2 de maio de 2019

200 Quem são as duas testemunhas do Apocalipse?



Há algumas semanas um leitor me passou o vídeo abaixo sobre as duas testemunhas do Apocalipse, a respeito do qual eu concordo nos pontos mais básicos, e que vale a pena ser assistido (pelo menos até a metade):


Até pouco tempo eu acreditava que as duas testemunhas fossem uma alegoria de Israel e da Igreja, o que até faz sentido, considerando que em uma carta de Paulo ele fala de Israel usando a figura da oliveira (Rm 11:24), e em Apocalipse 1:20 as sete igrejas são representadas por candelabros. O meu erro era desconsiderar que as duas testemunhas estão conectadas ao texto de Zacarias 4, que nos aponta numa outra direção (um ponto que o vídeo destaca bem). No Apocalipse, João recorre a muitas figuras do Antigo Testamento, e as duas testemunhas são parte disso. Em outras palavras, desvendando o texto de Zacarias, desvendamos também o do Apocalipse.

Vejamos:

“Respondi mais, dizendo-lhe: Que são as duas oliveiras à direita e à esquerda do candelabro? E, respondendo-lhe outra vez, disse: Que são aqueles dois ramos de oliveira, que estão junto aos dois tubos de ouro, e que vertem de si azeite dourado? E ele me falou, dizendo: Não sabes tu o que é isto? E eu disse: Não, senhor meu. Então ele disse: Estes são os dois ungidos, que estão diante do Senhor de toda a terra (Zacarias 4:11-14)

Comparando Zacarias 4:14 com Apocalipse 11:4, fica claro que João está aludindo ao texto de Zacarias. Toda a discussão gira em torno desses «dois ungidos» ou «duas testemunhas», que se referem à mesma coisa. Isso enfraquece a posição de que uma dessas testemunhas é a Igreja, pois na época de Zacarias a Igreja ainda não existia, e portanto não podia estar «diante do Senhor de toda a terra», como diz o texto.

O texto fala das duas oliveiras e dos «dois tubos de ouro» (referindo-se ao candelabro), os quais são «os dois ungidos, que estão diante do Senhor de toda a terra». Como o termo ungidos na Bíblia diz respeito sempre a homens piedosos (e não a coisas impessoais), a NVI é precisa ao traduzir que “são os dois homens que foram ungidos para servir ao Soberano de toda a terra". A questão é saber quem são eles. A única dica que Zacarias nos deixa é que eles estão diante do Senhor de toda a terra. Curiosamente, há duas pessoas que a Bíblia declara que foram arrebatadas para a presença de Deus. São elas:

(1) Enoque:

“Depois que gerou Matusalém, Enoque andou com Deus 300 anos e gerou outros filhos e filhas. Viveu ao todo 365 anos. Enoque andou com Deus; e já não foi encontrado, pois Deus o havia arrebatado” (Gênesis 5:22-24)

(2) Elias:

“De repente, enquanto caminhavam e conversavam, apareceu um carro de fogo, puxado por cavalos de fogo, que os separou, e Elias foi levado aos céus num redemoinho” (2ª Reis 2:11)

Quem acompanha os meus artigos há mais tempo sabe que não existe mais gente no céu além de Enoque e Elias, o que reforça a posição de que só podem ser eles os «homens que estão diante do Senhor de toda a terra». É por isso que eles são chamados de testemunhas – porque só eles estão vivos para testemunhar alguma coisa perante Deus hoje. O problema é que a teologia imortalista colocou milhões de pessoas no céu fora do corpo, o que ofusca e anula essa verdade. Afinal, se existe uma multidão de “espíritos” humanos vivos no céu hoje, o fato de Elias e Enoque também estarem ali faz pouca diferença. Mas biblicamente a diferença é toda, porque o texto nos indica que são apenas eles que estão diante de Deus. Ninguém mais.

Comparando com o texto do Apocalipse, vemos que eles continuavam sendo os únicos que estavam na presença de Deus:

“Darei poder às minhas duas testemunhas, e elas profetizarão durante mil duzentos e sessenta dias, vestidas de pano de saco. Estas são as duas oliveiras e os dois candelabros que permanecem diante do Senhor da terra (Apocalipse 11:3-4, NVI)

Em outra versão:

“Estas são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do Deus da terra (Apocalipse 11:4, ACF)

Ou seja, eles não apenas eram os únicos que estavam na presença de Deus na época do Antigo Testamento (quando Zacarias foi escrito), mas também continuavam sendo os únicos no Novo (quando o Apocalipse foi escrito). Os dois textos nos falam das duas testemunhas que estão diante do Senhor da terra, e presumem a mesma identificação para ambos (o que exclui, por exemplo, a possibilidade de serem dois personagens cristãos neotestamentários, como pensam alguns).

A continuação do texto também nos mostra que essas duas testemunhas se tratam de dois homens:

Estes homens têm poder para fechar o céu, de modo que não chova durante o tempo em que estiverem profetizando, e têm poder para transformar a água em sangue e ferir a terra com toda sorte de pragas, quantas vezes desejarem” (Apocalipse 11:6)

Vamos resumir o que vimos até aqui:

• As duas oliveiras e dois candelabros de Apocalipse 11 são uma alusão às duas oliveiras e candelabros descritos em Zacarias 4.

• Em Zacarias, essas duas testemunhas são dois ungidos, e o termo “ungidos” em toda a Escritura se refere sempre e somente a pessoas piedosas (cf. 1Cr 16:22; Sl 105:15), sendo na grande maioria das vezes profetas.

• Em Apocalipse, é confirmado que esses dois ungidos são dois homens (Ap 11:6) e profetas (Ap 11:3).

• Tanto em Zacarias como em Apocalipse, é dito que esses dois profetas são os que estão na presença do Senhor (Zc 4:14; Ap 11:4). Se a alma fosse imortal, tal informação seria redundante e desnecessária, visto que todos os profetas e homens piedosos estariam na presença de Deus. Os textos pressupõem que esses dois são uma singularidade, ou seja, que são os únicos que lá estão.

• Curiosamente, temos dois profetas que foram arrebatados vivos para o céu, e portanto não estão na mesma condição de morte (sem vida) que os demais: Elias e Enoque. São eles os dois profetas que estão vivos até hoje com Deus no céu e por isso são chamados de testemunhas.

Portanto, as duas testemunhas são os dois profetas que estavam na presença de Deus desde os tempos do Antigo Testamento, os quais, ao que tudo indica, se tratam de Enoque e Elias, que não passaram pela morte. Eles voltarão à terra nos dias da grande tribulação, onde pregarão por um tempo até serem mortos, como todos os demais que por sua vez também passaram pela morte (cf. Hb 9:27).

Em tempo: antes que me perguntem, existe de fato a possibilidade de que as duas testemunhas sejam Moisés e Elias, em vez de Enoque e Elias. Embora a teoria de Enoque e Elias seja a mais aceita, são muitos os que pensam que se trata de Moisés em vez de Enoque por causa da descrição do verso 6, que diz:

“Estes homens têm poder para fechar o céu, de modo que não chova durante o tempo em que estiverem profetizando, e têm poder para transformar a água em sangue e ferir a terra com toda sorte de pragas, quantas vezes desejarem” (Apocalipse 11:6)

“Fechar o céu” foi algo que Elias fez (1Rs 17:1), enquanto transformar água em sangue e ferir a terra com pragas foi algo praticado por Moisés no Egito (Êx 7:19). O que reforça essa teoria é a ressurreição de Moisés aludida em alguns textos do NT, como já vimos em outros artigos (mais especificamente aqui, aqui e aqui), o que poderia colocá-lo na condição de alguém que está diante de Deus, como dizem os textos de Zacarias e do Apocalipse.

Contudo, como eu argumento nestes mesmos artigos, o mais provável é que a ressurreição de Moisés tenha sido temporária e não permanente. Ademais, embora Judas recorra ao livro da Assunção de Moisés, que pressupõe a ressurreição do mesmo, não há um indicativo claro de que ele tenha sido recebido no céu, ou quando isso teria ocorrido. De minha parte, entendo que Moisés foi simplesmente transladado no tempo até o monte da transfiguração após sua ressurreição, com o objetivo específico de cumprir a simbologia profética da qual discorro neste artigo mais recente. Se isso é verdade, ele não poderia estar na presença de Deus já na época de Zacarias (mas Enoque sim).

Além disso, o texto de Zacarias pressupõe que os judeus daquela época já sabiam quem eram as “duas testemunhas”, porque diz que “são os dois ungidos, que estão diante do Senhor de toda a terra” (Zc 4:14). Note que o texto não diz que "são dois ungidos" (como que falando de duas pessoas quaisquer em meio a um grupo maior), mas sim que "são os dois ungidos" (referindo-se a pessoas bem específicas e únicas, que já eram conhecidas). Isso foi dito após Zacarias assumir sua ignorância em relação ao significado das duas oliveiras e pedir um esclarecimento quanto a isso. 

Não devemos pensar que Deus manteve a resposta em oculto; de fato, Zacarias sabia que os dois ungidos que estão na presença de Deus não podiam ser outros senão aqueles únicos que não passaram pela morte (uma vez que quem está morto não pode estar na presença de Deus antes da ressurreição). Ou seja, a resposta havia sido de fato dada, e por isso Zacarias não questiona mais. Vale lembrar que naquela época a crença na ressurreição de Moisés ainda não era popular entre os judeus, porque o livro da Assunção data do primeiro século a.C (ou seja, séculos após Zacarias).

Em suma: os dois únicos homens que Zacarias acreditava estarem na presença de Deus eram Enoque e Elias, e por isso sua dúvida havia sido sanada sem a necessidade de maiores explicações (porque só podiam ser eles). E ainda que Apocalipse 11:6 possa ser tomado como uma evidência em favor de Moisés, note que o texto não diz que as duas testemunhas fizeram isso, mas sim que elas farão isso. Ou seja, tudo o que o texto diz é que elas terão o mesmo poder que Moisés teve (e não que necessariamente se trate da pessoa de Moisés). Por fim, como Moisés já morreu uma vez e Enoque não, é mais lógico que o texto envolva as mortes de Enoque e Elias (que não morreram) do que mais uma morte de Moisés.

Outro detalhe presente no texto é a linguagem da ressurreição desses profetas (o que independe da identidade dos dois). Ali vemos:

“Quando eles tiverem terminado o seu testemunho, a besta que vem do Abismo os atacará. E irá vencê-los e matá-los. Os seus cadáveres ficarão expostos na rua principal da grande cidade, que figuradamente é chamada Sodoma e Egito, onde também foi crucificado o seu Senhor. Durante três dias e meio, homens de todos povos, tribos, línguas e nações contemplarão os seus cadáveres e não permitirão que sejam sepultados. Os habitantes da terra se alegrarão por causa deles e festejarão, enviando presentes uns aos outros, pois esses dois profetas haviam atormentado os que habitam na terra. Mas, depois dos três dias e meio, entrou neles um sopro de vida da parte de Deus, e eles ficaram de pé, e um grande terror tomou conta daqueles que os viram. Então eles ouviram uma forte voz do céu que lhes disse: ‘Subam para cá’. E eles subiram para o céu numa nuvem, enquanto os seus inimigos olhavam” (Apocalipse 11:7-12)

Note que a linguagem da ressurreição é a mesma da criação. Na criação, Deus “formou o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente” (Gn 2:7). Ou seja, Deus não colocou uma alma no homem, ele apenas soprou o fôlego da vida que dá animação ao corpo, e assim o homem se tornou uma alma vivente (i.e, um ser vivo). Na morte, o sopro volta para Deus (Ec 12:7) e o homem se torna uma alma morta (Nm 23:10). Agora repare o que acontece na ressurreição: Deus sopra novamente neles o sopro de vida (v. 11), e assim eles se tornam novamente vivos e são recebidos no céu. Em momento algum é dito que o “espírito” ou “alma” das duas testemunhas voltou ao corpo, mas sim que Deus soprou novamente o fôlego no corpo deles, e então eles subiram (eles não estavam no céu e voltaram ao corpo; ao contrário, eles foram ressuscitados e então subiram ao céu).

De forma esquemática:

Na “montagem”
 (Criação)
Na “desmontagem” (Morte)
Na “remontagem” (Ressurreição)
Deus forma um corpo do pó da terra
O corpo volta ao pó da terra
Deus ressuscita o corpo do pó da terra
Deus sopra um fôlego de vida (espírito) sobre o corpo
O fôlego de vida retorna a Deus
Deus sopra novamente o fôlego de vida sobre o corpo
Nos tornamos almas viventes
Nos tornamos almas mortas
Voltamos a ser almas viventes
Lastimavelmente, os imortalistas perverteram essa simples e clara descrição bíblica da ressurreição quando a transformaram numa burlesca e pitoresca religação da alma com o corpo, que não consta em lugar nenhum da Bíblia. Transformaram o “boneco de barro” animado pelo fôlego em um “ser espiritual” preso dentro de um corpo, tomando todas as referências do paganismo grego dualista.

ADENDO

Embora eu tenha parado de fazer vídeos no meu canal para dar prioridade ao blog e aos estudos, recentemente gravei dois vídeos para o canal do professor Leandro Quadros, ambos sobre a crença dos Pais da Igreja a respeito da imortalidade da alma. Os vídeos são um “resumão” do meu livro sobre o tema (“Os Pais da Igreja contra a Imortalidade da Alma”, disponível na página dos livros), que obviamente não esgotam o tema devido à limitação de tempo, mas servem como uma boa introdução para iniciantes:




• Compartilhe este artigo nas redes:

Por Cristo e por Seu Reino,


- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)  

200 comentários:

  1. Como os meus últimos comentários foram os últimos e não tem mais como o Lucas responder, eu vou colocar eles aqui novamente, mas em um só dessa vez.

    Começando com esse artigo que eu gostaria de uma opinião profissional: http://rothbardbrasil.com/privatizacao-ao-estilo-viking-exemplo-ou-desastre/

    E um vídeo que achei uma novidade interessante e curiosa que precisa de uma opinião profissional também: https://youtu.be/pZYdYDMzi7g

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa coisa de que "Deus é anarcocapitalista" já deu o que tinha que dar. Já tinha visto esse vídeo antes e é um desastre, um amontoado de distorções bíblicas que dá até desânimo comentar. Basta dizer que Israel nunca foi uma anarquia, muito menos anarcocapitalista, e há uns trocentos textos bíblicos legitimando o Estado do Gênesis ao Apocalipse. Transformaram o "dai a César o que é de César" em um "não dê nada a César, porque imposto é roubo". Cansou já.

      Excluir
    2. Oque acha desse primeiro link que coloquei ai? Esse papo de que a Islândia Medieval era Ancap procede(assim como o Velho Oeste Americano, os índios Yurok, a Somália em 1991-2006, entre outros casos menores)? Ou é só um "revisionismo" por parte dos libertários? Se sim, tem algum link para compartilhar?

      Deus lhe ilumine!

      Excluir
    3. Anarcocapitalismo nunca existiu em lugar nenhum, na Islândia medieval não existia nem anarquia e muito menos capitalismo, eles confundem Estado fraco com ausência de Estado e enxergam capitalismo onde não existe. Por isso eu disse que é tudo forçação de barra. Se existe alguma coisa que se aproxima mais de uma realidade ancap seria os sistemas tribais de povos nativos primitivos, que não possuem a figura do Estado em si, mas mesmo assim possuem líderes (caciques) que desempenham um papel análogo ao de um governante. E mesmo assim, se assemelham apenas pela parte da anarquia, porque não tem nada de capitalismo. Nunca houve na história uma união de anarquia + capitalismo, ou seja, um povo que não estivesse debaixo de um Estado (i.e, que não tem governantes, que não paga impostos, etc) e que ao mesmo tempo fosse capitalista. Tampouco acredito que isso seja possível.

      Excluir
  2. "Comparando Zacarias 4:14 com Apocalipse 11:4, fica claro que João está aludindo ao texto de Zacarias. Toda a discussão gira em torno desses «dois ungidos» ou «duas testemunhas», que se referem à mesma coisa. Isso enfraquece a posição de que uma dessas testemunhas é a Igreja, pois na época de Zacarias a Igreja ainda não existia, e portanto não podia estar «diante do Senhor de toda a terra», como diz o texto."

    Os profetas somente profetizam através de elementos já existentes? Não podem prever o futuro como um tipo de vidente, tipo Nostradamus, etc?

    Não existe profecia sobre a igreja no Antigo Testamento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles preveem o futuro sim, mas neste caso o texto diria que um dos ungidos ESTARIA (no futuro) diante de Deus, e não que ele já está. Existem profecias sobre a Igreja, mas sempre com os verbos no futuro, como devem estar. Se Deus revelou a Zacarias que os dois ungidos já estavam na presença dele, ele jamais apostaria que um deles é uma igreja que ainda não existia.

      Excluir
  3. "Anônimo2 de maio de 2019 09:05
    Banzoli, Maria teve filhos com José? Evidente que você vai dizer sim.

    Eram eles irmãos e irmãs de Jesus? Sua resposta é óbvia.

    Poderia me dizer se eles - TODOS - morreram solteiros? Acredito que você vai dizer que não.

    Então, me diga, é possível que Maria tenha sido sogra de alguns homens e mulheres que casaram-se com seus filhos e filhas?

    O Macabeus não concorda com essa tese. Ele acha um absurdo uma santa e imaculada como Maria ter tido genros e noras."

    O historiador Hegesipo de Jerusalém (século 2) cita os netos de Judas, um dos irmãos de Jesus, portanto Judas foi casado

    "Da família do Senhor ainda estão vivos os netos de Judas, que acredita-se que tenha sido irmão do Senhor pela carne. Foram passadas informações de que eles seriam da família de Davi e eles foram levados até o imperador Domiciano pelo Evocatus, pois Domiciano temia a vinda de Cristo como Herodes também temeu. Ele os perguntou se eles eram descendentes de Davi e eles confessaram que eram. Então ele os perguntou quais eram as suas propriedades e quanto dinheiro eles tinham. E ambos responderam que eles tinham apenas nove mil denários, metade para cada um. E estas posses não consistiam de prata, mas de um pedaço de terra de trinta e nove acres sob os quais eles coletavam impostos e se sustentavam por seu próprio trabalho. E eles foram perguntados sobre Cristo e o seu reino, de que tipo era, onde estava e quando seria, ao que eles responderam que não se tratava de um reino temporal e nem terreno, mas um reino celestial e angélico, que apareceria no final dos tempos, quando ele virá em toda glória para julgar os vivos e os mortos, dando à cada um de acordo com as suas obras. Ouvindo isso, Domiciano não passou seu julgamento contra ele, desprezando-os como se não tivessem importância, e os deixou partir. E, por decreto, encerrou a perseguição à Igreja. Após terem sido soltos, eles lideraram as igrejas por terem sido testemunhas e também parentes do Senhor. E a paz tendo sido estabelecida, eles viveram até o tempo de Trajano."

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Judas,_irm%C3%A3o_de_Jesus

    ResponderExcluir
  4. I personally consider the idea of the two witnesses being Israel and the Church (though eloquent and robust sounding) to be somewhat of an exegetical stretch.

    The idea of two literal witnesses seems to be more consistent with the immediate context.

    Nonetheless, it would be nice to know beyond reasonable doubt the precise identity of the two witnesses before that time in prophecy comes to pass.

    ResponderExcluir
  5. Amigo do Banzolão3 de maio de 2019 06:30

    Banzolão, eu estive pensando umas coisas e fiquei com a cabeça "bugada". "Desbugue" minha cabeça, por gentileza kkk. Não creio assim, apenas cheguei nessa conclusão. É o seguinte:

    1- Deus é imortal.

    2- Se Deus é imortal, então Ele não pode ser destruído.

    3- Mas Ele é onipotente.

    4- Se Ele é onipotente, então Ele pode tudo.

    5- Se Ele pode tudo, então Ele pode se auto-destruir.

    6- Mas se Ele pode se auto-destruir, então Ele não é imortal.

    7- Portanto, Deus não pode ser onipotente e imortal ao mesmo tempo.

    Alguma dessas premissas deve tá errada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. God can do anything insofar as the desired action is consistent with His character and nature. That is not a limitation but an expression of a degree of perfection.

      Excluir
    2. O Jesse respondeu bem, isso é parecido com o "paradoxo da pedra" que os ateus tanto trazem (se Deus pode criar uma pedra tão grande que ele não possa carregar). A resposta é "não", mas não porque Deus não seja onipotente, e sim porque isso é uma contradição lógica, é como perguntar se Deus pode fazer algo que ele não pode fazer (ou seja, a contradição está dentro da própria pergunta). Há muitas coisas que Deus "não pode" fazer (por exemplo, ele não pode pecar, ou se matar, ou deixar de ser Deus e dar o cargo a outra pessoa, ou agir contrariamente à sua natureza moral), nada disso implica na falta de onipotência, porque o conceito cristão de onipotência não é de "fazer tudo em absoluto", mas sim de poder fazer todas as coisas que sejam logicamente possíveis de serem feitas (o que deixa de fora tudo o que afete a natureza de Deus ou que implique numa contradição de termos). Ou seja, ele não pode se auto-destruir (ponto 5), justamente porque é imortal (ponto 6), o contrário a isso seria contradição de termos (e a onipotência não entra na esfera da contradição de termos, como criar um solteiro casado).

      Excluir
    3. Amigo do Banzolão4 de maio de 2019 18:26

      Será que podemos dizer que Deus tem uma "onipotência limitada"? Essa última expressão eu mesmo criei. É "limitada" no sentido que você já falou: de que Deus não faz tudo em absoluto. Mas essas coisas que Deus não pode fazer ele não faz por razões morais ou por que não tem poder (potência) suficiente? A expressão "não pode" é meia ambígua. Por exemplo, se eu digo "EU NÃO POSSO entrar na casa do meu vizinho e pegar pra mim seu celular", eu "não posso" por razões morais (pois é roubo), e não por eu não ter força pra erguer o celular e colocar no meu bolso. Mas se eu digo "EU NÃO POSSO malhar com um haltere de 500 Kg", eu "não posso" por falta de força, e não por razões morais, pois não há nada de errado em eu levantar (caso pudesse) um haltere de 500 Kg.

      Excluir
    4. Em questão de força Deus pode tudo (até levantar um haltere de um bilhão de toneladas, caso queira), mas ele não pode fazer nada que seja uma contradição lógica porque contradições lógicas são paradoxos, ou seja, coisas ontologicamente impossíveis. Por isso Deus não pode criar um solteiro casado, não porque ele não tenha força, mas porque isso é uma contradição de termos (a falha está na própria afirmativa contraditória, não em Deus). No caso dos princípios morais, Deus não pode porque isso vai contra a sua própria natureza moral, então também seria uma contradição lógica (é como perguntar se alguém pode amar tanto uma pessoa a ponto de odiá-la, novamente a contradição está na própria pergunta).

      Excluir
    5. Amado irmão Lucas....aprecio muitíssimo suas matérias e tenho te acompanhado bem de perto...tenho seus livros e continuarei te ouvindo...
      PORÉM.....NESSA MATÉRIA, DISCORDO DA APLICAÇÃO FEITA AQUI...
      PODES POR EXEMPLO ME RESPONDER A ESSA PERGUNTA?
      COMO PODE ENOQUE QUE JÁ SE ENCONTRA TRANSLADADO E IMORTAL E SALVO SER MORTO?

      Excluir
    6. Eu já respondi sobre isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/05/quem-sao-as-duas-testemunhas-do.html?showComment=1556923486740#c3940777694816408413

      PS: não entendi o porquê da caixa alta, nós estamos conseguindo ler bem :)

      Excluir
    7. Amigo do Banzolão6 de maio de 2019 11:24

      Entendi mais ou menos, meu truta. Acho confuso essas coisas. Talvez seja burrice minha mesmo kkk. Tenho QI menos de 70, lembra? Kkk.

      Excluir
    8. O George W. Bush também não deve entender essas coisas então 😂

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/03/imperdivel-historiadores-e-teologos.html?showComment=1553044468273#c163121120326486945

      Excluir
  6. Bom dia, irmão! A paz do Senhor. Você já ouviu falar da vertente de pensamento que acredita que Moisés, na verdade, não morreu, e que a briga de Satanás com o anjo Miguel foi pra que ele não fosse assunto ao céu vivo? Se sim, o que pensa dessa teoria? Adianto que não vejo muito sentido quando dizem que a intenção de Satanás era que o corpo de Moisés fosse adorado, uma vez que não há precedentes dessa prática no meio dos Hebreus. Um forte abraço.
    Obs: o SP é líder por enquanto, aguarde meu Mengão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia (na verdade, boa noite agora!). Que Moisés morreu, isso está bem claro em textos como Deuteronômio 34:5, então essa teoria não pode ser verdadeira, biblicamente falando. Mas a teoria de que Miguel e Satanás brigaram para evitar a assunção de Moisés é bem plausível, como eu já abordei em outros artigos (link abaixo), ela só não se deu antes da morte de Moisés, e sim depois dela (ou seja, neste caso a assunção foi uma ressurreição). Sobre isso, escrevi aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/03/moises-ressuscitou-o-monte-da.html

      A respeito do seu comentário final, eu só tenho uma coisa a dizer: segue o líder!

      Excluir
  7. Lucas mas uma vez nos ensinando sobre Deus com esse artigo ótimo artigo.
    Mas é certo dizer que Apocalipse 17 é Babilônia religiosa e Apocalipse 18 é Babilônia comercial?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A "Babilônia" da qual o Apocalipse fala é Roma, mas Roma tem diversas facetas, a Roma religiosa (Igreja Romana) é apenas uma delas. Ou seja, não se trata de duas "Babilônias" diferentes, mas de uma única "Babilônia" em seus diversos aspectos (sendo o aspecto religioso o mais enfatizado no cap. 17, e o político o mais enfatizado no capítulo seguinte).

      Excluir
  8. Lucas duas perguntas a respeito das Sete Igrejas

    O Espirito fala para João escrever as cartas falando de tudo isso, para o anjo da igreja tal. O que isso quer dizer? Que cada igreja tem um anjo ou que o anjo aqui é um mensageiro humano que recebia a carta (visto que anjo significa mensageiro em grego)?

    Tem uma interpretação protestante que diz que as cartas não só referenciavam as sete igrejas, como também a sete períodos da história da igreja, como diz neste site ai http://ofimdomundo.com.br/as-7-igrejas/, obvio que eu não concordo com tudo que ta escrito neste site ofimdomundo nem sequer se o que esta ai ta certo, mas você concorda com a teoria de que cada igreja também pode aludir a um período da história da igreja? Tanto é que se seguir em ordem cronológica e conforme este pensamento acima, o primeiro capitulo do apocalipse conta a intenção do livro, o segundo e terceiro capitulo a história da igreja até o inicio do fim dos tempos, no inicio do fim dos tempos temos os tronos do capitulo 4 e 5, dos capítulos 6 ao 11 conta as pragas apocalípticas e também menciona os cristãos e judeus no período da tribulação e o que deve ocorrer com eles, por fim, no capitulo 12 até o 20, a história volta ao passado, mas desta vez contando a história de Satanás e seus servos até o período apocalíptico, e também o que deve ocorrer a respeito de Satanás, da Besta e do falso profeta no apocalipse e das pragas que os atingirão. E por fim do capitulo 20 ao 22 é a vitória final de Cristo e o estabelecimento da Nova Terra, onde as duas partes anteriores (a história escatólica dos justos e do capitulo 1 ao 11 e a história escatológica dos impios do capitulo 12 ao 20) se encontram. Ou seja, interpretar as sete igrejas como sete períodos da Igreja se encaixa perfeitamente no contexto do apocalipse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre os "anjos" ali serem apenas mensageiros (ou seja, pessoas designadas para enviar as cartas a cada uma das igrejas) eu concordo totalmente. Sobre as sete igrejas serem sete períodos eu discordo, isso até me soava um pouco convincente antes de estudar a história da Igreja e a história secular, mas as datas definitivamente não batem, eles forçam muito a barra para "encaixar" a profecia em cada época. Por exemplo, eles dizem que a igreja de Tiatira corresponde à Igreja medieval, que em tese seria o pior período da história da Igreja (o de maior corrupção e afastamento do evangelho), todavia Tiatira está muito longe de ser a igreja mais criticada, muito pelo contrário, embora haja uma ou outra crítica pontual a mensagem é bem mais positiva que negativa, como fica claro logo no início:

      "Conheço as suas obras, o seu amor, a sua fé, o seu serviço e a sua perseverança, e sei que você está fazendo mais agora do que no princípio" (Apocalipse 2:19)

      "Sei que você está fazendo mais agora do que no princípio", ou seja, teoricamente essa igreja seria melhor que a do período anterior. Eu poderia fazer a mesma análise com todas as outras e veríamos que todas elas tem furos terríveis, algumas mais, outras menos. Como um dispensacionalista progressivo, eu entendo que praticamente tudo no Apocalipse diz respeito aos sete anos do período da grande tribulação, ou seja, os sete anos finais até a volta de Jesus. As sete igrejas não são o retrato de sete períodos da história, mas sim de sete tipos de igreja que existirão nesses anos finais (algumas mais fieis, outras menos, e outras totalmente desviadas), das quais as sete igrejas literais da Ásia Menor serviam como elemento tipológico.

      Excluir
  9. O que você acha da parte em que se diz que um ocultista editou a King James Version e que as versões bíblicas inglesas modernas foram editadas por ocultistas também? Seria todas as versões bíblicas do mundo recheadas de/com ocultismo?:

    https://vigilantcitizen.com/vc-resources/why-the-secret-teachings-of-all-ages-is-a-must-read-for-truth-seekers/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho bem ridículo, pura teoria de conspiração daquele mesmo tipo de gente que diz que Lutero era um maçom e que todos os reformadores eram maçons e que todos os presidentes americanos foram maçons e que todos os judeus são maçons e que o mundo inteiro é controlado pelos maçons e que os maçons isso e aquilo, sempre usando a maçonaria como bode expiatório para acusar qualquer desafeto que tenha. E mesmo que a King James tivesse sido produzida por um ocultista, o que importa não é quem traduziu, mas sim o que traduziu. Todos os estudiosos do planeta concordam que a KJV é uma boa versão, ainda que imperfeita, mas nenhuma tradução é perfeita e a KJV consegue ser boa dentro das suas possibilidades (e de acordo com os manuscritos conhecidos na época).

      Excluir
  10. Lucas, do que o Thiago Lima do canal Desperte expõe, o que você concorda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não acompanho muito ele, só vi alguns vídeos, mas os que eu vi eu não gostei.

      Excluir
  11. O artigo é muito bom,mas tem alguns pontos que precisam ser levados em conta:

    Se Elias e Enoque estão no céu,eles só podem estar em corpos incorruptíveis(glorificados),senão já teriam morrido.Neste caso Deus teria que torná-los mortais novamente para que eles sejam mortos.

    Sobre a ressurreição de Moisés,hoje eu penso que o episódio no monte da transfiguração pode ter sido apenas uma visão escatológica,já que o texto diz apenas que Moisés e Elias conversavam com Jesus.Se Jesus estivesse conversando com eles(neste caso com uma visão)aí sim eu acharia complicado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elias e Enoque não estão no céu com o corpo incorruptível da resurreição, isso eles só vão receber na volta de Jesus em conjunto com todos os salvos, o céu é uma outra dimensão e portanto funciona de outro jeito. Eu ainda vou escrever um artigo sobre "o corpo dos anjos" (que é similar ao "corpo" que Elias e Enoque tem hoje), mas por hora reproduzo uma resposta a um comentário de outro artigo abordando a natureza do céu:

      «Sobre o céu se trata de uma outra dimensão fora do nosso Universo físico, os seres espirituais (anjos e demônios, além do próprio Deus é claro) podem interferir aqui porque são seres interdimensionais, coisa que nós não somos, o homem foi criado diferente dos anjos, Deus quis assim. Tentando transpor isso para a forma de analogia, seria como se algum de nós criasse um jogo de computador com personagens que existem dentro daquela realidade 2D (suponhamos que eles tenham livre-arbítrio e sejam capazes de tomar decisões reais, coisas que personagens de computador não tem). Os personagens do jogo não podem sair da tela do computador e aparecer do nosso lado em nossa realidade 3D, mas suponhamos que quem projetou o jogo também pudesse se projetar na realidade do mesmo, ou seja, como um personagem deles, em 2D. Isso é apenas uma tentativa simplista de explicar a relação entre a outra dimensão e essa, trabalhando com base na relação entre a nossa dimensão e outra que nós criamos. No caso de Elias e Enoque, Deus os quis transpor para uma outra dimensão, algo excepcional que foge ao padrão, mas na eternidade eles estarão na nova terra como todos os demais. Não é impossível alguém sair dessa realidade para a outra, o próprio Paulo diz ter ido ao terceiro céu e voltado, só é algo extremamente incomum, fora do normal, pois nenhum de nós tem acesso direto a essa outra dimensão, ou um meio natural de acessá-la.»

      Em suma: Elias e Enoque não estão com os corpos incorruptíveis da ressurreição, eles vivem hoje temporariamente como seres interdimencionais no céu assim como os anjos (teorizar sobre a natureza desse "corpo" é inútil para alguém como nós que não passamos de formiguinhas em comparação a eles), até a volta de Jesus (quando assumirão corpos incorruptíveis e viverão na terra como todos os salvos).

      Excluir
  12. Olá Lucas, sou o mesmo anônimo que te recomendou aquele Filme: "1492 - A Conquista do Paraíso" e gostaria de te perguntar, se algum dia você pretende escrever algum artigo com base no que aquele Filme nos fala sobre a Igreja católica e a Civilização ocidental pré-reforma? Olha, te enviei aquele Filme porque pensei que ele te poderia te inspirar a escrever um artigo sobre esse tema. Eu sei que faz um tempo que você não assiste, e que ultimamente você anda sem tempo pra isso, mas tipo, caso algum dia você pretende escrever algum artigo sobre a Civilização ocidental pré-reforma. Esse filme poderia servir de ótimo exemplo, lógico que não estou te pedindo nada. Apenas estou fazendo a você uma recomendação, espero que você goste dessa ideia, abraços, Fica com Deus. 👍🏻🙂

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, me lembro do filme sim, mas no momento não penso em escrever um artigo sobre a civilização ocidental pré-reforma porque eu já escrevi vários artigos sobre isso, além do meu último livro (dos 500 Anos da Reforma, Volume 1) e do livro que estou atualmente redigindo (o Volume 2). Embora esse novo livro só deva ficar pronto no fim do ano, dê uma olhada na lista de artigos que tem muita coisa ali do que já foi escrito antes:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-catolicismo.html

      De vez em quando eu posto aqui trechos do livro, inclusive o próximo será provavelmente um relacionado a isso.

      Abs!

      Excluir
    2. Obrigado por me responder, estou ansioso para ler a continuação do livro da Reforma Protestante. Li o primeiro livro, e sinceramente falando, eu amei. Obrigado por ter escrito esse livro. Os apologistas católicos piram!

      Excluir
    3. A propósito, o que você acha da música tema do filme?

      Olha, apesar dela ser uma referência aos cantos gregorianos católicos medievais, ela é de arrepiar, é incrível, além de ter sido composta pelo gênio grego da música moderna Vangelis. É uma verdadeira música épica:

      https://youtu.be/WYeDsa4Tw0c

      Essa música me faz lembrar da Europa saindo da Era Medieval, e entrando para o mundo moderno, eu imagino-a primeiro conquistando a América, passando pela Reforma Protestante, chegando à Inglaterra e Holanda, chegando aos peregrinos que se estabeleceram nos EUA, na Revolução científica, indistrial e por fim quando ela acaba, imagino uma Europa contemporânea, muitíssimo diferente da Europa medieval, no atual nível de desenvolvimento, graças à Reforma Protestante, a Revolução Científica, e a Revolução Industrial.

      Excluir
    4. Eu particularmente não curto muito cantos gregorianos, mas essa música eu gosto sim, é bem famosa inclusive, usam ela em todo lugar. Só que na minha opinião é aquele tipo de música que é muito boa de se ouvir uma vez, mas se você começa a repeti-la muitas vezes se torna cansativa e nauseante. Eu particularmente sou daquele tipo de gente que gosta de repetir uma mesma música duzentas vezes seguidas até se cansar de ouvi-la, mas o único gênero musical que eu consigo ouvir por muito tempo seguido é a música pop mesmo, as outras cansam rápido.

      Excluir
  13. Comente:

    https://youtu.be/xRaCGwtuNbw

    ResponderExcluir
  14. Comente:

    https://youtu.be/GY8Lh-wvs4A

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O vídeo até é bom até a parte em que começa a falar do início do Judaísmo.

      Excluir
  15. Leia e diga se essa teoria é a correta:

    A besta de Apocalipse 13:1-10 é o Papado, pois nesta passagem mencionada diz que esta besta subiu do mar (um lugar muito povoado; Apocalipse 17:15), e o Papado surgiu da Europa que foi e é um lugar muito povoado.
    E outro motivo é porque a besta do mar no verso 5 teve poder para agir durante 42 meses. Esses 42 meses dão 3 anos e meio ou 1.260 dias, dias que em profecia são anos (Números 14:34; Ezequiel 4:5-7), sendo assim são 1.260 anos de reinado do Papado (538 d.C. até 1798 d.C. de acordo com a História). Semelhança entre Daniel 7:24-25 e Apocalipse 13:5 (mesmo assunto?).
    No verso 6 é dito que a besta do mar também blasfemou contra Deus, e o Papado fez, faz e fará isso. E ainda no verso 6 é dito que tal besta do mar perseguiu e matou os fiéis de Cristo, o Papado fez isso na Idade Média.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A besta não é o papado, mas o "novo Império Romano" que se identifica com a União Europeia em um estágio mais avançado, como escrevi aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/09/seria-uniao-europeia-o-novo-imperio.html

      O papado é a prostituta que está MONTADA na besta (cf. Ap 17:3), e não a besta em si. Esses 1260 dias são dias mesmo, não anos, porque correspondem à última metade da septuagésima semana de Daniel, que são sete anos (1260 dias = 3,5 anos, que é a metade de 7). Essa data de 538 d.C. até 1798 d.C. não bate com o papado de modo algum.

      Excluir
    2. Então o Novo Império Romano fará as mesmas coisas e terá as mesmas características que o Papado na antiguidade certo? Pois Apocalipse 13:1-10, que se refere ao Novo Império Romano, contém as mesmas descrições de Daniel 7:24-25, que se refere ao Papado.

      Exemplo das mesmas descrições:
      Em Daniel 7:24-25 fala de uma supremacia do Papado de "um tempo, tempos e metade de um tempo" que nas contas dão 3,5 anos/42 meses/1.260 dias (que período é esse?). E Apocalipse 13:5 fala de uma supremacia do Novo Império Romano de 42 meses também.

      Excluir
    3. A descrição de Apocalipse 13:1-10 é bem mais ampla que os dois versículos de Daniel 7:24-25 (que na verdade só é descrito no verso 25). Basicamente só diz isso aqui:

      "Ele falará contra o Altíssimo, oprimirá os seus santos e tentará mudar os tempos e as leis. Os santos serão entregues nas mãos dele por um tempo, tempos e meio tempo" (Daniel 7:25)

      A parte de oprimir os santos é insuficiente para decretar que se trata do mesmo sujeito, mesmo porque o Império Romano fez o mesmo que a Igreja Católica, os dois perseguiram os santos (e no caso do novo Império Romano, perseguirá, já que ainda não existe). No demais, o texto diz que mudaria os tempos e as leis, e não há nada em Apocalipse 13 que diga que a besta dali fará isso. Em Ap 13 também é dito muitas coisas que não constam em Dn 7:24-25, como por exemplo o ferimento mortal que é curado (e que se aplica perfeitamente no Império Romano, que deixou de existir, mas voltará no futuro). Por fim, Daniel fala do "tempo, tempos e metade de um tempo", enquanto Apocalipse fala de 42 meses (ou seja, 3 anos e meio). Se você consultar os comentários bíblicos (por exemplo, os do link abaixo) você verá que é praticamente um consenso que esse "tempo, tempos e metade de um tempo" se referem a 3 anos e meio também (igual no Apocalipse), e não de 1260 anos (como na escatologia adventista, que identifica o papado como a besta de Ap 13 e faz aquelas contas que você fez). Ou seja, o texto está apenas conectando o minitério da besta (novo Império Romano) com aquele que no Apocalipse é chamado de "falso profeta" (papado), que durante esse período da grande tribulação atuarão juntos na perseguição aos santos e servos de Deus (como retratado em Ap 16:13).

      O link dos comentários bíblicos que te falei:

      https://www.studylight.org/commentary/daniel/7-25.html

      Excluir
    4. Beleza. Lucas, muito obrigado pela atenção e pela explicação. Deus lhe ilumine cada vez mais.

      Excluir
    5. {Outro anônimo}
      Então se o Papado ainda irá no futuro atuar junto com o novo império romano, quer dizer que Daniel 7:25 se refere ao futuro.

      Excluir
    6. "Beleza. Lucas, muito obrigado pela atenção e pela explicação. Deus lhe ilumine cada vez mais"

      Não há de que, Deus lhe abençoe igualmente 👍

      "Então se o Papado ainda irá no futuro atuar junto com o novo império romano, quer dizer que Daniel 7:25 se refere ao futuro"

      A parte que fala dos 3 anos e meio sim.

      Excluir
  16. "Os seus cadáveres ficarão expostos na rua principal da grande cidade(Roma),que figuradamente é chamada Sodoma e Egito, onde também foi crucificado o seu Senhor."

    Jesus morreu em Jerusalém e não em Roma.

    Lucas,não existe nenhum escritor secular dos primeiros 2 sécs. que falem sobre Paulo,João,Pedro?Estranho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Jesus morreu em Jerusalém e não em Roma"

      O texto está falando em termos espirituais e figurados e não em termos geográficos. É engraçado como os preteristas espiritualizam TUDO no Apocalipse, tomam tudo como simbólico, mas quando chegam nessa parte dão um breque e interpretam literalmente, contrariando sua própria metodologia hermenêutica. Além disso, em certo sentido Jesus foi crucificado em Roma, pois Jerusalém nessa época fazia parte do Império Romano, e note ainda que o texto diz "onde TAMBÉM foi crucificado o seu Senhor", aludindo a outra coisa além do significado literal (uma vez que geograficamente todos sabiam que Jesus foi crucificado em Jerusalém, e neste caso o "também" no texto cairia de paraquedas, de modo totalmente desnecessário, se fosse apenas do significado natural que João estivesse falando). Finalmente, a "grande cidade" é a mesma de Ap 17:18, onde indiscutivelmente aponta para Roma.

      "Jesus morreu em Jerusalém e não em Roma"

      Você fala como se existissem muitos escritores seculares naquela época e como se o Cristianismo fosse muito importante para merecer tanta atenção, quando historicamente era exatamente o oposto. Ter um pergaminho para escrever alguma coisa era raríssimo, a esmagadora maioria das pessoas eram analfabetas, a maioria dos documentos da época se perdeu com o tempo, e os que tinham o privilégio de escrever não escreviam sobre detalhes e pormenores de religiões relativamente pequenas como era o Cristianismo, mas direcionavam suas atenções para o objeto de estudo (exceto os próprios escritores cristãos, por razões óbvias). Tampouco faz sentido pensar que um escritor secular do século II teria algum interesse ou mesmo conhecimento de Paulo, Pedro e João, numa época em que quase tudo que eles sabiam eram do que era passado de boca em boca, e quando os cristãos não passavam de uma minoria perseguida. Tem que tirar da cabeça essa ideia de que naquela época haviam milhões de pessoas produzindo artigos e livros sobre tudo quanto é coisa e com um Google na frente delas.

      Excluir
    2. "Lucas,não existe nenhum escritor secular dos primeiros 2 sécs. que falem sobre Paulo,João,Pedro?Estranho..."

      "Tampouco faz sentido pensar que um escritor secular do século II teria algum interesse ou mesmo conhecimento de Paulo, Pedro e João, numa época em que quase tudo que eles sabiam eram do que era passado de boca em boca, e quando os cristãos não passavam de uma minoria perseguida. Tem que tirar da cabeça essa ideia de que naquela época haviam milhões de pessoas produzindo artigos e livros sobre tudo quanto é coisa e com um Google na frente delas."

      Por que na sua opinião Flávio Josefos cita a Tiago, mas não cita nenhum outro apóstolo?

      Essa pergunta seria mais estranha pra um católico, pq Josefos não cita nada do líder mor do cristianismo, segundo eles, Pedro, mas faz questão de dar muita importância a Tiago. Ta certo que Tiago era irmão de Jesus, mas ele também teve outros irmãos.

      Em Atos, ele presidiu o concílio. O livro de atos tb mostra uma importância maior dele e Paulo tinha mais reverência a ele do que a Pedro. Podem falar que é personalidade e Tiago se impunha mais, mas não é essa descrição que o NT faz de Pedro, alguém que de personalidade fraca.

      Excluir
    3. Também pesa o fato de que Tiago era o líder da igreja de Jerusalém, ou seja, do território onde vivia Josefo, então Josefo tinha muito mais familiaridade com Tiago do que com Pedro ou outros apóstolos, os quais ele provavelmente nem conhecia (em Atos vemos que Pedro vivia constantemente viajando, como por exemplo em Antioquia, Jope, Samaria e etc, como um missionário itinerante, enquanto Tiago está sempre em Jerusalém).

      Excluir
  17. O ministro Araujo, do Itamaraty, disse que o Bolsonaro eh a pedra angular da politica brasileira que todos rejeitaram... vc concorda?

    ResponderExcluir
  18. Um catolico escreveu: "Mas mesmo assim fizeram as imagens de querubins, não há negação nisso. Em Êxodo 20, Deus não só proíbe a adoração de "imagens" mas também a confecção delas. Como então ele teria condenado e 5 capítulos(Exodo 25:18) depois mandado fazer ? Isso ocorre porque o contexto foi deturpado. Deus não condena a confecção de imagens, mas sim a confecção de ÍDOLOS, falsos deuses, como baal e os deuses egípcios , até porque "fessel" não significa "imagens de escultura" e sim "idolos".

    "Eu já imagino que você até poderá entrar em que adoramos Os Santos, mas é falácia. O que se há por Estes é simplesmente um respeito pelas suas condutas e feitos, por serem Santos. Assim, podemos pedir interseções e etc que vem por parte de Deus, não deles. Eles foram Santos por terem sidos "usados" por Deus, e não porque os feitos vieram tão somente deles. Só se deve adorar a Deus (Latria), a Os Santos, Honra e Respeito (Dulia).

    "Se você não consegue entender o que é intercessão, o problema é seu. Jesus não é o único intercessor, ele é o CAMINHO para Deus, ele É Deus, e não o intercessor. Intercessor =/= Literalmente Deus e o caminho para Ele. O que você está fazendo é diminuindo a Ele. E não, não é idolatria. Idolatria é a latria por ídolos, é a adoração, que só devemos exclusivamente a Deus, por falsos deuses, como os pagãos (IDOL + LATRIA). Os Santos não tomam a Honra de Deus porque a honra d'Eles É de Deus, e não deles. Eles devem ter o respeito e admiração por terem sido meios para Deus agir ao mundo."

    Existe (com certeza tem)algum artigo seu que refuta essa ideia que ele colocou acima?

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tema das imagens eu já abordei exaustivamente aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2013/05/nao-adoram-so-veneram.html

      Excluir
  19. Hey Lucas,

    What do you think of this article?:

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2019/05/hail-holy-queen-of-heaven.html

    Anything you would add?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. I liked this part:

      "If Mary had really accomplished what the pope claimed regarding the abolishment of all heresy, then why are we still encountering atheists, other world religions, and pseudo-Christian cults?"

      Probably the Pope has forgotten these heresies, or maybe the "Queen of Heaven" is not so powerful. Never before we had so many heresies in the world and they have only grown since the time when the pope said it, but okay!

      I don't know if the American Catholics do this, but here Catholics love to victimize themselves, they say that we "attack" and "insult" Mary just because we don't believe in Marian dogmas, it's so ridiculous. I even wrote an article about it a long time ago:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/09/os-protestantes-odeiam-virgem-maria.html

      Excluir
    2. Lucas,

      Your blog posts are excellent. I can say that of your writing even when I disagree with something. Your views are worth hearing in my opinion.

      Yes, the Roman Catholics here get can get into loud and illogical protests when you confront their bizarre Marian dogmas. They get all hysterical when you disagree with em'--typical cultist behavior.

      Here's an excerpt from an older catechism that I cam across awhile back in a search that you may find shocking:

      https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2018/09/roman-catholic-dogmas-are-unbiblical.html

      I want to let you in on something I considered somewhat personal...You know how in that first article I showed you how I mentioned Paul's rebuke of the Corinthian church? Well, that passage of Scripture played a key role in stopping me from converting to the Roman Catholic Church, especially when pared with 1 Corinthians 4:6.

      Roman Catholicism truly is man-centered.

      Excluir
    3. Thank you, Jesse! On the subject of the article you gave me (which relates to the Catholic tradition, used in counterpoint to Sola Scriptura), I think this article is very useful (and a bit of fun too!):

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/10/perguntas-de-um-protestante-curioso.html

      Excluir
  20. Amigo, Shabbat Shalom.

    ResponderExcluir
  21. Se Enoque foi transladado para não ver a morte (Hb. 11.5) como afirmar que ele regressaria para morrer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O autor de Hebreus disse isso sobre o passado de Enoque, não sobre o futuro.

      Excluir
  22. Lucas, por que a semana de Daniel 9:27 se refere ao fim dos tempos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É só ver de quem o texto está falando:

      “Depois das sessenta e duas semanas, o Ungido será morto, e já não haverá lugar para ele. A cidade e o lugar santo serão destruídos pelo povo DO GOVERNANTE QUE VIRÁ. O fim virá como uma inundação: Guerras continuarão até o fim, e desolações foram decretadas. COM MUITOS ELE FARÁ UMA ALIANÇA QUE DURARÁ UMA SEMANA. No meio da semana ele dará fim ao sacrifício e à oferta. E numa ala do templo será colocado o sacrilégio terrível, até que chegue sobre ele o fim que lhe está decretado" (Daniel 9:26-27)

      Vejamos:

      a) O texto começa falando da 69ª semana, quando o Ungido (Jesus) seria morto. Até aí ninguém discorda que está falando da época do ministério terreno de Cristo, ok.

      b) Depois já começa a falar do fim dos tempos, por isso o texto segue dizendo que O FIM virá como uma inundação. É aí que entra a figura do anticristo, que neste texto é descrito como “o governante que virá”.

      c) Com muitos ele (está falando do anticristo, que acabou de ser mencionado, no cenário do fim dos tempos, que acabou de ser mencionado) fará uma aliança de uma semana (ou seja, a 70ª semana de Daniel, a última que falta). Então fala das coisas que ele vai fazer, como colocar o sacrilégio terrível no templo, que é algo que o próprio Cristo disse que não foi feito ainda (cf. Mt 24:15).

      d) Este governante não pode ser Cristo, porque o texto termina dizendo “até que chegue sobre ele O FIM que lhe está decretado” (ou seja, uma punição, um juízo divino sobre ele pelas maldades que ele praticou, não tem nada a ver com a forma com que o Ungido é morto no início do verso anterior).

      Conclusão: Daniel começa falando dos episódios da 69ª semana nos dias da morte de Jesus, e depois pula para a última, no fim dos tempos, quando o anticristo fará todas as coisas que ele descreve.

      Excluir
    2. O capítulo 12 de Daniel cita um período de 3 anos e meio quando fala de tempo, tempos e metade do tempo e também cita a abominação desoladora; sacrifício tirado e fala claramente de tempo do fim, fim dos tempos, fim dos dias e a ressurreição dos mortos, como uma explicação mais detalhada da última semana de Daniel.

      Excluir
  23. Lucas Banzoli, você acredita que Maria, a bem aventura para os católicos, imaculada, redentora e esperança "nossa", medianeira de todas as graças e rainha do céu pode ter tido genros e noras?

    Se Jesus teve irmãos e irmãs, filhos de dela com José, evidente que Maria foi sogra de pelo umas sete pessoas.

    Pedro poderia ser um desses genros de Maria?

    O Cristiano Macabeus acha um escândalo... E você?

    Alon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza ela deve ter tido genros e noras, mas se Pedro é um deles, não faço ideia.

      Excluir
    2. Kkkkkkkkkkkk boa resposta. Mas Pedro foi sim, acredite. Vem bomba por aí.

      Alon

      Excluir
    3. Amigo do Banzolão4 de maio de 2019 18:43

      Alonzão, suas teorias são sempre curiosas. Essa eu quero ver kkk.

      Excluir
  24. Lucas, sou o mesmo anônimo que te fez aquela pergunta se ser evolucionista teísta é errado, e olha, de acordo com esse artigo da AiG, eu sou um herege:

    https://answersingenesis.org/theistic-evolution/biologos-promoting-heresy/

    Mas como eu poderia ser um herege, sendo que eu como cristão verdadeiro, aceito que o próprio Cristo era Deus na terra, sendo que eu sigo todos os princípios morais e éticos ditos por Jesus e pela bíblia. Olha, esse é um dos motivos pelos quais eu tenho muito receio de procurar uma igreja para congregar, você não tem ideia do quanto ser chamado de herege/falso crente apenas por ser evolucionista teísta dói muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca vi um crente ser chamado de herege numa igreja apenas por ser evolucionista teísta, mas se isso acontece aí é um problema da igreja, no caso o ideal seria procurar uma outra onde você fosse aceito. Mas também não sei por que você precisaria sair dizendo às pessoas dali que você não é criacionista, tem coisas que não precisam ser ditas (ainda mais quando vai gerar polêmica), eu por exemplo não faço a menor ideia de quem na minha igreja é criacionista de terra velha, ou de terra jovem, ou evolucionista, etc. Também não saio dizendo pra todo mundo o que eu penso sobre pontos em que eu divirjo do "status quo", só digo se perguntado.

      Excluir
    2. Obrigado pela dica. Deus te abençoe, abraço

      Excluir
    3. Hey Lucas, what do you think of that article from Answers in Genesis? Would you call it harsh at all?

      Excluir
    4. I think it's exaggerated, yes. Although I find it impossible to reconcile certain biblical texts with an evolutionist conception of creation, I do not consider anyone to be a "heretic" simply because he is a theistic evolutionist. The problem is that for certain fundamentalist groups anyone is a "heretic" if he disagrees at any point, even if it is a secondary point (for example, many would consider me a "heretic" for not believing in the immortality of the soul and the secret rapture, as well as many consider heretics who is not a creationist). A heretic is someone who contradicts essential points of faith, which involve salvation, outside these essential points it is possible to be a Christian even wrong in some things, even because I do not believe that there is someone who is right in absolutely everything, as an "infallible Pope of Protestantism". A failing Christian on some points is not the same as a heretic or non-Christian, and we are all flawed on a larger or smaller scale.

      Excluir
  25. Lucas, eu acredito que as "duas" testemunhas não podem ser os dois profetas, mas algo muito maior. Observe que a Besta que se levantará do abismo (v7) vai fazer guerra contra eles. Por que haveria necessidade de declarar guerra contra dois homens apenas?

    A palavra "guerra” no grego é POLEMOS. Esta palavra significa um envolvimento prolongado estendendo-se por um período de tempo considerável e provavelmente envolvendo muitas batalhas. Tal significado está em contraste direto com a palavra grega “PHONEVO” que significa matar e também com a palavra “MACHE” usada para significar uma única batalha. A distinção entre essas palavras é certamente importante.

    E mais uma vez: Por que precisaria o anticristo mover uma “guerra” contra dois indivíduos? Ele não poderia simplesmente matá-los? Claro que alguns poderiam dizer que o poder deles é tão grande que um simples ataque não resolveria o problema. Isso é certamente verdadeiro enquanto a proteção de Deus está sobre eles. Durante esse período eles são invencíveis. Mas, quando essa cobertura é removida, como acontece em determinado momento, não há necessidade de uma luta prolongada que possa ser descrita como uma “guerra”. Simples um assassinato faria o trabalho.

    Essa palavra “guerra” comumente se refere mais a uma matança em grande escala do que ao assassinato de dois profetas peculiares. É interessante que há outros lugares na Bíblia onde
    nós encontramos a palavra “guerra” usada em um contexto que parece ter tudo a ver com o mesmo assunto.

    No Velho Testamento, livro de Daniel 7:21 lemos que um “chifre” (que aqui simboliza o futuro “homem do pecado”) faz “guerra aos santos” e prevalece contra eles. Evidentemente esse homem sinistro e mau começará uma cruzada para aniquilar cada uma das pessoas de Deus que se oponha a ele. Está aqui uma tremenda evidência de quem pode ser uma das duas testemunhas.

    Continua...

    ResponderExcluir
  26. Em Apocalipse 13:7 nós somos lembrados uma segunda vez que este homem recebe permissão para fazer “guerra” (POLEMOS) contra os santos e para vencê-los. Então descobrimos que em um determinado momento, toda a proteção dispensada a esses crentes santificados (“santos”) é removida e é dado poder ao anticristo para começar um banho de sangue indiscriminadamente. Uma “guerra”
    de proporções tremendas, talvez mundial é empreendida contra homens e mulheres cristãos, cujas vidas e testemunhos se opõem aos propósitos desse louco satânico. Embora alguns estudiosos da profecia bíblica entenderem que não seja possível provar
    pelas Escrituras que a “guerra” empreendida contra essas Testemunhas dos últimos tempos seja a mesma “guerra aos santos” mencionada acima, podemos ver aqui um paralelismo indiscutível.

    Um outro item que parece dar suporte à idéia de que essa conflagração não se limita à morte de dois indivíduos é o alvo aparentemente mundial de seu ministério profético.

    Em Apocalipse 11:9 e 10 nós descobrimos que “pessoas, tribos, línguas e nações” verão seus “corpos" mortos e também que a celebração dessas mortes é universal. Isso implica que a profecia dessas testemunhas e os efeitos das pragas que elas trarão sobre a humanidade se espalharão o suficiente para afetar virtualmente Icada indivíduo na Terra.` Embora alguns tenham citado a televisão e os órgãos de comunicação como o veículo através do qual esse surpreendente testemunho mundial e a visão dos cadáveres ocorrerá, eu creio que aqueles que têm olhos espirituais podem perceber algo mais profundo.

    Embora eu suponha que é concebível que dois homens possam influenciar de tal maneira o mundo inteiro, há a possibilidade de que algo maior esteja em vista aqui. Já que existem atualmente mais de 300 países no nosso mundo, seria quase impossível para esses profetas alcançar cada um deles individualmente em apenas 1260 dias. Quando você acrescenta a essa idéia o fato mencionado anteriormente de que não apenas “nações” mas também “pessoas”, “tribos” e “línguas” estão envolvidas aqui, toda a possibilidade de uma viagem a todos eles desaparece. Entretanto, sabemos com certeza que Deus reivindicará como Dele alguns de cada “família”, e língua, e povo, e nação (Ap 5:9).

    Além disso, precisamos entender que nesse contexto das duas testemunhas, não é os pecados de um indivíduo que estão sendo considerados. As invés, a rebelião de todo o mundo está sendo exposta por esses profetas.

    Desde que o iminente julgamento é universal, parece razoável que os encargos que estão sendo trazidos devem necessitar de um testemunho mais amplo do que o de dois homens. Uma dupla de “intrusos” fazendo violentas acusações a uma grande distância pode não ser suficiente para convencer poderosamente o culpado. A evidência contra cada nação ou grupo de pessoas seria trazida de maneira mais convincente por aqueles que estivessem intimamente relacionados com cada respectiva situação e que, portanto, pudessem dar um testemunho acurado contra eles. Conseqüentemente, parece razoável supor que o testemunho final de Deus deve ser dado a cada um Na sua própria língua, por alguém que viva em sua própria cultura e, desse modo, expondo a condição pecadora deles de uma maneira que eles possam facilmente compreender.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se fosse duas pessoas comuns eu concordaria plenamente que não teria sentido fazer guerra contra elas, mas veja como o Apocalipse as descreve: qualquer pessoa que tenta lhes causar dano é morta por um fogo que sai da boca delas e as devora completamente, e ainda podem fechar o céu para que não chova, transformar água em sangue, ferir a terra com toda a sorte de pragas por quantas vezes desejarem, e assim por diante. Basicamente são muito mais poderosas do que qualquer exército que se possa mobilizar da terra. Imagine dois extraterrestres que viessem à terra e causassem tudo isso, o que você pensa que os governantes fariam? Mandariam meia dúzia de homens armados prenderem eles? Seria ridículo.

      Sobre as pessoas do mundo todo comemorarem a sua morte, não é isso o que acontece hoje? Quando uma pessoa má (ex: Bin Laden) ou uma pessoa boa (ex: Stan Lee) morre, o mundo todo se comove (seja celebrando ou lamentando), pois todo mundo fica sabendo. Ainda mais com dois "extraterrestres" que estavam causando tanta destruição na terra, e que representavam uma ameaça a todo o planeta (pelo menos na perspectiva que as autoridades irão passar).

      Excluir
    2. E mais um detalhe, Banzoli. Um erro que cometemos em todos os debates que giram em torno de assuntos similares é quando afirmamos, sem contextualizar, que "ao homem está ordenado morrer uma vez".

      Se admitirmos a hipótese desta ideia estar correta, então poderíamos pensar que no dia do Arrebatamento todos os santos vivos deveriam morrer primeiro, sendo arrebatados depois. E não é isto que Paulo nos ensina.

      Excluir
    3. E pior do que isso tudo é ouvir de um pré tribulacionista que uma das duas testemunhas é Moisés, como já li e ouvi em vários artigos e vídeos por aí.


      Ora, se o ministério dessas duas testemunhas cobre um tempo posterior a Grande Tribulação, e se Jesus vem mesmo antes dessa tribulação para arrebatar os justos mortos e vivos, como ensina o pré tribulacionista, entao ele vai levar Moisés antes da manifestação das duas testemunhas.

      Excluir
  27. Eu mudei um pouco de ideia sobre esse assunto após ver esse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=UggLxVtG2oU ainda sou totalmente contra o uso recreativo, mas em casos como esse eu sou a fvr.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A "maconha medicinal" também sou a favor, mas há quem conteste até que ponto que seus efeitos medicinais são realmente positivos e outros que alegam existir outros métodos mais eficientes nestes casos (como eu não sou da área da medicina e nem pesquisei a fundo a este respeito não posso afirmar nada, mas não seria contra o uso medicinal da maconha se ele realmente for comprovado eficaz nestes casos bem específicos).

      Excluir
  28. Comente:

    https://youtu.be/ajz3hb6We6A

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mujica é o Lula que não foi preso.

      Excluir
    2. Falando em Mujica, e no Uruguai. Uma coisa que eu sempre noto é que os uruguaios geralmente são bem mais inclinados à esquerda do que os latino-americanos em geral, sendo bem mais esquerdistas do que os próprios argentinos. Na sua opinião o que explica o fato dos uruguaios serem bem mais esquerdistas do que os demais? Isso porque o Uruguai, ainda é um dos poucos países latino-americanos que não aderiram à onda conservadora, o país está há 15 anos governado por presidentes de esquerda, fora que os esquerdistas dominam o Congresso Nacional daquele país há quase 20 anos, além disso o Uruguai foi o primeiro país sul-americano a legalizar o aborto, o casamento gay, a maconha, mas em compensação votou contra a redução da maioridade penal e a reforma da previdência. Nesse ano de 2019 no Uruguai haverão eleições presidenciais e legislativas, mas olha, do jeito que o estrago já está feito, a esquerda vai se perpetuar no poder de lá por muitos anos. Francamente falando, não há mais nenhuma esperança para o Uruguai. Que Deus tenha piedade deles.

      Excluir
    3. Eu aplico aqui a mesma tese que já trabalhei no artigo anterior (sobre o ateísmo): na medida em que um povo enriquece, ele tende a se desaproximar de Deus por pensar que não precisa mais dele (e consequentemente, a se afastar dos princípios conservadores, uma vez que conservadorismo e religiosidade estão entrelaçados, assim como quase todo ateu é um "progressista"). No caso do Uruguai, eles são o país mais rico (em pib per capita) da América Latina, então é natural que ele tenha se "europeizado" antes, e consequentemente aprovado legalização do aborto, casamento gay, maconha e etc (elegendo políticos de esquerda, que são os que mais defendem essas pautas).

      Excluir
    4. Lucas, mais uma última coisa que eu gostaria de te perguntar:

      Porque os argentinos não são tão esquerdistas assim como os uruguaios? Que o uruguaio médio tende a ser esquerdista todos sabem disso, mas vejo que, apesar dos argentinos serem bem mais politizados do que os brasileiros noto que eles tendem a ser bem menos esquerdistas que o uruguaio médio, inclusive cheguei a ver que os argentinos da cidade de Buenos Aires tendem a ser bem mais anti-esquerdistas que o restante dos argentinos, inclusive Buenos Aires foi o único local da Argentina que resistiu tanto ao Kirchnerismo quanto ao Peronismo, inclusive nenhum dos Kirchners ganhou maioria dos votos na cidade.

      Fora também que apesar do casamento gay ter sido legalizado na Argentina, eles disseram não à legalização do aborto e da maconha (pelo menos por enquanto...)

      Em sua opinião porque os argentinos não são tão esquerdistas quanto os uruguaios?

      Excluir
    5. Fora também que os esquerdistas já não são mais maioria absoluta no Congresso Nacional da Argentina desde 2011, e desde 2015 o país está sendo governado por um Presidente de direita (apesar do Macri ser da direita liberal, ele está bem longe de ser um esquerdista). Sem contar que a Argentina foi o primeiro país da América do Sul a abraçar a onda conservadora.

      Excluir
    6. Agora o Uruguai tá colhendo o que plantou:

      https://epocanegocios.globo.com/Mundo/noticia/2019/04/por-que-farmacias-do-uruguai-estao-desistindo-de-vender-maconha.html

      Pelo jeito a legalização das drogas é que nem o socialismo: não funciona e ainda dá ****, um grande exemplo disso é a China, que no passado as drogas eram legalizadas e acabou se envolvendo em uma guerra por conta disso. Por isso lá a Pena para quem usa, compra ou trafica drogas pra lá é a morte.

      Excluir
    7. O que aconteceu na Argentina foi o mesmo que aconteceu no Brasil, eles também tiveram décadas de ditadura (só que uma ditadura mais parecida com a do Vargas do que com a nossa de 64), depois tiveram décadas de governos esquerdistas se elegendo em sequência, e só elegeram um político de direita recentemente porque viram que essa esquerda quebrou o país (e não porque tenham se tornado "menos esquerdistas" ideologicamente em um passo de mágica, é apenas algo momentâneo e circunstancial, não algo cultural). O Uruguai por outro lado teve menos problemas econômicos com o Mujica do que a Argentina com a Cristina e o Brasil com a Dilma, então não houve a mesma indignação popular e consequentemente a mesma revolta que deu lugar a presidentes de direita aqui e lá. Mas não penso que em essência o uruguaio se distinga do brasileiro e do argentino, é tudo questão de circunstâncias, de momento.

      Sobre o que fez a China, está mais do que certa. Eles podem estar equivocados em um par de coisas, mas os bichos lá são espertos, eles sabem sacar quando uma coisa dá errado e conseguem se adaptar às circunstâncias de modo bem mais rápido que muitos outros. Viram que o socialismo ferrou o país ao longo de décadas e mudaram para um "capitalismo de Estado", viram que a liberação das drogas também ferrou o país e proibiram todas com o máximo rigor possível, viram que o aumento desenfreado da população estava ferrando o país também e fizeram políticas de controle de natalidade, estão sempre se adaptando apesar de ainda conviverem com muitos problemas (os quais talvez também se adaptem no futuro).

      Excluir
  29. Comente:

    https://youtu.be/1Kdv6UO2yzg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso que me surpreendi positivamente com a análise dele, esperava aquela babação de ovo de ditador (igual aquele canal do "Historiador"), mas foi bem diferente disso.

      Excluir
  30. Lucas, o julgamento final será pra decidir o destino de todos (justos e impios),ou os salvos só estarão diante do tribunal pra receber o galardão? Essa dúvida vem a partir de outra pergunta: Se já temos a certeza da salvação qual a necessidade de um julgamento? Vlw :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem dois julgamentos (embora seja um para cada pessoa): para os justos, o julgamento é na volta de Jesus para receber o galardão, e para os ímpios ao final do milênio para definir o tempo de castigo. A sua outra pergunta (sobre qual a necessidade de um julgamento se já somos salvos) já é respondida pela primeira: para definir o galardão. Salvação é uma coisa, galardão é outra. Nós sabemos que estamos salvos, mas não sabemos qual a medida do nosso galardão para a outra vida. É para isso que compareceremos ao tribunal de Cristo (e não para decidir se seremos salvos ou não). Abs!

      Excluir
  31. Olá novamente, Lucas!

    Oque acha?: https://youtu.be/cy9gV2nN8rI

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
  32. Você acredita,pelo que li, que tanto Enoque quanto Elias foram "arrebatados" para o céu, sendo assim, como você explica João 3:13?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João 3:13 trata de uma regra geral, igual Hebreus 9:27 (que diz que ao homem está determinado morrer uma só vez, embora todos os ressuscitados tenham morrido duas vezes). Há vários casos bíblicos onde expressões gerais (como "todos" ou "ninguém") não expressam cada caso pormenorizadamente, mas apenas princípios ou regras gerais. Neste caso, dizer que ninguém subiu ao Céu corresponde a dizer que, de uma forma geral, ninguém está lá (embora haja essas duas exceções à regra).

      Excluir
    2. De repente Elias e Enoque não foram para o terceiro céu mas sim trasladados para o futuro.

      Excluir
    3. Neste caso eles não poderiam estar "diante de Deus", como as duas testemunhas. E pelo menos no caso de Enoque, é dito que "Deus o tomou PARA SI" (Gn 5:24), o que indica que ele foi levado à presença de Deus e não que somente foi transladado no tempo.

      Excluir
  33. Lucas, você acha que a meritocracia funciona na prática? Se sim, então leia esse texto:

    https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2018/03/sorte-e-mais-importante-do-que-talento-na-busca-pelo-sucesso-material.html

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se eles não gostam da meritocracia por ser imperfeita, então que proponhem um sistema melhor. Todos os outros são miseravelmente fracassados e até mesmo ridículos. Se o nível de acadêmicos e concursados às vezes já parece ser baixo, imagine se em vez de serem os melhores fossem os piores, ou pessoas aleatórias. Imagine que o piloto do avião que você vai pegar não seja o que tirou as melhores notas e se preparou mais para estar ali, mas um preguiçoso e burro que não fez nada e mesmo assim foi colocado ali. Eu não sei você, mas eu não pisaria um pé num avião desses (e o mesmo se aplica a todas as áreas da vida).

      Excluir
    2. Algumas pessoas dizem com base nesse artigo, entre outras coisas, que os grandes empresários(Silvio Santos, Bill Gates, etc.) só conseguiram chegar aonde estão por pura sorte. Oque acha disso?

      Deus lhe ilumine!

      Excluir
    3. Isso é a mais pura estupidez. Não importa se o Bill Gates já nasceu rico, ele só conseguiu fazer o que fez e chegar aonde chegou por competência e mérito, se não fosse por isso todos os ricos do mundo seriam tão geniais e inovadores quanto ele (o que obviamente não é o caso). Nascer em um "berço de ouro" te dá uma "vantagem teórica" sim, mas daí para efetivamente construir algo útil para a sociedade e conseguir manter e aumentar a riqueza são outros quinhentos, não é algo que se consegue de mão beijada só por já ter nascido rico, tanto é que muita gente nasce rica e por demérito pessoal e escolhas erradas perde tudo (e vice-versa). Eu seria riquíssimo se meu avô paterno não tivesse liquidado o dinheiro da família, e da mesma forma há muita gente que nasce pobre ou de classe média mas que com esforço e dedicação consegue chegar muito mais longe. Então alguém nascer na "elite" ou na pobreza significa alguma coisa sim, MAS NÃO É TUDO. É como alguém que larga na frente numa corrida, mas a corrida é tão longa que há amplas possibilidades desse que largou na frente chegar lá atrás, e dos que largaram lá atrás chegarem na frente (lembrando que não estamos falando aqui apenas de riqueza, mas de êxito profissional em qualquer área para a qual a pessoa tem talento).

      Excluir
  34. Mas o Banzoli, eu queria respeitosamente lhe pedir permissão para enviar um recado ao Macabeus. Aproveitando o artigo postado por você, eu gostaria de anunciar ao Romanista Preterista, que passou boa parte do tempo anunciando e escrevendo sobre Apocalipse 11 tentando provar que o Templo de Jerusalém estava em pé quando o Livro foi escrito, que é o contrário: O TEXTO MOSTRA QUE O TEMPLO HAVIA SIDO DERRIBADO.

    Vou postar aqui aquela que vai ser a de número 5 em Contradições do Preterismo parte 4.

    O Templo havia sido Destruído (Ap 11:1,2)

    Apocalipse 11:1,2: “E FOI-ME dada uma cana semelhante a uma vara; e chegou o anjo, e disse: Levanta-te, e mede o templo de Deus, e o altar, e os que nele adoram. E deixa o átrio que está fora do templo, e não o meças; porque foi dado às nações, e pisarão a cidade santa por quarenta e dois meses.”

    Aviso aos preteristas com problemas cardíacos: O argumento apresentado em Ap 11:1,2 revela que o templo de Jerusalém estava destruído, prova de que o Livro de Apocalipse foi escrito depois da derrocada de Jerusalém.

    Um ponto que não pode ser esquecido tem a ver com a natureza do templo que é mencionado. Está localizado no céu ou é o templo terreno de Jerusalém? Ou deveria, talvez, ser entendido como um símbolo para o povo de Deus? Esta última possibilidade é as vezes adotada por intérpretes, mas é incapaz de explicar a função precisa do altar, os adoradores e a cidade santa. Regularmente, todos eles são tomados como metáforas do povo de Deus, mas isso não explica adequadamente a abundância de imagens, exceto de admitirmos um cumprimento duplo para o texto, o que não pode ser descartado. Além disso, questiona-se se uma interpretação simbólica faz justiça à linguagem muito concreta e histórica do texto. Histórica porque nos trás nuances da destruição do templo de Jerusalém.

    Uma localização celestial para esse templo também é problemática, porque a ameaça evidente que as nações representam faz com que seja difícil imaginar que a menção é ao templo no céu. Ou seja, não seria possível aos gentios pisarem o templo celestial. Além disso, as passagens que precedem e seguem Apocalipse 11:1,3 ocorrem na Terra e não há indicação de uma mudança de cenário. Portanto, parece provável que o “templo” de Apocalipse 11 esteja localizado na Terra.

    Deve ser notado neste ponto que o argumento de que Ap 11.1-2 não pode se referir à destruição do templo terrestre em 70 dC, não tem fundamento. O autor do Apocalipse em nenhum lugar simplesmente relata eventos; ele sempre procura interpretá-los. Não há razão para que João não tenha escrito uma interpretação teológica no fim do primeiro século do que aconteceu em 70 dC.

    Continua...

    ResponderExcluir
  35. Porém, a primeira visão, a de muitos comentaristas eminentes, forma um dos fundamentos principais sobre os quais eles insistem que o templo de Herodes, no Monte Moriá, ainda existia quando o Apocalipse foi escrito. João não podia, alegam, ter sido instruído a “medir” o templo se aquele prédio já tivesse sido derrubado, e nem uma pedra deixada sobre a outra. No entanto, quando atendemos às palavras, parece que essa visão deve ser posta de lado em favor de uma interpretação mais consistente.

    Considerando que João, em diversas visões, além de contemplar a Nova Jerusalém e ver um templo no céu, sugere que o templo de Jerusalém já havia sido derribado.

    João escreveu que Jesus prometeu “A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá...” (Ap 3:12), mas não é o templo terrestre. Mais adiante João registra sobre aqueles que estão “diante do trono de Deus, e o servem de dia e de noite no seu templo...” (Ap 7:15). E ainda, mesmo dentro do capítulo 11, que fala sobre medir o templo, encontramos menção sobre esse templo celestial quando descreve que “... abriu-se no céu o templo de Deus, e a arca da sua aliança foi vista no seu templo...” (Ap 11:19). E João continua registrando suas visões do céu: “E depois disto olhei, e eis que o templo do tabernáculo do testemunho se abriu no céu” (Ap 15:5).

    Se considerarmos a cronologia preterista, assumindo que Apocalipse foi escrito antes da destruição de Jerusalém, então temos aqui dois templos, um em Jerusalém e outro no céu! Não pode haver dois templos! Apocalipse não foi escrito antes da destruição de Jerusalém, mas depois. O sacrifício, Jesus, já havia subido ao céu. O templo foi transferido para as regiões celestiais.

    E atenção! Apesar de o templo em Jerusalém ter sido destruído, o sacrifício ainda era oferecido, mas em vão!

    Apocalipse 11:1,2 fala do santo dos santos, denominado de templo, pois era a área central do sacrifício. Clemente, que a maioria dos estudiosos acredita, escreveu no meio da década de 90, refere-se ao sacrifício como se o segundo templo ainda estivesse de pé:

    Continua...

    ResponderExcluir
  36. “Irmãos, cada qual de nós agrade o Senhor em sua função, vivendo em boa consciência, não transgredindo as regras de seu ofício e exercendo-o com toda a dignidade. Irmãos, nem por toda parte são oferecidos sacrifícios perpétuos ou votivos, de expiação e remissão, mas apenas em Jerusalém. E lá mesmo não se oferece em qualquer parte, mas apenas na frente do santuário, sobre o altar, e só depois que o sumo-sacerdote e os seus auxiliares, acima mencionados, examinarem atenciosamente a oferenda.” (I Clemente Capítulo XLI: 1,2)

    Continua...

    ResponderExcluir
  37. Esse é o contexto encontrado no tempo de Domiciano. Contexto muito bem documentado pelo escritor do Apocalipse 11:1,2. Assim, o templo em si não estava mais em pé.

    Observe o verso 2 de Apocalipse 11 na versão em inglês da American Standard. Note a parte em maiusculas: “And the court which is outside the temple, leave, and measure it not; for it HATH BEEN GIVEN unto the nations: and the holy city shall they TREAD UNDER FOOT forty and two months”.

    Traduzindo

    “E o tribunal (o átrio) que está fora do templo deixa de fora, não meça isso, porque FOI DADO às nações, e a cidade santa eles PISARÃO por quarenta e dois meses”.

    Observe que a tradução também usa o verbo no passado para se referir ao tempo dos gentios com relação à cidade santa mencionada no texto: “... foi dado as nações (gentios)”.

    Não é de admirar, pois o próprio Jesus, que citou através do anjo as palavras em Apocalipse 11:2, também as citou pessoalmente em Lucas 21:24, porém, com um detalhe assombroso. Observe os verbos no tempo futuro, quando ele diz que o povo de Israel “... para todas as nações SERÃO LEVADOS cativos; e Jerusalém SERÁ PISADA pelos gentios, até que os tempos destes se completem.”

    Jesus, em Lucas, fala de um tempo futuro: “...serão levados cativos; e Jerusalém será pisada”

    O Anjo do Senhor em Apocalipse, usa o verbo no passado e no presente do indicativo: “... foi dado às nações, e a cidade santa eles pisarão por quarenta e dois meses”.

    Portanto, Apocalipse 11:1,2 declara exatamente o contrário daquilo que o preterismo ensina: O templo de Jerusalém aparece destruído, apesar de o sacrifício de animais ainda estar em vigor.

    O termo grego empregado aqui em Apocalipse para templo não significa os edifícios do templo como um todo, mas apenas seu santuário ou santuário mais interior, aquela parte conhecida como o "Santo dos Santos", que foi separada de todas as outras partes da estrutura sagrada pelo segundo véu. Por esse motivo é que fala do “átrio fora do templo”, que não deveria ser medido. Ou seja, fora do lugar do sacrifício e não fora dos edificios do templo, pois jamais existiu átrio fora das dependências gerais do templo, mas sempre dentro.

    A palavra ναός (naos) é próxima, mas não idêntica a ἱερόν (hieron). Esta última refere-se em geral a todo o complexo do templo e a “área consagrada ao redor”, enquanto o primeiro geralmente se refere ao santuário propriamente dito. O escritor de Apocalipse não usou a palavra ἱερόν e, portanto, podemos concluir que ναὸν foi escolhida em oposição consciente a ἱερόν. Isso aconteceu pelo simples fato de “João” ter feito referência ao local do sacrifício, ao altar, e não ao edifício do templo porque este já havia sido destruído.

    Done!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo Peters Vale7 de maio de 2019 11:17

      Lucas, fiz uma pergunta mais cedo, sobre onde poderia encontrar material sobre movimentos missionários do sec XIX. Mas vou regredir um pouco no tempo, e precisaria de mais informações sobre os moravios. Tens algum link ou livro que poderia sugerir com informações sobre eles?

      Excluir
    2. No livro do Saulo de Melo (História da Igreja e Evangelismo Brasileiro) há bastante informação sobre os morávios.

      Excluir
  38. Vc acredita que isso foi armado pela ditadura militar argentina? https://www.youtube.com/watch?v=nNyCQmKo8gM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza. Aquilo ali foi ridículo, a maior vergonha da história do futebol, a Copa mais manchada de todos os tempos.

      Excluir
  39. O que achas desse vídeo Banzolão? https://www.youtube.com/watch?v=hK-5hcBUbkY

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maravilhoso. Só espero que na nova terra ele pague o aluguel.

      Excluir
  40. Lucas, o que você acha das ideias dos eco-economistas? Caso não saiba o que eles defendem, ai vai(esse texto é de Danniel Vilas Boas de Freita, que pode ser encontrado no link e clicando em "ver 112 respostas" que esta abaixo do comentário de Paulo Muraro¹: "defendo assumir as responsabilidades pessoais por suas ações, uma regulação forte sobre o setor produtivo e econômico para evitar problemas e crises, um estado forte e interventor para regular as ações perigosas e/ou ariscadas para terceiros, liberdades civis ilimitadas para todos os seres humanos, que os empresários e o mercado não são tão inteligentes quanto acreditam ser, e que os ricos ficam ricos por sorte não por "mérito" e por isso mesmo que eles não merecem estas riquezas e não são capazes de administra-las bem o bastante para não estragarem tudo por diversão."

    Nota: ele embasou seus pontos nos comentários dele anteriores a esse que citei, portanto é bom ler alguns ou todos os comentários dele.

    [1] https://www.youtube.com/watch?v=mLye2Nz-E4Q

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais uma asneira esquerdista de Estado grande, forte e controlador, que nunca deu certo em lugar nenhum.

      Excluir
  41. Lucas, porque muitos militantes do movimento negros tem tanta raiva dos brancos? Olha, eu até entendo que o racismo sim é um problema real que precisa ser combatido, mas por que os militantes do movimento negro ficam toda hora pondo a culpa nos brancos pelo fato de nós brancos termos uma ""dívida histórica"" com eles.

    Que a escravidão foi um verdadeiro câncer na história desse país e na história do mundo, isso é consenso entre todos, lógico que precisamos adotar políticas públicas para combater o racismo e a desigualdade, mas uma coisa que eu noto nesse movimento negro, principalmente entre os mais radicais é que parece que eles não querem igualdade, eles querem vingança, vide essa jovem militante negra que falou coisas horripilantes sobre os brancos:

    https://youtu.be/xbQhkjQXcoo

    Inclusive, já cheguei a ver militantes negros muito mais radicais dizendo que a raça branca deveria ser exterminada, como se isso mudasse alguma coisa, primeiro, com ou sem brancos nós seres humanos ainda continuaríamos sendo maus e egoístas por natureza. O problema do mundo não é a raça branca, negra, amarela e etc. Mas sim a nossa natureza humana essencialmente egoísta, cruel e imoral. Enquanto o pecado ainda continuar existindo ainda seremos seres naturalmente ruins.

    E uma coisa que me chamou a atenção nesse vídeo, é que na cabeça deles todo branco é rico, bem sucedido e racista, olha, eu sou um jovem branco, sou de família trabalhadora, minha família inteira é branca, mas trabalham muito para pagar minha faculdade de direito, e só sou estudante de direito graças à minha família, especialmente à minha mãe. Sou descendente de uma família de italianos e portugueses que vieram para cá muito pobres, inclusive, meus avós e bisavós eram extremamente pobres, hoje graças a Deus, somos uma família de classe média, mas muito trabalhadora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você disse bem, infelizmente a maior parte desses "movimentos sociais" são formados por pessoas sem nenhum interesse ou preocupação real com aqueles que dizem "representar", são apenas vagabundos querendo arrumar um pretexto para mamar nas tetas do governo com cada vez mais privilégios em detrimento dos demais. Mas para que continem mantendo essas verbas e privilégios, precisam estimular um clima de ódio que divida a sociedade, ou seja, precisam sempre passar um clima de guerra, que justifique a militância deles. Por isso neste caso em questão eles precisam passar a ideia de que os brancos são todos racistas opressores riquinhos de m**** e que os negros são todos vítimas (quando há muito negro que nasce nos dias de hoje mais rico e com mais oportunidades do que muita gente branca). Por isso esse "movimento negro" (que nem de longe fala por todos os negros) tem esse discurso revanchista, de vingança contra os brancos. Para mamar nas tetas do governo precisam fabricar um discurso que os vitimize cada vez mais e estimular esse clima de ódio e de guerra racial. Quanto maior for o "inimigo" (que no caso deles, direcionam aos brancos), maior é a causa; quanto maior é a causa, mais eles ganham com isso.

      Excluir
    2. Sem contar que eu nunca discrimei ninguém por qualquer motivo, minha família sempre me ensinou a respeitar o próximo, independentemente da religião, raça, nacionalidade, origens e etc. Se houvesse mais respeito no mundo, com certeza absoluta não teríamos chegado nesse nível, obrigado por responder minha pergunta, abraços, Fique com Deus. 🙂👍🏻

      Excluir
  42. Eliezer Rodrigues Costa4 de maio de 2019 18:40

    Avalie/Refute:
    https://www.youtube.com/watch?v=eEVfudYx8Jo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho que refutar nada, é ele que tem que refutar todo o consenso unânime de todos os economistas do Brasil e do mundo que sabem que a previdência é deficitária. Até esquerdistas como o Ciro Gomes admitem isso, até mesmo o Lula dizia há anos atrás que precisavam reformar a previdência, é preciso ser muito desonesto e canalha para aderir a esse discurso da extrema-esquerda de que a previdência não é deficitária e nem precisa ser reformada, uma estupidez sem tamanho. O que eles querem é que o Brasil quebre e que se torne uma Venezuela, para eles "quanto pior melhor", é um vale tudo para tomar o poder, por isso lutam contra os fatos e os números para enganar meia dúzia de leigos desinformados.

      Excluir
    2. Das duas, uma: 1. eles querem que o Brasil derrape pra botar a culpa no Bolsonaro e acabar com a reputação dos capitalistas ou 2. esse remédio da reforma é, a princípio, amargo. Esse governo que está agora vai botar ordem em tudo e depois a esquerda volta para surfar na onda e colher os frutos do que a direita plantou. Essa última opção para mim é profética, porque foi o que aconteceu antes. Na época que o FHC era ministro e bolou o plano real, o PT foi contra mas depois, a partir de 2003, colheram os frutos da estabilidade econômica. Nesse naipe aí... vamos ver...

      Excluir
  43. O que falta pra Venezuela se tornar socialista de fato?

    ResponderExcluir
  44. A maioria das pessoas ignoram a existência de Deus ou até negam a existência dEle até que o avião comece a cair, vc concorda? Vi isso num debate, e essa cena realmente é bizarra, porque numa turbulência de aeronave todo mundo grita, imagina numa queda. Dá tempo pra ser salvo numa queda? Outra pergunta, qual a diferença entre hermenêutica e exegese?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei qual o percentual de ateus que oram na hora que o avião está caindo (mesmo porque não conheço institutos de pesquisa que tenham conseguido entrevistar muitos desses, até porque é relativamente difícil entrevistar um morto), mas aposto que deve ser alto. Mas eles não fazem isso por uma fé sincera e real em Cristo, mas apenas por desespero, então esse tipo de "conversão" não é genuína. É um caso bem diferente do ladrão da cruz, que disse tudo aquilo de forma consciente e que ainda tinha tempo de se arrepender daquele jeito (ainda que não muito). Sobre a outra questão, embora muitos usem os dois como sinônimos e eu não ache isso um problema, em tese a exegese seria a interpretação de um texto em particular, enquanto a hermenêutica seria uma coisa mais ampla, envolvendo os métodos da interpretação da Bíblia como um todo.

      Excluir
  45. É verdade que os países nórdicos são sociais democracias? Pelo que eu li, sim. Não acham que deveríamos tentar imitar eles, já que eles tem um alto padrão de vida(feliz, seguro, etc.)?

    https://en.wikipedia.org/wiki/Nordic_model

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles são sociais-democracias hoje, mas já eram muito ricos antes disso, ou seja, não foi a social-democracia que os tornou ricos, social-democracia não enriquece um país, no máximo divide melhor a riqueza produzida (mas comprometendo assim toda a engrenagem da economia, reduzindo a produtividade consideravelmente e tornando o país mais suscetível a crises, ainda mais um de terceiro mundo como o nosso). Por isso ela não funciona no terceiro mundo embora já tenham tentado isso milhares de vezes, mas pra quem já é podre de rico fica tudo muito mais fácil.

      Excluir
    2. Como eles adquiriram essas riquezas?

      Deus lhe ilumine!

      Excluir
    3. Com capitalismo e livre mercado.

      Excluir
  46. https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1006246892899598&id=401660443358249 por favor opinar sobre esse vídeo que fala da alma como sendo o nosso "eu".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou muito confusa essa explicação dele, eu estou acompanhando a série e os outros vídeos eram mais coerentes. Essa coisa de "pessoa virtual", eu não sei da onde eles tiraram. Depois que eles deram o exemplo do hardware e do software como analogia da relação entre corpo e a alma, o que eles disseram sobre o software se aplica muito mais ao cérebro do que propriamente àquilo que eles chamam de alma. A não ser que eles estivessem se referindo àquilo que é produzido pelo cérebro, ou seja, os pensamentos, que às vezes são vinculados à alma, mas não ficou claro isso no vídeo, e tampouco é este o significado primário de nephesh/psiquê. O que ele disse sobre a alma ser o nosso "eu" é verdadeiro dependendo de que forma você entende isso, porque na Bíblia uma alma vivente é um ser vivo, ou seja, é "você", e neste sentido podemos dizer que a alma é nosso "eu", mas os imortalistas acreditam que a alma é o nosso "verdadeiro eu" em um sentido totalmente diferente, de que existe um "fantasminha" preso dentro do nosso corpo e que esse "fantasminha" somos "nós de verdade", sendo esse corpo apenas uma "cápsula" (e este sentido é completamente pagão e falso). Enfim, a série em si até é boa, mas em alguns momentos eles tentam complicar alguns conceitos que são bem mais simples do que parece, e acabam mais atrapalhando do que ajudando a entender o tema.

      Excluir
    2. O texto fonte para as apresentações feitas nos vídeos e bem mais denso.Acho que eles tentam facilitar.Quanto a expressão "pessoa virtual" eu percebo que você não achou própria.Você quer dizer no sentido de não haver fontes em que tal terminologia ocorra ou no sentido de ela induzir a erro de intendimento ou ser ela mesma um erro de entendimento?

      Excluir
    3. Acho que todas as três coisas. É uma terminologia que não tem amparo bíblico, induz a erro de entendimento por ser extremamente confusa, e é ela mesma um erro de entendimento se eu entendi bem o que eles estavam querendo dizer com isso (especialmente a parte da analogia que eles fizeram, como expliquei acima). Ainda não li o texto-fonte deles e como eu disse os outros vídeos foram melhores, mas esse eu não engoli bem.

      Excluir
  47. Comente:

    https://youtu.be/HH_5icMi4wY

    https://www.brasildefato.com.br/2019/02/18/deputada-ocasio-cortez-o-socialismo-e-a-nova-esquerda-nos-eua/

    https://www.google.com/amp/s/universa.uol.com.br/noticias/redacao/2019/01/17/alexandria-ocasio-cortez.amp.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou deixar o Jesse comentar sobre isso, se ele não quiser comentar, eu comento depois.

      Excluir
    2. That information looks true. Ocasio Cortez is a rank socialist and globalist. But I think that she is stupid.

      Excluir
    3. Thanks for your answer Jesse.

      But, Seizing that you responded my question, I would like to make a new question:

      Why American Catholics are strong Democratic voters? I saw in a research that 50% of all american catholic voters are Democrats, but I made a research about it, and I discovered that American Catholics are strong voters of Democratic party since its foundation in the late 1820s, I saw that Catholic church supported the slavery in your country and that in the year of 1838, the Jesuits sold more than 300 black slaves in Atlanta, and that Baltimore archbishop was a great slave owner. The Catholic church supported the Confederacy against the Union. But the history period that Catholics were most connected with Democrats were in the 1880s until the 1970s. By that time, Democrats had more than 80% of all catholic votes.

      John F. Kennedy, the only american catholic President were a strong Democrat (as well all his family and that they're strong Democrats until today and a strong catholic family). In the 1928 election the catholic candidate Al Smith were a strong populist democrat with very liberal views. The only two catholic candidates to the United States President were strong liberal Democrats. But during the 1970s and 1980s Catholics voted for Nixon in 1972, Reagan in 1980 and 1984 and for Bush, Sir. in the 1988. But they voted for Jimmy Carter (a democrat) in 1976. But since the 1990s the Democratic party returned to be the favorite political party of the Catholics.

      Why are catholic voters so strong Democrat voters? What's your opinion about that?

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. In my point of view, the Catholic church is only conservative on abortion and traditional marriage, but In the other social issues they're leftists (or liberals, call it what you would want): they are pro-gun control, anti-free market, anti-capitalists and anti-Death penalty. I would say that Catholic church is 65% leftist (economically and partially socially) but only 35% conservative (only about a few social issues like abortion and gay marriage).

      The American Catholics are in general, more liberals than Protestants, because historically talking, the Catholic church had strong views against capitalism and liberty, so that's natural that Catholic voters vote for the Democrats, because Democratic platform is 100% economically aligned with Catholic church and 50% on Social issues. But remembering that none catholic is 100% agree with his church, in a research about the American Catholics shown that 50% are pro-choice and 58% supports gay marriage, For example, the California Governor Gavin Newsom is a strong catholic, but a rank liberal (pro-choice, pro-gun control, pro-gay marriage, pro-marijuana and anti-liberty). His party colleague the New York state governor Andrew Cuomo is a catholic too, and both are strong liberal Democrats. The Congresswoman Alexandria Ocasio Cortez is a strong catholic but a socialist Democrat. That's my Point of view, but you should think about it with yourself. Thanks for the talk. Bye

      Excluir
    6. Anonymous,

      You asked great question. I am not really sure why so many Roman Catholics are in support of the democratic party. I just knew that was the state of affairs. And I never really bothered to look for specific percentages of what groups of Catholics believed. So I apologize that I cannot be of further support in that regard.

      Regardless of what an individual Roman Catholic's political ideology may be, all of them need to hear the gospel of our Lord and Savior Jesus Christ. That is what I emphasize most.

      Excluir
    7. Agreed, regardless of political views, or political parties, all people should hear the gospel, the most important is the salvation from the hell. Thank you very much. God bless you.

      Excluir
  48. A impressão que eu tenho é que tentam encaixar o NT no AT(o que os judeus não aceitam).Por exemplo em Ml é dito claramente que Elias (literalmente) seria enviado,aí no NT é dito que Elias na verdade é João Batista(?!),outro exemplo é essa questão de profecias com pré-figuração,tipológicas ou profecias com duplo ou triplo cumprimento(?!)como no caso das de Daniel.O AT nunca aponta para estes tipos de profecias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a interpretação deste artigo está correta, então Elias será literalmente enviado à terra "antes do grande e terrível dia do Senhor", como diz o texto de Malaquias. Isso não anula o fato de João Batista ser um antítipo de Elias, como Mt 11:14 diz. Eu penso que há muito mais profecias literais do AT que se cumprem literalmente no NT do que a maioria dos cristãos acreditam, só que por causa da teologia amilenista e preterista fizeram toda uma espiritualização do AT de modo que praticamente nada se cumpre literalmente no NT, é tudo interpretado simbologicamente. Eu por exemplo entendo literalmente todos os textos que falam da grandeza de Israel para o fim dos tempos (o que esses teólogos aplicam para a Igreja, colocando Israel de fora). Por outro lado, o próprio AT trabalha extensivamente com tipologias e figuras, então o NT fazer isso não deveria causar nenhum espanto.

      Excluir
    2. Mas se vc olhar Lc 1:17,ele tenta fazer um link com Ml 4:5-6,e no caso é de Elias literalmente que o texto está falando.

      Sobre as visões de Daniel,tudo foi cumprido já no AT,como a destruição de Jerusalém,do templo,os impérios,etc.Jogar estas profecias para o NT é forçar a barra(usando a doutrina de duplo ou triplo cumprimento,algo que não existe paralelo no AT).

      Sobre a questão de Enoque e Elias,o texto de Zc 4 fala de Josué e Zorobabel(os 2 ungidos),representando o sacerdócio e a realeza,nada a ver com Enoque e Elias.

      Excluir
    3. Cara, não fala bobagem. Todas as visões de Daniel já se cumpriram no AT? Então os mortos já ressuscitaram para a vida eterna ou para a vergonha eterna (Dt 12:2)? Então o “tempo de angústia tal como nunca houve desde o início das nações e até então” (Dn 12:1) já se cumpriu no AT? Então o “tempo do fim” descrito em Dn 12:9 já aconteceu? Então Daniel já ressuscitou para receber a herança que lhe pertence (Dn 12:13)? Então o “governante que virá” (Dn 7:24-25) DEPOIS do quarto reino já perseguiu os santos e mudou os tempos e as leis na época do AT? E como fica a profecia sobre os impérios? Daniel não termina na Roma pré-cristã, porque ele fala dos pés de barro, que representam os povos bárbaros que tomaram o lugar de Roma, mas isso só aconteceu séculos depois do NT (inclusive é dali que saem os "dez chifres" de Dn 7:24, e DEPOIS deles o anticristo). A destruição de Jerusalém já tinha acontecido na época de Daniel caso você não saiba, então se ele falava de uma destruição futura só pode ser do período neotestamentário em diante. O próprio Senhor Jesus disse que o sacrilégio terrível não tinha acontecido ainda (Mt 24:15). Francamente é tanta barbaridade que dá desgosto ter que responder isso.

      No mais, eu não sei de que raios você tirou que Zc 4 fala de Josué e Zorobabel “representando” a realeza e o sacerdócio (todo este artigo prova o contrário). Nem sequer existia rei em Israel na época de Zacarias, você nem sabe o que está falando. E eu não neguei o link de Lc 1:17 com Ml 4:5-6, eu mesmo citei essa referência em minha resposta, mas o fato de ter tido um cumprimento tipológico ali não anula um cumprimento literal no futuro. Eu não sei se você é judeu, ateu, agnóstico, gnóstico, pós-milenista radical ou o que for, mas se você pensa que pode usar este espaço aqui para fazer proselitismo anticristão está bem enganado. Aqui é um espaço para pessoas cristãs discutirem sobre questões cristãs, não para ataques tolos e pueris ao Novo Testamento.

      Excluir
    4. Desculpe entrar no debate,vou dar minha opiniâo como prof. de história.

      Dn 8:14 fala dos sacrifícios que deixaram de ser oferecidos no templo v11.12-13.Sacrifícios que eram oferecidos de manha e a tarde,portanto sao 2.300 sacrificios ou 1.150 dias.Isso se cumpre no final do imperio grego com Antioco Epifanio.O livro de Macabeus registra este fato.Flavio Josefo fala de Antioco Epifanio profanando o templo durante 3 anos e meio e como cumpridor da profecia de Daniel.O caneiro representava o reino medo-persa,dois chifres e dois reis,o bode a grecia,seu chifre era Alexandre,o reino da Grecia foi dividido em 4,sendo o chifre pequeno Antioco(se fosse Roma pq nao apareceu um terceiro animal com chifre?).

      Excluir
    5. Me desculpe mas eu já deixei bem claro que não discuto com não-cristãos aqui. Este não é um espaço democrático para dizer qualquer coisa que pensa, é um espaço onde cristãos dialogam com outros cristãos sobre temas cristãos dentro de uma perspectiva cristã. É isso. Se você não acredita no Novo Testamento e nem nas palavras de Jesus, fique à vontade para postar esses seus comentários no canal do Fábio Sabino, mas aqui não é o lugar apropriado. Não é porque tudo isso é facilmente refutável que eu vou me sujeitar a esse tipo de discussão infrutífera com alguém que só aceita na Bíblia o que lhe convém.

      Sem falar que se eu fosse responder a cada texto seu ficaria aqui a eternidade só para isso, porque aparentemente você só quer polemizar mesmo, inclusive desvirtua o tema, trouxe à tona a questão das 2.300 tardes e manhãs que em momento nenhum eu disse que não se aplicava a Antíoco, tampouco o NT o aplica ao futuro, você está misturando alhos com bugalhos, não é porque um capítulo de Daniel aconteceu naqueles anos que todos os capítulos de Daniel são para aqueles anos também. Parece que você nem mesmo entendeu quando eu falei do quarto animal/quarto reino, que não tem nada a ver com esse capítulo de Daniel 8 mas sim com Daniel 2 (você está misturando profecias diferentes como se falassem da mesma coisa). Se você quer realmente aprender sobre isso, em vez de insistir numa discussão infrutífera da qual eu não tenho o menor interesse, leia este artigo onde Apocalipse e Daniel são perfeitamente conectados:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/09/seria-uniao-europeia-o-novo-imperio.html

      Repito: NÃO VOU publicar nem responder qualquer comentário em forma de debate, pois não estou aqui para isso, não deveria nem ter liberado esse seu último comentário. Este é um espaço para tirar dúvidas sinceras de pessoas sinceras, não para discutir com ateus e não-cristãos que interpretam a Bíblia sob as lentes da escola liberal. Me desculpe se isso soa um pouco rude.

      Agradeço a compreensão.

      Excluir
    6. Oi,eu sou responsável apenas pelo último comentário.Li seu artigo,interessante,de qualquer forma eu separo os medos dos persas tanto em Dn 2 como 7.Não vejo espaço para o império romano do ponto de vista histórico,mas de qualquer forma os teólogos falam de profecias cíclicas ou seja que se repetem,como o Darrel Bock.

      Excluir
    7. Eu não vejo sentido em separar medos e persas, eles constituíam um mesmo império de amplitudes "mundiais" na época, tanto é que sempre quando a Bíblia ou a historiografia se refere a essa fase eles falam do "Império Medo-Persa", e não de um império medo ou um império persa em separado. A visão de Daniel não foi de impérios aleatórios, mas de impérios que SE SUCEDIAM NO RODÍZIO DO PODER, ou seja, um império que alcançava um âmbito "global" para os padrões da época e que depois era derrotado por um outro império que assumia essa predominância em seu lugar. Por isso o Império Medo-Persa tem que ser um só na profecia, porque eles conquistaram o império anterior (Babilônia) juntos e caíram para o império seguinte (Grécia) juntos também, o império era um só. Isso é histórico e também bíblico, por isso virtualmente todos os teólogos concordam que o quarto reino é Roma (que aliás cumpre a descrição de Daniel de forma muito mais exata e precisa do que qualquer outro, até nos detalhes). Mas como eu disse, não vou estender a discussão aqui, só te respondi porque você disse que não é o mesmo sujeito dos outros comentários (embora ambos sejam anônimos e escrevam do mesmo jeito...).

      Excluir
    8. Entendi,interessante.Bom eu vejo que os textos citados,assim como as setenta semanas de Daniel e Dn 12 apontam para Antíoco Epifânio e Daniel tendo a promessa da ressurreição futura.

      O que vc acha da teologia dos 3 ciclos?Eu acho interessante.O Império Romano abre o segundo ciclo representando a Babilônia,o templo é novamente destruído,etc,e no terceiro e último ciclo o templo é novamente reconstruído e um novo império representando a Babilônia se levanta?.

      Excluir
    9. “O que vc acha da teologia dos 3 ciclos?Eu acho interessante.O Império Romano abre o segundo ciclo representando a Babilônia,o templo é novamente destruído,etc,e no terceiro e último ciclo o templo é novamente reconstruído e um novo império representando a Babilônia se levanta?”

      Também acho interessante, faz todo o sentido mesmo.

      Excluir
  49. O que acha do governo cortar parte do dinheiro investido nas Universidades pra investir mais no ensino básico? Me parece uma decisão lógica, esse assunto esteve em alta na última semana por aqui.

    E pode me explicar isso?

    https://exame.abril.com.br/brasil/mec-contraria-discurso-e-tira-verba-da-educacao-basica-alem-de-faculdades/amp/

    O governo está de fato se contradizendo? Não estão cumprindo com o que falaram que iriam fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em qualquer país sério há mais investimento na educação básica do que no ensino superior, só aqui que a pirâmide é invertida, então essa medida seria bastante útil e bem-vinda. Agora, se eles na prática estão fazendo o contrário do que disseram que iriam fazer, aí é lastimável, embora compreensível em se tratando de um ministro olavete indicado pelo mesmo, já deveríamos esperar uma enxurrada de contradições, assim como foi com o último, que não durou nem três meses no cargo (e que também havia sido indicado pelo Olavo).

      Excluir
  50. Perguntei sobre essa diferença de exegese para hermenêutica porque acho que há um padrão de interpretação nas heresias que foram aparecendo ao longo da história. Uma coisa é vc estudar livro por livro da Bíblia, entendendo o autor, contexto, momento histórico... outra é juntar um monte de versículos para sustentar uma ideia qualquer, até porque os versículos sairão do contexto, do momento histórico e estarão descolados da autoria (no sentido humano, sabemos que são inspiradas por Deus). Prova disso é a teologia da prosperidade, teologia do autoridade delegada, teologia da substituição... essas coisas. Há ainda um agravante, pois a pessoa que escreve a nova doutrina, por mais bem intencionada que esteja, vai acabar colocando um DNA estranho no trabalho, uma coisa é escrever um devocional ou um estudo, outra é escrever uma doutrina nova... prova disso é a Ellen White e o Watchman Nee, com aquele monte de livros que escreveram que alias andaram citando aí nos estudos anteriores umas coisas bem tristes que esse tipo de procedimento é capaz de fazer e minha pergunta foca nesse tipo de problema que as doutrinas criam, porque elas são uma manifestação prévia do que o Anti Cristo fará, que é enganar, pregar um outro Jesus, um outro evangelho... e vai enganar a muitos. A maioria das pessoas acha que vai ser esperta o suficiente para não cair nesse engano, mas penso que o engano já está entre nós desde sempre, muita gente caiu no Gnosticismo no início do Cristianismo, muita gente mesmo cai na doutrina da ICAR, muita gente cai na doutrina do Keneth Hagin, Watchman Nee, Witness Lee, essas coisas. O verdadeiro evangelho puro e simples é esse: só Jesus salva... no máximo devemos estudar a palavra como disse no início, livro por livro, ou então estudá-la para tentar compreender o mundo em que vivemos, mas não criar uma ideia nova completamente alienígena... o que acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, por isso que Paulo disse que "o mistério da iniquidade JÁ ESTÁ EM AÇÃO" (2Ts 2:7), esse tipo de coisa sempre foi uma constante na história, por isso a característica principal de quase todas as heresias que existem consiste em criar uma doutrina totalmente à parte da Bíblia e sem conexão com a mesma, e depois tentar "fundamentá-la" de alguma maneira, seja descobrindo textos isolados e pincelados, seja atribuindo a ideia a uma suposta "tradição" ou coisa do tipo.

      Excluir
  51. Comente:

    https://youtu.be/IenqprNvayI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Macri pegou um Estado quebrado das mãos da Cristina, o último ano dela foi de queda de 2,5% do pib, de lá pra cá a Argentina tem tido média de pib zero. Ou seja, ele nem de longe resolveu os problemas do país, mas não foi ele que deixou a Argentina nessas condições, na pior das hipóteses ele não conseguiu resolver um problema que já existia. Além disso, ele não cumpriu boa parte de suas promessas de liberalizar a economia, e outras foram barrados pelo congresso.

      Excluir
    2. Pois é, se os argentinos também tivessem elegido um Congresso de direita, muito provavelmente a Argentina estaria tendo uma boa melhora econômica, não adianta nada ter um presidente de direita quando a maior parte dos deputados e senadores são esquerdistas.

      Excluir
    3. Um presidente de direita nas mãos de um Congresso esquerdista é como o Ayrton Senna dirigindo um fusca. Pode até ser bem dirigido, mas não vai chegar muito longe.

      Excluir
  52. Eu estava lendo esse artigo (http://www.cacp.org.br/o-localismo-o-localismo-de-witness-lee-e-o-donguismo/) e me deparei com isso:
    "Um determinado grupo se apresenta como se fora o dono do terreno da igreja e, a partir deste ponto, quem desejar “participar do testemunho da igreja” precisa ir até este grupo e “submeter-se” a sua liderança.
    É bem possível que o conceito de submissão inerente à cultura chinesa, budista e confucionista, tenha levado os seguidores do localismo a aderirem ao máximo o respeito à autoridade ou da liderança no contexto da base da igreja local.
    O livro “Autoridade e Submissão”, atribuído a WN, constituiu-se na maior arma para produzir um refém dos líderes eclesiásticos entre os que derem crédito à lógica da teologia da igreja local."
    O que é donguismo que li e ainda não entendi?

    ResponderExcluir
  53. https://www.youtube.com/watch?v=nddy1Jfc58Y sobre esse asteróide passar perto da terra e poder ser visto a olho nu claramente, será profético?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posso estar enganado, mas não me lembro de uma profecia especificamente sobre isso.

      Excluir
    2. As vezes estas coisas não tem nada haver, pois Jesus disse que haveria terremotos, guerras, "grandes sinais no céu" (talvez aviões, bombas nucleares ou meteoros) e que não era para ninguém se assustar com isso pois não seria o fim ainda, basicamente o que Ele diz e que todas estas coisas que sempre ocorreram (como desastres naturais e guerras) continuarão ocorrendo até o Juízo Final e que nem tudo isso é sinal do apocalipse, pois o fim dos tempos viria através de coisas especificas. A unica coisa que o Apophis pode estar relacionado é ao meteoro Absinto, que a biblia chama de uma estrela que caiu (e em todos os tempos, um meteoro sempre foi visto como uma estrela caindo, por isso o escritor diz assim) nas águas e as contaminou, mas isso é durante os sete anos de grande tribulação então a menos que o apocalipse começa daqui uns anos para este apophis cair exatamente na profecia, o apophis não tem nada haver.

      Excluir
  54. Lendo os comentários obersevei que novamente veio a tona a questão sobre os irmãos de Jesus. E me pergunto pq razão os autores dos 4 evangelhos nos relatam que Pedro era irmão de André e por meio dos seus relatos , entendemos que realmente eram irmãos , sem falar no caso de Tiago e Joao (Os filhos de Zebedeu) E o caso do Ap.Paulo que tinha uma irmã e um sobrinho (ATOS DOS APÓSTOLOS) Afirmam sem deixar dúvidas quem eram imãos,mas quando chega a vez dos irmãos de Jesus, em que eles usam o mesmo grau de parentesco , chamando TIAGO, JOSÉ,SIMÃO E JUDAS, de seus irmãos ,e mencionando também suas irmãs(As de Jesus) Pq teriamos que entender que eram seus primos?? Se foi usado o mesmo grau de parentesco?Aqui nem entra em questão a tradução,aquela velha estória de grego,hebraico e etc.Pois o que temos é a tradução em português ,dai então entendemos que os autores dos 4 evangelhos nos afirmam que Pedro e Andre eram irmãos e nós entendemos que sim , por causa de seus relatos , mas quando o assunto é relativo aos irmãos de Jesus , eles se equivocam e usam a palavra irmãos como sendo primos??Muito confuso isto!!Ou os irmaos Pedro e André tambem eram primos!! Ou os irmãos de Jesus eram de fato seus irmaos , uma vez que entendemos que Pedro e André eram de fato irmãos.






    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se os irmãos de Jesus não são irmãos de Jesus, no mínimo os autores dos quatro evangelhos eram todos esquizofrênicos e faziam todo o esforço possível em confundir os leitores, fazendo-os pensar que eram irmãos mesmo e não tendo uma mínima preocupação em passar uma impressão contrária.

      Excluir
  55. Amigo do Banzolão6 de maio de 2019 11:27

    Banzolão, e a entrevista do Lulão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me esqueci de ver (convenhamos que assistir um sapo barbudo e cachaceiro não é coisa fácil), mas ainda verei hoje e aí comento :)

      Excluir
  56. Hi Lucas,

    You might appreciate this article:

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2019/05/1-timothy-25-one-mediator-between-god.html

    I gave one of your articles a spotlight. Tell me what you think of it.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Catholics often respond to 1 Timothy 2:5 saying that the text refers to Jesus being the only mediator only in relation to being the only savior, not about being the only intercessor. However, the context of 1 Timothy 2:5 speaks of intercession, which is how the chapter begins and the theme surrounding the first three verses, ie the immediate context. Jesus is the only mediator not only to be the only savior (which is also disputed in Catholic sources of authority such as the "Glories of Mary", of the saint and doctor of the Church Afonso de Liguori, and the Catholic catechism itself says that Mary possesses a "savior office"), but also because he is our only intercessor in heaven, the only one who mediates prayers to God, who connects us to Him. In addition, all the sepulchral silence of Genesis to the Apocalypse about anything related to prayer of living for the dead or the dead by the living should be enough to completely repel this false doctrine.

      Excluir
  57. Um novo episódio ótimo do programa do Rodrigo Silva saiu nesses últimos dias, o tema aborda um dos questionamentos feitos pelos céticos a respeito da veracidade dos fatos bíblicos, eles alegam que as histórias bíblicas foram inventadas durante o Cativeiro na Babilônia e se inspiraram nos mitos da cidade, e como resposta o Rodrigo apresenta uma relação entre o relato do Genesis com o relato da criação egípcio, não com o babilônico. Recomendo assistir Lucas, quando você tiver um tempo livre dê uma olhada.
    https://m.youtube.com/watch?v=mnlHsjwxaJU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fenomenal. É incrível a lucidez do Dr. Rodrigo Silva, quero ser igual ele quando crescer ;p

      Excluir
  58. Veja esse documentário, Lucas(e todos): https://youtu.be/1Dbm6URc668

    Nota: eu tenho a impressão que já coloquei esse vídeo aqui... Mas não to lembrando nem achando ele aqui.

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho como assistir um vídeo tão longo, mas vou adicionar aqui para ver no futuro, quem sabe.

      Excluir
  59. Comentários:

    1° A Maria dos católicos é uma importação do eterno feminino do gnosticismo para o cristianismo?

    2° O City ganhou hoje do Leicester, pelo jeito o Liverpool irá ficar mais uma temporada sem ganhar nada.
    Falando sobre futebol comente SE quiser o que acha do seguinte artigo: "http://www.dicta.com.br/demencia-futebolistica/". Eu acho que faz sentido a linha raciocínio do autor desse artigo, se o time de futebol que eu torço no Brasil, o Liverpool na Europa que eu gosto por causa da história ou a seleção brasileira (que eu nem torço mais) ganharem ou perderem um jogo ou uma competição não faz diferença nenhuma na minha vida, então não tenho motivo nenhum para ficar feliz e comemorar ou ficar triste por causa da vitória ou derrota do time. Não faz sentido dizer "Fomos campeões", sendo que quem foi campeão foram os jogadores, isso é a quase a mesma coisa que eu ser fã de uma montadora de automóveis e sair por aí comemorando o sucesso de vendas da montadora e dizer "Fomos bem sucedidos nas vendas, somos os campeões em vendas de automóveis no mundo", sendo que só faz sentido o CEO e talvez os funcionários da empresa dizerem que foram bem sucedidos e campeões em vendas. Eu ainda gosto de futebol, mas porque gosto do esporte em si. Mas tenho me esforçado para não ficar triste se o meu time não ganha nenhum título importante(o que acontece há muitos anos), porque é apenas um esporte e eu creio que Deus não se agrada de me ver ficando triste por causa de coisas fúteis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sei se a "Maria" do catolicismo romano sofreu influências do "eterno feminino" do gnosticismo, pra mim ela é muito mais uma influência da Ísis do paganismo greco-romano (que já era adorada desde os tempos do Egito, e apenas mudava de nome e forma de acordo com a conveniência, mas nunca deixou de ser adorada). Ou seja, quando a imensa massa de pagãos foi obrigada a se converter à força pela imposição do Cristianismo como a única religião do império, essas mesmas pessoas que tinham por tradição, hábito e cultura adorar Ísis transportaram suas crenças e práticas para Maria, que na visão deles era quem mais se assemelhava a Ísis e que portanto poderia ocupar este lugar. Por isso foram sendo criados "padroeiros" de cada cidade ou com cada atribuição, da mesma forma que já existia no paganismo romano. Ou seja, eles não deixaram de adorar seus ídolos, apenas mudaram os nomes e continuaram com suas antigas práticas, da mesma forma que os africanos fizeram com os santos do catolicismo ao virem ao Brasil como escravos (misturando a religião deles com a católica, e resultando na umbanda).

      Sobre o futebol, se for pensar por uma ótica racionalista, não faz sentido mesmo, como também não faz sentido muita coisa na vida. Mas nós, seres humanos, não somos 100% razão, também somos 50% emoção (talvez mais ou talvez menos do que isso, dependendo de cada um), e essa parte chamada “emoção” é completamente irracional, ela não leva em conta o que parece lógico e o que não parece, por isso nós não escolhemos quem nós gostamos, nós simplesmente gostamos por emoção ainda que essa “escolha” não seja nem um pouco lógica pela razão (ou ainda que a razão não queira gostar mais), a mesma coisa acontece com o futebol e outras áreas na vida, não é racional, mas atinge o nosso outro lado, o das emoções, por isso não precisa ser racional, nem tudo na vida é racional, se formos racionalizar tudo na vida ficaríamos loucos. Por isso, se o SPFC marca um gol, eu não fico filosofando se faz sentido comemorar o gol ou não, eu simplesmente comemoro. Só quem acha que deve ser puramente racional em tudo na vida é que se preocuparia com isso, mas eu nem me preocupo porque sei que também somos emoção e isso conta muito.

      Excluir
  60. What do you think of this blog?:

    http://thessalonians516.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. I did not know this site, but it seems to me a good site.

      Excluir
  61. https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/05/06/bolsonaro-diz-que-nao-ha-divisao-entre-militares-e-olavistas-no-governo-tudo-e-um-time-so.ghtml eu duvido disso Banzolão,pq o Astrolavo vive xingando os militares do governo,começou com o Mourão,depois o Villas Boas,e essa semana tá xingando o Santos Cruz e os militares tbm xingam de volta,o Santos Cruz falou que ele é um esquizofrênico,na sua opinião o Bolsonaro consegue resolver essa treta?Eu tenho medo disso prejudicar o governo e consequentemente o país,desejo que o governo faça as reformas necessárias para o país poder voltar a crescer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Bolsonaro é um cego perdido em meio a um tiroteio. O tiroteio é entre o Olavo que adora criar barraco e treta com todo mundo, e os militares, que são os alvos dele dessa vez. O Bolsonaro não pode assumir nenhum lado publicamente porque como militar ele sabe que precisa do apoio do exército, mas também pensa que foi o Olavo que o colocou na presidência e por isso se ficasse contra ele perderia o apoio popular do qual também necessita. Ou seja, ele fica no meio desse fogo-cruzado sem poder aderir a nenhum dos dois lados, numa situação de completa impotência, por isso disse que é um cego perdido no meio de um tiroteio. Nada disso aconteceria se ele não se submetesse a esse ridículo e vexatório papel de capacho de um guru astrólogo da Virígina, mas ele quis isso, então agora toma.

      Excluir
    2. E por que então ele aderiu a esse papel de capacho do guru astrólogo da Virgínia?Eu tinha dito ainda durante a eleição,que o Bolsonaro poderia ter recusado o apoio do Astrolavo,já que na prática,esse apoio em nada acrescentaria,já que ele é desconhecido da maior parte da população,não chega a ter nem um milhão de seguidores no Facebook,tampouco tem essa quantia no Youtube e o Brasil possui 200 milhões de habitantes

      Excluir
    3. Por mais que o Olavo não seja muito conhecido ou respeitado, ele tem seguidores fieis que repetem tudo o que ele diz e defendem incondicionalmente tudo o que ele defende, e alguns desses papagaios de pirata são bem relevantes, principalmente o Nando Moura (com mais de 3 milhões de seguidores). Se o Bolsonaro recusa o apoio do Olavo ou faz qualquer coisa que o desagrade, o Olavo passaria a atacá-lo igual faz hoje com os militares, e no dia seguindo o Nando e todos os outros membros da seita (Bernardo, Terça Livre, Diego Rox, Flavio Morgenstern, e a lista vai longe) passariam a disparar vídeos atrás de vídeos contra ele, fazendo a cabeça de milhões de pessoas, que por sua vez também vão influenciar outras milhões... por isso ele não achou um bom negócio entrar nessa guerra. Ele ficaria praticamente isolado e sem ninguém que o defenda nas redes sociais (a plataforma que o tornou quem ele é), já que os liberais do MBL tem muitas reservas, então o que ainda sobra de “militância incondicional e cega” em seu favor são justamente os olavetes, em quem ele se apoia, mas os olavetes são incondicionais e cegos somente em relação a quem o Olavo defende, se o Olavo deixar de apoiar e começar a detonar eles vão lá detonar também; o bom escravo obedece ao seu senhor em tudo. Se o Bolsonaro não tivesse se apoiado nos olavetes ele não teria rabo preso com eles agora, mas talvez também não teria ganho as eleições, então na cabeça dele ele achou melhor ganhar e governar desse jeito aí do que não ganhar.

      Excluir
  62. Lucas realmente precisa debater com Jesse sobre a imortalidade da alma. Seria uma troca de pensamento interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente trocou alguns e-mails sobre isso, ele queria entender melhor minha posição, mas ele não quer debate (e eu também não tenho interesse nisso, meu tempo é limitado e debates costumam consumir muito tempo).

      Excluir
  63. Tenho 3 teorias para esse caso(nota: "o Menino do Acre", já voltou para casa): 1-Ele é um picareta.
    2-Ele foi usado pelo Coisa Ruim para confundir a cabeça das pessoas(e a do próprio cara).
    3-As duas teorias citadas acima.

    https://www.youtube.com/watch?v=ekiq58UaP5M

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi tudo uma jogada de marketing pra vender um livro, não ficou sabendo? E o pior é que funcionou, porque estamos no Brasil.

      Excluir
  64. http://www.libertar.in/p/diariamente-tenho-experiencias-com-deus.html?m=1 sobre essa idéia de duas casas de Israel, vc já ouviu falar disso? É bíblico mesmo ou é mais uma viagem interpretativa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca entendi o que eles querem dizer com isso. Cada um conta uma coisa diferente do outro, tem até aqueles que dizem que só os descendentes de israelitas das “duas casas” são predestinados à salvação (ou seja, a salvação se define biologicamente, se o seu sangue não foi hebreu já era), e outros que dizem que todo mundo do planeta é descendente de alguma das doze tribos, eu já ouvi tudo isso, assim como já ouvi discursos mais sensatos, mas nada que nos mostre algo que não sabemos.

      Excluir
  65. Avalie:

    https://oglobo.globo.com/sociedade/academicos-de-universidades-em-todo-mundo-assinam-manifesto-contra-cortes-de-verbas-para-ciencias-humanas-no-brasil-23645889

    Aproveitando a oportunidade, o que você acha de Paulo Freire?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Freire trabalhava com a mesma tese de Marx (a da "luta de classes"), ou seja, de "oprimidos contra opressores", só que para Freire a opressão não era somente de "burgueses contra o proletariado", mas até da família, da igreja e de qualquer coisa que os marxistas entendem como um “obstáculo natural” para a implementação do marxismo cultural, ou seja, que servisse para manter um ensino tradicional no núcleo familiar e no círculo social no qual as teses marxistas fossem deixadas de lado.

      Ele abominava o capitalismo e não escondia isso em seus livros. Para ele a educação deve estar a serviço da revolução (o próprio Che Guevara, um assassino, era retratado por ele como "o exemplo maior do amor"), então não bastava simplesmente alfabetizar os alunos ou ensinar as matérias, tinha que politizá-los, ou seja, fazer toda a doutrinação que vemos hoje nas escolas (o que para ele era "estimular o senso crítico", mas que na prática consistia em criticar apenas a direita e tudo aquilo que envolve os valores cristãos e conservadores, tente “usar o pensamento crítico” para criticar a esquerda pra você ver o que é bom pra tosse).

      Até mesmo o ato do professor dar uma nota aos alunos ele considerava uma forma de "opressão", por isso quando foi secretário da educação de São Paulo (na gestão da prefeita petista Luiza Erundina) ele implantou a maravilhosa progressão automática (na qual os alunos são aprovados automaticamente independente de nota), criando um verdadeiro exército de alunos preguiçosos e burros, que muito contribuíram para o estado decadente e deplorável da educação atual (se tantos alunos já fazem pouco caso de estudar mesmo sob o risco de reprovação, imagine sem esse risco). São Paulo tinha de longe a melhor educação do país antes disso, e hoje não chega nem perto, caiu numa decadência total. Em suma, Freire queria transformar professores em doutrinadores e estudantes em militantes, e conseguiu. O que vemos nas escolas hoje é um reflexo disso, a cada ano que passa os nossos índices educacionais caem cada vez mais em relação aos outros países (os que não adotaram o “método Paulo Freire”).

      Sobre o corte de verbas do Bolsonaro, embora eu não esteja aqui para defender o governo (ando muito mais criticando do que elogiando, ultimamente), a pirâmide de investimento em educação no Brasil está invertida, em qualquer país respeitável há mais investimento no ensino básico no que no superior, mas aqui é o contrário. O Brasil investe mais dinheiro público no ensino superior do que os EUA e a Europa, e mesmo assim o nosso ensino é bem defasado em relação ao deles (e consegue ser defasado até mesmo em comparação aos nossos vizinhos), então o problema claramente não é a falta de investimento, se fosse assim teríamos as melhores universidades do mundo. O que deve ser feito é “desinverter” a pirâmide, ou seja, tirar parte do que se investe no ensino superior e colocar no ensino básico, inclusive foi isso o que ele prometeu em campanha e as pessoas votaram nele sabendo disso (ou pelo menos deveriam saber). Mas se ele vai realmente cumprir a promessa na parte de investir mais no ensino básico, aí é outra história.

      Excluir
  66. Ricardo Peters Vale7 de maio de 2019 11:12

    Lucas, paz do Senhor.
    Sobre outro assunto - especificamente movimentos missionários do sec XIX - onde eu poderia achar material para estudar esta epoca e movimento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, respondi acima:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/05/quem-sao-as-duas-testemunhas-do.html?showComment=1557244206333#c1117450153273428406

      Abs.

      Excluir
  67. Banzoli o que vc acha da reforma da previdencia? Ela prejudica os pobres? Dizem que os pobres vão demorar 40 anos pra chegar à 100%?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os pobres vão ficar prejudicados é se a reforma não passar. Se a reforma não passa o país quebra, a inflação dispara e o Brasil caminha na direção da Venezuela. Aí sim nem os pobres, nem os ricos e nem os de classe média vão se aposentar, porque vai todo mundo morrer de fome bem antes disso.

      Excluir
  68. O artigo chegou aos 200 comments e por isso a caixa de comentários daqui será fechada. Quem quiser postar um novo comentário ou responder a algum daqui, fique à vontade para fazer no artigo mais recente 👍

    ResponderExcluir