7 de maio de 2019

200 Entenda por que o socialismo não funciona


*Nota: O artigo a seguir é extraído do segundo volume do meu livro sobre a Reforma (ainda em construção), e é basicamente uma ampliação ao conteúdo publicado neste artigo mais antigo, do ano passado. Portanto, se você já leu esse artigo anterior, está praticamente dispensado de ler este (a não ser que se interesse pelo maior aprofundamento do tema, ou que já tenha se esquecido de tudo). Sem mais delongas, boa leitura!

***

Quando falamos em capitalismo moderno, precisamos regressar à Revolução Industrial. Partindo da Inglaterra para conquistar o mundo, até Marx reconhecia que a Revolução Industrial gerou mais riqueza no mundo do que nunca antes – fato este muitas vezes ofuscado e até mesmo negado por marxistas revisionistas modernos.

Mas à margem desse extraordinário progresso, nas primeiras indústrias era comum ver operários trabalhando 14, 15 e até 16 horas por dia, incluindo mulheres e crianças, praticamente sem folga, férias e os direitos trabalhistas que temos hoje. Essa situação gerou um clima de revolta, que abriu espaço para diversos teóricos que tentaram “solucionar” o problema. É aí que entra Karl Marx (1818-1883). Para ele, os culpados pela exploração do trabalhador eram os donos das empresas, ou seja, os empresários (ou patrões). A solução, por sua vez, seria estatizar tudo, isto é, o Estado tomar para si (ou em linguagem mais clara: roubar) aquilo que é de propriedade privada, e então distribuir aos operários de forma “justa” e “igualitária”.

Mas não pense que Marx queria estatizar apenas as indústrias: seu objetivo era estatizar literalmente tudo, acabando com a propriedade privada em si. A sua casa não seria mais “sua”, mas do Estado, que por concessão poderia deixá-lo morando aí, mas que a qualquer momento poderia expulsá-lo ou dividir o patrimônio com outras pessoas arbitrariamente. Em outras palavras, o Estado passa a ser totalitário, ou seja, a concentrar todo o poder em suas mãos, para agir da forma que bem entender. E em um sistema totalitarismo os indivíduos são, por definição, “escravos” dessa entidade chamada Estado.

Mas o Estado não era um monstro, pelo menos não na concepção dos teóricos marxistas. Em tese, o Estado seria uma instituição benevolente que misericordiosamente distribuiria as riquezas de forma imparcial, para não haver injustiças ou desigualdades na sociedade. É um discurso que parece bonito, razão pela qual consegue cativar a mente dos mais jovens com sua simplicidade e superficialidade, como se os problemas do mundo fossem resolvidos artificialmente, em um passe de mágica, bastando dar ao Estado todo o poder.

Então, o socialismo consistiria em inchar o Estado e torná-lo gigante, para então agir como quiser (supostamente em defesa dos mais pobres). E o comunismo? O comunismo seria a fase seguinte do “plano”, que seria a eliminação do próprio Estado, quando ele já não seria mais necessário. A forma como isso aconteceria nunca foi bem explicada e jamais ocorreu em lugar nenhum (nem nos países onde os comunistas tomaram o poder), porque é de fato uma utopia, que os próprios socialistas jamais tiveram a intenção real de levar adiante e que tampouco faria sentido, considerando que quanto maior é o Estado, mais difícil é levá-lo ao fim. É como se a solução para se matar um monstro fosse o alimentando e o tornando cada vez maior e mais forte.

Mas, afinal, qual é o problema do socialismo? Em primeiro lugar, Marx identificou os problemas errados. A razão pela qual a primeira fase do capitalismo industrial gerou a exploração da classe trabalhadora não era por conta da propriedade privada, mas por causa dos monopólios. Em outras palavras, como a concorrência na época era baixíssima, os patrões não tinham quase motivação nenhuma para melhorar as coisas, uma vez que sairiam ganhando em qualquer cenário. Façamos uma comparação simples: quando você viaja longas distâncias de carro ou de ônibus, em algum momento do percurso há aqueles locais que são ao mesmo tempo um restaurante e um supermercado, longe de tudo e de todos, sem qualquer concorrência naquela região. Você viaja algumas horas, faz uma parada ali para comer ou comprar alguma coisa, então volta pro carro e segue viagem.

Se você já fez isso alguma vez, deve ter notado que os preços ali são exorbitantemente altos, se comparados aos preços da cidade. Dificilmente você conseguirá comprar alguma coisa ali que não seja o dobro do preço em relação ao centro da cidade. Se o problema fosse a propriedade privada em si, os preços seriam altos em todo lugar. Mas são altos ali, e mais baixos na cidade. O que explica isso é a concorrência, que existe na cidade grande, mas não em locais isolados. Sem concorrência, um patrão pode colocar o preço que quiser, que as pessoas serão “obrigadas” a comprar, se não quiserem fazer uma boa dieta (coisa que os comunistas entendem bem).

Para qualquer pessoa inteligente, a solução seria criar mais concorrência, ou seja, estimular mais investimentos em todo lugar, o que forçaria os empresários a abaixar o preço para não perder para a concorrência. Mas o que os socialistas querem é exatamente o oposto: o monopólio do Estado. Eles simplesmente trocam um monopólio privado por um monopólio estatal, o que explica por que são tão miseráveis. Em uma sociedade capitalista com estímulo ao investimento, até mesmo a busca pelo lucro é algo que favorece o consumidor, porque para lucrar será necessário preços menores e produtos melhores, a fim de vencer a concorrência. É por isso que todos os países ricos com desenvolvimento tecnológico floresceram em um ambiente essencialmente capitalista.

Imagine, por exemplo, que você seja um empresário malvadão que odeia os pobres e só ambiciona uma coisa: o lucro. Tudo o que você quer na vida é ficar rico, rico e mais rico. O que você faz, então? Um socialista de DCE responderia a essa questão dizendo que exploraria os trabalhadores, produziria os produtos mais porcos possíveis e os venderia por preços astronômicos. Você decide seguir a ideia, mas logo percebe que ninguém quer trabalhar na sua empresa, porque na concorrência eles são mais bem tratados, recebendo melhores salários. Você dá o braço a torcer neste ponto, mas continua um fracasso, porque ninguém quer comprar os seus produtos “do Paraguai”, já que os da concorrência são bem melhores. Então você decide oferecer produtos bons, mas sua empresa vai à falência, porque por preços tão altos ninguém quer comprar nada, já que na concorrência encontra a mesma coisa por menor preço.

Você finalmente percebe que a única forma de lucrar em um ambiente de livre comércio é oferecendo bons salários, produzindo bons produtos e os vendendo a preço de mercado. Ironicamente, é justamente a sua ânsia pelo lucro que o obriga a fazer o que é melhor para as pessoas, gerando emprego, oportunidade e serviço aos mais pobres, mesmo que você não goste nada deles. Com o monopólio do Estado é justamente o oposto: uma vez que o Estado controla tudo e não tem concorrência, ninguém é motivado a melhorar o serviço ou mesmo a trabalhar. Afinal, ter uma empresa que na verdade não é sua, mas propriedade do Estado que a confia a você como um mero administrador, é algo que não exige e nem requer qualquer esforço ou dedicação para se superar e derrotar a concorrência.

É por isso que escolas privadas são tão melhores que escolas públicas, hospitais privados são tão melhores que o SUS, transporte privado é tão melhor que transporte público, e assim por diante (e não diga que é porque um é pago e o outro é de graça, porque esse “de graça” é pago com o dinheiro dos impostos de todos nós, e não é pouco). Da mesma forma, os trabalhadores de uma empresa estatal não têm qualquer motivação ou ambição, pois já sabem que receberão o mesmo salário do governo independente do cargo, função ou serviço que preste em qualquer lugar. Não há nenhuma recompensa por ser o melhor naquilo que faz, não há qualquer vantagem pessoal em se preparar e estudar, ou em criar uma nova tecnologia que revolucione o mundo. Tudo funciona na base do “mínimo esforço”, já que um preguiçoso qualquer recebe o mesmo que o melhor médico do país.

O que a esquerda não entende é que os “burgueses” precisam que os pobres ganhem dinheiro para poder comprar os produtos, bens e serviços que eles oferecem. A máxima de que “a elite detesta que pobre pegue avião” é uma bobagem grosseira de um discurso tacanha e ultrapassado de luta de classes. Se você fosse dono de uma linha aérea, o que desejaria? Que sua empresa fosse à falência (ou que tivesse uma margem pequena de lucro) porque só os mais ricos podem comprar passagens na sua companhia, ou que o maior número de pobres tivesse condições de pegar avião e assim aumentasse a sua margem de lucro? A resposta a isso é óbvia, como é óbvia a ignorância de quem insiste em um discurso divisivo de ódio “anti-burguês”.

Com o capitalismo, os empresários são obrigados a fazerem mais e melhor para competirem bem no mercado, o que jamais existiu antes disso, razão pela qual os bens e serviços de antigamente eram tão ruins e escassos. É bastante irônico e perturbador que os anticapitalistas façam sua militância de extrema-esquerda no facebook, no youtube, no twitter e em outras plataformas criadas por empresas capitalistas em países capitalistas, sem os quais provavelmente a própria internet (criada pelo Departamento de Defesa americano) jamais existiria. Eles desfrutam dos bens que o capitalismo e apenas o capitalismo oferece, enquanto atacam o próprio capitalismo.

Não existe uma “rede estatal de internet” ou serviços públicos que sejam minimamente competitivos, porque a criatividade, a genialidade e o esforço pessoal são características do sistema capitalista, que prioriza as liberdades individuais no mercado e fornece as bases do investimento necessário para tornar esses projetos realidade. Não é que nos países socialistas não existam mentes brilhantes, mas essas mentes são sufocadas por um sistema que impede qualquer possibilidade de emancipação, seja com suas inumeráveis obstruções burocráticas, seja retirando qualquer recompensa.

Um “Steve Jobs cubano” receberia o mesmo que um atendente de fast-food, o que talvez explique por que não existe qualquer avanço tecnológico em países socialistas: a motivação é simplesmente nula, de modo que os próprios “socialistas de iPhone” precisam desfrutar dos benefícios trazidos pelo “capitalismo opressor”. Não há assim qualquer incentivo a ser o melhor, a estar entre os melhores, a se especializar no que faz para “vencer na vida”. Não há perspectivas de crescimento na carreira, mas apenas um estímulo negativo gerado por um governo que elimina todas as recompensas em nome do socialismo.

Há uma ilustração que exemplifica isso com uma exatidão monumental:

Um professor de economia na universidade Texas Tech disse que ele nunca reprovou um só aluno antes, mas tinha, uma vez, reprovado uma classe inteira.

Esta classe em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e “justo”.

O professor então disse: "Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas". Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe, e portanto seriam “justas”. Isso quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém seria reprovado. Isso também quis dizer, claro, que ninguém receberia um "A"...

Depois que a média das primeiras provas foram tiradas, todos receberam "B". Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado.

Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos – eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas. Portanto, agindo contra suas tendências, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos. Como um resultado, a segunda média das provas foi "D". Ninguém gostou.

Depois da terceira prova, a média geral foi um "F". As notas não voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por “justiça” dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunos repetiram o ano... para sua total surpresa.

O professor explicou que o experimento socialista tinha falhado porque ele foi baseado no menor esforço possível da parte de seus participantes.

Preguiça e mágoas foi seu resultado. Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual o experimento tinha começado. "Quando a recompensa é grande", ele disse, "o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros sem seu consentimento para dar a outros que não batalharam por elas, então o fracasso é inevitável”.

Algo parecido com isso ocorreu quando o sistema de aprovação automática foi implementado em São Paulo por recomendação de Paulo Freire, então secretário da educação municipal (na gestão da prefeita petista Luiza Erundina). Alunos que já costumavam estudar apenas o “necessário” passaram a não fazer nem isso, já que ao final das disciplinas eles eram aprovados independentemente de nota. O resultado foi um verdadeiro exército de alunos preguiçosos e burros, que na falta de qualquer estímulo adicional decaíram o nível de qualidade do ensino público. São Paulo, que até então se orgulhava de ter de longe a melhor educação do país, entrou em decadência e hoje está muito longe disso, com índices piorando a cada ano que passa.

O que Freire ignorava é o mesmo que qualquer socialista ignora: a dificuldade que os seres humanos têm de agir na falta de elementos motivacionais. Neste caso, a possibilidade de reprovação funcionava como um fator motivacional para se esforçar e tirar boas notas. Freire, que apostava na "bondade natural" dos alunos, acreditava que eles continuariam se empenhando mesmo à parte deste fator. Não podia estar mais enganado. É isso o que acontece quando uma ideologia parte de um pressuposto errado – neste caso, a crença na bondade natural do homem (o oposto do que diz a Escritura)[1]

O comunismo é fruto dessa racionalização filosófica de humanistas seculares, que creem que o homem nasce naturalmente bom e a sociedade é que corrompe alguns. Partindo dessa premissa, acreditam que as pessoas continuariam trabalhando com fervor para o progresso da nação mesmo sabendo que não ganhariam no final do mês mais do que migalhas, e que o sustento viria do mesmo jeito trabalhando ou não.

É só nesse mundo utópico, criado pela engenhosa imaginação humana, que todos vão trabalhar mesmo sem qualquer incentivo, ou se esforçarão em criar inovações tecnológicas à parte de qualquer lucro pessoal. É um sistema que talvez tivesse alguma chance de funcionar em um universo alternativo de robôs e máquinas automatizadas sem sentimentos, emoções, sensações, ambições, aspirações, motivações, egoísmo, tristeza, desejos e interesses. Mas não aqui. Por isso é um sistema puramente teórico, imaginado e planejado para dar certo somente na teoria, cujos cálculos frios desconsideram o quão complexo é um ser humano real e o quanto essa realidade pode mudar tudo.

Qualquer sistema maravilhoso e utópico de um paraíso terrestre tirado de contos de fada com perfeição invejável e imensurável virtude não irá jamais funcionar enquanto o mundo for habitado por uma humanidade caída no pecado e separada de Deus. Não à toa, os maiores fracassos e genocídios políticos perpetrados na história da humanidade se deram justamente em regimes que sonhavam com “um mundo melhor”. É preciso entender que o mundo jamais será moralmente melhor enquanto os indivíduos não forem melhores. A verdadeira mudança não é de fora pra dentro, mas de dentro pra fora. Enquanto isso não acontece, tudo o que os sistemas políticos e econômicos devem fazer é não atrapalhar – o que vai na contramão de sistemas revolucionários que jogam o mundo de cabeça pra baixo e de pernas pro ar para tentar torná-lo um lugar “melhor”.

Um exemplo mais palpável da necessidade da motivação (lucro) no contexto de produção é o próprio Youtube – uma plataforma que surgiu pela iniciativa privada em um país capitalista (EUA). Os maiores e mais relevantes canais de qualquer gênero recebem um valor em dinheiro correspondente às visualizações que recebe, vinculado à apresentação de propagandas de cinco segundos que geralmente iniciam os vídeos. Recentemente, um youtuber de esquerda esbravejou contra esse “sistema capitalista perverso” do Youtube, pois estava perdendo parte da monetização do canal. Ele disse:

No capitalismo, tanto na internet como fora, nós só somos engrenagens. Nós só somos úteis quando geramos dinheiro para as empresas e corporações. Quando não geramos mais, vai pra rua e acabou, se vire.[2]

O que ele se esqueceu de dizer? Primeiro, ele se esqueceu de dizer que ninguém o obrigou a criar um canal no Youtube. Ele poderia criar em qualquer outro lugar, mas preferiu o Youtube, apesar de suas críticas. Fora do capitalismo nem sequer existem plataformas de compartilhamento de vídeos. Não existe um “youtube cubano” ou norte-coreano; na ausência de capitalismo, simplesmente não há nada – a esmagadora maioria do povo não tem nem mesmo acesso à internet[3].

A segunda coisa que ele se esqueceu de dizer é que ninguém apontou uma arma em sua cabeça e o obrigou a monetizar o canal. Ele aderiu ao sistema de monetização porque quis. O Youtube não praticou nenhuma censura, não retirou um vídeo dele da plataforma, não deletou o canal – coisas que teria o direito de fazer, caso quisesse – e muito menos o “chutou para a rua”. Tudo o que fez foi desmonetizar alguns vídeos. Ele poderia fazer vídeos apenas como passatempo, sem monetizar nada, mas quis fazer profissionalmente, como um negócio (negócio esse que ele mesmo decidiu entrar).

Como o Estado não pode bancar milhões de youtubers com o dinheiro público (o que o levaria rapidamente à falência), a monetização só pode vir do patrocínio de empresas privadas, o que ele critica ferozmente, mas nem cogita abrir mão. Youtubers socialistas cospem no prato em que comem: lucram com uma plataforma capitalista e ainda reclamam disso, quando não receberiam um único centavo fazendo isso em um país socialista (na verdade, não teriam nem mesmo um canal para se comunicar com o público).

Em vez de serem agradecidos pelo capitalismo lhes proporcionar algo impensável em tempos remotos ou em outros sistemas, ainda que de uma forma imperfeita, o que eles fazem é condenar o próprio capitalismo, em um surto de hipocrisia sem precedentes. Na verdade, o próprio fato dele reclamar da desmonetização é porque ele sabe que o lucro é importante e necessário, sem o qual ele não estaria gravando os vídeos (ou pelo menos não com a mesma frequência e qualidade). Se você reparar bem, verá que quase todos os youtubers de grande projeção estão na plataforma pela motivação do lucro (o que não é problema nenhum dentro do capitalismo, desde que o lucro não seja obtido de forma desonesta).

Sem a monetização, a maioria deles já teria abandonado a plataforma há muito tempo, ou se limitariam a usá-la como mero entretenimento para postar vídeos esporádicos. É o lucro que os motiva a produzir profissionalmente, e quem ganha com isso são todos os seus seguidores, que podem acompanhar muito mais vídeos e de bem maior qualidade do que teria caso não houvesse a motivação do lucro. Assim, com a tão atacada “lógica do lucro”, todos saem ganhando: o youtuber, que recebe a monetização; o público, que assiste a todos os vídeos de graça; as empresas, que investem na plataforma porque sabem do retorno financeiro; e, por fim, o próprio Youtube, que torna possível isso tudo.

A mesma lógica se aplica a qualquer outro negócio, o que explica a imensa superioridade do capitalismo sobre os outros modelos em todos os âmbitos. Se a “lógica do lucro” fosse descartada desse processo, todos sairiam perdendo – e o resultado disso é a mais pura realidade dos países socialistas, que vivem na miséria, amargurando resultados sociais e tecnológicos pífios, basicamente sobrevivendo das migalhas do comércio com o mundo capitalista mais desenvolvido. Esses resultados são pífios porque a lógica estatizante (que se contrapõe à lógica do lucro), na qual tudo gira em torno do Estado e o Estado controla tudo, quebra a livre iniciativa empreendedora e suprime qualquer motivação pessoal.

É por isso que quando uma empresa estrangeira se estabelece no país os ideólogos de esquerda a denunciam como uma “inimiga”, em vez de encará-la como aliada. Enquanto os capitalistas entendem essa parceria como cooperação (pois estará gerando milhares de empregos aqui, além de movimentar a economia e oferecer serviços), os socialistas preferem chamar de “concorrência desleal” – fruto de uma mentalidade nacionalista tacanha que é tão retrógrada quanto burra.

Só pelo risco de um socialista assumir o poder, a Bolsa despenca e o Real perde valor – o que significa que o que você ganha terá um poder de compra cada vez menor – porque ninguém é louco de investir em um país que pode, a qualquer momento, confiscar suas propriedades e asfixiar a indústria com pesadas taxações e impostos (sem falar em toda a burocracia) tornando cada vez mais difícil abrir e manter uma empresa no Brasil.

Quem também lida com essa visão ultrapassada de “concorrência desleal”, como se a concorrência fosse uma coisa ruim, é o Clarion de Laffalot, em um artigo sobre “como o hamburgão da esquina vai concorrer com o McDonald's” – um argumento típico de anticapitalistas que se opõem à liberdade econômica e ao empreendedorismo. Em linguagem clara, objetiva e simples, ele lida na prática com questões como:

• Como é que o Dollyinho vai competir com a Coca-Cola?

• Como é que o pão de queijo da dona Cleide vai competir com o Starbucks?

• Como é que o seu Zé da barraquinha de hambúrguer vai competir com o McDonald's?

Ele então disserta:

Essa é uma pergunta que está cercada de um profundo desconhecimento do que significa a palavra concorrência.

Geralmente, as pessoas imaginam a concorrência como uma espécie de luta de MMA: Dois entram no octógono. 1 versus 1, divididos em "categorias de peso". Um sai vencedor quando nocautear o adversário.

Nada mais distante da realidade. No mundo dos negócios, a concorrência é disputada ao mesmo tempo por dezenas de empresas, numa imensa bagunça. Sem fair play, sem octógono, sem categorias de peso. 

O Dollynho nunca está concorrendo "com a Coca-Cola", assim, no 1 versus 1. Ele está concorrendo ao mesmo tempo com a Coca-Cola, com o guaraná Antarctica, com a água de coco, o caldo de cana e o suco de laranja aguada do boteco. Disputando milhares de lutas por minuto, em milhares de lugares ao mesmo tempo.

Mais que isso, raramente existe nocaute. No mercado não existe espaço para um único vencedor. O Dollynho pode perder a imensa maioria dessas disputas pela concorrência, e continuar sendo um sucesso. Tudo que ele precisa é conseguir uma quantidade de vitórias (leia-se vendas) suficiente pra se manter lucrativo. Então ele é mais um dos inúmeros vencedores.

Mesma coisa pro tiozão do trailer de hambúrguer da esquina. Ele está concorrendo não apenas com o McDonald's, mas com a carrocinha de cachorro-quente, com o pastel, com o pipoqueiro, com a coxinha da lanchonete e o pão com mortadela da padaria. E cada um desses concorrentes pode ter "vitorias" o suficiente pra se manterem ativos e rentáveis, todos ao mesmo tempo. 

Claro, uns serão pequenos, outros serão médios, outros serão grandes e gigantes. Mas não significa que o gigante nocauteou o pequeno.  Com certeza alguém nessa postagem vai comentar que o podrão da esquina é muito melhor que o Big Mac por algum motivo – preço, tamanho, sabor, etc. Assim como o pequeno Davi enfrentando Golias, o tiozão da esquina sempre consegue, empilhando bastante maionese e batata palha, vencer algumas batalhas contra o McDonald's, em quantidade suficiente pra tirar o seu sustento. Isso é concorrência.

Se não houvesse o podrão da esquina, o McDonald's poderia cobrar o dobro do preço no seu combo. Se não houvesse o McDonald's, o podrão da esquina poderia colocar a metade do bacon no seu sanduíche.

No fim das contas, os dois ficariam felizes se não concorressem um com o outro. 

O único prejudicado seria você.[4]

É por causa dessa visão pequena, infantil e distorcida que os socialistas têm de conceitos básicos de economia que odeiam qualquer um que produza riqueza – “burgueses”, empresários, investidores e basicamente qualquer pessoa rica é automaticamente qualificada como um vilão de cinema (ainda mais se for branca, homem e heterossexual). Isso ocorre porque eles “ingenuamente” ainda acreditam numa economia de «soma zero», onde o mundo jamais poderia evoluir ou decair em termos de riqueza produzida, mas apenas continuar estável no mesmo patamar.

Ou seja, se alguém ficou rico, então é porque alguém ficou pobre, na mesma proporção (o que qualifica todos os ricos como “exploradores do proletariado” a despeito de suas ações, pelo simples fato de serem ricos). Eles não entendem que a riqueza é produzida, que para isso os investimentos privados precisam ser estimulados, e que por isso alguém fica rico não por ser um “explorador”, mas por ter gerado valor para a sociedade (empregando pessoas e oferecendo serviços em uma economia de livre mercado).

Se não tem emprego, é porque não tem empresa, e se não tem empresa, é porque o custo para manter uma empresa é muito alto. Sem empresas, os bens e serviços são escassos, o que eleva o custo de vida (como os bens são escassos, eles são caros, pois a concorrência é menor e a procura é maior). É por isso que um mesmo automóvel no Brasil custa até três vezes mais do que nos Estados Unidos[5]. Com mil dólares em mãos, você compra carros usados muito melhores que os usados pela maioria dos brasileiros[6]. Além disso, nos Estados Unidos financiar um automóvel é muito mais fácil, a manutenção é muito mais barata, o preço do combustível é incomparavelmente menor, e os pedágios são incrivelmente mais baixos (o pedágio mais caro custa o equivalente a R$ 3,39, e o segundo mais caro custa R$ 1,74, muito menos do que o pedágio mais barato daqui)[7].

Não pense que isso é apenas coincidência ou sorte. Com mais empresas, mais produtos são produzidos, mais serviços são ofertados e maior é o acúmulo de riqueza. E ainda que a maior parte dessa riqueza seja concentrada pelos ricos, o que “sobra” para o povo comum é muito mais do que o que nós temos, ou do que qualquer país estatista tem. Ao mesmo tempo, a grande quantidade de empresas aumenta a concorrência e a competitividade, o que gera uma baixa nos preços e um aumento na qualidade. Mas quando as empresas são poucas, a demanda fica maior do que a oferta (ou seja, são poucos produtos produzidos para muita gente precisando deles), e consequentemente os preços crescem de forma exorbitante e o desemprego atinge índices alarmantes. É menos riqueza gerada, mais gente na rua, menos competitividade e uma economia falida.

Deveria parecer lógico a todos que a solução para o desemprego é facilitar – ou pelo menos parar de dificultar – quem quer abrir uma empresa ou quem já tem uma. Essa visão hostil ao empresário se resume em toda a papelada burocrática que se exige para abrir uma empresa no Brasil. Enquanto nos Estados Unidos qualquer um pode abrir uma empresa dentro de 24h, aqui não se leva menos que 107 dias[8]. Até lá, a empresa já “quebra” antes mesmo de abrir. A guerra contra o empregador, contra patrões ou empresários, é uma imbecilidade que se cultiva pela cultura esquerdista que afeta em primeiro lugar os próprios empregados. É a classe trabalhadora que será afligida com menos empregos, menos bens, menos serviços e menos riqueza, somado a um custo de vida maior. A diferença entre Brasil e Estados Unidos é que nós ainda vemos o empresário como um vilão, e eles como a solução.

A insistência em ignorar essa realidade óbvia resulta em sociedades anêmicas, miseráveis e despossuídas daquilo que há de mais básico, esperando que o Estado gere e distribua a riqueza que de fato só pode ser produzida por indivíduos livres, de acordo com as necessidades do mercado. Por isso não surpreende que o socialismo tenha causado miséria em cada canto de terra em que se instalou no planeta. Foi assim na antiga União Soviética, que fracassou e teve que decretar “falência”. Foi assim na China, onde mais de 40 milhões de habitantes literalmente morreram de fome porque o governo comunista não tinha como alimentá-los, já que não gerava riqueza suficiente para isso (o que forçou a China a mudar, se abrir ao mercado e se tornar um «capitalismo de Estado», razão pela qual cresce hoje).

Também foi assim em Cuba, que antes da revolução de 59 era a terceira maior economia da América Latina, e hoje é a segunda pior. Os carros de lá ainda são os mesmos que eles tinham na década de 50 (de antes da revolução), que ilustram bem o admirável atraso em que o país se meteu. A todo o momento os habitantes arriscam a vida tentando fugir da ilha em botes improvisados levando apenas as roupas do corpo, buscando abrigo ilegalmente nos Estados Unidos (sim, o “porco capitalista”!). Morales, um desses muitos fugitivos que chegou às praias de Miami após dez dias de travessia em um grupo com nove integrantes, disse que fugiu por não ver futuro em Cuba: “Ali você tem que decidir entre comprar comida ou sapatos”[9].

(Qualquer coisa que flutue está valendo, dado o desespero em fugir da ilha paradisíaca dos socialistas)

Alguns devem se lembrar que nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, em 2007, vários atletas cubanos, ao chegarem ao Brasil, se esconderam, pediram asilo ao governo brasileiro e não voltaram mais a Cuba[10]. Isso também acontece regularmente em qualquer Olimpíada. Eles preferem viver pobres em um país capitalista do que miseráveis e sem perspectiva de futuro em um socialista (eu procurei, mas por alguma misteriosa razão não pude encontrar um atleta norte-americano desertando e pedindo asilo político em um país socialista).

Isso ocorre porque a carniceira família Castro impede que seus cidadãos saiam de Cuba. Eles são mantidos eternamente presos em uma prisão sem muros, uma favela a céu aberto, sem acesso ao mundo externo, sem tecnologia, sem internet e dirigindo os mesmos carros da década de 50, que remontam à época em que Cuba ainda era um país capitalista e civilizado, poderoso economicamente e respeitado no continente.

(Foto inédita dos norte-americanos fugindo dos EUA em direção a Cuba. Dê um zoom de 1000% que você encontra. Ou não.)

Os crimes humanitários cometidos por Fidel em seu regime socialista foram tantos que até sua filha Alina Fernández, que se recusa a usar o sobrenome Castro, fugiu da ilha. Enquanto Fidel Castro andava Mercedes-Benz, tinha mordomos e comia lagostas, seu povo vivia e continua vivendo na pobreza, andando em carros velhos que mal conseguem rodar e tentando sobreviver ganhando 15 dólares por mês. O salário mais alto é o dos médicos: 30 dólares por mês. É assim em todo regime socialista: as autoridades vivem numa esquerda caviar, comem do bom e do melhor e enriquecem cada vez mais às custas dos idiotas úteis que apoiam este sistema – e que terminam numa eterna pobreza sem perspectiva nenhuma de futuro.

Em Cuba, o povo tem que conviver com meio quilo de carne de porco misturada com soja a cada quinze dias; meio quilo de carne de vaca e um sabão em pedra a cada dois meses; um par de sapatos a cada seis meses. Uma faxineira ganha cinco dólares por mês. O ridículo salário recebido em Cuba é o que leva uma enorme quantidade de mulheres a se prostituir, fazendo de Cuba um dos destinos preferidos do turismo sexual, já que as prostitutas recebem gorjetas em dólares. Isso também faz de Cuba recordista mundial no mercado negro, que movimenta 40% da economia do país, por debaixo dos panos. E eu nem vou falar da corrupção.

Cuba é a ilha dos bairros com esgoto a céu aberto, dos racionamentos de água, luz e combustíveis, dos cortiços nos quais famílias inteiras se amontoam para tentar viver em um pequeno espaço que nem pertence a elas e sim ao governo, e, principalmente, da fome e da repressão. Quem não faz parte do PCC (e não é o PCC que você está pensando, é outro muito pior) corre o risco de ser preso sem nenhum julgamento. O PCC é o Partido Comunista Cubano, que consegue ser bem pior que o PCC que nós estamos mais familiarizados, a organização criminosa do Primeiro Comando da Capital.

Por falar em organização criminosa, um mafioso e assassino em série que é até hoje idolatrado pelos socialistas chama-se Josef Stalin. Este terrorista travestido de revolucionário praticou um dos maiores e mais covardes massacres cometidos na história da humanidade: o Holodomor, que resultou em aproximadamente vinte milhões de mortos entre o seu próprio povo. Holodomor é o nome dado à fome de caráter genocidiário, que tem como raiz etimológica as palavras holod (fome) e moryty (matar) – matar pela fome. Stalin matou muito mais do que Hitler, só não precisou levar para campos de concentração – ele matava seu povo em sua própria terra, simplesmente deixando-os sem ter o que comer.

Este monstro empregou na década de 1930 uma nova política para a URSS que visava a apropriação do Estado das terras pertencentes aos camponeses (semelhante ao que foi feito por Mao Tsé-Tung, na China). O roubo é sempre o primeiro passo de todo e qualquer regime socialista que se preze. Depois vem o genocídio, especialmente se você não concorda com o roubo. Todos se tornam escravos do Estado máximo, da “Pátria Grande”, que tem poderes totalitários ilimitados para fazer o que quiser com quem quer que seja. Os socialistas se esquecem que um governo que é poderoso o suficiente para nos dar tudo o que quisermos também é poderoso o suficiente para tirar tudo o que nos pertence. Por isso ideias socialistas podem soar bem quando escritas no papel, mas sempre resultam em desordem e caos.

Stalin se aproveitou disso como quis. Sua nova política socialista visava a liquidação dos camponeses enquanto classe. O problema era que os camponeses representavam na época “apenas” 82% da população soviética. Então eles foram forçados, por meio de todos os abusos e violências que os socialistas já estão habituados, a entregar seus bens ao Estado e a aderir às explorações agrícolas estatais. A situação piorou quando Stalin decidiu deportar os kulaks para outras regiões, em especial ao Cazaquistão e à Sibéria, abandonando-os nesses territórios distantes e inópitos. Ao todo, foram deportados 2,8 milhões de pessoas. Consequentemente, muitas delas, principalmente as crianças, morreram devido ao trabalho extenuante, à fome e ao frio. Estima-se que o número de mortos entre as vítimas da opressão após a deportação foi de 500 mil.

Então o “inesperado” aconteceu: fome, miséria, pobreza e escassez de recursos (quem diria), pois o Estado nunca consegue substituir à altura a iniciativa privada. Isso deu a Stalin a monstruosa ideia, semelhante à de seu companheiro Mao na China, de deixá-los morrer. Deixá-los passando fome até a morte, já que seu sistema socialista fracassado era inteiramente incapaz de sustentá-los. A “solução” era sacrificá-los em prol da revolução. Era o «holocausto revolucionário»[11], do qual Marx tanto falava.

Em 1932, o mundo viu um dos maiores alastramentos de fome, de fuga dos camponeses e de genocídio perpetrados na história. Os cidadãos, em condições agravantes e desumanas de desnutrição, iam morrendo aos olhares de indiferença de Stalin e seus correligionários, e seus corpos iam sendo largados na rua, à beira das estradas, nos cantos das praças, ao olhar de qualquer um que passasse por ali:

(Mulher caminha em meio aos corpos durante o Holodomor)

(Corpo de uma vítima em meio às pessoas durante o Holodomor)

(Corpos de vítimas do Holodomor)

(Crianças vítimas do Holodomor)

(Crianças vítimas do Holodomor)

A passos mais lentos, o mesmo processo ocorre hoje na Venezuela de Nicolás Maduro, que está sendo literalmente destruída pelo socialismo, com uma economia falida, uma recessão de 15% ao ano, mais de 1.000.000% de inflação e com falta de tudo aquilo que é básico (até papel higiênico), obrigando seu povo a largar tudo para atravessar a fronteira e buscar refúgio em Roraima, por preferirem mendigar no Brasil a continuar vivendo em seu país miserável – apesar de ter tido um dos maiores PIB per capita da América do Sul, antes dos socialistas ocuparem o governo e imporem sua ditadura sanguinária, com milhares de presos políticos e manifestantes assassinados nas ruas. Os que não tiveram a sorte de conseguir fugir do país para mendigar em outro lugar foram obrigados a saquear supermercados e a comer cachorros de rua para sobreviver[12].

Talvez nada ilustre melhor a imensa superioridade do capitalismo sobre o socialismo do que dois exemplos bem didáticos: o da Alemanha Ocidental vs Alemanha Oriental, e o da Coreia do Sul vs Coreia do Norte. Após a Segunda Guerra Mundial, tanto a Alemanha como a Coreia foram divididas em dos países distintos, um capitalista sob o controle dos Estados Unidos, e outro socialista sob o controle da União Soviética. O resultado é que a Coreia do Sul (capitalista) é hoje um dos países mais desenvolvidos – e livres – do planeta, enquanto a Coreia do Norte (socialista) é literalmente uma prisão gigantesca, que mantém seu próprio povo prisioneiro do Estado. Há muitas matérias sobre isso, basicamente de todo mundo que foi fazer um “passeio” por lá ou que conseguiu fugir daquele inferno. Eu insisto fortemente que você assista a dois testemunhos de norte-coreanas que conseguiram fugir do país, para ter uma leve noção do que se trata:



Uma das coisas mais aterradoras que existe são as imagens de satélite da Coreia do Norte à noite: enquanto a Coreia do Sul aparece bastante iluminada, no Norte literalmente parece que não há país nenhum![13]


É assim todas as noites, todos os dias. O que explica isso não é que a Coreia do Norte seja repleta de “cidades-fantasma” ou que esteja fora do mapa como Tangamandápio, mas porque eles praticamente não têm energia elétrica. Vivem completamente à margem dos avanços capitalistas, isolados politicamente e com uma mentalidade digna de Idade das Trevas (com o perdão do trocadilho), há anos-luz da outra Coreia (com o perdão de mais um trocadilho). Quem viaja à Coreia do Norte ou simplesmente vê uma imagem por satélite como essa não consegue imaginar ou acreditar que há menos de um século estava no mesmo patamar que a sua irmã do sul. Enquanto os sul-coreanos adotaram o capitalismo e passaram a ser um dos países mais desenvolvidos do mundo, os norte-coreanos adotaram o socialismo, pararam no tempo – ou melhor, regrediram – e vivem hoje na escuridão, em todos os sentidos possíveis.

Na Alemanha foi a mesma coisa. Rapidamente a Alemanha Oriental surtiu os efeitos do ciclo natural do socialismo (empobrecer e entrar em miséria), sendo bem elucidativo o simples fato de que os alemães orientais começaram a fugir em massa para o lado ocidental (capitalista), o que forçou os orientais a construírem o famoso muro de Berlim, onde muita gente morreu tentando fugir para a parte ocidental, mas nunca ninguém tentou pular o muro do lado contrário. Essa é uma das diferenças mais cruciais entre o capitalismo e o socialismo: enquanto um país capitalista como os Estados Unidos precisa controlar a entrada porque todo mundo quer entrar lá, o país socialista precisa controlar a saída, porque todos querem fugir de lá.

Por causa da trágica experiência socialista, até hoje a região oriental da Alemanha é menos desenvolvida que a ocidental (embora hoje a diferença já seja menor do que era antes). Finalmente, o muro foi derrubado em 1989, a Alemanha voltou a ser um só país capitalista, e é hoje a quarta maior economia do mundo. Não importa onde quer que você analise: o roteiro é SEMPRE o mesmo. Os países que optam pelo capitalismo liberal têm sucesso e prosperidade, e os que escolhem o socialismo ganham com isso ruína, miséria, genocídios e ditaduras sem fim. É uma verdadeira praga política, que hoje só se prolifera em países subdesenvolvidos de terceiro mundo, onde é mais fácil enganar e controlar as massas.

Essa, aliás, é a característica mais comum de todo regime socialista, depois da miséria. Literalmente todos os países socialistas foram ou são ditaduras, onde o povo não tem a menor possibilidade de eleger seu governante ou de escolher seu regime político. A família Castro é a “dona” de Cuba desde a revolução de 59, os “Kim” são os “donos” da Coreia do Norte desde sua criação em 45, na antiga URSS um ditador só assumia depois que o anterior morria, e mais recentemente na Venezuela o ditador Maduro pisou na Constituição, desprezou o Congresso, criou uma Constituinte paralela para lhe outorgar amplos poderes, antecipou eleições manifestamente fraudulentas, disse que quem não votasse nele perderia o “Cartão da Pátria” (uma espécie de Bolsa Família de lá, com a diferença de ser a única coisa que eles tem para sobreviver), prendeu quase todos os políticos da oposição (alguns desapareceram misteriosamente) e só não fechou a emissora de TV que criticava o socialismo porque seu antecessor Hugo Chávez já tinha feito isso antes.

Além da miséria, dos genocídios e das ditaduras, uma outra característica marca todo regime socialista: a completa e deliberada alienação das massas. Não existe internet em Cuba, da mesma forma que não há internet na Coreia do Norte (a exceção, é óbvio, recai sobre os próprios ditadores e demais autoridades públicas). Recentemente o Fantástico fez uma reportagem na Coreia do Norte e entrevistou alguns cidadãos, que não faziam a menor ideia do que é facebook ou de quem é Justin Bieber (ignore o fato de que a ignorância a respeito deste último talvez seja coisa boa). O mais chocante é que nem mesmo o guia turístico (que o governo obriga que vigie o turista o tempo inteiro, como um cão de guarda) sabia o que era “internet”!


Na Venezuela, a pobreza é tamanha que o acesso à internet se tornou um bem escasso, e em breve o acesso será tão impossível quanto na Coreia do Norte e em Cuba. Eu me lembro de jogadores e clãs venezuelanos de Age of Empires 3 online com os quais jogava há alguns anos, e já há muito desapareceram “misteriosamente”. O último que eu vi estava pedindo doação a um amigo iraquiano para poder comer, para ter uma noção do ponto em que a coisa chegou.

Ao mesmo tempo, não há qualquer interesse do governo em oferecer esse tipo de serviço ao povo. Com o acesso à informação eles teriam mais consciência da desgraça em que vivem, sendo capazes de se comparar aos países capitalistas, o que aumentaria a revolta e a indignação popular – algo que o governo decisivamente não deseja. A ideia do governo totalitário é manter todos como um gado alienado e subserviente ao Estado, que atua como um verdadeiro parasita que suga tudo para si, e então despeja migalhas para os outros.

O lendário primeiro-ministro britânico Winston Churchill dizia que o lado ruim do capitalismo é a desigual distribuição das riquezas, e o lado bom do socialismo é a igual distribuição das misérias. Mas nessas misérias há uma exceção, que a essa altura você já deve suspeitar quem seja: o ditador, é claro. Enquanto o povo cubano morre de fome, a família Castro vive, literalmente, em um palácio. Enquanto o povo norte-coreano é mantido preso e refém do seu próprio Estado, a família Kim tem tudo do bom e do melhor. E enquanto o povo venezuelano perdeu em média 11 kg por falta de alimento nos últimos anos[14], o ditador Nicolás Maduro não apenas engordou, como ainda janta em restaurante cinco estrelas na Europa[15]. Eu não preciso nem dizer como.

A massa de alienados pode até acreditar no socialismo com sinceridade, mas para as lideranças políticas o socialismo é apenas uma massa de manobra para controlar o próprio povo, mantê-lo cada vez mais dependente do Estado, instaurar um regime totalitário, perpetuar sua família no poder, roubar as propriedades alheias e engordar muito. Nenhum deles tem realmente qualquer mínima intenção de melhorar a vida do povo e muito menos se importa com os pobres, aos quais usam. São como sanguessugas, que se apropriam de uma análise errada e já refutada de Marx em um cenário de duzentos anos atrás para instaurar aqui em nossos dias o mesmo regime de terror que gerou não menos que cem milhões de mortes ao redor do mundo (mais que as duas guerras mundiais somadas), bem documentadas no “Livro Negro do Comunismo”[16].

Mas não só de miséria e de mortos vive o socialismo: também de campos de concentração. Campos de concentração com trabalho forçado (escravo) desempenharam um papel vital nos sistemas comunistas desde o início, começando pelos campos de Lenin na União Soviética, em 1918[17]. Já em 1930, sob Stalin, havia mais de um milhão de internos, número que aumentou para dez milhões em 1940, em condições cada vez mais degradantes[18]. Parte desses horrores foi narrada pelo pastor Richard Wurmbrand (1909-2001), que passou vários anos preso e torturado nas prisões soviéticas por pregar o evangelho. Ele escreveu:

Nós, crentes, éramos colocados em caixões apenas um pouco maiores do que nós. Não havia lugar para qualquer movimento. Muitas dúzias de pregos com suas pontas afiadas como giletes eram colocadas por todos os lados. Enquanto estávamos perfeitamente quietos, tudo ia bem. Éramos forçados a permanecer nessas caixas horas a fio. Quando, porém, nos fatigávamos e tombávamos de cansaço, os pregos estavam em nosso corpo. Se nos movêssemos, ou estremecêssemos um músculo, ali estariam os horríveis pregos.[19]

Ele também descreveu outras formas de tortura e zombaria empregadas pelos comunistas ateus contra os cristãos, como colocá-los numa cruz para zombar de Cristo:

Ali descrevi coisas horríveis, tais como crentes amarrados em cruzes por quatro dias e quatro noites. A seguir eram as cruzes colocadas no chão e centenas de prisioneiros tinham de atender suas necessidades fisiológicas em cima dos rostos e dos corpos dos que estavam crucificados. Depois as cruzes eram de novo levantadas e os comunistas escarneciam: “Olhem para o Cristo de vocês! Que bonito ele é! E que fragrância traz dos céus!”. Descrevi como, depois de ficar quase louco pelas torturas, um padre ortodoxo foi obrigado a consagrar fezes e urina humana para dar em comunhão aos cristãos.[20]

A China socialista também possuía seus campos de concentração[21] e acredita-se que permanece possuindo até hoje, embora negue oficialmente[22]. Estima-se que nos últimos 50 anos mais de 50 milhões de pessoas foram enviadas a estes campos[23], e que atualmente ainda existem centenas ou milhares destes campos de trabalho forçado, destinados principalmente para presos políticos[24], mas que também inclui exploração sexual de mulheres e crianças[25].

Quem também emprega o trabalho escravo atualmente em campos de concentração é a Coreia do Norte, onde os presos são sujeitos à tortura e a tratamentos desumanos[26], além de execuções públicas[27] (inclusive de crianças) e infanticídio por meio de aborto forçado ou assassinato de bebês depois do nascimento[28]. São muitos os que morrem em decorrência das torturas, da fome ou de doenças[29]. Estima-se que haja 200 mil prisioneiros nestes campos de concentração[30], sendo 50 mil deles em Hoeryong[31]. A existência destes campos só foi reconhecida recentemente pelas autoridades norte-coreanas[32].

Um relatório de 400 páginas da ONU com duzentos testemunhos de prisioneiros fugitivos e ex-guardas norte-coreanos[33] registrou, entre outras coisas, crianças lutando sobre quem poderia comer um grão de milho obtido a partir de esterco de vaca[34], guardas cortando o dedo de um homem[35], forçando presos a comerem sapos[36], obrigando uma mãe a matar seu próprio bebê em uma vasilha com água[37], crianças dadas como “prêmio” para cães[38], crianças sendo enterradas vivas[39], pessoas obrigadas a delatar seus familiares em troca de uma ração completa de arroz para encher o estômago e depois vê-los sendo enforcados publicamente[40], e centenas de milhares de prisioneiros sobrevivendo apenas com uma ração diária de 400 gramas de mingau de milho, tendo que comer ratos vivos para não morrer de fome[41].

O que a antiga União Soviética tinha em comum com a China e a Coreia do Norte comunistas? O ateísmo de Estado. Nestes lugares, a religião era ou é proibida, e o ateísmo é fortemente encorajado, senão forçado à população[42]. O líder comunista chinês Chou En-lai declarou: “Nós, comunistas, somos ateus”[43]. Marx dizia que “a religião é o ópio do povo”[44], que “o comunismo começa onde começa o ateísmo”[45] e que “o comunismo abole as verdades eternas, abole a religião e a moral”[46]. Lenin não deixava por menos: “O marxista tem que ser um materialista, isto é, um inimigo da religião”[47]. Havia a necessidade de ser “absolutamente ateísta e positivamente hostil a todas as religiões”[48].

Ele ordenava roubar as propriedades da Igreja Ortodoxa Russa “com a mais agressiva e brutal energia”[49] e “por quaisquer meios necessários”[50], e McGrath afirmou que “em seus esforços de forçar a ideologia ateísta, as autoridades soviéticas destruíram e eliminaram sistematicamente a grande maioria das igrejas e dos sacerdotes entre 1918 e 1941. A violência e a repressão foram empreendidas na busca de um programa ateísta: a eliminação da religião”[51]. De 1917 a 1923 foram presos 128 bispos e cerca de 25 mil sacerdotes, terminando quase todos assassinados ou mortos nos campos de concentração[52]. Neste mesmo período, cerca de 40 mil igrejas foram destruídas ou destinadas a outros fins[53].

Engels sustentava que o comunismo “levaria à morte da religião”[54], e Stalin era conhecido por fazer propaganda pública do ateísmo pelo país, através do Estado. O socialista ateu Maxim Gorky escreveu à época uma carta a Stalin, onde sugere:

É imperativo colocar a propaganda do ateísmo em patamar sólido. Você não conseguirá muito com as armas de Marx e o materialismo, como temos visto. Materialismo e religião são dois diferentes planos e eles não coincidem. Se um tolo fala dos céus e o sábio de uma fábrica, eles não irão se entender. O sábio precisa atingir o tolo com seu cajado, com sua arma.[55]

Como se nota, os comunistas têm não apenas um plano político de destruição dos países que ocupam, mas também um plano de destruição da religião, seja ela qual for, o que foi de fato implementado em cada lugar onde eles assumiram o poder. O comunismo se dá tão bem com a religião quanto se dá com o capitalismo. Às vezes se aproximam de líderes religiosos para conseguir chegar ao poder, mas, uma vez tendo o alcançado, cospem na cara e tratam com o maior desprezo (e crueldade) imaginável.

Foi assim que Cuba passou de uma ilha católica para ateia, e o mesmo se deu com muitos dos países que antes compunham a URSS e tinham a Igreja Ortodoxa como a principal fé nacional, sendo hoje esmagadoramente ateus. Na China, a Igreja Católica teve recentemente que se dobrar perante o Partido Comunista Chinês e reconhecer lealdade a ele para ser oficialmente aceita[56], permitindo que o Partido Comunista nomeie os bispos, enquanto as igrejas evangélicas preferiram permanecer subterrâneas e ilegais.

Salta aos olhos o fato de artistas “globais” declaradamente socialistas nunca passarem as férias em Cuba, na Venezuela ou na Coreia do Norte, embora defendam regimes como esses e despejem sua fúria contra os EUA, o “porco capitalista”. Ironicamente, é justamente o “porco capitalista” o destino preferido dessas mesmas celebridades, e quando não é os EUA é algum outro país tipicamente capitalista da Europa. Para os outros, pregam o socialismo; para si mesmos, desfrutam dos benefícios do capitalismo. Essa típica postura esquerdista é o tema do livro Esquerda Caviar, de Rodrigo Constantino, que denuncia a hipocrisia dos artistas e intelectuais progressistas no Brasil e no mundo, que são por si só uma das provas mais fortes da superioridade incontestável do capitalismo. É cômodo demais criticar o capitalismo enquanto usufruem da liberdade, conforto e direitos que nenhum outro sistema oferece – muito menos aqueles que eles defendem.

Em síntese, o socialismo é um sistema político que dá soluções erradas a um problema antigo que já foi superado há séculos nos países desenvolvidos, não através de revoluções marxistas, mas por meio do puro e simples capitalismo de mercado. É a livre concorrência e o livre mercado que proporcionam riqueza para todos – embora nem todos a alcancem em um primeiro momento –, enquanto o socialismo nada mais sabe fazer além de dividir igualmente as misérias, à exceção do ditador e da família do ditador.

Ninguém definiu melhor o socialismo do que o famoso campeão mundial de xadrez Garry Kasparov, que nasceu na União Soviética e conheceu o socialismo na pele: Socialism, where everything is free except you! (“Socialismo, onde tudo é livre, exceto você”)[57]. Como a ideologia socialista apresenta desde o começo uma visão totalitária de Estado, é natural que toda sociedade revolucionária seja totalitária, perpetuando ditadores no poder, que lá se mantém à base de genocídios, campos de concentração, cerceamento total da liberdade de imprensa e alienação completa das massas. É mais que um regime de terror: é o próprio inferno na terra.

• Compartilhe este artigo nas redes:

Por Cristo e por Seu Reino,


- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.




[1] A crença bíblica na depravação total pode ser conferida em: <http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/depravacao-total-e-graca-proveniente>.

[2] Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=zQ9ldkiwlB4&t=405s>. Acesso em: 03/05/2019.

[3] PINTO, Ana Estela de Sousa. Sem internet nem redes sociais, norte-coreanos ainda falam ao celular. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2018/12/sem-internet-nem-redes-sociais-norte-coreanos-ainda-falam-ao-celular.shtml>. Acesso em: 03/05/2019.

[4] LAFFALOT, Clarion de. Como é que o hamburgão da esquina vai concorrer com o McDonald's? Disponível em: <https://www.patreon.com/posts/como-e-que-o-da-18917579>. Acesso em: 03/03/2019.

[5] Compare em: <http://www.f24.com.br/geral/mundo-automotivo/preco-de-carro-nos-estados-unidos-eua-x-carros-do-brasil>. Acesso em: 04/05/2018.

[6] Confira em: <https://www.noticiasautomotivas.com.br/conheca-seis-carros-usados-que-custam-ate-us-1-000-nos-eua>. Acesso em: 04/05/2018.

[7] Compare em: <https://carros.ig.com.br/2018-01-10/custos-brasil-eua.html>. Acesso em: 04/05/2018.

[8] Confira em: <https://exame.abril.com.br/pme/quanto-tempo-demora-para-abrir-uma-empresa-no-brasil>. Acesso em: 04/05/2019.

[9] CONSTANTINO, Rodrigo. Fuga desesperada do "paraíso" socialista: enquanto os cubanos querem fugir de lá, o PT quer importar o modelo para cá. Disponível em: <https://www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino/artigos/fuga-desesperada-do-paraiso-socialista-enquanto-os-cubanos-querem-fugir-de-la-o-pt-quer-importar-o-modelo-para-ca>. Acesso em: 24/03/2019.

[10] ESTADÃO. Brasil concede asilo a atletas cubanos que desertaram no Pan. Disponível em: <https://esportes.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-concede-asilo-a-atletas-cubanos-que-desertaram-no-pan,57875>. Acesso em: 24/03/2019.

[11] Marx People’s Paper. April 16, 1853; citado também no Journal of the History of Ideas, Vol. 12, n.1, 1981.

[12] O'GRADY, Mary Anastasia. O socialismo venezuelano: pessoas comendo cachorros, saqueando supermercados e morrendo de inanição. Disponível em: <https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2410>. Acesso em: 07/03/2019.

[13] G1. Sem luzes noturnas, Coreia do Norte 'desaparece' em foto espacial. Disponível em: <http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2014/02/sem-luzes-noturnas-coreia-do-norte-desaparece-em-foto-espacial.html>. Acesso em: 08/03/2019.

[14] EXAME. 64% dos venezuelanos perderam média de 11kg por falta de alimento. Disponível em: <https://exame.abril.com.br/mundo/64-dos-venezuelanos-perderam-11kg-por-falta-de-alimentos>. Acesso em: 03/03/2019.

[15] G1. Com país em crise, Maduro janta em restaurante famoso na Turquia e é criticado por opositores e venezuelanos. Disponível em: <https://g1.globo.com/mundo/noticia/2018/09/18/com-pais-em-crise-maduro-janta-em-restaurante-famoso-na-turquia-e-e-criticado-por-opositores-e-venezuelanos.ghtml>. Acesso em: 02/03/2018.

[16] COURTOIS, Stéphane. O Livro Negro do Comunismo: Crimes, Terror, Repressão. São Paulo: Bertrand Brasil, 1999.

[17] CAPLAN, Bryan. Museum of Communism. Disponível em: <http://econfaculty.gmu.edu/bcaplan/museum/comfaq.htm>. Acesso em: 13/03/2017.

[18] ibid.

[19] WURMBRAND, Richard. Torturado por amor a Cristo. São Paulo: Editora Vida, 2000, p. 24.

[20] ibid, p. 25.

[21] SILVA, Francisco. Enciclopédia de Guerras e Revoluções: vol. II: 1919-1945: a época dos fascismos, das ditaduras e da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Rio de Janeiro: Elsevier, 2015, p. 155.

[22] Al Jazeera English. Prison slaves: China is the world's factory, but does a dark secret lurk behind this apparent success story? Disponível em: <http://www.aljazeera.com/programmes/slaverya21stcenturyevil/2011/10/2011101091153782814.html>. Acesso em: 13/03/2017.

[23] LEWIS, Aaron. Inside the Lao Gai. Disponível em: <http://news.sbs.com.au/dateline/inside_the_lao_gai_130581>. Acesso em: 13/03/2017.

[24] WU, Harry. Labor camps reinforce China's totalitarian rule. Disponível em: <http://edition.cnn.com/SPECIALS/1999/china.50/red.giant/prisons/wu.essay/>. Acesso em: 13/03/2017.

[25] SMITH, Alexander. 30 million people still live in slavery, human rights group says. Disponível em: <http://www.nbcnews.com/news/other/30-million-people-still-live-slavery-human-rights-group-says-f8C11409499>. Acesso em: 13/03/2017.

[26] KRISTOF, Nicholas D. Survivors report torture in North Korea labor camps. Disponível em: <http://www.nytimes.com/1996/07/14/world/survivors-report-torture-in-north-korea-labor-camps.html>. Acesso em: 13/03/2017.

[27] AMNESTY INTERNATIONAL. North Korea: torture, death penalty and abductions - information sheet. Disponível em: <http://www.amnesty.org/en/documents/ASA24/003/2009/en/>. Acesso em: 13/03/2017.

[28] HAWK, David. The hidden gulag – Part Five: summary of torture and infanticide information. Disponível em: <http://www.hrnk.org/uploads/pdfs/HRNK_HiddenGulag2_Web_5-18.pdf>. Acesso em: 13/03/2017.

[29] Revista TIME. Running Out of the Darkness. Disponível em: <http://content.time.com/time/magazine/article/0,9171,1186569,00.html>. Acesso em: 13/03/2017.

[30] AMNESTY INTERNATIONAL. North Korea: torture, death penalty and abductions - information sheet. Disponível em: <http://www.amnesty.org/en/documents/ASA24/003/2009/en/>. Acesso em: 13/03/2017.

[31] AMNESTY INTERNATIONAL. North Korea: Political Prison Camps. Disponível em: <https://www.amnesty.org/en/library/asset/ASA24/001/2011/en/2671e54f-1cd1-46c1-96f1-6a463efa6f65/asa240012011en.pdf/>. Acesso em: 13/03/2017.

[32] O Globo. Coreia do Norte admite existência de campos de concentração para ‘reformar’ cidadãos. Disponível em: <http://oglobo.globo.com/mundo/coreia-do-norte-admite-existencia-de-campos-de-concentracao-para-reformar-cidadaos-14179373>. Acesso em: 13/03/2017.

[33] United Nations Human Rights. Report of the Commission of Inquiry on Human Rights in the Democratic People's Republic of Korea.Disponível em: <http://www.ohchr.org/EN/HRBodies/HRC/CoIDPRK/Pages/ReportoftheCommissionofInquiryDPRK.aspx>. Acesso em: 13/03/2017.

[34] National Geographic: Inside North Korea, transmitido pelo The History Channel em 2006.

[35] Revista EXAME. Horrores de campos de concentração norte-coreanos expostos. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/mundo/coreanos-sao-expostos-em-comissao-da-onu/>. Acesso em: 13/03/2017.

[36] ibid.

[37] ibid.

[38] PORTAL TERRA. Crianças eram dadas como 'prêmio' para cães na Coreia do Norte. Disponível em: <https://noticias.terra.com.br/mundo/asia/criancas-eram-dadas-como-premio-para-caes-na-coreia-do-norte,4f4243ec72e64410VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html>. Acesso em: 13/03/2017.

[39] ibid.

[40] EL PAÍS INTERNACIONAL. Um desertor norte-coreano: “Delatei minha mãe por uma ração de arroz”. Disponível em: <http://brasil.elpais.com/brasil/2014/02/18/internacional/1392732706_750079.html>. Acesso em: 13/03/2017.

[41] ibid.

[42] RAUM, Elizabeth. North Korea. Series: Countries Around the World. Heinemann, 2012, p. 28.

[43] NOEBEL, David. The Battle for Truth. Harvest House, 2001, p. 68.

[44] MARX, Karl. Introduction to a contribution to the critique of Hegel's philosophy of right. Disponível em: <http://www.quotationspage.com/quote/31765.html>. Acesso em: 13/03/2017.

[45] MARX, Karl. Private property and communism. Disponível em: <https://www.marxists.org/archive/marx/works/1844/manuscripts/comm.htm>. Acesso em: 13/03/2017.

[46] LENIN, Vladmir. The attitude of the workers’ party to religion. Disponível em: <https://www.marxists.org/archive/lenin/works/1909/may/13.htm>. Acesso em: 13/03/2017.

[47] CAPLAN, Bryan. Museum of Communism. Disponível em: <http://econfaculty.gmu.edu/bcaplan/museum/comfaq.htm>. Acesso em: 13/03/2017.

[48] LENIN, Vladmir. The attitude of the workers’ party to religion. Disponível em: <https://www.marxists.org/archive/lenin/works/1909/may/13.htm>. Acesso em: 13/03/2017.

[49] LENIN, Vladmir. Letter from Lenin. Disponível em: <http://www.loc.gov/exhibits/archives/ae2bkhun.html>. Acesso em: 13/03/2017.

[50] ibid.

[51] McGRATH, Alister; McGRATH, Joanna. O Delírio de Dawkins. São Paulo: Mundo Cristão, 2007, p. 99.

[52] Brotéria: cultura e informação (1964), p. 719. Disponível em: <https://goo.gl/8eljRO>. Acesso em: 13/03/2017.

[53] ibid.

[54] LENIN, Vladmir. The attitude of the workers’ party to religion. Disponível em: <https://www.marxists.org/archive/lenin/works/1909/may/13.htm>. Acesso em: 13/03/2017.

[55] GORKY, Maxim. Letter from Gorky to Stalin. Disponível em: <http://www.loc.gov/exhibits/archives/f2gorky.html>. Acesso em: 13/03/2017.

[56] G1. Igreja Católica da China jura lealdade ao Partido Comunista após acordo com Vaticano. Disponível em: <https://g1.globo.com/mundo/noticia/2018/09/23/igreja-catolica-da-china-jura-lealdade-ao-partido-comunista-apos-acordo-com-vaticano.ghtml>. Acesso em: 02/03/2019.

[57] Disponível em: <https://twitter.com/kasparov63/status/691666895146070016>. Acesso em: 05/05/2019.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)  

200 comentários:

  1. Olá Lucas, no seu último artigo eu havia comentado sobre o novo episódio do programa do Rodrigo Silva, e agora estava indo lá acrescentar uma observação mas os comentários já estão cheios, então comentarei aqui.

    Sabendo que a narrativa do Genesis é adaptada ao padrão egípcio para que o aprendizado fosse mais didático para os hebreus, outra relação que acho que podemos encontrar no texto é Genesis 3. Já vi ateus usarem essa passagem como prova contra a veracidade da Bíblia, porque ela não cita diretamente a presença de Satanás, em vez disso afirma claramente que tudo foi obra de uma cobra, um simples animal. Ou seja, a figura do Diabo só teria surgido posteriormente e os cristãos tentaram encaixa-la nesse texto.

    Eu gosto muito de história, ultimamente estive lendo algumas coisas da Antiguidade, especialmente do Egito. Baixei o pdf de um livro chamado 'O Mundo Mágico do Antigo Egito' e há um capítulo inteiro destinado a relação dos animais com o mundo espiritual, os egípcios acreditavam muito nessa relação entre deuses/espíritos e animais. O falcão por exemplo era a encarnação de Hórus. Olhe umas citações que tirei desse capítulo:

    'Na casa deles, cães e gatos viviam em acordo de paz. Mas o patriarca e
    a sua família não olhavam para eles com um olhar indiferente ou compassivo.
    “Esses seres”, confidenciou-me o mais velho, “são receptáculos da alma. Não têm
    necessidade de conhecer os espíritos porque eles são os espíritos”.'

    'extraordinário amor do Antigo Egito
    pelo mundo animal, onde o divino se exprime com tanta força e precisão.'

    Então, acho que isso explica o fato do texto não fazer questão de explicar quem estava por trás da cobra, se isso pra nós já está implícito quanto mais pros hebreus que tinham acabado de sair do Egito, era muito óbvio. A propósito, esse livro explica que a serpente era considerada um dos animais mais perigosos pelos egípcios, e era na grande maioria das vezes associada a algo maléfico. Não é atoa que Apófis, que segundo a cultura egípcia é ninguém menos que o próprio chefe dos demônios, é retratado justamente como uma cobra. Cobra essa que era 'uma constante ameaça à própria estabilidade
    do cosmos.' E habitava numa região do Mundo dos Mortos denominada 'Nilo Celestial'(lembra o Éden), 'A hipnose também é uma de suas armas'(A serpente seduziu Eva), 'APÓFIS comandava um exército de demônios que infestavam o gênero humano e que só tendo fé nos deuses de luz as pessoas poderiam derrotar tal contingente'.

    É clara a sobrevivência da história do pecado original pelos mitos dos antigos, história essa que era adaptada a cultura local, como no caso de Apófis, que você pode ler mais aqui: https://www.fascinioegito.sh06.com/apofis.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, faz sentido mesmo, obrigado pelo comentário.

      Excluir
  2. Banzolao ja que seu artigo anterior ja completou 200 artigos,gostaria de fazer um contraponto ao seu comentário sobre Bolsonaro ter aceitado o apoio de Astrolavo com medo de ser atacado pelos olavetes,que obedecem o guru cegamente e alguns deles são mais influentes nas redes sociais que o próprio guru,no entanto a vitoria dele não dependeu dos olavetes e sim dos evangélicos, que são 30%da população brasileira e de outras pessoas não necessariamente cristãs conservadoras,mas que estavam com muita raiva do PT,devido a crise econômica do país e de tudo que foi descoberto na Operação Lava Jato,então essa foi a base do Bolsonaro:evangélicos e antipetistas,não precisava de olavetes,não acredito que olavetes o atacando tiraria a sua vitoria. E a cada dia que passa o astrólogo fica mais nojento e vil,hj zombou da doença degenerativa do general Villas Boas,eu acredito que ele ainda causará sérios problemas ao governo Bolsonaro,vc pensa isso tbm?Achas que as contendas causadas por ele podem comprometer as reformas necessária para o país ,inclusive a da Previdência?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas se todos os youtubers olavetes começarem a atacá-lo diariamente em seus canais, isso mancharia muito a reputação dele porque grande parte das pessoas (pessoas comuns inclusive, que nem sabem quem é Olavo) é influenciada por vários desses canais aí, que são bem maiores que o próprio Olavo, mas que são apenas lacaios dele. Aí sim se tornaria ingovernável e ele não teria a mínima chance de reeleição (se é que ele deseja isso). O ponto é que ele não deveria ter entrado nessa (de se aliar aos olavetes), mas agora que fez, está tentando se manter nessa mesma base para evitar males maiores. E por mais que a eleição dele tenha se devido mais aos evangélicos do que aos olavetes, pela margem razoavelmente pequena que ele ganhou no segundo turno, sem qualquer um dos dois ele não teria ganhado (embora o que realmente impulsionou a sua vitória foi o sentimento antipetista que será bem menor nas próximas eleições, então eu acredito que ele não conseguirá se reeleger mesmo se manter essas duas bases de apoio). Sobre as bobagens que o Olavo diz, bom, acho que ninguém aqui esperava outra coisa. Só quem não acompanhava o histórico dele nas redes sociais é que acreditava que ele não iria causar problemas. E sim, essas confusões podem afetar a reformas necessárias para o país, isso foi uma das coisas que me fez não votar nele em primeiro turno, tudo isso que está acontecendo já era extremamente previsível, só os bolsominions mais fanáticos não viam isso.

      Excluir
  3. Na minha bíblia, tem umas partes com estudos no final e tem uma parte assim:
    VIII. A DEFESA DO CRENTE CONTRA SATANÁS
    A. A Atual Obra Intercessória de Cristo Jo 17:15).

    B. O Plano de Deus Pode Incluir Usar Satanás para Propósitos Benéficos na Vida do Crente ( 2 Co 12:7).

    C. O Crente Nunca Deve Falar de Satanás com Desprezo (Jd 8-9).

    D. O Crente Deve Estar Sempre Vigilante (1 Pe 5:8).

    E. O Crente Deve Resistir a Satanás (Tg 4:7).

    F. O Crente Deve Usar Sua Armadura (Ef 6:11-18).

    Essas afirmações da letra B e C estão teologicamente corretas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema desse tipo de Bíblia de Estudo é que elas tendem a ser bem superficiais às vezes, e de forma até compreensível já que existe uma limitação de espaço, então tentam sistematizar tudo e muitas dessas coisas podem ser consideradas erradas ou até heréticas dependendo da forma que se interpreta essas sentenças, e dependendo do contexto do que está sendo dito. Por isso eu sou um hater assumido de teologias sistemáticas e notas de rodapé, embora reconheça que elas tem sua utilidade, mas ao mesmo tempo tem esses problemas que mencionei. No caso do ponto B, é até aceitável o que eles dizem se você pensar sob a perspectiva do texto que eles mencionaram entre os parêntesis. Não como se Satanás quisesse nos fazer algum bem, ele quer nos prejudicar, mas Deus pode usar algo ruim para gerar algo bom (como ocorreu com Jó). Mas se você traz apenas essa sentença sem maiores explicações, uma pessoa comum e simples será tentada a pensar que Satanás é do bem e existe para nos trazer propósitos benéficos (o que seria uma baita de uma heresia). Sobre o ponto C, o texto citado fala de "acusações injuriosas", não de "falar com desprezo". Na Bíblia muitas vezes que Satanás aparece é tratado com "desprezo", mas não devemos ficar brincando de "pisar na cabeça da serpente" com uma bota de couro de cobra Píton, como alguns fazem por aí, ou ficar brincando de entrevistar o demônio para tentar humilhá-lo publicamente, como fazem outros tantos.

      Excluir
  4. Rei Lucas veja https://m.youtube.com/watch?v=j0VckAfC69U
    o que voce acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar dele ser um pouco exagerado, realmente o Brasil vai quebrar se a reforma não for aprovada.

      Excluir
  5. Prezado lucas, concordo plenamente com você acerca dos problemas e erros do socialismo marxista. Da utopia pregada por marx e impossivel de ser colocada em prática. Porém me incomoda demais essa dicotomia de capitalismo x socialismo marxista, como se fracasso ideologico de um justificasse a certeza de que o outro é a solução. Entendo que muito dos argumentos que você usou pra defender o capitalismo como uma ideologia perfeita são tão utopicos quanto o que é pregado pelo socialismo marxista. Você argumenta que os empresários pra terem uma margem de lucro maior anseiam por melhorar a qualidade dos seus produtos e serviços de forma que fiquem mais assessiveis a uma quantidade maior de pessoas independente da classe social. Ou seja para o empresário é melhor que o pobre deixe de ser pobre pra consumir mais e ele lucrar mais. Ai todo mundo sairia ganhando. Na prática isso é uma utopia. A realidade é que todo empresário quer é adquirir algum tipo de monopolio pra ter mais lucro. Nenhum empresário ver concorrência como algo positivo. A realidade é que o que impera no mundo capitalista são os grandes monopolios. Os carteis que regulam os preços da maioria das coisas. A especulaçao finaceira do mercado de bolsa de valores. A obsolescência programada das empresas de tecnologia. A coca cola quando se sente ameaçada pelo guaraná jesus vai lá e compra a empresa por um preço modico e diminui sua produção e demite metade dos funcionários. Essa opçao só existe porque o guarana jesus tem mercado no piaui, em outras circunstâncias a coca cola so ia comprar e fechar. O preço de compra da empresa oferecido é menor do que o justo porque se o dono do guaraná não aceitar a coca cola baixa o preço do seu produto abaixo do valor de custo até que o guaraná jesus venha a falência. A coca cola consegue fazer isso porque tem um capital trilhardario que permite que ela tenha um pequeno prejuizo durante tempo suficiente pra prejudicar o concorrente. Troque o nome coca cola e o nome guaraná jesus por varios outros e você perceberá que esse é o modus operandis de todas as grandes empresas do mundo. A grandes empresas se gabam de serem praticantes da meritocracia e do livre mercado mas suas fabricas estão instaladas em paises totalitarios que exploram uma mão de obra barata de forma quase escrava (china), suas sedes estão instaladas em paises que dão diversos beneficios fiscais (irlanda, cingapura). A apple é especialista em obsolescência programada e o slogan real dela deveria ser "encontrando soluções para problemas que você nem sabia que tinha". A google ganha dinheiro vendendo informações ao seu respeito sem você saber com base no que você pesquisa na internet. O livre mercado so existe na cabeça dos chicago boys. O mercado real é extremamente manipulavel, vide a especulação financeira de wall street. O Eike batista sozinho derreteu 30 bilhões de doletas com especulação financeira agravando a crise brasileira quando ela estava no inicio, e era tratado como um visionario. Desculpe se me alonguei Lucas, mas o que eu quero demonstrar é que as ideias liberais do capitalismo e do livre mercado são tão utópicas quanto a anarquia comunista de marx. Que nos dois casos o que dificulta a implantação dessas ideias é a ganância e o amor ao dinheiro e ao poder que todos os homens e mulheres tem. Que a discussão a respeito de qual ideologia é a verdadeira no fim das contas é irrelevante. Eu citei diversos problemas do capitalismo, mas poderia fazer o mesmo com o socialismo marxista. Ainda bem que você fez esse favor pra mim. No fim das contas quando eu analiso os dois lados eu me faço duas perguntas: será que tem alguém certo? Por que não tentamos encontrar alternativas mais equilibradas do que ficar defendendo um ponto de vista que a anos não tem levado a nada? No mais fica em paz e obrigado pela atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Julio, vou responder resumidamente senão levaria horas para responder tudo isso aí adequadamente. Vamos começar pelo final, que é o mais importante. Você questiona: “No fim das contas quando eu analiso os dois lados eu me faço duas perguntas: será que tem alguém certo?”. Sim, tem. Desde que o capitalismo surgiu, a extrema-pobreza diminuiu de 95% para apenas 15% atuais (e onde ela continua, é basicamente onde há mais resistência ao capitalismo, como África e Ásia). Eu francamente não sei como os resultados poderiam ser mais positivos que isso. Diga-me qual outro sistema que já existiu gerou tanta riqueza e tirou tanta gente da pobreza do que o capitalismo, que eu imediatamente deleto esse artigo e apago todo o meu livro. Infelizmente estamos acostumados a uma visão crítica do capitalismo vindo da mídia e da doutrinação escolar, mas a realidade é bem diferente do que somos ensinados a pensar. Este inclusive foi o tema de um artigo recente que eu acho que você deveria ler:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/02/o-capitalismo-e-o-responsavel-pela.html

      Então é simplesmente falso que “o capitalismo não tem levado a nada”. Ele levou o mundo a patamares que ninguém nunca antes sonhou ser possível, seja em termos de riqueza produzida, seja no que tange à superação da miséria, seja em crescimento científico e tecnológico, seja em qualquer área de destaque. Negar isso é negar a própria realidade do mundo.

      Sobre os monopólios e cartéis, o seu exemplo foi extremamente infeliz. Se eu morasse no Piauí, com certeza preferiria a Coca-Cola do que o “Guaraná Jesus”, e isso não tem nada a ver com a Coca-Cola ser uma gigante opressora monopolista, mas simplesmente porque ELA É A MELHOR. E livre mercado é isso, geralmente o melhor é o que mais vence, a natureza é assim, seleção natural. E o melhor vencer não é uma coisa ruim para os consumidores, pelo contrário, o melhor só venceu porque é o melhor para o consumidor que decide comprar os seus produtos entre dúzias de outras opções, o ruim seria se o pior vencesse. Você realmente pensa que a Coca-Cola só chegou aonde chegou porque comprou empresas menores, como se precisasse se preocupar com um “Guaraná Jesus” em algum lugar do Piauí? Fala sério. Ela só chegou nesse patamar porque foi a que melhor uniu esses dois fatores: melhor qualidade por uma taxa aceitável de preço. Qualquer outro que tivesse feito isso melhor que ela teria ganhado dela.

      Se o monopólio tem a ver com alguma coisa NÃO é com o livre mercado, mas justamente com o seu oposto. Tome como exemplo o Brasil com suas muitas agências reguladoras e com toda a sua burocracia, quantas empresas de internet e telefonia existem aqui? Pouquíssimas, dá pra citar nos dedos de uma mão, e os serviços são péssimos. Agora vá ver quantas existem nos EUA, onde o mercado é incomparavelmente mais aberto e livre do que no Brasil, e existem inúmeros serviços desse tipo, cada um deles muito melhor e mais eficiente que os serviços aqui disponíveis. Não é a toa que tanta gente sai do Brasil pra ir morar lá e se assombra com o nível superior dos produtos e serviços, porque o mercado de lá FUNCIONA. Se tem uma coisa que ENFRAQUECE os monopólios é o livre mercado, por isso é ridículo vincular uma coisa à outra, onde mais há monopólio é justamente onde menos há livre mercado, é assim no mundo todo.

      As ideias liberais do capitalismo e do livre mercado são tão “utópicas” que fizeram os EUA se tornar o dono do mundo, só isso. Quem dera tivéssemos mais “utopias” assim.

      Fica na paz.

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta cordial Lucas. Ainda tenho ressalvas com relação aos seus argumentos em defesa do seu modo de enxergar o capitalismo. Entendo que economia de mercado e livre mercado pleno são conceitos distintos e que a utopia capitalista se encontra no segundo. Acredito que existe uma necessidade de regulação estatal minima para que a economia de um país funcione e que esse minimo não significa regulação pequena ou inexistente. O exemplo da coca cola e do guarana jesus que dei foi de um caso real em que a mesma ao inves de aceitar a concorrencia de uma empresa aparentemente insignificante, pequena e local a absorveu e prejudicou toda uma cadeia produtiva. Pela sua logica não faz o menor sentido uma empresa do porte da coca cola se preocupar com um refrigerante insignificante nos confins do piaui. Será que essa foi a primeira e unica vez que isso aconteceu? Enfim, o exemplo foi apenas o de como eu enxergo o modus operandis das grande cadeias multinacionais que absorvem pequenas empresas antes mesmo de elas se tornarem relevantes. Como disse eu não sou um entusiasta da dicotomia capitalismo selvagem × socialismo marxista. Entendo que existem formas de economia de mercado que atendem melhor as demandas sociais e formas de socialismo nao marxista que aceitam a economia de mercado com regulação estatal sem inteferir em conceitos da propriedade privada. Também não sou fã dessa defesa dos EUA como dono do mundo. Há controversias a respeito de como de fato eles chegaram a esse status quo. É um pais cheio de problemas estruturais, com diversos bolsoes de miseria, principalmente em relaçao a população negra e latina, com problemas serios de segregaçao racial, em particular nos estados do sul, epidemias de obesidade e vicios em opiaceos, além do surto de atentados armados em locais públicos, um problema estatisticamente muito maior em relação ao resto do mundo. Pra um pais riquíssimo esses problemas ja deveriam ter sido resolvidos, levando em conta a otica capitalista que você apresenta. A meu ver existem paises muitos mais prosperos e com qualidade de vida muito maiores. Muitos deles com governos de esquerda. No mais sou grato de verdade pela sua cordialidade, pelo debate respeitoso. Vejo que você é bastante coerente e respeito com sinceridade sua opniao. Tenho acompanhado seu blog justamente por vocé ter alguns posicionamentos bem diferentes do meu, principalmente em relaçao a questões politicas, mas vejo que existe bom senso e sem ofensas. Nos tempos polarizados de hoje isso é bastante raro. Fica na paz de Deus e obrigado de verdade.

      Excluir
    3. Bom, até onde eu sei, “livre mercado” e “economia de mercado” são comumente usados como sinônimos, e se referem a um sistema com pouca ou nenhuma intervenção estatal na economia. Há liberdade em um mercado que se auto-regula, e o Estado está ali basicamente para evitar cartéis (por isso é importante distinguir liberalismo de anarcocapitalismo, no qual não existe Estado algum, o que eu estou longe de concordar). Historicamente falando, é o sistema econômico que mais funciona, inclusive é o responsável pela riqueza desses países europeus aos quais você alude no final do texto (presumo que esteja falando dos países nórdicos), que embora hoje em dia sejam governados por uma esquerda moderada, eles já eram muito ricos antes disso, riqueza essa conquistada através da economia de mercado. Como eles já eram ricos antes disso, é errado atribuir a riqueza a isso. Eles estão apenas administrando e dividindo a riqueza que foi garantida e conquistada por um sistema semelhante ao norte-americano atual.

      Como eu disse no meu comentário anterior, embora numa economia de livre mercado seja possível uma empresa grande como a Coca-Cola comprar uma empresa pequena como a do “Guaraná Jesus”, a melhor forma de combater monopólios é justamente com o livre mercado. Com o Estado controlando tudo temos um monopólio do Estado (=socialismo), e quanto mais nos distanciamos disso, mais longe ficamos do monopolismo. Mas quando o Estado coloca pesados impostos, encargos e burocracia em cima das empresas, fica difícil sustentar uma, e então facilmente um “Guaraná Jesus” decide que é melhor vender sua empresa para a Coca-Cola e se livrar dessa dor de cabeça. Note que isso é bem menos frequente em um país onde o Estado é bem menor, como o próprio EUA, onde há muito mais empresas concorrendo entre si, gerando qualidade maior a preço menor. Se a sua lógica estivesse certa, quanto mais livre um mercado fosse mais monopólios haveria, mas a realidade do mundo nos mostra precisamente o contrário.

      Sobre os problemas dos EUA, não dá pra negar, mas se formos pegar a “ficha corrida” de cada país, não sobraria nenhum de pé. Só que é muito mais fácil falar dos problemas dos EUA do que dos outros, porque eles estão em muito mais evidência do que os demais, tornando-se assim um alvo mais fácil. Não vou comentar sobre obesidade, racismo e seriais killers porque isso levaria a discussão para um outro território que não tem nada a ver com o âmbito econômico que estamos discutindo aqui, por isso me limitarei a comentar sobre os chamados “bolsões de miséria” da população negra e latina. Antes de mais nada, se existe população latina ali, é porque eles decidiram migrar para lá, ou seja, porque eles avaliaram e concluíram que morar nos EUA era mais vantajoso do que continuar vivendo em seus respectivos países. Só isso já seria o suficiente para refutar esse discurso e demonstrar a superioridade dos EUA. E a esmagadora maioria desses latinos nunca quis voltar, porque estão bem melhores agora do que estavam antes.

      [Continua...]

      Excluir
    4. Mas note que você mesmo acaba indiretamente respondendo a problemática que você levanta: não tem como dar emprego e vida digna a milhões e milhões de imigrantes legais e ilegais que “invadem” os EUA a cada ano que passa (e que se multiplicam dentro das suas fronteiras). É como se você morasse numa casa boa com tudo de bom, mas de repente tivesse que dar moradia a outras dez pessoas vindas da rua, e você se vê obrigado a dar alimento para todas elas. Com certeza a sua condição financeira ficaria bem menos boa, talvez até miserável, porque a sua riqueza dividida por esses 10 “invasores” é consideravelmente menor do que quando você tinha tudo equilibrado com você e a sua família.

      Os países europeus não têm esse problema, porque é muito mais difícil um mexicano (apenas como exemplo, nada pessoal contra mexicanos) imigrar ilegalmente para a Europa do que para os EUA, que fica ali na fronteira deles. Mas eu gostaria de ver um país desses como a Noruega ou a Suíça tendo que aceitar ondas imigratórias imensas de todos os lados e sendo obrigados a darem emprego e moradia a cada um deles. Eu aposto o olho da minha cara que numa circunstância dessas eles ficariam piores que os EUA bem rápido. Todavia, ainda assim é muito diferente a pobreza desses latinos americanos do que a pobreza dos latinos que moram em seus países nativos. Chama-se de “pobre” nos EUA um cidadão que aqui seria tido como no mínimo de classe média. Não dá pra comparar um americano pobre com um favelado brasileiro. São parâmetros completamente diferentes de pobreza. Dentro das suas possibilidades, os EUA fazem o que podem para frear a pobreza e deixá-la o menos denso possível.

      Abs!

      Excluir
    5. O debate está tomando um rumo interessante e se você não se importar de continuar gostaria fazer algumas considerações. O anarcocapitalismo é justamente a utopia do liberalismo e do livre mercado aplicado em sua forma plena. Quando diferencio conceitos é justamente tentando mostrar que economia de mercado é sinonimo de capitalismo e não de liberalismo. De fato liberalismo e capitalismo são usados como sinonimos. A meu ver de forma errada. Para mim o liberalismo é uma ideia ou tese desenvolvida de aplicação do capitalismo como modelo de economia. Assim como o marxismo é uma tese ou ideia de aplicaçao do socialismo, existindo outras formas nao marxistas de socialismo e outras formas de capitalismo.
      Acredito que existem diversos paises capitalistas e que o modo como estes aplicam conceitos liberais de forma mais ou menos moderadas os diferenciam. O capitalismo americano é totalmente diferente do chinês, mas os dois praticam capitalismo.
      O conceito de social democracia ao meu ver tem a ver com isso. Os paises que optaram pela aplicaçao do estado de bem estar social nao deixaram de ser capitalistas, pelo contrario usam da intervenção estatal para promover emprendedorismo e incentivam a propriedade privada. Porém entendem que existem areas estrategicas da economia que nao devem estar nas mãos da iniciativa privada justamente por uma questão de conceito. Um exemplo é a proteção ambiental, gestão de recursos hidricos, reservas energeticas e minerais entre outros. Quando falo de paises sociais democratas nao falo apenas dos paises nordicos. Estes de fato são usados como exemplo de sucesso desse modelo politico econômico , mas como vc mesmo relatou existem controversias a respeito de como obteram tais conquistas. Mas existem outros exemplos de aplicação da social democracia de forma bem sucedida e até mesmo de forma mais moderada. Canada, alemanha e nova zelandia por exemplo. O Proprio EUA aplicam e aplicaram muitas medidas socias democratas ao logo de sua historia, principalmente em governos democratas. Os paiseS que eu citei, inclusive também passam por situação de imigração, sendo bem mais abertos em relaçao a isso do que os EUA.(continua).

      Excluir
    6. Com relaçao aos problemas dos EUA que vc disse não estão relacionados com questões econômicas, discordo. O problema do racismo que persiste nos EUA remonta a guerra civil americana que nunca teve de fato suas feridas curadas e tinha relação direta com questões economicas provenientes da escravidão. Pra muitos americanos principalmente dos estados do sul que perderam a guerra ainda hoje a escravidão é vista e justificada como uma relação comercial e não veem nenhum problema na opressão dos negros. A questão da obesidade morbida, não apenas o sobrepeso que tb está se tornando comum até no brasil, também tem relação com a questão da economia. Principalmente com impacto gigante da industria de alimentos e o lobby que ela possui junto ao governo. Além disso a população que mais passa por esse tipo de problema é conhecida como white trash, lixo branco, termo cunhado pelos proprios americanos e que corresponde ao contingente de pessoas brancas de baixissima escolaridade, desempregadas, sustentadas pelo governo que moram em trailers. É um contingente enorme de pessoas.
      A questão do vicio em opiacios também tem relaçao direta com o modelo capitalista americano. A empresa farmaceutica responsavel pela popularização do vicodin, principal analgésico a base de opio (mesma base da heroina, morfina, cocaina) promoveu pesquisas e induziu os medicos americanos a acreditarem que a prescrição desse medicamento para qualquer tratamento de dor não traria prejuizo nenhum para as pessoas. Os donos ficaram trilhardarios e são umas das pessoas mais ricas da america. Hoje a justiça americana está tentando enquadra-los em algum tipo de crime pois essa popularização e o marketing feito por eles provocou uma onda absurda de milhões de viciados em heroina, analgesicos e morfina, que iniciaram seus vicios em tratamentos simples, como um braço quebrado, dor de dente entre outros.
      O problema da onda de tiroteios aleatorios também tem gerado uma serie de discussões acerca da responsabilidade da legislação anarmentista norte americana com relaçao a facilidade de acesso a armas. A relaçao disso com a economia tem a ver com o lobby gigantesco da industria de armas nos EUA. Negar que eles de fato exercem uma influência enorme na politica americana é meio ingênuo, não acha?
      É obvio que existem muitos outros fatores sociais e culturais que ifluenciam nesses problemas. Mas acredito que o modelo econômico capitalista e de incentivo ao consumismo extremo aliado a flexibilização das relações economicas na tententativa de ampliar o livre mercado dos EUA tem sim um impacto enorme em relação a esses problemas que citei. Existem muitos outros que também poderiam ser citados e que tem relação direta com a política econômica americana como a questão ambiental, a insistencia em interferir e participar de conflitos internos de outros paises sem motivo aparente que não seja o economico (Vietnã, iraque, venezuela). Por que o EUA se importa tanto com a venezuela? O que muda na vida dos americanos se a venezuela estiver em uma guerra civil ou não? É muita ingenuidade achar que uma intervenção militar americana é só porque eles são bonzinhos e não porque a venezuela possui as maiores reservas de petróleo.
      Tudo isso que eu estou relatando é apenas pra tentar mostra que os EUA não é um paraíso na terra, que toda a conquista finaceira que eles conseguiram tiveram um custo, e que apesar de eles terem um poderio economico e militar isso não faz deles donos do mundo. No fim das contas eu retorno a mesma pergunta: tem alguem de fato certo? Se o socialismo Marxista promoveu destruição e custou muito a humanidade isso significa que o modelo americano é o salvador do mundo? Será que os EUA querem realmente replicar o seu modelo ao redor mundo porque são autriistas? Será que eles deixariam algum outro país fazer o que eles fazem e o que já fizeram para conquistar a hegemonia que eles possuem?

      Excluir
    7. Canadá, Alemanha e Nova Zelândia não recebem o mesmo número de imigrantes que os EUA, não chegam nem perto disso. Os EUA possuem atualmente 38 milhões de imigrantes em seu território, contra 10 milhões da Alemanha, 6 milhões do Canadá e 642 mil da Nova Zelândia, portanto não possuem nem de longe os mesmos problemas decorrentes da imigração massiva. E eu não sei se esses dados incluem também a imigração ilegal, pois se não incluem, então a realidade é ainda mais gritante:

      https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_pa%C3%ADses_por_popula%C3%A7%C3%A3o_imigrante

      Some a isso o fato de que os imigrantes nesses três países por você citados são GERALMENTE (embora não sempre) pessoas que já tem um padrão de vida médio ou alto (no caso da Alemanha, imigrantes de outros países europeus, e no caso de Canadá e Nova Zelândia pessoas que chegam lá de avião e legalmente, e não gente esfomeada que larga tudo para atravessar a fronteira ilegalmente). Queira ou não, nenhum país do mundo recebe tantos imigrantes ilegais e de países pobres quanto os EUA, e sim, isso impacta a economia de qualquer país, nenhum deles suportaria, os EUA inclusive se sobressaem muito melhor do que outras economias se sairiam diante dessa mesma realidade.

      Sobre o racismo, ele existe em qualquer lugar do mundo, é muito errado vincular o racismo americano ao liberalismo econômico, se apegando a uma guerra de quase duzentos anos atrás. Os outros países da América também passaram por escravidão, inclusive por uma escravidão maior e mais rígida que a norte-americana, e que durou mais tempo que ela. E, no entanto, não eram liberais. Outros países tiveram ondas de racismo muito mais fortes, como a Argentina, que eliminou praticamente por completo a população negra simplesmente deixando os negros deliberadamente nas primeiras fileiras das batalhas para morrerem ali, e os que sobreviviam eram enviados a províncias infestadas por pragas mortais, e o governo se recusava a colocar hospitais, clínicas, asilos ou dar alimentação a eles. Finalmente, as mulheres negras menos escuras foram forçadas a ter relações com homens brancos, para que seus filhos não nascessem negros:

      https://www.mundotkm.com/rusia2018/2018/06/24/me-pregunte-no-negros-la-seleccion-argentina-crudo-relato-canadiense-se-volvio-viral/

      Tudo isso aconteceu aqui do lado, na Argentina, que hoje não tem quase nenhum negro, apesar da população negra no passado ser tão relevante quanto a norte-americana, que jamais chegou a este ponto. No entanto, são poucos os que conhecem esses fatos, porque é sempre muito mais conveniente apontar o dedo na cara dos americanos e denunciar seus erros do que fazer o mesmo com os outros países. Temos a impressão de que não há racismo na Europa, mas isso é somente porque lá historicamente há pouquíssimos negros em comparado à América (para onde foram trazidos muitos escravos africanos). Mesmo assim, rotineiramente jogadores negros são insultados nos estádios de futebol, em uma escala muito maior do que acontece nos EUA. E em nenhum lugar da América o negro tem tantas oportunidades quanto nos EUA, não dá nem pra comparar o padrão de vida de um negro americano com o de um negro brasileiro, apesar de ainda estarem um pouco abaixo do padrão de vida dos brancos (em ambos os casos, mas aqui muito mais).

      [Continua...]

      Excluir
    8. Muito do que você cita não tem a ver com o sistema econômico em si, como por exemplo quando fala da empresa farmacêutica responsável pela popularização do Vicodin. Uma coisa desse tipo poderia acontecer com qualquer empresa em qualquer lugar, não está vinculada estritamente ao modelo econômico. O mesmo ocorre quando você vincula as mortes nas escolas à liberalização das armas, quando a média de assassinatos per capita deles é muito menos do que a nossa (onde as armas são proibidas). No ranking dos países com mais homicídios do mundo, os EUA não aparece e todos os outros são países notoriamente esquerdistas onde as armas são proibidas:

      https://img.r7.com/images/grafico-violencia-no-mundo-instituto-igarape-13072018194414484

      Ademais, se você comparar a média de homicídios nos estados americanos onde a arma é totalmente liberada com aqueles onde há forte regulação das armas (pois cada estado americano tem suas próprias leis locais, não é como no Brasil onde é tudo uma coisa só), os estados onde as armas são mais liberadas tem uma taxa de homicídio inferior àqueles onde as armas são mais reguladas. Tudo isso mostra que, seja lá qual for a razão desses lamentáveis homicídios nas escolas, nada disso tem a ver com a legalização das armas, e tampouco é correto atribuirmos um valor maior a essas mortes do que a qualquer outra morte (todas as vidas tem o mesmo valor).

      Eu também sou contra a invasão de outros países e inclusive já escrevi um artigo criticando a decisão do Trump na Síria. Poderia fazer igual a você e passar um tempão aqui falando mal dos EUA e apontando cada erro deles, da mesma forma que poderia fazer com qualquer outro país, e poderia ainda apontar muito mais erros que acontecem no nosso próprio país. Mas o que isso prova? Apenas que errar é comum a toda a humanidade (embora para muitos seja sempre bem mais cômodo passar a impressão de que errar é uma característica singular dos EUA ou de Israel). Nada disso muda o fato de que eles chegaram à condição de maior potência econômica do mundo através do capitalismo (ou do liberalismo, como queira chamar), que é justamente o que este artigo defende.

      [Continua...]

      Excluir
    9. Além disso, em se tratando dos EUA somos muito rápidos em apontar seus erros, mas os acertos passam quase sempre despercebidos, pois da mesma forma que para muitos é conveniente apontar seus defeitos, pelas mesmas razões não é nada conveniente apontar seus acertos e contribuições à humanidade. Foi a supremacia norte-americana no campo econômico, científico, tecnológico e cultural que deu aos americanos a vitória na queda-de-braço que derrubou o Muro de Berlim e destruiu o comunismo oriental quando ele estava mais forte do que nunca, e ameaçava conquistar o mundo inteiro. E graças aos EUA podemos hoje desfrutar de alguma liberdade que de modo algum teríamos se a Guerra Fria fosse vencida pela União Soviética, que fatalmente faria de toda a América uma “grande Cuba”

      Graças aos americanos temos eletricidade, vacinas, câmeras, celular, iPhone, lâmpada elétrica, microfone, cinema, helicóptero, avião (ok, esse é contestável), internet, televisão, rádio, GPS, cartão de crédito, controle remoto, notebooks, redes sociais, Vingadores Endgame, etc. E graças aos americanos o mundo não é dominado por nazistas, comunistas, tridentinos ou fascistas querendo espalhar seu regime de terror sobre a terra. Se o mundo moderno preza por esse conceito estranho às outras épocas chamado democracia, deve em grande parte à influência dos EUA, a primeira democracia moderna (algo que eu já não poderia assegurar se a China assumir a supremacia nas próximas décadas, como talvez aconteça).

      A História conta com pelo menos 6.000 anos e mesmo assim nenhuma nação trouxe mais benefícios à humanidade do que os EUA, que tem menos de 250 anos de existência. Ao longo de todo esse período numerosas potências tiveram a supremacia militar e econômica no mundo, mas nenhuma que fizesse sombra a todas as contribuições que os americanos trouxeram em tão pouco tempo (com a possível exceção do Reino Unido, que tem o mesmo histórico liberal). Muitas tiveram êxitos e conquistas militares bem além dos americanos, mas nenhuma que competisse em termos de desenvolvimento científico, tecnológico e econômico com eles. Mas nada disso é destacado, porque para os inimigos do capitalismo, apenas convém apontar seus erros e ressaltá-los energicamente, como se errar fosse exclusividade dos EUA.

      Abs.

      Excluir
  6. Banzoli você ganha alguma coisa no seu canal do YouTube? Depende do número de visualizações? Como funciona o YouTube?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que eu já li por aí, só canais muito grandes conseguem lucrar com o youtube, você precisa ter milhões de visualizações se quiser ganhar dinheiro com isso. Canais pequenos como o meu ganham 100 dólares após uns duzentos anos, então eu nem ativei a monetização que não vale a pena.

      Excluir
  7. Lucas me ajude. O que dizer à um cristão que diz isso? Há cristãos que defendem essa heresia católica? O que você acha deles? Você poderia colocar uma resposta que esmague esse argumento aí e ainda postar links de artigos seus que refutem isso?

    Eis o texto do dito cristão:

    "Sim, um dos erros mariológicos católicos é dizer que ela é co-redentora.

    Mas sobre dulia x latria, por mais que na prática se dê outra coisa, eles não possuem a intenção de adorá-la, e a prova disso é justamente a distinção teológica que eles fazem entre as duas coisas. Enquanto se pode culpar algum católico específico por fazer isso, não acho que se possa culpar o catolicismo por isso."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa "distinção teológica" entre dulia e latria é extremamente frágil e superficial. No latim, "latria" significa "servir" (latreuo), enquanto "dulia" significa ser "escravo" (doulos). Portanto, se existe alguma diferença ou vantagem de um em relação ao outro, seria em favor dos santos, e não de Deus. Vale lembrar que os católicos alegadamente praticam "hiperdulia" em relação a Maria, ou seja, são "super-escravos" dela, algo que vai bem além da simples "latria" (servir) que atribuem a Deus. E lógico que, na prática, o que eles fazem aos santos é rigorosamente o mesmo que fazem com Deus. Ambos recebem orações, culto, louvor e tudo mais.

      Sobre "latria e dulia", recomendo:

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com/2011/01/nos-nao-adoramos-mas-veneramos.html

      Sobre "venerar e adorar", recomendo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2013/05/nao-adoram-so-veneram.html

      Excluir
    2. Mr. Unknown,

      I too have a lot of material on praying to Mary and the saints. Nonetheless, I believe these samples should blow the dulia and latria distinction out of the water:

      https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2019/03/the-worship-of-dead-mens-bones.html

      https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2018/10/the-terms-latria-and-hyperdulia-create.html

      Excluir
  8. Nice article. Communism/socialism will only result in anarchy.

    I've heard of that grade system for students illustration before. It makes the point quite well.

    People talk about free college and higher minimum wage, but those ideas too have negative consequences for the economy.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "People talk about free college and higher minimum wage, but those ideas too have negative consequences for the economy"

      Don't even talk about it here in Brazil or they'll want to cut your head off. Believe if you want, here they pay a 13th salary in December (that is, they earn thirteen salaries per year instead of twelve, because in December their salary is doubled), so you may already have an idea of how labor laws "work" here.

      Excluir
  9. Primeiramente, olá Lucas.
    Bom, já li vários artigos aqui do site, e dos outros blogs que vc mantinha, cheguei à vc através do heresias católicas. Primeiramente agradeço por ter me tirado do culto olavista e monarquista católico, que eu já estava praticamente dando como absoluto e inclusive quase que começando a me inclinar para o catolicismo de fato. Eu que sempre fui protestante.
    Queria pedir uma idéia sua, eu tenho visto toda essa propagação da agenda marxista por todos os lados possíveis: jornais, novelas, filmes, séries, vídeo games... Inclusive tenho deixado de acompanhar várias dessas coisas pq não consigo simplesmente tolerar, e vejo isso de todo lado que olho, não sei se é pq estão lá de fato, ou se acabei me contaminando com o pensamento olavista de ver comunismo até embaixo da cama. Mas parece que todas essas coisas sempre tem dedo de progressista no meio, através de militância ou financiamento, tudo hoje tem que promover feminismo, ideologia de gênero, e praticamente os vilões sempre são brancos e héteros, com o padrão daquilo que a gente conhece por homem.
    E em meio à tudo isso, eu fico aflito imaginando se por mais que muitas pessoas tenham mostrado resistência contra isso, ainda assim eles parecem estar dominando e ganhando todos os espaços.
    Pelas revelações bíblicas, eles irão realmente dominar tudo e impor essa nova ordem à todos? Nossa luta contra isso é realmente vã?
    Isso tudo tem me deixado com muitas dúvidas.
    Agradeço pela atenção, e qqer resposta que puder me dar pra eu tentar me organizar um pouco nos pensamentos.
    Um abraço e fique com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Dalton, primeiramente é bom saber que o "Heresias Católicas" lhe foi útil, fico feliz por isso. Sobre o marxismo cultural dominar todos os espaços no futuro, bom, é isso o que tudo aponta. Nos meus artigos de escatologia eu sempre afirmo que o sistema do anticristo será um sistema socialista, regido pelos princípios atualmente presentes na extrema-esquerda e que devem se tornar cada vez mais presentes e agudos até lá. A diferença é que hoje esse sistema ainda encontra muita resistência ao redor do mundo, mas quando o anticristo estiver reinando essa resistência vai ser praticamente inoperante, e ele vai perseguir implacavelmente os que ainda restarem de pé.

      De certa forma, é o que já está acontecendo em forma embrionária, o cenário já está sendo montado há muito tempo. Mas isso não deveria ser razão para ficarmos apavorados ou neuróticos, primeiro porque não sabemos quanto tempo falta até isso tudo acontecer de fato (pode ser que ainda leve séculos, embora eu creia que não seja tanto), e segundo porque o desejo de todos os cristãos de todas as eras sempre foi o de que Jesus voltasse na época deles, o "maranata ora vem Senhor Jesus" era a aspiração maior de cada um deles, o que os movia e os instigava, de modo que saber que o fim está próximo deveria ser motivo de regozijo e não de lamento, apesar de sabermos que antes disso virá um período de grande tribulação.

      Finalmente, é preciso fazer um "mea-culpa" e ressaltar que quando os cristãos tiveram todo o poder em mãos para influenciar a cultura de cada país, eles toleraram por muito tempo a escravidão, massacraram os índios, fizeram leis machistas e racistas, inventaram Inquisição e cruzadas, e assim por diante. Historicamente falando, por mais que a influência cristã no mundo tenha sido bem mais positiva que negativa, nós não estamos em uma condição moral tão superior assim para condenar os erros dos secularistas que hoje detém a influência cultural em suas mãos e legitimam aborto, drogas, casamento gay e etc. Eu inclusive penso que o período em que vivemos é de certa forma um juízo de Deus sobre a igreja que deveria ser luz, mas que por muito tempo não foi.

      E por mais que isso se aplique muito mais a falsas igrejas como a romana, é inegável que evangélicos e outros cristãos já perpetraram muitas mazelas no passado, e também são dessa forma alvos da ira de Deus. Entender que nós não fomos muito melhores quando tivermos a chance é importante para não polarizarmos o mundo entre “nós” e “eles”, como se “eles” tivessem o monopólio das maldades e atrocidades morais, e “nós” tivéssemos mãos completamente limpas.

      Abs!

      Excluir
  10. Lucas, qual sua opinião sobre doação de órgãos humanos e do corpo (falecido) para faculdades de Medicinas? Estamos infringindo algum princípio cristão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo nenhum problema com isso. É até positivo se pensar sob o ponto de vista de que estará ajudando no desenvolvimento da medicina, que ocupa um lugar fundamental no progresso do mundo. Além do mais, nenhum corpo vai deixar de ressuscitar por causa de doação de órgãos ou de cremação, como se Deus fosse incapaz de ressuscitar nestes casos, o que seria uma visão bem limitada do poder de Deus. Então isso não causa prejuízo algum espiritualmente falando, e contribui favoravelmente em termos científicos.

      Excluir
  11. As coisas não são da maneira que muita gente pensa

    https://nascidodemulher.wordpress.com/2013/09/22/antes-que-abraao-existisse-eu-sou/

    ResponderExcluir
  12. Comente:

    https://youtu.be/1IGoW4AyUrA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os militares não reagem porque o presidente mandou não reagir. O general Heleno falou sobre isso ontem. Na verdade, o Bolsonaro teme perder o apoio do Olavo, então fica protegendo e bajulando ele.

      Excluir
    2. Lucas, você acha que uma hora o Olavo pode ser posto pra fora do governo? Você acha que um dia os militares podem reagir e mandem o Bolsonaro o expulsar o Astrólogo? Bem como os seus alunos?

      Excluir
    3. Vai ser difícil isso acontecer, porque do jeito que as coisas andam, parece estar bem nítido que entre os militares e o Olavo, o Bolsonaro escolhe o Olavo.

      Excluir
    4. Pelo jeito, então a única saída é orarmos para que Deus ilumine o presidente Bolsonaro para que ele acorde e veja a verdade sobre o Astrolavo.

      O Astrolavo é que nem uma madrasta cruel e manipuladora, maltrata os filhos e ainda manipula o pai para ficar contra os filhos. Esse Astrolavo é um enviado do Satanás para tentar destruir o Governo do presidente Bolsonaro. Oremos!

      Excluir
    5. Anonimo do jeito que o bolsonaro toma decisões estupidas e precipitadas sem a influencia do olavo (a mídia já não gosta do bolso, e ai ele comenta aqueles negócios sem sentido no twitter ou em entrevistas, a midia detona ele e ai ele fala que ta sendo perseguido, pelo amor de Deus né?), nem precisa de Satanás fazer nada, o bolsonaro acha que é facil governar um pais como este e que pode fazer ou falar o que quiser, se continuar nesse ritmo, diga fim a direita brasileira por mais algumas eleições (TALVEZ crença uma direita bem mais liberal como a do amoedo).

      Excluir
    6. O meu medo é o tempo que vamos perder se a direita der mais um mau exemplo no poder. Da última vez, quando os militares assumiram, perdemos mais de 30 anos com governos esquerdistas em sequência, agora se o governo Bolsonaro for uma m**** por causa do Olavo e de seus capachos não sei se o Brasil aguenta mais 30 anos de esquerda no poder. Por isso era tão importante que quando a direita chegasse ao poder colocasse ali um candidato dos mais preparados e capacitados, com uma visão equilibrada e sem más influências, não tivemos isso, mas vamos ver se o que tivemos será o suficiente para evitar que uma catástrofe aconteça novamente. Eu só acho muita ingenuidade essa gente que comemora a vitória do Bolsonaro como se a esquerda tivesse deixado o poder em definitivo, quando dependendo das circunstâncias isso pode ter sido até bom para a esquerda a longo prazo. Política não é sobre o que vai acontecer amanhã, mas sobre os próximos anos e gerações, tudo tem consequências bem mais profundas e eu já estou vendo muita gente desgostosa com o governo do Bolsonaro e até se inclinando mais à esquerda por conta disso (que era exatamente o que eu temia).

      Excluir
    7. Gostando ou não do Olavo nós temos quer ser justos. Ele não faz parte do governo e está apenas dando a opinião dele com qualquer cidadão livre tem o seu direito de dar.
      Vocês tem que entender é que a grande maioria dos militares são positivistas, não são de direita. Eles estão muito mais perto da esquerda do que a direita. Não é à toa que no governo militar eles destruíram a direita e deixaram a esquerda livre, leve e solta nas universidades, na cultura, na política, etc. Querendo ou não, gostando ou não é isso que o Olavo está alertando.
      Os militares não querem deixar que o governo cumpra com a agenda do qual ele foi eleito, ou seja, a conservadora. Por isso se faz necessária a saída desses milicos que só estão atrapalhando.
      É importante ouvirmos aguem vivido que conhece das coisas e deixarmos de lado, por um momento que seja, as rusgas do passado.

      Excluir
    8. “Ele não faz parte do governo” é um modo bem conveniente de se tapar o sol com a peneira. O próprio Bolsonaro e os filhos dele o declararam MENTOR INTELECTUAL do governo, portanto ele é muito mais influente do que qualquer um que formalmente faz parte do governo. Diante disso, ele deveria ter um mínimo de bom senso na hora de abrir a boca para atacar membros do governo, pois é óbvio que o que ele diz tem muito mais impacto e um potencial muito maior de desestabilizar o governo do que um “cidadão comum como qualquer outro”. O povo elegeu Bolsonaro já sabendo que ele é militar e já sabendo que os ministérios seriam compostos em grande parte por militares, portanto essa “caça às bruxas” aos militares é totalmente irracional e sem sentido. Mas enquanto o Olavo não ver cada ministério ocupado por um membro da seita que deve lealdade total a ele, ele não vai descansar, vai fazer de tudo para derrubar um por um, como já está fazendo. É EXATAMENTE O MESMO que ele fazia com o MBL, buscava qualquer pretexto bobo para atacá-los, porque esse sujeito simplesmente não aceita que a direita não seja toda “dele”. Quanto mais ele fala, mais divisão causa, mais enfraquece e compromete a estabilidade do governo e mais enche o prato da oposição, que não precisa fazer nada, apenas deixar o velho falar. É incrível que ainda haja gente que não consiga perceber algo tão óbvio (até o Lobão já caiu em si, para ter uma ideia).

      Excluir
  13. Comente:

    https://youtu.be/mVsskLjSAAk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele vai dizer que "foi uma hipérbole" igual aos fetos abortados da Pepsi.

      Excluir
  14. Mas mesmo dentro do Brasil, existe oferta vasta de telefonia, tv a cabo e muitos outros serviços mas com várias agências reguladoras e no fim não é um livre mercado e nem tem um processão tão acessível.

    A tv a cabo e internet no Brasil é uma das mais caras do mercado. Mesmo assim o pessoal adquire esses serviços pq ou é isso ou não é nada e viver no meio da selva sem comunicação com o mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado. O Brasil não é nenhum exemplo de capitalismo de livre mercado. As pessoas que reclamam do capitalismo usando o Brasil como referência não sabem do que estão falando.

      Excluir
  15. Por que quando alguém argumenta alguma coisa ela normalmente desdenha do ponto de vista que contradiz o que ela defende. Às vezes a pessoa diz que há falta de desonestidade intelectual, que se algo não for "isso" então não se sabe o que esse algo deva ser se o "isso"não for o que a pessoa defende... isso quando a pessoa que defende não vê Satanás no ponto de vista diferente.... como que a pessoa que argumenta assim escapará de Deus no dia do juízo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende, cada caso é um caso. Há casos em que alguém realmente usa de desonestidade intelectual, há casos em que alguém realmente prega algo satânico, e há casos em que as pessoas exageram. Não dá pra colocar tudo no mesmo pacote.

      Excluir
  16. Lucas, eu conversei com o mesmo "cristão" e ele me disse que Maria ser co-redentora não é dogma católico pois nenhum papa "bateu o martelo" sobre isso, que o que existe são posições isoladas de alguns padres que pensam assim. Além de dizer que não se pode classificar como idolatria a prática católica, por que nos documentos oficiais do catolicismo, os romanistas ensinam completamente diferente do que é praticado.

    Obs: Fui eu que perguntei acima sobre dulia, hiperdulia e lateia

    Que dizes de tudo isso aí?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre Maria co-redentora ainda não ser um dogma oficial é verdade, mas é uma crença atualmente bem aceita entre eles e que não deve demorar muito para ser oficializada (lembremos que doutrinas como a assunção e a imaculada conceição de Maria já eram cridas pelos católicos antes de se tornarem dogmas oficiais, da mesma forma que a co-redenção). Sobre o ensino formal católico sobre idolatria, releia a minha resposta anterior com os artigos que o Jesse e eu linkamos, ali está bem claro que a diferença técnica entre latria e dulia é superficial e que portanto mesmo em teoria a idolatria é ensinada. Em relação a Maria, por exemplo, o próprio catecismo católico diz que ela possui um "ofício salvífico" (§969). E os livros mais aceitos e recomendados pela Igreja, tais como o "Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem" e "As Glórias de Maria", escritos por santos e doutores da Igreja (São Luís de Montfort e Afonso de Ligório) e que possuem o Imprimatur (a garantia oficial de que não há erro moral ou doutrinário nos livros) ensinam expressamente que Maria é salvadora, onipotente, que atende pedidos que nem Deus atende, que é toda-poderosa, divina e etc. Eu não sei como é possível a idolatria a Maria ser mais explícita e descarada que isso (só se escrevesse na testa mesmo).

      Excluir
  17. Eu de novo:

    Católicos tem semelhanças com os cristãos e por isso não podemos considerar eles como uma seita apóstata do cristianismo bíblico da igreja primitiva ensinado pelos apóstolos?

    Eles acreditam no arrependimento, salvação pela graça, fé em Jesus e pelo fato disso tudo (dizendo o cristão que disse isso dos católicos conforme eu disse na mensagem anterior) não podemos vê-los como opositores da fé cristã porque até surgiu um documento assinado entre luteranos e católicos concordando acerca da justificação pela fé e que nisso vemos uma aproximação entre protestantes e evangélicos e que depois do Concílio de Trento, desde a publicação do documento Vaticano II, eles abrandaram a posição de Trento, querendo aproximação.

    Tudo isso ele me disse...

    Que fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso o que o movimento ecumênico universal prega, que basta "crer em Jesus" que já não se pode classificar como seita, se fosse assim então até os mórmons, TJ, espíritas, muçulmanos, hindus, todos eles seriam "irmãos na fé" porque todos creem em Jesus de alguma maneira. O fato de alguém "crer" em Jesus por si só não nos diz nada sobre essa crença. No caso católico, o "Jesus" que eles creem é totalmente diferente do nosso, como eu já expliquei neste artigo:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/01/catolicos-podem-ser-salvos.html

      Eles também não creem em salvação pela graça através da fé, mas sim numa salvação mediante as obras, na qual a fé conta apenas como mais um quesito. O "arrependimento" que eles creem também é totalmente diferente do arrependimento bíblico, trata-se de penitências, o oposto completo ao conceito de graça (inclusive os textos bíblicos que falam de arrependimento eles traduzem por "penitência", porque não creem em arrependimento da forma que nós cremos). Além disso creem em purgatório, invocação de defuntos, reza pelos mortos e para os mortos, culto às imagens, dogmas marianos heréticos e até blasfêmicos, infalibilidade papal, adoração de relíquias e da hóstia, transubstanciação, tradição acima da Bíblia, rezas repetitivas e mecânicas, liturgia artificial e engessada, celibato obrigatório, comunhão em uma única espécie, etc e etc (e eu nem vou mencionar coisas mais antigas, como Inquisição, cruzadas, intolerância e perseguição religiosa, proibição da leitura da Bíblia, oposição à liberdade de culto, de consciência e de imprensa, etc). Não é possível uma aproximação sincera com quem pensa assim enquanto eles não reverem e repensarem estes erros. Além disso, eles não creem em nenhuma das Cinco Solas, o que torna impossível uma comunhão mútua real. Podemos nos aproximar em termos de respeito mútuo, de diálogo e tolerância, mas não em termos doutrinários, porque desde a época de Lutero eles mais acrescentaram erros novos do que voltaram atrás em erros antigos.

      Excluir
  18. Mas Lucas, como voce tem coragem de dizer "socialismo não funciona"? Acha mesmo que um ultraesquerdista marxista diria "capitalismo não funciona"? O que você disse abaixo prova muito bem que socialismo funciona, pois foi feito para que lideres vivam como sultões e terem curral de escravos


    "Enquanto Fidel Castro andava Mercedes-Benz, tinha mordomos e comia lagostas, seu povo vivia e continua vivendo na pobreza, andando em carros velhos que mal conseguem rodar e tentando sobreviver ganhando 15 dólares por mês. O salário mais alto é o dos médicos: 30 dólares por mês. É assim em todo regime socialista: as autoridades vivem numa esquerda caviar, comem do bom e do melhor e enriquecem cada vez mais às custas dos idiotas úteis que apoiam este sistema – e que terminam numa eterna pobreza sem perspectiva nenhuma de futuro."

    acha mesmo que diriam "nazismo não funciona"?

    Se um abusador consegue abusar de uma mulher e mata ela ou deixa ela traumatizada, significa que o abuso sexual não funcionou? Lucas, você tá muito paternal com esses fascistóides da extrema esquerda que espumam ódio, e sentem prazer em torturar e matar e são sádicos, e tem moral de psicopata e não sentem um pingo de remorso sequer.

    São gente com moral suja de sangue e lama, são carniceiros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, funciona, mas não para o povo.

      Excluir
    2. Sou o mesmo anônimo que postou isso acima. E o socialismo jamais precisou funcionar para o povo se já da vidas de nababo e sultão para os lideres, ditadores e amigos do rei.

      Excluir
  19. Lucas, bem que você poderia ser bem menos paternal e bem mais criticista com essa extrema esquerda anti democrática e esses ultraesquerdomínions.

    ResponderExcluir
  20. Bom dia, meu irmão! A paz do Senhor! Cara, gostaria de primeiro glorificar a Deus pela sua vida e agradecer por esse texto. Mais claro que isso fica difícil. Gostaria também de ver contigo a possibilidade de escrever um artigo a respeito de Caim. São muitas as teorias que envolvem seu destino.
    Fique na Paz e um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, primeiramente obrigado por suas palavras! Sobre Caim, eu já pensei em escrever sobre ele (não exatamente sobre qual o seu destino mas sim sobre o que era o "sinal" que Deus colocou nele), eu tenho uma teoria que pra mim faz sentido, mas como ela se trata apenas de uma hipótese que não pode ser comprovada eu tenho evitado publicar um artigo sobre isso (mas talvez um dia publique). Abs!

      Excluir
    2. Pode dizer qual é sua hipótese a respeito do sinal?

      Excluir
    3. Esse "sinal" no caso seria a sua altura. Isso faria de Caim o primeiro gigante, o que explica a existência dos gigantes pré-diluvianos. Por isso ninguém conseguiria matá-lo, pois ninguém se atreveria a matar um gigante (qualquer outra "marca" seria pouco eficaz neste sentido). Depois do dilúvio, vemos algo semelhante ocorrer com Canaã, que é amaldiçoado por Noé (embora o responsável tenha sido Cam, ele preferiu lançar a maldição sobre o seu filho, Canaã), e curiosamente, os gigantes pós-diluvianos que vemos no AT eram justamente os povos cananeus. E depois que eles são quase totalmente eliminados, os gigantes deixam de ser mencionados na Bíblia porque praticamente não existem mais. Mas como eu disse, isso é tudo teoria, uma teoria que eu considero plausível e provável, mas que não pode ser provada acima da dúvida.

      Excluir
    4. Lucas isso não tem muito sentido, tem um artigo muito bom que agora não lembro onde encontrar, que mostra que pessoas gigantes eram bem mais comuns no passado que hoje, e que diversos povos do mundo inteiro mencionavam gigantes (assim como mencionavam dragões, que tem haver com os ossos de dinossauros), então fica estranho esta maldição só estar isolada ali em Canaã e em nenhum lugar, e sem esquecer que embora Caim faça sentido, com os cananeus não, pois a maldição era justamente que eles serviriam aos filhos de Sem e Jafé, mas o fato de serem gigantes seria algum tipo de vantagem a eles, então a mesma maldição que os fara perder as batalhas é a mesma que os torna gigantes? Estranho isso. E vale notar que o que a bíblia diz que é causado pelo sobrenatural (demônios, anjos, os filhos de anjos, milagres etc) ela menciona isso, e quando não é, é porque simplesmente não é, e ela nunca menciona nada sobrenatural a respeito dos gigantes, apenas que eles existiam. Portanto o gigantismo é nada mais do que uma espécie de anomalia que surgiu como muitas outras, mas pelo menos naquela época, podia dar alguma vantagem, pois estes gigantes podiam usar sua força nas batalhas, então é por que os gigantes não eram vistos como tendo algum problema, alguns eram até idolatrados como deuses, basta ver que na Mesopotâmia, os deuses tinham tamanhos gigantescos se comparado a um humano.

      Excluir
    5. De fato a teoria faz bem mais sentido com Caim do que com Canaã, mas essa anomalia teria que ter uma origem e isso não aconteceria "do nada". Hoje temos muito mais informação genética do que na época do AT e por isso temos mais deficiências físicas e anomalias hoje do que nos tempos antigos, mas mesmo assim não temos gigantes, então é bem improvável que naquela época com muito menos informação genética e portanto com muito menos chances de anomalias houvesse gigantes sobre a terra, A NÃO SER que isso tenha vindo de Deus, por uma maldição ou por qualquer coisa que seja. E é simples explicar por que há relatos antigos de gigantes fora de Canaã, porque um gigante cananeu poderia ter relações sexuais com alguém de fora de Canaã e consequentemente estenderia esse gene para a sua prole fora de Canaã, por isso não surpreende que houvesse gigantes em toda a terra (em alguns lugares mais, em outros menos), mas o único lugar em que a Bíblia diz que isso ocorria de forma generalizada era em Canaã. Sobre a parte de que eles serviriam aos filhos de Sem e Jafé, isso pode ser uma alusão à própria conquista de Canaã pelos semitas, pois embora os gigantes fossem fisicamente mais fortes, Deus permitiu que eles fossem dominados, conquistados e subjugados pelos hebreus (ou seja, o fato de serem gigantes não lhes deu uma vantagem na prática, porque Deus não estava com eles).

      Excluir
  21. Banzoli, você acha que a imensa burocracia no Brasil é culpa da esquerda? Eu trabalho com contabilidade e sei do inferno que é mexer com essa papelada toda, é protocolo disso, honorário daquilo, comprovante de não sei o que, é papel que não acaba mais. E a situação vira ainda mais caótica quando envolve o setor público, é tanta burocracia que sinceramente devem existem papéis que ninguém sabe pra que serve, apenas mandam adiante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com toda a certeza. Em países mais liberais como os EUA, o nível de burocracia é infinitamente menor. Como eu disse no artigo, lá você pode criar uma empresa dentro de 24h, e aqui precisa de mais de 100 dias. Daí já dá pra imaginar o tanto de papelada inútil envolvida, que literalmente não serve pra nada, até porque ninguém seria insano de dizer que as empresas funcionam melhor aqui do que nos EUA, onde a papelada é bem menor. No fundo, esse montante burocrático é apenas uma forma de tentar evitar a criação de novas empresas e de novos negócios, porque a esquerda sempre viu o empresariado com maus olhos, como verdadeiros vilões de cinema, como "inimigos do proletariado" (ainda leem o mundo com as lentes de Marx no século XIX). Por isso até hoje eles usam o termo "burguês" de forma pejorativa e depreciativa, como se fosse um grande crime ser 'burguês' e dar trabalho a outras pessoas.

      Excluir
  22. Hey Lucas,

    Here's a website you might find interesting:

    https://www.jesusalwaysexisted.com/about

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. The site seems to be pretty full, really was a good job. In my blog on atheism, I have an article about the historical existence of Jesus, where I collect all the evidence that I know:

      http://ateismorefutado.blogspot.com/2014/12/as-provas-historicas-da-existencia-de.html

      Excluir
    2. Hello Jesse. How are you?

      May I make you a question?

      Is it true that Latino population there in the United States is becoming Protestant? I saw in a Research made by the Pew Research Center that Catholic church lost many members among Latinos since the 1990s. By 1991, 75% of all Latino Americans (Latinos who lives in the United States, I'm referring) were Catholic, however only 15% were Protestants, but by 2008 these numbers fallen for 55% of Latinos claiming being Catholic, however the number of the Protestant increased for 22%, but in the most recent research made for the Gallup Poll Inc. in 2016 that now, less than 50% of all Latinos are Catholics, in this research was shown that 48% of Latinos considered themselves as Catholic, 28% consider themselves Protestant, 2% consider themselves as members of other Christian faiths, 20% as religiously Unfilliatted and 4% are members of other religions.

      According to the own American Catholic church, 100,000 Latino Catholics become Protestants per year. And many Demographic specialists predict that by 2040 the majority of all Latinos who lives in the United States will be Protestant. I saw in the magazine "Christianity Today" that many Protestant churches there in the United States are efforts for spread the gospel for the Latinos and many are making missionary work for the Central America countries.

      What's your explanation about that? Is it true? Are really Latino Americans becoming Protestant

      Excluir
    3. That information sounds true. To my knowledge, many join the Pentecostal tradition (which I do not think is a good thing).

      Excluir
    4. Lucas, você nunca publicou minha pergunta para Jesse. Por quê?

      Excluir
    5. Se é trollagem eu não publico mesmo, vê se cresce.

      Excluir
    6. Thanks Jesse for answering my question.

      I'm not Pentecostal too, I'm an Independent Protestant (but I like Traditional Protestant denominations like Baptists, Methodists, Lutherans and Reformed churches) but honestly talking, better a Pentecostal than a rad traditionalist Catholic who defends the Inquisition and Crusades.

      Excluir
    7. Hello Jesse, I'm the same anonymous that send you that question and I wanted to wish you a Happy Mother's Day for you and your mother, I don't know if there in USA is the Mother's day, but that doesn't matter. By the way, Have a Happy Mother's day to you and all your family (specially for you and your mother). A big hug for you, thanks for following the Lucas's blog and answer my doubts about the Catholicism/Protestantism there in the United States. Have a nice day, a big hug for you.

      Excluir
    8. Dear Anonymous, I hope that you had a Happy Mother's Day. Yes, that day is recognized here in the United States. I am glad to have found Mr. Banzoli's blog. Even though I do not agree with him on everything, it is good to have evangelical witness to Roman Catholicism. A big hug to you as well.

      Excluir
  23. Banzolao ocorreu algo que eu nunca imaginei falar,eu assisti uma entrevista da Heloísa de Carvalho,a filha que o denunciou no canal do Antônio Vigne contando os podres do guru e ao lado o YouTube me recomendou um video do Conde Loppepa com o título "Olavo de Carvalho criou Bolsonaro?",eu ouvi falar da condessa na primeira vez dela escrevendo no site do astrolavo Mídia Sem Máscara, mas para minha surpresa o Lopeppa foi extremamente lúcido nesse vídeo,isso que eu nunca imaginei dizer,pq ele se comportou igual ao Astrolavo,como um católico tradicionalista fanático, xingando qualquer um que discorde dele,mas nesse vídeo ele diz que quem idolatra o Olavo é demente,que foi a Lava Jato e a crise econômica que possibilitaram a ascensão de Bolsonaro e criticou o pessoal do Terça Livre por dizerem que o Olavo que elegeu Bolsonaro,falou da ligacao de astrolavo com o gnosticismo de Guenon e Schuon,do envolvimento dele com as tariqas islâmicas, não disse nenhuma novidade,mas me surpreendeu vindo de um sujeito que já foi próximo do astrolavo,a ponto de ter sido colunista do "Mídia Sem Máscara " e de ter feito hangout com ele e se comportar muitas vezes do mesmo modo,sempre xingando opositores e protestantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora ele diz isso, porque ele odeia a aproximação do Bolsonaro com os EUA e Israel, ele acha que o Bolsonaro deveria transformar o Brasil num Sacro Império Católico, acabar com a laicidade do Estado, voltar com a Inquisição e proclamar novas cruzadas, mas como não fez nada disso, está esbravejando desse jeito (pelas motivações erradas). Mas na hora de falar essas coisas contra o Olavo na frente dele durante o hangout, deve ter mijado nas calças (ou nas fraldas, como é mais provável).

      Excluir
  24. Com relação aos fatos narrados nos livros de Macabeus, eu acho que apesar deles não serem inspirados, são um relevante registro histórico dos fatos, tanto é que a festa da dedicação tem origem nos fatos narrados e vemos Jesus de algum forma presente no Templo durante a festa e o NT deixou registrado isso em João 10:22. Vc acha que o tratamento que damos aos livros de Macabeus está na medida certa ou subestimamos? Pq tipo, eu acho que a mão de Deus esteve presente e evidente lá tanto quanto esteve presente e evidente na Guerra dos Seis Dias...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele pode ser tomado como um registro histórico sim (da mesma forma que os livros de Josefo, por exemplo), mas não como um registro histórico inteiramente fiel aos fatos, como os livros canônicos inspirados. Inclusive o próprio autor reconhece isso no final do livro, quando diz que se escreveu "fracamente e de modo medíocre, é o que consegui fazer" (2 Macabeus 15:38).

      Excluir
  25. Aquele caso das bruxas de Salém, o juiz na época condenou a morte muita gente e depois, mais tarde, pediu desculpas porque havia erro formal e material no julgamento. Esse caso é um exemplo de que a magistratura não deveria se meter no ofício da teologia? É por causa do poder judiciário que o Estado deve ser laico?

    ResponderExcluir
  26. Lucas, você tem algum artigo que mostre que os católicos consideram os cristãos como malditos, hereges e anátemas?

    Você acha que ainda falta muito para você escrever sobre catolicismo? Ou você já abordou todos os pontos? E no caso do ateísmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Lucas, você tem algum artigo que mostre que os católicos consideram os cristãos como malditos, hereges e anátemas?"

      Tem muito sobre isso no meu livro mais recente dos 500 Anos da Reforma (é o primeiro disponível na página dos livros), e mais que você pode conferir em artigos como esses:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2016/08/igreja-catolica-inimiga-da-liberdade.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/12/afinal-ha-salvacao-fora-da-igreja.html

      Inclusive há citações famosas que os católicos tridentinos até hoje gostam de citar muito, como o do padre Pio dizendo que o protestantismo foi fundado por Lúcifer, e o catecismo de um papa com o mesmo nome dizendo que tem que queimar as Bíblias protestantes se receber uma.

      "Você acha que ainda falta muito para você escrever sobre catolicismo? Ou você já abordou todos os pontos? E no caso do ateísmo?"

      Falta um tanto, principalmente em se tratando de questões históricas, que são virtualmente infindáveis, pois a história é muito longa e abrangente. Além disso, como a cada dia eles inventam acusações novas, sempre há algo novo para se refutar. Sobre ateísmo, embora eu esteja longe de ter escrito tudo sobre o tema, sinto que já escrevi tudo o que tinha capacidade de escrever.

      Excluir
  27. Lucas, quais pais da igreja mais você aprecia? E qual deles considera em sua visão ser o mais ortodoxo ou próximo das Escrituras?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os mais antigos, pois são os que escreveram mais próximos dos apóstolos, e portanto sao os que preservaram melhor a doutrina (inclusive se nota uma similaridade muito maior com as páginas do NT do que quando se compara com os Pais dois séculos seguintes). Eu postei as obras deles no meu outro blog:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com/2019/01/obras-dos-pais-da-igreja-dos-seculos-i.html

      Particularmente, o que eu aprecio mais é Teófilo.

      Excluir
    2. Teófilo era imortalista ou dicotomista?"5 Do mesmo modo como a alma não pode ser vista no homem, pois ela é invisível para os homens, mas pode ser imaginada por causa dos movimentos do corpo, assim também acontece com Deus..."

      Excluir
    3. Imortalista não era, porque há muitos trechos onde Teófilo é explicitamente mortalista. Se ele era dicotomista, isso depende do que ele estava chamando de "alma" aí. Se por "alma" se referia aos pensamentos, como ocorre em muitos casos da Bíblia, não há dicotomia alguma. Nós não vemos os pensamentos dos homens (que são invisíveis), mas eles são causados pelo cérebro, que faz parte do corpo (que é visível). Por isso o Samuelle Bacchiocchi costuma dizer que "o corpo é a alma visível", a mesma definição que Teófilo faz aí. O problema é que hoje em dia quando alguém fala em "alma" imediatamente vêm à mente àquele "fantasminha" popularizado por Alan Kardec e pelos filmes hollywoodianos que remete ao conceito dualista platônico, ou seja, nós naturalmente condicionamos nossa interpretação a isso, o que é um grande equívoco e um anacronismo.

      Excluir
    4. 14 Portanto, não sejas incrédulo, mas acredita. Eu também não acreditava que isso existisse, mas agora, depois de refletir muito, eu creio; ao mesmo tempo, li as Sagradas Escrituras dos santos profetas, os quais, inspirados pelo Espírtio de Deus, predisseram o passado como aconteceu, o presente tal como acontece e o futuro tal como se cumprirá. Por isso, tendo a prova das coisas acontecidas depois de terem sido preditas não sou incrédulo, mas creio e obedeço a Deus. Eu te peço: submete-te também a ele, para que, não crendo agora, forçosamente tenhas que crer mais tarde em tormentos eternos. Exortação final Esses tormentos foram preditos pelos profetas, e os poetas e filósofos, posteriores a eles, os imitaram a partir das Sagradas Escrituras, para dar autoridade aos seus ensinamentos. Desse modo, eles também falaram antecipadamente dos castigos que recairão sobre os ímpios e incrédulos, para que ficassem testemunhados para todos e ninguém pudesse dizer: "Não ouvimos falar disso, nem sabemos".

      Se queres, lê tu também com interesse as Escrituras dos profetas e elas te guiarão com mais clareza para escapares dos catigos eternos e alcançares os bens eternos de Deus. De fato, ele, que nos deu a boca para falar, que formou o ouvido para ouvir e fez os olhos para ver, examinará tudo e julgará com justiça, dando a cada um segundo os próprios méritos. Para aqueles que, segundo suas forças, buscam a incorruptibilidade através das boas obras, ele dará a vida eterna, a alegria, a paz, o descanso e uma multidão de bens, que nenhum olho viu, nenhum ouvido e nenhum coração humano sentiu; mas aos incrédulos, aos zombadores e aos que desobedecem à verdade e seguem a injustiça, depois de manchar-se com adultérios, fornicações, pederastias, avarezas e sacrílegas idolatrias, para esses, existirá a ira e a indignação, a tribulação e a angústia, e, por fim o fogo eterno se apoderará deles. Amigo, tu replicaste: "Mostra-me teu Deus". Pois bem: esse é o meu Deus, e te aconselho que o temas e creias nele." Aqui Teófilo fala de tormentos eterno e fogo eterno.

      Excluir
    5. Eu já expliquei essas coisas no meu livro, é só baixar e ler, não vou ficar aqui explicando coisas básicas de novo que eu já expliquei uma centena de vezes.

      Excluir
  28. Por que quando a gente avalia a conduta de alguém, a nossa tendência é fazer comparações como procedimento de controle? Vide o caso de Calvino, que nós protestantes temos mania de querer absolvê-lo alegando que, comparativamente, a ICAR matou mais gente (o que é verdade, é óbvio que ela matou no atacado), enquanto Calvino, apenas um (no varejo).. logo ele está isento da culpa, é isso? Acho que Lutero, Calvino, e uns papas certamente fritarão no fogo do juízo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora você está fazendo o mesmo que criticou em seu comentário anterior: julgar e condenar alguém antecipadamente. Você não é Deus pra saber quem vai pro inferno ou não, numa dessas você vai e eles não, já pensou nisso?

      Excluir
    2. Se eu for fritar deve ser por um motivo bem mais robusto do que o de Calvino, que foi de tutelar a morte de um cristão e muito mais robusto que os papas, que mataram a rodo... pelo que me consta não matei ninguém graças a Deus e nem escrevi blasfêmia em forma de doutrina como os livros de Calvino ou alguma bula papal...

      Excluir
    3. Então agradeça por ter vivido numa época de tolerância religiosa, onde é muito mais fácil ser tolerante com tudo e com todos quando vivemos em um mundo regido por esses princípios, extremamente diferente do mundo no qual Calvino vivia.

      Excluir
    4. Essa conversa me fez lembrar uma coisa que o meu professor de EBD comentou, que nos primeiros anos do cristianismo, a perseguição romana foi implacável e uns foram martirizados, mas outros fugiram para a Europa e norte da África e até uns países na Ásia e por causa deles a palavra se espalhou e foi salvando as pessoas. Tem gente que elogia muito os mártires mas esquece da importância dos "covardes", que fugiram e continuaram pescando homens. Mas a questão é que ninguém é doente a ponto de achar que a perseguição foi legítima sob o ponto de vista cristão por ter proporcionado a difusão da palavra em vez dos discípulos ficarem restritos a comunidade judaica aos gentios em torno dela. Um outro ponto, abordado outro dia foi a questão dos falsos profetas e do engano que eles pregam, um outro tipo de evangelho que afasta a graça de Cristo e atribui a outra pessoa ou coisa (ICAR fez bem isso) ou então restringe a eficácia da mensagem da salvação em extensão (calvinismo faz bem isso, a questão da eleição é bem debatida) e esse perigo é bem sutil pois quando falamos do engano, pensamos que os muitos enganados serão os outros e nunca a gente. Atribuo de fato a Reforma Protestante como uma providência divina no meio do caos e da angústia que era (e que é) ser cristão dentro da ICAR (se é que isso é possível), mas não aprovo nada do que se fez de errado durante a reforma e nesse ponto entendo o que o anônimo quer dizer, foi mais ou menos o que me foi dito: o destino de quem mata um ou mata mil é, em tese, um só. Na época romanda, se morria por causa de Cristo, enquanto que os cristão, logo em seguida, passaram a matar, pelo mesmo motivo, mas é evidente que a mortandade só foi contida por causa da Reforma Protestante, o que é uma ironia, pois ela também fez vítimas kakakaakka que coisa não.

      Excluir
    5. Eu por outro lado encaro os acontecimentos como um mal necessário (tirando a parte da ICAR, ali é matar por sacanagem mesmo). Infelizmente era um inferno viver sob regime católico então qualquer coisa que remetesse ou que comprometesse a Reforma era tratado desse jeito, apesar de uma morte ser uma morte mesmo. Outro exemplo de mal necessário, guardadas as devidas proporções, foram as duas bombas atômicas por exemplo, sem elas a guerra teria se estendido por ano e com elas acabou rapidinho, é como eu digo: nada como uma bomba atômica para acabar uma guerra :)

      Excluir
  29. Lucas, os ateus dizem que não existem evidências históricas para a existência de Abraão e nem dos 12 apóstolos, tem alguma maneira de refutar esse argumento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é boa. Primeiro eles duvidavam de Jesus, agora que Jesus foi provado eles duvidam dos apóstolos, se provamos os apóstolos também vão falar da jumenta na qual Jesus montou, e assim por diante. É muito tosco isso. Se os escritores seculares antigos falaram de Jesus, e disseram que ele tinha seguidores, e chamaram esses seguidores de cristãos, então evidentemente os apóstolos existiram, ainda que esses escritores não os tenham mencionado nominalmente, porque os apóstolos não tinham nem de longe a mesma importância para eles que tem para nós hoje, então nem faziam questão de comentar a respeito de pessoas que provavelmente sequer conheciam de nome. Abraão viveu há cerca de 4 mil anos, quantos historiadores escreviam naquela época e conheciam Abraão para ter que escrever sobre ele? Este é o problema dos ateus, eles pensam que o mundo há milhares de anos era igual o de hoje, tinha gente em todo lugar escrevendo sobre tudo, redes sociais, internet, jornais, televisão, rádio, e por isso se não temos registro é porque não existiu. Isso só pode ser piada, 99,999999% dos que já viveram na Antiguidade não tem qualquer tipo de registro histórico e nem por isso não existiram (Abraão pelo menos foi mencionado na Bíblia, o que já é muita coisa).

      Excluir
    2. Lucas este argumento não poderia ser usado pra qualquer coisa? Por exemplo se eu quiser dizer que Hércules existiu, basta dizer que ele esta registrado em varias histórias, logo assim como Abraão só esta na bíblia, Hércules só esta nestas histórias supostamente mitológicas, e se Abraão conversou com Deus, então Hércules era filho de Zeus, pois a unica fonte sobre eles diz estas coisas.

      Excluir
    3. O exemplo não procede pois Hércules não foi concebido como um simples ser humano (como Abraão), mas como um deus, portanto fazia parte da mitologia deles e não de uma historiografia, ou seja, ele faz parte de um outro mundo e não deste, como Abraão. A analogia portanto deveria ser com Deus (Jeová) e não com Abraão, mas nenhum cristão prova a existência de Deus usando a Bíblia, temos outros tipos de argumentos para isso.

      Excluir
  30. Olá, Lucas! Sei que, talvez, essa pergunta que vou fazer deve estar no artigo.

    Algumas pessoas dizem que o sistema de saúde de Cuba é bom, e o sistema de saúde dos EUA é ruim. Mas isso é verdade, ou é só um engano desse pessoal que quer endeusar os países Socialistas?

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O sistema cubano de saúde é uma porcaria, todo mundo que vai se tratar lá morre (vide o que aconteceu com o Hugo Chávez). A Yoani Sanchez (uma das poucas jornalistas cubanas que existem) disse que “a medicina cubana é uma das piores do mundo, a maioria dos seus profissionais se formam sem nunca ter visto um aparelho de ultrassom, sem ouvir falar em stent coronário e sem poder se atualizar pela internet”. Também disse que “quando um cubano vai a um hospital, leva um presente para o médico, para que o atendam bem e rápido. Leva também desinfetante, agulha, algodão, linha para as suturas”. Chega a ser piada que um país morto economicamente, sem internet e completamente sucateado (com carros da década de 50, no máximo) tenha uma medicina tão boa como a propaganda do governo afirma, se aproveitando do fato de que a ilha é fechada e ninguém de fora pode averiguar a veracidade da afirmação com seus próprios olhos. Comparar com a saúde dos EUA não é nem piada de mau gosto, é mau-caratismo mesmo.

      Excluir
  31. Uma outra coisa: Não sei quem concorda comigo(se não concorda, pode comentar a vontade), mas eu cheguei a conclusão de que qualquer sistema de governo pode dar certo, mas antes você precisa de pessoas que concordem e gostem de viver nesse sistema de governo.

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discordo completamente, a História inteira está aí para nos provar o contrário.

      Excluir
  32. Lucas, se você vivesse na idade média e fosse obrigado a se alistar no exército dos cruzados ou no exército dos muçulmanos, qual lado você escolheria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O lado que ganharia, porque pelo menos assim eu teria a minha cabeça preservada.

      Excluir
    2. engraçado notar que as Cruzadas, que tinham como objetivo "reconquistar a terra de jesus" deu o efeito completamente oposto, afastou os cristãos da Igreja, no Oriente Médio, muitos se converteram ao islamismo que estava vencendo as batalhas, e na Europa viraram ateus mesmo (e depois foram perseguidos por serem ateus, e os ateus hoje usam este mesmo argumento para condenar todas as religiões), ou seja, a Igreja Católica ao invés de pregar uma religião unica (pois o que tem no cristianismo não tem em mais nenhuma outra) pregou a mesma coisa que todo mundo, usando pura violência para pregar, e estragou a imagem do cristianismo até hoje (não é atoa que a Igreja católica é o falso profeta).

      Excluir
    3. Pois é. E ainda inflamou o ódio dos orientais e sacramentou a divisão com a Igreja Ortodoxa ao estuprarem freiras, assassinarem cristãos, saquearem a cidade de Constantinopla e colocarem uma prostituta para sentar no trono do patriarca bizantino, na quarta cruzada. E tem papista que ainda tem a cara de pau de defender essas atrocidades.

      Excluir
  33. Amigo do Banzolão10 de maio de 2019 11:46

    Banzolão, eu já ouvi várias pessoas dizendo que a Bíblia apoia o socialismo/comunismo. Sempre citam esses versos de Atos:

    "E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister.
    (Atos 2:44,45 ACF)

    Costumam citar também o episódio onde Jesus reparte os pães e peixes com a multidão, e dizem que Jesus era socialista. Sempre que ouço pessoas dizerem isso eu fico calado, pois não sei como responder. O que eu digo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comentei sobre esses textos aqui:

      http://ateismorefutado.blogspot.com/2015/04/socialismo-e-cristianismo-sao.html

      Excluir
  34. Lucas, acabei de ler seu artigo defendendo a não legalização da maconha, e queria sanar umas dúvidas que surgiram.

    Vc segue a narrativa de que a legalização da maconha influênciaria diretamente (crimes) e indiretamente (impostos) na vida alheia. Seguindo essas premissas, não deveríamos tbm militar contra a distribuição legal do tabaco? Pois a partir de dados, é mostrado que 50% dos cigarros consumidos no Brasil é contrabandeados, gerando igualmente uma série de crimes no país. E o que dizer das bebidas alcoólicas? Nao estariam esses males no mesmo contexto?

    Já sobre o gasto para os demais da população toda vida humana terá que ser regulada então. Quanto de custo sal, açúcar, gordurag álcool, cigarro e etc já nos custou?

    Isso é tudo menos liberdade. Vc não acha Vlw! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me desculpe mas essas comparações são completamente disparatadas. Você realmente quer comparar os efeitos do cigarro com o das drogas? Você realmente acredita que as pessoas matam para comprar cigarros em uma escala comparável com a qual matam pelas drogas? Você realmente pensa que uma pessoa sob o efeito do álcool é tão perigosa quanto alguém que está sob o efeito de cocaína? Se a resposta para isso for sim, então não tenho nada que discutir sobre isso, pois você vive em uma outra realidade. Se a resposta for não, então os efeitos de cigarro e álcool não são comparáveis aos das drogas, e portanto é errado colocar tudo no mesmo pacote, como se fossem coisas iguais. É preciso manter o senso de proporções, ou senão daqui a pouco vai estar querendo proibir o McLanche Feliz sob a alegação de que faz mal pra saúde, então comer no McDonald's é tão perigoso e nocivo à sociedade quanto um viciado em crack.

      Excluir
    2. Realmente as consequências não são equiparaveis. Mas isolando a maconha, na qual, é a que geralmente tem sua legalização defendida, e analisando friamente os aspectos e consequências de cada droga abordada por mim, vc não acha que deveríamos assiduamente defender a proibição pra todas estas? Pq novamente, o consumo de cigarros, sustenta-se boa parte em contrabando. E o consumo de cigarro e álcool pode ser tão nocivo e prejudicial como o consumo da cannabis. E quanto aos impostos que custeamos pra tratamento das pessoas afetadas pelo uso de cigarros álcool? Pois seguindo sua linha de raciocínio, tbm temos a liberdade inderatamente afetada quando precisamos contribuir pra o tratamento dessas pessoas. Logo a necessidade da proibição das mesmas.

      Excluir
    3. Se o consumo de cigarro ou álcool pode ser tão nocivo e prejudicial quanto o da cannabis não está em jogo, pois isso é de âmbito individual e quem quiser se ferrar, que se ferre (como deixo claro no artigo). O problema é quando isso deixa de ser nocivo apenas para as próprias pessoas e passa a ser nocivo para a sociedade. E eu não vejo ninguém roubando, matando ou entrando para o crime organizado por causa de cigarro ou bebida. Se existe, deve ser num nível incomparavelmente menor que as drogas. Também não dá pra comparar os gastos públicos com clínias de reabilitação para drogados com os gastos com fumantes e alcoólicos. Mais uma vez, você está comparando 8 com 80, e eu não hajo assim.

      Excluir
  35. Avalie: https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/08/140828_americanos_ensinam_criancas_atirar_rb

    Agora com o decreto de Bolsonaro, crianças e adolescentes não precisam mais de autorização judicial pra atirar nos clubes de tiro. Só da autorização dos pais ou responsáveis.

    É bom ou não é?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou simpático a colocar armas nas mãos de crianças, ainda que a intenção seja boa. Se alguém é proibido de dirigir antes dos 18, quanto mais deveria ser proibido de atirar quando criança. Tem coisas que uma criança deveria simplesmente se manter longe até ter maturidade para tal.

      Excluir
  36. Lucas, o que achou do corte de verbas para as universidades? Eu até concordo, mas ouvi dizer que esse corte de investimentos aconteceu na educação básica também, ai não entendi nada, mas não tenho certeza se essa notícia é verdadeira. Também vi que esse dinheiro tirado das universidades está congelado, o que não entendi muito bem.
    Estive me perguntando porque as universidades passam por tantos problemas se recebem um investimento tão alto, ao pesquisar me deparei com várias notícias de aulas canceladas por falta de energia, ou greves, ou algumas declarando falência devido ao corte que foi anunciado. Porque essas coisas estão acontecendo se o dinheiro direcionado a educação superior já é tão alto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não entendo, o investimento no ensino superior é bem mais alto do que no básico e mesmo assim as universidades fazem muito mais greves do que as escolas do ensino básico. Um professor de uma universidade federal ganha em média R$ 13.626 (embora muitos ganhem bem mais do que isso), enquanto um do ensino fundamental ganha pelo menos dez mil a menos. E mesmo assim vemos mais greves de professores universitários do que de professores do ensino fundamental e médio. Não dá pra entender. Na minha opinião os professores deveriam ganhar todos os mesmos valores, na mesma média, e mesmo se os universitários sejam merecedores de um salário superior não deveria ser tão maior assim. Mas até onde eu sei o Bolsonaro realmente não subiu nada de investimento no ensino básico, ele apenas tirou do ensino superior, o que é uma contradição com aquilo que ele dizia em seu plano de governo. Se for só pra cortar verbas, teria que cortar de outras áreas e não da educação, que é um dos três pilares mais fundamentais de qualquer governo (junto com a saúde e a segurança). O ministro falou em cortar 3% e congelar outros 30%, ou seja, esses 30% em tese ainda vão ser investidos na educação, só que não agora, enquanto os 3% vão ser cortados mesmo, em definitivo. Mas é tudo muito confuso já que esse governo é péssimo em se comunicar com o povo de maneira clara e faz tudo às pressas uma vez que o outro ministro foi demitido tão cedo e esse novo mal chegou e já está mudando tudo (aparentemente, não pra melhor).

      Excluir
  37. Lucas qual é o pior o catolicismo,islamismo,humanismo secular e ateísmo,esquerdismo ou protestantismo apostatado?Acho que todos e vc?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho, no fim das contas é tudo uma coisa só: engano. E engano que leva às mesmas consequências.

      Excluir
    2. Mas qual será mais enganoso?

      Excluir
  38. O Brasil já chegou perto do liberalismo? Quando foi que mais nos aproximamos das práticas liberais e quais foram as consequências? Meus professores fazem questão de dizer que quando o liberalismo foi implantado aqui não deu certo, porque o capitalismo está fadado a crises, pois gera desigualdade, enriquecendo somente os empresários, aí ocorre uma superprodução e um subconsumo, quebrando o sistema capitalista, e isso é inevitável. Aproveitando essa pergunta, já ouvi dizer que o PT privatizou algumas coisas no início do seu governo, isso é verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não acho que alguma vez tenhamos nos aproximado do liberalismo. O que ocorre é que para a esquerda radical qualquer coisa é taxada de "liberal", até mesmo o assumidamente esquerdista FHC é chamado de "liberal", até os militares nacionalistas eram "liberais", e agora estão taxando até o PT de "liberal" (não vou me impressionar no dia em que ler os livros didáticos afirmando que o PT não deu certo porque era liberal!). Mesmo a direita que tivemos aqui era uma direita nacionalista e não liberal. Sobre o PT ter privatizado algumas coisas, eu não tenho essa informação, mas se for verdade, só significa que privatizações são tão necessárias que até mesmo ele teve que reconhecer e aceitar este fato. É bem sabido que o governo Lula foi menos esquerdista que o governo Dilma, porque ele foi esperto e colocou o Meirelles pra cuidar da economia, que é um economista respeitado e que tem boas noções da coisa, depois a Dilma colocou o Guido Mantega e o país quebrou. Ou seja, mesmo quando um país não quebra nas mãos de um esquerdista, é porque o esquerdista em questão teve o bom senso de não "esquerdar" demais.

      Excluir
    2. Sendo assim nós estaríamos numa social-democracia?
      Meu professor de geografia diz que nós vivemos num terrível governo neoliberal, porém acho que não deve ser o fato do governo de um país ser liberal que o transforma do dia pra noite em liberal de fato, o processo deve ser mais longo, eu acho. E afinal oque é neoliberalismo que eu vejo gente dizendo que nem existe?

      Excluir
    3. Sim, o Brasil vem sendo uma social-democracia há muito tempo. Não mudamos neca de pitibiriba ainda com o governo atual, porque para o Paulo Guedes implementar sua política de privatização e de reforma tributária ele precisa primeiro aprovar a Reforma da Previdência, e talvez nem isso ele consiga (o próprio Guedes disse que se a reforma não for aprovada, vamos virar uma Venezuela, mesmo no governo Bolsonaro). Ou seja, apesar de termos atualmente um governo liberal, o Brasil ainda não mudou nada em relação ao que era antes, é como se estivéssemos ainda em uma extensão do governo Dilma/Temer. Só depois da previdência ser reformada é que poderemos COMEÇAR, a passos lentos, a caminhar na direção do liberalismo, o que ainda estamos muito longe. Quanto a esse "neo"liberalismo, é invenção da cabeça de esquerdistas que criaram essa nomenclatura com o "neo" na frente, talvez porque isso soe pejorativo, não sei. Nenhum liberal se define como "neoliberal" nem reconhece alguma diferença efetiva, por isso chamamos apenas de liberal mesmo.

      Excluir
    4. No que consiste a reforma da previdência? Até hoje ainda não entendi isso.

      E eu estava pesquisando e vi que definem o neoliberalismo como uma nova onda que veio nos anos 80, 90. No vídeo que vi explicando, é dito que após a crise de 29 o mundo aderiu ao keynesianismo, e depois da Segunda Guerra especificamente, houveram as políticas de bem estar social, e continuou assim enquanto se estendia a disputa EUA X URSS. Com a falência da URSS, apareceram os neoliberais, que defendiam uma intervenção mínima na economia, diferente de Adam Smith, que o vídeo afirma que não defendia nenhuma intervenção sequer. O vídeo também diz que a Noruega cobra mais impostos que o nosso país.

      Aqui o link desse vídeo que tem apenas 4 minutos: https://m.youtube.com/watch?v=teu3n1zsQ_4

      Excluir
    5. A previdência precisa ser reformada porque a demografia do nosso país mudou. Antes as pessoas tinham mais filhos e morriam mais cedo, e atualmente as pessoas tem bem menos filhos e tem uma expectativa de vida maior, então acaba tendo mais velhos para menos jovens e adultos sustentando a aposentadoria deles. Inclusive dados demográficos mostram que nos próximos anos teremos pela primeira vez na história mais velhos do que crianças, o que seria completamente impensável há tempos atrás. Em outras palavras: antes você tinha muitos trabalhadores ativos para pagar a aposentadoria de uma pessoa da terceira idade, então estava ok, mas a população mudou e hoje a proporção está bem menor, então não dá mais pra sustentar (a não ser que se trabalhasse como escravos mesmo). O único jeito é mudar a previdência, ou seja, elevar a idade de aposentadoria, diminuir as aposentadorias mais altas (ex: políticos e juízes) e cortar os privilégios (ex: militares). Embora a atual reforma não esteja fazendo tudo isso muito bem, ela já é um avanço necessário em relação à atual, que é obsoleta e defasada, e se não for reformada vai levar o Brasil à falência.

      Excluir
  39. Lucas, procede a crença em "lugares amaldiçoados", lugares onde se percebe a existência do mal? Exemplos: local onde crianças foram sacrificadas, templos dedicados ao satanismo, etc,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu creio em espíritos territoriais, então acredito que haja lugares com mais "energia negativa" (influência maligna) do que outros. Mas nada que abale a vida de um servo de Deus cheio do Espírito Santo. Nós não temos que ter medo de nada do mundo sobrenatural, só quem não tem Deus tem motivos pra isso.

      Excluir
  40. Falando em socialismo e esquerda:

    Porque a esquerda fica estimulando tanto a pobreza? Tipo, sempre vejo os esquerdistas incentivando os moradores das favelas a se orgulharem de serem moradores de um lugar sem saneamento básico, cheio de violência, bailes funk onde só tem música imoral e onde o tráfico domina e os poderes e a autoridade do Estado não chegam? Uma coisa que eu sempre vejo nas entrevistas da Fátima "Trotski" Bernardes os funkeiros exaltando a favela, exaltando a pobreza, exaltando o crime e o tráfico, como se fosse bom morar lá, porque isso acontece? E pra piorar a esquerda e a turma da lacração ainda batendo palmas!

    Sempre que eu vejo alguém questionando isso, é taxado de preconceituoso, racista e odiador de pobres, certa vez o meu professor de ciências políticas (que é um esquerdista bitolado e filiado do PSTU) exaltou a pobreza das favelas em plena sala de aula e disse que os moradores das favelas deveriam se orgulhar de morar lá! 😫😖😡😤😒😑

    Olha, de todas abobrinhas que o meu professor de ciências políticas já disse, essa aí tá no mesmo patamar da famosa frase do ilustre filósofo Astrolavo de Carvalho "cigarro não faz mal a saúde".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A resposta mais curta é porque esquerdista adora tudo o que não presta (por isso luta pela legalização das drogas, da prostituição e do aborto; por isso defende bandido e ataca a polícia; por isso ama o "funk proibidão" que instiga tudo aquilo que é mais baixo e vil; por isso quer um mundo sem liberdade, onde todos são escravos do Estado e onde todos são igualmente pobres e miseráveis). A resposta mais longa nos levaria de volta ao tempo para uma época em que essa "ética de glorificação da pobreza" era o ensino da Igreja Católica, que ensinava que a pobreza era o melhor caminho para se chegar a Deus (embora ela mesma fosse a instituição mais rica da época), e que se esforçava em manter os pobres na pobreza, limitando-se a dar esmolas que não mudavam de fato a vida de ninguém. Foi só com a Reforma Protestante que a pobreza passou a ser vista como algo que deve ser combatido e não aplaudido, e onde começou-se a buscar efetivamente tirar os pobres da pobreza em vez de permanecerem lá. Assim a pobreza deixou de ser vista como o modelo ideal de santidade e humildade, e crescer na vida deixou de ser eticamente reprovável. O que os esquerdistas fazem hoje é somente retroceder para essa ética católica, com o agravante de que adoram a pobreza pela pobreza em si, e não por alguma finalidade espiritual "mais nobre". É como se tudo o que o pobre mais quisesse na vida fosse continuar pobre.

      Excluir
    2. [Sou o mesmo anônimo]

      Pois é, e o mais irônico disso tudo é que praticamente todos esses funkeiros e esquerdistas que ficam exaltando a pobreza e a miséria das favelas vivem em condomínios de luxo fechados, andam de Mercedes-Benz, BMW, Cadillac e Ferrari, comem do bom e do melhor e gastam milhares de reais em festas com muitas prostitutas (muitas delas menores de idade que são/foram as "dançarinas" dos bailes funk), drogas e álcool. Enquanto isso, os moradores das favelas tem que trabalhar 24 horas por dia, andam de Fiat Uno (daqueles bem pelados mesmo, sem ar condicionado, direção hidráulica ou outros mimos) ou de 147 (daqueles bem problemáticos mesmos que dão problema pelo menos uma vez por semana) e precisam matar um leão por dia pra ter o que comer. Eu acho que esses mesmos funkeiros que exaltam a favela nem sequer querem em voltar a morar lá.

      Fazendo um paralelo com a idade média, é como se a Igreja estivesse estimulando a pobreza e ao mesmo tempo acumulando riquezas e mais riquezas de impostos e dízimos abusivos cobrados dos fiéis. Esse pessoal que fica exaltando a pobreza e a miséria das favelas tem uma vida extremamente luxuosa, andam com os melhores e mais luxuosos carros e fazem festas com orgias imorais praticamente todos os dias. Olha, é tanta hipocrisia que chega a me dar raiva, por isso tenho nojo de funkeiros e dessas malditas "músicas" que eles compõem (que nem música isso merece ser chamado, é até mesmo uma ofensa aos músicos que realmente compõe músicas dignas).

      Excluir
    3. Bem apontado, e depois ainda passam confortáveis férias em Miami enquanto atacam o capitalismo, os EUA e o luxo nas letras das suas músicas.

      Excluir
    4. Verdade, não basta ter que atacar o capitalismo nas letras das "músicas" ainda tem que ficar incentivando o estupro, o abuso sexual de menores (bem como a pedofilia) e a sexualização das mulheres, especialmente as impúberes e menores de idade. Olha, se tem uma coisa que me dá ódio do funk é toda essa sexualização que eles fazem das mulheres, aposto que esses funkeiros que tratam as mulheres como objeto não devem ter respeito nem pelas próprias mães.

      Excluir
    5. Com certeza. É a bestialização do ser humano.

      Excluir
  41. https://noticias.gospelmais.com.br/pastor-batista-uniao-gay-criticas-fieis-conservadores-113156.html sobre a teologia inclusiva, acho que está havendo um erro nisso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É apenas mais um esquerdista travestido de "pastor" que coloca seus conceitos políticos acima da Palavra de Deus, usando o nome de Deus em vão. Uma pena.

      Excluir
  42. Lucas, como Jesus morreu se ele era Deus, e Deus é imortal? Me explica como

    ResponderExcluir
  43. Lucas, o que dizer (se é que há) do corte do governo na educação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentei mais acima:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/05/entenda-por-que-o-socialismo-nao.html?showComment=1557625243513#c3682496260746041546

      Excluir
  44. Por que existe polêmica em torno de Jesus ser ou não a chave hermenêutica da Bíblia? Eu andei olhando uns sites e vi discussões tipo autoridade da bíblia x autoridade de Jesus, outras tipo autoridade de Jesus x autoridade de Paulo e até autoridade da ICAR x autoridade de Jesus, e tem até site falando que Maria seria a chave hermenêutica... eu acho coerente Jesus ser a chave e nem por isso a Bíblia ficaria "menosprezada" ou então muito menos Paulo seria "menosprezado"... tem até vídeo do Caio Fábio falando isso e nos comentários tem gente criticando muito... qual o entendimento desse assunto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comento sobre isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/04/golpe-ou-contragolpe-de-64-o-que-o.html?showComment=1554530810399#c1131174199815206437

      Excluir
  45. Comente:

    https://youtu.be/sPdv0e2IVHs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os problemas são bem mais antigos do que ele dá a entender. A América Latina sempre foi muito mais violenta que a Europa/América do Norte, só que havia menos crimes porque a população era bem menor (e também porque era majoritariamente rural).

      Excluir
    2. Lucas, como você acha que podemos combater o problema da violência, qual a sua opinião?

      Excluir
    3. A longo prazo, convertendo, educando e dando trabalho a todo mundo. A curto, implementando leis mais rígidas contra os criminosos em todos os sentidos possíveis, dar mais liberdade à polícia, aumentar o contingente policial, seu salário e suas condições de trabalho, colocar câmeras de vigilância nas ruas e melhorar sua iluminação, criar pontos de contato com a polícia que sejam mais ágeis que o velho telefonema, construir mais presídios e cortar todas as "saidinhas" e qualquer contato com o mundo externo, fazer os presos trabalharem na cadeia igual nos EUA ("se não quiser trabalhar, também não coma"), proibir o consumo (não apenas o tráfico) de todas as drogas, armar a população de bem que tenha boas condições psicológicas e nenhuma ficha criminal, e se a coisa continuar feia, chamar as Forças Armadas. Duvido que se tudo isso fosse feito a criminalidade não cairia consideravelmente.

      Excluir
  46. Lucas, por favor, me dê sua opinião sobre esse caso meu:

    Eu acho que não amo Deus de verdade, pois, como eu sou sincero com ele, as vezes sinto raiva dele por certas coisas e o xingo de coisas que podem ser consideradas blasfêmias e insultos vergonhosos. Quando isso acontece, sinto medo de acontecer algo ruim comigo, como um castigo pesado por exemplo, daí eu peço perdão para ele. Porém depois de um tempo eu faço de novo as mesmas coisas, e tem vezes que eu não me arrependo de ter feito tais coisas (mas sempre sinto culpa).
    E quando estou "de bem" com Deus, busco-o só por interesses, tipo: busco Deus para não ter problemas de saúde em geral, para não ter problemas e sofrimentos em geral, para as coisas darem certo na minha vida, ou seja, busco Deus só para interesse próprio ou mundano.
    Será que Deus me leva a sério ainda?
    Eu acho que tenho mágoa e ressentimento dele porque muitas coisas ruins já aconteceram e acontecem na minha vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho que isso é mágoa e ressentimento, busque um tratamento espiritual (um discipulado pastoral, um retiro de cura interior, mais empenho na oração, no louvor e na leitura da Bíblia, até que esses problemas se resolvam).

      Excluir
  47. Comente:
    https://youtu.be/o_DhYzQTUOc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é fácil de resolver. Ela defende assassino e estuprador, então em teoria deveria defender ambos, só que aqui o assassino é quem matou o estuprador, então acho que ela vai ficar do lado do estuprador (se tivesse matado um policial, aí é outra história).

      Excluir
  48. Lucas, o que você acha da tese do Orlando Fedeli sobre as três revoluções? Essa teoria diz que Deus criou o mundo desigual, onde o mais perfeito retrato desse mundo seria a sociedade feudal. Tal sociedade seria fragmentada primeiramente pela reforma protestante e renascimento, onde, na primeira fase da revolução, o protestantismo enfatizou a igualdade religiosa; na segunda fase, a revolução francesa enfatizou a igualdade política; e na terceira e última fase da revolução, a igualdade social veio com a revolução comunista na Rússia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) O mundo não foi criado no feudalismo, o feudalismo é uma clara deterioração em relação ao projeto original do Éden; 2) a Reforma não enfatizou "igualdade" religiosa, mas sim LIBERDADE religiosa (liberdade essa que a ICAR condenava noutros tempos, mas desde o CVII passou a aceitar e concordar abertamente); 3) O ideal é sim que todos sejam iguais socialmente e politicamente, mas isso é um ideal utópico já que no mundo real uns sempre vão se destacar mais do que outros (e não como no feudalismo, onde o fracasso de uns e o sucesso de outros já era decidido pelo sangue), o problema é quando essa igualdade é FORÇADA, como nas revoluções aí citadas, que não tem nada a ver com a Reforma Protestante (a primeira ocorreu na França católica, a outra na Rússia ortodoxa). Ou seja, o feudalismo forçava a desigualdade e o comunismo forçava a igualdade, os dois estavam errados pelo mesmo motivo, ambos desprezavam a meritocracia em favor de uma sociedade sem classes ou com classes fixas sem mobilidade vertical.

      Excluir
    2. O Orlando Fedeli disse que a reforma enfatizou a igualdade religiosa através do livre exame das escrituras. Nesse artigo dele Ele explica melhor essa tese.

      https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://www.montfort.org.br/perguntas/3revolucoes.html&ved=2ahUKEwjwqrnfy5fiAhXSGbkGHRFiBqUQFjAGegQIARAB&usg=AOvVaw2wcTfp9sqOBrqrszKfT9bh

      Excluir
    3. A visão política dele é das mais sofríveis possíveis. A desigualdade social cresceu após o fim do feudalismo? Peloamordedeus. Foi a partir dali que a desigualdade social começou a decair, antes disso a desigualdade era absoluta, não havia mobilidade social, alguém do povo estava irremediavelmente na base da pirâmide e não poderia se tornar nobre (e vice-versa). Isso eu inclusive já abordei aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/12/como-era-o-mundo-antes-do-capitalismo.html

      Ele repete os mesmos jargões anticapitalistas que os marxistas fazem, de que o capitalismo "aumenta a desigualdade" e toda aquela bobagem que é completamente refutada pelos dados concretos, pois nunca antes da extrema-pobreza chegou a níveis tão baixos e a própria desigualdade está continuamente diminuindo, como já abordei aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/02/o-capitalismo-e-o-responsavel-pela.html

      Ele ainda tem a cara de pau de defender a nobreza antiga em detrimento da burguesia, repetindo novamente o mesmo chavão esquerdista anti-burguês, como se os burgueses fossem opressores do proletariado, quando é justamente o contrário, foi a ascensão da burguesia em substituição à antiga nobreza que nos deu o mundo desenvolvido no qual vivemos:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/03/o-capitalismo-e-ruim-para-o-mundo.html

      E ainda ataca espantalhos ao falar do livre exame protestante, que não suplantou a existência de um clero, tanto é que entre os protestantes continuou havendo ministros, como ainda ocorre até hoje. A diferença é que esses ministros não são espiritualmente superiores aos leigos, pois todos os crentes regenerados são sacerdotes espirituais, como expliquei aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/04/entenda-o-que-e-o-sacerdocio-universal_20.html

      Isso é diferente de se falar em "igualdade religiosa", pois a Reforma nunca disse que todas as religiões são iguais, é lógico que o Cristianismo é a única religião verdadeira, mas entre os que são cristãos genuínos não há desigualdade em essência, apenas diferentes funções que se exerce dentro do corpo.

      Em suma: toda a visão política/teológica dele é um retrato falado de um reacionarismo tosco e primitivo que consegue basicamente falhar em tudo, exceto na crítica ao comunismo (a qual é feita pelos motivos errados). A pior parte é aquela na qual ele fala pejorativamente da democracia liberal, o que faz muito lembrar aquelas encíclicas antigas nas quais os papas atacavam violentamente a liberdade de culto, a liberdade de imprensa, a consciência individual, a laicidade do Estado, a democracia e basicamente todos os princípios da democracia liberal (antes de mudar radicalmente o discurso por volta da época do CVII). A Montfort é um retrato dessa Igreja pré-Vaticano II cuja mentalidade não tem quase nada a ver com a atual, que vive ainda no mais profundo obscurantismo em todos os sentidos possíveis. A diferença disso para o sedevacantismo é virtualmente zero.

      Excluir
  49. O que você achou de terem retirado o COAF do Ministério da Justiça? Adivinha quais partidos apoiaram isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lamentável mesmo. Não preciso nem adivinhar.

      Excluir
    2. Realmente você tem razão quando diz que esses partidecos de extrema esquerda na verdade são facções criminosas.

      Excluir
  50. Lucas, por que uma hora você defende o capitalismo e outra hora condena a Teologia da Prosperidade? Não é contraditório?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São coisas diferentes. Defender o capitalismo significa defender um sistema no qual cada um pode enriquecer com seu próprio trabalho e esforço, e defender a teologia da prosperidade significa pregar que Deus tem a OBRIGAÇÃO de te tornar rico através da fé, geralmente atrelado ao dízimo que você dá e recebe em dobro, e barganhas desse tipinho aí. Se a teologia da prosperidade fosse verdadeira, até um crente preguiçoso e desinteressado seria rico “magicamente”, bastando ser "dizimista fiel", o que sabemos que não é verdade (inclusive a maioria dos membros dessas igrejas que ensinam isso são do estrato mais pobre da sociedade). Já com o capitalismo, qualquer um pode ficar rico, até um ateu satanista (se é que é possível haver um ateu satanista), bastando ser esforçado e aplicado em sua vida acadêmica e profissional. Uma coisa é afirmar que o capitalismo é o melhor sistema econômico que existe, outra coisa totalmente diferente é barganhar com Deus e fazer dEle um mercado.

      Excluir
    2. Mr. Anonymous,

      Here are some helpful articles on prosperity theology:

      https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2019/04/does-god-promise-physical-healing.html

      https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2019/04/exposing-false-gospel-of-physical-well.html

      Excluir
  51. Lucas, qual sua opinião sobre o Reino da Prússia? Você acha que eles foram importantes ou contribuiram em algo para o protestantismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, com certeza (embora na época da Reforma fosse um ducado e não um reino).

      Excluir
  52. Amigo do Banzolão12 de maio de 2019 10:39

    Banzolão, qual o goleiro mais maconheiro do futebol? :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo do Banzolão13 de maio de 2019 16:37

      O goleiro mais maconheiro do futebol é... Manuel "Neuer", um goleiro alemão.

      Entendedores entenderão :)

      Excluir
    2. Essa definitivamente vai entrar para o rol dos piores trocadilhos de todos os tempos.

      Excluir
  53. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Discordo de todas essas afirmações, nenhuma delas é bíblica (muito menos a terceira).

      2) O autor de Hebreus diz que "sem santidade ninguém verá ao Senhor" (Hb 12:14), então podemos dizer que sim. Para nos santificar temos que alimentar o Espírito, mediante a prática de oração, louvor e meditação bíblica, e nos afastar daquilo que pode nos levar ao mau caminho.

      Abs!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. O selo não é o dom de línguas, mas O PRÓPRIO Espírito Santo (cf. Efésios 1:13). O problema é que alguns pentecostais radicais acreditam que só possui o Espírito Santo quem fala em línguas, o que é um disparate, que inclusive já rebati aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/11/batismo-no-espirito-santo-significa.html

      Sobre só ser salvo quem é batizado, isso depende do caso. Se a pessoa não se batizou porque não teve tempo (por exemplo, estava com o batismo marcado, mas morreu antes, ou então ninguém falou pra ela sobre o batismo e nem deu a ela essa oportunidade), eu entendo que ela entra no mesmo caso do ladrão da cruz (que não foi batizado mas foi salvo). Mas se ela teve a oportunidade e ocasião de se batizar mas mesmo assim deliberadamente se recusou a isso (ou seja, se ela rejeitou o mandamento bíblico do batismo e se negou a confessar Cristo publicamente através desse ato), eu também acho que isso é extremamente problemático e pode comprometer seriamente a salvação.

      Excluir
  54. Um Feliz Dia das mães pra você Lucas e a sua mãe. Aposto que ela deve ter muito orgulho de você! Bendita seja a mulher que te gerou e amamentou! Um grande abraço para você, sua mãe, seu pai, seu irmão e toda sua família, Deus abençoe a sua família e especialmente sua mãe! Abraços 😊❤🙂

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Deus abençoe você e sua família igualmente. Abs!

      Excluir
  55. Banzoli o livro de Cantares menciona sexo oral? Onde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://dialogoabertoriginal.blogspot.com/2012/09/sexo-oral-em-canticos-dos-canticos.html

      Excluir
  56. Lucas, procede a crença que os sofrimentos que os judeus passaram na história (exemplo: holocausto, etc) são um castigo por terem rejeitado a Cristo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não creio que seja, a punição foi a destruição do templo e a conquista de Jerusalém pelos romanos em 70 d.C, não o holocausto.

      Excluir
  57. Lucas, na minha opinião, o socialismo/comunismo morreu e seus partidários se recusam a sepultá-lo.

    ResponderExcluir
  58. Uma noticia boa no Oriente médio https://guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/evangelista-relata-avivamento-no-oriente-medio-vi-mil-muculmanos-se-renderem-cristo.html

    ResponderExcluir
  59. Engraçado que os monarquistas amam a ideia do poder moderador e absoluto do rei, mas são contra o socialismo norte-coreano, que é literalmente uma monarquia, visto que o poder é de pai pra filho e o cara controla tudo (embora seja oficialmente visto como uma ditadura, que não é muito diferente da monarquia).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. [Sou outro anônimo]

      Não só a Coreia do Norte, Cuba também durante muito tempo foi praticamente uma monarquia comunista até bem recentemente quando os Castros saíram do Poder, inclusive quando Fidel Castro ficou impossibilitado de governar em Cuba ele passou o trono, digo, o cargo para seu irmão Raúl Castro. Hoje em dia, praticamente a única diferença entre Cuba e Coreia do Norte é que em Cuba os Castros (A Família Imperial cubana como eu prefiro chamar) saíram do Poder (pelo menos em teoria), enquanto isso na Coreia do Norte, a mesma Família Imperial socialista ainda tá no poder, e pelo andar da carruagem, eles não vão largar o osso nas próximas décadas.

      Em resumo, monarquistas e socialistas são tudo farinha no mesmo saco.

      Excluir
    2. Lá na Coreia do Norte a coisa é feia, lá os Kim são adorados como verdadeiras divindades (se bem que isso não difere muito da visão de muitos monarquistas sobre Dom Pedro II...).

      Excluir
  60. Como os patrões lucravam na época da Revolução Industrial se os salários dos trabalhadores eram baixos, ou seja, quem poderia comprar os seus produtos, de onde vinha o lucro? E quando foi que a realidade das fábricas deixou de ser tão horrível e as condições melhoraram? Os marxistas vão dizer que foi graças ao comunismo, mas se as condições eram mesmo tão ruins, então acredito que a indignação veio de várias partes e ninguém deve nada as ideias comunistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem podia comprar os produtos (em sua maioria) nessa fase inicial era só a elite. Mais tarde eles viram que podiam maximizar os lucros com produtos populares a preços acessíveis aos trabalhadores comuns, que foram continuamente ganhando mais com o passar do tempo. É como eu digo no artigo, o mecanismo capitalista no fim das contas ajuda os mais pobres, é o único sistema econômico em que a riqueza dos ricos (patrões) depende de uma condição financeira boa dos mais pobres (consumidores) para que possam adquirir esses produtos, em todos os outros sistemas os ricos eram/são ricos independentemente do estado social dos pobres, por isso eles pouco se lixavam com os pobres, que literalmente morriam de fome com frequência. Nessa fase inicial do capitalismo, quando ele ainda era uma incógnita para muita gente, os ricos começaram tentando agir dessa mesma forma, ou seja, no mesmo modus operandi da antiga nobreza, mas com o tempo viram que o capitalismo não funciona assim, ainda mais na medida em que a concorrência empresarial aumenta.

      O comunismo nunca mudou para melhor a vida de trabalhador nenhum porque no comunismo os trabalhadores sempre foram muito mais pobres do que no capitalismo, quem mudou para melhor a condição dos trabalhadores foi o próprio capitalismo, e isso progressivamente com o tempo, pois capitalismo é isso, é progresso (ainda que esse progresso aconteça a passos lentos, mas ainda assim significa muito mais que o mundo antigo/medieval, onde esse progresso econômico simplesmente não existia). Os dados econômicos mais específicos (com data, ano, país e etc) eu vou detalhar melhor no meu livro, mas você pode se adiantar e consultar na fonte principal que são os dados de Maddison:

      https://www.rug.nl/ggdc/historicaldevelopment/maddison/releases/maddison-project-database-2018

      Os gráficos do Max Roser também são bastante úteis, é só rolar o mouse para o final da página e escolher a temática que quiser:

      https://ourworldindata.org/

      Excluir
  61. Muito bom artigo, meu amigo. Como sempre você fez um trabalho muito completo e cuidadoso. Parabéns.

    Ao ler um dos trechos do artigo que cito abaixo sobre os "perigos" de as pessoas terem acesso a informação sobre o que acontece do lado de fora no mundo capitalista. Um exemplo muito conhecido, que cito no link da Fox news abaixo, nos fez entender o que pode acontecer quando essas pessoas tem acesso a isso. O ditador da Romênia comunista permitiu que fosse exibida a série americana Dallas em seu país com a intenção declarada de que as pessoas vissem o "vício" do capitalismo e concluíssem que havia muita vantagem no sistema socialista que estavam vivendo, porém o tiro saiu pela culatra, já que o povo começou a ver toda aquela suntuosidade e se perguntar o porquê de eles não terem acesso àquilo. Por fim o povo derrubou o ditador comunista naquele país e o fuzilou com sua esposa.

    Trecho citado de seu artigo:

    Ao mesmo tempo, não há qualquer interesse do governo em oferecer esse tipo de serviço ao povo. Com o acesso à informação eles teriam mais consciência da desgraça em que vivem, sendo capazes de se comparar aos países capitalistas, o que aumentaria a revolta e a indignação popular – algo que o governo decisivamente não deseja. A ideia do governo totalitário é manter todos como um gado alienado e subserviente ao Estado, que atua como um verdadeiro parasita que suga tudo para si, e então despeja migalhas para os outros.

    Link para o caso que citei:

    https://www.foxnews.com/entertainment/larry-hagman-and-dallas-helped-end-communism-in-romania

    Não sei se você lê inglês, mas acredito que sim. Caso queira posso traduzir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito interessante isso, não conhecia este caso, mas cai como uma luva nessa parte do artigo. Obrigado pela contribuição!

      Excluir
  62. Lucas a respeito de 1 corintios 15 52 diz que "os mortos ressuscitarão incorruptíveis e nós seremos transformados". Os "mortos" ai n pode se referir só os justos, mas toda a humanidade. O "nós" sim da entender que é os justos correto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errado, os mortos aí são uma alusão aos que ressuscitarão na volta de Jesus, ou seja, somente os justos (os ímpios ressuscitam somente após o milênio e em corpos corruptíveis). O verso 23 deixa claro que Paulo falava da ressurreição daqueles que pertencem a Cristo, o verso 43 diz que eles ressuscitarão EM GLÓRIA, e todo o contexto aponta o mesmo, está falando apenas dos justos que ressuscitarão em glória criados à imagem do "homem celestial" (vs. 47-49). Quando Paulo diz "nós" ele não está se distinguindo dos ímpios mas sim dos ressuscitados, porque ele esperava ser arrebatado em vida para o céu, pois esperava que Jesus voltasse na sua época, como está claro no paralelo de 1 Tessalonicenses 4:17, onde Paulo diz que NÓS QUE ESTIVERMOS VIVOS seremos arrebatados para o encontro com ELES (os mortos ressurretos em Cristo). Ou seja, tudo o que o texto está dizendo é que os mortos em Cristo vão ressuscitar incorruptíveis e os vivos em Cristo (que ali naquela época se aplicava a Paulo e seus leitores cristãos) terão seus corpos igualmente transformados para se encontrar com eles nos ares. No mais, a Bíblia é suficientemente clara em declarar que só os vencedores herdarão a imortalidade/incorruptibilidade (Rm 2:7), e que os ímpios colherão a corrupção (Gl 6:8). Qualquer coisa diferente disso é heresia das brabas.

      Excluir
  63. https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-05-11/video-de-damares-chamando-elza-do-frozen-de-lesbica-viraliza-nas-redes-sociais.html o que achas disso Banzolão?Eu assisti Frozen e não vi nenhum indício de lesbianismo na Elza,aliás essa ministra só sabe falar em sexo,eu fiquei feliz quando o Bolsonaro escolheu uma pastora evangélica para o Ministério da Família e Direitos Humanos,antes ocupado por Maria do Rosário que tratava criminosos como vítimas da sociedade,mas a Damares possui umas declarações bem controversas https://www.youtube.com/watch?v=j3sO1wQKIYU ,sexo com animais em hotel fazenda kkk,eu não duvido que existam loucos para tudo,mas achei a fala imprópria,assim como essa, https://oglobo.globo.com/sociedade/damares-diz-que-holandeses-indicam-masturbacao-de-bebes-partir-dos-sete-meses-23399614,mas o grave foi ela ter inventado mestrados que não fez,https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/01/sem-diploma-damares-ja-se-apresentou-como-mestre-em-educacao-e-direito.shtml

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela tem umas declarações bizarras mesmo, mas os esquerdistas são mestres na arte de revirar todo o passado de uma pessoa a qual pretendem assassinar a reputação e então jogar à tona as falas mais absurdas e extravagantes, e convenhamos, creio que não haja ninguém que não tenha passado da conta uma vez ou outra na vida com alguma declaração inoportuna. Fizeram a mesma coisa com o Feliciano lá na época em que ele foi escolhido para presidir o minitério de direitos humanos, foram investigar cada mísero tuíte dele de anos e anos atrás tentando encontrar alguma coisa que abalasse sua imagem, até descobrir aquela dos negros serem descendentes de um filho amaldiçoado de Noé. Aí pronto, acabou a vida dele, fizeram todo um inferno e não deram mais sossego enquanto ele não saísse dali. Lembra muito a história de Daniel, que era detestado pelos seus companheiros de trabalho que tramaram contra ele para pegá-lo em alguma coisa, mas como não encontraram nada que o comprometesse, usaram a fé dele contra ele. A diferença é que nós não somos como Daniel, nós somos bem mais falhos, falamos bobagens e pisamos feio na bola em algumas ocasiões, o que vira um prato cheio nas mãos desse tipo de gente odiosa.

      Excluir
    2. Sim Banzolao eu disse que entre a Damares e a Maria do Rosário ou qualquer outro(a) esquerdista eu obviamente prefiro a Damares,acredito que apesar dessas declarações bizarras ela poderá fazer um bom trabalho,sei que ela tem uma ONG que protege os indígenas indesejados por sua tribo,os que nascem com alguma deficiência do infanticídio,ela mesma adotou uma dessas indígenas e a cria como se fosse sua filha e eu já vi esquerdista negando que tal infanticídio ainda ocorra e que isso seria uma prática cultural,monstruosidade defender esse tipo de prática como cultural,é voltar ao tempo da barbárie do mundo antigo,os espartanos faziam a mesma coisa com um filho deficiente,jogavam do penhasco,não existia apego a vida.Vc citou o Feliciano,foi um absurdo o que fizeram com ele,protestos em frente a sua igreja,o assediaram dentro do avião passando a mao no cabelo dele,eles não aceitam um conservador evangélico em posição de destaque,apesar que hj em dia o Feliciano tem muitos motivos reais para realmente ser atacado,pois virou o olavete dedicado,até visitou o guru lá na Virgínia paracombinarem o pedido de impeachment do Mourao, já declarou que o guru é como um verdadeiro profeta e que é aluno de seu COF,depois que seu nome entrou em evidência após 2013,ele infelizmente fez uma enorme besteira, se aproximando do astrolavo

      Excluir
    3. Pois é, esse pedido de impeachment do Mourão foi o fim da picada mesmo, virou capacho total do Olavo.

      Excluir
  64. Banzolão pegando um gancho na pergunta que fiz sobre as declarações a meu ver algo controversas da Pra Damares Alves sobre a personagem do Frozen e sobre a sexualidade em si,por que achas que alguns pastores possuem essas obsessões?O Pr Josué Yrion nos anos 90 dizia que o Scar do Rei Leão era homossexual e que esse desenho também induziria a homossexualidade,além de ter sido produzido pela satanista Disney https://www.youtube.com/watch?v=XSlUNKH0Ocw

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tal de Yrion aí foi em grande parte o responsável por essa paranoia evangélica dos anos 90 (eu inclusive tenho um artigo sobre algumas dessas obsessões, veja no link abaixo), a minha mãe mesmo falava muito nele, ele era bem reconhecido na época por demonizar praticamente tudo da Disney (e fora da Disney também), e como os crentes da época tinham pouco discernimento pois eram na grande maioria neófitos na fé (naquele "boom evangélico" que teve nos anos 90), acabavam comprando como verdade qualquer disparate do tipo. Hoje em dia dificimente um Yrion da vida faria tanto sucesso como fez na época, embora a igreja ainda esteja longe de ter alcançado um patamar de maturidade.

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/evangelicos-que-escandalizam-o-mundo.html

      Excluir
  65. Comente:

    https://youtu.be/I7SQdSU3H80

    https://youtu.be/Qmw2gkHwHdo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já tinha visto essa notícia pelo canal do Maurício Ricardo, isso só mostra que o Bolsonaro estava disposto a fazer esses acordos políticos que ele condenava nos outros, como uma característica da “velha política”. Eu nem acho que esse tipo de acordo seja errado, e ilegal com certeza não é, mas é hipocrisia condenar nos outros o que ele mesmo faz.

      Excluir
  66. Porque Jesus dizia que se as pessoas quisessem segui-lo teriam que largar literalmente tudo que possuíam? Como por exemplo, no caso em que Ele nem permitiu um homem de se despedir de sua família. Alguns dizem que é uma hipérbole mas ao ler os textos não tive essa impressão, e aparentemente as pessoas encaravam como algo literal. E além disso, sempre vejo os comunistas usarem como exemplo os textos em que Jesus diz que para ser seu seguidor era necessário entregar todos os seus bens aos pobres para comprovar a tese do Jesus comunista. Como explicar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse trecho em questão é muito mal interpretado. Eu também pensava que quando o cara pediu para enterrar o pai dele é porque ele já tinha morrido e precisava apenas ser sepultado, até entender que na cultura judaica isso era uma forma de dizer que ele ia esperar até o pai dele morrer (ou seja, não é como se o pai já tivesse morrido e precisasse apenas ser sepultado, mas sim que ele iria esperar até o pai dele morrer e ser sepultado para só depois ele seguir Jesus, o que talvez fosse levar anos...). Sobre entregar os bens aos pobres, isso Jesus disse a um jovem muito rico cujo coração estava apegado às riquezas, então era uma forma de testá-lo, de saber qual era a sua prioridade (teste no qual ele acabou falhando, pois colocava as riquezas acima do seu desejo de seguir a Cristo).

      Excluir
  67. O artigo chegou aos 200 comments e por isso a caixa de comentários daqui será fechada. Quem quiser postar um novo comentário ou responder a algum daqui, fique à vontade para fazer no artigo mais recente 👍

    ResponderExcluir