13 de setembro de 2018

109 O que o "bode para Azazel" representava?



Para que sejam dados os devidos créditos, este artigo é totalmente baseado na troca de e-mails que tive com um leitor chamado Márcio Antônio em 8 de Janeiro de 2014. Ou seja, os argumentos aqui são essencialmente dele, que eu aqui reproduzo e amplifico por concordar com o que ele trouxe e por achar pertinente compartilhar com vocês. Indo direto ao ponto: o que era o “bode para Azazel”? Levítico 16:20-22 afirma:

"Quando Arão terminar de fazer propiciação pelo Lugar Santíssimo, pela Tenda do Encontro e pelo altar, trará para a frente o bode vivo. Então colocará as duas mãos sobre a cabeça do bode vivo e confessará todas as iniquidades e rebeliões dos israelitas, todos os seus pecados, e os porá sobre a cabeça do bode. Em seguida enviará o bode para o deserto aos cuidados de um homem designado para isso. O bode levará consigo todas as iniqüidades deles para um lugar solitário. E o homem soltará o bode no deserto” (Levítico 16:20-22)

E então o verso 26 complementa:

“Aquele que soltar o bode para Azazel lavará as suas roupas e se banhará com água, e depois poderá entrar no acampamento” (Levítico 16:26)

Além deste “bode emissário”, havia outro bode, que era sacrificado em holocausto:

“Receberá da comunidade de Israel dois bodes como oferta pelo pecado e um carneiro como holocausto. Arão sacrificará o novilho como oferta pelo seu próprio pecado para fazer propiciação por si mesmo e por sua família. Depois pegará os dois bodes e os apresentará ao Senhor, à entrada da Tenda do Encontro. E tirará sortes quanto aos dois bodes: uma para o Senhor e a outra para Azazel. Arão trará o bode cuja sorte caiu para o Senhor e o sacrificará como oferta pelo pecado. Mas o bode sobre o qual caiu a sorte para Azazel será apresentado vivo ao Senhor para se fazer propiciação e será enviado para Azazel no deserto. Arão trará o novilho como oferta por seu próprio pecado para fazer propiciação por si mesmo e por sua família, e ele o oferecerá como sacrifício pelo seu próprio pecado” (Levítico 16:5-11)

Em resumo, havia dois bodes; um era sacrificado e o outro enviado para longe, “para Azazel” (mas mantido vivo). Os teólogos, em toda a história, têm concordado que o bode sacrificado representava Cristo, mas ainda paira uma certa dúvida em relação ao segundo bode, cuja incógnita é tanta que a Concordância de Strong afirma em seu verbete apenas que “Azazel” tem “sentido duvidoso” (#5799). Isso leva alguns a pensar que Azazel é uma figura do próprio Satanás. Inclusive para a demonologia católica Azazel é um dos sete “arque-demônios” de Satã, em contraponto aos sete arcanjos de Deus na teologia deles.

Contudo, não há nada que prove ou faça supor que Azazel seja um demônio. Na verdade, Azazel não é o nome do bode, mas sim de alguma coisa para a qual o bode é levado. Por isso se diz que o bode é levado para Azazel, e não que existe um “bode Azazel”. Na verdade, ao que tudo indica, Azazel é um lugar para onde o bode era levado, representando a transferência dos pecados que são levados a um lugar distante, significando que Deus se “esquece” definitivamente deles, quando os confessamos com arrependimento.

Em outras palavras, ambos os bodes representam Jesus, mas cada um aborda um aspecto diferente do que Jesus fez por nós. Um representa o fato de Jesus ter morrido por nós e a partir disso podermos obter o perdão dos pecados, e o outro representa o fato de Deus “levar para longe” esses nossos pecados. Essas duas tarefas distintas que Cristo realizou por nós podem ser conferidas em textos como 1ª João 1:9, que diz:

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1ª João 1:9)

Como vemos, Cristo perdoa e purifica. “Purificar” é o que foi simbolizado pelo bode imolado, que significa “limpar, tornar puro, eliminar a sujeira” (#2511), encaixando-se perfeitamente no que o sangue de Cristo fez conosco, lavando-nos completamente. E quanto ao perdoar? De acordo com o dicionário de Strong, significa “enviar adiante, enviar para longe” (#863). Ou seja, perdoar os pecados significa “levar para longe” os pecados, que o bode emissário simbolizava.

João 1:29 diz: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. “Tirar”, no grego, é “levantar e carregar para longe, com o sentido de retirar, remover; retirar ao carregar sobre si mesmo” (#142). Cristo cravou os nossos pecados na cruz (=bode imolado), e ao mesmo tempo os levou para longe (=bode emissário). Não à toa, Miqueias 7:19 diz que Deus lança os nossos pecados nas profundezas do mar, figurativamente o lugar mais distante e remoto possível.

Portanto, os dois bodes representam as duas funções que Jesus fez por nós: ter morrido pelos nossos pecados e os lançado para o mais longe possível. Essa não foi a única vez em que esse tipo de simbolismo aparece em Levítico. Há um caso extremamente semelhante, em se tratando de aves. Está dois capítulos antes, no cap. 14, que diz:

“Disse também o Senhor a Moisés: Esta é a regulamentação acerca da purificação de um leproso: ele será levado ao sacerdote, que sairá do acampamento e o examinará. Se a pessoa foi curada da lepra, o sacerdote ordenará que duas aves puras, vivas, um pedaço de madeira de cedro, um pano vermelho e um ramo de hissopo sejam trazidos em favor daquele que será purificado. Então o sacerdote ordenará que uma das aves seja morta numa vasilha de barro com água da fonte. Então pegará a ave viva e a molhará, juntamente com o pedaço de madeira de cedro, com o pano vermelho e com o ramo de hissopo, no sangue da ave morta em água corrente. Sete vezes ele aspergirá aquele que está sendo purificado da lepra e o declarará puro. Depois soltará a ave viva em campo aberto” (Levítico 14:1-7)

Mais uma vez, vemos o mesmo procedimento: duas aves (à semelhança dos dois bodes), sendo uma sacrificada (como o bode imolado) e a outra mantida viva para ser solta “em campo aberto”, à semelhança do bode mantido vivo e levado “para Azazel”. É muito frequente em Levítico Deus simbolizar uma mesma coisa com vários ritos distintos, como ocorre aqui. E da mesma forma que não faz sentido dizer que essa ave solta era um demônio ou que era levada para um demônio, também não faz sentido interpretar Azazel como sendo um. Este também foi o entendimento de muitos rabinos, que pensavam que Azazel era um local no deserto para onde o bode era enviado, embora a informação sobre o local preciso tenha se perdido com o tempo, levantando esse tipo de mistério e polêmica.

• Compartilhe este artigo nas redes:

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)   

109 comentários:

  1. Excelente artigo. Para muitos azazel é o nome de um demônio da antiguidade. Vc é o melhor teólogo que jÁ vi Lucas Banzoli. Sua coerência é profundidade são notáveis. Pena que hoje eu me considere um ateu nilista. Mas reconheço um bom trabalho quando vejo. Muitos dizem que o bode para azazel é satanás. É os críticos dessa teoria dizem que o diabo é co-autor da salvação. Criticar é fácil, expor uma solução para o problema como vc fez exige muito mais. Parabéns. ...

    ResponderExcluir
  2. Olá pessoal! Estou aqui para trocar uma ideia com vocês. Eu estava pensando:"como Deus consegue fazer as leis naturais mudar a seu favor para fazer um milagre e, ainda assim, não destruir toda a existência?". Talvez a resposta mais óbvia é : Ele é Deus, duh! Ou talvez a resposta mais comum entre ateus e agnósticos é:"todos os milagres são ou serão explicados um dia pela ciência." Mas ai que tá; vamos pegar exemplos de balas perdidas. Você realmente acha que TODOS os casos de pessoas que foram mortas por isso foram investigados milimetricamente, em todos os países(de primeiro, segundo, terceiro, ou quarto mundo), em todos as eras, deste os primórdios da humanidade? Se sua resposta foi sim, então, meu consagrado, você tem muita fé!

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus, como o "programador" do Universo, pode perfeitamente intervir na operação do sistema quando e como bem entender, da mesma forma que o Bill Gates poderia criar um Sistema Operacional de computador diferente ou intervir no já existente (Microsoft) da forma que quiser, por ser seu criador (algo que nós não podemos fazer). Abs!

      Excluir
  3. 1. É possível ser aniquilacionista e crê no estado intermediário?
    2. É possível, ser holísta e ainda assim, não ser aniquilacionista?
    3. E como é explicado na visão holística, Apocalipse vinte e versículo quatro? É dito que Ele viu as almas, daqueles que foram degolados. Não foram as pessoas ali. Mas as almas deles.
    4. Qual o sentido primário de alma e espírito? E quais os secundários, poderia enumerar os que você conhece.
    5. O que determina um sentido como primário?
    Desculpas te encher com perguntas. Mas tenho muitas dúvidas. Deus abençoe sua vida Lucas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1. É possível ser aniquilacionista e crê no estado intermediário?

      Sim.

      2. É possível, ser holísta e ainda assim, não ser aniquilacionista?

      Sim.

      3. E como é explicado na visão holística, Apocalipse vinte e versículo quatro? É dito que Ele viu as almas, daqueles que foram degolados. Não foram as pessoas ali. Mas as almas deles.

      "Alma" ali pode perfeitamente significar a vida daquelas pessoas, que foi retomada na ressurreição. Mas ficaria estranho se significassem "fantasminhas" incorpóreos e imortais, pois a continuação do texto diz que "reviveram", o que implica que estavam mortas antes.

      4. Qual o sentido primário de alma e espírito? E quais os secundários, poderia enumerar os que você conhece.

      Acho que é aqui que eu falo sobre isso:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/05/conceitos-basicos-de-alma-e-espirito.html

      Mas o estudo do Bacchiocchi é bem mais completo neste sentido:

      http://www.verdadeonline.net/textos/cap2-ivimortal.htm

      http://www.verdadeonline.net/textos/cap3-ivimortal.htm

      5. O que determina um sentido como primário?

      Seu conceito quando aparece dentro do contexto de sua criação. Eu inclusive hoje em dia evito falar em "sentido secundário" porque passa a ideia de que uma palavra tem diversos significados, tal como a palavra "manga" que pode significar uma fruta ou a manga da camisa. No caso de alma, espírito, coração e etc não é bem assim, os outros significados que podem ter são apenas abstrações, figuras de linguagem, forças de expressão dentro de determinados contextos, e não legítimos significados paralelos. Por exemplo, embora o coração seja um órgão do corpo humano que bombeia sangue, na grande maioria das vezes em que o termo ocorre na Bíblia é para falar de algo que envolve os sentimentos, ou seja, uma abstração que vai na contramão da literalidade do termo, não um conceito concorrente como se literalmente pudesse significar mais de uma coisa. O mesmo se aplica à alma e espírito.

      Excluir
  4. Lucas, existem alguns argumentos que eu gostaria que você analisasse.

    I. O salmo 146. 3 e 4. Não fala de consciência pós morte. E sim que aqueles que confiam nos homens, irão se arrepender. Porque quando esses morrerem, a seus pensamentos, isto é seus projetos irão perecer. Ao contrário de Deus, que sempre viverá, e seus projetos nunca serão frustrados.

    II. Eclesiástes nove não é uma defesa de um ponto de vista fiel. Isto porque o livro apresenta três formas de pensar, que estão em constate contraste. Existe um contraste, entre o material e o espiritual. Mas a visão que triunfa, é a visão do capitulo doze. Logo, o capítulo nove é o ideal de um materialista que vai ser confrontando nos outros capítulos. Ou seja, esse texto é tirado do seu contexto.

    III. E mesmo que o texto estivesse falando do ponto de vista bíblico. O autor trata dos pensamentos dos que morreram sobre essa terra. Por isso, o termo de baixo do sol é usado muitas vezes.

    IV. Lucas 16, é uma parábola que trata de de experiências reais. O cenário é real. Porque todas as parábolas de Jesus possuem cenários reais. Existem, filhos pródigos, existem fazendas. existem servos, chicotes e senhores. Mas como não poderia existir esse cenário descrito. Toda argumentação contrária são de pessoas que não querem aceitar o que a Bíblia diz e sim, seguir a seus próprios ensinos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) A artimanha aqui consiste em trocar a palavra "pensamentos" por "projetos", ou seja, é uma trapaça para forçar o texto a transmitir uma ideia que não transmite. O termo usado ali neste salmo para falar de "pensamentos" é `eshtonah, que significa exatamente isso. Se o salmista quisesse falar de projetos ou planos, ele teria utilizado o termo machashabah, que significa isso e que é usado em diversas outras passagens do Antigo Testamento.

      2) Deixa eu ver se eu entendi, o escritor bíblico inspirado estava MENTINDO no capítulo 9 e devemos desprezar e jogar na lata do lixo tudo o que foi escrito no livro à exceção do capítulo 12? Me admira que um livro dessa natureza tenha sido aceito como inspirado e canônico pelos judeus e cristãos, em vez de ser tido como uma baita de uma heresia...

      3) Não, ele fala explicitamente do Sheol também (cf. Ec 9:10).

      4) Isso eu já refutei aqui (principalmente no vídeo do segundo link):

      http://desvendandoalenda.blogspot.com/2013/07/estudo-completo-e-aprofundado-sobre.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/01/a-parabola-do-rico-e-lazaro-prova.html

      A propósito, você se chama Mateus ou Carlos? xD

      Excluir
  5. Lucas, cara vc tá vendo esse assunto sobre essa Novilha Vermelha que nasceu? Mts tão dizendo que isso é cumprimento profético, e estão até falando da reconstrução do terceiro Templo, o que vc acha?

    Tem tbm uns vídeo sobre o assunto, sugiro analisar.

    Link dos videos:

    https://youtu.be/j_k2piDM-0o


    https://youtu.be/wHCb0E-om-U

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não me lembrava desse texto de Números que fala da "bezerra vermelha", agora as coisas ficam mais interessantes mesmo.

      Excluir
  6. Lucas, já terminei de ler seu livro sobre a reforma e gostei muito! Obrigado por fornecer essa grande fonte de conhecimento! Ñ vejo a hora de ler os outros.

    ResponderExcluir
  7. 1)Dois bodes?Mas Jesus não é chamado de cordeiro?.
    2)Deus aceita sacrifício humano(Jesus)?.
    3)Jesus viveu sob a lei,pq ele não fez o sacrifício pascoal como os judeus faziam,na véspera de sua morte?.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Dois bodes? Mas Jesus não é chamado de cordeiro?

      O bode é apenas uma representação simbólica, assim como o título de "cordeiro". Jesus também é chamado de "leão de Judá", e nem por isso deixa de ser o "cordeiro de Deus". Esses simbolismos não são mutuamente excludentes.

      2) Deus aceita sacrifício humano (Jesus)?

      De forma livre e espontânea com o objetivo de salvar o mundo? Sim.

      3) Jesus viveu sob a lei,pq ele não fez o sacrifício pascoal como os judeus faziam,na véspera de sua morte?

      Porque foi substituído pela Ceia do Senhor (eucaristia).

      Excluir
    2. 3)Mas ele não deveria primeiro cumprir toda a lei e só depois de sua morte as substituições deveriam ser feitas?.

      Excluir
    3. Era necessário ensinar o que a lei (que é uma sombra) realmente apontava com o sacrifício pascoal, que era o seu próprio sacrifício hoje memorado na Ceia do Senhor. Além disso essa não foi a primeira vez que Jesus não guardou alguma coisa da lei, ele também não guardava o sábado, às vezes (Jo 5:18). Quando dizemos que Jesus "cumpriu a lei" o que estamos querendo dizer é que ele viveu uma vida moralmente perfeita, isso é cumprir a lei, a lei se resume em "amar o próximo como a si mesmo" (Gl 5:14).

      Excluir
  8. Azazel vem de ez azel,isto é "o bode da partida ou da demissão".

    Abs. Marcelo Dornelas

    ResponderExcluir
  9. Lucas, não parece estranho (pra não dizer contraditório) um profeta, além de teimoso, (Jonas) pedir a morte após saber do perdão divino à Nínive?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele pediu isso porque odiava os ninivitas, eram povos inimigos e Jonas queria que fossem castigados por seus pecados e não que recebessem perdão. Por isso ele não queria pregar e depois foi "na marra", mas desejando em seu coração que os ninivitas não correspondessem ao apelo. Talvez tenha sido a primeira e única vez em que um missionário torceu pelo seu próprio insucesso :)

      Excluir
    2. Lucas, você concorda que no velho testamento parece "normal" (ou pelo menos mais explícito) o ódio aos inimigos? (Confira Salmos precatórios como 137, profetas como Jonas, Naum, Ezequiel)

      Excluir
    3. O que havia era um ódio contra os ímpios, e como alguns povos eram tidos como ímpios por causa de suas práticas idólatras, pelo sacrifício de crianças aos deuses pagãos e coisas do tipo, a nação era classificada como "ímpia", ou seja, como um alvo da ira de Deus. Mas muitas vezes isso se aplicou à própria nação de Israel, tanto é que os profetas passam muito mais tempo condenando Israel do que as outras nações.

      Excluir
  10. Lucas, uma pergunta tem me tomado certo tempo de meditação e gostaria que você me ajudasse a respondê-la: como você concilia a vontade de fazer algo verdadeiramente grande com a perspectiva de que em breve tudo terá fim? Quer dizer, porque eu deveria me voltar para a grandeza quando tudo indica que estamos perto do fim? Por que trabalhar por algo grande, por que se preocupar com o país, com a economia...? Como conciliar não ser um egoísta que trabalha somente para si com ser um maníaco por grandeza que tenta fazer a diferença no mundo? Tenho 16 anos e meu sonho é ser um mega-investidor e ajudar a fundar empresas visionárias. Mas, todo esse trabalho... e no final o Diabo vêm e destrói tudo. O Anticristo vai transformar tudo em pó. Por que ter sonhos grandes..?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas nós não sabemos se vai acabar tudo nos próximos anos mesmo. No outro artigo mesmo eu digo que pode ser no final deste século, e se minhas previsões estiverem erradas, pode ser ainda depois. Nós não sabemos. Eu até penso que Jesus voltará em nossa geração, mas não podemos bater o martelo como se estivéssemos marcando uma data, todos os que fizeram isso no passado se lascaram feio. Temos que viver nossa vida espiritual como se Jesus fosse voltar hoje, e levar nossa vida natural como se Jesus fosse voltar daqui mil anos. Todas as gerações de cristãos até hoje acreditaram (ou pelo menos tiveram uma grande esperança) de que Jesus voltaria na sua época, e até hoje não aconteceu. Eu ainda acho que o mundo não é suficientemente anticristão e nem tão fortemente ateísta/comunista para que o anticristo assuma o comando desde já, e embora já tenhamos tecnologia para tudo o que consta no Apocalipse, ainda há lugares remotos no mundo que não tem acesso a essas tecnologias e que sequer poderia, por exemplo, receber uma "marca da besta" agora. Tudo indica que quando o anticristo governar haverá uma moeda mundial que será virtual (do tipo Bitcoin, senão o próprio), isso já é uma realidade, mas ainda bem embrionária. Ainda falta um tanto.

      Excluir
    2. Os anarcocap irão pirar se o Bitcoin for a moeda do império da besta hahaha

      Excluir
  11. Olha só que legal!: https://youtu.be/bGPBUCItRMA

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
  12. Banzolão, qual desses dois é mandado para Azazel? :)

    https://pm1.narvii.com/6347/b7ea1be1647bae75f1f6439cf395bea1cdbff2e4_hq.jpg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que é o da esquerda, mas tenho que confirmar a informação com os especialistas em bodes.

      Excluir
  13. Olá Banzoli.

    Quais são os melhores argumentos a favor da abolição da guarda do sábado?

    E por que a importância da guarda do sábado é colocada na mesma importância de não fazer o mal (Isaías 56:2)? Seria moralmente errado não guardar o sábado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha opinião Isaías 56:2 está falando de duas coisas diferentes: (1) observar o sábado para não profaná-lo; e (2) vigiar sua mão para não cometer nenhum mal. De todo modo, qualquer pecado é um mal cometido, e pecado no conceito da antiga aliança era a infração à lei de Deus, qualquer lei que fosse, não somente o sábado ou os Dez Mandamentos. Se Deus mandasse ir se lavar no rio para a purificação de um pecado e você se recusasse, já estava cometendo um mal, na perspectiva da lei. O mal é a desobediência a Deus, independentemente do que está se desobedecendo.

      Sobre o sábado ser moral, se ele fosse então todos saberiam disso instintivamente, da mesma forma que todos sabem que é errado assassinar pessoas ou desacatar pai e mãe. Mas não é o caso. Além disso, se guardar o sábado fosse um preceito moral, então não guardá-lo implicaria em ser imoral, e, consequentemente, em perdição eterna, uma vez que os imorais não entrarão no reino de Deus. Por isso não vejo sentido em se tratar a questão do sábado sob uma perspectiva moral.

      Sobre os argumentos em favor da abolição da guarda do sábado, posso citar alguns: (1) o fato da lei ter sido encerrada e de não haver qualquer indício de guarda do sábado no contexto da nova aliança, que veio depois da lei; (2) textos como Cl 2:16-17, que coloca o sábado no rol de "sombras" cerimoniais que chegaram ao fim com Cristo; (3) o fato de sermos "reis e sacerdotes" no contexto da nova aliança, e os sacerdotes da antiga não precisarem guardar o sábado.

      Excluir
    2. “Sem admitir a verdade de todos os argumentos, admitamos que o mandamento do sábado repousa sobre uma base diferente da do resto dos mandamentos, e que o homem, sem a ajuda da revelação, não poderia nunca chegar a crer no repouso do sétimo dia.


      “Que o mandamento do sábado ocupe um lugar único na lei de Deus é, cremos, reconhecido pela maior parte dos que têm estudado a questão. É o único mandamento que trata do tempo. Tem a particularidade de declarar certas coisas corretas, se feitas num tempo taxativo, e más as mesmas coisas, se feitas noutro tempo. Cria o bem e o mal por definição, sem razão perceptível baseada na natureza. Nisto difere dos outros mandamentos.


      “Foi este mandamento que Deus escolheu nos tempos antigos para que servisse de mandamento de prova. Antes que a lei fosse proclamada publicamente no Sinai ‘toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e contra Aarão no deserto; e os filhos de Israel disseram-lhes: Quem dera que nós morrêssemos por mão do Senhor na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne, quando comíamos pão até fartar! Por que nos tendes tirado para este deserto, para matardes de fome a toda esta multidão’. Êxo. 16:2 e 3. A situação era crítica. Era preciso agir. ‘Então disse o Senhor a Moisés: Eis que vos farei chover pão dos céus, e o povo sairá, e colherá cada dia a porção para cada dia, para que Eu veja se anda em Minha lei ou não’. vs. 4. “O recolher e preparar o pão que Deus enviara do céu constituía para Israel uma prova, ‘para que Eu veja se anda em Minha lei ou não’. Cada dia, deviam recolher maná suficiente para as necessidades do dia, mas no sexto dia deveriam recolher quantidade dobrada, a fim de lhes sobrar para o sábado. Se bem que de costume o maná não se conservava mais que um dia, no sexto dia o Deus o preservava milagrosamente de corrupção. Assim é que ‘ao sexto dia colheram pão em dobro’. vs. 22. ‘E ele disse-lhes: Isto é o que o Senhor tem dito:

      Amanhã é repouso, o santo sábado do Senhor; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobejar, ponde em guarda para vós até amanhã. E guardaram-no até amanhã, como Moisés tinha ordenado; e não cheirou mal, nem nele houve algum bicho. Então disse Moisés: Comei-o hoje, porquanto hoje é o sábado do Senhor; hoje não o achareis no campo. Seis dias o colhereis, mas o sétimo dia é o sábado; nele não haverá’. vs. 23-26.


      “Alguns do povo não ficaram satisfeitos, porém, ‘Saíram para colher, mas não o acharam. Então disse o Senhor a Moisés: Até quando recusareis guardar os Meus mandamentos e as Minhas leis? Vede, visto que o Senhor vos deu o sábado, por isso Ele no sexto dia vos dá pão para dois dias; cada um fique no seu lugar, que ninguém saia do seu lugar no sétimo dia. Assim repousou o povo no sétimo dia’. vs. 27-30.


      “Dentre todos os mandamentos, Deus escolheu o quarto como o mandamento de prova. Ele queria ver se o povo andaria ou não em Sua lei, e disse-lhe que cada dia recolhesse maná suficiente para suas necessidades, porção dupla no sexto dia, e nada no sétimo. Essa foi a prova. Desobedecendo, não só quebrantavam o sábado, mas sim a lei toda. ‘Até quando recusareis guardar os Meus mandamentos e as Minhas leis?’ perguntou Deus. Ele não perguntou: ‘Por que não guardais o sábado?’ A questão era mais ampla que isso. Envolvia a lei toda. A guarda do sábado era a prova. Se guardavam esse dia, eram obedientes. Se o violavam, violavam a lei toda.

      Para aprofundar acesse http://tempodofim1.tripod.com/ORitualdoSantuarioLivro.htm#19.

      Excluir
    3. Sobre Colossenses 2:16-17, alguns que defendem a guarda do sábado, dizem que os sábados desse texto não são os sábados semanais mas sim os cerimoniais, pois Paulo, segundo eles, estaria usando o recurso literário comum do paralelismo invertido, assim movendo-se das festas anuais (onde estão os sábados cerimoniais) às mensais e novamente às anuais.

      Como explicar isso?

      Excluir
    4. O problema é que os sábados festivos já estão mencionados implicitamente nos "dias de festa", que o mesmo texto se refere, então Paulo estaria basicamente repetindo a mesma coisa duas vezes, desnecessariamente e de maneira redundante, gerando inclusive confusão na cabeça dos seus leitores que naturalmente entenderiam como sendo o sábado semanal mesmo, que é a interpretação mais natural do texto. Inclusive um dos doutores adventistas mais respeitados, o Samuelle Bacchiocchi, reconhece neste texto que se trata do sábado semanal (usando a mesma lógica que expus aqui), embora objete dizendo que "sombra" ali não implica que não deva ser observado, o que a meu ver vai contra o contexto e a lógica da passagem.

      Excluir
    5. Paulo guardou o sábado em Atos 16:13?

      Excluir
    6. Não é o que o texto diz. O texto só diz que Paulo orou naquele dia. Se isso significa "guardar o sábado", então eu guardo o sábado desde que me conheço por gente.

      Excluir
    7. Pelo que eu pesquisei e estudei, o sábado foi anulado, mas tenho uma dúvida infernal. Por que Deus, antes do pecado, na eternidade, abençoou e santificou o sétimo dia? Esse dia não seria especial até hoje, considerando que ele tem uma benção e uma atenção especial dadas antes do pecado?

      Excluir
    8. Que o sábado foi santificado desde o início da criação disso não há dúvidas, a questão é no que essa santificação consiste ou implica. Não há qualquer registro de Adão e Eva, dos pré-diluvianos, de Noé e sua família ou dos patriarcas guardando o sábado no sentido de deixar de trabalhar, então não parece que essa era a implicação até Moisés. Com a lei (e a lei envolve muito mais do que os Dez Mandamentos apenas, por isso o sábado era guardado antes do Sinai) essa santificação passou a significar uma guarda propriamente dita (no sentido de deixar de trabalhar), cujo sentido mudou novamente na nova aliança passando a significar o descanso eterno (a vida eterna para os salvos) com Deus, como indica Hebreus 4. Ou seja, ao que parece, apenas no período de Moisés até Jesus é que a santificação do sábado implicou em ausência de trabalho, possuindo outros significados nos períodos anterior e posterior (a própria lei é uma tipificação da realidade que viria, como diz Hebreus 10:1).

      Na verdade não há nem mesmo como precisar ao certo se pelo termo "sétimo dia" em Gênesis 2:3 estava falando de cada sábado semanal ou apenas daquele sétimo dia literalmente falando (que foi o único dia em que a criação se completou). Essa segunda forma de entender o texto faz muito sentido, pois como a lei se trata de sombras, ela pode ter feito uma alusão à santificação daquele sétimo dia como uma razão ou justificativa para a guarda de cada sétimo dia dali em diante (até a morte e ressurreição de Cristo).

      Excluir
    9. Banzoli, eu sei que você não é Deus, mas por que então Deus santificou e abençoou o sétimo dia? Para que propósito ou finalidade?

      Excluir
    10. Deus fez isso porque ele descansou de suas obras (i.e, concluiu sua criação) no sétimo dia. Por isso o sétimo dia passou a ser sinônimo de descanso. Na lei (que é uma sombra dos bens vindouros) consistia no descanso literal dos trabalhos manuais, enquanto na graça aponta para o descanso vindouro da vida eterna.

      Excluir
  14. Lucas, como você está? Olha esse assunto tem mais de 10 dias, mas lá vai...
    Você ficou sabendo da tragédia que aconteceu no Museu Nacional? Sinceramente, quando eu fiquei sabendo, realmente fiquei muito abalado, sou uma pessoa que gosta muito de história e ciência, mas estão arrecadando dinheiro para a reconstrução do Museu, alguns museus do Brasil e do mundo estão oferecendo dinheiro e parte dos seus acervos para doar ao Museu, sinceramente falando, mesmo que seja reconstruído, modernizado e tenha um novo acervo nunca será como antes e em pensar que uma tragédia dessas poderia ter sido evitada. Realmente, se esses políticos vagabundos investisem corretamente em educação e ciência essa tragédia poderia ter sido evitada. O que você acha sobre isso tudo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, por mais que invistam nisso ou naquilo ou que reconstruam cada canto do museu, nunca será o mesmo. Mas isso também denuncia de certa forma a hipocrisia de muita gente que despreza museus e que nunca entrou em um (ou pelo menos não de livre e espontânea vontade), e que depois que o principal museu do nosso país pega fogo agem como se fossem grandes amantes de museus (obviamente não estou dizendo que seja o seu caso, estou falando de muitos por aí). A meu ver, os políticos que não valorizam a educação e a cultura são apenas um reflexo de um povo que faz o mesmo.

      Excluir
    2. Verdade, além da hipocrisia que reinou no caso do Museu, os monarquelhos se aproveitaram dessa tragédia dizendo que a culpa era da República, inclusive o Nando Moura fez um vídeo falando que a culpa era da República e ainda fez propaganda monarquista naquele vídeo, aliás os próprios descendentes da família real ainda tiveram a cara de pau de usarem a tragédia para se autopromoverem, é brincadeira! Esse movimento monarquista ainda aproveita uma tragédia dessas para se auto promover, sinceramente falando esses monarquistas tridentinos e apologistas de fundo de quintal são a escória da "direita" brasileira.

      Excluir
    3. Ainda bem que me desinscrevi do Nando Moura há mais de 2 anos, parei de acompanhá-lo quando ele começou a apoiar a monarquia, mas quando ele fez aquela treta suja com o otário, aquilo foi a gota d'água! Me desinscrevi e não me arrependo, hoje tenho ojeriza a esse sujeito (NM) e esse astrólogo picareta do Olavo de Carvalho (que aliás não é filósofo porra nenhuma! *desculpe o palavreado).

      Excluir
    4. Nando Moura é apenas garoto de recados de Olavo de Carvalho, é da mesma laia que lambe-bolas do velho como o Bernardo, o Terça Livre e outros do tipo, todos nasceram da mesma fonte e ao "Mestre" devem obediência e submissão incondicional. É literalmente uma seita.

      Excluir
    5. Além disso eu já tinha visitado aquele Museu em 2012, quando eu tinha 12 anos (atualmente tenho 18) e eu estava pretendendo voltar um dia, pois como eu falei nos comentários anteriores sou um verdadeiro amante de museus, amo a história, a ciência, a cultura e a arte. Aliás fiquei realmente muito abalado quando aquele nosso Museu pegou fogo, tanto é que no dia seguinte à tragédia fiz uma corrente de oração com toda a minha família pela reconstrução do Museu, mas enfim oremos pela reconstrução do prédio e para que parte do acervo tenha sido recuperado. Pode até não ser a mesma coisa do que antes, mas sejamos otimistas, melhor ter parte do acervo recuperado (Ainda que pouco) e doado do que um prédio vazio. E sobre o fato dos olavetes serem uma seita isso é fato, só falta criarem uma espéciede culto à personalidade do Olavo e trata lo como um deus e quiçá negar até mesmo Cristo e sua divindade, realmente espero que Deus tenha misericórdia do Olavo. Mas oremos, por esse país e por esses cegos. Pior cego aquele que não quer enxergar. Deus te abençoe, abraços

      Excluir
  15. Lucas,o que vc acha da maçonaria,eu acho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não entendi, isso foi uma pergunta ou uma afirmação? rsrs

      Excluir
    2. Kkkkk, N tinha acabado de comentar,eu ia pedir a sua opinião sobre a maçonaria, e apenas comentar que eu acho errado muitas das teorias da conspiração sobre ela, principalmente essas de canalzinhos medíocres do YouTube.

      Excluir
    3. Então, eu também não costumo acompanhar essas teorias de conspiração sobre maçonaria (embora penso que muitas possam ser verdadeiras), por isso eu me baseio no testemunho curto e simples, porém bem mais confiável e seguro, de Charles Finney, um cristão bem sincero e assumidamente ex-maçom. É o mesmo que eu recomendei outro dia:

      http://juliosevero.blogspot.com/2018/06/por-que-deixei-maconaria.html

      Excluir
  16. Lucas quem foi o Padre Pio de Pietrelcina ???????

    ResponderExcluir
  17. https://youtu.be/Hwmt-rvVVk0
    Lucas o que achou deste vídio do Bernado Kuster sobre o Yago ? Pretende fazer uma refutação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não pretendo fazer refutação nenhuma porque o Bernardo é apenas um zumbi lambe-bolas do velho da Virgínia, alguém totalmente sem personalidade ou caráter, e principalmente alguém com uma notória ausência de qualquer conhecimento histórico ou teológico, tanto é que foi incapaz de fazer um vídeo em refutação ao Yago e por isso se limitou a fazer um videozinho debochado que não refuta p**** nenhuma e que basicamente consiste apenas no véio falando as mesmas abobrinhas já refutadas de sempre, porque não tem senso do ridículo para perceber o quanto desmoralizado já está. Acho que depois dessas semanas e de todas as lapadas que o astrólogo levou, só um verdadeiro retardado mental continua seguindo esse cara, ou um zumbi sem personalidade como esses seguidores imbecis à la Bernardo, que passariam uma vergonha surreal em um debate cara a cara com o Yago ou com qualquer protestante que tenha feito ao menos escolinha dominical quando criança.

      Já estava na cara que alguém como ele, cuja fama veio inteiramente por causa da divulgação do Olavo (na época em que absolutamente ninguém o conhecia), iria fazer questão de socorrer o velhinho quando este apanhasse feito um bêbado e fosse desmoralizado publicamente como aconteceu, é apenas uma tentativa fracassada de salvar um mínimo de dignidade de alguém que já a perdeu completamente há muito tempo. No mais, toda essa discussão foi extremamente produtiva para o lado protestante, pois mostrou a todos os evangélicos que ainda seguem esses picaretas (principalmente o astrólogo charlatão, por ser o mestre infalível dessa raça de víboras) o que eles realmente são, e para o que eles realmente trabalham.

      No passado esses caras pintavam e bordavam e ainda tinha protestante ingênuo e idiota que continuava querendo “ecumenismo” com essa gente e inclusive chegavam a levá-los a sério; hoje em dia é só ver os comentários principais no vídeo do Bernardo (se ele já não os deletou) que praticamente é só comentário contra, que denunciam o nível vergonhoso da “refutação” que só prova a todos os que tem um mínimo de decência de que lado está a verdade nesse debate todo. Não dá sequer para comparar a erudição dos argumentos protestantes, sempre bíblicos e coerentes, com esse festival de insanidades e deboches de dois retardados que estão mais perdidos que cego em tiroteio nessa discussão e que não sabem mais onde esconder a cara de tanta vergonha que estão passando. Ou seja, eles estão cavando a sua própria cova, e nós nem estamos precisando fazer esforço. Hoje em dia, protestante que volta ao catolicismo não pode mais alegar ignorância, apenas mau-caratismo mesmo.

      Excluir
    2. A propósito, o nível da "refutação" foi tão vergonhosamente baixo que até os ateus estão reconhecendo isso:

      https://uploaddeimagens.com.br/images/001/615/094/full/120.jpg?1537047720

      Excluir
    3. lambe-bolas, kkkkkkkkk, meio ofensivo, mas é engraçado

      Excluir
  18. Banzolao voce viu o novo vídeo do Bernardo Kuster tentando refutar o Yago Martins? O cara só ficou de deboche e ad hominem, incrível que nao aparece nenhum apologético católico com argumentos sólidos e bem embasados,eu assisto vídeos do Bernardo e o cara e bom em refutar a esquerda e defender o conservadorismo, mas teologicamente é muito fraco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentei sobre isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/09/o-que-o-bode-para-azazel-representava.html?showComment=1537047862972#c8465575456684061985

      Excluir
  19. Bandoli,viu o último vídeo do Kuster ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bandoli kkkkkkkkk

      Excluir
    2. O Bandoli comentou sobre isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/09/o-que-o-bode-para-azazel-representava.html?showComment=1537047862972#c8465575456684061985

      Excluir
  20. E o Bernardo diz que já foi protestante sendo um completo analfabeto biblico deve ter sido de alguma dessas igrejas neopentescostais de fundo de quintal,e o pior que essas provocações deles contra os protestantes prejudicam uma eventual união dos dois maiores segmentos cristãos do país contra a esquerda radical que apesar de enfraquecida pela Operação Lava Jato continua viva e com chances de ir para o segundo turno contra o Bolsonaro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bernardo não foi protestante porcaria nenhuma, o cara não sabe nem o que significa Sola Scriptura, como um cara desses pode ter sido protestante? Chegou até a soltar a hilária pérola de que "John Wesley não cria na Sola Scriptura" (Wesley deve estar se revirando no túmulo numa hora dessas). Um energúmeno desses não pode ter sido protestante nem aqui e nem na China.

      Excluir
  21. O bernardo fez um video "refutando" o yago e o nando comentou a respeito falando que gosta de debates e que se entristece com "comentarios de odio"(obviamente comentarios dos catolicos no video do bernardo) ate ai tudo bem, mas um inscrito do nando disse que o bernardo foi ofensivo contra o yago usando memes no video e falando no tom de deboche, e ai o nando respondeu dizendo que "o tom arrogante do yago o faz ser previamente mais ofensivo" . É incrivel que o nando tem que defender o bernardo nessa ocasiao falando que o yago é que é "arrogante".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Refutar o catolicismo com educação para eles já consiste por si só em "ser arrogante", para um protestante refutar o catolicismo ele tem que pedir desculpas enquanto refuta, só assim não será tido como "arrogante". Por outro lado se um católico como esse picareta do Olavo e esse falastrão do Bernardo utilizam de palavras de baixo calão, zombaria e ofensas contra o Yago e contra o protestantismo, aí é "refutação mesmo", aí "tá valendo". É este o critério que existe no fantasioso mundo olavete, onde é proibido pensar e enxergar um palmo à frente do seu nariz.

      Excluir
  22. O bode Emissário é uma representação do juizo. Quando os pecados do povo de Deus forem expiados no santuário celestial a parte desses pecados que cabem ao diabo por ele ter tido parte nesses pecados recairá sobre ele.

    Isso ocorrerá durante o milênio logo após a volta de Cristo, o diabo vagará pela terra desolada (Ap 20) assim como o bode emissário vagava pelo deserto, e levará os pecados que instigou o povo de Deus a praticar, antes de ser redimido.

    Como os remidos terão sidos perdoados pelos pecados cometidos, Satanás pagará pela parte que ele desempenhou nesses pecados (tentando e instigando) tendo em vista que para essa parte não houve arrependimento dele, isso implica que ele levará os pecados sobre si para a terra solitária por que não foram expiados pelo arrependimento.

    Para aprofundar-se nessa visão leia o capítulo 22 do livro ritual do santuário aqui http://tempodofim1.tripod.com/ORitualdoSantuarioLivro.htm#22.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeito sua opinião mas discordo totalmente dela, este artigo reflete o que eu penso a respeito.

      Excluir
  23. Já viu o vídeo do Bernardo em resposta ao Yago? Ai ai... Só ficaram ofendendo o cara, fazer oque ne, como disse um comentário que eu havia visto, num debate sério eles não aguentam 10 minutos de porrada gospel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentei sobre isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/09/o-que-o-bode-para-azazel-representava.html?showComment=1537047862972#c8465575456684061985

      Excluir
  24. Lucas,chegou a ver o vídeo do Kuster "refutando" o Yago ?
    Honestamente ele só usou ad hominem e piadinhas,é só mais um da turminha do Olavo (arrogantes e prepotentes).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentei sobre isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/09/o-que-o-bode-para-azazel-representava.html?showComment=1537047862972#c8465575456684061985

      Excluir
  25. Banban, você é contra ou a favor do pastorado feminino?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentei sobre isso aqui:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com/2015/08/o-pastorado-feminino-e-correto.html

      Excluir
    2. Muito bom esse seu artigo. Eu também não sou contra. O pastorado é um dom, e dons são para homens e mulheres. Não vejo na Bíblia classes de dons que são apenas para homens.

      Excluir
  26. Banzoli, bacana o tópico. Esclarece algumas dúvidas. Parabéns.

    Olha, eu li alguém outro dia com dúvidas sobre Hebreus 6:4-6, que parece dizer que não há perdão para quem cai em pecado.

    Como não estou achando a postagem, gostaria de responder por aqui.

    O texto diz: “É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados e provaram o dom celestial e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro, e caíram, sim, é impossível outra vez renová-los para arrependimento, visto que de novo estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus, e expondo-o à ignomínia.”

    O primeiro problema de Hb 6:4-6 é a queda dos iluminados. O segundo problema é a total impossibilidade de uma restauração ou renovação para os que caíram. O texto diz que é "impossível renova-los para o arrependimento".

    É impossível mesmo renovar alguém que caiu em pecado? Não há perdão para os que caíram? Quem disse? E mais: o texto não diz que eles cometeram a blasfêmia contra o Espírito Santo.

    Outra coisa: quem são os iluminados de Hebreus 6? Olha para quem a carta foi escrita. Foi para os Judeus!

    O que significa a expressão cair? Que tipo de queda é essa da qual não há possibilidade de restauração? É voltar para o judaismo, para as leis e cerimônias.

    Impossível levá-los ao arrependimento por esse caminho!

    Jesus já havia morrido e ressuscitado. Não teria possibilidade alguma dele morrer outra vez. O sacrifício da lei não levaria mais ninguém ao arrependimento. Esses judeus que caíram não caíram no pecado de adultério, roubo ou prostituicao, mas viraram as costas para Cristo à semelhança dos judeus de Galátas 5.1-4:

    "Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão. Eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. De novo, testifico a todo homem que se deixa circuncidar que está obrigado a guardar toda a lei. De Cristo vos desligastes, vós que procurais justificar- vos na lei; da graça DECAÍSTES".

    Este é o pecado para o qual não há renovação para arrependimento: a insuficiência de Cristo para a salvação. Eles estavam buscando justificação pela lei: "...procurais justificar-vos na lei...". Era o mesmo problema dos iluminados que caíram em Hebreus 6. Estavam negando toda a obra da redenção para sua salvação e agora queriam enfrentar a Lei "de peito aberto", para serem justificados

    Seria impossível renova-los para arrependimento pelos caminhos da lei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa a sua interpretação, não tinha pensado por esse ângulo ainda.

      Excluir
    2. "Que tipo de queda é essa da qual não há possibilidade de restauração? É voltar para o judaismo, para as leis e cerimônias."
      Lucas, me perdoe a ignorância, não pretendo entrar nessa guerra de refutações bastante comum nas redes sociais, mas caso a observação acima seja válida, como fica a situação daqueles que professam o judaísmo?
      Obrigado amigo.

      Excluir
    3. Pelo o que eu entendi do texto do Alon, o "impossível que sejam reconduzidos de novo ao arrependimento" diz respeito à impossibilidade de se alcançar a salvação novamente estando na lei. Ou seja, que na lei é impossível de ser salvo, se conheceu a graça e a rejeitou. Não significa que a pessoa não possa voltar à graça, mas sim que estando na lei será impossível alcançar salvação (desde que tenha conhecido a verdade antes).

      Excluir
    4. “CASO a observação acima seja VÁLIDA, como fica a situação daqueles que professam o judaísmo?”

      Tem gente que está tão contaminada a meu respeito que tenta pegar qualquer coisa que escrevo para ver se acha algo errado.

      Anônimo, conheço pessoas que largaram tudo porque entenderam que não havia mais chances de perdão para eles. Foram enganados pela interpretação convencional de Hebreus 6:4-6.

      O texto não está falando sobre os pecados do dia a dia que surpreendem os crentes no mundo todo. O texto não trata de pecados de adultério, fornicação, imoralidades, vícios como fumar ou beber e muito menos mentiras ou glutonarias, mas sim sobre os Hebreus que viraram as costas para Cristo e estavam voltando ao judaísmo.

      IMPOSSÍVEL RENOVAR ALGUÉM PARA O ARREPENDIMENTO PELA LEI!

      Foi por esse motivo que o escritor aos HEBREUS disse coisas desse tipo. Muitos hebreus caíram e estavam buscando perfeição pela lei:

      “Ora, se o aperfeiçoamento fosse pelo sacerdócio levítico (pois sob este o povo recebeu a Lei), que necessidade havia ainda de que um outro sacerdote se levantasse segundo a ordem de Melquisedeque e de que não fosse contado segundo a ordem de Arão?

      Pois, mudando-se o sacerdócio, é necessário que se faça também mudança da Lei”, Hebreus‬ ‭7:11-12.

      Eles estavam voltando aos sacrifícios, tanto que o escritor disse que eles continuavam sendo oferecidos a cada ano, porém, INUTILMENTE!

      “Dizendo acima que sacrifícios, e ofertas, e holocaustos, e sacrifícios pelo pecado não quiseste, nem te deleitaste neles (os quais são oferecidos segundo a Lei),”
      ‭‭Hebreus‬ ‭10:8‬ ‭

      “Visto que a Lei tem a sombra dos bens vindouros, não a mesma imagem das coisas, NUNCA PODE, pelos mesmos sacrifícios que eles oferecem continuamente de ano em ano, fazer perfeitos aos que se chegam a Deus.”
      ‭‭Hebreus‬ ‭10:1‬ ‭

      “... pois a Lei NENHUM COISA aperfeiçoou, e é introduzida uma melhor esperança, pela qual nos chegamos a Deus.” Hebreus‬ ‭7:19‬.

      PELA LEI SERIA IMPOSSÍVEL “renovar os caídos” para arrependimento.













      Excluir
  27. Mas Banzolao eu observo que o próprio Bolsonaro mesmo sendo o candidato dos olavetes católicos tridentinos não faz declarações públicas enaltecendo os católicos e atacando os protestantes e até acredito que ele não se interesse por essas diferenças teológicas,tanto e que é casado com uma protestante e têm filhos que seguem a mesma religião, e noto que os olavetes que entraram para a política partidária no PSL de Bolsonaro nao são os que atacam os protestantes, mesmo o Luiz Philippe Orleans e Bragança que é da família real super fanática, o tio dele Bertrand já nos atacou,e o próprio Bertrand, assim como o Bernardo e os apresentadores do Terça Livre que já se declararam antiprotestantes não se candidataram a cargos públicos, até por isso fico mais tranquilo, eles sabem que a população evangélica faz a diferença nas urnas e jamais se elegeriam realizando discursos de ódio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o Bolsonaro nem de longe tem o tipo de ódio antiprotestante que essa raça olavete tem. Dizem que ele só falou com o Olavo duas vezes na vida, então não se contaminou tanto, ainda tem uma mente sã.

      Excluir
  28. Só um último comentário sobre o tema que abordei nos comentários anteriores é que seria mais inteligente para Bolsonaro se afastar dos olavetes tridentinos e do próprio Olavo, já que ele e que cria esse clima de hostilidade de "nós católicos contra os protestantes", o que divide os próprios conservadores, já que nós evangélicos somos uma parcela muito importante do eleitorado de Bolsonaro até arrisco dizer com toda a certeza que ele terá uma maior porcentagem de eleitores protestantes que de católicos, já que muitos católicos influenciados pela Teologia da Libertação votam na esquerda sem problemas, o Bolsonaro agora tá no hospital se recuperando da cirurgia, não tem nem cabeça para se preocupar com isso, mas ppr que seus filhos protestantes e algum estrategista de campanha não observam esse discurso divisivo do Veio da Virginia e não dão um pé na bunda dele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dar um "pé na bunda" do mestre da Virgínia significaria sacrificar milhões de votos de seus seguidores-zumbis. Não é uma boa ideia, pragmaticamente falando.

      Excluir
    2. Mas por outro lado pode sacrificar votos protestantes, tenho um amigo pastor luterano que apesar de ser conservador declarou que não votará no Bolsonaro por conta dessa associação dele com olavetes que odeiam o protestantismo, seria inteligente ele pedir pelo menos para eles pararem com esses ataques a fé evangélica

      Excluir
    3. Embora isso seja verdade, Bolsonaro estatisticamente tem mais votos entre evangélicos do que entre católicos.

      Excluir
    4. Desculpe a intromissão no assunto mas concordo com o Lucas nesse aspecto, não é tempo de levar a diferença religiosa para essa eleição, a esquerda que é tão baixa quanto os fanáticos católicos é quem esta disputando o poder em 2018 como sempre fez, alias. Nas guerras vc percebe alianças entre países que muitas vezes tem sérias divergências e isso estrategicamente é de grande inteligência,e o nosso denominador comum (católicos e protestantes) é a ideologia vermelha. Se nós não derrotarmos a esquerda e suas variáveis nesse Brasil, agora, não adiantará nossas rixas doutrinárias pq o cenário previsível é a nossa perda total de liberdade de expressão e isso só como começo, então realmente não é bom para nós da direita que Bolsonaro se afaste dos pupilos do Astrolavo ou do mesmo, que no quesito política, tenho que admitir, tem la sua relevância. Bolsonaro pelo que vejo é mais crente do que católico, tá rodeado de evangélicos e indiretamente do próprio evangelho verdadeiro. Se estamos certos quanto a profecia bíblica a igreja católica esta com os dias contatos assim como o tridentismo e a própria fé deles.
      Nosso problema agora é político e é a esquerda, na teologia os cara já são um fracasso que dói, tá aí o nível do Yago sendo comparado com a ridicularidade do aluno olavete, é só a gente que é evangélico começar de vez a bater de frente com os argumentos dos católicos como faz o Lucas e tantos outros que os caras começam a ficar pianinho.

      Excluir
  29. E nenhum deputado da Bancada Evangélica nunca fez nenhuma declaração contrária ao Astrolavo por conta das ofensas dele a nossa fé,pelo contrário alguns deles como o Feliciano até elogiam o veio, acredito que ele ingenuamente pensam que se o veio tem discurso politico conservador está do nosso lado, já que a fama de Olavo se deu por conta das denúncias contra o Foro de São Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa tal "bancada evangélica" é composta por 50% de frouxos e 50% de ingênuos.

      Excluir
    2. Até fazem um bom trabalho de combate à esquerda radical, mas como você falou de fato são 50%frouxos e 50%ingênuos ao baixarem a cabeça para o Veio da Virginia por isso estou pensando em votar no Dr Rey para federal,já tiraram sarro de mim por declarar isso pprque o Dr Rey é em grande medida uma figura folclórica,que fez um programa de auditório horroroso na Rede TV, mas ele tem uma excelente formação acadêmica, largou uma carreira de cirurgião plástico muito bem sucedida em Beverly Hills para voltar ao Brasil e possui um discurso liberal conservador, então aposto que caso seja eleito fará um bom trabalho, mesmo tendo esse jeito bonachao e muitas vezes sendo tratado como piada

      Excluir
  30. O Bernardo Kuster acabou de fazer um vídeo ridículo tentando refutar o Yago. Vc já viu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentei sobre isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/09/o-que-o-bode-para-azazel-representava.html?showComment=1537047862972#c8465575456684061985

      Excluir
  31. Yago,esse momento só remete ao Olavismo Cultural.Olavo de Carvalho é uma vergonha a intelectualidade brasileira.Nando Moura atacou o Yago por ser amigo do Pirula,chamou ele de arrogante e isso tudo pra defender o Olavo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "...Nando Moura atacou o Yago por ser amigo do Pirula"

      É esse o nível de demência dos seguidores desse charlatão. Parece que literalmente arrancaram o cérebro da cabeça deles. Não encontro explicação mais razoável.

      Excluir
  32. Lucas estou lendo o livro de Romanos na tradução da NVI que é uma das melhores, entretanto, uma das mais complexas de se entender rsrs, e, por esse motivo, quero tirar duas dúvidas com você:

    1- Romanos 8:27: Não entendi nada do que Paulo quis dizer, principalmente quando ele fala "mente do Espírito". Tem como você interpretar esse versículo de forma mais simples e objetiva?

    2- Romanos 8:25 - Quando Paulo fala "com paciência" ele afirma que os cristãos aguardam as coisas com paciência ou ele dá um mandamento para os cristãos aguardarem as coisas da fé com paciência?

    3- Romanos 11:31 - Tem como você também interpretar essa passagem em uma linguagem mais simples e objetiva?

    Ah, lá no final em Romanos 16 tem o título: A doxologia. Pesquisei na internet o significado dessa palavra e o mais próximo que eu achei (e inventei rsrs pra ficar mais fácil de entender) foi "Exaltação a Deus" e se você ler o trecho que vem depois desse título Paulo faz uma exaltação a Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem?

      1) Romanos 8:27 é este texto aqui:

      "E aquele que sonda os corações conhece a intenção do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus" (Romanos 8:27)

      Eu não encontrei o termo "mente do Espírito" aqui, talvez seja o que foi traduzido como "intenção do Espírito". Ou seja, o texto diz que Deus conhece as intenções do Espírito Santo porque o Espírito Santo intercede por nós de acordo com a vontade de Deus.

      2) Eu entendo mais como um mandamento mesmo, porque Paulo usa o condicional: "SE esperamos o que não vemos...". Nem todos os cristãos aguardam com paciência, tem muitos que são afoitos e outros que até perdem a fé.

      3) No contexto, Paulo está dizendo que os judeus se tornaram desobedientes (porque rejeitaram a Cristo), mas por causa dessa desobediência os planos de Deus se estenderam a todas as nações, ou seja, alcançou os gentios. É como João escreveu: "Veio para os seus, mas os seus não o receberam" (Jo 1:11). Então os gentios, que eram desobedientes, se tornaram obedientes a Deus por meio da rejeição (desobediência) dos judeus. Paulo diz que da mesma forma que Deus foi misericordioso para conosco mesmo quando estávamos em desobediência, ele também é misericordioso para os judeus mesmo com eles estando na desobediência. Ou seja, os dois grupos (judeus e gentios) passaram pela desobediência, mas alcançaram a misericórdia divina, o perdão dos pecados por um Deus perdoador.

      Sobre a "doxologia", isso é o que colocam no final de uma carta mesmo, parecido com a "introdução" que fica no começo. De fato, geralmente consiste em uma exaltação final a Deus em alguma epístola.

      Excluir
  33. A "contra-argumentação" de Olavo para tentar refutar o Yago: "Argumento ad hominem, deboches, xingamentos, tentativa de atribuí outros sentidos no seu texto. Ou seja, para dizer que o Yago entendeu errado e por isso ele não foi supostamente 'refutado'". Enfim, que for analisar as premissas do Astrólogo minuciosamente verá que ele não tem argumento nenhum para desmentir o Yago.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse doente age assim com literalmente QUALQUER UM que o refute e que mostre os seus erros sobre qualquer assunto que seja, mesmo quando feito com educação. Por isso que eu disse que embora seja tão velho ele age como criança birrenta e mimada, nunca refuta porcaria nenhuma do argumento oposto, se preocupando exclusivamente em difamar, debochar, encontrar um erro de ortografia em algum lugar para ridicularizar e praticar ad hominem sem parar, tentando ganhar na base do grito e da marra mesmo quando sabe que está mentindo. Usa seus zumbis desmiolados como escudo para tentar ganhar as discussões na base da intimidação e zombaria, e tem a sorte de ter dois dos grandes: Bernardo e Nando Moura. Sinceramente este senhor representa o que há de mais podre neste país, chega a dar asco só de olhar.

      Excluir
  34. Lucas,eu acho o calvinismo uma tremenda heresia,devemos considerá-los como irmãos?.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que são nossos irmãos (apesar do calvinismo ;p)

      Excluir
    2. Mas uma heresia não nos afasta de Deus e compromete nossa santificação,comunhão com Deus e salvação?.

      Excluir
    3. Depende da heresia, neste caso eu não vejo como algo tão grave a ponto de comprometer a salvação da pessoa. É uma divergência doutrinária séria, mas que deve ser tratada no mesmo nível de outras discussões como aniquilacionismo vs imortalismo, batismo infantil vs batismo adulto, e não como a idolatria católica, a reencarnação espírita e coisas do tipo.

      Excluir
  35. Boa tarde, Lucas! Desculpe incomodar você ainda sobre esse assunto do vídeo do Bernardo Küster, mas nesse vídeo tem um momento em que o Olavo questiona a autenticidade da celebração da Santa Ceia, porque os "protestantes" não creem na presença física de Cristo nos elementos e apela para os chamados milagres eucarísticos, tais como hóstias que sangram ou se transformam em carne. O que você poderia falar (ou recomendar leitura) a respeito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só retardado mental acredita nesses tais "milagres eucarísticos" como ciência, isso já foi refutado aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/10/desmascarando-o-milagre-de-lanciano.html

      Excluir
    2. É simples isso. Peçam para o Olavo provar que se torna sangue com um vídeo dele fazendo isso, já que todo mês isso acontece com ele.

      Excluir
    3. Seria tão ridiculamente fácil provar que a hóstia consagrada se trata do "corpo de Cristo" (literalmente) se este fosse o caso, bastaria pegar uma hóstia consagrada, fazer um teste de DNA e pronto, confirmar que tem o DNA de um corpo humano. Se tem hóstia que "sangra" por aí, seria muito mais estupidamente simples fazer esse teste simples e encerrar toda essa discussão. Eles não fazem isso porque sabem que fracassaria miseravelmente.

      Excluir
  36. Fala, meu amigo Lucas, tudo bem?

    Se ambos os bodes representam Cristo,porque existe então uma separação de destinos, para dois seres diferentes?

    Um dos bodes era "para o Senhor" o que indica que o outro "não o era". Então, se ambos os bodes simbolizam Cristo, não vejo sentido do texto dizer que um era "para o Senhor", não haveria a necessidade dessa separação...

    Em questão das aves (de uma ser sacrificada e a outra solta) não há nesse caso uma separação do tipo "uma ave é para o Senhor" e a outra não. Portanto, não creio que se aplique...

    Além do mais, as festas judaicas representam muito bem o plano de Salvação e o dia da expiação também é "sombra" da redenção futura.

    Ele fala de uma limpeza dos pecados do povo que estavam registrados no santuário e de uma purificação -> uma sombra do juízo de Cristo e da glorificação, quando nosso corpo será limpo do pecado.

    Após isso o bode é levado ao deserto para ficar sozinho -> dificilmente se refere a Cristo, pois após o juízo Cristo estará conosco e estaremos limpos do pecado, com a glorificação. Mas é Satanás que estará "afastado" da congregação" por 1000 anos e finalmente será destruído.

    Então eu vejo que o "Dia da expiação" celestial, a realidade da festa judaica, só finaliza quando Satanás é destruído. E finalmente, Deus refaz a terra, cumprindo a última festa dos "Tabernáculos" quando se cumpre o que está em Apocalipse 21: "Eis aqui o TABERNÁCULO de Deus com os homens".

    O próprio Apocalipse dá a explicação do cumprimento das festas judaicas, da Páscoa até os Tabernáculos. A relação do "Dia da Expiação" com o verdadeiro Juízo que ocorre no Céu aparece em Ap 11:18,19,Ap 15:5-8 e Apocalipse 20 e vemos claramente a "Arca da Aliança" ou o "Testemunho" associado com o juízo de Deus, exatamente como ocorria no Dia da Expiação. E Ap 20 mostrando a realidade da destruição dos ímpios e de Satanás.

    Seria muito estranho o santuário, sendo um exemplo do Plano da Redenção, não incluir a destruição do responsável pelo pecado. Por isso faz muito sentido ver o bode para Azazel sendo destruído antes da festa dos "Tabernáculos", exatamente como acontece em Ap 20 (Satanás e os ímpios sendo destruídos) e Ap 21 (O Tabernáculos se cumprindo).

    Não sei se faz sentido pra você... Mas só queria contribuir com o que penso a respeito... Se for útil pra ti, maravilha!

    Um abraço, meu amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade os dois representam aspectos diferentes, embora ambos apontem a Cristo (como explico no artigo). O fato de só o primeiro mencionar a expressão "para o Senhor" é porque esta era a forma habitual quando se referia a holocaustos (que eram feitos a Deus), ou seja, a expressão "para o Senhor" na prática era apenas um eufemismo para se referir à imolação. Por isso com o outro bode não é usada essa expressão, porque ele não era morto, mas levado a um lugar distante para figurar essa dupla tarefa de Cristo por nós, que foi ter nos purificado e perdoado, crucificado o pecado na cruz do Calvário e o enviado para longe de nós. Como você sabe, eu respeito as interpretações adventistas da Bíblia, mesmos nos pontos em que eu discordo, mas particularmente não vejo sentido na tese dos mil e tantos anos do santuário celestial, juízo investigativo, Azazel como sendo o demônio, etc.

      Excluir
    2. Bom dia, meu amigo!

      Também te respeito muito, mesmo quando temos interpretações diferentes... ;)

      Me diga uma coisa, só pra eu entender como você pensa...

      De que forma você entende a tipologia do Dia da Expiação, quando que isso se cumpre e de que forma?

      Em relação ao juízo de Deus, como você entende também?

      Um abraço!

      Excluir
    3. Olá, a tipologia do Dia da Expiação eu entendo da forma com que explanei neste artigo. Não vejo uma aplicação escatológica propriamente dita com o "bode para o Senhor" e o "bode para Azazel", nem entendo que seja disso que os textos citados do Apocalipse estão falando. O juízo final é um outro assunto, pautado em torno de outros textos. Não há em Levítico 16 uma figuração do milênio, da prisão e aniquilação do diabo ou de coisas do tipo, na minha análise. Abs!

      Excluir
    4. Oi, Lucas!

      Faço a pergunta no sentido do "tempo" de cumprimento do "dia da Expiação".

      Existe uma sequencia lógica das 7 festas judaicas e um tempo para serem cumpridas.

      Páscoa - Cruz
      Pães Asmos (e maná) - Cristo sem pecado na sepultura
      Primícias - Ressurreição
      Pentecostes - Chuva do Espírito Santo e início da Colheita

      Percebe que as festas são cumpridas em sequencia?

      Então meses depois vem: "Trombetas" (festa que anunciava o Juízo), "dia da Expiação" (ou "Yom Kippur - dia do JUÍZO) e Tabernáculos.

      Eu não posso colocar essas últimas 3 festas como cumpridas na cruz ou em relação à primeira vinda de Jesus, pois elas se referem à segunda vinda de Jesus e aos eventos finais e são cumpridas APÓS as 4 primeiras.

      A festa de "tabernáculos", comemoração da ida à Canaã, é cumprida apenas após o milênio, em Ap 21 quando diz "Eis o Tabernáculo de Deus com os homens", momento de restauração final, onde habitaremos para sempre na "Canaã Celeste".

      Antes do "Tabernáculos" existe o juízo de Deus, claramente visto em Apocalipse, exatamente como antes da festa do Tabernáculos, ocorria o "Yom Kippur", dia do juízo.

      O sangue era aspergido na Arca da Aliança, representando o pagamento da dívida pela transgressão do Testemunho, os 10 mandamentos. A mesma cena de juízo envolvendo a Arca e o Testemunho ocorrem em Ap 11:18,19 e 15:5-8. É impossível ignorar tal fato. Sabendo que o "Yom kippur" era apenas uma sombra, a sua realidade se encontra cumprida em Apocalipse 11:18,19 e 15:5-8 exatamente antes do "Tabernáculos". A última coisa que acontecia no "Dia do Juízo" em Israel, depois de toda a purificação do povo era a expulsão do bode para Azazel, onde era morto solitário. Então acontecia o Tabernáculos. Em apocalipse após o juízo de Deus (Yom Kippur) e o povo ser purificado (glorificação) Satanás é destruído e ocorre o "Tabernáculo de Deus com os homens". É impossível ignorar que é a mesma sequencia da festa do juízo.

      Perguntas ficam:

      1) Como o dia da Expiação se cumpre antes do Pentecostes (para alguns, se cumpre na cruz), se, no santuário, se cumpria depois do Pentecostes e logo antes do Tabernáculos?

      2) Satanás, sendo o originador do problema, não aparece dentro do Plano de Redenção, apresentado pelas festas judaicas? Isso não é estranho? O culpado de tudo some na tipologia?

      3) Se antes da Nova Terra (Tabernáculos) Satanás é destruído, porque isso não aparece nas festas?

      Tais perguntas são respondidas facilmente quando fazemos o paralelo das festas judaicas com os eventos de Apocalipse, que são exatamente o cumprimento delas, visto que todo o santuário aparece em Apocalipse, e não é a toa que aparece... A mesma sequencia lógica dos eventos também. Agora se deslocarmos o "dia da expiação" para a cruz, perde todo o sentido da tipologia, visto que a cruz já tem uma festa que a representa, que é a Páscoa.

      Um abraço!

      Excluir

Fique à vontade para deixar seu comentário, sua participação é importante e será publicada e respondida após passar pela moderação. Todas as perguntas e comentários educados são bem-vindos, mesmo que não tenham a ver com o tema do artigo. Críticas serão publicadas desde que não faltem com o respeito e não sejam feitas em anonimato.

Caso o seu comentário não tenha sido publicado dentro de 24h, reenvie-o.