• Apologética Cristã

  • Defesa da Fé

  • Artigos e Livros

SOBRE

Lucas Banzoli (11/09/1992) é graduado em Comunicação Institucional pela UFPR, é pós-graduado em História pela UCAM, licenciando em história pela UEPG e mestre em teologia pela FTBP. Apaixonado por teologia, é autor de vinte livros cristãos e cinco blogs apologéticos, cujos artigos estão reunidos em um só lugar neste site.

22 de maio de 2018

47 Resolvendo o “problema sinóptico” da origem e fonte dos evangelhos



Este artigo será certamente um dos menos lidos do blog porque o assunto não é popular e a discussão não interessa à maioria das pessoas comuns. No entanto, no ambiente acadêmico, acredite, este é um dos temas mais discutidos, muito mais do que discussões populares como “calvinismo vs arminianismo” e coisas do tipo. No meu mestrado, por exemplo, havia uma matéria só sobre isso, onde todas as hipóteses são apresentadas e discutidas. Para não tornar o texto exaustivo, aqui eu não vou trabalhar com todas as hipóteses já formuladas, mas com as duas principais.

18 de maio de 2018

89 Os evangélicos são “otários” e "orgulhosos" por dirigirem suas orações direto a Deus?


O vídeo não é recente, mas revela muito do caráter desse homem idolatrado pelos tridentinos, que nutre um ódio imenso aos evangélicos mesmo quando aparenta uma fala mansa e humilde. Mesmo em um monólogo em que “debatia” consigo mesmo e “refutava” um protestante imaginário criado pela sua mente brilhante e não em um debate real, o padre Paulo Ricardo xingou os evangélicos de “otários” – em plena missa, diga-se de passagem – apenas porque nós dirigimos nossas orações a Deus (enquanto eles são obrigados a passar por um panteão de “santos” e “santas” sem nenhuma base bíblica ou mesmo lógica). Assista se tiver estômago forte:

14 de maio de 2018

71 Nos lembraremos uns dos outros na eternidade ou haverá uma “amnésia celestial”?



A tese de que haverá uma “amnésia celestial” ao chegarmos à presença de Deus tem crescido nos últimos anos por diferentes e estranhas razões. Segundo os proponentes dessa teoria, na eternidade nós não teremos lembrança nenhuma de qualquer evento que se passou na terra – ou seja, uma verdadeira amnésia celestial, que para nós na eternidade faria parecer que fomos criados naquele exato momento, como se não tivéssemos tido uma vida anterior. Na verdade já há muito tempo o meu amigo Mauro César me pediu para escrever sobre o tema, e só uma coisa explica o porquê que eu venho me esquecendo de abordar este assunto esse tempo todo: amnésia.

11 de maio de 2018

77 Evangélicos que escandalizam o mundo



Há poucos dias recebi um comentário de um leitor que afirmou que “isso só serve pra causar escândalo, principalmente para os ímpios”. Não, ele não estava falando de algum ato pecaminoso, de um roubo, mentira, fornicação ou de alguma maldade cometida contra alguém. Em vez disso, estava falando do... tamanho do meu cabelo. É isso mesmo. Eu já vou comentar sobre isso, mas isso me levou a um momento de reflexão. E logo de cara, quero adiantar que ele tem razão em partes: há mesmo atitudes tomadas por cristãos que servem de escândalo até para as pessoas do mundo. Aqui vou citar algumas delas, a começar por uma pregação que eu tive o desprazer de conhecer há algumas semanas, a qual foi compartilhada em grande número de comunidades de facebook. Peço apenas que assistam aos poucos minutos dessa “pregação”, atribuída a um tal de “pastor Tupirani”:

6 de maio de 2018

101 Os dez autores que mais impactaram a minha vida



Alguns devem se lembrar que anos atrás surgiu uma “modinha” de facebook em que uma pessoa dizia os 15 autores que mais a influenciaram e então marcava alguém que deveria fazer o mesmo, e assim sucessivamente. Eu fui marcado pelo meu amigo Reginaldo Castro e fiz a tal lista que agora nem me lembro os nomes, mas como com certa frequência as pessoas me questionam sobre materiais que eu recomendo e que também podem edificar a vida delas, eu decidi elaborar essa lista dos dez autores que mais impactaram a minha vida.

3 de maio de 2018

64 Para entender o aniquilacionismo de forma completa e simples (+bônus no final)



Ainda hoje há muita gente que não conhece bem o aniquilacionismo, e outros que sequer ouviram falar sobre. Há também aqueles que já ouviram falar alguma vez, mas de uma maneira superficial que os levou a pensar que “não há base bíblica” para este ensino (cujo embasamento bíblico não poderia ser maior). Por fim, há também os que atacam o aniquilacionismo sem entendê-lo, ou refutando espantalhos, ou repetindo textos já explicados adequadamente, ou simplesmente ignorando as evidências. E quando pedimos para alguém ler esse ou aquele livro, a maioria desiste só de ver o tamanho do livro. Por isso decidi publicar este artigo onde resumo o aniquilacionismo e suas provas bíblicas, usando como base o mesmo texto que escrevi no blog do Bruno Queiroz no nosso artigo cooperativo onde ele defende a imortalidade da alma e eu a mortalidade (clique aqui para conferir a argumentação dele).

28 de abril de 2018

131 Conheça toda a perseguição e proibição da Igreja Católica à leitura da Bíblia!


Observações prévias: Este artigo é de longe o estudo mais completo disponibilizado na internet sobre o tema, que reúne a maior quantidade de fontes primárias e de citações de estudiosos e historiadores para não deixar qualquer margem de dúvida. Eu mantive a primeira parte que já havia sido postada aqui, que neste artigo é apenas uma “introdução” ao tema. Todo o material é extraído de um capítulo do meu livro sobre a Reforma, em fase final de construção. Boa leitura!

25 de abril de 2018

90 Benny Hinn abandona a teologia da prosperidade


Ontem eu fui pego de surpresa com um comentário do leitor Gabriel Tavares, a respeito de Benny Hinn ter abandonado a teologia da prosperidade recentemente. Na verdade a notícia já é de alguns meses, mas como eu ando um pouco desconectado do mundo das celebridades gospel só fiquei sabendo agora. A matéria em português pode ser lida aqui, mas eu vou transcrever na íntegra, colocar as partes mais importantes em negrito e depois volto para comentar algumas coisas.

20 de abril de 2018

127 Trump repete na Síria o erro de Bush no Iraque


Todos sabem a minha admiração pelos Estados Unidos da América como nação, principalmente pela sua história vitoriosa, sua ética historicamente protestante e seu pioneirismo na democracia. Para início de conversa, devemos aos EUA o fato dos nazistas não terem prevalecido na Segunda Guerra Mundial e dominado o mundo, e dos soviéticos não terem prevalecido na Guerra Fria e estendido seu regime comunista ao restante do planeta. Só essas duas coisas já seriam mais que o suficiente para mostrar a demência de “anti-estadunidenses” fanáticos (em sua esmagadora maioria, comunistas alienados ideologicamente para odiar tudo aquilo que tem a ver com capitalismo e Cristianismo).

13 de abril de 2018

82 Refutando todas as calúnias católicas contra a rainha Isabel da Inglaterra



Considerações prévias: Este artigo é extraído de um dos capítulos do meu livro sobre a Reforma (ainda em construção), e é presumivelmente bem mais longo do que a maioria das pessoas estará disposta a ler, mas eu preferi postar a refutação a todas as calúnias dentro de um único artigo do que dividi-lo em múltiplas partes. A única que deixei de fora foi a da Armada Invencível (quando os espanhois instigados pelo papa tentaram destruir a Inglaterra em uma invasão marítima fracassada), um episódio que pretendo publicar em um artigo à parte, por isso o “(...)” no final. Um dos tópicos aqui presentes aborda a questão moral dos jesuítas, que é extremamente importante mesmo para quem não está nada interessado no reinado de Isabel.

10 de abril de 2018

59 Henrique VIII: Reformador protestante ou católico nacionalista?


A Reforma na Inglaterra foi totalmente singular. Ela não partiu das pregações de um reformador específico, como na maioria dos outros países, e também não veio pelas mãos de um “rei imoral”, como assevera a apologética católica. Já há tempos os ingleses tinham uma predisposição anticlerical, embora não anticatólica. Isso explica por que um rei católico que quis romper com Roma e ainda assim permanecer católico não teve que enfrentar a mesma oposição severa e selvagem que líderes protestantes como Henrique IV e Guilherme de Orange passaram em seus respectivos países. Para entender essa predisposição, é necessário recuar alguns séculos, particularmente até o “Cativeiro de Avinhão” (1309-1377).

6 de abril de 2018

68 Os prós e contras da Igreja em células


Para quem não sabe, a “Igreja em células” se refere a pequenos grupos de pessoas de uma mesma igreja que se reúnem na casa de um “líder de célula” para um culto diferente em algum dia durante a semana. Em relação ao culto padrão aos domingos é menor na duração, mas a principal diferença é que não se trata de uma única pessoa (um pastor) falando por uma hora sem parar, mas de um ambiente de interação entre os diferentes membros do grupo, onde cada um dá a sua opinião sobre os assuntos, discute as temáticas, acrescenta alguma coisa, pede oração e etc. Isso não significa que não haja alguém responsável pela pregação da Palavra, e sim que essa pregação não é um monólogo. Também não exclui e nem deve se sobrepor aos cultos em que a igreja toda se reúne a cada domingo.

2 de abril de 2018

97 O dia em que o papa incentivou a leitura da Bíblia. Ou não.


Em 2003, um protestante chamado Joe Bateman desafiou os papistas em um fórum católico americano sobre a questão da proibição da leitura da Bíblia[1], que, embora tão evidente e comprovada por múltiplas provas documentais, os apologistas católicos surpreendentemente continuam negando. Entre os documentos por ele citados (os quais examinaremos mais adiante) que provam que a Igreja proibiu a leitura da Bíblia, estavam o Concílio de Tolosa (1229), o Concílio de Trento (1545–1563) e uma Constituição Dogmática do papa Clemente XI intitulada Unigenitus Dei Filius (1713).

30 de março de 2018

63 A razão bíblica pela qual não sou nem comunista, nem anarcocapitalista


Há quem pense que anarcocapitalismo e comunismo são dois extremos opostos, um da extrema-esquerda e outro da extrema-direita, como se fossem arquirrivais que não combinam em absolutamente nada. Penso completamente diferente. Ainda que o socialismo que tenha se instaurado de fato nos países comunistas como Cuba, URSS, Camboja, Coreia do Norte e etc jamais tenha dado esse passo adiante, no “comunismo puro” idealizado por Marx essa era apenas a “primeira fase” do projeto. O que viria em seguida seria uma sociedade sem classes e sem Estado. Pode parecer irônico que a ponte para uma sociedade sem Estado seja justamente um Estado gigante e controlador de tudo, como no socialismo real, mas é a utopia que seguem, é o discurso que inventam.