10 de junho de 2018

118 O aniquilacionismo é pior que um tormento eterno?



Há pouco mais de uma semana alguém perguntou em um grupo de apologética protestante se eu era o único aniquilacionista dali. O resultado foi bastante surpreendente até para mim: embora o grupo não conte com membros adventistas ou TJ, dos que se manifestaram 7 disseram ser imortalistas, 10 disseram ser aniquilacionistas e outros ainda não tinham certeza, o que superou minhas melhores expectativas. Isso lança bastante esperança para o futuro da teologia, que cada vez mais tende a pender para o lado que demonstra mais força intelectual nos argumentos, em vez do tradicional “efeito manada” onde todo mundo segue o lado da maioria sem questionar. 

Na verdade, só o fato de existir quem não tem certeza e prefere estudar a fundo o assunto antes de tomar um lado já é um imenso e significativo avanço em relação à época em que ninguém sabia nada e achava que sabia tudo só por defender o que a cartilha mandava. Se alguém fizesse essa mesma pergunta há uns dez anos atrás e surgisse uma única pessoa se dizendo aniquilacionista, ela seria massacrada e tratada como louca ou adepta de "seitas", por isso eu noto com orgulho essa evolução na forma de pensamento.

Mas não é disso que este artigo se trata. Bem, é disso, mas não sobre estatísticas: na discussão, vários imortalistas vieram com aqueles mesmos questionamentos clichês e bobinhos de sempre, já refutados à exaustão, mas, por ironia, o único questionamento que me pareceu interessante o suficiente a ponto de me fazer desenvolver um novo artigo a respeito veio justamente de um aniquilacionista, que escreveu o seguinte:


Há duas alegações feitas aqui e que merecem ser consideradas: primeiro, a de que ser aniquilado é pior do que sofrer um tormento eterno, e segundo, o de que o tormento eterno seria justo e merecido da parte de Deus porque seria Deus que o fez e ele é justo independentemente do que faça (neste ponto eu não vou rebater apenas o que o aniquilacionista do comentário expôs, mas também uma consideração geral dos argumentos imortalistas em torno disso, que não são poucos).

Deixe-me começar com o primeiro ponto: seria mesmo o aniquilacionismo pior do que o tormento eterno? Aqui eu não vou discutir a questão filosoficamente, mesmo porque a filosofia quando não tem efeitos práticos é vã e inútil. Vou discutir apenas a realidade concreta. E na realidade concreta, creio haver poucas dúvidas de que um sofrimento eterno é uma coisa pior que o aniquilacionismo (chamaremos aqui apenas de morte mesmo). É curioso que vez ou outra aparece alguém aqui dizendo que se o aniquilacionismo é verdadeiro, então “vale a pena ser ímpio” e pecar à vontade. Eu printei um desses comentários feitos aqui há menos de um mês (com a sequência de comentários no post), peço que acompanhem com atenção o raciocínio:




Eu não vou entrar aqui na discussão sobre se “vale a pena pecar” caso o tormento não seja eterno, mesmo porque creio que o que foi respondido acima já é o suficiente. Mas note que na concepção deste imortalista, bem como na de muitíssimos outros, o aniquilacionismo é encarado como uma punição suave, uma coisa leve. É claro que isso não é verdade e que se fosse assim não existiria a pena de morte em país nenhum para os maiores criminosos, pois seria considerada uma “punição leve demais” para os crimes hediondos por eles cometidos, mas por outro lado seria um exagero dizer que essa punição seria maior do que o próprio tormento eterno.

Vou exemplificar isso com algumas analogias simples e de fácil assimilação. Pense por exemplo no seu cãozinho de estimação, que está doente e sofrendo muito. Os médicos dizem que essa doença, ou seja, esse sofrimento, é incurável. Diante desse cenário que infelizmente é tão comum, seus donos tem de tomar a triste porém necessária decisão de sacrificar o animal, para evitar que seu sofrimento seja prolongado.

De um ponto de vista puramente filosófico é fácil falar que a morte é pior que o sofrimento sem fim, mas eu duvido que se qualquer um deles estivesse queimando vivo em uma daquelas gaiolas do Estado Islâmico ou numa fogueira da Inquisição eles não iriam implorar a Deus para morrer logo. Inclusive uma das coisas que os católicos faziam para prolongar o sofrimento de um “herege” condenado à fogueira era queimá-lo a fogo lento, para que ele não morresse rapidamente, mas ficasse fritando e sofrendo o máximo tempo possível até perder os sentidos e morrer. É uma coisa verdadeiramente diabólica, mas natural para quem tem como propósito fazer o pior às suas vítimas, pois sabe que o pior é aquilo que envolve mais sofrimento.

Eu não costumo assistir a filmes de terror e a nada que me cause medo ou que me dê sustos, mas de vez em nunca assisto alguns por curiosidade. Um deles, cujo nome não me recordo, era um em que homens sádicos pagavam para poder torturar outras pessoas das formas mais terríveis possíveis em um prédio abandonado, apenas para saciar seu desejo de causar sofrimento nos outros.

O personagem principal desse filme é uma dessas pessoas sequestradas para ser torturada, mas consegue escapar da câmara de tortura e se finge de torturador dentro do prédio até arranjar um meio de sair daquele local. Nisso ele encontra um outro cara, um dos torturadores, que pensa estar falando com outro torturador como ele, e lhe questiona se devia matar a sua vítima rápido, ou torturá-la devagarzinho. O ator principal, com pena das vítimas (entre elas uma amiga sua), responde o óbvio: matar rápido, a fim de não prolongar o sofrimento de ninguém.

Provavelmente se você soubesse que sua mãe, sua esposa ou sua filha está em uma câmara de tortura de onde você não pode fazer nada para tirá-la de lá, tendo apenas como escolher se elas seriam mortas de uma vez com pouco ou nenhum sofrimento ou se seriam torturadas aos pouquinhos, arrancando os membros do corpo um de cada vez e causando uma dor inimaginável, você escolheria o mesmo que o personagem do filme. Não, isso não tem a ver com filosofia: tem a ver com a realidade. Uma coisa é a teoria em sala de aula, outra coisa é o mundo real em uma circunstância real. Seria quase monstruoso querer o contrário numa circunstância dessas – eu mesmo preferiria levar um tiro na cabeça e apagar para sempre do que ser torturado indefinidamente, sem pensar duas vezes.

É importante deixar bem claro que nós não estamos diminuindo aqui o quão efetivamente lastimável é a morte. Como o próprio aniquilacionista do comentário corretamente afirmou, ser reduzido a nada é deixar de ser sustentado por Deus, que é aquele que deu a todos a vida e que pode retirar a vida de todos. Se com uma morte de um ente querido nós já sofremos tanto, mesmo sabendo que ele ressuscitará para a outra vida, imagine com alguém que morrerá para sempre. Estou apenas comparando com a outra opção em jogo. Eu definitivamente me sentiria arrasado se as pessoas que mais amo fossem executadas, mas ficaria infinitamente pior se soubesse que ao invés disso estão sendo torturadas vez após vez. Não se trata de ignorar o quão trágica e terrível é a inexistência, mas de nivelá-la ao patamar de “mal menor” quando em comparação com um sofrimento sem fim.

Isso é tudo que precisava ser respondido sobre “qual é pior”, mas ainda falta a parte mais importante: seria Deus considerado bom ainda que executasse o papel do torturador do filme? Em outras palavras, estaria certo o argumento de quem diz que Deus continuaria amoroso e justo a despeito de ordenar uma prática que não tem nada de amorosa e justa sob uma perspectiva humana?

Eu sei que estou pisando em um terreno pedregoso aqui, porque a questão envolve muito mais que mortalismo vs imortalismo, entrando mais a fundo na velha discussão de armianismo vs calvinismo, que é um tema que eu faço de tudo para não precisar voltar a tocar, pois ultimamente tem gerado mais divisão e discussões acaloradas de ambos os lados do que deveria. Infortunadamente, eu terei que abrir uma exceção aqui, pois faz parte do argumento. Basicamente, os arminianos costumam crer que a moral de Deus pode ser afetada caso Deus aja de uma maneira contrária a padrões morais que conhecemos como bons, enquanto os calvinistas costumam crer que qualquer coisa que Deus quisesse fazer seria sempre necessariamente boa, porque é Deus quem define o que é moral e o que não é.

É por isso que os arminianos costumam acusar os calvinistas de distorcerem a imagem de Deus, tendo em vista a crença determinista de que Deus ordena todos os pecados e todo o mal que há no mundo, que acontecerá de modo inevitável por um decreto divino, em vez de ser pelo uso do livre-arbítrio humano. Como já disse, para os calvinistas este problema não existe, pois mesmo que Deus decrete estupros de bebês ou tortura de pessoas idosas isso não seria considerado algo mau desde que Deus é quem determina o que é moralmente certo ou errado, e portanto qualquer coisa que Deus decida fazer será sempre necessariamente boa, simplesmente porque Deus fez.

Esse raciocínio conduz a certos absurdos, como, por exemplo, assumir que o já mencionado estupro de bebês seria uma coisa boa sob a perspectiva divina, já que Deus seria o causador último, e tudo o que Deus faz ou ordena é necessariamente bom. Mas se isso for verdade, qualquer senso ou perspectiva humana do que vem a ser bom ou mau é não apenas impreciso, mas vão. A perspectiva humana sobre estupro infantil é de uma coisa objetivamente má, mas as coisas na verdade podem não ser bem assim sob uma perspectiva divina. Com esse mesmo raciocínio, uma tortura eterna em função de pecados finitos seria má sob uma perspectiva humana, mas é certa sob uma perspectiva divina.

Se as coisas forem assim mesmo, nada mais podemos afirmar ser objetivamente bom ou mau, pois a nossa moral seria totalmente imprecisa e incerta, e a verdadeira moral divina seria misteriosa e incognoscível. Consequentemente, estaríamos à esmo, sem saber o que é certo e errado, sem saber o que é realmente moral ou não. Em outras palavras, na visão de um calvinista, um ato pode ser mau se praticado por Hitler, por Mao Tsé-Tung, por Stalin, pelo Fernandinho Beira-Mar, pelo Maníaco do Parque, por mim ou por você, mas se este mesmo ato fosse praticado ou ordenado por Deus, aí a coisa muda totalmente e vira um ato bom e justo, só porque foi Deus que fez.

A visão arminiana muda totalmente este paradigma. Sim, para os arminianos Deus continua sendo totalmente bom e perfeitamente justo, mas a razão pela qual Deus é bom e justo não é porque qualquer coisa que decida fazer será considerada boa a priori, mas porque a natureza de Deus é tão moral e voltada para o bem que ele só irá escolher o bem sempre. Ou seja, se Deus fizesse o mesmo que o Maníaco do Parque ele não seria um ser moral, mas ele não fará uma coisa dessas, justamente porque ele é um ser moral. Isso é muito diferente de dizer que Deus poderia agir igual ao Maníaco do Parque que suas ações seriam legitimadas simplesmente por ser Deus.

Nós só podemos dizer que “Deus é amor” porque sabemos no que o amor consiste e por isso sabemos que Deus é amor. Mas se amor pudesse ser literalmente qualquer coisa que Deus decidisse fazer sem seguir a qualquer padrão que conhecemos pelo termo – o que inclui torturar eternamente seres criados à sua imagem e semelhança –, já não faria sentido dizermos isso, justamente porque “amor” viraria um termo vago que se aplicaria a literalmente qualquer coisa, até mesmo àquilo que não combina nada com o que conhecemos como amor. Mas a Bíblia efetivamente afirma que “Deus é amor” (1Jo 4:8), o que significa que a natureza de Deus é pautada pelos atributos que conhecemos pelo termo. Não é um conceito obscuro ou vago.

Afinal, o senso moral que nós temos em nossa consciência nada mais é, em última instância, do que o padrão que o próprio Deus colocou em nossos corações para refletir o senso de justiça que provém dele. E isso não sou eu quem diz, mas os imortalistas Norman Geisler e Frank Turek, que escreveram:

Os seres humanos não determinam o que é certo e o que é errado; nós descobrimos o que é certo ou errado. Se os seres humanos determinassem o que é certo ou errado, então qualquer um poderia estar “certo” em afirmar que o estupro, o homicídio, o Holocausto ou qualquer outro mal não é realmente errado. Mas nós sabemos intuitivamente que esses atos são errados por meio de nossa consciência, que é manifestação da lei moral (...) Essa lei moral deve ter uma fonte mais elevada que nós mesmos, porque ela é uma prescrição que está no coração de todas as pessoas (...) O padrão de retidão é a própria natureza do próprio Deus — infinita justiça e infinito amor.[1]

Se é verdade que a nossa consciência sabe o que é bom e mau através da lei moral que Deus colocou em nós e que reflete o caráter dEle mesmo, isso significa que as ações que sabemos por intuição e por consciência serem más são na verdade coisas que o próprio Deus jamais faria, porque são más de fato, mesmo para Deus. Ou seja, Deus tem uma natureza pautada por certos padrões morais e decidiu implantar em nossa consciência estes padrões para sabermos o que é bom e mau, ou senão estaríamos até hoje sem saber o certo e o errado. Consequentemente, se uma coisa é aceita universalmente como sendo má, é porque Deus que colocou em nós esse senso também a tem como má.

Se isso não se aplica ao tormento eterno, não sei ao que pode se aplicar, uma vez que nem o mais ímpio dos pecadores seria monstro o suficiente para torturar seus inimigos não por horas ou dias, mas pelos séculos dos séculos. Se nem os ímpios seriam capazes de tal coisa contra os seus inimigos, quanto menos Deus com seus filhos por ele criados e amados, o qual é infinitamente mais amoroso, misericordioso e justo do que qualquer ser humano que seja.

Para citar um exemplo, os calvinistas entendem que Deus não mente porque não quer mentir, mas não porque não pode. Isso porque ele poderia mentir se quisesse, e neste caso a mentira seria boa, só porque foi Deus quem a proferiu. Já os arminianos entendem que Deus não mente porque não pode mentir, pois isso iria contra a sua natureza moral. A Bíblia aborda a questão duas vezes, e em ambos os casos é unânime:

“Em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos” (Tito 1:2)

“Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta” (Hebreus 6:18)

Deus não mente apenas porque “não quer” mentir, mas “poderia se quisesse”. É o contrário: mesmo sendo onipotente, ele não pode mentir, porque seria uma violação de sua própria natureza moral. Por isso a mentira é impossível para ele. Se isso se aplica a uma “simples” mentira, quanto mais a uma aberração muito mais monstruosa e desumana do que isso, que consiste justamente em uma tortura eterna a bilhões de criaturas que pecaram por apenas alguns anos, entre elas muitas que nunca ouviram falar do evangelho, ou que “não foram predestinadas” na visão calvinista – ou seja, que sequer tiveram uma chance (o que inclui até mesmo bebês que morreram antes de receber o batismo, segundo a teologia de alguns). Até o ladrão de frangos pagaria no inferno pelo mesmo tempo eterno que Adolf Hitler, e, pasme, que o próprio autor do pecado, Satanás.

Essa visão aberrante não é apenas um ultraje à moral divina, mas um atentado a qualquer senso de justiça. Na visão católica medieval de inferno, que destoa completamente não apenas da Bíblia mas também da Igreja grega (ortodoxa), e de onde lastimavelmente os protestantes herdaram sua teologia, o inferno é um verdadeiro parque de diversões do diabo, que atormenta os pecadores com seu tridente que de alguma forma misteriosa consegue ferir seres imateriais e incorpóreos, e os tortura com as torturas mais terríveis e com as dores mais intensas jamais concebidas na terra.

Na visão que predominava na Idade Média, o purgatório era encarado como um local de castigo semelhante ao inferno, embora passageiro, onde as almas sofreriam dores mil vezes mais agudas que as maiores dores possíveis de se sentir na terra. E isso porque o purgatório é para eles bem menos horrível do que o inferno, que você já imagina como é. Os protestantes não creem em purgatório e evitam calcular o grau de sofrimento do inferno, mas não tem uma concepção muito diferente no que diz respeito a isso. O inferno é mesmo encarado como uma eterna câmara de torturas e de sofrimento sem fim, em meio a um lago literal de fogo e enxofre, causando um sofrimento terrível que teríamos caso fôssemos fisicamente queimados, porém estendido por toda a eternidade para saciar a sede de sangue de um suposto deus vingativo e cruel. É preciso ser literalmente um diabo para pensar assim – talvez por isso essa doutrina seja autenticamente diabólica.

Quando eu vejo uma cena de tortura, mesmo no cinema, eu mal consigo suportar, e na única vez em que vi um vídeo real do ISIS queimando seus prisioneiros em uma gaiola até a morte foi tão terrivelmente angustiante que eu nunca mais assisti nenhum. E olha que eu sou um baita pecador, cuja bondade é simplesmente ridícula e insignificante em comparada à de Deus. Mas para os imortalistas Deus não apenas tortura e queima de verdade a bilhões de seres criados por ele e à sua semelhança, como ainda prolonga esse sofrimento ao infinito de forma totalmente desproposital e sem objetivo nenhum a não ser perpetuar o pecado e o mal para todo o sempre. Esse com certeza tem mais a cara do “deus deste século” (2Co 4:4) do que do Deus de amor e justiça que a Bíblia nos revela com tanta clareza.

Eu entendo que às vezes é complicado abordar a questão do inferno sob essa ótica moral, porque pode passar aos de fora a falsa noção de que somos aniquilacionistas apenas por uma questão moral, em vez de ser por razões exegéticas. Eu mesmo não gosto desse modus operandi, não por achar o argumento inválido, mas para não transmitir essa ideia errônea sobre o aniquilacionismo. Por essa razão apenas uns dois ou três artigos meus, no máximo, abordam a questão sob essa perspectiva moral, e em todos os outros eu me limito a mostrar o quão claramente a Bíblia apoia o aniquilacionismo em centenas de textos, que foi a razão que me levou a defender este ensino, e eu creio também que a da maioria dos que fizeram a mesma transição.

Mas isso não significa que o argumento moral seja fraco ou inválido. Ele é consistente e deve continuar sendo usado, porque é a própria Bíblia que descreve a Deus de uma maneira tão oposta à do tormento eterno, a despeito dos outros tantos textos que afirmam o mesmo de uma forma mais taxativa. Se você ainda é novo nessa discussão e quer se aprofundar melhor no assunto, eu lhe recomendo começar por este artigo, que resume as provas bíblicas em favor do aniquilacionismo e no final contém uma tabela com links que redirecionam a artigos específicos com explicações para cada texto usado pelos imortalistas e também materiais recomendados para quem quiser esquadrinhar melhor o tema.

• Compartilhe este artigo nas redes:


Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.

ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)



[1] TUREK, Frank; GEISLER, Norman. Não tenho fé suficiente para ser ateu. Editora Vida: 2006.


118 comentários:

  1. Anônimo do Avalie10 de junho de 2018 11:31

    Avalie: https://youtu.be/gmwuH7qwwh8

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É claro que existe um marxismo cultural. Eu posso dizer isso por experiência própria de ter cursado em duas universidades do estado em cursos diferentes, e em ambos há bastante parcialidade em favor do marxismo, eu diria que nem são aulas propriamente ditas, mas apologia explícita mesmo.

      Excluir
    2. Anônimo do Avalie11 de junho de 2018 18:24

      Você não refutou cada ponto do vídeo.

      Excluir
    3. Ele fala muitas coisas no vídeo, o que especificamente você quer que eu refute ou comente?

      Excluir
    4. Anônimo do Avalie12 de junho de 2018 18:46

      Dizer que todas as revoluções comunistas tiveram mudança cultural antes, dizer que Antonio Gramsci foi mal interpretado, dizer que Antonio Gramsci não era um reformista, dizer que globo está do lado da direita, etc.

      Excluir
    5. A Globo no lado da direita só pode ser piada. Não apenas a Globo mas quase toda a grande mídia está ao lado da esquerda, basta ver de que lado ficaram na ocasião da exposição com a criança tocando no homem nu e chamando de "arte", ou o ativismo em favor do desarmamento, ou mesmo a apologia ao aborto mesmo quando mascarada e sutil, sem falar na apologia à legalização das drogas que é bem mais explícita. Teve uma parte do vídeo em que ele enfatiza que para Gramsci o mais importante era ganhar a batalha das ideias, depois ele volta atrás e diz que não existe um "marxismo cultural", fica estranho isso. Ele cita as pautas progressistas, mas é justamente nisso que consiste o marxismo cultural, na defesa dessas pautas, ideologicamente falando. E para isso se infiltraram nas escolas desde cedo.

      Excluir
    6. Anônimo do Avalie13 de junho de 2018 19:05

      Verdade

      Excluir
    7. Anônimo do Avalie13 de junho de 2018 19:05

      Avalie: https://youtu.be/5Tw_x2BLAlE

      Excluir
    8. Tudo o que eu tinha a dizer sobre isso eu já escrevi aqui:

      http://ateismorefutado.blogspot.com/2015/02/por-que-sou-contra-o-aborto_14.html

      Excluir
  2. http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/apologetica/virgem-maria/965-uma-analise-biblica-da-virgindade-perpetua-de-maria
    Veja esses argumentos, tem artigos pra cada ponto desse? Porque é bastante claro, estou confuso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda essa baboseira já foi refutada em artigos específicos sobre cada tópico:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2012/09/os-irmaos-de-jesus-eram-primos.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2012/08/nao-conheceu-ate-que.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/11/maria-de-clopas-tia-de-jesus.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2014/01/o-terceiro-tiago-o-irmao-de-jesus.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2014/12/as-aberracoes-de-cris-macabeus-e-volta.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/01/mais-evidencias-do-terceiro-tiago.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/01/o-terceiro-tiago-pela-terceira-vez.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/05/o-terceiro-tiago-provado-historicamente.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/02/nao-joao-nao-escreveu-o-quarto-evangelho.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/06/o-autor-do-quarto-evangelho-finalmente.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/06/refutando-objecoes-autoria-de-tiago.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/06/o-terceiro-joao-e-chave-para-se.html

      http://respostascristas.blogspot.com/2016/05/a-virgindade-perpetua-de-maria-e.html

      http://respostascristas.blogspot.com/2016/05/a-virgindade-perpetua-de-maria-e_23.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com/2011/09/nunca-um-artigo-definido-quis-dizer.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com/2010/11/quem-e-maria.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com/2009/11/os-irmaos-de-jesus.html

      O pouco que não foi refutado nestes artigos se refere a argumentos tão inteiramente ridículos que sequer foram dignos de uma refutação propriamente dita, como por exemplo a alegação de que Maria fez voto de virgindade, ou que é virgem por causa da arca da aliança, ou o momento cômico em que aplica o texto de Ezequiel 44:1-2 a Maria, entre outros delírios que são refutados pelos próprios estudiosos católicos mais sérios. O artigo é simplesmente um compilado de qualquer falácia católica disseminada por aí para enganar os mais ingênuos, sem qualquer senso crítico. Além disso é desonesto, porque na parte em que fala do ossuário de Tiago faz questão de pegar uma matéria ultrapassada de 2003, na época em que isso havia acabado de ser noticiado e que ainda gerava dúvidas, e omitiu completamente o fato de que ao longo de mais de dez anos o ossuário foi estudado a fundo e comprovado verdadeiro EM TRIBUNAL:

      https://istoe.com.br/110487_PERITOS+NEGAM+QUE+OSSUARIO+DE+IRMAO+DE+JESUS+SEJA+FALSO/

      Ou seja, o picareta pegou uma matéria de 2003 dos indivíduos que acusaram Golan de falsificação (isso ANTES do caso ser julgado em tribunal), e omitiu completamente a informação de que depois de julgado o veredito final foi em favor e não contra a autenticidade do ossuário. Isso é o mesmo que alguém acusar você de ter roubado 10 milhões, depois o caso ir a julgamento e ficar provado que você não roubou nada e o juiz decidir em seu favor, e mesmo assim depois disso algum cretino usar matérias de antes do caso ser julgado para te acusar de ter roubado os 10 milhões. Eu compreenderia se ele tivesse escrito isso em 2003, mas escreveu no ano passado quando o veredito já tinha sido dado, então se trata de um desonesto mesmo, não tem outra explicação.

      Excluir
  3. Grande artigo Lucas, agradeço a Deus por meio de Jesus Cristo nosso senhor por ter usado vc pra mim ter mostrado essa verdade. E tbm o melhor apologista q já conheci de verdade ,não desmerecendo os outros

    ResponderExcluir
  4. Ec 3.11 não contradiz que só Deus tem eternidade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O texto não diz isso.

      "Ele fez tudo apropriado a seu tempo. Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade; mesmo assim este não consegue compreender inteiramente o que Deus fez" (Eclesiastes 3:11)

      O homem tem anseio pela eternidade, ou seja, nós queremos viver eternamente, ninguém quer morrer, mas isso não significa que todos efetivamente terão uma vida eterna, ou que sejamos detentores de uma imortalidade incondicional na forma de alma imortal dentro do nosso ser (o que iria na contramão de textos como 1Tm 6:16).

      Excluir
  5. Levando em consideração que alguns ímpios (os que restar na Terra) irão sofrer coisas horríveis no final da grande tribulação + sofrimento no lago de fogo (proporcional à quantidade de pecados cometidos, e que terminará com o aniquilacionismo) creio que isso aí já é suficiente em compensação ao sofrimento eterno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. É uma pena que haja gente que não compreenda isso, seja por teimosia ou por desonestidade no pior dos casos.

      Excluir
  6. Banzolão, curte um forrozinho? :)

    https://www.youtube.com/watch?v=Pz2zPEdnW2o

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se isso é forró eu não vou nem clicar no link.

      Excluir
    2. "Se isso é forró eu não vou nem clicar no link"

      kkkkk. É forró sim. E dos bons. Quais tipos de música você curte? Mande o link de algumas.

      Excluir
    3. 1) https://www.youtube.com/watch?v=AYlvRQhYGS4

      2) https://www.youtube.com/watch?v=bcnWysA9gxo

      3) https://www.youtube.com/watch?v=LmtT78ShU38

      4) https://www.youtube.com/watch?v=A89CR0SBMsw

      5) https://www.youtube.com/watch?v=jgdfJiy98cY

      6) https://www.youtube.com/watch?v=EWb4LUpL6Io

      7) https://www.youtube.com/watch?v=GTbKorqc56o

      8) https://www.youtube.com/watch?v=5JqY-6q-RNA

      9) https://www.youtube.com/watch?v=LBr7kECsjcQ

      10) https://www.youtube.com/watch?v=mGmcYTKSfaQ

      OBS: não citei por ordem de importância e nem fiz uma lista das "dez melhores", apenas fui pegando as que ia me lembrando de cabeça.

      Excluir
    4. Por incrível que pareça, não gostei de nenhuma kk. Isso é lá música que preste. Bom é um forrozinho, pra balançar o esqueleto. E essa? Não me venha dizer que essa é ruim, senão eu choro. Musiquinha romântica:

      https://www.youtube.com/watch?v=mWfWyhzC22U

      Excluir
    5. MEU DEUS! Lucas também curte Skillet?! Gente... Não creio :v Descobri ontem que a banda Fall Out Boy existia (aí venho nos artigos do Lucas, e adivinha o que eu encontro?). Tô viciado nessa música: https://www.youtube.com/watch?v=eK8Ri0COF1w

      Excluir
    6. "Por incrível que pareça, não gostei de nenhuma kk"

      Como assim você não gostou nem do hino da Juventus? Só não te bloqueio porque não posso!

      "Isso é lá música que preste. Bom é um forrozinho, pra balançar o esqueleto"

      xD

      "E essa? Não me venha dizer que essa é ruim, senão eu choro. Musiquinha romântica"

      Então acho que vai chorar :(

      Excluir
    7. "MEU DEUS! Lucas também curte Skillet?! Gente... Não creio :v Descobri ontem que a banda Fall Out Boy existia (aí venho nos artigos do Lucas, e adivinha o que eu encontro?). Tô viciado nessa música: https://www.youtube.com/watch?v=eK8Ri0COF1w"

      É muito difícil achar uma música dessa banda que não seja boa, realmente. Top demais :)

      Excluir
    8. "Como assim você não gostou nem do hino da Juventus? Só não te bloqueio porque não posso!"

      Não gosto nem do Juventus e nem da música rsrsrsrs

      "Então acho que vai chorar :("

      Ué...ué...ué...

      Banzolão se você disser que essa é ruim eu vou aí em Curitiba só pra surrar você :)

      https://www.youtube.com/watch?v=M3_405oMg3s

      Excluir
    9. "Então vou ser surrado :("

      rsrsrs.

      Desisto. Já vi que você não gosta de música boa :)

      Excluir
  7. https://defendendoafecrista.wordpress.com/2018/05/29/os-dez-mandamentos-ainda-vigoram/
    Concordas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe uma divisão da lei? Em cerimônial, civil e moral?
      Se sim, o sábado se encaixa em qual?

      Excluir
    2. Uma divisão explícita não, a lei é uma coisa só e não duas leis, mas dentro dessa única lei existem princípios de ordem moral, civil e cerimonial, no qual eu enquadro a guarda obrigatória do sábado.

      Excluir
  8. Avalie! kkkkk

    https://www.youtube.com/watch?v=ivyzVJbT4u8

    ResponderExcluir
  9. Novas pérolas, avalie, Sr. Banzoli:

    Pérola 01:

    https://twitter.com/OdeCarvalho/status/932765263782608896

    Pérola 02:

    https://twitter.com/OdeCarvalho/status/931899427970789376

    - [02] Indireta.

    Tiradas diretamente da joalheria "AstrOlavo".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade em se tratando do Astrolavo, o difícil é encontrar alguma coisa que não seja pérola.

      Excluir
  10. Avalie: https://m.youtube.com/watch?v=hOvImKlYXOE

    Sinceramente falando eu odeio funk! Aliás só num país em que o povo é burro é depravado que esse tipo de "música" faz sucesso! Mês passado eu assisti uma série chamada La Casa de Papel e olha eles cantam uma música muito linda, se chama Bella ciao, da primeira vez que eu ouvi essa música eu amei! Essa música é um hino contra o fascismo, mas infelizmente os brasileiros transformaram esse hino antifascista em um lixo escroto musical! Se os italianos que lutaram contra o fascismo estivessem vivos para ver isso morreriam de desgosto.

    Aqui a música Bella ciao: https://m.youtube.com/watch?v=TquP4K1whdU

    O que achou dessa música? Qual é a sua opinião sobre o funk?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho o funk uma imundície, uma representação da degeneração moral do ser humano, o culto à bestialização humana. Claro que existem níveis diferentes, desde o "funk proibidão" até uns mais leves que às vezes não se diferenciam muito de uma música pop apelativa, mas eu acho mesmo esse funk mais leve uma coisa detestável, não apenas pelas letras mas também pelo próprio ritmo que não curto mesmo.

      Excluir
  11. "Na visão que predominava na Idade Média, o purgatório era encarado como um local de castigo semelhante ao inferno"
    Lucas, o purgatório é um lugar diferente do inferno. Lá, aqueles que ainda não "estão 100%" passam por um processo de purificação antes de "entrarem no céu". O purgatório só tem uma saída: o céu.
    Essa foi uma explicação que um padre me disse, se é verdadeira ou falsa é outros quinhentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não disse que o purgatório é igual ao inferno, disse que o inferno é pior, na própria continuação do parágrafo que você citou. Eu tenho vários artigos sobre purgatório onde abordo esses aspectos que você citou, mas neste texto a comparação com o inferno foi no sentido do sofrimento em si, uma vez que na concepção medieval de purgatório este era um local de suplício com fogo, comparável ao inferno, apenas um pouco abaixo deste em questão de sofrimento. Hoje a teologia católica é outra, já vi católico até dizendo que o purgatório é um "estado" e não um lugar, e você raramente vai ver esse tipo de alegação que os escolásticos fizeram muitas vezes e por muito tempo na Idade Média e depois.

      Excluir
  12. Amigo Banzoli, qual sua opinião sobre a tese que a punição eterna se justifica pela natureza do agravado (Deus)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É só mais uma falácia pseudo-filosófica que eu já rebati na segunda metade deste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2016/04/refutando-objecoes-ao-aniquilacionismo.html

      Um dia alguém veio usar esse argumento aí e deu como analogia que se você matar o presidente da república irá pagar por bem mais tempo na cadeia do que se matasse uma pessoa comum. Então eu fui buscar isso na lei e conferi que não existia nada disso. Por isso que eu digo que são argumentos toscos com alguma aparência de intelectualidade por apelar à filosofia, mas no mundo real não tem qualquer consistência.

      Excluir
  13. Lucas, o que vc acha desses videos:

    https://www.youtube.com/watch?v=R91c_tVOsbk

    https://www.youtube.com/watch?v=brGEqrNEgmI

    ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não assisti ao segundo vídeo por ser muito longo, mas baseado no primeiro, eu concordo com a maior parte do que o Mastral diz ou teria dito sobre o Islamismo, e discordo da maior parte do que ele diz sobre homossexualismo.

      Excluir
  14. https://www.youtube.com/watch?v=OYjZK_6i37M
    Banzolão, tu curte?

    ResponderExcluir
  15. Olá irmão Lucas Banzoli! Como vai? Gostaria de saber sua opinião sobre os libertários, para quem não sabe, vou deixar um link sobre a definição abaixo. Tem um vídeo onde da para ver melhor os argumentos deles; só quero que vocês foquem nos argumentos e não no jogo em si, embora ele use-o como base de alguns argumentos.

    Link da definição de libertário: https://pt.wikipedia.org/wiki/Libertarismo

    Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=NBh36pXj0I8

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comentei isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/03/a-razao-biblica-pela-qual-nao-sou-nem.html

      Abs!

      Excluir
    2. Para falar a verdade, eu nunca me interessei pelas ideias dos libertários. Não sei nem dizer se as ideias do Músico(o cara do vídeo que eu linkei) são realmente "puras" dos demais ou da maioria dos outros libertários. Ele parece, no vídeo, odiar estados e os culpa por muitas coisas erradas que acontecem, aconteceram e acontecerá. Chegou até a dizer que todos estão destinados a ruína e quebra; porém ele não parece ter muito problema com governos regionais, como a de umas pessoas governando uma cidade.

      Enfim... acho que o problema não está no estado em si, e sim naqueles que estão governando dentro do estado. Exemplo: Um presidente corrupto.

      Deus lhes ilumine!

      Excluir
    3. Eu acho difícil um libertário ser a favor de governos regionais, pelo menos os que eu conheço são contra qualquer forma de governo. De todo modo, o problema dos libertários é não identificar a fonte do problema, que não é o Estado, mas a natureza humana. O Estado é apenas um aparelho criado por homens de qualquer sociedade, época ou cultura justamente para tentar servir de empecilho à maldade humana (por isso existem as leis, a Justiça, polícia e etc, além dos direitos constitucionais garantidos pelo Estado). Se esse Estado se agiganta e começa a agir da forma contrária a seu propósito (ou seja, se passa a influenciar em todas as áreas da vida privada tornando-se um obstáculo aos indivíduos em vez de uma coisa útil) a solução não é decretar o fim do Estado e a consequente anarquia, mas voltar a um padrão de Estado mínimo. Por analogia, as pessoas não gostam de gordura e fazem regime e academia para perder a gordura do corpo a fim de ficarem mais saudáveis, mas se tirar toda a gordura do corpo o indivíduo simplesmente morre, isso não é uma coisa boa. O Estado grande é como um homem em obesidade mórbida, mas a solução nem de longe é acabar com o Estado como um todo.

      Abs!

      Excluir
  16. Lucas, tem um historiador no YouTube que afirma que os primeiros cristãos se importavam mais com a tradição oral. O nome é Prof. Jonathan Mathies segundo ele no terceiro livro de Eusébio de Cesareia, no capítulo trinta e nove tem a declaração que a igreja primitiva olhava mais pra tradição do que para as escrituras. E ainda que Sola Escriptura não é encontrado nos primeiros pais da igreja. O que acha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O nome é Prof. Jonathan Mathies segundo ele no terceiro livro de Eusébio de Cesareia, no capítulo trinta e nove tem a declaração que a igreja primitiva olhava mais pra tradição do que para as escrituras"

      Eu acabei de ir lá no capítulo 39 e não vi nada disso.

      "E ainda que Sola Escriptura não é encontrado nos primeiros pais da igreja. O que acha"

      Acho que ele deveria ler isso aqui:

      http://apologiacrista.com/os-pais-da-igreja-e-a-sola-scriptura

      Excluir

    2. "...Sola Escriptura não é encontrado nos primeiros pais da igreja..."
      Se formos renunciar Sola Escriptura porque não se encontra nos primeiros pais da igreja teremos também que renunciar devoção à Maria, imagens de santos, batismo infantil, primado de Roma, intercessão dos santos, oração pelos mortos, ... resumindo 90% do catecismo católico romano.

      Excluir
  17. Deus salva uma pessoa que não consegue abandonar o vício em cigarro? Cigarro é pecado, se sim, porque?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sou ninguém pra dizer quem vai ser salvo e quem não vai, mas fumar é pecado sim, ainda mais quando feito de forma compulsiva. A Bíblia ensina que o corpo é templo do Espírito Santo e que deve ser mantido incorruptível até a volta de Jesus (1Tm 5:23), então se o fumo comprovadamente faz tanto mal ao corpo a ponto de poder matá-lo, ele é pecado sim.

      Excluir
  18. Maria é a mãe de todos, ou é Eva?

    "E chamou Adão o nome de sua mulher Eva; porquanto era a mãe de todos os viventes" (Gênesis 3:20).

    Maria é mãe de quem?

    Gálatas 4:26 Mas a Jerusalém que é de cima é livre; a qual é nossa mãe.

    E a Mãe das jovens cristãs não é Maria?

    1 Pedro 3:6 como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor; da qual vós sois filhas, se fazeis o bem e não temeis nenhum espanto.

    No céu só tem dois tronos!

    Apocalipse 7:10 e clamavam com grande voz: Salvação ao nosso Deus, que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro.

    Apocalipse 22:1 E mostrou-me o rio da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro.

    Cadê Maria?



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanhã vou postar um artigo de pérolas católicas marianas e você vai levar um susto.

      Excluir
    2. "Toda dogmática católica sobre Maria provém da Sagrada Tradição que, na perspetiva católica, goza da mesma prerrogativa das Sagradas Escrituras (autenticidade e veracidade)."
      Foi o disse um católico amigo meu.
      O problema é que Sagrada Tradição diz uma coisa e as Sagradas Escrituras dizem outra.

      Excluir
    3. O problema na verdade é bem pior do que isso, porque quando o católico diz que crê na "Sagrada Tradição" ele não está se referindo a doutrinas realmente aceitas desde os tempos primitivos pelos primeiros Pais da Igreja e transmitidas adiante por tradição, mas sim a engodos criados muitos séculos mais tarde, em plena Idade Média, muitas vezes pelos escolásticos. Por exemplo, o dogma da imaculada conceição foi rejeitado por TODOS os Pais da Igreja, rejeitado até mesmo por Tomás de Aquino que escreveu doze séculos depois de Cristo, e hoje é um dogma dos mais importantes no catolicismo romano e considerado parte fundamental da "Sagrada Tradição". Ou seja, a "tradição" para o católico é qualquer coisa que eles inventam sem justificativa, nada além disso.

      Excluir
  19. Da mesma forma que os arminianos consideram absurdo o deus apresentado no calvinismo,eles deveriam achar do mesmo modo,absurdo o deus apresentado no imortalismo.

    ResponderExcluir
  20. Lucas, o mundo ficará mais seguro após o encontro Kim x Trump?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende do que vai ser decidido nesse encontro. No do G7 as coisas só pioraram.

      Excluir
  21. O que você acha dessa nova direita brasileira? Eu a acho patética!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://www.youtube.com/watch?v=g9k8h81mEOA

      É tão ridícula essa direita que esse olavete disse que nunca mais falaria com uma pessoa que defende aborto até os 9 meses de gestação...eu tbm não falaria com uma pessoa assim, acho um absurdo alguém defender o assassinato dessa forma...porém, ele não honrou com a palavra dele em nenhum momento, e voltou a falar com esse Arthur do Val (que pra mim também é, de certa forma, um oportunista) e a fazer esse "debate" pra atrair mais zumbis manipulados do canal dele...

      Excluir
    2. Por outro lado, pelo menos o Arthur nesse debate disse que mudou seu ponto de vista sobre o aborto e que agora não tem mais uma opinião formada sobre o assunto (o que já é um avanço). Infelizmente o nível do debate em si foi deplorável, metade foi para falar sobre aborto repetindo as mesmas coisas o tempo todo e a outra metade foi de inimigos pessoais do Arthur tentando atacá-lo com perguntas pessoais sobre assuntos que são totalmente irrelevantes para alguém interessado em discussões políticas sérias.

      Excluir
    3. Uma direita olavete em sua maioria, não se pode esperar muita coisa!Kkkkkkkk

      Excluir
  22. "Notável mesmo é verificar a utilização de mitos mesopotâmicos entre os hebreus. Vimos em capítulo anterior a história de Sargão e sua semelhança com a de Moisés. Vimos também o conceito de caos bíblico que teria sido subtraído à situação concreta das populações ribeirinhas do Tigre e do Eufrates. Mas a mais interessante incorporação dá-se com o mito do dilúvio universal, aquele de Noé.
    O dilúvio sumério fala de Ziusudra construindo um enorme barco, da inundação varrendo as cidades, de tempestades de vento, do barco jogado em todas as direções, da luz finalmente aparecendo no céu, do sacrifício que faz Ziusudra e da reconstrução do mundo. Vale a pena ver a tradução integral do documento na coletânea 100 textos de História Antiga para sentir a força da descrição, a despeito de muitas linhas ilegíveis ou desaparecidas do original sumério.
    E que dizem os hebreus?
    Falam de uma arca construída por Noé, de quarenta dias e noites de chuva, da cheia superando os montes mais altos, da arca resistindo a tudo, até que “cerraram-se as janelas dos céus e a chuva dos céus se deteve”. Noé sacrifica um animal a deus e a reconstrução se inicia.
    Coincidência? Não.
    O mito é mesopotâmico e foi apropriado pelos hebreus, para os quais o importante não era a história, mas a moral da história. Nem teria muito sentido um mito sobre dilúvio desenvolver-se numa região onde as chuvas são limitadas (400 mm anuais são excepcionais na região), os rios insignificantes (o Jordão quase pode ser atravessado por um bom saltador, em certos trechos) e não há degelo de montanhas nevadas.
    Já na Mesopotâmia os rios pregavam constantes sustos, ora mansos, ora violentos, em vista do degelo em sua origem, nas montanhas da Armênia. Até os deuses nos dão conta da instabilidade dos rios e do temor que os habitantes tinham de sua variação."

    PINSKY, Jaime. As Primeiras Civilizações: História natural, história social Agricultores e criadores Mesopotâmicos, egípcios e hebreus. 24.ed. São Paulo: Contexto, 2008, pg.107

    Poderia comentar sobre o trecho acima?

    Livro na íntegra para baixar gratuitamente - caso queira fazer uma análise mais profunda do trecho:

    http://lelivros.love/book/baixar-livro-as-primeiras-civilizacoes-jaime-pinsky-em-pdf-epub-e-mobi-ou-ler-online/

    Aliás, recomendo que baixe o livro em um formato que não seja PDF. Porque a qualidade gráfica da obra fica horrível nesse formato.

    Programa que serve para abrir arquivos em outros formatos:

    https://icecreamapps.com/pt/Ebook-Reader/

    Fico no aguardo e agradeço a atenção desde já. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O dilúvio existe em todas as culturas não porque todas elas copiaram umas das outras, mas justamente porque existiu e foi conservado por tradição em todas as culturas, embora saibamos que tradições orais são corruptíveis e por isso os relatos destoem em alguma medida entre si. A teoria de que "os hebreus copiaram os mesopotâmios" não explica como que até tribos indígenas tem registros sobre o dilúvio (teriam elas copiado os mesopotâmios também, se para esses críticos não tiveram qualquer contato e nem conhecimento da existência dos mesmos?). Os relatos sobre o dilúvio e a conclusão que se tira deles você pode ler mais aqui:

      http://apologiacrista.com/a-arca-de-noe-encontrada-p1

      Abs!

      Excluir
    2. "Nem teria muito sentido um mito sobre dilúvio desenvolver-se numa região onde as chuvas são limitadas (400 mm anuais são excepcionais na região), os rios insignificantes (o Jordão quase pode ser atravessado por um bom saltador, em certos trechos) e não há degelo de montanhas nevadas". Parece argumento de neo ateu tentando jogar Deus para escanteio.

      Excluir
  23. Como vencer o pecado da masturbação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oração, leitura da Bíblia e se manter sempre focado em coisas importantes do dia-a-dia em vez de deixar a "mente vazia" são passos importantes.

      Excluir
  24. Lucas, Herodíades, mulher de Felipe, possuía algum poder político ao ponto de Herodes se sentir obrigado a ceder aos seus caprichos? (Mateus 14)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tecnicamente não, mas como ele tinha interesses por ela, sua palavra não valia pouca coisa.

      Excluir
    2. Lucas, numa conversa informal com um irmão na fé, eu indaguei os motivos pelo qual João Batista, um homem reconhecimente da parte Deus, teve sua vida tragicamente encerrada. A resposta que ele me deu foi seca. "Ele falou demais, entrou na vida particular de Herodes." A priori não concordei, mas gostaria de uma resposta mais convincente.

      Excluir
    3. Eu não entendo de que modo que isso é estranho ou anormal, como se precisasse de "explicações". Nossa vida está nas mãos de Deus e ele pode tirar quando quiser, se vivermos vinte anos já temos que agradecer a Deus pois já é mais do que merecíamos, essa coisa de que Deus está "obrigado" a fazer com que as pessoas vivam e vivam bem por 70, 80 anos, é discurso de pregador da prosperidade que acha que Deus existe para nos servir e que está obrigado a nos "abençoar" em um sentido bastante materialista. Não há nada de errado em João Batista ter cumprido bem sua missão de preceder o Messias e depois ter sido martirizado, da mesma forma que não havia nada de errado com Estêvão que morreu jovem e foi o primeiro mártir da Igreja, da mesma forma que Tiago, o primeiro apóstolo martirizado, também jovem. Assim como há muitos ímpios que vivem muito, também há muitos justos que vivem pouco. A verdadeira retribuição não ocorre nesta presente vida, mas na outra, no grande dia do Senhor, quando Deus julgará a todos e cada um receberá o que merecer.

      Excluir
  25. Olá, pessoas desse site lindo e cheiroso! Como vão? Só estou aqui para compartilhar com vocês que tínhamos um profeta entre nós! :v

    Brincadeiras a parte, é bem curioso o caso do polvo Paul. O que acham? os acertos dele eram somente sorte? Ou tem algo mais? Para quem não sabe sobre ele, olhe o link abaixo.

    https://en.wikipedia.org/wiki/Paul_the_Octopus

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se eu me lembro bem, esse polvo sempre escolhia o pote da direita (a esquerda dele), e dava a sorte de que na direita estava o melhor time, que acabava ganhando.












      Ou então era um profeta mesmo.

      Excluir
  26. Lucas, em relação ao "livre-arbítrio" recomendo a leitura do livro intitulado "A soberania Banida", do teólogo R.K. Mc Gregor Wright.

    ResponderExcluir
  27. Parece que essa Bíblia é boa:

    https://youtu.be/fICcJsygS8w

    ResponderExcluir
  28. Lucas faz um artigo refutando o que as seitas neo-pentecostais fazem chamado "Entrevista com demônios", que eles botam "demônios" nos altares e colocam eles pra responder perguntas. E poderia fazer um artigo sobre esses vídeos da Universal? A Universal em Portugal criou campanhas usando hóstias de luz e unções católicas com velas:
    Vídeo deles com hóstia de Luz: https://www.youtube.com/watch?v=ijljvqFVjJc
    Vídeo deles e o satanismo com velas: https://www.youtube.com/watch?v=enqm8dFPKWU
    O bruxo da Universal mostrando de perto como é feita as coisas por lá:https: //www.youtube.com/watch?v=5zv_I_-f2Pw

    Caso não seja incômodo, será que poderia fazer algum (ou alguns) artigos usando esses vídeos? Peço perdão por mandar tantos mas é revoltante as mentiras lá dentro.

    1- https://www.youtube.com/watch?v=dvojGNMQzPM&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD

    2- https://www.youtube.com/watch?v=D0RE3EOQCBc&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD&index=2

    3- https://www.youtube.com/watch?v=SXTRZ0sTylc&index=3&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD

    4- https://www.youtube.com/watch?v=3rJa7URdvts&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD&index=4

    5- https://www.youtube.com/watch?v=NRehrsxPQNs&index=5&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD

    6- https://www.youtube.com/watch?v=9m5j4f17O7A&index=6&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD

    7- https://www.youtube.com/watch?v=_q8OSFZEKVQ&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD&index=7

    8- https://www.youtube.com/watch?v=BHsspWFhskg&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD&index=8

    9- https://www.youtube.com/watch?v=vxo3lCpLMkM&index=9&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD

    10- https://www.youtube.com/watch?v=JX35uFDGHbs&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD&index=10

    11- https://www.youtube.com/watch?v=4f-8Yu8nviM&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD&index=11

    12- https://www.youtube.com/watch?v=jnhuE53RVio&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD&index=12

    13- https://www.youtube.com/watch?v=yr91pzWjG1g&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD&index=13

    14- https://www.youtube.com/watch?v=8KsKQmuRGv0&index=14&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD

    15- https://www.youtube.com/watch?v=kz3INF-abtk&index=15&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD

    16- https://www.youtube.com/watch?v=QKG-NWgM-Oc&index=16&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD

    17- https://www.youtube.com/watch?v=gmg0S3U7NIY&index=17&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD

    18- https://www.youtube.com/watch?v=-A8zpORGCxI&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD&index=18

    19- https://www.youtube.com/watch?v=lfgHfmcDgXU&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD&index=19

    20- https://www.youtube.com/watch?v=1r9p2riFLUQ&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD&index=20

    21- https://www.youtube.com/watch?v=ICl3o57Dorg&list=PLBhxn4N7vYfm7LjGMXwx2KWcOicoXUIpD&index=21

    Deus te abençoe meu amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre "Entrevista com demônios", isso é uma coisa que sempre me deixa com um pé atras... Creio que nem todos esses demônios sejam encenação. Já vi esses entidades se manifestarem várias vezes, algumas até na minha própria casa. Eles alegam que existe um inferno, e que tem pessoas queimando lá agora. Às vezes nem sei o que pensar...

      Excluir
    2. No meu livro "Chamados para crer e sofrer" e "O Enigma do Falso Profeta" tem bastante material sobre esse tipo de coisa, e enganos propagados pelo neo-pentecostalismo. Posso escrever um novo artigo sobre estes assuntos sim, mas recomendo a leitura desses materiais, tem pra baixar na página dos livros:

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      "Sobre "Entrevista com demônios", isso é uma coisa que sempre me deixa com um pé atras... Creio que nem todos esses demônios sejam encenação. Já vi esses entidades se manifestarem várias vezes, algumas até na minha própria casa. Eles alegam que existe um inferno, e que tem pessoas queimando lá agora. Às vezes nem sei o que pensar..."

      Se chegar à verdade teológica fosse tão simples quanto "entrevistar o demônio" que ele dirá toda a verdade, não seria necessário ler a Bíblia, nem estudar teologia, nem orar nem nada, bastaria perguntar pro demônio e pronto. Mas Jesus nos disse que o diabo é o PAI DA MENTIRA, então esperar que um demônio vá dizer a verdade é pedir para ser enganado e feito de trouxa. Eventualmente um demônio pode até dizer alguma verdade para confundir as pessoas sem saber o que é verdade e o que é mentira, mas o pai da mentira não tem outro propósito em mente senão levar às pessoas a acreditarem em falsos ensinos. Por isso o PIOR meio de se chegar a verdades teológicas é perguntando ao criador da mentira.

      Excluir
    3. Obrigado! Vou ver os livros, mas seria muito legal se fizesse um artigo, porque aí eu poderia mandar pra uns amigos.

      Excluir
  29. Sou bastante tímido, irmão. Tenho dificuldade de falar diante das pessoas. As vezes canto e prego no culto, mas sempre com acanhamento. O que eu faço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você consegue cantar e pregar no culto, então já está bem melhor do que eu. É só ir praticando que com o tempo vai se tornando algo cada vez mais natural e fácil, e você perde e timidez.

      Excluir
    2. Você também é tímido?

      Excluir
    3. "Sou sim"

      Então estamos no mesmo barco.

      Excluir
  30. Lucas, você conhece as obras do historiador Daniel Hops?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os católicos costumam cita-lo afirmando que ele refuta mutas dessas calúnias contra a igreja.

      Excluir
    2. Na verdade ele é quem cria os mitos e lendas que são desmascarados por qualquer estudioso ou historiador sério.

      Excluir
    3. Então Daniel Hops não é um historiador sério?

      Excluir
    4. Lógico que não. Você já viu os livros dele? Eu tenho todos os dez volumes da "História da Igreja" dele aqui, e nenhum com referência de nada que cita; as pouquíssimas notas de rodapé são sempre para adicionar alguma informação mas nunca para referenciar qualquer coisa que seja, apenas coloca uma "bibliografia" genérica no final dos livros, e escreve o que quer como conteúdo em si. Tirando uma ou outra informação, seus livros são muito mais interpretações pessoais da história numa ótica católica tradicionalista (e portanto bastante enviezada e tendenciosa) do que descrições ou registros da história propriamente dita, e análises essas que já foram refutadas pelos outros historiadores (por isso nem os historiadores católicos modernos com mais credibilidade seguem essa linha de Rops).

      Excluir
  31. Lucas o que você acha desse vídio do yago https://youtu.be/NQakWGvkIRo acha que foi um bom argumento contra os preteritas !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A verdade é que o Yago simplesmente destruiu o Pirula e os preteristas nesse vídeo.

      Excluir
  32. Oi Lucas. Haverá animais (leões, cordeiros, pássaros...) na nova terra conforme as testemunhas de Jeová ilustram em suas publicações?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Isaías mostra isso e também uma questão de lógica, já que na criação original havia animais e a nova terra será a restauração deste padrão:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/a-terra-ira-durar-para-sempre-ou-deus.html

      Excluir
  33. Para suportar esta doutrina de tormento sem fim,os imortalistas criaram outra:Doutrina da amnésia,onde os salvos não irão se lembrar dos entes queridos não salvos fritando com vermes saindo por suas bocas,etc,mas base bíblica que é bom parece que não tem,apenas inferem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso inclusive eu já refutei aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/nos-lembraremos-uns-dos-outros-na.html

      Excluir
  34. Lucas Banzoli paz amado!

    Eu pensei que o irmao nao fosse responder rs
    É um prazer muito grande eu poder dialogar com alguem conceituado como o sr o proprio lucas! Obrogado pela resposta!

    Minha intencao foi mais tirar duvidas.. eu procuro ser "neutro"(sem defender bandeiras) ao analisar as Escrituras(é obvio que tambem tenho minhas opinioes pessoais assim como todos nos rsrs)

    Bom, ja fui defensor do aniquilacionismo e imaginei que o sr em sua resposta fosse levar pro lado do erro da traducao no texto de 2 Pedro 2 quanto a adulteracao... Porem com devido respeito amado irmao penso que esse tipo de resposta é uma forma de tentar escapar do "problema" a construcao gramatical apresentada nos textos gregos desse texto e no paralelo em Judas 7 é um problema pro aniquilacionismo exegeticamente falando...

    Sobre os anjos o sr com devido respeito ficou de me dar resposta!

    Estou me sentido privilegiado em poder conversar com o proprio lucas(se é que é o proprio lucas rs assim espero que seja)

    Muito grato por sua resposta!

    A proposito...

    Na sua resposta (se eu te interpretei direito) parece que o sr diz que o castigo é um evento futuro no qual eu concordo e relaciona o termo "reservados" com os impios.... É exatamente essa a tensao do texto.. se o juizo é futuro aonde esses impios estao aguardando? So podem estar em algum "lugar intermediario"! NAO podem estar na sepultura porque no verso 4 menciona os anjos que concerteza nao estao na Keber(hebraico) ou Mnema(grego) termos tecnicos proprio para tumulo/sepultura. Esses anjos estao no mesmo lugar que estes impios reservados Sobre Castigo (kolazomenou) participio presente indicando continuidade destes na prisao no Hades/ Tartaro que significa mundo dos mortos ate o dia do Juizo.

    Cordialmente
    Shalom

    O SR TEM ALGUM EMAIL ONDE EU POSSA ME COMUNICAR COM O SR? Eu tenho um gp de debates e reflexoes biblicas desde ja convido o sr so deixar seu zap o nome do gp é A Biblia em debate.

    Roberto Santos
    Rogerio Lima
    Leandro Assis
    Everton Souza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, se eu compreendi bem, o seu argumento se fundamenta em dois pontos: (1) o “kolazomenou”, que pra você significa um tempo presente; (2) a menção aos anjos. Sobre o ponto 1, você simplifica uma questão textual que é infinitamente mais complexa do que isso. Se a coisa fosse tão simples como “o particípio presente indica isso então o caso está resolvido”, os melhores tradutores de todas as épocas não teriam vertido o “castigar” como um EVENTO FUTURO. Apenas para citar alguns exemplos das versões que pesquisei:

      “Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar os injustos para o dia do juízo, para SEREM castigados” (Almeida Corrigida Fiel)

      “Entonces el Señor sabe rescatar de la prueba a los piadosos y guardar a los injustos PARA SER castigados EN EL DÍA del juicio” (Reina Valera)

      “The Lord knoweth how to deliver the godly out of temptations, and to reserve the unjust unto the day of judgment TO BE punished” (King James)

      “The Lord knoweth how to deliver the godly out of temptations, and to reserve the unjust unto the day of judgment TO BE punished” (Bíblia de Genebra)

      “The lorde knoweth how to deliver the godly out of temptacion and how to reserve the vniuste vnto the daye of iudgement for TO BE punisshed” (Bíblia de Tyndale)

      A tradução do Códice Alexandrino (um dos mais importantes códices antigos) diz o mesmo:

      http://www.codex-sinaiticus.net/en/manuscript.aspx?book=54&chapter=2&lid=en&side=r&verse=9&zoomSlider=0

      Essas são reconhecidamente as versões mais respeitadas do mundo, e elas concordam com o castigo ser um evento futuro, e não algo presente. Das versões que eu admiro a única que apresenta uma construção textual diferente que condiz com a sua visão é a NVI, o que me leva a perguntar: será que todas essas traduções (e muitas outras) feitas pelos melhores linguistas e tradutores do mundo não sabiam sequer de uma coisa tão simples como o particípio presente? É óbvio que não é por aí, seria impensável se os tradutores não soubessem de algo tão simples (ou pelo menos tão simples como a forma com que você expõe o argumento).

      Se não me falha a memória o Elias Soares foi o primeiro a trazer esse argumento com a mesma justificativa, ignorando as nuances do grego que é muito mais complexo do que parece a uma primeira vista e bem menos simples do que a lógica do nosso idioma. Eu ainda fiz questão de conferir como o NT Interlinear de Paulo Sérgio e Odayr Oliveti traduziu, e eles verteram da mesma forma (“para serem castigados”), com o adicional curioso de que abaixo do termo em questão (kolazomenou) eles colocam duas opções de tradução, “sendo” ou “a serem”, que são duas possibilidades de traduzir o termo (o que explica as traduções contraditórias), embora eles optem pela segunda neste caso específico, que é exatamente como eu entendo. Creio que não há razões para se estender neste ponto, a tradução mais plausível é “PARA SEREM CASTIGADOS”, um evento futuro e não um castigo já vigente agora.

      Em relação ao seu segundo ponto (sobre os anjos), a Bíblia NUNCA diz que os anjos estão neste momento sendo castigados no Sheol, no Hades, no inferno ou em qualquer lugar que os imortalistas colocam as almas dos mortos. Eu inclusive desafiaria citar um único texto onde tem um anjo caído sofrendo no Hades como você insinua. Na verdade o que existe é um texto de Pedro em que diz que os anjos caídos (referindo-se não aos anjos da rebelião original de “Lúcifer”, mas aos de Gn 6:1-4, o que é uma outra discussão) estão no TÁRTARO (de acordo com 2ª Pedro 2:4, ou seja, dentro do mesmo contexto de 2ª Pedro 2:9), que JAMAIS é usado na Bíblia como um local de condenação onde as almas dos perdidos estejam. Lastimavelmente a NVI traduz o termo por “inferno”, o que é uma terrível tradução que induz ao erro ao interpretar o verso 9, porque o tártaro não se refere a um local de castigo, ou senão não faria sentido dizer que eles estariam apenas reservados PARA SEREM castigados (i.e, no futuro).

      Excluir
    2. Agora veja que coisa interessante: o verso 9 fala dos injustos, mas não especifica de qual “injusto” está falando. Você supõe que esteja se referindo ao verso 4 que fala dos anjos (e não de almas humanas) no tártaro, e eu concordo que isso pode se aplicar sim (aos anjos), mas você ignora ou se esquece do verso seguinte, onde Pedro explicitamente usa como analogia um EXEMPLO HUMANO, que seria muito mais apropriado aqui para se discutir o destino de homens mortos do que o verso 4 que fala apenas dos anjos. A continuação do verso 4 diz isso:

      “Ele não poupou o mundo antigo quando trouxe o dilúvio sobre aquele povo ímpio, mas preservou Noé, pregador da justiça, e mais sete pessoas. Também condenou as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinzas, tornando-as exemplo do que acontecerá aos ímpios; mas livrou Ló, homem justo, que se afligia com o procedimento libertino dos que não tinham princípios morais (pois, vivendo entre eles, todos os dias aquele justo se atormentava em sua alma justa por causa das maldades que via e ouvia)” (2ª Pedro 2:5-8)

      Opa! Observe comigo, amigo: logo após Pedro citar como exemplo o caso dos anjos, ele faz questão de citar também um CASO HUMANO que demonstra o ponto, e por alguma razão misteriosa não diz NADA sobre as almas dos ímpios estarem sendo atormentadas neste presente momento! Ele poderia ter dito a respeito dos homens ímpios que eles tiveram o mesmo destino dos anjos maus e que estão no tártaro ou sei lá onde sendo aprisionados, inclusive seria o mais lógico de se complementar se fosse mesmo o caso, mas ao invés de dizer isso ele faz questão de citar EXEMPLOS DE ANIQUILACIONISMO.

      Ele cita o dilúvio, no qual Noé e sua família foram salvos, o qual matou todos os ímpios. Sem dizer nada sobre esses ímpios terem suas almas preservadas vivas para serem atormentadas em algum lugar, ele prossegue citando o exemplo de Sodoma e Gomorra, que foram REDUZIDAS ÀS CINZAS, tornando-se como um EXEMPLO DO QUE ACONTECERÁ COM OS ÍMPIOS. Creio que eu não preciso dizer mais nada, o aniquilacionismo é absurdamente explícito aqui. Pedro não apenas usa como analogia o caso de cidades que foram totalmente destruídas e não apenas “arruinadas espiritualmente”, como ainda diz que com os ímpios acontecerá O MESMO.

      É só então que vem o verso 9, que você junta com o verso 4 para forçar a interpretação de que Pedro estava falando das almas humanas, recortando e deixando de fora os versos entre eles, que são precisamente os que dizem respeito ao destino dos homens ímpios. Diante DESTE CONTEXTO ESPECÍFICO, embora anjos e homens estejam “reservados”, eles não estão reservados no mesmo lugar (ou senão os próprios imortalistas teriam que mudar seu ensino das almas humanas no Hades e transferi-las para o tártaro, que é totalmente diferente). Diante do contexto os anjos estão reservados no tártaro e os ímpios na sepultura, sendo que no dia do julgamento os ímpios ressuscitarão para serem castigados e esses anjos maus receberão seu castigo também. É lógico que o texto não poderia estar igualando homens e anjos porque anjo não ressuscita, por isso estão presos no tártaro, que jamais é referido como um local para almas humanas.

      Mesmo que o texto não fosse uma referência implícita à sepultura, há uma infinidade de interpretações possíveis sem recorrer à fábula imortalista, como por exemplo entender que pelo termo “reservou os injustos para o dia do juízo” em relação aos homens maus significa apenas dizer que o castigo deles está reservado (ou seja, que eles não vão escapar do castigo no dia do juízo), e não que a alma deles tivesse saído do corpo para algum lugar pós-morte onde fosse “reservado” no sentido de “ser atormentado”. Seja lá qual interpretação for a mais precisa, nenhuma delas abre margem para a tese imortalista, que ignora e recorta fora justamente os trechos em que Pedro se refere aos ímpios naquele contexto, e que não dão qualquer margem para um sofrimento presente.

      Deus lhe abençoe!

      Excluir
  35. Ricardo Peters do Vale9 de julho de 2018 17:45

    Esperando ansioso a resposta do Walter....

    ResponderExcluir
  36. Já viu esse vídeo? Não creio em imortalidade da alma mas poderia comentar?

    https://www.youtube.com/watch?v=7mW3pnPhx98

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele faz uma junção de vários textos suscitados pelos imortalistas sem qualquer exegese. Todos eles já tem resposta no meu livro, segue o compilado:

      1) Sobre o ladrão da cruz:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2013/07/estudo-completo-sobre-lucas-2343.html

      2) Sobre Paulo "fora do corpo":

      http://desvendandoalenda.blogspot.com/2013/08/a-biblia-e-as-experiencias-fora-do-corpo.html

      3) Sobre o tártaro:

      http://desvendandoalenda.blogspot.com/2013/08/significado-biblico-de-sheolhades.html

      4) Sobre o "partir e estar com Cristo":

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2013/10/partir-e-estar-com-cristo-quando.html

      5) Depois ele cita o texto em que Jesus diz que "aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá". O próprio texto que ele cita é uma refutação à tese dele, pois não diz que "ainda que morra, VIVE" (como se a alma já estivesse viva enquanto o corpo está morto), mas sim que "aquele que morrer VIVERÁ", ou seja, no FUTURO. Que baita tiro no pé!

      6) Esse cara não conhece sequer o be-a-bá da doutrina aniquilacionista, de onde ele tirou que nós cremos que as almas estão literalmente dormindo? Isso só prova o quanto ele está totalmente por fora do assunto, nem ao menos conhece o lado a que se opõe. É óbvio que o sono é uma metáfora para a morte, mas não uma metáfora que surge do nada sem uma razão de existir, mas uma metáfora ADEQUADA uma vez que quem morre, assim como quem dorme, não tem consciência de nada e espera a "manhã" da ressurreição, que a Bíblia chama de "despertar". Ou seja, é uma metáfora nada apropriada para a doutrina imortalista de presente atividade e consciência dos mortos.

      7) O final é o mais pitoresco de tudo. Ele ataca o mortalismo por não entender a questão do tempo, quando isso é JUSTAMENTE o que eles não fazem e nem sabem fazer com a questão da morte. Por mais que a gente repita e insista em dizer que para quem morre hoje a ressurreição ocorre em um "abrir e piscar de olhos" (em função da inexistência de passagem de tempo na perspectiva de quem morre), ainda que fisicamente no mundo dos vivos tenha se passado milhares de anos até a ressurreição, eles não entendem e continuam martelando no "tempo linear", ou seja, justamente naquilo que o Caio condena nos mortalistas. É um cínico.

      Excluir

Deixe o seu comentário. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas sobre qualquer assunto são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas comentários desrespeitosos não serão publicados. Confrontamentos e discussões são aceitos, desde que saia do anonimato.