18 de fevereiro de 2021

200 O túmulo vazio e as evidências da ressurreição de Jesus


*Nota: O artigo abaixo é extraído de um dos capítulos de meu livro mais recente – “Os 100 Maiores Acontecimentos da História do Cristianismo” –, que você pode comprar ou baixar gratuitamente na página dos livros. 

***
 
Quão difícil para os discípulos de Jesus deve ter sido ver seu mestre morto numa cruz – aquele mesmo que acreditavam ser o salvador do mundo e o Messias tão esperado. Os evangelhos nos dizem que embora Jesus anunciasse sua morte e ressurreição, os discípulos entendiam isso como uma alegoria, recusando-se a encarar a realidade do fato (Lc 18:31-34). Eles nem mesmo puderam estar ao pé da cruz, já que qualquer um publicamente associado a Jesus podia sofrer a mesma pena que ele. Foi por isso que todos os apóstolos abandonaram Cristo no Getsêmani (Mt 26:31), e Pedro, que acompanhou Jesus de longe, o negou três vezes quando foi identificado (Lc 22:54-62).
 
Os discípulos voltaram tristes para casa, e ali lamentaram e choraram (Mc 16:10). Com medo dos judeus, se trancaram a portas fechadas (Jo 20:19). Na estrada de Emaús, outros dois discípulos manifestavam sua decepção ao ver que aquele que eles esperavam que fosse o Cristo havia sido pendurado numa cruz como um criminoso (Lc 24:13-21). O desapontamento era grande. O sentimento era de que tudo estava acabado. O que fazer agora? Retornar à vida normal? Voltar à pescaria? Fingir que nada aconteceu? Difícil demais. Se Jesus era uma fraude, como explicar todos os espantosos milagres que presenciaram em primeira mão?
 
Mas enquanto os homens se trancafiavam com medo e desesperança, as mulheres tomaram coragem e foram até o sepulcro. Os romanos não apenas guardavam a entrada do túmulo com soldados, como fizeram rolar uma grande pedra na entrada – tudo para não deixar que os discípulos roubassem o corpo e dissessem que Jesus havia ressuscitado dos mortos. Mas quando as mulheres chegaram, surpresa: não havia guardas nem pedra! Um anjo havia descido do céu e rolado a pedra, e os guardas, tremendo de medo, fingiram-se de mortos e fugiram (Mt 28:2-4).
 
“Por que estão procurando entre os mortos aquele que vive? Ele não está aqui! Ressuscitou!” (Lc 24:5-6), diz o anjo, que convida as mulheres a entrarem no túmulo vazio onde antes Jesus jazia. O milagre havia acontecido: Jesus ressuscitou! Quão grande foi a alegria das mulheres quando voltaram correndo para dar a notícia aos apóstolos, e quão penoso deve ter sido lidar com a incredulidade dos discípulos (Mc 16:11) – aqueles mesmos homens de fé que ressuscitavam os mortos, curavam os leprosos e expulsavam os demônios, mas eram incapazes de crer no testemunho da ressurreição do seu próprio mestre. Lucas diz que “eles não acreditaram nas mulheres; as palavras delas lhes pareciam loucura” (Lc 24:11).
 
Lembre-se que estamos falando de uma época em que o testemunho das mulheres não era nem mesmo válido em tribunal, o que aliás ajuda a corroborar a veracidade do testemunho bíblico: se os evangelistas tivessem inventado uma estória para enganar os outros, jamais usariam o testemunho das mulheres como fonte primária, o que tiraria muito da credibilidade perante os leitores originais. E por mais que os críticos aleguem que os relatos da ressurreição nos quatro evangelhos são contraditórios, isso na verdade só ajuda a corroborar a historicidade das narrativas. Se os discípulos tivessem se comprometido a inventar uma estória sobre a ressurreição, todos os detalhes teriam sido cuidadosamente combinados de modo a não deixar passar discrepâncias visíveis como essas.
 
Harmonizar os relatos dos quatro evangelhos não é tarefa fácil, mas também não é uma missão impossível. Toda a chave para entender consiste em compreender que os evangelistas não estavam preocupados em detalhar cada pessoa ou cada evento em particular, mas em transmitir um relato resumido com os principais acontecimentos. Por isso João menciona apenas Maria Madalena (Jo 20:1), Mateus menciona Maria Madalena e a outra Maria (Mt 28:1), Marcos menciona Maria Madalena, a outra Maria e Salomé (Mc 16:1), e Lucas menciona Maria Madalena, a outra Maria e Joana (Lc 24:10). Da mesma forma, Mateus (Mt 28:2) e Marcos (Mc 16:5) mencionam um anjo, enquanto Lucas (Lc 24:4) e João (Jo 20:12) mencionam dois.
 
Isso não significa que um estava contradizendo o outro, porque nenhum estava preocupado em passar um relato detalhista e minucioso, como uma ficha de investigação criminal. Cada um se preocupou em narrar os eventos que julgou mais relevantes, e o fato de um autor não ter mencionado alguém é diferente de dizer que esse alguém não estava lá (note que nenhum texto diz que havia “só” um anjo, ou que “apenas” Maria Madalena ou a outra Maria estavam presentes). Se eu escrevesse sobre uma festa e não mencionasse todos os participantes, não significa que eles não estavam lá, significa apenas que para o meu relato eu não julguei necessário registrar cada um dos nomes.
 
Repare que enquanto Mateus e João chamam apenas de “anjos” com vestes brancas (Mt 18:2-3; Jo 20:12), Lucas se refere como “dois homens com roupas que brilhavam como a luz do sol” (Lc 24:4) e Marcos como “um jovem vestido de roupas brancas” (Mc 16:5), embora todos eles mencionem o quanto as mulheres ficaram assustadas por saberem que não se tratava de um homem ou um jovem comum. Mais uma vez, não há contradição aqui: os anjos apareceram em forma humana com uma fisionomia jovem, por isso puderam ser apropriadamente chamados de “anjos”, “homens” e “jovens”. Os diferentes relatos são complementares, não excludentes.
 
Harmonizando os diferentes relatos da ressurreição, podemos concluir que Maria Madalena foi a primeira a chegar ao sepulcro acompanhada das outras mulheres (Mt 28:1; Mc 16:1; Jo 20:1), elas veem o sepulcro vazio e vão contar aos discípulos (Jo 20:2), então Pedro e o discípulo amado correm até o túmulo, confirmam que estava vazio e voltam (Jo 20:3-8). Maria Madalena deve ter sido a primeira a voltar ao sepulcro, quando permanece chorando na entrada até ver os dois anjos e em seguida Jesus (Jo 20:11-17), e mais tarde as mulheres também veem os anjos e são surpreendidas por Cristo no caminho de volta (Mt 28:5-10; Mc 16:5-7; Lc 24:4-7).
 
Todas elas voltam novamente para contar aos discípulos que viram Jesus (Lc 24:9-10; Mt 28:8), mas estes só creem depois que o próprio Senhor aparece no meio deles e lhes mostra os cortes nas mãos e no lado (Jo 20:19-20). Nessa ocasião, Tomé não estava entre eles, e se manteve tão incrédulo quanto os discípulos ao ouvirem as mulheres. “Se eu não vir as marcas dos pregos nas suas mãos, não colocar o meu dedo onde estavam os pregos e não puser a minha mão no seu lado, não crerei” (Jo 20:25). Uma semana depois, Jesus aparece de novo aos discípulos, com Tomé entre eles, e lhe diz:
 
“’Coloque o seu dedo aqui; veja as minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no meu lado. Pare de duvidar e creia’. Disse-lhe Tomé: ‘Senhor meu e Deus meu!’. Então Jesus lhe disse: ‘Porque me viu, você creu? Felizes os que não viram e creram’” (João 20:27-29)
 
Enquanto as mulheres não tinham visto o Cristo ressurreto mas creram nele assim mesmo, Tomé e os demais apóstolos só creram porque viram. Em qual condição nós estamos hoje? Certamente não na de quem viu Jesus pessoalmente após a ressurreição, mas de quem crê mesmo sem ter visto. Porém, isso é bem diferente de dizer que acreditamos por uma “fé cega”. As mulheres podem não ter visto Jesus, mas viram o túmulo vazio, que indicava a sua ressurreição dentre os mortos. Nós não vimos o túmulo vazio, mas temos algo tão importante quanto: a prova da fé dos discípulos, que aceitaram de bom grado a perseguição e o martírio sabendo que não seria em vão.
 
A História nos conta que todos os apóstolos, com a possível exceção de João, morreram martirizados pelas mãos dos judeus ou dos romanos (o martírio de um deles, Tiago de Zebedeu, é registrado na própria Bíblia, que também narra o martírio de Estêvão – cf. At 7:54-60, 12:1-2). Outros tem o testemunho da história secular: Josefo atesta o martírio de Tiago, irmão de Jesus, e Tácito fala da perseguição de Nero aos cristãos como um todo. Isso significa que os primeiros cristãos, que estavam acovardados e sem esperança após a morte de Jesus, creram de forma tão firme na sua ressurreição que aceitaram morrer por sua crença – afinal de contas, ninguém morre por algo que não acredita.
 
Se os apóstolos inventaram uma estória da ressurreição, o que eles ganharam com isso durante a vida? Tudo o que conseguiram foi perseguição, prisões, privações, exílios, zombaria, tortura e morte, alguns de forma violenta e dramática. Aqueles mesmos discípulos sem ânimo e sem esperança, que só queriam se esconder dos judeus, se transformaram nos maiores e mais destemidos pregadores que este mundo já viu, falando com ousadia diante do sinédrio e aceitando os açoites e ameaças (At 5:17-42). Só a ressurreição de Jesus explica uma mudança tão radical de atitude.
 
Ao mesmo tempo, as “explicações” que surgiram para o túmulo vazio descartando o elemento sobrenatural são desastrosas. Alguns dizem que Jesus sofreu muito mas não chegou a morrer, fazendo os seus discípulos pensarem que ele ressuscitou. Mas tão difícil quanto sobreviver a uma crucificação daquelas e a uma lança cravada em seu lado (Jo 19:34) seria arranjar forças para depois disso ainda conseguir rolar a grande pedra que guardava o sepulcro e passar por cima dos soldados romanos que guardavam vigia à custa da própria vida. Alguém que conseguisse isso poderia até não ter ressuscitado, mas teria uma força tão sobrenatural que não poderia ser outra coisa a não ser Deus.
 
Outros dizem que um sósia ou até mesmo um irmão gêmeo de Jesus que ninguém conhecia teria aparecido aos discípulos após a morte de Jesus e convencido a todos de que ele havia ressuscitado. Tirando o lado bizarro dessa teoria, ela não explica as marcas nas mãos e no tórax de Cristo, perfurados pelos pregos e pela lança, nem tampouco como teria entrado no recinto com a porta fechada e trancada, ou como teria se escondido da presença de todos por tantos anos, ou como enganaria tantos discípulos que conviveram tanto tempo com o verdadeiro Jesus e o conheciam tão bem.
 
Neste caso, bastaria que as autoridades judaicas mostrassem o corpo morto de Jesus, e toda a empolgação dos discípulos e a onda de conversões ao Cristianismo iria por água abaixo. Se o corpo de Jesus tivesse permanecido no túmulo, seria estupidamente fácil neutralizar o avanço do Cristianismo incipiente, ainda mais considerando o interesse que os fariseus e mestres da lei tinham em barrar esse avanço. É justamente porque os mestres da lei sabiam que o túmulo estava vazio que tiveram que criar a fake news de que os discípulos haviam roubado o corpo (Mt 28:12-15).
 
Também há quem diga que os discípulos tiveram apenas alucinações e pensaram com sinceridade que viram Jesus, mesmo isso tendo acontecido apenas na cabeça deles. O problema com isso é que não existem alucinações coletivas – assim como nós não sonhamos o mesmo sonho juntos na mesma noite, nós não temos a mesma alucinação no mesmo momento. Dizer que uma dúzia de pessoas teve a mesma alucinação na mesma hora e no mesmo lugar a ponto de interagir com essa alucinação e tudo fazer sentido para os demais é extrapolar os limites de como uma alucinação realmente funciona. E, mais uma vez, bastaria que as autoridades judaicas mostrassem o corpo de Jesus que vigiaram com tanto cuidado, que dariam um balde de água fria nos discípulos e em todos aqueles que aderiram à nova doutrina.
 
No fim das contas, o que sobra para os críticos é a mesma narrativa criada na época dos acontecimentos: a de que os discípulos roubaram o corpo enquanto os soldados dormiam, o que faria dos discípulos verdadeiros charlatães e de modo algum explicaria por que eles aceitavam perseguição e morte por uma fraude escandalosa daquelas. Há quem morra por algo que pensa que é verdade, mas ninguém morre por algo que sabe que é uma mentira.
 
A incansável atividade missionária, a quantidade de igrejas implantadas em toda parte, de livros escritos, de intensa perseguição e da ampla aceitação popular mesmo em meio a essas perseguições são fatos indiscutíveis que exigem uma fé sincera em torno de algo maior que um achismo ou um charlatanismo barato. Eles não teriam nada a ganhar entregando sua vida por uma mentira, vivendo uma vida toda de privações e enfrentando prisões, açoites e o martírio, mas tinham muito a ganhar se este era o caminho para reencontrar o Mestre que eles sabiam que havia ressuscitado e que vive para sempre, por quem vale a pena sofrer todas essas coisas.
 
Diante disso, o perito em investigação criminalista James Warner Wallace, que foi ateu por mais de 30 anos e era especialista em validar ou invalidar testemunhos, usou todos os critérios de investigação criminal que ele conhecia e aplicou aos evangelhos. O resultado não poderia ser outro: deixou de ser ateu e acreditou na ressurreição, usando apenas o conhecimento técnico que ele tinha como ateu. A ressurreição pode ser uma crença de fé, mas uma fé pautada por evidências sólidas, que qualquer um pode chegar por si mesmo se tiver a mente aberta e livre de preconceitos.
 
Passados dois mil anos, aquele túmulo vazio continua sendo a melhor prova da verdade da fé cristã. Mesmo sem vê-lo, podemos dizer como Tomé que Jesus é nosso Senhor e Deus, e ter a mesma convicção de que ele está conosco até a consumação dos séculos.

Por Cristo e por Seu Reino,

- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!

- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :) 

200 comentários:

  1. Banzolão uma das professoras do ´´Clube de Alta Cultura´´ que o astrolavo lançou é a Sara Winter,ela até 5 anos atrás era uma feminista que fazia protestos mostrando os peitos,não acho que ela tenha bagagem suficiente para ter ´´alta cultura´´ concordas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkk isso mostra a "qualidade" dos cursos desse senhor, e ainda tem gente que se orgulha de ser aluno dele. Se isso é a "alta" cultura, eu não quero nem pensar no que seja a baixa...

      Excluir
    2. Pior que eu pensei que era meme, e não é, putzkkkk

      Excluir
  2. https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/para-surpresa-de-ninguem-pco-defende-o-bolsonarista-daniel-silveira/

    Olha quem defendeu o Daniel Silveira,o PCO apesar de irrelevante não ter nenhum parlamentar eleito,é o mais coerente dos partidos de esquerda,prezam pelo marxismo raiz,querem as armas para fazer revolução,não apoiam as pautas identitárias,assim como o próprio Marx e os primeiros revolucionários como Lenin,Trotsky e Stalin não apoiavam,pode-se abominar o que eles defendem,como eu abomino,mas ao menos há uma coerência ali,o que eu não vejo nos partidos maiores como PT e PSOL.O PCO defendeu o Daniel Silveira,pq eles pensam da mesma forma,querem que o STF seja fechado para que seja implantada uma ditadura marxista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse PCO é marxismo raiz mesmo, nunca vou me esquecer da sabatina com um candidato à prefeito de SP do partido deles que defendia o fim da polícia, aí o entrevistador perguntou pra ele "e como o povo vai se defender?", e ele respondeu: "Arma todo mundo" e se vira.

      Excluir
  3. Você tem preferência por algum estado dos EUA?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o estado que o velho astrólogo boçal charlatão Olavo de Carvalho mora.

      Excluir
    2. Já pensou ter o Olavão como vizinho?

      Excluir
    3. Não sou o Lucas, mas isso é uma coisa que não se diz nem de brincadeira! Ter o Astrolavo como vizinho é como viver no mosteiro amaldiçoado do filme de terror "A Freira".

      Excluir
    4. Seria mais segura a convivência com os ursos no Alasca?

      Excluir
    5. Coitado dos ursos, serem submetidos a essa comparação...

      Excluir
  4. Faz sentido a frase "Eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é subjetivo, se você for brasileiro e tiver orgulho e amor pelo seu país, então faz sentido pra você. Já eu não vejo qualquer razão para ter orgulho de um país como o nosso (exceto pelas 5 Copas, que foram tão ofuscadas depois dos 7 a 1 que viramos motivo de chacota até no futebol, e por uma ou outra personalidade destacável como Santos Dumont), e amor é algo que você sente por pessoas ou outros seres vivos, não por algo impessoal e inanimado como uma nação (mesmo que alguém tome no sentido de amar "os brasileiros", acho que seria muita falsidade alguém dizer que ama todo mundo daqui, quando vira a cara até pro seu vizinho).

      Excluir
    2. Concordo plenamente cara, e além dessas realidades que você colocou, deve-se observar se de fato nós brasileiros temos orgulho de se apresentar como tais dentro de um contexto relativo à unidade patriótica, pois o que vejo com mais frequência no nosso país são pessoas identificadas antes com o estado (vide os movimentos separatistas), município ou até mesmo a comunidade/bairro onde residem. São os vários Brasis dentro de um Brasil, como dizia Aziz Ab'Saber. Nesse cenário, o amor à "pátria" fica reservado apenas a situações de âmbito esportivo ou à admiração por compatriotas de destaque em suas áreas, como você comentou. E acrescento mais um fator a esses mencionados: o idioma português.

      Excluir
    3. Bem apontado, eu mesmo digo gosto do bairro onde eu moro e até da cidade onde eu moro, mas quanto ao estado e ao país eu sou completamente indiferente; nunca botei os pés na maioria esmagadora dos territórios do Brasil, então pra mim é como se fosse um outro país, não existe esse senso de "pertencimento" a não ser por essa questão do idioma. Pra alguém dizer que tem orgulho de ser brasileiro, o cara teria que conhecer e gostar de cada canto do Brasil, mas o Brasil é tão imenso e tem culturas tão absurdamente diferentes em cada região que é difícil criar essa identificação. Eu até diria que há um senso de identificação maior entre países latino-americanos de mesma fala (por exemplo, um peruano com um boliviano) do que entre brasileiros de regiões muito distantes umas das outras (como eu aqui no Paraná e alguém do Acre), é uma realidade tão diferente e separada por uma distância (cultural e geográfica) tão grande que na prática é como se fosse um outro país. Essa é uma das razões por que eu acho que as pessoas tendem a ser mais felizes e bem-sucedidas em países pequenos (como Dinamarca, Noruega, Bélgica e etc) do que em países grandes, porque nos países pequenos o senso de unidade e identificação é maior, e as pessoas tem realmente interesse pelo bem coletivo e não somente pelo seu próprio.

      Excluir
  5. Eu fiquei surpreso e bem triste com os casos abuso e sexting do Ravi Sacharias, ele tinha uma mente fantástica para apologética. Eu passei a manhã lendo umas coisas e realmente a família dele confirmou a veravidade dos fatos narrados, tem provas que estão em sigilo assim como a identidade das mulheres e tudo mais, mas eles confirmaram que é verdade os casos de abusos que aconteceram. Como ele era conhecido porque responder perguntas publicamente, um comentário em uma das reportagens me chamou a atenção e vou colocar aqui. A pergunta que moça faria para o Ravi era essa:
    (1) Seria justo Deus salvar um apologeta que na vida privada se comportava de forma contrária ao que pregava em termos de apetite sexual embora acreditasse que Jesus era o seu Senhor, contrariando o que diz em Apocalipse que os sexualmente imorais não herdarão o reino de Deus?
    O Mauricio Zagari escreveu algo sobre o caso: https://voltemosaoevangelho.com/blog/2021/02/o-que-o-escandalo-de-ravi-zacharias-nos-ensina/ achei o ponto de vista dele interessante.
    Quando a gente imagina um Deus, a gente imagina que as pessoas que representam Ele tenham pelo menos uma conduta compátivel com o Deus que se serve. É por isso que quando vemos alguém de outra religião comentendo o mesmo tipo de coisa ninguém dá muita bola, mas nós sabemos bem o Deus que servimos por conta do que é narrado na Biblia e por conta da Santidade e tudo mais, por isso que me choca ver esse tipo de coisa. Senti a mesma ansia de vomito quando leio sobre os casos de padres que cometeram pedofilia, embora eu não seja católico, mas detesto ver gente se comportando assim, independente de religião. Triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito triste isso, mas só reforça o quanto nós não devemos nos apegar a homens e colocar nossa confiança neles, pois somos todos falhos e pecadores miseráveis. Também mostra o quanto é importante sabermos separar o que um indivíduo diz do que esse indivíduo é como pessoa, pois é muito notório que muita gente se desvia do evangelho por admirar muito pessoas que podem ser excelentes numa área, mas que são vergonhosas em outras, e acabam arrastando multidões consigo.

      Excluir
  6. Na Net todo mundo é valente:

    https://youtu.be/ajTBcbHi-Xc

    Esse aí aprendeu bem com o Allan dos Panos.

    ResponderExcluir
  7. Lucas, porque aqui no Brasil, a Direita brasileira é uma porcaria? Digo isso porque na Direita brasileira você vai encontrar: gente que defende a Ditadura militar, gente que defende a volta da monarquia, gente que defende a inquisição e ataca os protestantes, gente que defende medidas antiliberais e antirrepublicanas, gente que defende o integralismo e pasme até mesmo gente que é contra medidas liberais urgentes e necessárias para fazer nosso país voltar ao crescimento econômico.

    Muito dificilmente no Brasil você verá um conservador legítimo, aquele conservador que leu Edmund Burke, Adam Smith, Roger Scruton e Thomas Paine, aquele conservador que defende os princípios básicos do conservadorismo que são: a prudência, os valores morais e de família, a ética, o republicanismo, a lei, a ordem, o Estado de Direito, a democracia e que veementemente se opõe às ideologias (porque o conservadorismo é em essência contra todas as ideologias). Aquele conservador legítimo, que têm como base o conservadorismo anglo-americano protestante, que aliás serve como base para o conservadorismo moderno.

    Aliás é pela falta de conservadores legítimos que temos gente como Bolsonaro, Sarah Winter e Daniel Silveira falando atrocidades e defendendo o indefensável e pior: Estando no Poder ou senão com uma forte influência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu expliquei isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/12/nao-se-engane-ha-diferenca-entre-um.html

      Excluir
  8. Observe o que este ateu falou (ele fez um textão tentando refutar a ideia de um Deus):

    "A questão nem é religião.
    Segundo a crença, os atributos de Deus são indeléveis.

    Deus não poderia ser Deus se lhe faltasse um de seus atributos, pois Ele é perfeitamente expresso em cada um deles. Os atributos de Deus são: auto-existência, autosuficiência, sempre foi Eterno, perfeito, Imutável, Ilimitado, onisciente, onipresente, onipotente, puro, bondoso, infinitamente misericordioso e justo.

    Mas...

    Misericórdia e justiça se auto anulam. Se você é misericordioso de forma perfeita, não pode ser justo, pois irá perdoar infinitamente. Se é justo e sua justiça é perfeita, não pode ser infinitamente misericordioso, pois se for justo vai ter que julgar, condenar e punir. Se criou o mal, não pode ser bondoso. Se criou o livre-arbitrio para não ser usado, criou uma regra inútil e, sendo Deus não pode criar nada inutil. Se teve uma série de erros e teve que corrigi-los, não teve onisciência, então não pode ser perfeito, logo, não pode ser Deus.

    Se é perfeito e autosuficiente não precisa de nada. Logo, não precisava criar nada. Se entediou-se com a eternidade, a perfeição já não existe mais, pois tédio não pode coexistir na perfeição. Se não se bastava na autosuficiência é porque faltou-lhe alguma coisa, logo já não é mais perfeito nem autosuficiente, principalmente se houve a necessidade de criar seres imperfeitos para ser adorado. Se não foi tédio, qualquer outro motivo que o levou a criar tudo perde-se na lógica da necessidade, pois nada era preciso fazer para continuar na sua própria condição de plenitude.

    Qual a necessidade de criar seres humanos imbecis, tapados, negacionistas e mediocres para ficar adorando um Ser Surpremo, que vive na glória e na plenitude, autossuficiente, e não precisa de nada nem de ninguém para ser Deus?

    Se criou coisas que se tornaram imperfeitas, não pode ser perfeito, pois se a causa é perfeita o resultado tem que obrigatoriamente também o ser (argumento que vocês próprios inventaram para justificar a perfeição da criação e admitir a existência de Deus). Se criou tudo e o Éden, que era o ambiente perfeito, o ser humano teria que ser, obrigatoriamente perfeito, e portanto, incorruptivel. Mas, o ser humano se corrompeu pela cobra falante, logo, a criação não era perfeita. Se tinha um plano, mas se arrependeu, como no caso do dilúvio, então, não é onisciente, e não sendo onisciente não pode ser Deus.

    Deus é um ser perfeito, vivendo em plena glória eterna, autosuficiência, sem se preocupar com nada...

    Por que razão iria ter o trabalho de criar um Universo complexo e dentro desse imenso Universo um planetinha com seres imperfeitos, dentre tantos escolheria apenas um povo para se revelar (deixando os outros povos da Terra no engano de adorar deuses falsos), povo esse (judeus) que viveria em constantes guerras, sofrimento e destruição, e o pior, sendo Deus já saberia (onisciência) de tudo que Iria acontecer.

    Aí..., esse Deus resolve criar leis para educá-los, porém, leis pouco eficazes, então Ele inventa uma necessidade de consertar a cagada que ele próprio criou (mesmo sendo onisciente) e resolve se sacrificar para salvar essa humanidade, e então se torna homem, sendo assim, se tornou homem para deixar ensinamentos e morrer para ressuscitar e provar sua existência para todos. No entanto, sendo onipotente precisou armar todo esse teatro de sofrimento e mesmo assim o mal continua existindo, e segundo profecias, as pessoas continuarão sendo dominadas pelo mal, sofrendo o risco de irem para o inferno eterno até o fim dos tempos, e a maioria irá."

    (Quando meu comentário for aprovado mandarei o resto)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resto da resposta:

      Para alguns, o Inferno não existe. Essa é uma interpretação errada, sendo, na verdade, a morte eterna o exterminio de um ser, deixando de existir, o significado real de punição eterna. Porém, mesmo assim, entra em conflito da mesma forma, pois se Deus é justo e elimina uma pessoa que causou sofrimento e não respeitou suas leis, a aniquilação da consciência, será um prêmio, pois deixando de existir não sofrerá e não terá correção.

      Se aceitarmos o inferno eterno, também entra em conflito, só que dessa vez com a misericórdia divina, pois por pior que seja uma pessoa, o inferno eterno não ensina nada, não regenera ninguém. Logo, também seria uma criação inútil, do ponto de vista pragmático. O inferno não corrige ninguém, pois do inferno ninguém mais sal. Qual o sentido de permitir que o mal aconteça a crianças inocentes que rezam todos os dias pedindo a proteção divina? Onde está o plano nisso? Se Deus não pode intervir no livre-arbitrio do estuprador de crianças, onde fica a onipotência dele e a misericordia pela criança? Se o intuito é não intervir no livre-arbitrio de pessoas ruins só para depois enviá-las para o inferno eterno, onde está a misericordia infinita? Se o estuprador pode se arrepender e se livrar do inferno, a vida e o sofrimento da criança foram em vão? Um Deus bondoso e perfeito não deixaria esses furos acontecerem, pois teria onisciência.

      Como podemos ver, de modo racional, nada disso faz sentido

      Somente pessoas com deficiência intelectual mental ou dissonancia cognitiva aceitam essas falhas como coisas corretas e inquestionáveis!

      Conclusão, o próprio Deus se auto refuta pela lógica Não precisa nem ser um intelectual para entender isso."

      É isso. Bom, eu devo ser extremamente burro, por que não compreendi o que ele falou kskakaakakakskakakakaks

      Sendo que ele fala que é algo simples "que não precisa ser nenhum intelectual"

      Excluir
    2. Peço por gentileza que evite comentários longos assim pra se refutar, a razão pela qual eu não comento mais links é justamente porque não tenho mais tempo pra assistir ou ler tudo e refutar cada ponto apropriadamente, é algo que demanda tempo e eu não gosto de responder rápido de qualquer jeito, se eu fosse refutar tudo isso daí ponto a ponto com um mínimo de profundidade que se exige numa refutação séria eu levaria umas 2h, espero que não leve a mal mas não tem como. Uma coisa é tirar dúvidas teológicas simples ou refutar um parágrafo de um texto, outra coisa é ter que refutar um texto imenso cheio de asneiras pseudofilosóficas tiradas da cabeça de um lunático desses que claramente não sabe nem do que está falando. Espero que compreenda.

      Excluir
    3. Tudo certo mano

      Mas tu pode algum dia fazer um artigo sobre isso? Como você disse é um assunto que precisa de profundidade

      Seria interessante um artigo refutando tais coisas

      Excluir
    4. Mas o texto é ridículo, não precisa de refutação. Ele diz que Deus não precisa criar nada porque Ele já é perfeito, sendo que isso não faz sentido algum. Esse ateu esta usando a visão humana sobre perfeição, e não a verdadeira perfeição. Na nossa visão de um ser perfeito, ele se preocuparia apenas consigo mesmo pois é o que nós fazemos quando temos tudo, viramos egoístas (mais do que já somos naturalmente) e malignos, com raras exceções. Mas isso é obvio porque somos humanos e vemos tudo na visão do pecado, na visão de benefícios para nós (e Deus não tem beneficio em criar as coisas, logo para o ateu Deus não deveria ter feito isso, pois não lhe trouxe beneficio). Deus criou exatamente porque Ele quis criar, simples, é tipo alguém que não precisa pintar ou fazer musica, esse nem é o emprego dessa pessoa, mas ela decide fazer porque ela pode e tem talento para isso, o mesmo para Deus, ele não precisa criar nada, mas cria exatamente porque Ele pode criar e quer criar. Sobre os outros assuntos é basicamente "se Deus existe então porque o mal?" que já tem milhares de artigos refutando. Sobre a questão do tamanho do Universo, de novo isso não é um problema, Deus quis criar o Universo para Ele, mas decidiu incluir seres vivos em um planeta dentre os muitos que Ele criou, porque não? O resto do universo não precisa ser habitado porque Deus não quis que fosse, simples. E tem até um problema nisso, imagina bilhões de planetas com diferentes formas de vida, até parece divertido a ideia, vai parecer a Marvel ou Ben 10, mas ai lembramos que na vida real existe maldade, escravidão e destruição, se o mundo já é caótico com apenas humanos e todos da mesma raça, a humana, imagina um universo cheio de seres diferentes, a vida seria um tragédia e não divertida, esse pensamento de certos ateus vem porque a vida deles é uma chatice, então eles querem aliens para virarem um herói do tipo Guardiões da Galáxia, mal sabendo que iriam morrer na primeira batalha, pra mim esses ateus entediados deveriam virar policiais, ai teriam a "emoção" de ser um "herói". Deus não criar vida alienígena (até onde sabemos, pois até mesmo animais em outros planetas não refutariam a fé cristã) nem sequer é um argumento.

      Excluir
    5. Mas tu pode algum dia fazer um artigo sobre isso? Como você disse é um assunto que precisa de profundidade. Seria interessante um artigo refutando tais coisas.

      O problema é que, como o Vinícius mesmo pontuou, o texto dele não tem nexo, é apenas o achismo do autor, uma birra pessoal com Deus, não um tipo de argumento claro com um mínimo de coerência interna para ser desmembrado e refutado ponto a ponto. Por exemplo, vejamos o trecho que ele diz:

      Por que razão iria ter o trabalho de criar um Universo complexo e dentro desse imenso Universo um planetinha com seres imperfeitos, dentre tantos escolheria apenas um povo para se revelar (deixando os outros povos da Terra no engano de adorar deuses falsos), povo esse (judeus) que viveria em constantes guerras, sofrimento e destruição, e o pior, sendo Deus já saberia (onisciência) de tudo que iria acontecer.

      Primeiro ele pressupõe que Deus não poderia ter criado um universo tão grande para um único "planetinha" habitável, mas isso não é um argumento, é apenas o achismo pessoal dele. Ele se fosse Deus não teria criado as coisas assim, mas E DAÍ? A opinião dele importa m nenhuma aqui, é igual eu tentar refutar a existência de Leonardo da Vinci criticando alguma coisa num quadro dele que eu teria pintado de maneira diferente, é uma objeção completamente sem sentido. Então ele cria o mesmo espantalho pra dizer que Deus não teria se revelado de forma especial para um único povo (Israel), mas novamente: que raios isso prova? Prova apenas que se ele fosse Deus não teria agido assim, e não que Deus não poderia ter feito assim. Novamente, é apenas um achismo da parte desse palpiteiro (sem falar que Deus se revelou sim a esses outros povos, só não se revelou com toda a profundidade que Ele se revelou aos hebreus).

      Depois ele diz que Deus já sabia das "guerras e sofrimentos desse povo". Novamente: E DAÍ? Uma coisa é você formular um argumento para provar por que Deus não poderia criar um ser já sabendo que esse ser sofreria, outra coisa é simplesmente apontar o fato como se o fato por si só provasse alguma coisa. Todo pai e mãe que decidem ter um filho sabem perfeitamente bem que esse filho terá sofrimentos na vida, ninguém pensa que terá só vida boa, mas querem ter o filho mesmo assim, justamente porque sabem que no fim das contas vale a pena. Mas pela "lógica" que esse cidadão usa, se ele mesmo tiver filhos estará provando que ele não existe (já que ele já sabia que males viriam mas quis ter o filho mesmo assim), o que é uma imbecilidade. Enfim, todo o contexto é repleto dessas babaquices sem sentido, não há nada ali que merece alguma refutação apropriada porque refutação é para argumentos, e ali não há argumento algum.

      Excluir
  9. 1) 1 Timóteo 5.21 não abre uma brecha para os papistas acreditarem que os anjos ouvem orações? Pois, se Paulo jurou diante dos anjos, presume-se que eles souberam do juramento de Paulo. E se os anjos sabem do juramento de Paulo mesmo não estando perto dele ou terem lido a carta, será que eles também não podem ouvir orações?

    2) Você usa 1 Timóteo 6.16 para provar que só Deus é imortal e que, portanto, os homens não possuem uma alma imortal. Mas os anjos são imortais. Então não é só Deus que possui a imortalidade. A imortalidade é um dos atributos de Deus que ele comunica às suas criaturas. Não estou defendendo o imortalismo, pois eu também sou mortalista. Mas acho um equívoco usar 1 Timóteo 6.16 para provar nossa tese, porque ela tem aquelas implicações que apresentei acima. Como vc responde a isto?

    3) Gostaria que você me explicasse aquela interpretação futurista que vê a destruição de Jerusalém em 70 d.C. como um tipo de protótipo da volta de Cristo. Sou preterista, mas também quero ouvir o outro lado da moeda.

    4) Eu acompanho um blog chamado Orthodoxia Lutherana. Tenho aprendido bastante com esse blog, mas acho ele meio reacionário às vezes. Ele defende que a Igreja Luterana deveria voltar às suas raízes pré-pietismo, o que acaba regredindo um pouco na evolução do Luteranismo, mas também traz alguns efeitos positivos, na minha opinião. As coisas negativas são:

    a) A volta da confissão auricular.

    b) Que todas as igrejas luteranas deveriam ser litúrgicas.

    c) A recitação da Ave Maria pré-Trento (a Ave Maria sem a parte do "Santa Maria Mãe de Deus", etc.).

    d) A permissão de orações pelos mortos.

    Mas entre os efeitos positivos temos:

    a) A ênfase na eucaristia como ápise da comunhão com Deus.

    b) Combate ao pietismo exagerado dos dias atuais.

    c) A volta de uma escola deminical com mais profundeza teológica. Eles vêem a situação atual da igreja como deplorável teologicamente falando. Pois se tornou corriqueiro surgirem novas denominações do nada, e essas novas denomimações não possuem uma teologia ampla por serem novas demais, e nem se empenham nisso. Mas têm como arma um emocionalismo exagerado que preenche toda a ignorância teológica dos fiéis.

    Você concorda com os pontos que coloquei entre os positivos e negativos?

    5) Os luteranos pré-pietismo, também chamados "católicos luteranos", defendem o uso do cordão de orações. Eles argumentam que Mateus 6.7 não condena as repetições, mas sim as "vãs repetições". Ou seja, fazer orações sem estar realmente meditando e refletindo no que diz. Citam como exemplo as repetições de Jesus "nas mesmas palavras" em Mateus 26.39,42,44. O que você acha disso?

    6) Quanto a recitação dos Salmos, existem alguns salmos de maldição que não é lícito a um cristão repeti-los. Por exemplo, alguns fazem petições como "malditos sejam meus inimigos" ou coisas do gênero. Eu acho que um cristão poderia sim recitar os tais "salmos de maldição", só que substituindo as petições de vingança e castigo por petições de bênçãos. Por exemplo, em vez de repetir "malditos sejam meus inimigos", eu devo dizer "benditos sejam meus inimigos". Acho que isso é dar aos salmos uma interpretação cristã. O que acha disso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 2-Os anjos também são "mortais" porque eles podem serem destruídos se pecarem. Os anjos não tem a mesma mortalidade que a humana obviamente, mas os anjos que pecaram serão julgados da mesma maneira que os homens pecadores, enfrentando açoites por seu pecado, e então a morte eterna virá para todos eles. A imortalidade dos anjos é a mesma imortalidade que a humana, ou seja, a imortalidade esta condicionada a obediência a Deus, então até os anjos pecadores morrerão um dia que será depois de receberem a devida punição. Já aos homens foi dado a morte terrena para todos (justos e injustos), mas a morte eterna é dada somente aos pecadores (e os salvos não sofrerão o dano da segunda morte), os anjos não tem morte terrena pois não são terrenos, mas os que pecarem sofrerão a morte eterna. Só Deus é realmente imortal pois nada pode estar contra Ele, nada pode destruir Ele, todo o resto é mortal pois Deus pode destruir quem Ele quiser, e Ele decidiu que todo aquele que pecar morrerá, homens e anjos.

      Excluir
    2. 1) Mas eles ouvem as orações. O que eles não fazem é respondê-las, porque não é a função deles. Em toda a Bíblia, o único que recebe orações (e as responde) é Deus.

      2) O texto não diz que “só Deus é imortal”, mas sim que “só Deus POSSUI a imortalidade”, ou seja, só Ele possui em sua própria natureza algum elemento que o faz ser imortal, e isso ninguém mais tem, nem os anjos (se tivessem, os anjos maus não poderiam ser aniquilados). Os anjos bons não vivem porque possuem em sua natureza algum elemento que lhes garanta a imortalidade (como uma alma imortal), a vida deles está condicionada à obediência a Deus, se eles forem obedientes continuarão vivendo indefinidamente, senão não (é a mesma opção que Deus colocou diante do homem no jardim).

      3) Um comentário do Vinicius feito em 9 de setembro no artigo abaixo aborda bem essa questão (leia também a minha resposta na sequência onde eu acrescento mais um pouco de coisa):

      http://www.lucasbanzoli.com/2020/09/as-provas-biblicas-do-aniquilacionismo.html?showComment=1599686121267#c5871459428464626408

      Só pra citar um exemplo do próprio contexto de Mateus 24, Jesus diz:

      “Assim, quando vocês virem ‘o sacrilégio terrível’, do qual falou o profeta Daniel, no lugar santo – quem lê, entenda – então, os que estiverem na Judéia fujam para os montes” (Mateus 24:15-16)

      Jesus aqui faz menção a Daniel 11:31, que no contexto da obra fala em primeiro plano do que Antíoco Epifânio fez alguns séculos antes, mas note que Jesus coloca isso como um evento futuro, como se não tivesse acontecido ainda. Não porque Jesus estivesse contradizendo Daniel, mas porque Daniel falava de duas coisas, o tipo (cumprido em Antíoco) e o antítipo (a ser cumprido pelo anticristo), enquanto Jesus falava apenas do antítipo (por isso colocou como algo futuro). O mesmo se aplica ao próprio capítulo, porque Jesus estava respondendo uma pergunta tripartida: “Dize-nos, (1) quando acontecerão essas coisas? (2) E qual será o sinal da tua vinda e (3) do fim dos tempos” (Mt 24:3), então ele usa os eventos em torno de 70 d,C (“quando acontecerão essas coisas”) como tipologia para os eventos finais (“a tua vinda” e “o fim dos tempos”).

      Por isso muita coisa do discurso bate com o que aconteceu em 70 d.C, embora outras não. Por exemplo, a tribulação ser de uma tal magnitude “como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem jamais haverá” (v. 21), quando na verdade houve vários eventos depois disso muito mais drásticos em todos os aspectos do que essa guerra com os romanos (inclusive para os próprios judeus, como o holocausto que matou muito mais e de forma muito mais traumática), ou o evangelho ser pregado em todo o mundo a todas as nações (v. 14), ou a própria volta gloriosa de Jesus que aconteceria “IMEDIATAMENTE APÓS a tribulação daqueles dias” (v. 29), à vista das pessoas do mundo todo (v. 30), com todos os cataclismas envolvidos (v. 29) e provocando lamentos em todas as nações (v. 30), seguida do arrebatamento da Igreja (v. 31).

      Excluir
    3. 4) Eu só discordo da “ênfase na eucaristia como ápice da comunhão com Deus”. Na verdade, a eucaristia aparece pouquíssimas vezes na Bíblia (para além dos textos que narram a ocasião em que Jesus a inaugura, temos um capítulo de Paulo aos coríntios para corrigir a forma errada como eles ceavam e uma ou outra breve alusão de passagem), está muito, muito longe do “ápice da comunhão com Deus”. Por outro lado, a mensagem sobre ter uma vida de santidade, de fé, de oração, de consagração, de boas obras e etc são a ênfase em todos os livros, repetidas à exaustão, justamente porque elas sim são o âmago do evangelho, não um simples cerimonial feito em lembrança de Cristo.

      Essa ênfase exagerada na eucaristia é fruto da teologia católica, que acha que na eucaristia os fiéis literalmente comem Jesus pelos dentes (com sangue, alma, divindade e tudo), então é óbvio que acaba tendo uma ênfase muito maior do que na Bíblia (eu também pensaria isso se achasse que estou comendo um deus vivo num ritual de canibalismo sinistro e macabro). É a mesma coisa que eles fizeram com Maria, que na Bíblia também é mencionada pouquíssimas vezes (além de breves menções nos evangelhos, geralmente relacionadas ao nascimento de Cristo, temos uma citação de passagem no início de Atos e mais nada até o fim da Bíblia), mas como eles a transformaram numa co-redentora, rainha dos céus, medianeira das graças, adjutora, advogada, esposa do Espírito Santo e etc, acabou ganhando um status muito maior, como uma divindade.

      5) O grego não diz “vãs repetições”, literalmente traduzido ele diz “quando orardes, não fiqueis a repetir palavras como os gentios”, ou seja, o que é condenado são as próprias repetições, não apenas “vãs” repetições (como se houvessem repetições boas). Quando Mateus diz que Jesus “disse as mesmas palavras”, é preciso entender que Mateus não estava citando a oração de Jesus propriamente dita, porque é óbvio que a oração de Jesus não se limitou a dizer “passa de mim este cálice”, ele obviamente deve ter orado muita coisa diferente por muito mais tempo (tanto é que os discípulos pegaram no sono, e eles não pegariam no sono em dois segundos), então Mateus não transcreveu a oração de Jesus em si, apenas a essência da oração.

      Então quando ele diz que Jesus “voltou a dizer as mesmas palavras”, é no sentido de que ele voltou ao mesmo tema (ou seja, sobre o Pai livrá-lo do sofrimento que estava por vir), e não que ele literalmente repetiu cada palavra da sentença, como se fosse uma reza na qual alguém repete as mesmas palavras até convencer Deus a atendê-lo. Isso sem falar que em toda a Bíblia não há uma única oração igual a outra (nem mesmo o Pai Nosso é literalmente repetido), o que por si só já seria o suficiente para refutar o conceito da reza.

      6) Recitar em que sentido? Se for em uma oração eu seria contra pelo simples fato de ser uma repetição e não uma coisa espontânea (independentemente do teor do salmo), mas se você está falando de recitá-lo na igreja (em uma pregação, por exemplo), eu não vejo sentido em mudar o que o texto bíblico diz e nem acho certo tal coisa, se o texto está assim ele tem um propósito de estar assim, nem que seja para mostrar a nós o tamanho da angústia na qual o salmista estava atravessando.

      Excluir
  10. Qualquer semelhança não é mera coincidência:

    https://youtu.be/VEIpjz3WM2o

    É incrível como o gado bolsopetista defende os seus mitos com unhas e dentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem mais esses aqui: olha só esses vagabundos de verde e amarelo pedindo a soltura daquele vagabundo do Daniel Silveira:

      https://youtu.be/fFRclNxw3WQ

      https://www.google.com/amp/s/www1.folha.uol.com.br/amp/poder/2021/02/na-terra-de-deputado-bolsonarista-amigos-endossam-ataques-ao-stf-e-veem-mascara-em-silveira.shtml

      https://www.google.com/amp/s/www.metropoles.com/entretenimento/televisao/manifestantes-gritam-globo-lixo-em-reportagem-sobre-daniel-silveira%3famp

      https://www.google.com/amp/s/epoca.globo.com/brasil/apoiadores-de-daniel-silveira-protestam-em-frente-ao-predio-do-ministro-edson-fachin-em-curitiba-24887348%3fversao=amp

      Depois falam que bandido bom é bandido morto, mas tem bandidos de estimação. Estão agindo que nem Petistas...

      Excluir
  11. Escreve um texto sobre transhumanismo e quarta revolução industrial?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela sugestão, vou anotar aqui para escrever sobre isso algum dia.

      Excluir
  12. Lucas, porque a doutrinação esquerdista é tão forte na Argentina e Uruguai (e em menor medida no Chile)? Digo isso porque a Argentina e o Uruguai são os dois países da América Latina que mais tendem à esquerda:

    * Ambos os países possuem leis burocráticas que causam desconfiança nos investidores estrangeiros (embora no Uruguai essas leis sejam bem mais brandas que a Argentina);
    * Ambos os países o aborto é legalizado, não só apenas legalizados como também a legalização do aborto conta com forte apoio popular (inclusive chega a ser maior do que o nível de países que já legalizaram o aborto bem antes como os EUA e Canadá);
    * Foram pioneiros na legalização do Casamento gay na América Latina;
    * Ambos os países, os tipos de cidadãos considerados ilustres são todos pessoas de esquerda: como Maradona, Perón e Che Guevara na Argentina e Pepe Mujica no Uruguai;
    * Em ambos os países, suas respetivas populações (ou pelo menos o cidadão médio) possuem visões completamente desfavoráveis ao Liberalismo econômico e à medidas reformistas tais como: reforma da previdência, reforma trabalhista e desburocratização, inclusive chegam às veem políticas nazistas!
    * Apesar de ainda não ser legalizado na Argentina, há um forte apoio à legalização das drogas, em especial a maconha, inclusive o Uruguai foi o primeiro país do continente inteiro à legalizar a maconha, inclusive sua legalização contou com forte apoio popular;

    Porque esses dois países têm uma tendência de esquerda tão forte? Inclusive mais forte a média da América Latina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já falei sobre isso numa outra resposta a respeito do porquê que a Europa aprovou essas pautas muito antes delas chegaram aqui. E a razão é simples: essas pautas que nascem da cabeça de “intelectuais” da esquerda se propagam através das universidades que são dominadas por eles, fazendo a cabeça dos jovens numa verdadeira lavagem cerebral. Acontece que como a América Latina é bastante pobre, apenas uma minoria entra na universidade, e assim a maioria está imune à doutrinação (não estou dizendo que cursar universidade é ruim porque não se limita a isso, mas neste aspecto específico acaba sendo prejudicial aos que tem mente fraca, que infelizmente é a maioria). Na Europa essas pautas ganharam apoio popular há décadas porque lá a maioria das pessoas está inserida nas universidades há bastante tempo; aqui os dois países com maior índice econômico histórico são Argentina e Uruguai, consequentemente são os que mais tem acesso às universidades e por isso os dois onde essas pautas são mais aceitas, a lógica é simples.

      Pra você ver como isso realmente tem a ver com as universidades e não com o desenvolvimento em si, em países orientais como o Japão, um dos países mais desenvolvidos do mundo e acima da média europeia, nem o aborto nem o casamento gay são legais, porque nas universidades de lá eles não fazem a cabeça dos mais jovens ensinando esse tipo de coisa, por isso eles não defendem tais pautas. Tudo tem a ver com o porcentual da sociedade doutrinada por essas ideologias, onde as universidades ocupam um papel vital. Não que não haja doutrinação em outras fontes (como a mídia, por exemplo), mas é muito mais forte e explícita nas universidades (até porque a mídia é controlada por esses que cursaram universidade e chegaram a um alto patamar acadêmico, por isso a mídia de cada país irá sempre refletir o pensamento predominante nas universidades desse mesmo país).

      Excluir
    2. E por qual motivo a elite acadêmica do Japão é resistente a essas pautas?O que logicamente não faz sentido,já que o Japão nunca foi uma nação cristã,o cristianismo lá nunca chegou a 5%,inclusive a maior parte da sociedade japonesa hoje não é religiosa,tenho um amigo descendente de japoneses que morou no Japão por 12 anos e me contou que as religiões tradicionais,o budismo e o xintoísmo já não tem tanto apelo entre os jovens,são restritas aos mais velhos,então se não é a prática religiosa,o que achas que os impede de legalizar o aborto e o casamento gay?

      Excluir
    3. 1-Banzolão na sua opinião qual o objetivo da esquerda europeia pós-moderna ao defender a legalização do aborto e do casamento gay?Vocês entendem que eles já não são marxistas?Pq eu já aprendi que o pós-moderno já é uma superação do marxismo,porque surge após o fim da Guerra Fria

      2-A China é o maior país comunista e lá o aborto é legal,mas não foi legalizado com base em movimento feminista,em ideias da mulher ter o controle do seu corpo e sim porque a população já tava chegando em bilhões são o país mais populoso do mundo,então queriam impedir alguns nascimentos,mas o casamento gay nem é discutido lá,o único país asiático que legalizou o casamento gay foi Taiwan,que é um pequena ilha sem muita importância geopolítica.

      3-Eu tinha perguntando do Japão no post anterior,mas abranjo a pergunta para o continente asiático como um todo,mesmo países de outras tradições culturais como a Índia,esses países não possuem tradição cristã e ainda assim são resistentes a essas ideias pós-modernas,como você explica?Mesmo nas universidades deles não se ensinam essas coisas

      Excluir
    4. 1) Eles não são menos marxistas por causa disso, o marxismo é antes de tudo uma ideologia de ordem econômica, ele não versa sobre esses outros assuntos que não eram nem discutidos na época de Marx, então qualquer um que defenda uma sociedade sem propriedade privada e onde o Estado controla tudo é marxista, defendendo essas "pautas sociais" ou não.

      2) Verdade.

      3) Não é só o Cristianismo que é conservador nesses assuntos, a gente aqui no Ocidente tem essa impressão porque aqui basicamente quem não é cristão é ateu ou agnóstico e eles são bem liberais nessas questões, mas tem muitas outras religiões, culturas e tradições no mundo que também são conservadoras nesses aspectos.

      Excluir
    5. Mas pelo que acompanho de política internacional,a esquerda na Europa está muito mais para social democrata,keynesiana do que para marxista?Eu acompanho a esquerda que está no poder em Portugal,na Espanha tbm com o Pedro Sanchez do PSOE,o Labour Party governou o Reino Unido muitas vezes e apesar de serem o "PT" de lá,nunca fizeram nada parecido com o PT daqui,eles pregam a intervenção da economia como todo partido de esquerda,mas não são próximos de ditaduras nem saqueiam o país em prol de projeto de poder, é preciso ser cauteloso quando se fala de esquerda,dizer que qualquer esquerda é marxista é coisa de Julio Severo,que diz que até o Biden é marxista e de extrema esquerda

      Excluir
    6. E curiosamente o esquerdista europeu com mais raízes marxistas,pois foi agente da KGB é também o mais ´´conservador´´,pois proibiu a parada gay no seu país,motivo que faz o Julio Severo o amar loucamente,como vc explica esse ´´conservadorismo´´ do Putin?

      Excluir
    7. 1) Eu não disse que toda a esquerda europeia é marxista, eu disse que um marxista não deixa de ser marxista só por defender essas pautas sociais, foi o que você havia perguntado, não entendi o porquê desse comentário.

      2) Foi o que eu acabei de comentar no ponto 3, o Cristianismo não é a única filosofia conservadora nos costumes que existe no mundo, na Ásia isso é muito comum, independentemente do governo ser cristão ou não, de direita ou de esquerda. O liberalismo social nasceu no Ocidente e até hoje não é muito bem aceito no Oriente, talvez um dia seja, mas ainda não é.

      Excluir
    8. Desculpa Banzolao interpretei mal o seu comentário em relação a esquerda europeia,mas os marxistas raiz que eu acompanho pensam igual aos direitistas em relação as pautas de costumes,basta ver o PCO e o blog "A Página Vermelha" e olhar o histórico dos países comunistas,a União Soviética proibia o aborto,punia a homossexualidade,assim como os demais países do Leste Europeu,a Coreia do Norte,a China,Cuba

      Excluir
  13. Belíssimo artigo!

    Sem contar que eles foram para muito longe de suas casas, de suas famílias, podendo viver uma vida normal

    Até mesmo eles se separaram. Isso para ver se alguma cidade ou povoado poderia se converter ou não, eles não sabiam se o que iria vir das cidades seria aceitação ou zombaria, perseguição

    Pedro tinha uma dificuldade em se comunicar com o público, mas lidou com isso e pregou o evangelho as multidões!

    Por isso direi até o fim de minha vida: Jesus Ressuscitou! Ο Ιησούς έχει αναστηθεί!

    ResponderExcluir
  14. https://g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/2021/02/21/apos-padre-ser-afastado-pastor-evangelico-que-participou-de-missa-de-cinzas-fala-sobre-repercussao-desproporcional.ghtml

    Acho esquisito esse movimento ecumênico porque a ICAR, fazendo isso, quer parecer que ela não precisa ser alcançada pelo evangelismo dos evangélicos para a verdadeira doutrina. E ainda que se fique num mesmo culto, em algum momento os católicos irão adorar Maria como Rainha dos Céus, por exemplo, e outras coisas doutrinárias. E muito me surpreende um pastor comungar lá, nem entendo isso porque a ICAR acha que todos tem que se sujeitar ao papa, então fica difícil num contexto total.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A estrategia da icar agora é introduzir lentamente a sua doutrina, pois viu que não funciona mais queimar herege.

      Excluir
  15. Outra pergunta: (1) o AT deixa meio que evidente a escolade profetas, de onde Eliseu fazia parte por exemplo. Era como um seminário teológico?
    (2) Vc conhece algum livro que faça relacão de todos os versículos e momentos do AT que fazem referência a Jesus Cristo?
    (3) eu vi um de seus vídeos no Youtube e reparei que devemos buscar os dons. Como se realiza essa busca? Por oração, estudo da palavra, pedindo pra Deus conceder algum dom?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Não existia uma "escola de profetas", a Bíblia nunca usa esse nome. Ela só diz que haviam "discípulos" dos profetas, da mesma forma que Jesus também tinha os seus discípulos, mas não uma "escola" no sentido moderno (de um seminário teológico). Significa apenas que os profetas andavam juntos e eram orientados por alguém mais experiente (como Elias e Eliseu), não que recebiam aulas teológicas, que tivessem que tirar nota pra passar de ano, que qualquer um pudesse se "matricular" ou coisa do tipo.

      2) Não conheço.

      3) Nós pedimos os dons por meio da oração, mas quem decide qual dom será distribuído é Deus, que "distribui individualmente, a cada um, conforme quer" (1Co 12:11).

      Excluir
  16. Banzolão você entende que Judas Iscariotes cometeu suicídio logo após entregar a Jesus e devolveu o dinheiro?Pq em Atos dos Apóstolos está escrito que ele comprou um campo com o dinheiro que recebeu por denunciar Jesus ao Sinédrio e ali no campo se matou,mas se ele comprou o campo não teria como ter devolvido o dinheiro,só se ele devolveu uma parte e com a outra comprou o campo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O campo é o mesmo que Mateus 27:7 diz que foi comprado pelos chefes dos sacerdotes, o que acontece é que na Bíblia é comum atribuir a alguém a consequência das suas ações, mesmo que a consequência não tenha sido planejada ou desejada. Por exemplo, nós dizemos que alguém que entrou numa fria "está procurando morrer", que alguém cuja conduta foi ruinosa para a sua reputação "se desgraçou", que alguém que sofreu a consequência de seus erros "pagou um alto preço", mesmo que a pessoa em si não tenha feito isso diretamente, apenas indiretamente. Da mesma forma, Judas não comprou aquele campo pessoalmente, mas o dinheiro que ele ganhou para trair Jesus foi usado para comprar o campo no qual ele se matou, por isso é usada a linguagem de que ele "comprou" o campo.

      Excluir
  17. Lucas, certa vez em quanto eu estudava sobre o conservadorismo, descobri que um dos pilares do conservadorismo (além do princípio da prudência, da defesa da moralidade e da ética) é justamente o ceticismo (oposição) à todos os tipos de ideologias, inclusive vários autores conservadores renomados dizem que o conservadorismo é em essência uma anti-ideologia à todas as outras ideologias.

    Porque o conservadorismo é em essência contra as ideologias?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não vejo sentido na afirmação de que algo é uma "anti-ideologia". Se tomarmos como ponto de partida o significado que o dicionário dá à palavra "ideologia", como a "reunião das ideias características de um grupo", o conservadorismo é uma ideologia como qualquer outra. O problema é que as pessoas gostam de dar significados diferentes e próprios para cada palavra que existe, aí fica difícil chegar a qualquer conclusão. De todo modo, não interessa se é ideologia ou não, o que interessa é se está certo ou errado. Perder tempo discutindo meros termos linguísticos ao invés dos conceitos aos quais remetem é uma inutilidade digna dos antigos sofistas; deixe que os filósofos se encarreguem disso, eles são bons na coisa e tem tempo de sobra.

      Excluir
  18. Lucas, na sua opinião qual é o governante mais superestimado da História do Brasil?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou o Lucas,mas na minha opinião foi D Pedro II,porque ele não teve coragem de enfrentar os barões do café e abolir a escravidão,só fez isso em 1888,43 anos depois de subir ao poder e manteve o Brasil atrasado economicamente,não industrializou o país,o país ao final da monarquia nem teve bolsa de valores,digo que na minha opinião é ele,porque até hoje existe um movimento monarquista no país,ainda pequeno,mas que vem crescendo ao pouco,nós da direita cobramos autocrítica do PT para que eles admitam a roubalheira do partido e isso é correto,mas também devemos fazer a nossa autocrítica em relação a permitirmos o movimento monarquista ser parte da direita e enaltecermos uma figura reacionária como D Pedro II

      Excluir
    2. E Banzolao quando você tiver tempo poderia escrever um artigo refutando a visão histórica do Brasil Paralelo?Porque esse é um canal grande do YouTube com 1,6 milhão de inscritos e é o principal canal monarquista do Brasil,inclusive os próprios membros da família Bragança participam dos "documentários" do canal,você já desconstruiu a história deles sobre o golpe militar de 1964,gostaria que desconstruisse "A Última Cruzada" também ,onde eles afirmam que os colonizadores portugueses eram heróis sob o comando da bondosa família Bragança que queriam evangelizar os "índios pagãos".

      Excluir
    3. Também penso o mesmo Gabriel Tavares, acho que de todos os governantes que já governaram esse país D. Pedro II é sem dúvida o mais superestimado, eu também diria Getúlio Vargas, mas o jeito que Pedro II é superestimado é surreal, praticamente o Pedrinho é imune à críticas, criticar ele é quase um pecado (especialmente para os monarquelhos), Vargas apesar de ser muito superestimado ainda você vê muita gente o criticando livremente.

      Eu diria que Pedro II é talvez uma das figuras mais superestimadas do Planeta. Se tem um troféu de governantes superestimados, com certeza o titular desse troféu é D. Pedro II.

      Excluir
    4. "Nós da direita cobramos autocrítica do PT para que eles admitam a roubalheira do partido e isso é correto,mas também devemos fazer a nossa autocrítica em relação a permitirmos o movimento monarquista ser parte da direita e enaltecermos uma figura reacionária como D Pedro II."

      Realmente, você está coberto de razão, aliás combater esse movimento monarquista é um dever cívico de todos os lados (da Direita à esquerda), especialmente da Direita, pois um conservador legítimo é cético à todos os tipos de ideologias, especialmente os reacionários. O reacionarismo nada mais é do que uma das correntes ideológicas mais perigosas do mundo, bem como anticonservadora em essência.

      O Monarquismo é para a Direita o que o Terraplanismo e os Antivacinas são para a Ciência.

      Excluir
  19. Um ateu disse que se um humano moderno estivesse no lugar de Jó, poderia responder as palavras de Deus no final do livro, pois o que Deus diz na época as pessoas não
    sabiam muito bem, mas hoje entendemos de maneira quase perfeita as coisas naturais que Deus cita, o que você pensa sobre isso?

    Também disse: o escritor bíblico arrumou qualquer coisa apenas para culpar Saul. Por exemplo, Davi matou muito mais pessoas para construir um império (enquanto Saul matou
    apenas os inimigos do seu povo), matou o marido de uma mulher pra ficar com ela, e ainda fez um censo. Deus perdoou Davi em tudo isso, e no caso do censo nem puniu Davi mas puniu Israel. Saul por outro lado apenas fez uma oferenda no lugar do sacerdote e pediu perdão depois (mas a bíblia lembra esse como um de seus pecados varias vezes depois, parece que o perdão não adiantou), e depois SE RECUSOU a matar todos os amalequitas, e Deus o puniu por isso, pela primeira vez na minha vida ouvi que Deus ficou furioso com alguém porque se recusou a matar pessoas! E isso já foi suficiente para Deus rejeitar Saul. Deus não responde Saul mais, e ele obviamente ia ficar desesperado, imagina se os cristãos de hoje que dizem que Deus fala com eles, do nada não ouvirem mais a Deus? Acho que muitos ficariam tão desesperados quanto Saul, então ele talvez não fosse o vilão que dizem ser. Em resumo, Davi cometeu pecados muito piores e Deus perdoava, Saul por outro lado cometeu alguns erros e Deus nunca mais nem quis falar com ele, o levando a cometer outros erros como consultar necromantes, obviamente o escritor da história foi tendencioso e queria privilegiar Davi mesmo esse sendo pior que Saul em muitas coisas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus não disse que aquelas perguntas não tinham resposta, só disse que Jó não tinha as respostas (e não tinha mesmo). Se no lugar de Jó estivesse algum de nós dos dias de hoje, obviamente Deus teria feito outras perguntas com o mesmo propósito (embora a maior parte do que Deus falou a Jó não foi sobre o que ele não sabia, mas sobre o que ele era incapaz de fazer, como capturar o Leviatã e etc).

      Sobre Saul ser "injustiçado", primeiramente este não foi o único pecado de Saul, ele já tinha tentado matar Davi com uma lança por pura inveja, perseguiu Davi a vida toda por onde ele ia para capturá-lo e matá-lo (mesmo após Davi ter poupado a vida dele quando teve a oportunidade de matá-lo), consultou uma necromante, erigiu um monumento em honra a si próprio numa demonstração de vaidade (1Sm 15:12), e, acima de tudo, tinha um coração endurecido que não se abatia nem se arrependia genuinamente por seus pecados, que era o que mais o distinguia de Davi. Se formos ajuntar os pecados de um e do outro, humanamente falando poderíamos até dizer que os pecados de Davi pesam mais, mas Deus não olha a questão por esse ângulo, ele vê o coração, e o coração de Davi era um coração quebrantado, enquanto o de Saul era um coração duro.

      Saul só agia corretamente quando o Espírito do Senhor estava com ele, quando ele se apartava dele e o deixava agir por si mesmo ele só fazia coisa errada, até o profeta Samuel tinha medo dele e chegou certa vez a dissimular suas intenções para não ser morto. E é engraçada essa visão de que o escritor bíblico era "tendencioso em favor de Davi", porque se este fosse o caso ele nunca teria mencionado os pecados gravíssimos que Davi cometeu, ainda mais se tivesse escrito tantos séculos após os acontecimentos, como afirmam os teólogos liberais. Ninguém que quisesse passar pano pra Davi teria feito questão de registrar todos os seus maiores pecados, isso aconteceu justamente porque a Bíblia é imparcial, ela relata a verdade do que aconteceu independentemente se vai pegar bem ou não.

      Excluir
  20. Boa tarde Lucas! Como vai?

    Uma dúvida: qual é a melhor forma de pregar o evangelho?

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço "fórmulas" ou "métodos" de evangelismo. Tudo o que sei fazer é dizer o que eu sei em um site na internet. Não é muita coisa, mas é o melhor que eu posso. Cabe a cada um olhar para si mesmo e avaliar de que forma pode ser mais útil ao evangelho, porque cada um tem sua própria individualidade e particularidades, e aquilo que é mais eficaz para alguém não necessariamente será o melhor para outro.

      Excluir
  21. 1-Banzolao o "mito" continua praticando intervencionismo estatal,colocou um general na Petrobras,falou que vai "meter o dedo na energia elétrica",espero que tome um choque kkkk ,vc acha que ele é equivalente ao Lula e a Dilma?Ou ainda acha que é menos pior,pq ao menos não foi descoberto nenhum esquema do tamanho do petrolao.

    2-O MBL fez um vídeo classificando todos os presidentes desde o Sarney,o Estudante de Direito de Direita postou esse vídeo e o "mito" só é melhor que o primeiro mandato da Dilma,fica na penúltima posição,na visão deles já é pior que o próprio Sarney,o Collor e o Lula

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Um pouco menos pior, só pela razão que você disse.

      2) Não acho que chegue a tanto, não tem como ter sido pior que o segundo mandato da Dilma que foi tão horroroso quanto o primeiro e resultou numa das piores crises econômicas que o país já viu culminando no impeachment, ou do que o Collor que "confiscou" a poupança de todo mundo sem adiantar nada e teve gente que até se matou (não vou nem entrar no mérito da questão envolvendo o irmão dele e etc). O Sarney também foi horrível, não sei se pior que o Bolsonaro, mas horrível.

      Excluir
  22. Banzolao que argumentos que os ateus que não negam a existência histórica de Jesus usam para refutar o túmulo de vazio de Jesus?Eu lembro que assisti o debate do Bart Ehrman contra o William Lane Craig,mas já foi há uns 5 ou 6 anos atrás ,não lembro dos argumentos dele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele disse que Jesus tinha um irmão gêmeo que ninguém conhecia e surgiu lá na hora pra tapear os discípulos 😂😂😂

      Excluir
  23. Banzoli, você viu o MITO interferindo na Petrobrás? Oque acha?

    ResponderExcluir
  24. Lucas, as drogas licitas abrem portas para drogas ilicitas

    https://www.google.com/amp/s/drauziovarella.uol.com.br/drauzio/artigos/nicotina-a-porta-de-entrada-artigo/amp/

    http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/11/nicotina-abre-porta-para-uso-de-cocaina-diz-estudo.html

    https://www.senado.gov.br/noticias/Jornal/emdiscussao/dependencia-quimica/crack-chama-a-atencao-para-dependencia-quimica/drogas-licitas-abrem-portas-para-drogas-ilicitas.aspx

    Sem contar que o brasil tem um grande problema com o alcool: https://portal.fiocruz.br/noticia/pesquisa-revela-dados-sobre-o-consumo-de-drogas-no-brasil

    Porque nao proibir drogas licitas se elas tambem sao porta de entrada e uma delas causa um grande dano a sociedade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os EUA tentaram proibir o álcool nos anos 20,mas isso fortaleceu a máfia,Al Capone se tornou o principal criminoso do país nessa época muito em função do contrabando de whisky e o cara era tão poderoso que não conseguiram prendê-lo por tráfico de bebidas alcoólicas,ele conseguiu subornar várias autoridades,o Elliot Ness que não se intimidou e o pôs na cadeia,mas o motivo da prisão do mafioso foi fraude no imposto de renda,aí voltaram atrás e revogaram a lei que proibia as bebidas alcoólicas,temendo que isso pudesse fortalecer mais mafiosos.

      Excluir
    2. Obrigado tavares, mais um motivo para liberar as drogas.

      Excluir
    3. Porque nao proibir drogas licitas se elas tambem sao porta de entrada e uma delas causa um grande dano a sociedade?

      O ideal seria proibir também, mas infelizmente isso não é mais possível devido ao fato de que toda a população já está acostumada a elas e a revolta que isso geraria na sociedade causaria danos ainda maiores, por isso essa experiência nos EUA nos anos 20 não deu certo, e por isso é crucialmente importante coibir o avanço dessas drogas enquanto elas ainda não estão inseridas no grosso da sociedade. Legalizá-las é uma burrice extrema, um caminho sem volta, daqui 200 anos as pessoas ainda estarão sofrendo os efeitos de uma sociedade afetada por elas (se hoje 30% das internações se dão devido ao álcool, como diz um dos artigos que você passou, imagine no futuro quando o álcool será fichinha em comparado às drogas que as pessoas estarão consumindo; se alguém fizer um filme de zumbis só vai ser difícil achar quem interprete os humanos). Eu acho bizarro como as pessoas acham que o dano que as drogas lícitas causam justifica a legalização das drogas não lícitas, quando o óbvio deveria ser justamente o contrário, se essas drogas lícitas já causam todo esse mal deveria ser mais uma razão para não deixarmos mais drogas ainda entrarem e causarem um dano ainda maior na sociedade (a não ser que a intenção seja destruir a sociedade mesmo, a esquerda está trabalhando pra isso e pelo jeito ela tem ajudantes).

      Excluir
    4. Como o proprio exemplo do alcapone, a guerra as drogas so gera monopolio das mesmas por uma parte violenta.
      A verdadeira guerras as drogas nao e bate em casa de traficante, mas a conscientização.
      Se proibirmos as drogas licitas como garante que nao surgira a novos alcapones? Sobrecarregando a policia?

      Excluir
    5. Eu vi o Eduardo Bolsonaro falando para o Monark no podcast Flow,falando justamente isso,que a esquerda defende a legalização das drogas para destruir a sociedade e não por liberdade individual,pq o Monark é libertário,estava argumentando a favor da legalização da maconha pelo ponto de vista da liberdade,se o cara se sente bem fumando ou mesmo se ele quer se matar,deve poder fazer isso,sem que o estado interfira,aí o Eduardo Bolsonaro falou que quem atualmente mais milita pela legalização das drogas são os parlamentares do PSOL e do PT e eles não defendem liberdades indivuais já que são fãs de ditaduras como a venezuelana e a cubana

      Excluir
    6. Como o proprio exemplo do alcapone, a guerra as drogas so gera monopolio das mesmas por uma parte violenta

      O problema não é quem tem ou não o monopólio das drogas, são as drogas em si. Nós não estamos falando de um produto à venda como qualquer outro, estamos falando de algo que contamina, destrói e corrompe o coração de toda a sociedade, isso independe completamente de quem está vendendo as drogas, se é um traficante ou o vendedor da esquina. O problema maior não é o traficante em si, mas a droga que ele vende, se não fosse por isso ele seria só mais um vendedor como qualquer outro. Por isso é tão estúpido liberalizar todas as drogas, colocando-as nas mãos das pessoas comuns e sobrecarregando imensamente o sistema de saúde além de aumentar exorbitantemente os crimes (que em sua maior parte procedem de gente viciada que precisa comprar mais drogas pra sustentar seu vício). Há uma razão por que a polícia proíbe o tráfico, que é justamente para coibir o avanço das drogas a fim de que não cheguem a um nível irreversível na sociedade.

      A verdadeira guerras as drogas nao e bate em casa de traficante, mas a conscientização.

      Parece a propaganda do PSOL no horário político da TV, fala sério. Nenhuma pessoa inteligente cai nessa falsa dicotomia, que aliás é a mesma de quem diz "mais escolas e menos presídios", como se só pudesse fazer uma coisa se não fizesse a outra, quando as duas são perfeitamente complementares (e necessárias). Ninguém aqui está dizendo que não deve haver conscientização, é óbvio que deve, mas SOMENTE a conscientização não basta se as drogas estiverem inseridas no âmago da sociedade, por isso também é necessário o uso da força policial (muito mais do que é feito hoje).

      Se proibirmos as drogas licitas como garante que nao surgira a novos alcapones sobrecarregando a policia?

      Eu já acabei de responder a isso no meu comentário anterior, às vezes parece que você tenta refutar uma coisa sem ler a resposta. Eu não disse que as drogas lícitas devem ser proibidas, eu disse que o IDEAL seria isso, mas atualmente isso já não é mais possível devido ao fato de tais drogas já estarem inseridas no grosso da sociedade (razão pela qual não deu certo a experiência americana de se acabar com o álcool tardiamente). Essa é mais uma razão para NÃO legalizarmos as drogas ilícitas, já que elas ainda não estão inseridas no grosso da sociedade e ainda há como contê-las, depois já será tarde demais assim como é tarde para o cigarro e o álcool. E o que sobrecarrega a polícia não é o combate às drogas, mas justamente todos os crimes que o vício nas drogas geram, esse sim é o âmago do problema e a isso corresponde a imensa maioria dos casos que a polícia tem que lidar todos os dias, casos esses que seriam multiplicados se as drogas fossem legalizadas, como eu já expliquei.

      E eu já falei pra você que eu não estou aberto a debates aqui no site, eu só tiro dúvidas das pessoas que fazem perguntas sinceras, não sei por que você fica teimando em discutir essas coisas, a gente já teve essa conversa antes e você parecia ter entendido. Se você não gosta ou não concorda com as minhas respostas blz, ninguém está dizendo que tem que concordar, mas parece que você tem a obsessão de querer provar que está certo, como se estivesse em um ringue. Eu já disse: este não é um espaço pra debates, eu também discordo da opinião de um montão de gente mas não fico indo no site deles discutir com eles pra provar que eles estão errados, há lugar apropriado pra tudo, e este não é um deles. Se você não respeitar essa decisão como os outros respeitam, infelizmente não poderei mais aprovar os seus comentários.

      Excluir
    7. "Eu já acabei de responder a isso no meu comentário anterior, às vezes parece que você tenta refutar uma coisa sem ler a resposta."
      Desculpa, poderia me mostrar?

      "Eu já disse: este não é um espaço pra debates"beleza,é que fico animado pois vejo seus artigos antigos em que você debatia, mas hoje você não quer mais.

      Excluir
  25. Banzoli, com relacao a conceitos mais filosoficos como de propriedade privada, liberdade individual, economia, concepcao de estado e suas funções, qual vertente filosofica se aproxima mais do cristianismo? Expl: marxismo, liberalismo, darwinismo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Cristianismo não tem uma "concepção de Estado e suas funções", você não vai encontrar nenhuma epístola de Paulo versando sobre teorias econômicas ou Jesus falando sobre a intervenção do Estado na economia, o evangelho é sobre salvação e fé (o Reino de Deus), não sobre política (o reino dos homens). Tudo o que você verá Paulo dizendo é que devemos nos submeter às autoridades, porque elas foram instituídas por Deus (Rm 13:1-4). Ele não diz qual visão de mundo ou ideologia essas autoridades deveriam implementar, até porque o Cristianismo tinha zero influência nas decisões do império. Quando falamos sobre essa ou aquela escola econômica ser a melhor ou a pior, nós não estamos querendo dizer com isso que a Bíblia ensina ou ordena tal ideologia, mas sim que pela experiência é a que mais funciona para tornar este mundo um lugar melhor. É importante separar as duas coisas, porque do fato da Bíblia ser a Palavra de Deus não significa que ela fale sobre todas as coisas, ela fala sobre o objeto ao qual se destina, que é como Deus redime o homem para que o homem se relacione com Ele. Nós podemos sim ter visões políticas, mas não devemos confundir isso com o evangelho; o evangelho é outra coisa, é algo espiritual e não terreno, embora também tenha implicações terrenas.

      Excluir
  26. Lucas, batismo onde o batizando fica sentado (em uma piscina pequena) é válido, correto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não entendi a pergunta, por que alguém entraria numa piscina pra ficar sentado? Não parece fazer muito sentido, e eu nunca vi um batismo desses. Mas de todo modo, eu não vou dizer que é inválido, embora não seja a forma que melhor expressa o significado de um batismo.

      Sobre o seu outro comentário (a respeito do exorcismo no livro de Tobias), eu tive que deletá-lo porque tinha um link católico e isso não é permitido pelas regras do site. Mas respondendo à pergunta, não existem exorcismos no AT, o caso de Saul não foi de exorcismo propriamente dito, Davi não usava a harpa para exorcizá-lo mas sim para acalmá-lo, tanto é que toda hora o demônio "voltava" e Davi tinha que tocar a harpa de novo (e numa dessas vezes ele quase acertou a lança em Davi, o que prova que o demônio não tinha saído mesmo). Tanto é que quando Jesus surge no NT expulsando os demônios as multidões ficam admiradas porque nunca tinham visto isso antes (Mt 9:33), algo que se acontecesse hoje seria encarado com toda a naturalidade, e até os discípulos ficam impressionados quando voltam relatando que "até os demônios se submetem a nós, em teu nome" (Lc 10:17). Ou seja, não havia exorcismos antes de Jesus surgir e dar às pessoas a autoridade de expulsar demônios em seu nome, isso é muito claro na Bíblia, o que faz do relato de Tobias totalmente inverossímil (artes mágicas nunca são usadas na Bíblia para expulsar demônios, eles só são expulsos em nome de Jesus, todo o resto jamais funcionaria, muito menos as entranhas de um peixe).

      Excluir
    2. Vlw pelas duas respostas rs

      Sobre o "batismo sentado" vou explicar melhor.
      O batismo é por imersão, a diferença está no fato de que, ao invés de ter bastante água como em um rio, com água até o umbigo para imergir a pessoa na água (ou seja, a pessoa em pé), o batizando teria que ficar sentado com as pernas esticadas (pois a água da piscina iria só até o joelho, por exemplo). Mas, ambos seriam imersos na água.
      Resumindo: como o batizando seria batizado em um piscina pequena, inflável, onde a água vai até o joelho, ele teria que ficar sentado com as pernas esticadas e o batista teria que imergir a pessoa do quadril para cima.
      Acho que agora deu para entender.
      Na minha opinião seria válido, mas gostaria de ouvir sua opinião.

      Excluir
    3. Acho que entendi, mas não vejo diferença nisso para qualquer batismo por imersão. O conceito de imersão diz respeito à pessoa estar imersa na água; em que posição ela estava antes é algo completamente irrelevante (ela poderia estar plantando bananeira que não faria a menor diferença).

      Excluir
  27. Escreva uma palavra que defina o
    "🖐️(.)(.)🖐️ MEUUU PRESIDENTEEE!!!"

    ResponderExcluir
  28. 1) Lucas, eu acho que o protestantismo ainda vai perder muitos fiéis para o catolicismo. Primeiro porque as igrejas históricas estão se tornando liberais, estão fazendo ordenação de mulheres e pasme, fazendo CASAMENTOS GAYS! Lá na Europa e na América do Norte as igrejas luteranas, reformadas, metodistas, anglicanas e batistas estão completamente afundadas no liberalismo teológico e já estão praticando estas abominações! Mas pra onde vão os protestantes históricos que não concordam com estas coisas e não se dão bem em igrejas pentecostais? Ou viram desigrejados ou pior, viram papistas! E é isso o que está acontecendo, infelizmente. Eu posso até dar um testemunho pessoal disso. Já comentei aqui que eu e meu irmão pensávamos em nos converter ao catolicismo há alguns anos atrás. Eu tive meus motivos para pensar nesta possibilidade e ele teve os dele. Mas aqui vou falar sobre ele, pois foi exatamente por este motivo que ele queria virar católico. Na época, nós estávamos na IMB e ela está caminhando para o liberalismo, infelizmente. A maioria dos seus pastores e bispos são esquerdalhas e a igreja faz ordenações de mulheres, o que eu e ele consideramos uma heresia descarada. Hoje ele está na seita adventista do sétimo dia.

    Em segundo lugar, os neopentecostais estão inventando muitas loucuras e envergonhando o protestantismo, mesmo não sendo protestantes. Mas aqui no Brasil é comum chamar todas as igrejas que não são católicas ou ortodoxas de protestantes/evangélicos/crentes.

    Terceiro, o pentecostalismo é essencialmente bom. Mas ele trouxe um problema muito grave: milhares de divisões desnecessárias. Virou rotineiro um pastor brigar com o outro e criar sua própria denominação. Isto é ridículo. Conheço um ex-pastor da IMB que foi deposto do pastorado, mas em vez de seguir a ordem do bispo, ele teimou em continuar sendo pastor da igreja, por fim, ele aceitou ser deposto, mas em vez de se contentar em ser um mero fiel, ele criou uma nova denominação chamada "Igreja Metodista Renovada", uma seita de teologia neopentecostal que tem a OUSADIA de se auto intitular "metodista", como se fosse possível uma igreja ser neopentecostal/pentecostal e metodista simultaneamente. Só uma pessoa bem ignorante em história da igreja pra cair nessa.

    Enfim, acho que uma boa solução para grande parte deste problema seria definir bem quem são os evangélicos no próprio meio protestante, e orientá-los a não manter comunhão com os sectários adventistas, testemunhas, CCB, Deus é Amor, Catedral da Bênção, Universal, etc.

    Quanto ao liberalismo teológico, acho que vai ser mais complicado exterminá-lo do meio protestante. Creio que a Igreja deveria buscar um equilíbrio saudável entre razão e emoção. Ou seja, entre estudos teológicos e regeneração espiritual. Uma igreja que tenha um bom conhecimento teológico não vai cair em ciladas como legalismo, teologias judaístas, teologia da prosperidade, loucuras e insanidades mentais, etc. e uma igreja regenerada também não vai ordenar mulheres, fazer casamentos gays, aceitar críticas que assaltam a veracidade das Escrituras, etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os tradicionais migrarem para os católicos para evitar a libertinagem das igrejas tradicionais até poderia ser verdade, mas não é, pelo simples fato que a igreja católica vem perdendo membros, não aumentando, esta em tal ponto que é irreversível os católicos recuperarem a mesma porcentagem de antes (a menos que eles tragam a inquisição de volta), então eu não sei para onde os tradicionais estão indo, mas para a católica que não é. Além disso nem todas as tradicionais são liberais, eles podem simplesmente ir para outra igreja.

      Você diz que os neopentecostais não são protestantes, mas então o que define um protestante? Se a igreja neopentecostal ensina prosperidade, e toda aquelas porcarias da "Bethel Church" então é uma igreja maligna e que deve ser evitada, mas conheço muitas outras igrejas que não ensinam estas coisas, e são teoricamente neopentecostais. O que define uma igreja neopentecostal é ela seguir o modelo pentecostal, mas ter sido fundada nas ultimadas décadas, independente se ela é mais histórica ou não, o que significa que existem neopentecostais ruins e neopentecostais boas, não da pra generalizar tudo.

      Porque os adventistas são sectários? Eles não propagam nenhuma heresia de condenação até onde sei (a menos que você considere que guardar o sábado ou coisas parecidas te levara ao inferno), eles creem na Trindade (muitos erroneamente acham que eles não creem), e tem muitas outras semelhanças com o protestantismo, pra mim o único problema é a questão da Ellen White que ser considerada profeta levaria a muitos problemas com relação ao que ela escreveu e a bíblia, talvez o Lucas que tem uma opinião favorável aos adventistas possa falar mais sobre.

      Você coloca as testemunhas de Jeová junta com as outras ai, mas isso é ridículo, as testemunhas estão em um nível diferente de heresia: eles tem outros livros além da bíblia que eles consideram de igual importância (nada de errado ter outros livros de teologia, mas considerar que eles tem a interpretação correta sobre a Escritura em TUDO é absurdo, que é o que as Tj fazem), eles tem seu próprio Papado (que é o Corpo Governante), eles acreditam que Deus tem um corpo limitado mesmo, como se Deus não fosse infinito. Eles dizem que o Espirito Santo é usado por Deus para acessar partes do Universo (?), e eles traduzem a bíblia de maneira tendenciosa, alterando versículos para se encaixar em sua teologia, eles cometem blasfêmia contra Deus ao adicionarem e remover trechos da Escritura. Algumas destas que você citou podem ter o problema da prosperidade que deve ser eliminado delas, mas não chega no mesmo nível das testemunhas de Jeová.

      Excluir
    2. Bom, que eu saiba, os neopentecostais são aqueles pentecostais que adotam heresias como teologia da prosperidade, maldição hereditária, cosmovisão excessivamente espiritualista como se tudo que acontecesse de ruim fosse culpa do Diabo (doenças, fracasso financeiro, etc.) e outras coisas sem nexo.

      Tecnicamente falando, eu posso sim desconsiderar a Universal, Mundial, CCB, etc. como integrantes do protestantismo porque as confissões de fé deles são vagas demais para saber se aceitam nossos dogmas. E já que eles não têm nenhum pronunciamento oficial à respeito dos dogmas evangélicos (5 Solas, livre exame, Igreja visível e invisível, sacerdócio universal de todos os crentes) nem dá para incluí-los em nosso meio. Na verdade, considerá-los evangélicos é muita ingenuidade. Tome como exemplo a confissão da Universal, que só aborda TRÊS (!) tópicos:

      a) Bíblia
      b) Santa Ceia
      c) Prosperidade (que surpresa, hein!)

      Isso é vago demais para considerá-los evangélicos. E quanto aos dogmas protestantes, como ficam? O que acham deles?

      Quanto aos adventistas, é correto colocá-los entre os sectários por dois motivos:

      1 - A cristologia deles não é evangélica. Eles crêem que Jesus era pecador e que a expiação só foi realizada em 1844. Mas os evangélicos acreditam que Jesus é IMACULADO e a expiação dos pecados foi feita na CRUZ, não em um santuário celeste em 1844.

      2 - O adventismo é PRIMA SCRIPTURISTA, não sola scripturista, como o protestantismo. Na Igreja Adventista, a Bíblia tem primazia, mas ela não é a ÚNICA regra de fé dos cristãos. Para eles, os escritos de Ellen White também são autoritativos para os cristãos e é impossível conhecer a ortodoxia cristã sem eles. Este é o mesmo posicionamento da Igreja Ortodoxa, que tem a Bíblia como regra de fé principal e em segundo lugar a Tradição "Sagrada", cuja autoridade é tão grande que é impossível conhecer a ortodoxia sem ela. Então, se os adventistas são sola scripturistas, os ortodoxos também são!

      No protestantismo é diferente. Eu sou metodista avivado com tendências luteranas e anglicanas. Para nós metodistas, os escritos de John Wesley são FALÍVEIS e não são indispensáveis para chegar a ortodoxia cristã. Nenhum metodista acredita que John Wesley recebeu "revelações de Deus" para escrever o que escreveu para iluminar os cristãos. Cremos no que ele escreveu apenas porque CONCORDAMOS com as OPINIÕES dele. Já no adventismo é diferente. Eles acreditam em Ellen White porque eles ACEITAM as "REVELAÇÕES" que ela recebeu para iluminar a Igreja com seus ensinos "maravilhosos".

      É bom esclarecer que não são só os evangélicos que vão para o céu. Mas incluir igrejas não-evangélicas no protestantismo está errado e somos nós que vamos nos prejudicar com isso.

      Excluir
    3. De fato, não faz sentido falar que “o protestantismo ainda vai perder muitos fiéis para o catolicismo”, primeiro porque o catolicismo é a religião que mais perde fiéis no Brasil em ritmo acelerado, como o Vinícius observou (e os evangélicos continuam crescendo), segundo porque a esmagadora maioria das igrejas evangélicas, tradicionais ou não, não são liberais (aqui na minha cidade nenhuma igreja tradicional que eu conheça é liberal, na Europa isso só acontece porque são igrejas do Estado, então o Estado interfere na igreja), então se um evangélico cogita se tornar católico por causa disso seria uma desculpa das mais esfarrapadas já que estamos há anos-luz desse cenário apocalíptico que você descreve; e terceiro e mais importante é que a ICAR sofre do mesmo problema, só que numa medida infinitamente maior (que muitos leigos não percebem por não conhecerem o catolicismo por dentro).

      Certo apologista católico com o qual eu costumava debater antigamente disse que 99% dos padres e bispos brasileiros são todos “comunistas”, porque a Teologia da Libertação se alastrou a tal ponto que é quase impossível encontrar um padre que não seja de esquerda e que não esteja mas preocupado em fazer proselitismo político esquerdista do que em pregar o evangelho. A própria CNBB é descrita por eles como um antro do demônio, e o papa Francisco já cansou de atacar o capitalismo e de reproduzir incansavelmente as opiniões da esquerda radical. Então, um evangélico abandonar o protestantismo por pensar que o catolicismo é mais “puro” nessa questão ideológica é ou um protestante incrivelmente burro, ou incrivelmente ignorante (como alguém que quer tirar seus pés da lama se lançando em um poço de m****). Eu nem preciso me estender aqui sobre isso porque já comentei amplamente a este respeito nestes artigos:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/11/por-que-igreja-catolica-e-o-baluarte-da.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/10/os-papas-contra-o-capitalismo-e-o.html

      Sobre a IASD, pode até ser que eles não sejam do mesmo tronco dos protestantes por essa questão da Prima Scriptura, mas eu não chamaria de seita, pois são mais cristãos que a maior parte das igrejas ditas evangélicas. Eu não sei de onde foi que você tirou essa informação de que para os adventistas Jesus foi pecador (suponho que tenha sido de um dos milhares de sites anti-adventistas que tem por aí), mas com certeza não foi de uma fonte adventista. O que eles realmente acreditam quanto a isso (e que é distorcido de forma gritante por seus detratores) é que Jesus veio na semelhança da CARNE pecaminosa, ou seja, que ele assumiu a mesma natureza humana inclinada para o pecado como todos nós, só que à diferença de nós, Jesus não pecou (ou seja, não cedeu às tentações como a gente).

      Excluir
    4. Eu penso da mesma forma, não só porque Paulo diz que Jesus veio “em semelhança da carne do pecado” (Rm 8:3), mas porque não faria sentido nenhum Jesus ser tentado se ele não tivesse a mesma natureza que a nossa. Se Jesus tivesse assumido uma natureza diferente da nossa, sem nenhuma inclinação ao pecado, as tentações que ele sofreu no deserto nem sequer poderiam ser chamadas de “tentação”, pois alguém só é tentado em algo que tenha propensão a fazer (por exemplo, você não é “tentado” a comer cocô, pois naturalmente não possui essa propensão, mas pode ser tentado a comer chocolate, pois tem essa inclinação). Se Jesus não tivesse por natureza a mesma propensão ao pecado que a nossa, a mensagem do autor de Hebreus também perderia a força e o sentido:

      “Por essa razão era necessário que ele se tornasse semelhante a seus irmãos em todos os aspectos, para se tornar sumo sacerdote misericordioso e fiel com relação a Deus e fazer propiciação pelos pecados do povo. Porque, tendo em vista o que ele mesmo sofreu quando tentado, ele é capaz de socorrer aqueles que também estão sendo tentados” (Hebreus 2:17-18)

      Primeiro que ele não teria sido igual a nós “em todos os aspectos”, já que no aspecto mais essencial (a nossa própria natureza inclinada ao pecado) ele teria tido uma vantagem evidente; e segundo que isso anularia a mensagem sobre ele socorrer os que são tentados porque ele mesmo sofreu quando foi tentado, se ele só venceu porque não tinha qualquer inclinação ao pecado (como nós temos). Seria o mesmo que alguém usar cheats para ganhar um jogo e aí ser usado de exemplo aos demais que não podem usar o cheat, não faz o menor sentido. A mensagem só faz sentido se Jesus esteve sujeito às mesmas condições que a nossa, e nessas condições conseguiu fazer o que nós não: vencer o pecado e se manter 100% santo e imaculado.

      O que faz com que muitos pensem que Jesus era "pecador" se veio com uma natureza pecaminosa é que eles acham que o pecado original (que se refere à nossa inclinação ao pecado) é um pecado mesmo, não apenas uma inclinação (como se as pessoas já nascessem efetivamente pecadoras). Este ensino antibíblico eu já refutei em outros artigos, como aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2020/05/o-que-acontece-com-os-bebes-e.html

      E eles não dizem que a expiação não aconteceu na cruz, a doutrina do juízo investigativo é sobre o juízo divino ter começado no santuário celestial em 1844, onde Jesus teria feito uma espécie de “exame” das obras de cada um antes do juízo final, claro que eu não acredito nisso e há milhares de razões bíblicas e lógicas para desacreditar este ensino, mas ele não diz que Jesus não efetuou a expiação na cruz, a doutrina é sobre juízo e não sobre expiação. Da mesma forma, eu também evitaria chamar a CCB de seita, apesar do legalismo deles não há nada que eles ensinem que comprometa a salvação, “seita” é um termo pesado que só deveria ser usado para quem realmente compromete a salvação com algum falso ensino muito perigoso que leva efetivamente os fiéis para longe de Deus (como a idolatria do catolicismo ou a rejeição da divindade de Cristo pelas TJ).

      Excluir
    5. 1-Neopentecostais não são definidos por estas heresias, e sim por serem novos (dai que vem o neo) em comparação as igrejas pentecostais mais antigas, mas elas seguem o modelo pentecostal. Então se um cara abrir uma igreja do lado da sua casa, na garagem dele, e ter um estilo de culto pentecostal, é neopentecostal, simples. E o que define um pentecostal é as mesmas coisas que definem um protestante + a atualidade dos dons espirituais. Agora se a igreja protestante + a atualidade dos dons espirituais começar a ensinar estas bobagens que você citou, então ela perde seu valor não só como igreja protestante, mas como igreja cristã mesmo, que é o caso da Universal, que colocam o Lucro acima de Cristo e isso corrompe a vida de muitos. Eu por exemplo frequento uma igreja neopentecostal, e a única coisa ali que eu presenciei que eu não concordo é sobre a teologia do arrebatamento e o imortalismo (mas esse é de se esperar), fora isso ela não obriga ninguém a dar dizimo e nem humilha quem não da o dizimo (que é o que a universal faz), e tão pouco ensina que não ter nada é sinal de falta de fé ou falta de dízimos. Portanto, cada igreja neopentecostal tem que ser analisada com cuidado, e não simplesmente achar que todas pregam estas heresias (infelizmente, as que ficam mais famosas são as que pregam isso).

      2-Não considero a Igreja Universal como cristã (não posso dizer sobre os frequentadores, mas a alta cúpula e os pregadores claramente não são) exatamente por causa do que eu já falei, o problema da prosperidade que é excessivo, tanto que foi a Universal e Mundial que popularizaram no brasil a visão de que todo evangélico é ganancioso. Portanto, você criticar a Universal para provar algo contra todos os neopentecostais é irrelevante conforme ja mencionei. Sobre a falta de confissões de fé eu até concordo que isso é um problema para definir certas coisas, mas no caso da Universal nem precisa de confissão de fé para saber que nem cristã é. Fora que o líder dessa igreja (o macedo) já chamou Jesus de (perdão pela blasfêmia) idiota! Nem precisa ir mais adiante.

      Mas o que eu disse antes foi que voce comparar estas igrejas, por mais bizarras que sejam, com testemunhas de Jeova é ridiculo, exatamente por conta das bilhões de crenças estranhas que as Tj tem, mas isso não é uma defesa da Universal, como seu eu apoiasse esta igreja perversa.

      Sobre os adventistas nunca ouvi eles falarem que Jesus era pecador, isso anularia completamente qualquer sentido na fé cristã. Não concordo com o adventismo em um monte de coisa, eles acham que Jesus e Miguel é o mesmo, e ficam criando estas datas nada haver no século XIX e XX, e outras coisas, mas também reconheço que eles sofrem muitos ataques que não tem sentido algum, de coisas que eles nunca disseram (pelo menos não a igreja adventista oficial, se alguém comenta porcaria num blog qualquer ai não da pra saber).

      Excluir
  29. 2) O fanatismo católico me dá nojo! Eu já comentei sobre um cara desequilibrado que ficou me xingando no Youtube de tudo quanto é nome em um debate que eu estava. O debate nem era com ele, mas ele fez questão de se meter pra me xingar de vigarista, mentiroso, burro, fazer piadinhas com os evangélicos, debochar do sotaque nordestino, etc. Não satisfeito com tudo isto, anteontem ele voltou a me xingar de tudo quanto é nome de novo e fazer piadinhas e deboches para me ofender. Eu nunca vi um cara tão fanático quanto esse. Ele deve ser doente, só pode. Eu juro que se alguém ousasse falar a metade do que ele já me falou na minha frente, eu ia dar tanto murro na cara da pessoa que minha mão ia até inchar. Eu estou com uma raiva desse cara que você nem faz ideia. Não sei como você aguenta lidar com esse tipo de gente todos os dias. Na verdade isso me deixa com medo. Fico impressionado com a quantidade de loucos fanáticos que tem nesse mundo. Minha dúvida é: será que algum dia um grupo de fanáticos católicos, marxistas ou de outro tipo podem criar leis para perseguir os evangélicos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Eu estou com uma raiva desse cara que você nem faz ideia."
      Para de debater, não é bom o cristão viver raivoso, simplesmente crie outra conta, bloqueie o youtube e vá ler a bíblia em vez disso.

      "Fico impressionado com a quantidade de loucos fanáticos que tem nesse mundo"
      Não, eles só parecem grandes em numero, mas se você for viver a vida fora da tela, vexe, quase impossível encontrar com um, eles não tem coragem de fazer isso na vida real, se tive-se, nem os católicos iriam admitir isso.

      Excluir
    2. Como o Vitor observou, eu não acho que esse risco exista hoje porque esse tipo de fanático católico é o típico "valentão de internet", que fora dali não mete medo em ninguém. Eles só parecem expressivos porque se juntam e atacam em bando com um monte de fakes, mas fora da internet são insignificantes, não devem chegar a 1% da população brasileira. Claro que temos que ficar de olho já que nenhuma ideologia destrutiva nasce da noite pro dia, todas elas vão sendo semeadas e cultivadas com o passar do tempo até ganhar uma quantidade significativa de adeptos e fazer o estrago, e pode ser que com a popularização do radicalismo católico pela internet esse tipo de gente se multiplique entre eles, mas pelo menos por enquanto ainda parece estar longe.

      Excluir
  30. Bom, no artigo passado o que eu quis dizer é: como podemos saber se foram os apóstolos que escreveram a biblia? Existe alguma prova de que eles existiram?, algun registro historico? Ou não é presiso provas de forma direta para saber se eles existiram?

    Bom, eu tenho uma certa noção de como responder a isso, mais tenho incertezas e poucos argumentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Bíblia não foi escrita só por apóstolos; foi escrita também por profetas, evangelistas, sacerdotes, reis e pessoas anônimas e comuns. Talvez você esteja querendo saber especificamente das cartas do NT escritas por Paulo, Pedro, Tiago e etc, neste caso temos todo o registro histórico patrístico mais antigo que atesta que eles mesmos escreveram as cartas às igrejas e não um farsante se passando por eles; há cópias de trechos do NT datando do século II e até de finais do século I que exigem uma data ainda mais antiga (geralmente a cópia mais antiga preservada data de séculos depois do original, em se tratando de história antiga), temos evidências arqueológicas que comprovam que os autores escreviam mesmo naquela época (pois se tivessem escrito muito depois da destruição do templo não teriam como saber a localização exata e precisa de um monte de coisa que foi destruída e que só foi encontrada pela arqueologia em tempos recentes), e diversos detalhes que apontam que os autores estavam familiarizados com os acontecimentos que descrevem e não estavam inventando uma estória, como você pode ver nestes artigos:

      https://lucasbanzoli.no.comunidades.net/veracidade-biblicap5

      https://lucasbanzoli.no.comunidades.net/veracidade-biblica-p4

      Isso sem falar que se alguém acusa o NT de ser uma falsificação cabe a ele o ônus da prova, não a nós. É quem acusa que tem que provar que o acusado é culpado, e não o acusado que tem que provar sua inocência.

      Excluir
  31. Toda a vez que eu vejo um video ou saite catolico defendendo imagens e tals eles sempre tem o argumento da serpente no deserto e da arca da aliança. O problema é nenhuma dessas duas coisas estavam presentes após a reconstrução do templo a partir de Esdras e Neemias, muito menos durante a vida de Jesus e dos apóstolos. É só depois que essa coisa de imagens reentra. Não se vê aboslutamente nada no NT que aponte que isso era uma conduta aceitável, se fosse os judeus teriam feito e daria tempo para Jesus se pronunciar a respeito disso.
    Esse video até fez uma montagem boa: https://www.youtube.com/watch?v=sbh7_SDP2hI foi nos comentários que vi essa insistência na questão da serpente e da arca. Vc já escreveu algo sobre isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sobre a serpente de bronze eu escrevi aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2013/05/nao-adoram-so-veneram.html

      E sobre a arca da aliança, aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2012/09/a-arca-da-alianca-justifica-idolatria.html

      Excluir
  32. Eu esqueci de mencionar no comentario sobre idolatria. No meu facebook apareceu a seguinte propaganda:
    "Já imaginou saber refutar um protestante que ataca o culto as imagens sagradas? Ou até mesmo saber porque não podemos cultuar a Pachamama?
    O Doutor da Igreja São João Damasceno traz uma apologética impecável e explica porque o cristão usa as imagens como objeto de culto e veneração e porque esse ato não é adoração. Aproveite para adquirir esta obra deste Doutor inspirador de Santo Tomás de Aquino."

    O livro se chama "Contra aqueles que condenam as imagens sagradas".

    Já ouviu dalar dele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Damasceno escreveu essa obra no século VIII, ele nem é considerado um Pai da Igreja de tão tardio que é. Por que eles não citam os Pais da Igreja dos primeiros séculos, mas sim alguém que viveu tanto tempo mais tarde? Nestes artigos você descobre o porquê:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/03/os-pais-da-igreja-contra-o-culto-as.html

      http://respostascristas.blogspot.com/2018/06/os-pais-da-igreja-pre-nicenos-e-o-culto.html

      http://respostascristas.blogspot.com/2020/07/epifanio-e-as-imagens.html

      http://respostascristas.blogspot.com/2016/03/agostinho-e-o-catolicismo-romano-parte_17.html

      http://respostascristas.blogspot.com/2018/09/os-pais-nicenos-e-o-culto-as-imagens.html

      Excluir
  33. Banzoli, como que Deus falava aos israelitas quando o texto não diz se foi por meio de profeta etc, como em Juíze cap10:11?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é porque o texto não menciona explicitamente que um profeta falou nesta ocasião que nenhum profeta falou, significa apenas que nesta ocasião o autor preferiu ir direto para a resposta de Deus sem se preocupar em pormenorizar através de quem Ele disse aquilo ou outros detalhes envolvendo a narrativa. Por exemplo, se um rei mandava uma mensagem a outro rei e esse rei respondia, nem sempre é mencionado o mensageiro que foi levar e trazer a carta, embora seja óbvio que ele existia e que foi através dele que a mensagem chegou. A presença do intermediário na narrativa é dispensável (opcional de acordo com a preferência do autor), o que é indispensável é a mensagem em si.

      Excluir
  34. Boa dia Lucas! Como vai?

    Como explicar o texto de Mateus 16:18 e 19 para irmão católico?

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja os «Artigos sobre Mateus 16:18» no índice:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-catolicismo.html

      Excluir
  35. Lucas, o que você acha do argumento de que as igrejas pentecostais tem opiniões que nunca foram aceitos por ninguém por milhares de anos (quem diz isso foi um tradicional ainda, e não um católico) como por exemplo a manifestação de milagres, o falar em línguas, e o sentimentalismo segundo eles nunca foi ensinado pela igreja em lugar nenhum, e foram os pentecostais que inventaram tudo isso.

    Olha só isso que presenciei. Uma pagina de luteranos do facebook (então você já sabe do que estou falando) disse em uma "discussão" com outra pessoa que "os pentecostais acreditam que sem o falar em línguas não há igreja, logo eles acham que a igreja deixou de existir até o século XIX", e eu respondi que não, pois dons espirituais não servem para validar nada, as igrejas não tinham dons porque eles não buscavam, não quer dizer que eles eram menos cristãos por isso, portanto a igreja existe independente de dons espirituais. A pagina ainda não respondeu, mas curiosamente eu presenciei em outro lugar um pentecostal dizendo que "se você nunca falou em línguas, não pode ser salvo", eu disse que a salvação é pela fé, e ele respondeu "o único lugar da bíblia que fala de salvação é em Atos onde eles falam em línguas", eu mostrei todas as provas contrarias que mostrava pessoas sendo salvas através da fé, e ele ainda achava que falar em línguas era sinal de que você estava salvo, então vi que não adiantava continuar falando. Parece que quando um tradicional vai se informar dos pentecostais, eles se informam com as piores pessoas e igrejas para isso, pois me surpreendi que o que a pagina luterana disse, de fato alguns pentecostais propagam por ai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dizer que nenhum milagre foi manifestado em dezenove séculos de história da Igreja é simplesmente bizarro, toda a história da Igreja está repleta de milagres de todos os tipos, nem os reformadores pensavam assim. O dom de línguas nunca deixou de existir, há textos dos Pais da Igreja falando disso e relatos individuais ao longo da história, ele só não era "globalizado" como é hoje, porque não era estimulado por igreja nenhuma e por isso apenas uma dúzia de gatos pingados aqui ou ali falavam em línguas (como eu já disse várias vezes, Deus não dá dom nenhum a quem não busca, porque a Bíblia diz que é preciso buscar os dons espirituais). Sobre isso eu já escrevi aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/01/o-dom-de-linguas-nos-pais-da-igreja-e.html

      Mas eu acho que pior do que o que a página luterana disse foi o que esse pentecostal sem noção escreveu, é um desgosto enorme pensar que em pleno 2021 ainda existe esse tipo de gente que pensa assim, já é ridículo quando dizem que ser batizado com o Espírito Santo é falar em línguas, mas vincular a própria salvação a isso é completamente herético, quem diz isso nem cristão é (já que não crê na salvação pela graça mediante a fé). Sobre isso eu escrevi aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/11/batismo-no-espirito-santo-significa.html

      Vale ressaltar que falar em línguas NÃO é um sinal de que a pessoa é "mais cristã" do que uma outra que não fala; pelo contrário, Paulo disse expressamente que nem todos falam em línguas (1Co 12:30) e que o falar em línguas é o MENOR de todos os dons (1Co 14:5; 12:28, 10), então como pode a salvação ser dependente de um único dom que nem todo mundo tem, e ainda por cima bem o menor deles? É o tipo de coisa que só gente bitolada que nunca abriu a Bíblia na vida afirma, o tipo de gente que vive atolada no pecado mas acha que está salva só porque fala em língua estranha, por isso se apega tanto ao dom em si (quando o dom não significa nada por si só, é apenas um instrumento que Deus nos dá para a nossa edificação e sobretudo a do próximo, por isso Ele não dá por mérito ou merecimento).

      Excluir
  36. Banzolao e o que você acha de batismos que são realizados diferente do tradicional feito no tanque da igreja com a pessoa usando uma bata branca?A Bola de Neve batiza pessoas que acabam de descer do tobogã de uma piscina.Recentemente o pastor Carlos Moyses do Ministério Voz da Verdade batizou uma menina em uma piscina,ele disse que a estava evangelizando durante as férias passadas nesse clube e ela pediu para ser batizada ali, muitos irmãos criticaram pq ele estava de sunga e ela de biquíni,mas até isso é normal,as pessoas vão para a piscina de um clube usando essas roupas mesmo,eu não vejo problema,até porque a Bíblia não explica o local que o batismo deve ser realizado e a roupa a ser usada,não sei se é verdade,mas já li que os primeiros cristãos se batizavam estando totalmente nus,você sabe se isso procede?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostaria muito de saber qual capítulo e versículo da Bíblia diz que o batizando tem que estar com vestes brancas (deve ser o mesmo capítulo e versículo que diz que o pastor tem que pregar de terno e gravata). Batismos em piscina são extremamente comuns, contanto que haja água para a pessoa ser batizada o batismo é válido, se parar pra pensar até esses tanques nas igrejas são tecnicamente falando piscinas, com a diferença de que estão dentro da igreja e não fora (mas João Batista não batizava dentro de igreja nenhuma e o eunuco também não foi batizado por Filipe numa igreja, então para o batismo ser válido não precisa ser dentro de um templo). Sobre se batizar nu, essa tradição vem de Hipólito de Roma no terceiro século, não sei por quanto tempo durou e nem há evidências de que a igreja primitiva batizasse assim, e a própria Bíblia nunca diz para se batizar nu (o que além de gerar constrangimento desnecessário ainda pode incitar à carnalidade). Quanto a esse batismo da Bola de Neve, o próprio pastor responsável admitiu o erro e disse que foi realizado por um subordinado sem sua autorização, eles nunca mais batizaram desse jeito (pelo menos até onde eu sei), só que esse vídeo de mais de dez anos atrás acabou viralizando tanto que até hoje todo mundo pensa que crente da Bola de Neve só se batiza em tobogã.

      Excluir
  37. Banzolao eu li que recentemente um pastor foi denunciado acusado de intolerância religiosa por ter postado um vídeo em suas redes sociais queimando uma oferenda que havia sido feita por praticantes de religião afro,o que você acha? Nós cristãos temos a interpretação de que os praticantes de religião afro cultuam demônios que se disfarçavam de orixás,mas como proceder nessas situações sem parecer intolerante?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus nunca disse para saiamos destruindo altares ou oferendas de outras religiões, no antigo Testamento Deus ordenou que Israel fizesse isso com os cananeus apenas, mas nunca com outros povos, Deus até ordenou que Israel não fizesse mal desnecessário algum a Edom, Moabe, Amom, e qualquer nação longínqua (Dt 20:10-15) Quão mais os cristãos depois, portanto é errado mesmo sair atacando estas outras religiões dessa forma. Agora no falar é verdade, essas religiões são falsas e até demoníacas, mas lembre-se que um cristão não deve sair falando isso por nenhuma razão, deve sempre haver um motivo. Eu não consigo imaginar um contexto onde um pastor ataca a Umbanda só porque sim. Agora se alguém perguntar para você o que você acha destas outras religiões, ai você deve falar a verdade mesmo, mas fora isso não vejo motivo para alguém sair falando que as religiões são demoníacas, temos que ser racionais e agir com racionalidade, temos que ser prudentes como as serpentes (Mt 10:16), que planeja bem o que esta fazendo. Sair falando que as religiões alheiras são demoníacas fora de hora não é prudente ou racional e acaba levando a processos e até prisões desnecessárias, mas se todo o contexto permitir falar, então ai sim você poderia tentar provar o porque estas religiões não são boas (não só Umbamda mas outras religiões também), mas sempre com racionalidade, e nunca com ódio ou violência, não devemos agir assim para com estas pessoas, a maioria só segue porque a religião vem da família e não porque é mal-intencionada.

      Excluir
  38. Respostas
    1. Não assisto, mas votei umas dez vezes na Karol Conká só pelo meme.

      Excluir
  39. Lucas, você viu recentemente a nova propaganda que o Brasil Paralerdos ops... Paralelo lançou? É uma propaganda que eles afirmar categoricamente: LER É INÚTIL!

    Ps. I feel Medieval and Lula vibes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não vi, mas parece-me óbvio que a única leitura instrutiva, proveitosa, benéfica e sadia que existe no mundo são os livros do excelentíssimo Professor e Mestre de todos nós Olavo de Carvalho, então o Brasil Paralelo tem toda a razão (e o Olavo também, porque #OlavoTemRazao).

      Excluir
  40. Lucas, o que você acha da ideia do leitor Gabriel Tavares de escrever um artigo desconstruindo os Documentários que eles postaram Brasil a Última Cruzada? No qual eles pintam os portugueses como anjos na Terra livres de pecado e com boas intenções que só queriam evangelizar os índios pagãos e civilizá-los? Bem como os episódios posteriores que eles pintam o Brasil Imperial como uma potência mundial e a Família Bragança como verdadeiros paladinos da justiça e que só queriam o bem pro Brasil, bem como o período da Primeira República e Era Vargas como sendo uma época de trevas... O que você acha???

    Gabriel Tavares, apoio a sua ideia, muito obrigado por interagir comigo e com o blog. Esteja sempre à vontade para comentar alguma coisa nos meus comentários sempre que quiser, valeu e falou!👍🏻👍🏻👍🏻🙂🙂🙂

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1-Muito obrigado Estudante de Direito de Direita tbm agradeço a sua interação e quando você quiser também está livre para comentar algo nos meus comentários,o Lucas já escreveu artigos refutando a ideia de que o Brasil era um paraíso no período monárquico,demonstrou que éramos mais atrasados que nossos vizinhos republicanos Argentina e Paraguai,algo que sugiro para ele nesse artigo é até mesmo o Brasil católico idealizado nesse documentário nunca existiu,porque os indígenas sobreviventes dos massacres e epidemias e os africanos escravizados nunca deixaram suas crenças pagãs originais,eles só agregavam os santos católicos ao culto e seguiam adorando seus deuses,sugiro ao Lucas comparar o que ocorreu com os indígenas e negros em nações protestantes como os EUA,lá sim houve uma conversão genuína e praticamente não vemos sincretismo religioso por lá ,como eu lembrei que o Lucas já escreveu artigos criticando a família Bragança e a monarquia pela condução política e econômica,pensei em sugerir ele abordar essa questão religiosa.

      2-Nao sei se vocês concordam,mas eu penso que o Vargas foi fundamental para industrializar o Brasil e amenizar um pouco as desigualdades existentes,ele criou a CLT que hoje pode estar obsoleta,precisa ser revista,mas para aquela época foi importante para coibir abusos e explorações que ocorriam nas fábricas,ele foi um ditador sanguinário,não tenho qualquer simpatia por ele,mas em comparação com os dois Pedros e com os presidentes da República Velha do "café com leite" ele foi menos pior,por isso é injusto o Brasil Paralelo trata-lo como grande vilão do país

      Excluir
    2. Eu já escrevi bastante sobre essas questões abordadas pelo Brasil Paralelo nos dois volumes do livro sobre a Reforma, por isso eu não acho necessário escrever um novo artigo que iria copiar grande parte do que já foi dito ali. Sobre Vargas, eu concordo com o comentário do Gabriel, por mais que eu não nutra nenhuma simpatia por ele é inegável que ele foi menos ruim que os governos que o precederam (os monárquicos e os da República Velha), estaríamos bem piores agora se a monarquia ou a República do café com leite tivessem durado mais tempo.

      Excluir
  41. Banzolao eu comentei em outro post a argumentação do Eduardo Bolsonaro no Flow afirmando que a esquerda defende a legalização das drogas para destruir a sociedade,você assistiu a entrevista?Eu assisti e acho ele bem mais preparado que o pai dele, é formado em direito pela UFRJ,foi Policial Federal,ninguém passa em um concurso para PF sendo burro,fez intercâmbio em Coimbra,ele contou que foi a Amsterdã nessa época e falou que a Holanda quer voltar atrás nessa ideia de legalização da maconha,já que na região do Red Light onde há os coffees da maconha,ele contou que do lado de fora há traficantes de outras drogas,expandiu o consumo.Hoje o Eduardo é 100%alinhado com o pai,mas por ser jovem e mais intelectualizado, acreditas que no futuro quando o Jair se aposentar ou morrer,ele poderia ser uma boa liderança política para o país?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa parte da entrevista eu assisti, também acho que ele não é um ignorante grosseiro igual ao pai, mas daí pra dizer que ele seria "uma boa liderança política para o país" são outros quinhentos. Ele está totalmente alinhado com o (des)governo do pai, é ainda mais fã do astrólogo da Virgínia, é alinhado ao discurso anticiência e às paranoias conspiracionistas bolsolavistas, é tão extremista quanto (falou até em fechar o STF) e passa pano pra corrupção da família dele, a única diferença é que ao que parece ele é realmente liberal na economia e não um vira-casaca por conveniência igual ao pai que sempre foi um estatista e mudou de lado perto das eleições pra ganhar o eleitorado liberal, mas até aí o Guedes também é, e não está fazendo m nenhuma.

      Excluir
    2. Mas eu disse em um futuro hipotético onde já não existam Olavo e Jair Bolsonaro,são bem mais velhos que ele,mais provável morrerem antes,o Yago Martins já disse que estudou Escola Austríaca em uma classe junto com o Eduardo,então por isso que eu acho que pode ser que futuramente ele se assuma liberal de vez e pare de usar camisas do Ustra,de defender ditadura militar,o que ele claramente faz por influência do pai e do astrólogo

      Excluir
    3. Ele nunca iria abdicar a isso porque seria jogar sua trajetória política no lixo e atrair o ódio dos seus próprios seguidores.

      Excluir
  42. Lucas 1 oque você acha da definição de secular, coisas que fundamentalmente não relação alguma com religiões? se não me engano é isso, me corrija se eu estiver errado.

    2 Como mostrar que o deus de uma pessoa é por exemplo: dinheiro,sexo e etc?

    3 Porque as pessoas se interessam tanto por filosofias vãs? Poderia analisar em particular o estoicismo, ou fazer uma critica ao mesmo? Pois meu professor de filosofia apresentou como se fosse uma solução para a pandemia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Você definiu bem.

      2) Quando assume o papel principal na vida de uma pessoa e ela vive em função disso.

      3) Porque as pessoas buscam respostas, e a filosofia é um dos meios que oferecem essa resposta (mesmo que seja a resposta errada). Só não entendi o que o estoicismo tem a ver com a pandemia, se puder me explicar a lógica que o seu professor usou para chegar a isso eu agradeço.

      Excluir
    2. Meu professor disse que o estoicismo serviria para lidar sobre a pandemia, entao gostaria que vc comentasse sobre.

      Excluir
    3. O que eu não entendi é qual a lógica que conduz a isso, por isso eu perguntei qual raciocínio ele utilizou pra chegar a essa conclusão.

      Excluir
  43. Lucas, um outro desafio aos ateus que defendem a moral objetiva sem Deus: Matar é errado, sim, mas porque não posso fazer que nem Hitler, mata milhões e deixar uma ferida na historia e depois me matar já que ninguém vai me julgar depois de eu morrer? É inevitável esse pensamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, pra eles o mal fica sempre impune. Isso até serve de motivacional para agir assim, não à toa os maiores genocidas que já existiram eram descrentes.

      Excluir
  44. Banzolao e o que você acha de taxar grandes fortunas,pessoas que possuem mais de 1 bilhão de reais na conta?No Youtube passou uma propaganda da nova série do Brasil Paralelo sobre a Argentina que recentemente tomou essa medida,eles alegavam que esses bilionários fugiram para o Uruguai onde as grandes fortunas não são taxadas,vc acha isso algo de esquerda?Os EUA,o Reino Unido,o Japão taxam as grandes fortunas e não são países com tradição de esquerda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acho errado taxar as grandes fortunas, mas não podem ser valores exorbitantes senão motiva a fuga de capitais e desmotiva a geração de novos negócios já que o cara sabe que mesmo se der certo o Estado ficaria com toda a fortuna dele.

      Excluir
  45. E se Judas não tivesse se matado?

    Na minha opinião seria muito melhor, iria dar mais um argumento sobre Jesus ter ressuscitado

    Pois como Judas seria rapidamente reintegrado aos discípulos sendo que ele traiu Jesus? Por que ele morreria em martírio por algo que ele mesmo inventou? Como ele poderia superar a opinião pública sobre ele ter traído o Salvador?

    Imagine: Judas, completamente perdido, atormentando e depressivo, e quase indo se matar, simplesmente Jesus aparece em seu socorro

    Então Judas se jogando aos seus pés diria "Senhor Deus meu, não sou digno de tua presença, não sou digno de lhe servir. Quão imensurável é vosso amor, que mesmo eu tendo te traído, vinhes-te me socorrer!"

    Então Judas iria a encontro dos discípulos, um pouco acorvardado, porém veria que Jesus apareceu para os discípulos também

    Então Judas seria novamente aceito, e provavelmente iria retribuir a sua traição pregando o evangelho sem parar em todos os lugares possíveis

    E assim sendo martirizado.

    Acho que seria isso que aconteceria se Judas não tivessem se matado, mas infelizmente ele o fez

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é que Judas já era uma pessoa desonesta desde muito antes de trair Jesus, a Bíblia diz que ele roubava o dinheiro da bolsa de doações que servia para ajudar os pobres, Jesus já dizia que ele era um "diabo" porque conhecia o seu coração, ele já via todos os milagres que Jesus realizava diante deles e mesmo assim agia assim, é um caso bem diferente de Pedro que embora tenha negado Jesus em um momento de fraqueza nunca foi mal-intencionado. Judas muito provavelmente já havia cruzado a linha que Hebreus 6:4-6 menciona, sobre alguém que recebeu toda a revelação possível e mesmo assim se mantém obstinado em seu coração, a respeito dos quais não há mais perdão (não porque Deus não esteja disposto a perdoar, mas porque a pessoa não é mais suscetível ao arrependimento, por isso Judas teve apenas remorso).

      Excluir
  46. Banzolão até onde a ideia da hegemonia cultural de Gramsci é verdadeira?Eu fiquei sabendo dessa teoria através do Olavo,não lembro de ver nenhum outro pensador de direita denunciar isso antes dele,mas depois que descobri o verdadeiro caráter do Olavo,o fato dele atacar gratuitamente o protestantismo e todo o passado dele em seitas,golpes,tariqa islâmica passei a desconfiar de tudo o que ele diz,a própria filha dele diz que ele é um mentiroso compulsivo,mas nesse caso ele está totalmente certo mesmo,não distorceu nada do que o Gramsci ensinou?Pq eu nunca li nenhum livro de Gramsci.

    2-A Escola de Frankfurt seria uma continuação do pensamento de Gramsci?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca li Gramsci para comentar a respeito, está longe das minhas prioridades.

      Excluir
  47. Triplex do Lula em versão bolsonarista

    https://economia.uol.com.br/colunas/carla-araujo/2021/03/01/flavio-bolsonaro-compra-mansao-de-quase-r-6-milhoes-em-brasilia.htm

    Banzolão eu falei mais acima que achava o governo Bolsonaro menos pior que o do PT porque ainda não havia sido descoberto um escândalo de corrupção tão grande como o Petrolão,mas conforme as coisas estão andando logo logo vão descobrir,já tem o´´triplex´´,é bem provável que a família Bolsonaro esteja desviando dinheiro de estatais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, até agora não chegou perto das dimensões da roubalheira do PT, acho que o Bolsonaro nem teria competência suficiente pra isso, não seria capaz nem se quisesse (e provavelmente quer).

      Excluir
  48. Eu estava conversando com um amigo meu que compartilhou comigo a mesma igreja no passado, acho que ele e eu estamos numa situação complicada em termos de fé. O que nos anda deixando aflitos não é a dúvida se Deus existe ou não, ou se Jesus é ou não o Messias, mas o que nos anda deixando bem abalados é a questão do que seria o caráter de Deus quando a gente olha para as igrejas e para os cristãos.
    A gente até viu junto o teu video sobre a questão do "ocultamento" de Deus mas a minha grande questão é por que Deus permite que cristãos e igrejas patiquem o pecado usando Deus ou Jesus por pretexto.
    Aqui em no Pará por exemplo tem um sacerdote católico de grosso calibre sendo investigado por denúncia de ex-seminaristas católicos de que esse sujeito abusou deles, saiu até no Fantástico. Quando isso aconteceu, muitos evangélicos da nossa igreja sempre comentam algo como repreendendo espiritualmente o que aconteceu e com a certeza velada de que Deus não poupará alguém assim se não houver um arrependimento genuíno. Agora quando foi o caso do Ravi Zacharias por exemplo eu e meu amigo levamos o assunto para as mesmas pessoas e o que ouvimos foi um breve lamento porém com uma certeza de perdão e salvação do cara, sendo que a definição de imoralidade sexual abraça os dois casos, mas o julgamento dos crentes da nossa igreja foi diferente em cada um dos casos. Que cristianismo é esse? Eu e meu amigo chegamos a conclusão que se Deus condenar o sacerdote católico, tem também que condenar o sacerdote evangélico, porque nào seria justo um tratamento diferente e me parece que as pessoas estão até com vergonha de explorar o assunto. Em outras palavras, se perdoar o Ravi Zacharias entao tem que perdoar o Dom Alberto Taveira.
    Outra coisa que nos chamou a atenção foi o caso da Andressa Urach. Ela saiu da Universal, escancarou o ânimo espiritual da liderança de lá e agora está dizendo que vai sempre falar de Deus, ainda que mostrando a bunda, porque ela está agora na tripulação do Miss Bumbum Brasil. Que cristianismo é esse?
    Eu e meu amigo a gente não está mais na mesma igreja, comentei antes sobre o caso dessa igreja que estudou mais os livros do Watchman Nee do que a própria Bíblia. Julgo que eu e ele fomos espiritualmente estuprados pelo pastor, com a conivencia de uma igreja toda, já que recusamos a se submeter totalmente a autoriade deles fomos feitos de piada, considerados pecadores e saimos de lá pra evitar mais exposição. Sendo que ao sairmos concordamos em evitar qualquer pecado ao máximo justamente para que a antiga igreja não diga: viram só, eles saíram porque não eram salvos... temos um cuidado extremo e levamos anos mesmo para conseguir procurar outra igreja novamente. O problema é que as pessoas dessa igreja estão prosperando muito, continuando com o mesmo espírito de deboche e estão sempre materialmente bem, enquanto eu por exemplo estou batendo a cabeça na vida para ter o que comer, assim como meu amigo. Chegamos a um ponto de pensar que seríamos mais felizes se nunca tivessemos conhecido Jesus, mas aí a gente saca que é Satanás por trás desse pensamento e tentamos seguir em frente, acreditando que quem pratica o mal não conhece a Deus. Em nossas novas igrejas continuamos a ver abusos: é como se um irmão ficasse cheirando o rabo do outro, dando segundo opinião pra tudo, nunca estão satisfeitos com nada, complementam tudo o que se diz e sempre querem ser o ultimo a pronunciar algo, mas não saio dali apesar de tudo. Minha alma está cansada.
    Quando leio o Salmo 73 eu vejo que Asafe passou por algo assim mas o que entendo é que quando ele fala de ímpios lá, eram outro tipo de ímpios. A impiedade era referente a outros servos de outros deuses, o que vejo ao meu redor são crentes que praticam pecado usando Deus e Jesus por pretexto. E eles estão de fato muito bem. Como posso acreditar num Deus justo? Como não duvidar do caráter de Deus quando ele permite tudo isso ser feito no nome dele?

    ResponderExcluir
  49. Continuando. Eu quero muito manter a fé. Quando eu me tranco no quarto e abro a Bíblia, eu fico muito feliz com o que leio e quando oro mas como fecho a Bíblia e abro a porta só me esbarro com cristãos assim. E uma vez eu tentei conversar com isso com um casal em que o marido é teólogo e ele sempre insiste em dizer que está tudo bem, que aquelas pessoas são assim por nào terem experimentado o amor de Deus, mas agora fala pra elas que elas estão cegas pra ver se elas não te moem e te sacaneiam em nome de Jesus. Acho que se os cristãos em geral colocassem uma mordaça na própria boca que seja por um ano apenas, eles teriam que falar com a conduta e com os olhos, acho que as coisas melhorariam um pouco. Mas a boca é puro deboche.
    O fim da picada foi uma irmão querer se divorciar porque o marido transou com estágiaria. Ele pediu perdão mas ela agora prefere ficar sozinha. Agora ela é a escrota que nào perdoa, que nào ama o proximo como a si mesmo e pelo que entendi, pela igreja, ela receberá a ira de Deus por não querer restaurar o casamento. Que cristianismo é esse?
    Só estou ficando bem com Deus tendo certeza, no meu
    íntimo, que todos ali serão destruídos, mortos e queimados por Deus no dia do Juizo. A impressão geral que tenho é que os satanistas praticam pecado em nome de Satanas e os cristãos praticam pecado em nome de Jesus. Eu tenho ficado muito atormentado com tudo e estou muito desanimado. Eu estou tentando separar a santidade de Deus do comportamento do povo dele, mas tem sido difícil.
    De qualquer forma obrigado pela espaço de refleXão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não entendo por que você vê diferença entre os ímpios da sua igreja e os ímpios que Asafe se refere no salmo citado. Aos olhos de Deus não existem "ímpios da igreja" e "ímpios de fora da igreja". Existem ímpios. Há apenas pessoas salvas e perdidas, independentemente se estão na igreja ou não (e existem pessoas dos dois grupos em ambos). O problema é que a gente criou uma teologia na qual "cristão" significa "gente da igreja" e "ímpio" significa "gente do mundo", quando cristão biblicamente falando diz respeito a alguém que nasceu de novo em Cristo, e "ímpio" diz respeito a qualquer um que cometa impiedades (não importa se frequenta igreja ou não).

      No sentido bíblico, as pessoas que você citou não são filhas de Deus, portanto não são o "povo" dele; o povo dele são os redimidos e salvos pelo Seu sangue, que não cometem as práticas que você descreveu neste e em outros comentários. Ou seja, esse dilema é um dilema ilusório, fantasioso, aplicável só a quem entende que tais indivíduos são filhos de Deus e agem em Seu nome, quando na verdade são apenas impostores e nada a mais. Seria o mesmo que alguém escrever um artigo em meu nome dizendo ser eu e falar um monte de coisa que eu desaprovo, mas eu não tenho nada a ver com isso, já que não autorizei tal pessoa a dizer nada. Jesus não autorizou nenhum ímpio a falar em nome dEle, independentemente se frequenta alguma igreja, e a prova disso está em Mateus 7, quando Jesus diz:

      “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?’. Então eu lhes direi claramente: ‘Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!’" (Mateus 7:21-23)

      Jesus diz que NUNCA os conheceu, ou seja, para ele esses ímpios da igreja (que clamam pelo seu nome com os lábios, mas que com o coração estão longe dele) não tem nada de especial em relação aos ímpios do mundo, ambos são desconhecidos como filhos. A única diferença é que aquele que sabe a verdade e mesmo assim vive uma vida ímpia vai pagar mais caro no dia do juízo do que aquele que não sabia, porque Deus nos julga de acordo com o nosso conhecimento da verdade (Lc 12:47-48). Qualquer um com um conhecimento médio da Bíblia sabe como as igrejas da época dos apóstolos já estavam cheias de pessoas imorais, em Corinto tinha um cara tendo relações com a esposa do seu pai e os irmãos da igreja ainda se orgulhavam disso, e apenas duas das sete igrejas do Apocalipse não são criticadas por alguma conduta ímpia. É muita ingenuidade pensar que dois mil anos depois a igreja dos nossos dias estaria moralmente melhor do que aquela da época em que os próprios apóstolos ainda viviam. Ninguém deveria se surpreender com isso, deveríamos nos preocupar apenas com nossa própria vida com Deus sem se importar se o irmão do banco ao lado na igreja está caminhando para a destruição, isso é ele que vai se ver com Deus depois. Não deveríamos nos preocupar com o pecado alheio a ponto de colocarmos em dúvida nossa própria fé, cada um tem que se preocupar com a sua própria caminhada porque seremos julgados por nossos próprios atos e não pelos atos dos outros, "cada um dará contas de si mesmo a Deus" (Rm 14:12)

      Excluir
    2. Irmão foi uma grande coincidência você ter falado disso, esses dias eu tava com o exato pensamento, mas não sobre impios na igreja e sim a impiedade no geral, praticamente o mesmo pensamento de Jó de que injustos "se dão bem" e justos não. E eu até orei, "sera que é justo Deus perdoar estas pessoas? Elas fizeram todo tipo de coisa e ai depois diz que se arrepende, e tudo fica certo?" Minha fé estava muito abalada também (e olha que nem sou cristão cristão, eu estou mais para o lado intelectual da coisa do que viver a fé em si por enquanto, , nem me batizei ainda, embora aguardo o momento para isso), e achei que não ia progredir dai e ia acabar virando ateu mesmo. Mas ai lendo algumas coisas da Bíblia, bem como uma certos pensamentos que veio a mim (pode ser que Deus tenha respondido a oração) percebi que as coisas não são tão simples quanto "e se arrependeram e viveram feliz para sempre". Claro que a unica coisa que Deus exige de nós é o arrependimento, mas o arrependimento tem que ser verdadeiro, a ponto da pessoa ter vergonha do que fez e nunca mais voltar a pensar na mesma coisa que ela fez. E sempre existiram falsos arrependimentos, pessoas que praticaram todo tipo de pecado e acharam que se dariam bem na igreja (seja qual for esse bem que elas esperavam) e ai se dizem arrependidas, mas é mentira pois se pudessem voltariam para a lama novamente. Lembrando que Deus é muito misericordioso em querer nos perdoar, mas Ele também é justo e sábio, e não se deixa enganar por aparências. As pessoas não lembram que "todos prestarão contas por toda palavra fútil que foi dita" (Mt 12:36), e "tudo que o homem plantar, ele colhera" (Gl 6:7). E o mais importante, "larga é a porta da perdição, e são muitos os que entram por ela" (Mt 7:13-14). O que me animou nisso não é o fato de ver pecadores não se arrependendo (pois é triste que eles não se arrependam), mas sim que ninguém enganará a Deus no dia do Juízo, não é tão simples quanto "estou arrependido Deus, agora vou seguir minha vida", e portanto, todo falso crente (assim como os impios mesmo) serão julgados e não poderão dizer nada para se defenderem. como a Andressa Urach que voce citou (se bem que ela foi escolher justo a Universal para ir, me pergunto se ela fosse para igreja outra ia ser melhor para ela), ela se disse arrependida, mas quando se decepcionou com a universal (ela mesma disse isso) não procurou outra coisa melhor, pelo contrario, voltou para a mesma vida de antes.

      Excluir
    3. Não acho correto julgar pessoas especificas, mas o caso dela é um exemplo que temos evidencias do que acabei de falar, agora quão mais pessoas que estão na igreja e aparentemente são cristãs, mas no dia do Juizo serão humilhadas perante Deus por causa da real intenção dessas pessoas. No geral meu irmão, continue servindo a Deus, não deixe que este tipo de mal te abale, não temos que ir na igreja para confiar em pessoas e sim em Jesus Cristo, e a igreja é um lugar de comunhão com outras pessoas, mas ela não diz nada a respeito de seus frequentadores. Ouça aqueles que falam coisas boas e fundamentadas na Palavra, pois existe muita gente incrível na igreja também, mas aqueles que falam mal ou até o praticam tente corrigir ele (como um passador de pano do caso do Ravi, que tenho muitas duvidas se realmente se arrependeu, visto que era um pecado que ele vivia a anos, e esteve nisso até pouco antes de morrer, e não é só chegar na hora da morte e falar "Deus me perdoe" sem verdadeiro arrependimento como o ladrão da cruz, mas apenas uma tentativa desesperada de entrar no Reino), se ele não ouvir, então ignore essa pessoa, se ela ficar pior se afaste dela, não vale a pena dar pérolas aos porcos. Enfim esse texto só pode não ser suficiente, mas não fique com esse pensamento de que as pessoas ruins na Igreja são o povo de Deus, pois nem todo aquele que diz Senhor, Senhor entrará no Reino dos Céus, mas fique feliz que Deus é misericordioso para conosco e esta conosco até o fim, pois ninguém deveria receber perdão por nada, mas Deus faz isso pela sua grandiosa misericórdia.

      Excluir
    4. O que eu não entendo é por que alguém deveria se incomodar com a Andressa Urach ter voltado à vida de antes ou quem quer que seja, uma coisa é sentir pena pelo caminho que ela escolheu trilhar, outra coisa é titubear na fé por causa do que os outros fazem, o que pra mim não faz o menor sentido. Se ela voltou a rebolar por aí, minha única reação é DANE-SE, é a vida dela, ela que faça o que quiser, se quer ir pro inferno que vá, não é problema meu. Eu tenho é que me preocupar com a minha própria salvação, se for me preocupar com o que os outros estão fazendo vou acabar ficando louco. O caminho da salvação é como uma maratona que cada um trilha sozinho, é claro que outras pessoas estão na mesma maratona trilhando o mesmo caminho, mas se elas se desviarem é problema delas, meu único foco é chegar do outro lado, não quero saber se vou chegar sozinho ou se vai todo mundo chegar comigo, eu não posso me responsabilizar pelas escolhas dos outros. Nenhum maratonista desiste da corrida por ver que outros competidores estão largando ou não estão levando a sério, o que ele quer é chegar ao final, como Paulo disse:

      "Vocês não sabem que dentre todos os que correm no estádio, apenas um ganha o prêmio? Corram de tal modo que alcancem o prêmio" (1 Coríntios 9:24)

      Por isso eu acho tão estranho quando alguém questiona a fé por causa das atitudes dos outros, mesmo se todo mundo estivesse vivendo no pecado é pior pra eles, nossa única reação deveria ser pena por saber que eles serão privados de algo tão maravilhoso como a vida eterna. Se o problema é o fato de Deus não punir essa gente já hoje (que é o mesmo argumento ateu em relação ao mal), Ele já tem um dia estabelecido para isso, enquanto isso Ele nos dá tempo para que nos arrependamos dos nossos pecados, não sei por que ter tanta pressa que Deus execute o juízo sobre todos os ímpios (de dentro ou de fora da igreja). Se Deus fizesse isso, muita gente que se arrependeria e se converteria genuinamente algum dia seria privada disso (Paulo teria sido o primeiro), e mesmo os que não vão se arrepender irão pagar lá na frente, então por que ter pressa?

      Se não há juízo futuro faz sentido exigir que tais pessoas fossem punidas aqui e agora, mas não faz o menor sentido considerando que o juízo eterno já está marcado (é como alguém com o julgamento já marcado para tal dia ser sentenciado à morte antes mesmo do julgamento acontecer, não faz sentido nenhum). Não importa quanta prosperidade, saúde ou bens materiais alguém que vive hoje no pecado tenha, nada disso chega perto de compensar o que ele vai perder por viver no pecado. Toda essa forma de pensar pode até fazer sentido na cabeça de um ateu que pensa que essa vida é tudo o que existe, mas não faz o menor sentido na perspectiva de quem acredita em juízo vindouro e vida eterna. Nem o ladrão mais burro que existe continuaria roubando se soubesse que na semana que vem receberia uma herança bilionária e passaria o resto da vida numa mansão paradisíaca (e que se continuasse roubando seria privado dessa herança e ainda seria preso), e comparada à eternidade essa vida significa bem menos que uma semana.

      Excluir
  50. O que você achou do Brasil ter sediado a Copa de 2014?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puro desperdício de dinheiro público, muito bem representados figurativamente nos 7 a 1.

      Excluir
    2. A nossa vantagem é que o Dante conhecia os alemães!kkkkk

      Excluir
    3. Imagina se não conhecesse 🤣

      Excluir
    4. Nessa analogia do placar com a Copa, o gol de "honra" feito pelo Oscar representa os estádios que viraram elefantes brancos e que quase nunca são utilizados pelos clubes?

      Excluir
    5. Pois é, pelo menos pra isso a Copa serviu. Não temos hospitais, as escolas estão caindo aos pedaços, mas temos estádios ultra modernos, quem precisa do resto?

      Excluir
  51. Lucas, os preteristas utilizam de lucas 2:1 para dizer que o império romano era o mundo inteiro, logo o evangelho ja foi pregado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa pretistas são insanos kakakaakskakakskss

      Provavelmente o que Lucas utilizou foi uma hipérbole, as vezes a gente fala "todo mundo foi lá em casa" o que na realidade não foi

      E cai por terra pelo seguinte ponto: as pessoas daquela época sabiam que o Império Romano não controlava o mundo todo

      Tinham as tribos bárbaras, um pouco da Índia, a Persia, algumas áreas da África e talvez (não sei direito a época em que isso aconteceu) os Nórdicos que faziam comércio com os Romanos

      Então a definição do mundo ser o Império Romano não faz muito sentido, poderia fazer se os antigos conhecessem somente os Romanos

      Mas não era bem assim.

      Excluir
    2. Não! É o contrário. Eles dizem, principalmente o C Macabeus, que o império romano não abrangia o mundo todo.

      Se for este o caso, então eles não podem dizer que o Evangelho foi pregado em todo o mundo antes de 70 dC!

      Veja isso


      http://agrandecidade.com/2012/09/30/o-evangelho-foi-pregado-a-todos-antes-de-70-dc/

      Excluir
    3. Na verdade eles se contradizem consigo mesmos, porque por um lado precisam que o "todo o mundo" de Mateus 24:14 seja apenas "o império romano" (já que o evangelho não tinha sido pregado em povos mais distantes e Jesus disse que precisaria ser pregado no mundo inteiro antes que ele voltasse, o que eles acreditam que ocorreu em 70 d.C), mas por outro lado usam Mateus 10:23 pra dizer que Jesus voltaria antes mesmo dos discípulos percorrerem as cidades de Israel, o que eles já tinham feito muito tempo antes de 70 d.C (se já tinham pregado em todo o império romano, então obviamente já tinham pregado nas cidades de Israel). Outro problema é Apocalipse 17:18, que diz que a grande cidade reina (tempo presente) sobre os reis da terra, que eles dizem ser Jerusalém, que na época que João escreveu não reinava nem sobre uma mosca, quem reinava sobre o mundo era o império romano (o que eles não podem admitir, pois vai contra a conclusão deles de que é Jerusalém). Ou seja, para eles, às vezes terra/mundo se refere ao império romano e outras vezes se refere apenas a Jerusalém, depende sempre da conveniência do momento e nada a mais.

      O KeyTsar já respondeu bem sobre o texto de Lucas, que nada mais é que uma hipérbole de um tipo que usamos até hoje. Um preterista poderia questionar por que Mateus 24 também não poderia ser uma simples hipérbole, e a resposta está no próprio texto, que não diz apenas que seria pregado no mundo todo, mas também em TODAS AS NAÇÕES, então não poderia ser só no império romano. Da mesma forma, Apocalipse 17:18 não poderia estar falando só da terra de Jerusalém, pois diz que a grande cidade reina sobre os REIS DA TERRA, no plural, então não está falando de um rei só, está falando de reis no mundo todo (e Jerusalém naquele momento não reinava nem sobre o seu próprio território sujeito à Roma, muito menos sobre outros reis). Tanto é que os judeus não tinham rei, tinham apenas governantes que eram lacaios do imperador romano (eles mesmos confessavam que "não temos rei, senão César", cf. Jo 19:15).

      Excluir
    4. Lucas, por favor, não apague este comentário.

      Eu me segurei pra não falar nada. Mas tive que responder ao "KeyTsar28", pois ele chamou a nós preteristas de "insanos". Então acho que tenho direito a uma resposta.

      Primeiro gostaria de responder ao Luan. Bom, Luan, eu não sei quem foi que te disse que o "mundo" de Lucas 2.1 é uma referência ao Império Romano. Na verdade, tanto esta expressão de Lucas quanto a de Mateus 24.14 são HIPÉRBOLES. Esse tipo de hipérbole é super comum na Bíblia. Confira Romanos 1.8, Colossenses 1.5-6, 1 Tessalonicenses 1.8 e Atos 2.5. Mateus 24.14 não exige um cumprimento literal. Caso contrário, também teremos que interpretar as passagens que apresentei literalmente se quisermos ser justos e lógicos.

      Agora, respondendo ao sr."KeyTsar28", os preteristas não são insanos. Você acha que o N.T. Writh, o R.C. Sproul e tantos outros autores de renome são "insanos"? Sugiro que estude mais em vez de ficar interpretando a Bíblia de uma forma totalmente moderna e ocidental. Estude a Bíblia no seu contexto histórico e verá que o preterismo é de fato a interpretação mais fiel ao texto bíblico. Não é uma interpretação nova ou esquisita. Mas tão antiga quanto o próprio cristianismo, como bem atestam os pais da Igreja. Embora alguns de fato fossem futuristas. A diferença é que os preteristas sempre souberam que para entendermos as profecias do Novo Testamento devemos primeiro compreender a linguagem profética bíblica, que teve origem no Antigo Testamento. Coisa que os Pais futuristas Irineu, Barnabé de Alexandria e cia não fizeram. O que eles fizeram foi interpretar as profecias do Novo Testamento de forma literal e totalmente fora de seu contexto histórico-cultural. Afinal, eles eram de origem gentílica e sem familiaridade NENHUMA com a linguagem profética do Antigo Testamento.

      Em fim, não quero que vocês dois tomem o que eu falei como verdade absoluta e estudem as escolas de interpretação escatológicas cristãs para tirar suas próprias conclusões. E parem de ficar xingando quem pensa diferente de vocês. Isto é coisa de gente fanática e fanatismo é coisa de gente estúpida e ignorante. Não entendo por que as pessoas odeiam tanto o preterismo.

      Se alguém tiver dúvidas sobre o preterismo, podem ficar à vontade para me perguntar no meu Facebook. Meu nome lá é Gabriel Nunes e minha foto é uma cruz celta parecida com esta do blog.

      Excluir
    5. Me desculpe, mas como dono do blog me sinto na obrigação de corrigir alguns equívocos. O preterismo pode não ser coisa de gente insana clinicamente falando, mas é de fato recente na história da Igreja, nunca foi crida por Pai da Igreja nenhum, nunca foi aceita por reformador nenhum, nem mesmo os católicos aceitavam isso até algum tempo atrás, muito menos os teólogos protestantes conservadores. Mesmo hoje é difícil encontrar um teólogo não-liberal ou não-heterodoxo que defenda tal coisa, N. T. Wright nega a substituição penal e portanto está fora da ortodoxia protestante (na qual esta sempre foi um dos pontos centrais e a base da Sola Fide), Sproul pode até ser considerado, mas vai ser difícil encontrar mais que um punhado de defensores disso. Inclusive inicialmente eu pensei que você tivesse mencionado Spurgeon, fiquei até assustado, porque se você pegar do século XIX pra trás é quase impossível achar um protestante preterista (que não fosse um teólogo liberal).

      O preterismo só ganhou fama com o surgimento da teologia liberal, que não crê na volta de Jesus, na ressurreição dos mortos e nas crenças cristãos mais basilares. Uma das características mais notórias dos teólogos liberais é que eles desacreditam inteiramente as profecias bíblicas, justamente porque não creem na inspiração da Bíblia e nem no sobrenatural (a maioria deles são ateus ou agnósticos). É por isso que o preterismo fez tanto sucesso entre eles, já que se trata de uma corrente de interpretação que descarta por completo o elemento sobrenatural (volta visível de Cristo nas nuvens do céu, arrebatamento da Igreja, marca da besta, anticristo e etc), tornando o Apocalipse basicamente um livro de história sobre a guerra judaico-romana, só que muito piorado por ser cheio de enigmas inúteis que não atendiam a qualquer propósito.

      Isso também explica por que o preterismo só ganhou força nos últimos dois séculos, que coincide com o nascimento da teologia liberal (embora existisse desde os tempos de John Hentenius, no século XVI, sendo desenvolvida por teólogos católicos que na época estavam desesperados em desvincular a associação óbvia e notória entre a Igreja Romana e a Babilônia do Apocalipse, razão pela qual jogaram tudo para um passado remoto). Neste artigo eu mostro como era um consenso entre os Pais da Igreja que o Apocalipse foi escrito ao final do reinado de Domiciano (em 95 d.C), retratando eventos futuros:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2012/11/manual-de-como-esmagar-o-preterismo-com.html

      Neste outro eu mostro como era um consenso entre os Pais da Igreja que o anticristo era um ser humano, que viria ao mundo no futuro (e não alguém que já morreu ou algo impessoal):

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/05/o-anticristo-ao-longo-da-historia-e.html

      Excluir
    6. Há um livro do Jacques Le Goff (um famoso historiador secular e maior medievalista que já existiu) chamado A Civilização Feudal: do ano 1000 à colonização da América, onde um dos capítulos é justamente sobre o anticristo, e ele mostra como TODA a cristandade da época acreditava que um anticristo pessoal estava por vir (eu cito um trecho do livro neste último artigo). Essa coisa de que o povo da época já era preterista ou que só uma minoria era futurista é puro ENGODO que os preteristas contam, que pode enganar alguns leigos mas não engana quem é estudioso do assunto, muito menos quem é familiarizado com a história. Eu mesmo já li vários documentos medievais onde o povo expressava a espera do anticristo futuro, e nunca vi um único camarada dizer que o anticristo já veio (no máximo afirmavam tal coisa como um antítipo, como Nero que era um “anticristo” em sua época porque prefigurava o anticristo que estava por vir, o que os preteristas sorrateiramente tiram do contexto em seus sites de forma quase criminosa pra dizer que eles eram preteristas).

      Enfim, seja lá qual for a interpretação teológica que se tenha, uma coisa é certa: o preterismo é recente, surgiu como fruto do desespero católico em resposta à Reforma Protestante e só ganhou força com a teologia liberal anticristã, o que já mostra de que tipo de árvore estamos falando. Interpretações bíblicas podem até ser discutidas, mas fatos históricos não se discute, e como historiador eu tenho a obrigação de rechaçar qualquer tentativa de revisionismo aqui em meu próprio site. O preterismo é estranho à história da Igreja e ainda mais estranho à Bíblia, tanto é que só consegue se sustentar na base da alegorização extrema dos textos bíblicos, até daqueles cujo contexto não há nada que indique ser alegórico (método no qual qualquer um consegue provar literalmente qualquer coisa que quiser na Bíblia, não à toa Orígenes fazia tanto sucesso).

      Excluir
    7. Só pra encerrar essa discussão:

      Não entendo por que as pessoas odeiam tanto o preterismo.

      Deve ser porque o preterismo nega (seja diretamente ou por inferência) as doutrinas mais basilares do Cristianismo, como a volta visível de Cristo nas nuvens do céu, o arrebatamento dos salvos e a própria ressurreição dos mortos (que biblicamente está sempre atrelada à volta de Jesus, que para os preteristas já ocorreu "de mentirinha" em 70 d.C). Tanto é que os preteristas completos, que defendem um preterismo mais consistente, negam explicitamente essas doutrinas, apesar dos preteristas parciais tentarem conciliar de modo totalmente inconsistente com sua própria doutrina.

      Até hoje eu não vi um preterista me mostrar como a ressurreição pode acontecer na volta de Cristo se Jesus já voltou "alegoricamente" em 70 d.C (e ninguém ressuscitou em 70 d.C), ou onde está na Bíblia duas voltas diferentes de Cristo (uma em 70 d.C e outra no fim dos tempos), ou de que forma o que Jesus disse em Mateus 24:29-31 aconteceu em 70 d.C, ou como se desvincula isso da volta de Jesus que Paulo menciona em 1ª Tessalonicenses 4:13-18 e que é obviamente a mesma (como todos os detalhes textuais demonstram), e se é mesmo a mesma, como que o que Paulo disse ali seria um consolo para os tessalonicenses.

      Os preteristas completos "resolvem" esses e outros problemas simplesmente negando a doutrina da ressurreição e da volta de Jesus, enquanto os preteristas parciais tentam se equilibrar na corda bamba de forma totalmente inconsistente. Isso sem falar que essa heresia torna os cristãos relaxados para o que está por vir, tornando o próprio Apocalipse um livro inútil para os dias de hoje (e um dos critérios para um livro ser considerado canônico é a sua aplicabilidade a todas as épocas, o Apocalipse só foi considerado canônico nos primeiros séculos por conta disso). Como se trata de uma doutrina que nega direta ou indiretamente os fundamentos mais basilares da fé e que é totalmente estranha à história da igreja e à tradição cristã, sua rejeição não deveria ser encarada como surpresa.

      Excluir
  52. Lucas, o que você acha do argumento monarquista:

    "Os países monárquicos dificilmente caem em polarização política, pois com a identidade cultural, nacional e política unificadas na figura do Rei, o povo tem um senso maior de unidade e dificilmente irá cair na polarização política (algo recorrente em repúblicas vide o que acontece atualmente nos Estados Unidos, a república mais antiga do mundo, é também o país mais politicamente polarizado do mundo, algo que dificilmente ocorreria se fossem uma monarquia), pois o monarca é por natureza sempre apartidário e pensa sempre no bem estar do país e do povo, vide exemplos como a Suécia e Japão duas monarquias onde o povo possui um Grande senso de unidade e são bem menos polarizados em parte por conta da unificação na figura do monarca."

    Lucas, além de falarem que países monárquicos são mais unificados eles dizem que as monarquias tendem a ser politicamente bem menos polarizados do que as Repúblicas em parte por conta da figura apartidária e símbolica do rei. Esse argumento procede?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Do que adianta o rei ser apartidário se ele não manda em nada? Nos países que ele citou o rei ou a rainha são apenas figuras simbólicas, não tem mais nenhum poder de fato (mesmo que no papel ainda tenham algum poder, na prática nunca o usam, e se usassem o povo cairia de pau em cima deles pois ninguém mais admite isso em nossos dias). A monarquia nesses países é apenas uma monarquia de fachada, não tem nada a ver com o tipo de monarquia antiga (como a de Dom Pedro II) que os monarquistas brasileiros defendem tanto e querem de volta. Sem falar que não há nada verdadeiro na afirmação de que monarquias, mesmo que simbólicas, evitam a polarização, pode até parecer que sim porque a mídia não fala quase nada dos outros países (fala muito mais dos EUA, por ser o país mais poderoso do mundo, e dos países sul-americanos, por serem vizinhos nossos), então como ficamos sabendo pouco deles fica parecendo que não tem acontecido nada de mais por lá, mas é só ver o que foi o Brexit no Reino Unido, que é qualquer coisa menos um exemplo de "senso de unidade sem polarização".

      Não apenas houve uma enorme polarização política, como até mesmo entre os países que compõem o Reino Unido houve quem votasse pela saída e outros pela permanência, quer dizer, nem entre os próprios países eles concordaram, quanto menos internamente. Ou então veja a história da Espanha que tem um rei até hoje e já passou por tudo que é tipo de regime extremista diferente, desde o fascismo até uma versão mais "light" do socialismo (em vigor atualmente). Se no Japão a coisa é diferente, isso se deve à própria organização do país que é um exemplo em se tratando de tudo, não propriamente à figura do monarca (a Coreia do Sul, ali pertinho, é tão organizada quanto e é uma república, isso tem a ver com a cultura do país e não com o sistema de governo).

      Excluir
  53. Aliás Lucas, estive afastado do blog essa semana porque estava de repouso me recuperando de uma cirurgia (recentemente arranquei os dentes do siso), então aproveitei e tirei uma semana de férias do blog.

    Ps: Fiz uma prova (online, óbvio) para estágio remunerado no Tribunal Regional da minha cidade, agora estou esperando eles me chamarem. Brevemente estarei estagiando!!! 🥳🥳

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem problemas, eu também estive uma semana afastado do blog (não por causa de cirurgia, mas porque estou terminando os detalhes finais de um novo livro). Você já sabe o resultado que você tirou nessa prova?

      Excluir
    2. O resultado ainda não saiu, mas espero que eu tenha sido aprovado para essa vaga, eu conversei com a minha amiga (já citada em alguns outros comentários anteriores) que recentemente foi aprovada num concurso para Estágio remunerado lá no TRJR e ela me disse que isso é Normal às vezes você faz a prova pra seleção e demora várias semanas, ou até mesmo meses. Mas tendo fé, paciência e conhecimento você irá conseguir a vaga, por favor ore por mim para que eu consiga essa vaga no Estágio do Fórum da minha cidade, abraço.

      Excluir
  54. Interessante notar que Calvino colocou que pela lógica astronômica, Saturno seria maior que a Lua (que é verdade), mas a bíblia diz que a lua faz parte dos dois grandes luminares que Deus criou, mas ele diz que Moisés escreveu na perspectiva humana, de baixo para cima, onde a lua parece ser o segundo maior luminar, e não da maneira que Deus realmente criou, onde os planetas são maiores que a lua, embora na vista humana eles pareçam menor: https://biblehub.com/commentaries/calvin/genesis/1.htm, só achei interessante essa observação.

    Lucas, me interessei pelos metodistas porque eles não são calvinistas, mas também não caem nestas muitas heresias de prosperidade que estão surgindo (então eles estão entre o tradicional e o carismático, e muito mais longe do desses ultra carismáticos), mas vi um grave problema sobre o batismo (http://www.metodista.org.br/batismo), onde eles dão uma visão liberal demais, dizendo que qualquer um pode escolher fazer o batismo da forma que quiser seja aspersão ou imersão (quando deveria ser só imersão) e também dizem que crianças devem ser batizadas, mas ao mesmo tempo dizem que crianças já nascem praticantes do Reino e que se morrerem muito jovens estarão com Deus, e ai eles também mudam a definição de batismo para crianças, dizendo isso é para consagrar elas, enquanto no caso de um adulto seria para confissão publica de pecados. Enfim a doutrina sobre batismo deles esta em todo lugar ali, não parece que eles tinham certeza se o batismo salva ou não (eles afirmam que não) mas fica muito confuso ali, o que você pensa sobre?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ultra carismáticos que eu comentei ali é no sentido de o "culto" (se é que podemos chamar assim) ser só supostos milagres e nada de Palavra, nada de sermão. Na verdade nem creio que Deus esteja manifestando dons nesse tipo de igreja, parece que eles ficam loucos (isso se não for endemoniado mesmo) e o tal culto não vai pra lugar nenhum. Alguns poderiam dizer que não é endemoniado pois o diabo não daria glória a Deus, mas o engraçado é que eles não dão a glória a Deus, a maioria destas igrejas dão glória ao si mesmo e ao dinheiro, etc, e só citam o Espirito Santo para parecer que são cristãos, mas nem sabem quem é o Espirito Santo.

      Excluir
    2. Eu não acho "errado" o batismo por aspersão, só não é a forma mais apropriada de batismo porque não representa fielmente o simbolismo do batismo (de morrer para os pecados e ressuscitar para uma nova vida, o que é representado pelo entrar e sair das águas) e também pela própria definição de "batismo" que é "imergir em águas", mas a própria Didaquê diz que o batismo por aspersão é válido na falta de água suficiente para se batizar por imersão, e há pelo menos um caso na Bíblia de algo assim acontecendo, que é quando Filipe batiza o Etíope (segundo dizem, o rio que passa por aquela região não era profundo o suficiente para um batismo por imersão, então na falta de água suficiente ele deve ter sido batizado por aspersão). Na questão do batismo infantil eles são bem confusos mesmo, porque por um lado eles aderem a toda a lógica do credobatismo (rejeitando as heresias das igrejas reformadas e da católica a respeito de pecado original, limbo, bebês no inferno, regeneração batismal, "batismo salva" e coisas do tipo), mas mantém a prática, que precisa ser confirmada mais tarde por uma confissão de fé já na idade da razão (o que pra mim é outra contradição, porque se o batismo precisa ser validado depois que cresce, por que não faz depois que cresce?).

      De todo modo, como a metodista foge de todas as "heresias batismais" mais comuns e perigosas, eu vejo esse problema como uma questão secundária, que não afeta os pilares da fé e dá pra relevar tranquilamente. Só quem gosta de criar polêmica em cima disso é aquele tipo de gente que acha que o batismo é a coisa mais importante que existe (especialmente aqueles que creem na regeneração batismal, para os quais o batismo tem efeito salvífico ou é um requisito para a salvação), mas à luz da Bíblia o batismo recebe uma ênfase bem menor do que essas pessoas dão, porque era visto apenas como um rito de introdução com uma simbologia muito forte por trás, mas não como algo tão crucial a ponto de causar discussões acaloradas e divisões internas em decorrência da visão sobre o mesmo. Vale lembrar que não existe igreja doutrinariamente perfeita, se formos exigir a perfeição vamos ficar em casa e não é isso o que Deus quer, desde que seja uma igreja saudável é "congragável", e de todas as igrejas que eu conheço nenhuma eu me identifiquei mais que a metodista (principalmente pela questão que você pontuou no início, sobre ter um estilo bem equilibrado, que foge a certos extremismos pentecostais e à frieza dos mais tradicionais, é um meio-termo que faz bem o meu estilo).

      Excluir
  55. Lucas, o que você acha daquelas afirmações que algums fazem que teoricamente cortar o cabelo é pecado porque seria uma espécie de "vel", cortar a barba, se depilar, usar maquiagem, sair de casa menstruada, fazer tatuagem, andar 1000 passos no domingo e usar roupa com tecidos diferentes é pecado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Lucas tem esse artigo sobre tudo isso de cabelo e barba: http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/evangelicos-que-escandalizam-o-mundo.html

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com/2015/09/homem-pode-ter-barba-e-cabelo-comprido.html

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com/2015/09/a-mulher-precisa-usar-veu-no-culto.html

      Sobre menstruação é mais questão de higiene que pecado em si, a bíblia considera menstruação, assim como outros fluidos corporais que tanto homens quanto mulheres tem (seja sexual ou não) como impureza que precisa ser lavada, mas não como pecado (embora possa ser um pecado dependendo de como a própria pessoa se comporta com relação a isso).

      Andar mil passos no domingo é pecado? Então todos hoje estão salvos disso por causa do lockdown kkkk

      Roupas e tecidos diferentes foi uma norma cultural que Deus entregou a Israel, é tipo hoje um homem usar um tipo de saia na cultura brasileira, que seria estranho, mas os escoceses (pelo menos no passado) usavam uma espécie de saia, e la nunca foi estranho. Tanto é que o Novo Testamento nunca menciona isso e nem faz exigência disso, pelo contrario, diz que não devemos recriminar ninguém pelo comer, pelo vestir ou por estas coias de menor importância (Co 2:16)

      Excluir
  56. Banzolao e você já assistiu algum vídeo da página Ecoando a Voz dos Mártires?Eu citei essa página em alguns posts anteriores,eles fazem um bom trabalho denunciando a perseguição a igreja em muitos países ditatoriais,a maior parte dele são países islâmicos,mas por outro lado eles tem um certo viés bolsonarista que eu não concordo,ainda veem o Bolsonaro,até a Bia Kicis como alguém que pode ajudar a igreja perseguida,a Bia Kicis nem cristã é,eu acho um equívoco grande parte dos cristãos seguir apoiando o Bolsonaro,como você explica essa situação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço essa página, mas eu acho lamentável que uma página que se destina especificamente a defender os cristãos da perseguição se perca em proselitismo político bolsonarista, o que além de desproposital ainda gera esse tipo de divisão, fica parecendo que a defesa do Cristianismo é apenas um pretexto pra fazer propaganda política.

      Excluir
    2. O pior é que o Bolsonaro já encontrou dois grandes perseguidores da igreja,o rei saudita e o presidente chinês em viagens a esses países e não os cobrou pela perseguição que a igreja sofre,isso a página não reclamou de Bolsonaro,ele apenas fez um discurso vazio sobre cristofobia na ONU,sem explicar o que era cristofobia e quais países a praticavam

      Excluir
  57. Veja só isso o que aconteceu agorinha Lucas:

    https://www.google.com/amp/s/g1.globo.com/google/amp/politica/noticia/2021/03/08/fachin-anula-condenacoes-de-lula-relacionadas-a-operacao-lava-jato.ghtml

    O Fachin em uma cartada só ANULOU TODAS as condenações do Lula na Lava-Jato! O que significa que agora ele está ELEGÍVEL para 2022!!! Mas o caso ainda precisa passar pelo STF que deverá julgar o mérito da Decisão nos próximos dias, mas pelo andar da carruagem tudo indica que o Molusco de 9 dedos irá ser absolvido!

    Mais de 7 longos anos de operação contra a corrupção, de investigação criminal contra políticos, lobistas e empresários influentes e poderosos, de interrogatório judicial via delação premiada e de um longo, cansativo, estressante e árduo trabalho orquestrado pela Polícia Federal, pelo Ministério Público e pelos juízes e procuradores foram literalmente jogados no LIXO! Pelo jeito o grande sonho do Mito vai se realizar! Muito Obrigado Fachin, Muito Obrigado Nunes Marques, Muito Obrigado Bolsolixo e Muito Obrigado Gado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era óbvio que num país lixo como esse com um STF lixo como esse sendo guiado por um presidente lixo como esse isso iria acontecer um dia, até que demorou. Quem deve estar fazendo a festa a uma hora dessas é o Bolsonaro, que agora pode polarizar com o Lula no segundo turno e ter alguma chance de reeleição, além do próprio PT, cujas chances de voltar ao poder aumentam consideravelmente com o Lula em lugar do Haddad, e é claro todos os bandidos e criminosos desse país, que vão poder voltar a roubar mais do que nunca, agora que já está mais do que claro que este é mesmo o país da impunidade. Tudo o que eu sinto da justiça desse país é revolta e nojo, é inacreditável como eles fazem todas as manobras possíveis pra fazer com que o crime compense, até quando surge algo bom como a Lava Jato eles conseguem dar um jeito de acabar com ela e reverter todas as decisões. Parabéns aos envolvidos!

      Excluir
  58. https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2021-03-08/politicos-aliados-reagem-a-decisao-de-fachin-sobre-lula-confira.html

    Segundo turno BolsoLula em 2022?Se for isso eu nem vou votar,pago a multa que é de R$ 3,50 https://defatoonline.com.br/multa-para-quem-nao-vota-e-de-r-3-50/ e se possível saio do país. Vc tbm não votaria e tentaria ir embora Banzolão se for um segundo turno entre esses dois?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não fosse por ter família aqui, já teria ido embora faz tempo. A história desse país nos mostra com uma clareza indiscutível que a única saída para o Brasil é o aeroporto.

      Excluir
  59. 1-Banzolao o Nando Moura fez um vídeo recente culpando o Bolsonaro pela anulação da condenação do Lula,você acha que o atual presidente da República poderia fazer algo para impedir isso?

    2-Na sua opinião o Bolsonaro é culpado pelo atual número de mortos por covid no Brasil?Há a história de que ele poderia já ter comprado a vacina em agosto.
    3-E você acha que realmente o STF o impediu de agir para combater a pandemia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Por que ele iria fazer algo para impedir? Ele é o maior beneficiado disso, agora ficou estupidamente fácil polarizar com o Lula no segundo turno e quem sabe ganhar uma reeleição devido à alta taxa de rejeição do molusco (que não sei se é tão alta quanto a dele, mas de todo modo é muito maior que a de qualquer outro que ele poderia enfrentar). Sem falar que ele conseguiu aquilo que queria, que era se vingar do Moro.

      2) Não por todas as mortes é óbvio, mas por parte delas sim, não só por não comprar a vacina a tempo, mas por incentivar todo mundo a sair de casa, desrespeitar a quarentena, andar sem máscara, subestimar o vírus ("é só uma gripezinha"), etc. Em plena pandemia o Brasil passou meses sem um ministro da saúde, porque todos que ele colocava lá eram demitidos por não compactuar com suas visões negacionistas e anticiência (como tacar cloroquina pra cima de todo mundo como se fosse um remédio adequado pra isso, com eficácia testada e comprovada).

      3) O STF não o impediu de tomar medidas mais restritivas, só impediu que tomasse medidas mais flexíveis. Se tivesse dado todo o poder ao Bolsonaro para ele fazer o que quiser, o número de mortos hoje seria pelo menos o triplo.

      Excluir
  60. Banzolão vc tem acompanhado o Daniel Mastral ultimamente?Eu sei que você já o citou como uma influência positiva,o livro O Filho do Fogo ensina muito a respeito de batalha espiritual,mas eu depois de um tempo sem assistir vídeos dele vou ao seu canal de Youtube e me deparo com uma entrevista com o Inri Cristo,aí achei nada a ver,ele me parece mais um humorista,uma figura folclórica,já não tinha gostado da entrevista com o sheik muçulmano que ficou dizendo que o islã é uma religião pacífica,sendo que é a religião que mais persegue o cristianismo,ele precisa escolher melhor os entrevistados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa entrevista com o Inri foi pra lá de bizarra mesmo. Eu assisti uns trechos só, mas o "Jesus fake" não deixa o Mastral falar nada, não se permite ser contrariado, eleva a voz ao menor sinal de um contraponto, além de ser claramente um lunático (ele se dizia ser a reencarnação de Nostradamus antes de se declarar Jesus, que atrai muito mais visibilidade) que não tem nada a ensinar a ninguém. Parece o tipo de coisa que se faz só pra atrair views, já que em termos de edificação claramente não agrega nada a ninguém.

      Excluir
    2. E você acha que o Alvaro Thaiss nome real dele acredita mesmo ser a reencarnação de Cristo?Ou é só um personagem para ganhar dinheiro e fama?

      Excluir
    3. Isso só o Vitor Metaforando poderia desvendar...

      Excluir
  61. Cara, por que cristãos não unificam a religião de vez? ao inves de criar mais de mil interpretações falhas, por que não decidem de vez uma visão? tipo inferno existe ou não? mulheres podem falar na igreja? tudo é premeditado? enfim essas discussões teológicas, não existe possibilidade de tudo ser unificado? eu sei que parece fantasioso, mas a palavra quer dizer uma coisa e tem várias questões cristãs que se resolveriam em leituras da bíblia simples e às vezes queria que tudo fosse uma coisa, pois além de melhorr e se livrar do fardo horrível de não saber qual é o certo de tanta doutrina, livraria de doutrinas sem sentido, muito ruins e danosas como a de se mulher pode falar na igreja e ajudaria a entender o que Deus quer falar
    eu sei que provavelmente a resposta é não, mas não tem como no mínimo as coisas serem mais unificadas? tipo várias doutrinas como a da prosperidade serem extintas,
    espero que entenda o que quero dizer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O único jeito de forçar uma unificação doutrinária seria se uma autoridade se levantasse e impusesse a interpretação dela à força sobre todos os demais, usando para isso a força do Estado ou qualquer tipo de sanção espiritual e temporal. Ao longo da história, nós só vemos esse tipo de coisa acontecer em religiões de cunho extremista e violento, como o Islã ou o catolicismo medieval, onde quem não concordava com o papa era perseguido, preso e queimado até a morte se não abdicasse às suas crenças, o que era uma baita motivação pra todo mundo pensar igual.

      Mas qualquer ambiente com um mínimo de liberdade de pensamento irá sempre e invariavelmente criar uma multiplicidade de interpretações distintas, porque seres humanos são complexos, e cada um tem suas próprias particularidades e pré-conceitos que inferem sobre o modo como interpreta qualquer coisa que seja. Por isso nunca vai haver uma unificação doutrinária plena, da mesma forma que nunca vai haver unificação política, filosófica ou de qualquer natureza.

      Em países onde há repressão as pessoas invejam a liberdade que temos para cada um chegar às suas próprias conclusões, mas como estamos acostumados à liberdade nós a valorizamos tão pouco que estamos dispostos a sacrificá-la. Inclusive eu já escrevi sobre isso aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/04/quanto-custa-liberdade.html

      Isso não significa que estejamos perdidos, sem esperança. Primeiro que o mais importante é haver unidade nos pontos fundamentais para a salvação (que não são muitos), não necessariamente em todas as doutrinas que existem (que são milhares). Ninguém vai pro inferno por acreditar no dispensacionalismo clássico em vez do dispensacionalismo progressivo, por exemplo. Há interesse teológico em descobrir a verdade sobre cada doutrina, mas nem todas elas são tão importantes para efeitos práticos. Mais importante que isso, com a evolução da consciência humana a tendência também é a compreensão teológica ir evoluindo. Por exemplo, até poucos séculos muitos aceitavam, praticavam e apoiavam a escravidão, e não poucos tentavam justificar isso com a Bíblia. Hoje sabemos que tal coisa é abominável, e isso restringe o universo de pessoas dispostas a deturpar a Bíblia para este fim.

      Da mesma forma, numa época em que famílias inteiras presenciavam espetáculos horrendos de execução de “hereges” em praça pública agonizando entre as chamas diante dos seus olhos e quando a mulher era vista como um pouco acima de um animal qualquer, as pessoas da época toleravam sem problemas ensinos de embrulhar o estômago, como um inferno de tortura eterna, um Deus que decreta todo o mal e pecado que há no mundo, mulher ter que calar a boca na igreja e assim por diante. Mas com o avanço da consciência humana, essas doutrinas – que antes eram aceitas sem qualquer contestação – tem entrado em decadência, e é cada vez maior a quantidade de pessoas que as rejeitam, em conformidade com a Bíblia.

      Excluir
    2. Por fim, há um par de doutrinas que são cridas não porque haja divergência no modo como as pessoas interpretam a Bíblia, mas justamente porque as pessoas não leem a Bíblia. É impossível achar um único texto bíblico que respalde as loucuras do Agenor Duque, os objetos consagrados do Valdemiro Santiago, a teologia da prosperidade ao estilo macedista, o Jesus mórmon que foi pregar aos índios na América e a maior parte das doutrinas católicas. Isso acontece não porque as pessoas tenham interpretações diferentes da Bíblia, mas porque não leem a Bíblia ou porque tem outras fontes de revelação além dela (como a “tradição oral”, as “revelações” de um profeta, um magistério ou um outro livro sagrado).

      A maioria delas se baseia puramente na ignorância humana (que também tende a ser superada com o passar do tempo, na medida em que as pessoas vão se instruindo mais). Nestes casos não se trata de “interpretações diferentes”, porque quem as aceita não está interpretando nada da Bíblia, está pegando de outra fonte ou simplesmente seguindo suinamente o que uma liderança religiosa afirma, a despeito da total falta de amparo bíblico. E é bem sabido que a grande maioria dos cristãos nunca leu a Bíblia toda sequer uma única vez na vida, o que os deixa mais expostos a esses enganos toscos, em conformidade com o que Deus disse em Oseias: “O meu povo perece por falta de conhecimento” (Os 4:6).

      Se você excetuar todas essas doutrinas que não surgem a partir da Bíblia (e que podem ser superadas simplesmente com maior esclarecimento) e considerar a tendência de certas interpretações falhas da Bíblia serem superadas pela evolução da consciência humana, podemos esperar que muitas dessas divergências atuais não mais existam (ou existam em um nível muito mais fraco) no futuro. E vale lembrar que ninguém tem a obrigação de saber tudo ou de estar certo sobre tudo, então não é o caso de ficar angustiada por não ter todas as respostas, ou por ter dúvidas aqui ou ali. A salvação não é pelo conhecimento (gnose), mas pela fé, e se dá mediante um relacionamento pessoal com Deus, não por uma porcentagem de acertos teológicos.

      Excluir
  62. 1-Banzolao eu em outros comentários falei sobre perseguição a igreja,qual a forma mais eficiente de combate-la?2-Voce acha que pressionar,confrontar os governos que fazem isso pode surtir efeito?

    3-Eu já li que o governo dos EUA,mesmo quando tinha presidentes cristãos e
    consequentemente outros governos não fazem nada contra o governo saudita por exemplo porque é dependente do petróleo deles,meio complicado deixar seus irmãos morrerem por causa de petróleo, por motivos econômicos tbm se calam sobre a China,mas o Biden fez um twitter a respeito dos muçulmanos,mas até onde li não teve efeito nenhum,os muçulmanos continuam em campos de concentracao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se cobram dos muçulmanos, como Biden fez, tem que cobrar da perseguição aos cristãos também (que é muito maior e mais longa), é um deboche o cara cobrar a China pela perseguição aos muçulmanos (a religião que mais persegue no mundo) mas não pela perseguição aos cristãos (ainda mais sendo ele um "cristão", ainda que nominal).

      Excluir
  63. 1-Banzolão e onde vc encaixa o Bolsonaro ideologicamente?Ele não é nem liberal,nem conservador,vc consegue chamá-lo de fascista como a esquerda sempre fez com ele desde que ele começou a ganhar popularidade?

    2-https://ultimosegundo.ig.com.br/colunas/oantagonista/2021-03-04/bolsonaro-tem-aprovacao-abaixo-de-30-evangelicos-ainda-o-apoiam-diz-pesquisa.html Como vc explica essa situação?Dos evangélicos serem o grupo social onde o ´´mito´´ é mais popular.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) O fascismo tem certas características peculiares em que o Bolsonaro não se encaixa, como a superioridade de raça por exemplo (por mais que já tenham acusado o Bolsonaro de racista, foi uma acusação muito sem base). No máximo ele poderia ser considerado um protofascista, mas eu não estou certo de que essa qualificação seja aplicável a ele. É preciso tomar muito cuidado em sair rotulando qualquer um de "fascista", "nazista" e etc, porque isso esvazia o real conceito dessas ideologias, que tem uma dimensão muito maior (e mais perigosa). Se qualquer um que apresentar o menor sinal de fascismo já for rotulado como fascista, quando surgir um fascista de verdade ninguém dará atenção, vão pensar que é igual aos demais que já chamavam de "fascista". Grande parte disso é histeria de uma esquerda que acha que o Bolsonaro é "fascista" por uma ou outra medida mais autoritária, mas não aceita que um verdadeiro ditador como Getúlio Vargas (ditador no sentido autêntico da palavra, de fechar o Congresso, perseguir e matar opositores políticos e acabar com o processo eleitoral para se manter indefinidamente no poder) seja chamado de tal (só porque é alguém que eles se aproximam ideologicamente em alguns aspectos, então ficam com receio de falar mal). Enfim, acho certo chamar Bolsonaro de reacionário, protecionista e populista demagogo com traços perigosos de autoritarismo, mas daí pra cravar que ele é "um fascista" são outros quinhentos, coisa de quem não entende o que foi o verdadeiro fascismo e está mais preocupado em rotular seus inimigos políticos para fins eleitoreiros do que em fazer uma análise séria da coisa.

      2) Mesmo nessa pesquisa o Bolsonaro está com 38% de apoio no segmento evangélico, é um pouco mais que a média geral mas não é muita coisa, significa que a maioria dos evangélicos não o apoiam. Essa taxa de 10% a mais que se sobressai à média geral se deve provavelmente ao segmento neopentecostal que ainda segue aliado ao Bolsonaro (como o Edir Macedo, que é um aliado declarado dele e usa até a sua TV para passar pano pra ele).

      Excluir
  64. Lucas, o que você acha das obras de HP lovecraft? Eu pessoalmente acho fascinante e assustador ao mesmo tempo, imaginar aquelas criaturas cosmicas, más isso me faz pensar: e se Deus na verdade for um Deus mal ou um Deus indiferente a nós? Tem como alguma resposta para esse pensamento? (se é assim que eu posso falar)

    Lucas, o que você acha daquele argumento que afirma que os romanos escreveram a bíblia para enganar os judeus e controla-los?


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Nunca li nada dele, não leio coisas do gênero de terror (nada contra quem goste, mas não faz o meu tipo de leitura). Sobre Deus ser "mau ou indiferente a nós", o que responde a isso é o argumento da moralidade. Se Deus fosse indiferente, nós não teríamos nenhuma percepção natural e instintiva de algo ser moralmente bom ou mau, seríamos indiferentes tal como Ele; se fosse mau, nossa consciência nos levaria a crer que o mau é bom, mas Ele nos deu uma lei de consciência capaz de discernir o certo do errado e o bem do mal, que faz nossa consciência pesar sempre que fazemos algo errado. Sobre isso, eu escrevi aqui:

      http://ateismorefutado.blogspot.com/2015/04/o-trecho-abaixo-e-extraido-de-meu-livro.html

      Isso sem falar que nenhum deus mau daria o Seu próprio filho para salvar a humanidade, isso estaria totalmente fora de cogitação.

      2) Os romanos escreveram a Bíblia e falaram mal deles mesmos? Que raios de lógica tem isso?

      Excluir
  65. Lucas, vc conhece o Livro "O Pensamento Econômico e Social de João Calvino" do Teólogo Suíço André Biéler ? Oq acha das teses dele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheço, fiz várias citações desse livro dele no meu segundo livro sobre a Reforma (que também trata desse assunto), é um bom livro de fato.

      Excluir
  66. 1-https://datilografo.medium.com/l%C3%ADderes-crist%C3%A3os-afastem-se-do-bolsolavismo-3826a44ce4ee Banzolão eu estava digitando esse comentário que farei agora pelo celular,mas minha internet de lá tinha caído,não sei se você recebeu a pergunta,mas mesmo que tenha recebido,peço que desconsidere o outro comentário e aceite esse que estará mais completo,já que adicionei o link do texto que servirá de base para o comentário

    2-O texto é uma crítica as igrejas evangélicas que idolatram o Bolsonaro e aderem ainda que indiretamente ao bolsolavismo,pq ainda que a maior parte dos evangélicos não conheça o Olavo e nem seja seu aluno,ele é o principal ´´filósofo´´ do governo,o Eduardo Bolsonaro é aluno dele,assim como o ministro Ernesto Araújo e boa parte dos parlamentares da base bolsonarista,então ainda que o Bolsonaro não tenha crescido,nem tenha sido eleito por causa do Olavo,é praticamente impossível desvencilhar um do outro,por causa dessa forte influência que ele tem entre os filhos e deputados da base.

    3-O texto afirma que muitos líderes evangélicos ignoram as acusações de corrupção da família Bolsonaro,a relação suspeita com as milícias do RJ,nunca nenhum membro da família Bolsonaro,as criticou,pelo contrário,já fizeram comentários positivos,o Flávio quando era deputado estadual do RJ propôs legalizá-las.O autor do texto teme que se houver uma revolta geral da população contra Bolsonaro,tanto por causa dessas acusações,como por causa da irresponsabilidade do presidente diante da COVID,a reputação das igrejas que o estão idolatrando poderá ser abalada.

    4-´´A missão do cristão nesta vida é ser fonte de amor e esperança, sal da terra e luz do mundo, jamais instrumento de ódio. A igreja não pode servir de meretriz para os poderes de ocasião.´´,esse trecho em especial me chamou atenção,lembrei da meretriz de Apocalipse que se prostitui com os líderes da Terra,vc acha que ele é aplicável aos líderes que apoiam acriticamente o Bolsonaro?

    5-´´Aqui é importante fazer uma diferença: o bolsonarismo — movimento que é ligado a Jair Bolsonaro — vai sofrer uma hecatombe, algo que irá arrastar na lama a reputação de todos os que permanecerem envolvidos na causa. Por isso, tenho especial preocupação com os líderes das igrejas tradicionais, que ainda possuem um pingo de credibilidade de nos orientar politicamente, e necessitamos muito da saudável cosmovisão cristã. Já o olavismo — ala mais ligada a Olavo de Carvalho — durará bastante tempo. Versado no esoterismo islâmico (tariqa) e nos conceitos perenialistas, podemos imaginar o estrago que o pretenso filósofo causará na vida espiritual do cristão sincero. O perigo mora no encantamento que sentem pela retórica do Olavo, neste caso, é melhor que os pastores se preparem para enfrentar o problema o quanto antes!´´ Ele entende que uma hora o bolsonarismo irá cair,usou a expressão hecatombe e quando ele cair,será abandonado pelo Olavo e o olavismo sobreviverá,já que ele não depende de Bolsonaro,possui outras raízes como a tariqa islâmica e perenialismo,você concorda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa coisa de que tal igreja vai ficar manchada por ter apoiado esse ou aquele presidente é um discurso que não se sustenta na realidade. Embora eu seja contra esse tipo de politização nas igrejas, as mesmas igrejas que apoiaram Lula e Dilma no passado continuaram crescendo mesmo depois deles caírem em desgraça, e se o mesmo acontecer com o Bolsonaro (o que de certa forma já está acontecendo) não há nada que garanta que será diferente. Mesmo porque ninguém é obrigado a apoiar Bolsonaro para ser evangélico, nem mesmo nessas igrejas de matriz neopentecostal que servem de palanque político. Particularmente eu nunca vi ninguém perder a fé por uma razão tão frívola como essa, e "manchadas" essas igrejas já estão por venderem objetos "ungidos", por falarem só de prosperidade e bênçãos materiais, por pedirem doações exorbitantes e "sacrifícios" pra encher o bolso de um pastor, e coisas do tipo. Bolsonaro neste contexto é apenas um apêndice.

      Excluir
  67. O artigo chegou aos 200 comments e por isso a caixa de comentários daqui será fechada. Quem quiser postar um novo comentário ou responder a algum daqui, fique à vontade para fazer no artigo mais recente 👍

    ResponderExcluir