17 de março de 2021

200 Mateus 10:28 prova a sobrevivência da alma após a morte?

 


*Nota: O artigo abaixo é extraído da nova versão do meu livro "A Lenda da Imortalidade da Alma", ainda em construção. 

***

De todas as 858 ocorrências da palavra “alma” nos originais hebraico e grego, a única que os imortalistas reivindicam estar acompanhada de um adjetivo que denota imortalidade (contra centenas dizendo explicitamente o oposto) está em Mateus 10:28, texto que diz: “Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno” (Mt 10:28). A primeira coisa que salta aos olhos de qualquer observador atento é que o único texto usado para dizer que a alma é imortal é justamente um que diz que ela é destruída junto com o corpo no inferno.

Embora os imortalistas aqui recorram à manobra típica de que “destruir” não significa exatamente “destruir”, mas sim o seu oposto, qualquer tentativa de manipular esse texto específico é frustrada pelo contexto, que não abre qualquer margem à ideia de uma destruição meramente “espiritual” ou coisa do tipo. Isso porque, assumindo que “alma” neste texto esteja no sentido de um elemento que possuímos dentro de nós, o mínimo que isso exigiria seria um aniquilacionismo final, caso contrário o que o texto estaria dizendo é para não temer os que matam o corpo e não a alma, mas sim aquele que também só mata o corpo e não a alma (o que seria uma interpretação ridícula, para dizer o mínimo).
 
O simples fato da primeira parte do verso falar de morte literal e a segunda parte ser uma antítese da primeira já comprova que Jesus estava falando mesmo de aniquilação. O sentido claro e manifesto é que Deus mata mais do que os homens são capazes de matar – porque, enquanto estes matam só o corpo, Deus destrói corpo e alma. Para tentar fugir a essa conclusão lógica, imortalistas argumentam que o grego usa duas palavras diferentes nesse texto: apokteino, usada na primeira parte do verso, e apollumi, usada na segunda. E como em vários contextos apollumi não tem o sentido de destruição, segue-se que Jesus não estaria falando de morte literal na última parte do verso (aquela que diz que a alma é destruída).
 
Há muitos problemas com esse argumento, além de reduzir a pó a lógica da declaração (pois, como vimos, não faria sentido nenhum dizer para não temer aqueles que só matam o corpo, se Deus também matasse só o corpo). Para começo de conversa, quando usado no sentido do texto, apollumi tem exatamente o mesmo significado básico que apokteino (i.e, a destruição ou morte). Jesus disse que na época de Noé os ímpios “comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio, e os destruiu (apollumi) a todos” (Lc 17:27).
 
A mesma palavra apollumi usada por Jesus em Mateus 10:28 também é usada aqui por ele ao se referir ao fim que tiveram os ímpios por ocasião do dilúvio, que, como sabemos, foi a destruição total pelas águas (que não deixaram nenhum sobrevivente). De fato, o significado primário de apollumi dado pela Concordância de Strong é o de «destruir» ou «matar»[1], o mesmo de apokteino, que é de «destruir, deixar perecer» e «punir com a morte»[2]. A única diferença é que apollumi também pode significar «perder»[3], dependendo do contexto (como em Lucas 15:4, que fala da ovelha perdida, e Lucas 15:9, que fala da moeda perdida).
 
É um caso semelhante ao da palavra grega para “mulher”, que era a mesma para “esposa” (gune), cabendo apenas ao contexto definir se está falando de uma mulher no sentido geral ou especificamente da esposa de alguém. Isso porque o grego dos tempos bíblicos era linguisticamente pobre se comparado aos idiomas modernos, razão pela qual com frequência muitas palavras assumiam mais de um significado dependendo do contexto (algo que aliás acontece ainda hoje com palavras como “manga”, que pode significar a fruta ou a manga da camisa).
 
Em síntese, quando apollumi está no sentido de “destruir”, o significado é o mesmo de apokteino, só assumindo um significado distinto quando está no sentido de "perder", algo que os imortalistas pouco atentos (ou pouco responsáveis) ignoram sumariamente. Então, a questão que devemos nos fazer é: estaria apollumi em Mateus 10:28 no sentido de “destruir” ou de “perder”? Para responder a isso, apenas tente substituir “destruir” por “perder” para ver se o texto faz algum sentido:
 
“Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, tenham medo daquele que pode perder tanto a alma como o corpo no inferno”
 
Nessa leitura, o que o texto estaria nos dizendo é que o próprio Deus perderia sua alma e corpo no inferno, o que não parece fazer muito sentido. Aqui, apollumi claramente assume o significado de destruir, em consonância com o sentido de apokteino (matar) usado na primeira parte.
 
Alguém poderia perguntar por que Mateus usaria duas palavras diferentes nos dois trechos, em vez de simplesmente repetir a mesma palavra. De fato, alguns imortalistas usam isso como um argumento para “provar” que o «destruir» da segunda parte do verso tem um sentido diferente do «matar» da primeira parte (como se na primeira fosse “matar de verdade”, e na segunda fosse “destruir de mentirinha”). Mas a resposta óbvia que qualquer um que já aprendeu alguma coisa de hebraísmo na vida sabe está no paralelismo, que os judeus costumavam recorrer com frequência.
 
Tome como exemplo o Salmo 12, que diz:
 
“Salva-nos, Senhor, porque faltam os homens bons; porque são poucos os fiéis entre os filhos dos homens. Cada um fala com falsidade ao seu próximo; falam com lábios lisonjeiros e coração dobrado. O Senhor cortará todos os lábios lisonjeiros e a língua que fala soberbamente. Pois dizem: Com a nossa língua prevaleceremos; são nossos os lábios; quem é senhor sobre nós?” (Salmos 12:1-4)
 
Mesmo que passe imperceptível aos olhos de muitos, aqui temos o que chamamos de paralelismo sinônimo, quando a segunda linha repete uma parte da linha anterior, mas usando outras palavras. No caso em particular: 

Primeira linha

Segunda linha

“Faltam os homens bons” (v. 1)

“São poucos os fiéis” (v. 1)

“Cada um fala com falsidade ao seu próximo” (v. 2)

“Falam com lábios lisonjeiros e coração dobrado” (v. 2)

“O Senhor cortará todos os lábios lisonjeiros” (v. 3)

“[O Senhor cortará] a língua que fala soberbamente” (v. 3)

“Pois dizem: Com a nossa língua prevaleceremos” (v. 4)

“[Pois dizem:] são nossos os lábios; quem é senhor sobre nós?” (v. 4)


Note que a segunda linha de cada verso não altera o sentido ou o significado primordial da primeira, embora ele a expresse usando outras palavras. A intenção não é acrescentar informação, mas reiterar a informação dada na primeira parte. A ideia é a mesma, ela só é expressa em outros termos (um recurso típico da poesia hebraica). O mesmo padrão observamos em Mateus 10:28, como se observa:

 

Primeira linha

Segunda linha

“Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma”

“Tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo”


É verdade que a segunda linha poderia simplesmente repetir a ideia da primeira usando as mesmas palavras, mas não é assim que um paralelismo hebraico funciona. Em vez de repetir as palavras idênticas, eles reiteravam a mesma ideia usando sinônimos, o que explica por que a primeira parte do verso traz apokteino (matar) e a segunda apollumi (destruir). O que importava para eles não era a palavra específica que era usada, mas o conceito expresso em ambas as linhas. Neste caso, o conceito é que Deus dá fim ao corpo e à alma, enquanto os homens dão fim somente ao corpo.
 
Sabemos, portanto, que o texto não pode ser usado como uma prova da imortalidade da alma, já que ele taxativamente afirma que a alma morre (e o contexto exige que o tipo de morte aqui seja a mesma que o corpo padece). Mas o que dizer da sobrevivência da alma após a morte? Se interpretarmos “corpo” e “alma” aqui literalmente, seríamos forçados a concluir que a alma é aniquilada na segunda morte, mas que sobrevive à primeira (embora o texto não diga em que lugar ou estado, se consciente ou não). Isso abriria margem à crença no estado intermediário, ainda que refutasse o tormento eterno.
 
Mas vamos com calma. Imagine que daqui mil anos uma civilização futura tenha acesso aos textos da nossa época enquanto travam um acirrado debate científico sobre se vacas tossiam num passado remoto ou não (neste futuro vacas não mais existem, antes que você pergunte). Então um indivíduo descobre entre os escombros de uma biblioteca milenar um texto de um brasileiro exclamando em alto e bom som: «Nem que a vaca tussa!». Imediatamente os defensores da tese de que as vacas tossiam começam a postar entusiasticamente o trecho em seu mural do foicebook (uma versão estatal futura do facebook) e cantam vitória.
 
Se o exemplo acima pareceu extravagante demais, suponha que alguém diga que fulano de tal “colocou lenha na fogueira”. Pode ser que fulano tenha literalmente colocado lenha na fogueira – pra fazer um churrasco, quem sabe –, mas também pode ser apenas uma forma de dizer que ele instigou um conflito ou piorou as coisas. Tudo depende do contexto. Se alguém desapontado com alguma atitude sua disser que você partiu seu coração, você não imagina que fez isso com uma faca, cortando o coração dele em pedacinhos. Se isso é verdade para o coração, também pode ser verdade em relação à alma.
 
Em um de meus livros sobre a Reforma, eu digo que desde os tempos de Jan Hus os cristãos boêmios sofriam perseguição física e eram massacrados impiedosamente, mas só quem conseguiu destruir a “alma” dos cristãos da Boêmia foi Fernando II, na Guerra dos Trinta Anos. Qualquer um que lesse o contexto entenderia que o que eu estava querendo dizer com isso não é que os antigos perseguidores dos boêmios matavam só o corpo deles mas deixavam a alma ilesa pra sair voando pro céu, mas sim que este imperador católico foi o primeiro a destruir aquilo que os definia como um povo, mudando toda a sua cultura à força (incluindo idioma, costumes e religião).
 
Assim, o sentido é que independentemente de quantos boêmios fossem mortos antes, novas gerações de protestantes surgiam sucedendo as anteriores, mas agora a própria “alma” dos boêmios foi atingida, e eles nunca mais voltaram a ser o que eram antes (passaram de protestantes para católicos, e atualmente são ateus). O que eu quero dizer com esse exemplo não é que essa era exatamente a conotação de “alma” que Jesus tinha em mente em Mateus 10:28, mas sim que devemos ser cuidadosos antes de sair inferindo que certa palavra está em seu sentido habitual ou literal, o que nem sempre é verdade.
 
Certamente, na maior parte das vezes em que as palavras “vaca”, “fogueira” e “alma” são mencionadas, elas se referem ao elemento ou ao ente em si, mas há contextos em que elas – assim como basicamente qualquer outro substantivo – são usadas em um sentido figurado, aludindo a alguma outra coisa. De modo geral, podemos dizer que uma palavra é sempre mais usada em seu sentido habitual pelo qual ela é definida, mas sempre haverá ocasiões em que ela será usada em um sentido que foge à sua dimensão natural.
 
Por isso seria um absurdo alguém dizer que todas as vezes em que a alma morre nas centenas de textos que vimos neste capítulo está sempre em um sentido figurado ou secundário, mas não seria absurdo algum dizer que em uma única ocasião onde ocorre o contrário ela está em um sentido figurado ou secundário. Para toda regra há uma exceção, mas a exceção não pode ser a regra. Dizer que todas as centenas de textos bíblicos que dizem que a alma morre estão condicionados a um único que diz que ela não morre é inverter os princípios mais básicos da hermenêutica.
 
Mas se o «não podem matar a alma» não contradiz o caminhão textos que dizem expressamente que a alma morre, onde a nephesh ou psiquê está em seu sentido habitual, em que sentido Jesus teria usado “alma” aqui? Para encontrar essa resposta, precisamos apenas examinar como Jesus costumava se referir à psiquê nos evangelhos. Se Jesus tinha o costume de usar o termo em um sentido que vai além de sua dimensão natural, é muito provável que este também seja o caso de Mateus 10:28. A questão é: encontramos tal uso nos ensinos de Jesus? E a resposta está apenas onze versos depois do texto em questão, pouco após dizer que «não podem matar a alma»:
 
“Quem acha a sua vida (psiquê) a perderá, e quem perde a sua vida (psiquê) por minha causa a encontrará” (Mateus 10:39)
 
Embora a NVI traduza como “vida”, é psiquê que consta no original grego – exatamente a mesma palavra usada onze versos antes. Mas o que Jesus queria dizer aqui? Certamente não que alguém “acha” ou “perde” uma alma imaterial escondida dentro do corpo, o que seria uma missão um tanto quanto desafiadora (tão difícil que os próprios cientistas até hoje não encontraram a tal “alma”). Como é evidente, a psiquê aqui se refere à vida, tanto a vida presente como a futura (que ganharemos na ressurreição).
 
Jesus alterna esses dois sentidos na mesma frase de forma dinâmica. Assim, quem se apega à sua vida presente perde a vida futura, e quem abre mão dos prazeres carnais desta vida conquista a vida futura. Tanto Lucas como João ecoam o mesmo ensino de Jesus, alterando apenas algumas palavras (mas mantendo a alma-psiquê nos textos):
 
“Quem tentar conservar a sua vida (psiquê) a perderá, e quem a perder a preservará” (Lucas 17:33)
 
“Aquele que ama a sua vida (psiquê), a perderá; ao passo que aquele que odeia a sua vida (psiquê) neste mundo, a conservará para a vida eterna” (João 12:25)
 
“Conservar a psiquê” não é manter a alma fantasminha viva depois da morte, porque Jesus diz que quem a conserva a perde, e quem a perde preserva. Da mesma forma, Jesus não estava falando sobre amar ou odiar uma alma imaterial presa no corpo, o que faz tanto sentido quanto amar ou odiar um dedo do pé. O sentido evidente é o mesmo de Mateus 10:39, onde o que está em jogo é amar a vida terrena (vivendo para os seus próprios prazeres), que implica em despossuir a vida futura, ou abrir mão dos prazeres da carne por algo maior, a vida eterna. Alguns capítulos adiante, Jesus volta a tocar neste assunto, quando diz:
 
“Porquanto, quem quiser salvar a sua alma (psiquê) perdê-la-á; e quem perder a alma (psiquê) por minha causa achá-la-á. Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma (psiquê)? Ou que dará o homem em troca da sua alma (psiquê)?” (Mateus 16:25-26)
 
O homem não pode dar nada em troca da sua alma-psiquê, não porque alguns não possuam alma e precisem comprá-la, mas porque “alma” aqui significa a vida que se obtém após a ressurreição. O texto apresenta mais uma vez o contraste existente entre a vida presente e a futura, onde somos exortados a viver em função da segunda, mesmo que isso implique em abrir mão da primeira (renunciando a certas práticas de quem vive como se esta vida fosse tudo). Vemos um sentido semelhante em Mateus 6:25, quando Jesus declara:
 
“Portanto eu lhes digo: não se preocupem com suas próprias vidas (psiquê), quanto ao que comer ou beber; nem com seus próprios corpos, quanto ao que vestir. Não é a vida (psiquê) mais importante do que a comida, e o corpo mais importante do que a roupa?” (Mateus 6:25)
 
Na primeira parte, a psiquê se refere à vida presente (que Jesus diz para não se preocupar), definida em coisas como comer, beber e se vestir; e, na segunda, à vida futura (que Jesus diz que é mais importante que essas coisas da vida presente). Mais uma vez, somos instados a priorizar a vida futura em detrimento da vida presente, sendo ambas designadas pelo mesmo termo para alma (psiquê). Em outras ocasiões, psiquê se refere exclusivamente à vida futura, como quando Jesus diz aos filhos de Zebedeu:
 
“Vocês não sabem de que espécie de espírito são, pois o Filho do homem não veio para destruir a vida (psiquê) dos homens, mas para salvá-las” (Lucas 9:55)
 
Jesus não veio ao mundo para privar as pessoas da eternidade, mas justamente ao contrário: veio para salvá-las e dar a elas uma oportunidade de viver para sempre. Em outra ocasião, ele diz aos discípulos que “é perseverando que vocês obterão a vida (psiquê)” (Lc 21:19). É evidente que Jesus não estava falando aqui sobre “obter uma alma imortal” (que os discípulos supostamente já teriam), nem sobre “obter a vida presente” (que eles, assim como qualquer pessoa viva, já tinham). “Obter a psiquê” aqui se refere a obter a vida futura, isto é, a vida que desfrutamos após a ressurreição (Jo 5:28-29; Lc 14:14; 1Co 15:22-23; 1Ts 4:16-17).
 
Com tantos exemplos de alma-psiquê sendo usada num sentido que não tem nada a ver com um elemento dentro do nosso corpo, mas sim com a vida futura, é fácil interpretarmos as palavras de Jesus em Mateus 10:28. Não poder matar a psiquê significa não ter a capacidade de acabar com a vida futura, já que os homens só podem nos matar nesta vida. Deus, no entanto, pode nos destruir tanto nesta vida, quanto na próxima – razão pela qual devemos temê-lo mais do que tememos aos homens.
 
Tudo o que os homens podem fazer é nos privar desta vida, mas não podem fazer nada para nos excluir da próxima, que recebemos pela graça mediante a fé. Mas se pecarmos contra Deus, comprometemos não apenas a vida presente, mas também a futura. É por isso que a Bíblia ensina que os ímpios morrerão não apenas nesta vida, mas também na próxima, depois da ressurreição. Há duas mortes para os ímpios, mas apenas uma para os justos (a que sofremos ao final desta vida). Enquanto os justos ressuscitam para a vida eterna, os ímpios que ressuscitam morrem para sempre, após pagarem o correspondente aos seus pecados:
 
“Felizes e santos os que participam da primeira ressurreição! A segunda morte não tem poder sobre eles; serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele durante mil anos” (Apocalipse 20:6)
 
Note que o texto não diz que a «primeira morte» não tem poder sobre os justos, mas apenas a «segunda morte», porque a primeira é aquela pela qual todos passamos ao final da nossa vida terrena, e tanto justos como ímpios morrem nesta vida. Mas além dela há também uma outra morte, a segunda, que se dá após a ressurreição, à qual só os condenados estão sujeitos. É por isso que tanto Deus como os homens são capazes de matar alguém nesta vida (primeira morte), mas só Deus pode fazer o mesmo na outra (segunda morte).
 
Este sentido está de acordo com o significado recorrente de psiquê nos discursos de Jesus, que nunca se referiu a ela como uma parte imaterial e imortal da nossa natureza que sobrevive com consciência e personalidade fora do corpo, mas sempre como o nosso ser integral (no sentido de Gênesis 2:7) ou como a nossa vida (seja a vida presente ou a futura, dependendo do contexto). Dito em termos simples, Jesus entendia a alma não de acordo com o pensamento grego, mas precisamente conforme os hebreus do Antigo Testamento.
 
O pensamento de que Jesus concebeu a ideia grega de alma em Mateus 10:28 não vem do texto bíblico em si (mesmo porque nenhum grego diria que a psiquê pode ser destruída junto com o corpo), muito menos da comparação hermenêutica com as outras ocorrências de psiquê nos discursos de Jesus, mas simplesmente da ideia preconcebida que as pessoas tem em mente em relação à alma, dada a prevalência do conceito grego em nossa cultura. Em outras palavras, somos tentados a pensar que Jesus falava do conceito grego de alma porque quando ouvimos falar de “alma” pensamos imediatamente no “fantasminha” que sai do corpo depois da morte, e não no conceito hebraico e bíblico que contempla a alma apenas como a vida presente ou futura que desfrutamos integralmente, de corpo e espírito.
 
O que lança ainda mais luz a essa conclusão é o registro que Lucas faz do mesmo verso citado por Mateus. Observe com atenção como Lucas cuidadosamente retira o termo psiquê do texto, mantendo, porém, todo o restante:
 
“Eu lhes digo, meus amigos: não tenham medo dos que matam o corpo e depois nada mais podem fazer. Mas eu lhes mostrarei a quem vocês devem temer: temam aquele que, depois de matar o corpo, tem poder para lançar no inferno. Sim, eu lhes digo, esse vocês devem temer” (Lucas 12:4-5)
 
A única diferença substancial entre o texto de Mateus e o de Lucas é que Mateus cita a psiquê, e Lucas não (o que seria bastante estranho, se a intenção era justamente ensinar a sobrevivência da alma!). O consenso teológico é que Lucas escreveu depois de Mateus e o usou como fonte para o seu próprio evangelho (um estudo mais detalhado a este respeito está disponível neste artigo[4] do meu site), e quase sempre que Lucas ecoa Mateus ele transcreve o texto sem mudanças significativas, fazendo mais um trabalho de um compilador do que de um intérprete.
 
Porém, em Lucas 12:4-5, que ecoa Mateus 10:28, notamos uma alteração brutal neste padrão. Basta uma comparação simples com o próprio contexto de ambas as passagens para constatar que Lucas mantém praticamente todas as palavras idênticas usadas por Mateus em todos os versículos, à exceção do verso correspondente a Mateus 10:28, onde a psiquê sai totalmente de cena:

 

Mateus 10

Lucas 12

26. Não há nada escondido que não venha a ser revelado, nem oculto que não venha a se tornar conhecido.

2. Não há nada escondido que não venha a ser descoberto, ou oculto que não venha a ser conhecido.

27. O que eu lhes digo na escuridão, falem à luz do dia; o que é sussurrado em seus ouvidos, proclamem dos telhados.

3. O que vocês disseram nas trevas será ouvido à luz do dia, e o que vocês sussurraram aos ouvidos dentro de casa, será proclamado dos telhados.

28. Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno.

4-5. Eu lhes digo, meus amigos: não tenham medo dos que matam o corpo e depois nada mais podem fazer. Mas eu lhes mostrarei a quem vocês devem temer: temam aquele que, depois de matar o corpo, tem poder para lançar no inferno. Sim, eu lhes digo, esse vocês devem temer.

29. Não se vendem dois pardais por uma moedinha? Contudo, nenhum deles cai no chão sem o consentimento do Pai de vocês.

6. Não se vendem cinco pardais por duas moedinhas? Contudo, nenhum deles é esquecido por Deus.

 

30-31. Até os cabelos da cabeça de vocês estão todos contados. Portanto, não tenham medo; vocês valem mais do que muitos pardais!

7. Até os cabelos da cabeça de vocês estão todos contados. Não tenham medo; vocês valem mais do que muitos pardais!

32. Quem, pois, me confessar diante dos homens, eu também o confessarei diante do meu Pai que está nos céus.

8. Eu lhes digo: quem me confessar diante dos homens, também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus.

33. Mas aquele que me negar diante dos homens, eu também o negarei diante do meu Pai que está nos céus.

9. Mas aquele que me negar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus.


Observe como todos os versos de Lucas seguem quase ipsis litteris o trecho correspondente de Mateus, com exceção do que estamos estudando. Quando Lucas chega nele, ele prefere fazer uma alteração significativa no texto, tão significativa que nenhum imortalista jamais usou Lucas 12:4-5 para provar a imortalidade da alma (embora usem Mateus 10:28 com frequência). Lucas simplesmente toma a liberdade de excluir a palavra inteira do texto, substituindo a parte que diz «não podem matar a alma» por «nada mais podem fazer», que é uma diferença enorme para quem pensa que Jesus disse aquilo na intenção de endossar a sobrevivência da alma.
 
Duas coisas devemos nos perguntar aqui. A primeira é o que teria levado Lucas a omitir a psiquê da passagem, e a segunda é se o trecho como consta em seu evangelho é mais condizente com a nossa interpretação de Mateus 10:28 ou com a interpretação dada pelos imortalistas. Começando pela primeira questão, a resposta mais lógica é porque Lucas (um gentio nascido em Antioquia) escrevia seu evangelho a um público grego pouco familiarizado com a linguagem do Antigo Testamento, que carregava consigo o conceito platônico de alma, enquanto Mateus dirigiu seu evangelho aos judeus, o qual inclusive foi originalmente escrito em aramaico antes de ser traduzido ao grego[5].
 
Em outras palavras, Mateus sabia que seus leitores não corriam o risco de interpretar a alma ou nephesh em um sentido oposto ao das Escrituras hebraicas, por isso não se importou em transcrever as palavras exatas de Jesus sem alteração. Já Lucas, por sua vez, escrevia a um público distinto, para os quais este versículo poderia ser desafiador ou confuso se fosse transcrito da maneira como constava em Mateus. Um leitor grego poderia facilmente pensar que Jesus entrava em contradição, já que uma hora dizia que a psiquê é mortal (cf. Lc 6:9, 12:20, 17:33), e outra hora que ela não pode morrer.
 
Para resolver este problema, Lucas se antecipou a essa dificuldade e preferiu verter as palavras de Jesus por equivalência de sentido, em lugar de uma transcrição literal palavra por palavra. Qual outra razão teria Lucas para tirar do texto um aspecto tão importante, ainda mais considerando que ele habitualmente evitava mudanças substanciais nos textos que citava de outra fonte? Ele nem mesmo vê problema em transcrever a parte que fala da morte do corpo-soma, mas quando chega na parte da alma-psiquê prefere dar um jeito de tirá-la do texto do que dizer que “não podem matar a alma”.
 
Ele certamente não tomaria a liberdade de fazer uma alteração tão drástica exclusivamente na parte da alma se não fosse por uma boa razão, e a única razão que ele teria é a precaução diante de um público que poderia entender errado o significado de psiquê no texto. E isso nos leva à nossa segunda questão: seria o texto de Lucas mais condizente com a interpretação mortalista de Mateus 10:28 ou com o que asseveram os imortalistas? Se a própria exclusão da única parte que os imortalistas tem na Bíblia inteira para “provar” que a alma não morre não fosse o bastante, temos uma evidência ainda mais forte no próprio texto: a menção ao geena.
 
Uma análise detalhada sobre o geena e seu significado pode ser vista nos capítulos 9 e 10 deste livro, que abordam o inferno e os acontecimentos finais. Por hora, basta dizer que os próprios imortalistas reconhecem que o geena não se refere a um “inferno” atualmente em vigência, mas ao lugar para onde os ímpios serão lançados após a ressurreição. Para eles, o Hades seria o “inferno atual” onde os mortos sem Cristo atualmente se encontram, e o geena o “inferno final”, para onde esses mesmos mortos migrarão para passar o restante da eternidade (o porquê que eles precisariam migrar de um inferno para outro inferno é um mistério que nem os imortalistas tem a resposta).
 
O fato é que tanto em Mateus 10:28 como em Lucas 12:5 a palavra traduzida por “inferno” nas nossas Bíblias é o geena (ou seja, o estado final pós-ressurreição), não o Hades (ou seja, o estado intermediário atual). Com isso em mente, leia novamente Lucas 12:4-5:
 
“Eu lhes digo, meus amigos: não tenham medo dos que matam o corpo e depois nada mais podem fazer. Mas eu lhes mostrarei a quem vocês devem temer: temam aquele que, depois de matar o corpo, tem poder para lançar no geena (após a ressurreição). Sim, eu lhes digo, esse vocês devem temer”
 
Note que o que se segue à morte do corpo não é o lançamento da alma no Hades, como seria caso a ideia que o texto quisesse transmitir fosse a da separação entre o corpo e a alma. Em vez disso, após a morte do corpo o homem integral é lançado ao geena, o destino final do ímpio após a ressurreição.
 
Ou seja, é como se Lucas ignorasse por completo o suposto estado intermediário entre a morte e a ressurreição, já que após a morte física não há menção ao Hades (o estado intermediário), mas transpõe direto ao geena (o estado final). Isso não apenas indica a inexistência de um estado intermediário consciente entre a morte e a ressurreição no qual os ímpios são supostamente lançados após a morte, como também refuta qualquer pretensão de tomar as palavras de Jesus no sentido de um endosso à sobrevivência da alma após a morte.
 
Se essa tivesse sido a intenção, seria imprescindível a presença do Hades como o lugar para onde a alma é lançada após a morte física, que seria o seu destino natural e imediato fora do corpo. Ao invés disso, o que se segue à morte do corpo é o lançamento da pessoa inteira no geena, o que reforça a noção bíblica de que não existe evento algum entre a morte e a ressurreição na perspectiva de quem morre. Quem morre permanece sem vida até ser ressuscitado, o que explica por que o ímpio que morre se vê em seguida no geena, já ressuscitado, e não no Hades, onde seu corpo repousa o sono da morte.
 
Basta refletir: se Jesus realmente estivesse falando sobre a separação da alma por ocasião da morte, para qual lugar você acha que ele diria que a alma do condenado é levada? Para o Hades, que seria o seu destino imediato fora do corpo, ou para o geena, onde estaria depois de muito tempo e de corpo e alma? A resposta parece óbvia, se Jesus tivesse mesmo a menor intenção de passar a ideia de sobrevivência da alma fora do corpo. Neste caso, ouviríamos dizer para temer «aquele que, depois de matar, tem poder para lançar no Hades», já que o Hades seria o local para onde as almas vão ser atormentadas após a morte.
 
O fato de Jesus “pular” o Hades como se não existisse e citar direto o geena se dá justamente porque o que estava em jogo era a vida que se obtém após a ressurreição, não a sobrevivência da alma em um suposto estado intermediário. A interpretação imortalista é não apenas um violento atentado à razão e ao bom senso, mas perverte as palavras de Cristo de tal modo a transformar um texto que refuta o estado intermediário e corrobora o aniquilacionismo em uma “prova” da imortalidade da alma, o que só mostra quão pouco eles estão comprometidos com uma análise séria do texto quando percebem a menor brecha para defender o conceito platônico de alma.

Por Cristo e por Seu Reino,

- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!

- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.



[1] #622 da Concordância de Strong.

[2] #615 da Concordância de Strong.

[3] #622 da Concordância de Strong.

[4] Disponível em: <http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/resolvendo-o-problema-sinoptico-da.html>.

[5] Leia mais sobre isso em: <http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/resolvendo-o-problema-sinoptico-da.html>.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)  

200 comentários:

  1. Em um passado não tão distante:

    https://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc1912200206.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "As coisas mudaram. Hoje, comunista toma uísque, mora bem e vai na piscina". O que mudou daquela época pra hoje é que hoje em dia comunista não toma uísque, toma tubaína (entendedores entenderão).

      PS: não podia deixar de rir com essa parte:

      Sem horário marcado, o deputado esperou por 45 minutos por uma chance de falar com Lula, mas ela não apareceu. No meio da tarde, com o início de uma forte chuva, ele foi embora.

      O cara ficou quase uma hora plantado sob chuva na esperança de poder falar bem de um comunista para o Lula (como se o Lula precisasse disso), mas nem isso conseguiu 😂😂😂

      Excluir
    2. Falando em Bolsolulismo:

      https://m.youtube.com/watch?v=OduZN4SPBDU

      Excluir
  2. Banzomito, tu viu que Nando Moura e Danilo Gentili podem se candidatar em 2022? Eu tô meio confuso pois não sei se é zoeira ou não, espero que não seja
    Essa notícia me deixou animado, mas minha pergunta é: você votaria neles? Eu eu tivesse idade votaria, Lula ou Bolsonaro não tem como

    Outra pergunta:
    Você já teve medo da morte? Eu sinceramente não tenho medo algum, nem mesmo da morte Ateísta
    Por que?
    1-Eu sei que não é real, pois o Ateísmo é uma mentira
    2-Eu nem teria consciência da saber o que teria lá ou não

    E bom, o aniquilacionismo seria uma piedade de Deus com os ímpios? Já que com certeza é bem melhor ser aniquilado do que sofrer eternamente no inferno

    Eu não me importo muito com essas paradas do inferno principalmente pq não eu não pretendo ir pra lá skskakakakakskakssksk

    Mas fica aí a pergunta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você votaria neles?

      Se a contrapartida for Bolsonaro/Lula, com certeza.

      Você já teve medo da morte?

      Da minha morte não, mas da morte de pessoas próximas com quem eu tenho ligações emocionais sim.

      O aniquilacionismo seria uma piedade de Deus com os ímpios? Já que com certeza é bem melhor ser aniquilado do que sofrer eternamente no inferno.

      Depende de qual o parâmetro que você usa para medir o conceito de “piedade”. Se o parâmetro for o tormento eterno, sim, com certeza o aniquilacionismo seria “misericordioso” com os ímpios. Mas desde quando o tormento eterno é o parâmetro? Isso seria o mesmo que dizer que um pai que deu 50 chineladas no filho por ter xingado um amiguinho da escola foi “piedoso” com o filho só porque não deu 500 chineladas em vez de 50. Há um tempo atrás um casal russo foi preso por ter forçado o filho pequeno deles a ficar 8 horas com o joelho no milho (o joelho ficou todo desfigurado e os milhos entraram dentro do joelho do garoto, só de ver a imagem já é de embrulhar o estômago), eu me pergunto se os imortalistas chamariam esses pais de “misericordiosos” também porque deixaram o garoto “apenas” 8 horas no milho, e não por toda a vida.

      Estipular um tormento eterno como parâmetro para alguma coisa é simplesmente doentio, coisa de psicopata. Deus não é nem misericordioso e nem cruel por deixar os ímpios pagarem o proporcional aos seus pecados e deixarem de existir, Ele é apenas justo por lhes retribuir exatamente o que eles merecem, nem mais nem menos. Sua misericórdia Ele reserva aos fiéis, que recebem o que não merecem (i.e, uma vida eterna), por isso a salvação é pela graça, mas não existe uma “graça reversa” para dar aos ímpios mais do que eles merecem, estendendo o seu tormento para todo o sempre mesmo sem propósito algum além do sofrimento em si.

      Excluir
    2. Só votaria neles se o Dr.Kristequens aceitar ser ministro da saúde!

      Excluir
    3. O nosso grande mestre de Yale!

      Excluir
  3. Bom dia Lucas! Como vai?

    Tenho uma dúvida sobre o livro seu que você usou para escrever esse post: você vai colocar respostas a argumentos filosóficos imortalistas? Exemplo: "Um sofrimento temporário é só uma forma de um pecador condenado tem para amenizar o sofrimento no inferno. Já que ele acredita que um dia ele vai ser aniquilado." "rejeitar o amor infinito de Deus requer uma punição(no sentido de ser torturado)infinita."

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, inclusive já disponibilizei uma prévia desse trecho do livro aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2020/09/baixe-agora-mesmo-previa-do-meu-novo.html

      Excluir
  4. Acredita que futuramente a Europa terá maioria muçulmana?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os dados apontam que sim, mas vai demorar bem mais do que muitos dizem. De todo modo, o tipo de Islamismo praticado na Europa é diferente daquele vivido no Oriente Médio, e a tendência é que eles passem pelo mesmo processo de secularismo que atingiu o Cristianismo europeu.

      Excluir
    2. Talvez seja algo próximo do que hoje é a Turquia:

      https://www.gazetadopovo.com.br/mundo/o-dilema-da-turquia-viver-de-acordo-com-o-isla-ou-com-os-valores-seculares-cxh1fhi50ssij3qnrtn5pueab/

      Excluir
  5. Olá Lucas, não tem muito haver com o tema, mas queria te perguntar porque Orígenes não teria citado o Testimonium Flavianum contra o Filósofo pagão Celso. Isso não seria uma evidẽncia de que foi uma interpolação posterior? Se ele citasse derrubaria por terra todo o "Discurso Verdadeiro" desse autor pagão, uma vez que Josefo era amigo dos romanos, seria uma derrota em casa pro Celso caso o testemunho tivesse saído da pena de Josefo e fosse citado pelo Orígenes. Agradeço desde já. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro que Orígenes não tinha a obrigação de conhecer todos os escritos de Josefo (o próprio acesso aos livros na época era muito mais difícil do que é hoje), e segundo que não estava em discussão a existência histórica de Jesus para usar o testemunho flaviano, Celso acusava os cristãos de rituais macabros e de ateísmo (por negarem adoração aos deuses romanos), mas não de inventarem a existência de Jesus (que só passou a ser questionada em tempos recentes por neo-ateus todynho). De modo que usar o trecho em que Josefo cita Jesus não adiantaria em nada já que não era isso que estava em discussão.

      Excluir
    2. Orígenes conhecia sim: "Todos podem ler [sic!] os dois livros de Flávio Josefo sobre a
      Antiguidade judaica, em que menciona um importante grupo de escritores que dão
      testemunho da antiguidade judaica." (Pg. 38, 16 - Contra Celso - Coleção Patrística Paulus)

      É realmente, a discussão não era sobre existência, mas o testemunho flaviano não serve só para provar a existência de Jesus, mas também - se for verdadeiro - que Josefo acreditava em Jesus! "Ele fazia maravilhas e prodígios", "Ele era o Cristo que os profetas haviam anunciado", etc. Celso argumenta que Jesus era um charlatão que enganava os mais simples. Ora, Josefo não era simples, esse era meu ponto. Se Orígenes tivesse citado o TF ele não só teria provado o ministério de Jesus como verdadeiro, como demonstraria a ignorância de Celso em não conhecer as obras de Josefo.

      Ps: A Propósito, todynho é muito bom :P kk

      Excluir
    3. Josefo era judeu, não cristão. Ele escreveu sob a perspectiva do que os cristãos acreditavam, não sobre o que ele próprio acreditava. Nunca vi um estudioso ou historiador considerar Josefo um cristão, isso está fora de cogitação.

      Excluir
  6. 1) Banzo, por que os invejosos falam que o segundo mundial do Timão não valeu sendo que foi reconhecido pela CBF? E por que a CBF reconheceu o mundial se ele não valeu, segundo os invejosos?

    2) O Rodrigo Silva fez um vídeo sobre Maria e ele disse que acredita na Virgindade Perpétua. Ele falou que os irmãos de Jesus na verdade eram filhos de José e usou como base João 7.3-5 e 19.26 e 27. Vou explicar o argumento dele:

    a) João 7.3-5 seria uma prova de que os irmãos de Jesus não conseguiram engolir a "estória" de que Maria foi engravidada pelo Espírito Santo e viam Jesus e Maria com ódio, vergonha e desprezo. Afinal, essa seria a reação de uma pessoa que visse seu pai se casando com uma mulher que do nada aparece grávida antes de casar e diz que foi o Espírito Santo. E depois o filho "bastardo" da mulher "enlouquece" e começa a se auto proclamar o Messias.

    Ainda com base nesse texto, o Rodrigo falou que o fato de que os irmãos de Jesus deram uma ordem - "Sai daqui e vai para a Judéia" - aponta para o fato de que seus irmãos eram mais velhos do que Jesus, porque naquela época SOMENTE os irmãos mais velhos podiam dar ordens.

    b) Se Jesus tivesse mesmo irmãos filhos da mesma mãe que ele, então por que ele a entregou aos cuidados do discípulo amado (Jo 19.25-26), que tudo indica ser João (segundo o Rodrigo)?

    Bom, eu tenho uma opinião sobre isso. Creio que José de fato era viúvo e que alguns dos irmãos de Jesus eram mesmo filhos do primeiro casamento de José. Mas José e Maria óbviamente também tiveram alguns filhos (Mt 1.25; Lc 2.7). E não faria o menor sentido eles se casarem se Maria queria permanecer virgem para sempre. Isto seria totalmente ridículo.

    Qual a sua opinião sobre tudo isso?

    3) Por que o comunismo é ateu? Só porque o Marx era ateu? Ou seria para acabar com as divisões da sociedade?

    4) Qual é o critério dos futuristas para saber o que é literal no Apocalipse e o que não é? Por exemplo, eles sabem que a besta é simbólica, mas acreditam que Jesus vai literalmente voltar montado num cavalo branco, com uma espada gigante na boca que vai do céu até a terra para matar os perdidos; também acreditam que no sexto selo literalmente irão ocorrer todos aqueles abalos císmicos, e que mesmo assim ainda haverá pessoas na terra que se esconderão nas rochas das montanhas mesmo depois de elas terem fugido, mas sabem que Jesus não foi glorificado literalmente daquele jeito descrito em Apocalipse 1. Afinal, só por curiosidade, qual é o critério de vocês para saber o que é literal e o que não é?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Quem disse que o segundo mundial do Corinthians não valeu? E quem sentiria inveja de um time que nasceu no cenário nacional na década de 90 e que era desconhecido no continente até os anos 2000?

      2) Isso é muita especulação sem base, o texto bíblico não fala nada sobre o nascimento virginal e muito menos sobre os irmãos de Jesus desprezarem ou sentirem ódio de Maria (inclusive ela anda junto com eles em várias ocasiões, como Marcos 3:31 e Atos 1:14). Também não sei de onde ele tirou que aquilo ali foi uma ORDEM, o texto apenas diz que “seus irmãos lhes disseram” e não que “seus irmãos lhe ordenaram”, se fosse assim então qualquer coisa que alguém diz a outra pessoa na Bíblia seria encarado como uma ordem (mesmo sem nenhuma indicação de ter sido uma ordem). A razão pela qual seus discípulos lhe disseram aquilo é simples: eles conviveram com ele por muitos anos e nunca tinham visto ele realizar milagre algum (o primeiro foi o das bodas de Caná), então obviamente estranhariam ele de repente se tornar um milagreiro e atrair multidões, como qualquer um de nós estranharia independentemente de ser o irmão mais velho ou mais novo.

      Sobre Jesus entregar sua mãe aos cuidados do discípulo amado, você sabe muito bem quem eu entendo ser o discípulo amado, então não preciso nem responder, não entendi nem por que levantar a questão se você já sabe a resposta.

      Essa tese de que José era viúvo quando se casou com Maria vem de uma obra apócrifa do século II cheia de contradições com os evangelhos canônicos, mas que infelizmente alguns Pais deram certo crédito naquela época e por isso essa tese acabou ganhando fama. Mas não existe nenhum indício na Bíblia ou em fontes sérias que levem a essa conclusão, e eu particularmente tenho dificuldade em imaginar que Deus entregaria uma jovem moça como Maria a um homem velho e viúvo cheio de filhos de um outro casamento.

      3) Não é só por uma questão pessoal, mas porque ele pensava que a religião assim como a família eram obstáculos à revolução comunista, por anestesiar o homem da guerra de classes à qual ele devia se dedicar acima de tudo (daí o lema de que “a religião é o ópio do povo”).

      4) Na verdade sou eu que tenho curiosidade de saber qual o critério que os preteristas usam pra saber o que é figurado e o que é literal não só no Apocalipse, mas na Bíblia toda. Porque até mesmo trechos escatológicos fora do Apocalipse cujo contexto é todo literal (como 2ª Tessalonicenses 2:3-4, 1ª Tessalonicenses 4:14-18, Mateus 24:29-31, Zacarias 14 e Isaías 65, assim como basicamente a Bíblia toda) vocês interpretam alegoricamente por ser o único jeito de encaixar dentro do preterismo, até porque interpretando tudo alegoricamente fica muito fácil para qualquer um colocar o que quiser na Bíblia, basta deixar a imaginação fluir.

      E o mais engraçado é que mesmo no Apocalipse vocês interpretam literalmente o que lhes convém (como os “sete reis” sendo literalmente sete reis romanos, ou “a cidade onde o seu Senhor também foi crucificado” como sendo literalmente Jerusalém), mas quando não convém aí tomam como alegoria (como a marca da besta, que já vi preterista dizendo até que se trata do gesto com a mão que os soldados romanos faziam(!), ou a cidade que “reina sobre os reis da terra” não ser Roma, mas sim Jerusalém que na época não reinava nem sobre o próprio nariz). E eu também não sei da onde você tirou que os futuristas interpretam todas essas coisas do Apocalipse literalmente, eu nunca vi um futurista dizer que Jesus voltará literalmente montado num cavalo branco com uma espada gigante, não sei qual a fonte futurista que você anda consultando (talvez seja a novela da Record), mas não deve ser uma confiável.

      Excluir
    2. De fato, o Apocalipse é um livro fundamentalmente simbólico, isso não está em discussão, mas toda simbologia aponta para uma verdade literal, ela não pode estar aludindo a outra simbologia ou ser interpretada pela imaginação de cada um. Por exemplo, Jesus não vai voltar literalmente com uma espada na mão para matar os ímpios com a espada saindo da sua boca literalmente, mas isso não significa que a simbologia esteja ali à toa ou que é pura alegoria esvaziada de significado, mas sim que quando Jesus voltar ele matará todos os ímpios (que de acordo com outros textos como 2ª Pedro 3:12, será através do fogo). Ou seja, o trecho do Apocalipse alude a um evento literal, ainda que o modo como ele ocorre seja retratado em linguagem simbólica. O mesmo eu poderia dizer a respeito de qualquer outra parte do Apocalipse, mas precisaria escrever um livro inteiro para explicar cada ponto (o que eu pretendo fazer, mas não agora).

      O problema dos preteristas é que eles não apenas tomam a linguagem como simbólica, mas também o próprio evento por ela retratado, o que torna a linguagem profética sem sentido, já que é interpretada ao bel-prazer do intérprete. Da mesma forma que os preteristas usam a criatividade para forçar uma conexão entre o Apocalipse e a guerra entre judeus e romanos em 70 d.C, eu poderia tranquilamente usar a criatividade para forçar uma conexão com a Segunda Guerra Mundial, ou a Guerra dos 30 Anos, talvez até mesmo a Batalha dos Aflitos, e faria isso melhor do que os preteristas fazem para encaixar em 70 d.C. Quanto tudo é simbólico, o único critério para a interpretação é a criatividade.

      Excluir
    3. 1) Eu me confundi. Na verdade eu estava me referindo ao primeiro mundial. E quem sentiria inveja de um time que só vive de passado e cujo mascote é um gordinho pelado (risos)? Brincadeiras à parte, por que as pessoas falam que o mundial foi "roubado"? Só por que o Corinthians não ganhou a Libertadores primeiro?

      2) Você respondeu bem. Você está certo. Mas faltou eu colocar o terceiro argumento que também é usado para embasar a tese de que José casou viúvo: José não é mencionado nos evangelhos durante o ministério público de Jesus, e isso é um forte indício de que ele já estava morto nessa época, portanto, ele era sim bem mais velho do que Maria. Outra evidência que corrobora com este fato é que naquela época os homens gostavam de casar com mulheres mais novas. Inclusive você mesmo me falou isso em um comentário antigo, e usou o Evangelho de Tiago para corroborar sua ideia. O que você acha desta evidência apontada pelos defensores desta tese?

      Excluir
    4. 1) Por isso e pela final ter acontecido no Brasil contra outro brasileiro, não parece um mundial sério. Os critérios para a escolha dos times também foi arbitrário, chamaram o campeão da Champions do ano anterior mas em vez de chamarem o campeão da Libertadores do ano anterior (que seria o Palmeiras) chamaram o campeão de dois anos antes (o Vasco). Além disso, o Corinthians não ganhou de nenhum time grande nesse mundial, não enfrentou o Manchester, empatou com o Real Madrid e ganhou roubado de um time árabe, depois na final empatou em 0 a 0 com o Vasco após o bandeirinha dar impedimento em um lance legal no final do jogo que o Edmundo tinha saído cara a cara com o goleiro. Na minha opinião pode até ser considerado um título legítimo por ser reconhecido pela FIFA, mas está longe de ser dotado de muita credibilidade...

      2) Ele não ser mencionado não significa necessariamente que ele morreu (embora isso seja mesmo provável) nem necessariamente que ele morreu na velhice, naquela época a longevidade não era tão grande e era muito comum morrer doente na idade adulta. A gente pode até fazer umas contas hipotéticas aqui, por exemplo se Maria tivesse 20 e José tivesse 25 nessa época ele teria 55 até o ministério público de Jesus começar (e não eram muitos os que chegavam a essa idade). Por isso não é preciso assumir que ele já era velho quando se casou com Maria, as contas batem mesmo sem precisar inferir algo do tipo. E eu não me lembro de ter feito esse comentário, talvez você tenha confundido visto em outro lugar e acha que foi aqui, ou eu só me esqueci mesmo, pois não me lembro de ter dito isso alguma vez.

      Excluir
    5. 4) 2 Tessalonicenses 2 e 1 Tessalonicenses 4 são textos totalmente literais. Quem nega isso são os tais "preteristas completos". Mas esta interpretação não é bíblica e só surgiu no século XX através dos malditos teólogos liberais. Nós dois sabemos que negar a ressurreição é antibíblico, então não sei por que você veio apontar estes textos para "provar" que os preteristas "espiritualizam" ou "alegorizam demais" a Bíblia. Quanto a Mateus 24.29-31, Zacarias 14 e Isaías 65, todos estes três textos fazem parte do gênero apocalíptico judaico. Então não faz o menor sentido interpretá-los ao pé da letra.

      Quero deixar claro minha interpretação destes textos. Primeiro 2Ts 2. De fato, esta passagem bíblica ainda não se cumpriu. Paulo aqui está se referindo a um evento futuro que precederá a Segunda Vinda. Mas isso refuta o preterismo? Definitivamente *NÃO!* Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Permita-me explicar. Nós preteristas cremos que estamos vivendo no milênio AGORA. Portanto, Apocalipse 20.7 em diante narra EVENTOS FUTUROS. Mas o que isso tem a ver com o Homem da Iniquidade? Vejamos: "Satanás será solto de sua prisão e sairá a enganar as nações que estão sobre os quatro cantos da terra..." Satanás fará isso através do Homem da Iniquidade. Problema resolvido.

      Sobre 1Ts 4, ali Paulo fala sobre o arrebatamento e a ressurreição que ainda estão por vir. E o que isso prova contra o preterismo? Nada! O problema é que vocês futuristas fazem uma salada deste texto com Mateus 24, Apocalipse, Zacarias 14, etc. O problema é que tudo aquilo que precede Mateus 24.33 ocorreria NAQUELA GERAÇÃO conforme o verso 34 afirma, e Apocalipse se refere a eventos que ocorreriam "EM BREVE" (1.1). Mas e quanto a 1Ts 4? Existe alguma indicação de tempo ali? Não. Então o que me impede de entender que Paulo se referia a Segunda Vinda que está por vir, ao passo que João e Jesus se referiam a eventos do primeiro século, conforme eles mesmos indicam? E outra, por que os futuristas gostam de forçar 1Ts 4 como se Paulo estivesse se referindo ao mesmo evento que Zacarias 14, Apocalipse e Mateus 24? Por que vocês acham que são obrigados a interpretar Paulo como se ele estivesse falando da mesma coisa que Jesus, João e Zacarias?

      Excluir
    6. Vou responder apenas a este comentário, porque não vou perder mais duas horas do meu tempo respondendo todos os outros ponto a ponto, tenho mais o que fazer. Você já havia assegurado que não discutiria mais sobre isso e eu já havia garantido que se você fizesse isso eu não liberaria o comentário e nem responderia, então só de responder a este eu já estou fazendo mais do que deveria. Vamos lá:

      2 Tessalonicenses 2 e 1 Tessalonicenses 4 são textos totalmente literais. Quem nega isso são os tais "preteristas completos". Mas esta interpretação não é bíblica e só surgiu no século XX através dos malditos teólogos liberais. Nós dois sabemos que negar a ressurreição é antibíblico, então não sei por que você veio apontar estes textos para "provar" que os preteristas "espiritualizam" ou "alegorizam demais" a Bíblia. Quanto a Mateus 24.29-31, Zacarias 14 e Isaías 65, todos estes três textos fazem parte do gênero apocalíptico judaico. Então não faz o menor sentido interpretá-los ao pé da letra.

      Isso é exatamente o que eu dizia: vocês pegam da Bíblia o que convém para interpretar literalmente, e o que não convém jogam na lata do lixo e dizem que não devemos levar a sério por não ser literal. O mais bizarro de tudo é que vocês tomam literalmente as partes de Mateus 24 que lhes convém (por exemplo, o verso que fala “desta geração”), mas aí quando chega na parte que destrói todo o preterismo em pedacinhos dizem cinicamente que não se pode interpretar literalmente por ser “parte do gênero apocalíptico judaico” (fala sério). É incoerência que não acaba mais, seria mais fácil simplesmente admitir de uma vez que vocês se recusam a aceitar o que refuta o preterismo porque não aceitam que o preterismo seja refutado, em vez de vir com essas desculpas esfarrapadas.

      Não se pode tomar Mateus 24 literalmente e descartar a parte que diz:

      “Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as nações da terra se lamentarão e verão o Filho do homem vindo nas nuvens do céu com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com grande som de trombeta, e estes reunirão os seus eleitos dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus” (Mateus 24:30-31)

      Aqui vemos:

      1) Jesus voltando nas nuvens do céu.

      2) Os anjos tocando o som da trombeta.

      3) Os salvos sendo reunidos para o encontro com Ele.

      E o mais engraçado é que você assume como literal 1ª Tessalonicenses 4, que fala exatamente da mesma coisa!

      “Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá do céu, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois disso, os que estivermos vivos seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim estaremos com o Senhor para sempre” (1ª Tessalonicenses 4:16-17)

      Aqui vemos:

      1) Jesus voltando nas nuvens do céu.

      2) Os anjos tocando o som da trombeta.

      3) Os salvos sendo reunidos para o encontro com Ele.

      Excluir
    7. Chega a ser revoltante alguém desconectar os dois eventos como se um se tratasse de uma volta de Jesus “de mentirinha” em 70 d.C e o outro da volta de Jesus “de verdade” no fim dos tempos, alegorizando um e tomando o outro como literal, quando claramente estão falando da mesma coisa. Aí você entende por que os preteristas completos dizem que a ressurreição já aconteceu, já que eles pelo menos são mais coerentes em concluir que os dois textos falam do mesmo evento (embora também sejam mais hereges, mas é o preço que se tem a pagar). Eu honestamente dou mais valor a um preterista completo do que a um parcial, porque embora o preterista completo nem cristão seja, ele pelo menos é intelectualmente honesto para manter um mínimo de consistência interna.

      Em suma, Paulo não estava citando um evento da cabeça dele em 1ª Tessalonicenses 4, ele estava citando justamente aquilo que ele recebeu de Jesus, conforme registrado nos evangelhos e conservado oralmente naqueles dias. Portanto, ou Paulo também estava interpretando Mateus 24 errado, ou ele não tinha nada de preterista.

      Quero deixar claro minha interpretação destes textos. Primeiro 2Ts 2. De fato, esta passagem bíblica ainda não se cumpriu. Paulo aqui está se referindo a um evento futuro que precederá a Segunda Vinda. Mas isso refuta o preterismo? Definitivamente *NÃO!* Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Permita-me explicar. Nós preteristas cremos que estamos vivendo no milênio AGORA. Portanto, Apocalipse 20.7 em diante narra EVENTOS FUTUROS. Mas o que isso tem a ver com o Homem da Iniquidade? Vejamos: "Satanás será solto de sua prisão e sairá a enganar as nações que estão sobre os quatro cantos da terra..." Satanás fará isso através do Homem da Iniquidade. Problema resolvido.

      Caramba, não era você que há tão pouco tempo estava discutindo comigo sobre isso querendo provar que o “homem do pecado” de 2ª Tessalonicenses 2 é Tito? Eu tenho o comentário salvo aqui até hoje, não faz nem seis meses isso. É incrível como você muda de opinião mais rápido do que eu mudo de roupa, e tudo pra tentar salvar uma tese que você sabe que está errada (mas em vez de admitir o erro prefere mudar de opinião um monte de vezes até encontrar um jeito de salvar as pontas do preterismo). Não é tão mais fácil simplesmente admitir a conexão óbvia entre o homem do pecado / anticristo / besta do Apocalipse? Não estou pedindo que você assuma que são todos o mesmo, até porque eu mesmo não defendo que a besta seja o mesmo que o anticristo, mas no mínimo assumir que os eventos estão conectados (o “homem do pecado” sendo o mesmo que o “anticristo”, que comanda o império simbolizado pela “besta”), e não fragmentos picotados sem nenhuma conexão entre si.

      Além disso, se você admite que 2ª Tessalonicenses 2 é futuro, também vai ter que admitir que o “dia do Senhor” não chegou ainda, porque Paulo diz que o homem do pecado apareceria ANTES daquele dia (2Ts 2:2-3). Isso derruba toda a tese preterista, que sustenta que o “dia do Senhor” profetizado em tantos textos do AT e também no NT se refere ao que aconteceu em 70 d.C. Se o dia do Senhor é um dia escatológico futuro no fim dos tempos, então todas as profecias do AT que falam do dia do Senhor e que os preteristas aplicam a 70 d.C são na verdade uma referência a um evento escatológico futuro (como de fato é). É por isso que todo preterista que eu conheço tenta encaixar desesperadamente o “homem do pecado” em alguma figura que já existiu antes de 70 d.C (como você fazia com Tito), você é o primeiro que eu vejo dizer o contrário, contradizendo o próprio preterismo e a si mesmo.

      Excluir
    8. O problema é que tudo aquilo que precede Mateus 24.33 ocorreria NAQUELA GERAÇÃO conforme o verso 34 afirma, e Apocalipse se refere a eventos que ocorreriam "EM BREVE" (1.1).

      Primeiro que o termo grego traduzido por “geração” também significa “nação perversa” ou “raça”, como todos os dicionários de grego confirmam (por exemplo, #1074 de Strong). O que Jesus estava dizendo é que aquele tipo de raça perversa de seus dias continuaria existindo até que aqueles eventos se concretizassem, e de fato continua existindo até hoje. Segundo que o “em breve” do Apocalipse também é usado em referência à própria volta de Jesus nas nuvens do céu, quando “todo olho o verá” (Ap 1:7, 22:7,12,20), mas você diz que acredita numa volta futura de Jesus sobre as nuvens, em conformidade com o texto de 1ª Tessalonicenses 4:16-17, que você reconhece ser um evento futuro (mas que também ocorreria “em breve”, de acordo com João).

      O próprio autor de Hebreus disse que “em breve, muito em breve aquele que vem virá, e não demorará” (Hb 10:37), se referindo à volta gloriosa de Cristo (vs. 36 e 39), que ainda não aconteceu. Portanto, se o “em breve” serve pra dizer que a tribulação já aconteceu, também serviria pra dizer que Jesus já voltou nas nuvens e que os mortos já foram ressuscitados (porque ressuscitam na volta de Jesus), o que é herético e até você sabe disso. Foi por isso que Pedro explicou que o tempo de Deus é diferente do tempo do homem, “para o Senhor um dia é como mil anos, e mil anos como um dia” (2Pe 3:8), por isso é estúpido se apegar à expressão “em breve” sob uma perspectiva humana. Por fim, como todos os Pais da Igreja atestam, o Apocalipse foi escrito em 95 d.C, e não tem como eventos passados ocorrerem “em breve” (que é futuro).

      Mas e quanto a 1Ts 4? Existe alguma indicação de tempo ali? Não. Então o que me impede de entender que Paulo se referia a Segunda Vinda que está por vir, ao passo que João e Jesus se referiam a eventos do primeiro século, conforme eles mesmos indicam?

      O que impede é que 1Ts 4 está totalmente conectado a Mt 24:30-31 (como eu já demonstrei), que por sua vez está totalmente conectado com os eventos que você diz que já aconteceram em 70 d.C.

      E outra, por que os futuristas gostam de forçar 1Ts 4 como se Paulo estivesse se referindo ao mesmo evento que Zacarias 14, Apocalipse e Mateus 24? Por que vocês acham que são obrigados a interpretar Paulo como se ele estivesse falando da mesma coisa que Jesus, João e Zacarias?

      Porque qualquer leitor honesto que compare todos esses textos notará uma incrível similaridade entre eles, que não pode ser negada ou descartada. É isso o que diferencia os futuristas dos preteristas: enquanto estes interpretam literalmente apenas o que lhes convém e jogam na lata do lixo tudo aquilo que refuta as suas pretensões, os futuristas interpretam toda a Bíblia como um todo conectado e indivisível, onde cada parte explica a outra e onde todos os eventos escatológicos estão perfeitamente interligados.

      Excluir
    9. Só para citar alguns rápidos exemplos: Zc 14:1 descreve os acontecimentos em torno do “dia do Senhor”, e João em Ap 1:10 diz que recebeu as revelações no “dia do Senhor” (não no sentido de que ele recebeu a revelação num sábado ou domingo, que seria um detalhe completamente irrelevante, mas que ele teve uma visão do que acontecerá no dia do Senhor); Zc 14 descreve as nações se reunindo para guerrear contra Jerusalém, da mesma forma que na batalha do Armagedom; Zc 14:9 diz que após isso “o Senhor será rei de toda a terra”, que é o que João retrata no milênio (que se segue à grande tribulação); Zc 14:5 diz que eles fugirão para os montes, como no Ap e em Mt 24; Zc 14:6 diz que então “o Senhor virá com todos os seus santos”, a mesma linguagem de Mt 24:30-31 e de 1Ts 4:16-17; Zc 14:16-17 diz que a principal cidade de habitação dos salvos será Jerusalém, e João no Ap a chama de “a nova Jerusalém” (Ap 21:2), e assim por diante.

      Ou tome como exemplo Isaías, que também fala do “dia do Senhor” nas seguintes palavras:

      “Vejam! O dia do Senhor está perto, dia cruel, de ira e grande furor, para devastar a terra e destruir os seus pecadores. As estrelas do céu e as suas constelações não mostrarão a sua luz. O sol nascente escurecerá, e a lua não fará brilhar a sua luz. Castigarei o mundo por causa da sua maldade, os ímpios pela sua iniquidade. Darei fim à arrogância dos altivos e humilharei o orgulho dos cruéis” (saías 13:9-11)

      Notou algo? Ele diz que no “dia do Senhor” o sol escurecerá e a lua não dará sua luz, que é EXATAMENTE O MESMO que Jesus declara em Mateus 24:29 como acontecendo IMEDIATAMENTE APÓS a tribulação que ele descreve no capítulo, mas Isaías acrescenta que dia do Senhor ESTÁ PERTO (o que derruba toda aquela falácia baseada no “em breve”, já que desde os dias de Isaías até 70 d.C já haviam se passado muitos e muitos séculos), e diz ainda que neste dia Deus castigaria O MUNDO pela sua maldade (não só Jerusalém!) e que Deus daria um fim aos ímpios (o que não aconteceu ainda). Qualquer pessoa de mente honesta concluiria que:

      1) Mt 24, Zc 14, o texto de Isaías e o Apocalipse retratam todos à sua maneira os mesmos eventos, que acontecem no “dia do Senhor” (=dia da volta de Jesus nas nuvens do céu).

      2) Este será um dia de escuridão total, o que já aconteceu algumas vezes na história em certas regiões, mas não no mundo todo, como ocorre aqui.

      3) Neste dia a terra será devastada e os ímpios do mundo todo serão destruídos.

      4) Mas os justos permanecerão vivos e habitarão com o Senhor para sempre (o que também não aconteceu em 70 d.C).

      Veja como tudo é muito mais simples e de fácil entendimento quando entendemos que a escatologia bíblica é um quebra-cabeças onde todas as peças estão perfeitamente conectadas entre si, e onde tirar uma das peças é comprometer toda a doutrina bíblica e lançar toda a lógica pro espaço. Eu realmente gostaria de responder seus outros posts, mas como levaria mais horas pra respondê-los com a mesma profundidade e eu não disponho de todo esse tempo eu vou ficar devendo, e reservar para um futuro livro de escatologia que refutará ponto a ponto todos os sofismas preteristas.

      Excluir
  7. Como entender 1 co 10: 16 de maneira simbólica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se trata de ser simbólico, se trata de ser espiritual. Por exemplo, quando Jesus disse que onde dois ou três estivessem reunidos em nome dele ali ele estaria, ele não quis dizer que estaria "de mentirinha", apenas como uma figura de linguagem; ele realmente estaria conosco, mas não fisicamente. Da mesma forma, quando Paulo diz que "o pão que partimos é uma participação no corpo de Cristo" (1Co 10:16), o sentido não é que participamos "simbolicamente" do corpo de Cristo, mas espiritualmente. Embora a Ceia enquanto ritual seja um símbolo, a participação no corpo de Cristo é espiritual (nós não comemos o corpo de Cristo fisicamente como num ritual de canibalismo, mas participamos espiritualmente de seu corpo quando ceamos, porque a Igreja é o corpo de Cristo e a Ceia é sobre comunhão).

      Excluir
  8. Lucas, como amanhã começa a semana de provas, irei ter que ficar ausente do blog por uma semana, mas não se preocupe, brevemente estarei de volta.

    Ps. Por conta da nova alta de casos, minha cidade decretou Lockdown por 15 dias que será válido a partir de amanhã (dia 22) até a Páscoa, enquanto todo mundo tá vacinando aqui no Brasil estamos retrocedendo à estaca zero, valeu Bolsolixo, valeu Pazuello, valeu Cloroquina!👏🏻👏🏻😡👏🏻

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, enquanto o mundo todo já voltou ao normal ou a algo próximo do normal com índices cada vez mais baixos, aqui batemos um novo recorde de mortes diariamente, e conseguimos o feito de estar no ápice da pandemia. Sempre que eu falo disso a amigos de outros países eles não conseguem acreditar, lá a vida deles já voltou ao normal e aqui parece que não saímos da estaca zero. Vá tentar explicar a um gringo que o governo se recusou a comprar vacina por birra com a China e que gastou todo o dinheiro com milhões de cloroquinas, parece coisa de maluco (e é...).

      Excluir
    2. E pra completar a cereja do bolo: o Moro foi considerado suspeito pelo STF graças ao gangster do Gilmar Mendes que venceu no grito, e a Carmen Lúcia que já tinha dado vários votos favoráveis ao Moro e a Lava-Jato votou em favor da suspeição de Moro assim do nada, logo após o Gilmar ter feito aquele escândalo para declarar o Moro suspeito a qualquer custo e o cara quase glorificou o Hacker, só faltou isso! Olha quero ver se o Dia que hackearem o celular do Gilmar revelando conversas íntimas dele quero ver se ele vai continuar com essa postura. É, o Brasil é o país onde a banana come o macaco, onde a pipa empina o menino, onde o cavalo monta no cowboy, onde o poste mija no cachorro e onde o bandido julga o juiz. É brincadeira!!!!

      Excluir
    3. Esse vídeo resume tudo:

      https://www.youtube.com/watch?v=G_pBdtzbqlI

      Excluir
  9. Lucas, qual resposta vc dá aos adventistas quando falam " 1150 dias não coincidem com os "1090 dias" de perseguição e transgressão de Antíoco, visto que faltam 60 dias para concluir o suposto ciclo de 1150 dias."

    Retirado de: https://sites.google.com/site/iasdonline/home/reparador/antioco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá 1150 dias sim, este artigo tem uma resposta bem completa sobre isso:

      http://simplychristians.eu/FMILLER/2300.htm

      Resumidamente, nós sabemos as datas exatas em que Antíoco fez aquelas coisas por causa do registro de Macabeus, só que Macabeus é um livro escrito em grego por um judeu helenista que tinha o calendário grego por base, enquanto Daniel foi escrito em hebraico e tinha o calendário judeu por base, então é preciso recalcular as datas de Macabeus pelo calendário judeu, e assim chegamos à soma exata profetizada por Daniel. O problema é que alguns tomam por base o calendário judeu em ambos os casos ou o calendário grego em ambos os casos, aí fica com uma imprecisão de alguns dias, quando o certo é tomar por base o calendário que cada um usava e aí fazer a conversão.

      Vale lembrar que não faria sentido nenhum o autor de Macabeus dar uma data incompatível com aquela registrada por Daniel, já que ele acreditava em Daniel (nessa época os judeus já tinham Daniel e os outros livros do AT como canônicos), então fez questão de dar as datas precisas de quando Antíoco fez aquelas coisas justamente para corroborar a profecia de Daniel e mostrar o seu cumprimento naqueles dias (e não para mostrar que Daniel falhou por 60 dias).

      Excluir
    2. Lucas, poderia elencar alguns textos biblicos sobre nao guardar o sabado e explicar alguns deles?

      Excluir
    3. Eu faço isso neste artigo:

      https://lucasbanzoli.no.comunidades.net/devemos-guardar-o-sabado

      Excluir
    4. Obg, estou estudando com Advent e vi certas incoerencias.
      Vc teria ou recomendaria algum artigo sobre a lei mosaica e a relação com o novo testamento?

      Excluir
    5. Lucas, eles usam "Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir.
      Digo-lhes a verdade: Enquanto existirem céus e terra, de forma alguma desaparecerá da Lei a menor letra ou o menor traço, até que tudo se cumpra.
      Todo aquele que desobedecer a um desses mandamentos, ainda que dos menores, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será chamado menor no Reino dos céus; mas todo aquele que praticar e ensinar estes mandamentos será chamado grande no Reino dos céus.--->Mateus 5:17-19

      Pra falar da validade da lei, e q tbm prova q Jesus n quebrou a lei pois ai estaria em contradição.

      Excluir
    6. Eu comentei esse texto aqui:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com/2014/07/comentario-de-mateus-5.html

      Excluir
    7. Lucas,1 segundo a visao da estatua de daniel, o mundo acaba com reinos divididos, n derruba com qualquer tese de q china, os eua ou qualquer outra potencia vai dominar o mundo e vai c o forte do anti cristo ?
      2 como provar q o anticristo n sera islamico (praticante)?

      Excluir
    8. 1) Esse último reino é o Império Romano esfacelado, que é hoje a Europa moderna, que de fato é dividida em muitos reinos. É de lá que o anticristo virá e governará. Ele não vai governar sobre um só país (como os EUA ou a China), mas sobre muitos reinos diferentes (como um chanceler da ONU, só que com muito mais poderes).

      2) Porque ele "se opõe e se exalta acima de tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração" (2Ts 2:4).

      Excluir
  10. Vc acredita nesse tipo de testemunho: https://www.youtube.com/watch?v=_2jm01fGLj8 esse homem quando aceitou Jesus (ele era judeu ultraortodoxo) acabou começando a ir para algumas igrejas com a esposa, sem entender as diferenças e tudo mais entre as denominações. Aí pra qual ele foi, estando em Israel, tendo lido o Novo Testamento? Ele foi pra aquela que fica na primeira das 14 estações (que ele mesmo diz que esse papo de estações nem bíblico é) e ele entra lá e vê uma bruxa - ele entendeu ser uma bruxa aquilo que ele viu - uma mulher toda de preto com aparência satânia meio que flutuando em cima daquela montanha de gente que se curva pra estátuas de Maria, e a bruxa tava encarando ele, a mulher dele e logo ele sacou que Deus permitiu que ele visse tudo aquilo para deixar claro que o lugar e a coisa que controla o local tinham origem demoníaca. Eu acompanho o ministério desse cara e não acho que ele tenha mentido sobre isso, creio muito que ele fala a verdade. Ele sempre prega o evangelho para judeus ortodoxos e já foi cuspido, apanhou, foi expulso de um monte de lugar, perdeu emprego, morou na rua, tudo por causa de Jesus. A familia dele considera ele um homem morto, ninguem mais fala com ele. Acredito muito no que ele disse.O que vc acha? O testemunho tem dois minutos apenas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu não conheço ele eu não tenho como saber se o testemunho é verdadeiro ou falso (mesmo se conhecesse eu não colocaria a mão no fogo por homem algum, ainda mais alguém com quem não tenho contato pessoal), mas de todo modo é sempre bom ver casos de pessoas assim que realmente se entregam pelo reino de Deus a despeito de todas as perseguições e atribulações que sofrem.

      Excluir
  11. Olá Lucas! Encontrei isso na Wikipédia:
    Desde o Concílio de Florença (1442), a questão do cânon estava reaberta. Isso porque o avanço da filologia renascentista levantaram vários questionamentos sobre textos da Antiguidade. [52] Nesse debate, Martinho Lutero se incomodava com quatro livros do Novo Testamento, chamados de "antilegomena": Judas, Tiago, Hebreus e o Apocalipse. Por isto, ele os posicionou numa posição secundária em relação aos demais, mas não os excluiu. Ele propôs removê-los do cânone[53][54] ecoando a opinião de diversos católicos — como o cardeal Caetano e Erasmo — e, parcialmente, por causa de ensinamentos que ele percebia como sendo contrário às doutrinas protestantes como a sola gratia e a sola fide, uma tese que não é geralmente aceita por seus seguidores. Ainda hoje estes livros aparecem em último lugar na Bíblia de Lutero alemã.
    É já vi um católico usando esse argumento de não concordar com as doutrinas da Reforma. Como posso dar a ele uma resposta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O texto é contraditório consigo mesmo, primeiro diz que Lutero não os excluiu do cânon, depois diz que "propôs removê-los" (sem explicar para quem propôs isso, ou quando, ou qual a fonte documental dessa informação). Se Lutero queria removê-los, por que não removeu? O que o impedia? E se outras importantes autoridades católicas pensavam o mesmo que ele, o que faz disso uma "prova" em particular contra as doutrinas da Reforma? Isso sem falar que para ser protestante não precisa concordar com Lutero, basta crer na Bíblia. Doutrinas como a Sola Gratia e a Sola Fide são óbvias em toda a Escritura e ninguém precisa de Lutero para perceber algo tão evidente na Bíblia inteira. O problema é que os católicos insistem em pensar que Lutero é uma espécie de "papa infalível do protestantismo", porque eles não conseguem lidar com a ideia de que o protestantismo, diferente do catolicismo, não possui papa algum, tendo como única autoridade suprema Cristo.

      Por isso eles insistem em atacar Lutero a todo custo (mesmo às custas da verdade), achando com isso estarem atingindo o próprio protestantismo, como se o protestantismo dependesse de Lutero só porque ele foi o precursor principal do movimento (o que é como dizer que a gravidade depende de Newton para existir). Mesmo se Lutero tivesse mesmo tirado esses livros da Bíblia (o que ele não fez), isso de modo algum implicaria que somos obrigados a concordar com ele, da mesma forma que a maior parte dos católicos atuais hoje não concorda com as práticas imorais dos papas do passado (como os Bórgia) ou com a perseguição de "hereges" pela Inquisição, apesar de ter sido aprovada e legitimada por uma centena de papas. Se nem mesmo eles são obrigados a concordar em tudo com os papas, apesar destes serem teoricamente infalíveis, muito menos somos nós obrigados a concordar em tudo com Lutero, que nunca se declarou infalível em qualquer espécie e jamais foi visto assim pelos protestantes.

      Excluir
  12. Lucas, o que você acha da reencarnação? Com aquele coisa de que na vida após a morte a pessoa vai tendo a oportunidade de se tornar cada vez melhor? Você acha que isso é mais justo que punir uma pessoa por causa de "uma unica vida"?

    Eu não tenho certeza, más se eu não me engano Deus não puni pessoas atualmente porque isso tiraria o livre arbitrio delas, certo? Ou seria por causa de Jesus que se sacrificou e impedio que, por tempo limitado, Deus não fizesse sua justiça cair sobre os homens?

    Se Deus destruir todos os pecadores ele não estaria tirando o livre arbitrio deles? E se invés de Deus destruir o mundo como ó conhecemos ele levasse seus fiéis e deixasse o mundo viver a propria sorte? Acha que poderia ser melhor que sair destruindo todo mundo? Ou seria errado deixar um foco de declinio no universo?

    Desculpe se eu escrevi algo errado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A reencarnação só ajudaria a "tornar uma pessoa cada vez melhor" se ela se lembrasse da vida passada, senão seria apenas uma outra pessoa, com outra vida, outra história, outro mundo, outra realidade, outro código genético, outra família, outro gênero e às vezes até outra espécie. A gente só aprende com os erros que nós sabemos e lembramos que cometemos, senão voltaremos a cometer os mesmos erros como se nunca os tivéssemos cometido. Em suma: você não seria “você” se reencarnasse na forma de uma mulher chinesa daqui uns 200 anos sem nenhuma memória do que viveu nesta vida, seria simplesmente uma outra pessoa que construiria naquela outra vida a sua própria personalidade do zero (que poderia ser completamente diferente da sua personalidade atual, já que nossas características pessoais são moldadas pelo meio em que vivemos).

      Por isso a reencarnação é inútil na prática e não ajuda a resolver problema nenhum. Seria "injusto" punir alguém por uma única vida se essa vida durasse uma semana, mas levando em conta a duração da vida humana, é tempo mais que suficiente para se arrepender dos seus pecados, ninguém tem desculpa no dia do juízo se passou a vida inteira recusando se arrepender. Inclusive a razão que levou Deus a diminuir o tempo de vida dos antediluvianos (que era superior a 900 anos) era justamente porque as pessoas viviam demais e quanto mais viviam mais se desviavam de Deus e se entregavam ao pecado. Ou seja, viver demais acabava sendo prejudicial à salvação, já que temos a tendência de nos acomodar nos mesmos pecados de sempre e de acrescentarmos um vício a outro. É muito mais cômodo viver no pecado do que praticar o bem; pra viver no pecado basta ativar o “piloto automático”, mas pra fazer o bem é preciso esforço e dedicação contínuos, como algo “antinatural”. Por isso é mais fácil uma pessoa piorar do que melhorar ao longo da sua trajetória de vida.

      Deus destruir os ímpios não tem nada a ver com tirar o livre-arbítrio deles, pois o livre-arbítrio diz respeito à capacidade de escolha, e viver não é uma escolha (ninguém escolheu vir ao mundo e ninguém pode garantir sua própria sobrevivência, se fosse assim ninguém morreria). Nós temos a capacidade de tirar a nossa vida, mas não de viver eternamente. Da mesma forma que Deus nos deu a vida, Ele tem poder de tirar, porque é soberano sobre a Sua própria criação. Deus só violaria o livre-arbítrio se Ele fizesse escolhas em nosso lugar que estão dentro da nossa capacidade de execução (por exemplo, se fôssemos forçados a pecar por um decreto divino). Mas evitar a morte não é uma escolha que esteja dentro do nosso alcance em absoluto, de modo que não viola o livre-arbítrio.

      E não faria sentido deixar os ímpios viverem aqui “à sua própria sorte”, seria perpetuar o mal sem nenhum propósito. A razão por que Deus não destruiu tudo ainda é porque há mais gente a ser salva, mas se a salvação já tivesse sido selada, faria muito mais sentido eliminar o mal e o sofrimento de uma vez do que prolongá-los sem um propósito e sem um fim.

      Excluir
  13. Parabéns pelo artigo Lucas! Tenho uma dúvida: existe uma liturgia das horas ou algo próximo disso para evangélicos? Quando eu era católico romano eu gostava de celebrar a liturgia das horas e parece me que não existe uma literatura como essa para protestantes. Apenas uma dúvida. Deus abençoe meu irmão querido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obg! :)

      Até onde eu sei, ainda existem manuais litúrgicos e de orações em igrejas protestantes mais tradicionais, como a luterana e a anglicana, mas é algo raro no meio evangélico, e a meu ver totalmente dispensável (para não dizer prejudicial). Eu sou radicalmente contra toda forma de "mecanizar" o culto ou nossa comunhão pessoal com Deus, porque tudo que é repetido de forma mecânica tende a se tornar artificial, como um mantra de procedência puramente intelectual que é decorado e seguido à risca como uma receita de bolo, não como algo espontâneo vindo do coração.

      Excluir
  14. Lucas se algum católico te perguntasse me mostre a base bíblica para o protestantismo, ou seja, para ser protestante já que na própia bíblia não tem essa terminologia ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "...já que na própria Bíblia não tem essa terminologia". Como se houvesse a terminologia "católica apostólica romana" na Bíblia, ou "Igreja Ortodoxa Grega", ou coisa que o valha. O que importa não é a terminologia, mas o conteúdo do que ela remete. Terminologias são apenas formas humanas encontradas para expressar um conteúdo, por isso você não vai encontrar na Bíblia a terminologia em si ("trindade", "onisciência", "arminianismo", "calvinismo", "tomismo", etc), mas poderá encontrar (ou não) o conceito ao qual ela remete, que é o que realmente importa. E neste sentido todas as doutrinas protestantes são facilmente encontradas na Bíblia, como demonstrado nas centenas de artigos sobre isso:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-catolicismo.html

      Excluir
  15. Lucas, bom dia! Tem um professor de grego no youtube chamado Euler Lopes, qual sua opinião a respeito dele? Existe algum problema de confiabilidade no grego? Gostaria que você me esclarecesse essa dúvida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço esse professor e não sei exatamente a que você se refere quando fala de "confiabilidade no grego", mas talvez seja sobre o que eu escrevo neste artigo:

      http://ateismorefutado.blogspot.com/2014/12/a-autenticidade-do-novo-testamento.html

      Excluir
  16. Olá Lucas! Como você está?

    Tenho uma dúvida teológica sobre as mentiras: devemos SEMPRE, não importa quão pequena ou grande seja a mentira, confessar a mentira para as pessoas que contamos mentiras? Exemplo: Alguém pergunta se você está tendo um bom dia; você diz que está; porém este é o pior dia que você já teve, portanto, você mentiu! Devo falar com essa pessoa e dizer que menti para ela? (claro que devemos confessar a mentira a Deus)

    Eu acredito que tenho experimentado mitomania (talvez eu só esteja pensando que estou)... Se você se lembra, ore pela minha recuperação (se eu tenho ou não).

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não acho que neste caso específico seja necessário confessar a mentira para a outra pessoa, porque quase sempre quando alguém pergunta "tudo bem?" é algo meramente formal, um simples cumprimento que falamos por educação e não um desejo real de saber como as pessoas realmente estão (a última coisa que queremos quando perguntamos "tudo bem?" a um desconhecido no elevador é que a outra pessoa responda "não" e comece a contar toda a vida dela). Caso parecido ocorre no espanhol; quando alguém pergunta "qué pasa?" (que literalmente é algo como "o que está acontecendo?") a ideia não é que você faça um relatório sobre o que está acontecendo na sua vida, mas que você simplesmente responda "bien, gracias".

      Como se trata de algo meramente protocolar e não de uma pergunta real e sincera, não há problema em responder "tudo" a quem pergunta se está tudo bem, é simplesmente uma resposta protocolar a uma pergunta protocolar, na prática nem o que pergunta quer realmente saber se a outra pessoa está bem e nem o que responde tem a intenção de enganar a outra pessoa fazendo-a pensar que está realmente indo tudo bem na vida dela (até porque, convenhamos, quase ninguém tem o privilégio de estar TUDO indo bem na vida, e todos sabem disso). As duas partes têm plena ciência disso e sabem perfeitamente bem que estão apenas se cumprimentando formalmente com uma resposta padrão a uma “pergunta” padrão que nem chega a ser uma pergunta real, não é um caso onde uma pessoa está realmente enganando a outra, fazendo-a acreditar em uma mentira (o que aí sim exigiria o pedido de desculpas).

      Excluir
    2. Talvez eu não tenha dado um exemplo bom. Vou dar um melhor: Se uma pessoa da pra você um pedaço de bolo que ela mesma fez, você prova e percebe que o bolo está horrível de ruim, e você fala que tá gostoso. Eu deveria depois ir e confessar a mentira para ela?

      Excluir
    3. Pra mim é um exemplo bem parecido ao caso anterior. A pessoa que pergunta se a comida está boa não está realmente querendo saber se está boa, porque ela sabe que ninguém teria a desfaçatez de dizer que não. Ela pergunta só por educação ou para se sentir bem, e a resposta vem na mesma linha. Confessar a "mentira" neste caso só derrubaria o emocional da pessoa, iria lhe causar mal e não bem, sem ganho algum. A não ser que seja alguém muito próximo da gente (como a mãe, por exemplo), que não vai se preocupar em receber uma resposta negativa porque vocês já são muito próximos para poderem ser abertamente francos um com o outro e porque ela realmente quer um feedback para melhorar se for o caso. Mas com pessoas mais distantes, eu jamais jogaria na cara delas que o bolo está uma porcaria, mesmo se me perguntassem. Seria uma falta de respeito e de educação que ultrapassaria o nível da "honestidade".

      Excluir
  17. Lucas como você responderia a um Pe. que lhe dissesse qual a importância dos protestantes na civilização ocidental, já que foram os católicos os primeiros a criar a civilização? e eles falam que não vale colocar os EUA não, por que faz parte da américa do norte e não é parâmetro para Europa segundo eles... como você responde a tais objeções

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. " já que foram os católicos os primeiros a criar a civilização"
      pergunta pro Pe
      1 o que é civilização
      2 a importancia do imperio romano e da filosofia grega na formação do ocidente
      3 se as tribos barbaras faziam parte da civilização ou nao, e pq SÓ a reposta dele é a certa.

      Na vdd, só com a 1 vc desbanca o argumento.

      Excluir
    2. A Europa na época em que era católica era uma grandíssima porcaria, ficava atrás da Ásia em todos os quesitos (tanto econômico, como em termos de avanços técnicos, tecnológicos, medicinais e etc). Eram bárbaros, rudes, grosseiros, miseráveis, atrasados em todos os aspectos, tinham inveja dos bizantinos e até dos árabes por estarem tão à frente deles, aos olhos dos quais eram vistos como escória. Foi só depois da Reforma Protestante que veio a Revolução Científica e a Revolução Industrial, que mudaram a Europa de patamar e fizeram ela ser a potência que é hoje. Mas isso impulsionado pelos novos valores da Reforma, caso contrário estaríamos até hoje presos na Idade Média, vivendo na dependência de um ou outro Renascimento. Em suma, "civilização" já existia milênios antes do catolicismo existir, o que não existia era uma civilização próspera, urbana, industrial, tecnológica e científica, que só passou a existir com o advento do protestantismo. Eu discorro amplamente sobre isso no volume mais recente do meu livro sobre os 500 Anos de Reforma, que é basicamente só sobre isso.

      http://www.lucasbanzoli.com/2020/01/novo-livro-500-anos-de-reforma-como-o.html

      Excluir
  18. Bendiciones Lucas, me gustaría saber cuál es tu opinión acerca de el libro historia de la reforma protestante en Inglaterra e Irlanda, de William Cobbet. Pude ver el índice y me doy cuenta que santifica a María la sanguinaria y describe la Reina Isabel como una mujer malvada y ruin, dicen que es un historiador protestante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No he leído este libro, pero hasta donde sé, Cobbett no era un historiador, era solo un panfletista y un político con sesgo ideológico de izquierda, incluso influyó mucho a Karl Marx, por lo que no me sorprende que propague mentiras.

      Excluir
  19. Paz do Senhor, Lucas, quando se pensa que já se viu de tudo, o ser humano consegue se superar - https://br.yahoo.com/noticias/t%C3%AAnis-sat%C3%A2nicos-geram-esc%C3%A2ndalo-e-013509311.html
    Ricardo Soares

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São tempos difíceis até pro diabo, nesses tempos de quarentena está precisando vender tênis pra ganhar a vida...

      Excluir
  20. Lucas, já leu algo sobre "especiação"? Alguns ateus têm esse conceito como substituto da evolução darwinista pra explicar a evolução das espécies.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conhecia não. Pra falar a verdade, faz muito tempo que não leio nada sobre o tema, não é uma prioridade neste momento.

      Excluir
  21. Lucas é verdade que a maçonaria surgiu no protestantismo com James Anderson em 1717,na Inglaterra e não no catolicismo, isso procede?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ninguém sabe exatamente quando a maçonaria surgiu. A maioria atribui a origem aos documentos conhecidos como os "Manuscritos Maçônicos", que datam do início do século XV, ou seja, um século antes da Reforma Protestante. Mas ninguém consegue provar que a maçonaria era uma coisa "diabólica" nessa época ou na de James Anderson, na verdade há pouca informação confiável sobre a maçonaria, a maioria é tudo lixo de teoria de conspiração. A maioria dos que falam da maçonaria sequer fazem ideia do que estão falando, falam baseado em boatos e não em qualquer coisa séria. Como de uma forma geral a maçonaria refletia os ideais iluministas, os católicos passaram a demonizá-la (embora muitos católicos do mais alto escalão fossem maçons, inclusive Dom Pedro II, tão exaltado por esses mesmos tradicionalistas católicos que esbravejam contra a maçonaria). E convenhamos, os ideais iluministas eram infinitamente superiores aos ideais católicos dessa época, em pleno século XX ainda tinha papa esbravejando em bulas contra a liberdade de consciência, a liberdade de culto, a liberdade de imprensa, a liberdade de pensamento e qualquer coisa que remontasse à modernidade, incluindo a Revolução Industrial e o liberalismo econômico. Se dependesse apenas deles, ainda viveríamos no feudalismo como servos (leia-se: escravos) de um senhor feudal que teria sobre nossa vida quase poder total. Eu também sou contra a maçonaria, mas por outras razões que já expus aqui várias vezes, não pela birra tosca que esses reacionários tem contra a modernidade.

      Excluir
  22. Parece que os vídeos do Brasil Paralerdos estão surtindo efeito nos retardados:

    https://i.redd.it/lcheh0gr08441.png

    https://img-9gag-fun.9cache.com/photo/aNgpEPK_460swp.webp

    Sem sombra de dúvida quem criou esses memes foram BRs que devem tá com a cabeça entupida do esgoto Olavista.

    ResponderExcluir
  23. Mais um mito monarquista refutado (dessa vez foi o dos "Voluntários" da pátria):

    https://youtu.be/1WoOWWSiLrk

    Vale muito à pena ver esse vídeo, aliás a melhor parte dele é justamente os monarquelhos fazendo cringe nos comentários.

    ResponderExcluir
  24. Lucas, eu tenho uma dúvida:

    Porque o Espiritismo (e outras religiões reencarnacionistas e espiritualistas) floresceram e ganharam espaço nos países tradicionalmente católicos, mas o mesmo não aconteceu nos países protestantes, porque? Digo isso porque o Brasil (e o resto da América Latina) é um país cujo o espiritismo (e diversas outras doutrinas similares) é algo que já está culturalmente consolidado no país, inclusive vários elementos do espiritismo fazem parte do cotidiano brasileiro (algumas crendices do tipo Karma, punição por vidas passadas e etc.) inclusive com um dos maiores propagandistas dessa religião tendo sido um brasileiro (Chico Xavier), mas porque o mesmo não aconteceu nos Estados Unidos? Lá nos Estados Unidos quando Chico Xavier foi visitar o país e tentou espalhar a doutrina espírita ele quase foi linchado (não de forma literal) e suas crenças foram rechaçadas pela grande maioria dos americanos e a experiência de tentar exportar o espiritismo pros EUA foi um grande fiasco, o motivo do fiasco e do quase linchamento dele foi justamente a cultura protestante anglo-americana, pois é de conhecimento público que os Estados Unidos da América são um país protestante e na época do Chico Xavier era um país protestante roxo. E antes do Chico Xavier, alguns imigrantes franceses tentaram trazer o espiritismo pros EUA no século XIX e até tiveram um pequeno êxito em cidades como Nova York e Nova Orleans, mas foi um grande fiasco quando tentaram importar pro americano médio no século XIX que era essencialmente um caipira protestante roxo.

    É sabido que o grande contribuidor dessa resistência que os protestantes tiveram ao espiritismo foi justamente a Sola Scriptuta, mas porque os católicos falharam para conter o espiritismo se a própria Igreja Católica da época tinha tanta ou uma influência bem maior do que as igrejas protestantes tinham em seus respectivos países? Aliás também é sabido que o Espiritismo surgiu na França (um país católico), e como também é possível que uma religião com princípios anti-bíblicos tenha surgido num país católico e numa época que a Igreja Católica tinha uma influência muito maior do que hoje (estamos falando do século XIX)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra mim a razão é bem simples: porque o espiritismo se aproxima muito mais do catolicismo do que do protestantismo. Embora lastimavelmente a maioria dos evangélicos acredite em imortalidade da alma, eles pelo menos rechaçam qualquer forma de comunicação entre vivos e mortos, bem como qualquer invocação ou evocação de "espíritos", e a maior parte acredita que eles sequer são cientes do que acontece aqui na terra. Já no catolicismo os mortos não apenas estão vivos como uma alma penada em algum outro mundo, mas são poderosos intercessores, que podem e devem ser invocados pelos vivos, que aparecem por aí em "aparições", que recebem orações para sair do purgatório, que recebem missas pela sua alma, que recebem rezas para operar um milagre, que são representados em imagens para serem cultuadas e levadas em procissão, e que podem fazer basicamente tudo o que Deus faz. Daí não surpreende que haja uma verdadeira obsessão pelos mortos, que aproxima o catolicismo do espiritismo na distância de um passo, tornando este uma opção atraente a aqueles.

      Excluir
    2. https://en.wikipedia.org/wiki/Thutmose_II Se você ir no final do artigo esta um teórico que apresenta algumas evidencias para ser Tutmés II, como o fato dele ter tido somente um filho (o que era estranho, visto que Faraós costumavam ter muitos, como Ramsés II que teve cem filhos), o que pode sugerir que ele tenha tido pelo menos mais um que foi o que morreu na 10 praga. Seu reinado foi prospero mas acabou abruptamente, e sua múmia apresenta Cisto, algo relacionado a pragas e doenças da época (como a praga de ulceras). Mas o fato de haver uma múmia significa que ele sobreviveu ao mar vermelho e morreu naturalmente depois, ou que seu corpo teria sido de alguma forma encontrado, talvez levado a praia novamente pelo mar (o pode acontecer, afinal não havia tecnologia na época para os egípcios procurarem o corpo dele no mar, somente esperando que o mar trouxesse o corpo dele a praia), mas isso colocaria o Êxodo em 1447 a.C, quase um século depois dos Hicsos terem sido expulsos, e portanto os Hicsos não teriam ligação alguma com o Êxodo como esta teoria que você apresenta. Inclusive a mudança que ocorreu no Egito era obvia, pois com a morte do Tutmés, assumiu pela primeira vez uma mulher (Hatshepsut) devido a falta de um homem adulto para reinar, pois o futuro Tutmés III ainda era muito jovem, o que poderia indicar a morte do primogênito do Tutmés II que já teria morrido na décima praga, deixando um segundo filho mais novo para reinar, e como ele não podia ainda, a mãe dele reinou.

      Excluir
    3. Acabei me distraindo e mandei o comentário sobre o Faraó no lugar errado, mas é uma continuação do comentário sobre o Egito ai embaixo.

      Excluir
  25. Lucas mire, hasta en YouTube Latinoamérica eres conocido ¿Alguna vez imaginaste que ibas a llegar tan lejos?

    https://youtu.be/q3tYkUOi9o4

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me alegro de saber! Quiero grabar videos en español algún día, pero hasta entonces tengo que mejorar en el idioma :)

      Excluir
  26. quantos hebreus saíram do Egito? 10 a 20 mil ou 2 milhões à 4 milhões? se é 20 mil por que faraó estava com medo de uma revolta dessas? ele poderia parar rápido, os hebreus eram em muitos como diz a bíblia a ponto de amedrontar o faraó mas sendo 2 milhões como o egito não quebrou?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De acordo com Êxodo 12:37, foram 600 mil homens que saíram do Egito, sem contar mulheres e crianças (o que elevaria o total a algo entre 1,5 e 2 milhões de hebreus). E de fato o Egito quebrou depois da fuga dos hebreus, não só economicamente mas também militarmente, já que grande parte do exército do faraó morreu no mar Vermelho. O problema é que a teoria tradicional afirma que o êxodo ocorreu na época de Ramsés II, e se tivesse sido mesmo nessa época você estaria certa em afirmar uma incompatibilidade, o que acontece é que o êxodo na verdade ocorreu dois séculos antes, como demonstrado no documentário “Patterns of Evidence: Exodus” (que eu postei aqui no site há uns anos atrás, vale a pena assistir):

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/06/o-melhor-documentario-que-ja-assisti.html

      Com a data do êxodo recalculada corretamente, vemos que ela ocorreu imediatamente antes da invasão dos hicsos, que dominaram o Egito por um longo tempo. Os historiadores até hoje se peguntam como que o império mais poderoso da época seria tão facilmente dominado de forma repentina por um povo teoricamente tão mais fraco, mas quando acreditamos na Bíblia temos essa resposta: com o êxodo hebreu, os egípcios estavam economicamente desgastados e militarmente vulneráveis, por isso foram um alvo fácil naquela ocasião.

      Excluir
    2. 1) Sobre os hicsos, o Rodrigo Silva fez um vídeo explicando que eles é que são os inimigos dos egípcios mencionados em Êxodo 1.10 e que, portanto, o cativeiro dos hebreus ocorreu DEPOIS do ataque dos hicsos e não antes. Ele segue afirmando que o faraó que o adotou foi Tutemés I, o faraó que queria matá-lo antes de ele fugir para Midiã foi Tutemés II e o faraó do êxodo, da travessia do Mar Vermelho, foi Tutemés III, que morreu em 1425 a.C. Portanto, este é o ano da fuga dos hebreus. Ele apresenta argumentos e evidências surpreendentes para comprovar sua tese. Recomendo que você pesquise este vídeo.

      2) Já ouvi falar de um teólogo, ou uma tradição judaica, que associou Anrafel com o rei Hamurabi. Sei que a tradição judaica costuma associá-lo com Ninrode. Mas esta hipótese é ridícula. Pois as evidências históricas e bíblicas apontam que Ninrode morreu bem antes de nascer Anrafel. Até os nomes sugerem personagens completamente diferentes. Ninrode significa "rebelde" e Anrafel significa "a boca de Deus falou". Aqui é que notaram algo muito interessante. O que a boca de Deus falou através dele? A primeira lei escrita da humanidade! Uma evidência muito forte disto é que a Lei de Moisés se aproveitou de vários trechos do Código de Hamurabi, por vezes aprimorando-o. E isto é fato! Então se Deus usou alguns trechos do Código de Hamurabi, fica claro que ele tinha resquícios de verdade. E isto é uma boa evidência de que Hamurabi é mesmo o rei Anrafel, porque Deus falou suas leis através dele.

      3) Descobri que Ninrode é equivalente a um personagem da mitologia babilônica chamado Enmerkar. As evidências são muito claras:

      a) "En" era o título dos reis babilônicos, tipo o "César" dos romanos. "Mer" é o nome do rei, mas não fui informado do significado. E "Kar" significa CAÇADOR, assim como Ninrode era conhecido (Gn 10.9)!

      b) Enmerkar também construiu uma torre e os "deuses" confundiram as línguas dos homens ali.

      Caso esta teoria estiver correta, também há uma outra informação muito interessante. Segundo os babilônios, Enmerkar também foi o criador da escrita cuneiforme. Ou seja, a escrita foi criada por Ninrode!

      O que você acha dessas teorias, Banzo?

      4) Eu já li toda a Epopeia de Gilgamesh e encontrei paralelos com a Bíblia incríveis! Mas eu gostaria de falar sobre uma hipótese minha. Já é sabido que Utnapishtim (que traduzido significa "Longínquo") é a mesma pessoa que Noé. Mas o que chama a minha atenção é que a Epopeia diz que Gilgamesh conheceu o Longínquo/Noé. E se as genealogias do Gênesis realmente estão completas isto é bem provável já que Noé teria morrido quando Abraão tinha 56 anos! Onde eu quero chegar com isso? Noé deve ter se tornado um mito, um ícone na antiguidade. Muitos reis e pessoas do mundo inteiro queriam conhecê-lo. Então não apenas Gilgamesh o conheceu, mas também Abraão!

      O que acha dessa hipótese meio especulativa? Será que é possível que eu esteja certo? Será que existe a mínima possibilidade desta teoria estar correta?

      Excluir
    3. 5) Mudando de assunto, eu gostaria de fazer algumas sugestões para você que podem ajudar os evangélicos. Noto que a apologética evangélica está muito mais preocupada em se DEFENDER dos ataques dos papistas do que em ATACAR o romanismo. Como assim? Os papistas já estão bem mais avançados em seus ataques contra o protestantismo do que os protestantes em relação ao catolicismo. Eles já estão inventando milhares de teorias loucas que estão pipocando na internet para criticar a fé evangélica. Já inventaram que o protestantismo leva ao ateísmo, leva ao relativismo, ao judaísmo, a maçonaria, a direita, a esquerda e pasme, até ao comunismo! Sei que tudo isso é bobagem. Mas nós precisamos sair um pouco da retaguarda e partir para a vanguarda! Precisamos expor mais os defeitos do romanismo. Precisamos compartilhar suas falhas assim como eles compartilham as nossas. Por exemplo, acho que seria uma boa ideia você levantar a questão de que o romanismo brasileiro é altamente sincrético e que ele está lado a lado com o espiritismo e com a umbanda. Isto é um fato visível e seria uma pedrada na cabeça de todo apologista católico de internet. Minha próxima sugestão é que você volte a escrever artigos menores, como você fazia no passado. Porque a maioria das pessoas têm preguiça de ler textos gigantes como estes que você escreve. Acho que se você escrevesse textos menores e um pouco mais objetivos você alcançaria um público maior.

      Por favor, não apague aquele meu último comentário.

      Excluir
    4. Mas Lucas, se o Êxodo ocorreu em 1446 a.C (que é o que penso eu) então não havia mais Hicsos, pelo contrario, foi a saída dos Hicsos do poder que levou a escravidão Hebraica. A história coloca o governo Hicso de 1640 até 1530 a.C (aproximadamente), alguns colocam que os Hicsos já dominavam um pouco antes, mas de qualquer forma todos concordam que acabou por volta de 1530 a.C. A Bíblia diz que o Faraó que escravizou os hebreus não conhecia a José e então escravizou os hebreus. Visto que os hicsos eram um povo semita, faria até certo sentido que eles fossem amigos dos hebreus (embora os hebreus já estivessem no Egito antes mesmo dos hicsos, visto que eles já estavam lá a 430 anos), mas quando os egípcios retomaram o poder, não viam os hebreus com bons olhos e decidiram escravizar eles. Inclusive, se você somar 80 anos (idade de Moisés) ao Êxodo de 1446 a.C, vai chegar em torno de 1526 a.C, uma data bem próxima a derrota dos hicsos e a tomada do poder do Faraó, e quando este tentou afogar os bebes masculinos. Além disso não sabemos quantos Faraós tem no Êxodo, pois temos dois ou três, se não mais. O faraó que cai no mar vermelho é um, o pai deste que é o que morre antes de Deus falar com Moisés é outro (Ex 2:23-25), e temos o Faraó que escraviza os hebreus no começo da história, e não sabemos se este é o mesmo Faraó que morre no capitulo 2, e caso tenham sido muitos Faraós ao longo da história, se encaixa com a teoria que somente após a expulsão dos Hicsos ocorreu a escravidão hebraica. De acordo com sua teoria, ou o êxodo teria que ter sido no ano 1640 a.C, o que bagunçaria todas as cronologias que existem por duzentos anos (lembrando que a bíblia diz que Salomão finalizou o templo 480 anos depois do Êxodo, e com isso temos uma data de 967 a.C para o templo estar finalizado, colocando o Êxodo precisamente em 1447 a.C, com uma possível margem de erro de alguns anos, já que não temos a data exata do templo, mas foi por volta de 960 a.C), e a outra possibilidade seria dizer que toda a datação humana esta errada em favor da datação bíblica, e que portanto deveríamos ignorar todos os registros e só se importar com a bíblia, que sei que não é o que você pensa. Outra coisa: dois erros que muitas pessoas cometem é achar que o Faraó era o Ramsés II, que não pode ser verdade por inúmeros motivos, e o outro erro é achar que os hebreus foram escravos por 430 anos, quando eles estiveram no Egito por este tempo, mas não foram escravizados tudo isso, mas provavelmente pouco antes do nascimento de Moisés, que se encaixa com o que eu disse. Lembrando também que existem outros problemas, por exemplo a história egípcia coloca o primeiro Faraó em torno de 3100 a.C, o que de acordo com a história bíblica seria impossível, pois o diluvio ocorreu depois disso, e portanto o Egito veio depois. Criacionistas tiveram então a teoria que vários Faraós governaram juntos em diferentes partes ao mesmo tempo, e isso encurtaria o tempo da existência do Egito. Mas se essa teoria estiver certa, então toda a cronologia egípcia que nos é apresentada está errada, logo discutir Hicsos ou quem quer que seja seria uma perca de tempo, pois quase tudo que é calculado da história egípcia é das próprias fontes egípcias até a chegada dos gregos, mas se elas estão erradas pois estas fontes colocam um Faraó de cada vez (fazendo o Egito começar em 3100 a.C, antes do diluvio) então a cronologia deles é inútil. Também não existe nenhum registro de Faraó que morreu afogado no mar vermelho, o Faraó Tutmés II, que seria o Faraó morto no mar vermelho caso o êxodo tenha sido cerca de 1450 a.C, teve seu corpo encontrado em uma tumba normal, e os egípcios registraram que ele morreu naturalmente, ai cabe a questão se os egípcios estavam alterando a história real ou não.

      Excluir
    5. 1) Não tem como saber se os hicsos são esses inimigos de Êxodo 1:10, o texto não menciona nomes, e além disso traz “inimigos”, no plural, então era provavelmente uma forma genérica de se referir a qualquer inimigo em potencial ao qual os israelitas poderiam se aliar, e não a um povo em específico. Eu conheço essa tese do Rodrigo Silva e vejo muitas coisas interessantes nela, não é uma hipótese que eu descarte, mas peço que assista ao documentário que eu mencionei, que é muito mais completo e conecta todos os pontos com perfeição. A parte que fala dos hicsos está entre 1h e 23m e 1h e 26m, mas recomendo que assista ao documentário por completo, com todas as evidências que eles apresentam e a forma como conciliam com a história secular e bíblica:

      https://www.youtube.com/watch?v=me0N1BokVwA&t

      (PS: esta resposta também vale para o Vinicius, que tocou no mesmo ponto)

      2) e 3) Eu não tenho conhecimento suficiente no assunto para comentar a respeito, nunca me preocupei em saber quem exatamente era Ninrode, até assisti alguns vídeos sobre isso mas nada que eu me aprofundasse, então não tenho condições de dizer se sua teoria está certa ou errada, mas o que você disse parece fazer algum sentido sim.

      4) Bom, de acordo com a cronologia tradicional, Noé nasceu em 2948 a.C e morreu em 1998 a.C, e Gilgamesh reinou por volta de 2650 a.C, então eles teoricamente foram contemporâneos (se a cronologia estiver certa ou pelo menos não destoar muito). Se eles se conheceram pessoalmente não dá pra saber, naquela época não havia meios de transporte para percorrer longas distâncias com facilidade, mas considerando que eles viviam por séculos é provável inferir que eles tenham se visto ao menos uma vez.

      5) Você está certo, mas expor os erros e os males do catolicismo é algo que eu já faço há uma década, inclusive o único site da internet que eu conheço cujo próprio título já é um “ataque” ao catolicismo é o “Heresias Católicas”. Sobre os textos gigantes, na verdade faz tempo que eu não escrevo texto algum, meu último texto foi dia 13 de novembro e foi um texto mais curto, de lá pra cá eu só tenho postado trechos de livros meus (seja dos já publicados ou dos que ainda estão em construção, como no caso do artigo atual). Mas o maior problema não é o tamanho dos textos, é que hoje em dia ninguém gosta de ler, principalmente depois que o YouTube chegou os blogs todos perderam força e ficaram abandonados, o que é péssimo para alguém como eu que adora escrever mas não gosta de falar. Ou seja, o único jeito de alcançar mais gente é priorizando o YouTube, não tem outro jeito, mas não é algo que eu pretenda fazer agora.

      Excluir
  27. Lucas, você acha que é pecado comer ou não comer carne na sexta feira santa? Na minha opinião não muda nada comer ou não comer, mas há quem considere pecado uma ou a outra coisa.

    -Bolsonaro literalmente tentou um golpe um dia desses. Fico pensando em 2022 (se ainda houver democracia até lá) e estiver bolsonaro e lula no 2 turno, na ultima eleição eu votei nulo no 2 turno, agora eu sinceramente não sei o que fazer. Lula é o maior criminoso que a história do Brasil já viu, mas nunca foi tão burro quanto o Bolsonaro (e olha que isso é muito) e nunca tentou um golpe ou algo assim, embora apoiasse ditaturas como a venezuelana ou cubana. Bolsonaro por outro lado não é um ladrão (até onde eu sei, embora seus filhos sejam) mas arruinou a lava-jato e agora esta literalmente declarando guerra aos estados no momento critico que vivemos (sendo que tudo já estaria bem melhor se ele tivesse sido responsável em relação as vacinas, mas por causa dele ainda temos que esperar mais alguns meses) e ainda tenta ampliar o próprio poder da maneira mais ridícula possível, deu até medo pensar como estaria o Brasil se isso fosse para frente e o Bolsonaro tivesse o controle de tudo, não medo que ele fosse um psicopata violento ditatorial (que até acho que ele não seria), mas medo dele ser burro e não saber dirigir nada, levando o Brasil a falência imediatamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Problema nenhum, é só uma tradição humana boba e sem sentido como tantas outras à qual ninguém tem a obrigação de se submeter.

      2) Pois é, infelizmente estamos sendo guiados por um cego perdido em meio a um tiroteio (e com uma metralhadora na mão dando tiros aleatórios pra tudo que é lado). O pior momento pra uma pandemia dessas vir é com um néscio desse tipo no poder, até eu que não esperava nada me decepcionei com esse (des)governo, imagina quem votou nele no primeiro turno ou teve orgulho do voto. De todo modo, o que eu sei é que nunca votaria no PT ou no Lula, vivi o suficiente pra ver o que essa desgraça é capaz de fazer com o país e jamais votaria em criminoso condenado, é uma pena que aqui a gente seja obrigado a votar em Belial ou Belzebú, porque o brasileiro médio adora os extremos ideológicos e tem feitiche por populista demagogo.

      Excluir
  28. Feliz Páscoa para você Lucas e a todos os leitores do blog. Que Cristo os abençoe infinitamente. 🙏🏻🙂💙🙏🏻

    ResponderExcluir
  29. Qual a ligação da reforma com o iluminismo? Pretende escrever algum artigo expondo sua visão sobre isso? Scruton parece considera-los como responsáveis pelo mundo atual.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não existe nenhuma ligação direta (são movimentos de épocas diferentes, por razões diferentes e encabeçados por grupos diferentes), mas existem certos valores em comum, assim como outros que destoam completamente. Por exemplo, ambos concordam em relação a uma maior liberdade de consciência, defendem uma intervenção menor do Estado na economia (liberalismo econômico), se opõem ao absolutismo, se opõem à lógica feudal e detestam as superstições tolas do catolicismo que mantém as pessoas presas na ignorância. Por outro lado, a Reforma é de matriz cristã protestante e o iluminismo é originalmente deísta, e portanto se opõe à própria visão cristã de mundo. Ele abriu terreno ao ateísmo, ao agnosticismo e ao cientificismo tão presentes na Europa atual, e criou uma dicotomia entre fé e razão, como se a fé não pudesse ser racional e quem é racional não pudesse ter fé. Posteriormente isso acabou se desenvolvendo para um relaxamento moral, que se reverbera em práticas como o aborto, o consumo de drogas, a sexualização precoce, a objetificação do corpo da mulher, a busca pelo prazer a qualquer custo e a vulgaridade tão presentes no mundo de hoje (coisas que os protestantes sempre se opuseram fortemente). De certa forma, o mundo em que vivemos (ou ao menos o mundo ocidental) é um "mix" dos valores iluministas, dos valores da Reforma e do catolicismo romano tradicional, e cada uma dessas visões exerce uma influência nítida em nossos dias. Não se trata de um ter precipitado o outro, mas de cada um moldar o mundo à sua própria maneira.

      Excluir
  30. Respostas
    1. Você precisaria ser mais específico a esse respeito, sobre o que exatamente você quer que eu comente em Gênesis 1? Há muitas discussões diferentes sobre esse mesmo capítulo e sem especificar a qual você se refere eu posso dar uma resposta que não tem nada a ver com o que você queria saber.

      Excluir
    2. Para explicar melhor a situação posso levar a Discussão no privado da sua fan page no face?

      Excluir
    3. Eu costumo responder mais rápido por aqui, mas se quiser pode enviar lá sim, sem problemas.

      Excluir
    4. Lucas mandei a mensagem na sua fan page poderia olhar por favor? Estou precisando de uns conselhos.

      Excluir
    5. Olá, Lucas Obrigado pelo artigo.Sim era aquilo que estava me incomodando,mas aquela dúvida passou. Por isso fiquei daquele jeito que te disse isso foi o estopim questionar a palavra de Deus,mas tiveram outros motivos já estou cuidando daquele problema,por enquanto não estou indo pra Igreja por causa da pandemia.Obrigado por me responder já estou melhor que Deus lhe abençoe muito,abraço.

      Excluir
  31. Banzoleigo, um católico uma vez estava falando sobre a simbologia que tem na bíblia junto com seus eventos, eu achei legal o texto tirando os delírios católicos, como Maria ser a Arca da Aliança.

    Ele falou sobre algo bem legal que as águas significavam o paganismo. Quando Moisés abriu o mar, além de ser Deus mostrando o seu poder, mostrou também que o paganismo jamais pode parar a Deus e o cristianismo

    E quando o exército egípcio tanta persegui-los eles se afogam- ou seja, morrem por causa do seu paganismo-

    Então ele fala sobre Jesus ter andado nas águas, que além dele está mostrando o seu poder, diz sobre o domínio Dele sobre o paganismo.

    Aí é que entra o ponto: ele fala que Pedro (para ele o primeiro papa) andou sobre as águas (o que ocorreu, obviamente), porém ele se afoga por sua falta de fé. Ele tenta fazer um certo marabalismo, porém isso faz um sentido bem grande

    A Igreja Católica se afogou no paganismo, essa é a realidade. Pegando várias de suas crenças, se tornando muito diferente do que deveria ser. Então quando Jesus puxa Pedro novamente, poderia significar a Reforma Prostestante? Tanto que Jesus diz para ele ter mais fé... Sola Fide é uma das cinco solas. O que acha sobre isso?

    ____________________________________


    O túmulo de Jesus é realmente aquele que está na Basílica do Santo Sepulcro? Eu acredito que sim pois aquela região já estava marcada a tempos como o túmulo de Jesus. Inscrições e desenhos antigos relacionados a Jesus já estavam por alí, como se todos soubessem que é por lá

    E o que você acha sobre o Feminismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Essas "simbologias" estão parecendo as interpretações mirabolantes de Orígenes, que também conseguia encontrar qualquer "simbologia oculta" na Bíblia bastando usar a imaginação. Esse é o problema de usar a alegoria como um recurso doutrinário: qualquer um pode encontrar literalmente qualquer coisa no texto que bem entender. Eu não sei o que a abertura do mar Vermelho tem a ver com "o paganismo jamais poder parar o Cristianismo" (ainda mais quando o Cristianismo nem existia), mas se ele vê, como é que eu vou provar que não há essa alegoria ali? Não há como se refutar algo que é puramente subjetivo e depende inteiramente da imaginação de cada um. Por isso a alegoria nunca deve ser usada para fazer exegese, a não ser que a própria Bíblia explique a alegoria ou deixe isso bem óbvio (o que claramente não é o caso). Cristo andar sobre as águas não mostra o "domínio dele sobre o paganismo", mostra o domínio dele sobre as forças da natureza, como diz o próprio texto bíblico (Mc 4:41). A alegoria é ir "além do que está escrito" (1Co 4:6), pegando o que um texto não diz e colocando nele algo da vontade do intérprete. Vale ressaltar que uma coisa é encontrar num texto uma lição pastoral como forma de analogia (que é um recurso válido muito usado em pregações), e outra coisa totalmente diferente é dizer que os próprios textos tem a intenção de ensinar isso ou foram escritos nessa finalidade (como se a verdade estivesse escondida de todo mundo até fulano de tal encontrar uma revelação bombástica e secreta).

      2) Ninguém pode afirmar ao certo.

      3) Depende do que se considera ser o feminismo. Se for a defesa da igualdade entre o homem e a mulher, é claro que eu sou a favor; se for a defesa do assassinato (aborto) ou aquelas malucas de peito de fora, é lógico que eu sou contra. O problema é que cada um tem uma definição diferente de feminismo e isso leva a discussões intermináveis.

      Excluir
    2. Engraçado é que os católicos estão sempre recorrendo as interpretações mais mirabolantes da Bíblia para afirmarem todo tipo de porcaria, sério, é incrível como eles alegorizam tudo na Bíblia para afirmar significados ocultos (ja vi em algum lugar que eles diziam que cada versículo bíblico tinha 4 significados, que era literal, profético e mais dois lá, não lembro agora). Tenho um amigo católico que uma vez disse "meu maior problema com o protestantismo é que eles interpretam tudo literal". E repare este absurdo engraçado, um católico na net afora disse que a razão pela qual Maria não é tão mencionada na Bíblia, é porque Deus a ocultou somente para os católicos! Isso mesmo, não querendo que nenhuma "seita cristã" lidasse com a "super santidade" de Maria, Deus fez ela não ser muito mencionada, para assim os super padres católicos possam encontrar ela nos textos obscuros, como a Arca da Aliança e etc. Ou seja, não é que Maria é pouco mencionada, pelo contrario ela é mencionada toda hora, mas esta oculta nas simbologias, e as serpentes protestantes que não conseguem encontrar ela. O amigo católico que mencionenei antes, eu tava uma discussão com ele uma vez sobre profecias, ele disse que minhas interpretações (as mesmas que as suas Lucas) eram ridículas e que a União Européia, por pior que fosse, não tinha nada haver com isso. Não perguntei na época, pq imaginei que ele nem tinha interpretações a respeito, já que católico odeia este tipo de profecia biblica. Mas ai um dia no facebook, ele compartilhou uma publicação que dizia que o quinto reino mencionado por Daniel, o reino indestrutível, era nada mais que Portugal! Isso mesmo, nessa doutrina Sebastiana, eles acreditam que Sebastião vai voltar (e não me surpreendo se eles falarem por ressurreição, como se fosse Jesus, ou se é uma alegoria para um futuro monarquista que vai tomar o poder das endemoniadas republicas e parlamentos) e assim vai elevar o católico reino Português a um estado de domínio global, eternamente abençoado por Deus, e esse é o quinto reino de Daniel. Olha o nível que chega essas interpretações, e me surpreendi que ele não fosse preterista.

      Excluir
    3. kkkkkkk meu Deus, que viagem. Se ele pelo menos falasse que um país como a China iria dominar o mundo, ainda daria pra discutir, mas Portugal... 😂😂😂

      Excluir
    4. Se chama a Teoria do quinto império: https://pt.wikipedia.org/wiki/Quinto_Imp%C3%A9rio, feita pelo Antônio Viera no século XVII, e acredita que o Milênio será o reino de Portugal kkkkk. Então não é nem questão de ser a Besta ou algo assim, é ainda além, é o próprio reino de Deus na terra, então eles elevaram Portugal a um nível completamente divino, e varios católicos brasileiros monarquistas do fundo de internet compartilham isso ai nos dias de hoje (caso não sejam preteristas serão isso ae), dizendo que "grandes nomes" do catolicismo (como o próprio Vieira) apoiam essa teoria, só que estes "grandes nomes" geralmente são do século XVII, quando Portugal tinha pelo menos um império.

      Excluir
    5. É bizarro que exista gente pensando assim em pleno século XXI, quando Portugal não é nem o país mais poderoso da Península Ibérica (que basicamente só tem dois) e é um nanico em termos internacionais.

      Excluir
  32. Olá Lucas, já algum tempo que estou lendo seus artigos. Meus parabéns pois tem me ajudando muito. Mas gostaria de saber qual religião pertences!?

    ResponderExcluir
  33. Boa noite, Lucas.

    Eu tive uma discussão com um amigo uns dias atrás sobre se Deus tinha uma forma ou não, ele disse que não e eu disse que sim. Digo, não consigo imagina-lo sem forma ou aparência, assim como os anjos ou os céus. Como seria isso?

    Enfim... essa é uma dúvida que tenho e gostaria muito de saber sua opinião, me ajudaria bastante, então, se pudesse me responder, agradeceria.

    Deus(ou os espiritos em geral) tem forma?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os anjos, mesmo sendo espíritos, apareceram para muitos em forma humana.

      Quanto a Deus, a Bíblia diz que Ele, mesmo se do espírito, tem dedos (Ex 31:18).

      Ele ri. Se pode rir, então ele tem boca (Salmo 37:13). E Deus tem costas (Ex 33:22,23)

      Excluir
    2. Olá, boa noite. Eu entendo que Ele não tem um corpo físico literal como a gente (Deus é uma mente pura não limitado ao tempo, ao espaço ou à matéria, caso contrário não poderia tê-los criado), mas por ser Deus tem a capacidade de se transmutar na forma que quiser, por isso nós poderemos ver a Deus face a face na eternidade (1Co 13:12), poderemos tocá-lo e abraçá-lo na forma que Ele decidir se apresentar a nós, da mesma forma que Ele se apresentava de forma antropomórfica quando descia à terra para falar com Adão, Abraão, Jacó e etc (justamente pela dificuldade que seria se relacionar com alguém sem forma). Quanto aos anjos, eles têm um corpo imaterial no sentido de não ser uma matéria deste mundo, mas algum outro tipo de substância que para nós é invisível/imaterial, mas para eles é visível e “tangível”, senão eles não poderiam travar batalhas entre si como muitas vezes a Bíblia diz que anjos e demônios travaram.

      Excluir
  34. 1- https://www.fuxicogospel.com.br/2021/04/ex-cantor-gospel-aparece-fumando-maconha-e-decepciona-evangelicos.html

    Não sei se você lembra desse cantor,ele fez muito sucesso no programa do Raul Gil há 10 anos atrás,foi revelado ali,cantou brilhantemente ´´Agnus Dei´´,mas agora se afastou,assumiu que é gay e tirou foto fumando maconha,eu sei que não dá para generalizar,cada caso é um caso,mas na maioria das vezes quando esse tipo de coisa acontece com quem cresce na igreja,você acha que é uma falha no discipulado,da liderança ou é uma rebeldia gratuita do indivíduo que escolhe outro caminho?Curioso que um dos pastores responsáveis pelo Jotta A foi justamente o que mais prega contra o homossexualismo,o Silas Malafaia,que logo depois das apresentações dele no Raul Gil,o contratou para a sua gravadora Central Gospel,não sei se o Silas sabia da opção sexual dele,nem se ele próprio já sabia disso na época,mas como eu vejo o Malafaia ser bem oportunista algumas vezes,como nas vezes que apoiou vários políticos corruptos,segue apoiando incondicionalmente o Bolsonaro,apesar de todas as cagadas que o presidente faz,não duvido que soubesse,mas desde que o cantor vendesse muitos CDS e desse dinheiro dele,fazia vista grossa para com quem ele se relacionasse.

    2-https://odia.ig.com.br/colunas/fabia-oliveira/2021/03/6113280-felipe-heiderich-assume-bissexualidade-e-namoro-com-youtuber-um-relacionamento-pra-vida.html Teve um outro caso de homossexualidade no meio gospel recentemente,mas eu não quero fazer fofoca de celebridades gospel aqui não,fica tranquilo kkk,o que quero te perguntar é em relação ao Daniel Mastral,pq o pastor em questão que se assumiu o citou na entrevista como um dos líderes cristãos que o está apoiando e você já citou o Daniel como um dos autores cristãos que mais te influenciou,eu já gostei muito dele tbm,li a saga ´´O Filho do Fogo´´,assisti a vários vídeos de testemunhos dele de libertação do satanismo,mas ele mudou muito de alguns anos para cá,se afastou das denominações tradicionais e me parece estar virando um novo Caio Fábio,não por acaso ele é muito amigo do Caio,já fez live com ele,está adotando um liberalismo relativista,eu postei aqui outras situações estranhas dele,como entrevistar sheik muçulmano,o Inri Cristo e agora apoiar pastor LGBT,pq acha que ele resolveu adotar esse liberalismo teológico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho acompanhado o Daniel Mastral, então não sei apontar quais seriam os posicionamentos atuais dele e seus argumentos. Mas, sobre a questão da homossexualidade, é interessante pontuar uma ressalva, pois a colocação atípica dele frente ao tópico não é recente, já vem de alguns anos. Ele não legitima uniões homoafetivas no mesmo sentido que o liberalismo teológico propriamente dito. Os liberais revogam qualquer noção de pecaminosidade e expandem o sentido de casamento para que englobe homossexuais. Já o Daniel parece tecer uma "Terceira Via", ele assume a homossexualidade como deturpação do ideal divino, como comportamento fora do padrão e anômalo, chega a apresentar inclusive uma justificativa abarcando genética, mas crê que o celibato não é uma opção suportável unanimemente por todos os indivíduos, então admite casos de concessão em que sejam permitidos relacionamentos monogâmicos estáveis, sem necessariamente aderir ao pacote que defende a ministração de casamento gay em Igreja, por exemplo. Ele não aborda pautas desse tipo, apenas lida com situações envolvendo o trato de casos individuais. O raciocínio é tomar os "espinhos e ervas daninhas" que surgem em Gênesis 3 como consequência do pecado, tornando-se parte da realidade da Terra, e usar como referencial para a homossexualidade, considerando-a uma "erva daninha" que surge num mundo caído, e que, portanto, deve-se agora lidar. Esse posicionamento é bastante controverso, mas soa minimamente consistente em comparação com as chamadas teologias inclusivas que se fazem por aí. Repito, não sei dizer se o Mastral continua subscrevendo a esse molde específico, os vídeos dele de uns anos atrás reproduzem uma interpretação com essa estrutura básica, que o Caio Fábio também compactua.

      Excluir
    2. 1) Pode ter havido falha no discipulado sim, mas isso nunca vai anular a responsabilidade individual. No dia do juízo, ninguém vai poder aparecer diante de Deus com a desculpa de que "foi mal discipulado", Paulo diz que "cada um dará contas de si mesmo a Deus" (Rm 14:12), até porque independentemente de igreja todos nós temos a Bíblia e podemos nos relacionar diretamente com Deus sem intermediários.

      2) Eu vi ele dizer algumas coisas sobre isso, também acho lamentável, provavelmente tem a ver com o filho dele que tinha disforia de gênero, não que isso justifique. De todo modo o Mastral ainda está longe do nível de liberalismo teológico do Caio Fábio, apesar dos dois serem amigos, pra chegar no nível do Caio tem que ralar muito ainda.

      Excluir
  35. Lucas eu estava vendo um video sobre os annunakis, os deuses da sumeria. Quando o video começou a contar a história eu me surpreende com a mitologia, más tem algo me incomodando, a semelhanças entre a história da criação da humanidade é muito parecida com a da biblia, existindo semelhanças como: em uma cidade criada aqui na terra pelos deuses chamada eridu. nela tinha um jardim chamado ēden, o primeiro homem na mitologia se chamava Adamu ( semelhante a adão ), com o tempo os deuses passaram a gostar dos homens e ate deixavam eles frequentarem a capital eridu (Encluindo no ēden) porem os homens desobedeceu uma ordem dos anunnakis e por isso foram expulsos, quando a terra natal dos annunakis ( nibiru ) se aproximou da terra fezendo com que o mundo virasse um caos e surgil um grande diluvio, para sobreviverem ao diluvio os anunnakis fizeram grandes barcos para salvar a humanidade e a eles mesmos. É isso ai, caso queira saber o video que eu vi, foi no canal "foca na história" (otimo artigo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sei por que isso o incomoda, pelo contrário, só prova aquilo que os cristãos criacionistas sempre afirmaram, de que os relatos da criação tem a mesma raiz, porque são eventos reais que foram transmitidos oralmente nas mais diversas culturas (uma vez que todos os povos procedem de um só). Lógico que a tradição oral deforma alguns detalhes já que é impossível um conteúdo se preservar integralmente apenas oralmente (por isso Deus decidiu se comunicar com os homens através da Bíblia, um livro escrito, não através de tradições orais), mas o núcleo das histórias é o mesmo, porque toda deformação ainda preserva uma verdade central. Isso explica por que há registros do dilúvio tão parecidos, mesmo entre povos que jamais tiveram contato entre si (como os índios da América do Sul, os aborígenes da Austrália e os japoneses). Não porque eles tenham "plagiado" o que eles nem conheciam, mas porque cada um preservou à sua maneira o que chegou na época deles (uns mais, outros menos).

      Excluir
  36. Bendiciones hermano, en latino América tenemos un debate entre los mismo evangélicos (incluyendo pentecostales" y es sobre la frase Maria madre de Dios", sabemos que los católicos usan esa frase para justificar su idolatría a Maria, pero los evangélicos lo hacemos para señalar la divinidad de Jesús, claro, no se trata que cada vez que nos refiramos a Maria, lo haremos llamándola madre de Dios, si no que, la frase por si misma no es incorrecta, es incorrecto como muchos lo ha usado con fines idolatricos, muchos evangélicos de latino America lo conocemos, y queremos saber su opinión, ¿la frase madre de Dios (en la carne) es una herejía, una frase idolatrica, una doctrina papista o simplemente es una frase mal interpretada? bendiciones

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola, yo he escrito sobre esto aquí:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com/2021/04/maria-e-mae-de-deus.html

      Bendiciones!

      Excluir
  37. Banzolao quais são os seus intelectuais pentecostais favoritos?Eu acho até bom você divulga-los pq a todo tempo os pentecostais são acusados de serem ignorantes, fanáticos,de que só possuem interesses financeiros na igreja e infelizmente esse preconceito não parte só de ateus,católicos,de pessoas não protestantes,muitos cristãos reformados possuem os mesmos preconceitos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não me importo de acharem os pentecostais "ignorantes e fanáticos", o que as pessoas pensam tem pouca importância. Os únicos pentecostais que eu acompanho são o Luciano Subirá e o Dutch Sheets, mas eu não sou pentecostal por causa deles, mas por causa da Bíblia. Querer tratar a questão na base da "quantidade de intelectuais" é apelar à falácia da autoridade. Quantos intelectuais o Cristianismo tinha em seus primórdios em comparado às crenças gregas com seus inúmeros filósofos renomados? Quase nenhum, mas mesmo assim estava com a razão.

      Excluir
    2. Não conhecia esse Dutch Sheets,obrigado pela indicação,achei o nome dele engraçado,se traduzido literalmente para o português significaria "Holandês de merdas"kkkk

      Excluir
    3. Na verdade "sheet" em inglês é lençol ou folha (você deve ter confundido com "shit"), então ficaria algo como "folhas holandesas" ou "o lençol do holandês" (o que não deixa de ser engraçado...).

      Excluir
  38. Lucas, porque a esquerda é tão hegemônica nas universidades?

    Porque a maioria dos professores universitários são de esquerda? Digo isso porque raramente você encontra um professor universitário com ideias mais à direita, no máximo você encontra um ou outro centrista, mas achar um professor universitário de direita é como encontrar uma agulha do palheiro, até agora o máximo que eu tive de um professor não esquerdista foi o professor de economia/direitos humanos que é o único em toda a faculdade que é de centro-direita (ele é um liberal econômico e defende um Estado mais enxuto e menos burocrático), mas ele se abstém de falar de política com seus colegas. E a professora de Penal que é de centro (inclusive ela defende a revogação do estatuto do desarmamento e é bem pró-armas), mas em comparação o resto é tudo de esquerda, inclusive psolistas e pstuistas, mas porque essa discrepância tão grande? O que explica essa diferença?

    Ps. Fui tirar uma semana de férias após a semana de provas, mas eu voltei e estou louco pra por os assuntos em dia, mas por hora vou mandar só essa pergunta, pois como amanhã tenho aula preciso dormir cedo. Até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu respondi sobre isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2020/08/saiba-como-refutar-todos-os-argumentos.html?showComment=1599410113303#c8209532793211767577

      Excluir
  39. Saudações Lucas! Tenho acompanhado teus artigos e estou aprendendo muito com seus escritos... Mas gostaria muito de saber em qual denominação religiosa pertences... Paz e bem

    ResponderExcluir
  40. Olá amigo, vc tem algum livro ou artigo p indicar q confronte a ideia do historiador Thomas Wood no livro Como a Igreja Catolica Construí a Civilização Ocidental. Catolicos gostam de se gabar desse livro.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu livro mais recente sobre os 500 Anos da Reforma é só sobre isso, é só baixar o segundo volume na página dos livros:

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      Excluir
  41. Lucas, eu tenho aqui duas dúvidas simultâneas à respeito do mesmo tema então vou enumerá-las:

    1. Lucas, como foi possível que o movimento em favor da legalização do aborto saiu do eugenismo darwinista social e foi para a pauta feminista e se tornou um movimento essencialmente de esquerda? Certa vez enquanto estava pesquisando à respeito da origem do movimento pró-aborto e descobri que esse movimento existe desde pelo menos a meados do século XIX, o movimento pró-aborto nasceu como consequência do Darwinismo social, do eugenismo e do racismo científico e quando a Europa iniciou o Neocolonialismo na África e Ásia no final do século XIX e início do século XX, o tema da legalização do aborto passou a ser discutido nas universidades, inclusive com muitos autores eugenistas defendendo a sua legalização nas colônias europeias na África com o intuito de reduzir a população negra africana nativa, e essa discussão chegou aos Estados Unidos e ganhou força logo após o fim da Era da Reconstrução (1865-1877) e início da Era das Leis Jim Crow (1880-1901). Mas à partir da década de 1910-1920 houve uma guinada nesse movimento que passou a ser defendido pela esquerda como uma forma de "libertação" da mulher do Patriarcado inclusive com a narrativa do "meu corpo minhas regras" tendo surgido nessa época, Marx e Engels eram defensores do aborto, mas pouco falavam sobre o tema com enfoque na revolução do proletariado em suas obras.

    2. Como também foi possível que um tribunal majoritariamente conservador legalizou o aborto nos Estados Unidos? Digo isso porque, por incrível que pareça, o tribunal que decidiu pela legalização do aborto nos EUA foi decidido por um tribunal de maioria REPUBLICANA CONSERVADORA! A Decisão foi feita em 7-2 para Roe e desses 7 juízes que legalizaram o aborto 4 eram republicanos e apenas 1 republicano votou contra a legalização do aborto, já entre os democratas houveram 2 que flertaram com os pró-vida, mas no fim das contas apenas 1 democrata votou pró-vida. Inclusive à época nos EUA, ambos os partidos republicano e democrata eram igualmente favoráveis ao aborto e haviam muitos republicanos que eram favoráveis ao aborto um grande exemplo foi Barry Goldwater (senador do Arizona e candidato a presidente em 1964). Pelo que eu pesquisei os republicanos só passaram a condenar abertamente o aborto somente na Era Reagan (que apesar de abortista no começo da carreira política tornou-se pró-vida depois) em diante. Mas como isso foi possível que um tribunal CONSERVADOR Legalizou o aborto nos EUA? Francamente eu não consigo entender essa história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O aborto ser pauta da esquerda não é surpresa, dado que Marx defendia isso. Na verdade você respondeu a própria pergunta, dando um bom panorama histórico. Creio que também seja usado por eles como um mecanismo de controle de natalidade, já que na época da Revolução Industrial a população começou a crescer muito e foi nessa época que Marx viveu. Depois é que passaram a dar esses pretextos mais "nobres", como o de que a mulher tem direito sobre o próprio corpo (o que é uma bobagem, já que se trata de um outro corpo dentro dela, não de uma extensão de seu próprio corpo). Quanto ao tribunal majoritariamente republicano ter legalizado o aborto nos EUA, nem todo republicano é conservador e nem todo democrata é progressista, ainda mais nessa época (embora hoje as coisas tenham ficado mais ou menos assim mesmo), então eu não diria que um "tribunal conservador" legalizou o aborto, pois ter inclinações republicanas não era o mesmo que ser conservador necessariamente.

      Excluir
    2. Nessa seara de aborto, como se argumenta quando uma abortista por exemplo quer impedir que homens palpitem sobre aborto já que eles além de não terem útero, não tem também lugar de fala?Esse tipo de argumento é usado para negar por exemplo plebiscito sobre aborto porque homens votariam no assunto.

      Excluir
    3. Esse argumento é uma estupidez por diversas razões. Primeiro porque é uma falácia ad hominem (onde se tenta refutar o que alguém diz descredibilizando o argumentador em vez de rebater o argumento em si), segundo porque mesmo se essa falácia fosse levada a sério, metade das vítimas de aborto são homens, então sim, eles também teriam o direito de opinar algo a respeito; terceiro que a maioria das mulheres (as que teriam o tal "lugar de fala") também são contra o aborto; quarto que ninguém está palpitando sobre o útero alheio e sim sobre uma OUTRA VIDA que está dentro da mulher; quinto que assassinato é assassinato independentemente do sexo ou gênero (eu não devo ser contra apenas o assassinato praticado por homens por ser homem, eu também posso e devo ser contra o assassinato praticado por mulheres ou por quem quer que seja, por razões puramente morais e humanitárias); e por fim o próprio argumento do "lugar de fala" não é nem sequer um argumento, é apenas lacração que demonstra o grau de emburrecimento que a nossa sociedade chegou. Por essa mesma lógica, ninguém teria o direito de criticar os cristãos a não ser os cristãos, ninguém poderia opinar sobre o conservadorismo a não ser os conservadores, ninguém poderia falar mal da direita a não ser quem seja de direita, e assim por diante, o que acabaria com o sonho dos próprios lacradores. Mas como todo lacrador é safado e desonesto, eles inventam as regras do jogo na cabeça deles e ainda exigem que a regra só tenha validade contra os seus oponentes, nunca contra eles mesmos.

      Excluir
  42. Blz Lucas??

    Quando olho para a parabola dos talentos fica mais claro para mim esse assunto sobre a alma.

    Mateus : 25:14-30

    Um Homem rico preste a iniciar uma viagem chamou os seus servos e distribuiu alguns talentos. Em seguida, partiu para sua viagem.

    Os servos não perderam tempo e imediatamente investiram os taletos que o Homem rico havia-les distribuído.

    Depois de muito tempo, o Homem rico retornou e foi acertar as contas com seus servos.

    Aquele servo que recebeu do Homem rico cinco talentos empreendeu e ganhou outros cinco.  Do mesmo modo, o que recebera dois ganhou outros dois.
    O Homem rico disse aos servos Já que foram fiel no pouco, confiar-te-ei o muito; entra no gozo do teu senhor!"

    Mas aquele servo que havia recebido apenas um fez uma cova no chão e escondeu ali a propriedade do seu mestre.

    O Homem rico respondeu : Servo mau e preguiçoso! Se sabias que ceifo onde não semeei e que recolho onde não joeirei, devias, então, ter entregado o meu dinheiro aos banqueiros e, ao meu retorno, teria recebido o que é meu com juros".

    O Homem rico ordenou que o talento fosse tomado do servo preguiçoso e dado àquele que tinha dez talentos:
    Lançai o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá o choro e o ranger de dentes!

    Dentro desse assunto da "alma" de forma alegórica o Homem rico é DEUS e o Talento é a alma que DEUS nos deu (Genesis 2:7).

    Aquele que investir a "sua" alma (mortal) em CRISTO JESUS recebera de juros a alma imortal ( vida eterna ) (Mateus 16:25).

    Mas aquele que não depositar a "sua" alma em CRISTO JESUS morrera. ( João 12:25).











    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafha, blz? De fato, a Bíblia diz que a imortalidade é um prêmio dado àqueles que a buscam (Rm 2:7), o que significa que não a temos por possessão natural e que nem todos a obterão no futuro. Como eu sempre costumo dizer, os imortalistas transformaram a vida eterna em algo banal, já que todo mundo iria inevitavelmente ter uma vida eterna em algum lugar, seja no céu ou no inferno. Viver para sempre não seria um prêmio em si, nem seria nada de mais, se o homem foi criado com uma essência eterna dentro de si. Mas quando vamos à Bíblia, vemos que o próprio fato de herdarmos uma vida eterna é uma recompensa dada pela graça de Deus aos que vencerem e forem considerados dignos disso (razão pela qual os ímpios não viverão para sempre). Por isso nós nunca vemos um texto na Bíblia dizendo que iremos morar no céu, mas sim que teremos uma vida eterna, o que é bem diferente. A ênfase nunca está no lugar em que passaremos a eternidade, mas no próprio fato de que um dia viveremos para sempre (ênfase essa que foi totalmente ofuscada por uma teologia dualista onde viver eternamente é algo inerente a qualquer ser humano).

      Excluir
  43. Alguma previsão de quando ira sair esta nova versão? Estou ansioso, pois o primeiro foi um dos mais importantes livros que eu já li no campo da Teologia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Previsão eu não tenho nenhuma, mas gostaria de terminar até setembro ou por aí. Mas como já teve livros que eu falei que ia terminar numa data e acabei terminando uns dois anos depois, melhor eu não fazer previsões. A propósito, eu acabei de terminar de escrever a parte mais importante do livro, são umas 150 páginas sobre a morte da alma nos originais, vou te passar o trecho por privado pra você ver como ficou.

      Excluir
  44. Lucas, ficou sabendo daquela atrocidade que aquele Filho do Demônio chamado Dr. Jairinho fez com o menino Henry, olha eu acompanhei o caso desde o princípio e sempre suspeitei que tinha carne vegana nesse hambúrguer.

    Mas, graças a Deus a Polícia fez o seu devido trabalho e prendeu aquele Demônio e aquela Bruxa que mataram a sangue frio uma criança inocente! Um cara desses deveria apodrecer para sempre na cadeia no mínimo! (Embora eu gostaria que ele virasse mocinha dos marmanjos na cadeia pelo que fez!) Mas, toda essa história tem um agravante: o infeliz que matou a criança é VEREADOR! Ou seja, o miserável tem FORO PRIVILEGIADO, mas como foi um caso de repercussão e de grande comoção nacional a Câmara dos Vereadores do RJ está discutindo a cessação do mandato do Demônio. Mas, infelizmente como aqui é Brasil não duvido nada que o nosso querido STF com o nosso gracioso Gilmar Mendes tente alguma manobra para soltar ele e aquela Bruxa! O CARA MATA UMA CRIANÇA INDEFESA E AINDA PODE SER SOLTO MAIS TARDE SÓ PORQUE É VEREADOR E TEM O FORINHO PRIVILEGIADO! É REVOLTANTE!

    Como eu bem disse no comentário acima o Brasil é o país onde: a banana come o macaco, onde a pipa empina o menino, onde o cavalo monta no cowboy, onde o poste mija no cachorro e onde o bandido julga o juiz! É REVOLTANTE!!!

    PS. Esse Demônio do Jairinho também é um aliado de longa data da Família Cosa Nostra Bolsonaro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acompanhei o caso por alto, mas pra mim estão no mesmo nível do casal Nardoni, deveriam dividir cela juntos e apodrecer ali. E essa palhaçada de foro privilegiado não deveria jamais ter existido, é abominável que haja uma casta privilegiada imune a qualquer crime, lembra aquelas épocas dos reis absolutistas e de suas cortes reais que podiam fazer qualquer coisa que quisessem porque estavam acima da lei, ver algo assim em pleno século XXI é de embrulhar o estômago. É isso o que acontece quando se permite que um grupo legisle sobre eles mesmos: dobram o próprio salário infindáveis vezes, aumentam os privilégios e regalias desmedidamente, fazem a farra com o dinheiro público e ainda por cima criam mecanismos de proteção para impedir que sejam presos mesmo que cometam o pior dos crimes. Em qualquer país sério, o povo já teria feito uma revolução contra esse bando de vagabundos e parasitas, mas aqui só se protesta por 20 centavos.

      Excluir
    2. O pior é gente do meio evangélico ter apoiado esse cara,o Crivella fez live com ele,a Elaine Martins uma cantora gospel declarou apoio a ele durante a campanha,claro que ela não poderia ter adivinhado que ele iria matar o enteado,mas poderia ao menos ter pesquisado o histórico dele antes de declarar o apoio,pq ele já tinha uma ficha suja,o pai dele é político tbm,o coronel Jairo da PM ligado a milícia e tanto ele e como o pai torturaram jornalistas do jornal O Dia que investigavam a milícia.

      Excluir
    3. Estudante de Direito de Direita você acha que a ligação dos evangélicos com políticos do nível de Dr Jairinho,já era pública a ligação dele e de seu pai com as milícias,a PF descobriu isso através da Operação Furna de Onça em 2018 e ainda assim ele teve apoio do Crivella o então prefeito da cidade que felizmente não se reelegeu,Flordelis e Família Bolsonaro pode afetar ainda mais a imagem dos evangélicos no país e as igrejas pararam de crescer?Eu já perguntei isso para o Lucas e ele acha que não,pq os evangélicos já apoiaram Lula e Dilma e ainda assim continuaram crescendo,mas eu acho que dessa vez é diferente,a maior pandemia desde a gripe espanhola,que ocorreu entre 1918 e 1920,além de 330 mil mortes e que continuam sucessivamente,já que a vacinação está muita atrasada porque o "mito" não as comprou com antecedência,não sabemos onde isso vai parar,se chegaremos a um milhão de mortos,Deus queira que não,mas os evangélicos estão agindo com muita frieza em relação a isso,os grandes líderes querem continuar com seus cultos,sendo que podem ser feitos online,falam que é perseguição do STF querer fechar templos,eu não gosto do STF,há muita corrupção ali,principalmente o Gilmar Mendes está bem longeeee de ser alguém com reputação ilibada que é uma condição para ocupar o cargo em que ele está atualmente,mas nesse caso eu tenho que dar razão a eles,não é só as igrejas evangélicas que estão sendo fechadas,mas templos de todas as religiões e isso está ocorrendo no mundo todo e não só com templos,mas com escolas,universidades,comércios,todos os serviços que não sejam essenciais para conter o avanço do vírus,então eu acho sim que a ação da maioria dos evangélicos na pandemia e o apoio incondicional ao Bolsonaro pode sim aumentar ainda mais a rejeição que sofremos da maior parte da sociedade.

      Excluir
    4. Olá Gabriel Tavares, será um grande prazer responder as suas perguntas, mas primeiramente vamos por partes.

      1) Sobre o Apoio incondicional de alguns evangélicos (ou pelo menos parte significativa deles) a Jair Bolsonaro (e algumas outras figuras controversas como Flordelis e esse Filho do Demônio do Dr. Jairinho) poder manchar ainda mais a imagem dos evangélicos na sociedade, eu estou com o Lucas nessa questão, embora o apoio cego ao Bolsonarismo seja um grande problema no meio evangélico atual (especialmente nas igrejas neopentecostais de certos líderes), de acordo com a pesquisa mais recente do Datafolha os evangélicos são o segmento social que mais apoia o Bolsonaro com 36% de aprovação (9 pontos acima da média), mas mesmo assim ele ainda é rejeitado por 45% dos evangélicos (5 pontos abaixo da média), mas ainda sim a maior parte dos evangélicos o rejeita (sobretudo os que não são neopetecostais), eu diria que os evangélicos sérios ou os mais tradicionais tem indícies de rejeição similares ou até maiores que as da população em geral, mas como infelizmente os neopentecas formam o maior grupo dos evangélicos o que acaba puxando esses números pra cima.
      Quanto ao apoio a outras figuras controversas como a Flordelis e o Dr. Jairinho, eu me lembro que quando esses casos foram descobertos e suas máscaras caíram, o que não faltou foram evangélicos arrependidos de em algum momento os terem apoiado (tanto nos comentários das redes sociais quanto de conhecidos meus na vida real), além disso tem sempre aquele grupo significativo (sobretudo os mais tradicionais) que nunca foi muito com a cara deles (eu sou um deles, nunca fui com a cara dessa Flordelis). Além disso, a maior parte dos evangélicos (ainda que por uma pequena margem acima de 50%) apoiou Lula e Dilma no primeiro mandato e mesmo tendo sido os dois governos mais corruptos e imorais da história do Brasil, ainda sim o número de evangélicos continuou crescendo (eu diria que nos governos petistas foram os que os evangélicos mais cresceram tanto em números quanto em percentagem).

      2) Sobre a insistência de algumas igrejas (sobretudo as neopentecostais como as de Edir Macedo, Valdemiro Santiago e cia) em permanecerem abertas (e o fato de alguns líderes ou evangélicos ainda agirem com muita frieza em relação ao número de mortes) e se isso pode piorar a imagem dos evangélicos na imagem da sociedade brasileira, sinceramente penso que não vai piorar a rejeição, pois mesmo que ainda hajam muitas igrejas e líderes insistindo em deixarem as igrejas abertas, a grande maioria das igrejas e líderes mantiveram as igrejas fechadas e realizando cultos presenciais, bem como muitos forma solidários com as famílias que perderam entes queridos, inclusive muitas igrejas fizeram correntes de oração para ajudar os que perderam os entes queridos. Aliás, o Yago Martins até mesmo fez um vídeo muito à respeito disso (https://www.youtube.com/watch?v=cX60Xakuvgc).

      Excluir
    5. Quanto se isso pode piorar a rejeição dos evangélicos por parte da sociedade, francamente acho que isso não vai acontecer e por um grande motivo: os evangélicos não são mais uma minoria desconhecida (como eram nos anos 80 e 90 e até a primeira metade da década de 2000) e a imagem dos evangélicos na sociedade já foi bem pior antes, atualmente estima-se que quase 1/3 (cerca de 29%) dos brasileiros sejam evangélicos, o que é um número bem expressivo, e hoje em dia quase todo mundo tem pelo menos um amigo ou parente evangélico e sabem que não são tudo um bando de bitolados como eram antes, aliás até 2010 os evangélicos tinham uma imagem péssima na sociedade, tanto é, que o que não faltaram nos anos 90 e 2000 eram programas humorísticos e novelas ridicularizando e manchando os evangélicos pela mídia, aliás a Globo (a Mídia em geral) nessa época adorava ridicularizar os evangélicos em seus programas e novelas, inclusive nessa época teve até mesmo uma novela que retratou descaradamente os evangélicos como intolerantes pois estavam perseguindo uma católica em trabalho de parto (não faço ideia de que novela era, mas à época causou muita polêmica), inclusive com grande parte do público aplaudindo esse escárnio. Mas de 2010 para cá, a situação melhorou muito inclusive com a sociedade mudando a sua percepção sobre os evangélicos passando-os a tolerarem e nos tratar com respeito, isso se deu em parte ao massivo crescimento dos evangélicos nas décadas anteriores fora o trabalho das igrejas sérias com evangelização e auxílio aos necessitados, aliás eu diria que a pior época pra ter sido evangélico no Brasil foram os anos 1980 e 1990 (além do período imperial, obviamente), mas hoje graças a Deus, a maior parte da sociedade nos respeita e tolera (algo que era impensável nos anos 80 e 90) com muitos não-evangélicos e não-cristãos tendo uma imagem positiva de nós.

      Um grande exemplo que posso citar desse caso é a minha melhor amiga (somos amigos quase irmãos) da faculdade: ela nasceu e foi criada num com parte da família sendo espírita e a outra parte sendo católica (ela tem 25 anos de idade e nasceu em 1995), e assim como muitos brasileiros da época ela tinha muito preconceito com os evangélicos e os achava hipócritas, mas quando ela conheceu o atual namorado dela (que é evangélico) em 2011 (aos 16 anos) e ambos começaram a namorar ele a apresentou à fé evangélica, inclusive ela passou a frequentar a igreja com ele e percebeu que muitos dos pensamentos que ela tinha à respeito dos evangélicos estavam errados, ela foi se encantando cada vez mais com a Palavra de Deus e pouco tempo depois se converteu e após mais tempo ela se batizou e hoje é uma evangélica fervorosa e com muita dedicação à nossa fé.

      Excluir
    6. "a grande maioria das igrejas e líderes mantiveram as igrejas fechadas e realizando cultos presenciais, bem como muitos forma solidários com as famílias que perderam entes queridos, inclusive muitas igrejas fizeram correntes de oração para ajudar os que perderam os entes queridos."

      Correção: a grande maioria das igrejas e líderes mantiveram as igrejas fechadas e realizando cultos online, bem como muitos agiram de forma solidária aos que perderam seus entes queridos na Pandemia, inclusive com muitas igrejas realizando correntes de oração pelos que perderam entes queridos.

      Desculpe o erro, é que às vezes meu teclado do IPhone me prega peças.

      Excluir
  45. Bendiciones hermano, un ejemplo contemporáneo sobre la ética protestante y el espíritu del capitalismo Siempre citan a Corea del Sur, pero en Guatemala existe un ejemplo muy llamativo que incluso los estados unidenses se admiran, Es sobre la transformación económica de Almolonga, Guantemala, una ciudad que anteriormente era pobre y violenta; actualmente es predominantemente protestante pentecostal y exitosa económicamente, puedes investigar más de este tema, pero dígame ¿Piensa usted que este es un ejemplo de la ética protestante y el espíritu del capitalismo? Bendiciones.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola, no conocía el ejemplo de Almolonga, investigaré más al respecto. Pero como dije en el libro, es una tendencia de cualquier país o región que se vuelva protestante crecer económicamente y avanzar en los índices sociales, si esto sucedió en Almolonga es uno mas ejemplo de esto.

      Excluir
    2. Muy bueno saber del caso de Almolonga,eres guatemalteco amigo?No conocia esa ciudad,busque en Google,muy bueno saber eso,pero ya sabia y ya habia comentado con Lucas Banzoli que Guatemala es el país latinoamericano con mayor percentual de cristianos protestantes y que desde que sepan elegir bien sus gobiernantes que tengan reales princípios liberales conservadores el país ira crescer mucho,la cultura será refuerzada,aqui en nuestro Brasil lamentablemente no hemos hecho eso,elegimos Bolsonaro,un militar defensor de dictadura y tortura,que se dijo liberal durante la campaña,ha puesto uno ministro liberal en la economia,pero no ha hecho ninguna accion liberal concreta en su gobierno,no ha privatizado nada,Fernando Henrique Cardoso que es de izquierda,social democrata,ha hecho muchisimas privatizaciones que han beneficiado el país,pero el supuesto liberal ninguna y sigue con sus actitudes populistas,aglomera durante la pandemia,recomenda medicamientos sin eficácia controlada,el llevará Brasil a un completo caos economico,peor que el generado por los petistas y hará muy mal a la iglesia evangélica estar asociada a ese hombre.

      Excluir
    3. Banzolão no comentário que eu fiz em espanhol para o ´´Conociendo La Verdad´´ eu falei que não basta ter uma maioria protestante para o país crescer economicamente e sim elegerem alguém que tenha verdadeiros ideias liberais e conservadores,aqui no Brasil elegemos o Bolsonaro,eu sei que nas circunstâncias em que ele foi apresentado,poderia ser um louco,falar um monte de besteira,mas até então não era corrupto,eu votei nele sem um mínimo de empolgação,mas aí passou o tempo,apareceram denuncias de corrupção contra ele e seu filho e ele demonstrou não ser liberal nem conservador,mas ainda assim as igrejas protestantes continuam apoiando ele e não só as pentecostais,ele tem uma base calvinista forte tbm,https://theintercept.com/2020/02/04/evangelicos-calvinistas-bolsonaro/ ,então enquanto a igreja não se der conta que ele é muito ruim e só prejudica o Brasil,principalmente durante essa pandemia,o Brasil não irá crescer,mesmo se tiver uma maioria protestante.

      Excluir
    4. Já está se dando conta, de acordo com a pesquisa mais recente a aprovação do Bolsonaro entre os evangélicos é de 37%, ainda é uma média um pouco maior que a do resto da sociedade no geral mas é bem menos da metade, dependendo de contra quem disputar num segundo turno não é nem o suficiente para uma reeleição. Ele só tem alguma chance de se reeleger com o apoio dos evangélicos se conseguir polarizar com o Lula no segundo turno, porque aí a disputa seria com alguém que economicamente falando defende princípios tão ruins quanto o que esse governo atual tem feito, mas roubando muito mais e defendendo pautas progressistas contra a vida e a família, aí é natural que a maioria dos evangélicos entenda que o Bolsonaro é o mal menor. Mas contra qualquer candidato mais moderado, não creio que ele teria chances.

      Excluir
    5. 1-Graças a Deus que já está mudando,eu não farei mais essa escolha de Sofia,se o segundo turno for entre Bolsonaro e Lula,eu nem irei votar,preferirei anular meu voto e tentarei sair do país o mais rápido possível,já estou providenciado uma cidadania italiana por tbm ser descendente e porque a Itália não estabelece um limite na sua ascendência,eu sou trineto de italianos e poderei ter a cidadania,vc tbm pode.

      2-Sabe que o meu problema com o Bolsonaro não é nem tanto ideológico,é pq ele me parece ser um humano cruel mesmo,sem empatia,não demonstra preocupação nem tristeza pelos mortos do país,não corre atrás de ajudar,diferente do que outros líderes da própria direita mundial fazem,como o Netanyahu de Israel,ele diz se inspirar tanto em Israel,mas não correu para vacinar a população como Netanyahu e tbm Boris Johnson conservador britânico fez,Boris Johnson depois de quase morrer de covid,correu atrás de resolver o problema do país,o Bolsonaro quase morreu na facada e não se tornou um ser humano melhor por isso,por essa postura fria dele,me deixa dúvidas até dos próprios princípios que você mencionou em que ele teria uma superioridade e maior apoio evangélico que o Lula,se ele realmente rouba menos que o Lula,ainda não sabemos até onde vai as rachadinhas e se há outros esquemas e se de fato defende a vida e a família,pode defender do aborto,mas não está defendendo da covid e muitas famílias estão sendo destruídas pela pandemia,se ele não as salva não adianta ser contra o ativismo LGBT.

      Excluir
    6. Em uma live do MBL o Renan Santos falou que até com o Cabo Daciolo de presidente estaríamos melhor nessa pandemia,pq o Daciolo pode ser doidinho mas não é um cara ruim de caráter,sem empatia com o próximo.

      Excluir
    7. 1) Na verdade eu não posso, porque apesar de "Banzoli" ser italiano, o nome da família na Itália era "Banzola", aí quando chegaram ao Brasil no século passado anotaram o nome errado e ficou "Banzoli" (ainda bem), mas por causa disso eles não conseguiram a cidadania italiana, já que não é exatamente o mesmo nome.

      2) Penso o mesmo.

      Excluir
  46. É verdade Lucas que os pentecostais aderiram a doutrina herética de montánamo? Isso procede? Digo isto, é que uma parte dos calvinistas apologistas estão espalhando nas redes sociais e no youtube, principalmente Marcos Granconato e seus discípulos da Igreja que ele é pastor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que é essa doutrina herética de montánamo? Se você está se referindo ao montanismo do século II, é uma associação bem ridícula, não me admira que tenha vindo de calvinistas habituados a rotular seus oponentes de forma caricata e cheia de espantalhos. Os montanistas eram ascetas, proibiam o consumo de carne, negavam o perdão dos pecados a quem cometia pecados graves, obrigavam o uso do véu nas reuniões, exigiam a castidade até dentro do casamento e ainda, segundo alguns, assumiam que o próprio Montano era uma "encarnação" do Espírito Santo. Que raios isso tudo tem a ver com o pentecostalismo? A estratégia desses caras desonestos como o Granconato é velha, eles pegam qualquer seita ou heresia que tenha ensinado qualquer coisa que lembre um grupo moderno (mesmo que também pregasse milhares de coisas totalmente diferentes) e aí associam um com o outro como se fossem o mesmo, na tentativa de descredibilizar a crença alheia. É o mesmo que essa gente faz com o arminianismo, como eles não são capazes de refutar o arminianismo em si eles apelam tentando forçar uma associação com o pelagianismo (que é herético), coisa de gente baixa mesmo.

      Excluir
  47. Hello Lucas,

    What are your thoughts on the claim that Covid 19 vaccines are the mark of the beast?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. I totally disagree, first because I don't believe Jesus will return now in the next few years (I discuss this in the article below), and second because the mark of the beast will not be something that people will accept "involuntarily" (without knowing that they are serving to the devil), but something purposeful for those who are in deliberate rebellion against God (Rev. 14:9-10).

      http://www.lucasbanzoli.com/2020/04/por-que-jesus-nao-vai-voltar-agora-e.html

      Excluir
  48. Hoje, 15 de abril de 2021 é um dia que ficará para sempre na infâmia e nos capítulos mais sombrios e perniciosos da História brasileira, Luiz Inácio Lula da Silva (o ladrão de 9 dedos) foi inocentado e está agora ELEGÍVEL pra 2022!

    https://www.google.com/amp/s/noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2021/04/15/plenario-do-stf-julga-anulacao-das-condenacoes-de-lula.amp.htm

    https://www.google.com/amp/s/www.gazetadopovo.com.br/republica/stf-confirma-decisao-de-fachin-e-mantem-lula-elegivel/amp/

    https://www.google.com/amp/s/noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2021/04/15/decisao-do-plenario-do-stf-mantem-lula-ficha-limpa-e-elegivel.amp.htm

    Pelo jeito o Mito conseguiu o que queria, o grande sonho do mito se realizou! Agora em 2022 vamos ter que escolher entre Hitler e Stalin, entre Fidel Castro e Pinochet e entre Belzebu e Moloch. Muito Obrigado Bolsolixo, Muito Obrigado Fachin, Muito Obrigado Gilmar Mendes, Muito Obrigado Carmen Lúcia, Muito Obrigado à todos os Ministros que votaram em favor de Lula e desonaram as suas togas, Muito Obrigado Gado bolsopetista, Muito Obrigado Astrolavo e principalmente Muito Obrigado ao Flávio Rachadinha que por conta dos seus crimes e da falta de hombridade fez o nosso país retroceder 40 anos no combate à corrupção! Muito Obrigado aos envolvidos, que Satã os abençoe!

    Ps. Desculpe a exaltação e as palavras duras, precisava desabafar com você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Agora em 2022 vamos ter que escolher entre Hitler e Stalin, entre Fidel Castro e Pinochet e entre Belzebu e Moloch...". Belas analogias. Eu poderia adicionar uma final de campeonato entre Corinthians e Palmeiras, onde o bom seria os dois perderem, mas infelizmente uma das duas forças do mal tem que ganhar.

      Excluir
    2. Vocês acreditam em uma terceira via para 2022?

      Excluir
    3. Acreditar em que sentido? No sentido de existir uma ou dela ser elegível? Com certeza haverá várias "terceiras vias" (Dória, Ciro, Huck, Marina Silva, Daciolo, Amoedo e etc), mas nenhuma que tenha estatura suficiente para ameaçar a hegemonia dos dois extremos que polarizam entre si (Lula e Bolsonaro). Os únicos nomes que TALVEZ conseguissem botar lenha na fogueira são o do Moro e do Danilo Gentili, mas o primeiro teve a imagem bem desgastada depois de tudo o que aconteceu, e o segundo dificilmente seria levado a sério por gente suficiente que o levasse ao segundo turno. Só duas coisas podem evitar isso: o Lula receber uma nova condenação na justiça e ser impedido de disputar, ou a popularidade do Bolsonaro despencar ainda mais a um nível não-elegível. Mas ambas as hipóteses me parecem improváveis, dado que o STF está bem decidido a manter o Lula livre e que o gado que ainda apoia o Bolsonaro o apoia incondicionalmente, não importa o que ele faça.

      Excluir
  49. Pior será se descobrirem que alguém da família Bolsonaro mandou matar a Marielle e ainda assim a maioria dos líderes evangélicos continuar apoiando o desgoverno,eu particularmente acho que não foi nenhum Bolsonaro,eles não se arriscariam a esse ponto mandando matar uma vereadora,eu penso que foram milicianos lá da comunidade dela mesmo,já que ela era bem crítica as milícias,Banzolao você acha que pode ter sido algum Bolsonaro?Ou que ao menos eles se omitiram,sabiam que ela seria morta,mas não denunciaram? Porque aí enterraria de vez a credibilidade da igreja evangélica para opinião pública,se eles continuarem apoiando em maioria o governo de um homicida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se nem os investigadores da polícia descobriram quem mandou matar Marielle, não serei eu que terei a resposta...

      Excluir
  50. Por incrível que pareça, ainda pode haver um revés nessa história toda da anulação da condenação do Lula:

    https://youtu.be/HPCGgL9SjPk

    https://www.google.com/amp/s/jovempan.com.br/programas/jornal-da-manha/processos-de-lula-podem-ser-julgados-no-df-antes-das-eleicoes-de-2022-diz-advogado.html%3famp

    Mas, do jeito que as coisas são no Brasil acho que não vai dar em nada. Seremos reféns do Bolsolula!

    ResponderExcluir
  51. Aprendam com história, canceladores de Twitter:

    https://mobile.twitter.com/MuseuHolocausto/status/1383019213804204036

    ResponderExcluir
  52. 1-https://www.youtube.com/watch?v=g9RCcdvmPbk Banzolão eu sei que você não gosta que enviem vídeos,mas quis enviar esse vídeo que acabei de assistir,do MBL,pq trata de um tema que coincidentemente eu falei hoje contigo,que é a responsabilização das forças que apoiaram o governo Bolsonaro,o Renan diz que se o PT voltar a poder e hoje isso está mais perto da realidade,com o STF lamentavelmente anulando todas as condenações feitas pelo Moro na Lava Jato,o Lula irá ir para cima de quem apoiou o Mito e dentro dessas forças estão muitas igrejas evangélicas,ele pode querer responsabilizar Silas Malafaia,Edir Macedo,etc e se eles forem presos não dá para dizer que foi perseguição religiosa,já que de fato eles cometeram crimes,então sem dúvida acho que a credibilidade da igreja evangélica está indo água baixo,com o número de mortes no país só aumentando e eles dando apoio incondicional ao ´´mito´´.

    2-O MBL fez muito bem em ter saído fora de apoiar o mito antes mesmo da posse dele,saíram assim que foi divulgado as rachadinhas que o Flávio fazia com o Queiroz na ALERJ,pq as igrejas evangélicas estão insistindo tanto em apoiar o ´´mito´´?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Quais crimes eles cometeram?

      2) Eu respondi sobre isso no seu outro comentário.

      Excluir
    2. 1-O Macedo tem várias acusações de estelionato, corrupção,mas aí que está a hipocrisia do PT,enquanto o Macedo apoiou os governos Lula e Dilma,inclusive o vice do Lula,José Alencar,era do PRB,hoje Republicanos,partido do Macedo,aí quando o Macedo declarou apoio ao Bolsonaro,o Haddad falou que o Bolsonaro era a mistura do "neoliberalismo desalmado do Paulo Guedes com o charlatanismo do Edir Macedo".

      2-O Malafaia enfrenta acusações tbm como na Operação Timóteo,não foi condenado tbm,nem sei se a operação já foi encerrada,mas não duvido quando o PT voltar ao poder influenciar para ele ser condenado,ele pode ser inocente sim,já que as acusações contra ele são menores que contra o Macedo,o Macedo sim duvido que seja.

      Excluir
    3. Sem contar as acusações em outros países contra o Macedo,recentemente Angola chutou ele de lá,os próprios pastores angolanos da Igreja Universal do Reino de Deus decidiram romper com a denominação que deixou de existir naquele país,vc acha possível o PT voltando ao poder explorar esse histórico totalmente incompatível a um bispo por represália a ele ter rompido com o partido e ter ido apoiar o Bolsonaro?

      Excluir
    4. Poder pode, mas não sei se seria inteligente da parte deles partir para uma "caça às bruxas" declarando guerra contra milhões de evangélicos (leia-se: milhões de eleitores...), talvez eles tentem uma reaproximação caso consigam de volta o poder, o que em se tratando de Edir Macedo é só uma questão de negócios.

      Excluir
  53. 1) Lucas, poderia me dizer como você aprendeu a se expressar por escrito de forma tão fluente assim? Eu realmente gostaria de saber me expressar melhor por escrito, e a escrever mais corretamente. Ficarei agradecido se me ajudar.

    2) O livro de Malaquias, que é o mais novo do Antigo Testamento, foi escrito no começo do século IV a.C. aproximadamente. Mais tarde, entre os séculos III a.C. e I d.C. os judeus escreveram centenas, talvez milhares, de livros apócrifos. Minha dúvida é por que os judeus ainda escreviam esses livros que tinham a intenção parecer "inspirados" se todo mundo já sabia que o cânon estava fechado. E que tipo de gente que produzia esses livros e por quê? Li em um livro chamado "Guia conciso do judaísmo" que essas pessoas eram consideradas "perigosas", mas por quê? Eu tenho muita curiosidade de saber que tipo de gente e quais os motivos as levaram a escrever esse tipo de literatura.

    3) Me desculpe por fazer você gastar o seu dinheiro com o livro "Apócrifos e pseudepígrados da Bíblia 2". Eu não sabia que o Evangelho Secreto de Marcos era uma fraude de um arqueólogo. Mas se serve de consolo, ali tem muitas outras obras valiosas da literatura apócrifa. Eu gosto bastante de alguns.

    4) Achei mais uma confirmação de que Pedro e Cefas não eram a mesma pessoa em um escrito de Clemente conservado por Eusébio de Cesareia. Isso poderia ser acrescentado às evidências que você apontou em seu artigo.

    5) Poderia me recomendar algum livro conservador sobre a origem do cânon do Antigo Testamento?

    6) Você acredita que Mateus foi escrito originalmente em aramaico e eu tenho tendência a acreditar nisso também. Mas os liberais costumam objetar que não existem evidências no livro de que ele seja uma tradução para o grego. O que você acha disso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Não existe nenhum segredo, inclusive se você ler meus artigos antigos verá que eu escrevia HORRIVELMENTE, até hoje eu tenho vergonha de ler. Eu ainda pretendo fazer uma nova edição de todos os livros que eu já escrevi até 2018, pra mim foram todos mal escritos, principalmente os mais antigos. Se eu melhorei alguma coisa foi simplesmente por escrever bastante, a gente naturalmente vai melhorando em tudo o que praticamos muito, é como qualquer esporte, quanto mais você treina melhor você fica. O problema é que hoje em dia ninguém gosta de escrever, só de assistir vídeos, o máximo que escrevem são mensagens de whatsapp ou trechos curtos no facebook e etc, aí nunca evoluem mesmo. Pra mim o ideal seria todo mundo ter pelo menos um blog, nem que seja pra escrever de vez em nunca qualquer coisa que queira, não sei por que as pessoas tem tanto medo ou receio, eu conheço gente super capacitada mas que não escrevem o que sabem de jeito nenhum, nem com eu insistindo. Sem falar que escrever é EXCELENTE para memorizar um conteúdo, frequentemente eu esqueço de alguma coisa mas me lembro que já escrevi sobre aquilo, aí é só achar o artigo em questão e pronto. A gente guarda na memória menos da metade daquilo que lê, mas conserva muito mais daquilo que escreve.

      2) Nem todos escreviam na intenção de serem considerados inspirados, o autor de Macabeus por exemplo reconhece abertamente no final do livro que a obra podia ter ficado medíocre mas foi o que ele pôde fazer, e se referia aos profetas como algo do passado. Muitos desses livros tinham apenas o interesse de registrar fatos históricos ou de instruir as pessoas, é que nem hoje em dia, nós temos os livros bíblicos mas nem por isso deixamos de escrever outros livros narrando eventos históricos ou instruindo as pessoas em alguma coisa (com devocionais, sermões, autoajuda e etc).

      3) Eu não cheguei a comprar o livro, então está ok.

      4) Qual?

      5) “O Cânon das Escrituras” (F. F. Bruce)

      6) Na verdade eu já ouvi muito o contrário, que Mateus tem muitos indícios de ser uma tradução do hebraico ou do aramaico e portanto mais uma prova de que não foi escrito originalmente em grego. De qualquer forma, as evidências de que existiu um original aramaico de Mateus vão muito além do estilo da escrita. E o próprio Mateus pode ter adaptado pro grego de uma forma que não parecesse uma “tradução rude” (palavra por palavra), mas que soasse compatível com o próprio grego.

      Excluir
  54. Banzolao vc acredita que se o Lula fosse presidente durante essa pandemia a gestão dele seria tão desastrosa quanto a do "mito"?Acredita que ele iria mandar todos tomarem cloroquina,mesmo sem a comprovação de eficácia do medicamento,que iria aglomerar,andar sem máscara,deixar de comprar vacina?O Lula pode ser corrupto,ter uma ideologia muito ruim e ter estudado bem pouco ,mas ainda assim quando era presidente mantinha certo decoro e saiu da presidência com altos índices de popularidade,se não fosse a corrupção teria ficado para história como um excelente presidente,então as vezes fico pensando se a gestão dele durante a pandemia seria menos pior que a do Bolsonaro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa loucura de cloroquina e etc não teria mesmo, mas provavelmente estaríamos hoje bem parecidos com a Argentina da Kirchner, com tudo fechado e a economia indo pro buraco cheio de gente morrendo de fome, na prática estaríamos ferrados do meio jeito, só que por razões diferentes.

      Excluir
  55. Lucas qual foi o benefício e o legado de Comênio para o ocidente do século XVII, que tem uma grande influência pedagógica até hoje que é tão atacada pelos blogueiros católicos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comenius é tido como simplesmente o pai da pedagogia moderna, então o legado dele é enorme. Ele basicamente sepultou os antigos métodos escolásticos de ensino, que eram um verdadeiro câncer que servia mais para obstruir o aprendizado do que a facultá-lo. Graças a ele o analfabetismo regrediu como nunca antes, a teoria foi unificada com a prática, os mais jovens passaram a ter uma grade curricular correspondente à sua idade e a educação se tornou universal, e não mais um monopólio de uma elite restrita privilegiada. Eu vou falar bastante sobre ele no terceiro e último volume da minha série de livros sobre a Reforma.

      Excluir
  56. o que acha dos veganos?
    tipo acha que é contraditório ser crente e vegano?

    falo do ativismo vegano

    não falo que é impossível ou um versículo proíba
    mas que Deus vê os humanos como superiores a outro seres, e muitos veganos são isso, pois todas vidas importa até dos animais, é por isso é imoral comer sua carne diferente de Deus que permitiu certos animais e até Jesus comeu peixe
    até sacrifícios com animais, no caso pela expiação dos pecados e mandou até aves ao povo do deserto.

    é algo contraditório o discuso levantado por alguns veganos que vida de pessoas e animais tem o mesmo valor com a bíblia?
    não impede que cristão não seja vegano só que são pensamentos contraditórios pregados pelo 2

    e tem questão de ovo, leite, mel mas é mais por questão de indústria que abusa demais, e não usar seria um modo de de acabar mas só funcionaria se um grupo grande o fizesse e por isso é incentivado e sempre fazem várias alternativas para que não seja necessário usar essas coisas, acho que essa indústria abusadora não existia na época que fizeram a bíblia, mas tambem vejo argumemtando que isso também é ruim e que não deveria ser tirado mas envolve uma longa argumentação e não quero levantar essa pauta aqui (escrevi mais para não achar que falo de vegetariano)


    acha que algum dia ninguém poderá carne legalmente? tipo que seja proibido e a carne que será dada será a artificial que imita o sabor da carne natural e também as proteínas, e nenhum animal poderá ser morto, seria contruído aos poucos, então não seria como se alguém de repente chegasse falando que não pode comer mas que ela seria abandonada pois passariam a considera como algo imoral e pensar em outras alternativas.
    algo semelhante a escravidão que deixou se ser vista como aceitável ou ser quer necessário
    parece louco, mas vi uma pessoa defedendo essa tese, o que acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser cristão e vegano em tese não é nenhuma contradição (Deus não obriga ninguém a comer carne, apenas permite), só é contraditório se quiser proibir que os outros comam. Se alguém diz que a vida de humanos e animais tem o mesmo valor, então necessariamente não pode matar pernilongo à noite, nem barata, nem aranha ou qualquer outro animal do tipo, fazê-lo seria uma traição aos seus princípios (seria o mesmo que matar um humano), mas na prática ninguém age assim. Todo mundo sabe que há uma gradação de valores baseada no grau de consciência e sensibilidade de cada ser, é por isso que ninguém considera algo monstruoso pisar numa formiga ou matar um pernilongo, mas se alguém chutar um gato ou matar um cachorro seria considerado um monstro, justamente porque se trata de animais com elevados níveis de consciência e sensibilidade (ou seja, capazes de pensar e de sofrer como um ser humano, mas não no mesmo nível). Há uma escala que vai desde animais irracionais sem sistema nervoso até o ser mais racional e sensitivo de todos, que é o ser humano. Ignorar isso ou tratar todos como iguais (desde uma simples bactéria) é simplesmente burrice.

      Também cabe mencionar que no reino animal os próprios animais se matam entre si por alimento, ou seja, nós não fazemos nada de mais que eles não façam; mesmo se todos fôssemos veganos ainda assim animais continuariam morrendo, e de uma forma muito mais dolorosa e brutal do que por mãos humanas (a dor causada pelos dentes de um leão ou de um urso são bem maiores que as da famigerada indústria humana que abate animais, não que não haja abusos, mas cada vez mais há regulamentações para se limitar o sofrimento dos animais abatidos). Se a carne animal será legalmente proibida um dia, é provável que sim, mas só quando surgirem as carnes sintéticas que reproduzam o gosto idêntico da natural e forem tão saudáveis quanto e financeiramente acessíveis, algo que ainda vai levar muito tempo. Antes disso eles não conseguiriam exercer pressão suficiente para proibir que bilhões de pessoas – a grande maioria dos que habitam na terra – continuem comendo aquilo que elas mais gostam.

      Excluir
  57. A questão da democracia, quando se faz plebiscito ou referendo pra alguma coisa, algumas pessoas dizem que isso faz com que o desejo da maioria se sobreponha ao da minoria, mas não seria isso democracia? No caso do aborto ainda, li que nesse caso a pergunta correta seria: vc acredita que a pessoa deva ir presa por ter feito aborto? A pergunta teria caráter penal. O pessoal diz que não faz sentido perguntar se vc é a favor do aborto ou não porque seria genérico demais. Mas eles se negam a fazer um plebiscito assim porque a maioria decidiria contra a minoria (abortista). Eu particularmente sou a favor de matar o estuprador, e não matar o bebê que foi gerado por causa do estupro. E no caso de gravidez indesejada, acho uma grande patifaria querer abortar nesses casos, parece aborto esportivo. Não quer engravidar, é só não transar, ou então usar método contraceptivo, tem um monte por ai... Mas essa questão da maioria ganhar da minoria e verem isso como defeito (no caso do aborto) é meio esquisito pra mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre a democracia, trata-se de fato do desejo da maioria, o que apesar de não ser perfeito é melhor do que ser governado pelo desejo da minoria (como no caso de uma ditadura). O ponto é que ou o desejo da maioria prevalece ou o da minoria, mas não dá pros dois prevalecerem enquanto defenderem pautas contrárias, por isso a democracia é o menor dos males. O desejo da maioria nem sempre é o melhor, mas a maioria costuma ser mais lúcida que a minoria. Além do que, se aceitarmos o governo da minoria, isso nos levaria ao questionamento: que minoria seria essa? Os tridentinos que querem uma teocracia católica? Os muçulmanos que querem uma teocracia islâmica? Os comunistas que querem uma revolução socialista? Os monarquistas que querem restaurar a monarquia? Os saudosistas da ditadura que querem um novo AI-5? Quem teria o poder de decidir qual desses grupos estaria no poder? A vontade da maioria não seria, já que nenhum desses grupos são maioria. Seria aquele que conseguisse tomá-lo à força, lutando com os outros como numa guerra civil? Isso nos faria regredir a um estado primitivo de barbárie, que é justamente o que a democracia tenta evitar, ao fazer com que todos convivam pacificamente entre si (o que sempre foi uma façanha extremamente difícil).

      Sobre uma pessoa ser presa por aborto, deveria sim. Não estou falando de prisão perpétua, mas não faz sentido algo ser crime se não houver punição. Não adianta nada o aborto ser ilegal se não houver consequências a quem aborta, neste caso seria o mesmo de ser legalizado.

      Excluir
  58. Outra frieza do Bolsonaro que é latente,coisa de psicopata é não demonstrar empatia nem com ex aliados que o ajudaram a chegar a presidência,foi assim com Bebianno que era presidente do partido dele e foi seu chefe de campanha,com Major Olímpio,que era um militar como ele,eu lembro que o Lula ao menos demonstrou empatia quando o Brizola morreu,o Brizola tinha sido aliado dele,mas quando morreu estava fazendo oposição,fica parecendo que no íntimo o Bolsonaro está até feliz com a morte deles,em um momento de dor,luto,o correto é divergências políticas passadas serem esquecidas,por isso que eu digo que meu problema com ele vai além da ideologia,tem a ver com o tipo de ser humano que ele é,ele poderia ser o maior liberal do mundo,privatizar todas as estatais existentes,defender a família tradicional e se opor ao aborto como ninguém,que eu não estaria feliz em votar e apoiar uma pessoa que em seu compartamento parece um psicopata,serial killer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é um grande admirador do Coronel Brilhante Ustra,trata o período que o país foi governado por uma junta militar como uma era esplendorosa,também admira ditadores de outros países como o Pinochet e pra mim isso explica muito sobre o caráter dele!

      Excluir
  59. 1) Na minha opinião, o aborto só deveria ser legal em casos de estupro ou de risco de morte para a mulher. Nesses casos eu compreendo a mulher querer abortar. Isso fica a critério dela. Você concorda comigo? Justifique sua resposta [risos].

    2) Acho que a mulher e os médicos que fazem aborto sem ser por aqueles motivos que falei acima deveriam ir presos ou morrer na cadeira elétrica. Não sei qual das alternativas seria melhor, mas não pode ficar tudo por isso mesmo. Eles são assassinos de bebês e merecem sofrer muito por isso! O que você acha, Banzo?

    3) Você conhece o Alon Franco pessoalmente?

    4) Lucas, eu considero totalmente ou parcialmente mundanizadas as igrejas que praticam as seguintes coisas:

    a) Ordenação de mulheres ao pastorado
    b) Ordenação de gays a qualquer coisa
    c) Casamento misto
    d) Casamento gay
    e) Divórcio em um caso que não houve adultério
    f) Apoio ao aborto em casos que não o justificam (estupro ou risco de morte)
    g) Pregar que a Bíblia é misógina e que ela está errada ao dizer que o homem é o cabeça da casa

    Na MINHA OPINIÃO, Deus ODEIA e ABOMINA todas estas coisas, e eu tenho um desprezo enorme por todas elas. Com quais pontos você concorda ou discorda?

    5) Você acredita na visão calvinista ou zuingliana dos sacramentos? Eu tenho uma visão meio diferente do habitual, não sei se chega a ser luterana, mas minha visão se aproxima mais desta, eu acho.

    6) Eu creio que a homossexualidade é pecado e isto está muito claro na Bíblia. Mas tenho a impressão de que este pecado foi superestimado pela Igreja. Ou seja, a Igreja vê a homossexualidade como se fosse um pecado muito mais grave do que realmente é. Qual é o problema deste pecado? Ele é antinatural. Só isso. O sexo foi criado para o homem colocar o pênis na vagina da mulher e não dentro do ânus de outro homem. Este que é o pecado. Mas, pense comigo. Não é mais grave, por exemplo, você ficar espalhando boatos mentirosos sobre alguém só para ferrar essa pessoa? No primeiro caso houve consentimento, no segundo não. Na verdade, ao meu ver, o segundo caso é muito mais danoso do que o primeiro, pois ele é rasteiro, invasivo, chato e pode destruir a vida de alguém. Mas o primeiro é só uma atitude antinatural. Aí entra a questão do casamento. Por que sou contra? Simplesmente porque Deus deixou bem claro na Bíblia que o casamento que ele abençoa é aquele entre um homem e uma mulher. E nem adianta espernear, chorar e fazer birra. É isso que a Bíblia diz e ponto final. Talvez eu pareça um bipolar falando estas coisas. Não é isso. Eu apenas não sou um fanático polarizado. Eu acredito que os gays são muito discriminados e que Deus não se agrada nem um pouco disso. Mas nem por isso a homossexualidade deixa de ser um pecado, e por causa disso não tem a bênção de Deus. Enfim, acredito que é nosso papel como Igreja defender os gays, mas não simplesmente fazendo de conta que a homossexualidade não é pecado. Mas sim como Jesus fez com a mulher adúltera. Jesus aceitou a mulher e a tratou com humanidade, mas nunca disse que o adultério não é pecado. Acho que essa deveria ser a posição da Igreja em relação à homossexualidade. O que você acha disso tudo que falei, Banzo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ei Gabriel, acha que seria uma boa um tipo de orientação lgbt+ em igrejas? não digo para permitir homossexualidade ou que mudem doutrinas mas orientar pastores e fieis a como trata los, tambem incluído trans e outros que fazem parte do grupo, seria util para ensinar o porquê de serem assim
      um exemplo é por que trans insistem e se dizer de outro sexo?
      assim eles entenderiam que a questão é bem ampla e não simplesmente um cara que botou roupa do sexo contrário e se achar assim
      assim ajudaria a ter mais empatia pois entenderia melhor quem são pessoas e não monstros.
      também certos tratamentos por exemplo como trata los dentro de igreja, piadas impróprias, como ensinar crianças a respeitar eles e não digo que doutrinem e ou tenha alguma agenda gay (nem gosto muito desses nomes)
      mas vejo muitos pastores que tratam gays como montros, trans como uns verdadeiros birutas e isso é péssimo.
      vários fiéis não diferenciam um discurso de ódio de pregação.

      penso que aliviaria o que fala se pastores e fiéis recebessem orientações sobre essa comunidade para saber como reagir e que saibam por que eles são assim, para que a imagem de monstro deles diminua

      ao meu ver se quisermos realmente resolver o problema temos que tomar atitude, não simplesmente esperar que eles comecem a agir como Jesus

      Excluir
    2. Sobre o aborto também tenho essa mesma opinião. Poderia ser legal em caso de estupro, risco a grávida, etc

      Excluir
    3. Penso exatamente como você, Amanda. Não sou à favor da "agenda gay" do movimento LGBT. Apenas defendo a ideia de que eles merecem ser tratados com humanidade. Conheço gente que trata os homossexuais como se eles fossem pessoas terríveis, más, sem caráter, como se o pecado deles fosse tão grave quanto o dos bandidos que matam, sequestram e roubam as pessoas. Os homossexuais estão errados, mas não é um pecado tão grave assim. Eu até acho que se eles fossem tratados como merecem, não existiria uma "agenda gay" extremista que quer colocar os gays acima de todo mundo como se eles fossem deuses cheios de direitos que os outros não têm.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    5. Gabriel, sobre o teu posicionamento número 4, ao dizer "casamento misto" você está se referindo à situação popularmente caracterizada como "Jugo Desigual", isto é, a união amorosa de um crente com um descrente, não é?

      [Obs: Sei que, até onde me lembro, o significado bíblico dessa expressão é mais amplo, e não se confina ao contexto de Casamento. O motivo da pergunta é apenas o fato de eu estar mais habituado com tal termo sendo aplicado nos ambientes cristãos com a finalidade de ilustrar o sentido apresentado na indagação, mesmo. Confesso que nunca havia escutado "casamento misto" antes, então é só pra confirmar.]

      Enfim, se a resposta for sim, o que você pensa sobre a situação onde, num casal de descrentes, apenas um dos indivíduos eventualmente se converte e assim é inserido na congregação? Se a solução proposta for divórcio, você terá que abrir mão da integralidade do ponto E - Negação do "Divórcio em um caso que não houve adultério". E se a solução for permitir a continuidade do relacionamento, você terá que abrir mão da integralidade do ponto C - Negação do "Casamento misto". Aparentemente, eles se anulam. Inclusive, talvez você até já assuma a suspensão de um dos pontos no caso exposto, configurando uma espécie de "exceção". A coisa é que, ao mesmo tempo, não sei se haver exceção acabaria desaguando na categoria que você mesmo define como "parcialmente mundanizada".

      Perdão se me equivoquei ou entendi algo errado. Particularmente, não concordo com você em nenhuma dessas duas proposições em questão. O tópico logo me traz à mente a fala de Paulo em que ele não se preocupa em permitir tanto que o "casal misto" [Novamente, destaco a ressalva se é ou não a isso que você se refere] permaneça junto, quanto que se separe. Mas não sei como você interpreta essa passagem e gostaria de conhecer o teu modo, é um assunto que conversei pouquíssimas vezes.

      Excluir
    6. 1) Concordo só com os riscos de morte da mulher. O feto não tem culpa se foi gerado por um estupro, e além disso não é fácil determinar com precisão quando foi estupro e quando não (muitas vezes pode ser pretexto para praticar o aborto “legal”). A mulher não é obrigada a cuidar do filho se não quiser, é só dar pra adoção que tá cheio de gente esperando a oportunidade na fila pra adotar filho, mas matá-lo é crueldade.

      2) Cadeira elétrica é demais, mas sim, deveriam ser presos.

      3) Não.

      4) Discordo do que você pensa em relação aos pontos A e E e concordo com B, D, F e G. O ponto C ficou vago, eu concordo com o que o Lucass colocou no comentário dele, mas também concordo que a princípio alguém já cristão não deveria buscar um relacionamento com quem não compartilha a mesma fé (se é que por “casamento misto” você se refere a isso mesmo).

      5) As duas se complementam. A Ceia do Senhor é um memorial (um símbolo) e através desse memorial participamos espiritualmente do corpo de Cristo. A visão luterana da Ceia é herética, tanto quanto a católica. Ambas transformam a Santa Ceia do Senhor em um ritual macabro de canibalismo.

      6) Concordo.

      Excluir
    7. Pontuo que concordo com o acréscimo do Lucas, de ser bem preferível um cristão buscar alguém da mesma fé. Esqueci de ressaltar isso.

      Ah, Lucas, e já que o limite de comentários do post está se esgotando, não precisa aprovar esse se houver outros maiores na espera.

      Excluir
    8. Não tinha nenhum na espera, foi bom você postar esse, assim eu já posso fechar aqui 😂

      Excluir
  60. Lucas,na sua opinião porque o Twitter é uma rede social tão tóxica e o que a faz ser tão tóxica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser tóxico é uma característica de qualquer rede social porque seres humanos são tóxicos. O que faz o twitter ser ainda mais tóxico é o limite pequeno de caracteres que inviabiliza qualquer discussão racional baseada em argumentos e se torna uma rinha de galo onde "ganha" quem usa mais palavras de efeito, frases prontas, clichês e ataques pessoais, impulsionado também pelo fato de ser extremamente fácil criar "robôs" que poluem ainda mais o ambiente e interferem no algoritmo.

      Excluir
  61. Missa em ação de graças em homenagem aos 80 anos de Pelé:

    https://www.vaticannews.va/pt/mundo/news/2020-10/pele-80-anos-missa-em-acao-de-gracas-no-cristo-redentor.html

    Ao seu ver, seria válida uma celebração equivalente no meio evangélico? Um culto em homenagem ao rei do futebol?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O único propósito de um culto é cultuar a Deus, está na própria definição do termo. "Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele darás culto" (Lc 4:8). Não há problemas em homenagear alguém, desde que não chame de culto (que é pra Deus).

      Excluir
  62. Eu tenho uma grande dúvida: Jesus ele é a mesma pessoa que Deus, ou ele é Deus sendo filho Dele? Pode ter ficado meio confuso

    Mas pessoas dizem que Jesus ele é a mesma pessoa que Deus, já outras dizem que ele é filho de Deus

    ____________________________________

    Tu viu o estado deplorável que ficou a Califórnia? Isso meio que mostra que mesmo sendo um Estado/País rico, o que mais importa são os governantes

    Muitas pessoas dizem que o México se tornaria uma potência que tivesse permanecido com esses territórios ao Norte, já eu acho ao contrário: seriam territórios pouco habitados, de certa forma pobres e sofreriam com o tráfico

    Esses estados tiveram sorte de serem anexados pelos Estados Unidos do que ficar com o governo corrupto do México

    ____________________________________

    Como refutar o "argumento" do bule de chá de Russel? Todos nós sabemos que ela é uma falácia, até porque só serve para zombar, mas como podemos refutar de forma decisiva?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Jesus é Deus como o Pai, mas não é a mesma pessoa que o Pai. Mesmo que eu e meu pai fôssemos engenheiros, isso não faria de nós a mesma pessoa. Da mesma forma, Jesus não é a mesma pessoa que o Pai, mas ele tem o mesmo que o Pai tem, uma natureza divina eterna e não-criada. Deus não é uma pessoa, mas três (Pai, Filho e Espírito).

      2) Não estou sabendo do que ocorreu na Califórnia e concordo com o que você disse sobre o México.

      3) Aqui tem uma refutação a isso:

      https://projetoquebrandooencantodoneoateismo.wordpress.com/2012/09/26/tecnica-bule-de-russell

      Excluir
  63. Banzolão eu assisti a entrevista da Andressa Urach no The Noite do Danilo Gentili em que ela conta a experiência de conversão dela,teve uma EQM por complicações em uma cirurgia estética e ela conta que viu sua alma sair do corpo e um local como se estivesse em um julgamento e que seria condenada,foi quando pediu perdão e Jesus lhe deu uma nova chance,mas se ela tivesse morrido,a alma sairia de vez do corpo,ficaria vagando?Pq eu já ouvi outros relatos de EQM de pessoas que também se viram sair do corpo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu expliquei as EQM aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/02/uma-analise-das-experiencias-de-quase.html

      Excluir
  64. Graça e paz meu amigo.
    Lucas, estou escrevendo um livro sobre o Dispensacionalismo e o Sionismo, e gostaria do seu contato para uma participação do irmão. Terá algumas citações sua lá e também gostaria de dividir contigo esse trabalho que tenho desenvolvido.
    Me passa seu contato para que possamos trocar informações. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, pode me contactar por e-mail (lucas_banzoli@yahoo.com.br) ou pela minha página no facebook (facebook.com/lucasbanzoli1).

      Excluir
  65. Estou realmente enojado com o Severo, que ficou obcecado em defender o Malafaia, acreditando que ele seja um verdadeiro evangélico, inclusive o Júlio chama evangélicos anti-bolsonaro de "esquerdistas oportunistas" só porque apareceram na Globo falando que não apoiam ele, como se você fosse contra o Bonoro te fizesse esquerdista automaticamente. E irônico ele falar oportunista, quando o Malafaia é o maior oportunista de todos, sempre apoiando o presidente que pode lhe trazer benefícios, inclusive o Lula por anos, ele que deveria ser o "esquerdista oportunista" de acordo com o próprio Severo: http://juliosevero.blogspot.com/2021/04/silas-malafaia-defende-bolsonaro-contra.html

    Lucas, muitos argumentam que um cristão não deveria apoiar o capitalismo pois é um sistema que se fundamenta na ganancia, logo o capitalismo precisa de pessoas pecando para dar certo, e um cristão jamais deveria apoiar isso. No entanto, na minha opinião, todos os sistemas são gananciosos. Feudalismo, fascismo, socialismo, etc, a maioria é oprimida e escravizada por uma minoria gananciosa, que fará de tudo para ficar no poder. Então embora o capitalismo tenha a questão gananciosa, ele é o único sistema que transforma isso em algo bom, pois para que as pessoas possam saciar sua ganancia, precisam produzir serviços e produtos bons, aumentando assim a qualidade de vida. Todos os sistemas são gananciosos, mas somente o capitalismo consegue produzir algo bom disso (claro que também produz coisas ruins, mas existe uma coisa boa, já todos os outros é somente ruim, sem exceção). O que você pensa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Eu não sei por que as pessoas (ou pelo menos algumas delas) ainda continuam dando atenção para o que o Julio fala. Eu já parei de acompanhá-lo há tempos, já faz anos que só ouço falar dele quando alguém o menciona aqui no site, e é sempre por uma coisa bizarra desse tipo aí.

      2) Concordo com o que você disse. O pecado da ganância, assim como qualquer outro pecado, já existe desde muito antes do capitalismo, não à toa há trocentos versículos bíblicos falando disso. Não há ganância maior do que num sistema onde a maioria é escravizada para servir a uma elite restrita (como feudalismo ou no socialismo, onde nobres ou governantes exploram ao máximo os que os servem e tem sobre eles poder de vida ou morte). O capitalismo pelo menos permite que as pessoas comuns tenham alguma coisa daquilo que antes só a nata da nata tinha, e se alguns vão se tornar gananciosos, isso é uma escolha deles e não algo que o capitalismo as force. Culpar o capitalismo pela ganância de pessoas com dinheiro é como culpar os carros por aqueles que os usam irresponsavelmente e atropelam pessoas, ou culpar o futebol pelas torcidas organizadas que causam violência, ou culpar a internet porque tem gente que a usa para praticar crimes, ou culpar a religião por aqueles que matam em nome de Deus, e assim por diante. Uma coisa essencialmente boa, que proporciona melhores condições de vida para todos, não pode ser responsabilizada por aqueles que se aproveitam disso para agir de uma forma errada.

      Excluir
  66. O artigo chegou aos 200 comments e por isso a caixa de comentários daqui será fechada. Quem quiser postar um novo comentário ou responder a algum daqui, fique à vontade para fazer no artigo mais recente 👍

    ResponderExcluir