7 de novembro de 2018

63 Batismo no Espírito Santo significa falar em línguas?



Há alguns dias escrevi este artigo sobre o dom de línguas, onde defendo à luz da Bíblia o entendimento pentecostal do dom. No final do artigo eu antecipei que os pentecostais também cometem muitos erros no que concerne ao tema, os quais não me aprofundei para não me alongar excessivamente ali. Então farei isso agora, a começar pela interpretação de que o dom de línguas consiste na mesma coisa que o batismo no Espírito Santo, o que na minha opinião é a raiz dos erros mais graves (os quais abordarei no final do artigo).

Há pentecostais que não fazem diferença entre o dom de línguas e o batismo no Espírito Santo, e outros que distinguem muito superficialmente, classificando as línguas como a “evidência” do batismo no Espírito, o que na prática iguala ambos novamente. É preciso dizer que essa crença, apesar de bem popular, é bastante desprovida de fundamento bíblico. Até hoje eu só vi três textos serem suscitados em favor dessa tese, e irei analisá-los individualmente. O primeiro se encontra em Atos 8, que diz:

“Os apóstolos em Jerusalém, ouvindo que Samaria havia aceitado a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João. Estes, ao chegarem, oraram para que eles recebessem o Espírito Santo, pois o Espírito ainda não havia descido sobre nenhum deles; tinham apenas sido batizados em nome do Senhor Jesus. Então Pedro e João lhes impuseram as mãos, e eles receberam o Espírito Santo” (Atos 8:14-17)

O argumento usado é que os cristãos de Samaria já eram convertidos, pois já haviam sido «batizados em nome do Senhor Jesus», mas ainda não haviam sido batizados no Espírito Santo, o que só aconteceu quando Pedro e João lhes impuseram as mãos. Todavia, parte nenhuma do capítulo diz que esses cristãos passaram a falar em línguas quando os apóstolos lhes impuseram as mãos, a única coisa que diz é que eles “receberam o Espírito Santo” (v. 17). O texto na verdade prova que o batismo no Espírito Santo consiste no recebimento do Espírito Santo, ou seja, dizer que alguém foi “batizado” no Espírito Santo significa dizer que recebeu o Espírito Santo.

O verso 15 diz que eles haviam sido apenas batizados em nome do Senhor Jesus (o que mostra que faltava o outro batismo, com o Espírito), e o verso 16 complementa o anterior, ao dizer que pela imposição das mãos dos apóstolos eles receberam o Espírito Santo, o que mostra de forma clara que o batismo no Espírito Santo significa o recebimento do Espírito, e não o recebimento de algum dom espiritual em especial (os quais se manifestarão mais tarde, embora às vezes possa se manifestar mais de imediato).

Outro texto citado por eles se encontra em Atos 10, que declara:

“Enquanto Pedro ainda estava falando estas palavras, o Espírito Santo desceu sobre todos os que ouviam a mensagem. Os judeus convertidos que vieram com Pedro ficaram admirados de que o dom do Espírito Santo fosse derramado até sobre os gentios, pois os ouviam falando em línguas e exaltando a Deus. A seguir Pedro disse: ‘Pode alguém negar a água, impedindo que estes sejam batizados? Eles receberam o Espírito Santo como nós!’” (Atos 10:44-47)

O texto aqui não fala expressamente em batismo no Espírito Santo, mas considerando que o batismo no Espírito Santo consiste no recebimento do Espírito (como vimos no outro texto) e que o verso 47 deixa claro que eles receberam o Espírito Santo, podemos inferir que eles foram batizados com o Espírito Santo. Mas isso ainda não prova que alguém que não fala em línguas não é batizado com o Espírito Santo, só prova que alguém que fala em línguas é batizado (i.e, que recebeu o Espírito Santo, senão não conseguiria falar). A manifestação dos dons é uma evidência de que a pessoa possui o Espírito Santo porque é este quem os distribui (1Co 12:11), mas isso não significa necessariamente que tenha que possuir o dom de línguas em especial, ou que os dons se manifestem sempre de imediato.

O outro texto se encontra em Atos 19, onde consta:

“Enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo, atravessando as regiões altas, chegou a Éfeso. Ali encontrou alguns discípulos e lhes perguntou: ‘Vocês receberam o Espírito Santo quando creram?’ Eles responderam: ‘Não, nem sequer ouvimos que existe o Espírito Santo’. ‘Então, que batismo vocês receberam?’, perguntou Paulo. ‘O batismo de João’, responderam eles. Disse Paulo: ‘O batismo de João foi um batismo de arrependimento. Ele dizia ao povo que cresse naquele que viria depois dele, isto é, em Jesus’. Ouvindo isso, eles foram batizados no nome do Senhor Jesus. Quando Paulo lhes impôs as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e começaram a falar em línguas e a profetizar. Eram ao todo uns doze homens” (Atos 19:1-7)

O que aconteceu em Atos 19 é um misto do que conferimos nos textos de Atos 8 e de Atos 10. Note que Paulo não perguntou a eles se eles falavam em línguas, mas sim se eles receberam o Espírito Santo quando creram. Então se dá conta de que eles nem sequer sabiam da existência do Espírito Santo, o que significa que não o possuíam, uma vez que não podiam crer em algo do qual desconheciam completamente. Paulo então pergunta que batismo vocês receberam, e ao saber que haviam sido apenas batizados no batismo de João, lhes impõe as mãos para receber o Espírito Santo, que é exatamente o outro batismo que eles desconheciam. Ou seja, o relato aqui prova, mais uma vez, que o batismo no Espírito Santo consiste em receber o Espírito Santo. É este o seu significado.

Os dons se manifestaram depois disso – e note que aqui não foram apenas as línguas, mas também a profecia, e mesmo assim eu nunca vi um pentecostal alegar que é preciso ser profeta para ser batizado no Espírito, tal como falam em relação às línguas. Esses dons poderiam ter se manifestado cinquenta anos depois, que mesmo assim não mudaria em nada o fato de serem batizados no Espírito Santo, pelo simples fato de o terem recebido. Tanto aqui como em Atos 10 vemos os dons se manifestarem rápido após a imposição de mãos dos apóstolos, mas sabemos que muitas vezes não é assim que ocorre com novos convertidos nas igrejas modernas. Mesmo entre os que falam em línguas, há muitos que só receberam o dom vários anos após a conversão, e nem por isso estiveram sem o Espírito Santo por todo este tempo.

Há numerosas provas bíblicas de que o dom de línguas nem mesmo é para todos os crentes, apesar de todos terem o Espírito Santo. Por exemplo, em 1ª Coríntios 12, Paulo escreveu:

“Ora, vocês são o corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dom de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos o dom de realizar milagres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam?” (1ª Coríntios 12:27-30)

Paulo aqui está fazendo uma pergunta retórica, ou seja, uma pergunta da qual a resposta já está implícita na pergunta, que neste caso é não. Assim como nem todos são profetas ou tem dom de cura, também nem todos falam em línguas. Isso significa que o dom de línguas não é distribuído a todos, da mesma forma que nem todos possuem os outros dons (e muitos que falam em línguas podem não possuir outros dons que os que não falam em línguas possuem). É isso o que Paulo quis dizer poucos versos antes, quando disse:

“Todas essas coisas, porém, são realizadas pelo mesmo e único Espírito, e ele as distribui individualmente, a cada um, conforme quer” (1ª Coríntios 12:11)

Há um texto usado por aqueles que pregam que Deus dá o dom de línguas a todos, que é quando Paulo diz aos coríntios que “gostaria que todos vocês falassem em línguas, mas prefiro que profetizem” (1Co 14:5). Só que isso não era uma ordem ou um pedido, apenas um desejo, da mesma forma que eu poderia desejar que todo o mal no mundo acabasse hoje, ainda que isso não fosse possível ainda. A prova disso é que o desejo expresso por Paulo não terminava nas línguas, mas ele prossegue dizendo que preferia que profetizassem. Ou seja, Paulo queria que todos os coríntios falassem em línguas, mas queria mais ainda que eles profetizassem. Uma vez que é consenso que a profecia não é um dom disponível a todos, está claro que isso também se aplica às línguas no mesmo contexto.

Mas se por um lado nem todos falam em línguas pois este dom não é para todos, por outro lado todos fomos batizados em um só Espírito:

“Pois em um só corpo todos nós fomos batizados em um único Espírito: quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um único Espírito” (1ª Coríntios 12:13)

Se todos os crentes regenerados são batizados no Espírito Santo mas nem todos eles falam em línguas, então é óbvio que o batismo no Espírito Santo não consiste no dom de línguas em si, nem tampouco é dele dependente. Deve-se acrescentar que o batismo sempre significou iniciação (por exemplo, o batismo nas águas é um rito de iniciação à fé, por isso mesmo era praticado logo cedo após a conversão). Por isso faz menos sentido ainda afirmar que o batismo no Espírito Santo ocorre quando a pessoa começa a falar em línguas, pois mesmo entre os pentecostais há muitos – eu diria que a grande maioria – que só recebem o dom de línguas após anos e anos, mesmo depois de já serem habitação do Espírito Santo.

Mas se batismo é iniciação, então ou deveriam todos falar em línguas logo ao se converter, ou a compreensão deste batismo está errada. Da mesma forma que não faz sentido um crente maduro ainda ter que esperar por anos até se batizar nas águas, também não faz sentido ficar anos sem receber o batismo no Espírito, se o batismo consistisse mesmo no dom de línguas. Isso reforça o que já foi apresentado: o batismo no Espírito Santo é o recebimento do Espírito Santo em nossas vidas, o que ocorre no momento da regeneração interior, pela qual todos os cristãos passam no início de sua conversão (embora não necessariamente no exato momento em que aceitaram o evangelho, pois já vimos os casos em que as pessoas sequer sabiam o que era o Espírito Santo, e precisaram de uma pregação mais esclarecida para recebê-lo).

É por causa desse mau entendimento em relação ao batismo no Espírito Santo que muitos tradicionais se afastam dos pentecostais, que costumam enfatizar o dom de línguas de uma forma exagerada e radical como se os que falassem em línguas fossem de alguma forma “mais crentes” que os que não falam. É como se houvesse duas classes de crentes: o primeiro escalão, formado pelos que falam em línguas, e o segundo escalão, de crentes “rebaixados”, os que não falam. Isso é uma grotesca distorção da realidade bíblica, pois Paulo classifica o dom de línguas como o menor dos dons, e não como o maior (1Co 12:28; 1Co 14:5). 

Ou seja, aqueles que se acham melhores que os outros crentes por falarem em línguas mal sabem que o dom que possuem é considerado o menor por Paulo (embora ainda assim muito importante, como qualquer dom), e que o crente que não fala em línguas – ao qual ele rebaixa – pode possuir outros dons acima do dele. Há crentes que estão há vinte anos na igreja e que, por não falarem em línguas, vivem deprimidos, como se ainda não fossem "batizados no Espírito Santo" e houvesse algo de errado com eles. Uma minoria acredita que quem não fala em línguas nem salvo é – está "em pecado", mesmo que não saiba qual. A visão errada de muitos pentecostais a respeito do batismo no Espírito Santo cria em muitos uma obsessão pelo dom de línguas, que, quando não alcançada, pode ter consequências terríveis para a própria fé da pessoa.

No artigo recebi comentários de cristãos tradicionais que se sentiram desprezados por cristãos pentecostais por não falarem em línguas, e também de cristãos pentecostais reproduzindo o tipo de pensamento que causa essa sensação de desprezo. Por exemplo, alguém escreveu que o crente que não fala em línguas não pode nem ser obreiro, que as pessoas que falam em línguas são “usadas com mais frequência e intensidade” do que as que não são, e que quem não fala em línguas não pode ser “cheio do Espírito Santo”, já que supostamente ser cheio do Espírito Santo estaria atrelado ao batismo no Espírito, o qual só receberia quem fala em línguas.

Como resposta, eu mostrei que não há registros de que os reformadores, como Lutero e Calvino, falavam em línguas, tampouco os avivalistas dos séculos passados, como Spurgeon, Edwards, Wesley e etc, nem os megaevangelistas que converteram multidões inteiras ao Senhor em tempos recentes, como Billy Graham e John Stott, nem muitos dos maiores pregadores contemporâneos, como Paul Washer e John Piper, que crê no dom de línguas do modo pentecostal, mas que até hoje não o recebeu:


Se para ser obreiro fosse necessário falar em línguas, todos esses grandes homens de Deus não poderiam ser sequer obreiros, muito menos pastores, missionários, evangelistas e etc. Mas eu preferiria fazer parte de uma igreja em que ninguém falasse em línguas mas tivesse esses caras, do que uma em que todo mundo falasse em línguas sem ninguém como eles. Também mostrei que a expressão "cheio do Espírito Santo" não se referia ao dom de línguas especificamente, pois a primeira ocorrência das línguas ocorreu em Atos 2, mas Lucas 1:15 diz que João Batista (que morreu antes disso) era "cheio do Espírito Santo desde antes do seu nascimento". Jesus, que também não falava em línguas até onde sabemos, também era "cheio do Espírito Santo" (Lc 4:1). Zacarias, o pai de João Batista, "foi cheio do Espírito Santo e profetizou..." (Lc 1:67).

Então ser cheio do Espírito Santo não tem por condição falar em línguas e não parece ser uma alusão a isso, mas sim sobre estar cheio da presença de Deus (independentemente de ter o dom de línguas ou de ter outros dons que não o de línguas). O que eu percebo muitas vezes é que a Igreja moderna está ainda mais confusa sobre os dons do que a Igreja de Corinto, para a qual Paulo escreveu. Aquela igreja cria nos dons, mas os usava de forma errada. Já a Igreja moderna é um misto de gente que sequer acredita na contemporaneidade dos dons, com outros que creem neles de forma ainda mais deturpada que os coríntios.

Há muitos que usam o dom de línguas apenas como mera questão de “status”, para se passar de “crentão”, especialmente naquelas igrejas que rebaixam os que não falam. A consequência disso são pessoas que fingem falar em línguas para pagar de “espiritual”, e outros que realmente tem o dom, mas só o usam da forma errada. Vimos no artigo anterior (que se você não leu, corra lá ler) que o dom de línguas é inútil no ambiente litúrgico, e que seu uso deve ser pessoal, quando estamos a sós com Deus. O que acontece é que essas pessoas nunca oram em línguas em casa, mas deixam para falar na igreja, ou seja, justamente no ambiente em que Paulo proibiu (exceto sob regras bem rigorosas, as quais não são nunca observadas nas igrejas pentecostais).

E muitos desses que falam na igreja o fazem apenas para que as outras pessoas vejam que elas falam em línguas, da mesma forma que os fariseus faziam questão de fazer sua caridade em público apenas para receber o aplauso dos homens (Mt 6:2). Ou seja, não usam quando tem que usar, e usam quando não podem, e ainda pelas piores motivações possíveis. Claro que não estou generalizando aqui, pois há muitos pentecostais conscientes do uso correto do dom, mas infelizmente há uma multidão desorientada completamente. Ter o dom de línguas mas só usá-lo como “status” na igreja é como alguém que tem uma Ferrari na garagem, mas que ao invés de usá-la prefere ir a pé ou de busão para todos os lugares, e deixa ela ali apenas para chamar a atenção das pessoas para que todos vejam que ele tem uma Ferrari e o admirem mais por conta disso. Ou seja, é inutilizar o dom e ainda se tornar aquilo que alguns dão o conveniente nome de “santarrão”.

Mas nem todos agem assim por terem um “espírito farisaico”: muitos são assim apenas porque a doutrina e a cultura do seu meio os levam a esse tipo de conduta, para não se sentirem desprezados pelos irmãos da igreja. E isso vai criando um senso coletivo de competitividade no pior sentido possível, onde crentes disputam com outros crentes para ver quem é mais crente. Se essa “disputa” por si só já é condenável, ela se torna ainda mais grave quando o critério utilizado não são os frutos do Espírito a respeito dos quais Paulo fala em Gálatas 5:22-23, mas a manifestação de dons que, por definição, são presentes que Deus nos dá imerecidamente, e não algo do qual devamos nos orgulhar ou nos colocar acima de alguém, como se fosse por mérito próprio.

• Compartilhe este artigo nas redes:

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!



- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)  

63 comentários:

  1. Você acredita que o gogue e magogue de Ezequiel 38 é a Rússia?e esse de Ezequiel é o mesmo de Apocalipse?Os que falam isso são bem superficia isso.Obrigado e que Cristo te abençoe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se é a Rússia, algumas pessoas tem essa mania de pegar a menção a um país ou povo no Antigo Testamento, daí comparar com o mapa mundi atual e presumir que se trata deste ou daquele país moderno, mas eu não acho que este seja um método exegético muito sério. Pode ser apenas uma alusão profética a qualquer povo que se encaixe na descrição espiritual de Gogue e Magogue, não necessariamente os russos. Abs!

      Excluir
  2. Lucas, você possui algum dom espiritual?

    ResponderExcluir
  3. Lucas, eu tenho uma Pergunta mas n tem MT a ver com o artigo. Por acaso é verdade essa história q alguns "teólogos" liberais falam de que a primeira religião monoteísta foi feita no Egito em 1350 a.C. por um rei chamado Aquenaton?

    Outra pergunta, vc poderia me mandar algumas indicações de livros, vídeos e artigos que refutem o liberalismo "teológico"? Principalmente contra um brasileiro chamado Fábio Sabino.

    Mais uma, Qual a sua opinião sobre o Cessacionismo e as suas variantes mais moderadas e radicais (Como a John Mcarthur,por exemplo)?

    Agr em relação a escatologia, poderia analisar o vídeo abaixo q fala sobre o Templo de Israel? O cara do vídeo tem uma interpretação diferente da casual.

    Link do video: https://youtu.be/9sLQk_zJBpE


    Enfim, é apenas isso, graça e Paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem como a primeira ser no Egito em 1350 a.C porque o Judaísmo é mais antigo que isso e é monoteísta. O problema é que os teólogos liberais fazem questão de distorcer todos os fatos bíblicos e históricos para fazer de conta que o Judaísmo só surgiu muitos séculos mais tarde, que Moisés e o Êxodo são mitos, que o Pentateuco foi editado durante séculos por dezenas de autores anônimos, dentre outras palhaçadas que eles de modo algum se atrevem a fazer com os outros livros sagrados ou com as outras culturas religiosas fora do Judaísmo e do Cristianismo. Sobre o Fábio Sabino, o Rodrigo Silva já refutou ele, você pode ver aqui:

      http://novotempo.com/evidencias/2014/06/05/resposta-ao-professor-fabio-sabino/

      Um livro que recomendo sobre o assunto é o "Uma Introdução aos Escritos do Novo Testamento", de Erich Mauerhofer, que é uma síntese e refutação a todas as teses sobre os livros e autores do NT (incluindo as teses liberais, que entram em contradição com eles mesmos sobre absolutamente tudo já que não existe critério nenhum entre eles). Há outros vários livros sobre isso do Norman Geisler (ele escreveu mais de 80, é só pesquisar que você encontra alguns sobre isso) e de outros autores. Sobre o cessacionismo, eu sou contra ele e qualquer vertente dele (escrevi sobre isso recentemente, no outro artigo sobre o dom de línguas). Eu não vi esse vídeo sobre o templo de Israel ainda mas salvo engano é o mesmo cara falando sobre o mesmo assunto (que já me enviaram há tempos atrás) com uma interpretação ridícula que espiritualiza tudo o que Paulo disse aos tessalonicenses, que qualquer pessoa honesta que pegar o texto em questão e ler percebe o quão obviamente ele estava falando em termos bem naturais (mas que eles precisam alegorizar ao extremo porque vai contra a teologia deles, então são forçados a isso).

      Abs.

      Excluir
    2. Obrigado pelas recomendações meu irmão, pretendo um dia comprar esses livros. Ainda tenho algumas duvidas em relação ao vídeo, por exemplo, ele diz q aquele versículo em 2Tessalonicenses 2:4 a palavra grega para "templo" é "Naos", que etimologicamente falando significa templo mas em questão de Corpo, diferentemente da palavra "Hierhon" que significa templo de pedras. Como vc poderia me responder isso?

      Ainda sobre o tal Fábio Sabino, ele fez uma suposta "refutação" a esse artigo do Rodrigo Silva, e eu queria q vc desse uma olhada.

      Link do vídeo: https://youtu.be/Ntazbqj5P5Y

      Tem esse outro tbm q eu queria q vc analisasse, pois ele tenta "provar" através de sofismas q Adão e Eva n existiram:

      https://youtu.be/J7xCgC9Y408

      É só isso meu amigo, graça e Paz.

      Excluir
    3. Lucas. Sobre a questão de quem veio primeiro o monoteísmo ou o politeísmo.
      Que rodrigo deu uma resposta. O Sabino devolveu com argumentos aparentemente convincentes:https://www.youtube.com/watch?v=Ntazbqj5P5Y

      Rodrigo ainda não deu resposta.
      Você saberia se posicionar sobre essa questão?
      Considero você muito inteligente e gostaria de ver sua perspectiva.
      Infelizmente, existem poucos teólogos preocupados em refutar o liberalismo. Principalmente Fabino, que é arrogante a todo momento. Como se fosse o detentor da verdade. Seria bom que tivesse mais professores de grego e hebraico que defendessem a fé cristã.

      Excluir
    4. Há vários canais refutando o Fábio Sabino, o problema é que eles são pouco conhecidos. Segue o link de alguns vídeos, mas se você for ao canal dos mesmos vai encontrar muitos outros vídeos refutando o Sabino em outras temáticas:

      https://www.youtube.com/watch?v=vWKwq1Kj6Lc

      https://www.youtube.com/watch?v=VcMnllZ419A

      https://www.youtube.com/watch?v=fgF__wuiXXs

      https://www.youtube.com/watch?v=V9ZgG416v-U

      O Rodrigo Silva não deu uma resposta direta ao Sabino (embora em minha opinião a resposta do Sabino tenha sido bem superficial pra merecer um debate mais prolongado), mas recentemente gravou um novo vídeo sobre o tema com um especialista da área:

      https://www.youtube.com/watch?v=qcq0YNMrGcc

      Em relação à questão do templo, o argumento dele é simplesmente mentiroso, do tipo que é feito pra passar a perna em incautos que não se dão ao trabalho de pesquisar. Você pode ver abaixo uma lista de todas as ocorrências de "naos" na Bíblia, e constatará que ela é usada em inúmeras passagens que falam do templo físico:

      https://biblehub.com/greek/strongs_3485.htm

      Excluir
  4. Respostas
    1. Foi uma eleição onde os democratas ganharam, como já era previsto, embora os republicanos tenham tido algumas vitórias, como a permanência da maioria no Senado e entre os governadores (apesar do número de ambos ter se reduzido em relação há dois anos), principalmente pela apertada reeleição do Ted Cruz no Texas, na minha opinião o político mais consistente e que eu desejo que se torne presidente um dia. Devemos lembrar que esse "rodízio" de poder é bem comum nos EUA, na última eleição os democratas dominavam as duas casas e perderam em ambas, agora foi praticamente o contrário, apesar de que não de uma forma tão gritante como na última eleição, onde os democratas foram literalmente destruídos por causa da rejeição a Obama, que era um pouco maior que a rejeição a Trump hoje (apesar de toda a mídia estar contra ele).

      Excluir
  5. Lucas, vc já tinha lido sobre isso:

    https://www.facebook.com/aletheia.grupo/photos/a.2102430180082474/2240092132982944/?type=3&theater

    https://www.facebook.com/gabriel1204lopes/posts/1952756198140778?__tn__=-R

    Isso Valida o O Argumento Papista de que não temos unidade, que o nosso Protestantismo é "uma torre de babael"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso daí reflete apenas a mágoa de Lutero naquele momento, não um pensamento de todo o protestantismo ou de todos os protestantes. Inclusive eles assinaram vários pontos em comum na Confissão de Fé mutua que fizeram (não vou checar agora nos livros, mas que eu me lembre foram 14 de 15 pontos, só neste da Ceia que eles discordaram), ou seja, Lutero e Zwínglio tinham essa discordância mas estavam em concordância em mais 90% dos temas, que é mais do que a "unidade" católica de hoje. O problema é que Lutero, além de ter uma personalidade forte, vinha de uma cultura católica na qual não havia espaço para divergências, ou seja, qualquer coisinha já era motivo pra arranjar briga, coisas que hoje seriam contemporizadas, como de fato são. Por isso no início exigia uma concordância absoluta entre os protestantes em tudo, da mesma forma que entre os católicos da época.

      Excluir
  6. Lucas procure ver as palestras do Luciano Subirá. Existe uma diferença entre as línguas que são evidências do batismo com o Espírito Santo e existe o dom de línguas que não é qualquer um que recebe.

    Dizer que em Atos 8 não houve línguas não é correto. Embora o texto não tenha dito isso, há menções que levam a isso. veja :

    Note que a Bíblia diz : ´´ VENDO, porém, Simão ... ´´ ( Atos 8:18 ). Essa expressão indica que, forçosamente, houve algum tipo de sinal ou evidência que impressionou os sentidos físicos de Simão, para ele saber que os samaritanos tinham recebido o batismo no Espírito Santo.
    Alguns dizem que o que Simão viu foi a grande alegria dos novos convertidos samaritanos, mas Simão deve ter visto algo mais do que a alegria dos crentes. Isso porque, ao lermos Atos 8:5-8, descobrimos que já havia ´´ grande alegria naquela cidade ´´ por causa da mensagem da salvação, do novo nascimento ( Atos 8:8 ).
    Semelhantemente, o sinal ou evidência de que Simão viu não pode ter sido a expulsão dos demônios nem as curas, porque essas coisas já tinham acontecido antes, conforme é mencionado nesse mesmo capítulo de Atos ( Atos 8:7-8 ).
    Não podemos ver o Espírito Santo com nossos olhos físicos, pois Ele é espírito. Mas, forçosamente houve alguma evidência física que se registrou nos sentidos físicos de Simão, para ele saber que os samaritanos tinham recebido o batismo no Espírito Santo. E a lógica nos leva a supor que se trata da mesma evidência do recebimento do Espírito Santo pelos crentes que é registrada em outros lugares nas Escrituras, a saber : o falar em outras línguas. E, na realidade, os estudiosos da Bíblia sabem que os samaritanos realmente falaram em outras línguas, pois todos os pais da Igreja dizem isso. Não é necessário ser estudioso da história da Igreja para reconhecer esse fato, pois a própria Bíblia oferece provas conclusivas de que as línguas estranhas são a evidência de receber a plenitude do Espírito Santo, conforme já vimos nos três relatos em Atos 2,10, e 19.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Lucas procure ver as palestras do Luciano Subirá. Existe uma diferença entre as línguas que são evidências do batismo com o Espírito Santo e existe o dom de línguas que não é qualquer um que recebe"

      Como assim, a pessoa fala em línguas ao ser batizada no Espírito Santo mas mesmo assim não tem o dom de línguas? Da onde você tirou isso? Do Subirá é que não foi, ele nunca disse isso aí, o que ele ensina sobre isso é diferente do que você disse e também diferente do que eu disse no artigo. Não faz sentido nenhum dizer que existem dois tipos diferentes de línguas estranhas sendo um o dom e o outro não, sinceramente nunca vi isso antes e decerto vai ser preciso fazer muito revisionismo bíblico pra inserir isso aí lá dentro.

      Sobre o texto que você copiou abordando Atos 8, o problema para os que tem a visão que você tem é que parte nenhuma do capítulo fala em batismo no Espírito Santo. Isso se PRESUME a partir da concepção que eu expus (e somente a partir desta concepção, considerando que somente nela é que o batismo no Espírito Santo é identificado EXATAMENTE como sendo o recebimento do Espírito Santo), pois o texto não fala de batismo, fala de receber o Espírito:

      “Estes, ao chegarem, oraram PARA QUE ELES RECEBESSEM O ESPÍRITO SANTO, pois o Espírito AINDA NÃO HAVIA DESCIDO SOBRE NENHUM DELES; tinham apenas sido batizados em nome do Senhor Jesus. Então Pedro e João lhes impuseram as mãos, e eles RECEBERAM O ESPÍRITO SANTO” (Atos 8:15-17)

      Veja que o texto NÃO diz que eles "oraram para que fossem batizados com o Espírito Santo", e também NÃO diz que então eles "foram batizados no Espírito Santo". Só diz que eles oraram para que RECEBESSEM O ESPÍRITO SANTO, e então o receberam. Mas se isso se refere mesmo ao dom de línguas ou implica sempre em falar em línguas como você alega, então significaria que todos aqueles que não falam em línguas não receberam o Espírito Santo, o que vai contra a sua própria crença pessoal, que você já expôs aqui no seu outro comentário que o Alon refutou. Então a discussão aqui independe se eles falaram em línguas ou não falaram (é possível que sim, como também é possível que tenham manifestado outro dom, o texto não diz o que ou qual foi), a questão aqui é essencialmente sobre NO QUE CONSISTE o batismo no Espírito Santo, que diz respeito justamente a recebê-lo em seu coração, e não sobre receber algum dom específico, embora seja possível que os dons acompanhem em um primeiro momento, como também é possível que levem um bom tempo até se manifestarem (veja se na conversão do carcereiro ele saiu falando em línguas depois).

      Mais uma parte do seu texto:

      "...E, na realidade, os estudiosos da Bíblia sabem que os samaritanos realmente falaram em outras línguas, pois todos os pais da Igreja dizem isso"

      Que "estudiosos da Bíblia" são esses? Cite-me o autor, o livro e a página, por favor. Mas principalmente: quais Pais da Igreja são esses que afirmaram isso? Eu já li todos eles e não encontrei nada disso em nenhum, não obstante você sustente que "todos" os Pais disseram isso. É perigoso fazer afirmações categóricas desse tipo, especialmente quando são copiadas de um site qualquer da internet em vez de ser o fruto de anos de estudo na área.

      Excluir
    2. Lucas então pra vc ser batizado com o Espírito Santo é o mesmo que nascer de novo ? Todo mundo que aceitou Jesus foi batizado com o Espírito Santo ? Então vc está defendendo o mesmo que a IPB.

      Na bíblia mesmo que não apareça a expressão dizendo que eles foram batizados com o Esp Santo, as vezes mesmo a pessoa já tendo nascida de novo e ja tendo o Esp Santo habitando dentro dela, é dito que ela recebeu o Esp Santo com a intenção de dizer que ela foi batizada com o Esp Santo, pois na verdade a pessoa já recebeu o Espírito Santo ao nascer de novo. Portanto, não tem como ela receber o Esp Santo duas vezes. Essa segunda vez é usada como forma de dizer que ela foi batizada com o Esp Santo.

      Quem passou pela experiência do batismo com o Espírito Santo sabe que o batismo com o Esp Santo jamais passa em silêncio e desapercebido. Eu fui batizado com o Espírito santo na igreja, minha colega foi no quarto dela orando sozinha. Naquele momento veio um fogo sobre nosso corpo e eu falei algumas palavras estranhas por cerca de 15 segundos e depois isso parou. A sensação que eu tinha é como se eu tivesse corrido 100 kilometros de tão ofegante que eu fiquei de felicidade. Não tem como descrever em palavras isso. Depois que a pessoa passar por essa experiência ( batismo com o Espírito santo ) a pessoa pode ou não receber o dom de línguas para sua vida diária de oração e para sua edificação pessoal. Eu mesmo recebi. Eu oro em línguas a hora que eu quiser. Esses dias mesmo orei meia hora em línguas.

      As línguas podem funcionar como sinal do batismo no Espírito Santo (At 2.4) e/ou como um dom permanente – “variedade de línguas” . A pessoa batizada no Espírito Santo não necessariamente prosseguirá falando em línguas, se as tiver recebido apenas como um sinal do derramamento do Espírito que ela experimentou.

      Quanto ao episódio de Atos 8, houve alguma coisa que chamou a atenção de Simão e isso comprova mais ainda que o batismo com o Espírito Santo não passa desapercebido.

      Aliás, esse argumento o Subirá tb usou. Eu vi até agora 2 vídeos dele. Um foi esse, o outro eu não lembro qual é : https://www.youtube.com/watch?v=-esV-uwmiR4

      Aqui ele tem uma série de 4 vídeos só sobre o tema: https://www.youtube.com/watch?v=Jm1pJAuUaXk&list=PLV8YNsI4s_YosOoxtH60T6Ijn0QO3Q7pv

      Excluir
    3. Em qual passagem é dito que uma pessoa que JÁ TINHA o Espírito Santo RECEBEU o Espírito Santo mais tarde, no que você chama de batismo? Cite-me aqui os textos, por favor. No seu outro comentário você disse que "todos os Pais da Igreja" disseram que os samaritanos falaram em línguas estranhas naquela ocasião, eu pedi uma única referência patrística disso e você não teve nenhuma, agora volta a fazer afirmações precipitadas das quais não pode provar. Todas as ocorrências de alguém recebendo o batismo no Espírito Santo na Bíblia dizem respeito a pessoas que ainda não tinham o Espírito Santo nelas (porque não haviam pregado sobre o Espírito Santo ainda) e que o receberam naquela ocasião, com muitos textos dizendo explicitamente que o batismo no Espírito Santo consiste em receber o Espírito Santo, por meio do paralelismo evidente em tantos textos que você nem comentou nem refutou.

      Eu não vou comentar experiências pessoais aqui porque aqui eu discuto sobre a Bíblia e não sobre experiências pessoais, mas biblicamente falando o que você teve nessa ocasião foi o recebimento do dom de línguas e não o batismo no Espírito Santo. Você já era batizado no Espírito Santo desde o momento em que se tornou morada dEle, mas ainda não falava em línguas, que se manifestaram nesta ocasião. É tão simples de entender. Todos os crentes regenerados são batizados "em um só Espírito" (1Co 12:13), mas nem todos manifestam os mesmos dons e nem tampouco o manifestam imediatamente (embora em alguns casos isso possa eventualmente acontecer).

      O dom de variedade de línguas não é o dom de línguas "de forma permanente", não sei de onde você tirou essa definição, o dom de variedade de línguas significa simplesmente falar em várias línguas espirituais e não apenas em uma só. Não existe essa divisão que você faz entre o "falar em línguas em um momento no batismo no ES e depois não falar nunca mais" e o "dom permanente", isso aí você está inventando, o Subirá não disse isso em nenhum dos vídeos que você me passou, ele crê que a partir do momento em que a pessoa recebe o dom de línguas ela não vai deixar de ter o dom. Essa coisa de falar em um momento e depois "perder" o dom e não falar mais é uma coisa que você está inventando e que tirou de lugar nenhum, não há a menor base para isso, muito menos na Bíblia.

      Eu já comentei aqui sobre Atos 8 e não vou repetir, se você não entendeu paciência, não vale a pena repetir tudo de novo já que não vai entender de novo.

      Abs.

      Excluir
  7. Ótimo texto, banzoli.
    Uma pergunta: eu frequentemente discuto (amigavelmente) com um amigo judeu meu, e me falta argumentos (por exemplo, ele insiste que o Messias levaria os judeus diretamente ao plano espiritual).
    Você já fez, pretende, ou conhece algum artigo bom sobre o assunto?
    Grato!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, primeiramente eu precisaria saber o que exatamente ele quer dizer quando afirma que o Messias levaria os judeus "diretamente ao plano espiritual". Isso significa levá-los ao céu, como em um arrebatamento à la dispensacionalismo? Se for isso mesmo, contraria não apenas os textos que falam sobre o Messias, mas até mesmo o próprio conceito judaico acerca da eternidade, que nunca foi no céu ou em algum "plano espiritual", mas sempre NA TERRA, em conformidade com todos os textos que falam sobre o assunto. Eu até posso entender que um cristão cometa o erro de pensar que iremos ao céu por causa do entendimento errado que tem por expressões como "Reino dos céus", mas é inadmissível que um judeu, que por regra só tem o AT como autoridade (onde todos os textos falam sempre e apenas da terra), cometa esse equívoco primário. A propósito, eu já escrevi sobre isso nestes artigos:

      http://desvendandoalenda.blogspot.com/2013/08/onde-passaremos-eternidade-no-ceu-ou-na.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/a-terra-ira-durar-para-sempre-ou-deus.html

      Abs!

      Excluir
  8. Lucas, o cristão pode fumar Charuto/Cigarro/Cachimbo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poder pode, ninguém vai impedir de fazer isso, mas se a pergunta é sobre ser pecado, pra mim é sim. Tudo aquilo que comprovadamente afeta a saúde do nosso corpo desagrada a Deus, já que o nosso corpo é templo do Espírito Santo (1Co 6:19) e deve ser preservado incorruptível até a volta do Senhor (1Ts 5:23).

      Excluir
  9. Mateus, o Banzoli resolveu o problema TODO. A discussão deve acabar aqui:

    ““Estes, ao chegarem, oraram PARA QUE ELES RECEBESSEM O ESPÍRITO SANTO, pois o Espírito AINDA NÃO HAVIA DESCIDO SOBRE NENHUM DELES...”

    What?

    O Espírito Santo descer e ser batizado no Espírito Santo é a mesma coisa!!!

    Al on

    ResponderExcluir
  10. Na sua opinião obamacare é ruim? Ele deve ser substituído?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Obamacare é um desastre que precisa ser substituído sim. Há um artigo muito bem explicativo sobre isso aqui:

      https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1744

      Excluir
  11. Lucas, você crê no ensino de salvaçaõ adventista? E também do ensino de apocalipse deles? Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que eu saiba os adv creem em salvação pela fé da mesma forma que os demais evangélicos (embora alguns os acusem de defender salvação pelas obras por causa da questão do sábado, distorcendo a crença adventista). Sobre o Apocalipse, eles são historicistas, eu sou futurista, então há certa diferença sim, principalmente no que concerne ao entendimento deles sobre o 666 ser a guarda do domingo, o que eu discordo completamente.

      Excluir
  12. Você é aniquilacionista?

    ResponderExcluir
  13. Olá Lucas! Como vai? Recentemente, eu achei um post que parece colocar a prova uma coisa que você defendeu sobre o Êxodo. Eu achei lá nos comentários desse post aqui: https://www.biblicalarchaeology.org/daily/biblical-topics/exodus/exodus-fact-or-fiction/

    https://www.snopes.com/fact-check/chariot-wheels-found-bottom-red-sea/ (o post em questão que falei)

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assiste ao documentário que eu divulguei no artigo abaixo que responde a tudo isso:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/06/o-melhor-documentario-que-ja-assisti.html

      Abs!

      Excluir
  14. Olá novamente Lucas. Voltei aqui para linkar uma coisa que talvez algumas pessoas não gostem bem; talvez a batalha de Jericó nunca tenha ocorrido, como mostra aqui:

    https://en.wikipedia.org/wiki/Battle_of_Jericho#Origins_and_historicity

    Se aconteceu ou não, não faria muita diferença para mim. Pois creio que a inerrância Bíblica seja para aspectos doutrinários(religiosos), por isso, eu não ia me importar tanto assim(claro que há elementos históricos que devem ser constatados pela historia, como a historicidade de Jesus).

    Se você, ou outra pessoa tiver acesso a estudos recentes sobre esse tema, link aqui para educar minha pessoa. ;)

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Wikipédia não é boa fonte pra nada, qualquer um edita o que quiser e coloca lá o que quer. Além disso isso que eles disseram já foi refutado no documentário que mencionei acima (mais pro final do documentário, que aborda especificamente a conquista de Jericó), onde prova que não houve qualquer invasão egípcia naquele período e que tudo prova que aconteceu exatamente da forma com que a Bíblia relata, e no mesmo período histórico que o documentário defende do início ao fim.

      Excluir
  15. Lucas.Você crê que a babilônia será rescontruida novamente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acredito que seja, embora tecnicamente falando não seja impossível. No meu entender quando a Bíblia fala da Babilônia em um sentido escatológico não é sobre a Babilônia em si (literalmente falando), mas um codinome para algo espiritual. Eu abordo isso mais especificamente nestes artigos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/01/quem-e-babilonia-do-apocalipse.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/09/seria-uniao-europeia-o-novo-imperio.html

      Excluir
  16. Boa tarde . Excelente artigo. Vc acredita em milagres de ressurreição nos dias de hoje? Se sim, já testemunhou algum? Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acredito porque Jesus disse que seus seguidores poderiam fazer as mesmas obras que ele e até maiores, mas pessoalmente nunca vi alguém ressuscitar não. Há relatos de ressurreição que você encontra na internet e conversando com outras pessoas, mas nenhuma que eu coloque acima da dúvida.

      Excluir
  17. Você crê que um corpo possui alma? Ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sou o Lucas, mas já até sei que a resposta dele é: não.

      Excluir
    2. Não. A alma é o ser humano em si, o ser integral (corpo + espírito). Eu explico isso neste artigo introdutório ao assunto:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/para-entender-o-aniquilacionismo-de.html

      Excluir
    3. Intrigante como a percepção mortalista nos faz vê a vida e a Bíblia de outra maneira!!!
      "Que proveito há em ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?"
      "Eu vim para que tenham vida..."
      "A vida de um homem não consiste na abundância de bens que possui."
      ....

      Excluir
  18. Depois que a pessoa morre, somente o espirito dela retorna para Deus, ela deixa de existir? Não estando em nenhum outro lugar depois da morte como afirmam algumas correntes protestantes? Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sou o Lucas(novamente),mas a resposta dele seria mais ou menos assim: o espírito, que nada mais é que a essência vital, retorna para Deus. E realmente, a pessoa deixa de existir mesmo; mas graças a Cristo, uma pessoa que foi justificada, irá retornar a vida para todo o sempre.

      Deus lhe ilumine!

      Excluir
    2. O ser racional (consciente) sim.

      Abs.

      Excluir
  19. Pode me indicar algun artigo ou livros que fala a respeito da alma, se é que ela existe mesmo, se existe, qual o seu destino depois da morte. O que acontece. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Baixe o meu livro "A Lenda da Imortalidade da Alma" e o outro livro chamado "Os Pais da Igreja contra a Imortalidade da Alma", na página dos livros (link abaixo):

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      Tem também o livro do Samuelle Bacchiocchi, que infelizmente não é mais vendido aqui, mas que você encontra dois capítulos completos aqui:

      http://www.verdadeonline.net/textos/cap2-ivimortal.htm

      http://www.verdadeonline.net/textos/cap3-ivimortal.htm

      E o livreto do Oscar Cullmann:

      http://www.mentesbereanas.info/download/imort-ressur_folheto.pdf

      De artigos extras, eu recomendo estes aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/para-entender-o-aniquilacionismo-de.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/11/esclarecendo-duvidas-basicas-sobre.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2016/07/responda-ao-questionario-de.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/10/o-que-acontece-depois-da-morte.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/07/o-sheol-hades-e-uma-morada-de-almas.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/05/conceitos-basicos-de-alma-e-espirito.html

      Abs!

      Excluir
  20. Voce cre que todas as falsas religiões se uniram nos tempos do fim ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se unir no sentido de uma fusão total de doutrinas não, mas creio que todas elas se unirão no sentido de apoiar o projeto do anticristo, que inclui a submissão e adoração a ele (ainda que preservem certos traços religiosos distintivos entre si, que já não terão mais importância).

      Excluir
  21. Avalie:
    https://www.facebook.com/azueiracontraataca/photos/a.1599040573702180/2136321936640705/?type=3&theater

    ResponderExcluir
  22. Banzolao não achas que seria mais difícil o povo europeu aceitar o anticristo? Visto que ao menos a Europa Ocidental não tem uma tradição recente de líderes políticos messiânicos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, em tese seria mais difícil mesmo.

      Excluir
    2. Quando um povo separa do Deus da Luz ela recebe todo tipo de escuridão e trevas espirituais

      Excluir
  23. Lucas. Mas depois da ressurreição os discípulos já não tinham recebido o Espirito Santo? Não me lembro do versículo. Mas Cristo vem até os discípulos e sopra neles. Dizendo receba o Espírito Santo. Mas em Atos 2, eles são batizados com o Espírito Santo. Receberam o Espirito e depois foram batizados no Espirito. Não seriam duas fases distintas. Estou muito confuso.


    Se puder me envie links de artigos seus ou de outros. Sobre o batismo infantil. É correto? As Igrejas Presbiterianas dizem que sim.
    E artigos, sobre aspersão vs imersão. Sei que estou pedindo demais.

    Louvo a Deus por sua existência. Na minha pré-adolescência passei por muitos apertos espirituais. Lendo literatura Neo-ateísta. Vivia muito angustiado. Porque não tinha muitas respostas. Mas depois de uma conversa no face, você me mandou vários livros. Inclusive o seu, extraordinário. Daquele dia em diante minha fé se revigorou. Não tenho todas as respostas. Mas muita coisa com o tempo tem sido solucionado. Nunca pare de fazer esse trabalho. Você é um pastor de multidões através da tecnologia.

    Quem sabe tudo isso tem sido uma escola pra você. Para se tornar um pastor. Quem sabe Deus não te cura desse problema em sua garganta que eu não sei o que é. Você é um instrumento de Deus para muitas vidas. E se deixar ser usado, pode impactar ainda mais vidas. Você é um em um milhão. É uma pena que a igreja evangélica não aprecia bons teólogos como você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem? Os eruditos notam que em João 20:22 (no texto que você aludiu) há a ausência do artigo, o que significa que «o presente concedido não era o do Espírito Santo pessoal, mas sim um fervor desse dom; uma efusão do Espírito» (Vincent's Word Studies). O sopro sobre eles «era um sinal ou penhor certo de que eles seriam dotados das influências do Espírito Santo» (Albert Barnes' Notes on the Whole Bible), mas o Espírito Santo em si foi recebido por ocasião do Pentecoste.

      Sobre a questão do batismo infantil e batismo por imersão (e aí já serve também como resposta ao link abaixo), confira estes artigos do meu outro blog e do excelente blog do Bruno Lima:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2012/08/devemos-batizar-os-bebes.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2013/08/o-batismo-e-circuncisao.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/11/o-batismo-por-imersao-na-igreja.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/05/todos-de-sua-casa-foram-batizados-prova.html

      http://respostascristas.blogspot.com/2017/11/o-batismo-infantil-e-os-pais-da-igreja.html

      No mais, agradeço o seu testemunho, louvado seja o Senhor por tudo isso! Grande abraço!

      Excluir
  24. Lucas, sou o mesmo que comentei acima. Poderia analisar esses argumentos desse site: http://mentiras-evanglicas-e-outras.blogspot.com/2011/06/batismo-de-criancas-inventado-em-416.html

    ResponderExcluir
  25. Lucas, assista esse vídeo, onde pastores renomados falam sobre ´´fogo``: https://youtu.be/b1bpBZ2sh5M Eles estão certos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eles estão certos. Inclusive eu fiz uma pesquisa rápida aqui em todas as ocorrências do termo "fogo" no NT, e é sempre para falar ou do fogo natural, ou do fogo do juízo, ou do fogo do inferno. A única vez em que o fogo aparece em um contexto positivo é em Atos 2, e mesmo assim é para falar das "línguas de fogo" que desciam sobre os apóstolos, porque aos olhos de quem via aquilo parecia línguas de fogo, era uma visão. Creio que toda essa grande confusão provenha da má interpretação do texto que fala do "batismo com o Espírito Santo e com fogo", que os pentecostais geralmente interpretam como sendo um "fogo do Espírito" ou algo do tipo, quando no contexto Jesus falava do fogo do juízo (ou seja, que uns são batizados com o Espírito, e outros com o fogo do juízo).

      Excluir

Fique à vontade para deixar seu comentário, sua participação é importante e será publicada e respondida após passar pela moderação. Todas as perguntas e comentários educados são bem-vindos, mesmo que não tenham a ver com o tema do artigo. Críticas serão publicadas desde que não faltem com o respeito e não sejam feitas em anonimato.

Caso o seu comentário não tenha sido publicado dentro de 24h, reenvie-o.