11 de julho de 2018

150 Flávio Josefo é a prova irrefutável de que Tiago era irmão (e não primo) de Jesus!



Por mais que a Bíblia afirme e reafirme reiteradas vezes a existência dos irmãos de Jesus, os apologistas católicos preferem acreditar na lenda de que eram “simples primos”, na única manobra possível para salvar o dogma da virgindade perpétua de Maria. Para eles, os vários textos do Novo Testamento que falam nos irmãos de Jesus dizem respeito apenas a primos porque no hebraico a palavra para irmão e primo era a mesma. O que ninguém jamais explicou a eles é que o Novo Testamento foi escrito em grego, não em hebraico, e que neste idioma já havia palavra específica para irmão (adelphos) e primo (anepsios), além do termo mais genérico para parente (suggenes). E que, por “coincidência”, todas as vezes que a Bíblia se refere aos irmãos de Jesus ela usa o termo para irmão mesmo (adelphos).

Mas eles não desistem e martelam na tecla de que os autores do Novo Testamento preferiram dizer “irmão” para quem era na verdade “primo”, mesmo tendo uma palavra específica para primo que poderia ter sido perfeitamente utilizada caso quisessem, e mesmo correndo o risco de alguém confundir um primo com um irmão quando lê um texto dizendo irmão. Para eles, o mesmo apóstolo Paulo que disse que Marcos era primo­-anespsios de Barnabé (Cl 4:10) preferiu dizer que Tiago era irmão-adelphos de Jesus (Gl 1:19), talvez porque tenha tido uma amnésia súbita da existência do termo anepsios naquela ocasião, ou porque estava mal-informado, ou porque não se importava em confundir as pessoas mesmo.

Mas provar os irmãos de Jesus pela Bíblia é covarde e duplamente inútil: primeiro porque isso já foi feito neste artigo (altamente recomendável para quem quer entender o tema), e segundo porque nenhum apologista católico crê realmente na Bíblia (a série de pérolas dos zumbis tridentinos é uma prova clara disso). Então neste artigo eu irei usar um historiador judeu que viveu no primeiro século e que é a principal fonte não-cristã usada como prova a favor da historicidade de Cristo: trata-se de Flávio Josefo (37-100 d.C). Apologistas católicos quando debatem com ateus citam Josefo para provar que Jesus existiu (e fazem bem ao agirem assim), mas misteriosamente somem com ele quando o mesmo escreve a respeito de Tiago, o irmão de Jesus.

Vejamos o que Josefo escreve sobre Tiago, o “primo” de Jesus no conto papista:

“Mas o jovem Anano, que, como já dissemos, assumia a função de sumo-sacerdote, era uma pessoa de grande coragem e excepcional ousadia; era seguidor do partido dos saduceus, os quais, como já demonstramos, eram rígidos no julgamento de todos os judeus. Com esse temperamento, Anano concluiu que o momento lhe oferecia uma boa oportunidade, pois Festo havia morrido, e Albino ainda estava a caminho. Assim, reuniu um conselho de juízes, perante o qual trouxe Tiago, irmão de Jesus chamado Cristo, junto com alguns outros, e, tendo-os acusado de infração à lei, entregou-os para serem apedrejados” (Antiguidades Judaicas, Parte 1, Livro XX, 8)

Por alguma misteriosa razão, os sites católicos que usam a outra citação de Josefo sobre Jesus simplesmente somem com essa (algo me diz que é por conveniência, mas vamos dar o ônus da dúvida). Algum apologista católico poderia contestar e dizer que Josefo escrevia em hebraico e por isso teria dito “irmão”, mas sabemos que Josefo escreveu em grego. Então poderiam objetar dizendo que, mesmo escrevendo em grego, Josefo preferiu usar o termo “irmão” como uma palavra genérica significando irmão ou primo para manter seu “costume hebreu” (sim, inacreditavelmente é a desculpa que eles arrumaram para o NT!).

Para saber se essa segunda objeção tem algum fundamento, só nos resta uma coisa: irmos até os escritos de Josefo para averiguar se ele realmente costumava usar o termo “irmão” para qualquer parentesco, ou se também usava o termo grego para “primo” e diferenciava um e outro. Lamentavelmente para os apologistas católicos, eu não precisei de muito tempo até encontrar inúmeras citações expressas de primos (anepesios), como por exemplo Boaz, primo (não irmão!) de Abimeleque:

“Orfa consentiu naquele desejo, mas a extrema afeição que Rute devotava à sogra não lhe permitiu abandoná-la e desejou ser sua companheira também na adversidade. Assim, chegaram ambas a Belém, onde veremos em seguida que Boaz, primo de Abimeleque, as recebeu com grande bondade” (Antiguidades Judaicas, Parte 1, Livro I, 11)

Ou quando diz que Jonadabe era primo de Amnom:

“Amnom, seu filho mais velho, apaixonou-se tão perdidamente por ela que, não podendo satisfazer a sua paixão, porque ela era cuidadosamente vigiada, ficou em tal estado que se tornou irreconhecível. Jonadabe, seu primo e amigo particular, julgou que aquela enfermidade só podia vir de uma causa semelhante e rogou-lhe que dissesse qual era. Amnom revelou o amor que sentia pela irmã, e Jonadabe, que era um homem inteligente, deu-lhe um conselho, o qual ele pôs em prática” (Antiguidades Judaicas, Parte 1, Livro VII, 7)

Ou então quando afirmou que Grapta era primo de Izate:

“Travou-se um combate, mataram a muitos dos dele, impeliram-no até quase o palácio, construído por Grapta, primo de Izate, rei dos adiabenianos, que João havia escolhido para sua residência e onde ele guardava todo seu dinheiro, como produto dos roubos e saques, que eram efeito de sua tirania; entraram lá com ele e o obrigaram a se retirar ao Templo” (Antiguidades Judaicas, Parte 2, Livro IV, 34)

Ou então quando escreveu que Macrom (não confundir com o presidente francês) era primo de Caio:

“Tudo, porém, Macrom fez para dissipar essas dúvidas e suspeitas e particular-mente o temor que ele tinha pelo neto; ele afirmava-lhe que Caio tinha por ele grande respeito, muito afeto como primo, e que lhe cederia de boa vontade o império; que só se devia atribuir ao pudor e ao seu retraimento o que todos julgavam espírito fraco” (Antiguidades Judaicas, Livro Único, 4)

Ou então quando alegou que Tibério também era um primo de Caio:

“Ações tão criminosas, na mente de Caio, eram como outras tantas vitórias que ele obtivera sobre o que havia de mais ilustre no império. Seu furor tinha sufocado o brilho da família imperial no sangue do jovem Tibério, seu primo, que ele devia, ao invés, ter associado ao soberano poder” (Antiguidades Judaicas, Livro Único, 6)

Um caso particularmente interessante é quando “primo” e “irmão” são usados em um mesmo trecho, mostrando que Josefo conhecia bem a diferença entre ambos:

“Eis como Caio procedeu para executar uma resolução tão detestável contra aquele, com o qual a justiça obrigava a dividir a suprema autoridade. Mandou vir o jovem Tibério, reuniu seus amigos e disse-lhes falando dele: ‘Eu não o amo somente como meu primo, mas como se ele fosse meu próprio irmão, e desejaria, de todo meu coração, poder agora associá-lo ao governo, para satisfazer à última vontade de Tibério, mas vedes que, sendo tão jovem, ele tem mais necessidade de governante do que de ser governador’” (Antiguidades Judaicas, Livro Único, 3)

E o que dizer disso?

“Mas eu quisera bem saber de quem ele teria podido aprender o que diz; eu fui instruído desde o berço por meu pai, meus irmãos, meus primos, meus avós, meus bisavós e tantos outros grandes príncipes, de quem sou descendente dos lados paterno e materno, sem falar das sementes de virtude que a mesma natureza introduz no sangue daqueles que ela destina a governa” (Antiguidades Judaicas, Livro Único, 4)

A família inteira é mencionada de uma só vez – pai, irmão, primo, avós e bisavós –, e mesmo assim, para os apologistas católicos, Josefo não tinha a capacidade de distinguir irmão e primo e por isso generalizava usando o termo “irmão” de forma genérica, aplicando-o a qualquer forma de parentesco próximo – algo que beira o ridículo. Curioso é notar que todas essas referências estão na mesma obra em que Josefo chama Tiago de irmão (e não primo!) de Jesus. Qualquer um pode encontrar o livro em pdf, baixá-lo e constatar que os trechos citados aqui estão exatamente como constam no livro.

Diante disso, fracassadas todas as suas tentativas de “refutar” Josefo, a última escapatória para um apologista católico seria atacar a tradução em português, que talvez tenha sido feita por um protestante cruel, malvado e anticatólico (talvez um membro da famosa – nos blogs católicos, é claro – “Inquisição protestante”). Para descobrir essa última informação que nos faltava eu procurei o grego original dos escritos de Josefo e descobri aqui. Os vinte livros da “Antiguidades Judaicas” estão lá, cada trecho com o original grego seguido de uma tradução em inglês. Você pode entrar lá e conferir exatamente o trecho citado na referência sobre Tiago, que é o livro 20 (veja aqui). E, adivinhem, no grego consta exatamente o termo para irmão, como também traduz a versão inglesa:


Eu fiz o mesmo para ver se no grego consta a palavra diferente para primo, como nessa citação do livro 17. E adivinhem:


Ou seja, o grego traz a mesma coisa que a tradução em português e em inglês. Josefo cita adelphos em relação a Tiago irmão de Jesus, e anepsios em relação ao parentesco de outras pessoas que eram primas, mas não irmãs. Agora que todas as possibilidades de refutação já foram demolidas de antemão, só restará ao apologista católico apelar ao truque final: dizer que Josefo estava redondamente mal-informado. Isso se tornaria ainda mais irônico se vindo de certos apologistas católicos preteristas que interpretam o Apocalipse 100% baseados no testemunho de Josefo, que por conveniência se torna “não-confiável” quando o que escreve é algo que confronta diretamente suas crenças pessoais – o que só mostra mais uma vez a desonestidade desse tipo de gente.

Josefo é usado pelos católicos quando fala de Jesus, também é usado por eles quando fala sobre a guerra entre Jerusalém e Roma em 70 d.C, mas quando fala do parentesco de Tiago em relação a Jesus se transforma subitamente em uma fonte contestável que deve ter errado grosseiramente em suas pesquisas. Josefo era contemporâneo de Tiago, que era o líder da igreja cristã em Jerusalém e contemporâneo de Josefo, que, como se não bastasse, era um historiador competente – mas mesmo assim não sabia que Tiago era apenas um “primo” de Jesus! Pelo jeito não são só os protestantes que se enganaram em relação a Tiago, mas também um historiador contemporâneo não-cristão e todos os escritores bíblicos de uma só vez. Todo mundo se enganou, exceto a apologética católica, que com um golpe de mestre “descobriu” o primo de Jesus recorrendo como fonte a um Pai da Igreja de cinco séculos posteriores. É realmente cômico.

Todos os evangelistas e apóstolos disseram que os irmãos de Jesus eram adelphos mesmo, e não primos – mas mesmo assim eram primos. Josefo se refere a Tiago como sendo irmão-adelpho de Jesus em vez de primo (mesmo tendo por hábito chamar os primos de primos), mas mesmo assim Tiago era um primo. Mesmo quando a arqueologia descobre o ossuário de Tiago datado exatamente do século I com a inscrição aramaica “Tiago, filho de José, irmão de Jesus” (Ya'akov bar Yosef achui d'Yeshua) e é provada verdadeira em tribunal (veja aqui), ainda assim Tiago continua sendo “apenas um primo”. Não importa quantas provas sejam acumuladas – sejam elas bíblicas, históricas ou arqueológicas –, nada poderá mudar a mente de alguém que a tem cauterizada para não escutar verdades desagradáveis e inconvenientes.

• Compartilhe este artigo nas redes:

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.

ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)

150 comentários:

  1. Outra questão que pode ser tirada de Josefo é que ele não cita nenhuma vez a pessoa de Pedro como líder da igreja primitiva.

    Cita Tiago, que como relato de Atos 15, foi quem presidiu o concílio de Jerusalém e tinha um papel mais importante do que o de Pedro pros historiadores da época, por ser irmão de Jesus e por ser bispo de Jerusalém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo do Avalie13 de julho de 2018 11:39

      Avalie: https://twitter.com/maridinizlion/status/1016516904616366080?s=19

      Avalie: https://www.facebook.com/CristaoRadicalMonergista/videos/352401511820059/

      Excluir
    2. Concordo com o que a moça twitou e gostei muito do vídeo.

      Excluir
    3. Anônimo do Avalie13 de julho de 2018 18:23

      Você apoia privatizações? Eu apoio em tudo, sem essa de "preservar o patrimônio nacional"

      Excluir
    4. Eu sou a favor desde que a empresa em questão esteja dando prejuízo. Se está dando lucro, não vejo razões para privatizar. Escrevi sobre isso aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/04/privatizar-ou-nao-privatizar-eis-questao.html

      Excluir
  2. Como refutar os que dizem que os irmãos eram filhos de José com outra mulher que ele teve antes de Maria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (1) Se fossem filhos de José com outra mulher eles não seriam irmãos de Jesus, porque Jesus não é filho biológico de José; (2) Essa interpretação não subsiste diante de textos como Mateus 1:24-25, que diz que José não teve relações com Maria ATÉ QUE nascesse Jesus, e que este era seu primogênito e não seu filho único.

      Excluir
    2. Além disso, o seguinte texto indica, embora não seja possível afirmar peremptoriamente, que não havia irmãos mais velhos de Cristo:
      "E, tendo eles se retirado, eis que o anjo do Senhor apareceu a José num sonho, dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga; porque Herodes há de procurar o menino para o matar.
      E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito. Mateus 2:13,14.
      Não é perfeita a informação, mas há uma constatação, embora não completa, de que se houvesse outros membros da família, seriam lembrados no texto, que faz alusão a Cristo e a Maria somente.

      Excluir
    3. Na versão ortodoxa do texto:

      "Levanta-te, e toma o menino, e sua mãe, e seus outros quatro meninos do seu casamento anterior, e suas filhas, e foge para o Egito..."

      Excluir
    4. Pois é. Eu sou presbiteriano de berço, e nunca dei bola para o catolicismo, pois pela simples leitura da bíblia você percebe o tanto de idolatria que existe lá. Porém, um dia eu me questionei se eu estava correto ou o catolicismo, e fiz uma busca honesta para saber a verdade. Li diversos argumentos contra, e são vários realmente que acabam com o catolicismo, mas bastaria apenas um: a virgindade perpétua vs. a própria bíblia que diz o contrário. Se acertassem em todo o resto, bastaria apenas isso para comprovar que o catolicismo não se preocupa com a verdade. Por isso, toda vez que eu discuto com um católico eu só uso esse argumento e as provas dele, que cada vez mais se acumulam.

      Excluir
  3. O seu português é melhor que o meu, a sua capacidade de escrita também, e sei que é chato dar uma de editor, mas como você aceita sugestões, acho que há uma redundância aqui: "generalizava usando o termo “irmão” de forma genérica"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade dessa vez foi proposital, às vezes eu apelo à redundância mesmo para frisar melhor algum ponto.

      Excluir
  4. De qualquer forma, excelente artigo. Coloca mais umas dez pás de cal sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  5. Lucas, aproveitando a ocasião, vou colocar um pequeno estudo que eu fiz aqui:
    A situação descrita em Mateus 13:54-56 sempre se cerca de muita discussão, com os católicos romanos tomando uma posição, os protestantes outra e até os ortodoxos uma diversa dos outros dois grupos. A posição protestante, até em virtude do princípio da Sola Scriptura, busca entender, em primeiro lugar, o que o texto diz, e só a partir disso tomar uma posição. O respeito a esse princípio coloca os protestantes em uma posição passiva na leitura, buscando entender o que o texto explica, qual mensagem os autores buscaram transmitir, enfim, qual a verdade por trás do que está escrito. Não há, utilizando-se o princípio citado, uma prévia situação que deva ser inserida ali e, a partir dessa situação, buscar-se uma opinião derivada, muitas vezes até diversa do que ali está escrito.
    Dentre as discussões, elas majoritariamente se posicionam em duas: uma no sentido de que a palavra irmãos, no original adelphos, cuja tradução se relaciona a palavra portuguesa “irmão, inclusive com sentidos semelhantes à utilização popular dessa palavra, como amigos, parentes e indivíduos com a mesma fé, discorrida pelo apologeta Lucas Banzoli, que aborda esse sentido com profundidade em outros artigos. E a outra, no sentido católico romano, de que os “irmãos” ali citados seriam na verdade primos, mesmo que para esse sentido exista uma palavra específica no grego dos tempos de Cristo, anepsios, também usada na bíblia no texto de Colossenses 4:10.
    Porém, pouca atenção tem sido dada ao versículo 56 que, como transcrito abaixo, tem a seguinte descrição:
    Mateus 13:56. “E não estão entre nós todas as suas irmãs? De onde lhe veio, pois, tudo isto?
    Nota-se que a palavra grega original correspondente ao termo irmãs é adelphé, mais precisamente αδελφαι, que tem 4 ocorrências na Bíblia, 3 além da já citada. Abaixo será transcrito um dos textos que compreende a palavra, pela versão Almeida Corrigida e Revisada:
    Marcos 3:32 “E a multidão estava assentada ao redor dele, e disseram-lhe: Eis que tua mãe e teus irmãos te procuram, e estão lá fora.”
    Esse texto, com a tradução acima, não contém a palavra irmãs, como está se estudando, mas o texto original assim se transcreve diretamente:
    “E a multidão estava assentada ao redor dele, e disseram-lhes: Eis que tua mãe, teus irmãos e tuas irmãs te procuram, e estão lá fora.”
    Claramente foi suprimido a palavra “irmãs”, pois é admissível na língua portuguesa a união de palavras em torno de um pronome que diminua a necessidade de mais texto, portanto a tradução foi realizada de maneira correta. Porém, para a precisão do estudo que se faz, é importante que a redundância do termo se coloque, pois vemos aí que tantos os irmãos (sexo masculino) como as irmãs (sexo feminino) de Cristo estiveram presentes no fato descrito.
    O outro texto que tem a ocorrência da palavra adelphé está localizado Marcos 6:3, assim transcrito:
    “Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? E não estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele. ”
    Também há essa ocorrência em João 11:3, no conhecido texto da ressurreição de Lázaro, no trecho em que as irmãs mandam chamar Jesus, pois o irmão delas, Lázaro, estava doente:
    “Mandaram-lhe, pois, suas irmãs dizer: Senhor, eis que está enfermo aquele que tu amas. ”

    ResponderExcluir
  6. Há outras ocorrências para palavras semelhantes a irmãs, mas concentrar-se-á apenas na grafia adelphai, utilizada para o texto de Mateus 13:56 e que, segundo a concordância de Strong, ocorre apenas nos textos acima.

    A mesma concordância de Strong aponta três sentidos para a palavra adelphai, como segue: irmã; uma mulher membra de uma igreja; ou uma mulher cristã. Não há, portanto, como colocar o sentido genérico de parentes, ou primas, para o caso, sobrando apenas os sentidos citados, lembrando: irmã de sangue, uma mulher que professe a mesma fé que alguém ou genericamente uma mulher cristã. Portanto, a definição dada pelo catolicismo, de que são “primos”, pode até caber dentro da definição da palavra “irmãos”, porém cai por terra quanto a irmãs, presente no texto do versículo 56. Tomando esse entendimento por base, fica bastante improvável o sentido dado pelo catolicismo para o texto de Mateus 13:54-56, que, tomando-se os sentidos isoladamente, ficariam assim:
    “Não é este o filho do carpinteiro? (referência clara a José, sem discussões ou dúvidas) e não se chama sua mãe Maria (referência clara à mãe de Jesus), e seus irmãos (primos, pela definição católica) Tiago, e José, e Simão, e Judas?
    E não estão entre nós todas as suas irmãs (deu tilt, travou, ai meu Deus, será que o catolicismo está errado, e agora? Xingo os protestas rebelados, adoradores de Lutero?). “
    Não há como considerar que se referiam a primas, pois não existe esse significado para o termo usado. Simplesmente não existe. Não cabe, portanto no texto, esse sentido. Os outros significados possíveis tornam o texto bem bizarro, como se depreende abaixo, fazendo as substituições:
    “Não é este filho de José? Sua mãe não se chama Maria, e seus primos Tiago, e José, e Simão, e Judas? E não estão entre nós todas as suas irmãs?”
    “Não é este filho de José? Sua mãe não se chama Maria, e seus primos Tiago, e José, e Simão, e Judas? E não estão entre nós todas as suas seguidoras?”
    “Não é este filho de José? Sua mãe não se chama Maria, e seus primos Tiago, e José, e Simão, e Judas? E não estão entre nós todas as suas mulheres cristãs (sic)? ”
    Nota-se que o texto é formulado em uma sequência referencial, colocando os laços de parentesco de Jesus, começando pelo pai e terminando pelas irmãs. O sentido do texto indica isso. O autor do texto não colocaria os primos e terminaria com as seguidoras, de forma genérica, usando esse texto. Também não vejo sentido em fazer referências familiares e terminar usando “todas as suas seguidoras”, já que as que não moravam em sua cidade natal, não seriam incluídas, e o autor do texto, Mateus, sabia disso, pois ele contou histórias de Cristo em diversas localidades. Além disso, fica descabido indicar as seguidoras, ou seja, as mulheres do sexo feminino, e não incluir os seguidores. Pior, o que tem a ver as seguidoras com a família de Cristo, com Maria e José?
    Também não há como inferir também que em um mesmo texto ele use palavras correlacionadas, como irmãos e irmãs, e sentidos bastante diversos para essas mesmas. Portanto, é bastante improvável, para não dizer impossível, que o termo irmãs se refira às mulheres que seguiam a Cristo, suas correligionárias, ou mulheres que professassem a mesma fé, pois além do texto citar os relacionamentos familiares de Jesus, sentido que até os católicos romanos consideram, tentando enxertar forçadamente o sentido de primos no primeiro

    ResponderExcluir
  7. termo, ficaria sem nexo introduzir uma palavra com um significado que não se atenha à família de sangue de Cristo, descrita no texto.
    Vê-se também que, em virtude do texto de João, a palavra adelphai é usada especificamente para irmãs de sangue, pois na ocasião citada as irmãs de Lázaro correm a Jesus para que Ele cure o irmão delas. O termo irmãs aí é de sangue mesmo, sem discussões entre católicos e protestantes. A mesma palavra, no original, para o texto de Mateus.
    Portanto, não há outro entendimento possível para o versículo em discussão que não o de que a palavra “irmãs” se refere, na realidade, no caso concreto, no fato relatado, às irmãs de sangue de Jesus, frutos do relacionamento entre Maria e José, casados, dentro da benção divina, como também se depreende do versículo de Mateus 1:24 e 25. O que nos leva a uma única conclusão: Maria não ficou virgem a sua vida inteira. Teve filhos e filhas. E isso não depõe em nada contra a sua vida, que pareceu ser bastante correta perante os mandamentos divinos.

    ResponderExcluir
  8. Lucas:
    1) Parabéns pelo artigo !
    2) Sem dúvida nenhuma Tiago era irmão do Senhor ! A Grande discussão, ao meu ver, era se Tiago era filho ou não de Maria?
    Pois ,ainda existe a hipótese de Tiago ter sido meio -irmão de Cristo e ter sido apenas filho de José ( hipótese da viuvez de José)
    Algum tempo eu achava que somente Ortodoxos defediam isso mas , recentemente descobri que o Dr Rodrigo Silva também defende essa hipótese? O que achas dela ?
    Otávio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, eu comentei sobre isso numa resposta acima a alguém que me perguntou a mesma coisa:

      (1) Se fossem filhos de José com outra mulher eles não seriam irmãos de Jesus, porque Jesus não é filho biológico de José; (2) Essa interpretação não subsiste diante de textos como Mateus 1:24-25, que diz que José não teve relações com Maria ATÉ QUE nascesse Jesus, e que este era seu primogênito e não seu filho único.

      Excluir
    2. Se o dogma da virgindade perpétua fosse tão importante JAMAIS teria se feito qualquer referência de Maria junto com os irmãos de Jesus sem frisar que eles eram filhos só de José. E muito menos teria se escrito que José a tomou por mulher e não a conheceu ATÉ que desse a luz seu filho primogênito. A igreja luta contra heresias desde o primeiro seculo e ainda querem fazer da Bíblia um livro difícil, se não impossível de se entender, cheio de mistérios e "pegadinhas", como se sua função fosse muito mais a de levar a perdição do que proporcionar salvação. A Bíblia é PERFEITA, tudo o que foi escrito foi escrito de maneira muito bem clara e objetiva, nunca teria sido escrito de uma maneira que pudesse induzir seus leitores à erros que os levariam à morte. Se todos os registros bíblicos e extra bíblicos dizem que Jesus tinha IRMÃOS quem acredita em algo diferente disso é que deveria provar alguma coisa - e sem apelar para livros gnósticos fantasiosos escritos séculos depois de Cristo.

      Excluir
    3. Exatamente, muito bem colocado.

      Excluir
  9. Anônimo do Avalie11 de julho de 2018 11:10

    Lucas, você já leu a encíclica rerum novarum? Nela retrata o posicionamento da igreja católica sobre a condição dos operários. Ela foi escrita pelo papa Leão XIII e é fácil de encontrar na internet. Que Deus continue a te abençoar com o seu trabalho em defesa da fé cristã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Li sim, até peguei uns trechos dessa encíclica para usar no segundo volume do meu livro sobre a Reforma. Abs!

      Excluir
  10. Pronto, agora vai acabar a choradeira. Vamos ver como vão reagir os apologetas de Roma.

    Muito bom, Banzoli

    ResponderExcluir
  11. Paz do Senhor
    Depois do “Acredito que o branco que eu vejo é negro, se a hierarquia da igreja assim o tiver determinado.” (Inácio de Loyola); eles ainda vão continuar vendo primo onde é irmão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, a gente pode até parafrasear esse lema de "Santo" Inácio:

      "Acredito que o irmão que eu vejo é primo, se a hierarquia da igreja assim o tiver determinado"

      Excluir
  12. Primeiro, sobre o artigo: é claro que os católicos não vão admitir NUNCA que Maria é maculada com atos sexuais com José. Pois para eles, ela é(praticamente)uma deusa!

    Segundo, um assunto aleatório ao artigo: em 1Coríntios 6:9 fala das pessoas que não irão para o Céu. Da a entender que, nesse verso, que só a pessoa sendo uma daquelas coisas, ela não vai subir não. Mas eu creio que Paulo quis dizer que o PRATICANTE de uma(s) daquela(s) coisa(s) não herdará o Paraíso.

    Eu já falei aqui que a Bíblia condena os ATOS errados e não a pessoa que tem tendências a atos errados. Exemplos: alcoolismo; mentira; homossexualismo; etc. Antes que me perguntem, sim; creio que existem homossexuais que nasceram assim; assim como assassinos que nasceram com tendências assassinas.

    Existe um PDF do Leandro Quadros sobre a homossexualidade: http://novotempo.com/namiradaverdade/files/2015/05/Na_Mira_da_Verdade_Homossexualidade.pdf

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
  13. Lucas, minha tia acredita que Maria pecou, que não foi perpetuamente virgem, porém ela argumenta que se Maria tivesse tido outros filhos, Jesus não teria entregado ela a João.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é uma discussão bem complexa. A apologética tradicional responderia a isso dizendo que os irmãos de Jesus ainda eram incrédulos e que por causa disso Jesus preferiu entregar sua mãe aos cuidados de um discípulo cristão, o que faz todo o sentido se o discípulo amado fosse mesmo o apóstolo João. Mas eu já provei em artigos passados que o discípulo amado citado no quarto evangelho é o próprio Tiago, irmão de Jesus, então Jesus nada mais fez além de entregar sua mãe aos cuidados de seu filho mais velho depois dele. Você pode ler a este respeito nestes artigos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/02/nao-joao-nao-escreveu-o-quarto-evangelho.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/06/o-autor-do-quarto-evangelho-finalmente.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/06/refutando-objecoes-autoria-de-tiago.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/06/o-terceiro-joao-e-chave-para-se.html

      Excluir
    2. Mas se fosse Tiago, qual seria a necessidade do dialogo em que o discipulo amado e instituido filho e Maria Mãe?

      Excluir
    3. Jesus não "instituiu" o discípulo amado como um filho, ele apenas chamou o filho de filho e a mãe de mãe, em momento nenhum ele estabeleceu uma nova concepção de relação maternal entre as partes, esse tipo de leitura é enviezada pela interpretação tradicional do texto, e não algo que se extraia naturalmente do mesmo.

      Excluir
  14. Lucas, por que a maioria dos textos do século I foram escritos em grego? O grego na época era considerado a linguagem universal como o inglês r hoje?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim pois os judeus e parte do oriente médio já tinham o grego como uma das linguás a alguns séculos devido ao império de Alexandre, e os romanos também falavam o grego alem do latim, então o grego era a linguá mais usada durante o império romano.

      Excluir
  15. Lucas o que acha desta frase ;
    "O evangelho não é um relato de como as pessoas são salvas. É a proclamação do senhorio de Jesus Cristo"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São as duas coisas, na verdade. Uma coisa não exclui a outra.

      Excluir
  16. Lucas, vi ateus fazendo as seguintes Alegações sobre a bíblia:
    Vc pode responder pfvr:

    O sol foi criado no amanhecer do quarto dia, como amanhecia e anoitecia sem sol?

    Esta incoerência está no primeiro capítulo do primeiro livro, cada capitulo de todos os livros tem contradições.;

    Os supostos espíritos que entraram numa criação de 2000 porcos que se jogaram no mar, num evangelho cita um local que fica 48 quilômetros de distância do mar e em outro evangelho cita outra cidade que fica apenas 180 kilometros do mar.

    Por que alguém criaria 2.000 porcos num lugar que era proibido comer carne de porco?

    Sim, a terra existirá para sempre. [Dt 4:40], [Sl 37:29], [Sl 78:69], [Sl 101:5], [Ec 1:4]

    Não, a terra não existirá para sempre. Ela será destruída. [Sl 102:25-26], [Is 65:17], [Mt 5:18], [Mt 24:35], [Mc 13:31], [Lc 21:33], [Hb 1:10-11], [II Pe 3:10], [II Pe 3:13], [Ap 21:1]

    Deus pode ser tentado?

    Deus não pode ser tentado. [Tg 1:13]

    Deus pode ser tentado. [Dt 6:16], [Ml 3:15], [Mt 4:7], [Lc 4:12], [At 15:10]

    Deus sabe o que se passa no coração de cada um?

    Sim. [Sl 44:21], [Sl 139:2-3], [At 1:24]

    Não. [Dt 8:2], [Dt 13:3], [II Cr 32:31]

    Os israelitas pouparam as arvores dos países que eles invadiram?

    Não. [Dt 20:19]

    Sim. [II Rs 3:19]

    •ao meu ver a Maior Contradição Jesus jamais disse que a morte Dele salvaria alguém, apenas que a morte dele era certa e necessária.

    A Salvação foi criada por Saulo/Paulo, não Jesus Cristo.


    ⬆⬆ Todas alegações deles

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todas essas supostas "contradições" bíblicas foram extraídas da "Bíblia do Cético", que apresenta duas mil supostas contradições da Bíblia, TODAS elas já refutadas pelo Pipe Desertor. Segue os links onde você pode acompanhar as refutações:

      http://dcgolgota.blogspot.com/

      http://www.dc.golgota.org/

      Eles também tem essa comunidade onde também tiram as dúvidas de qualquer um que tiver novas "contradições" (eu tirava as minhas dúvidas com eles na época do Orkut, sempre responderam inteligentemente e cordialmente):

      https://www.facebook.com/descontradizendocontradicoes/?ref=br_rs

      Excluir
  17. É um artigo ou o Cometa Halley. Impressionante!!! :O

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Rodrigo Silva tem uma teoria de que Tiago e outros irmãos de Jesus erwm irmãos do Senhor apenas por parte de pai já queqJesus era desrespeitado por esses visto como um louco antes da conversão de Tiago e Judas na visão dele naquela cyltura um irmão mais velho jamaisnseria desrespeitado por ym kais novo ele achabque José teve outra esposa antes de Maria e os outros filhos sao filhos da doutra ee para ele o discípulo amado era João e por causa disso ele fica cuidando de Maria e como adventista ele cota Ellen White como fonte para essas afirmações

      Excluir
    2. Eu já respondi sobre essa teoria duas vezes nos comentários mais acima.

      Excluir
    3. Não sou o Lucas, mas acho que esse link pode ajudar você!

      http://biblia.com.br/perguntas-biblicas/jesus-cristo/maria-teve-outros-filhos-alem-de-jesus-cd/

      Deus lhe ilumine!

      Excluir
    4. Não gostei muito do texto do link acima, não deixa claro qual posição a se tomar, o que para mim é claramente a perda da virgindade de Maria.

      Excluir
    5. Boa noite Gustavo, Maria foi escolhida para a concepção de Jesus, uma concepção milagrosa, pelo Espirito Santo, o que já sabemos a muito, após essa concepção ela teve filhos e filhas, não sei qual foi o primeiro após Jesus, mas esse com certeza foi gerado após ela perder sua virgindade carnal, ou seja Maria foi escolhida como a mãe de Jesus pois aos olhos de Deus encontrou satisfação, mas isso não faz dela um ser divino, consegue compreender? Finalizando, Maria não é a mãe de Deus e nem a nossa senhora, somente a mulher abençoada que era, temente a Deus que foi escolhida para gerar o filho de Deus, PONTO.

      Excluir
  18. Banzolao e a Croácia na final da copa hein eu lembro que ainda na primeira fase da copa eu tinha te perguntado sobre as chances da seleção brasileira evocê falou que a Croácia iria ganhar, foi profeta hein kkk espero que sua prpfecia sescumpra torcerei para eles, e sssim como na copa 2006 temos mais uma vez quatro seleções europeias nas semifinais ate 2002 se revezou um campeão sul americano e outro europeu até que em 2006 os europeus estabeleceram uma hegemnini na sua opinião o que falta para os Sul americanos voltarem a vencee uma copa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é que os sul-americanos são extremamente instáveis emocionalmente, enquanto os europeus são mais "frios", o que é bom em um jogo de alta tensão emocional como em Copa do Mundo. Pegue por exemplo o caso da Croácia que já pode ser dada como campeã do mundo conforme a minha previsão no início da Copa, eles saíram perdendo da Dinamarca, da Rússia e da Inglaterra e mesmo assim você não os via se desesperando e perdendo a cabeça em nenhum momento do jogo, agora compare com o Brasil que toma um gol e já fica com piripaque igual o Chaves, daí toma mais 6 igual contra a Alemanha ou não consegue reagir direito e erra passes simples igual contra a Bélgica. Se os croatas fossem brasileiros já teriam saído nas oitavas contra a Dinamarca mesmo, levariam aquele gol com 1 minuto de jogo e depois disso não saberiam mais jogar e possivelmente levariam uma goleada. A diferença de antes para hoje é que antes o nosso talento muito superior compensava a falta de estabilidade emocional, e como hoje há uma equiparidade técnica bem maior o aspecto emocional acaba pesando mais em favor do lado de lá.

      Excluir
  19. Parabéns Lucas por mais esse excelente artigo refutando essa doutrina aberrante da seita romana, vc sabe se é verdade que no livro de Tobias a esposa dele é também prima e que ela é chamada de irmã? Já vi católicos alegando isso para “provar” que nos escritos gregos também chamavam os primos de irmãos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Sobre essa tal esposa de Tobias, eu precisaria saber o versículo em questão que fala dela para analisar o contexto, só assim poderia dar um parecer a respeito.

      Excluir
  20. Avalie: https://www.facebook.com/contraomundomoderno/photos/a.356502108102781.1073741828.356436844775974/523422828077374/?type=3&theater
    https://www.youtube.com/watch?v=xQFyp6rOHp8
    https://www.youtube.com/watch?v=dnjYh76P1l8

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vou ver os vídeos porque são muito longos, mas o link da page do facebook já dá uma amostra da ignorância desse pessoal que trabalha para a mesma agenda da esquerda e do marxismo e por isso odeia o capitalismo. Eu também tinha um pensamento mais ou menos assim até começar a fazer uma coisa relativamente simples: estudar. Não é possível que uma pessoa honesta leia um livro sobre história da economia e ainda assim continue criticando o capitalismo como a raiz de todos os males. Qualquer estudioso com mais de dois neurônios na cabeça sabe que foi justamente o capitalismo que nos deu a vida que temos hoje, uma expectativa de vida superior a 70 anos comparados a míseros 30 de séculos atrás, sem falar na superação ao analfabetismo, no saneamento básico, na industrialização, no baixo índice de mortalidade infantil, no avanço da medicina, na tecnologia moderna, nos meios de comunicação, nas várias formas de entretenimento e na vida nas cidades em vez dos campos, que de modo algum seriam possíveis sem o surgimento e ascensão do capitalismo.

      Excluir
  21. Lucas, alguém já te mandou alguma mensagem dizendo que deixou de ser católico depois de ler seus blogs?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alguns, mas isso nem é o foco desse blog, o foco aqui é instruir as pessoas já convertidas, dando a elas uma bagagem intelectual para evitar que caiam nos engodos das falsas doutrinas e retornem ao erro. Se meu objetivo fosse apenas converter pessoas seria muito mais fácil fazer isso com evangelismo de rua, por meio do qual milhares de pessoas se convertem todos os dias. A ênfase aqui é diferente, é dar a essas pessoas capacitação intelectual na jornada cristã; fazer de cada crente alguém forte na fé.

      Excluir
    2. "Alguns"
      Quantos? Chega a dezenas?

      "o foco aqui é instruir as pessoas já convertidas, dando a elas uma bagagem intelectual para evitar que caiam nos engodos das falsas doutrinas e retornem ao erro."
      Retornem? Então o foco é instruir ex-católicos?

      "Se meu objetivo fosse apenas converter pessoas seria muito mais fácil fazer isso com evangelismo de rua, por meio do qual milhares de pessoas se convertem todos os dias."
      Mas eu estava perguntando sobre católicos, não pessoas em geral. Muitos católicos se convertem por meio do evangelismo de rua?

      "o foco aqui é instruir as pessoas já convertidas, dando a elas uma bagagem intelectual para evitar que caiam nos engodos das falsas doutrinas e retornem ao erro."
      Mas há necessidade disso? Você tem notícia de convertidos sendo enganados pela igreja católica? Algum convertido já te mandou alguma mensagem dizendo que estava pensando em se tornar católico, mas desistiu por causa dos seus textos?

      Excluir
    3. "Quantos? Chega a dezenas?"

      Provavelmente.

      "Retornem? Então o foco é instruir ex-católicos?"

      Também.

      "Mas eu estava perguntando sobre católicos, não pessoas em geral. Muitos católicos se convertem por meio do evangelismo de rua?"

      Sim.

      "Mas há necessidade disso?"

      Sim.

      "Você tem notícia de convertidos sendo enganados pela igreja católica?"

      Sim.

      "Algum convertido já te mandou alguma mensagem dizendo que estava pensando em se tornar católico, mas desistiu por causa dos seus textos?"

      Sim.

      Excluir
    4. 1. ""Mas eu estava perguntando sobre católicos, não pessoas em geral. Muitos católicos se convertem por meio do evangelismo de rua?"

      Sim."

      Qual sua fonte? No Brasil?

      2. ""Mas há necessidade disso?"

      Sim."

      Credo. Como pode?

      3. ""Algum convertido já te mandou alguma mensagem dizendo que estava pensando em se tornar católico, mas desistiu por causa dos seus textos?"

      Sim."

      Quantos? Dezenas? Mais de cem? Centenas (no plural)?

      4. ""Quantos? Chega a dezenas?"

      Provavelmente."

      Você não monitora?

      Excluir
    5. Oxe cara chato do caramba, tem gente que parece que fez PhD em chatice, dá até preguiça de responder.

      Excluir
    6. "Qual sua fonte? No Brasil?"

      Que diabos precisa de "fonte" pra saber que as pessoas se convertem com evangelismo de rua? Meu Deus...

      "Credo. Como pode?"

      Podendo.

      "Quantos? Dezenas? Mais de cem? Centenas (no plural)?"

      Você acha que eu fico anotando o nome de cada um ao longo desses anos pra depois poder responder a um anônimo troll pedindo números exatos? Fala sério...

      "Você não monitora?"

      Êni a ô tio.

      Excluir
    7. "Você acha que eu fico anotando o nome de cada um ao longo desses anos pra depois poder responder a um anônimo troll pedindo números exatos? Fala sério..."
      Você podia estar guardando em uma pasta no seu email emails de pessoas te agradecendo por esse motivo, e caso tenha recebido cartas pelo correio, também poderia estar guardando em algum lugar. E eu não pedi número exato, releia, falei dezenas, centenas...

      "Que diabos precisa de "fonte" pra saber que as pessoas se convertem com evangelismo de rua? Meu Deus..."
      Por quê a surpresa? Essas coisas são estudadas, pesquisadas também. Eu imaginei que você pudesse ter dados que você coletou em alguma biblioteca. E eu falei católicos, não pessoas. Eu não pesquisei nada, conheço poucos católicos (e acho que eles nem são típicos), mas acho difícil de acreditar que católicos se convertam com pregação de rua.

      Se eu tenho Phd em chatice, aproveite pra tirar um de paciência.

      Abraço, e estimo melhoras no humor.

      Excluir
    8. Eu já tinha dito "alguns". Aí você insiste de novo, pergunta se eram dezenas, e eu respondo "sim". Não satisfeito com isso ainda insiste de novo, pergunta se eram dezenas ou mais de cem, e ainda não quer ser chamado de chato. E eu ainda fui legal, dei até um PhD, são poucos que já receberam um status tão grande de minha parte, você se esforçou muito realmente para merecer.

      Excluir
    9. "Não satisfeito com isso ainda insiste de novo, pergunta se eram dezenas ou mais de cem, e ainda não quer ser chamado de chato." De novo não, releia, foram 2 perguntas diferentes. A primeira foi se alguém deixou de ser católico por causa dos seus textos, a segunda foi se algum convertido pensando em se tornar católico desistiu pelo mesmo motivo.

      Excluir
    10. Pelo exposto no meu último comentário, enviado por volta das 22:30 de 13 de julho de 2018, não mereci meu PhD! Devolvo-o, portanto.

      Excluir
    11. Nana-nina-não. Você é o ganhador e pronto, não ouse devolver essa solene premiação.

      Excluir
    12. Devolvido está até você der um motivo, pois o que você deu se revelou exagerado, falso.

      Excluir
  22. a lógica católica é tão absurda, se Maria é tão "perfeita" assim, então quão mais é aquele que a criou?

    E lucas vc saberia dizer de onde veio o rosto de Maria que é tão usado nas pinturas católicas e nas esculturas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A qual dos rostos de Maria vc se refere? São tantos. O de Jesus é mais padronizado, imaginaram um homem qualquer, disseram que é Jesus e começaram cultua-lo. Eu nem sou contra representações artísticas dos episódios bíblicos, mas cultuar imagens, cultur reliquias, dizer que Deus tem esposa...Isso é indicutivelmente coisa de pagão. Ainda que os católicos provassem que a igrega primitiva cria nisso tudo - o que não é vdd - no Máximo estariam provando que o cristianismo inteiro não passa de uma seita herética do judaísmo.

      Excluir
    2. Pois é, imaginaram um Jesus loirão padrão europeu e ficou assim. De Maria existem muitas imagens diferentes, aqui no Brasil tem até uma negra, outras são simplesmente tentativas de reproduzir uma Maria padrão mulher europeia medieval. Nada a ver com Jesus e Maria da Bíblia.

      Excluir
  23. Lucas, Poderia analisar esse vídeo:

    Link do vídeo: https://youtu.be/EF9NWcFlsqA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vou fazer um artigo sobre os desigrejados nos próximos dias.

      Excluir
  24. É verdade que Leonardo da Vinci era homossexual? Que quase foi pego pela Inquisição, se não fosse pela sua influência naquele período?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ele era homossexual, então não era Cristao, como todos dizem

      Excluir
  25. Olá, Lucas.

    Vc já assistiu um filme chamado "O Conde de Monte Cristo"? Baseado no livro de mesmo nome do grande escritor Alexandre Dumas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já sim, vi quando tinha uns 12 anos, foi um dos melhores filmes (senão o melhor) que eu já tinha visto até aquela época.

      Excluir
    2. Amigo do Banzolão12 de julho de 2018 23:14

      Eu também já assisti. O Conde Loppeux era o protagonista principal :D

      Excluir
    3. Tem certeza? Eu não me lembro bem do filme, mas que me recorde o protagonista não era tão obeso e nem tinha cara de bolacha trakinas.

      Excluir
    4. Amigo do Banzolão13 de julho de 2018 10:04

      "o protagonista não era tão obeso e nem tinha cara de bolacha trakinas"

      E nem barriga de porca grávida.

      Excluir
    5. po lucas ai vc ofende a trakinas, pelo menos a bolacha serve pra comer.

      Excluir
    6. "po lucas ai vc ofende a trakinas, pelo menos a bolacha serve pra comer"

      Concordo, aproveito para me retratar oficialmente por tamanha insolência contra a bolacha trakinas. Desculpe, não vai mais se repetir.

      Excluir
    7. Amigo do Banzolão13 de julho de 2018 20:41

      Isso é bullying. Coitada da bolachinha! :(

      Excluir
    8. "Eu também já assisti. O Conde Loppeux era o protagonista principal :D"

      Esse falso "Conde" não tem nenhum resquício de nobreza ou civilidade. Nem para personagem de ficção ele presta.

      Excluir
    9. Fiquei sabendo que ele está elaborando um curso online. Já imagino as pérolas que viram até nós. kkkk

      Baseadas em livros revisionistas ou então em urros.

      Excluir
    10. Eu fico imaginando que tipo de asno compra um "curso" feito por um cara desses. Se pelo menos fosse um curso de como falar palavrões, como caluniar, como difamar os adversários, como ser baixo e rasteiro, como se tornar um obeso ou como viver às custas da vovó com mais de 40 anos eu até entenderia, mas não parece ser o caso, então nada além da imbecilidade humana pode explicar satisfatoriamente.

      Excluir
  26. Amigo do Banzolão12 de julho de 2018 11:25

    Banzolão, já viu essa maravilha?

    https://www.die-bibel.de/shop/biblia-hebraica-quinta-bhq-genesis-5261

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se eu soubesse alemão comentaria :)

      Excluir
    2. Amigo do Banzolão12 de julho de 2018 23:29

      Pelo que eu vejo, essa é bem melhor que a Bíblia Hebraica Stuttgartensia. Traduzindo com Google Tradutor, diz:

      "MAIS INFORMAÇÃO SOBRE O PRODUTO

      A Biblia Hebraica Quinta (BHQ) é a nova edição líder mundial do Antigo Testamento hebraico. É um trabalho padrão voltado para o futuro para os estudos bíblicos.

      Brand new é a banda "Genesis", editada pelo Prof. Dr. med. Abraham Tal (Universidade de Tel Aviv). O livro Genesis é o volume 1 do trabalho completo do BHQ.

      A edição do BHQ está sendo desenvolvida do zero por uma equipe acadêmica internacional e interdenominacional. A base textual da nova edição é o mais antigo manuscrito integralmente preservado da Bíblia hebraica, o Codex EBP. I B 19a da Biblioteca Nacional Russa em São Petersburgo, conhecida sob o nome de "Codex Leningradensis". Além de antes, este manuscrito agora é reproduzido "diplomaticamente". Isto significa: Todas as suas características especiais são impressas com a maior precisão possível, e as antigas notas marginais dos pequenos e grandes masoras (Masora parva e Masora magna) também são reproduzidas fielmente.

      O aparato crítico de texto foi completamente redesenhado nesta edição e expandiu muito o material oferecido. Todas as variantes significativas dos textos de Qumran agora estão listadas na íntegra. Pela primeira vez a edição também contém uma seção detalhada de comentários, que facilita o trabalho científico. Ele primeiro oferece uma introdução a cada livro bíblico, no qual as respectivas testemunhas relevantes são caracterizadas e seu uso no aparato crítico é explicado. Especialmente prático: A seção de comentários contém não apenas numerosos comentários detalhados sobre questões críticas de textos individuais, mas também uma tradução da grande Masora e explicações para a pequena Masora. Tanto a seção de comentários quanto o aparato crítico de texto são escritos em inglês."

      Excluir
  27. O que você acha do "Vamos falar de história"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço esse canal, vou dar uma olhada nesses dias.

      Excluir
  28. Lucas sabe me informar qual foi o primeiro país de toda a Europa a ser alfabetizada era de fato protestante?As escolas públicas na Europa só ocorreu, porque o protestantismo estatizou sem dar a menor chance ao catolicismo?O que há de verdade sobre isso poderia resumir de maneira sucinta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim:

      “A Reforma trouxe o grande benefício de aumentar o número de mulheres alfabetizadas no século XVIII” (BLAINEY, Geoffrey. Uma breve história do mundo. 1ª ed. São Paulo: Fundamento Educacional, 2010, p. 188)

      "Os protestantes acreditavam que o maior número possível de pessoas, homens ou mulheres, deviam ler a Bíblia, e isso levou à abertura de mais escolas que ensinassem a ler e a escrever. O índice de alfabetização das mulheres começou a crescer progressivamente. A Prússia, uma base luterana, tornou a educação obrigatória para meninos e meninas em 1717. Na cidade holandesa de Amsterdã, em 1780, uma extraordinária proporção de 64% das noivas assinaram a certidão quando se casaram, enquanto as outras desajeitadamente marcaram uma cruz no lugar onde deveria estar a assinatura, em sinal de consentimento. Na Inglaterra, cerca de 1% das mulheres sabia ler no ano 1500, mas esse número havia aumentado para 40% em 1750. Somente mais tarde os países católicos acabaram seguindo essa tendência revolucionária. A Igreja russa, ao contrário, voltou as costas para a alfabetização. Não havia Igreja cristã em nenhuma outra nação com tantos devotos quanto a Igreja Ortodoxa na Rússia, mas seus sacerdotes tinham pouca instrução e muitos preferiam usar a memória para lembrar – ou esquecer – as Escrituras ao lê-las. A autoridade do sacerdote se mantinha intacta porque poucos na congregação conseguiam ler a Bíblia. O livro completo, com o Antigo e o Novo Testamento, só se tornou acessível livremente na Rússia após 1876. (BLAINEY, Geoffrey. Uma breve história do mundo. 1ª ed. São Paulo: Fundamento Educacional, 2010, p. 189)

      Excluir
  29. ola Lucas,
    gostaria de tirar uma dúvida a respeito da passagem em Mateus 23:35 "para que sobre vós recaia todo o sangue justo derramado sobre a terra, desde o sangue do justo Abel até ao sangue de Zacarias, filho de Baraquias, a quem matastes entre o santuário e o altar", porém em 2º Cronicas 24:20-22 la diz Zacarias filho de Jeioada, abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Zacarias citado por Jesus diz respeito ao profeta Zacarias que tinha como pai Baraquias (Zc 1:1). Eu cito isso no meu artigo em conjunto com a tese tradicional que associa esse Zacarias ao outro citado em 2Cr. Inclusive sendo o Zacarias profeta o argumento fica ainda mais forte, pois este é segundo a tradição judaica o último profeta morto nos tempos bíblicos, ou seja, "de Abel até Zacarias" compreende todo o período de revelação do AT considerando a história dos mártires (e excluindo os vários mártires presentes nos livros apócrifos, como Judas Macabeu e companhia limitada).

      Excluir
  30. Lucas é verdade que a teologia da prosperidade pregada em seitas protestantes veio do catolicismo medieval?tem alguma prova histórica?quem financiava bancos com altas taxas de juros foi a ICAR na idade média?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é por aí. Na Idade Média os papas eram podres de ricos enquanto o povo morria de fome, mas eles não pregavam uma teologia da prosperidade para as massas, mesmo porque naquela época não existia essa coisa de "subir de vida", se você nascia camponês vivia camponês e morria camponês (a não ser que com um golpe de sorte conseguisse entrar para um mosteiro ou virar padre, como ocorreu com Lutero). E a ICAR proibia os juros na Idade Média.

      Excluir
    2. "E a ICAR proibia os juros na Idade Média." Eu ouvi dizer, aqui no seu blog, nos comentários, que a igreja católica proibia os juros para os fiéis, mas praticava sim, ou algo do tipo, em um nível "metacapitalista". Tanto que eram podres de ricos.

      Excluir
    3. Não me lembro de ter falado nada de "metacapitalismo" aqui no blog. A ICAR era rica porque exigia um dízimo duplo e obrigatório (análogo ao imposto civil) além de ofertas voluntárias, indulgências, arrecadações com relíquias sagradas e tudo mais.

      Excluir
  31. Paz, Lucas. É o Willian Furtado. Esses catocas estão cada vez mais ficandoo sem noção. Eles não gostam de estudar e nunca gostarão, pois o que gostam mesmo é viver de ilusões e mentiras inventadas pela catastrófica romanete.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Willian, triste isso, mas é a realidade. Mostre isso a um zumbi tridentino e ele rebaterá com tudo - desde ad hominem até escárnio e xingamentos -, menos com argumentos. Eles não estão nem minimamente interessados em descobrir a verdade, porque acham que já a possuem infalivelmente e que agora só resta "provar" essa verdade prévia aos protestantes rebelados.

      Excluir
  32. Como saber qual é a vontade de Deus para minha vida? Gostaria de não entrar em detalhes, mas tenho uma opção X e uma opção Y, oro para saber a vontade de Deus, mas parece que não recebo resposta. O que faço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você não recebe resposta através da oração, haja da forma que o teor geral da Escritura te orienta, ou se a Escritura não tiver nada a dizer especificamente sobre o assunto, siga o que a sua consciência aponta como sendo a melhor opção (o que for mais lógico, mais sensato, mais coerente, menos arriscado e etc). Você só não pode ficar sem fazer nada de braços cruzados esperando uma resposta chegar do alto, pois às vezes Deus quer que a gente dê o primeiro passo e se for de Deus as coisas fluirão naturalmente, caso contrário iremos perceber mais cedo ou mais tarde.

      Excluir
    2. Tem uma pregação do Ed René que explica isso muito bem. Salvo engano, é essa:

      https://www.youtube.com/watch?v=J96MmVdL15w

      Excluir
    3. Uma pergunta meio besta, eu estava conversando com meu irmao sobre Adão e que provavelmente ele não tinha umbigo já que nunca teve mãe sendo assim Banzolao você acha que é possível ainda lá no atual Iraque onde provavelmente ficava a região do antigo Éden e onde talvez ele tenha vivido toda a suaa vida achar o esqueleto dele, podendo ser rreconhecid ppr estar sem umbigo e aswim provarmos de vez o criacionismo para os céticos?

      Excluir
    4. Acho bem difícil, neste caso inventariam outros pretextos para justificar a "ausência de umbigo".

      Excluir
    5. A ossada de um ser humano não indica se ele teve umbigo ou não. E a teoria alternativa à da criação é tão absurda que é necessário mais fé nela do que na da criação divina.

      Excluir
    6. "A ossada de um ser humano não indica se ele teve umbigo ou não"

      Eu suspeitava disso. Mas depois que os brilhantes cientistas evolucionistas encontraram um fóssil de um pedaço de um dente de um alegado "primata" e conseguiram desenhar toda a estrutura física do mesmo com sua família, esposa e filhos, eu não sei mais é nada.

      Excluir
  33. Será que essa fixação católica pela "virgindade perpétua" de Maria não tenha surgido devido a influências pagãs, as virgens vestais, por exemplo, eram vistas como virtuosas pelo fato de se manterem castas... O que acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser, mas de concreto sabemos que isso foi diretamente a influência de uma visão monástica fortemente pró-celibato e anti-sexo que foi se acentuando cada vez mais com o passar do tempo. Em outras palavras, fazer sexo mesmo dentro do casamento passou a ser visto como uma forma de impureza quando não pecado propriamente dito (um "mal necessário" para a procriação), como se a única forma de agradar a Deus plenamente fosse através do celibato perpétuo. Por causa dessa visão completamente distorcida a respeito da vida matrimonial e das relações sexuais criou-se a ideia de que Maria tinha que ter sido virgem para sempre, porque nesse paradigma seria impensável que a própria mãe do Senhor fosse alguém que destoasse totalmente desse ideal, tendo filhos e filhas como qualquer outra mulher judia da época. Isso seria inclusive uma refutação cabal a essa visão distorcida que já estava presente na época de Jerônimo, que precisava defender com unhas e dentes a "virgindade perpétua" de Maria por essa razão. Hoje os católicos já mudaram em grande parte a visão sobre o sexo da Idade Média pra cá, mas ainda continuam inventando outros pretextos (quando não o mesmo) para exigir que Maria tinha que ser virgem mesmo sendo uma mulher casada.

      Excluir
  34. O seu artigo, muito bem feito, serviu para ampliar o que escrevi, sucintamente, sobre Tiago, irmão do Senhor (amorim.pro.br/p=728). Por isso, vou sugeri-lo como “leia mais”, no final de meu post. Muito obrigado. Graça e Paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, para mim está aparecendo "page not found" quando tentei abrir o link.

      Excluir
    2. Digitei o link errado kkk. Agora, está certo: . Abraços!

      Excluir
    3. Mas agora não aparece link nenhum :(((

      Excluir
    4. Hi, continuo apanhando da tecnologia. Tentando, de novo... .

      Excluir
    5. Ķkkkkkkkkkk
      Desculpe mas está engraçado

      Excluir
    6. Olá, entrei na sua página Amorim.pro.br e o artigo com nome "Tiago, irmão do Senhor" é o http://amorim.pro.br/?p=728 .. em relação ao seu post falto o ponto de interrogação ali antes do p, por isso dava erro.
      Abs!
      Paz e Bem a todos

      Excluir
  35. Lucas, tenho duas perguntas:
    1) Por que você não faz artigos confrotando os católicos ortodoxs?
    2) Se Pedro realmente foi bispo de Antioquia, então isso significa que os ortodoxos possuem verdadeira "sucessão apostólica"? Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Por que você não faz artigos confrotando os católicos ortodoxs?

      Porque eles são irrelevantes no Brasil. Mas se eu estivesse na Rússia, por exemplo, com certeza escreveria.

      2) Se Pedro realmente foi bispo de Antioquia, então isso significa que os ortodoxos possuem verdadeira "sucessão apostólica"? Abs!

      Os ortodoxos teriam "sucessão apostólica" mesmo se Pedro não tiver sido bispo de Antioquia, porque o critério para a sucessão apostólica é ter sucedido um apóstolo, e não apenas Pedro exclusivamente (e os ortodoxos alegam para si a sucessão de todos os outros onze apóstolos além de Pedro). Mas sendo sucessor de um apóstolo ou de vários isso é completamente irrelevante, uma vez que a verdadeira sucessão apostólica à luz da Bíblia diz respeito à DOUTRINA apostólica, e não simplesmente com ser ordenado por um apóstolo há trocentos séculos atrás por sucessão linear. Os fariseus argumentavam a mesma coisa para si mesmos na época de Jesus (se diziam os sucessores de Moisés), e veja a forma com que foram confrontados. O que importa é hoje seguirmos a DOUTRINA dos apóstolos, independentemente se quem está pregando essa doutrina hoje é uma igrejinha de fundo de quintal fundada ontem ou uma igreja milenar que arroga possuir "sucessão apostólica" mas já se desviou da doutrina apostólica há muito tempo. A correspondência doutrinária é o único critério legítimo, o resto é invenção de homens que se contradizem entre si mesmos (de fato, ortodoxos, romanos e anglicanos dizem possuir sucessão apostólica e nem por isso significa que estão todos certos).

      Sobre isso recomendo estes artigos do Bruno Lima (o link a seguir é de uma tag com 11 artigos dele sobre o tema):

      http://respostascristas.blogspot.com/search/label/Sucess%C3%A3o%20Apost%C3%B3lica

      Abs!

      Excluir
  36. Você ainda tem ou já teve vontade de estudar nos Estados Unidos?

    ResponderExcluir
  37. Vc já pensou em fazer um artigo sobre santos canonizados pela ICAR que nunca existiram?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, mas isso exigiria uma pesquisa mais extensiva, "santo por santo", então não vai ser para agora ainda.

      Excluir
  38. O que achas do Bolsonaro ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora que o Flávio Rocha anunciou sua desistência da corrida eleitoral, parece que terei que votar nele a despeito de tudo.

      Excluir
  39. Amigo do Banzolão13 de julho de 2018 22:32

    Banzolão, vou testar seus conhecimentos bíblicos:

    Qual personagem bíblico foi teletransportado de um lugar para outro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cara com o nome do meu irmão.

      Excluir
    2. Amigo do Banzolão14 de julho de 2018 00:09

      E qual o nome do seu irmão?

      Excluir
    3. Amigo do Banzolão14 de julho de 2018 09:18

      "Filipe"

      Isso mesmo. Filipão.

      Excluir
    4. Não diga "Filipão" que eu me lembro dos 7 a 1. Melhor deixar só "Filipe" mesmo.

      Excluir
    5. Amigo do Banzolão15 de julho de 2018 06:42

      'Não diga "Filipão" que eu me lembro dos 7 a 1. Melhor deixar só "Filipe" mesmo'

      Aquele foi um momento trágico :(

      Excluir
  40. Paz Lucas, eu comecei nessa caminhada cristã a pouco e tenho sinceramente muitas dúvidas. Uma delas é : Entre tantas religiões no mundo, porque a nossa e a única correta? Eu sinto paz em orar e ler a Bíblia, mas e se uma pessoa , por exemplo, budista sente o mesmo quando faz as orações dela? Se nós nos tornamos pessoas melhores quando nós tornamos cristãos, o que garante que os hinduístas não se tornam melhores pessoas quando se convertem? De existem demônios na nossa crença, pq em outras também não tem? Fora que existem pessoas em outras crenças que são extremamente saibas como Ghandi e aquele Dai lá Lama( não sei como se escreve) e parece que eles tem certeza de que eles estão corretos. Como posso ter esse dircenimento e tirar essa minha dúvida?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O "argumento da paz interior" não é muito bom mesmo. Não que a paz interior não deva existir em um verdadeiro cristão, mas o diabo e nossa própria natureza podem criar uma falsa impressão de paz que nos faz sentir confortáveis mesmo seguindo a um engano. Por isso eu exporia os seguintes pontos:

      1) Se Deus existe e se importa com a sua criação, ele deve ter um meio para se comunicar conosco. Por milênios o livro (i.e, material escrito) foi a única forma de garantir a sobrevivência de um conteúdo para gerações futuras, então era de se esperar que houvesse uma "Palavra de Deus" para a humanidade, guardada em algum lugar. Ora, temos múltiplas provas da veracidade da Bíblia, coisas tais que não se há para as outras religiões, então é correto acreditar que a Bíblia é a verdade de Deus revelada para nós. E a leitura da Bíblia leva invariavelmente para a fé evangélica (de fato, eu não conheço até hoje qualquer pessoa que tenha deixado de ser crente após ler a Bíblia, mas há milhões de exemplos contrários).

      2) Eu não conheço ninguém que tenha sido transformado por ler outros livros sagrados como o Alcorão, o Código de Hamurabi ou o “Livro dos Mortos”, mas há milhões de pessoas no mundo todo que foram completamente transformadas da água para o vinho apenas por causa da leitura da Bíblia. Falo de pessoas absolutamente sem solução, pessoas perdidas, gente sem Deus, perdidas nas drogas, afundadas no mundo do crime, na imoralidade sexual, gente que não tinha esperança sequer em si mesmos, e que hoje parecem uma outra criatura, justamente porque Deus os fez novas criaturas através da Sua Palavra.

      3) Eu não conheço nenhuma religião que tenha “marcas” ou “sinais” preditos há milhares de anos e que acompanham os seus seguidores até hoje. Há provas bíblicas e científicas incontestáveis em favor do dom de línguas pentecostal que é simplesmente inexplicável sob o ponto de vista de que a Bíblia não é a verdade ou de que Deus não existe. O mesmo posso dizer em relação a outros dons espirituais ainda hoje vigentes.

      4) Nunca vi nenhuma religião ter profecias cumpridas de forma tão perfeita e exata quanto a Bíblia possui.

      5) Nunca vi algum ateu ou agnóstico explicar os exorcismos razoavelmente, nem ninguém conseguir expulsar demônio em nome de Maomé, de Buda ou do Neymar (embora com este o demônio provavelmente irá cair, mas não sair do corpo).

      Fiquemos apenas com esses cinco pontos por enquanto, pense e reflita nisso.

      Abs!

      Excluir
    2. Acho que você tem que tomar cuidado com alguns de seus argumentos. Provas arqueológicas e científicas são as únicas que de fato possuem validade para um ateu, pelo menos para que se prove que HÁ uma religião. Depois, vão pedir para provar que o seu Deus é justo e moralmente perfeito, e isso vc pode mostrar unicamente pela Bíblia. Os católicos teriam que provar tbm pela tradição, e é por isso que muitos deixaram o catolicismo por conta da inquisição e das cruzadas, por exemplo.

      O argumento da conversão ao ler a Bíblia é semelhante ao da paz interior. A federação das associações muçulmanas do Brasil distribui alguns livros com supostas provas arqueológicas e científicas, mas o corão revela desconhecimento da crença cristã e judaica, comete erros sobre o que os cristãos entendem por trindade, etc. Alémnão ser moralmente perfeito. Mas há relatos de pessoas que se converteram ao ler o corão, inclusive de um rei antigo de não sei onde (eu não poder procurar agora, desculpe, mas o que quero dizer é que eles bm usam esses argumentos). É possível uma pessoa sentir paz ao ler o corão.

      https://www.youtube.com/watch?v=5Bp8R9OhAOs

      Excluir
    3. Mas ele não disse que é um ateu, eu não respondi como sendo a um ateu mas sim a um já convertido, como ele se identificou. Se fosse ateu precisaria mostrar antes os argumentos em favor da existência de Deus (antes mesmo da veracidade da Bíblia), além das provas da ressurreição de Jesus e etc. Sobre o Corão eu não disse que ninguém se converte ao Islã por lê-lo, eu disse que ele nunca revolucionou a vida de uma pessoa no sentido de uma transformação positiva porque realmente nunca vi qualquer caso do tipo. A parte que eu falei sobre conversão foi sobre as pessoas lerem a Bíblia e se tornarem evangélicas (e não católicas), porque é a direção para onde a Bíblia aponta.

      Excluir
  41. Lucas a Prússia era um estado polonês ou alemão?

    ResponderExcluir
  42. Mas, fazendo certa analise das Escrituras, nao se percebe Tiago como filho de Maria de Cleofas?

    ResponderExcluir
  43. Lucas, ouvi um ateu dizer que Paulo de Tarso nunca existiu pelo fato de Flávio Josefo nunca ter mencionado sobre ele. E se ele fosse uma pessoa importante, como nós fristais dizemos due ele é, Josefo com certeza teria falado sobre ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Josefo não era cristão, ele não tinha a obrigação de citar autores cristãos e seu foco principal era narrar a guerra entre Jerusalém e Roma em 70 d.C, por isso os únicos cristãos que ele cita é o próprio Senhor Jesus e seu irmão Tiago (presumivelmente porque Tiago era o líder da igreja de Jerusalém, e por isso mais conhecido por Josefo, diferentemente de Paulo que era apóstolos dos gentios e nunca deve ter conhecido Josefo).

      Excluir
    2. A ausência de evidências não é evidência de ausência. Princípios básicos de auditoria e lógica.

      Excluir

Fique à vontade para deixar seu comentário, sua participação é importante e será publicada e respondida após passar pela moderação. Todas as perguntas e comentários educados são bem-vindos, mesmo que não tenham a ver com o tema do artigo. Críticas serão publicadas desde que não faltem com o respeito e não sejam feitas em anonimato.

Caso o seu comentário não tenha sido publicado dentro de 24h, reenvie-o.