Te PERGUNTO isso porque na minha opinião você é um dos maiores exegetas da atualidade.Um forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, primeiramente obrigado por suas palavras! De fato nós já estaremos ressuscitados antes do milênio para passarmos o reino milenar com Cristo na terra, porque a ressurreição dos mortos antecede o milênio (veja Ap 20:4). Apenas os ímpios é que ressuscitam ao final do milênio (Ap 20:5). Abs!

      Excluir
  27. Muito bom seu artigo, Lucas. Parabéns.

    Vai aí uma ajuda para quem entende bem o inglês

    https://youtu.be/iokVMSaLhvU

    ResponderExcluir
  28. Ola meu mestre, muito obrigado por me responder, só mais uma duvida a nova jerusalém só vira no final dos mil anos ou nós já estaremos morando nela aqui com a presença do nosso pai e tudo que consta nesta, cidade sua amuralha o rio arvore da vida etc. eu penso que ela já estará aqui porque na eternidade não terá pessoas que não possa entrar nela Ap.21.27 Ap.22.15.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Nova Jerusalém em si só vem no final dos mil anos, é a cidade que João viu descer do céu em Ap 21:2. Mas a nova terra em si é uma construção que começa no início e se completa ao final do milênio, estaremos aqui em todo o tempo. Sobre isso eu já escrevi este artigo:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/a-terra-ira-durar-para-sempre-ou-deus.html

      Abs!

      Excluir
  29. Olá Paz absoluta... Sou novo por aqui e gosto bastante do assunto apologético mas não costumo ler muito blog por isso desconheço vários. Jesus me salvou, Graças a Deus e tenho uma pergunta a você...: Qual a sua opinião a respeito da Bíblia Apologética do ICP?

    Paz absoluta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, a paz. Sendo sincero, se eu dissesse que conheço bastante essa Bíblia Apologética eu estaria mentindo, nunca tive interesse em lê-la, o que eu conheço dela são as citações que fazem rotineiramente em sites por aí, principalmente no CACP. Dessas citações o que eu penso é que há muito material útil sim, mas é um material mais voltado para leigos com pouca ou nenhuma formação apologética em função de sua notória superficialidade. Eu não os culpo por isso, porque já escrevi comentários aos evangelhos e sei o quanto é difícil não ser superficial sem ter muito espaço para escrever, mas se a sua intenção é se aprofundar em apologética eu entendo que há muito material mais proveitoso para se ler.

      Excluir

Fique à vontade para deixar seu comentário, sua participação é importante e será publicada e respondida após passar pela moderação. Todas as perguntas e comentários educados são bem-vindos, mesmo que não tenham a ver com o tema do artigo. Críticas serão publicadas desde que não faltem com o respeito e não sejam feitas em anonimato.

Caso o seu comentário não tenha sido publicado dentro de 24h, reenvie-o.