26 de março de 2018

97 Conheça o "Tribunal de Sangue" que assassinou milhares de protestantes na Holanda


Considerações prévias: O texto a seguir é um trecho do meu livro sobre a Reforma (ainda em construção). Na Holanda, o rei espanhol Filipe II tentou forçar o catolicismo aos seus súditos, impôs a Inquisição através da regente e, ao ver que não surtia o efeito esperado, enviou o duque de Alba para exterminar os “hereges” protestantes com métodos de terror que eram assustadores mesmo para aquela época.

***

Filipe II enviou o duque de Alba aos Países Baixos como regente, com plenos poderes reais[1], acompanhado de vinte mil soldados[2]. Alba era conhecido como o “duque de ferro”, que estava “convencido de que só um reinado de terror subjugaria os neerlandeses”[3]. Entrou em Bruxelas no dia 22 de agosto de 1567, e sua primeira atitude foi criar o “Tribunal dos Tumultos”, uma versão da Inquisição à la duque, mas logo “o povo lhe chamou Tribunal de Sangue, pelo seu rigor extremo”[4]. Sob seu governo, os impostos foram aumentados excessivamente e milhares de suspeitos de heresia foram executados ou presos[5].

Sobre Fernando Álvarez de Toledo y Pimentel, Lindsay comentou:

O duque de Alba era um espanhol fanático, um ignorante em todos os assuntos políticos e econômicos, um avarento e um imprudente enganador. Publicações recentes têm demonstrado que ele possuía muito pouco do talento que os remotos historiadores lhe têm atribuído. O que o recomendou a Filipe foi a sua cruel obstinação, a sua dedicação por ele (o rei), a sua fanática inclinação pela Igreja Católica Romana, e o seu desprezo por todas as formas constitucionais e por todos os impulsos de misericórdia.[6]

Alba nem ao menos fazia questão de esconder sua imoralidade. Entrou nos Países Baixos “com um trem com umas duas mil prostitutas italianas, organizadas em batalhões”[7], as quais atendiam sexualmente o seu exército. No que se refere à intolerância, Alba fazia com Filipe uma dupla inigualável. Ele estava certo de que “era preciso empregar meios de repressão rigorosos”[8], e por isso “impôs o catolicismo com uma crueldade que escandalizou até mesmo seus apoiadores”[9]. Esses apoiadores consistiam numa Liga católica conseguida mediante um tratado com o duque de Parma, no qual garantiam não tolerar nas províncias outro culto senão o católico[10].

O “Tribunal dos Tumultos” era formado por doze juízes, sendo o mais importante deles Juan de Vargas, cujo lema era Heretici fraxerunt templa, boni nihil fecerunt contra; ergo debent omnes patibulare (“Os hereges destruíram os templos, os católicos não os impediram; devem ir todos ao patíbulo”). Sobre essa política de terror e perseguição a praticamente todo mundo, Pijoan comenta:

Com esta doutrina, aplicada ao pé da letra, os capangas de Alba não deixaram de perseguir a ninguém nos Países Baixos. Alba parecia da mesma opinião; ao observar-lhe que às vezes pagava o justo pelo pecador, respondia: “Assim é melhor; se morreu por equívoco, será um mártir e irá diretamente à glória”. Escrevendo ao rei, seu amo, lhe dizia que ele não queria fazer como os advogados, que só condenam aqueles cujos crimes foram provados: “O terror é às vezes uma boa política, mas não há terror se se pode evadir a pena com a justiça”.[11]

O autor ainda acrescenta:

O Tribunal de Sangue definiu outra vez os crimes que eram reputados de traição e mereciam pena capital. Segundo a nova jurisprudência dos capangas de Alba, bastava haver tolerado sem resistência as faltas alheias para ser tão culpável quanto os mesmos criminosos. Só o fato de discutir a legalidade do Tribunal de Sangue já era traição. Uma delação razoável não necessitava provas. Os acusados eram julgados em grupos. As atas do tribunal dão conta de juízos de noventa e cinco de uma vez, de quarenta e seis, de trinta e cinco... Alba escreveu a Filipe II que na quarta-feira de cinzas de 1567 fez uma incursão, pela manhã, de 1.500, e pouco depois outra de 800. Todos foram enforcados.[12]

Alba dizia que “os juízes só tem servido até aqui para lavrar a sentença depois de se fazer prova do crime; mas agora as coisas passam-se de outra forma”[13]. Essa era a ética inquisitorial vigente nos Países Baixos, que não tardou a fazer multidões de mártires. Lindsay diz que “era suficiente a suspeita, dispensava-se a convicção, e em três meses o Tribunal de Sangue enviou para o cadafalso 1.800 pessoas”[14]. Pirenne traz números ainda mais assustadores, segundo o qual os “métodos de terror”[15] de Alba vitimaram, “em alguns meses, cerca de 8.000 rebeldes à fogueira ou à forca”[16]. Até os condes de Egmont e de Horn foram assassinados por terem “prestado uma petição de liberdade de consciência em nome da nobreza belga”[17].

A execução do conde de Horn apresentou os elementos típicos da covardia do absolutismo católico. Após ter sido convidado para um jantar do qual aceitou participar, descobriu que era na verdade uma armadilha para prendê-lo e perseguir os que a ele haviam se juntado na petição pela liberdade de consciência. A perseguição atingiu um patamar tão insano e sem precedentes que, ao invés de se fazerem listas de hereges para matar, mandavam-se matar todos os que não fossem nomeadamente excetuados, como explica Cantú:

Alba convidou a jantar o conde de Horn, e mandou-o prender. Imediatamente instituiu um tribunal para julgar, debaixo da sua presidência, todo aquele que tinha tomado parte nas desordens ou se não lhe tinha oposto, que tinha assinado representações contra a Inquisição, recebido em sua casa pregadores reformados, ou somente dito que mais valia obedecer a Deus do que aos homens. As condenações não variavam senão da força para a fogueira, das galés para o esquartejamento. A Inquisição da Espanha, que Filipe tinha chamado a decidir, declarou mesmo (decreto sem exemplo) criminoso de heresia, e por conseguinte de lesa-majestade, todo aquele que não era nomeadamente excetuado.[18]

Pijoan menciona a ocasião em que “Alba dava conta a seu amo Filipe II da execução de todos os habitantes de uma população tomada por assalto, dizendo que Deus lhes havia cegado, induzindo-os a resistir, para que assim encontrassem a morte. Que grandeza a fé de Alba!”[19]. O duque “tomava as cidades revoltadas e empreendia massacres indiscriminados”[20], nos quais ninguém era poupado. Tão ativo era o tribunal na perseguição aos “hereges” que trabalhava diariamente por sete horas, “impondo numerosíssimas penas de morte e confiscações de bens”[21]. Cantú assinala que o duque de Alba se firmou no projeto de “não atender a coisa alguma e de exterminar os reformados”[22].

Quando já velho e próximo de sua exoneração, o duque dizia, “para dar uma prova da sua justiça, que tinha feito executar durante os seis anos do seu governo 18.600 hereges e rebeldes”[23]. Isso para ele não era uma razão de pesar ou culpa, mas de orgulho. Ter exterminado uma fatia tão exorbitantemente grande da população em tão pouco tempo era uma prova de sua fidelidade à Igreja no princípio de se perseguir e aniquilar os “hereges” em qualquer lugar e a qualquer momento.

Ainda que os massacres na França tenham atingido números absolutos maiores, proporcionalmente ao contingente populacional em nenhum lugar a Reforma teve mais mártires do que na Holanda. Chegou-se a afirmar inclusive que “houve mais mártires pela fé da Reforma nos Países Baixos do que em qualquer outro país”[24], e Lindberg sustenta que “se o sangue dos mártires é a semente da Igreja, a Reforma nos Países Baixos teve um início auspicioso”[25]. Carvalho confirma que “a Inquisição foi exercida com grande rigor nos Países Baixos espanhois, onde se destacou o Tribunal de Sangue criado pelo duque de Alba, que executou cerca de dezoito mil protestantes”[26].

Na época em que Alba governou a Holanda, o país tinha em torno de 74 mil habitantes[27], o que significa que um em cada quatro cidadãos foram assassinados no Tribunal de Sangue. Tenha em conta que estes dezoito mil se referem apenas aos executados nos seis anos do governo do duque de Alba, sem considerar tantos outros milhares que foram perseguidos, massacrados e executados tanto antes como depois dele. E este número só não foi ainda maior porque quarenta mil emigraram para outros países nestes seis anos de inigualável terror[28].

O orgulho de Alba em ter tirado a vida de tantos “hereges” o levou a mandar erigir em Antuérpia uma estátua de si próprio, que o representava pisando os pés nos dois estados da província[29]. Isso até um príncipe entrar em cena, levantar a bandeira da liberdade e desafiar seu império de terror. Seu nome era Guilherme, o príncipe de Orange (1533-1584).

• Continua em meu livro “500 Anos de Reforma: Como o protestantismo revolucionou o mundo" (livro em construção)

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,


- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.




[1] PIJOAN, J. Historia del Mundo – Tomo Cuatro. Barcelona: Salvat Editores, 1933, p. 140.

[2] LINDBERG, Carter. Reformas na Europa. São Leopoldo: Sinodal, 2001, p. 363.

[3] ibid.

[4] BLEYE, Pedro Aguado. Manual de Historia de España, Tomo II: Reyes católicos – Casa de Austria (1474 – 1700). 7ª ed. Madrid: ESPASA-CALPE, S. A., 1954, p. 630.

[5] LINDBERG, Carter. Reformas na Europa. São Leopoldo: Sinodal, 2001, p. 363.

[6] LINDSAY, T. M. A Reforma. Lisboa: Typ. a vapor de Eduardo Ros, 1912, p. 121-122.

[7] SOPENA, Ramón. Historia del Mundo en la Edad ModernaTomo III. 2ª ed. Cambrigde University, 1936, p. 232.

[8] CANTÚ, Cesare. História Universal – Vigésimo Segundo Volume. São Paulo: Editora das Américas, 1954, p. 17.

[9] McGRATH, Alister E. Revolução Protestante. Brasília: Palavra, 2012, p. 103.

[10] BLEYE, Pedro Aguado. Manual de Historia de España, Tomo II: Reyes católicos – Casa de Austria (1474 – 1700). 7ª ed. Madrid: ESPASA-CALPE, S. A., 1954, p. 641.

[11] PIJOAN, J. Historia del Mundo – Tomo Cuatro. Barcelona: Salvat Editores, 1933, p. 140.

[12] ibid, p. 140-141.

[13] LINDSAY, T. M. A Reforma. Lisboa: Typ. a vapor de Eduardo Ros, 1912, p. 123.

[14] ibid.

[15] PIRENNE, Jacques. Historia Universal: las grandes corrientes de la historia – Volumen III, Desde el Renascimiento hasta la formación de los grandes estados continentales de Europa. Barcelona: Ediciones Leo, S. A., 1953, p. 83.

[16] ibid, p. 84.

[17] PIRENNE, Jacques. Historia Universal: las grandes corrientes de la historia – Volumen III, Desde el Renascimiento hasta la formación de los grandes estados continentales de Europa. Barcelona: Ediciones Leo, S. A., 1953, p. 85.

[18] CANTÚ, Cesare. História Universal – Vigésimo Segundo Volume. São Paulo: Editora das Américas, 1954, p. 18.

[19] PIJOAN, J. Historia del Mundo – Tomo Cuatro. Barcelona: Salvat Editores, 1933, p. 143.

[20] CAIRNS, Earle Edwin. O Cristianismo através dos séculos: uma história da igreja cristã. 3ª ed. São Paulo: Vida Nova, 2008, p. 292.

[21] BLEYE, Pedro Aguado. Manual de Historia de España, Tomo II: Reyes católicos – Casa de Austria (1474 – 1700). 7ª ed. Madrid: ESPASA-CALPE, S. A., 1954, p. 630.

[22] CANTÚ, Cesare. História Universal – Vigésimo Segundo Volume. São Paulo: Editora das Américas, 1954, p. 19.

[23] ibid, p. 20.

[24] COCHRANE, Arthur C. (Ed.). Reformed Confessions of the Sixtennth Century. Philadelphia: Westminster, 1966, p. 185.

[25] LINDBERG, Carter. Reformas na Europa. São Leopoldo: Sinodal, 2001, p. 355.

[26] CARVALHO, Delgado de. História Geral – Vol. 3: Idade Moderna. Rio de Janeiro: Distribuidora Record, 1974, p. 133.

[27] Disponível em: http://www.guideholland.com/hist/15-16th.html

[28] CAIRNS, Earle Edwin. O Cristianismo através dos séculos: uma história da igreja cristã. 3ª ed. São Paulo: Vida Nova, 2008, p. 292.

[29] CANTÚ, Cesare. História Universal – Vigésimo Segundo Volume. São Paulo: Editora das Américas, 1954, p. 19.

ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post :)

97 comentários:

  1. https://www.youtube.com/watch?v=szkGhN8-ZOo
    O que você achou dessa análise? Ele detonou o Nando Moura kkkkk
    Tipo eu não sou esquerdista, mas eu concordo que existe uma grande manipulação através desses movimentos MBL e cia, pois na hora de chamar o povo pra pedir o impeachment foi todo mundo, mas na hora de reclamar da gasolina à quase 5 reais eles ficam caladinhos, pois pra eles é cômodo se conformar com o governo atual, só porque não é PT. Outra coisa que eu acho absurda da Direita são essas ideias de Estado mínimo ou zero (anarcocapitalista), privatização de grandes empresas estatais e críticas ao bolsa família (que, infelizmente, é o único no país capaz de dar pelo menos comida pro povo, pq se fosse depender do governo atual nem a micharia do Bolsa Família ia ter...). A direita reclama do PT, mas os partidos "de direita" são muito piores pro povo, pois são bem elitistas fazendo do povo um escravo deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu discordo da parte em que você fala sobre o Estado mínimo, quase que comparando ao anarcocapitalismo, quando são coisas totalmente diferentes. Estado mínimo é querer que o Estado se concentre fundamentalmente nas questões essenciais e básicas (especialmente saúde, segurança e educação), e que deixe com a iniciativa privada o restante. Não tem sentido o nosso dinheiro de impostos ser remetido a carnaval, Lei Rouanet, exposições pedófilas, cirurgia de mudança de sexo para um trans, e assim por diante. É muito melhor que esse dinheiro continue nas mãos do povo para que invista da forma que achar melhor. Também não faz sentido taxações em cima de produtos essenciais para a sobrevivência, ou em cima de remédios sem os quais uma criança doente pode falecer (para se ter ideia, um remédio que salvaria a vida de uma criança com doença de pele custa aqui 12 vezes mais que nos EUA, por causa dos impostos).

      Também não faz sentido deixar grandes estatais nas mãos do Estado que comprovadamente não sabe administrá-las, como nenhum político sabe. A iniciativa privada pode não ser perfeita, mas pelo menos tem muito mais competência para isso. Não à toa a maior parte dessas estatais dão prejuízo aos cofres do Estado, e o retorno que vem ao contribuinte é praticamente zero. Por isso o Estado deveria se concentrar inteiramente naquilo que é mais importante e deixar o resto com quem entende, que é como funciona nos Estados Unidos e na maior parte dos países desenvolvidos.

      Excluir
    2. Caro anônimo, seu discurso é, de cabo a rabo, manipulado pelos esquerdistas. Você não buscou entender o assunto e repetiu as mesmas ladainhas dos ditos progressistas. Estude, medite e analise as questões que chegará as melhores respostas. A direita tem razão em 95% dos casos.

      Excluir
    3. o anonimo que "não é de esquerda mas por alguma razão pensa assim como a esquerda", de onde você tirou que não tem ninguem reclamando do preço da gasolina? o nando e o arthur do mbl ja fizeram videos a respeito disso: https://www.youtube.com/watch?v=dQw_KEQCtmA e https://www.youtube.com/watch?v=ddsn2dSoEtU, o artur tem outro mas nem vou postar aqui. Um Estado minimo é o ideal para uma sociedade, um estado que regula tudo, nos obriga a pagar impostos em troca de serviços que ele não retribui, e um estado que fica criando leis bizarras apenas para nos destruir ou para que os políticos fiquem seguros, nunca sera o ideal, no capitalismo você escolho o que quer, você tem liberdade, ja com o estatismo, é ou o estado ou nada e acabou, simples assim, qual você prefere? Sobre o bolsa familia nem tem o que falar, você realmente acha que o pt é bonzinho por causa de bolsa familia? ou que o psdb é bonzinho por causa de ração pra pobre? claro que não, eles ganham até trinta mil reais por mes fora todo o resto de corrupção, e como eles "ajudam os pobres", dando umas migalhas de duzentos reais, grande coisa, se o governo se preocupasse com os pobres, permitiria um livre mercado que gerasse concorrência e desenvolvimento, mas não, aqui no brasil, o estado é tão grande que o capitalismo é inexistente, e ai um monte de gente fica desempregado e então o estado da esmolinhas para estas pessoas apenas para garantir voto (e a propósito o brasil não é o único pais que da "comida as pessoas", muitos outros fazem isso também, geralmente governos comunistas que dão umas migalhas enquanto eles ficam com todo o lucro). E sobre partidos de direita poderia citar um ai? PSDB, que é social-democrata (ideologia de uma esquerda liberal), ou PMDB que apenas parasita o estado? não existe partido de direita aqui no brasil, o único partido que se considera de direita é o PSC, nenhum outro mais se identifica como direita.

      Excluir
  2. Grande Banzomito! Só com esses artigos já deve ter muito católico com enxaqueca. Imagine quando seu livro sobre a Reforma tiver completo kkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade eles nem leem os livros (se lessem não seriam católicos), vão pegar um link qualquer de um blog lixo ou um vídeo meia-boca completamente mal feito, sem fontes, sem referências e já refutado e vão usar de "refutação" a um material como esse. Por isso que eu digo que a apologética católica é o retrato da miséria do Brasil, a expressão da mediocridade. Lamentavelmente.

      Excluir
    2. Sobre o último vídeo do Macabeus contra você, o cara é tão malandro que ele mostrou só a parte do seu artigo em que você diz que ele chamava as debatedoras de prostitutas, mas ele não mostra os prints que você colocou. Foi bom você ter colocado os prints, senão ele iria dizer que você estava mentindo.

      Excluir
    3. Ele é mau-caráter mesmo. Não que a gente já não soubesse, mas é uma coisa que se torna cada vez mais descarada. Eu confesso que tinha uma mínima esperança de ele ser homem de verdade, de ser honesto e admitir que errou, mesmo que me xingasse e achincalhasse à vontade, mas inacreditavelmente preferiu defender suas mentiras e engodos da forma mais ridícula e patética possível, quer se passar de "machão" basicamente confirmando tudo o que eu escrevi no artigo - que de fato sua única fonte para caluniar Lutero era de um livro escrito mais de 400 anos depois de sua morte, escrito por uma autora católica e que ele jamais leu, mas copiou e colou de um site católico qualquer. E o sem-vergonha ainda acha que possui alguma credibilidade para difamar Lutero, veja o nível da coisa. Eu já vi muito apologista fracassado e pilantra por aí, mas nenhum que fosse tão medíocre e sujo como esse sujeito, francamente. Tem pessoas que chegam a um nível de psicose e esquizofrenia que realmente começam a acreditar em suas próprias demências e mentiras, deve ser o caso desse cidadão.

      O resto eu já comentei aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/03/como-um-apologista-catolico-desonesto-e.html?showComment=1521818706262#c3996032821364273856

      São tantas outras calúnias, distorções e difamações que o sujeito anda espalhando tanto de mim quanto de outros protestantes ou do protestantismo em geral que se eu quisesse eu poderia fazer um compilado e destrui-lo completamente, mas ele simplesmente não é relevante o bastante para prender a nossa atenção a esse ponto. Gente assim merece ser esquecida, não refutada. Sem falar que ele já está arruinado e desmoralizado mesmo, então não é necessário.

      Excluir
    4. Ele é de onde? É daí de Curitiba?

      Excluir
    5. Ele diz que é, embora no perfil real dele (que ele esconde alegando supostas "perseguições", mas na verdade é apenas um covarde mesmo) não conste nenhuma informação a respeito:

      https://www.facebook.com/cristiano.oliveira.siqueira?lst=100002949400335%3A100007674348744%3A1522260850

      Seu nome real é "Cristiano Oliveira Siqueira", que em seu mundo imaginário de fantasia e alucinação se torna "Cris Macabeus".

      Excluir
    6. "amante de livros religiosos (patrística) " kkkkkkk, conta outra...

      E é palmeirense ainda!!!!! kkkkkkk

      Excluir
    7. Vamos dar uma colher de chá, ele deve ter confundido com "patrícia", vai ver tem alguma Patrícia por aí escrevendo livros que são do interesse dele, porque patrística mesmo está claro que ele jamais chegou perto na vida.

      Excluir
  3. Em suma: catolicismo é uma desgraça. Nada mais do que vômitos e fezes satânicos

    ResponderExcluir
  4. Banzoli, e se diante desses artigos, um católico disser: "Ah! Isso foi naquela época, João Paulo II já pediu perdão. Isso nunca aconteceria hoje por que o catolicismo mudou. Isso é coisa do passado, anacronismo seu querer julgar o catolicismo de hoje pelos erros do passado", o que você diria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro que isso não viria da boca de um fanático tradicionalista como o tipo de tridentino que lidamos aqui, mas somente de um católico comum. Para o tridentino, o papa jamais pediu perdão em nome da Igreja, mas somente pelos "filhos" da Igreja (ou seja, eles entendem que o papa nunca achou a Inquisição uma coisa errada em si, mas apenas que cometeu alguns "absusos" ou "excessos" humanos...).

      E embora a Igreja Romana tenha mudado, ela não mudou por causa de uma auto-reflexão, conscientização interna ou arrependimento deliberado, mas apenas e exclusivamente porque FOI FORÇADA a mudar diante dos novos rumos do mundo, dos ventos de liberdade, tolerância e progresso trazidos pelo protestantismo. Por séculos os papas lutaram ferozmente contra esse mundo moderno, escreveram bulas o condenando com veemência, atacaram a liberdade de culto, a liberdade de imprensa e até a própria liberdade de consciência, mas quando se deram conta de que perderam essa guerra intelectual se renderam e mudaram de estratégia, visando se aliar a este novo sistema hoje vigente para não continuar perdendo legiões de fieis sob a imagem de uma Igreja atrasada, intolerante e retrógrada. É por isso que eu digo que a Igreja Romana é um monstro desnutrido e fraco, mas não um monstro morto. Deêm poder político nas mãos da Igreja novamente e autoridade para agir como quiser, que ela voltará a fazer exatamente as mesmas coisas do passado - e fanáticos dispostos a matar em nome dessa fé é o que não falta.

      Excluir
    2. Via de regra, o catolicismo se utiliza da desculpa de anacronismo para não admitir as mazelas que praticou. Quer empurrar de goela adentro, custe o que custar, a ideia de igreja imaculada e perseguida, quando na verdade, a história está aí pra mostrar o contrário.

      Excluir
    3. Na verdade eles se utilizam bastante da questão marxista para se vitimizar, já que de fato os comunistas mataram muitos católicos como também matavam pessoas de qualquer outra religião, então preferem acentuar isso e fazer vista grossa ao fato de eles terem sido os perseguidores durante pelo menos oito séculos. Há semanas atrás, quando eu postei o artigo sobre S. Bartolomeu na minha página do facebook, uma senhora católica que parecia não saber direito o que estava fazendo ali e nem sobre o que se tratava o artigo veio comentar dizendo que tudo o que eu escrevi era "mentira" porque os comunistas "mataram muitos padres e bispos" (como se uma coisa tivesse a ver com a outra). Romanismo e comunismo são apenas dois monstros diferentes que se manifestaram em momentos distintos da história mas com um mesmo propósito: perseguir e massacrar o povo de Deus.

      Excluir
    4. "É por isso que eu digo que a Igreja Romana é um monstro desnutrido e fraco, mas não um monstro morto."
      Lucas, você não acha que as vezes pega pesado demais com a igreja católica? Não acho que a igreja católica — apesar de todos os problemas teológicos — continua sendo um monstro; até porque a igreja romana mudou nos Últimos 500 anos pra cá. Aliás, e como fica as milhões de pessoas que seguem o catolicismo?

      Excluir
    5. Eu diria que não continua sendo um monstro ACORDADO, mas ainda é um monstro vivo. Lembremos que estamos lidando aqui com uma analogia, e não com uma coisa literal. O "monstro fraco" que eu me refiro é no sentido de ainda ter o POTENCIAL de voltar a fazer as coisas que fazia no passado, e não que ande fazendo de fato hoje. E que esse potencial existe basta ver a legião de fanáticos católicos dispostos a voltar a executar protestantes em praça pública em pleno século XXI, como os prints do artigo abaixo e muito mais que podemos encontrar por aí:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/08/padre-reconhece-as-atrocidades-da.html

      Excluir
    6. Eu afirmo isso, Lucas, pois eu tenho uma posição muito mais conciliadora entre católicos e protestantes do que uma posição mais militante, como você tem, (isso não significa que eu acredito que devemos deixar de responder apologistas católicos desonestos e o seu revisionismo histórico fraudulento).
      Sobre o caso de certos fanáticos católicos que desejam executar protestantes; bem, gente maldita e miserável existe em todo lugar, e acredito que são uma minoria de idiotas que não tem a menor relevância. Devemos tomar cuidado com a evidência suprimida, pegar maus elementos e colocar como se fosse a regra geral (não estou dizendo que você fez ou faz isso).

      Excluir
    7. Não são casos tão isolados assim, veja quantos seguidores gente como Olavo, Conde, Felipe Aquino, Paulo Ricardo e Nando Moura tem, os quais defendem a Inquisição com unhas e dentes. É verdade que nem todos os seus seguidores defendem a mesma coisa, mas boa parte sim, pra mim isso não se difere em nada de neonazista defendendo o Holocausto. Quase todos os apologistas católicos que conheço defendem a ideia de que a Inquisição foi pelo menos boa para a sua época, isso quando não afirmam que deveria voltar. Some a isso o número de fanáticos anti-laicidade do Estado, e você verá que não se trata de uma minoria tão insignificante assim. Nossa única sorte é que o poder NÃO está nas mãos desses indivíduos, que eles AINDA são minoria, mas se continuarem crescendo não será nenhum exagero pensar que nas próximas gerações poderemos regredir muitos séculos na história.

      Excluir
    8. Por que essa revolta com o Felipe Aquino? me parece até ser um bom sujeito.

      Excluir
    9. Um bom sujeito? O cara é o mais pilantra que eu já vi. Por certo você não deve ter visto seus vídeos sobre a Inquisição e comparado com os documentos históricos.

      Excluir
  5. Pelo que já vi, você tem o hábito de corrigir erros gramaticais se possível, certo Lucas? Aqui: "descobriu que /era/ na verdade /era/ uma armadilha" - Só precisa de um "era".

    A Paz do Senhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por perceber e notificar o erro, já corrigi. Abs!

      Excluir
  6. Lucas gostei muito desse artigo, poderia escrever também sobre Guilherme de Orange e a Independência da Holanda, aliás você pretende escrever sobre a colonização holandesa no Nordeste? Você pretende escrever sobre Maurício de Nassau? Aliás agora eu finalmente consegui entender aquele verso do Hino da Holanda no qual eles incessantemente pedem ajuda de Deus para que abençoe Orange e Nassau para libertá-los da tirania do rei da Espanha. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre Guilherme de Orange já foi escrito no livro, mas acho que não vou postar esse trecho no blog, pretendo ir direto para a parte que fala sobre a Inglaterra. Sobre a colonização holandesa no nordeste eu não trato neste primeiro volume porque ele é uma abordagem da Reforma na Europa do século XVI, mas pretendo abordar um pouco sobre isso no segundo volume, que tratará da questão econômica. Abs!

      Excluir
  7. Lucas, existiam movimentos anticatólicos, não necessariamente religiosos, querendo se desvencilhar do catolicismo com fins políticos/econômicos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Havia um sentimento generalizado de que a Igreja Romana surrupiava as riquezas das nações porque em todas elas pelo menos 10% de todos os rendimentos iam para Roma, mas isso geralmente não era o suficiente para alguém deixar de ser católico. Naquela época as pessoas eram muito mais religiosas do que hoje, então "razões políticas" não eram tão profundas e nem levadas tão a sério quanto o aspecto religioso, mesmo quando existiam. Por isso os príncipes e povos que aderiram ao protestantismo fizeram isso por uma convicção sincera a respeito da fé reformada, e não apenas por razões políticas, ainda que economicamente falando isso fosse vatajoso também. O fato de permanecerem protestantes a despeito de todos os massacres e perseguições também denota isso.

      Excluir
  8. Como os historiadores católicos (os renomados, não esses lixos da internet) conseguem permanecer católicos??? Vc acha que isso é cegueira espiritual?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Principalmente isso, mas não somente. Muitos são por causa de tradição familiar, outros por se aliar doutrinariamente ao ensino da ICAR a despeito das atrocidades históricas por ela cometidas, e outros são como os "católicos de IBGE", e não gente que vá à missa toda semana ou que leve a coisa muito a sério.

      Excluir
  9. O que agir com avareza perturba a sua casa, mas o que odeia presentes viverá.

    Provérbios 15:27

    Não entendi essa passagem da bíblia: como assim o que odeia presentes viverá?
    Peguei da Bíblia online.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade o texto está falando de suborno e não de um presente comum, como traduz a NVI:

      "O avarento põe sua família em apuros, mas quem repudia o suborno viverá"

      Excluir
  10. Uma amiga minha veio me pedir um conselho meio complicado e preciso de orientação bíblica pra aconselhar ela nesse caso. A história é a seguinte: Ela é cristã e está casada com um cara já tem alguns anos. Recentemente, ela descobriu que ele estava traindo ela com outra mulher (mas até agora não falou nada pro marido, e está agindo como se nada tivesse acontecido). Ela veio me falar que quer continuar com ele (mesmo com a traição), e que ela está pensando em não cobrar nenhuma satisfação dele (deixar ele trair ela à vontade, e ela continuar casada com ele - fingindo não saber nada - como se nada tivesse acontecido). Ela falou pra mim que, no fundo, ela não acha que isso seja um problema, pois ele paga salão de beleza, roupas, bolsas, maquiagens, etc pra ela, e se ela se separasse dele ia perder outras regalias. Ela me disse também que gosta dele, mesmo com essa traição, e que se sente bem com ele (ele trai ela pelas costas, mas trata ela bem no casamento - cumpre com os deveres conjugais). Porém, ela me perguntou se era pecado ser omissa com relação à traição do marido dela... Eu não sei o que responder nesses casos de omissão, e não sei se ela estaria pecando (porque ela não está traindo - até onde eu sei-, e, no caso, quem está em adultério é o marido dela).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neste caso eu diria que o pecado não é o fato em si dela não confrontá-lo, mas sim dela não estar com ele por amor, mas por interesse (pelo menos é o que aparenta pela sua descrição, dela estar com ele por causa das coisas que ele paga pra ela). Pra falar a verdade esse relacionamento já está todo errado, o cara trai a mulher e ela não tá nem aí, ela usa o marido por interesse e ele também não parece se importar, é um típico caso que não tem muita perspectiva do relacionamento ir adiante. Mas se precisa de uma resposta objetiva especificamente em relação à questão da traição, eu diria que não vejo base para acusá-la de pecado por ser traída sem contestar, só quem perde com isso é ela mesma, mas isso não muda o fato de que o melhor seria ela fazer isso e se não fizer vai gerar complicações maiores lá pra frente, quando ela começar a se importar. Vai virando uma bola de neve, até a situação sair totalmente do controle.

      Excluir
  11. Você acha que a Renovação Carismática Católica, é um movimento de Deus dentro do catolicismo? Fique na Paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, na verdade ela foi uma forma que a Igreja Católica arranjou para tentar frear a onda de conversões de católicos ao protestatismo, principalmente ao pentecostalismo. Ou seja, "pentecostalizaram" a Igreja Católica para que o fiel católico não precisasse mais sair de lá para buscar a Deus numa igreja pentecostal. Foi apenas uma questão estratégica e pragmática, embora tenha por consequência dividido a Igreja Católica um pouco mais.

      Excluir
    2. Interessante este assunto. Venho refletindo sobre isso ao perceber o modo como estão agindo.
      Estou percebendo que os católicos carismáticos estão agindo cada vez mais como evangélicos. O modo como alguns padres “pop” vem pregando, músicas de católicos que se assemelham á música evangélica, isso quando não é de autoria evangélica de fato. Até mesmo a retorica deles esta mudando.
      É uma “imitação” bizarra e ao meu ver um movimento espiritual dos mais fajutos. É “política” da igreja de contenção á conversão ao protestantismo, bem como o Lucas ilustrou acima.
      É o modo evangélico de ser sem o evangelho (e há crentes assim também), afinal de contas ali ainda existe as estátuas, a idolatria, o falso ensinamento e o pressuposto de que a ICAR é cristã.
      Esse movimento carismático é parecido com bens falsificados, as vezes é quase impossível acusar a não originalidade, porém é só procurar a fonte pra ter uma ideia do que é e do que não é.

      Excluir
    3. Exatamente, são as mesmas falsas doutrinas mas apresentadas em moldes "evangélicos"; se apropriam da "cultura gospel" para manter seus fieis no engano, inclusive sob uma falsa atmosfera de "busca a Deus" e "dons espirituais". Tudo pirata.

      Excluir
  12. Já ouvi dizer que calvino tinha dúvidas a respeito da doutrina da predestinaçaõ, e que Ele ensinava a um calvinismo moderado onde que o homem coperava com Deus para ser salvo diferente dos calvinistas extremados que vemos por aí. Seria isso uma verdade? Você já leu as institutas de calvino? Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é bastante falso, eu já li todos os volumes das Institutas de Calvino e posso assegurar que ele era muito mais "calvinista" do que a maioria dos calvinistas modernos. Um dos volumes é quase inteiramente dedicado a provar a predestinação e refutar essas teses "moderadas" aí. Abs!

      Excluir
    2. Com essa onda de Fake News pra todo lado é melhor sermos prudentes procurando fontes primárias ou pessoas idôneas como o Banzolão, o fera!

      Excluir
  13. Lucas, você concorda que o catolicismo brasileiro vem lendo e até incentivando a leitura da Bíblia? Isso é bom ou ruim? Vi o padre Paulo Ricardo dizer que a ICAR vem se "protestantizando-se" em alguns aspectos - provável alfinetada no RCC.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não chega a ser um "incentivo", eu pelo menos nunca vi um padre exortando os fieis a lerem a Bíblia, pode até já ter acontecido algum caso isolado em algum lugar mas nenhum que eu conheça. O que mudou de ontem pra hoje é que hoje em dia eles não tem mais como perseguir e proibir a Bíblia como faziam antigamente, então como diz o velho ditado, "se não pode contra o seu inimigo, junte-se a ele". Hoje eles suavizaram o discurso e alguns chegam até a falar bem da Bíblia, mas dizer "pessoal, vão ler a Bíblia para chegar à verdade", é algo que dificilmente você ouvirá de um padre, nem mesmo um da RCC.

      Excluir
    2. Milhares de protestantes migraram para a Igreja católica nos últimos quarenta anos. Alguns se converteram ao catolicismo, mas outros (muitos) entraram para evangelizar os catolicos, razão porque podemos ver hoje as sequelas do protestantismo dentro do catolicismo. E pasmem, tem até pentecistalismo católico. Os protestantes infiltrados trabalharam muito bem.

      E pior é que os católicos batem palmas, contam vantagem fazendo o maior estardalhaço quando apontam os tantos protestantes que voltam para a "casa do Pai".

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Ledo engano! Estão agora sofrendo as consequências!

      Excluir
    3. O padre Reginaldo Manzoti costuma ler e incentivar a leitura da Bíblia, basta conferir (quem quiser, claro) e às vezes gosta de alfinetar quem pensa o contrário.
      P.S. Não sou católico. O comentário não é ironia. Não sou Macabesta disfarçado de anônimo.

      Excluir
    4. Esse é o tipo de coisa que só acredito vendo (me refiro à primeira parte).

      Excluir
    5. Ao último post do @“anônimo.

      Não se engane com essa ladainha do padre “incentivar” a ler a Bíblia.
      Ele não vai dizer “pessoal, vamos parar de ler esse livro aí” pois isso no mundo de hoje é tiro no pé.
      Agora, o ler a Bíblia pra ele vai apenas até a página que não contradizer o outro evangelho deles. Experimenta usar da Bíblia pra refutar qualquer padre para você ver. O negócio não é não ler. É ler segundo a doutrina e a interpretação esdrúxula deles.
      Cuidado pra não cair no conto do vigário como vejo muito evangélico já fazendo. Esse é um dos padres mais vocais contra o protestantismo bíblico.
      Acho até que ele é mais nocivo do que o desonesto e raivoso pr. Ricardo, que todo mundo já sabe do ódio explícito que tem por evangélicos e tudo que há contra a Babilônia de Roma.

      Excluir
    6. Olá amiga. Sem querer polemizar, o que eu quis dizer era que, na minha opinião, (que pode estar errada) o catolicismo vem lendo mais a Bíblia. Agora, devemos ter em mente que a leitura da Bíblia não significa conversão automática ou abandono imediato do catolicismo. Nem Deus em pessoa (Jesus) teve este atributo. Existem os teimosos, os ignorantes, os mal-intencionados, os hereges, etc....
      Quanto ao padre, eu apenas o citei, que não significa endosso as suas crenças. Pra mim, ele tá no direito dele de amar e defender a instituição que pertence.
      Como minha fé não me tornou imune à equívocos, agradeço a advertência. Obrigado. Deus continue te abençoando.

      Excluir
  14. Lucas, você pode me dar um conselho?
    Terminei os estudos ano passado e minha mãe queria que eu entrasse direto na faculdade, coisa que eu não queria, expliquei que gostaria de fazer um ano de cursinho e que gostaria de entrar em uma federal (coisa que ela também não quer).
    Bom, eu estou para começar meu cursinho, ela aceitou minha escolha e está me ajudando naquilo que preciso, mas as vezes eu começo a me culpar. Começo a pensar se não desobedeci minha mãe ao optar por não fazer o que ela queria que eu fizesse, mesmo ela me ajudando com o cursinho agora.
    Meu pai é super a favor que eu entre numa federal como a usp, mas minha mãe não concorda com isso e não gostaria que eu fosse para lá.
    Você acha que eu estou desorando minha mãe ao optar por fazer cursinho e tentar entrar em uma federal? Seria mais santo eu desistir disso e entrar na faculdade que ela quer que eu entre?
    Agradeço desde já a resposta, abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa ficar preocupado em relação a isso, você tomou a decisão certa. Meu avô exigiu da minha mãe formação em química quando ela odiava química, e como resultado fez química e foi obrigada a cursar e a dar aulas de algo que odiava, isso foi muito ruim pra ela, até em tempos recentes ela fazer o que realmente sempre sonhou (cursou música na federal). Tem vezes que seguir suas próprias escolhas não é questão de "desobediência", até porque respeitar é diferente de ser um escravo com submissão incondicional a seu senhor, e você já não é mais nenhuma criança que não sabe o que fazer da vida. Além disso o seu pai, cuja autoridade é tão importante quanto a da sua mãe, o apoiou, então usando a lógica de que "se não fizer isso vou estar em desobediência", você poderia estar em desobediência a seu pai se não agisse como agiu (já que ele é "super a favor"). Se você conseguir passar, um dia até a sua mãe vai reconhecer que você tomou a decisão certa, já que hoje em dia para pagar uma faculdade privada tem quase que vender um rim.

      Excluir
  15. Caro Lucas, os católicos alegam que seria costume daqueles tempos se chamar parentes consanguíneos de irmãos, sejam primos, tios, tias etc, conforme: Gênesis 13,8-14; 29,12.15; 31,23; I Crônicas 23,21-23; II Crônicas 36,10; II Reis 36,10; I Samuel 20,29; Juizes 9,23, exemplo: Abrão disse a Lot: “Rogo-te que não haja discórdia entre mim e ti, nem entre nossos pastores, pois somos irmãos (Gênesis 13,8), Mas Abraão era na verdade tio de Lot, conforme Gen 12; 5.
    Ou em 1 Cor 15; 6: "Depois apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma vez," mas sabemos que não eram todos irmãos de sangue. E agora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso tudo já foi refutado nos artigos sobre "virgindade perpétua de Maria" e "o terceiro Tiago" que você pode conferir nesta página:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-catolicismo.html

      O argumento do hebraico não prova nada porque o NT foi escrito em grego e não em hebraico. Fim da questão. Sobre 1Co 15:6 é muita desonestidade usar um texto desses que claramente está falando de irmãos espirituais (ou seja, irmãos na fé) com textos como esse aqui, que claramente diz respeito a irmãos de sangue, mencionados junto com o pai e a mãe:

      "Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, José, Judas e Simão? Não estão aqui conosco as suas irmãs? E ficavam escandalizados por causa dele" (Marcos 6:3)

      Excluir
  16. Lucas você assistiu a série da Netflix O Mecanismo? Olha sendo bem sincero eu comecei a assistir a dois dias, vi o primeiro episódio e eu amei, é muito bem feita, nem parece ser brasileira, a série fala da operação Lava Jato, Mas de uma perspectiva fictícia, pois os personagens são inspirados em pessoas reais, mas os nomes foram trocados, até a PF teve o nome trocado. Essa série causou também um alvoroço na esquerda, pois chamaram a série de fake News, golpista, fascista, coxinha e mais xingamentos esquerdistas, para se ter uma ideia o criador teve até mesmo que explicar dizendo que era só ficção, olha só a onde chegou o fanatismo político, chegou ao ponto da pessoa nem saber a diferença entre realidade e ficção, olha só a hipocrisia da esquerda, ficaram defendendo com unhas e dentes aquela exposição pedófila do Queer Museu, chegando a chamar aquilo de censura, e de fanatismo religioso, mas foi só fazer uma série criticando a corrupção política do PT, que ficaram com raiva, é pelo jeito a carapuça serviu. A série é muito Boa, tem muito palavrão e violência, mas vale a pena. Eu recomendo, caso você tenha a oportunidade assista, você não vai se arrepender. Aliás todo esse caso me fez lembrar o quanto essa esquerda é hipócrita e canalha. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ouvi dizer que tem umas cenas de sexo explícito, se tiver mesmo não acho conveniente assistir. Também detesto qualquer coisa feita no Brasil (seja séries, filmes ou novelas), mas se você diz que essa é diferente, vou dar um crédito. Em relação às suas críticas aos petistas não tenho o que comentar, esse povo está disposto a qualquer coisa para não deixar que a sujeira seja exposta para o público. Infelizmente entre os brasileiros comuns há muita gente que ainda não sabe sobre toda a estrutura de corrupção que se formou nos governos do PT para manter uma ideologia, pensam que a Lava-Jato existiu apenas para lidar com corrupções individuais de políticos particulares, se essa série abordar todo o verdadeiro esquema por detrás dessa corrupção será com certeza bem útil.

      Excluir
    2. Também não gosto muito de produções nacionais, mas assisti essa série apenas por curiosidade, olha é extremamente bem feita, até parece que foi feita no exterior, mas assisti apenas o primeiro episódio, ainda vou assistir os outros capítulos, se alguma cena não te agradar eu te peço desculpas, só vi o primeiro capítulo. Mas me pareceu ser uma boa série. Obrigado por responder o meu comentário, Deus te abençoe

      Excluir
    3. Blz, Deus lhe abençoe igualmente!

      Excluir
    4. Eu gosto da produção nacional, acho que o Brasil tem grande potencial para fazer bons filmes (um exemplo foi o filme animado RIO, que infelizmente não ganhou o prêmio internacional na época). Porém acho que falta conteúdo. Muitos filmes são só baboseira, palavrão e putaria, como o filme tosco brasileiro chamado Febre do Rato.

      Excluir
    5. Pra mim o nível anda tão baixo que eu duvido até desse "potencial" aí. É muito raro sair coisa boa, mesmo quando tem orçamento pra isso.

      Excluir
    6. Acho que o problema não é a falta de qualidade. se formos ver bem, Hollywood com um super investimento a maioria dos filmes não são grande coisa, então não seria diferente com o cinema brasileiro que produz nem 5 por cento do que se faz por lá, mas concordo com vcs se fica muito em putaria, pobreza e violencia, mas da pra fazer coisa Boa sim.

      Excluir
  17. Lucas, você crê na doutrina da predestinação calvinista? Acha que essa doutrina é bíblica? Como você interpreta as palavras predestinados como que algumas passagens bíblicas mencionam. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não creio assim, escrevi sobre isso aqui:

      http://apologiacrista.com/como-entender-a-predestinacao

      Abs!

      Excluir
  18. Alguém precisa lembrar aos católicos
    que a Igreja nasceu em Jerusalém, não em Roma.

    E pior ainda; na discussão com a Samaritana Jesus deixou claro que o lugar de adoração não seria em Roma

    "Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai... Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem em que nem neste monte nem em Jerusalém [NEM EM ROMA] adorareis o Pai. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem", Joao 4:21-23

    Agora tem uma coisa viu, se tem um lugar onde não se adora o Pai em espírito e em verdade é na Igreja Católica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Alon, cristalizar um espaço geográfico (Jerusalém, Roma, Meca...) é empobrecer (eufemismo pra ignorância, má fé) as palavras CLARAS de Jesus à mulher samaritana.

      Excluir
  19. Lucas, Lutero já PERSEGUIU judeus? Eu sei que ele escreveu coisas anti-semitas, não em questão racial, mas ainda assim anti-semitas. Mas ele PERSEGUIU de fato? Estou lendo os artigos de James Swan para tirar minhas conclusões, vc recomenda o site do james, não é?

    Eu fico impressionada como os católicos usam os escritos de Lutero sobre os judeus para difamar o protestantismo, mas os mesmos não se tocam de todos os recentes escritos contra os muçulmanos, alguns desejando a proibição do islã e uma verdadeira perseguição aos islamitas. Eu também já disse HORRORES sobre os muçulmanos (influenciada pelos "apologistas" que a gente encontra no facebook), e hj me arrependo, pq apesar de saber que os países islâmicos são horríveis em questão de liberdades individuais e muitos muçulmanos ainda tem uma mentalidade bem primitiva com base na lei sharia, eu realmente não acredito que eles resistirão à secularização, e não tenho dúvidas de que a maioria dos muçulmanos que nascem no ocidente são boas pessoas. eu conheço cristãos que moravam na Síria - uma brasileira cristã evangélica casada com um cristão sírio evangélico que se converteu no Brasil - que mantém boas relações com muçulmanos e cristãos ortodoxos, inclusive sheiks.

    Mas enfim, voltando ao início, penso que se Lutero "apenas" escreveu coisas anti-semitas, ele pode ter tido essa descarga de fúria que tantos ocidentais tem hj pelos muçulmanos. Vc também pensa assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lutero nasceu católico e foi criado em um ambiente católico, com a cultura católica na cabeça - incluindo o ódio aos judeus, que era muito mais forte na época do que o ódio atual aos muçulmanos que você mencionou como analogia. Naquela época os católicos não apenas eram ensinados desde cedo a odiar os judeus, como ainda se considerava que tinham "sangue impuro", os assassinavam em autos-da-fé, roubavam suas propriedades, os massacravam em sucessivos pogroms, os expulsavam de países inteiros; enfim, os atacavam de todas as formas imagináveis.

      Comparado aos católicos de seu tempo, Lutero era até amigável aos judeus - nunca matou nenhum, embora tenha chegado a dizer que os rabis tinham que parar de ensinar e incentivou a queima de sinagogas, o que não deixa de ser uma postura repudiável. Se Lutero vivesse hoje com certeza teria uma mentalidade diferente a este respeito, mas se os teólogos católicos de sua época vivessem hoje eu já não poderia dizer o mesmo com tanta certeza, haja visto o ódio que até hoje é disparado por fanáticos católicos contra os judeus (veja a página do Paulo Leitão, por exemplo, isso para não mencionar um gordo com cara de bolacha trakinas).

      Excluir
    2. "(veja a página do Paulo Leitão, por exemplo, isso para não mencionar um gordo com cara de bolacha trakinas)."

      Não, obrigada.

      Procuro pessoas com um nível intelectual maior do que o meu, não menor.

      : )

      Eu já tentei ver esse gordo aí, mas eu passei mal.

      Excluir
    3. Concordo =)

      Acho que todo mundo passa mal, até ele mesmo, por isso ele é assim.

      Excluir
    4. Lucas, certa vez quis conhecer uma opinião divergente da sua sobre o catolicismo afim de fazer juízo sobre o tema e caí na besteira de consultar o gordo cara de bolacha...
      Até hoje me arrependo :(

      Excluir
    5. xD

      Você dá um argumento ou faz uma pergunta, e recebe de volta um insulto. Normal..

      Excluir
  20. Papa Francisco virou mortalista?
    https://g1.globo.com/mundo/noticia/papa-francisco-afirma-que-inferno-nao-existe-diz-jornal-italiano.ghtml

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele só tá querendo chamar a atenção pra aparecer na minha lista de teólogos aniquilacionistas, mas não vai conseguir não.

      Excluir
  21. Lucas, a igreja medieval perseguia outras religiões ou se limitava apenas aos rivais protestantes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perseguia tudo e todos que não fosse católico e bastante ortodoxo.

      Excluir
  22. Intrigante a ICAR! O patrimônio dos cristãos dos primeiros séculos ela põe na sua conta. As cruzadas, a inquisição, a caça às bruxas ela põe na conta do Estado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai ser difícil colocar cruzadas e Inquisição na conta do Estado. O único que eu já vi ser tão picareta a este ponto foi o "professor" Felipe Aquino, e mesmo assim somente em relação ao segundo. Mas de fato, se um padre comete pedofilia a responsabilidade recai somente a ele e a Igreja não tem nada a ver com isso, mas se esse mesmo padre tivesse tido alguma importância científica ou feito qualquer coisa benéfica à humanidade aí todo o mérito seria da Igreja e constaria no livro "Como a Igreja Católica construiu a civilização ocidental", do impostor Thomas Woods. É só o modus operandi habitual da apologética católica...

      Excluir
    2. O estado agia por conta própria torturando o indivíduo para que ele negasse sua heresia contra a Igreja?

      Posso gargalhar?

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    3. E pior, sem a ICAR concordar!

      Excluir
    4. Pois é, é preciso ser um mestre na arte de ser enganado para acreditar numa estória dessas. Ou ser bem desonesto mesmo. É o tipo de coisa que nem precisa de trocentos documentos históricos para perceber (embora nós os tenhamos também).

      Excluir
  23. Existe, no clero, discordância do mesmo contra o papa? Ele declarou o aniquilacionismo e parw que diga isso publicamente, não recebe o endosso de todo o catolicismo? Por exemplo: Nenhum adventista do sétimo dia nega que Ellen White é o Espírito de Profecia ou foi usada por ele, prova disso que até hoje seus escritos são usados para interpretar e entender as Escrituras, sendo os "óculos sagrados" pelos quais a Bíblia deve ser vista e compreendida.

    No catolicismo, há discordância assim? Isso não mancharam aos olhos do mundo que acredita e aceita que o catolicismo é a Igreja de Cristo? Por que se o papa se pronunciou assim negando o inferno eterno, isso ao meu ver mostra que o catolicismo agora é aniquilacionista ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tipo de discordância não é admitida, por isso os acessores trataram de desmentir o papa, pelo que parece foi uma conversa privada que não era para ter saído dali. Eu não tenho dúvidas de que no fundo do coração esse papa ou grande parte dos clérigos não creiam em um monte de doutrinas católicas incluindo essa aí, o problema é que eles não podem simplesmente assumir PUBLICAMENTE que não creem nessas doutrinas porque causaria um escândalo no mundo católico e comprometeria o dogma da infalibilidade papal - e consequentemente do concílio que o promulgou, e assim por diante.

      Excluir
    2. No catolicismo existe discordâncias tanto quanto no protestantismo (se não for maior) entretanto a imagem de unidade deve ser mantida custe o que custar.

      Excluir
  24. Lucas é verdade que o comunismo "protestante" começou com os anabatista radicais e os puritanos?De fato o comunismo se instalou na América espanhola católica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os anabatistas radicais não eram protestantes e os puritanos não eram comunistas. Seja lá quem foi que inventou essas asneiras (embora eu já suponha quem seja), é um mentiroso descarado.

      Excluir
    2. Essa de "comunismo protestante" é mais um caso de Fake News da apologética católica.

      Excluir
  25. Lucas

    O que você acha do Livro "A ética protestante e o Espírito do Capitalismo"

    Pra variar o Olavo disse que a tese central do livro é falsa

    Abraços e parabéns pelo excelente trabalho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem é o Olavo pra dizer que a tese central de Weber é falsa? Olavo nunca chegou aos pés de Weber, que é amplamente e universalmente aceito academicamente até os dias de hoje. Olavo é um ignoramente grosseiro em história, que sabe menos ainda de teologia e em qualquer outra área que fuja da filosofia, todos os argumentos dele são tão horrorosos que eu já sabia refutar antes de estudar os temas.

      Excluir
    2. Entendi

      Então a tese do livro é correta? (Pois vou começar a lê-lo agora)

      Tenho estudado sobre a Reforma já li as 95 Teses, e agora estou lendo "A história da Reforma" de Carter Lindenberg (já ouviu falar desse?)

      Excluir
    3. A tese do Weber já era aceita antes mesmo dele escrever porque qualquer pessoa minimamente séria era capaz de perceber o fato óbvio de que os países protestantes eram muito mais prósperos e desenvolvidos do que os católicos. O que ele fez foi sistematizar isso e dar coesão através de justificativas teológicas que evidenciam o porquê disso.

      Sobre o livro do Lindberg é um dos melhores sobre o tema, junto com "A Reforma", do Lindsay.

      Excluir
    4. https://www.youtube.com/watch?v=HCVb_mCc_iE

      A condessa deu sua opinião sobre o assunto do qual vcs discorrem aqui.
      Atenção aos adjetivos direcionados a nós: "liberalóides, AMERICANÓIDES" e etc...

      Excluir
    5. Show de bola Lucas

      Vou ficar no aguardo do seu livro também, vai ser só o PDF ou vai ter versão impressa?

      Abraços

      Excluir
    6. Vai ter versão impressa também, eu to tentando imprimir em uma gráfica mesmo em vez do Clube dos Autores pra ficar mais barato o preço do livro, o problema é que eles só imprimem a partir de 100 ou 200 cópias e isso exige um dinheiro que eu ainda não tenho, mas até lá eu vejo como faço.

      Excluir
    7. Olá, Lucas Banzoli.

      Poderia comentar sobre o que vc acha desses três artigos:

      https://juliosevero.wordpress.com/2017/04/30/olavo-de-carvalho-capitalismo-conservadorismo-e-protestantismo/

      https://sociedadedosindividuos.wordpress.com/2017/01/15/a-etica-protestante-e-o-espirito-do-capitalismo-uma-aproximacao-a-partir-da-economia-historica/

      http://juliosevero.blogspot.com/2016/06/olavo-de-carvalho-e-inquisicao.html

      Aguardo a sua resposta e até mais! : )

      Excluir
    8. Olá, os artigos são excelentes, principalmente o segundo. Sobre o capitalismo e a ICAR eu lhe recomendo ainda este que escrevi há alguns anos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/04/a-igreja-catolica-contra-o-capitalismo.html

      E sobre Inquisição, tenho vários artigos a esse respeito que você pode conferir no índice temático:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-catolicismo.html

      Abs!

      Excluir
  26. Eu tenho uma dúvida. Muitas pessoas (principalmente os palpiteiros de plantão rs) dizem que Jesus andou com a classe baixa, como com as prostitutas, os gays, mendigos, bandidos, etc e que os cristãos da atualidade desprezam essas pessoas. Como um cristão da atualidade deve se portar? Devemos andar com essas pessoas tbm, assim como Jesus andou? Outra coisa, você concorda com a frase: Bandido bom é bandido morto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus andou com as "minorias" sim, mas tinha um propósito, não era pra pagar de "politicamente correto". Quando Jesus perdoou a mulher adúltera disse "vá e não peques mais", quando chamou Zaqueu para comer com ele instigou este a devolver tudo o que havia roubado quatro vezes mais, e os "publicanos e pecadores" que andavam com ele estavam lá para mudar de vida, para serem transformados, e não sem um propósito. O que eu ando vendo por aí é gente querendo pagar de "espiritual" fazendo culto ecumênico com umbadista, apoiando movimento gay, fazendo passeata disso ou daquilo, apenas para mostrar o quão "tolerante" e "pluralista" é, e sem absolutamente qualquer intenção ou propósito de converter aquelas almas para livrá-las da morte eterna. Aí ficam parecendo mais com os fariseus, que faziam tudo para ganhar a aprovação das pessoas, do que com o próprio Jesus.

      Excluir

Deixe o seu comentário. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas sobre qualquer assunto são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas comentários desrespeitosos não serão publicados. Debates e discussões são aceitos, desde que saia do anonimato.