6 de maio de 2018

106 Os dez autores que mais impactaram a minha vida



Alguns devem se lembrar que anos atrás surgiu uma “modinha” de facebook em que uma pessoa dizia os 15 autores que mais a influenciaram e então marcava alguém que deveria fazer o mesmo, e assim sucessivamente. Eu fui marcado pelo meu amigo Reginaldo Castro e fiz a tal lista que agora nem me lembro os nomes, mas como com certa frequência as pessoas me questionam sobre materiais que eu recomendo e que também podem edificar a vida delas, eu decidi elaborar essa lista dos dez autores que mais impactaram a minha vida.

Algumas observações prévias devem ficar claras antes que alguém me xingue nos comentários: essa NÃO é a lista dos dez “melhores” autores, nem dos dez que mais admiro, mas sim dos que mais me influenciaram. Seria insanidade se eu fizesse uma lista dos dez melhores em que C. S. Lewis estivesse apenas nas “menções honrosas”, ou uma lista dos dez mais inteligentes em que William Lane Craig fosse apenas o sétimo listado. Ser o que mais influenciou não tem nada a ver com ser o “melhor”, embora obviamente seja preciso ser bom para estar na lista.

Muitos autores importantes e até superiores em muitos aspectos não foram mencionados ou foram em posições inferiores apenas porque quando eu os descobri já tinha alguma base sobre o assunto de especialidade deles, de modo que eu fui mais impactado por aqueles que li primeiro, ou seja, aqueles primeiros tiveram mais efeito prático sobre a minha vida na época em que eu mais precisava, em relação àqueles que eu descobri mais tarde, quando já tinha mais fundamentação na área (ainda que este de mais tarde possa ser melhor em um sentido técnico). Também é importante deixar claro que esta lista envolve todas as facetas da minha vida espiritual e intelectual e não apenas sob um prisma puramente teológico (alguns desses nomes nem teólogos são).

Antes que alguém resmungue, destaco que eu tenho divergências doutrinárias com todos estes autores, o que é natural em se tratando de um ser racional e crítico, e isso não diminui em nada a minha admiração por eles e nem significa que eu seja obrigado a concordar em tudo com alguém, como se eu tivesse um guru da Virgínia ou um papa infalível para me guiar cegamente em todos os assuntos da fé. E por fim, diferente de alguns que fizeram a lista dos 15 nomes e que colocaram lá “Jesus, Paulo, Pedro...”, eu não vou usar de trapaça citando nomes óbvios, por isso autores bíblicos, patrísticos ou reformadores não constarão. Essa lista se refere a autores contemporâneos (8 dos 10 nomes continuam vivos, os outros estavam há pelo menos meio século), não a ícones do passado, por mais importantes que sejam.

Estando tudo isso claro, vamos aos nomes!


1º Luciano Subirá


Eu posso ter quebrado a cabeça para rankear os outros nomes da lista, mas com certeza não este. O pastor Luciano Subirá foi de longe o que mais teve impacto na minha vida cristã, sob qualquer aspecto prático. Embora eu sempre tenha sido um evangélico, eu era alguém totalmente morto na fé até conhecê-lo, quando tive o privilégio de congregar na Comunidade Alcance de Curitiba por muitos anos. Quem não o conhece ou nunca viu uma pregação sua não sabe o que está perdendo. Quase toda a minha formação cristã no que diz respeito a uma compreensão correta do evangelho cristocêntrico vem dele, assim como o ânimo despertado dentro de mim para deixar a vida displicente de antes e viver para Cristo. Não posso entender como é possível alguém ouvir suas pregações por anos e ainda assim ser apático ou indiferente à fé.

Embora ele não seja um teólogo e a apologética não seja o seu forte, quando se trata de questões morais e práticas do evangelho e de sermões de qualidade ninguém o supera – pelo menos ninguém que eu tenha conhecido. Devo muito a ele e isso só Deus pode recompensá-lo. O canal da igreja com as pregações pode ser conferido clicando aqui, o seu canal pessoal com mensagens mais curtas pode ser acessado aqui, e sua página no facebook é essa. Segue abaixo uma de suas pregações da época em que ele era mais cabeludo (detalhe: eu apareço nela durante uns dois segundos em uma parte do vídeo em que filmam o povo da igreja, mas não vou dizer que minuto é, se virem):



2º Maurício Zágari


Se Luciano Subirá é o melhor com um microfone na mão, Maurício Zágari é de longe o melhor escrevendo. Eu não o considero apenas o melhor “escritor cristão”, mas o melhor escritor que conheço de todos que já li. O descobri através do seu blog “Apenas” (veja aqui) pelos idos 2012, e foi nessa época que eu comecei a escrever um pouco mais decentemente (quem se lembra dos meus artigos antigos deve recordar que lástima eram em termos de qualidade de escrita). Essa melhoria na escrita eu devo 99% ao Zágari e os outros 1% pode dividir com todos os outros autores. Se você reparar bem, verá que até o estilo de escrita dele eu tento descaradamente copiar, ainda que na maior parte das vezes fracasse miseravelmente.

Mas Zágari não está nessa lista apenas por ser quem me fez escrever melhor, mas porque seus textos são realmente fantásticos. Eu devo confessar que ultimamente não tenho acompanhado tanto, mas naquela época moldou grande parte do meu pensamento, me ajudando a ter ideias mais equilibradas e ponderadas sobre temas cristãos e a crescer em maturidade espiritual e intelectual. Seu estilo, de trabalhar com muitas analogias e de extrair lições espirituais através das coisas mais simples do dia-a-dia, foram e continuam sendo extremamente úteis.

Sua prática de responder um por um a cada comentário do blog (inclusive dos artigos com centenas de comentários) me serviu de inspiração para fazer o mesmo nos meus próprios blogs. Além disso ele é um grande exemplo de vida, pois sofre com uma doença que lhe traz dores terríveis e insuportáveis todos os dias e o dia todo, chamada fibromialgia, que ainda não tem cura – e nem por isso ele resmunga ou murmura contra Deus. Assim como fiz passando aqui um vídeo do Subirá, eu também pensei em listar aqui o artigo que mais me edificou, mas como são muitos eu prefiro listar alguns deles que me lembro de cabeça, e outros você pode acompanhar em seu blog (dica: em se tratando de Zágari, nunca julgue um artigo pelo título!):


A única crítica que faço, se um dia este artigo chegar ao Maurício, é peloamordedeus, aumente o tamanho da letra, pois eu ficava quase cego forçando a vista para conseguir ler os artigos, numa época em que não sabia o quão fácil era dar um zoom xD

Você pode seguir Maurício Zágari no facebook, clicando aqui.


3º Daniel Mastral


O nome que é provavelmente o mais controverso dessa lista, mas deixe-me explicar: eu não sou nenhum fanático ou radical sobre coisas que envolvem demônios ou batalha espiritual, não sou do tipo paranoico e nem me interesso pelos iluminatis (na verdade, nem o próprio Mastral é assim). Mas foram os livros de Daniel Mastral que me despertaram para a realidade do mundo espiritual no início de minha caminhada cristã, em 2009, quando eu ainda tinha 16 anos. É como se antes disso eu apenas cresse “racionalmente” na existência do diabo e do mundo espiritual como um todo, mas depois dos seus livros a nossa perspectiva muda para um aspecto bem mais real, palpável e prático, muito importante para despertar os cristãos que ainda estão mornos.

Para quem não sabe do que ou de quem eu estou falando, Daniel Mastral é um ex-satanista que após sua conversão escreveu o livro “Filho do Fogo” em dois volumes, onde conta sua trajetória de vida, os bastidores da “Irmandade” (seita satânica) e sua conversão. Este deve ter sido o primeiro e último livro que eu chorei lendo; as últimas páginas são particularmente emocionantes quando se lê o livro desde o começo. Mas Mastral não é o tipo de “crente conspiracionista” à la “irmão Rubens”, mas alguém bem sério e centrado, que em seu canal no youtube (veja aqui) sempre faz questão de enfatizar um evangelho cristocêntrico acima de tudo e de condenar os modismos gospel (embora às vezes seja bastante repetitivo em seus vídeos). É por isso que a grande maioria dos vídeos são pregações com temáticas devocionais cristãs que não tem nada a ver com o ocultismo, mas se alguém está interessado em descobrir um pouco sobre seu testemunho e o “lado oculto” da coisa, segue abaixo alguns vídeos:






4º Norman Geisler


Geisler é certamente o teólogo que eu mais li até hoje, e mesmo assim eu li muito pouco se levar em consideração seu imenso acervo de mais de 90 livros e centenas de artigos. Mas ele não é apenas um escritor prolífero e completo: a qualidade de seus livros também impressiona. Não me lembro de um único livro dele que não fosse muito bom, e todos chamam a atenção pela estrutura lógica dos pensamentos e pela maneira louvável com a qual consegue articular seus raciocínios. Enquanto a missão de alguns teólogos parece ser a de dificultar ao máximo a compreensão dos leitores usando termos difíceis e construções textuais complicadas apenas para parecerem mais “cultos” que os demais, Geisler faz justamente o contrário: é o mais claro possível, para que até o leitor mais simples possa entender bem, e mesmo assim não perde em nada em termos de elegância e retórica. Foi isso o que me fez assimilar com rapidez coisas que levaria muitos anos para compreender lendo outros autores.

Mas se fosse apenas por essas coisas talvez Geisler nem estivesse na lista, porque, como eu disse, essa não é a lista dos melhores autores, mas dos que mais me influenciaram. O que faz Geisler constar aqui é principalmente o seu extraordinário livro “Não tenho fé suficiente para ser ateu”, que foi o material que mais me ajudou na época dos meus primeiros debates com ateus no Orkut (em 2009), e que até hoje considero o melhor livro que já li em termos argumentacionais. É muito difícil alguém ler esse livro todo e ainda assim concluir que é preciso ter mais fé para ser cristão do que para ser ateu. E em termos de raciocínio lógico, nada supera esse livro. Nada. É importante destacar que o livro foi escrito em co-autoria com Frank Turek, que eu desconheço completamente excetuando por esse livro e que só por isso não consta entre os dez nomes, mas é lembrado nas “menções honrosas” do final.


5º Dutch Sheets


Este é um caso bem peculiar, porque, para ser sincero, eu não conheço nada de Dutch Sheets e só li um livro dele em toda a minha vida. Infelizmente, parece que ele não é um autor muito conhecido nem nos EUA e não tem outras obras traduzidas e publicadas aqui, mas o seu livro “Oração Intercessória” é nada a menos que o livro que mais impactou minha vida no aspecto prático. Se houve vários fatores que contribuíram para um começo de mudança de mentalidade (principalmente as pregações do Subirá), foi o livro de Sheets o divisor de águas definitivo. Acontece que naquela época eu, como muitos adolescentes daquela idade, odiava ler livros, e odiava ainda mais ler livros cristãos. Como um não-cristão na prática, eu os achava insuportáveis.

Até que em um determinado dia eu acho esse livro em cima da mesa da sala (minha mãe deixou lá de propósito e eu mordi a isca direitinho), e decidi começar a ler algumas páginas por mera curiosidade. Mas o autor era tão extraordinário na forma de escrever, tão engraçado e divertido, e ao mesmo tempo tão claro e lúcido nas ideias, que eu simplesmente não consegui parar de ler, como teria feito com qualquer livro mais “sério”, com uma linguagem mais rebuscada. Sheets consegue fazer duas coisas que quase ninguém consegue fazê-las juntas: ser extremamente “bobo” a ponto de te prender na leitura e te matar de tanto rir, e ao mesmo tempo ser mais teologicamente forte do que qualquer outro livro sobre o tema. Como ele consegue isso eu não faço a menor ideia, mas funcionou perfeitamente comigo. Esse livro me despertou para a oração, e a partir dali minha “vida cristã” começou de fato.


6º Azenilto Brito


Azenilto Brito deve ser o nome menos conhecido dessa lista, mas com certeza é o mais conhecido se você costuma participar de debates teológicos em grupos e fóruns na internet. Ele é praticamente onipresente ali – desde a época do Orkut, passando pelos mais diversos tipos de fóruns e agora no facebook. Por onde você entra, você encontra Azenilto Brito debatendo com alguém, com suas dezenas de perguntas e desafios sem resposta. Brincadeiras à parte, Azenilto é uma figura que eu respeito e admiro profundamente. Eu via ele e sua esposa Clelia (o casal da foto), embora já idosos, debatendo juntos no Orkut e refutando todo mundo, o que me servia de inspiração (quero ser que nem eles daqui 50 anos!).

Mas a razão principal pela qual Azenilto consta nessa lista é que ele foi uma peça fundamental na minha transição de imortalista para mortalista, que, como todos sabem, é uma das crenças que eu mais divulgo e defendo. Eu já havia raciocinado e descoberto na Bíblia evidências suficientes de que a imortalidade da alma era uma doutrina bem questionável, mas ninguém muda de doutrina da noite pro dia, pelo menos não em se tratando de algo tão importante e complexo. Eu tinha dúvidas e precisava que alguém as tirasse, principalmente na interpretação de alguns versículos usados (até hoje) pelos imortalistas. E embora haja muitos sites por aí, a maioria é bastante superficial, e outros não existiam no início de 2010, quando isso aconteceu.

Foi então que achei essa página do Azenilto, com 28 artigos que não apenas tiraram todas as minhas dúvidas, como ainda me fizeram um mortalista bastante convicto. Em toda a minha experiência como cristão ao longo de todos esses anos eu não me lembro de me empolgar, me envolver e me impactar tanto com artigos teológicos quanto com esses do Azenilto sobre a imortalidade da alma. Minha vontade ao ler cada um daqueles artigos era aplaudi-los de pé, e foi uma surpresa bem agradável tê-lo encontrado por acaso no Orkut naquela época (embora não tão acaso assim, já que, como eu disse, ele é meio onipresente), como um fã que encontra seu ídolo (no bom sentido).

Hoje eu posso dizer que não existiria “A Lenda da Imortalidade da Alma” sem os artigos do Azenilto Brito. Sem ele eu poderia ser um mortalista, mas não saberia raciocinar logicamente em cima dos textos bíblicos como ele faz com maestria, mostrando as incoerências e inconsistências do lado de lá que podem ser exploradas e ampliadas, que foi o que eu tentei fazer no meu livro. Até então a minha capacidade de interpretar textos bíblicos era bem limitada, e com ele minha mente se abriu para raciocínios lógicos em torno dos textos, o que me ajudou muito não apenas na questão da alma mas em toda a teologia – o que amplia o impacto da leitura dos seus artigos para bem além da questão da imortalidade em si, e justifica a sexta colocação.

De certo modo, Geisler e Azenilto são complementares: o primeiro me ensinou a pensar logicamente, e o segundo a trabalhar textos bíblicos logicamente (uma vez que Geisler costuma ser mais “sistemático” do que “exegético”).


7º William Lane Craig


Este deve ser o nome mais óbvio da lista, e o único que deve ser unanimidade se eu pedir aos leitores do blog fazerem suas próprias listas. Ele só não consta entre os primeiros nomes porque quando eu o descobri já tinha uma boa base sobre ateísmo através principalmente do Geisler (já mencionado), mas mesmo assim serviu de grande influência e foi um dos que mais impactaram minha vida cristã. Em termos de oratória, Craig impressiona e supera qualquer um que eu tenha conhecido, e seus debates com ateus geralmente costumam terminar assim:




É importante destacar que embora William Lane Craig seja mais conhecido pelos seus vídeos e debates, ele também tem bons livros, especialmente o “Em Guarda” e o “Apologética para questões difíceis da vida”. Você também pode acompanhar seus artigos e resposta a leitores em seu site, clicando aqui, e seu canal no youtube, aqui.


8º Ivan Lins

(Não encontrei uma foto nítida do autor, então vai do livro mesmo)

Este é o primeiro autor que não está aqui por teologia, mas sim por meu outro campo de conhecimento, a história. Eu devo confessar que tenho certo preconceito com autores antigos, porque a linguagem é geralmente mais enfadonha e com termos obsoletos (a Bíblia é uma exceção porque as traduções a modernizam e a mantém “atualizada” para os dias de hoje, mas aqui estamos falando de livros que nunca passaram da primeira edição). Ivan Lins não é tão antigo assim, embora na época em que escrevia (na década de 30) a linguagem e o estilo ainda eram bem diferentes, mas Lins compensa isso com uma abordagem e personalidade fascinantes, que me estimularam a gostar de história.

Este autor despertou meu interesse por história da mesma forma que Subirá e Sheets pela vida cristã e Geisler pela teologia. Seu livro “A Idade Média: A Cavalaria e as Cruzadas” está longe de ser apenas um apanhado de fatos históricos sobre as Cruzadas, sendo antes uma visão geral que vai desde a História Antiga até a Idade Média, suscitando muitas informações e fatos que vão muito além do convencional.


9º Paul Washer


Este é outro nome que deveria dispensar comentários, pois já deve ser bem conhecido por todos. Paul Washer é um dos melhores e mais lúcidos pregadores que já vi, cuja diferença para os pregadores comuns é bastante perceptível bastando apenas assisti-lo. É um pastor altamente esclarecido e focado na mensagem da cruz, no que consiste o verdadeiro evangelho. Embora nessa época eu já tivesse uma compreensão do evangelho genuíno, é impossível não se impactar com as suas mensagens. Segue abaixo algumas:





10º Jacques Le Goff


Le Goff é considerado por muitos o maior historiador do século passado, cuja importância neste campo é imensurável, e seus trabalhos são amplamente reconhecidos academicamente. Para quase tudo o que eu pesquisava havia um livro de Jacques Le Goff abordando o assunto, especialmente sobre medievalismo, sua área de especialidade. Em qualquer biblioteca que eu ia me deparava com muitos livros de Le Goff, o que me ajudou muito a escrever meus livros sobre Cruzadas, Inquisição e Reforma, e para entender a vida naquela época de uma forma geral. Tanto em quantidade como em qualidade, é uma leitura indispensável para quem tem interesse em estudar os assuntos a sério, em vez de acreditar no primeiro palpiteiro de internet que aparece por aí vomitando abobrinhas sem nenhuma fonte.


Menções honrosas

Naturalmente, seria impossível colocar neste espaço todos os que já influenciaram minha vida de uma maneira ou de outra (seja com um livro importante, ou ampliando a capacidade de raciocínio lógico, ou de qualquer outra forma), por isso vou listar apenas os que mais influenciaram, mesmo ciente de que com toda a certeza vou me esquecer de alguns nomes importantes. Dessa vez eu não me importei em citar por ordem de influência, apenas fui listando os nomes conforme me vinham à mente. Vamos a eles.

Menções honrosas: Edir Macedo, Agenor Duque, Apóstolo Valdemiro, Apóstola Sol, Estevam e Sônia Hernandes, Mike Murdock, Morris Cerullo, Kenneth Hagin, Inri Cristo, Astrolavo de Carvalho... ops, essa é a lista errada. Agora a certa: C. S. Lewis, John Piper, Ed René Kivitz, Rodrigo Silva, Dinesh D’Souza, Alister McGrath, Paulo Júnior, Leandro Quadros, Carter Lindberg, Frank Turek, T. M. Lindsay, Anita Novinsky, André Maurois, Samuele Bacchiocchi, Keith Thompson, Hugo (do site “Conhecereis a Verdade”), Luciano Ayan, Gyordano Montenegro, Alon Franco, Carl Grimberg, José Pijoán, Roger Olson, Marlon Ronald Fluck, Antônio Renato Gusso, Snowball (do velho e bom “Quebrando o Encanto do Neo-Ateísmo”), Hilário Franco, Clarion de Laffalot, Pipe Desertor, Adauto Lourenço, Afonso Vasconcelos Lopes e Richard Dawkins (afinal se não fosse por ele não existiria meu livro de refutação).

Se você quiser fazer sua própria lista ou simplesmente atacar a minha, fique à vontade para deixar um comentário.

• Compartilhe este artigo nas redes:


Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.

ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)


106 comentários:

  1. Bom dia Amigo Lucas, não esqueceu do Amigo Elisson Freire da Resistencia apologetica.

    Um forte Abraço.

    Marcos Monteiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Elisson é fera mesmo, mas eu não o coloquei na lista pelos critérios que eu expus nos primeiros parágrafos (quando eu o conheci eu já tinha um bom conhecimento sobre catolicismo e já os refutava há muitos anos, então o Hugo que eu conheci mais no começo acabou tendo uma influência bem maior).

      Excluir
  2. Sensacional


    Comecei na Apologética com “Não tenho fé suficiente para ser ateu”, esse livro abriu meus horizontes e me fez aprofundar mais em assuntos sobre a Fé Cristã..

    Um belo dia estava na Livraria Curitiba e vi esse livro na prateleira (na primeira vez eu havia lido apenas o e-book), não pensei duas vezes e comprei, agora estou lendo e fazendo anotações

    Sem sombra de dúvidas o melhor livro de apologética "básica"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, é quase um pecado mortal um cristão interessado em apologética não ler esse livro :)

      Excluir
  3. Banban, por quê você não faz um curso de grego, hebraico e aramaico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada coisa a seu tempo, se eu fosse estudar tudo isso agora eu não teria tempo pra escrever o livro, os artigos, estudar as questões históricas que considero prioridade no momento além da licenciatura em história, aí no final das contas iria aprender tão pouco que não seria útil.

      Excluir
  4. Você pensa em fazer doutorado em teologia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, na verdade eu só não estou fazendo ainda porque a mensalidade é pior que um assalto à mão armada (além de ser em outro estado), mas quando abrir aqui em Curitiba no lugar onde eu fiz o mestrado (e que eles pretendem ter doutorado mais pra frente) eu quero fazer sim.

      Excluir
    2. Lucas, fora do Brasil não é mais fácil não? E concorrer a uma bolsa?

      Excluir
    3. Fora do Brasil é mais caro ainda...

      Excluir
  5. O que você acha do pastor Elias Soares de Morais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No geral acho fraco e sofista.

      Excluir
    2. Você já debateu com ele?

      Excluir
    3. Uma vez no facebook, em 2012 eu acho. Só sabe fugir de um argumento depois que é refutado nele, para depois repeti-lo em um momento posterior. Por exemplo, citava Lucas 23:43, aí eu refutava ele nisso, aí ele fugia para outro "texto imortalista", aí eu refutava isso também, aí corria pra outro, e depois de um tempo já estava voltando para Lucas 23:43 de novo, mesmo sem refutar refutação nenhuma. Fraquíssimo mesmo, um dos piores com quem já debati.

      Excluir
    4. "um dos piores com quem já debati"

      E quem foi o melhor?

      Excluir
    5. O Pipe, o Tourinho e o Subirá (este sobre pré-tribulacionismo) se saíram bem, demonstraram possuir um bom conhecimento nos temas.

      Excluir
    6. Você debateu sobre o que com o Pipe?

      Excluir
    7. Sobre imortalidade, foi pouco depois da minha mudança de crença. Mas eu já via muitos debates dele sobre outros assuntos com outras pessoas e ele sempre se saiu muito bem.

      Excluir
  6. Oi Lucas,vc à época me marcou,eu salvei sua lista:1. Norman Geisler.
    2. Frank Turek.
    3. Samuelle Bacchiocchi.
    4. C. S. Lewis.
    5. William Lane Craig.
    6. Roger Olson.
    7. Daniel Mastral.
    8. Dutch Sheets.
    9. Azenilto Brito.
    10. William Webster.
    11. Laurence Vance.
    12. João Calvino.
    13. Ivan Lins.
    14. Keith Thompson.
    15. Daniel Wallace.

    A minha é: John Stott,F.F. Bruce,Oscar Cullmann,Paulo Romeiro,Lucas Banzoli,Craig Evans,William Lane Craig,Daniel Wallace,Wilson Paroschi,Rodrigo Silva,Norman Geisler,Marcos Eberlin.

    Abraços.

    Marcelo Dornelas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vlw Marcelo, havia me esquecido mesmo. Abs!

      Excluir
  7. É verdade que Irineu cria que Maria é a nova Eva? Ou é mais uma mentira católica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Nova Eva" era apenas uma analogia, nada a mais que isso. Eva quando teve a chance comeu o fruto proibido, enquanto Maria por antítese aceitou sua missão de dar à luz ao Messias. Não se trata aqui de endossar qualquer dogma mariano católico (os quais Irineu e os de sua época desconheciam completamente e ensinavam o oposto), mas apenas de trabalhar mediante analogias e exemplos bíblicos como muitos pregadores fazem até hoje nas mais diversas ocasiões como recurso didático.

      Excluir
  8. Banzomito, o judaísmo messiânico ensina o mortalismo ou o imortalismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí vai depender do "judeu messiânico" em questão, já vi uns que defendiam uma coisa e outros que defendiam outra, mas como eu sempre digo, o judaísmo moderno (seja "messiânico" ou não) não é um bom referencial, tem judeu que crê até em reencarnação pra você ver onde a coisa chegou. O que devemos fazer é buscar em fontes antigas ou confiáveis a crença dos judeus da época do AT (no meu livro eu mostro como a própria Enciclopédia Judaica reconhece que os judeus da época não acreditavam em imortalidade da alma, à qual tiveram contato no período da diáspora).

      Excluir
    2. Podemos considerá-los como irmãos na fé?

      Excluir
    3. Lucas, você não acha estranho os judeus no período intertestamentário endossarem o imortalismo e não terem essa crença censurada explicitamente?

      Excluir
    4. "Podemos considerá-los como irmãos na fé?"

      Depende, tem alguns que negam crenças cristãs básicas como a trindade e neste caso não podem.

      "Lucas, você não acha estranho os judeus no período intertestamentário endossarem o imortalismo e não terem essa crença censurada explicitamente?"

      Deveriam, mas viam isso como uma "evolução" do pensamento, da mesma forma que a ICAR com a tese do "desenvolvimento da doutrina", que no final resulta em um monte de doutrinas novas, heréticas e antibíblicas.

      Excluir
  9. Lucas queria uma ajuda sua estou frequentado uma congregacional da minha cidade. Tem algum problema eu sendo mortalista congregar ou ser batizado nela??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhum problema, desde que a igreja seja autenticamente cristã nos pontos fundamentais para a salvação. Abs!

      Excluir
  10. Assista aí Lucas. Veja que "prova" irrefutável de que Maria é mãe de Deus rsrsrs.

    https://www.youtube.com/watch?v=yqB_wzR_xAk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu Deus, só de olhar pra cara desse sujeito já é insuportável, imagine ouvir cinco minutos de "argumentos"...

      Excluir
    2. Verdade, meu peixe rsrs.

      Excluir
  11. Porque o Olavo xinga tanto o Papa Francisco?É porque ele contradiz a imagem que o Olavo quer passar da ICAR?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É porque ele se considera o único Mestre Supremo e Dono da Razão, e então qualquer outro líder infalível é inerentemente um "concorrente". Olavo não quer levar seus seguidores ao catolicismo romano, mas sim à sua própria seita católica onde ele é o único líder infalível.

      Excluir
  12. Você já leu esse livro? Se sim, o que achou?

    http://elshaddai.com.br/livro/a-soberania-banida/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço esse livro não.

      Excluir
    2. Dizem que é um dos melhores livros na crítica ao arminianismo. O autor possui bons argumentos. Está disponível em PDF.

      Excluir
  13. Isso aqui é um recado para um católico irresposavel que anda dizendo por aí que em 1 Corintios 9:5 houve uma adulteração protestante alterando "mulher irmã" para "esposa crente".

    Como ele entende que Pedro ficara viuvo, logo o texto não pode de forma alguma estar fazendo referência à esposa de Pedro, mas sim a uma irmã crente que o acompanhava em suas viagens

    "Acaso não temos nós direito de deixar que nos acompanhe uma mulher irmã, a exemplo dos outros apóstolos e dos irmãos do Senhor e de Cefas?" 1 Coríntios:9:5 Tradução Ave Maria.

    O problema está no grego, que trás as palavras (γυναῖκα/gynaika) para 1 Corintios 9:5. O significado é mulher/esposa cristã, não apenas uma irmã cristã.

    Compare

    "Geralmente se ouve que há entre vós imoralidade, imoralidade que nem mesmo entre os gentios se vê, a ponto de haver quem vive com a mulher (γυναῖκα/gynaika) de seu pai", 1 Coríntios:5:1

    "Joana, mulher (γυναῖκα/gynaika) de Cuza, procurador de Herodes, Susana, e muitas outras que os serviam com os seus bens", Lucas:8:3

    "Lembrai-vos da mulher(γυναῖκα/gynaika) de Ló", Lucas:17:32

    "Pois Herodes havia prendido a João, e, maniatando-o, o guardara no cárcere, por causa de Herodias, mulher (γυναῖκα/gynaika) de seu irmão Felipe", Mateus:14:3

    "Pois João dizia a Herodes: Não te é lícito ter a mulher (γυναῖκα/gynaika) de teu irmão", Marcos:6:18

    Não temos nós direito de levar conosco uma mulher irmã (γυναῖκα/gynaika) como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas?" 1 Coríntios:9:5

    E, projetando ele isso, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher (γυναῖκα/gynaika) , pois o que nela se gerou é do Espírito Santo", Mateus:1:20

    Alon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa interpretação ridícula e grotesca que eles fazem de 1 Coríntios 9:5 já foi totalmente refutada neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/11/as-biblias-protestantes-adulteraram-1.html

      Excluir
    2. É hilariante/deprimente ver católicos fazendo "exegese" pra validar suas crenças.

      Excluir
    3. Tá mais pra "exejegue" mesmo.

      Excluir
  14. Amigo Banzoli, praticar yoga, meditação, técnicas de respiração é pecado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode não ser pecado propriamente dito, mas pelas influências que tem, é melhor se evitar:

      https://www.respostas.com.br/um-cristao-pode-fazer-yoga/

      Excluir
  15. Recentemente eu estava vendo um vídeo no Youtube de uma mulher cristã que estava falando sobre as lutas e guerras espirituais que ela estava tendo em sua vida, e, em determinado ponto do vídeo, ela disse que era para as meninas tomarem cuidado com os caras com os quais elas se relacionam, pois a mulher do vídeo acredita que seja possível, nos dias atuais, a existência de seres humanos ímpios iguais os gigantes do passado. Ela disse que acredita que, como no passado, os anjos caídos tiveram relações com mulheres humanas, que isso poderia acontecer nos dias atuais. Esse tema é bem complexo, mas assim, na minha cabeça já pensei na possibilidade desses anjos caídos terem se transfigurado em seres humanos para poderem enganar as mulheres e terem relações com elas a fim de gerar outra espécie (que no caso seria má). Bom, não sei se deu pra entender, mas você acha que o conselho dessa youtuber seja válido para os dias atuais? E também, você acha que é possível que demônios se transfigurem para terem relações com mulheres a fim de gerar uma outra raça impura (fora do plano original de Deus)? Só pra finalizar, é claro que todos os seres humanos são pecadores, mas eu acredito que existem sim seres humanos mais ímpios do que outros, e pelo nível de pecado deles, a maioria está sujeita a condenação (como os cananeus, no mundo antigo), acredito também que pra eles não há possibilidade de salvação (não porque Deus não queira), mas porque esses povos convivem com tradições e costumes tão ímpios, que advém inclusive dos seus antepassados, que só Deus mesmo para salvar (e mesmo que Deus salve 1 desses que pertencem a grupos ímpios, como sei lá, os pagãos nórdicos, a maioria estaria condenada. Deus salvou Abraão que não nasceu em berço cristão e viva em culturas pagãs, mas a maioria pereceu). Eu acredito sim que existam grupos humanos que são mais inclinados para o mal do que outros - muitos dizem que eles advém da tribo de Dã- (cometem vários pecados conscientemente - diferente dos eleitos, que mesmo pecando, buscam se santificar - e que como é um grupo humano muito caído, poucos estariam aptos a serem salvos). Olha é bem difícil explicar isso, mas tentei falar o máximo do que estava na minha cabeça para ver se dava pra entender, espero que você tenha entendido. E assim, esse paganismo do passado existe ainda nos dias atuais de uma forma MUITO forte, inclusive muitos difundem ideias pagãs no Youtube (vou deixar o link só para você ver, mas não aconselho a ver esses vídeos porque falam só sobre paganismo, é só estou deixando o link para comprovar o que estou dizendo: https://www.youtube.com/results?search_query=paganismo
    Pode descer a aba até em baixo, e você vai ver um monte de meninas falando sobre paganismo e bruxaria. Tem outros vídeos piores no Youtube também sobre "wiccas" (doutrina pagã a qual várias mulheres ensinam no Youtube, com muitas doutrinas que Deus não aprova). Então eu realmente acredito que existem certos povos pagãos nos dias atuais que vão perecer igual no mundo antigo, e só pela graça de Deus poucos serão salvos. Pra mim, eles são sim mais inclinados ao mal do que muitos outros, porque se envolvem com coisas que são mais impactantes no mundo espiritual do que uma simples mentira, ou preguiça, por exemplo. Eu sei que pra Deus não existe pecadinho e nem pecadão, mas eu acredito que existem certas práticas pecaminosas que influenciam mais no mundo espiritual no que outras, por exemplo, paganismo, bruxaria, feitiçaria, prostituição, e isso atrai inclusive forças do mal na vida da pessoa, muito mais do que uma mentira qualquer). Enfim acho que deu pra entender.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lucas.
      Sem querer ofender ou ridicularizar o amigo da pergunta ou a mulher do vídeo (não assisti e nem tenho interesse) mas pra mim, a priori, a idéia parece absurda. Senão vejamos: bastaria os supostos demônios se materializassem em belas mulheres irresistíveis que o trabalho ficaria mais fácil e rápido. Os casamentos dariam lugar aos divórcios e o planeta passava a ser Sodoma e Gomorra. Além de improvável, um evento dessa natureza apenas confirmaria o que o mundo, depois da queda, SEMPRE foi: um lugar maldades, Gêneses 3,17-19.

      Excluir
    2. Eu não creio que o episódio de Gênesis 6:1-4 possa ser repetido nos dias de hoje, da mesma forma que não creio que um anjo do céu possa se rebelar hoje em dia contra Deus igual "Lúcifer" fez lá atrás. Tanto é que Deus os encarcerou em "prisões eternas até o dia do juízo" (Jd 6) justamente para que este ato não pudesse ser repetido. Portanto esse tipo de medo eu acho injustificável, embora para que se tenha cuidado em relacionamentos não é preciso que se trate de demônios. Em relação a pessoas que cometem mais maldade do que outras eu concordo, inclusive eu concordo com a própria terminologia de "pecadinho" e "pecadão". Veja Jesus por exemplo que disse que "aquele que me entregou a ti PECADO MAIOR tem" (Jo 19:11). Ambos são pecados, mas um tem uma gravidade maior que o outro, só o que não pode é se acomodar aos "pecadinhos" como se fosse coisa pequena e boba, porque qualquer pecado por "menor" que seja pode levar ao vício e conduzir uma pessoa ao inferno.

      Excluir
    3. Lúcifer não se rebelou conta Deus. No início do cristianismo, havia São Lúcifer que foi um bispo católico. O fato da mãe dele tê-lo batizado significa que os primeiros cristãos não correlacionaram o nome Lúcifer a Satanás.

      Excluir
  16. Lucas, o dr Rodrigo Silva reconhece publicamente que seus mestrados, doutorados foram custeados pela igreja dele, a adventista e por isso alguns adventistas o criticam e ele já andou se estranhando com esse pessoal. Citando o caso apenas para ilustrar algo que me parece bastante corriqueiro, eu te pergunto: você acha correto a igreja custear o estudo dos pastores? E você? aceitaria ter seu doutorado custeado por sua igreja? Esse direito deve ser restrito ao clero? Ou deve ser estendido aos leigos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho muito bacana essa ideia da igreja custear os estudos teológicos de alguém (especialmente em se tratando de um líder na igreja) em vez de encher os bolsos de um pastor para comprar carrão, casa na praia e etc, igual vemos por aí, infelizmente, em muitos lugares. Mas isso vai depender é claro das condições financeiras da igreja e também da impossibilidade do indivíduo custear do próprio bolso.

      Excluir
  17. Eu particularmente gosto do Olavo, mas estou muito distante de ser um olavete fanático. Ele possui muito conhecimento, embora seja um pouco conspiracionista e fale besteiras sobre o protestantismo. Sobre outras figuras que eu admiro, estão na lista gente como o pr Carlos Augusto Vailati, que possui uma oratória invejável e um conhecimento teológico formidável; admito bastante o Ben Shapiro, que é um debatedor político muito bom que cala qualquer esquerdista; Também admiro pessoas como alister McGrath, que um teólogo e cientista formidável; e sou um fã do filósofo Alvin Plantinga, que dispensa quaisquer comentários.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Vailati é muito bom mesmo, só não constou na minha lista porque não cheguei a ler um livro dele, mas gostei de todos os debates dele no Vejam Só.

      Excluir
  18. Lucas, você algum artigo que refute esses que irei colocar?

    Link do primeiro artigo:http://portalconservador.com/apologetica/martinho-lutero-os-absurdos-pregados-pelo-pai-do-protestantismo-evangelico/

    Link do segundo artigo: http://portalconservador.com/apologetica/como-se-expandiu-a-reforma-protestante/

    Link do terceiro artigo: http://portalconservador.com/apologetica/a-inquisicao-protestante-pelo-historiador-protestante-philip-schaff/


    São todos do mesmo site, gostaria que desse uma analisada e se possível me enviasse links de refutação a tais.

    É só isso mesmo Lucas, Deus abençoe você e a sua família.

    Graça e Paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O primeiro é um apanhado geral de difamações e calúnias contra Lutero. Estes artigos vão ajudar:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/refutando-calunias-contra-martinho.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/12/refutando-calunias-contra-martinho.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/03/descubra-origem-das-calunias-papistas.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/03/como-um-apologista-catolico-desonesto-e.html

      O segundo é um compilado de calúnias sobre a Reforma em seus primórdios. Quando a isso você pode ver refutado em:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/04/refutando-todas-as-calunias-catolicas.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/04/henrique-viii-reformador-protestante-ou.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/03/conheca-o-tribunal-de-sangue-que.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/03/entenda-tudo-sobre-o-massacre-da-noite.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/03/o-massacre-de-vassy-inicio-das-guerras.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/02/a-reforma-protestante-na-franca-de.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/02/calvino-era-um-ditador-sanguinario-que.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/02/lutero-foi-um-genocida-que-matou.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/08/breve-refutacao-dez-calunias-catolicas.html

      O terceiro é uma distorção do próprio Schaff que jamais falou que existiu uma "Inquisição protestante", cujos fatos foram explicados aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/02/o-protestantismo-e-o-culpado-pela.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/02/lutero-foi-um-genocida-que-matou.html

      Abs!

      Excluir
    2. Lucas, quando vai estar pronto o seu livro sobre a reforma protestante? Eu estou ansioso para ler e ver vc refutando todas as calúnias contra Lutero.

      Graça e Paz.

      Excluir
    3. Acho que dentro de um mês. Abs!

      Excluir
    4. Lucas, tava recentemente no blog do Elisson "Resistência Apologética", e vi um hanghout entre você o Elisson, tinha mais duas meninas la também, e por incrível que pareça tava la tbm o BERNARDO daquele canal "Bernardo P. Kuster". Por acaso, tú e o Elisson, já foram mais próximos do Bernardo? Pois pelo que eu saiba ele é Católico hj, o que aconteceu?

      Excluir
    5. Próximos não (pelo menos não eu), eu só o conhecia por aquele hangout mesmo (e por um dia de conversa anterior ao hangout), mas ele perceptivelmente nunca teve conhecimento bíblico, histórico ou teológico das coisas e tampouco essa era a área dele (e continua não sendo), tudo o que ele sabe é sobre estratégia política, comunismo, aborto e temas afins. É mais um olavete fanático e como todo olavete fanático aderiu ao catolicismo também, porque o Mestre que seguem está longe de ser Jesus, mas um guru da Virgínia.

      Excluir
  19. Luciano Ayan? Mesmo? Acho os textos dele mal escritos, ele é fanático pelo ceticismo, e o ceticismo, como o dele, é facilmente refutável e ele inventa algumas análises para refutar falácias que ele julga ser o "must", mas em geral tem diversas brechas e furos. Você, por exemplo, escreve muito melhor e não deixa brechas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano Ayan é o que melhor desmascara as técnicas esquerdistas com mapeamento sistemático de fraudes. Não apenas foi muito útil em se tratando da política em si, mas também serviu de inspiração para mapear fraudes em outros campos, como a própria apologética católica. Mas respeito sua opinião.

      Excluir
    2. E o Clarion de Laffalot?
      Do pouco que vi, tb comete falácias, inclusive chega a ridicularizar (não apenas fazer humor) com temas que desconhece.

      Excluir
    3. É verdade, mas ele é o ateu que mais sabe contra-argumentar logicamente a respostas-clichês de crentes comuns e até de parte da apologética moderna, o que nos leva (ou pelo menos a mim) a aprimorar os argumentos apologéticos na defesa da fé, o que é essencial para a evolução da apologética e da consciência cristã. É preciso tirar de mente essa ideia de que só é útil quem está do nosso lado, muitas vezes aprendemos mais com o "inimigo" do que com o "amigo", pois o "inimigo" nos leva geralmente refletir e aprimorar mais o nosso próprio lado.

      Excluir
  20. Lucas como evangelizar a alguém que diz que fornicação não é pecado ao dizer que no final o Deus de amor não é tão vingativo assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cite este texto:

      Quem rejeitava a lei de Moisés morria sem misericórdia pelo depoimento de duas ou três testemunhas.
      Quão mais severo castigo, julgam vocês, merece aquele que pisou aos pés o Filho de Deus, que profanou o sangue da aliança pelo qual ele foi santificado, e insultou o Espírito da graça?
      Pois conhecemos aquele que disse: "A mim pertence a vingança; eu retribuirei"; e outra vez: "O Senhor julgará o seu povo".
      Terrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo!

      (Hebreus 10:28-31)

      Excluir
  21. Olá Lucas Banzoli! Como vai? Espero que bem. Gostaria de fazer uma pergunta um tanto mais politica: Atualmente, Israel não é (até hoje) considerado um país pela Palestina; por outro lado, muitos países reconhecem Israel como um país livre. Agora eis a questão: quem está certo? Em minha opinião, Israel deveria ser considerado sim um país por motivos históricos, e se não me engano, Abraão comprou essas terras para si e sua descendência; não sei dizer como era as "clausulas" de compra daquela época.

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Israel é um país sim porque assim é reconhecido pela ONU (se os palestinos não aceitam isso, isso não muda nada, da mesma forma que se o Brasil deixasse de reconhecer amanhã a Argentina como nação a Argentina não deixaria de ser uma nação só por causa dessa teimosia do Brasil). Mas essa foi uma decisão tomada há 70 anos atrás, não tem por base Abraão (mesmo porque a ONU desconsidera registros bíblicos para este tipo de coisa), sem falar que Abraão teve dois filhos e um deles (Ismael) é de onde descendem os árabes atuais. A decisão teve por base duas coisas: primeiro, porque foi nessa região que historicamente os judeus sempre se estabeleceram (até serem expulsos pelos romanos), e segundo (e mais importante) porque a onda de ódio e preconceito contra os judeus era muito forte na época (foi logo depois de Hitler exterminar seis milhões deles), então a ideia era criar um território para os judeus onde eles fossem protegidos desse tipo de perseguição selvagem e desumana, assim os judeus não precisariam continuar fugindo pra lá e pra cá, pois teriam um Estado para eles. Aí decidiram criar o Estado de Israel, o que só achariam viável se fosse no mesmo local histórico de sempre, caso contrário dificilmente os próprios judeus aceitariam a ideia ou se se identificariam com a causa. Abs!

      Excluir
  22. Só uma pergunda Lucas Paul Washer é calvinista?

    ResponderExcluir
  23. Lucas, o que você acha do Jonas Madureira e do Marcos Granconato ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O primeiro não conheço bem. O segundo é um excelente debatedor, um dos melhores que já vi, embora doutrinariamente eu discorde de um monte de coisa.

      Excluir
  24. Respostas
    1. Fique à vontade para fazer sua própria lista.

      Excluir
    2. Yancey? Philip Yancey? Excelente escritor. Um dos melhores que eu conheço. Além dele indico Gordon McDonald.

      Excluir
  25. Lucas, como nós devemos entender a injustiça, a violência e o aparente silêncio de Deus?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O erro é partir do pressuposto de que DEVE haver justiça nesta presente vida. A justiça está reservada para os novos céus e nova terra, onde não haverá mais mal algum e reinará a paz, é ali que Deus julgará os povos e determinará a cada um a sua sentença pelos atos cometidos em vida, o "agora" é apenas a fase do "teste", onde cada um é livre para praticar o que achar mais conveniente (seja para o bem ou para o mal), ao qual arcará com as consequências mais tarde. É como uma sala de aula cheia de alunos fazendo a prova, enquanto eles estão fazendo a prova as condições são iguais, cada um é livre para acertar ou errar as questões, mas depois que o professor corrigir aí isso acaba (o aluno bom é aprovado e o mal aluno é reprovado). Mas se os alunos não tivessem como errar as questões não haveria como ser aprovado, já que essa aprovação seria automática, nem como ser reprovado - a própria prova seria sem sentido.

      Excluir
  26. Lucas, é pecado jogar na loteria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não considero pecado, apenas burrice (e até onde eu sei, burrice não é pecado). Mas se isso se tornar um vício, aí é pecado como qualquer outra prática viciosa.

      Excluir
  27. Oi, gostaria de saber se v. conhece o autor Matthew McGee e o que pensa da tese que ele defende neste longo ensaio (praticamente um livro), em especial a tese que haveria um "Evangelho do Reino", destinado apenas a Israel, e um "Evangelho da Graça", destinado aos gentios.
    http://www.matthewmcgee.org/2gospels.html

    [ ]s

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não concordo muito com essa tese, embora concorde com aspectos dela. De fato, Deus tinha um propósito para Israel se aceitasse Jesus como o Messias e mesmo depois da rejeição Ele continua tendo um propósito reservado para o fim dos tempos, mas é errado inferir que existem "dois evangelhos", o evangelho é um só e o meio para a salvação é um só, caso contrário os judeus nem precisariam se converter para serem salvos, bastaria cumprir toda a lei de Moisés. Também não concordo com o quadro das "sete dispensações", e não vejo sentido em se falar do "estado do ministério após o templo ser destruído em 70 d.C" quando todos os textos que ele usa são de antes de 70 d.C. O evangelho da graça não entra em vigor apenas depois da destruição do templo, mas imediatamente após a morte e ressurreição de Cristo, ainda que em um primeiro momento os discípulos não tenham compreendido isso muito bem e tenham insistido em anunciar o evangelho apenas aos judeus. Abs!

      Excluir
    2. OK, muito grato !

      Um abraço.

      Excluir
  28. Aqui vai minha lista:

    1- Norman Geisler
    2- Ravi Zacharias
    3- William Lane Craig
    4- Frank Turek
    5- C. S. Lewis
    6- Lucas Banzoli
    7- John Stott
    8- Edson de Faria Francisco
    9- Augustus Nicodemus Lopes
    10- Paul Washer
    11- Daniel B. Wallace
    12- Wilbur N. Pickering
    13- R. Laird Harris
    14- Gleason Archer
    15- Bruce Waltke
    16- Rodrigo Silva
    17- John Lennox
    18- Alister McGrath
    19- Lee Strobel
    20- Michael Behe

    ResponderExcluir
  29. Lucas, poderia analisar esse vídeo do Conde? E se possível me envie um artigo de refutação.

    Link do vídeo: https://youtu.be/368JYgC_MwQ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe mas eu não vou clicar nesse tipo de material, recentemente você me indagou sobre outros vídeos e eu respondi que não assisto material de gente baixa, imoral, suja e rasteira, sem um mínimo de dignidade ou respeito próprio. Se há algum argumento em particular que lhe tenha despertado algum interesse, sinta-se à vontade para transcrevê-lo aqui que eu respondo sem problemas, mas não vou perder tempo vendo algo asqueroso como isso.

      Excluir
    2. Só os católicos dão moral pro conde. Ele é considerado fraco e extremamente mal-educado até por ateus, que tem um senso moral bem baixo.

      Excluir
  30. Anônimo do Avalie9 de maio de 2018 22:10

    Avalie: https://youtu.be/2ByyDcdMKCA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo com boa parte do que ela disse, mas não da forma como disse e muito menos com o diagnóstico das razões apresentadas para o problema. Sim, existem muitos homens cafajestes, e com certeza a vida de uma mulher não deve ser fácil, mas do jeito que ela fala fica parecendo que todo homem é um monstro e toda mulher é uma santa, o que é absurdo. Também é absurdo o fato dela incentivar o "meu corpo, minhas regras", o "fazer o que quiser da minha vida e do meu corpo" e consequentemente a sexualização da mulher como ocorre na mídia, e depois reclamar que os homens veem as mulheres de uma forma sexualizada e "machista". Há cem anos atrás os homens não eram assim, havia muito mais cavaleirismo, os homens abriam a porta para as mulheres no carro, beijavam a mão das damas de uma forma respeitosa, não vinham pra cima das mulheres como numa "disputa por carne" em balada (que também não existia, assim como bailes funk e coisas do gênero), ou seja, as mulheres eram bem mais respeitadas. O que mudou de lá pra cá? Não foi que os homens de repente decidiram ficar cafajestes do nada e sem explicação nenhuma, mas sim porque a ideologia feminista começou a surtir efeito e as mulheres começaram a querer ficar "putas" com o perdão da palavra, inclusive a "Marcha das Vadias" é apoiada pelas feministas (e elas próprias se declaram feministas), ou seja, elas se consideram vadias e tem orgulho disso, mas se algum homem as trata como vadias aí o homem que é um malvado cafajeste e etc.

      O feminismo conseguiu tornar as mulheres (óbvio que não todas, mas parte delas) em algo sem valor nenhum, e ninguém valoriza o que não tem valor. Conseguiu tirar delas o respeito e a dignidade, elas próprias não se valorizam e nem se dão ao respeito, por isso os homens as tratam do jeito que eles entendem que as mulheres querem ser tratadas. Voltando à polêmica da balada, por que ela acha que os homens tratam as mulheres assim nesse meio? Não é só porque os homens são "cafajestes", mas porque eles SABEM que a maioria das mulheres está lá justamente para isso, que gostam de serem abordadas assim, e muitas querem aquilo mesmo, é ingenuidade pensar que só o homem vai pra balada pra "pegar mulher" e que a mulher está ali só "de boa". Se as mulheres se dessem ao respeito, os homens perceberiam essa mudança de comportamento, veriam que esse modus operandi já não funciona mais com elas e mudariam de postura, mas as coisas continuam do jeito que estão por culpa justamente do feminismo que mudou a mentalidade das mulheres para uma postura bem mais liberal que explica a mudança de comportamento dos homens em relação a elas.

      Excluir
    2. Anônimo do Avalie10 de maio de 2018 18:42

      "cavaleirismo" o certo não é cavalheirismo?

      Excluir
  31. Lucas,2Co 4:16 e 2Co 5:1-10 parece tratar de uma alma imortal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 2Co 5:1-10 eu expliquei aqui:

      http://desvendandoalenda.blogspot.com.br/2013/08/partir-e-estar-com-cristo.html

      2Co 4:16 o Leandro explicou aqui:

      https://www.youtube.com/watch?v=-QX43HeVpns&index=11&list=PLiQIyzS4HZ8xN5p669QAuOVUeXooRvonH

      Excluir
  32. Lucas, peço licensa para reproduzir aqui uma resposta que enviei para um adventista que estava tentando validar o sábado citando o versículo onde é dIto que "Jesus entrou na sinagoga no sábado como era seu costume".

    Ele enfatizava a presença de Jesus numa sinagoga em dia de sábado apenas tentando convencer o leitor que Jesus guardava o sábado.

    Queria apenas colocar aqui minha resposta, pois acredito que pode desfazer um engano que já afetou até os não adventistas.

    La vai

    "... Jesus entrou numa sinagoga em dia de sábado porque ele era um judeu observador da lei.

    Ele curou um leproso e lhe disse que ele fosse ao templo oferecer a oferta de Moisés (Mt 8:1-4).

    Jesus observava a lei. Ele veio cumpri-la. Era o tempo da lei. Ele foi curcuncidado ao oitavo dia. Quando ele fez 40 dias de nascido sua mãe voltou ao templo para oferecer a oferta pelos dois (Lucas 2:24).

    Eles ainda estavam vivendo nos tempos do Velho Pacto. Mateus, Marcos, Lucas e João ainda é Velho Testamento.

    O Novo Testamento não teve início com o nascimento de Jesus, mas com sua morte:

    Pois onde há testamento, necessário é que intervenha a morte do testador. Porque um testamento não tem força senão pela morte, visto que nunca tem valor enquanto o testador vive (Hb 9:16,17).

    ALON

    ResponderExcluir
  33. Lucas vc conhece o pastor Kleber Gonçalves? Ele é adventista o q vc acha dele? Estou assistindo uma série dele no YouTube q estou gostando muito. O nome da série é:Qual é o seu nome.

    ResponderExcluir
  34. É possível fazer algo em teologia, a não ser escrever artigos ou ser pastor? Quais são as áreas de atuação para quem se forma em teologia? Além dos trabalhos com os artigos, você trabalha com o que?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente teologia é um campo bem limitado mesmo. Não dá pra ser algo a mais do que um professor de teologia ou pastor, por isso que a maioria que cursa teologia faz isso mais pra ganhar conhecimento mesmo. Eu fazia trabalhos de freelancer há um tempo atrás, mas por causa da licenciatura em história e o livro dei um tempo.

      Excluir
  35. Você tem mais artigos que refutem bobagens como Limbo,Purgatório,Seio de Abraão,Sétimo Céu,entre outras?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O limbo não porque o próprio papa já disse que não existe e dispensou a necessidade. "Sétimo céu" é apenas uma teoria especulativa e extrabíblica, não tem como fundamentá-la ou refutá-la para além do fato da Bíblia mencionar apenas três céus. O seio de Abraão eu comento no meu livro sobre a alma e na parte final do vídeo sobre a parábola:

      https://www.youtube.com/watch?v=Y0BxGJo5TIA

      E sobre purgatório, veja estes artigos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/02/refutando-o-comediante-paulo-leitao-i.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/08/o-purgatorio-existe.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/10/o-purgatorio-existe-parte-2.html

      Excluir
    2. E artigos que refutem o Islã, você tem?

      Excluir
    3. Eu ainda não tirei um tempo para estudar o Islamismo a fundo porque ainda não é prioridade (levando em consideração que há menos de 0,5% de muçulmanos no Brasil para converter) então o único artigo que me lembro de ter escrito foi esse aqui:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2015/04/o-cristianismo-e-machista-ele-rebaixa-o.html

      Excluir
    4. Esse eu já li!!! Kkkk

      Excluir
  36. Lucas, você omitiu alguém na sua lista porque se decepcionou ou mudou de idéia mas gostaria de poder citá-la?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não que eu me lembre. Na verdade eu tinha esquecido de citar o Ed René nas "menções honrosas", mas já incluí :)

      Excluir
  37. Buenas, queria saber o que pensas do pregador estadunidense Les Feldick, está me parecendo bom.

    [ ]s

    ResponderExcluir
  38. Lucas, onde vc está congregando atualmente? Por que saiu da comunidade alcance? Abç.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Lucas, onde vc está congregando atualmente?"

      Na comunidade Vineyard.

      "Por que saiu da comunidade alcance?"

      Por causa da distância (cidades diferentes). A que estamos indo agora é bem mais perto de casa. Embora se dependesse apenas da minha vontade pessoal eu continuaria frequentando a Alcance, mas a família preferiu mudar (a atual também é boa, com a mesma visão e tipo de culto da Alcance, mas sem o Subirá rs).

      Excluir

Deixe o seu comentário. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas sobre qualquer assunto são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas comentários desrespeitosos não serão publicados. Confrontamentos e discussões são aceitos, desde que saia do anonimato.