2 de abril de 2018

97 O dia em que o papa incentivou a leitura da Bíblia. Ou não.


Em 2003, um protestante chamado Joe Bateman desafiou os papistas em um fórum católico americano sobre a questão da proibição da leitura da Bíblia[1], que, embora tão evidente e comprovada por múltiplas provas documentais, os apologistas católicos surpreendentemente continuam negando. Entre os documentos por ele citados (os quais examinaremos mais adiante) que provam que a Igreja proibiu a leitura da Bíblia, estavam o Concílio de Tolosa (1229), o Concílio de Trento (1545–1563) e uma Constituição Dogmática do papa Clemente XI intitulada Unigenitus Dei Filius (1713).

Em resposta, o apologista católico Matthew Bunson não falou nada sobre os dois primeiros e acusou o protestante de mentir sobre a bula de Clemente XI. Para provar que o protestante era um mentiroso descarado e embusteiro, ele citou dois trechos da própria bula que provavam indiscutivelmente o contrário do que Joe Bateman alegava. São eles:

84. Arrebatar das mãos dos cristãos o Novo Testamento ou mantê-lo fechado, tirando-lhes os meios de compreendê-lo, é fechar-lhes a boca de Cristo.

85. Proibir os cristãos de ler a Sagrada Escritura, especialmente os evangelhos, é proibir o uso de luz para os filhos da luz, e levá-los a sofrer uma espécie de excomunhão.

E agora?

Os textos parecem claríssimos, e estão mesmo na Constituição Dogmática. Parece que o protestante havia sido fulminado com um hadouken, tendo seus argumentos demolidos até virar pó. Os protestantes teriam que repensar todas as evidências de que os papas proibiram a leitura da Bíblia, porque aqui estava uma prova contundente do contrário. O apologista católico celebrou e concluiu: “Eu não acho que ele [o papa Clemente XI] poderia ser mais claro do que isso, e Clemente falava dos ensinamentos tradicionais e imutáveis ​​da Igreja”.

Um outro católico, chamado Damian, também comentou no fórum e mostrou outros trechos da bula onde o papa claramente aprovava a leitura da Bíblia para todos:

80. A leitura da Sagrada Escritura é para todos.

81. A obscuridade santa da Palavra de Deus não é para os leigos razão de dispensar-se da sua leitura.

Depois dessa, não tinha como não concluir que o protestante era mesmo um trapaceiro vigarista que mentiu descaradamente sobre o conteúdo da bula papal. Como todos podem ver, o papa Clemente XI era plenamente a favor de que o povo lesse as Escrituras. Não tem como ser mais claro do que isso. Os textos falam por si só. Depois disso, o apologista católico Matthew Bunson escreveu a Damian: “Obrigado por seus pontos de vista. Como eu escrevi, eu incentivo os leitores a consultarem as fontes originais. Elas tendem a falar por si”.

Derrotado, humilhado e refutado, o protestante Joe Bateman decidiu seguir o conselho de seu amigo católico Bunson e consultou as fontes originais. O que ele descobriu iria mudar tudo: essas proposições do papa Clemente XI eram das TESES CONDENADAS de Pascásio Quesnel, um teólogo jansenista que foi excomungado e caçado pela Igreja Romana, que chegou a encarcerá-lo e a forçá-lo a se retratar de suas ideias para não morrer queimado. Ou seja: todos aqueles textos da Constituição Dogmática Unigenitus eram do que o papa condenava, e não do que ele aprovava! Aquelas eram teses de Quesnel que o papa considerava abomináveis à Igreja Católica, e que os apologistas católicos, por não notarem este detalhe, pensaram se tratar dos próprios pontos de vista do papa!

A Enciclopédia Católica afirma:

A celebrada Constituição Apostólica de Clemente XI condenava 101 proposições de Pascásio Quesnel (...) O papa, em fevereiro de 1712, nomeou uma congregação especial de cardeais e teólogos para rebater o trabalho de Quesnel. Tais proposições foram merecedoras de censura eclesiástica. A congregação levou dezoito meses para executar sua tarefa, cujo resultado foi a publicação da famosa bula Unigenitus Dei Filius em Roma, 8 de setembro de 1713. A bula começa com a advertência de Cristo contra os falsos profetas, especialmente como “secretamente espalhando más doutrinas sob o pretexto de piedade e introduzindo seitas terríveis sob a imagem de santidade”; em seguida, procede-se à condenação de 101 proposições que são tomadas textualmente da última edição da obra de Quesnel.[2]

Assim, os 101 itens listados na Unigenitus são citações diretas do trabalho de Quesnel que o papa Clemente XI condenou como erros. Bulas onde os papas enumeravam proposições de seus oponentes para condená-las eram bastante frequentes, bastando para isso lembrar a bula Exsurge Domine, em que o papa Leão X condenava 41 proposições de Lutero (entre elas a de que “é contra o desejo do Espírito Santo que heréticos sejam queimados” – no 33), e o Syllabus, onde o papa Pio IX condenava as teses favoráveis à liberdade de consciência.

O último parágrafo da Unigenitus Dei Filius afirma que as 101 proposições citadas de Pascásio Quesnel são:

Declaradas e condenadas como falsas, capciosas, más, ofensivas para os ouvidos piedosos, escandalosas, perniciosas, prejudiciais à Igreja e à sua prática, um insulto não só para a Igreja, mas também para os poderes seculares; ímpias, blasfemas, heréticas, cismáticas...[3]

É impressionante o horror que o papa tinha à leitura da Bíblia pelo povo. Ele tratava isso como um escândalo, um absurdo, uma abominação, uma coisa terrível e detestável. Nem os ateus mais fanáticos e anticristãos que já pisaram neste planeta se aterrorizavam tanto com a leitura da Bíblia quanto o papa Clemente XI. O horror que a Igreja tinha às Escrituras era incomparável e indescritível. Entre as teses condenadas pelo papa na mesma bula, consta-se:

79. É útil e necessário em todo tempo, em todo lugar e para todo gênero de pessoas estudar e conhecer o espírito, a piedade e os mistérios da Sagrada Escritura.

80. A leitura da Sagrada Escritura é para todos.

81. A obscuridade santa da Palavra de Deus não é para os leigos razão de dispensar-se da sua leitura.

82. O dia do Senhor deve ser santificado pelos cristãos com piedosas leituras e, sobretudo, das Sagradas Escrituras. É coisa danosa querer retrair os cristãos desta leitura.

83. É ilusão querer convencer-se de que o conhecimento dos mistérios da religião não devem comunicar-se às mulheres pela leitura das Sagradas Escrituras. Não foi a partir da simplicidade das mulheres, mas a partir do conhecimento orgulhoso de homens que surgiu o abuso das Escrituras e as heresias nasceram.

84. Arrebatar das mãos dos cristãos o Novo Testamento ou mantê-lo fechado, tirando-lhes os meios de compreendê-lo, é fechar-lhes a boca de Cristo.

85. Proibir os cristãos de ler a Sagrada Escritura, especialmente os evangelhos, é proibir o uso de luz para os filhos da luz, e levá-los a sofrer uma espécie de excomunhão.[4]

Esta Constituição Dogmática foi confirmada pelo próprio Clemente XI na bula Pastoralis Officii (em 28 de agosto de 1718), onde diz que quem não aceita a bula Unigenitus está “claramente fora do seio da Igreja Romana”. Também foi confirmada por Inocêncio XIII em um decreto publicado em 8 de janeiro de 1722, por Bento XIII no sínodo romano de 1725, por Bento XIV na encíclica Ex omnibus Christiani orbis regionibus em 16 de outubro de 1756, e por concílios em 1723, 1725, 1726, 1727 e 1730, a impondo obrigatoriamente a todo o mundo católico.

Essa bula era tão famosa e importante nos séculos passados que o papa Bento XIV, na sua encíclica Ex omnibus Christiani orbis regionibus, de 1756, escreveu que “a autoridade da constituição apostólica Unigenitus é certamente tão grande e reivindica em todos os lugares a mais sincera veneração e obediência que ninguém pode dela retirar nada ou opor-se sem arriscar a perda da salvação eterna”[5]. Temos aqui uma Constituição Dogmática, tratando de questões de fé, assinada por um papa infalível e confirmada por outros papas e concílios infalíveis, rejeitando com todo o horror do mundo a leitura da Sagrada Escritura para todos os leigos, e mais ainda às mulheres, às quais não podia ser comunicado o «conhecimento dos mistérios da religião».

Ou seja, os apologistas católicos estavam defendendo as teses de Pascásio Quesnel condenadas pela Igreja pensando serem as teses do próprio papa Clemente XI, e deste modo estavam, nas palavras do papa, «claramente fora do seio da Igreja Romana» e «arriscando a perda da salvação eterna» – e tudo isso por defenderem que a Igreja Romana jamais proibiu a leitura da Bíblia! É claro que o protestante “refutado” Joe Bateman contou a seu amigo católico “refutador” Matthew Bunson sobre as suas descobertas, mostrando-lhe que ele estava sob o anátema papal por aprovar as teses de Quesnel condenadas pelo papa – e pior ainda, por ter usado essas mesmas teses contra ele, como uma suposta prova de que a Igreja nunca proibiu a leitura da Bíblia.

Qual foi a reação do católico Matthew, dono do fórum, ao perceber a mesa virando contra ele e a cilada em que se meteu? Simplesmente apagou os comentários de Joe de maneira totalmente covarde e arbitrária. Quando Joe cobrou explicações, só ouviu como resposta: “Você está trabalhando em favor de sua própria agenda. Não temos interesse em dar-lhe espaço”. Alguns procuram a verdade. Outros, apenas confirmar suas crenças prévias. Era verdade: já não havia mais o que debater.

• Continua em meu livro “500 Anos de Reforma: Como o protestantismo revolucionou o mundo" (livro em construção)

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,


- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.




[1] O debate ocorreu de verdade e pode ser conferido em: <http://biblelight.net/Bible-Clement-XI.htm>.

[2] OTT, Michael. "Unigenitus". The Catholic Encyclopedia. Vol. 15. New York: Robert Appleton Company, 1912. Disponível em: <http://www.newadvent.org/cathen/15128a.htm>.

[3] Disponível em: <http://www.ewtn.com/library/PAPALDOC/C11UNIGE.HTM>.

[4] ibid.

[5] Encíclica do papa Bento XIV, promulgada em 16 de outubro de 1756. Disponível em: <http://www.papalencyclicals.net/Ben14/b14exomn.htm>

ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post :)

97 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Vou contar o que tenho presenciado na minha vida cristã. Gostaria de saber se isso só acontece na minha cidade ou é no Brasil inteiro. Bom, você pode discordar de mim, mas o que tenho visto (pelo menos na minha cidade) é que 90% das igrejas evangélicas estão corrompidas. Mais precisamente, 90% DOS MEMBROS DAS IGREJAS EVANGÉLICAS estão corrompidos, porque em termos doutrinários eu ainda prefiro a evangélica do que a católica (acho que a igreja evangélica se aproxima mais dos ensinamentos bíblicos). Enfim, vou contar o que está acontecendo. Fui em uma igreja na cidade onde eu moro e o pessoal dessa igreja é simplesmente MUNDANO. Não são todos, lógico, porém o pessoal mais jovem é MUITO MUNDANO, eu fiquei chocada (tipo os jovens combinam de fazer viagens juntos e levam namorados e dormem juntos no mesmo quarto, incluindo os filhos dos pastores - eu nem sei se rola suruba lá dentro, mas é bem nesse nível...bebem, falam muito palavrão, e agem como pessoas "do mundo"). Claro, não são todos mas tipo a maioria dos jovens são assim SEM FREIO (e não tem ninguém pra repreender).
    Também presenciei outro ato de mundanismo dentro da igreja. Foi em um casamento. Eu fui convidada da minha tia para estar nesse casamento. O pai da noiva foi quem celebrou e ele é "pastor" de uma igreja aqui na minha cidade. Depois que terminou o casório ele soltou um funk bem altão e os membros da igreja estavam dançando até o chão, os caras desabotoando a camisa, as mulheres com cada vestido um mais indecente do que o outro e descendo até o chão, e o pastor liberou bebida pra todo mundo (vodka, uisque, cerveja, vinho), e ele tbm tava bebendo muito. Nossa eu fiquei muito chocada, o "pastor" simplesmente embebedou a congregação QUASE TODA e eu fiquei sentada só vendo aquele show de imoralidade...
    Por último decidi visitar uma igreja aqui na minha cidade. Essa foi a melhorzinha mas não é tantooo assim e vou explicar porque. Então, nessa igreja que eu tô as pessoas não são mundanas nesse nível que eu expliquei anteriormente, mas rola muita panelinha. Tipo no louvor só podem cantar determinadas pessoas (as outras pessoas não tem oportunidade de cantar), as pessoas sobem no palco pra falarem com o intuito de se aparecerem mas não cumprimentam os outros quando não estão no palco, rola muito casamento forçado e precoce, o pastor não faz p. nenhuma da vida e vive dos dízimos da galera (tanto o pastor como os filhos são todos preguiçosos), com carrão e tudo. Sério, me dá depressão só de ver essas coisas...Ah, além disso, uma vez visitei uma igreja e fiquei sabendo que o filho do pastor de lá é cantor de sertanejo universitário e que o pai dele que é "pastor" deixa o filhote entrar nas baladas pra cantar. Sério, eu to pensando em virar desigrejada porque eu não sei o q tá acontecendo, mas a maioria das igrejas e dos pastores estão corrompidos. Queria saber se na sua cidade é nesse nível também ou se é só na minha...E também quero saber se é pecado não frequentar igreja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem? Bom, eu não questiono e nem duvido de seu relato porque o nível por aí está muito baixo mesmo, mas devo reconhecer também que a minha experiência particular nas igrejas foi bastante o oposto disso. Não me lembro de nenhuma que o povo fosse imoral desse jeito, muito pelo contrário, em muitas delas os jovens costumavam ser mais espirituais do que eu, e eu aprendia muito com o exemplo deles. A pior coisa que já cheguei a ver foi uma briga generalizada de travesseiros no final de um retiro, mas mesmo assim era na brincadeira, não uma briga de verdade, mas na época isso era demais pra mim e eu fiquei escandalizado. Talvez isso seja mérito dos meus pais que sempre buscaram congregar em igrejas sérias, talvez seja uma questão cultural das igrejas daqui, ou talvez eu tive muita sorte e você muito azar, eu não sei dizer.

      Eu lhe recomendaria com toda a certeza NÃO congregar nesse tipo de igreja que você descreveu, isso aí está muito mais para sinagoga de Satanás do que igreja de Deus, mas também não é recomendável ficar sem congregar em lugar nenhum, isso daí seria só no caso de não haver realmente nenhuma igreja decente na sua região. Tente visitar outras igrejas até achar uma boa, de preferência uma mais tradicional que costumam ser mais sérias com o aspecto moral e o ensino, e se não encontrar nenhuma igreja séria na sua região, só neste caso fique sem congregar, mas não sem buscar a Deus (orar, louvar, ler a Bíblia e etc).

      Abs.

      Excluir
    2. Deve ser uma questão cultural mesmo. Acho que estados como Brasília, São Paulo e RJ são os piores. Eu moro em Brasília e é horrível, muitas das igrejas evangélicas são corrompidas principalmente as denominações mais conhecidas como IURD, Sara nossa terra, igreja mundial, igreja da plenitude, caminho da graça (essa é a do Caio Fábio fica aqui em Brasília na Asa Norte, mas nem rola de eu ir pra la,embora não seja uma igreja grande) etc. Pior que todas que eu mencionei no relato não se referem a essas denominações, são igrejas próximas de onde moro. Mas tô pensando em ir pra uma igreja q tem bem perto da minha casa q abriu agora. Ela é bem pequena mesmo (deve caber no máximo umas 50 pessoas), vamos ver no q vai dar. A ultima que mencionei foi a melhorzinha q encontrei mas como disse rola muita panelinha e o pastor tá mais pra lobo do que pra ovelha, e não prega direito. Daí melhor visitar a que cabe 50 pessoas...

      Excluir
    3. Bom, essas que você citou estão de longe entre as igrejas mais "não-recomendáveis" que eu diria, embora eu não possa generalizar. Sobre a igrejinha de 50 pessoas eu não acho um problema, na verdade a igreja primitiva se reunia em casas que dificilmente cabiam mais do que isso, o que importa é o conteúdo da mensagem que é pregada e a moralidade da igreja, vamos torcer para que essa pelo menos seja decente...

      Excluir
  2. Lucas, num dos seus hangouts, você cita Eusébio de Cesareia afirmando que Pedro só chegou a Roma no final da vida. O que dizer sobes as afirmações abaixo?


    "Imediatamente depois, AINDA NO COMEÇO DO IMPÉRIO DE CLÁUDIO, a Providência universal, boníssima e cheia de amor aos homens, CONDUZIU PELA MÃO A ROMA, qual adversário deste destruidor da vida, O VALOROSO E GRANDE APÓSTOLO PEDRO, o primeiro dentre todos pela virtude. autêntico general de Deus, munido de armas divinas (Ef 6,14-17; 1Ts 5,8), trazia do Oriente ao OCIDENTE a preciosa mercadoria da luz inteligível, e anunciava, como a própria luz (cf. Jo 1,9) e palavra de salvação para as almas, a boa nova do reino dos céus." (Eusébio de Cesaréia - Livro II, Capitulo 14 Versículo 6)


    "Pedro, contudo, parece ter pregado aos judeus da Diáspora, no Ponto, na Galácia, na Bitínia, na Capadócia e na Ásia (cf. 1Pd 1,1), e finalmente foi para Roma, onde foi crucificado de cabeça para baixo, conforme ele mesmo desejara sofrer.” (Eusébio de Cesaréia – Livro III, 1, 2)


    “Segundo se conta, sob CLÁUDIO, Fílon em Roma relacionou-se com PEDRO, QUE ENTÃO PREGAVA AOS SEUS HABITANTES. Isto é verossímil, visto que o escrito a que nos referimos, exarado por ele muito mais tarde, encerra evidentemente normas da Igreja, agora ainda observadas entre nós.” (Eusébio de Cesaréia – História Eclesiástica Livro II, Capítulo 17, 17(1))


    “Diz-se que o apóstolo conheceu o fato por uma revelação do Espírito. Alegrou-se com o desejo deles e aprovou o livro por meio de leitura nas assembleias. Clemente, no sexto livro das Hypotyposes conta essa história e a confirma com seu testemunho o bispo de Hierápolis, chamado Papias. Pedro menciona marcos na sua primeira carta que, diz-se, ELE MESMO COMPÔS EM ROMA, ASSINALANDO-A COM O NOME SIMBÓLICO DE BABILÔNIA, no seguinte trecho: “A que está em Babilônia, eleita como vós, vos saúda, como também Marcos, o meu filho” (1Pd 5,13).” (Eusébio de Cesaréia – História Eclesiástica – Livro II, Capítulo 15, Versículo 2).


    “Pedro, de nacionalidade Galileia, O PRIMEIRO PONTÍFICE DOS CRISTÃOS, tendo inicialmente fundado a Igreja de Antioquia, se dirige a Roma, onde, pregando o Evangelho, CONTINUA VINTE E CINCO ANOS BISPO DA MESMA CIDADE.” (Crônicas de Eusébio Página 261 parágrafo 2).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigoo, isso é uma mentira daquelas bem sem vergonha:

      "Pedro, de nacionalidade Galileia, O PRIMEIRO PONTÍFICE DOS CRISTÃOS, tendo inicialmente fundado a Igreja de Antioquia, se dirige a Roma, onde, pregando o Evangelho, CONTINUA VINTE E CINCO ANOS BISPO DA MESMA CIDADE.” (Crônicas de Eusébio Página 261 parágrafo 2)."

      Excluir
    2. A última citação é uma adulteração sobre a qual já escrevi aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/paulo-leitao-falsificando-textos.html

      É preciso lembrar que Eusébio era mais um compilador do que um historiador propriamente dito, a maior parte de sua História Eclesiástica são enxertos de outras obras que ele vai juntando e transcrevendo ipsis litteris em sua obra, por isso é natural encontrar contradições aqui ou ali. A parte que diz que Pedro só chegou a Roma no fim da vida é uma citação de Orígenes, um Pai da Igreja do segundo século, enquanto a que mostra Pedro em Roma nos tempos de Cláudio é de um documento anônimo que nem o próprio Eusébio cita nominalmente e que claramente tem um peso bem inferior. Mas mesmo este documento anônimo e que ninguém conhece não diz que Pedro estava em Roma como bispo dali e muito menos como papa, poderia ser somente uma visita de passagem como Pedro costumava fazer em diversos lugares, o que mesmo assim é improvável levando em consideração tanto os dados bíblicos como patrísticos:

      http://apologiacrista.com/a-missao-secreta-de-pedro

      http://apologiacrista.com/pedro-nunca-foi-bispo-de-roma

      Excluir
    3. Lucas, esses excessos de confetes a Pedro era comum na literatura antiga ou estão querendo provar um primado de Pedro?

      Excluir
    4. Eu não entendi a pergunta direito, poderia explicar melhor?

      Excluir
    5. Lucas, "Grande, autêntico, General de Deus, portador de armas divinas, verossível" esses excessos de adjetivos (confetes) têm o intuito de induzir-nos a crer num primado de Pedro ou era algo comum na literatura antiga?

      Excluir
    6. Comum não era, mas também não prova nada por si só.

      Excluir
    7. É porque na Bíblia não se vê lista de adjetivos nem a pessoa de Cristo e muito menos a algum discípulo seu!

      Excluir
    8. Concordo, é estranho mesmo. Tem cheiro de interpolação.

      Excluir
  3. Lucas, você considera que a Igreja Católica que ajudou a "formar o Ocidente" pois ela que juntou "a filosofia grega, a moralidade cristã e o direito romano"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A filosofia grega é mérito dos filósofos gregos de antes de Cristo e não da Igreja Romana, e chegou aos católicos mediante das traduções feitas primeiramente pelos árabes. O próprio Tomás de Aquino não sabia nem grego, nem hebraico e nem árabe. O direito romano tem muitas falhas e também precede a ICAR, e regiões que não se submetiam ao direito romano não sofriam em nada pela falta do mesmo (ex: Inglaterra). E a moralidade cristã foi despedaçada, arruinada e jogada no lixo pela Igreja Romana medieval e moderna, que aprovava todos os tipos de atos imorais, depravados, perversos e tirânicos que a Igreja antiga condenava. Foi só depois que essa Igreja assassina perdeu o poder político que antes detinha que o mundo pôde desfrutar de uma autêntica moralidade cristã propriamente dita, a qual provém das Escrituras e não de uma Igreja que assassinava quem discordava de suas doutrinas.

      Excluir
  4. https://www.youtube.com/watch?v=mkRvRGpAklc

    A Terra é plana?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a terra for plana, com certeza não é por causa desse vídeo...

      Excluir
  5. Lucas o que vc me diz desse texto:

    Eucaristia como sacrificio e adoração
    Por JND KELLY

    Pagina 147 Doutrina centrais da fé cristã

    "...A eucaristia era vista como o sacrifício caracteristicamente cristão desde o último decênio do primeiro século, se não antes. A predição de Malaquias (1.10s.), dizendo que o Senhor rejeitaria os sacrifícios judaicos e, em seu lugar, recebería “ofertas puras” feitas a Ele por gentios de todas as partes foi logo interpretada pelos cristãos como uma profecia da eucaristia. De fato, o Didaquê chega a aplicar o termo thysia, ou sacrifício, à eucaristia, e a idéia é pressuposta por Clemente no paralelo que ele descobre entre os ministros da igreja e os sacerdotes e levitas do Antigo Testamento, bem como em sua descrição da função deles que seria de oferecer dádivas ou dons (cf. tous... prosenegkontas ta dõra). A referência de Inácio a “um só altar, assim como existe um só bispo”, revela que ele também pensava em termos sacrificiais. Justino fala de “todos os sacrifícios que devem ser feitos sob esse nome apontado por Jesus, a saber, na eucaristia do pão e do cálice, e que são celebrados em todos os lugares pelos cristãos”. Não apenas aqui, mas também em outra passagem, ele identifica “ 0 pão da eucaristia e o cálice da eucaristia” com 0 sacrifício predito por Malaquias. Para Irineu, a eucaristia é “a nova oblação da nova aliança”, que a igreja recebeu dos apóstolos e oferece a Deus em todo 0 mundo.

    Pagina 162

    Obviamente, a eucaristia era também o grande ato de adoração dos cristãos, o sacrifício que ofereciam. Os escritores e as liturgias do período são unânimes em reconhecê-la como tal. Clemente aplica à eucaristia o termo “sacrifício” (prosfora), citando a oferta a Melquisedeque como seu tipo. Tertuliano define a função sacerdotal como a de “oferecer” (offerre); a “oferta de sacrifício”4 é, para ele, um evento tão cristão quanto a pregação da Palavra. Embora seja o primeiro a mencionar isso, Tertuliano trata o oferecimento da eucaristia em favor dos mortos (oblationes pro defunctis) como um dos costumes estabelecidos e reverenciados pela tradição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vou discutir a veracidade dos textos porque nem tenho tempo pra isso. Basta dizer que a eucaristia era um "sacrifício" no mesmo sentido em que Paulo diz que devemos nos oferecer como um "em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus" (Rm 12:1), que não significa um sacrifício literal, da mesma forma que Cristo não é literalmente sacrificado novamente na Ceia ou eucarfistia. A eucaristia é um memorial do sacrifício de Cristo (1Co 5:7; 1Co 11:24), por isso a designação. Não tem nada a ver com um sacrifício literal, da mesma forma que em textos como esses:

      "Contudo, mesmo que eu esteja sendo derramado como oferta de bebida sobre o serviço que provém da FÉ que vocês têm, o SACRIFÍCIO que oferecem a Deus, estou alegre e me regozijo com todos vocês" (Filipenses 2:17)

      "Recebi tudo, e o que tenho é mais que suficiente. Estou amplamente suprido, agora que recebi de Epafrodito os DONATIVOS que vocês enviaram. São uma oferta de aroma suave, um SACRIFÍCIO aceitável e agradável a Deus" (Filipenses 4:18)

      "Vocês também estão sendo utilizados como pedras vivas na edificação de uma casa espiritual para serem sacerdócio santo, oferecendo SACRIFÍCIOS ESPIRITUAIS aceitáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo" (1 Pedro 2:5)

      "Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em SACRIFÍCIO vivo, santo e agradável a Deus; este é o CULTO racional de vocês" (Romanos 12:1)

      Nestes textos vemos a fé, a oferta, a espiritualidade e o culto sendo chamados de "sacrifício", da mesma forma que a Ceia. Claro que não um sacrifício literal, pois em sentido literal o autor de Hebreus foi perfeitamente claro ao dizer:

      "Pelo cumprimento dessa vontade fomos santificados, por meio do sacrifício do corpo de Jesus Cristo, oferecido UMA VEZ POR TODAS" (Hebreus 10:10)

      "Dia após dia, todo sacerdote apresenta-se e exerce os seus deveres religiosos; repetidamente oferece os mesmos sacrifícios, que nunca podem remover os pecados. Mas quando este sacerdote acabou de oferecer, para sempre, UM ÚNICO sacrifício pelos pecados, assentou-se à direita de Deus" (Hebreus 10:11-12)

      O sacrifício de Jesus foi um só, e ocorreu na cruz. Não há mais sacrifícios literalmente falando.

      Excluir
    2. O termo eucaristia significa "ação de graças" e não sacrifício

      Tem um estudo sobre o tema nos primeiros séculos

      http://respostascristas.blogspot.com.br/2016/02/os-pais-da-igreja-e-eucaristia-inacio.html

      Excluir
    3. Lucas olha outro texto desse pastor JND KELLY

      Doutrina centrais da fé cristã
      Eucaristia merece adoração

      "Obviamente, a eucaristia era também o grande ato de adoração dos cristãos(pagina 162)

      Sobre o maior pai da igreja santo agostiho:
      "... Assim era o corpo eucarístico que exigia adoração.(PAgina 446)

      Adoremos Cristo no altar pois ele esta presente na eucaristia

      E, tomando o pão, e havendo dado graças, partiu-o, e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo

      Lucas 22:19

      Excluir
    4. O Philip Schaff já explicou isso. "Adoração" nos tempos antigos era uma palavra com diversos significados, inclusive o de respeito ou reverência, como ocorre na questão da eucaristia:

      "Em todas estas passagens, devemos, sem dúvida, levar a termo proskunei'n e adorare no sentido mais amplo, e distinguir do arqueamento dos joelhos, que era tão frequente, especialmente no Oriente, como um mero sinal de respeito, de adequada adoração. As antigas liturgias não contém direção para qualquer ato de adoração como se tornou predominante na Igreja Latina, como a elevação da hóstia, após o triunfo da doutrina da transubstanciação, no século XII"

      Fonte: http://www.ccel.org/s/schaff/history/3_ch07.htm#_ednref344

      Excluir
  6. Banzoli, é muito difícil escrever um livro? Quais são os passos? Como você faz?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende do livro. Esses que envolvem temática histórica são os mais demorados, porque precisa:

      1) Ler todos os livros necessários para ter conhecimento do assunto.

      2) Transcrever cada uma das citações selecionadas em cada livro, em um documento Word.

      3) Ao terminar de ler os livros, estruturar cada capítulo e cada tópico de cada capítulo.

      4) Incluir cada citação em cada parte para não se perder (essa é a parte mais chata de todo o trabalho).

      5) Escrever.

      Excluir
    2. Devemos fazer o sumário antes de escrever ou depois? Escreve o sumário e depois desenvolve cada ponto do sumário?

      Excluir
    3. Sumário tem que ser antes, mas dependendo dos rumos do livro pode ser mudado durante a escrita.

      Excluir
    4. Tô pensando em fazer algumas apostilas pra mim distribuir na minha igreja para os outros jovens (especialmente novos convertidos) imprimirem. Tô pensando em começar escrevendo uma de bibliologia. Já estou estudando alguns materiais. Posso fazer citações de seu livro EM DEFESA DA SOLA SCRIPTURA? Li ele e achei excelente. Lá tem muito conteúdo bom que eu poderia (se você permitir) colocar na minha apostila.

      Excluir
    5. Fique à vontade para fazer as citações, esse tipo de coisa nem precisa pedir permissão :)

      Excluir
    6. "Fique à vontade para fazer as citações, esse tipo de coisa nem precisa pedir permissão :) "

      Muito obrigado meu irmão. Em quais situações é preciso pedir permissão ao autor? Quando é citações para colocar em livros que vão ser publicados?

      Excluir
    7. Nunca é preciso pedir autorização quando a citação é devidamente referenciada (por exemplo, em uma nota de rodapé), imagine se eu tivesse que pedir autorização para cada citação de cada autor que faço em cada livro, eu simplesmente não conseguiria escrever nada, alguns desses autores inclusive já morreram. O problema na verdade é o plágio, que é quando se copia textos de um autor sem citá-lo devidamente e atribuindo-os como se fosse da sua própria autoria. Mas citar dando os créditos ao autor não é nada de mais. E pra ser sincero eu nunca me irrito quando vejo um monte de gente postando textos meus em outros blogs sem sequer citar meu nome ou um link do meu site, é claro que eu preferiria que os créditos fossem dados porque é o meu trabalho, mas o que importa é que a mensagem do Reino está sendo levada adiante de um jeito ou do outro.

      Excluir
    8. Ok. Entendi. Boa sorte.

      Excluir
  7. Banzoli, vi essa postagem do Gilberto Santos:

    "Estou chorando de felicidade.

    - Fechei com uma editora, cujo dono conquistei uma sinpatia enorme
    - O capítulo do representante tomista está 99% pronto! (Inclusive fica a indireta pra ele aqui, que a data tá atrasada dois dias kkk)
    - O capítulo do calvinista está 70% pronto.
    - O capítulo do arminiano ainda não está pronto, mas o representante é conhecido e bem requisitado, vai valer a pena a espera.
    - O meu capítulo em defesa do molinismo está pronto, só falta eu "passar a limpo"
    - E acabei de receber direto da China, o capítulo de um doutor britânico, que representará e defenderá o teísmo aberto.

    ESSE LIVRO-DEBATE VAI SAIR!!!!
    Hô gloria!

    Aguardem... "

    Esse arminiano que ele fala é você? Qual vai ser o nome desse livro-debate? Qual o nome dos outros representantes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não me disse nada, então creio que não sou eu.

      Excluir
  8. Pelo que eu sei o Concílio Vaticano II "mudou a conversa" e "liberou" a leitura da Bíblia para os leigos incluindo a partir daí comentários para facilitar a compreensão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, mas veja quanto tempo demorou. Precisaram fazer isso há apenas 50 anos, com quase mil de atraso.

      Excluir
  9. Fala Lucas, tudo bem?

    Me diz uma coisa, como você ve a relação do Cristão Protestante com a música secular ou "mundana"

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, o Maurício Zágari tem um artigo perfeito sobre isso que expressa com total exatidão o meu ponto de vista (essa é a razão pela qual nunca precisei escrever um próprio sobre o tema):

      https://apenas1.wordpress.com/2011/09/26/cristao-deve-ouvir-musica-do-mundo/

      Abs!

      Excluir
  10. Olá irmão Lucas Banzoli! Como vai? Gostaria de saber sua opinião sobre o documentário chamado "Zeitgeist". Para contextualizar melhor, é o documentário que diz que Jesus é um plagio de mitos como o de Horus, Zoroaster e Krishna.(Acho que tem mais um... mas não lembro o nome; acho que é o deus romano do vinho) Desde já agradeço! E que Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, eu já refutei esse documentário no meu livro sobre a existência de Deus, o capítulo respectivo é esse aqui:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2014/12/jesus-e-um-plagio-de-mitos-pagaos.html

      Abs!

      Excluir
  11. Lucas, uma brincadeira, porque pegam no seu pé por causa de seu cabelo grande? Brincadeira!

    ResponderExcluir
  12. Vc chegou a ver isso aqui?

    https://www.maisrelevante.com.br/2017/02/12-razoes-pelas-quais-o-sabado-moral.html

    Eu não sou sabatista, mas queria saber o que vc acha desses argumentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro é preciso esclarecer que embora eu tenha sido o compilador do artigo, ele é totalmente baseado no do cacp que eu linko no final do artigo. Isso não significa que o artigo não expresse mais a minha visão de um modo geral (se fosse o caso eu já teria deletado o artigo), mas apenas que foi escrito há uns oito anos atrás e que se fosse hoje eu iria mudar muita coisa, aperfeiçoar uns argumentos, incluir outros e tirar alguns. De todo modo, vamos lá:

      1) Concordo com a objeção dele. Sem mais.

      2) Ele não refutou nada, acho que nem entendeu o ponto. O ponto é que quando a guarda do sábado se chocava com a circuncisão, este último PREVALECIA sobre o primeiro, de modo que mostra que era mais importante que a guarda do sábado. E levando em conta que a circuncisão não é mais observada hoje em dia e é tratada como uma questão de ordem cerimonial, não há lógica em pensar que o sábado é diferente, já que é inferior à circuncisão.

      3) Mais uma vez não entendeu o ponto, se os sacerdotes podiam violar o sábado para realizar sacrifícios era porque os sacrifícios eram superiores à guarda do sábado e mesmo assim eram de natureza cerimonial. Jamais algo cerimonial pode prevalecer sobre um estatuto moral, então o sábado não pode ser moral.

      4) É a mesma coisa que os dois pontos anteriores, não preciso nem comentar.

      5) Idem.

      6) Concordo com a objeção dele.

      7) Se Paulo escreveu sobre "guardar DIAS, meses, tempos e anos", então é óbvio que o sábado (que é um dia) estava incluso. Se ele nega este fato, então o ônus da prova está com ele de mostrar o porquê, em vez de apenas lançar um ar de "mistério" ao texto.

      8) Não achei a resposta convincente. Na verdade, ela apenas confirmou o argumento: Paulo nunca disse pra guardar o sábado mesmo. Ponto. Comparar essa ausência com a do dízimo é uma coisa ridícula, não apenas porque o dízimo obrigatório da forma como é exigido nas igrejas é uma fantasia, mas porque mesmo se fosse o caso seria algo de natureza infinitamente menos importante que o sábado, que teria que ser mencionado sim, da mesma forma que os sabatistas não param de falar dele.

      9) É a mesma coisa do ponto 7, não preciso repetir.

      10) Não refutou nada do argumento, só parece arremeter contra o texto bíblico.

      11) A explicação dele é plausível aqui.

      12) Não lidou com o argumento.

      Quando eu tiver tempo vou reelaborar o artigo, corrigir os erros e reforçar os argumentos.

      Excluir
    2. "Quando eu tiver tempo vou reelaborar o artigo, corrigir os erros e reforçar os argumentos."

      Eu nem tinha reparado que era tão antigo. Há 8 anos atrás eu brincava de boneca. Mas obg por responder : )

      Excluir
    3. Eu não era muito diferente, exceto pela parte da boneca.

      Excluir
    4. Lucas, pelo que li, o motivo da troca da guarda do sábado pelo domingo foi a "cristianização" das festas pagãs. Isso procede?

      Excluir
    5. Não procede. Usam Constantino para isso mas ele apenas formalizou e oficializou esta doutrina, não foi seu criador. Inácio já falava da mudança do dia de culto do sábado para o domingo ainda em finais do primeiro século ou início do segundo, embora particularmente eu considere errada a ideia da guarda em si do domingo no mesmo sentido que os sabatistas guardam o sábado.

      Excluir
  13. Lucas, estou lendo livro Daniel estou em duvido sobre chifre Pequeno e animal Cap 7



    DN 7:8 "considerei os chifres, e eis que surgiu entre eles um outro pequeno chifre, perante o qual havia três dos primeiros chifres removidos e neste chifre havia olhos, como olhos de homem, e uma boca falando grandes coisas".

    O "Pequeno chifre" anticristo Ap 13:5-6 ou Antíloco Epifânio(Chife muito pequeno) cap 8 Daniel?

    Dn 7:11 "o chifre falava; contemplei até que o animal foi Morto, e o seu corpo destruído e dado à chama ardente" Que animal este? Roma? Prostituta babilônia?

    Dn 7:19" do quarto animal, que era diferente de todos os outros, extremamente apavorante, cujos dentes eram de ferro e as unhas de bronze"
    Ferro= Roma Bronze= Grécia
    O animal besta AP 13 e 17?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, desculpe pela demora na resposta, ontem não tive tempo de responder. Sobre Dn 7:8, o chifre e uma referência a ambos, uma vez que Antíoco era um antítipo do anticristo.

      Sobre Dn 7:11, se trata do mesmo animal de Dn 7:19. Em Daniel se refere ao Império Romano, mas pode se tratar de uma prefiguração apocalíptica de algo maior, como no caso de Antíoco/anticristo e do "sacrilégio terrível" de Dn 11:12 que Jesus faz alusão a um momento futuro embora em Daniel também se referisse primeiramente a Antíoco. Neste caso pode ser uma referências às bestas do Apocalipse, especialmente à de Ap 17:7.

      Excluir
    2. Agradeço por sua reposta, Fiz pesquisa programa theword Tradução (RA + Strong) Cap7 e 8 Daniel Cap 7 "chifre pequeno" Strong H2192 H7162. Cap 8 "chifre pequeno" Strong H7161 H4704
      Tradução fica; chifre muito pequeno ou insignificante Pequeno Cap 8

      Parece são chifres diferentes acho Cap 8 Antíloco Epifânio vou ler livro macabeus que fala este sujeito


      Excluir
  14. Olá Lucas. Tenho algumas perguntas para te fazer, rsrs são 4 :)
    1- Você acha que esse tipo de conduta deveria ser criminalizada no Brasil : https://www.youtube.com/watch?v=WSS7rgerW84 ? Se sim, porque, e se não, porque não?

    2- O que você acha de religiões que usam certas drogas em seus rituais, como bebida, santo Daime, etc? É pecado usar essas substâncias? E porque Deus criou as drogas?

    3- Porque homossexualismo é pecado? Já me falaram que é antinatural (eu concordo) mas queria entender mais a fundo porque é pecado...Já me falaram também que homossexualismo é idolatria também. Oq vc acha? Esse lance de ser antinatural, de não gerar filhos eu entendo, mas não entendo quais outras coisas ruins podem estar por de trás do homossexualismo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá:

      1) Acho que ninguém deve ser obrigado a continuar vivo contra a sua própria vontade. Portanto, não acho que deva ser criminalizado.

      2) Pra mim todas as drogas deveriam ser criminalizadas e isso inclui qualquer religião que as use. No início quando Deus criou o mundo tudo era bom, mas depois do pecado algumas substâncias passaram a fazer mal levando em consideração que o corpo humano deixou de ser incorruptível para se tornar corruptível. Como tudo que estraga o corpo, é pecado sim.

      3) Neste artigo eu explico isso com informações e dados:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2015/04/a-moral-humanista-secular-parte-2.html

      Abs!

      Excluir
    2. A salsinha também estraga o corpo. Li uma reportagem falando que é um dos instrumentos mais industrializados, assim como a coca-cola que é usada para desentupir privadas. Se bebida em excesso, pode causar problema na úlcera. Uma vez eu conversei com um crente sobre isso (ele era viciado em coca) e ele ficou com raiva de mim. Mas eu acredito que coca cola seja droga também.

      Excluir
  15. Benedict carpzov seria um Tomás de Torquemada versão protestante?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso já foi refutado pelo Elisson aqui:

      http://resistenciaapologetica.blogspot.com.br/2015/03/benedict-carpzov-refutando-mais-uma-mentira-do-catolico-fernando-nascimento.html

      Excluir
    2. Lucas, certos católicos afirmam que a ideia do estado laico é ruim, poi
      o estado laico tende ao secularismo, e o secularismo tende a tomar conta das instituições que um dia era de responsabilidade da igreja, e a religião tende a perder importância no ambâmb público, dando espaço para pautas anticristãs como aborto, casamento gay, ideologia de gênero, etc; daí eles concluem que um estado confessional seria muito melhor para a fe cristã em geral. O que você acha disso?

      Excluir
    3. Um Estado confessional realmente seria muito melhor. A gente pega todo mundo que não concorda com a gente e joga na fogueira. Pronto! o mundo estaria perfeitamente pronto para receber o Senhor Jesus, que com certeza ficaria muito orgulhoso em ver tamanha ordem e prosperidade (já que o catolicismo traz sempre muita prosperidade - para o papa).

      kkkkkk

      Excluir
    4. O Estado tem que ser neutro. Ponto final. Costumam dar a essa neutralidade o nome de "Estado laico", que mesmo permitindo que esquerdistas, ateístas e etc manifestem livremente suas opiniões e às vezes consigam fazer prevalecer sua política em certos lugares, ainda assim é infinitamente menos ruim do que a política de Estado confessional, ainda mais o Estado católico que querem voltar a implantar aqui. Mesmo com tantos defeitos, o mundo é hoje infinitamente e incomparavelmente superior à época em que ainda não havia separação entre Estado e Igreja, sobre isso eu escrevi aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/01/o-mundo-era-melhor-antes.html

      Sem falar que eu acho MUITO covarde impor um Estado confessional apenas para calar à força a oposição. Seria fazer o mesmo que os Estados ateus que impõem o ateísmo à força e não querem saber da opinião dos religiosos. Ninguém deve impor suas ideias à força, elas devem ser debatidas e tratadas de forma democrática de acordo com o desejo da população, até Deus deu o livre-arbítrio aos anjos para escolherem seguir a Ele ou a Satanás, ele não impôs nada a ninguém, e nem nós devemos impor. Quer que o conservadorismo prevaleça politicamente? Ótimo, então conscientize o povo sobre isso, eduque seus filhos, seja um militante da causa ou entre para a política e faça a diferença, mas forçar as coisas unilateralmente não é apenas covarde, é imoral, e o passado está aí para nos mostrar isso.

      Excluir
    5. Mas na prática o estado laico nunca é neutro, pois isso depende muito de quais pessoas tomam conta das instituições. Se pessoas com um viés cristão estiverem no governo, naturalmente que o estado seguira diretrizes mais conservadores; se forem pessoas com um viés mais secular que estiverem tomando conta das instituições do estado, naturalmente que o estado seguirá uma tendência mais anticristã. Seja como for, não acho que o questionamento de certos católicos ao estado laico seja absurdo, basta olhar a situação da Europa.

      Excluir
    6. A Europa de hoje é infinitamente melhor do que a Europa da época dos bárbaros, das Cruzadas, da Inquisição, da caça às bruxas ou da Guerra dos 30 Anos. Você não deve ter lido o artigo que linkei. E isso que você disse não tem nada a ver com o Estado laico, mas sim com a democracia. A democracia permite que o povo eleja seus governantes, se o povo escolhe os governantes errados aí é outra história, mas esse tipo de objeção não é contra o Estado laico em si mas sim contra a própria democracia. Com o mesmo argumento um ateu, comunista, muçulmano ou o que quer que seja poderia ser contra a democracia por abrir espaço para que governantes com ideologia oposta tomem o poder e assim serem a favor de uma ditadura da sua própria concepção ideológica. De fato, é exatamente assim que surgem as ditaduras e totalitarismos. É exatamente essa a mentalidade por trás.

      Excluir
  16. Faz tempo que não vejo o Fernando Nascimento comentando nos seus artigos. O que houve com ele? Sumiu do país? kkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca mais vi. Se sumiu do país eu não sei, esse sujeito é tão covarde que nunca teve coragem de mostrar a cara, sempre se escondeu atrás de fakes em comunidades de fanáticos católicos, se sumisse do país ninguém iria notar a diferença. O pior nem é ser covarde de não mostrar sua cara que deve ser bem podre, mas ficar fazendo chacota com a cara dos outros que tem coragem de mostrar, com suas charges toscas e edições ridículas.

      Excluir
  17. Avalie:

    https://padrepauloricardo.org/episodios/o-que-e-o-pelagianismo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por incrível que pareça dessa vez ele não disse nenhuma heresia. Deve ter sido a primeira vez em nove anos que isso acontece.

      Excluir
    2. A igreja católica é pelagiana ou semipelagiana? Segundo o que o padre Paulo Ricardo disse aí, parece que ele não se considera pelagiano, nem semipelagiano.

      Excluir
    3. Eles não se consideram mesmo, mas creem que nós próprios produzimos nossa salvação através das boas obras com efeito salvífico, isso não se diferencia muito.

      Excluir
  18. A história das crianças que já nascem más!

    Eu sou fã de cadeirinha do Yago Martins. Gostaria que o Lucas me permitisse postar algo interessante no seu site sobre um vídeo do Yago que causou muita polêmica principalmente no meio católico.

    Aqui neste vídeo ( https://youtu.be/9hBAf6WacSY)  Cristiano Macabeus crítica desesperadamente o Yago  que chamou  as  crianças de  demônios. Cristiano disse que isso não pode ser... que terrível... como pode alguém dizer algo assim ... socorro acudam!

    No fim das contas ele transformou Yago Martins num bicho sem considerar o contexto das palavras do Yago.

    E as crianças, nascem mesmo  com a mancha do pecado original? Quem disse não errou feio!

    C M cita as crianças ao lado de Jesus quando o mestre diz que "das tais é o reino de Deus" para salvar os pequeninos e enterrar o Yaho. A inocência enfatizada as leva para o céu acredita o abestado macabeus.

    As histórias estão resumidas mas você pode ver os detalhes nos links fornecidos no final.

    Algumas crianças são demônios mesmo. Elas vieram para matar, roubar e destruir. Aqui você vai encontrar assassinos dos 3 aos 10 anos de idade. Isso são apenas alguns casos. Há milhões deles...........

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro anônimo, dessa vez eu devo concordar com Macabeus, por mais difícil que isso seja. Eu também acredito que as crianças terão um julgamento especial, por não conhecerem a realidade da vida e também por esse texto aí. Um calvinismo radical que propõe que elas irão ao inferno automaticamente, ou uma idéia idiota como as dos católicos, de que se deve batizar o mais rápido possível para não morrer pagão, não me parecem ideias corretas. O Deus de amor que eu conheço não agiria assim.

      Excluir
    2. Também acho que o Yago está errado. Vejamos o que a Bíblia diz:

      "Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis" (Romanos 1:20)

      Segundo a Bíblia, as pessoas que não terão desculpas no dia do juízo, são pessoas que tiveram conhecimento de Deus através das coisas criadas, e isso não se aplica às crianças inocentes. Crianças inocentes não podem ter conhecimento de Deus; nem a revelação natural, nem pela revelação especial (a Bíblia). Assim, seria injusto Deus condená-las. Como que Deus vai julgar um feto com poucos meses de vida, ainda no ventre da mãe? Fico imaginando Deus dizendo: "você é um feto mal. Você não creu em mim. Vou jogar você no inferno porque você pecou em Adão, o pecado original". Ninguém em sã consciência vai imaginar algo assim, que Deus vai agir de forma semelhante. Portanto, creio que toda criança que morre antes da idade da razão serão salvas.

      Excluir
  19. Carl Newton Mahan

    Tudo começou com uma briguinha entre Carl Newton Mahan de 6 anos e Cecil Van de 8 anos, na cidade de Kentucky. Carl recebeu um tapa de Cecil, então, constrangido prometeu se vingar dela. Ele roubou uma espingarda calibre 12 de seu pai e com apenas uma bala, matou Cecil.

    Jesse Pomeroy

    Quando tinha apenas 11 anos de idade, Jesse começou a sequestrar crianças para realizar grandes torturas, utilizando facas e outras armas afiadas. Ele foi detido e condenado a ficar em um acampamento até seus 21 anos. Quando foi libertado por bom comportamento, após cerca de 1 ano ele sequestrou e matou Katie Curran, uma menina de apenas 10 anos, além de ter sido acusado de ter assassinado uma criança de 4 anos. Jesse foi condenado à prisão perpétua e passou a maior parte de sua sentença em uma solitária e morreu de causas naturais aos 72 anos.

    Jordan Brown

    Jordan Brown, de 11 anos de idade, pegou a arma de seu pai e matou sua madrasta que estaria grávida na época, em seguida, como se nada tivesse acontecido, pegou o ônibus escolar para ir a escola.

    A criança fez um poço para enterrar a madrasta, e após, foi para a escola normalmente. Ele foi acusado por duplo homicídio, da madrasta e do feto

    ResponderExcluir
  20. Jon Venables e Robert Thompson

    Eles tinham 10 anos quando sequestraram um bebê de apenas 2 anos. Eles torturaram a criança com o simples intuito de fazê-la sofrer e ainda, depois de morta,colocaram sobre os trilhos de um trem para vê-la completamente despedaçada. O crime aconteceu em 1993.

    Irmãos gêmeos

    Com apenas 3 anos de idade, eles ficaram sós com o irmão de 18 meses. Eles tiveram a ideia de assar o irmãozinho no forno e ele acabou morrendo. A mãe revela que deixou-os sós apenas 15 minutos quando foi comprar mantimentos.

    Amarjeet Sada

    Ele tinha apenas 8 anos, suas 3 vítimas eram bebês de poucos meses de idade e a família tentou abafar pelo menos 2 das mortes, a da irmã e a de uma prima do garoto.

    O caso só veio à tona após o desaparecimento do bebê de uma vizinha. A mãe teria deixado a filha de seis meses dormindo em uma escola da vila, e, quando foi verificar, a criança havia desaparecido. Mais tarde, Sada confessou o crime, descreveu como assassinou o bebê e mostrou onde estaria o corpo.

    ResponderExcluir
  21. Cayetano Santos

    É um menino argentino que cometeu seu primeiro assassinato em 1906, quando matou uma menina de três anos chamada Maria Rosa Cara. Ele a sequestrou na porta de um armazém e, depois de uma tentativa frustrada de estrangulamento, ele a enterrou viva em um terreno baldio.

    Em setembro de 1908, com um intervalo de apenas oito dias, ele tentou matar duas crianças de 2 anos. O primeiro, Severino Gonzalez Calo, foi salvo da tentativa de afogamento na piscina de uma adega. O segundo, Julio Botte, foi resgatado por sua mãe depois do assassino em série queimar as suas pálpebras com um cigarro. Depois destes acontecimentos, ele foi enviado para um reformatório juvenil, mas os anos lá parecem tê-lo perturbado ainda mais...

    Bruno Paulista

    Aos 6 anos, Bruno "não demonstrava emoções nem vínculo afetivo. Só apatia. Depois o garoto se tornou agitado e manipulador. A mãe, Jussara", o levou a vários médicos no ABC paulista. Todos disseram que era apenas ansiedade. E Bruno foi ficando cada vez pior - tentou suicídio 3 vezes. Depois dos 18, finalmente recebeu um diagnóstico concreto: transtorno de personalidade. "Eles [os médicos] disseram que meu filho não pode viver em sociedade.

    Richard Trenton

    Aos 10 anos de idade, Richard Trenton Chase era o terror dos gatos do bairro onde morava. O garoto tinha claramente uma perturbação mental, ou você acha normal uma criança arrancar cabeças de gatos e pássaros com a boca para beber o seu sangue?

    Jeffrey Bailey

    Em 1986, o americano Jeffrey Bailey Jr, de 9 anos, foi deixado sozinho com o amiguinho Ricky Brown, de 3. Jeffrey sabia que o menino tinha medo de água e não sabia nadar. Mesmo assim, levou-o para a piscina e o empurrou lá dentro. Ricky se debateu por vários minutos, gritando por socorro. "Em vez de estender o braço, Jeffrey puxou uma cadeira para assistir à morte do menino. Depois foi para casa".

    ResponderExcluir


  22. Daniel Blair

    No início de junho de 2009, um fato ocorrido na Inglaterra chamou a atenção de câmeras do mundo inteiro. Daniel Blair, de apenas 4 anos de idade, ganhou um pequeno cachorrinho, um filhote de cocker spaniel. E o animalzinho de apenas 1 semana de vida quase teve um fim trágico pelas maozinhas do seu dono.

    O pequeno Daniel achou que o filhotinho precisava de um banho. O que ele fez ? Jogou o pequeno animalzinho na privada e … deu descarga. Muitos perguntaram: será que Daniel seria um pequeno psicopata divertindo-se com o sofrimento do bicho ? Sabemos que grande parte dos psicopatas que se tornam assassinos e/ou serial killers quando adultos, começam na infância torturando e matando (principalmente) cães e gatos.

    http://nerdices.com.br/42/2017/06/19/10-casos-de-criancas-assassinas

    http://superinteressantes.com.br/2017/09/01/as-10-criancas-mais-perigosas-do-mundo/

    http://www.minimundos.com.br/forum/threads/58875-Algumas-crianças-que-já-nasceram-más

    https://webtudo.net/veja-as-criancas-assassinas-mais-perigosas-do-mundo

    ResponderExcluir
  23. Lucas, poderia analisar o vídeo deste ateu, onde ele fala um monte de bobagem sobre o cristianismo. Vídeo:https://youtu.be/fwczhoVNBgM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa lenda tosca de que Jesus é plágio disso ou daquilo já foi refutada uma pancada de vezes pelos mais diversos estudiosos, hoje em dia só retardado continua usando isso como argumento. Neste artigo eu faço uma análise:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2014/12/jesus-e-um-plagio-de-mitos-pagaos.html

      É engraçado que nenhum crítico mais sério do Cristianismo usa isso como argumento. Não vi Dawkins usar, não vi Ehrman usar, até o Pirula disse que leu o "Livro dos Mortos" e outros livros antigos para ver se essa tese era verdadeira e viu que era tudo falsa, só cretino sem relevância como esse moço do vídeo é que continua polemizando com isso exclusivamente para ganhar views e inscritos. Há um documentário extenso apenas refutando o Zeitgeist parte por parte, o qual nunca foi refutado:

      http://apologiacrista.com/jesus-realmente-existiu-p5

      Vale lembrar que o próprio Zeitgeist é um documentário abertamente sensacionalista e conspiracionista que ninguém da crítica levou a sério. Seu foco nem sequer recai em Jesus, eles falam disso apenas na primeira metade para introduzir o tema principal que é um conspiracionismo em torno da queda das Torres Gêmeas e o suposto envolvimento do governo americano nisso. Ou seja, eles se utilizam de sensacionalismo para atrair a um conspiracionismo. Pura babaquice.

      Excluir
  24. O que você acha do Jaroslav Pelikan? É um bom historiador?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não me lembro de ter lido algum livro dele então não tenho o que comentar.

      Excluir
  25. Pode refutar o pessoal desse site?
    http://yahweh.blog.br/index.php/blog/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual artigo exatamente precisa ser refutado deste site?

      Excluir
    2. Desculpe em não especificar, na verdade eles aparentemente fazem parte de um único grande artigo e que foi dividido, mas ao que me refiro com mais "choque" foi esse:
      http://yahweh.blog.br/index.php/2018/03/21/briga-entre-irmaos/

      Excluir
    3. Totalmente nonsense o que ele disse nesse artigo, parece que ele está escrevendo uma obra de ficção com fundo "bíblico", ao maior estilo "Deuses do Egito" (neste caso, "Deuses de Israel"). Ele adultera o verso 9 grotescamente, que diz "PORQUE", e não "PARA", como ele escreve depois. Ou seja, o texto não diz que o Altíssimo está dando alguma terra para o Senhor, mas apenas reitera que o Altíssimo estabeleceu fronteiras para os povos de acordo com o número dos filhos de Israel PORQUE Israel é o povo preferido do Senhor. Aqui "Altíssimo" e "Senhor" são o mesmo sujeito, usados em forma de paralelismo. Seria como se eu dissesse: "Carille armou o time na retranca, porque o treinador do Corinthians pretende jogar no contra-ataque". Não se trata de dois sujeitos diferentes ("Carille" e "o treinador do Corinthians"), mas do mesmo, igual ocorre no caso do Altíssimo/Senhor do texto que ele adulterou.

      Excluir
  26. Lucas, como você me explicaria o sistema de salvação da Igreja Católica com relação a Eucaristia, nela existe algum efeito Divino da parte de Deus para salvar o homem pecador. Quando comparada ao sistema evangélico tanto para arminianos, quanto para calvinistas. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, para eles a eucaristia tem efeito salvífico, se não comungar está em pecado mortal e automaticamente condenado ao inferno, mesmo se não tiver passado tanto tempo desde a última comunhão. Nem pelo purgatório passa. Abs!

      Excluir
  27. preciso de alguma coisa que fale sobre o destino dos impios depois que ressuscitarem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia o capítulo 8 em diante do meu livro "A Lenda da Imortalidade da Alma" e os apêndices do meu livro "Os Pais da Igreja contra a Imortalidade da Alma" (é só baixar na página dos livros):

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      Excluir
  28. Sou católico, e para entender as condenações é necessário saber que a igreja preservava o livre exame da bíblia, impedindo não a sua leitura, mais confiando a sua interpretação a pessoas preparadas. Já se sabia naquele tempo que o livre exame pregado por Lutero e Hus, e na revolta Janseniana levaria a criação de inúmeras seitas e divisões, que de fato aconteceu entre os protestantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou você não leu o próprio artigo em que comenta ou é desonesto mesmo. Onde foi que o papa disse que era apenas contra o livre exame mas não contra a leitura da Bíblia? Vou repetir aqui as teses CONDENADAS pelo papa Clemente XI, não é possível tanta teimosia:

      84. Arrebatar das mãos dos cristãos o Novo Testamento ou mantê-lo fechado, tirando-lhes os meios de compreendê-lo, é fechar-lhes a boca de Cristo.

      85. Proibir os cristãos de ler a Sagrada Escritura, especialmente os evangelhos, é proibir o uso de luz para os filhos da luz, e levá-los a sofrer uma espécie de excomunhão.

      80. A leitura da Sagrada Escritura é para todos.

      81. A obscuridade santa da Palavra de Deus não é para os leigos razão de dispensar-se da sua leitura.

      É preciso ser MUITO desonesto para ler essas teses CONDENADAS pelo papa, e ainda assim defender a hilária teoria de que o papa estava contra apenas o livre exame, e não contra a leitura da Bíblia em si.

      Excluir
    2. De maneira alguma quis ser desonesto, apenas lembro que nas interpretações de norma publicada há mais de seculos, que é o caso, você deve estudar o contexto histórico que envolveu a sua produção. Naquele oportunidade já havia o livre exame bíblico decorrentes da reforma e as consequências foram a criação de milhares de seitas diversas. Julgar os fatos com os olhos de hoje não é a melhor forma de interpretar, você como estudioso sabe bem do que estou falando. Sou advogado há mais de 15 anos, quando me formei havia no código civil de 1916 normas sobre o dote, coisa praticamente extinta no meu tempo. Como interpretar a vontade do legislador senão voltar no início do século XX para saber o que a sociedade pensava sobre o dote. Sim, acredito que o Papa naquela oportunidade restringiu o livre exame da bíblia com vista a unidade, pois já se sabia desde os cátaros o que o livre exame resultava: na divisão da igreja. Em nome da unidade e da própria manutenção da ordem social, em tempos de parcial teocracia ou grande influência da igreja no estado, houve uma restrição a interpretação da Bíblia ao clero, e se o caso a difusão de novas interpretações que motivariam novos movimentos. Sempre e preciso ter em vista os anseios da sociedade à época. Como entender a proibição de comer carne de porco no velho testamento sem ir até a época e entender as necessidades da proibição. Obrigado pela democracia ao publicar meus comentários

      Excluir
    3. Você fala muito sobre "contexto", mas não trouxe uma única citação do contexto, nenhuma bula papal, nenhuma encíclica, nenhum concílio, nenhuma decretal, nenhum catecismo, nada. Claramente apenas se interessa em "salvar a pele do papa e da Igreja custe o que custar" (o que na prática é às custas da verdade). Em compensação compare com este artigo mais recente publicado sobre o tema, repleto de fontes e explicando cada contexto:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/04/conheca-toda-perseguicao-e-proibicao-da.html

      Você insiste em repetir a mesma coisa já explicitamente refutada pelo próprio papa (não vou repetir aqui de novo as mesmas citações pela terceira ou quarta vez), de que o papa proibia "apenas o livre exame". Mano, em nenhum momento o papa fala apenas de livre exame ou sobre "restrição de interpretação da Bíblia ao clero", o que ele proíbe é A PRÓPRIA LEITURA DA BÍBLIA. Eu falei que não ia repetir citações mas sou obrigado a isso por uma última vez:

      84. Arrebatar das mãos dos cristãos o Novo Testamento ou mantê-lo fechado, tirando-lhes os meios de compreendê-lo, é fechar-lhes a boca de Cristo.

      85. Proibir os cristãos de ler a Sagrada Escritura, especialmente os evangelhos, é proibir o uso de luz para os filhos da luz, e levá-los a sofrer uma espécie de excomunhão.

      80. A leitura da Sagrada Escritura é para todos.

      81. A obscuridade santa da Palavra de Deus não é para os leigos razão de dispensar-se da sua leitura.

      Essas são teses CONDENADAS. A visão do papa era bem clara para quem tem um pouco de honestidade intelectual: a Bíblia era considerado um livro "obscuro" e "perigoso", e por isso os leigos não podiam ler. Não se trata de não poder interpretar apenas, se trata de não poder nem LER. Você menciona os cátaros totalmente fora de contexto, já que o papa que fez essa bula é do século XVIII e nessa época os cátaros nem sequer existiam mais. Quem está aqui distorcendo o contexto é você e não eu. Para o papa a coisa era bem simples: se o povo lesse a Bíblia o movimento protestante sairia fortalecido porque, querendo ou não, o protestantismo é muito mais próximo das Escrituras do que o catolicismo. Então o jeito era proibir a própria leitura. Se você concorda com essa proibição e acha que a Bíblia realmente não deve ser lida para não gerar "seitas", então blz, você concorda com o papa e eu não tenho nada a discutir com você, o artigo foi escrito para aqueles que ainda insistem em negar que os papas algum dia proibiram a leitura da Bíblia aos leigos (o que não tem como negar sem abdicar antes à honestidade intelectual).

      Excluir
  29. por ser um site anti católico, não sei se meus comentários serão aprovados, mais a verdade é que o livre exame leva às mais variadas interpretações e a sola scritura como também alertou Roterdam culminaria nisso. Hoje li por exemplo que uma parte da igreja luterana na Alemanha aceita casamento gay. http://www.bbc.com/portuguese/internacional-41086781 Entendo que você por falar a convertidos não publique meus comentários, mais sinceramente você é capaz de compreender o que lhe falo? ou seja, é capaz de compreender que uma vez unificado na mão de uma única igreja e de seus lideres a interpretação não teríamos essas aberrações? Em um cenário que se confia no Espirito Santo e se dá a qualquer um o livro exame como pode ocorrer um vexame desse? Se um Papa chegar nesse ponto que a igreja luterana ou uma parte dela chegou vou ter que deixar de ser católico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, uma unidade central imposta à força é MUITO PIOR, é só ver no que resultou na época da Inquisição e das Cruzadas, sem falar nos falsos dogmas impostos à força obrigatoriamente a toda a Igreja Romana, no apoio ao esquerdismo infiltrado nas instituições católicas sob as vistas grossas do papa, e assim por diante. Você fala de uma coisa errada que uma fração de uma única denominação protestante cometeu e se esquece que os papas queimaram por séculos os que discordavam de suas doutrinas e dogmas, é preciso ser um monstro moral para achar que queimar pessoas vivas em nome da fé é um mal menor e uma coisa menos problemática do que uma parte da igreja luterana tolerando o casamento gay.

      Uma liderança central impondo um tipo de doutrina a toda a Igreja não significa necessariamente uma coisa boa - na verdade isso é o que tem o potencial de levar toda a Igreja ao abismo quando o seu líder é um lobo em pele de ovelha que os guia a esse caminho. Ironicamente, as múltiplas denominações são justamente o antídoto para esse tipo de problema, pois se um líder de uma igreja cai em apostasia ou em uma heresia flagrante, há a possibilidade de se migrar para uma outra igreja que seja mais pura, ou de se fundar uma nova (cabe lembrar que estamos falando aqui de igreja enquanto denominações visíveis, e não da Igreja invisível fundada por Cristo). Ou seja, no sistema denominacional a heresia nunca vai corromper o sistema por completo, enquanto no sistema episcopal é extremamente fácil corroer o sistema como um todo, bastando para isso que seu chefe supremo seja afetado.

      Excluir
    2. Desculpa Lucas não gostaria de ficar tomando seu precioso tempo, contudo não poderia deixar de dizer que a unidade crista tem largo fundamento bíblico. Talvez não chegaríamos em um denominador em comum porque você sabe muito bem que nós católicos entendemos que Cristo fundou uma igreja visível, então a unidade dela somente pode ser visível. Quanto a inquisição, também você deve saber que no período anterior a reforma ela foi feita pela igreja com vistas a também manter a unidade da igreja e da ordem social, como no caso dos cátaros. Após a quebra da unidade, ainda assim houve a inquisição protestante e suas gravíssimas consequências se comparada a do catolismo também em nome da manutenção de uma ordem social e religiosa. Ou seja, não é a unidade a causa da inquisição, não devemos imputar a ela essa pecha assim de forma rasa. Se não concordamos na questão de fundo, ou seja, sobre a unidade de uma fé que prá mim deveria ser visível, numa igreja visível, então por lógica não concordaremos sobre os efeitos do livro exame bíblico. Eu penso que ele produz uma proliferação infinita de seitas, e que não há vontade de Deus nisso, e também não concordo com o sistema de contra pesos ou troca de igrejas que você argumentou como algo positivo. A igreja Luterana na Alemanha ou uma boa parte dela admite casamento homossexual. Na Suécia é a igreja luterana por inteiro. A igreja presbiteriana também nos EUA foi para mêsmo relativismo moral https://www.google.com.br/amp/s/noticias.gospelprime.com.br/igreja-presbiteriana-dos-eua-muda-liturgia-para-celebrar-casamento-gay/amp/ Ou seja, na sua tese as pessoas teriam que ficar mudando de Igreja em igreja na medida em que concordasse ou não, isso é impraticável. Na Suécia por exemplo os protestantes teriam que se tornar católicos, coisa que de fato está acontecendo...m mai nos católicos não saímos por aí fazendo proselitismo entre irmãos cristaos, isso é mesquinho. Então ainda que entenda que há sacrifícios na medida que a interpretação fique centrada no clero, acredito que seja esse o caminho para essa unidade, ao menos na visão catolica. O cardeal Burke (Eua) e outros recentemente acusaram o Papa Francisco de heresia, então a vida do Papa não é tão simples e fácil como você desenhou. O corpo de Cristo reage se houver ato de absolutismo, sendo que as grandes questões sao decididas em concílios. Por fim parabéns pelo site e pela democracia. Não compreendo muito esse seu lado anti católico, na verdade penso que ainda que separados por questões teológicas devemos nos ver como irmãos. Assim confesso que fiquei abismado com os títulos das matérias. Não vejo muito sentido em discussões quando sabemos que no final somente haverão perdedores, pois ninguém convencerá ninguém. Você deve permanecer firme na sua fé, estudar, crescer e amadurecer nela. Eu como católico, peço a Deus o mesmo que desejo a você. Não vejo sentido em proselitismo, então não vejo sentido no debate entre cristãos, salvo se for para o conhecimento e crescimento de ambos. Bom como católico nunca me lembro de sair por aí tentando converter quem já se dizia cristao ainda que protestante. Ora se ja se é cristão porque direcionar minhas forças para evangelizar que a Cristo já se conhece? Não será fruto da vaidade pessoal a conversão de quem já é cristão entre igrejas cristãs? Não e Melhor direcionar as forças para evangelizar os não envagelizados ou entao ajudar a igreja que sofre perseguições no países islâmicos.

      Excluir
    3. Vamos lá:

      1) “Manter a unidade da Igreja” às custas de sangue inocente é um pensamento diabólico, desumano e contrário ao testemunho da Escritura e dos primeiros cristãos, que eram perseguidos pelo Império Romano que buscava a unidade e a ordem no Império e escreviam pedindo tolerância. O seu raciocínio leva a crer que a perseguição selvagem contra os primeiros cristãos era justificável e deveria existir mesmo. Ou seja, é uma abominação. Jesus nunca ensinou isso, mas sim a tolerância, o “dar a outra face”, o “guarde a espada”, o “ame ao próximo como a si mesmo” e o “ore pelos seus inimigos”. A unidade jamais pode ser forçada na base da coerção, do fogo e da espada, e às custas de vidas inocentes queimadas até a morte. Como já disse, esse pensamento não é cristão, é diabólico, nada mais.

      2) A tal da “Inquisição protestante” é um mito disseminado apenas em blogs de apologética católica que nunca constou em livro nenhum de história já escrito na história da humanidade, ou pelo menos em nenhum livro sério (já que hoje em dia qualquer fanático católico ou blogueiro pode escrever “livros” inventando qualquer coisa). Na verdade isso só mostra o quanto vocês conseguem tão facilmente acreditar em qualquer boato da apologética católica mesmo sem nenhuma fonte. É “fake news” do início ao fim. Eu lhe recomendo estudar livros de história de verdade em vez de formar sua concepção de pensamento a partir de proselitistas católicos tendenciosos e muitas vezes desonestos. Eu fiz as minhas próprias pesquisas sobre isso e a conclusão você pode conferir nestes artigos amplamente recheados de fontes aceitas academicamente:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/02/o-protestantismo-e-o-culpado-pela.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/02/lutero-foi-um-genocida-que-matou.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/02/calvino-era-um-ditador-sanguinario-que.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/05/o-saque-de-roma-e-o-exemplo-da.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/04/henrique-viii-reformador-protestante-ou.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/04/refutando-todas-as-calunias-catolicas.html

      Qualquer pessoa que estude um pouco os temas abordados sem o viés tendencioso de apologistas tendenciosos irá descobrir como a apologética católica é completamente fraudulenta, principalmente no aspecto histórico onde distorcem TUDO.

      3) Antes de falar sobre “proliferação de seitas” você precisaria definir qual catolicismo é o verdadeiro: se o catolicismo ortodoxo, o carismático, o modernista, o tradicionalista, o sedevacantista, o veterocatólico, os dos teólogos da libertação, etc. A lista vai longe. De nada adianta dizer que são “uma mesma igreja”, se as facções existem dentro dela. Paulo condenava as facções existentes DENTRO da igreja de Corinto, e não fora dela.

      Excluir
    4. 4) Antes de falar de homossexualismo precisa ler isso aqui:

      https://edition.cnn.com/2018/05/21/europe/pope-francis-gay-comments-intl/index.html?sr=fbCNN052118pope-francis-gay-comments-intl1039AMStory&utm_source=fbCNNi&utm_content=2018-05-21T10%3A00%3A19&utm_medium=social&utm_term=link

      https://www.dsj.org/cultural-ministries/catholic-lgbt-ministry-council/

      E tudo isso daqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/12/imperdivel-provas-incontestaveis-de-que.html

      5) Centralizar a interpretação nas mãos de uma única pessoa não apenas é um exemplo de absolutismo despótico (uma espécie de Coreia do Norte religiosa), como ainda é um disparate considerando toda a história da Igreja, que durante séculos desconheceu esse sistema COMPLETAMENTE, pois nunca teve uma autoridade central ou única. Sobre isso eu já escrevi neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2016/01/so-um-interpreta-o-papa.html

      6) Se você não vê sentido no proselitismo, então sinceramente não sei o que está fazendo aqui. Se eu não visse sentido em debater sobre futebol, a última coisa que eu faria seria entrar em um fórum esportivo e discutir ali com alguém que é fanático por futebol. O que você diz é um nonsense total. Me admira o seu “espanto” por ver um protestante refutando o catolicismo, quando os católicos fazem isso direto e rotineiramente com muito mais ímpeto e com total agressividade e sobre isso você não fala nada. Pesquise no Google “Apologética Protestante – blog”, e você achará meia dúzia de blogs refutando o catolicismo romano e olhe lá. Faça a mesma pesquisa como “Apologética católica – blog”, e você encontrará literalmente MILHARES de blogs cuja ÚNICA finalidade é atacar os protestantes a todo e a qualquer custo, chamando-nos de “filhos da serpente”, de “evanjegues”, sustentando que iremos todos ao inferno porque “não há salvação fora da Igreja Católica”, inventando calúnias mil sobre Lutero, dizendo que o protestantismo gerou o nazismo e inúmeros outros insultos rotineiros. Ou você é muito mal informado ou muito mal-intencionado (espero com sinceridade que seja apenas o primeiro caso).

      Na verdade a razão pela qual eu falo do catolicismo aqui no site é justamente porque quase ninguém se dedica a refutar tantas mentiras disseminadas do lado de lá. Para cada 1 site protestante defendendo sua fé, há pelo menos 100 sites católicos atacando a fé evangélica dia e noite incansavelmente. Se você concorda com isso eu não sei, mas certamente há de concordar que alguém precisava fazer algo a respeito. Dizer que vocês têm o direito de nos atacar e nós não temos o de nos defender é uma covardia total. Ademais, independente da sua opinião, a doutrina oficial da ICAR é a de que é necessária a submissão ao pontífice humano para a salvação, o que implica que os evangélicos estão condenados ao inferno a priori. Eu não penso o mesmo em relação a todos os católicos, mas de fato são tantas falsas doutrinas e toda uma indução à idolatria que eu posso dizer que os católicos que serão salvos serão apesar da Igreja que seguem, e não por causa dela. Então sim, temos razões para debater. Mas se você não concorda com o debate em si e não vê finalidade nele, então é só não continuar fazendo o que está fazendo agora (=debatendo).

      Abs.

      Excluir
    5. O cara defende a inquisição, depois inventa sobre uma inquisição protestante, acha certo que todo mundo seja obrigado a aguentar uma interpretação infalível de uma pessoas falível (é só olhar a história dos papas, tem gay, promíscuo, ladrão, pilantra...), critica as igrejas protestantes, sem saber que advoga a favor da não institucionalização da fé, coisa pregada por protestantes. Caro JCosta, você argumenta mal. Se prepare melhor para enfrentar até os próprios leitores do site, como eu, quanto mais o Lucas.

      Excluir
    6. Isso na verdade é o mais assustador. Essa gente literalmente pensa que é melhor perseguir e queimar seres humanos numa fogueira até a morte por questões de fé, do que uma igreja em algum lugar apoiar casamento gay. É uma inversão de valores total. A vida humana é totalmente desprezada e sem valor por esse tipo de gente que cultiva esse tipo de pensamento extremista e repressivo para justificar a Inquisição unicamente a fim de "defender a Igreja" (leia-se instituição católica romana). Felizmente nem todos os católicos são assim e reconhecem que a Inquisição foi um grande e imperdoável erro (o que nunca será admitido por um desses debatedores de internet, que preferirá dar qualquer desculpa tola e sem sentido para defender o indefensável e justificar o injustificável).

      Excluir

Deixe o seu comentário. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas sobre qualquer assunto são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas comentários desrespeitosos não serão publicados. Debates e discussões são aceitos, desde que saia do anonimato.