7 de janeiro de 2019

200 A Revolução Francesa nos dá o exemplo perfeito para não ser reacionário e nem revolucionário



Há pouco tempo escrevi um artigo sobre a diferença entre um conservador e um reacionário, mas embora o artigo cite alguns exemplos, este irá complementar com um bem mais ilustrativo: a Revolução Francesa. Todo mundo que tenha estudado conhece a história, mas nunca é tarde lembrar de novo: os revolucionários conquistaram o poder na França, executaram o rei Luís XVI, os jacobinos tomaram as rédeas do movimento e implementaram uma ditadura, o Terror foi instaurado, cerca de 16 a 40 mil pessoas foram assassinadas, e entre elas numerosos monges, padres e freiras. Até mesmo os revolucionários “moderados” foram guilhotinados. Foi literalmente um terror, nome que designa até hoje este período da revolução. E a partir da França, a ideologia ateísta e secular se espalhou pela Europa e continua se espalhando até hoje, causando muito daquilo que apologistas católicos mais desonestos colocam na conta do protestantismo.

Ao ler toda essa descrição dos horrores da Revolução Francesa, devemos concordar que o “ideal conservador” é a França católica pré-revolucionária, certo?

Errado.

O problema dos tradicionalistas que querem transmitir essa ideia é que eles só contam uma parte da história, a que lhes interessa. A outra eles fecham os olhos e fingem que não existe. E essa parte da história que eles não contam é justamente os horrores da França pré-revolucionária, que consegue até superar as atrocidades da França revolucionária. Se você leu o meu livro dos 500 Anos da Reforma você já conhece. Caso ainda não tenha lido, você pode ir direto ao capítulo que aborda a Reforma na França, parte dele transcrito nestes artigos:




Se você não leu nem o livro e nem os artigos, eu peço encarecidamente que leia pelo menos um deles para ter uma mínima noção do que estamos falando aqui. Massacres e mais massacres eram cometidos rotineiramente contra os protestantes, não se poupando ninguém: mulheres, idosos e crianças não-combatentes eram assassinados indiscriminadamente, e seus algozes eram recebidos com festa pelo povo fanatizado nas praças das cidades. Só na Noite de São Bartolomeu, que de acordo com as testemunhas da época resultou no morticínio de 70 mil huguenotes (protestantes franceses) em poucos dias, mais gente foi cruelmente chacinada do que em toda a Revolução Francesa. E quando o papa soube da notícia, comemorou como nunca antes: mandou celebrar um Te Deum no Vaticano, ordenou cunhar uma moeda comemorativa, encarregou Vasari de pintar as trágicas cenas em Paris para eternizar o feito e disse que o massacre lhe valia mais do que cinquenta batalhas de Lepanto. Essa era a França católica pré-revolucionária da qual eles tanto se orgulham.

Os protestantes só deixaram de ser perseguidos depois que foram expulsos, o que aconteceu em 1685, obrigando 300 mil huguenotes a deixar a França com uma mão na frente e outra atrás. E foi nessa “França pura”, totalmente católica e completamente livre de qualquer influência protestante, que nasceu a Revolução Francesa do século seguinte. Você pelo menos deve estar pensando que no aspecto econômico a França católica era mais respeitável. Errou de novo. Foi justamente a opressão severa sofrida pelo povo que resultou na revolução e no sentimento de ódio que se tinha por clérigos e nobres, que formavam as duas classes privilegiadas que não pagavam impostos, sobrevivendo com amplas regalias e mordomias com os impostos da imensa massa popular, impostos esses que se elevavam cada vez mais.

Essa classe desfavorecida que constituía mais de 95% da população carregava sozinha nas costas a Corte mais pomposa e luxuosa da Europa, todos os gastos administrativos do Estado e as Forças Armadas. Para piorar, a França era de longe um dos países mais endividados do mundo, e para resolver esse problema os reis preferiam aumentar os impostos do que cortar gastos. Tanto o clero como os nobres nada produziam e viviam às custas do Estado (i.e, do povo), e, para piorar, grande parte das terras eram improdutivas por serem territórios da Igreja, onde os camponeses (já muito pobres) eram proibidos de cultivar. Para efeitos de comparação, na Inglaterra protestante não havia terras da Igreja, a Corte era muito menos luxuosa, os impostos eram menores e a Câmara dos Lordes não passava de 51 membros no reinado de Isabel.

Até mesmo o padre Cechinato reconhece que quando Luís XVI subiu ao trono da França “o país estava na miséria, devido ao luxo e aos privilégios da nobreza, e o povo andava revoltado com a situação de injustiça e desigualdade”[1] (embora dê muito mais atenção à Revolução em si do que às suas causas, e retrate a Igreja como uma “vítima”). Quando o povo se uniu pedindo uma nova Constituição que poderia corrigir esses abusos, o clero e a nobreza se juntaram contra ele, exigindo 1 voto por estado, ou seja, 1 do clero, 1 da nobreza e 1 do povo (em vez de votos por cabeça). Não é preciso muito esforço para adivinhar que o clero e a nobreza se juntaram contra o povo para fazer um “2x1”, o que levou esses 95% sem direito e nem voz na sociedade a fazerem as coisas pelas próprias mãos, apelando à força e à violência que gerou todos os fatos traumáticos que narrei no primeiro parágrafo. Assim, todo aquele fanatismo antiprotestante dos séculos anteriores foi apenas substituído pelo fanatismo contra o próprio clero e a nobreza opressores.

É este o outro lado que eles não contam: o lado da miséria, dos genocídios, dos privilégios e insensibilidade da nobreza e do clero que provocaram a Revolução que eles tanto detestam – e que hoje se pintam como as grandes “vítimas” de tudo. A Revolução Francesa nada mais foi senão uma reação tardia a séculos de impiedades sem fim praticadas pelos dois estados que detinham todo o poder em mãos, que por sua vez gerou violência e impiedade na mesma proporção. Os dois são lastimáveis, os dois são condenáveis, os dois são uma mancha negra varrendo as páginas da História. Quem se opõe a um mas defende o outro é tão imoral quanto quem faz o contrário. Nenhum deles representa qualquer tipo de modelo “conservador” que devamos respeitar hoje: um representa apenas o atraso e o obscurantismo, enquanto o outro representa a barbárie e a incivilização.

Qualquer pessoa honesta, sincera e decente teria apenas vergonha e repúdio por ambos, mas como existe fanático pra tudo, há aqueles que ainda hoje defendem a Revolução Francesa e seus ideais – aos quais chamamos de comunistas – e aqueles que ainda hoje defendem a “França católica pura” e seus ideais – aos quais chamamos de tridentinos. Um é revolucionário, o outro é reacionário. Um quer o pior futuro possível, o outro quer voltar ao pior passado possível.

No meio desses extremos repugnantes temos o conservadorismo verdadeiro que se expressa com muito mais autenticidade nos países protestantes, como a já mencionada Inglaterra de John Locke e Edmund Burke. Um conservadorismo que não é pautado no atraso e nem amarrado em tradições pitorescas, mas que conserva os valores morais que fundamentam qualquer sociedade de bem, não para se prender ao passado, mas para construir um futuro de progresso e desenvolvimento. Foi assim que as sociedades protestantes se tornaram o pilar da democracia liberal por séculos, a qual é hoje ameaçada pelas mesmas ideologias revolucionárias que tomaram conta da França católica.

Leia também:

• Compartilhe este artigo nas redes:

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,


- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.





[1] CECHINATO, Luiz. Os vinte séculos de caminhada da Igreja: principais acontecimentos da cristandade, desde os tempos de Jesus até João Paulo II. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996, p. 325.



ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)  

200 comentários:

  1. Lucas, quais livros sobre o conservadorismo você recomenda? E no seu ponto de vista o que é ser conservador?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “A Democracia na América” de Alexis de Tocqueville, "Tratado sobre a Tolerância" e "Ensaios Políticos" de John Locke, "A Mentalidade Conservadora" de Russell Kirk, "Por que virei à Direita" de J. P. Coutinho, Pondé e Rosenfeld, "Economia do Indivíduo" e "Confissões de um ex-libertário", de Rodrigo Constantino. Sobre o que é ser conservador no meu ponto de vista, eu entendo como alguém que conserva princípios e valores éticos e morais que devem nortear qualquer sociedade em qualquer época, sem contudo se opor a priori aos avanços que ocorrem na humanidade.

      Excluir
    2. Obrigado 👍🏻

      Excluir
  2. Paz do Senhor
    Excelente como sempre, de fácil compreensão.
    Só por curiosidade: "eram proibidos de cultivar" - Sabe o porque que a igreja proibia? (Estou fazendo um esforça mental pra descobrir o motivo, mas com certeza é algum motivo bem ilógico, bem típico dela)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!

      Como esses territórios pertenciam à Igreja, eles eram de posse exclusiva de eclesiásticos (padres, monges, freiras, abades, etc).

      Excluir
  3. Lucas eu já ouvi falar que usamos apenas cerca de 10% de nosso cérebro. Será que na Nova Terra vamos conseguir usar 100% de nosso cérebro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade essa coisa de usar só 10% é um mito:

      http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2013/06/sera-que-utilizamos-apenas-10-de-nosso-cerebro.html

      Mas de fato o homem foi criado mais inteligente do que é agora, senão Adão não teria conseguido escolher e decorar o nome de milhares de animais logo no começo da criação. Aparentemente essa supercapacidade cerebral durou até o dilúvio, quando o Espírito de Deus se apartou do homem (sendo que uma das consequências foi a idade reduzida de 900 para 120 anos, e eu entendo que também teve por consequência uma perda da capacidade cerebral). Por isso os homens de um passado remoto conseguiam fazer certas coisas sem tecnologia nenhuma que hoje ninguém consegue explicar, como as pirâmides do Egito (que um pessoal até apela para "aliens" na tentativa de explicar o que não entendem). Se era assim naquela época, então logicamente quando os efeitos do pecado forem revertidos (na nova terra) nós voltaremos ao estágio original com uma capacidade cerebral maior, com a diferença de que uniremos isso à tecnologia de ponta, tornando o mundo (e o universo) um lugar extraordinariamente fantástico, com possibilidades ilimitadas.

      Excluir
    2. "Se era assim naquela época, então logicamente quando os efeitos do pecado forem revertidos (na nova terra) nós voltaremos ao estágio original com uma capacidade cerebral maior, com a diferença de que uniremos isso à tecnologia de ponta, tornando o mundo (e o universo) um lugar extraordinariamente fantástico, com possibilidades ilimitadas."

      Essa última parte me fez pensar em um contraponto com o transhumanismo tão propagado por alguns ateus e cientificistas. Eles acham que o próximo passo da "evolução" é nos integrarmos com a tecnologia e entrarmos em uma estágio de singularidade. Aliás, uma discussão sobre a relação entre a singularidade transhumanista e a "singularidade cristã" que teremos na Nova Terra seria um tema interessante para próximos textos (não sei se você já tem algo escrito a respeito).

      Abraços

      Excluir
    3. O transhumanismo «é um movimento intelectual que visa transformar a condição humana através do desenvolvimento de tecnologias amplamente disponíveis para aumentar consideravelmente as capacidades intelectuais, físicas e psicológicas humanas», isso é bem diferente do que eu tenho em mente sobre a vida eterna, pois a tecnologia sequer será necessária para aumentar capacidades intelectuais e físicas já que nós já teremos isso naturalmente na ressurreição. O que a tecnologia fará será criar facilitações, como nos cenários de filmes futurísticos (não pós-apocalípticos é claro), com viagens espaciais, colonização de outros planetas, equipamentos que possam permitir que o homem "voe" quando quiser (como se fosse uma espécie de avião particular), energia ilimitada, e assim por diante. Ou seja, ela não mudará a natureza humana em si, mas irá criar um mundo totalmente novo com muito mais desenvolvimento do que há hoje. Eu simplesmente não consigo imaginar que neste "cenário falho" da criação pós-queda o homem tenha chegado tão longe tecnologicamente, e que na nova terra vá se reduzir ao patamar de um "homem das cavernas" sem tecnologia nenhuma. A lógica e o bom senso nos dizem que o homem incorruptível da ressurreição só tende a progredir tecnologicamente.

      *PS: por ter chegado ao limite dos 200 comentários eu terei que fechar os comentários novos deste artigo, mas se quiser continuar essa discussão pode fazer em um comentário no artigo mais recente.

      Abs.

      Excluir
  4. ola.gostaria de saber sobre o local da escrita do apocalipse.alguém me disse que de acordo com a palavra grega ginomai apocalopse 1;9 seria melhor traduzido assim: EU VIM A ESTAR NA ILHA DE PATMMOS...é isso mesmo Joao escreveu o apocalipse em patmos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é um dos erros mais comuns, as pessoas pensam que João escreveu o Apocalipse na ilha de Patmos porque não prestam atenção a este verso que você citou. A tradução mais correta seria "estive" ou "estava" (segue o print de um interlinear que tenho aqui):

      https://uploaddeimagens.com.br/images/001/823/108/full/289.png?1547027197

      Ou seja, quando João escreveu o Apocalipse ele não estava mais em Patmos, ele apenas recebeu as visões ali na ilha, mas nem sequer tinha como passar por escrito e enviar às igrejas já que ele estava ali como prisioneiro em uma ilha isolada do resto do continente e não de férias, então quando ele foi liberto (por Domiciano, em 96 d.C) pôde escrever sobre o que se passou com ele enquanto esteve lá. Essa é inclusive uma das provas mais fortes contra a datação preterista do Apocalipse, que situa a escrita antes de 70 d.C por interesses pessoais.

      Excluir
  5. Lucas, vc considera o John Locke como um Conservador ou como um Revolucionário??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Às vezes Locke é citado como um "revolucionário" mas não no sentido comunista do termo, mas sim por ter contribuído para a Revolução Gloriosa inglesa de 1688, que acabou com o absolutismo no país. Em termos políticos eu desconheço qualquer autor antigo que tenha uma mente mais brilhante ou mais lúcida que Locke, deve ser o único que eu praticamente não consigo discordar em nada quando o leio, estava muitíssimo à frente do seu tempo.

      Excluir
  6. lucas voce ja ouviu falar na religião chamada wicca? se sim o que voce acha dela?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que eu saiba tem a ver com paganismo e bruxaria, mas acho que ninguém leva isso a sério nos dias de hoje.

      Excluir
    2. Ela cresce muito na europa e muitos levam a sério

      Excluir
  7. Ótimo artigo irmão, acho incrível a desonestidade dos católicos que jogam todas as pautas ateístas, de esquerda e demais desgraças de hoje em dia na conta do protestantismo, sendo que na verdade a principal culpada por tudo isso foi a França, que foi o país que mais ferrenhamente perseguiu protestantes na história, olha só que ironia!
    E a respeito do seu artigo de um tempo atrás comparando as ideologias católica, protestante e ateísta, me vieram umas dúvidas na cabeça, espero que não seja incômodo para você respondê-las:

    1)Não seria melhor os católicos e protestantes se unirem num momento inicial para derrotar as ideologias islâmica e ateísta, para então depois resolverem as diferenças entre si?

    2)Qual dessas duas ideologias você considera a mais perigosa para o cristianismo, a ideologia ateísta ou a ideologia islâmica?

    3)Se caso a ideologia católica e protestante forem "derrotadas", você acha possível que ocorram conflitos entre a ideologia ateísta e a ideologia islâmica? E caso ocorra este conflito, qual destas ideologias você acha que prevaleceria, tendo então mais propensão a "dominar o mundo"?

    4)E última dúvida, o protestantismo vem crescendo consideravelmente na América Latina, especialmente no Brasil, e levando em conta que a América do Norte já é protestante, você acha que o continente americano (englobando tanto a América do Sul, Norte e Central) seria a última "resistência" para a fé cristã caso a ideologia ateísta ou islâmica dominem totalmente a Europa, África e Ásia?

    Por agora é isso, boa sorte e continue escrevendo seus maravilhosos artigos, irmão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Não há problema em se "unir" em um tipo de propósito como este DESDE QUE não seja com um inimigo (ou com alguém que te vê como um inimigo). No caso católico, boa parte deles nos veem como piores que os ateus (dizem isso abertamente), dizem que Lutero foi o responsável por todas as revoluções modernas (o próprio padre Paulo Ricardo recentemente fez um "curso" sobre isso), acusam Calvino de ser um ditador e criador do Estado totalitário (vide Olavo de Carvalho), dizem que Lutero foi um genocida (idem), que a nossa fé foi fundada por Lúcifer (repetem a famosa declaração do padre Pio à exaustão), dizem que somos "filhos da serpente" (é o que mais dizem em todos os debates), nos acusam de odiar e difamar a virgem Maria e por fim creem que vamos todos irremediavelmente ao inferno porque "fora da Igreja Católica não há salvação", dentre inúmeras outras agressões e ofensas propositais mesmo quando sabem que são falsas, como se aliar com alguém assim? Quem se "alia" a esse tipo de gente tudo o que toma é punhalada nas costas, que é justamente o que aconteceu com todo mundo que tentou agir assim.

      2) Islâmica é pior.

      3) Sim, mas os ateus ganham easy já que tem recursos financeiros infinitamente maiores, se juntar a economia de todos os países árabes juntos não dá o PIB dos EUA ou de qualquer país desenvolvido da Europa sozinho. Se fosse hoje não teria nem graça uma guerra dessas, os caras não conseguem nem destruir Israel que é minúsculo e fica ali no meio deles, imagine a Europa.

      4) Talvez, mas por outro lado o secularismo vem ganhando espaço nos EUA e Canadá (acontecendo o mesmo que já aconteceu na Europa, embora a passos mais lentos), e o Cristianismo também vem crescendo na Ásia e na África, especialmente o Cristianismo evangélico, então é difícil saber. Se eu tivesse que fazer uma previsão para o mundo daqui uns 100 anos seria do ateísmo/agnosticismo dominando tudo, porque à medida em que os países se desenvolvem eles tendem a aderir ao ateísmo já que as pessoas pensam que não precisam mais de Deus, diferentemente dos países de terceiro mundo. É uma triste realidade, mas é a realidade. E considerando que mais cedo ou mais tarde todos os países tendem a crescer, este é um processo inevitável enquanto a natureza humana não mudar. Creio que foi por isso que Jesus disse que quando voltasse não encontraria mais fé na terra.

      Abs!

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta, irmão.

      Sobre o item 3 há algo que eu não levei em consideração, que é a possibilidade de muitos países da Europa (ou a maioria) virem a se tornar islâmicos no próximo século (ou até mesmo neste século segundo alguns) devido a alta taxa de natalidade entre os imigrantes muçulmanos que estão indo para lá, e que a cada dia estão imigrando mais e mais para a Europa, aumentando ainda mais a população de muçulmanos, e consequentemente tendo um grande número filhos muçulmanos por lá, já que os muçulmanos costumam ter vários filhos.

      Há este vídeo aqui explicando, mas ele é meio famoso e circulou a internet uns tempos atrás, então creio que já deva ter assistido:
      https://www.youtube.com/watch?v=CPSsjY-Yah0

      Creio que diante de um acontecimento desses, poderia mudar totalmente o cenário de um futuro conflito entre ambas as ideologias, vindo talvez a fortalecer a ideologia islâmica, que sem sombra de dúvidas seria muito mais cruel e brutal do que os ateus na hora de pôr em prática a perseguição aos cristãos (principalmente levando em conta de que essa perseguição será muito mais fácil na Europa, uma vez que eles seriam a maioria).

      Excluir
    3. Um dos problemas desse vídeo é que eles inflam os números e não passam a fonte de nenhum dos dados que eles citam. Por exemplo, eles disseram que há no Brasil (ou havia, na época em que eles fizeram o vídeo) 1,5 milhões de muçulmanos, eu achei esse dado um exagero absurdo já que em toda a minha vida eu só vi um muçulmano aqui, então fui checar os dados oficiais do IBGE e o número real é bem menor, de 35 mil. O número que eles citaram é o fornecido pelas instituições islâmicas, que inflam os dados propositalmente. Eu não sei se eles fizeram o mesmo com os outros números que eles citam da Europa, mas isso tira um pouco da credibilidade do vídeo. De todo modo o grande "x" da questão não é o crescimento islâmico (que independente dos números exatos, todo mundo sabe que é real), mas sim se esse crescimento será ou não barrado pelo secularismo, ou seja, se os muçulmanos europeus não irão entrar no mesmo processo de secularização dos cristãos de cem anos atrás. Eu penso que sim, mesmo que isso leve mais tempo.

      Excluir
  8. Se eu fosse o Yago Martins eu enterrava

    https://youtu.be/WiaOVZ_ppfA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz o Yago viu isso?

      Excluir
    2. Sim, esse sem educação do Caio Fabio já até o convidou para um debate.

      Excluir
    3. Video antigo. Todo mundo atrasado aqui.

      Excluir
    4. Vídeo terrível não foi bom para o yago

      Excluir
    5. Caio Fábio é um poço de ego sem fim, não refutou nada, não lidou com um único argumento, apenas se limitou a debochar e posar de "bonzão" e "sabichão" em meio a zombaria e arrogância, parece uma visão desigrejada do Olavo. Quanto mais velho fica, mais insuportável é. Esse versículo parece que resume tudo:

      "Melhor é o jovem pobre e sábio do que o rei velho e insensato, que se não deixa mais admoestar" (Eclesiastes 4:13)

      Excluir
    6. Eu não consigo mais assistir um vídeo sequer do yago martins, o infeliz fala tão depressa corta tanto o raio do vídeo que me dá ataques de nervos

      Excluir
    7. O Caio está vinte anos na frente de todo mundo o yago ainda vive no século passado. Ele vem com as mesmas coisas de sempre.

      Excluir
    8. "Caio Fábio é um poço (...)

      "Melhor é o jovem pobre e sábio do que o rei velho e insensato, que se não deixa mais admoestar" (Eclesiastes 4:13)"

      Lucas, o pior é que é verdade. É triste ver o "efeito colateral" do cristianismo na vida desse homem e em muitos outros.
      São verdadeiros "Matusalém do cristianismo" com um legado onde não se vê nada de proveito. São pessoas que nem a Igreja vão por se acharem acima dos demais. Nunca foram ao um orfanato, a um lar de idosos, visitar doentes num hospital ou alguma instituição beneficente.
      Nas palavras de Paulo:
      "Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.
      Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos,
      Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,
      Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus,
      Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.
      Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências;
      Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade.
      E, como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé.
      Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesto o seu desvario, como também o foi o daqueles.
      Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, amor, paciência,
      Perseguições e aflições tais quais me aconteceram em Antioquia, em Icônio, e em Listra; quantas perseguições sofri, e o Senhor de todas me livrou;
      E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições.
      Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados.
      Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido,
      E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus.
      16 Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;
      Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra."

      2 Timóteo 3.

      Excluir
    9. "O Caio está vinte anos na frente de todo mundo o yago ainda vive no século passado. Ele vem com as mesmas coisas de sempre"

      Se estar "vinte anos na frente" significa ser arrogante e presunçoso preocupado apenas com o próprio ego, eu prefiro estar vinte anos atrás (ou até vinte séculos).

      Excluir
    10. Eu encontrei o Caio em 1982 em Vitória do Espírito Santo. Conversamos bastante. Nessa época ele ainda era gente. Eu comprei todas as fitas cassetes e livros dele por anos a fio. Li quase tudo que ele escreveu.

      Minha esposa era fã do Caio Fábio até alguns anos atrás. O Caio tornou-se tão insuportável que ficou impossível ouvir ele por dez minutos.

      Porém, e apesar de tudo, eu arrisquei assistir esse discurso dele contra o Yago. Foi simplesmente fenomenal a arrogância e altivez do Caio. Em muita coisa ele está certo, mas em outras não. Observe que ele não tocou no assunto expiação limitada adotada pelo Yago. Evidente que ele fuçou os títulos de vídeos no canal do Yago Martins e não tocou nesse assunto por que todos os dois são de origem presbiteriana Calvinista. 

      O Yago tem dois vídeos sobre o assunto que são uma vergonha. Mais vergonha ainda são os vídeos  em que ele critica os pentecostais e o dom de línguas. Aí o Yago passou dos limites. Não posso concordar com ele.

      O Caio atual tornou-se uma decepção. Ele já foi chamado de apostata por muitos. Nisso eu concordo com o Yago quando ele diz num dos seus vídeos: “Se levar o Caio a sério você pode virar ateu”

      O Caio transformou-se numa coisa do outro mundo. Somente algo do outro mundo pode concordar com aborto, casamento gay e coisas semelhantes. 

      Não defendo de forma alguma o Caiu Fábio, mas não posso julga-lo:

      “Os pecados de alguns homens são manifestos antes de entrarem em juízo, enquanto os de outros descobrem-se depois”, 1 Tim 5:24.

      Que ele mude antes de partir desse mundo!

      Alon

      Excluir
  9. Banzoli, será que já paramos pra pensar e refletir sobre a quantidade de sofrimento que já se teve nesse mundo, de cada ser humano, de cada ser vivo da Terra? Eu tento imaginar como que Deus contempla e absorve tudo isso em Sua Criação. Pros calvinistas isso tudo não passa do "plano e vontade de Cristo" (que diga-se de passagem, se fosse assim, seria moralmente nojento).
    Aliás, junto com a grande tribulação, virá os piores momentos de sofrimento que já se teve nesse planeta.
    Bom, é só uma questão para se refletir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu respondi isso no outro post em um comentário parecido que você fez.

      Excluir
  10. "A Revolução Francesa nada mais foi senão uma reação tardia a séculos de impiedades sem fim praticadas pelos dois estados que detinham todo o poder em mãos"

    Isso me fez lembrar do Historiador Norman Cohn que vi uma vez o Jhonatan Souza citando durante uma discussão com um zé cruzadinha. No livro "Senda do Milênio" o Norman mostra que muita das coisa que vemos nesses atuais movimentos revolucionários e neo-ateus tiveram origem justamente nas Cruzadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Ivan Lins também diz que foi na época das Cruzadas (e de certa forma por causa delas) que o ateísmo medieval começou a surgir.

      Excluir
  11. A perseguição católica francesa aos protestantes inclusive provocou o fracasso da tentativa desse país colonizar o Brasil,olhe esse vídeo que aborda melhor o tema,https://www.youtube.com/watch?v=NSiji3uYkPQ o que achou do vídeo?

    ResponderExcluir
  12. E o que achas desse vídeo Banzolão?https://www.youtube.com/watch?v=r2XfNywPSa0

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito claro, simples, fácil de se entender, mas apesar disso tem gente que gosta de causar polêmica apenas porque não conseguem aceitar que a Bíblia diz o que diz. Inclusive há um tempo atrás eu escrevi um artigo justamente sobre isso:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2016/01/quem-acompanha-jesus-na-sua-vinda.html

      Excluir
  13. Banzolao vc acha que o imperador Teodosio que declarou o cristianismo a religião oficial do Império Romano de fato era cristão?Ou foi uma jogada política ?Porque o resultado foi desastroso,aí nasceu oficialmente todo sincretismo e o papado,culminando no catolicismo romano,mas não sei se de fato era a intenção de Teodosio criar esse monstro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se foi jogada política eu não sei (porque na época era normal essa coisa de "religião oficial", não existia Estado laico ainda, o Estado era quase sempre da religião do rei), mas que essa politicagem da fé fez muito mal ao Cristianismo, isso não resta dúvida.

      Excluir
  14. E uma outra questão a respeito da relação de cristianismo e estado,até onde ela deve ir?Pprque a igreja primitiva era uma igreja sincera,fiel,apesar das heresias já presentes,mas quando Teodosio a estatizou ela se tornou totalmente herege ,ficando assim por toda a Idade Média ,até a Reforma Protestante,mas a partir da Reforma houveram aproximações da igreja com o estado bem sucedidas,então achas que até onde a igreja como instituição deve se aproximar do estado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela não se tornou "totalmente herege" com Teodósio, este foi um processo lento e gradual até a Reforma (que mesmo assim não chegou a ser "totalmente"), mas quanto mais independência a Igreja tiver do Estado melhor. Por isso quando o Estado laico foi criado ele não foi criado para defender o ateísmo, mas justamente para assegurar a independência das igrejas e o direito de cada uma delas expressar e vivenciar sua fé do jeito que quiser (sem a interferência do Estado).

      Excluir
  15. Banzolao o que achas que devo fazer quando vejo pessoas no nosso meio com discursos raivosos e preconceituosos ?Por exemplo a página "Blog da Ro"do Facebook te comentei em outro post sobre ela,enviei o link ,não sei se você chegou a olhar,antes era uma página cristã séria,apologética ,mas agora virou bolsonarista,ela até foi xingar o Faustão porque ele falou mal do Bolsonaro ,reclamou da imigração de muçulmanos em Londres,se referindo a eles como "essa gente ",por mais que rejeitemos os radicais muçulmanos,nem todos são assim,há os que se ocidentalizem e trabalham honestamente ,viram jogadores de futebol ,então esse discurso me incomoda muito

    ResponderExcluir
  16. https://pt-br.facebook.com/ro.moreira2/ ,aqui o Blog da Rô,https://www.facebook.com/ro.moreira2/photos/a.355649101133379/2229542683744002/?type=3&theater , aqui ela xingando o Faustão de babaca,eu acho péssimo para a imagem dos evangélicos,eu não gosto do Faustão,nem assisto o programa dele,acho uma imensa futilidade e votei no Bolsonaro,mas acho que o Faustão tem a liberdade de ser contra o Bolsonaro e achar o Bolsonaro um imbecil,existe liberdade de expressão no país,democracia,e sobre os muçulmanos em Londres:Londres: 423 novas mesquitas e 500 igrejas fechadas

    ´´Os muçulmanos tomaram a Inglaterra. O cristianismo está se tornando relíquia nesse país. Parabéns a ONU´´
    Eu mostrei para o meu pai,ele também achou um absurdo,ela fazer um discurso contra a imigração muçulmana,porque ele sabe que quem imigra,o faz por dificuldades em seu país de origem e que essa história de conspiração da ONU é besteira,ele escreveu isso: Argemiro Tavares de Pinho Culpa da ONU nada! Culpa dos cristãos de Londres que não estão fazendo seu papel de evangelizar os muçulmanos, podem dizer que os muçulmanos nos odeiam, são radicais, terroristas, Paulo também não odiava os cristãos? E Jesus não transformou o coração dele? E ele não se tornou um dos maiores evangelistas do primeiro século? Se Ele transformou o coração de Paulo por que não pode transformar o coração de um muçulmano tbm?´´ ,e ela respondeu : Blog da Rô Culpa da ONU que está espalhando essa gente para todo Ocidente. Eles já disseram que vão tomar tudo com sua cultura e religião destruindo a cultura dos outros.´´ Fiquei revoltado com a falta de sensibilidade,chamar o seu semelhante de ´´essa gente´´ e com a falta de solidariedade com quem está passando necessidades em seu país de origem,sendo que ela própria deve descender de imigrantes e além do mais não valorizando a possibilidade de evangelização dos imigrantes muçulmanos como meu pai falou,eles vindo de fora e encontrando pessoas que falem de amor,de salvação, paz para eles,coisa que provavelmente eles nunca ouviram em seu país de origem,já que em muitos deles o cristianismo é proibido,e que não os enxerguem como ´´essa gente´´,ela em vez de ser solidária e amorosa,só enxerga conspirações da ONU nesse caso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "aqui ela xingando o Faustão de babaca,eu acho péssimo para a imagem dos evangélicos,eu não gosto do Faustão,nem assisto o programa dele,acho uma imensa futilidade e votei no Bolsonaro,mas acho que o Faustão tem a liberdade de ser contra o Bolsonaro e achar o Bolsonaro um imbecil,existe liberdade de expressão no país"

      Brother eu não sou o Bonzoli, mas vc está sendo MUITO exagerando e estérico. O Faustão tem o Direito de expressar a sua opinião da mesma forma que a Rô e resto de nos temos o direito de discordarmos dele e respondermos. Tu está agindo como se ela tivesse pedindo a censura do Faustão, ameaçado ele de MORTE ou o xingado de todas as palavras de baixo calão que existe na linguá portuguesa, oq não aconteceu.

      Excluir
    2. Ele simplesmente chamou o Faustão de "babaca" (,ofensa que até uma criança de 5 anos usa, e) demonstrou que o Faustão possivelmente critica o Bolsonaro pelo dele querer cortar a verba publica da Glogo. Oq há de errado nisso!!?????
      Fora, que o mesmo que a palavra babaca fosse uma ofensa grande e no mesmo "naipe" das que o Olavo fala, o Faustão que começou a ofensa chamando o Jair de imbecil (,outro "xingamento" que qualquer criança hoje dia sabe).

      Excluir
    3. "avares de Pinho Culpa da ONU nada! Culpa dos cristãos de Londres que não estão fazendo seu papel de evangelizar os muçulmanos"

      Cara,de uma olhada nisso:
      https://www.youtube.com/watch?v=-_oE5jLz3fk
      http://www.bulevoador.com.br/2013/02/patrulha-islamica-impoe-costumes-islamicos-em-regioes-da-inglaterra/
      https://www.youtube.com/watch?v=MJ97QpoF5jg
      https://www.youtube.com/watch?v=Q-DQRz18I84
      https://www.youtube.com/watch?v=xGa91jqtYyg
      https://www.youtube.com/watch?v=wpbU4D9WYPg

      O povo Britanico está desesperados, na Alemanha já ocorreram diversos ESTUPROS coletivos realizados por Homens Muçulmanos que veiaram para lá como REFUGIADOS, e vc ainda tem a coragem de dizer que o sofrimento desses inocentes é por falta de esforço evangelista!? Por Deus amigo, ( não lhe falo isso para lhe ofender EM HIPÓTESE NENHUMA, ) porém o problema da Inglaterra nao tao simples assim, a Igreja Anglicana está infestada de Pastores Ateus e Progressistas, o Liberalismo Teologico os dominou completamente. Hoje gracas a influencia dos Socias Democratas a Cultura Conservadora Protestante está quase morta. Hoje em dia é muito raro vermos um Inglês defensor da Cultura Britânica, da Tradição Liberal-Conservadora que o país tem, do Legalismo protestante e etc já é taxado de extremista por muitos lá.
      É fato que a maioria dos refugiados são apenas pessoas inocentes que tentam procurar uma vida melhor lnge da guerra, porém ignorar que o Islam é uma religião que Prega o Ódio é simplesmente fechar os olhos ao mundo que vivendo. De uma boa olhada, não existe sequer um único país com mais de 10% da população Muçulmana que não sofra com atentados e com o extremismo dessa religião.

      Excluir
    4. Agora eu tenho que concordar COMPLETAMENTE com vc sobre esse negocio da Onu, isso que a Rô falou é de fato uma besteira . Oq realmente causou essa crise de Refugiados foi a "Primavera Árabe", que ( juntamente com alguns eventos anteriores) deu inicio a toda essa instabilidade que vemos hoje no Oriente Médio.
      E vale lembrar que esta "Primavera", foi amplamente apoiada pelos países ocidentais, e inclusive pela a esquerda internacional.

      Excluir
    5. AssassinoPlayer123, de fato na questão do Faustão, talvez eu realmente tenha exagerado, ela não o xingou com palavrões, apenas o chamou de babaca, mas a minha crítica a ela,se deve a que quando eu comecei a seguir o blog da Rô há uns 3 anos atras essa era uma página cristã apologética, ela como teóloga presbiteriana publicava textos defendendo a fé cristã contra ateus, católicos e também a respeito do calvinismo e refutando inclusive heresias no nosso meio evangélico como a Teologia da Prosperidade, mas a partir do ano passado ela abandonou essa linha e começou a ter uma linha bolsonarista fanática em seu blog, não aceitando qualquer crítica ao Bolsonaro, por isso exemplifiquei o caso do Faustão, eu mesmo votei no Bolsonaro, mas discordo de adotar uma postura cega de defesa dele em qualquer circunstância, isso é imitar o petismo, que mesmo diante de inúmeras evidências de corrupção, continuam pedindo Lula Livre, o tratando quase como um deus, acho super perigoso idolatrar políticos

      Excluir
    6. Sim cara por isso mesmo digo que os cristãos nao estão fazendo o trabalho de evangelizar os muçulmanos, porque o cristianismo está fraco no país, e quando o cristianismo enfraquwxe em qualquer lugar não adianta culpar terceiros, a social democracia, o secularismo, porque se a igreja, que somos nós mesmos, estiver sempre orando, estudando a Bíblia e dando um bom testemunho de amor ao seu semelhante, nada disso irá afetar a igreja, aqui no Brasil estamos indo pelo mesmo caminho, nossaa universidades sao totalmente secularizadas, eu fui exposto a isso, cursei história e há de fato muita doutrinação de esquerda, marxista e isso nao me afetou, continuo firme com Cristo, o Banzoli que fez o mrsmo curso tbm, então cabe aos cristãos europeus fazerem uma autocrítica e buscarem encontrar um caminho para crescer novamente, porque no Brasil mesmo existindo uma esquerda muito forte, fomos governados ppr 13 anos pelo PT, um partido de esquerda mais radical que qualquer partido de esquerda da União Europeia, aliado declarado de ditaduras como Cuba e Venezuela e nesse período o cristianismo protestante no Brasil só cresceu, então o motivo pelo qual o cristianismo europeu está decaindo nao deve ser só da social democracia ou do progressismo

      Excluir
    7. E quanto aos imigrantes muçulmanos na Europa eu sei que muitos cometem crimes violentos, inclusive os estupros, a cultura deles no geral tende de fato a coisificar a mulher, rebaixar sua condição e seu livro sagrado tbm incentiva ataques aos infiéis,eu nao nego isso, mas em relação aos que vão para a Europa, a maioria se integra pacificamente,basta ver as seleções de futebol de muitos países europeus, muitos jogadores com origem em países muçulmanos,e repito se a igreja estiver forte, evangelizando, buscando se aproximar deles e demonstrar que os amam, muitos irao se converter, pois muitos tem uma imagem distorcida dos cristãos pelo passado tbm cruel do cristianismo em países islamicos , passando pelas Cruzadas, Inquisição na qual muitos mouros foram vitimas principalmente na Peninsula Ibérica, e mais recentemente o colonialismo, que por mais que tenha feito coisas boas, tbm vitimou muita gente, além das guerras que os EUA e outros países aliadosafizeram la no Iraque, o que propiciou o surgimento do ISIS, então temos que mostrar que não temos nada a ver com essas coisas, que não apoiamos Cruzada, Inquisição, colonialismo, guerras e demonstrar amor, isso o que me revoltou na Rô, ela chegou a criticar uma campanha que muitas igrejas fizeram ano retrasado de passar Natal com refugiados e foi contra a lei de migração com medo dos tais muçulmanos, mas na realidade o Brasil recebe muito mais vizinhos sul americanos que muculmanos, acho totalmente anticristao adotar posturas xenofobicas e o pior foi o ministro diplomata olavete dizendo que a xenofobia não é problema atualmente e sim a oikofobia

      Excluir
    8. De fato, se os cristãos estivessem fazendo o seu papel devidamente nem haveria essas cosmovisões políticas esquerdistas e anticristãs, ou pelo menos seriam bem mais fracas do que são hoje. Foi o esfriamento na fé que abriu espaço para a ascensão desse tipo de ideologia anticristã, e não o contrário. Infelizmente não existe um jeito de resolver o problema da migração islâmica em definitivo, todas as "soluções" são problemáticas. Impedir que muçulmanos migrem para um país dito cristão seria um mal exemplo de Cristianismo e iria prejudicar muita gente de bem, o que deveríamos fazer é civilizá-los, porque os próprios "cristãos" do passado já foram tão incivilizados e bárbaros quanto os muçulmanos de hoje. Mas isso se faz mediante o bom exemplo, não com canetada. Um muçulmano comum deveria olhar para o mundo ocidental e ver sua superioridade em comparação ao mundo em que ele vive, isso o faria se distanciar de sua própria cultura e colocaria nele a mesma mentalidade ocidental que compartilhamos, mas não vão ser com atitudes hostis e bélicas que isso vai acontecer. A realidade é que o mundo islâmico já está passando por um processo de secularização (ainda que bem tardio em comparação a nós), a Primavera Árabe foi um exemplo disso, eles estão se globalizando e tendo cada vez mais acesso ao "nosso" mundo, e como consequência tem cada vez menos simpatia pelos regimes tirânicos e ditatoriais que sempre tiveram por lá. O terrorismo moderno é justamente uma reação a isso, são os grupos reacionários islâmicos que não aceitam essa mudança, que querem que o mundo muçulmano fique preso numa mentalidade medieval e arcaica, por isso eles atacam o ocidente com práticas terroristas, pois identificam no ocidente o "inimigo" que quer transformar a cultura deles de uma forma que eles não aceitam (ou seja, civilizá-los). Mas por mais que esses ataques não sejam poucos, de um modo geral eles estão perdendo essa guerra cultural, a secularização é uma tendência quase que irreversível mesmo para o mundo islâmico.

      Excluir
  17. Meu medo é que essa página cresça com esse discurso e se torna uma espécie de Nando Moura evangélica https://pt-br.facebook.com/ro.moreira2/ e o pior que ela não é olavete,nunca a vi postando nada do Olavo nesse canal,então não sei da onde ela tira esse discurso bolsonarista fanático a ponto de xingar o Faustão por causa do Bolsonaro e de enxergar a imigração muçulmana como conspiração da ONU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que ela ainda está bem longe de ser uma versão crente do Nando Moura...

      Excluir
  18. Banzolao e vc poderia escrever um artigo condenando a xenofobia ?Desculpa voltar com essa tema,mas me revolta muito ver discursos xenofóbicos ,até porque é um mandamento de Deus acolher o estrangeiro e está na lei de Moisés e hoje mesmo eu estava lendo Mateus 25 e está escrito no versículo 35:"Porque tive fome e destes-me de comer ;tive sede,e destes-me de beber;era estrangeiro ,e hospedastes-me ,esses serão salvos e no versículo 43 afirma que quem fizer o contrário será condenado ,então me indigna esse discurso xenofóbico crescer,os cristãos deveriam aproveitar a imigração de muçulmanos para a Europa e evangeliza-los ,já que é mais fácil já que não o podem fazer nos países muçulmanos e ficam com ess xenofobia idiota ,aqui no Brasil vejo discursos assim surgirem ,não tanto contra muçulmanos pois são bem poucos ,mas contra bolivianos,haitianos ,o estupido do Astrolavo já falou em vídeo que a imigração de italianos e outros europeus foi boa porque eles eram trabalhadores especializados que vinham contribuir para o Brasil,diferente dos imigrantes atuais ,discurso que foi repetido pelo seu seguidor Eduardo Bolsonaro em conversa com o Nando Moura,tá lá no canal do Nando ,eu digo que meus bisas italianos eram camponeses analfabetos da Calábria que estavam passando fome ,a Itália era miserável no começo do século XX,que especialização poderiam ter?Baita racismo do Astrolavo e do Eduardo Bolsonaro,ele usou esse discurso para justificar a oposição da lei de migração ,daí que fico tão indignado em ver a Ro Moreira que é teóloga presbiteriana ,estudou ciências da religião ,não é uma gnóstica ignorante como Astrolavo e seus seguidores,comprar o mesmo discurso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "cristãos deveriam aproveitar a imigração de muçulmanos para a Europa e evangeliza-los"

      Seria muito bom se pudêssemos, mas é o problema cristandade já está enfraquecida na Europa, existe regiões do Norte da Alemanha não são formadas nem por católicos ou evangélicos, mas sim por Ateus. Isso dificulta muito o trabalho de evangelismo.
      Eu me lembro de alguns meses atrás que a Nando Moura fez um video sobre a crise dos Muçulmanos na Europa. Na visao dele, nos como cristão DEVEMOS sim abrigar aquelas pessoas e dar toda a ajuda humanitaria que elas precisam , porém seria bom se durante um período de 5 anos elas recebessem semanalmente a visita de um padre ou de um pastor a serviços missionários. A ideia em si não é ruim, porém isso daria margem para muitos Progressistas desonestos nos acusarem de "extremistas", por querermos enquadrar aquelas pessoas ao nosso estilo de vida Ocidental :/

      Excluir
    2. "o estupido do Astrolavo já falou em vídeo que a imigração de italianos e outros europeus foi boa porque eles eram trabalhadores especializados que vinham contribuir para o Brasil,diferente dos imigrantes atuais ,discurso que foi repetido pelo seu seguidor Eduardo Bolsonaro em conversa com o Nando Moura,tá lá no canal do Nando ,eu digo que meus bisas italianos eram camponeses analfabetos da Calábria que estavam passando fome ,a Itália era miserável no começo do século XX,que especialização poderiam ter?Baita racismo do Astrolavo e do Eduardo Bolsonaro,ele usou esse discurso para justificar a oposição da lei de migração"

      Essa visão do Olavo que os imigrantes Italianos eram pessoas "especializadas" é um mito que é crido até mesmo por Historiadores Sérios. Eu mesmo já muitos que se dizem "renomados" falando dos Imigrantes Italianos como se tivesse sido um "mar de rosas", ignorando todo o sofrimento e trabalho que eles tiveram para alcançar a prosperidade. Tbm tive antepassados por parte de da minha avó materna eram de imigrantes Judeus Sefarditas que vieram para cá em um estado de extrema pobreza, mas que conseguiram através do próprio esforço crescer na vida.
      Mas quanto ao Eduardo creio que ele não é xenofóbico,(sendo que a família Bolsonaro tbm é de origem Italiana), ele apenas defende que o processo de imigração nao deve ser fácil que nem aquele senador maluco do Tasso Jereissati queria que fosse. Antigamente os Imigrantes ,como a da sua e da minha família, vinham para o Brasil sem nenhuma ajuda governamental e conseguiam, apesar das desigualdades, crescer através de seus próprios méritos, já hoje em dia com a existência exagerada de leis de assistência social e com essas politicas de "fronteiras abertas", vemos que muitos (,que na realidade são uma minoria,) acabam vindo e trazendo grandes problemas para o povo local, e trazendo consigo uma pessima imagem que acaba fortalecendo a xenofobia.
      Um exemplo disso, é as diversas quadrilhas Nigerianas que se formaram em Sao Paulo, que além contribuírem para a Criminalidade acabam passando uma imagem completamente errada do povo Africano..
      Um caso como esse chegou até acontecer com uma Tia minha que hoje vive na Espanha. Ela relatou que nos primeiros meses sofreu bastante preconceito pelo fato de que a maioria das Brasileiras que vão pra lá para se tornarem Prostitutas de Luxo e demorou muito até as pessoas se tocarem que ela estava ali em busca de um trabalho Honesto.

      Excluir
    3. É por isso que precisamos de leis Firmes em relação a imigração, para filtrarmos os Arruaceiros e Criminosos das Famílias e pessoas de bem que vem aki de forma Honesta e em busca de uma vida melhor.

      Excluir
  19. Lucas, tambem sou contra o movimento pro monarquia, no entanto, se fosse pra voce ser o rei eu aceitaria. Na verdade o sistema ideal realmente e o reinado, mas devido a corrupcao humana torna se inviavel. Sem duvida é melhor ter Davi como rei do que Lula ou Dilma como presidentes.
    Se for pra voce ser o nosso rei eu aceito pois voce é um homem de grande carater, é um homem de Deus e tem muita sabedoria, Deus tem algo grande pra voce nao tenha duvidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que nem assim a monarquia é a melhor opção, se Davi fosse apenas um presidente (e não um rei) ele dificilmente conseguiria forçar o assassinato de Urias, não teria tanto poder em mãos para mandar e desmandar, por isso a própria Bíblia diz que as coisas eram melhores na época dos juízes do que dos reis (tem um capítulo inteiro onde Deus reprova a atitude dos israelitas pedirem um rei apesar de aceitar em respeito ao livre-arbítrio, mas reitera todos os males que isso traria). Isso porque os juízes tinham bem menos poder centralizado em suas mãos do que os reis, embora não fossem primeiros-ministros ou presidentes eram mais próximos disso para os padrões atuais do que de uma monarquia (ainda mais de uma monarquia absolutista). Isso sem falar que qualquer boa pessoa pode se tornar uma má pessoa futuramente, muitos dos que hoje estão presos já foram "gente de bem" um dia, assim como muitas das pessoas mais valorosas já foram "gente ruim" no passado, por isso a Bíblia diz que maldito é o homem que confia no homem, porque o homem é volúvel, não dá pra confiar nele incondicionalmente ou depositar nele as suas esperanças acriticamente, independentemente de quem seja.

      Excluir
  20. Avalie:

    https://youtu.be/J0UilcbZCww

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa coisa de "governar sem viés ideológico" não existe, todo mundo governa com viés ideológico e tem que ser assim mesmo, nós não elegemos um "isentão" pra dar uma de imparcial no governo mas sim alguém que vai seguir a agenda ideológica à qual se comprometeu em campanha e a qual cremos que seja melhor pro Brasil.

      Excluir
  21. O que acha desde vídeo? https://youtu.be/I9-ws5Mz814

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A metodologia que eles usam é fraudulenta, praticamente todo o percentual ali vem das guerras, principalmente das duas guerras mundiais, como se fossem guerras causadas pelo capitalismo, o que é simplesmente estúpido. Guerras sempre existiram desde o início da humanidade e sempre existirão independentemente de qual sistema econômico estiver vigente na sociedade, as causas das guerras não tem nada a ver com o capitalismo em si, o principal "vilão" foi a Alemanha nacional-socialista (que era socialista apesar de todas as tentativas fracassadas de revisionismo no nome), tinha ainda a Rússia socialista no meio e outros países socialistas, e é só buscar as causas diretas da guerra que tem a ver com os nacionalismos ferrenhos que marcavam aquele tempo e as alianças que eram feitas por debaixo dos panos que deixavam todo o cenário pronto para a guerra, precisando apenas de um pretexto, de um "estopim" (como foi o assassinato do arquiduque Franz Ferdinand, na primeira guerra). Em suma, como eles não tem verdadeiros morticínios causados pelo capitalismo pra citar, precisam apelar para metodologias desonestas que fazem recair na conta do capitalismo coisas que não estão de modo algum vinculadas diretamente a ele. Em compensação, no socialismo era o próprio sistema econômico que causava a ruína das nações, a miséria generalizada, as mortes decorrentes disso e os assassinatos políticos de quem não aceitava o regime imposto à força.

      Excluir
    2. Banzolão o que achas desse texto? Poderias refutá-lo?https://voyager1.net/filosofia/o-nazifascismo-e-de-direita-uma-abordagem-filosofica/

      Excluir
    3. O trecho que o Voyager usa,para colocar o nazismo na direita:“Nacional-socialismo”
      Outro dos argumentos mais simplistas utilizados por direitistas apela para o nome do partido nazista (“nacional-socialismo”). Conclui-se que o partido era socialista por causa do nome “socialismo” presente. Eles focam no nome “socialismo” e esquecem o nome “nacional”.

      O “nacional” presente no nome do partido é referente ao nacionalismo nazifascista, aspecto incompatível com o socialismo marxista. O nacionalismo do nazifascismo é idealista, portanto rejeita o materialismo histórico do marxismo. A luta de classes também é negada e substituída pela “solidariedade nacional”. As classes sociais devem se unir em prol da nação.

      Outro aspecto repudiado pelo marxismo, mas que está presente na concepção nacionalista do fascismo, é o imperialismo justificado a partir de um conceito “biológico” do Estado.

      Para Benito Mussolini, a nação “é um organismo dotado de existência, de um fim, de meios de ação superiores em poderio e em duração aos indivíduos isolados e agrupados que a compõem… Unidade ética, política e econômica, realizam-se integralmente no Estado fascista”.

      Na Alemanha, surgiu a pregação de que o “organismo” Estado precisava de “espaço vital” que só poderia ser encontrada fora de seu território: Áustria, Dantzig, Polônia e Ucrânia foram os alvos do Estado nazista. É uma teoria que justifica o imperialismo.

      Excluir
    4. O nacional socialismo era nada a mais que um socialismo de caráter nacionalista (e não internacionalista como o marxismo), leia o livro "A História em Discursos" do Marco Antonio Villa, tem lá um dos discursos principais de Hitler por ocasião da Segunda Guerra onde ele explica o que é o nacional-socialismo, diz que existiam dois grandes males na humanidade que são o capitalismo e o individualismo, por isso ele criou o nacional-socialismo em oposição a ambos.

      Excluir
  22. Post genial, Banzoli! Quando estudei iluminismo inicialmente achei suas ideias boas e antes de estudar a história da Revolução Francesa pensei, já sabendo que ela é considerada o ápice do iluminismo, "Então eles devem ter lutado por uma boa causa". Vemos que não foi bem assim, mesmo que a França estivesse de fato passando por uma situação ruim, não houve só coisas boas no período revolucionário.

    Estava refletindo ontem sobre a relação do protestantismo e o ateísmo e cheguei a conclusão de que o fato de os países de tradição protestante estarem entre os mais seculares (desconsidero o termo "ateu" pois isso é um grau acima. Secularismo pode ser identificado como desvalorização da religião mas não exatamente a descrença em Deus) se deve em grande parte ao materialismo (que acompanha a riqueza das pessoas e sabendo que os protestantes são mais ricos, infelizmente são atingidos pela valorização excessiva aos bens materiais, mesmo que não sejam todos), pelo individualismo e pelo liberalismo.

    Os protestantes sempre foram mais liberais historicamente, sendo que pelo simples fato de buscarem tolerância religiosa já eram considerados liberais pelos católicos. O problema foi quando o liberalismo atingiu a teologia a partir do século passado, formando a teologia liberal e trazendo conceitos negativos a igreja que fez com que ela diminuísse seu impacto na sociedade. Qual a relação disso tudo com o assunto? Alguns ideais iluministas foram abraçados pelos protestantes ou já tinham sido antes mesmo dos filósofos proporem os mesmos, o que teve seu lado positivo e negativo, já que vemos que a Revolução Francesa fez se espalhar a secularização e o racionalismo que por sua vez levaram ao ceticismo, agnosticismo e ateísmo pelos países europeus.

    Uma pergunta, você acha que se a Revolução Francesa tivesse mantido um perfil como no Diretório quando a alta burguesia governava teria sido melhor ou menos violenta? Digo, o período do terror trouxe uma péssima imagem a Revolução, mesmo que tenha havido outros pontos para que ela ficasse com essa imagem negativa, e eu pensei que talvez se os girondinos tivessem governado desde o início ela não teria esse período horrendo e levaria ao governo de Bonaparte de qualquer maneira, que trouxe um impacto relativamente positivo ao mundo contemporâneo mesmo que trouxesse alguns pontos negativos. Você concorda com a ideia de que se os jacobinos e os montanhenses não tivessem chegado ao poder ela teria sido mais pacífica?

    Por fim, termino fazendo uma pergunta meio fora de tópico: O que você acha do Oliver Cromwell? Vi que ele era bem autoritário e chegou a ser considerado genocida na Irlanda, o que contrasta com o perfil protestante predominante da época. Mesmo assim, vi que foi graças a ele que se formou a Commonwealth e que a Inglaterra se ergue como potência naval e econômica, implantando o liberalismo econômico. Qual sua opinião geral sobre ele?

    Fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade o liberalismo teológico não tem muito a ver com outras formas de liberalismo (político, econômico, etc), não devemos nos enganar apenas por causa da nomenclatura em si que é dada. Por exemplo, nos EUA não existe o termo "esquerdistas", em vez disso eles chamam de "liberals" (liberais), que é uma nomenclatura oposta à que nós usamos aqui (porque aqui o termo "liberal" é aplicado para quem é de direita, e lá para quem é de esquerda). O liberalismo teológico nasceu quando céticos começaram a questionar a Bíblia, especialmente a parte dos milagres já que eles eram na melhor das hipóteses deístas, que não creem em intervenção divina de qualquer natureza. Por isso colocaram de lado todo o fator sobrenatural das Escrituras e começaram a reinterpretar tudo, isso realmente fez muito mal à teologia mas se trata mais de uma infiltração secular no âmbito da teologia do que propriamente de uma adesão do protestantismo em si, tanto é que pouquíssimos teólogos liberais irão se assumir como protestantes, 99% deles não creem na Bíblia e nem no Deus cristão.

      Essa história de "genocídio" na Irlanda é uma história bem mal contada, o que ocorreu foi uma guerra em consequência de massacres católicos que a precederam, e nessa guerra morreram muitas pessoas, inclusive alguns inocentes (como infelizmente ocorre em qualquer guerra). Mas não houve um "genocídio" e nem nada do tipo. Cromwell foi um homem de fé que transformou súditos em cidadãos, libertando a Inglaterra de um regime absolutista que desejava voltar o país ao catolicismo. Ademais, um "tirano" não é definido pelo poder que possui (se fosse assim qualquer rei absolutista seria um "tirano" por definição), mas pelos atos crueis que pratica. Cromwell defendeu a liberdade de fé (ainda que privada, numa época em que ainda não existia o "Estado laico"), reautorizou a volta dos judeus à Inglaterra expulsos desde o católico Eduardo I em 1290, protegeu os protestantes perseguidos em todo o continente (não à toa o título de "Lorde Protetor") e nunca tomou as medidas autoritárias de seu antecessor Charles I, que aumentava os impostos desmedidamente mesmo sem a aprovação do Parlamento. Vale ressaltar que a Inglaterra vinha de uma instabilidade política muito grande; seu antecessor também havia suspendido o Parlamento, e depois da guerra civil a instabilidade não foi superada tão cedo, o que levou à criação de dois "Parlamentos do Protetorado" nos anos seguintes à dissolução do parlamento que então existia. Nós não devemos olhar para a Inglaterra do século XVII com o mesmo olhar que temos para um país do século XX ou XXI; naquela época coisas como suspender o Parlamento ou governar com amplos poderes eram infelizmente muito mais comuns.

      Excluir
    2. Realmente, são tipos de liberalismo diferentes. Fiz uma comparação porque inevitavelmente há alguma relação, dependendo de como classificamos o termo. Por exemplo, os que se consideram liberais nos EUA apoiam atitudes contrárias ao ensino bíblico como casamento gay e interpretações bizarras e no mínimo estranhas em relação a Bíblia e a Deus (alguns chamam Deus de "força" ou algo do tipo e desmerecem muito a veracidade bíblica, mesmo que isso seja bem mais comum no Canadá).

      Ficou meio misturado, mas acho que deu pra entender haha.

      Realmente esse pessoal não é de fato cristão e afirmavam absurdos como "Deus se revela em todas as religiões", o importante é "sentir Deus", entre outras frases contrárias as Escrituras. Uma pena que muitas tradicionais adotem essa postura ou uma semelhante, mesmo que isso ainda não tenha chegado com força no Brasil. Acho que é por isso que elas caem tanto na Europa, infectadas com esse vírus.

      Obrigado pelo esclarecimento sobre Cromwell. Eu tinha uma visão completamente diferente dele mas no fim vi que não era como eu pensava. Vi uma frase que dizia que ele o "intolerante que pregava a tolerância" e que chegou a condenar pessoas sem julgamento. Ainda desejo me aprofundar mais sobre a sua vida, mas o que você disse já foi de grande ajuda.

      Por sinal, acho muito bom essa união que você faz entre teologia e história. Sou presbiteriano desde que nasci e um dos meus pastores tem formação semelhante, o que me trouxe o interesse de quem sabe seguir esse rumo na faculdade.

      Seu blog é o que mantém minha sanidade depois de visitar aberrações como Caia Farsa e O Catequista, sendo o último um dos piores que eu já li e cheguei a tentar contestar nos comentários um de seus artigos mas não obtive resposta.

      Abraços!

      Excluir
    3. O "Cai a Farsa" é aquele blog do Fernando Nascimento, que nunca leu um livro na vida (não estou brincando e nem satirizando), apenas copia e cola referências de sites católicos americanos que vai pincelando na internet, por isso a referenciação dos artigos dele é sempre tão bizarra, a maioria é de livros em idiomas que ele nem sabe quais são. O nível de amadorismo histórico deles também é bizarro, ultrapassa o nível do ridículo, no artigo da caça às bruxas deles eles simplesmente não sabiam que a metade sulista da Alemanha era católica e citavam os crimes na Alemanha colocando-os todos na conta do protestantismo, aí quando você vai conferir todos os nomes citados e todos os estados citados eram todos da parte católica da Alemanha. Quando eu entrei para a apologética aos meus 16 anos e era completamente ignorante de história eu lia os artigos "históricos" deles e ficava de boca aberta, hoje eu dia eu só abro a boca pra gargalhar mesmo de tanta pérola e bizarrice, é simplesmente impossível achar uma única informação verdadeira ali, é inacreditável mesmo. "O Catequista" entra pelo mesmo caminho, com a diferença de que tentam dar uma pitada de "humor" nos artigos, o que acaba transformando em pura comédia mesmo (o "Cai a Farsa" pelo menos tenta se vender como uma coisa séria). Em uma única página dos meus livros você encontra mais referência bibliográfica do que no livro inteiro deles das "grandes mentiras sobre a Igreja Católica", que deveria ser renomeado e se chamar "as grandes mentiras DA Igreja Católica", é o tipo de material que só burro lê (com o perdão da expressão).

      Excluir
  23. Banzoli, qual foi o evento crucial que fez a ICAR perder de vez todo o seu poder, a renascença, a reforma protestante, ou o iluminismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu diria que uma soma dos três (junto com outros fatores), o mais importante foi a Reforma por ter ocorrido no ápice do papado, mas o mais "culminante" foi o iluminismo porque tirou o poder da Igreja nas próprias terras católicas.

      Excluir
  24. Lucas, qual sua opinião a respeito dos vikings e da cristianização da Escandinávia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assiste esse documentário, é o melhor que eu conheço sobre isso:

      https://www.youtube.com/watch?v=BqadPb3hja0

      Excluir
  25. Na vida eterna, duas pessoas que foram casadas na vida terrena e que receberam salvação poderão se relacionar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sexualmente não, porque Jesus disse que na ressurreição não haverá casamento pois seremos como os anjos neste sentido (Mt 22:30).

      Excluir
  26. Lucas uma dúvida: Você acha que a doutrina de interpretação católica tem traços de " gnosticismo " ? Os gnosticos alegavam que só eles chegariam a verdade através de um " conhecimento secreto " 0u experiências mística . Ora , não é exatamente que os católicos argumentam que o magistério faz ? Quando questionamos a exegese ou a tradição católica eles apelam para o jargão" Só o magistério interpreta " como se o conhecimento de grego , hebraico, exegese e história da igreja fosse nula em comparação A " experiência mística do magistério ! Concorda que tal doutrina é um pouca " gnostico?"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Inclusive a própria "tradição oral" que eles alegam é totalmente gnóstica, exatamente o mesmo tipo de tradição não-Escriturística que Irineu condenava na tradição gnóstica de seus dias (os gnósticos da época alegavam que receberam ensinamentos orais dos apóstolos que supostamente teriam sido conservados por tradição até aquele tempo, mesmo com estes ensinos contradizendo a Bíblia). Ou seja, na prática as duas tradições serviam/servem apenas como pretexto para ensinos que eles sabem que tiraram de lugar nenhum.

      Excluir
  27. Lucas você acha que a revolução francesa foi um juízo de Deus para a França por causa da perseguição e morte dos nossos irmãos Huguenotes ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não dá pra prescrutar a mente de Deus para saber se sim ou se não, mas é perfeitamente possível mesmo.

      Excluir
  28. Paz
    Lucas, você viu a ultima do seu amigo Astrolabio de Carvalho - https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2019/01/09/o-que-a-ciencia-diz-sobre-a-terra-ser-o-centro-do-universo.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse vídeo já é meio antigo, de uns anos atrás, mas nunca perde a graça.

      Excluir
  29. Banzoli, você acha que se levarmos em consideração as mortes causadas pelo ateísmo estatal e pelo darwinismo social esse pode ser o conjunto de ideias mais mortífero da história? Digo, muitos afirmam que as religiões mataram inúmeras pessoas e são o câncer do mundo, porém dificilmente são citado conflitos impulsionados pela religião e são envolvidos outros embates.
    Se levarmos em consideração que o ateísmo serviu de base para as milhões de mortes de religiosos nos países comunistas e também para o racismo e nacionalismo massivamente impregnado na Europa a partir do século XIX ele pode ser considerado uma "ideologia nociva"?

    ResponderExcluir
  30. ´´porém o problema da Inglaterra nao tao simples assim, a Igreja Anglicana está infestada de Pastores Ateus e Progressistas, o Liberalismo Teologico os dominou completamente. Hoje gracas a influencia dos Socias Democratas a Cultura Conservadora Protestante está quase morta.´´

    Não acho que a decadência da cultura protestante da Inglaterra seja culpa somente dos sociais democratas,porque estive analisando os governos do Reino Unido dos últimos 40 anos e nesse período o Partido Conservador ficou mais tempo no poder do que o Partido Trabalhista(que é de centro esquerda,social democrata,nem é uma esquerda radical igual o PT)

    Margaret Thatcher 4 de maio de 1979 28 de novembro de 1990 Partido Conservador
    John Major 28 de novembro de 1990 2 de maio de 1997 Partido Partido Conservador
    Tony Blair 2 de maio de 1997 27 de junho de 2007 Partido Trabalhista
    Gordon Brown 27 de junho de 2007 11 de maio de 2010 Partido Trabalhista
    David Cameron 11 de maio de 2010 13 de julho de 2016 Partido Conservador
    Theresa May 13 de julho de 2016 -Partido Conservador

    De fato o cristianismo inglês perdeu fieis nas últimas décadas,mas o conservadorismo em si não,tanto que nos últimos 40 anos,ficaram no poder por 27 anos(Thatcher 1979-1990,John Major 1990-1997,David Cameron 2010-2016,Theresa May 2016) e os trabalhistas apenas por 13,Tony Blair 1997-2007,Gordon Brown 2007-2010,uma diferença enorme de tempo de poder em favor do Partido Conservador,então não é uma hegemonia da social democracia que faz o cristianismo britânico decair,já que não existe tal hegemonia,muito pelo contrário,os conservadores ficaram mais tempo no poder,diferente do Brasil,como veremos adiante

    João Figueiredo -15 de março de 1979 até 15 de março de 1985-Arena e PDS
    José Sarney-15 de março de 1985 até 15 de março de 1990-MDB
    Fernando Collor-15 de março de 1990 até 29 de dezembro de 1992-PRN
    Fernando Henrique Cardoso-1 de janeiro de 1995 até 1 de janeiro 2003-PSDB
    Luiz Inácio Lula da Silva-1 de janeiro de 2003 até 1 de janeiro de 2011-PT
    Dilma Rousseff-1 de janeiro de 2011 até 31 de agosto de 2016-PT
    Michel Temer-31 de agosto de 2016 até 1 de janeiro de 2019-MDB
    Jair Messias Bolsonaro-1 de janeiro de 2019 -PSL

    De todos esses citados,apenas João Figueiredo e Jair Bolsonaro se situam na direita,os demais são de centro(José Sarney,Fernando Collor e Michel Temer) e de esquerda(FHC,Lula e Dilma),ou seja,nos últimos 40 anos,os conservadores só estiveram no poder por 7 anos(6 do Figueiredo e o de 2019 que está sendo do Bolsonaro,a esquerda esteve 21 anos(8 do FHC,8 do Lula e 5 da Dilma),aqui sim no Brasil há uma hegemonia de esquerda e o número de evangélicos só cresce,no Reino Unido há hegemonia de direita e o número de evangélicos só cai,como vcs explicam isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente alguns desses são "conservadores" apenas no nome, como Margaret Thatcher, que era abortista e a favor do casamento gay.

      Excluir
    2. Como assim?conservador e abortista?e a favor do casamento gay?isso existe?

      Excluir
    3. "Como assim? conservador e abortista? e a favor do casamento gay? isso existe?"

      Não deveria existir, por isso eu disse que são "conservadores" apenas no nome (não na realidade).

      Excluir
  31. Poderias refutar esse texto tbm Banzolão? https://voyager1.net/historia/pare-de-achar-que-liberalismo-e-fascismo-sao-opostos/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É só um show de bobagens pra entreter gente burra, dá até preguiça de comentar, o cara já foi refutado nos próprios comentários do artigo, não vou nem perder tempo com isso.

      Excluir
  32. Banzolao e você acha que de fato o Daniel Mastral tinha poderes de se transformar em animais, de soltar energias e que de fato tenha participado de sacrificios humanos? Porque um canal do YouTube chamado Fatos&Verdades postou um vídeo questionando essas declarações dele,mas acabaram tirando devido ao triste acontecimento do suicidio do filho dele, eles alegaram que a Church of Satan não é uma vertente do satanismo que sacrifica humanos para Satã eeque se o Mastral tivesse participado ele deveria estar preso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se ele tinha esse poder mas ele nunca disse que foi da "Church of Satan", e sim da Irmandade (essa "Igreja de Satanás" não tem nada a ver com o satanismo real, é um tipo de cosplay infantil).

      Excluir
    2. Banzolao tratei de reler O Filho do Fogo e de fato o Mastral escreveu para a Church of Satan dos EUA quando era un adolescente ja muito interessado em ocultismo e quando estava na biblioteca em que ele descobriu o livro sobre satanismo foi abordado pelo Marlon, que diz a eleeser do akto escalão da Igreja de Satanas

      Excluir
  33. Mas eu tbm pensei que como o pessoal da Irmandade é bem poderoso, são politicos empresários poderiak matar pessoas, sacrificar sem aueqfossem punidos, mas pelo que o Mastral conta a Irmandade faz parte da Church ofoSatan fundada pelo Lavey? Eu li o Filho do Fogo quando era adolescente já nao lembro de alguns detalhes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Banzolao pelo que eu entendi do livro muitos da Irmandade frequentam a Church of Satan mas a Irmandade é uma organização tão secreta que muitos dos próprios satanistas cosplay os mais light nem sabem de sua existência

      Excluir
  34. Qual a sua opinião sobre métodos contracetivos? eu até sei q vc é a favor, quero saber o pq com uma argumentação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (1) Ajuda no planejamento familiar para não gerar uma multidão de filhos descontroladamente sem ter condições de cuidar, alimentar e educar a todos, que no fim das contas serão criados "na rua" com boas chances de se tornarem marginais; (2) ajuda no combate à AIDS e a outras doenças sexualmente transmissíveis que podem matar um indivíduo ou causar grande sofrimento (só isso já seria o suficiente para condenar como absurdo aqueles que se opõem à camisinha, por exemplo); (3) respeita a liberdade de escolha do indivíduo e sua autonomia para decidir se vai querer ter um filho ou não (isso é diferente do aborto, onde já existe um filho); (4) evita o caos da superpopulação nos grandes centros urbanos e da miséria generalizada, sendo portanto uma política de saúde pública; (5) evita surtos ainda maiores de gravidez indesejada, de moças que tem filho sem saber quem é o pai, de crianças abandonadas e até de abortos.

      Excluir
  35. Lucas, você já assistiu o filme "1492: A Conquista do Paraíso", se sim, o que você achou desse filme? É um filme biográfico sobre Cristóvão Colombo e a descoberta da América.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não assisti, mas é bom? Se for eu assisto.

      Excluir
    2. É bom, tem muito conteúdo histórico bom e está de acordo com as fontes acadêmicas, vou madar o filme para você.

      Excluir
    3. Aqui, tá disponível no YouTube:

      https://youtu.be/Aw8k2YCvzzQ

      Excluir
    4. Espero que você goste, depois me diga o que você achou desse filme e o que mais lhe intrigou.

      Excluir
    5. Terminei de assistir, muito bom mesmo, obrigado pela recomendação!

      Excluir
    6. Ótimo, vou te falar, esse filme tem realmente muita precisão histórica e outra coisa que eles ainda fizeram questão de mostrar (e mostraram muito bem) foi a verdadeira face da Igreja Católica da época e a Inquisição, bem como as tentativas forçadas de catequizar os indígenas. Realmente, estou muito feliz por você ter visto esse filme, espero que ele lhe seja útil em um artigo futuro. Abraços, fica com Deus

      Excluir
    7. Verdade, e também destacaram o importante fato de que Colombo queria chegar às Índias para comercializar com um povo que estava muito à frente deles na época, o que refuta a tese da supremacia do Ocidente anterior ao século XVI e de que a Igreja Católica "construiu a civilização ocidental" (quando na verdade o que ela "construiu" foi o ocidente da época em que era o subúrbio do mundo então conhecido).

      Excluir
  36. Banzoli, você acha que existe salvação para os desigrejados?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comento sobre isso neste artigo sobre o tema:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/07/o-que-dizer-sobre-os-desigrejados.html

      Excluir
  37. Lucas o que você acha das novelas bíblicas da Rede Record?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não costumo assistir novelas e dessas bíblicas eu assisti só a do rei Davi, e mesmo assim parcialmente (menos da metade, eu acho). Na verdade essas novelas são uns 5% "bíblicas" (na melhor das hipóteses), os outros 95% são de coisas que eles inventam nas narrativas, então não sei se dá pra chamar de "bíblico" propriamente dito. Eu até entendo o porquê que eles fazem isso, não dá pra fazer meses de novela com episódios de 1h de duração todos os dias apenas com o material que a Bíblia oferece, então eles precisam adicionar narrativas, o que pode até abrilhantar a trama mas em contrapartida tira o elemento bíblico e a torna mais próxima de uma novela comum como qualquer outra, com apenas um fundo "bíblico". Pessoalmente falando eu não gosto da atuação dos atores, acho bem superficial, embora a Record já tenha feito novelas com atuações razoáveis. O enredo do rei Davi até foi até aceitável, dava pra assistir, mas aquelas outras do "Apocalipse", do "Rico e Lázaro" e outras que eles fizeram foram miseravelmente ruins, eu não consegui continuar assistindo mesmo quando me pediam para assistir. A melhor e talvez única novela realmente boa que a Record já fez foi a da Escrava Isaura, que não à toa eles repetiram umas duas mil e quinhentas vezes. Mas ainda assim nada vai jamais superar "A Feia mais Bela".

      Excluir
  38. Banzoli me tire uma dúvida, por que é que a Carta aos Hebreus possui esse nome sendo que os Hebreus deixaram de existir quando foram divididos entre o Reino de Judá (cujos habitantes eram chamados de judeus) e o Reino de Israel (cujos habitantes eram chamados de israelitas)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Hebreus" é um termo genérico da mesma forma "israelitas", abrange as tribos dos dois reinos, uma forma de dizer que para Deus não havia mais essa divisão, eram todos um só. Hoje em dia termos como "judeus" ou "israelitas" não se referem mais somente a quem é da tribo de Judá ou das tribos do norte, qualquer descendente de Jacó (Israel) é chamado assim independentemente de qual tribo pertence, até porque eles se misturaram muito entre si ao longo dos séculos.

      Excluir
  39. O que devemos fazer com os escândalos da igreja(Caso Bianca Toledo,adúlterio,corrupção e etc)como devemos agir?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não conheço essa tal Bianca Toledo e muito menos o suposto escândalo que a envolve, mas em casos assim devemos agir conforme a recomendação de Cristo:

      “Se o seu irmão pecar contra você, vá e, a sós com ele, mostre-lhe o erro. Se ele o ouvir, você ganhou seu irmão. Mas se ele não o ouvir, leve consigo mais um ou dois outros, de modo que ‘qualquer acusação seja confirmada pelo depoimento de duas ou três testemunhas’. Se ele se recusar a ouvi-los, conte à igreja; e se ele se recusar a ouvir também a igreja, trate-o como pagão ou publicano” (Mateus 18:15-17)

      Excluir
  40. O que tu achas da MISSA TRIDENTINA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui uma missa tridentina avalie https://youtu.be/fapDesTVSvw

      Excluir
    2. Qual a diferença entre elas????

      Excluir
    3. "Por que?"

      Pra começar, porque é toda em latim.

      "Aqui uma missa tridentina avalie https://youtu.be/fapDesTVSvw"

      Tentei assistir cinco minutos mas dormi.

      "Qual a diferença entre elas????"

      Aqui tem as diferenças entre ambas (explicadas por um tradicionalista fanático que repudia a missa nova):

      https://www.fsspx.com.br/as-62-razoes-para-nao-assistir-a-missa-nova/

      Excluir
    4. Deve ser horrível ser uma criança e ter que frequentar estas igrejas católicas cheias de imagens e quadros pra todo lado (normalmente mostrando Jesus sangrando e crucificado) e até mesmo destas igrejas que tem estas musicas em latim etc, deve dar mó medo pra elas (minha mãe que era católica quando criança tinha medo da casa da minha vó que era cheia destas imagens e quadros).

      Excluir
    5. Deve ser mais assustador do que palhaço assassino.

      Excluir
  41. Lucas você conhece a banda Ghost BC? E acha que é errado um cristão ouvir essa banda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço essa banda. Agora que você me falou dela eu fui dar uma olhada em um vídeo de música deles e não me pareceu dos mais recomendáveis...

      Excluir
    2. Eles são uma espécie de "paródia satânica" da ICAR, mas segundo o próprio líder da banda não há verdadeira adoração a satanás nem satanismo de verdade, mas que tudo não passa de um "ato teatral" que faz parte do conceito da banda, e em outra entrevista ele disse que a crítica da banda não é a Deus, e sim aos homens.
      Eu particularmente acho bom o som deles, mas confesso que as letras são bem pesadas. Agora to na dúvida se continuo ouvindo ou não hshshshs.

      Excluir
    3. Se tem dúvida é melhor não ouvir (seguindo o princípio de Romanos 14:23). Além disso eu duvido que seja melhor que Skillet ou outras bandas do tipo ;p

      Excluir
    4. Sem dúvida! Skillet é lenda.

      Excluir
  42. Banzoli, o que você acha do Ed René Kivitz?
    Eu gosto muito das pregações dele, mas ultimamente vi algumas falas dele (não sei ao certo de quanto tempo atrás) que me faz pensar que ele ou tem uma visão tendente ao socialismo/ comunismo, ou ao menos que tem uma certa simpatia por essas ideologias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu penso igual você, as pregações dele são muito boas, mas quando ele fala de política "calado é um poeta". Eu não sei se ele se declara comunista mas é um esquerdista assumido, vi uma entrevista onde ele diz que "o Estado tem que ser grande e forte" e criticava o liberalismo com o tipo de argumento de quinta série. Enfim, não é algo que vá prejudicar a salvação dele e nem que me impeça de continuar assistindo suas pregações edificantes, mas que é meio deprimente é.

      Excluir
  43. Lucas, pra você qual a melhor maneira de evangelizar os pais não convertidos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dando o exemplo na conduta de vida, como Pedro diz (embora em outro contexto, que creio que também se aplique a este outro caso):

      “Do mesmo modo, mulheres, sujeitem-se a seus maridos, a fim de que, se alguns deles não obedecem à palavra, sejam ganhos sem palavras, pelo procedimento de sua mulher, observando a conduta honesta e respeitosa de vocês” (1ª Pedro 3:1-2)

      E é claro, se a oportunidade surgir, falar de Jesus pra eles, afinal ninguém se converte apenas pelo silêncio. Mas evitar ser o tipo de "crente chato" que fica tentando converter a mesma pessoa o tempo todo falando disso sem parar, porque aí eles vão te achar um tipo de fanático e vão querer distância desse Cristianismo.

      Excluir
  44. Lucas, qual a sua opinião sobre a obsessão de Donald Trump em construir um muro na fronteira com o México?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem que construir o muro, mas não com o dinheiro do México e muito menos passando por cima do Congresso, como alguém que quer cumprir uma promessa de campanha "a qualquer custo".

      Excluir
    2. Lucas, não tenho números mas a sua opinião não parece ser da maioria dos americanos. Concordas?

      Excluir
    3. Qual parte da minha opinião? A que a muro tem que ser construído, a que não se deve passar por cima do Congresso ou a que não tem que ser com o dinheiro dos mexicanos?

      Excluir
    4. Que o muro não deve ser construído. É desperdício de dinheiro público, elefante branco. Na opinião deles existem maneiras mais eficientes de resolver/amenizar o problema. É o que parece vendo o problema a distância.

      Excluir
    5. Bom, o Trump foi eleito tendo isso como uma das principais promessas de campanha, então essa coisa de que "a maioria dos americanos" discorda não parece ser verdade, quando muito deve ser a opinião da outra metade do país. E eu não vejo meios mais eficientes de se resolver o problema, se houvesse já teriam sido feitos nesse tempo todo, mas o problema da imigração ilegal só piora.

      Excluir
  45. O termo "reacionário", no debate político brasileiro - e talvez mundial - tem um conceito um pouco diferente abordado por você, lucas. Uma pessoa é considerada reacionária, no debate político, quando mantém uma posição antiesquerdista, isso inclui os liberais, conservadores e tradicionalistas católicos ultraradicais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é o espantalho que a esquerda cria, da mesma forma que acusam todos os direitistas de serem "fascistas" (ou seja, pegam um determinado rótulo e o distorcem para aplicá-lo a quem quiser). Eu já abordei isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/12/nao-se-engane-ha-diferenca-entre-um.html

      Excluir
    2. Eu estive pensando se, as vezes, nós evangélicos somos muito paterialistas com certos católicos tradicionalistas. Veja bem: certos católicos mais radicais chamam pejorativamente as igrejas protestantes de seitas, afirmam que o protestantismo é responsável pelos males da modernidade, pelo secularismo etc. Enquanto certos protestantes chamam a denominação romana de igreja católica, igreja romana, afirmam que as cruzadas salvaram o Ocidente dos mulçumanos, que a inquisição colaborou com a formação do direto penal moderno, etc. Eu penso que nós evangélicos devemos aplicar os conceitos da guerra política divulgados pelo Luciano Ayan nesse debate. Se um católico tradicionalista chama as igrejas protestantes de seitas, nós deveríamos nos referir a denominação deles não como igreja católica ou igreja romana, mas sim como seita papista, seita romana, romanismo, organização mariolatra. Agora, se numa discussão, um católico se refere as igrejas protestantes respeitosamente, ai sim podemos chamar a igreja deles de igreja católica ou igreja romana. Esse é o meu pensamento.

      Excluir
    3. Eu concordo com o que você disse, mas em artigos como esse está ok falar "Igreja Romana" e etc, já que a princípio eu não estou me dirigindo a nenhum fanático em específico (e deve ter católicos comuns e sinceros acompanhando os artigos, que não se referem ao protestantismo como seita embora possam pensar assim).

      Excluir
  46. Banzolao e a que vc atribui a queda dodprotestantismo na Europa e oo crescimento deste no Brasil? Nao é so o secularismo europeu pq no Brasil também temos algo semelhante com doutrinação marxista nas escolas e universidades além de termos tidos 21 anos d governos esquerdistas seguidos, 8 do FHC, 8 de Lula e 5 de Dilma com os últimos sendo bem esquerdistas radicais, procurando atacar os valorrs cristãos, querendo divulgar ideologia dedgênero, mesmo assim os evangélicos sos cresceram no Brasil nesse periodop a que vcvatribui esse fato?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Cristianismo caiu na Europa porque eles pensam que já tem tudo e não "precisam" de um Deus. O Cristianismo cresce aqui porque as pessoas ainda precisam de algo que sacie a sede espiritual delas, e como o catolicismo não é capaz de lhes oferecer isso elas encontram nas igrejas evangélicas. Mas quando o Brasil alcançar o mesmo padrão de vida europeu muita gente vai virar as costas para Deus da mesma forma que os israelitas se esqueciam de Deus quando estavam "na melhor" e depois se voltavam desesperados para Ele quando estavam "na bad" (e isso se repetia ciclicamente até os cativeiros da Assíria e da Babilônia). Mas existe um aspecto positivo nisso, porque o crente que tendo tudo ainda assim não se esquece de Deus é um crente de verdade, e não um mero interesseiro como tantos que existem hoje, que só buscam a Deus por interesses materialistas ou para se livrar de alguma tribulação ou aflição. Há bem menos crentes na Europa em geral do que no Brasil, mas o número de crentes sinceros talvez seja o mesmo.

      Excluir
  47. Você é a favor da redução da maioridade penal?Se sim até os 16 ou 14 anos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou a favor da reducação, como escrevi aqui:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com/2015/07/resumidamente-por-que-sou-favor-da.html

      Sobre a idade específica, eu não acho que deveria existir uma. Uma criança de dez anos que assassina alguém talvez seja um perigo em potencial ainda maior que um marmanjo de 30 e tantos que faça o mesmo, é alguém que apresenta sérios sinais de psicopatia e que tem de tudo para continuar matando muito mais se nada for feito (eu me lembro de um caso de duas crianças inglesas que mataram um bebê ao atirá-lo propositalmente na frente de um trem em movimento, se elas tem esse tipo de mentalidade quando crianças imagine quando adultas), inclusive a maioria dos serial-killer começaram matando quando crianças, desde muito cedo. Neste caso que ocorreu na Inglaterra (salvo engano) essas crianças foram presas, mas se fosse aqui no Brasil sairiam impunes e presumivelmente continuariam matando até chegar aos 18 anos.

      O que deve diferenciar a criança do adulto não é a maioridade penal em si, mas sim o lugar em que ficará afastada da sociedade. Uma criança dessas de 10 anos não deve ser presa junto com criminosos de 40 anos, tem que ser presa com crianças da sua faixa etária, e dependendo da idade pode receber uma pena mais leve do que a prisão perpétua dada aos adultos, se demonstrar bom comportamento e provar que aprendeu com os seus erros (por exemplo, uma criança assassina de 12 anos poderia receber uma nova oportunidade após uns 15 anos presa, mas não a impunidade total que existe aqui no Brasil). Ou seja, todo ser humano que comete crimes graves deve pagar criminalmente por eles, mas a forma, o lugar e o tempo deve variar de acordo com a faixa etária e as circunstâncias do crime, é assim que eu penso.

      Excluir
  48. Exato. Se tu for analisar, Lucas, existe uma constância histórica: a maioria dos regimes totalitários foram precedidos por outros regimes autoritários/totalitários com semelhantes graus de opressão, com a diferença de terem confissões ideológicas opostas. Além da França do séc. XVIII que foi citada neste artigo, em que a revolução jacobina surgiu como oposição ao absolutismo monárquico, podemos citar:
    1) A Rússia em 1917, quando o comunismo surge em oposição ao absolutismo czarista;
    2) Em Cuba de 1959, quando o castrismo surge em oposição à ditadura de Fulgencio Batista;
    3) No Brasil de 1889, quando a república autoritária e positivista surge em oposição à monarquia católica e proto-absolutista;
    4) No Brasil durante a “Nova República”, quando a esquerda assume o monopólio político se aproveitando da oposição exercida contra o Regime Militar;
    5) Na própria China do séc. XX, onde o comunismo chegou ao poder se aproveitando de um passado de absolutismo dos imperadores e da Ocupação Japonesa;
    6) Em diversos países da África e da Ásia no séc. XX, onde um passado de colonização abriu o caminho pra a implantação de inúmeras ditaduras quando esses países se tornaram independentes.
    Em suma, avaliando a história é quase raro (pra não dizer que nunca) o caso de um país que "era um lindo condado hobbity, mas que foi subitamente destruído por um exército de orcs malvadões". Esse maniqueísmo é ridículo até. Uma possível explicação um tanto óbvia é que uma população submetida há anos e anos de agressões tende a se agarrar a qualquer oposição violenta contra esse sistema de opressão, mas sem pensar se este novo regime será tão ou mais opressor (isso pode explicar inclusive o porquê de muitos países católicos caírem em ditaduras comunistas e seculares radicais).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom o seu comentário, entra pro rol de melhores comentários já feitos aqui, bem esclarecedor mesmo.

      Excluir
    2. Eu chamo esse processo cíclico de "círculo autocrático" e é bem recorrente em toda a história humana. A visão de Daniel sobre os 4 reinos é um exemplo bem claro disso.

      Excluir
    3. Inclusive isso nos serve de alerta pro atual momento, Lucas. Da mesma forma que a esquerda petista, cuja oposição ao regime militar os deu "apoio moral" para depois montar um projeto tirânico de poder, o mesmo pode acontecer com o governo bolsonaro que, por oposição ao petismo, abraçou o olavismo. Se Bolsonaro continuar sendo pautado por olavo de carvalho, o seu governo tomará uma série de ações autoritárias principalmente contra os não-católicos. E assim por disso tudo este mesmo governo estará desmoralizado e irá cair, abrindo espaço ou para o próprio PT voltar ou para surgir uma esquerda reformulada como a de Ciro Gomes. E assim continua-se o "círculo autocrático" que citei. O desafio dos democratas é quebrar este círculo.

      Excluir
  49. O que acha desse vídeo, Lucas?:https://youtu.be/ikJ9x4Epq10

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Nando deu uma resposta sobre a parte que fala dos "Mestres do Capitalismo" aqui (na verdade é mais o cara do curso falando e se explicando, na minha opinião de forma coerente):

      https://www.youtube.com/watch?v=oxbzSddS_pE

      Até o momento não houve uma contra-resposta do "Normose".

      Excluir
    2. Eu achei bem forçasão de barra a parte que esse Normose cita versos bíblicos para dizer que a Bíblia condena quem é rico ou quer ser rico.(eu já dei a minha opinião sobre isso em um comentário em outro artigo seu, mas não lembro agora qual foi. Vou pesquisar aqui, e depois linkar aqui)

      Deus lhe ilumine!

      Excluir
    3. Nessa parte específica eu até concordo com o Normose, porque o problema do Nando não é ser rico, é fazer questão de ostentar sua riqueza pra mostrar pra todo mundo o quanto é rico (por exemplo, fazendo questão de gravar vídeos em todos os cômodos da sua mansão e com um V8 atrás). Isso vai totalmente contra a modéstia cristã.

      Excluir
    4. Também não acho certo ficar saindo por ai ostentando o quão rico você é, mas ao meu ver, parece que ele(Normose) tentou falar que querer ou ser rico é condenável bíblicamente; coisa que é falácia.

      Deus lhe ilumine!

      Excluir
  50. Oi Lucas, curiosamente ainda não vi nenhum artigo seu refutando as objeções judaicas quanto ao Cristianismo (se houver algum me indique por gentileza).

    Lendo a respeito do Bode para Azazel resolvi fazer uma breve pesquisa sobre o que os Judeus fazem para expiar seus pecados atualmente e me deparei com esse site:

    http://judeusparaojudaismo.blogspot.com/2014/03/sem-os-sacrificios-do-templo-como.html

    Na oportunidade o escritor coloca em cheque o sacrifício de Jesus pela expiação dos pecados do mundo.

    Aproveitando, pergunto também se é correto pararmos de escrever a palavra "Deus" com e substituindo por "D'us" para nos referirmos ao Todo Poderoso como os Judeus fazem para não "tomarem seu santo nome em vão" ou mesmo "como forma de reverência e temor". Já vi crentes adotarem essa prática.

    Abs e fica na Paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, pegando carona no comentário da Raíza, mas, eu, sinceramente não vejo justificativa lógica nenhuma em não escrever ou pronunciar o nome de Deus ou, em outras palavras, qual é a irreverência em escrever ou pronunciar o de Deus? Se você tiver, perdoe minha ignorância e me informe porque gostaria de saber. Obrigado amigo. Que o Espírito Santo te ilumine.

      Excluir
    2. Olá, tudo bem? Vamos lá:

      1) Eu não se de onde ele tirou que o autor de Hebreus estava fazendo uma citação de Levítico 17:11. Isso só ele descobriu (nada no próprio texto aponta isso).

      2) O autor de Hebreus não diz que todas as coisas são purificadas com sangue, mas sim que QUASE todas as coisas são purificadas com sangue (é o que diz a primeira parte do verso), ou seja, ele não desconhecia essas exceções na lei que ele cita.

      3) A segunda parte do verso não parece estar diretamente relacionada com os sacrifícios no altar em si (senão seria apenas uma repetição e até uma certa contradição com o que havia acabado de dizer), mas sim uma aplicação cristã que ele faz com o sacrifício de Cristo. Ou seja, ele diz que "segundo a lei quase todas as coisas são purificadas com sangue" (é só nessa parte que ele faz alusão à lei), e depois complementa dizendo que "sem derramamento de sangue não há perdão" (essa outra parte não é uma continuação do que a lei diz, mas sim a realidade cristã sob a ótica do sacrifício de Cristo, pois se Jesus não tivesse se sacrificado por nós ninguém teria sido salvo, nem aqueles que morreram antes de Cristo ou que não viveram sob a lei). Ou seja, foi o derramamento do sangue do Cordeiro de Deus que garantiu a nossa salvação eterna através do sacrifício que ele fez por nós.

      4) O fato de Jesus ter morrido numa cruz e não no altar, e por asfixia e não por sangramento, é completamente irrelevante já que todo mundo sabe que o que está em vista é o sacrifício que ele realizou por nós, e não o sangue "per se". Por exemplo, a Bíblia diz que "o sangue de Jesus nos purifica de todo pecado" (1Jo 1:7), mas o que purifica é obviamente o próprio Cristo, e não seu sangue sozinho (como se o sangue por si mesmo tivesse poderes mágicos). Inclusive já vi católico usando esse texto para "provar" que Maria também salva porque ela tinha o mesmo sangue de Jesus (e "o sangue de Jesus salva"...), tomando ao pé da letra a questão do sangue da mesma forma que o judeu faz no texto. O que está em jogo é o sacrifício, o ato de morrer por nós, o sangue é apenas o que evidencia isso, o que mostra que derramou sua vida por nós (pois a vida da carne está no sangue, como já dizia Levítico).

      Excluir
    3. 5) A objeção dele de que Jesus não poderia ter morrido por nós senão seria um sacrifício humano e Deus não aceita sacrifícios humanos também é bem fraca, já que os sacrifícios que Deus não permite nos textos aludidos eram o de crianças sacrificadas em holocausto a deuses pagãos. O sacrifício de Jesus em nada tem a ver com isso, ele era Deus e com total autonomia sobre seus desejos e intenções, e nessa plena autonomia decidiu livremente vir ao mundo como homem mesmo sabendo que seria preso e morto, porque isso resultaria em um bem maior para a humanidade. Isso é totalmente diferente de pegar uma criança inocente e apunhalá-la até a morte para honrar deuses que não existem, como os pagãos faziam e como Deus obviamente repudiava.

      6) Eu devo acrescentar aqui que se a lei não apontava para nada maior (como ele defende no artigo), então era uma lei incompreensível e até certo ponto bizarra, como se Deus precisasse do sacrifício de animais quando ele mesmo reconhece no texto que isso não era necessário nem naquela época para o recebimento do perdão. Então por que raios se matavam animais? Ou isso era um sacrifício totalmente inútil e sem sentido, ou tipificava algo maior que estava por vir (como creem os cristãos). Se a lei já é a realidade em si mesma e não “a sombra dos bens vindouros” (Hb 10:1), então ela toda é incompreensível e cheia de furos, com prescrições sem sentido e exigências desnecessárias, além de rituais excêntricos e esquisitos que não apontavam a nada maior e nem simbolizavam coisa nenhuma (ou seja, era o rito pelo próprio rito e nada a mais que isso). Isso tornaria o Judaísmo a religião mais estranha do mundo, por isso ele só faz sentido quando é acompanhado pela luz maior do Cristianismo, que é o complemento da lei que dá razão a ela.

      7) Por fim, escrever “D’us” ao invés de “Deus” é pura frescura, nenhum autor bíblico do Antigo ou Novo Testamento escrevendo em hebraico ou em grego jamais fez uso de tracinhos para falar de Deus, eles simplesmente escreviam o nome dele naturalmente (no NT inclusive o termo usado é “theos”, que era também o nome utilizado pelos gregos para se falar das divindades deles, e nem por isso os escritores bíblicos hesitaram em escrever assim). Eu também gostaria muito de saber se quando esses caras falam sobre Deus eles usam o “tracinho” também, ou se pronunciam “Deus” igual a nós (será que Deus não permite que se escreva o nome dele mas permite que se fale?).

      Abs!

      Excluir
    4. "Lucas, pegando carona no comentário da Raíza, mas, eu, sinceramente não vejo justificativa lógica nenhuma em não escrever ou pronunciar o nome de Deus ou, em outras palavras, qual é a irreverência em escrever ou pronunciar o de Deus? Se você tiver, perdoe minha ignorância e me informe porque gostaria de saber. Obrigado amigo. Que o Espírito Santo te ilumine"

      Também acho, é o que comentei no ponto 7. Pra mim não passa de frescura mesmo.

      Excluir
    5. Muito bem professor, Lucas. Sua resposta foi magnífica. Se tirar fora o “e” a pronúncia fica aproximada do mesmo jeito, a não ser que se fale “Dus”, o que é aberrante e extremamente ridículo.

      Parabéns e muitos anos de vida para você!

      Excluir
    6. Ops! Desculpa. Você já havia respondido. Fui vítima de um dos males do mundo moderno: desatenção em meio ao excesso de informações. De qualquer forma obrigado. :)

      Excluir
    7. Aproveitando o papo, você acredita Lucas que Deus seja um nome próprio ou mais um título?
      Eu particularmente só vejo sentido dizer que é um título ou algo parecido com um título, não um nome próprio.
      Abs!

      Excluir
    8. "Muito bem professor, Lucas. Sua resposta foi magnífica. Se tirar fora o “e” a pronúncia fica aproximada do mesmo jeito, a não ser que se fale “Dus”, o que é aberrante e extremamente ridículo. Parabéns e muitos anos de vida para você!"

      Valeu, pra você também! :)

      "Ops! Desculpa. Você já havia respondido. Fui vítima de um dos males do mundo moderno: desatenção em meio ao excesso de informações. De qualquer forma obrigado. :)"

      Na verdade eu que respondi depois, então você não foi vítima de um dos males do mundo moderno, pode ficar tranquilo ;p

      "Aproveitando o papo, você acredita Lucas que Deus seja um nome próprio ou mais um título? Eu particularmente só vejo sentido dizer que é um título ou algo parecido com um título, não um nome próprio"

      Eu também entendo assim, inclusive Justino aborda isso no quinto capítulo da sua Segunda Apologia, onde escreve: "O Pai do universo, sendo ingênito, não tem nome imposto, pois todo aquele que tem nome supõe outro mais antigo que o tenha imposto. Pai, Deus, Criador, Senhor, Soberano não são propriamente nomes, mas denominações tiradas de seus benefícios e de suas obras". E também Teófilo, em seu primeiro livro a Autólico, diz o seguinte:

      "Então me dirás: 'Tu que vês, descreve-me o aspecto de Deus'. Escuta, homem: o aspecto de Deus é inefável, inexprimível, e não pode ser visto com os olhos carnais. Por sua glória, ele é sem limite, inigualável por sua grandeza, acima de qualquer idéia por sua altura, incomensurável por sua força, sem igual por sua sabedoria, inimitável por sua bondade, indizível por sua benevolência. Se eu o chamo Luz, é uma de suas criaturas que nomeio; se eu o chamo Verbo, nomeio o seu princípio; seu eu o chamo Razão, nomeio a sua inteligência; se eu o chamo Espírito, nomeio a sua respiração; se eu o chamo Sabedoria, nomeio o que ele gera; se eu o chamo Força, nomeio o seu poder; se eu o chamo Potência, nomeio a sua atividade; se eu o chamo Providência, nomeio a sua bondade; se eu o chamo Soberania, nomeio a sua glória; seu eu o chamo Senhor, digo que é juiz; se eu o chamo Juiz, digo que é justo; se eu o chamo Pai, digo que é tudo; se o chamo Fogo, nomeio a sua ira. Tu me dirás: 'Deus fica irado?' Eu respondo: Sim, ele se ira contra aqueles cujas ações são más; no entanto, ele é bom, propício e misericordioso para com aqueles que o amam e o temem; ele é o educador dos fiéis, o pai dos justos, o juiz e castigador dos ímpios" (Cap. 3)

      Eu tenho quase certeza que um outro Pai da Igreja do segundo século falou sobre isso também com mais detalhes, mas procurei aqui um longo tempo e não achei (talvez a minha memória esteja me enganando, ou eu não tenha procurado direito). Mas essas citações já são suficientes para ver como os primeiros Pais entendiam o assunto.

      Excluir
  51. (Não tem nada a ver com a matéria)
    Olá, Lucas, estou lendo diversos artigos religiosos teus e gostaria de agradecer por compartilhar — e ainda de graça — esse fantástico trabalho. Tua teologia é muito objetiva e racional, e esse fato tem me ajudado muito a entender questões relacionadas à Bíblia, ao Ateísmo e ao Cristianismo. Meus parabéns! Que você continue publicando artigos e livros e aprimore teus conhecimentos, apesar deles já serem primorosos!

    No mais, você poderia por favor refutar esse argumento católico contra a Sola Scriptura (o vídeo tem só três minutos)?: https://www.youtube.com/watch?v=YcnokfYnDfE
    Fui na seção sobre catolicismo e não encontrei, pelos títulos, um artigo direto sobre essa alegação do vídeo

    Abraços e muito sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem? Primeiramente obrigado por suas palavras! Sobre o vídeo em questão, na verdade eu abordo esse tipo de argumento no meu livro sobre o tema ("Em Defesa da Sola Scriptura", disponível na página dos livros), mas resumidamente o argumento dele consiste em dizer que a Sola Scriptura é falsa porque "não havia Bíblia nos primeiros séculos". Este argumento é uma falácia porque:

      1) Embora o cânon não estivesse fechado em definitivo durante pelo menos os dois primeiros séculos, o fato é que as Escrituras já existiam, tanto é que seus livros já eram citados pelos Pais da Igreja com grande frequência, e citados como Escritura, com peso de Escritura independentemente da falta de uma conclusão final sobre a canonicidade de alguns livros que ainda estavam em disputa. Ou seja, nenhum Pai da Igreja precisou esperar o fechamento do cânon para citar as Escrituras (do Novo Testamento, inclusive) e para reconhecê-las como a regra de fé da Igreja, à qual eles se submetiam. Portanto esse argumento dele é puramente anacrônico, mostra um desconhecimento gritante do entendimento dos Pais sobre o assunto.

      2) O outro argumento dele é sobre o tempo que demorou para o Novo Testamento ser escrito. Mas nenhum protestante discorda que os apóstolos pregaram oralmente, e que portanto as igrejas que recebiam a pregação oral dos apóstolos podiam crer nessas doutrinas que eles transmitiam oralmente mesmo na ausência de documentos escritos (enquanto eles ainda não existiam). O que nós discordamos é que estes ensinos transmitidos apenas oralmente possam ser encontrados hoje infalivelmente, ou seja, se podemos saber hoje em dia exatamente o que o apóstolo Tomé (por exemplo) disse para a igreja “x” no dia “x”. A Igreja Romana diz ter preservado esses ensinos de geração a geração por pura tradição oral, mas não tem nenhuma prova disso, e além disso a Igreja Ortodoxa oriental que também diz guardar essas tradições prega muitas doutrinas contrárias à tradição da Igreja Romana (por exemplo, na tradição ortodoxa o purgatório é falso e não existe imaculada conceição de Maria). E essa tal tradição oral também se choca com o ensino dos Pais da Igreja, que não apenas rejeitavam em massa a maior parte desses ensinos tardios, como ainda reconheceram sempre a Escritura como a autoridade máxima e final na Igreja (tem mais de 400 citações patrísticas sobre isso no meu livro).

      Em suma, isso que a Igreja Romana chama de “tradição apostólica” nada mais é senão um pretexto arranjado para as doutrinas que eles inventaram tardiamente (ou seja, um “bode expiatório”), e desta forma qualquer doutrina que eles sejam incapazes de provar pela Bíblia apenas precisam dizer que “está na tradição”, mesmo quando isso é impossível de ser averiguado ou provado. Mesmo se existisse uma “tradição oral” correndo à solta nos primeiros séculos, isso nada mais seria que um “telefone sem fio”, onde, como sabemos, o dito original vai sendo progressivamente distorcido, aumentado e corrompido de tal forma que a mensagem final já não tem mais qualquer relação com a original (o que também pode explicar por que as tradições da igreja ortodoxa e as da romana são tão diferentes).

      Vale ressaltar: se nós hoje tivéssemos acesso àquilo que os apóstolos ensinaram oralmente (por exemplo, um vídeo, áudio ou imagem) nós creríamos sem problema juntamente com a Escritura, só que na época não existia câmera de vídeo, TV ou smartphone, nem mesmo um mp3 ou vídeo cassete, o ÚNICO jeito de preservar um ensino incorruptivelmente ao longo das gerações era a transmissão por escrito, era assim que se conservava um conteúdo sem muitos riscos, por isso nós cremos em Sola Scriptura.

      Abs!

      Excluir
    2. Ótima explicação; obrigado por responder. Com certeza lerei esse mais os outros onze livros (!) seus que tenho. Ademais, você recomenda a leitura das obras dos Pais da Igreja?

      Excluir
    3. Eu recomendo a leitura dos livros dos primeiros Pais da Igreja (os do século I até meados do século II, que conviveram mais perto dos apóstolos), ou seja: Inácio, Hermas, Justino, Clemente de Roma, Policarpo, Papias, Barnabé, Polícrates, Melito, Teófilo, Taciano e a Didaquê. Não que os demais Pais não devam ser lidos, mas como isso envolve muita leitura (são muitos autores e muitos livros de cada autor) é recomendável começar por aqueles que tinham uma teologia mais "pura", cujos escritos são bem mais parecidos com o teor do Novo Testamento (embora não sejam inspirados e nem tinham a pretensão de ser).

      Excluir
    4. Lucas, vc poderia disponibilizar esses livros dos primeiros pais da igreja para lermos também?? Eu não consegui achar todos na internet. Se puder me envia no e-mail pleaaase

      Excluir
    5. Há uns anos atrás tinham todos no "arminianismo.com", mas depois tiraram do site e por fim o próprio site saiu do ar (segundo alguém que eu consultei, foi por falta de pagamento). Mesmo assim dá pra achar os escritos deles (ou pelo menos da maioria deles) espalhados em vários sites por aí, eu vou tentar juntar tudo que eu encontrar ainda hoje e colocar no meu outro blog e então te passo por e-mail (me cobre se eu me esquecer).

      Excluir
  52. Pra você quais o dez livros mais importantes da história, excetuando a Bíblia (obviamente o mais importante rs)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que os dez mais importantes (no sentido de mais influenciar, seja para o bem ou para o mal) foram esses:

      1) Bíblia
      2) Corão
      3) O Capital (Marx)
      4) A Arte da Guerra (Sun Tzu)
      5) A Riqueza das Nações (Adam Smith)
      6) De revolutionibus orbium coelestium (Copérnico)
      7) Discurso sobre o Método (Descartes)
      8) Suma Teológica (Tomás de Aquino)
      9) O Príncipe (Maquiavel)
      10) Institutas (Calvino)

      Excluir
  53. Avalie

    https://youtu.be/GL0lMEaC1_k

    ResponderExcluir
  54. Hermes C fernandes é esquerdista?

    ResponderExcluir
  55. Avalie http://hermesfernandes.blogspot.com/2018/10/aos-pastores-pregadores-da-verdade-e.html?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O engraçado é que ele reclama das "fake news", mas tá cheio de fake news no texto dele.

      Excluir
  56. Avalie http://hermesfernandes.blogspot.com/2013/11/a-demonizacao-da-cultura-negra.html?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não existe essa coisa de "cultura negra", da mesma forma que não existe uma "cultura branca", somos todos iguais, de uma mesma raça, a raça humana. Essa coisa de querer enquadrar todos os negros do mundo como se tivessem uma mesma "cultura" é um absurdo, é querer falar por cada um deles, em vez de deixar cada um deles expressar a cultura que preferir. Da mesma forma que eu não sou obrigado a gostar de futebol, samba e carnaval só por ser brasileiro, os negros não são obrigados a gostar, praticar ou aprovar isso que ele chama de "cultura negra". E há uma razão óbvia pela qual há uma desaprovação a esse tipo de rituais africanos: eles são mesmo em grande parte invocação de "orixás", e por mais que ele argumente que não são demônios só por serem "deuses que não existem", para Paulo esses deuses que não existem não tem outro nome senão demônios mesmo:

      “Portanto, que estou querendo dizer? Será que o sacrifício oferecido a um ídolo é alguma coisa? Ou o ídolo é alguma coisa? Não! Quero dizer que o que os pagãos sacrificam é oferecido aos demônios e não a Deus, e não quero que vocês tenham comunhão com os demônios. Vocês não podem beber do cálice do Senhor e do cálice dos demônios; não podem participar da mesa do Senhor e da mesa dos demônios” (1ª Coríntios 10:19-21)

      Então não adianta achar que é uma coisa boa e bonitinha só por chamar de "cultura", se é uma cultura que invoca demônios o cristão deve se afastar disso e pronto.

      Excluir
  57. Avalie http://hermesfernandes.blogspot.com/2009/08/parabola-usada-para-aterrorizar-os.html?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este sim é um belo artigo, muito bom (quando ele não fala de política geralmente é bom).

      Excluir
  58. Eu estava discutindo com uma pessoa sobre suicídio, pois ela estava afirmando que suicidas vão direto pro inferno então ela me mandou este versículo:

    "Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira. - Apocalipse 22:15"

    Quando indaguei esta pessoa sobre o porquê dela ter me mandado este versículo, ela então disse que homicídio é quando se mata alguém, e logo o suicida ao tirar a própria vida estaria cometendo homicídio, o que o levaria direto para o inferno.

    Seria possível refutar esse argumento, irmão Lucas? Agradeço a atenção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O termo grego para "homicida" neste versículo é φονευς, que de acordo com a Concordância de Strong significa "assassino, criminoso, homicida" (5406). Eu dei uma pesquisada e em todas as ocorrências deste termo no NT se refere a um assassino, ou seja, a alguém que mata uma outra pessoa (o que não é o caso do suicida):

      https://biblehub.com/greek/strongs_5406.htm

      Abs!

      Excluir
  59. Vc conhece Karen Armstrong? Se sim, o que acha de sua obra? Confiável?

    ResponderExcluir
  60. Banzoleta, back in black !!

    Por quê católicos são tão antisemitas? Eu ando vendo umas páginas tradicionalistas que falam mal do Bolsonaro por ter ido numa sinagoga e ainda mencionam uma frase de um desses Papas Pios XXIVLCXXIICVXXCVXXCCIIV que dizia que os judeus não tem nenhum direito nenhum a Terra Santa! Por quê isso? Não foi lendo a Bíblia que chegaram a essa conclusão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O direito a Terra Santa não estaria atrelado à obediência a lei divina?

      Excluir
    2. Nesse artigo eu explico a história toda:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/06/conheca-todo-o-odio-intolerancia-e.html

      Basicamente eles odeiam os judeus há muito tempo, primeiro porque eram "a raça que crucificou Cristo" (os acusavam de "deicídio", isto é, de matar Deus), segundo porque eles geralmente se recusavam a se tornar católicos (por isso muitas vezes foram batizados à força ou simplesmente expulsos mesmo, isso quando não eram massacrados), e terceiro porque os judeus costumavam ser mais ricos praticando aquilo que a Igreja condenava como "usura" aos católicos (por isso restava aos judeus a tarefa de conceder empréstimos e coisas afins), então entre o povo havia um misto de ódio religioso com inveja, ódio esse que era continuamente inflamado pelos padres em seus rotineiros sermões antissemitas, e pelos próprios decretos papais contra eles. E esse sentimento, embora tenha sido bem acalmado no último século, ainda não foi totalmente superado (permanece vivo em alguma medida nos católicos mais tradicionalistas, ou seja, aqueles que ainda estão presos à mesma mentalidade antiga e por isso estão sempre inventando pretextos novos para atacar e demonizar os judeus).

      Excluir
  61. Pra você Lucas, qual foi o argumento ateísta mais forte que você já viu?
    Para mim os mais fortes foram os do Sébastien Faure, você conhece?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca li esse Sébastien Faure, mas eu acho que o único argumento ateísta que merece ser levado a sério é o "problema do mal", porque é uma discussão muito ampla e complexa que exige uma alta capacidade de reflexão, quando nós não temos o conhecimento pleno de todos os eventos do mundo e muito menos de todas as variáveis, ou seja, na prática é como se nós tivéssemos que "entrar na mente de Deus" e adivinhar coisas que são misteriosas para nós.

      Excluir
  62. Já que falamos de um meio termo, Thomas Paine não poderia ter ficado de fora. E se formos honestos, nem mesmo a crítica da economia política realizada por Marx ficaria de fora. Até Bill Gates, que conhece do riscado, admitiu em entrevista o que é o capitalismo: "É procurar mais tratar a calvície do que a malária."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que "meio-termo" é esse? Nem a França católica pré-revolucionária e nem a França revolucionária eram capitalistas, isso não é "meio-termo" nenhum. O engraçado é que os países com mais mortes por malária no mundo são justamente os menos capitalistas do planeta, com os governos mais esquerdistas possíveis, e que mais passaram por revoluções modernas:

      https://www.rtp.pt/noticias/mundo/mocambique-e-angola-entre-os-oito-paises-com-mais-mortes-por-malaria-oms_n968945

      E o país onde a malária mais aumenta é - adivinhe só - a Venezuela, país que mais dizimou seu capitalismo nos últimos anos:

      https://tvi24.iol.pt/internacional/oms/venezuela-e-o-pais-do-mundo-onde-a-malaria-mais-aumenta

      Em compensação, eu quero ver você encontrar centenas de mortes por malária em países capitalistas como EUA, Inglaterra, Alemanha ou Canadá. E você caiu de paraquedas no artigo errado, os que tratam sobre capitalismo são esses aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/10/entenda-de-forma-simples-o-que-e.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/12/como-era-o-mundo-antes-do-capitalismo.html

      *PS: a propósito, cadê o "Bill Gates" cubano? Ah, eu já me esqueci que só existe inovação tecnológica nos países capitalistas, que pena =/

      Excluir
  63. Pessoal, o artigo alcançou o limite dos 200 comentários, depois disso qualquer comentário novo que é feito começa a ocultar os comentários anteriores, por isso terei que fechar a caixa de comentários daqui, mas se alguém quiser comentar alguma coisa pode fazer no artigo mais recente.

    ResponderExcluir