1 de setembro de 2018

164 Página “Explica-me ateu” faz apologia da Inquisição com mentiras, boatos e fraudes grosseiras



Eu raramente peço isso logo no início de um artigo, mas dessa vez eu peço: LEIA ATÉ O FINAL. Se não quiser ler até o fim por já estar bem vacinado contra as manobras revisionistas em prol da Inquisição, então pelo menos leia a segunda parte do artigo, que é a mais importante, onde contarei histórias de bastidor que você precisa saber. Mas quero começar mostrando o que o dono da página “Explica-me Ateu” postou há um tempo atrás, sem nenhuma fonte ou referência de nada que diz:


Qualquer pessoa que tenha lido os meus artigos sobre a Inquisição já sabe desmascarar esses embustes inventados (literalmente INVENTADOS, não existe outra explicação) por trapaceiros sem escrúpulo como esse. Mas caso você não os tenha lido, segue abaixo uma breve refutação.


“Foi o primeiro tribunal a permitir a defesa do acusado”

Isso só prova o que todos sabem: católicos não leem a Bíblia (com raríssimas exceções, obviamente não aplicáveis aqui). Se ele lesse, saberia que o próprio Cristo teve direito de defesa:

“Os chefes dos sacerdotes e todo o Sinédrio estavam procurando um depoimento falso contra Jesus, para que pudessem condená-lo à morte. Mas nada encontraram, embora se apresentassem muitas falsas testemunhas. Finalmente se apresentaram duas que declararam: ‘Este homem disse: ‘Sou capaz de destruir o santuário de Deus e reconstruí-lo em três dias’. Então o sumo sacerdote levantou-se e disse a Jesus: ‘Você não vai responder à acusação que estes lhe fazem?’. Mas Jesus permaneceu em silêncio. O sumo sacerdote lhe disse: ‘Exijo que você jure pelo Deus vivo: se você é o Cristo, o Filho de Deus, diga-nos’. ‘Tu mesmo o disseste’, respondeu Jesus. ‘Mas eu digo a todos vós: chegará o dia em que vereis o Filho do homem assentado à direita do Poderoso e vindo sobre as nuvens do céu’. Foi quando o sumo sacerdote rasgou as próprias vestes e disse: ‘Blasfemou! Por que precisamos de mais testemunhas? Vocês acabaram de ouvir a blasfêmia. Que acham?’ ‘É réu de morte!’, responderam eles” (Mateus 26:59-66)

Observe que Pilatos não ordenou executar Jesus sem mais nem menos (sem passar por um julgamento). Ao contrário, ele só condenou Jesus depois de ser julgado, lhe deu a palavra, permitiu sua defesa (“você não vai responder à acusação que estes lhe fazem?” – v. 62), e provavelmente se Jesus tivesse realmente se defendido das acusações em vez de acirrar ainda mais os ânimos se comparando a Deus poderia ter sido inocentado. Caso semelhante ocorreu com Paulo, que não foi executado indiscriminadamente, tendo sido antes julgado diversas vezes com direito de defesa até ser enviado a Roma para uma audiência com o imperador (leia o livro de Atos, com atenção especial para os capítulos 22 e 23).

Isso é pra você ver o nível desse camarada: a ignorância é tão brutal que não conhece sequer a Bíblia, e aposta que seus seguidores tolos também não.


“Foi o primeiro tribunal a ofertar (gratuitamente) um advogado ao acusado – caso este não pudesse pagar”

Mais uma mentira grosseira: desde a lex Cincia (em 204 a.C) Roma já dispunha de advogados não-remunerados (fonte). Além disso, nos primeiros tempos da Inquisição o réu não tinha direito a advogado nenhum, nem mesmo pagando – uma verdadeira aberração, mesmo comparando aos tribunais civis da época. O inquisidor medieval Nicolau Eymerich escreveu em termos claros:

Vamos esclarecer logo que, nas questões de fé, o procedimento deve ser sumário, simples, sem complicações e tumultos, nem ostentação de advogados e juízes. Não se pode mostrar os autos de acusação ao acusado nem discuti-los. Não se admitem pedidos de adiamento nem coisas do gênero.[1]

Mais tarde, passaram a admitir a existência de advogados, mas continuaram vetando a amostra dos autos de acusação até para eles. Como Toby Green afirma, “os advogados não tinham autorização para ver as provas contra os acusados”[2]. Que raios um advogado fazia ali, se não podia nem sequer conferir os autos de acusação do processo? A resposta é simples: tudo não passava de mais uma encenação, uma das típicas táticas de pressão que a Inquisição usava para forçar o réu a confessar a qualquer custo. Os “advogados”, escolhidos a dedo pela própria Inquisição, estavam ali apenas e exclusivamente para convencer o réu a confessar sua “culpa”. Green desmascara mais este embuste da Inquisição quando escreve:

Conselhos de defesa passaram a ser convocados segundo os critérios dos inquisidores, com base em uma comissão designada por eles. Esses advogados escolhidos a dedo não deviam fazer nenhuma sugestão ao cliente, a não ser aconselhá-lo a confessar; a única obrigação do advogado era abandonar uma pessoa considerada pertinaz ou herege teimosa – isto é, alguém que não confessava –, e exortar o cristão a dizer a verdade.[3]

Esse era o tal “advogado” que o embusteiro e cínico dono da “Explica-me Ateu” tanto se orgulha.


“Foi o primeiro tribunal a permitir testemunhas de defesa do acusado”

Mais uma mentira grosseira! Há textos bíblicos que atestam a presença de testemunhas de defesa (cf. Jr 32:10-12; Rt 4:9-11; Is 8:1-2; 43:9), e desde os tempos da Grécia Antiga “as testemunhas eram de grande valia dos tribunais da época” (fonte). Só tem uma coisa que explica tamanha distorção: DESONESTIDADE!

A obsessão da Igreja pela condenação do réu era tanta que ela conclamava a literalmente qualquer um, mesmo que fosse um bandido, para testemunhar, desde que fosse contra o réu, nunca a seu favor. Respondendo à pergunta que diz: “Os difamados e criminosos podem testemunhar? E os servos podem testemunhar contra seus senhores?”, Eymerich responde: “Sim. O crime de heresia é de uma tal gravidade, que mesmo os criminosos e difamados podem testemunhar”[4]. E quando a pergunta era: “O inquisidor poderá aceitar depoimentos – contra ou a favor – da mulher, do filho ou de parentes do acusado de heresia?”, a resposta era: “Poderá aceitar testemunhos contra, mas não a favor”[5].

Para piorar, o conceito inquisitorial de “parentesco” ia muito além daquilo que nós entendemos hoje. Incluía até mesmo os criados, servos, colonos, libertos, empregados e mercenários do réu. Nenhum deles podia testemunhar a favor, apenas contra, como comenta Francisco Peña, co-autor do Manual dos Inquisidores:

Entende-se por “parentes” do acusado apenas o cônjuge, os filhos e os parentes mais próximos (porque todos têm interesse em escapar da vergonha que lhes atingirá, caso o réu seja condenado), mas também todos aqueles que, de alguma maneira, compartilham do pão e do vinho do acusado: criados, servos, colonos, libertos, empregados, mercenários. Nenhum deles pode testemunhar a favor do acusado.[6]

Assim, você já deve imaginar a dificuldade que o réu tinha para encontrar qualquer testemunha que prestasse depoimento em seu favor. O seu círculo de convivência não podia ser usado como testemunha favorável, e o testemunho das pessoas de fora não seria suficiente, visto que elas não conheciam direito o réu a ponto de servir como prova de que sempre foi um bom católico. Se praticamente todo mundo que ele conhecia e com quem convivia não podia testemunhar a seu favor (embora pudesse testemunhar contra), quem poderia defendê-lo para provar que era um bom católico? O Chapolin Colorado, talvez.

Falbel acrescenta ainda que “mulheres, escravos ou crianças podiam servir de testemunhas da acusação, mas nunca da defesa[7]. Como se isso tudo não bastasse, as eventuais testemunhas de defesa ainda eram torturadas pelos inquisidores até que se arrancasse da boca delas a “verdade” sobre o réu a quem defendiam. Assim escreve o inquisidor Eymerich:

Os cúmplices – ou testemunhas eventuais – chamados para depor devem prestar juramento como testemunhas normais. Mas o cúmplice chamado a depor deve prestar juramento? Lógico, porque quando presta o depoimento ele o faz na qualidade de testemunha, e não de acusado. E é como testemunha que é ouvido. Entretanto, o cúmplice nunca testemunha com facilidade. Por isso, independentemente da sua condição, pode-se torturá-lo para arrancar-lhe a verdade.[8]

Reflita um pouco sobre isso. Além da defesa do réu ser praticamente nula, as poucas testemunhas que teria a seu favor ainda eram torturadas até que se extraísse delas a confissão de culpa do réu. Quem, em sã consciência, iria testemunhar a favor de um réu da Inquisição nestas condições? Obviamente, ninguém. Os inquisidores eram tão cínicos que até com as testemunhas a favor do réu eles conseguiam arranjar um jeito de culpar o próprio réu, nem que para isso fosse necessária a tortura. A confissão de culpa tinha que vir de qualquer jeito, e através de qualquer um. Tudo o que importava era declarar aquilo que o réu já era considerado desde o início: culpado.


“Foi o tribunal que criou o instituto da presunção de inocência”

Essa é de todas as mentiras a mais grosseira, cínica e descarada, cujo nível de desonestidade chega a ser criminoso. Na verdade era exatamente o oposto: a Inquisição inverteu a lógica, a botou de pernas pro ar e inventou o conceito do ônus da prova contrário ao réu. Ou seja, o réu era presumido culpado desde o início, e por isso ele precisava “provar” que não era herege mesmo sob tortura.

Todo este conceito que condenava o réu a priori está muito bem documentado no Manual dos Inquisidores. Eymerich afirma expressamente que “a suspeita grave por si só é o bastante para condenar, não se admitindo nenhum tipo de defesa nesse caso”[9]. E nunca é tarde para lembrar que, nas regras da Inquisição, bastavam duas testemunhas com boatos para constituir uma “suspeita grave”. Peña, amparado por numerosos documentos jurídicos eclesiásticos, explicava que bastava a existência de duas testemunhas para provar nem mesmo uma “forte suspeita”, mas a certeza da acusação:

Gui Foucoi foi o primeiro, que eu saiba (Consultationes ad inquisitores haereticae pravitatis, pergunta 15, c. 18), a estabelecer o princípio de que duas testemunhas dignas de fé bastam para fundamentar uma certeza. Todos os especialistas aprovaram, depois, este princípio, ponto por ponto, de acordo com a normal vulgar e comum do Direito humano e divino, segundo o qual in ore duorum vel trium stat omne verbum (“dois ou três depoimentos são irrefutáveis”).[10]

Isso tudo resultava que o réu, fosse ele inocente ou culpado, estava lascado. Eymerich ainda faz questão de acrescentar que “a acusação vale por si mesma em qualquer situação: basta que uma pessoa seja publicamente apontada, para receber uma pena canônica, ou ser expulsa da Igreja, se recusá-la”[11]. Este é o tão belo “instituto da presunção de inocência”, nas palavras do papista mentiroso que instrumentaliza uma página anti-ateísmo para fazer propagandismo católico revisionista em favor do assassinato de não-católicos.


“Foi o primeiro tribunal que adotou penas alternativas”

Se por “penas alternativas” refere-se a penas que não sejam a morte, isso existe desde sempre – basta ler o Antigo Testamento para ver numerosas penas não-capitais para diversos tipos de crimes. Por exemplo, o ladrão não era punido com a morte, mas sim com a restituição plena do valor roubado e com o acréscimo de um quinto do valor (Lv 6:5), e aqueles que tinham relações sexuais pré-matrimoniais também não eram punidos com a morte, mas o moço era obrigado a pagar o dote da moça e se casar com ela (sobre isso inclusive eu escrevi recentemente este artigo, que aborda o texto de Dt 22:28-29). Portanto, induzir os leitores a crer que foi a Inquisição o “primeiro tribunal que adotou penas alternativas” que não a morte é mais uma mentira grosseira de um trapaceiro que tem por certo que seus leitores são completos ignorantes de Bíblia.

Mas faltou ele dizer quais eram essas “penas alternativas” da Inquisição. Como ele não quis falar, eu vou quebrar o barato e revelar o “segredo”: centenas de açoites (leia aqui), confisco dos bens (leia aqui), prisão perpétua (leia aqui) e escravidão nas galés (leia aqui), isso sem falar nas torturas, que se recebia sendo condenado ou não. Penas tão suaves que fazem parecer que a fogueira era uma opção clemente, brincadeirinha de criança.


“Foi o primeiro tribunal a limitar o uso da tortura”

Pura mentira! Isso já foi completamente desmascarado aqui, aqui, aqui, aqui e aqui, onde provo que não apenas a Inquisição aplicava largamente a tortura, como ainda torturava muito mais do que os tribunais civis da mesma época.


“E ao contrário do que se fala – foi o primeiro tribunal a abolir a tortura como meio de conseguir confissão do acusado”

Outra mentira! Os tribunais civis da Inglaterra já haviam abolido a tortura desde 1640, ou seja, 176 anos antes da Igreja (supostamente tão mais bondosa que o Estado) ter a mesma ideia, na época em que a Inquisição já estava praticamente acabada no mundo todo. Até o guru dos modernos inquisidores católicos, João Gonzaga, admite que a Inglaterra “não empregou a tortura”[12]. A Igreja Romana só veio a abolir oficialmente a tortura por meio de uma bula papal de 1816, sendo que a Inquisição portuguesa acabou em 1821, e a espanhola em 1834. Ou seja, a Inquisição torturou com todo o rigor centenas de milhares de pessoas por nada a menos que 564 anos (entre 1252 e 1816), depois ficou meros 5 a 18 anos sem torturar ninguém, e os apologistas católicos ainda veem motivo para exaltar a Inquisição!

E pior: ela só acabou com a tortura depois que já estava em franca decadência, quando já quase ninguém era preso ou morto. Quando estava a todo o vapor, nenhum papa ou clérigo pensou em algo tão genial. Nem passou pela cabeça deles. Depois de mais de cinco séculos torturando a torto e a direito, a Santa Igreja guiada por papas infalíveis finalmente descobriu que “é condenada a tortura, como uma prática perversa que estimula as falsas confissões”[13]. Todos os exatos 170 papas que viveram no período em que a Inquisição torturava sem escrúpulos – e que eram tão infalíveis quanto os que vieram depois deles, lembre-se – não tinham “iluminação” espiritual suficiente para descobrir algo tão óbvio, e então a Santa Igreja faz a descoberta do século: todos os 170 papas anteriores estavam errados, torturando milhares de pessoas injustamente, mas a Igreja continua sendo santa e infalível assim mesmo.

Daí já se pode ter uma pequena noção do quão perturbada é a mente de um apologista católico como esse, obrigado a defender algo que ele mesmo sabe o quão desonesto é.

***

Se você chegou até aqui, deve estar se perguntando: como pode uma página escrota e monstruosamente desonesta como essa, cujo único recurso é a mentira quando o que está em jogo é salvar a pele da “Santa Igreja” e faz uso desse recurso sem qualquer peso na consciência, administrada por um zé mané que não sabe bulhufas do que diz e é mais ignorante que a Dilma, chegar a 451 mil seguidores? A resposta pode assustar, mas é muito simples: através dos protestantes. Poucos sabem, mas essa página durante muito tempo teve uma administração mista, contando com muitos protestantes no grupo. Esses protestantes, ingenuamente acreditando na honestidade de Natan, o católico dono da página, postavam direto conteúdo nela, refutavam os ateus, divulgavam a page e a elevaram ao patamar em que chegou.

O que aconteceu com esses evangélicos? O mesmo esperado de qualquer fanático tridentino: foram todos expulsos, de uma hora pra outra, pelo dono da página. Ou seja, o malandro apenas se aproveitou da boa vontade deles, os usou para crescer sua página, se fingiu de “ecumênico” e quando alcançou o que queria simplesmente deu um “pé na bunda” de todos eles, os expulsou da página e começou a usá-la como uma ferramenta de promoção do catolicismo dogmático, fanático e doentio – incluindo a apologia explícita à Inquisição.

É isso o que eles fazem com você, quando você quer estender o braço a algum deles. Você pensa que eles são “católicos moderados” que honestamente querem apenas “refutar o ateísmo”, e nem imagina que por dentro é o mesmo tipo de fanático antiprotestante que finge combater o ateísmo apenas como um meio de ganhar seguidores para então começar a fazer o que sempre planejou desde o início: a militância católica propriamente dita, defendendo atrocidades morais, atacando o protestantismo e caluniando os evangélicos, espalhando sem pesar as mais diversas fake news que lhes vêm à cabeça.

Entenda o seguinte: NÃO EXISTE militante católico que odeie o ateísmo mais do que odeia o protestantismo. Para eles só existe uma igreja (leia-se “instituição”) verdadeira, e todos os que estão fora dela vão arder no inferno. Ou seja, para eles o protestante é o mesmo que um ateu, como muitos deles admitem abertamente. Se um católico apologista abre uma página contra o ateísmo, ou contra a esquerda, não é porque estima os protestantes mais do que a eles, mas porque tem a pretensão de atacar o protestantismo com o mesmo ímpeto quando já tiver conseguido um número satisfatório de seguidores (foi exatamente a estratégia usada pelo Orvalho de Cavalo há poucos anos, conseguindo em pouco tempo inúmeras conversões entre os seus seguidores-zumbis, e é essa a estratégia que continua sendo aplicada à risca por muitos outros).

Veja o tipo de conteúdo que uma página “anti-ateísmo” posta:


E veja como ele trata alguém que lhe passou o meu artigo dos dez historiadores sobre Inquisição (ficou com raivinha só porque ele não tem nenhum do lado dele):


O mais engraçado é que esse xiita católico que já manifestou em diversas oportunidades o ódio que sente pelos protestantes continua usando como foto de perfil da página uma imagem de Isaac Newton, um protestante (que possivelmente se estivesse vivo seria banido da sua página junto com todos os outros, e que abominava a ideia de Inquisição). E na foto de capa, metade dos que aparecem são protestantes. Quem apenas observa de fora jamais imagina que a página é administrada por um fanático tridentino antiprotestante, mas é exatamente o tipo de gente que estamos lidando, que convenientemente prefere transmitir uma imagem mais “ecumênica” por fora.

Mas este está longe de ser o pior caso, porque, afinal de contas, a página é dele e o sujeito tem o “direito” de ser safado e desonesto. O que mais causa nojo é ver uma página protestante trilhando o mesmo caminho. Falo principalmente da “Dollynho Puritano”, que, como o próprio nome diz, é uma página protestante criada por protestantes. E nessa mesma página, podemos ver publicações maravilhosas do tipo:


É isso mesmo que você está lendo: uma página “puritana” defendendo a INQUISIÇÃO, que caçava e assassinava os puritanos, aqui comparados aos membros do Estado Islâmico! Se isso não é coisa de demente, eu não sei mais o que é. Os legítimos e autênticos puritanos do século XVI devem estar se revirando do túmulo uma hora dessas. O post inclusive ficaria bem mais fiel aos fatos se em vez disso dissesse que “o Estado Islâmico é hoje o que a Igreja Católica ERA durante as Cruzadas e a Inquisição”. Na verdade, o que ela continuaria sendo se não fosse pela Reforma que trouxe ao mundo os conceitos modernos de liberdade, tolerância e democracia, como abordo no meu livro recente. A diferença é que o Islã não passou por nenhuma reforma: ele é hoje igual ou pior do que era há mil anos, como a Igreja Católica também seria se a Igreja não tivesse sido obrigada a se reformar interna e externamente.

Se você pensa que acabou, está bem enganado. A página “puritana” faz propaganda de um “Conde” raivoso e esquizofrênico que ofende os protestantes de todos os nomes possíveis e que chega ao ponto de chamar a mãe de um debatedor protestante de “p*** aidética” e dizer que vai “mijar no caixão da porca da sua mãe” (veja os prints neste artigo):


Como se não bastasse a página “puritana” promover um órgão que matava puritanos e um sujeito que mataria se tivesse a chance, ela ainda defende as Cruzadas, que cometeram montões de estupros, chacinas e assassinatos de mulheres, crianças e idosos civis por onde passavam – coisas que certamente fariam um verdadeiro puritano desmaiar só de pensar.


Para quem não sabe, as Cruzadas foram em grande parte responsáveis pela destruição e desmoralização da Cristandade, embora hoje sejam exaltadas pelos tridentinos como se tivessem “salvado” a Europa dos muçulmanos. Qualquer um que tenha estudado as Cruzadas conhece a história: os cruzados saquearam, estupraram e assassinaram ortodoxos em Constantinopla por ocasião da Quarta Cruzada, criaram um Estado latino fraco em seu lugar, enfraqueceram o Império Bizantino e como resultado facilitaram sua conquista pelos turcos otomanos. É preciso ser um monstruoso demente para defendê-las ou para supor que essas expedições contra o mundo árabe – que fracassaram miseravelmente em 7 das 8 oportunidades – foram as responsáveis pela “preservação do Ocidente”, como refuto em meu livro sobre o tema (disponível na página dos livros).

Não satisfeitos com isso, a página de “puritanos” faz também revisionismo da monarquia, com as mesmas informações fraudulentas e já refutadas de sempre:


Os puritanos autênticos não eram lá muito simpáticos nem com a monarquia inglesa (por isso fundaram os Estados Unidos, uma república), que dirá com uma monarquia brasileira que proibia a liberdade de culto dos protestantes, que só considerava casamentos católicos válidos e cujo Estado era oficialmente católico. Mas como você deve ter notado muito bem a essa altura, os adm da Dollynho “Puritano” de puritanos não tem nada. São papistas travestidos de “puritanos”, que ainda mantém o nome da página e a imagem de capa, onde a grande maioria dos ícones presentes são protestantes – incluindo Lutero e Calvino, odiados mortalmente por esses mesmos adm e por eles considerados genocidas totalitários e hereges fundadores de seitas.

Eu não vou perder tempo e cansar o leitor mostrando outros inúmeros prints com coisas do tipo, que deixariam qualquer puritano autêntico de cabelo em pé. Basta dizer que você NUNCA os verá publicando qualquer coisa que promova o protestantismo em particular (nem mesmo em relação a teses consagradas pela historiografia, como a relação entre protestantismo e capitalismo provada por Max Weber), mas os verá SEMPRE promovendo pautas particulares da Igreja Romana, como Inquisição e cruzadas, a Idade Média como a “melhor época” da história e a Igreja Romana como a “construtora” da civilização ocidental, entre outras teses delirantes desprovidas inteiramente de apoio acadêmico e bom senso.

Que isso sirva de lição para todos aqueles que querem entrar em ecumenismo com católicos sobre o que quer que seja – incluindo a militância contra o ateísmo e o esquerdismo. Você ingenuamente dá a mão pensando estar tratando com pessoas honestas, e então eles se aproveitam de você, usurpam o propósito da página e começam a usá-la como arma de propaganda papista e de antiprotestantismo, que é a única finalidade real que passa nessas mentes.

Eu apaguei os nomes porque não é a intenção culpar e nem expor ninguém, mas esse diálogo em um grupo de Apologética Protestante (que me motivou a escrever este artigo) resume tudo:


Antes de terminar, é preciso esclarecer uma coisa para evitar distorções do artigo: eu NÃO estou dizendo que todo católico é um desonesto que vai se fingir de ecumênico apenas para te apunhalar pelas costas; eu estou falando do meio apologético especificamente, onde praticamente todos eles são defensores ferrenhos de atrocidades morais como Inquisição e cruzadas, comparáveis (em menor escala) ao holocausto nazista e aos genocídios comunistas que eles tanto ressaltam (porque o único tipo de genocídio que consideram aceitável é o praticado por eles).

É muito triste isso, porque em se tratando de apologética católica brasileira é virtualmente impossível encontrar alguém honesto (a única exceção que me vêm à mente no momento é o Gledson Meireles). Isso destoa da apologética católica americana, que por se tratar de um país mais civilizado com herança histórica e cultural protestante, apresenta um nível mais decente. Há poucos dias um amigo meu que costuma viajar bastante no exterior me comentou:


Isso é apenas um exemplo de como nem todo apologista católico é necessariamente desonesto (ou pelo menos nem todos do exterior, dependendo do lugar), embora aqui isso seja praticamente uma condição para ser apologista católico. Há alguns que estão apenas honestamente enganados por ignorância e desconhecimento, mas nem isso justifica uma aliança do tipo que vemos por aí – as quais sempre favorecem eles, que se utilizam dos espaços para ocupá-los e dominá-los em prol de sua própria agenda.

Afinal de contas, na cabeça deles os ateus a quem refutam estão apenas tão perdidos quanto os protestantes, e são tão “hereges” quanto estes. Seu objetivo jamais foi formar uma “nação cristã” num misto de católicos e protestantes, o que para um apologista católico soa tão repugnante quanto a ideia de uma nação católica e ateia. O objetivo deles é um só: o Estado católico, como era em seus tempos áureos, a Idade Média – nem que para isso dissimulem “alianças” estratégicas com protestantes desde que sejam sempre nos seus termos e favoráveis somente a eles.

• Compartilhe este artigo nas redes:


Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.




[1] EYMERICH, Nicolau; PEÑA, Francisco. Manual dos Inquisidores. 2ª ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1993, p. 110.

[2] GREEN, Toby. Inquisição: O Reinado do Medo. Rio de Janeiro: Editora Objetiva Ltda, 2007.

[3] ibid.

[4] EYMERICH, Nicolau; PEÑA, Francisco. Manual dos Inquisidores. 2ª ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1993, p. 217.

[5] ibid, p. 219.

[6] ibid.

[7] FALBEL, Nachman. Heresias Medievais. São Paulo: Editora Perspectiva, 1977, p. 17.

[8] EYMERICH, Nicolau; PEÑA, Francisco. Manual dos Inquisidores. 2ª ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1993, p. 216.

[9] ibid, p. 78.

[10] ibid, p. 220.

[11] ibid, p. 82.

[12] GONZAGA, João Bernardino Garcia. A inquisição em seu mundo. 6ª ed. São Paulo: Saraiva, 1993, p. 26.

[13] Apud BETHENCOURT, Francisco. História das Inquisições: Portugal, Espanha e Itália – Séculos XV-XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 2000, p. 48.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)   

164 comentários:

  1. Que horrível essa traição católica Banzolao, a ponto de roubarem uma página protestante e mostrarem sua típica desonestidade e ignorância bíblica,falando nisso você acha queqmesmo os sacerdotes católicos possuem pouco conhecimento bíblico? Ou conhecer conhecem,mas simplesmente interpretam como melhor lhes convém?E em relação a ecumenismo, obviamwnte essa tridentina era uma falsa efumenica, mas eu conheço muitos católicos que afham normal feequwnrarem centros espíritas e até terreiros e continuam se dizendo católicos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles não conhecem mesmo. O ex-padre Aníbal Pereira dos Reis costumava dizer que no seminário eles estudavam tudo sobre a Bíblia, menos a Bíblia. Passam anos estudando escolástica, Tomás de Aquino, Aristóteles, "direito canônico" e o caramba a quatro, e leem menos Bíblia do que um crente recém-convertido que vende sanduíche na esquina. Coloque qualquer padre em um debate com um leigo crente que apenas cursou escolinha dominical e o crente dá de dez a zero. Não é a toa que o único debate em que um padre "venceu" que você encontra no youtube é um teatro que certo retardado achou que era de verdade e postou no canal dele. É assim, como esses caras não conseguem ganhar debate nem de testemunha de Jeová, precisam fazer dramaturgia e encenar uma vitória.

      Em relação aos católicos que "acham normal frequentar centros espíritas e terreiros", eles não são apologistas tridentinos, são católicos comuns. No catolicismo popular, que graças a Deus ainda é a maioria entre os católicos, continua sendo muito comum os "desigrejados" (não-praticantes), os que não entendem nada de doutrina católica e os que praticam sincretismo religioso. Eles só se tornam zumbis tridentinos se forem doutrinados, passando por toda aquela lavagem cerebral bem conhecida, sendo ensinados a odiar os evangélicos com toda a alma e a empregar toda a força para defender atrocidades morais que querem restaurar em pleno século XXI.

      Excluir
  2. Mas um tridentino jamais simpatizaria com outra religião, como vc explica esse fenômeno do católico espírita? Alem do católico não praticante? Penso ser um fenômeno bem recente, porque todos meus avós eram bem católicos até o começo dos anos 70,vc teve avós católicos tbm? Os conheceu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respondi acima (ps: meus avós são evangélicos)

      Excluir
    2. Interessante você já ter avós evangélicos, tendo em vista queno tempo de juventude de seus avós eles eram raros,e aknda mais que sendo Banzoli,italianos,um povo fortemente católico quando eu conheci os meus,por parte de mãe já eram evangélicos, mas ppr parte de pai ainda eram católicos, foram se converter quando eu era adolescente, e lembro bem o quanto a avó paterna, filha de espanhol com italiano era fortemente católica, enquanto que meu avô mestiço de índigenas, portugueses e africanos já processava um catolicismo mais popular popular,inclusive tendo simpatia tbm por espiritismo e religiões afros, e a minha avo materna era filha de portugueses e foi filha de Maria quando jovem, posteriormente sesconverteu a Igreja Batista, era uma pessoa muito simples nao tinha nem o primário completo, portanto tinha dificuldades para entender certas passagens da Bíblia, mas eu lembro de vê-la lendo algumas vezes vquando ainda tinha a vista boa, depois eu e meus familiares e outros irmãos da igreja passamos a ler para elae então ainda que se tratasse de uma pessoa com pouca educação formal há uma diferença,um maior interesse pela Palavra de Deus

      Excluir
    3. Chegou meu comentário sobre meus avós? Por que a internet do meu celular vive caindo

      Excluir
    4. Os meus por parte de pai ainda são católicos, mas como eles moram em SP e a gente vive no Paraná desde os meus cinco anos, então eu praticamente não tenho contato com eles, respondi sobre os meus avós maternos que já eram crentes mesmo.

      Excluir
  3. Gostaria de te perguntar também sobre a Teologia da Libertação, eu soube que o Bernardo Kuster esta fazendo un documentário sobre esse assunto e a tese dele é a de que a KGB se infiltrou na "Santa Igreja" para deturpa-la, achas que isso procede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KGB? Vou querer assistir isso aí, deve ser do mesmos criadores da URSAL.

      Excluir
    2. O Julio Severo disse que esse cara era protestante. A chamada "Nova Direita" brasileira nada mais é do que a velha direita católica, porém com roupagem protestante americana.

      Excluir
    3. Muito me preocupa os protestantes se alinharem, ainda que ingenuamente, com os católicos na política.

      Excluir
    4. Católico tem que ser igual o Paulo Leitão, coerente com as ideias políticas e religiosas. Não é certo um católico apoiar os EUA ou o liberalismo.

      Excluir
    5. Para vocêvqual a origem da Teologia da Libertação? Foi simplesmente o padre peruano Gustavo Gutierrez que resolveu aderir a esquerda política e mistura-la ao catolicismo nao houve influência direta da Uniao Soviética nem da KGB, segundo o Aatrolavo usando as fontes do Ion Pacepa ex agente da Securitate romena quem criou a Teologia da Libertação foi Nikita Kruschev líder soviético para se aproximar da religiosidade católica latina e aproximá-la do socialismo

      Excluir
    6. "O Julio Severo disse que esse cara era protestante. A chamada "Nova Direita" brasileira nada mais é do que a velha direita católica, porém com roupagem protestante americana"

      Exatamente isso. E só tomou uma "roupagem americana" por causa do guru da Virgínia, que não é bobo nem nada e decidiu morar nos EUA, mas misturou a cultura política protestante com a ética religiosa católica e ficou essa esculhambação olavete que vemos hoje.

      "Para você vqual a origem da Teologia da Libertação? Foi simplesmente o padre peruano Gustavo Gutierrez que resolveu aderir a esquerda política e mistura-la ao catolicismo nao houve influência direta da Uniao Soviética nem da KGB, segundo o Aatrolavo usando as fontes do Ion Pacepa ex agente da Securitate romena quem criou a Teologia da Libertação foi Nikita Kruschev líder soviético para se aproximar da religiosidade católica latina e aproximá-la do socialismo"

      Não encontrei nenhuma informação sobre isso. Parece mais teoria de conspiração, do mesmo naipe dos "russos que influenciaram as eleições americanas contra a Hillary".

      Excluir
    7. Olavo de Carvalho deveria viver no Brasil, o maior país católico do mundo. Ou talvez no segundo: o México.

      Excluir
    8. Também acho engraçado os católicos brasileiros apoiando Israel, quando o próprio papa, ao ser procurado por Theodor Herzl, se negou apoiar a formação do Estado israelense.

      Excluir
    9. Enfim, a boa notícia é que a ICAR está sendo carcomida na Irlanda, um dos principais países católicos com passado fundamentalista.

      Excluir
    10. "Também acho engraçado os católicos brasileiros apoiando Israel, quando o próprio papa, ao ser procurado por Theodor Herzl, se negou apoiar a formação do Estado israelense"

      Pois é, o "conservadorismo" católico historicamente sempre odiou Israel, essa coisa de apoiar Israel vem dos EUA, por isso o Olavo a importou para cá e vemos os olavetes apoiando Israel como se fosse um protestante falando. Mas ainda há muito católico que não entrou na onda olavete (ou que entrou, mas não nessa parte) e que continua odiando mortalmente Israel, veja o Conde por exemplo. O hilário é que eles estão aprendendo como a visão geopolítica protestante americana é superior a qualquer outra, ao mesmo tempo em que paradoxalmente odeiam os protestantes e nos acusam de causar as revoluções civis e o ateísmo. Ou seja, primeiro eles copiam a ideologia política protestante dando a ela uma roupagem católica e depois a acusam de ser a criadora de todos os problemas da humanidade. Por isso que eu digo que essa gente é literalmente doente da cabeça, não tenho explicação mais razoável que essa.

      Excluir
    11. Faz um artigo sobre isso. É importante.

      Excluir
    12. Você é sionista, Banzoli?

      Excluir
    13. Depende do que você entende pelo termo.

      Excluir
  4. Lucas se for possível faça uma refutação histórica ao que o Olavo escreveu no Facebook dele . Eu sei que não é Dever de ninguém se preocupar com as caduquices do velho mas existem muitas pessoas que se levam na ladainha do velho .
    Se for possível faça um artigo resposta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fui no face dele e não achei nenhum post recente dele sobre protestantismo.

      Excluir
    2. Nesse links Lucas
      https://www.facebook.com/groups/2077138435904789/permalink/2198381047113860/
      https://www.facebook.com/groups/2077138435904789/permalink/2198126687139296/

      Excluir
    3. Isso tem um nome: desespero. O cara SABE que os protestantes construíram os Estados Unidos mas mesmo assim prefere dar o mérito a qualquer um menos a eles, APENAS pelo ódio que sente aos protestantes e que já demonstrou inúmeras vezes. É vergonhosamente desonesto. Não preciso nem lembrar os textos "antigos" dele (coloco entre aspas porque é coisa do início dessa década, e não da época em que fazia mapas astrais) onde ele reconhecia abertamente que foi a ética protestante que fez os Estados Unidos chegar ao patamar que é hoje, e que foi o papado o culpado pelo retrocesso evidente dos países católicos. Ele inclusive chegava a citar expressamente Max Weber e corroborava sua tese sem receio ou hesitação. Agora virou isso: um velho amargurado de espírito e cheio de ódio, decidido a inventar qualquer pretexto e asneira ridícula para passar o pano na coisa e enganar os incautos que o seguem. Mantém os mitos de que Calvino foi um "tirano" de Genebra e que os puritanos estavam "fugindo" da Igreja Anglicana, mitos esses já refutados completamente por toda a historiografia moderna de qualquer vertente que seja, e que eu também refutei no meu livro. Ao mesmo tempo, dá uma desculpa bizarra para o atraso do Brasil, jogando toda a culpa nas costas do Estado, como se o mesmo retrocesso também não fosse claramente perceptível em TODOS os outros países católicos da mesma época. É desonestidade sem fim.

      Excluir
    4. O Julio Severo, que tem um amigo americano em comum com o Olavo, denunciou o comportamento pouco cristão do astrólogo, principalmente no aspecto de falar centenas de palavrões, o que de todo chocou o ouvinte. Pelo que soube, ele não gostou nada da atitude do Julio, acusando-o de ter falado mal pelas costas (leia-se revelado a verdadeira face dele). Na sociedade americana quem fala palavrão é tido como esquerdista e rebelde. Percebe-se que o OdC tem um trato pessoal distinto para brasileiros e americanos.

      Excluir
    5. Outro aspecto que me chama atenção é o próprio Olavo estar em conluio com membros do Partido Republicano, sendo que historicamente os católicos eram democratas, como bem era John Kennedy, o único presidente papista da história americana.

      Excluir
    6. Ex-alunos católicos do Olavo de Carvalho fizeram um dossiê sobre a face ocultada dele e legendaram em inglês. Chama-se "Adubando o jardim das aflições". Está aí um aspecto que católicos e protestantes podem estar juntos.

      Excluir
    7. "Outro aspecto que me chama atenção é o próprio Olavo estar em conluio com membros do Partido Republicano, sendo que historicamente os católicos eram democratas, como bem era John Kennedy, o único presidente papista da história americana"

      Bem lembrado mesmo. Católicos sempre foram a esquerda americana. Nada que surpreenda.

      Excluir
  5. Obs : A refutação é sob a questão dos puritanos e da herança reformada .

    ResponderExcluir
  6. Amigo do Banzolão1 de setembro de 2018 13:52

    Muito bom, Banzolão. Excelente artigo. Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Desonestidade, ignorância bíblica e histórica, fralde, amadorismo, revisionismo, criminalização da vítima, fanatismo, ...nada de novo em se tratando de apologética católica brasileira.

    ResponderExcluir
  8. Lucas, poderia analisar esse vídeo do Mário Persona onde ele trata a respeito do arrebatamento?

    Link do Vídeo: https://youtu.be/VNeq0A4is5o

    Graça e Paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem saber qual era a "pergunta" que lhe foi feita não dá pra avaliar a resposta. Ele apenas responde sem mencionar a pergunta, aí fica dizendo qualquer coisa.

      Excluir
  9. Iae Lucas! Blz? Você lembra quando nós estávamos falando de vicio em pornografia(em outro post seu), e você discordou do doutor lá, e depois você falou sobre pessoas que lutam contra o vicio? Então, eu só queria saber se é somente religiosos que tem esses problemas, ou se ateus(agnósticos também) tem esse problema.

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Problema" com pornografia é uma coisa que vai além de qualquer confissão religiosa A ou B, é uma coisa do ser humano, principalmente dos homens. A diferença é que o ateu em geral não considera isso um problema, ou seja, o cara pode passar horas por dia nisso que não está nem aí, enquanto o cristão em tese tem uma consciência moral que lhe diz que isso é errado e que poderia estar usando o seu tempo em algo mais útil que agrade a Deus. Abs!

      Excluir
    2. Será que mulher curte pornografia também?

      Excluir
    3. Algumas sim, mas em geral menos que os homens, porque as mulheres tendem a ter menos libido.

      Excluir
  10. Tenho um amigo católico que antigamente era de boa, mas de uns tempos pra ca ele começou a seguir paginas de "zuera católica" tipo south america church memes,e começou a compartilhas memes com as tematicas "cruzadas deteve os muçulmanos" "fora da igreja catolica nao a salvação" etc. Mas o pior foi um meme que dizia "quando um protestante ve um católico interpretando a biblia corretamente" ai no meme ta o Vegeta do Dragon ball falando "o desgraçado e um genio". Ironico vendo que os catolicos nem leem a biblia. E ele compartilha mais post anti-protestante do que anti-ateu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É assim mesmo que a coisa funciona, eles fazem lavagem cerebral de tal forma que conseguem transformar pessoas normais e comuns em fanáticos cheios de ódio. Por isso eu me preocupo tanto com esse movimento: ele é crescente e tem tomado proporções cada vez maiores com o advento e ascensão das redes sociais. Parece que há uma tendência natural das pessoas ao fanatismo; a partir do momento em que elas passam a acreditar que a igreja delas é infalível, "sancta" e impecável, que construiu a civilização ocidental e tudo o que é bom, que só há possibilidade de salvação dentro dela, que todas as pessoas de outras religiões vão arder interminavelmente no fogo do inferno e que ter matado "hereges" na Inquisição e "infieis" nas cruzadas foi importante e fundamental para garantir o sucesso do mundo, é lógico que a cabeça dessa pessoa passará por transformações tão radicais que eu costumo comparar analogicamente a um "zumbi", cuja mente está controlada e já não pensa por si mesmo. Eu diria que o fanatismo católico atual é duzentas vezes maior do que era há vinte anos, quando os fieis católicos pensavam que mesmo a Igreja Católica sendo a verdadeira ainda assim era falível e reconheciam os erros do passado, e por isso tinham a tendência de ser mais tolerantes para com os outros (os quais apenas tinham "mais erros", na concepção deles). Agora não, esses marginais revisionistas estão colocando na cabeça do povo que tudo o que a ICAR sempre fez foi bom e que nunca cometeu erro algum, que o "erro" foi não ter matado a todos os não-católicos antes que se proliferassem, é isso a causa dessa crescente onda de fanatismo católico.

      Excluir
  11. Olá Lucas, recentemente eu vi um evento público promovido pelas igrejas adventistas onde vários jovens cantaram alguns hinos em (acredito) hebraico, com alguns símbolos (Estrela de Davi) característicos do judaísmo.
    Pois bem, eu fiquei pensando comigo mesmo. O que estará passando na cabeça de um descrente ouvir canções em hebraico? Eu (já acostumado à cultura evangélica) não estava entendendo nada!
    Com todo respeito ao judaísmo, mas eu penso que o evangelho que professamos deveria ser anunciado dentro da cultura que seja compreendida pela maioria de forma clara e objetiva, ou não?
    Lucas não tenho nada contra adventistas, eventos públicos, judaísmo e nem tenho a pretensão de corrigir ninguém apenas expus meu entendimento (que pode está errado) e gostaria de uma opinião sua amigo. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também acho que o certo seria cantar músicas em português quando o propósito é a evangelização e que não tem sentido nenhum cantar em hebraico, mas enfim, este é um erro tamanho formiga se comparado a tanta coisa que vemos por aí (nas igrejas). Abs.

      Excluir
  12. Inclusive Banzolao gostaria de fazer um complemento de um comentário em relação ao que falei anteriormente sobre minhas avós europeias terem sido católicas mais feevoeosas e rejeitarem as religiões afro e espiritismo diferente de meus avôs, noto também que a maioria dos tridentinos possuem esse perfil nunca vi um tridentino negeo ou oriental e raramente vejo um com traços mestiços, acho que isso é algo mais facilmente assimilado por um branco de origem próxima europeia pprque é a história do passado dele, acredito aue seria mais difícil um negro ou descendente de indigenas ou japoneses se vê como um cavaleiro templário ppr exemplo, um pessoa com outra origem não se identificaria facilmente você acha que há um apelo racial tambem para as pessoas se tornarem tridentinas?

    ResponderExcluir
  13. Olá Lucas, não sou o anônimo do Avalie, mas poderia avaliar esse artigo da Wikipédia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Monarquismo_no_Brasil

    Eu estava pesquisando sobre os partidos políticos no Brasil que querem surgir, e veja o que eu encontrei, há um Partido em fundação chamado Partido da Construção Imperial que quer restaurar a monarquia e me encontrei com essa página infeliz, era só o que faltava! Primeiro foram as viúvas da ditadura e agora tem esses barões monarquelhos sem título nenhum querendo a volta de uma forma de governo que perpetuou a escravidão, atrasou a nossa economia e impediu a integração do Brasil do continente americano, principalmente com os EUA. Lucas será que esse movimento vai crescer? Olha sinceramente falando, não achava que haviam brasileiros tão burros a ponto de querer a volta da monarquia. Como podemos para isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse partido não deve chegar longe, mas o movimento não é tão pequeno pois se apoia na massa de olavetes que sofrem lavagem cerebral do guru da Virgínia e por isso apoiam acriticamente qualquer asneira que ele diga. Por toda a vida ele nunca foi um defensor da "volta da monarquia", até há poucos anos decidir pegar carona no movimento de forma oportunista (igual fez com o Bolsonaro), por isso o número cresceu tanto em poucos anos, embora eu não ache que tenha como crescer para além dos olavetes pois a própria ideia soa ridícula e dificilmente uma mente livre e pensante tem a tendência a apoiar a ideia quando se depara com as verdadeiras informações históricas sobre o período da monarquia (e não as informações fraudulentas que os monarquistas passam para enganar os otários).

      Excluir
    2. Verdade, uma coisa é certa, se somarmos todas páginas do movimento monarquista, como ao menos os editores da Wikipédia fizeram (ao menos foram honestos em mostrar os números reais) esse número não chega nem a 150 mil seguidores, num país com 210 milhões de habitantes, 150 mil é um número extremamente insignificante, aliás nem com 150 mil pessoas você consegue ao menos fazer um abaixo assinado.
      E tomara que quando o Brasil voltar para os trilhos esse movimento seja definitivamente enterrado. Pois, esse movimento ficou mais de 120 anos enterrado, aliás é bem provável que esse zumbi de 120 anos volta para a cova daqui a 10 anos, no máximo.

      Excluir
    3. Além disso, esse movimento é completamente baseado em mentiras:
      Imperador que era um ser perfeito, Brasil potência mundial, liberdade de imprensa (que aliás só passou a ter a partir do Segundo reinado, mas ainda tenho minhas desconfianças), liberdade religiosa, elite política competente, comparecimento assíduo dos eleitores nas urnas e outras coisas absurdas, que você já refutou.

      Excluir
    4. Deus te abençoe e te inteligência, sabedoria e força para continuar desmascarado esses apologistas mentirosos, monarquelhos, ateuzinhos e socialistas de iPhone.

      Excluir
  14. José do Egito foi vendido a 20 moedas de pratas pelos próprios irmãos. Cristo por 30. Podemos fazer uma analogia entre eles? José, ao final, reinou sobre seus irmãos e os perdoou pelas atrocidades. Cristo reinou, reina e reinará sobre os judeus, apesar deles terem rejeitado e comemorado a morte Dele, apesar do Senhor os perdoar.

    ResponderExcluir
  15. Muito bom Lucas, parabéns! Fica evidente o revisionismo histórico por parte desses zumbis tridentinos. Mas fugindo um pouco do contexto do artigo, me explica uma coisa:

    Se o termo Hades de acordo com seu significado grego é o mundo de almas conscientes; porque os escritores bíblicos utilizaram esse termo extra-bíblico para designar o local dos mortos?
    Isso não acabaria confundindo os leitores (principalmente os gregos) sobre o real destino dos mortos, dando brecha pra um sincretismo pagão? Porque ao meu ver, se a sepultura é o real destino dos mortos, seria confuso usar um termo que em seu significado original remete-se a um submundo de espíritos conscientes. Me ajuda nessa irmão! Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O "risco" existe, mas não mais do que a identificação de Deus como "Theos" (o termo grego usado no NT para se falar de Deus, mas que na verdade consistia em um deus pagão acima de Zeus na mitologia grega). Os autores neotestamentários tinham o costume de pegar termos gregos que significava uma coisa para os gregos, e trazer ao contexto cristão dando um significado totalmente distinto. Um grego não-convertido poderia ver um cristão falar de Theos e pensar que está falando do mesmo deus grego que ele já adora, mas quando se informasse melhor acerca das doutrinas cristãs iria ver que se trata de um outro Deus muito diferente. Da mesma forma, um grego não-convertido poderia ouvir alguém falar em "Hades" e pensar que se trata do mesmo tipo de "submundo" que ele já acredita como pagão, até conhecer as doutrinas cristãs e ver que se trata de um conceito muito diferente.

      Ademais, mesmo se compararmos o Hades imortalista com o Hades grego, haverá muita diferença. Pra começo de conversa, o próprio Hades em si era um deus grego do "mundo inferior dos mortos", que leva esse nome em sua honra, pois o lugar era governado por ele. Estariam os cristãos induzindo à crer no deus Hades? Creio que não. O Hades grego envolvia muitos compartimentos ausentes na teologia imortalista, muitos outros deuses pagãos que governavam esses compartimentos, um "cão demoníaco" que guardava sua entrada (o famoso Cérbero de três cabeças), e depois da morte ocorria isso:

      "Para adentrar o reino das sombras [Hades], primeiro viriam as moiras anunciar a hora derradeira ao mortal. Depois chegariam as queres, que cercariam a vítima, apavorando-a, debilitando-a o corpo e espírito, sangrando-a com as unhas, bebendo-lhe todo o sangue e derrotando-a. Para Homero a psiquê só seria levada ao Hades, se a mesma tivesse tido um digno funeral e principalmente fosse cremada. Após a morte do indivíduo, a alma (psiquê) era levada por Hermes até o cais do rio Aqueronte" (BARROS, J. A Odisséia de Homero, adaptação. Lisboa: Livraria Sá Costa, 1957, p. 6)

      Estariam os cristãos induzindo a crer em tudo isso? Um pagão provavelmente pensaria que sim a princípio, ou seja, correria esse "risco". Mas bastaria um estudo superficial da fé cristã para perceber que isso não tem nada a ver (nem mesmo na doutrina imortalista clássica). Em suma, o "risco" existiria sendo imortalista ou não, pois em nada o Hades da mitologia grega se assemelha ao Hades das "teologias sistemáticas" de autores imortalistas, mas qualquer risco era dissolvido quando o indivíduo era introduzido nas doutrinas cristãs e percebia que a doutrina cristã sobre o Hades não tinha nada a ver com a doutrina grega.

      Em tempo: há fortes indícios de que, de fato, os apóstolos evitaram realmente o uso do termo "Hades". Paulo, por exemplo, embora tenha sido o que mais cartas escreveu, nunca citou o Hades. Pedro também não, nem Tiago, nem Lucas em Atos, nem João nas epístolas, nem Judas. O Hades é mencionado quatro vezes nos evangelhos, e depois disso só volta a ser citado (várias vezes) no Apocalipse, que, como sabemos, tem um teor fortemente alegórico. Metade das oito citações bíblicas ao Hades são do Apocalipse. Este fato pode indicar que pelo menos os apóstolos tiveram mesmo algum tipo de preconceito ou receio em relação ao uso do termo em suas cartas.

      Excluir
    2. Muito esclarecedor Lucas! Se o uso do termo é um problema, então se torna um problema pra ambos os lados, por conta da visão grega do hades ser tão diferente de qualquer visão cristã a respeito do mundo dos mortos.

      A propósito, não sabia que existia uma divindade ainda superior a Zeus na mitologia grega, já que ele é descrito como o pai dos deuses. Mas enfim, vlw aí! Abs!

      Excluir
    3. Eu fui conferir essa informação e me parece que cometi um equívoco nesta parte, na verdade "theos" não era uma divindade acima de Zeus mas sim o termo que os gregos usavam para os deuses do Olimpo de forma geral. Ou seja, "theos" era uma palavra genérica que se aplica a Zeus como também se aplicava aos outros deuses gregos, e não um outro deus em particular como eu dei a entender. Os pagãos usavam com frequência essa terminologia para se referir às suas divindades, como você pode ver aqui:

      http://www.perseus.tufts.edu/hopper/wordfreq?lang=greek&lookup=qei%3Dos2

      De todo modo, o argumento aqui permanece o mesmo, pois os apóstolos empregaram uma palavra para Deus que era designada para os deuses do Olimpo, mesmo eles não crendo nesses falsos deuses.

      Abs!

      Excluir
  16. Amigo do Banzolão2 de setembro de 2018 12:58

    Banzolão, achei seu filme favorito :)

    http://quinto-canal.com/wp-content/uploads/2018/02/Annihilation_Vertical-MAIN_PRE_POR-1.jpg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha depois eu vou lá ver se esse filme não comete nenhum erro teológico ;p

      Excluir
  17. Comente:

    https://www.youtube.com/watch?v=CEs7gFXQ1Eo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sabia que o carinha da "Verdade é Lógica" tinha voltado, vlw por ter mandado o vídeo. Mas sobre o vídeo em si eu discordo completamente, parece papinho de Teísmo Aberto, que sim, limita Deus em muito, o torna praticamente um escravo das decisões humanas. Como eu posso confiar em um Deus que nem mesmo sabe o que vai acontecer para impedir algum desastre? A própria ideia soa ridícula. Se você quer saber o que eu penso sobre isso teologicamente, vá à página abaixo, no final dela tem dois tópicos, um chamado "o indeterminismo para os arminianos" e a outra "o teísmo aberto é necessário?", que são os tópicos que abordam isso aí:

      http://apologiacrista.com/determinismo-calvinista

      Excluir
    2. Esse cara deve ser professor em alguma faculdade TJ. Ele possui uma didática excelente. As crenças são erradas, mas a forma dele de ensinar é perfeita.

      Excluir
    3. Concordo. Por isso eu gostava de acompanhá-lo na época do VL.

      Excluir
    4. "Como eu posso confiar em um Deus que nem mesmo sabe o que vai acontecer para impedir algum desastre? A própria ideia soa ridícula." E SEM LÓGICA, tão apregoada pelo suposto professor.

      Excluir
    5. Amigo do Banzolão2 de setembro de 2018 22:05

      Eu queria ver um debate entre o Banzolão e esse cara aí. Topa, Banzolão?

      Excluir
    6. Ele não aceita debate ao vivo, o Tourinho queria isso e ele só aceitou gravando as partes do debate separadamente, assim nem dá pra chamar de "debate" porque qualquer um tem tempo para pescar as respostas em algum lugar e depois gravar "refutando" o outro, nem graça tem.

      Excluir
    7. Amigo do Banzolão3 de setembro de 2018 23:46

      Ele aparenta ser tão "refutador". Ele faz vídeos contra o Norman Geisler, o Leandro Quadros, o Mário Persona, etc. Será que ele não tem certeza do que crê?

      Excluir
    8. O pior é que segundo relatos, o "Verdade é Lógica" tinha acabado justamente porque a "Torre de Vigia" pegou eles (lógico que pegaria, estavam "vigiando" xD). A doutrina TJ oficial proíbe que membros TJ façam apologética, os únicos que podem fazer são o "Corpo Governante", por isso proibiram eles quando descobriram quem era, agora esse cara voltou (ou conseguiu fazer parte do Corpo Governante, ou está em rebeldia de novo rs).

      Excluir
  18. O que acha do Michael Jackson?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre as músicas ou as polêmicas?

      Excluir
    2. Eu assisti ao documentário sobre ele no Netflix me parece que aquela polêmica de pedofilia é mesmo falsa nesse caso, que foi mesmo o pai do Jordan Chandler que inventou para extorquir o Michael, o Michael parece que tinha mesmo síndrome de Peter Pan,ainda se sentia uma crianca, devido aos traumas,maltratos do pai, intensa rotina de ensaios e shows com o Jackson 5

      Excluir
    3. Também acho que as acusações são falsas.

      Excluir
    4. Tanto sobre as músicas e a pessoa pública dele em si Lucas.
      Acho que ele era um ser humano incrível, realmente era diferente, ele queria um mundo melhor e se dedicava pra isso com suas músicas e suas obras sociais. Realmente era uma pessoa boa, são inúmeros os relatos de boas-ações dele e além disso ele era a celebridade que mais ajudou instituições de caridade. Michael era uma pessoa que era inocente e tinha profundo carinho pelas crianças, acredito que ele não tinha síndrome de Peter Pan mas apenas tentava fazer outras crianças terem uma infância feliz, ao contrário dele que sofreu muitos maus-tratos por parte do pai, inveja dos irmãos por ele ser o mais popular do Jackson 5 e não poder ter uma infância normal como as outras crianças. Ele infelizmente foi vítima de todas essas calúnias totalmente falsas que destruíram a vida e a carreira dele, além disso, acredito que houve conspiração na morte dele, ele estava denunciando muitas coisas erradas.

      Excluir
    5. Essa da morte dele também achei bem questionável, parece que tudo o que envolve Michael Jackson tem um ar de "conspiração", não entendo por que mas ele tinha muitos desafetos que fizeram de tudo para acabar com a carreira (e talvez com a vida) dele. Francamente eu não sei se o cara morreu mesmo pelas razões alegadas (versão muito contestável), ou se foi assassinado pelas mesmas forças que o caluniavam para destrui-lo, ou se similou sua morte para não ser assassinado ou para poder levar uma vida em paz como um "anônimo" em algum lugar. Talvez nunca saberemos.

      Excluir
    6. Acredito que o Michael foi assassinado, o médico foi apenas um bode expiatório, existe muita gente poderosa por trás da morte dele. Aliás, a própria filha do Michael e o restante da família (ele se reconciliou com a família antes de morrer) acredita nisso. Sobre o Michael ter supostamente forjado a morte eu não acredito, aliás, acredito que essas supostas provas de mortes forjadas de inúmeras celebridades (Michael Jackson, Elvis Presley, 2pac Shakur, Jim Morrison, etc.) seriam provas forjadas para que as pessoas queiram se preocupar e queiram focar mais na suposta vida que eles ainda tem ao invés de se preocupar com a verdadeira causa e os reais motivos que esses famosos morreram. Acredito que as falsas acusações de pedofilia contra o Michael tenham sido inventadas e propagadas pela mídia e pelos mesmos que o mataram após ele começar a se rebelar contra esse sistema, para que a vida e a carreira dele fossem destruídas, para que as pessoas o odiassem, não acreditassem no que ele falava e não dessem valor ao que ele falava. Certamente Michael Jackson foi vítima de uma conspiração. Um grande amigo do Michael contou que o Michael disse que haviam pessoas "querendo o matar".

      Excluir
    7. Existe um livro chamado "O Que Realmente Aconteceu A Michael Jackson" de Leonard Rowe, que mostra que mostra fatos estranhos e fortes evidências de que houve conspiração na morte dele. Recomendo que leia!

      Excluir
    8. Sobre o Élvis eu li que os parentes na hora do velório viram que não era o verdadeiro Élvis ali morto, que era alguém parecido com ele que teriam colocado no lugar mas que nem era tão parecido assim, isso que alimentou as teorias de que ele tivesse simulado a sua morte, tem umas páginas que se dedicam exclusivamente a isso e que mostram muitas supostas provas de que ele não morreu (ou pelo menos não naquela época), eu nunca fui a fundo nisso mas me despertou curiosidade. Inclusive as análises de DNA provariam que ele não morreu:

      https://www.youtube.com/watch?v=Wc5DdC4zaUU

      Excluir
    9. Vi também evidências de que o Elvis teria sido assassinado pela máfia, não acredito que seja realmente a Máfia mas sim a Indústria Oculta do Entretenimento, os mesmos que estão por trás da morte do Michael, 2pac e outros artistas que morreram de formas estranhas e misteriosas, uma amiga dele que se não me engano era uma atriz contou isso, e por ela saber demais ela quase sofreu um acidente de carro, as rodas do carro dela apareceram todas desparafusadas misteriosamente.

      Excluir
  19. Cara, eu compreendo perfeitamente aquele ecumênismo que havia entre católicos e protestantes. Isso foi no período em que a militância ateísta dominava amplamente a internet; e, em contrapartida, católicos e protestantes tinham que unir forças para combaterem os neo ateus. O problema disso é que tal ecumênismo acabava quase sempre sendo uma defesa implícita (ou mesmo explicita) dos crimes da igreja católica. Quando um ateu atacava o cristianismo, os ataques (como as cruzadas, inquisição, torturas, etc) se direcionavam quase sempre ao catolicismo, e quando o evangélico respondia os ataques, ele se via obrigado a defender a igreja romana, mesmo que inconscientemente. Defender o cristianismo contra os ateus era sinônimo de defender a igreja romana,e os apologistas católicos se aproveitaram muito bem dessa situação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo, por isso disse no artigo que não é momento de culpar nem de expor ninguém, até eu mesmo no início engoli esse discursinho em partes, o importante é que de agora em diante ninguém por ignorância caia de novo nisso.

      Excluir
  20. Eae Lucas,sofrendo muito com o Olavismo Cultural ?

    ResponderExcluir
  21. Lucas, o que se pode afirmar de verdade sobre a arca da aliança?
    Vi um documentário afirmar que ela se encontra numa igreja copta na Etiópia, é verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há nada certo sobre isso, essa coisa de que a arca está aqui ou ali é tudo boato, fake news. Desde a conquista de Jerusalém pelos babilônicos ninguém sabe onde a arca foi levada; ela pode ter sido destruída por eles ou mantida guardada em algum lugar ainda não descoberto.

      Excluir
    2. Amigo do Banzolão2 de setembro de 2018 22:01

      "essa coisa de que a arca está aqui ou ali é tudo boato, fake news"

      Nada disso. Olhe ela ali na foto abaixo kkk:

      http://static1.purepeople.com.br/articles/5/12/92/55/@/1655315-hebreus-carregam-a-arca-da-alianca-onde-950x0-3.jpg

      Excluir
    3. Mas quem tocasse na Arca não morria? Será que Deus tirou essa punição para quem tocasse na arca?

      Excluir
    4. "Nada disso. Olhe ela ali na foto abaixo kkk"

      Essa arca aí é fake. A verdadeira é essa aqui:

      http://static.blogdaresenhageral.com.br/wp-content/uploads/2015/11/IMG_1082.jpg?x43390

      "Mas quem tocasse na Arca não morria? Será que Deus tirou essa punição para quem tocasse na arca?"

      Pode ter tirado, ou mais provavelmente a arca pode ter sido destruída mesmo (os povos antigos tinham o costume de queimar as cidades que conquistavam, então é bem possível que a arca tenha sido destruída junto com o templo naquela ocasião).

      Excluir
  22. Olá Lucas, se lembra de mim? Sou aquele cara que te enviou aqueles dezenas de artigos da Igreja Ortodoxa sobre o Protestantismo. Eu queria saber, como é funciona a administração dos Patriarcas Orientais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse artigo aqui (de um site ortodoxo) explica isso com detalhes:

      https://www.ecclesia.com.br/igreja-ortodoxa/

      Excluir
  23. Banzoli, o que você acha dos comportamentos estranhos de artistas e pessoas famosas (principalmente dos EUA)?

    https://www.youtube.com/watch?v=Lv2cuR9Kg4k

    Acho que existe algo bizarro por trás da indústria da mídia, política, etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alguns casos é simplesmente da pessoa tentando ser engraçada (como os do comediante Jim Carrey), outros podem ser influência demoníaca como supõe o autor do vídeo, e outros podem ser o piripaque do Chaves (às vezes acontece). Eu só gostaria de saber que diabos é isso que a Hillary cuspiu no copo.

      Excluir
    2. Pois é amigo, o mundo de fato jaz no maligno. Fico imaginando os milhares de fãs que idolatram, indiretamente e sem saber, o maldito satanás.

      https://www.youtube.com/watch?v=JvbrWk9Q32k

      Excluir
    3. Triste... esse vídeo aí já diz tudo.

      Excluir
  24. A página do Dollynho "puritano" eu já tinha conhecido e achei realmente um horror o que eles fizeram com a página, basta comparar como era a página antes e agr. Sobre essa do "Explica-me ateu", eu já tinha ouvido falar na época em que ela era Boa, mas n soube que ela se transformou nesse lixo hj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje mesmo ele subiu um vídeo sobre "como se consagrar totalmente a Maria pelo método de São Luís de Montfort" (aquele mesmo que diz que temos que ser escravos de Maria, que Maria é a árvore da vida e que ela tem o mesmo poder que Deus).

      Excluir
  25. Caramba na pag do guru dos astros de virginia do facebook ta cheio de coisa antiprotestante que foi postado recentemente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, pra você ficar lendo/assistindo o astrólogo cuspir lorotas é ignorância ou masoquismo?

      Excluir
    2. Eu acho que hoje em dia só quem é muito idiota ainda continua dando atenção ao que esse cretino diz. Chega a ser deprimente que uma dúzia de ataques difamatórios da parte dele sejam motivo de tanto falatório, em qualquer país sério o que um astrólogo maluco que fugiu do hospício (literalmente) diz não tem valor nenhum, só aqui no Brasil mesmo para as pessoas darem importância a um cidadão desse nível.

      Excluir
    3. é Triste a situação da Dollynho "Puritano", parece desde que o Caio, o Kauê e vários outros Adms se converteram ao catolicismo a qualidade da pagina caiu muito.
      É Foda, eles se dizem Puritanos mas nunca citam o Calvino, se dizem fans do William Lane Grag mas nunca falaram do molinismo. Se Formos analisar a "Apologética" deles é baseada unicamente no Tomismo e na negação dos crimes da ICAR.

      Excluir
  26. é Serio que o Tourinho ja fez parte da Dollynho "Puritano"?? Quando é que foi isso???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ele saiu no início do ano passado, em fevereiro. Foi adm por muito tempo, desde as antigas quando os protestantes ainda controlavam a página.

      Excluir
  27. A única coisa que não concordei contigo foi sobre o movimento monarquista. Eu sei que existem muitos imbecis dentro dele, mas não são todos os monarquistas que defendem o retorno de um estado católico. Existem muitos (como eu)que dejesam uma monarquia LAICA aos moldes da Inglaterra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas não importa o que uma minoria deseja, o fato é que se a monarquia for restabelecida aqui, ela será restabelecida nos moldes DELES, o próprio Dom Bertrand já disse que é contra o Estado laico, que quer um Estado católico, assim como a maioria dos que militam nessa direção (que convenhamos, são em suma maioria católicos tradicionalistas ferrenhos).

      Excluir
  28. Amigo do Banzolão3 de setembro de 2018 00:22

    Banzolão, eu lembro que você tava escrevendo um livro chamado "A Lenda Preta da Inquisição". Já concluiu esse livro? xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você se confundiu, era a "Lenda Azul-Marinho da Inquisição".

      Excluir
    2. Amigo do Banzolão3 de setembro de 2018 23:39

      'era a "Lenda Azul-Marinho da Inquisição"'

      kkkk

      Você já concluiu o livro "A Lenda Branca da Inquisição"? O que você quer dizer com "lenda branca"? Não entendi isso.

      Excluir
    3. Eu parei na metade. O termo "Lenda Branca" é o que alguns historiadores usam em oposição à chamada "Lenda Negra" da Inquisição, que os católicos citam para dizer que estão exagerando ou "inventando mitos" sobre o que foi a Inquisição, mas em contrapartida acabam criando outra lenda, na qual a Inquisição foi um "bem à humanidade" e aquela pataquada de sempre. Ou seja, em síntese "lenda negra" é o termo que os católicos usam para falar que a Inquisição da forma com que nós contamos é uma "lenda", e "lenda branca" é o termo que eu e outros usam para dizer que o que ELES dizem é que é lenda.

      Excluir
  29. Aquele velho decrépito não fede nem cheira pra mim. Olavo de Carvalho comentando coisas como teologia e protestantismo, é um ótimo filósofo - aliás até nisso ele está em defasagem.

    Ele perde excelentes oportunidades de ficar calado, já que "Até o tolo, quando se cala, parece ser sábio" - Provérbios 17.10

    ResponderExcluir
  30. Agora apologistas católicos se unindo a protestantes bem intencionados porém ingênuos para depois os enxotarem como cães...

    Nem me espanto com isso, nada de novo debaixo do Sol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. O triste é que tem crente que não percebe isso, que ingenuamente acredita mesmo que deve "unir força" com eles "por uma causa maior", sem saber que o estão fazendo de trouxa para a causa deles em particular.

      Excluir
  31. Quais são os maiores absurdos ditos pelo Olavo pra vc ?

    ResponderExcluir
  32. Lucas, vejo tanta gente, até mesmo alguns cristãos, sendo a favor do aborto e quando pergunto o motivo eles explicam que só apoiam em "certos casos" como o estupro, então eu respondo dizendo que o aborto por motivo de estupro já não é ilegal e eles, por ficarem se baseando em qualquer discurso que vêem na internet, se surpreendem, pois nem sabiam que o aborto por motivo de estupro já não é ilegal. Com o aborto já sendo legal nesses casos, pôr que as pessoas continuam apoiando? Tipo, não entendo onde elas querem chegar, pra que legalizar? É sério que é pura e simplesmente para se livrar de uma gravidez indesejada? Imagino que eles devem usar alguns argumentos pra poder convencer o resto das pessoas a aprovar o aborto e assim não fica parecendo que são assassinos. Por acaso essa parte do aborto que já é legalizada de fato apresenta muitas falhas pras pessoas a ignorem totalmente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade se alguém deveria estar falando sobre aborto em casos de estupro são os conservadores, uma vez que a lei está contra a gente neste aspecto (ela legaliza esse tipo de coisa). Se aborto é entendido como um assassinato, então matar um inocente é matar um inocente independentemente de ter sido estupro ou não. Por isso eu entendo que embora seja um caso mais crítico, o aborto não deve ser permitido nem nos casos de estupro. Teoricamente deveríamos ser nós a militar pela mudança da lei nesta parte, mas aparentemente nenhum candidato (nem mesmo o Bolsonaro) está disposto a mudar a legislação atual no que diz respeito especificamente a isso.

      Excluir
    2. Você disse tudo Lucas. Eu acho esses conservadores hipócritas, por que são contra o aborto, porém em caso de estupro são a favor. Eles dizem que o aborto é errado porque é assassinato, mas independente da circunstância continua sendo assassinato, mesmo em caso de estupro.

      Excluir
  33. E uma outra coisa, na situação caótica que o nosso país se encontra o que você acha de avançar direto pra cima e resolver violência com violência? Isso dá certo? Concordo que a educação é a melhor forma de combater a violência mas já sabemos como o nosso país é nesse aspecto. E a própria história não comprovaria que muitas vezes funciona sim resolver violência com violência? Como por exemplo quando os cananeus, devido aos seus pecados e sua teimosia, foram expulsos de Canaã a força pelos hebreus. Deus os julgou optando por um mau,que foi a guerra, mas um mau menor, foi a única coisa a se fazer já que os cananeus não mudavam nunca e preferiram continuar desobedecendo a Deus, foi justiça, e funcionou, o mau foi tirado daquela terra, é verdade que mais tarde os próprios hebreus também se desviaram mais isso é outra história. Por favor me corrija se eu tiver dito qualquer coisa de errado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se por "combater a violência com violência" você quer dizer usar métodos policiais mais letais e incisivos mas tudo dentro de padrões éticos, eu concordo. A razão pela qual a polícia e até o exército estão perdendo a luta contra o crime organizado é justamente porque eles estão com as mãos atadas pela lei, que salvo engano proíbe dar mais de dois tiros, não deixa atirar para matar e outras patifarias do tipo que tornam completamente inviável qualquer ação policial. Enquanto isso, os bandidos sem qualquer restrição se utilizam de fuzil e tudo para acabar com eles, então é como se estivéssemos numa guerra onde só um dos lados tem "permissão" pra vencer. Os "direitos humanos" estão sendo usados apenas e exclusivamente para proteger bandido por mais imoral que seja, e toda a lei está contra o policial. Já não basta o risco sempre presente de ser baleado e morto por um marginal (como infelizmente acontece aos montões, especialmente no Rio), ainda corre o risco de matar um criminoso e ser preso por causa disso. O Brasil deve ser o único lugar do mundo onde os governantes parecem estar decididos a dificultar a ação policial e favorecer os bandidos. Então neste sentido sim, eu sou a favor da repressão com mais "violência", mas devemos ter muito cuidado ao usar esse termo pois alguns poderão imaginar que somos a favor de sair matando todo mundo (mesmo os civis inocentes), e obviamente não é este o caso.

      Excluir
    2. Aproveitando o assunto, o que acha do porte de armas? Funcionaria no nosso país?

      Excluir
    3. Se julgamos pela métrica dos nossos vizinhos, a tendência é melhorar (pelo menos a média de homicídio nos países latinos com liberação das armas costuma ser menor que aqueles que proíbem). Eu sei que o brasileiro é impulsivo, em muitos casos incivilizado e sim, eu sei que vai haver casos em que pessoas que conseguiram uma arma legalmente vão usá-la para matar uma pessoa inocente em um momento de raiva, mas colocando numa balança e considerando que deve abaixar a criminalidade (que também mata muita gente), eu avalio como sendo mais positivo do que negativo.

      Excluir
  34. Lucas, é pecado orar pro meu time ser campeão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pecado não é, só é inútil (digo por experiência própria, vai por mim)

      Excluir
    2. Você torce pro Ibis? pra, vai que Deus responde kkkk

      Excluir
    3. Dependendo da época, torcer pro SPFC é pior... :/

      Excluir
  35. Pode-se dizer que alguém que siga o judaísmo pode ser salvo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excetuando o satanismo, não existe uma religião na qual uma pessoa seja "impossível" de ser salva. O que existem são religiões que DIFICULTAM essa salvação numa medida maior ou menor, mas mesmo assim sempre haverá uma chance ainda que mínima de que o indivíduo por ignorância da fé verdadeira e seguindo sua consciência moral corretamente seja salvo por graça divina.

      Excluir
  36. R.I.P. Museu Nacional ;-;

    https://www.youtube.com/watch?v=jWoBQx4S8dU

    ResponderExcluir
  37. Lucas, você concorda com a tese que a tradição serve apenas para "fins históricos"? Exemplo: Paulo foi levado a Roma e decapitado, Pedro recusou a mesma morte de Cristo e foi crucificado de cabeça pra baixo, etc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, mas mesmo assim não de uma forma cabal. Tudo depende do nível de credibilidade da tradição em questão. Por exemplo, é um tanto plausível assumir que Pedro foi martirizado em Roma porque foi dito por Inácio de Antioquia no começo do segundo século, mas se tivesse sido dito pela primeira vez apenas por um Pai da Igreja do século IV, por exemplo, seria bem questionável, ainda que fizesse parte da "tradição" de alguma igreja. Por isso devemos avaliar caso a caso, em vez de aceitar de uma só vez um compilado de "tradições" anunciadas por alguém.

      Excluir
    2. E sobre Paulo ter sido decapitado por ordens de Nero? Qual a fonte original dessa afirmação? Possui credibilidade?

      Excluir
    3. São as mesmas fontes, porque dizem que Paulo morreu da mesma forma que Pedro em Roma e no período que fazia parte do reinado de Nero ainda. Alguns (se eu não me engano Tertuliano, mas isso eu teria que confirmar) ainda dizem que foram martirizados juntos, no mesmo dia.

      Excluir
  38. Lucas eu como admirador da história humana e sei que você também que admira a história, é triste o fato do museu nacional do rio ter caído em chamas e quase nada ali ter se conservado, séculos de história brasileira perdida pelas chamas. Mas o pior, foi pessoas usando isso para justificar suas ideologias, os petistas dizendo que o museu queimou por causa do "neoliberalismo" (termo este que nem existe, ninguém nunca na história se identificou com este termo ou escreveu um livro sobre isso) do governo temer (que é em parte verdade, só que é desde o governo Dilma o museu não recebe dinheiro publico e literalmente já fechou por falta de dinheiro), e do outro lado, estão monarquistas fanáticos como Nando Moura ou o bernardo dizendo, indiretamente, que o governo brasileiro atual quer queimar as memórias da monarquia brasileira: https://www.youtube.com/watch?v=53HcIoEgyjk. O que você pensa sobre tudo isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente sempre que ocorre uma tragédia aparecem aproveitadores oportunistas que são como urubus prontos a se aproveitar da catástrofe para fazer militância política. É desprezível e repugnante.

      Excluir
  39. Gente, fazia tempos que achava estranho a mudança de tom da Dollynho. Eu acompanhei a página no início e não sabia o motivo da mudança no conteúdo das postagens. Agora td faz sentido. É uma pena q isso tenha acontecido. Ainda acompanho algumas postagens, mas não como era antes. Uma dúvida: como vc ficou sabendo desse balaio de gato que aconteceu lá? (Desculpe a curiosidade).

    P.S.: Conheci seu blog recentemente e estou gostando das publicaçoes. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mudança no rumo da página eu já tinha notado e já sabia que era por causa da infiltração de adm católicos (muita gente já falava nisso), mas recentemente eu obtive mais informações, um pouco com o Gaião e a maior parte com o Tourinho, que foi adm da Dollynho até o começo do ano passado. Abs :)

      Excluir
  40. Qual seu parecer sobre Turismo Religioso e viagens a Terra Santa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que vai quem quer, não cabe a nós impedir ninguém, mas vejo um certo exagero nisso. Tem gente que literalmente pensa que Jerusalém é "terra santa" (santa mesmo, como se ali pudesse sentir a presença de Deus ou receber mais respostas de oração do que se estivesse em outro lugar), enquanto outros vão para pagar promessa, fazer "penitência", sacrifícios aqui ou ali, e no final das contas acaba redundando em pura superstição (parecida com as fitinhas que alguns colocam no carro pra não bater, só que gastando muito mais dinheiro). Eu acho até bem razoável a pessoa ir a Jerusalém pela mesma razão que alguém vai a um museu ou Centro Histórico, mas quando começa a misturar as coisas e pensar que ali Deus está mais presente ou que vai conseguir obter alguma vantagem espiritual através disso acaba virando esculhambação, uma forma moderna de pagamento de indulgências.

      Excluir
  41. Iae Lucas! Tudo bem? Gostaria de saber sua opinião sobre esse artigo: http://www.criacionismo.com.br/2013/07/os-cristaos-e-desobediencia-civil.html

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
  42. Banzolão você como interpreta a Guerra Cristera?Outro dia vi no Terça Livre eles exaltando esse fato histórico como se fosse a resistência cristã católica contra o´´governo ateu mexicano´´pós Revolução Mexicana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neste caso parece que é verdade, os católicos do México estavam sendo oprimidos mesmo (no sentido de perder parte de seus direitos civis). Tudo bem que durante todo o tempo eles perseguiram os não-católicos com um rigor infinitamente maior, mas uma coisa não justifica a outra, o governo estava errado mesmo.

      Excluir
  43. Avalie:

    https://www.youtube.com/watch?v=XzToQ9iv7fQ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Barão de Mauá era um monstro, esse sim merece o rótulo de "mito". Lástima que tenha vivido na época da porcaria da monarquia que emperrou seus projetos, se estivesse em um país mais civilizado como os EUA teria feito um enorme sucesso.

      Excluir
    2. "Barão de Mauá era um monstro, esse sim merece o rótulo de "mito". Lástima que tenha vivido na época da porcaria da monarquia que emperrou seus projetos, se estivesse em um país mais civilizado como os EUA teria feito um enorme sucesso." (Lucas Banzoli)

      Concordo plenamente! E ainda tem gente que acha que a Monarquia Parlamentarista foi um grande período de desenvolvimento. E que depois a República "emperrou" o progresso do Brasil, quando na verdade foi o contrário. Isto é, invertem a História. E, caso vc apresente uma bibliografia séria sobre o assunto, eles vão dizer que os marxistas alteraram tudo! E ainda que vc apresente as fontes primárias... eles dirão que são falsas, mesmo sem comprovar suas premissas! Então, o que podemos fazer com gente desse tipo? Acredito que nada, apenas refutá-las e, por consequência, passaram vergonha nos debates.

      Excluir
    3. Eu acredito que por essas e outras, se alguém vem com um "Ave Império" o melhor é nem perder tempo discutindo, é só mandar pro inferno ele e o "império" dele.

      Excluir
  44. https://www.youtube.com/watch?v=rXDe2bFmtms

    Bem top esse vídeo.

    ResponderExcluir
  45. Uma nota importante sobre o vídeo que mandei do Leandro Quadros: Não é porque a pessoa cometeu um crime que merece pena de morte ou prisão perpetua, e realmente se arrependeu, isso não quer dizer que essa pessoa será livrada da pena capital. Veja o exemplo do ladrão na cruz... Mesmo Cristo falando que ele iria para o Céu, ele não foi liberto da cruz(pena capital). Claro que existem exceções.

    O ponto é: livrar-se da punição eterna(morte no lago de fogo) não quer dizer livrar-se da punição temporal(pena capital de morte, prisão perpetua, multa, etc).

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
  46. ...Comente...

    https://www.facebook.com/carvalho.olavo/photos/a.275188992633182/1123447791140627/?type=3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu respondi isso no artigo mais recente:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/09/refutando-as-quatro-razoes-de-olavo-de.html

      Sobre a parte final, onde ele diz que o Logos "tem poder de insuflar sua presença real em qualquer pedaço de matéria que bem lhe apareça", se essa "presença real" fosse entendida em termos espirituais, não teríamos problemas com isso (o próprio Calvino cria assim, bem como muitos protestantes até hoje). O problema é que eles acreditam que Jesus está F-I-S-I-C-A-M-E-N-T-E na hóstia, o que é um absurdo e um devaneio. Eu não poderia dizer que Jesus está fisicamente ao meu lado se eu não pudesse vê-lo. No máximo estaria ali em uma presença espiritual, mas não física. Só faz sentido se falar em algo físico se pode ver, tocar, etc. No caso do pão da Ceia, nós vemos pão, parece pão, tem cheiro de pão, tem gosto de pão, tem aparência de pão, tem DNA de pão, ENTÃO É PÃO, e não Jesus fisicamente. Deus nunca em toda a Bíblia fez qualquer milagre no sentido de transformar substância que permanece com os "acidentes" anteriores, isso é uma falácia que Tomás de Aquino deu ares de aparência "filosófica" para tentar tornar, sem sucesso, a bobagem em algo menor que isso.

      Excluir
    2. O fato deles crerem que Cristo esta literalmente fisicamente naquela hóstia fabricada deles, é mais um belo tiro no pé uma vez que eles estariam praticamente canibalismo.
      Ou seja, mais uma bela prova de que a religião católica romana tem raizes e o dois pesinhos no paganismo.
      Me pergunto como pode alguém com um cérebro crer nessa baboseira que eles pregam, é de doer o intelecto, para não mencionar o disparate com o evangelho do cristianismo verdadeiro.
      Ha uma palavra em inglês que denomina toda a religião católica que é counterfeit não vê quem não quer mesmo.

      Excluir
  47. Bom, como disse no facebook, li o texto. Não creio que tenha refutado o post da Explique-me ateu, porque me parece que você atacou um espantalho. Quando se diz que a Inquisição foi o "primeiro tribunal" a ter certa prática, não é que foi o primeiro tribunal de toda a história da humanidade, mas sim o primeiro tribunal na civilização ocidental. E a civilização ocidental é construída a partir da Idade Média. Portanto, citar exemplos de antes da Idade média (do Império Romano ou dos judeus) não faz nada em refutar as alegações da página.

    Faltou eu checar as informações sobre tortura, que você redireciona para outros textos seus. Fico devendo essa parte.

    Abraços, Paz de Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sinceramente não consigo entender da onde vem essa sua obsessão em me contrariar a todo o custo só para salvar a pele da Inquisição, chega a ser inacreditável que em um texto que diz que “a Inquisição foi o PRIMEIRO TRIBUNAL a...”, a culpa seja MINHA por entender exatamente o que a alegação afirma, e não do autor da frase por não especificar e fazer parecer que está falando exatamente o que diz. É uma manobra surreal para livrar a barra dos caras apenas por causa da sua obsessão nisso. Além disso, talvez você não saiba, mas o Império Romano era ocidental, ele faz parte daquilo que podemos chamar de “civilização ocidental”, aliás muita coisa devemos a ele, ao Direito Romano, que precedeu qualquer direito eclesiástico, que em grande parte apenas copiou o Direito Romano. E nesse mesmo Direito Romano constam todas as coisas que ele falsamente atribui apenas à Inquisição, muitos séculos mais tarde. Se isso não é pilantragem, eu não sei mais o que é.

      Fica na paz.

      Excluir
    2. Rapaz, óbvio está deixando de ser óbvio no Brasil. É impressionante. kkkk

      Excluir
    3. Pois é, na verdade é preciso tomar cuidado quando se diz que alguém está "atacando um espantalho", pois quando se fala em espantalho se refere a coisas que alguém NÃO disse, quando aqui claramente eu trabalhei em cima daquilo que ele DISSE expressamente. Se ele deixou de acrescentar isso ou aquilo, ou se deixou de fazer essa ou aquela ressalva, aí não é mais comigo, eu não tenho o poder de ler mentes, eu trabalho em cima daquilo que foi escrito, então dizer que eu "ataquei um espantalho" aqui é sacanagem.

      Excluir
  48. No grupo fórum do Logos no Facebook, até pouco tempo atrás, haviam discussões saudáveis entre católicos e protestantes, e os católicos eram bastante respeitosos. Pena que isso não é a regra de comportamento de grande parte da apologética católica.

    ResponderExcluir

Fique à vontade para deixar seu comentário, sua participação é importante e será publicada e respondida após passar pela moderação. Todas as perguntas e comentários educados são bem-vindos, mesmo que não tenham a ver com o tema do artigo. Críticas serão publicadas desde que não faltem com o respeito e não sejam feitas em anonimato.

Caso o seu comentário não tenha sido publicado dentro de 24h, reenvie-o.