31 de dezembro de 2020

200 Santo Antão, o monaquismo e o ascetismo

 


*Nota: O artigo abaixo é extraído de um dos capítulos de meu livro mais recente – “Os 100 Maiores Acontecimentos da História do Cristianismo” –, que você pode comprar ou baixar gratuitamente na página dos livros.
 
***
 

Embora provavelmente você não conheça um pessoalmente, com certeza já deve ter ouvido falar em monges. Monges são mais antigos que o próprio Cristianismo e estão presentes em diversas religiões, sobretudo as orientais. Os monges budistas são os mais famosos, conhecidos por seu poder de meditação. Um monge é por definição uma pessoa voltada a uma vida monástica de clausura, afastada do convívio social. No meio cristão, o primeiro a levar esse tipo de vida foi um homem chamado Antão (251-356), que conhecemos por meio da obra A Vida de Antão, de Atanásio (296-373).
 
Nascido em uma família rica e herdeiro de toda a riqueza ao ficar órfão aos 20 anos, Antão tomou para si as palavras de Jesus ao jovem rico, cujo coração estava apegado às riquezas: “Vá, venda os seus bens e dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro no céu” (Mt 19:21). Após vender tudo o que tinha e dar aos pobres, Antão viu que era pouco. Era preciso se afastar daquela sociedade degenerada, repleta de homens e mulheres pecadores. Então Antão foi viver em uma caverna, onde – de acordo com o relato de Atanásio – lutou com demônios por dez anos. Lutou mesmo: os demônios assumiam a forma de animais estranhos que o atacavam diariamente a ponto de quase matá-lo.
 
Até mesmo centauros (criatura metade humana e metade cavalo) e sátiros (metade humano e metade bode) lutavam com Antão, que resistia bravamente. Após tanto tempo lutando com criaturas mágicas e animais fantásticos de dar inveja ao universo de J. K. Rowling, Antão se mudou para um forte abandonado, onde viveu vinte anos sem ver rosto humano (e você reclamando da quarentena!). Como ele sobrevivia? Simples: as pessoas que ouviam suas impressionantes histórias de autonegação e de batalhas contra o demônio jogavam comida por cima do muro. Mas é lógico que Antão não comia qualquer coisa que lhe fosse jogada: só comia uma única refeição por dia, composta de pão e água. Mais do que isso seria ceder aos desejos da carne.
 
Quando completou 100 anos, Antão saiu do isolamento para defender a fé contra a heresia ariana, que, coincidência ou não, era aquela que Atanásio, seu biógrafo, mais combateu. Antão havia se tornado um vulto na época, um santo vivo, um verdadeiro modelo de piedade e abnegação. Tanto que embora não tivesse qualquer intenção de criar uma ordem religiosa ou fundar qualquer coisa que fosse, seu exemplo inspirou outros cristãos a viver uma vida isolada do convívio com seres humanos, com todas as privações possíveis. Antes mesmo de sua morte, se multiplicavam os casos de ascetas cristãos, dando origem às ordens monásticas.
 
Um dos primeiros mosteiros foi fundado pelo monge egípcio Pacômio, em 323 d.C, num vilarejo deserto próximo ao Nilo. Ali, tudo se fazia em silêncio: lavar roupa, preparar o pão, fabricar cestas e qualquer tarefa diária tinha que ser feita sem conversa (o que agradaria muito curitibanos como eu1). Pacômio achava que as mulheres falavam demais e por isso perturbariam a paz do mosteiro, então apenas homens eram admitidos (Tertuliano estaria orgulhoso!).
 
Alguns monges se tornaram tão populares quanto Antão, como é o caso de Simeão Estilita, que resolveu construir uma coluna e viver sobre ela. A coluna original não tinha mais de dois metros de altura, o que permitia que fosse importunado por esses seres chamados humanos. Então ele foi aumentando a coluna cada vez mais, até terminar com 15 metros. O estilita passava 24h por dia ali, 7 dias por semana, 365 dias ao ano, durante 36 anos até sua morte.
 
Não saía nem para comer, nem para fazer necessidades básicas. Esteve permanentemente exposto ao calor do deserto e ao frio noturno, às chuvas e tempestades. Mantinha a posição ereta em toda a Quaresma, por mais difícil e dolorido que fosse. Nenhum teste de resistência do Guinness Book jamais se comparou à vida de Simeão Estilita. Aos olhos do povo, ele não podia ser outra coisa a não ser um santo.
 
Aquilo que hoje em dia seria considerado um surto de fanatismo ou um fetiche bizarro, as pessoas da época encaravam com admiração e louvor. Quanto mais asceta a pessoa fosse no sentido mais completo do termo, quanto maior fossem as suas privações, quanto mais punisse o próprio corpo de todas as formas possíveis e mais afastada estivesse do convívio humano, mais santa ela era. O conceito de santidade deixou de ser o conceito bíblico de alguém temente a Deus que se afasta do pecado, e passou a significar atos externos de penitência autoimposta e fuga do mundo.
 
Nessa época, a teologia que via o corpo como um mal já havia ganhado terreno na Igreja, e decorrente disso se multiplicavam os flagelos corporais no objetivo de se tornar mais santo. Qualquer coisa que fosse boa ou prazerosa para o corpo era automaticamente identificada como inimiga da alma e do espírito, e, portanto, tinha que ser reprimida das formas mais severas que a mente humana fosse capaz de conceber. Até as moças eram instadas a viver uma vida de jejum intermitente, e as solteiras «de rosto pálido e aparência frágil» eram as mais louvadas por Jerônimo, pois a anorexia indicava a mortificação dos desejos da carne.
 
Mesmo o trabalho manual era visto com profundo desprezo, já que era praticado com o suor do corpo, não com o espírito. Por isso a maioria dos monges vivia de mendicância, tornando-se um peso para as outras pessoas (que em geral já eram bastante pobres). Note o contraste em relação a Paulo, que trabalhava arduamente como fabricante de tendas (At 18:3) para não se tornar um peso aos demais. “Fiz tudo para não ser um peso a vocês, e continuarei a agir assim” (2Co 11:9), diz ele, que em outra ocasião declara que “se alguém não quiser trabalhar, também não coma” (2Ts 3:10).
 
Estes foram os efeitos mais danosos da teologia dualista que separa alma e corpo, que do gnosticismo e do paganismo grego migrou paulatinamente ao seio da Igreja cristã. As pessoas não paravam para se perguntar se Antão não sofria de alucinações vivendo sozinho numa caverna, ou se todos esses flagelos corporais eram realmente necessários para se alcançar a santidade. Num tempo em que o corpo se tornou o maior inimigo, dominá-lo e castigá-lo virou sinônimo de heroísmo, e quanto maiores fossem os obstáculos – demônios, centauros e a simples vontade de se sentar – maior era o grau de santidade que lhes era imputado.
 
De acordo com este novo modelo de santidade, nenhum personagem bíblico poderia ser considerado realmente santo – ou pelo menos não no nível de um Antão ou Simeão. Todos os profetas do Antigo Testamento pregavam em meio ao povo, na tentativa de conduzi-los ao arrependimento. Na única vez que um profeta, Elias, decide se isolar, foi por causa da perseguição de Jezabel (que havia matado os profetas) e tomado por uma profunda angústia e depressão a ponto de pedir para que Deus tirasse sua vida (1Rs 19:4), não pelo desejo de se tornar “santo”.
 
No Novo Testamento, tanto Jesus como os apóstolos viveram sempre em meio ao povo, pregando e convertendo almas, curando e transformando vidas. Paulo se expôs a inúmeras perseguições por pregar aos judeus e aos gentios, fundando numerosas igrejas em todas as partes, no objetivo de evangelizar o maior número de pessoas. O próprio Cristo passou todos os seus anos de ministério em meio ao povo, pregando para as multidões, sarando os enfermos e trazendo as boas novas do evangelho. Como comenta Blainey, «comer em silêncio e afastar as mulheres com certeza eram ideias que não o atraíam»2.
 
Ele não passou mais de 40 dias isolado no deserto – bem menos que as longas décadas dos monges eremitas –, o que indica que o curto período de isolamento não tinha como objetivo o isolamento em si, mas o preparo para o ministério público (e sem precisar encarar nenhum animal mágico, até onde se sabe). Tudo poderia ter sido diferente se Antão tivesse lido um outro versículo de Mateus, em complemento ao do jovem rico:
 
“Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus” (Mateus 5:14-16)
 
Assim como ninguém esconde uma lâmpada num lugar isolado, mas a coloca num lugar visível a todos, também os cristãos não devem se isolar do mundo, para que sua luz brilhe diante de todos e todos glorifiquem a Deus. “Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do maligno” (Jo 17:15), foi a oração de Jesus. Por mais corrupto e degenerado que o mundo seja, não é do propósito de Deus que os cristãos “saiam” do mundo, mas que sejam protegidos do maligno em meio ao mundo. Note que quando Jesus disse isso não havia ainda nenhum foguete e nem o Elon Musk querendo levar as pessoas para outros planetas: ele estava falando da atitude de se isolar do mundo, como é típica dos monges.
 
Antão também poderia ter lido o texto em que Jesus diz que “a seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Peçam, pois, ao Senhor da seara que envie trabalhadores para a sua seara” (Mt 9:37-38). Se o mundo precisa de mais obreiros na obra do Senhor, o que o evangelho ganha com homens e mulheres devotos que se isolam de tudo e de todos, encerrando-se em seus mosteiros? Não seriam eles muito mais úteis pregando em ambientes públicos, debatendo nas sinagogas e assembleias, sendo uma voz atuante na sociedade?
 
Não seria o ato de se afastar do mundo para garantir sua salvação pessoal um exemplo extremo de individualismo e, em última análise, de egoísmo, quando Deus nos chamou para pregar o evangelho a toda criatura e salvar os perdidos? O que o Reino de Deus tem a ganhar quando o exemplo máximo de piedade é o afastamento do mundo, do contato com o próximo, vivendo uma vida de extrema privação autoimposta? A única coisa que isso pode provocar é a mentalidade egocêntrica de que só o que importa é conservar sua própria salvação, e o resto que se dane (literalmente).
 
Cristo poderia ter feito o mesmo, como Deus e dono de tudo, mas preferiu vir ao mundo e viver em meio a pecadores, pregar a pecadores, comer com pecadores e morrer por pecadores, como eu e você. Porque, como ele mesmo disse, ”não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Eu não vim para chamar justos, mas pecadores ao arrependimento” (Mc 2:17).
 
Cristo é nosso exemplo supremo: alguém totalmente santo, justo e incontaminado, que mesmo assim viveu como um de nós, não como um monge no deserto, não se escondendo nas cavernas, não em cima de um pilar. Não temos por que duvidar da sinceridade da fé dos primeiros monges, mas ela caracteriza um tempo em que o conceito de santidade havia mudado de tal modo que o próprio Senhor Jesus seria novamente encarado como um “comilão e beberrão, amigo de publicanos e pecadores” (Mt 11:19).

Por Cristo e por Seu Reino,

- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!

- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)

200 comentários:

  1. Olha Lucas qtos livros de historia da igreja nesse drive...

    https://drive.google.com/drive/folders/1ZSO63spU-dO9MSGyQV4SLF2kP4ixc_25?fbclid=IwAR3tJdkkK0R_54lX0kPj9KNSVgFOECX2GrPWUiDpoIW1T0qD2fq4VW5LsvU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, obrigado por compartilhar 👍

      Excluir
    2. Lucas, como entender Êxodo 21:4? Porque a mulher e os filhos do escravo não podem ser libertos?

      Excluir
    3. Essa lei se refere apenas aos escravos que receberam uma esposa do seu senhor após se tornarem escravos, o verso anterior diz que se ele já tinha uma esposa quando se tornou escravo a sua esposa é liberta com ele (porque se ela chegou junto com ele então presume-se que completou os mesmos 7 anos), ela só não era liberta com ele se foi o seu senhor quem a deu a ele em casamento (obviamente com o consentimento do mesmo, ninguém era obrigado a se casar como escravo), neste caso presume-se que a mulher em questão também era escrava e por isso não podia ser liberta com o escravo enquanto não cumprisse o seu próprio tempo respectivo de escravidão (por exemplo, se faltava um ano para completar os sete e o escravo se casa com uma escrava que faltava ainda 5 anos pra completar seu próprio tempo, ela não seria liberta junto com o escravo no ano seguinte, teria que cumprir seu próprio tempo determinado).

      Excluir
  2. Muito bom Lucas, uma das coisas mal percebidas no meio cristão é exatamente a santidade, ou seja o que é e como ser santo e isso obviamente levou a extremos. Vemos isso no estereótipo e preconceito em relação as roupas, criou-se um padrão para o vestuário baseado em um conceito deturpado de santidade. vide crentes que ainda pensam que mulher não pode usar calça, maquiagem, arrumar o cabelo, e mesmo aos homens eles acham que deve se vestir de uma forma mais formal como se isso fosse nos tornar mais santo e por isso mais aceito por Deus, legalismo desfarçado de piedade.
    Acredito que Abrão e Simeão vivendo no mundo moderno não usariam tv, computador, redes sociais, internet e tudo o resto que a tecnologia nos oferece. Acredito também que este tipo de pensamento se reflete também na forma como os antigos olhavam para o sexo, ainda que no contexto do casamento, como um 'mal necessário', como algo sujo como se fosse algo de proveniência maligna, i.e até o desejo sexual que se manifesta no corpo era algo a ser combatido e não me admira se este pensamento estiver na base da não aceitação dos católicos do facto de Maria não permanecer virgem para sempre. Imagine a mentalidade da época que via o sexo como algo sujo conceber a idéia de que a mãe de Deus (Jesus) teve relações sexuais do qual terá tido os melhores orgasmos! soa a blasfemia para a mente dos católicos da época e os atuais.
    Outro ponto é que pessoas como Antão e outros em nossos dias não conseguem fazer a distrinça entre o mundano e secular, aí eles colocam tudo no mesmo saco e começam a ver pecado em tudo e a proibir isso para outras pessoas, na prática afastar-se do pecado equivale a afastar-se do mundo (tudo que nele há incluindo as pessoas) quando Paulo diz "porque se assim fosse, vocês precisariam sair deste mundo". 1cor.5:10
    -Enviei algumas perguntas para o seu inbox do facebook já há algum tempo e aguardo até hoje as respostas. (sou o Bruno Berlusconi com quem as vezes trocamos no facebook)
    Feliz ano novo para si e para todos os irmãos brasileiros.
    Abraços do seu irmão de Angola

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você disse tudo, pra eles qualquer tipo de prazer era visto como pecaminoso em si mesmo por ser bom para o corpo, o qual supostamente estaria em uma guerra mortal com a alma fantasminha imortal dos dualistas. Assim, se o corpo é mau e a alma é boa, tudo o que dá prazer ao corpo necessariamente degrada a alma, e tudo o que alimenta a alma deve ser desprazeroso para o corpo. É uma distorção do ensino de Paulo, que contrastava a carne (no sentido de nossa natureza pecaminosa, não do corpo em si) com o espírito (referindo-se ao Espírito Santo, não à alma). Quando Paulo falava sobre não satisfazer a carne, ele não estava falando sobre não jogar futebol, sobre não ir ao cinema ou sobre não assistir TV, ele estava falando sobre não se entregar aos desejos pecaminosos da carne (prostituição, alcoolismo, inveja, ira, brigas e outras coisas que ele cansa de dizer em suas cartas), por isso não há nada em Paulo contra o ato sexual dentro do matrimônio ou qualquer atividade prazerosa que não seja pecaminosa. Infelizmente, a partir do momento em que os cristãos abraçaram a doutrina grega da imortalidade da alma, adotaram uma visão ascética radical de dualismo entre corpo e alma, que gerou as bizarrices que resumi neste artigo e tantos outros legalismos presentes até hoje, mas que eram muito mais fortes no passado.

      Excluir
  3. Corrigindo: com quem algumas vezes troca mensagens no facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu geralmente respondo mais rápido aqui do que lá, mas já respondi lá também.

      Excluir
  4. Olá Lucas. Feliz Ano Novo pra você e sua família!!!
    Muito bom o artigo.
    Que conclusões podemos tirar?
    No primeiro séc a "teologia de Santo Antão" fez muitos discípulos. Atualmente é a "teologia do Edir Macedo" e que faz mais adeptos.
    O primeiro quer/quis "salvar a alma" com esforço próprio...
    O segundo quer salvar o corpo com esforço alheio...
    Qual a semelhança?
    Em ambos casos a Palavra de Deus é ignorada/esquecida/distorcida/adaptada.
    Conclusão: muito problemas seriam evitados se a Palavra de Deus ocupasse o lugar que é devido em nossa vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem apontado, Oliveira, feliz ano novo pra você também!

      Excluir
  5. Feliz ano novo Lucas e galera do Blog! 🎉🎉

    Que Deus nos abençoe, e que 2021 seja um ano melhor para todos nós!

    Sobrevivemos à 2020 com a graça de Deus! E que o Senhor prepare um lugar no Reino para os nossos irmãos e irmãs que se foram.
    ✝️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, feliz ano novo também :)

      Excluir
    2. Lucas, eu vou perguntar sobre algo. Mas não tem haver com o assunto do blog, eu estava vendo aquele seu blog do ateísmo refutado, e estava estudando sobre a escravidão bíblica. Porém, não encontrei uma explicação para Êxodo 21:1-6. Porque os filhos e a mulher do escravo dados pelo senhor, não podiam sair livres com ele no ano do jubileu?

      Excluir
    3. Eu respondi no seu comentário anterior (mais acima), peço por gentileza que não poste duas vezes a mesma pergunta para não ocupar espaço desnecessário, a não ser que se trate de uma nova questão que não tenha lembrado de escrever antes. (Obs: Êxodo 21:1-6 não fala do jubileu, o jubileu acontecia a cada 50 anos, ele se refere aos 7 anos do tempo limite de servidão de um escravo hebreu).

      Excluir
    4. Perdão Lucas, eu pensei que tinha dado um erro. Por Isso postei o mesmo comentário duas vezes.

      Excluir
  6. https://www.rfi.fr/br/ciencias/20180507-o-mundo-agora-grandes-descobertas-de-novos-mundos-desde-navegacoes-portuguesas-ate

    Você acredita que o ser humano consiga estabelecer colônias em Marte dentro de um futuro próximo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Num futuro próximo eu acho que não, as condições em Marte são muito inóspitas à vida humana e vários estudos científicos já comprovaram a impossibilidade de um humano se manter vivo por um tempo considerável em Marte, então se o Elon Musk conseguir realmente implantar uma colônia em Marte vai ser só pra um monte de gente morrer à toa. Primeiro eles teriam que mudar a atmosfera do planeta (por exemplo, alterando a temperatura para ser mais condizente com uma condição humana, já que em Marte a temperatura chega a 125 graus celsius e nenhum ser humano suporta isso), e levaria muito tempo para mudar tudo o que precisa para dar condições mínimas de subsistência, algo que levaria muito mais tempo, se é que é possível (se eles não conseguem nem mudar em poucos graus a temperatura da terra para evitar o suposto aquecimento global, quanto menos mudar radicalmente um outro planeta).

      Excluir
  7. -O que você pensa da questão do aborto na Argentina?

    -Por falar em aborto, muitos progressistas dizem que são mais cristãos que os próprios cristãos, pois eles "ajudam a sociedade". O que é uma baita mentira, visto que legalizar aborto não é ajudar ninguém (pois o aborto só se tornou "necessário" por causa da promiscuidade sexual exagerada das ultimas décadas, propagadas pela própria esquerda, e ai as pessoas tem muitos filhos fora do casamento e ai querem recorrer ao aborto, que é a razão para quase todos os casos de aborto, visto que por exemplo no estados unidos é pouquíssimas as mulheres que fazem abortos porque foram estupradas, pois o estupro é uma das coisas que os abortistas falam do porque o aborto é necessário). E a outra coisa que progressistas fazem é eleger partidos de esquerda que taxam os ricos e ai tentam transferir para os pobres. O engraçado disso é que nem os eleitores tão ajudando, pois eles tão simplesmente elegendo um cara que vai tirar de um e colocar pro outro, sem nenhum tipo de desenvolvimento real, e o politico também não, pois ele nem esta tirando do próprio bolso para ajudar as pessoas, mas simplesmente pegando de um e dando pro outro, isso quando ele não coloca no próprio bolso. Compare isso com as quantidades absurdas de instituições de caridade e reabilitação que os cristãos fizeram do PRÓPRIO BOLSO, e as inúmeras pessoas perdidas do mundo como prostitutas e viciados que conseguiram deixar estas vidas graças a ação evangelizadora da igreja, mas isso os progressistas ignoram completamente e acham que eles são os heróis.

    -Lendo Genesis mais uma vez notei que a tal fome de 2000 a.C também ocorreu na época de Abraão (Gn 12:10) e Isaque (Gn 26:1), além da época de Jacó e José. Novamente confirmando o evento que coloquei no artigo anterior, pois as mudanças climáticas desta época provocaram fomes em vários lugares, ao ponto que foi testemunhada por todos os patriarcas, e tal fome recorrente como esta não aparece na bíblia novamente (as outras fomes tem haver com guerras, são algo mais localizado de algum lugar ou são punições divinas, enquanto esta fome dos patriarcas durou muito mais tempo e foi em diversas partes do mundo)

    -Lucas seu blog costuma ter muitos comentários, ao ponto de ocupar todos os duzentos comentários, digo isso porque em outros blogs existem bem menos comentários, como no Júlio Severo que só costuma ter um ou dois comentários, e o do Rational Christian Discerniment que também são pouquíssimos. Será que você é mais popular ou é porque você sempre procura responder todos os comentários (por exemplo o Júlio quase nunca responde, e só responde se for alguém criticando a ideia dele, acho que isso desanima pessoas a procurarem comentar coisas).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está banhado pela razão, o número de filhos fora do casamento é muito maior hoje do que era no passado, em parte devido à intensa propaganda de liberação sexual das últimas décadas, e o aborto é o jeito que eles encontram para tentar contornar ou atenuar o problema, se livrando das consequências da pior e mais horrenda forma possível. E de fato é muito fácil fazer programa social tirando dinheiro dos outros coercitivamente através da intervenção do Estado, mas em se tratando de contribuição voluntária eu não vejo nenhum grupo social, étnico, religioso ou qualquer que seja mais envolvido com caridade do que os cristãos, e mais particularmente os evangélicos. Sobre os comentários do blog, com certeza não é por ser "popular", o que eu estou bem longe de ser (é só comparar o número ínfimo de seguidores que eu tenho em comparação com tantas outras pessoas por aí que atuam na mesma área que a minha), acho que o diferencial é isso mesmo que você destacou, aqui eu respondo todo mundo e isso motiva as pessoas a voltaram a comentar futuramente, enquanto nos outros blogs ou o autor não responde ninguém ou só responde um ou outro superficialmente, aqui eu não posso responder de forma tão prolongada como gostaria mas tento dar uma resposta minimamente embasada aos questionamentos que são feitos.

      Excluir
  8. E feliz ano novo Lucas, que Deus te abençoe e que 2021 seja melhor do que este ano de 2020.

    ResponderExcluir
  9. Lucas, pode refutar esses pequenos videos?

    https://www.youtube.com/watch?v=RS6Pg6NkVpc
    https://www.youtube.com/watch?v=JNw83ZX4IOM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não quero parecer chato nem nada, mas atualmente eu ando bastante sem tempo, os dois vídeos juntos tem quase 10 minutos, seu eu os visse e respondesse teria por coerência que ver e responder todos os demais que me passassem vídeos do tipo e eu não teria como responder ninguém mais (por uma matemática simples, apenas 6 comentários do tipo e eu já teria que ficar 1h só assistindo os vídeos, sem falar de todo o trabalho que teria para refutá-los). Por isso há um tempo atrás eu pedi para não mandar mais links, que apenas resumisse em poucas linhas o conteúdo dos vídeos ou artigos, senão eu não tenho como responder os outros, teria que passar todo o tempo só refutando os artigos e vídeos que você traz aqui (inclusive eu já atualizei a política de comentários, como você pode ver na descrição ao final da página).

      Excluir
    2. O primeiro vídeo ele tem uma opinião muito boba. Paulo apenas resumiu a situação, ele não precisou citar todas as coisas de novo pois os leitores da carta já sabiam de Jesus e sua história. Além disso, Jesus foi crucificado a mando das autoridades, e retirado também pelas autoridades, é óbvio que não foi pelas mesmas. Os sacerdotes judeus jamais iriam tirar o corpo de Jesus e trata-lo com respeito se eles mesmo mandaram o crucificar. Portanto, para que a profecia fosse cumprida, outras autoridades judaicas como o José, e Poncho Pilatos que era uma autoridade romana, retiraram o corpo de Jesus e o enterraram. Não houve contradição, Jesus foi crucificado por autoridades, e seu corpo foi retirado por autoridades, mas obvio que não poderia ser as exatas mesmas pessoas pois aqueles que mandaram crucificar Jesus jamais tratariam o corpo de Jesus com respeito.

      O segundo vídeo é uma duvida que faz sentido, afinal a linguagem que a bíblia utiliza quando se trata dos conhecimentos de Deus acaba não sendo entendida por muitas pessoas, pois ao longo das inúmeras traduções algumas informações foram passadas incorretamente ou com uma má tradução, mas é bem simples de entender este assunto. Deus coloca as pessoas a prova para que outras pessoas possam ver até onde a fé leva as pessoas. Deus já sabe de tudo e obviamente ele não precisaria colocar ninguém a prova (na verdade, Deus não precisaria fazer nada, afinal ele já é tudo, mas Ele decide fazer por amor as pessoas unicamente), no entanto, os demais seres humanos não são oniscientes. Digamos que Abraão, Moisés, Davi e muitos outros não tivessem feitos nada, ficassem parados sua vida toda, como saberíamos qual é a vontade de Deus? Como saberíamos dos benefícios e malefícios (no sentido de desafios) da fé sem que alguém tivesse passado por isso antes? Deus coloca a prova para que os outros saibam das coisas, pois Deus age no nosso tempo, para que nós possamos compreender. Deus testar pessoas é para que outros possam saber sobre isso, se Deus não testasse ninguém apenas porque Ele já sabe, então não teríamos a menor ideia de como Deus age, pois não teríamos exemplos na história antes de nós. Por exemplo, na história dos 40 anos que é citada no video, Deus colocou a prova o povo do deserto, não porque Ele não sabia do resultado, mas sim para que todas as pessoas no futuro que ouvissem ou lessem a história soubessem como houveram rebeldes e como houveram os obedientes a Palavra de Deus, e como cada um agiu naquela situação, e aqueles que obedeceram a Deus tiveram que se esforçar muito, mas foram os que adentraram na terra de Canaã. Já os que desobedeceram encontraram soluções fáceis para seus problemas, mas morreram cedo e sem entrar em Canaã, com base nisso Deus nos mostra como a Vida esta disponível, mas somente para poucos que se mantem fiéis até o fim do deserto, para que assim possamos entrar na verdadeira Canaã.

      Excluir
  10. Primeiro: Feliz 2021 pra todos nós!

    E sobre sua resposta do meu comentário falando desse livro:

    https://www.amazon.com.br/Cold-Case-Christianity-Homicide-Detective-Investigates/dp/1434704696

    Oque acha de fazer um review do livro?

    ResponderExcluir
  11. Lucas, vi que o canal que eu te mandei diz que os milagres de vespasiano são semelhantes a jesus. ´´ segundo suetôenio (vida de vespasiano 7:2) e Tácito (histórias 4:81), um homem cego foi curado com a saliva de vespasiano, enquanto um homem manco recobrou a força da perna após vespasiano tocar os seus calcanhares´´.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se ta na internet é verdadeiro kkkkkkkkkkkk,é que nem aquelas imagens que vira e mexe circulam por ai dizendo que Horus,Mitra e o monte outros deuses nasceram de uma virgem,morreram crucificados, foram mortos e ressucitaram e etc. Eles sempre tem essa tática de pegar atributos de Jesus e colocar em outros deuses, puro ataque de ódio ao cristianismo.

      Excluir
    2. E daí? Vespasiano teria operado esses supostos milagres entre 69 e 79 d.C (os anos do seu reinado), muito depois da época em que Jesus viveu e da escrita dos evangelhos e da vasta maioria dos livros do NT, então além de não haver nada que aponte um plágio de alguma parte, se tivesse havido seria na direção oposta.

      Excluir
  12. Feliz 2021 para todos! Que nesse ano a vida possa aos poucos voltar ao normal (espero que esse ano as aulas presenciais voltem) à medida em que nos vacinamos contra o COVID-19, também espero que esse ano o seu blog cresça e tenha muito mais visibilidade Lucas!

    ResponderExcluir
  13. Lucas, ficou sabendo disso: recentemente a Argentina acabou de legalizar o aborto, e o mais curioso de tudo isso é que a Argentina além de ser um dos países mais católicos da América do Sul, ser a terra natal do Papa Francisco e muito menos ser um Estado laico (em pleno século XXI a Argentina ainda é um Estado confessional onde a ICAR é a religião oficial) isso não impediu a Argentina de ser um dos primeiros países Sul-americanos à legalizar o aborto (O primeiro foi o Uruguai lá no fim de 2012).

    Pelo jeito aos poucos os apologistas católicos vem perdendo cada vez mais menos razão, parece que dessa vez a ICAR não deu conta de impedir a legalização do aborto na Argentina, e olha que mesmo 70% dos argentinos serem católicos, isso não anula o fato de 66% dos argentinos serem à favor do aborto. Primeiro foi a Itália, depois Portugal, depois a Espanha, depois Irlanda e agora a Argentina daqui a pouco só falta a Polônia e Malta também legalizarem o aborto. Pelo jeito cada vez mais eles estão ficando sem argumentos pra defender a "Moral católica tradicionalista".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só um adendo:

      Certa vez quando te perguntei o porque do aborto ter sido legalizado nos Estados Unidos e na Europa bem antes do Brasil, você me disse que o motivo principal é que o acesso às universidades era mais fácil nesses países e que quase todo mundo nos Estados Unidos e na Europa frequentava o Ensino superior e que esse Debate à respeito da legalização do aborto aconteceu sobretudo nas universidades, e como as mesmas eram mais acessíveis lá no mundo desenvolvido do que aqui no Brasil muita gente nesses países acabou por ser doutrinada com a ideologia abortista nesses países.

      Essa explicação lembrou-me certa vez de meu ex-professor ultraesquerdista que defendia em sala de aula que não deveriam existir vestibulares nem ENEM e que as universidades são um bem público e que aqui deveria ser que nem na Argentina onde as universidades são gratuitas e não há vestibulares. E de fato ele estava certo, certa vez descobri numa pesquisa que os argentinos, chilenos e uruguaios estão entre os povos latino-americanos que mais frequentam as universidades, e por conta disso, a ideologia abortista seja tão forte nesses países (em especial a Argentina e Uruguai, porque no Chile o aborto ainda é bastante mal-visto, tanto é que o Chile tem a legislação sobre o aborto mais radical da América do Sul, mas não se sabe até quando o Chile continuará sendo um país pró-vida, pois assim como na Argentina, a Doutrinação ideológica é muito forte lá).

      Excluir
    2. Isso é um verdadeiro tapa na cara de todos esses hipócritas que dizem que a culpa da legalização do aborto, casamento gay e etc é do protestantismo ou da laicidade do Estado, como se um Estado esmagadoramente católico e confessional (exatamente como a Argentina) estivesse imune a isso. Eu francamente não sei se existe realmente alguém tão incrivelmente ingênuo a ponto de comprar essa narrativa, ou se são todos indiscriminadamente desonestos fazendo bravata (o que é mais provável).

      Excluir
  14. Recentemente parece que a popularidade da China cresceu de alguma forma, vi pelo menos bastante gente na internet dizendo que a China era melhor, mas eficiente, etc, e que o EUA era o malvadão capitalista blablabla. Embora não possa ser negado os erros do estados unidos no passado em diversas coisas, é inegável que a China é muito pior, a diferença de renda dos chineses para os chineses ricos é ridícula, e a China faz todo um esforço internacional para parecer que la todos vivem bem, felizmente a China é mais livre que a Coreia do Norte então isso permite analisar de maneira mais realista como é a vida dos chineses. O pior é que a união de um governo corporativista com tecnologia robótica realmente se provou eficaz, pois realmente a China é um dos países com menos casos de Covid hoje, mesmo tendo surgido lá a doença. Provavelmente outros países do mundo irão seguir este modelo chinês no futuro, onde maquinas e tecnologias irão monitorar cada aspecto da sociedade, e se isso será bom ou ruim só o futuro dirá. Aqui tem um vídeo de 9 minutos sobre a questão das "celebridades" na China e a questão da pobreza por lá: https://www.youtube.com/watch?v=8bG5zr99_Ws

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O pior é que a união de um governo corporativista com tecnologia robótica realmente se provou eficaz, pois realmente a China é um dos países com menos casos de Covid hoje, mesmo tendo surgido lá a doença."

      Qual a fonte? O partido comunista?

      China vai falir: https://www.youtube.com/watch?v=8bG5zr99_Ws

      Excluir
    2. Se provou eficaz no combate a Covid, pois a China pode (e provavelmente esta) mentindo sobre os fatos, mas o controle que a China tem sobre a população realmente torna possível conter os casos de Covid. E outros países podem tentar copiar o modelo chinês de controle populacional (afinal, é o que todo governo quer). E eu sei que a China é um caso perdido, por isso no futuro é uma outra organização como a União Europeia que irá ter influencia global (e daqui iria pro assunto de Escatologia), pois a China com essa mistura bizarra de socialismo e capitalismo ira falir mesmo.

      Excluir
    3. Não dá pra saber se a China está sendo eficaz no combate à Covid ou não, já que em se tratando de uma ditadura não dá pra confiar nos dados oficiais (desse mesmo governo). É diferente de um país livre onde dá pra ter pelo menos uma noção, e é evidente que o governo chinês teria todas as razões do mundo para apresentar índices baixos de mortes e contágios, a fim de passar uma boa imagem à comunidade internacional. Só é bizarro essa suposta popularidade da China crescer justamente no período em que ELES nos entregaram a pior pandemia dos últimos 100 anos, que quebrou a economia de todos os países do mundo inteiro (não que eles tenham feito isso de propósito, mas é claro que poderia ser evitado se não tivessem os hábitos que tem, então tem responsabilidade sim). É como alguém te roubar e você criar fixação pelo bandido, tipo aqueles filmes onde a vítima se apaixona pelo seu algoz. Agora imagine se fosse o inverso, e o que esses anti-americanistas estariam falando a uma hora dessas se a pandemia tivesse surgido nos EUA...

      Excluir
  15. O que você acha sobre o Luteranismo e os luteranos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende muito de que tipo de luteranismo e de luteranos que estamos falando, mas de uma forma geral eles tem uma liturgia que não me agrada, embora eu também não condene. Também tenho divergências doutrinais, mas nada que ultrapasse o limite do tolerável. O pior mesmo são esses luteranos nutela de internet, que adoram pagar pau pro catolicismo e atacar todas as outras denominações evangélicas (frequentemente não se reconhecendo como tal, ou não reconhecendo as outras assim). Mas sei que isso não abrange todos os luteranos, inclusive já conheci alguns aqui no blog com uma visão bem diferente desses outros, por isso que eu disse que depende de qual tipo de luterano que estamos falando.

      Excluir
    2. Luterano pagando pau pro catolicismo? É o fim dos tempos!!! O mundo não é mais o mesmo!!! 😱

      Lutero deve se revirar no túmulo quando alguém que se diz "luterano" paga pau pro catolicismo kk

      Excluir
    3. Pedro Silva, acho que eu sei o motivo de os luteranos se aproximarem do Catolicismo. Na verdade, eles não estão se aproximando do Carolicismo ROMANO, estão se aproximando do Catolicismo no sentido histórico, mais amplo, ou seja, estão aceitando as doutrinas mais comuns das igrejas apostólicas (romana, antioquina, alexandrina, etc.). Por exemplo: o terço (versão luterana), oração pelos defuntos (embora rejeitem completamente o Purgatório, os católicos luteranos oram pelos mortos), episcopado monárquico, a penitência, etc.
      Para entendermos o porquê disso, vamos nos colocar no lugar deles. Imagine que vc é luterano, a sua denominação foi a primeira a surgir depois da Reforma, vc acredita que foi um progresso para o Cristianismo, mas aí começam a surgir um monte de "seitas" (coloquei entre aspas só para deixar claro que não concordo) que acreditam nos dons espirituais, rejeitam o batismo infantil, praticam comunhão mensal, etc., aí vc começa a pensar: "se a Reforma de Lutero realmente foi boa para o Cristianismo, então por que depois dela começaram a surgir tantas "seitas"? Entendeu o raciocínio deles? A partir daí, eles param de se considerar evangélicos ou protestantes e começam a se considerar membros de um tipo de "Catolicismo Reformado".
      Eu concordo parcialmente com essa opinião. Só que pra mim, a Igreja está em um processo de desenvolvimento gradual até a volta de Jesus. Então precisamos manter algumas coisas do passado e aceitar os desenvolvimentos benéficos do presente. Por isso que sou metodista, temos uma teologia bem equilibrada. Algumas coisas boas que a maioria das igrejas evangélicas tiraram foram essas:

      1. Consubstanciação
      2. Comunhão semanal
      3. Ordenação apenas de homens
      4. Altar
      Etc.

      Todas essas coisas são bíblicas e fazem parte do Cristianismo histórico e, no meu entendimento, são indispensáveis para uma igreja (ou deveria ser).

      Mas também houveram muitos desenvolvimentos benéficos para a Igreja desde a Reforma:

      1. Continuísmo
      2. Mortalismo
      3. Sistema de governo presbiteriano
      4. Credobatismo
      Etc.

      Creio que a Igreja irá continuar se desenvolvendo a cada dia mais até a volta de Cristo.

      Excluir
  16. 1-Banzolão Feliz Ano Novo!Sou eu Gabriel Tavares novamente no notebook do meu pai,pois eu vim passar férias na casa de familiares no Rio de Janeiro e não trouxe o meu notebook,só o celular,interessante que até o ateu Leandro Karnal fez uma palestra usando Santo Antão como exemplo https://www.youtube.com/watch?v=pjFT7vyBIP4 dizendo que ele resistiu bravamente a diversas tentações,mas pecou por causa da vaidade.Pq no final da vida Antão teria se ajoelhado e dito que finalmente se tornou um santo e o demônio teria sorrido com isso.

    2-Vc acha que além da interpretação radical de Mt 19:21 Santo Antão poderia ter se inspirado nos essênios para ter essa vida ascética?Pq os essênios já faziam o mesmo no primeiro século,pois achavam que a sociedade judaica,que os sacerdotes do Templo de Jerusalém tbm estavam bem corrompidos.Ele bem que poderia ter olhado para o exemplo de Susana,José de Arimateia,que eram discípulos ricos financeiramente de Jesus e não viviam essa vida monástica e ajudavam financeiramente a obra e até no nosso meio protestante atualmente nós temos pessoas que vivem uma vida isolada,fechada,similar a vida ascética,como os amish e os meninotas,acham que ele inspiram tbm na vida de Santo Antão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente não tem nada a ver com os essênios, já que os essênios foram eliminados em 68 d.C quando destruíram os seus assentamentos em Qumran, e Antão é dos séculos III e IV. Mesmo naquela época eles não eram tão conhecidos, tanto é que nem são mencionados nos evangelhos ou em parte alguma da Bíblia, na verdade eles se limitavam a um grupo bem restrito de adeptos e não chegou a ser um movimento expressivo nem mesmo dentro do Judaísmo, quanto menos fora.

      Excluir
  17. Banzolão vc já escreveu algum livro a respeito dos anabatistas?Que geraram os menonitas e os amish,que são grupos cristãos que embora adotem uma vida em comunidades isoladas,são diferentes dos ascetas,pois não praticam a abstenção de dinheiro e de sexo,eles possuem fazendas,se casam,geram descendentes,uma curiosidade é que o pai de Matt Groening,criador de ´´The Simpsons´´ cresceu em uma família menonita do Canadá e depois no Kansas e curiosamente se chamava Homer rsssss https://es.wikipedia.org/wiki/Homer_Groening ,quando o Homer resolveu se alistar na Segunda Guerra Mundial ele teve um desentendimento com o pai e posteriormente deixou a religião,não sei se ele tornou agnóstico igual ao filho Matt,mas não criou o filho em nenhuma religião,e o Matt tem irmãs chamadas Lisa e Maggie tbm kkkkk

    2-Banzolão vc acha que a ausência de fé de uma pessoa muitas vezes está relacionada com uma repressão religiosa sofrida?No outro post eu citei o Fred Phelps da Igreja Batista de Westboro,uma igreja pequena e independente com 70 membros,https://en.wikipedia.org/wiki/Westboro_Baptist_Church,que nem é ligada a nenhuma convenção,mas que ganha uma notoriedade bem negativa e espaço na mídia,que já gosta de se opor aos cristãos de modo geral,por conta de discursos homofóbicos agressivos como God Hates Fags https://www.bbc.com/news/magazine-26582812 ,quando na realidade Deus ama a todos,inclusive ´´as bichas´´ ,ele odeia todos os pecados,mas não os pecadores,o pastor Fred Phelps não sabia separar isso e protestava nos velórios de celebridades homossexuais ou simpáticas a agenda LGBT que faleciam,penso que muito por causa disso,o filho do Fred,Nathan Phelps https://en.wikipedia.org/wiki/Nathan_Phelps virou ateu e apesar de ser heterossexual,ativista do movimento LGBT.Conheço um cara da minha antiga igreja Assembléia de Deus Bom Retiro,filho do pastor responsável pela classe dos diáconos da Escola Dominical,além de pastor era sargento da Rota bem rígido com ele e esse meu amigo curtia muito heavy metal e isso era constantemente criticado pelos pastores,até que um dia ele foi para o show do Ozzy e o pastor responsável pelos jovens disse que o Ozzy era do demônio,ele se revoltou e não foi mais a igreja,depois ele começou a dizer que lendo a Bíblia achava o Deus do Antigo Testamento muito rígido,que mandava matar,talvez tenha faltado ele ter recebido um melhor discipulado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Eu escrevo um pouco sobre os anabatistas no primeiro volume do livro dos 500 Anos da Reforma, disponível na página dos livros:

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      2) De fato, grande parte dos que recebem uma criação religiosa muito fanática ou excessivamente rigorosa se tornam os mais ferrenhos inimigos do Cristianismo quando crescem, eu escrevi algo a este respeito aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/evangelicos-que-escandalizam-o-mundo.html

      Excluir
  18. Banzolao e vc tem acompanhado a série Cobra Kai na Netflix?Ontem foi lançada a terceira temporada e a quarta já foi confirmada,gostei muito,sempre fui fã da série de filmes Karate Kid,filme que nos anos 90 sempre era exibido na Sessão da Tarde,marcou minha infância,adorei que a história foi retomada e sem o maniqueísmo do Daniel ser o mocinho e o Johnny ser o vilão,a série mostra que não é bem assim,os personagens são mais humanizados,a série é mais realista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra falar a verdade eu nunca nem ouvi falar, nunca gostei muito de filmes de karatê ou de artes marciais (exceto alguns do Jackie Chan porque é carismático e divertido).

      Excluir
  19. Lucas, observe esse argumento.

    De acordo com Atos 4:13, João não foi escolarizado. Na época, era apenas uma porcentagem de um dígito de pessoas que sabiam escrever ... então é improvável que o pescador aramaico inculto John pudesse compor em grego sofisticado

    as pessoas(inclusive bart erhman) fala que os apostolos não escreveram todos os evangelhos
    por favor comente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas já falou sobre este assunto. O João que escreveu o Evangelho e as três cartas foi um outro João, chamado de João o Presbítero, que era muito culto nas línguas. Já João o apóstolo, que de fato era analfabeto, só escreveu o Apocalipse (e isso foi ao final de sua vida, ou seja ele teve muitas décadas para aprender grego) mas os rastros do analfabetismo se mantem, pois está cheio de erros de grafia os documentos originais que eram cópias exatas do livro que escreveu João (obvio que o Apocalipse hoje em dia esta sem erros de grafia em nenhuma língua). Caso você pergunte, a fonte do quarto evangelho foi Tiago irmão de Jesus, que também era o discípulo amado, e o escritor foi João o Presbítero que ouviu a história e escreveu (e os evangelhos recebem o nome do escritor, não da fonte, por exemplo Marcos é do Marcos e não do Pedro, que foi a provável fonte de Marcos, e Lucas é de Lucas e não de Paulo e outras fontes que Lucas usou).

      Esse é um dos artigos, mas o Lucas escreveu vários sobre este assunto: http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/02/nao-joao-nao-escreveu-o-quarto-evangelho.html

      Excluir
  20. Excelente artigo, Banzo (risos). Gosto muito do jeito que vc escreve e do jeito que vc debocha da Igreja Diabólica Apóstata Romana.

    1) Por que vc n acredita no Molinismo?

    2) Eu tenho quase certeza que João Batista era um essênio. Ele praticava o batismo e o isolamento social, o que caracteriza um essênio.

    3) Bânzoli, será que o fato de João Batista ser um asceta não justificaria o ascetismo? Eu quero deixar claro que concordo com o artigo, mas n entendo porque João Batista era um asceta se o Ascetismo é errado.

    4) Eu confio na tradição de Irineu de que João morreu durante o final do reinado de Trajano, em torno de 117 d.C. Mas gostaria de saber quais são as versões sobre sua morte. A maioria dos estudiosos acredita que ele tenha morrido de velhice, mas isso contradiz as palavras do próprio Jesus, que havia profetizado a morte dele e de seu irmão Tiago. Me lembro q vc havia mencionado alguns relatos sobre seu martírio, mas gostaria que vc me contasse sobre eles.

    5) Vc confia na tradição de Irineu de que o Gnosticismo foi criado por Simão Mago?

    6) Vc acha provável que Simão Mago realmente tenha sido confrontado por Pedro em Roma?

    7) Eu tive uma leve impressão de que Antão e Simeão não passam de lendas. Pelo menos Simeão está muito claro pra mim que não passa de uma lenda, ele nunca existiu. Mas se Antão realmente existiu, sem dúvidas sua história foi muito embelezada. E oq vc acha?

    8) Creio que o "espinho na carne" que Paulo se referia era algum demônio que o atormentava trazendo à sua memória os seus erros do passado antes de sua conversão. Pra mim, isso fica claro quando ele chama o "espinho" de "anjo de Satanás". Outra coisa que pode confirmar minha hipótese é que certa vez, o Diabo apareceu a Lutero com uma lista de todos os seus pecados, Lutero pegou uma pena e escreveu "Mas o sangue de Jesus Cristo me purificou de todos os meus pecados" e colocou as referências bíblicas, o Diabo nunca mais apareceu.

    9) O que é um ritual?

    10) O que é um rito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre o ponto 3. Ascetismo não é errado, é apenas um exagero. Ser um asceta pode até ser OK, mas não é necessário. Os cristãos com o passar dos séculos passaram a valorizar muito o ascetismo, como se você fosse um asceta seria mais santo que outras pessoas, o que não é verdade, pois fomos chamados para estar no meio das pessoas e pregar a elas. Vale lembra que João não estava totalmente certo, ele duvidava se Jesus era mesmo o Messias e provavelmente tinha algumas doutrinas diferentes (como essa dos essênios), ou seja João poderia até achar que ser um asceta te faria alguém mais santo (ou talvez não, talvez ele não achasse que ninguem era mais santo por isso ou aquilo, mas ele apenas decidiu ser um), mas Jesus claramente não considera que ninguém é mais santo que outro apenas por viver isolado. Vale lembrar que os fariseus diziam que João estava possuido por viver de forma asceta, mas os mesmos diziam que Jesus estava possuido por viver em meio a população, comendo e bebendo com eles (Lc 7:33-34), ou seja, Jesus e João agiam de maneira quase que opostas (que é o que Jesus critica nos fariseus, que reclamavam de todos que não concordavam com eles, mesmo que fosse contradição), e visto que nosso exemplo é Jesus e não João, devemos viver mais como Jesus do que João, não sendo necessário ser um monge ou asceta.

      Excluir
    2. 3 O problema central disso esta no fato de que as pessoas acham de que oquê foi dito por algum personagem biblico ou feito, ou esta na bíblia é o correto.

      Excluir
    3. 1) Porque na minha opinião o molinismo é mais um sistema filosófico do que propriamente soteriológico (i.e, teológico). Não estou dizendo que estão errados nem que estão certos, apenas que se trata de uma área que não me compete e nem me interessa. Teologicamente falando, o arminianismo puro e simples preenche todas as lacunas sem precisar de problematizações filosóficas e de toda a complexidade e tecnicismos que envolvem o molinismo.

      2) Eu não acho que seja preciso enquadrar João Batista em algum dos ramos do Judaísmo da época, assim como eu não concordo quando tentam fazer o mesmo com Jesus. Ele pode ter simplesmente pregado a mensagem do arrependimento sem se comprometer com uma corrente específica, até porque os profetas que o precederam (do AT) não eram nem fariseus, nem saduceus, nem essênios nem pertencentes a “panelinha” alguma.

      4) Este artigo tem bastante informação sobre isso:

      https://www.jstor.org/stable/3153885?seq=1#metadata_info_tab_contents

      5) Não dá pra saber ao certo se ele foi o primeiro gnóstico que existiu, mas foi pelo menos a primeira figura de destaque do gnosticismo.

      6) Ele foi confrontado por Pedro em Samaria (At 8:14-24), não em Roma.

      7) Há relatos contemporâneos desses homens (ou seja, gente daquela época escrevendo sobre eles), então não podem ser lendas, lendas só surgem com alguns séculos de distância para o acontecimento que estão narrando. Mas certamente pode e deve ter havido embelezamentos, como acontece com qualquer admirador escrevendo sobre a pessoa a qual admira.

      8) Não acho que seja isso, porque Paulo mesmo disse que “já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus” (Rm 8:1) e que “em nada minha consciência me acusa” (1Co 4:4). Na minha opinião esse espinho da carne era uma alusão à sua deformação nos olhos que ele mencionou na carta aos gálatas (Gl 4:13-15), que ele se refere como um “mensageiro de Satanás” porque acreditava ter sido enviada pelo diabo para atribulá-lo.

      9) https://www.dicio.com.br/rito

      10) https://www.dicio.com.br/ritual

      Excluir
    4. 6) Eu sei, mas existe um boato, que eu já pude constatar na História Eclesiástica de Eusébio de Cesaréia, no apócrifo dos Atos de Pedro e nos livros de Justino que Simão Mago viajou para Roma enquanto Paulo estava na Espanha (64 d.C.), Deus mandou uma revelação a Pedro para que ele fosse lá, chegando lá, Pedro confrontou Simão Mago e ele foi embora da cidade. Bom, uma das evidências apontadas por Justino é que os romanos construíram uma estátua em sua homenagem, mas essa imagem foi encontrada no século XVI e na verdade era uma homenagem a um deus romano chamado "Semão Sanco". Aí surge uma dúvida: Simão Mago realmente foi confrontado por Pedro em Roma, como diz a Tradição, ou isso não passa de uma lenda baseada numa confusão que Justino fez com a estátua de Semão Sanco, como se fosse de Simão Mago?

      8 e 9) Assim vc me faz parecer burro. Eu sei pesquisar em um dicionário (risos), vc acha q eu n fiz isso? Eu te perfuntei justamente porque o dicionário n explica direito. Ele dá uma explicação muito superficial e não dá pra entender a diferença entre o rito, ritual e cerimônia. Mas se vc n sabe também, n precisa responder. Deixa pra lá.

      Excluir
  21. Eu ouvi um argumento a favor da literalidade da parábola do Rico e Lázaro que é assim: "Não pode ser parábola pois tem nomes pessoais de pessoas"

    Eu nunca ouvi falar disso...

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A presença de nomes não torna a história real, é ridículo assumir isso pois a parábola em questão tem mais elementos fantásticos do que reais. Não é assim que é feito um estudo bíblico, ou seja, pegar o fato menor (ter nomes) e colocar acima dos fatos maiores e mais abrangentes (ou seja, tudo que faz esta parábola não ser um acontecimento real). Abraão não poderia estar no Céu ou em qualquer outro lugar, pois Cristo não havia se sacrificado para dar a vida de volta a ninguém. Abraão, mesmo que tivesse no Céu, não poderia falar com alguém que estivesse em um lago de fogo, seria ridículo assumir isso, achar que pessoas no Céu e "inferno" podem se comunicar. O rico também pede por água para molhar a língua, segundo os imortalistas ele nem deveria ter corpo para poder molhar, e se ele soubesse onde estava saberia que não tinha água, além de outras coisas. O objetivo da parábola é dizer que aqueles que não ouvem aos profetas vivos, não ouvirão ninguém, nem mesmo alguém que viesse dos mortos. Ou seja, a parabola não diz que o mundo espiritual funciona desta maneira ai, mas diz que mesmo que alguém viesse do mundo dos mortos pra falar sobre Deus, ele não seria ouvido pelos incrédulos. A história é apenas um exemplo (ou seja, uma parábola), que não deve ser tomada como real, pois as coisas não funcionam assim.

      Aqui esta o artigo do Lucas sobre o assunto: http://heresiascatolicas.blogspot.com/2013/05/estudo-completo-e-aprofundado-sobre.html

      Excluir
    2. Por esse critério, o conto da Branca de Neve também deve ser encarado como uma história real e literal, já a narrativa dá nome aos sete anões. Típico argumento de gente destituída de massa encefálica.

      Excluir
  22. Banzolao e o que você acha do canto gregoriano? Eu confesso que acho muito bonito,acho que é uma das poucas coisas da Igreja Católica que eu gosto kkk,além das pinturas,o teto da Capela Sistina pintado por Michelangelo,os vitrais,a arte sacra católica é bela,apesar de ter sido financiada com dinheiro de Indulgências e dos saques dos cruzados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto de canto gregoriano, é bem bonito
      Algo celestial e tals

      Nisso os católicos fizeram bonito, junto aos Ortodoxos com o canto Bizantino

      Os meus preferidos são: Te Deum, Vir Dei Benedictus, Th Ipermaho
      Acho que também outros que não me lembro o nome

      Excluir
    2. Particularmente não sou um grande fã (não é o tipo de música que eu coloque na playlist do Media Player pra escutar), mas pelo menos é melhor que o tipo de música que se costuma ouvir aqui no Brasil...

      Excluir
    3. Concordo. Os católicos e ortodoxos fizeram bonito com as músicas. Pena que a tradição protestante não usou muito esse tipo de música (talvez para se distanciar dos católicos)

      Excluir
  23. Lucas, o que você acha do Catolicismo Reformacional?

    http://danieldliver.blogspot.com/2016/07/o-fim-do-protestantismo-peter-j-leithart.html?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma tentativa constrangedora de conseguir a aprovação dos católicos, como se eles dessem a mínima pra isso. Para os católicos romanos, esses “católicos reformacionais” não são mais do que hereges, tanto quanto os protestantes. A doutrina deles é clara em afirmar – na boca e na pena de papas autoproclamados infalíveis – que sem a submissão ao pontífice romano e fora da Igreja Romana é impossível haver salvação. De modo que considerá-los irmãos espirituais compartilhando uma mesma fé dentro de um mesmo barco é algo totalmente fora de cogitação, dado que eles mesmos excluem todos os outros, como fazem desde que existem. É como alguém ser humilhado, cuspido e maltratado por alguém e ainda implorar pela atenção dessa pessoa, num exemplo inigualável de falta de amor próprio.

      Excluir
  24. Lucas,

    (1) O que você acha do pressuposicionalismo?

    Pressuposicionalismo: método apologéticoque sai do princípio de que Deus existe É questiona o ateísmo:
    "Por que há algo em vez de nada?"
    "De onde surgiu a vida?"
    "Como o ateu sabe que a razão dele funciona?". Grag Bahnsen foi um teólogo que utilizava essa técnica apologética.

    (2) Você não acha que a gente aceita com muita facilidade aposição do ateu de que (a) "não há evidências para um Criador".

    Não deveríamos perguntar ao ateu porque ele não considera a existência da matéria como evidência?

    Ele não deveria dar uma justificativa melhor do que simplesmente afirmar?

    Por que em universo sem Deus existiria matéria?
    Por que deveríamos acreditar que a matéria é eterna?

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Não vejo sentido em nada que parta do pressuposto de que aquilo que defende é verdadeiro. Só se prova que algo é verdadeiro a posteriori, nunca a priori (ou seja, a conclusão deve saltar logicamente das premissas, em vez de ser a própria premissa). Imagine se os muçulmanos (para citar um exemplo) partirem do pressuposto de que Alá é o único Deus verdadeiro, como alguém vai poder provar o contrário? Se a conclusão é a posteriori é só refutar as premissas, mas se é tomado como uma verdade a priori, não tem o que possa ser feito.

      2) Eu não acho que a gente aceita com facilidade essa posição, pelo contrário, a apologética está sempre oferecendo evidências da existência de um Criador (como por exemplo o argumento cosmológico, o teleológico, o argumento moral, o da ressurreição de Jesus e etc).

      Excluir
    2. Lucas,

      parabéns pelo seu trabalho. Sou um grande fã. Eu gostaria que você fosse tão famoso quanto William Craig.

      1) Você já encontrou um ateu desafiador? Você teria coragem de debater publicamente com um filósofo ateu que fosse capaz de responder os argumentos de Craig? Mesmo sabendo que ele poderia influenciar a plateia a se tornar ateia?


      2) Já encontrou uma pessoa, de outra fé, (deísta ou outra religião) que fosse desafiadora?

      3) Já encontrou bons argumentos em favor de outra vertente cristã (Tjs, Adventistas, Católicos)?

      4) Você não fica decepcionado com a apologética, haja visto que existe a contra-apologética e a apologética de outras religiões. No final, fica inconclusivo, porque todo mundo tem argumentos para defender seu lado e parece que quem ganha é simplesmente o mais inteligente.

      5) Eu já vi cristãos engajados em apologética abandonarem a fé. Poderia comentar porque isso acontece?

      Será que eles fundamentaram sua fé em argumentos e como os argumentos foram refutados eles abandonaram a fé? Ou eles apenas queriam viver uma vida de pecado?

      6) Já teve medo de o ateísmo ser verdade?

      7) Já teve medo de outra religião ser verdade?

      8) Já teve medo do catolicismo, TJ ou adventista estarem corretos?

      9) O que você acha do irmão Eli Soriano?

      10) Você consegue estudar todos esses assuntos de apologética e filosofia e dormir tranquilamente?

      William Craig disse que dorme às 22h todo dia. Quando eu penso em filosofia não durmo de jeito nenhum. Minha mente pensa sem parar.

      Um desabafo: eu estou cansado de apologética. Talvez a Bíblia nem apoie no final das contas (parece que Joseph Prince pensa assim. E eu acho que ele é o pastor mais bem informado que existe). Talvez a Bíblia apoie, mas eu é que não nasci pra isso.

      Desde já, obrigado pela atenção.

      Atenciosamente.

      Excluir
    3. 1) Isso não seria um problema.

      2) Eu não sei o que você considera “desafiador”, mas há bons argumentadores em todas as vertentes (mesmo quando não defendem bons argumentos).

      3) Já encontrei bons argumentos em relação a questões pontuais, algumas das quais me fizeram mudar de opinião (por exemplo, a mortalidade da alma dos adventistas), e outras após estudar mais a fundo vi que estavam erradas mesmo.

      4) Se a apologética é inconclusiva por existir apologética de todas as partes, então tudo na vida é inconclusivo, já que eu não conheço nada na vida que não esteja cercado por uma infinitude de opiniões divergentes para todos os lados (mesmo em se tratando de política, filosofia, futebol ou o que quer que seja). Pouco importa a existência de pontos de vista contrários, o que importa é para que lado os argumentos pesam. Muitas vezes o fato de existir muita gente defendendo uma coisa só ajuda a realçar o quão pobre os argumentos para tal coisa são, o que reforça o ponto de vista oposto.

      5) Cada caso é um caso à parte que deveria ser analisado individualmente, mas de forma geral, eu diria que é normalmente por uma das seguintes razões: (1) predisposição a aceitar o erro, como no caso daqueles que aderem ao ateísmo porque querem viver no pecado sem peso na consciência, ou daqueles que se tornam católicos por terem uma visão de mundo bastante reacionária e o tradicionalismo católico é o que mais se adequa à ideologia deles; (2) falta de profundidade no assunto, o que é evidente ao se notar que grande parte desses casos vem de adolescentes e jovens na faixa dos 20 anos ou até menos, que não sabem nada sobre a vida e mal leram meia dúzia de livros, mas acham que já tem repertório suficiente para tomar decisões dessa magnitude baseadas em argumentos totalmente superficiais e supérfluos; (3) decepção com igrejas, amigos ou líderes religiosos falhos dos locais onde congregaram, o que pode levar uma pessoa emocionalmente frágil a uma revolta tão grande com a religião ou com a fé que professava que decide ir pro outro extremo ou abandonar tudo.

      6, 7 e 8) É natural ter esses “medos” quando ainda se tem dúvidas, mas esse medo vai se esvaindo na medida em que a fé vai se consolidando.

      9) Eu acho que há tanto tempo no Brasil ele não deveria precisar mais de um tradutor.

      10) A minha área não é filosofia, é apologética e história, se eu estudasse filosofia como o Craig eu também aposto que não conseguiria dormir muitas horas, mas as áreas que eu estudo são bem mais tranquilas.

      PS: ninguém é obrigado a entrar na apologética ou mesmo a se interessar pelo assunto. Se você não sente o chamado para isso, não há nenhum problema em se cansar ou largar. Mesmo porque a fé não se baseia primariamente no conhecimento teórico ou nos argumentos racionais, mas no relacionamento pessoal com Deus, que qualquer pessoa – até mesmo um analfabeto, uma criança ou um ignorante completo – pode adquirir e ser salvo.

      Excluir
  25. Lucas, é errado sonegar imposto de forma legal, por exemplo, comprar no paraguai, conta no exterior etc?

    ResponderExcluir
  26. Lucas me responda de forma objetiva e sucinta se possível essas 5 perguntas.1) Qual era o contexto principal que Paulo fala de reter as tradições que foram ensinadas descrita em Tessalonicenses?2)Os católicos nos acusam que não existe SOLA SCRIPTURA e não está na bíblia e portanto é falso e que é a igreja coluna e o fundamento da verdade e não a bíblia, ou seja, o SOLA SCRIPTURA é a coluna e o fundamento da verdade como você explicaria a um romano?3)Nos acusam afirmando que Jesus não é um livro de capa preta, ou seja, ele não é um livro, mas o verbo , a palavra viva portanto a bíblia contém a palavra e não que a bíblia é a palavra como você responderia esse sofisma romano?4) Os romanos falam que a questão da tradição dos homens que Jesus condenou foi a dos fariseus judaicos, ou seja, a CABALA e que não tem nada haver com os católicos...como você responderia essa objeção sutil dos papistas?5)Acusação é que os protestantes segundo a ICAR diz que o grande problema da SOLA SCRIPTURA é que o cristianismo sucede a antiga aliança e que na antiga aliança começou com a tradição oral , ou seja, colocando-a acima da escritura que veio depois, por que o cristianismo se sujeitaria somente as Escrituras Sagradas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou o Lucas, mas gostaria de ajudá-lo.

      1) Em Mateus 28.20, Jesus mandou os apóstolos ensinarem todos os ensinos Dele aos seus discípulos. Esse que era o conceito de Tradição na era apostólica (quando os apóstolos ainda estavam vivos). Isso pode ser confirmado em 2 Tessalonicenses 2.15 e 3.6, onde fica claro que as "tradições" que Paulo se referia eram COSTUMES cristãos, não ESTORINHAS sobre pessoas que viveram muito tempo depois dos apóstolos (por exemplo, São Jorge, Santa Luzia, São Sebastião, etc.). Enfim, no princípio do Cristianismo, a "Tradição Apostólica" nada mais era do que relatos passados oralmente sobre Jesus, mais tarde, a Tradição Apostólica passou a incluir também os atos dos apóstolos (não me refiro ao livro de Atos, mas aos atos de cada um dos apóstolos após a Ascensão de Cristo). Na época dos primeiros Pais da Igreja, a Tradição Apostólica ganhou mais um sentido: era um tipo de "credo" que resume os ensinos gerais das Escrituras. Resumindo, a Tradição Apostólica é tão somente:

      1 - Relatos sobre a vida de Jesus Cristo.

      2 - Relatos sobre a vida dos apóstolos.

      3 - Práticas e costumes ensinados por Jesus e pelos seus apóstolos.

      4 - Um resumo geral das Escrituras.

      5 - Um credo.

      2) Existem vários trechos da Bíblia que ensinam a suficiência das Escrituras em matéria de fé e prática. Pegue como exemplo 2 Timóteo 3.15-17, João 5.39 e 20.31.
      Quanto a Igreja ser a coluna e sustentáculo da verdade, em primeiro lugar, esse argumento é tão velho, fraco e ridículo que Calvino já o refutou em um dos primeiros capítulos das Institutas. Mas, refutando a este "argumento" de acéfalos gadólicos, note que não está escrito que a igreja ROMANA é a coluna e sustentáculo da verdade em 1Tm 3.15, está escrito apenas "igreja" se referindo aos cristãos como Corpo de Cristo, não a uma instituição apóstata localizada em Roma. Em segundo lugar, a "coluna" e o "sustentáculo" são partes de uma construção que ficam em cima de uma pedra angular. E Paulo explica que essa pedra angular é Jesus Cristo em Ef 2.20. Ou seja, nas analogias de Paulo, Jesus é a Pedra Angular que sustenta a Igreja e a Igreja é "coluna e sustentáculo da verdade" porque ela está fundamentada sobre Cristo (Ef 2.20), que é a própria Verdade (Jo 14.6). Resumindo, a analogia de Paulo é essa:

      a) Jesus, a Verdade, a base da Casa de Deus (Ef 2.20; Jo 14.6).

      b) Igreja, a coluna e sustentáculo da Verdade, fundadas sobre Cristo (1Tm 3.15).

      Espero que não tenha ficado confuso. Se vc n entendeu, o Lucas tem um artigo sobre isso que pode te esclarecer melhor.

      3) O Lucas tem um artigo sobre isso chamado "quem disse que a Bíblia não é a Palavra de Deus?".

      4) Se os judeus, que eram o povo de Deus, corrompeu as tradições orais, então por que a Igreja Romana não poderia ter cometido o mesmo erro? E outra, João 21.23 deixa claro que já na época dos apóstolos a Tradição Apostólica já estava sendo corrompida. Por isso que é muito mais inteligente crer naquilo que foi escrito pelos próprios apóstolos invés de acreditar em estorinhas de telefone sem fio contadas por papistas apóstatas. E outra, se João corrigiu uma tradição oral POR ESCRITO (Jo 21.23), então é óbvio que a autoridade das Escrituras é superior a autoridade de qualquer tradição oral.

      Excluir
    2. 5) Em primeiro lugar, se os cristãos devem obediência a tradição oral só porque alguns livros do NT foram baseados nelas, então os papistas deveriam se sujeitar a tradição oral judaica, pois é dela que veio alguns livros da Bíblia (Juízes, por exemplo, que foi escrito por Samuel com base em tradições orais hebraicas). Em segundo lugar, o fato de a Escritura ter usado como fonte as tradições orais não significa que as tradições orais também sejam Palavra de Deus. Repare que às vezes a Bíblia cita as fontes de suas narrativas (veja Js 10.13 e 2Cr 33.19 como exemplo), mas isso não quer dizer que essas fontes também sejam Palavra de Deus. Caso contrário, a Bíblia estaria faltando uma pancada de livros que estão perdidos até hoje. Em terceiro lugar, se as tradições papistas são mesmo Palavra de Deus, então por que elas contradizem a Bíblia? Tome como exemplo o Rosário: Jesus proibiu as orações mecânicas e repetitivas em Mateus 6.7, mas é tradição dos papistas fazer exatamente o que Jesus proibiu! Mais um exemplo: a Bíblia diz que os mortos não sabem o que acontece na Terra (Ec 9.5-6), mas os papistas rezam aos santos como se eles pudessem ouvir as nossas preces aqui na Terra.

      Espero que eu tenha te ajudado. Fique na paz do Senhor!

      Excluir
    3. Protestante Banzoli, dê uma olhada nesse artigo:

      https://agrandecidade.com/2015/08/14/paulo-e-as-tradicoes-do-catolicismo/

      Excluir
  27. 1) Lucas, descobri que no meu DNA eu sou 5% judeu. E descobri que tenho um ancestral judeu que foi um cristão-novo (vc q é historiador deve saber o que é isso, então eu nem preciso explicar) que nasceu no século XVII e morreu no XVIII. Será que sou descendente de Abraão?

    2) Eu concordo que João não escreveu o Evangelho de João, mas, diferentemente de vc, eu acho que o discípulo amado era Lázaro. Mas a minha dúvida é o seguinte: será que Jo 21.24 significa que o discípulo amado escreveu o Evangelho de João do jeito que conhecemos ou ele apenas indica uma das fontes usadas pelo João Presbítero na composição de seu Evangelho?

    3) O Aristião mencionado por Pápias é o Aristarco mencionado por Paulo e Lucas no livro de Atos?

    4) Os livros de Pápias foram escritos em que ano aproximadamente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 2-Eu pensava também que podia ser Lazaro a um tempo atrás, mas não pode ser ele por algumas razões, que é um pouco difícil de perceber. Primeiro, Os sacerdotes odiavam Jesus e Lazaro acima de tudo, mais que os apóstolos, Jesus porque era o autor dos milagres, e Lazaro porque ninguém impactou mais que Lazaro quando este ressuscitou. A Escritura afirma que os sacerdotes buscaram matar Lazaro também porque muitas pessoas vinham ver ele (João 12:9-11), e acontece que o discípulo amado conhecia o sumo sacerdote, e tinha até permissão para ver a Jesus sendo julgado pelos sacerdotes (João 18:15), isso seria impossível se fosse Lazaro, pois os sacerdotes o queriam matar imediatamente, nunca que Lazaro iria ser um amigo do sumo-sacerdote. E outro momento é na crucificação, onde nenhum dos apóstolos compareceu. Esta é a maior evidencia pela qual o discípulo amado não pode ser um dos doze (ou Lazaro) POIS TODOS ELES FUGIRAM. Todos aqueles que falaram que não iam abandonar Jesus o deixaram no momento de sua morte, inclusive João (que as pessoas dizem ser o discipulo), e a razão disso é a presença dos sacerdotes mais uma vez. Quando Pedro ousou chegar perto do pátio dos sacerdotes, as pessoas começaram a questionar se ele era um dos discípulos, imagine agora se os discípulos comparecessem tranquilamente na cruz sendo que estava cheia de soldados e sacerdotes, eles seriam presos na hora. O mesmo vale para Lazaro, que também seria capturado e morto pois os sacerdotes planejavam mata-lo também. O único que poderia ver a Jesus nas duas ocasiões era Tiago, que era amigo do sumo-sacerdote, e assim pode ver Jesus tanto no julgamento quanto na crucificação (além disso, o texto da a entender que Tiago começou a seguir Jesus bem tardiamente, a ponto de nem notarem que ele era um discípulo de Jesus, e por ele ser também o irmão de Jesus era natural que ele comparecesse na crucificação, sem ninguém suspeitar que ele era um discípulo), Lazaro e nenhum outro dos doze tinha este privilégio (e iriam ser mortos se aparecessem), por isso nenhum pode ver Jesus em nenhum momento. Lazaro aparece somente em João (que é onde é citado o discípulo amado) e João também diz que Jesus amava ele, o que da a entender isso que ele poderia ser o discípulo amado, mas ao olhar o texto vemos que não é bem assim.

      Excluir
    2. 3) Vc tem razão que a hipótese de Lázaro também apresenta algumas dificuldades. Mas a hipótese de Tiago também é bem problemática. Em primeiro lugar, algumas passagens dos evangelhos deixam claro que todo mundo já sabia que Tiago e Jesus eram irmãos. Até Flávio Josefo sabia disso. Então, também é altamente questionável que Tiago conseguisse ter acesso a sala do sumo sacerdote.

      A referência 18.15 não se refere ao discípulo amado. Se vc pegar qualquer versão da Bíblia, vai ver que o texto não fala "O outro discípulo", ele diz "outro discípulo". Já olhei na tradução LITERAL da SBB do Novo Testamento e eles traduziram Jo 18.15 como "outro discípulo", em vez de "O outro discípulo. Portanto, o discípulo mencionado em Jo 18.15 não é o discípulo amado, é outro discípulo (provavelmente José de Arimatéia ou Nicodemus).

      Estou estudando à fundo a origem dos escritos joaninos e, por enquanto, penso que o discípulo amado não é alguém mencionado na Bíblia. Por enquanto, acho que sua identidade se perdeu para sempre.

      Excluir
    3. 1) Sim, na verdade estima-se que quase toda a população mundial atual descenda de Abraão em alguma medida, genealogicamente falando (mesmo que num percentual muito pequeno, devido às inúmeras misturas de povos ao longo dos milênios que se passaram até hoje).

      2) O Vinicius já respondeu sobre isso acima.

      3) "Em primeiro lugar, algumas passagens dos evangelhos deixam claro que todo mundo já sabia que Tiago e Jesus eram irmãos. Até Flávio Josefo sabia disso. Então, também é altamente questionável que Tiago conseguisse ter acesso a sala do sumo sacerdote"

      Mas o que tem a ver uma coisa com a outra? Eu nunca disse que os líderes religiosos não sabiam que Tiago era irmão de Jesus - é óbvio que sabiam, e justamente por isso lhe foi permitido estar ao pé da cruz junto com a sua mãe. Um familiar tinha o direito legal de acompanhar o julgamento do réu e sua condenação, algo que um simples discípulo não podia, por isso Pedro fugiu mas o discípulo amado (Tiago) não.

      "A referência 18.15 não se refere ao discípulo amado. Se vc pegar qualquer versão da Bíblia, vai ver que o texto não fala 'O outro discípulo', ele diz 'outro discípulo'"

      Você está insistindo no mesmo erro que eu já expliquei e refutei anteriormente, não entendo por que faz isso. O original grego traz o artigo definido "ho", é só consultar os textos originais (link abaixo), mas em vez de você consultar os originais você consulta uma tradução em português pra insistir nesse falso argumento, não dá pra entender. No dia em que uma tradução da Bíblia tiver mais valor que os próprios originais aí acabou a exegese e eu fecho esse site, é muito absurdo.

      http://www.sacrednamebible.com/kjvstrongs/index2.htm

      Excluir
    4. 2) O Vinicius não explicou João 21.24. Queria saber se o discípulo amado escreveu o Evangelho do jeito que temos hoje ou se essa referência se refere apenas a uma FONTE usada pelo autor que foi escrita pelo discípulo amado.

      Já olhei na tradução LITERAL direto do GREGO para o protuguês da SBB e não está escrito "o outro discípulo". Entenda que não estou tentando te contrariar nem nada, só estou estudando o assunto. Mas confesso que não entendo nada de grego.

      3) Me responda por favor se o Aristião da Bíblia é o Aristão mencionado por Pápias.

      4) Em qual século os livros de Papias foram perdidos?

      Excluir
    5. 2) Uma fonte oral ou escrita que ele transmitiu ao autor. Não faria sentido ser um texto idêntico ao do evangelho, neste caso ele próprio teria publicado o livro, e não outra pessoa baseada no que ele disse. É um caso semelhante ao de Lucas, que pesquisou em diversas fontes, décadas antes.

      2b) Você não tem que olhar tradução nenhuma, mesmo as traduções que dizem ser mais literais não são tão literais ou precisas assim em alguns casos, tem que ir direto no grego e ver o que o grego diz, neste caso está o "ho" ali, então não tem o que discutir sobre isso. Se você faz tanta questão assim de olhar traduções, então que pelo menos faça isso com um Interlinear, que mostra o texto grego em cima e uma tradução palavra por palavra embaixo, como o Novo Testamento Interlinear Analítico de Paulo Sérgio Gomes e Odayr Olivetti, onde o texto em questão está assim:

      https://uploaddeimagens.com.br/images/003/036/482/full/Sem_t%C3%ADtulo.png?1610893156

      3) Não existe nenhum Aristião na Bíblia.

      4) A última vez que a obra completa de Papias foi vista foi em 1341, quando desapareceu do catálogo da Biblioteca de Estames, um mosteiro cisterciense.

      Excluir
    6. 3) Eu errei o nome. É Aristarco. Será que o Aristarco ou o Aristóbulo é a mesma pessoa que o Aristião mencionado por Papias?

      Excluir
    7. Não acho que sejam, são nomes diferentes e mesmo se fossem variantes do mesmo nome ainda assim seria muito fácil haver duas pessoas com o mesmo nome, isso não provaria nada.

      Excluir
  28. https://agrandecidade.com/2015/08/14/paulo-e-as-tradicoes-do-catolicismo/

    ResponderExcluir
  29. Há uns dias atrás eu ouvi com os meus próprios ouvidos um pregador da Nossa Rádio (pertencente a Igreja da Graça) orar assim: "Grande Arquiteto do Universo...".
    Creio que você já sabe que esse termo é usado muitos por maçons para designar o Criador do Universo que eles acreditam, o GADU.

    Eu fiquei surpreso quando ouvi isso. Se ele de fato for maçom, não soube disfarçar rs
    O que você tem a dizer sobre isso, Lucas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai ver ele disse isso porque hoje em dia tem muito GADU mesmo, se é que me entende...

      Excluir
  30. Banzolao ,li que nesse final de ano o Lula esteve em Cuba,justamente na semana em que ativistas da oposição foram presos por lá,já que toda oposição ao regime socialista cubano é ilegal,com isso o ladrão de 9 dedos mostra mais uma vez que não tem nenhuma simpatia pela democracia,mas por que vc acha que ele não tentou fazer o mesmo quando foi presidente do Brasil e nem o seu poste(Dilma Estocadora de Vento Rousseff)?Nem cogitaram prender o pessoal do MBL,os manifestantes que pediam o impeachment,nem fecharam a Revista Veja e a Rede Globo que eram os veículos da imprensa que mais incomodavam os petistas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não fizeram por medo da reação popular, porque achavam que do jeito que estava podiam continuar roubando à vontade que iriam sempre se reeleger sem serem pegos. Hoje já seria provavelmente diferente, o próprio Lula adotou um discurso bem mais agressivo contra a imprensa depois que saiu do poder (sobretudo após o impeachment e a Lava Jato).

      Excluir
  31. Lucas, falando um pouco sobre o tema do artigo, eu acho a vida monástica (com certa ressalvas) válida. Não vejo problema em uma pessoa querer se separar do mundo e das preocupações vãs do dia a dia para se dedicar totalmente à oração, a ter uma vida contemplativa.
    Porém, o que eu acho que o monasticismo atual (católico) peca em algumas coisas como você mesmo disse.
    Primeiro, se isolam por completo. O monastério deixa de ser uma casa e se torna o "mundo" do monge. Isso vai contra o que Jesus disse, para sermos a luz do mundo e o sal da Terra. Isso também atrapalha a missão do cristão, "pregar o evangelho a toda criatura".
    Segundo, regras bobas. Algumas ordens monásticas tem regras bobas sem sentido, como "não usar perfume", sei lá. Isso não tem sentido nenhum!
    Terceiro, seguem doutrinas errôneas, como a católica ou ortodoxa.

    Tirando esses pontos, acredito que é válido.
    Acho que o monasticismo cristão perfeito seria se, com frequência, os monges saíssem para evangelizar e fazer caridade, não tivessem regras bobas e fossem protestantes.

    Resumindo, o monasticismo precisa de uma reforma.

    Aqui vai um podcast para quem quiser ouvir mais sobre monasticismo protestante (existe rs): https://youtu.be/KDv1MyvE0FI

    O que você acha, Lucas? Concorda?
    (Ps.: Não sou monge rs)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema não é alguém querer viver como um monge, é colocar isso como um padrão de santidade, uma meta para o cristão, como se o monge estivesse mais perto de Deus por ser monge, vivendo com todas as privações sem sentido (além dos outros pontos que você corretamente destacou). Se o padrão de um cristão é a vida monástica, então nem Jesus era um bom modelo de cristão.

      Excluir
    2. Tem razão, o padrão de santidade do cristão deve ser acima de tudo, sempre e somente Jesus Cristo. Isso não significa que não podemos nos inspirar em certas pessoas, como o próprio Paulo disse para sermos imitadores dele como ele é de Cristo. Mas perceba, que até quando imitamos alguém, essa imitação só deve ocorrer se essa pessoa for imitadora de Cristo.
      Ou seja, Cristo é o padrão máximo de santidade.

      Mas uma coisa pra reformar no monasticismo rs

      Excluir
  32. 1-O Santo Antão viveu a época de transição entre a igreja perseguida,a igreja legalizada de Constantino e a estatal de Teodósio,viveu 105 anos,estava vivo em
    todas essas ocasiões,mas por ser asceta deve ter passado meio que batido por
    isso,pelos relatos escritos sobre ele há como dizer que ele se interessava por essas questões ou sabia algo do que estava ocorrendo em Roma?

    2-E Banzolao na sua opinião qual foi o pecado de Santo Antão com a vaidade que tanto falam?No vídeo que te enviei do Leandro Karnal,ele diz que foi se ajoelhar e se achar santo,já em um livro que li "Conhecendo Seu Real Inimigo"de Michael Youssef foi ciúme do irmão que tinha sido nomeado bispo de Alexandria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Ele ficou "só" 20 anos afastado totalmente de qualquer contato humano, não todos os 105 anos de vida dele, inclusive um dos motivos que o fez abandonar o isolamento foi refutar a heresia ariana (da qual ele tinha ciência).

      2) Eu já vi muitas vezes o Karnal dizendo isso mas não conheço a fonte dessa citação, nem sei se procede isso que o Youssef escreveu.

      Excluir
  33. Lucas, no artigo passado quando comentei a respeito da lealdade gado que muitos afro-americanos tem à respeito do Partido Democrata americano você me falou que o principal fator era o da pobreza que faz muitos eleitores afro-americanos votarem nos Democratas e de fato é, mas também descobri outro fator: a pressão de outros negros sobre os outros, em geral um dos motivos pelos quais também fazem os negros americanos votem no Partido Democrata é que os negros que votam nos republicanos são extremamente mal vistos em suas comunidades e constantemente são mal vistos, pois ainda há muitos negros americanos que acham erroneamente que os Republicanos são todos racistas:

    https://www.google.com/amp/s/fivethirtyeight.com/features/why-so-many-black-voters-are-democrats-even-when-they-arent-liberal/amp/

    https://youtu.be/MydjXCHoLo0

    E como em geral, a maioria dos afro-americanos ainda moram em guetos ou bairros segregados, a maioria dos negros praticamente só convive com outros negros, e isso é um dos motivos pelos quais a pressão é para a votar num democrata é muito forte, e em geral enquanto os negros que votam nos republicanos em geral moram em subúrbios americanos normais e convivem não só exclusivamente com negros, mas com pessoas de todas as raças (em especial brancos, asiáticos e alguns hispânicos como os cubanos). Em suma, é como se fosse um voto de cabresto à la redneck.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem isso também, já tinha lido a respeito, mas não penso que seja o cerne da questão, já que todos os grupos sociais humanos tem a tendência de seguir os seus pares, mas deve haver uma razão maior que justifique por que um determinado grupo pensa de determinada maneira (ou seja, o fato de um negro isolado seguir o consenso do grupo e votar nos democratas não explica por si só por que o consenso do grupo é votar nos democratas). Eu acho que o "efeito manada" ajuda a aumentar o voto nos democratas, mas eles seguiriam tendo a maioria mesmo se não fosse por isso.

      Excluir
  34. China um país onde falar mal do mito deles pode te custar a vida, é incrível o que a idolatria cega a um líder é capaz de fazer:

    https://www.google.com/amp/s/www.cnnbrasil.com.br/amp/business/2021/01/05/chines-que-morreu-envenenado-preparava-serie-com-a-netflix-sobre-mao-tse-tung

    ResponderExcluir
  35. Lucas, eu tenho uma dúvida:

    É errado continuar seguindo algumas tradições católicas mesmo quando você abandona o catolicismo? Falo isso porque, conheço muitas famílias evangélicas (incluindo minha própria família) que por exemplo não comem carne na Sexta-feira Santa e seguem a tradição católica de comer apenas peixe, seguir essa tradição é errada? O que você acha dessa tradição de abster-se de comer carne na Sexta-feira Santa e comer peixes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende da tradição em questão, se for algo que incorra numa heresia é obviamente errado, mas se for apenas uma prática boba e inocente como não comer carne num determinado dia, é algo que não faz mal algum à pessoa, embora também não agregue nada. Na prática é apenas uma privação inútil e sem sentido (a propósito, bem compatível com o tema do artigo), mas nada que configure pecado ou coisa do tipo.

      Excluir
  36. Banzoli, estava vendo posts de católicos e vi uma história de um tal inquisidor chamado Robert de Bourger. O que li no post católico foi o seguinte: "em 1223, Robert de Bourger anunciou alegremente seu objetivo de queimar os hereges, e não convertê-los, ele foi imediatamente suspenso e preso por toda a vida por Gregório IX" Pode averiguar se essa história é no mínimo verdadeira? Peço que faça um post sobre a veracidade ou falsidade dessa história apresentada pela apologética católica urgentemente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Igor, quem tem que comprovar a veracidade SÃO ELES. Enquanto não provam, isso é só história pra gado dormi.

      Excluir
    2. Pesquisando a respeito, o único Robert de Bourger que parece existir é esse daqui:

      https://en.wikipedia.org/wiki/Rob_Burger

      As músicas dele deixam a desejar, mas nada que justifique uma prisão por toda a vida.

      Excluir
  37. Lucas ficou sabendo que recentemente um grupo de arruaceiros tentou invadir o Congresso dos Estados Unidos para protestar contra a eleição de Joe Biden? Olha, nunca pensei que isso iria acontecer nos Estados Unidos, nunca achei que algum dia alguém iria aparecer para tentar por à prova a Democracia dos Estados Unidos, assim que vi aquele gado do Trump agindo assim veio logo à mente aquelas manifestações antidemocráticas promovidas pelo gado bolsonarista, olha uma coisa é você fazer esse tipo de manifestação numa república das bananas da América Latrina, outra coisa muito diferente é você fazer isso na maior e mais antiga República do Planeta! E mesmo assim, em ambos os casos, por à prova a Democracia é uma coisa completamente imoral, antiética, cínica e populista!

    https://www.google.com/amp/s/noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2021/01/06/predio-do-capitolio-nos-eua-e-evacuado-apos-ameaca-de-bomba.amp.htm

    Pelo jeito o Trump fez uma coisa que nenhum outro Presidente americano fez na História: tentou Latinizar (ou Brasilizar) a Política dos Estados Unidos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo o alvoroço com a eleição do Trump em 2016 não foi por acaso. É comum vermos temas como Economia e outras estatísticas diferenciadas sendo utilizadas como bons feitos da gestão Trump, de fato foram. Entretanto, o ponto crucial da histeria envolvendo o sujeito não engloba diretamente essas categorias. Até porque, convenhamos, de modo geral os EUA experimentam crescimento e estabilidade sob a tutela de ambos os partidos. O núcleo da questão é outro. Ele compactua com um modo insolente de se fazer política. O cara adota uma retórica com viés gritantemente bélico, fazendo uso de populismo barato. Ele transcende a provocação, gosta de chocar, causar ressonância e repercutir com base em inflamação impulsiva das paixões populares.

      Veja bem, a política Latino-Americana é marcada por constante instabilidade. Nós aspiramos avidamente desenvolvimento, destaque e autonomia, rumo à nossa consolidação como sendo Democracias respeitáveis e sofisticadas. Porém, nunca emplacamos vitórias de forma definitiva nesse sentido, acabamos sempre à margem. Vários fatores de caráter histórico, envolvendo nossa formação como povo, colaboram para essa situação, como o Banzoli já ressaltou diversas vezes. Inconsistência é o que nos define. E é justamente aí que a porta para a ascensão de populistas é aberta.

      Excluir
    2. Os populistas demandam uma realidade caótica, problemática, de desordem e insatisfação generalizadas. Para então se infiltrarem e explorarem esses problemas da forma mais rasa possível: catalisando o ódio acumulado do povo, dispersando toda a culpa num inimigo X, tornando-se então a encarnação do bem, os salvadores da pátria. E já que por aqui na América Latina problema social sério é o que nunca falta, há um emaranhado gigante de acessórios para os populistas de todas as vertentes ideológicas se deleitarem. Por esta razão esse fenômeno é tão recorrente nessas bandas.

      Lá nos EUA, quando o Trump chegou ao poder, havia grande controvérsia em tópicos como imigração, dentre outras coisas. É nesse painel conflituoso, eficaz em conceber populistas, que o cara teve a ousadia de arriscar a coisa. Ele cooptou esses fatores, fez uso deliberado do exótico tempero de agressividade que se auto-proclama justo e virtuoso. Uma receita típica Latino-Americana. E deu no que deu. As instituições americanas são maduras o suficiente para barrar os efeitos mais temerários, mas os resquício estão aí soltos, como nesse episódio hediondo de ontem, inimaginável de ter ocorrido na maior Democracia da Terra. Por isso o Trump consegue insistir na balela de fraude com facilidade, ele já estabeleceu uma base, há quem compre o barulho. Uma série de políticos republicanos não suporta mais o cara, todavia, o equívoco de ter alguém como Trump na presidência já foi feito, agora teremos que lidar com os frutos.

      Excluir
    3. Já me alonguei demais, acho que nem preciso entrar no que tange aos efeitos desse evento aqui nas terras tupiniquins. De qualquer forma, o que precisamos urgentemente extrair de tudo isso é a diferenciação importante entre Joio e Trigo no meio "conservador". Conservadorismo é sobre preservar princípios, é sobre ser "pés no chão", sobre ceticismo político. Reparem como, infelizmente, a realidade de muitos ditos conservadores é literalmente o oposto disso. Não é sobre ser realista, e sim sobre ser puramente idealista, ser mirabolante, neurótico, viver num Mundo paralelo habitado por um "ideal imaculado" e as paranoias que o cercam. O que a crítica de Burke à violência da Revolução Francesa tem a ver com os baderneiros lunáticos de ontem? Gente insana carregando bandeiras confederadas sem a menor vergonha na cara, e erguendo uma Cruz em frente ao Capitólio. Gente que o Trump disse amar e compreender bem. A filha do cara ainda teve o desplante de classifica-los como "patriotas".

      Enfim, a realidade está imensurável. Aquilo não representa a totalidade dos eleitores do Trump, necessariamente, mas os adjetivos cínicos que o mesmo imputou sobre os baderneiros dizem bastante sobre a coisa. E o assustador é que, se ocorreu no berço da Democracia Moderna, com uma reação presidencial desse nível, pode ocorrer em qualquer lugar. A gente tem que ficar com os olhos muito bem abertos, sério.

      Excluir
    4. Concordo com cada palavra dita por você amigo, realmente você está coberto de razão.

      Excluir
  38. Lucas, porque o Trump se recusa a reconhecer o resultado das eleições presidenciais?

    ResponderExcluir
  39. Viu essa? Feminismo pró-vida:

    https://adeilsonfilosofo.jusbrasil.com.br/artigos/411904270/sou-feminista-e-contra-o-aborto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom seria se todas as feministas fossem pró-vida, mas na verdade para a maioria das feministas o aborto é não apenas uma parte fundamental da pauta como também a mais importante.

      Excluir
  40. O que pensa da Eutanásia? ela entra como pecado de matar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a eutanásia for expressamente autorizada pelo indivíduo para atenuar seu sofrimento e se ele não tiver mais absolutamente maneira alguma de se recuperar, eu não penso que configure assassinato. Nós fazemos isso com animais de estimação que amamos muito e que não queremos que morram, mas que contraíram uma doença sem cura e cuja prolongação da vida só consistiria em sofrimento desproposital. Mas se a pessoa está disposta a lutar e resistir mesmo em meio à dor, qualquer ato no sentido de tirar sua vida seria assassinato.

      Excluir
  41. Lucas, assistindo a esse vídeo que o Renan fez ele me fez refletir o seguinte: será que esse é realmente o fim do Império Americano? É o fim da Democracia republicana? Será que a China bem como o modelo Chinês de governo e econômico irá prevalecer? O que você acha disso? O vídeo é esse aqui:

    https://youtu.be/t8R2ND0FBAE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não estou comentando mais vídeos/artigos aqui no blog por falta de tempo, mas eu acho bem exagerado dizer que a democracia americana acabou só por causa do episódio do capitólio. Ela acabaria se os vândalos tivessem conseguido o que queriam e mantivessem o Trump no poder à força, o que não foi o caso. E mesmo que fosse, isso de modo algum faria da China um "modelo de governo", já que lá se passa coisas bem mais horrendas que isso, e não se pode nem falar em democracia.

      Excluir
  42. Lucas, isso o que está acontecendo nos Estados Unidos pode servir como munição para os monarquistas dizerem que o modelo Republicano presidencialista falhou? Será que eles podem usar essa crise política nos Estados Unidos como um argumento para dizer que o modelo Republicano será sempre fadado ao fracasso enquanto que a Monarquia é um exemplo de estabilidade???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falhou porque depois de mais de 200 anos de república o Congresso sofreu uma invasão? Isso é brincadeirinha de criança comparado ao que já aconteceu em qualquer monarquia histórica.

      Excluir
    2. Fiquei interessado, o que já aconteceu de pior?

      Excluir
    3. Revoluções, revoltas, golpes, traições, conspirações, guerras, massacres e etc.

      Excluir
  43. Lucas, sabemos que o Calvinismo vai muito além da doutrina da predestinação , apesar de ser mais conhecido por isso. Há toda uma vasta doutrina e cosmovisão , que se representa na Teologia Reformada.

    Agora quanto ao Arminiananismo, é correto dizer que existe uma teologia Arminiana ou existe somente uma soteriologia Arminiana ?

    O Arminianismo tem influência para além da soteriologia no metodismo e no pentecostalismo , por exemplo ?

    E também qual a visão sobre o estado, sobre lei , justiça, enfim, da realidade social, que o arminianismo propõe em oposição ou alinhado com à visão Reformada ?

    Sobre essas questões, vemos muito material feitos por Calvinistas (Como os livros do Glauco Barreira Magalhães Filho, Abraham Kuyper, Herman Dooyeweerd. etc.) Mas, pode ser uma ignorância minha, não vejo livros nesse estilo envolvendo a cosmovisão Arminiana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O arminianismo é apenas uma corrente soteriológica, ele não se propõe a emitir uma posição oficial sobre esses outros assuntos, cada arminiano é livre para defender o que quiser quanto a isso. E embora o calvinismo vá além da soteriologia, há muitos que são calvinistas apenas no aspecto soteriológico também, que não concordam com tudo o que Calvino defendia ou com tudo o que era defendido nas confissões de fé das igrejas reformadas.

      Excluir
  44. Lucas, é verdade que o livro de jó é o primeiro livro a ser escrito?

    ResponderExcluir
  45. Lucas, nesse texto, um cético tenta refutar a ideia científica de jó 26:7, porém eu observei que ele traduz algumas palavras para o texto original e nota que os mesmo verbo é encontrado no livro de gênesis , no qual ele se baseia totamente nela. Porém o erro é que ele deve considera o texto histórico cultural do livro de jó e não de gênesis, ao inves de fazer uma exegese ele traduz palavra por palavra e busca entender jó por gênesis, sendo que jó foi escrito anteriormente.

    aqui está o link : https://porquenaocreio.blogspot.com/2012/07/jo-267-ensina-terra-suspensa-nada.html#_ftn32

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É importante entender que nem todos na bíblia sabiam de todas as coisas. Deus não ensinou ao ser humano nem as coisas básicas como domesticar gado e criar ferramentas, que foi algo que o próprio homem decidiu fazer (Gn 4:20-22), e Deus também não ensinou as mais complexas (como cosmologia), cabia ao próprio homem entender isso. No entanto, alguns homem por revelação divina tinham muito mais conhecimentos que o padrão para a época, como Salomão e diversos profetas, que quando falam de assuntos mais complicados estão sempre de acordo com a ciência atual, mas nem todas as pessoas na Bíblia são assim pois não receberam revelação divina. Por exemplo, Ana a mãe de Samuel diz que Deus sustenta a terra por colunas, mas isso pode ser tanto uma figura poética, quanto o entendimento que ela tinha, afinal ela não era uma profeta ou outra pessoa mais sabiá para saber disso. O mesmo vale para Jó, cujas falas estão em poema e em nenhum momento é afirmado que ele tinha revelação divina, por isso o mesmo podia falar incorretamente. O mesmo Jó diz que Deus pune justos e injustos igualmente durante o livro, e isso iria contradizer toda a Escritura que afirma que não é assim que Deus age, portanto Jó não é um padrão de conhecimento, como se todas as informações dele estivessem certa. Creio eu que sem revelação divina, era praticamente impossível alguém naquela época saber como funciona a cosmologia, e como Jó nunca recebeu tal revelação, ele falou algo que ele pensava, seja a terra estando sobre o vazio ou apenas os céus conforme interpreta este site ai. O erro que eu acho é que muitos cristãos ficam caçando versículos para dizer que a bíblia estava correta antes de certas descobertas cientificas. De fato a Bíblia é muito mais verdadeira cientificamente que todos os livros daquela época (só o fato dela dizer que o sol, lua e estrelas seguem leis, e não que são deuses próprios, já coloca a Bíblia a frente de outros povos em milhares de anos), e de todos os livros religiosos a Bíblia é o livro menos místico da antiguidade, mas muitas informações na Escritura são dadas por homens e não por Deus, e estes homens falavam conforme era pensado na época, e hoje em dia isso é visto como algo incorreto cientificamente. Por exemplo, o próprio Deus diz que morcegos são aves na bíblia, hoje em dia morcegos são mamíferos e não aves, mas naquela época não havia a mesma classificação de hoje em dia, então morcegos eram considerados aves. Isso não diz que a Bíblia é menos inspirada, pelo contrario, apenas prova que ela é verdadeira ao incluir informações incorretas de homens falíveis. A maior prova que a bíblia é verdadeira nesse sentido é o fato dela nunca estabelecer cosmologia alguma. Vá estudar a mitologia grega e suméria por exemplo, eles tinham um padrão de Universo que era essencial acreditar, a bíblia nunca apresenta isso, tanto é que ela mostra varias visões do Universo ao longo da história (parar sobre o nada, ou ser sustentado por colunas, etc). Se Deus estabelecesse uma visão de Universo que você é obrigado a aceitar, e esta visão fosse incorreta para a ciência atual, então obviamente a bíblia não poderia ser inspirada. Mas como a Bíblia nunca estabelece padrão nenhum para o funcionamento do Universo, e cabe ao próprio homem entender o Universo com base em seus estudos, logo ela é inspirada, pois ela não força ninguém a acreditar em uma ciência incorreta (ou seja, sempre que o assunto é cosmologia, e a pessoa falando não foi inspirada para ter este conhecimento astronômico, ela sempre ira falar o que se pensava na época conforme os estudos da época, o que prova portanto que o entendimento do Universo entre os israelitas e cristãos foi evoluindo, e não que eles sempre acreditaram que em uma visão incorreta, mas sim que eles foram melhorando).

      Excluir
    2. Em resumo, Deus nunca ensinou astronomia, nem construção de coisas, nem nada disso, pois cabia ao próprio homem evoluir nestes pensamentos. Deus sempre se empenhou no aspecto moral da humanidade, e o mais interessante é que Deus é o único que faz isso. Nas mitologias e religiões do mundo inteiro, os deuses são creditados como tendo ensinado tudo: artes, arquitetura, agricultura, ASTRONOMIA. Logo, estas religiões não podem ser verdades pois os próprios deuses falam coisas astronômicas incorretas. Agora quando se trata da Bíblia, ela nunca atribui estes conhecimentos a Deus e sim do próprio homem, pois Deus deu ao homem o entendimento para que ele pudesse compreender todas as coisas que Deus havia feito, então é obvio que a Bíblia, que contem frases feitas por homens, iria conter pensamentos que estes homens tinham naquela época mas hoje não são considerados verdadeiros, exatamente porque descobrimos mais coisas. Mas não to dizendo também que tudo esta errado, Salomão, Paulo, Jesus e Deus quando falam sempre estão de acordo com o pensamento cientifico atual, exatamente porque pessoas como Salomão e Paulo tinham certos conhecimentos que Deus relevou a eles, e no caso de Jesus e Deus nem tem o que falar. Por isso é importante entender, que a bíblia sendo um livro antigo obviamente vai conter informações desatualizadas para a atualidade, mas por conter muito mais informações atuais, prova que ela não é um mero livro como este site apresenta. Sobre Jó e Genesis, creio eu que ele esteja certo, pois a questão não é sobre Genesis e sim sobre a forma que era escrito os poemas hebraicos. Independente de quem foi escrito primeiro, Jó terminaria da mesma forma. Jó veio antes, mas foi escrito pelo mesmo autor que Genesis, Moises, mas Moisés em Genesis escreve todas as informações corretamente pois ele estava vendo tudo que aconteceu (dizer que Deus separou as aguas do mar e do céu, que tomam forma de nuvens, dizer que as estrelas servem para dias, meses e anos, pois ao contrario do que se pensava naquela época, não era só o sol que marca estas coisas, mas toda a posição de todos os astros do Universo demarcam tudo, se somente uma estrela saísse de sua órbita isso levaria a uma desgraça gravitacional que atrapalharia o funcionamento do universo como esta agora), e dizer que as aves e plantas tem um funcionamento simbiótico, pois aves se alimentam das plantas e por sua vez carregam suas sementes que permitem que mais plantas nasçam, alem de diversas outras coisas, Moisés até mesmo escreveu que havia agua em baixo da terra, quando ele diz que Deus rompeu o solo para subir a agua dos abismos. Mas o mesmo Moisés também escreve as falas dos personagem da exata maneira como foram ditas, por isso alguns personagens em Genesis e Jó falam coisas incorretas, pois foi o que eles disseram mesmo e Moisés apenas escreveu, agora o resto que Moisés viu e escreveu de acordo com isso está de acordo com o pensamento cientifico atual.

      Excluir
  46. Éééé... o banzoli foi ver o Senhor, se é que vocês me entendem :(...

    ResponderExcluir
  47. Lucas, ouvi num sermão da "Moeda na boca do peixe" que Jesus, por ser rabino, gozava de isenção fiscal, não precisava pagar imposto. Estranho essa afirmação, já que o texto deixa claro que Ele foi cobrado.
    Explique melhor Lucas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca ouvi falar dessa suposta isenção fiscal. Pode até ser que algo assim se aplicasse aos membros do sinédrio (os chefes da nação), mas não a todos os rabinos indiscriminadamente, muito menos a alguém que era inimigo dos líderes religiosos.

      Excluir
  48. Lucas, comente:

    Interessante que, Albert Barnes, erudito evangélico de reputada erudição, menciona algo em suas notas explicativas de Jó 26:7. Ele diz:

    “O parafrasista caldeu, para explicar isso, como a paráfrase sempre faz, acrescenta a palavra águas. “Ele que suspende a terra מיא עלוי sobre as águas, sem ninguém para sustentá-las.”” [33]

    A Paráfrase Caldeia é uma das mais antigas traduções do A.T, e ela mostra como os judeus antigos entendiam Jó 26:7a. Eles não entediam que o planeta Terra estava suspenso sobre o nada, na imensidão do universo, isso nem de longe se passou pela cabeça deles! A tradução mostra claramente que Jó estava se referindo a cosmogonia de seu tempo, com a terra flutuando sobre as águas do abismo. Dessa forma, a Paráfrase Caldeia corrobora nossa interpretação de que os antigos hebreus viam a terra suspensa sobre as águas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa Paráfrase Caldeia é do primeiro século d.C, ela não tem valor algum para determinar a interpretação correta de um texto bíblico de dois mil anos antes, seria o mesmo que pegar a opinião de um pastor ou padre dos dias de hoje como decisiva por si só para a interpretação de um texto do NT (que também é de dois mil anos atrás), é algo que não faz sentido nenhum. Os autores dessa paráfrase não estavam em melhores condições para determinar a interpretação do texto do que nós hoje, e a interpretação que eles fazem é uma distorção total do texto.

      Excluir
  49. Lucas, uma dúvida com relação a soteriologia arminiana. Alguns calvinistas e luteranos afirmam que, querendo ou não, o Arminianismo ensina uma salvação por mérito e não somente pela fé, pois de acordo com eles é o indivíduo que escolhe ter fé com base na graça preveniente e não um dom de Deus. Como eu respondo a isso? Pergunto isso também porque o Tourinho fez um vídeo falando sobre isso:

    https://youtu.be/uKgQ78bpxtE

    No mais é só isso, graça e Paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A fé é um dom de Deus, mas um dom que pode ser aceitado ou rejeitado, que pode ser cultivado ou extinto, depende de como a pessoa procede. É como alguém que recebe uma planta de presente (e “dom” no grego significa “presente”), ele pode aceitar o presente, pode rejeitá-lo, pode cultivar a planta pra ela crescer mais, pode deixar de regar a planta e fazê-la morrer, e assim por diante. Nada disso vai mudar o fato de que a planta foi um presente dado pela outra pessoa, e um presente gratuito, só significa que quem recebeu o presente agiu bem ou mal com ele. Isso eu já expliquei exaustivamente aqui:

      http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/monergismo-ou-sinergismo

      Texto nenhum da Bíblia diz que a fé é algo totalmente unilateral da parte de Deus ao longo de todo o processo de modo a não envolver qualquer envolvimento humano. Isso tornaria ridícula a repreensão que Jesus várias vezes fez a pessoas que tem pouca fé:

      “Mas Jesus disse a eles: ‘Por que estais com tanto medo, homens de pequena fé?’. E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e houve plena calmaria” (Mateus 8:26)

      “E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste?” (Mateus 14:31)

      “Então os discípulos, aproximando-se de Jesus em particular, disseram: Por que não pudemos nós expulsá-lo? E Jesus lhes disse: Por causa de vossa incredulidade; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível” (Mateus 17:19-20)

      Imagine o quão ridículo seria Jesus criticar a falta de fé das pessoas quando na verdade elas não podiam fazer absolutamente NADA para ter fé ou para aumentar a fé. Neste caso, Jesus não deveria repreender as pessoas que tem pouca fé, mas sim a Deus que não colocou fé nas pessoas. Quem afirma que o arminianismo ensina a “salvação por mérito e não somente pela fé” não apenas demonstra não saber nada sobre o arminianismo, mas também nada sobre a fé.

      Excluir
  50. Lucas, um cético estava analisando as profecias de jesus e fez o seguinte comentário:

    O Messias seria crucificado com criminosos.

    Profecia: Isaías 53:12

    Cumprimento: Mateus 27:38 ; Marcos 15:27

    Esta é outra mentira; o versículo não diz nada como “crucificado com criminosos”, ele diz que ele foi “contado com os transgressores”. Também diz "embora o Senhor faça da sua vida uma oferta pelo pecado, ele verá a sua descendência." Isso prova claramente que não se referia a Jesus. Ou talvez O Código Da Vinci estivesse certo e Jesus tivesse filhos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus foi contado como um transgressor para ter sido crucificado, SIMPLES.
      Jesus viu sua descendência, e vê, somos nós, Ele considera a família espiritual acima da carne, e como ele ressuscitou e viu os apóstolos.
      Muito fácil pega 3 versículos sem ANALISAR A BÍBLIA TODA.

      Excluir
  51. 1-Lucas, em numeros 24:17 aparentemente e uma profecia messianica, onde fala que seria descendente de jacó na qual é verdade, porém que ele que ferirá os termos dos moabitas, e destruirá todos os filhos de Sete, gostaria que comenta-se

    2- você acha que salmos 22 são profecias messianicas? pessoas alegam que sejam apenas lamentações davídicas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1-A profecia não se refere ao Messias, mas a algum rei de Israel, talvez Davi seja o provável. A palavra cetro é usada para se referir a um rei, e este rei que virá de Israel conquistara Moabe, Seir, Edom e os outros. Ou seja, Balaque queria destruir Israel, mas Balaão entrega a profecia que na verdade Israel que destruiria aqueles povos, e seria o único sobrevivente daquelas nações. Ele então diz que Amaleque será destruído, que foi o que Saul e Samuel fizeram mais tarde. Ele então diz que os queneus, um outro povo local, seria devastado por Assur, ou seja, pelo reino da Assíria. Mas a própria Assíria seria destruída por Quitim (que são povos gregos) e Quitim também julgaria os filhos de Héber (que são vários povos semitas, incluindo os hebreus), mas o próprio Quitim (gregos) seriam subjugados. Ou seja, a profecia de Balaão se conecta com varias profecias do Antigo Testamento, que profetizavam os fins das nações vizinhas de Israel por causa de suas maldades, principalmente em Isaias e Jeremias. Até Israel sofreu um fim, pois Deus os espalhou pelas nações, e só a tribo de Judá sobreviveu, pois eles se arrependeram. Ou seja, quando o Messias fosse aparecer, todas aquelas nações já teriam sido destruídas (Edom, Moabe, Siria, Filisteus, Queneus, Assírios, ninguém mais existia na época de Jesus, todos já haviam sido helenizados, e os outros foram dispersados), mas somente Judá sobreviveria, mostrando assim que o Deus de Judá é o Deus verdadeiro, pois somente sua nação sobreviveu em meio as muitas nações que havia na antiguidade, onde todas aquelas nações foram sendo substituídas ou conquistadas até sumirem no sentido que suas culturas morreram, somente com Judá isso não ocorreu.

      Excluir
    2. 2) São as duas coisas, não necessariamente Davi estava pensando no Messias quando escreveu, é óbvio que sua preocupação imediata era a sua própria condição miserável, mas o Espírito Santo o usou para profetizar para além das suas próprias condições, tal como Caifás que profetizou sem ter tido a intenção (Jo 11:49-52).

      Excluir
  52. Oque acha do grande RESET?
    Olhe este vídeo, pelo menos os primeiros 5 segundos.
    É da mesma organização que promoce o reset
    https://www.youtube.com/watch?v=ZzdCTyMWQBs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um aglomerado de bobagens, provavelmente compilado pelos mesmos indivíduos que diziam que até o ano 2000 existiriam carros voadores e robôs inteligentes.

      Excluir
  53. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  54. Lucas, pode responder essas questões sobre o batismo?

    1 - O batismo não tem poder regenerador, como crê a Igreja Católica, certo?

    2 - A validade do batismo depende também do batizador/igreja?
    Por exemplo: No passado, um cristão trinitário que entende o verdadeiro significado do batismo teria o batismo válido se o bispo que o batizou fosse ariano? Ou seja, um batizador com uma doutrina (sobre o batismo ou não) errada batizando alguém que tem uma doutrina correta. O batizado seria válido nesse caso?

    3 - O batismo é só um símbolo como a ceia do Senhor?

    4 - Uma pessoa só se torna Filho de Deus ao se batizar?

    5 - Circuncisão era a sombra do batismo. Logo, só quem foi batizado é que é circunciso nos dias de hoje. Correto?

    6 - É o sangue de Cristo ou o batismo (ou os dois) que lava o homem do pecado?

    7 - Vi uma interpretação que o ladrão da Cruz só foi salvo sem se batizar porque morreu antes do sacrifício e/ou ressurreição de Jesus. Ou seja, ninguém que morre hoje sem se batizar é salvo. Concorda?

    8 - Da mesma forma que a salvação não é por obras, mas a fé sem obras é morta, a salvação não é pelo batismo, mas o batismo evidencia a salvação. Ou seja, o salvo se batiza porque QUER, e não porque disseram. Correto?

    9 - Batismo por aspersão e outros são válidos, embora o preferível é sempre por imersão. Estou certo?

    10 - Se eu me batizei com alguma idéia errada sobre o batismo (por exemplo, achava que era regenerador ou que era só um símbolo quando não é), mas eu me batizei com verdadeiro arrependimento e vontade de seguir a Jesus e mudar de vida, de nascer de novo e etc. O batismo foi válido?

    Desde já agradeço! Perdoe o tanto de perguntas 😅

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou o Lucas, mas vc fez algumas perguntas interessantes que gostaria de responder e acho que o Lucas não vai responder tão cedo. Acho que ele foi arrebatado!

      1) Exato.

      2) Eu creio que o batismo só é válido quando feito pela fórmula trinitaniana (Mt 28.19). Lutero explicou que como o batismo é feito "em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo", então quem batiza é Deus, não o homem! O batizador é apenas um INSTRUMENTO na mão de Deus. Da mesma forma que quando alguém é convertido pela pregação, não é o pregador que converte, técnicamente falando; mas quem converte o ouvinte é Deus e o pregador é apenas um instrumento nas mãos Dele.

      3) Minha visão sobre o batismo é calvinista. Creio que o batismo foi instituído pelo Senhor para que a pessoa batizada tenha plena certeza de que seus pecados foram perdoados através do simbolismo do batismo. Quanto a Eucaristia, meu entendimento é luterano: a Palavra de Deus está sob os elementos do pão e do vinho, a presença de Cristo é real; enquanto comemos o pão e bebemos o vinho, a Palavra de Deus que está nos elementos entra em nós e nos ajuda a mortificar a carne.

      4) Não. No entendimento calvinista, o batismo nos confirma que somos filhos de Deus.

      5) A circuncisão é feita no coração (Rm 2.29; Cl 2.11) e assim como a circuncisão servia como um sinal visível de confirmação aos judeus, o batismo também serve para que tenhamos certezas de que nossos pecados foram purificados.

      6) Só o sangue de Cristo (Ef 1.7; 1Jo 1.7).

      7) A salvação é pela fé, não pelo batismo (Jo 3.16; Ef 2.8).

      8) O batismo evidencia a salvação, mas não salva ninguém. Assim como as boas obras evidenciam a salvação, mas não salvam o pecador.
      O batizado deveria ser batizado porque quer, não porque alguém o levou quando era bebê para ser batizado. Mas creio que rebarizar alguém é algo blásfemo, pois, como expliquei acima, quem batiza é Deus. Portanto, rebatizar alguém é como desprezar o batismo que Deus já fez anteriormente. A não ser que tenha sido feito pela fórmula errada. Se tiver acontecido isso, a pessoa tem todo o direito de se rebatizar de novo do jeito certo (com consciência do que está acontecendo e pela fórmula estabelecida por Jesus em Mateus 28.19).

      9) Também creio assim. A preferência deve ser imersão em algum lugar de ÁGUA CORRENTE (não vale piscina). Mas se não for possível, então deve ser por efusão. Mas se o crente estiver em um lugar tão seco que nem isso é possível, aí sim pode fazer por aspersão.

      10) Claro que sim.

      Acho que o Lucas vai discordar de mim em alguns pontos, mas eu achei suas perguntas interessantes e quis responder, pois o Lucas foi arrebatado igual Enoque.

      Fique com Deus!

      Excluir
    2. 1) Certo.

      2) Essa é uma discussão bem antiga na história da Igreja, no século III Cipriano (bispo de Cartago) teve uma briga séria com Estêvão (bispo de Roma) porque para ele os hereges (gente que recebeu o batismo por grupos heréticos, como os arianos) tinham que ser rebatizados, e para Estêvão não. A meu ver Cipriano estava certo, em casos onde a heresia é muito grave é prudente batizar “de novo” (não que a pessoa esteja realmente recebendo dois batismos, mas sim que receberá o seu primeiro batismo legítimo).

      3) Depende do que você chama de “símbolo”, o batismo é uma profissão pública de fé diante da comunidade, um rito introdutório mediante o qual ele será visto e reconhecido como um cristão e poderá ser tido como um pelos demais. O que ele não tem é um poder mágico de salvar alguém, neste sentido é como a ceia, que praticamos em memória de Cristo e não como uma forma de sermos salvos (a visão de que Jesus está fisicamente no pão é herética e blasfêmica, transformando um memorial num ritual canibalístico sacrificial, o que além de insano e bizarro é uma ofensa abjeta a Deus).

      4) Uma pessoa se torna filha de Deus quando reconhece Jesus como seu Senhor e Salvador único e suficiente, o batismo é uma consequência disso (quando ela decide professar essa fé publicamente).

      5) Sim, ambos são formas externas de mostrar que uma determinada pessoa faz parte do pacto divino.

      6) Idem pro ponto 4.

      7) João Batista já batizava antes de Jesus, e não há nenhum texto bíblico dizendo que o batismo só se tornou necessário ou importante depois da morte e ressurreição de Cristo (tanto é que os discípulos de Jesus e o próprio Jesus se batizaram, e já batizavam as pessoas desde antes da crucificação – cf. Jo 3:22, 4:2).

      8) Isso.

      9) Sim.

      10) Foi.

      Excluir
  55. Oi Lucas, tenho procurado me aprofundar sobre pautas sociais, e ultimamente tenho estudado a questão da legalização do aborto. Li seu artigo de 2015 sobre o tema, e achei riquíssimo em argumentos. Só tenho uma objeção a lhe fazer: em caso de estupro vc mantém a postura de ser contra a descriminalização o aborto? Penso ser um grande dilema essa situação, considerando o choque emocional e o trauma que são resultantes de um estupro. Muitas vítimas chegam até msm a tentar suicídio, considero q a decisão pela gestação do fruto de um estupro poderia favorecer potencialmente a não recuperação da vítima. O q pensas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão é que o feto não tem culpa se foi gerado por estupro ou não, por isso não merece morrer. Sobre a questão do trauma, muitos estudos já comprovaram que o trauma é muito maior nas mulheres que abortam, pois ficam por toda a vida com o peso na consciência de que tiraram uma vida inocente dentro delas. Alguém que aceita ter o filho pode até ter dificuldade a princípio, pois o filho não foi planejado, mas não vai se mergulhar na culpa e com o tempo conseguirá criar o filho apropriadamente (e na maior parte dos casos, acabam amando e se apegando ao filho como uma dádiva, não como um peso ou como uma coisa ruim da qual querem se livrar).

      Excluir
  56. Finalmente entendi agora a questão do sobrenatural e do êxtase que acontece. O artigo do amigo lá sobre o judeu falando do falar em línguas no antigo testamento e no novo me ajudou muito, porque eu ouvi um relato esses dias de uma amiga que é evangélica e foi na casa de uma amiga espirita, e o relato que ela contou se encaixa perfeitamente com uma série de coisas, mas antes deixa eu falar uma coisa. O Espirito Santo ao descer sobre uma pessoa, pode levar ela ao estado de êxtase onde ela pode falar em línguas, como nos dois casos do antigo testamento e nas varias vezes no novo, este eu vou chamar de êxtase total, pois a pessoa não sabe o que aconteceu, ou tem poucas lembranças, ela não lembra da mensagem e nem do que falou, é como se ela estivesse literalmente fora de si, como se outro falasse através dela, pois a pessoa fala em espirito e não pela mente, enfim você já sabe disso. Existe um êxtase menor também que acontece com outros dons, que é quando a pessoa sente a emoção e faz coisas que dificilmente ela faria, por exemplo fazer uma oração maior do que ela saberia fazer, ou profetizar, ou outra coisa do tipo. Ou seja, este êxtase é menor pois a pessoa também sente a alegria e fala coisas que ela não falaria em outra situação, mas a pessoa ainda mantem a lucidez, ela se lembra do conteúdo da mensagem e todo aquele que ouviu sabe perfeitamente o que ela disse. Enfim, o êxtase seja grande ou menor é o mesmo fenômeno que ocorre em diversas partes do mundo em muitas épocas, além dos exemplos bíblicos de milhares de anos atrás, temos também exemplos atuais de outros países, o que mais me chamou a atenção foram cristãos no Japão que tiveram o mesmo sentimento e a mesma sensação mesmo sem nunca ir a igreja antes e nem saber como funciona, mas viraram cristãos depois disso, e eles disseram no documentário que sentiram algo encher eles, que depois acreditam ser o Espirito Santo. Os ateus costumam dizer que isso é apenas um efeito hipnótico, mas isso não pode ser verdade por duas razões. Primeiro que ocorre no mundo inteiro e a milhares de anos da mesma maneira, e seria impossível tantos pastores charlatões criarem efeitos hipnóticos pra produzir sempre o mesmo efeito, é muita infantilidade assumir que é um efeito hipnótico, sendo que é sempre o mesmo fenômeno em vários lugares. Outra coisa também é que até poderia ser efeito hipnótico se só ocorresse em igrejas pentecostais (que procuram mais os dons) mas também ocorrem em igrejas tradicionais, é muito mais raro, mas acontece. Pessoas que sentiram o Espirito Santo e profetizaram ou falaram em línguas geralmente não é bem vista pelos tradicionais, então estas pessoas procuram uma igreja pentecostal pois ela sentiu Deus, Vivo e agindo nela. Até mesmo as primeiras igrejas pentecostais foram todas fundadas por pessoas que eram de igrejas tradicionais, sentiram o fenômeno já explicado, e como não foram bem aceitos, abrigaram suas próprias igrejas com um foco maior na questão dos dons, e como Deus concede os dons para aqueles que buscam, então haverá mais isso nas igrejas pentecostais do que em tradicionais, mas este fenômeno ainda ocorre em igrejas tradicionais, que são contra a ideia. Ou seja, como um pastor pode fazer uma hipnose em uma igreja tradicional para fazer as pessoas entrarem em êxtase se o próprio não acredita que isso seja possível? Mas o fenômeno acontece da mesma maneira com algumas pessoas? Logo o evento é real e não tem nada haver com hipnose, pois se fosse só hipnose não aconteceria em igrejas tradicionais também, pois estas fazem de tudo para evitar que as pessoas manifestem dons (não todas, mas as cessacionistas principalmente) e ainda assim elas manifestam, mesmo sem nunca ter sido de uma pentecostal antes (como os próprios fundadores das pentecostais).

    ResponderExcluir
  57. Enfim, e o interessante disso é que a mesma sensação não é provocada só pelo Espirito Santos, mas demônios também provocam eventos semelhantes. Como anjos (e demônios que são anjos malignos) são seres sobrenaturais, eles também provocam um efeito poderoso sobre as pessoas, sempre que os homens na bíblia veem anjos eles ficam com um medo e um pavor enorme, creio eu que os anjos não provoquem êxtase neles pois Deus não permite, pois isso faria com que as pessoas se voltassem para os anjos, mas o pavor ainda esta presente. Agora como os demônios querem afastar as pessoas de Deus, eles provocam o êxtase nas pessoas. Por exemplo, na Bíblia a médium que Saul procurou entrou em êxtase (ou transe, que é como é usado em algumas traduções) ao ver que o espirito iria aparecer, e a amiga que eu citei antes também contou algo muito parecido. Como eu falei ela é evangélica, mas decidiu ir na casa desta amiga espirito/umbanda (era as duas coisas) e em uma sessão espirita ali, a amiga e os outros ali sentiram um êxtase e acredite se quiser, um cheio forte de perfume, esta amiga em questão sentiu o perfume (só naquela sala, e não parecia ter fonte) e até começou a sentir uma sensação boa como se tivesse saindo fora de si, mas como ela acredita que os espíritos ali eram demônios então ela parou de sentir e depois ficou perturbada com a situação, enquanto as outras entraram em um êxtase total, então como ela não busca pelos espíritos pois era evangélica, estes não exerceram muita coisa sobre ela. O mesmo fenômeno ocorre em outras religiões, onde as pessoas também ficam fora de si e agem de maneiras bizarras por manifestações sobrenaturais, e dinovo falando, não pode ser um efeito hipnótico pois são muito parecidas as manifestações em todos os lugares que acontece. Os demônios até mesmo provocam a glossolalia, pois a bíblia demonstra varias pessoas possuídas que falavam coisas que a pessoa não poderia saber e falavam com uma voz diferente da pessoa real, geralmente mais grossa, e existem certas religiões onde o mesmo fenômeno acontece, mas eles interpretam como uma coisa boa (ao contrario do cristão, que se visse este fenômeno saberia que se trata de demônios, e se tiver o dom de discernir espíritos nem precisaria testemunhar o fenômeno para saber). Então não só o Espirito Santo pode provocar êxtase e glossolalia, mas demônios também podem embora em um nível muito menor, então como saber qual religião é a certa?

    ResponderExcluir
  58. Simples, basta ver o conteúdo da religião. Neste caso que eu citei, da religião espirita/umbanda, a família desta mulher acredita nos Erês, que são espíritos infantis que te protegem desde que você forneça certas oferendas. No caso dela, ela deveria oferecer bolo (supostamente no dia seguinte o bolo desaparecia), mas como ela esqueceu de fazer isso, em uma festinha que estava tendo (que foi a razão pela qual minha amiga foi ver ela) o bolo caiu do nada no chão, e a mesma mulher disse que tinha esquecido da oferenda e o espirito estava zangado, e de noite eles ouviram um bebe chorando de um certo lugar (pois os tais Erês assumem forma de crianças), mas depois parou, e para a mulher da casa isso era algo até rotineiro, pois era pra lembrar dela das oferendas. Como alguém pode se sentir confortável com uma religião onde o suposto deus ou espirito fica tão bravo com uma coisa tão estupida? A ponto de sua vida estar ameaçada constantemente por isso, isso nunca aconteceria no cristianismo, onde mesmo a pessoa deixando Deus, Jesus sempre estará de braços abertos para recebe-la novamente, que não é o que acontece na maioria destas religiões, onde os espíritos tentam te assustar caso você faça algo errado. Mas eles acham que a religião é verdadeira pois eles também tem êxtase (e em casos raros, até glossolalia, mas eles não falam línguas estranhas e sim engrossam a voz e falam coisas impossíveis da pessoa que está falando saber, e a pessoa não lembra disso depois), mas se eles analisarem direito, vão perceber a diferença entre o Deus do amor e estes espíritos demoníacos. Então sim, existe uma quase teoria cientifica sobre a manifestação sobrenatural, digo quase porque nunca será ciência racionalista coisas sobrenaturais (pois o sobrenatural não pode ser medido por parâmetros naturais), mas o mesmo fenômeno acontecendo da mesma maneira e varias vezes prova que é um fato que acontece, e não coisa da cabeça das pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa a sua reflexão, o seu primeiro comentário me fez lembrar um amigo da minha mãe (que dá aula de teologia) que era bem tradicional e zombava da minha mãe por ela falar em línguas, dizia que era coisa da cabeça dela e dava essas mesmas “explicações” que os tradicionais costumam dar, até que um dia enquanto ele estava orando no banho começou a falar em línguas sozinho, e fala em línguas até hoje (isso já faz uns 15 anos). Como ele falou em línguas num ambiente de zero emocionalismo e sozinho (sem sofrer “hipnose” de ninguém), ele não teve o que fazer senão se humilhar e reconhecer para a minha mãe que ela estava certa, depois ele começou a estudar a fundo o que a Bíblia diz a respeito e viu que o dom de línguas está totalmente embasado na Bíblia, embora os tradicionais não queiram reconhecer algo tão claro por ir contra a sua teologia ou por uma birra tosca com os pentecostais (muitos deles acham que os pentecostais são a “ralé” do Cristianismo e não admitem que gente assim possa estar certa em alguma coisa, então zombam deles por questão de orgulho mesmo, igual a soberba desse irmão em questão ou de um Granconato da vida).

      E se você parar pra notar, verá que todos os dons espirituais autênticos presentes no NT também são plagiados pelo demônio em seitas como a que você citou, por isso há falsos profetas que fazem predições que acontecem mesmo, gente que não é de Deus mas consegue curar as pessoas igual que tem o dom de cura, gente que não é de Deus mas que parece bastante sábia igual aqueles que tem o dom da palavra de sabedoria, e o mesmo acontece com o dom de línguas, que pode ser igualmente “plagiado” pelo diabo e insuflado naqueles que se envolvem com ele, mas pro próprio mal da pessoa, e não pro seu bem (como ocorre com aqueles que falam pelo Espírito Santo). Existe a operação sobrenatural legítima, que às vezes pode levar a pessoa às lágrimas, ou ao riso, ou fazê-la cair como os sacerdotes no templo (2Cr 5:14), e existe a falsificação demoníaca, que leva a absurdos e exageros grotescos e a bizarrices demoníacas como esse “culto” do Kenneth Hagin, que só faz escandalizar os descrentes e os próprios crentes tradicionais, que são levados a pensar que é tudo coisa do demônio:

      https://www.youtube.com/watch?v=kESE8wjEXCQ&feature=emb_title

      Infelizmente, muita gente que não tem discernimento acaba confundindo as duas coisas e estigmatizando todo o movimento pentecostal como algo satânico ou herético por causa dos exageros e daqueles guiados por outro tipo de espírito, como se não houvesse a “contraparte”, que é a operação legítima do dom (porque da mesma forma que ninguém falsifica uma nota de 3 reais, o diabo só falsifica os dons que realmente existem).

      Excluir
  59. Banzolao vc concorda que o Pr Hermes é o "Silas Malafaia da esquerda"?Já que ultimamente usa as redes sociais mais para fazer propaganda ideológica do que para pregar o evangelho,o Silas faz isso pelo lado da direita bolsonarista ,prega mais Bolsonaro que Cristo e o Hermes prega mais esquerdismo que Cristo,ao meu ver ambos estão equivocados,um pastor nao pode trocar o evangelho por uma ideologia terrena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acompanho o Hermes pra dizer se sim ou se não, mas tem muito pastor "politiqueiro" assim, dos dois lados.

      Excluir
  60. Lucas voce pode responder esse comentário?

    10. O Messias seria chamado de Emanuel.

    Profecia: Isaías 7:14

    Cumprimento: Mateus 1:23

    Este é outro ataque sério contra a Bíblia, já que o nome de Jesus era, na verdade, Yeshua, não Emanuel. Não há registro de que ele tenha sido chamado por esse nome, mesmo no NT. Este versículo simplesmente mostra que o autor do Evangelho sabia da profecia. Se você argumentasse que a profecia é cumprida pelo fato de que os cristãos às vezes chamam Jesus por esse nome agora, você não é capaz de entender a ideia de profecia que se auto-realiza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O nome "Emanuel" significa "Deus conosco" (Mt 1:23), é neste sentido que Jesus é chamado "Emanuel", porque ele era Deus e estava conosco na terra, não diz respeito ao próprio nome em si mas sim ao significado do nome (até porque Mateus seria extremamente burro se citasse essa profecia se cumprindo em Jesus se a profecia se relacionasse apenas ao nome em si).

      Excluir
  61. Lucas, eu estava precisando compartilhar essa notícia com você:

    Recentemente a Ford anunciou que por conta dos altos custos de fabricação de automóveis ela anunciou que vai parar de fabricar automóveis no Brasil e que de agora em diante os carros deles virão importados do México, Argentina e Uruguai:

    https://www.google.com/amp/s/oglobo.globo.com/economia/ford-anuncia-fim-da-fabricacao-de-automoveis-no-brasil-reestrutura-negocios-na-america-do-sul-1-24833049%3fversao=amp

    https://vocesa.abril.com.br/economia/ford-fecha-fabricas-e-marca-o-fim-de-uma-historia-de-um-seculo-no-brasil/

    https://www.google.com/amp/s/www.uol.com.br/carros/noticias/redacao/2021/01/11/ka-se-despede-bronco-vem-ai-a-nova-cara-da-ford-sem-fabricas-no-brasil.amp.htm

    Mas isso não é uma exclusividade de uma montadora específica, recentemente todas as montadoras (Honda, Toyota, Nissan, Fiat, VW, Hyundai, Renault e cia) de automóveis estão parando de investir no Brasil e focando nos importados (inclusive algumas como a Mercedes Benz, BMW, Audi, Kia e Mitsubishi recentemente fecharam suas fábricas no Brasil e vão só importar), inclusive acho que é questão de tempo até que todas as montadoras sem exceção de nenhuma fechem as suas fábricas e todos os automóveis que circulam no Brasil sejam importados:

    https://www.google.com/amp/s/motor1.uol.com.br/news/376009/nissan-versa-e-revelado-em-versao-latina/amp/

    https://www.google.com/amp/s/www.mobiauto.com.br/revista/honda-civic-um-dos-nacionais-mais-longevos-deve-deixar-de-ser-brasileiro/441

    https://www.google.com/amp/s/www.noticiasautomotivas.com.br/carros-importados-veja-todos-os-215-modelos-vendidos-no-brasil/amp/

    Essa notícia aí pegou de surpresa a todos, mas caiu como uma bomba pra mim, pois pra mim significa que nosso país infelizmente falhou em conseguir ser uma potência industrial. Cada vez mais está difícil manter uma empresa nesse país, impostos elevados, dólar alto, real cada vez mais desvalorizado, custo de produção elevado, encargos trabalhistas dispendiosos além da falta de confiança dos investidores internacionais em nosso país, o Brasil é o país emergente com o maior custo de produção de automóveis. Isso não é só exclusividade da indústria automobilística: a Microsoft, Sony e Nintendo já fecharam suas fábricas no Brasil há alguns anos atrás, além disso tem mais um dado alarmante: a participação industrial em nosso país vem caindo muito desde os anos 1970, em 1970 às indústrias representavam quase 33% da economia brasileira, mas hoje essa participação caiu pra 10,8%.

    Pelo jeito o Brasil está voltando aos poucos a ser o que era no período colonial, imperial e na República velha: um país agro-dependente e sem indústrias.

    ResponderExcluir
  62. Falando em produção industrial descobri que o México de todos os países latino-americanos é o que tem o custo de fabricação mais em conta:

    https://www.google.com/amp/s/autoesporte.globo.com/google/amp/mercado/noticia/2018/07/quais-carros-vendidos-no-brasil-vem-do-mexico.ghtml

    E descobri que o motivo principal é que o México tem a legislação mais liberal economicamente na América Latina, será que isso se deve ao fato dele estar geograficamente mais próximo dos Estados Unidos e por conta disso as ideias do liberalismo econômico Norte-americano de certa forma influenciam na economia mexicana???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sei se isso tem muito a ver, porque no Índice de Liberdade Econômica o México aparece atrás de vários países da América Latina (embora esteja acima da média).

      Excluir
  63. Lucas, você concorda que a decadência da Europa ocidental, em comparação com as civilizações orienrais como a binzantina, a chinesa e a mulçumana se deve apenas pelo fato do ocidente ter sido invadido pelos barbaros e mulçumanos, e que a igreja Romana não teve culpa nesse processo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A pergunta ficou meio vaga, à que decadência você se refere e em qual período da história? Primeiro eu pensei que você estivesse falando da secularização do Ocidente moderno, depois pareceu que você está falando da queda do Império Romano no século V, não ficou claro pra mim.

      Excluir
  64. Lucas, comente

    1-Jesus apareceu “aos Doze”? Mas eles tinham onze após a partida de Judas, e seu substituto foi eleito após a ascensão de Jesus.
    2-Somos informados de que Jesus “apareceu a mais de quinhentos irmãos e irmãs ao mesmo tempo”. Mais tarde, porém, depois que Jesus subiu ao céu, os crentes eram “um grupo de cerca de cento e vinte” (Atos 1:15). Os 500 não devem ter ficado muito impressionados com o que viram se não fossem todos crentes. E se a afirmação de Paulo é uma evidência tão convincente, por que nenhum dos evangelhos a incluiu?
    3-Paulo diz: “e, por fim, ele também me apareceu”. Mas a aparição a Paulo, conforme registrada em Atos 9: 3-9, foi uma visão visionária (seus companheiros na época nada viram). A lista de aparições de Paulo está acima de uma combinação de avistamentos visionários e reais? Em caso afirmativo, qual dos outros também é visionário?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) "Os Doze" ali era uma alusão ao grupo apostólico, não uma contagem de cabeças (ele não diz que "apareceu a doze", mas "AOS doze", a ênfase recai no grupo e não na quantidade de pessoas, é igual quando o G2O se reúne, nem sempre comparecem todos os vinte, mas mesmo assim são mencionados como o G2O). A outra possibilidade que não pode ser descartada por completo é a de que Judas só tenha se suicidado depois disso (a Bíblia não diz que ele se suicidou no mesmo dia em que traiu Jesus, só indica que se suicidou em algum momento entre a traição e o Pentecoste, porque no Pentecoste ele não estava mais lá, mas nada impede que tenha estado antes).

      2) Esses quinhentos irmãos aos quais Jesus apareceu eram da Galileia (Mt 28:10), e os 120 reunidos em Atos 1:20 estavam em Jerusalém, separados por 143 quilômetros numa época em que não havia nem carros, nem aviões, nem qualquer meio de transporte rápido o suficiente para congregar em um lugar tão distante de suas propriedades. Jesus passou a maior parte do seu ministério na Galileia e nas regiões circunvizinhas, por isso ele tinha mais seguidores lá, inclusive quando ele entrou em Jerusalém na semana de sua morte é dito que as pessoas dali nem sabiam quem ele era (Mt 21:10), por isso ele tinha tão poucos discípulos em Jerusalém.

      3) “Visão visionária” é pra acabar mesmo. Mas respondendo a questão, sabemos que no caso dos discípulos ele apareceu fisicamente, porque foi tocado e tudo mais (Jo 20:27), no caso de Paulo foi uma visão “visionária”, no caso dos quinhentos não é detalhado que tipo de aparição foi, mas mesmo que tivesse sido apenas uma visão como a que Paulo recebeu em Damasco, é impossível 500 pessoas terem a mesma alucinação ao mesmo tempo, então mesmo se fosse uma visão teria que ser uma visão real, uma prova divina de que ele continuava vivo.

      Excluir
  65. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  66. Boa Noite!! Só pra registrar a patifaria moral que vivemos, esse artigo: https://righttolife.org.uk/news/abortion-was-the-leading-cause-of-death-worldwide-in-2019 denuncia que todo ano há um holocausto por meio de abortos em ordem no mundo. A Argentina declarou um lockdown sem fim alegando que todas-as-vidas-importam, mas deixou bem claro que são todas mesmos - exceto a de bebês, com a aprovação do aborto. Bebês podem ser partidos em pedaços e retirados da barriga da mãe com semanas de vida, eles podem morrer segundo a legislação da Argentina. Todo ano milhões de bebês morrem de morte matada e aparentemente essas autoridades - que pregam que todas as vidas importam - estão defecando e seguindo em frente pra esse assunto. Num tá faltando coerência no mundo? Obs: acho que o site tá com problema pra postar comentário, tentei várias vezes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Eles querem salvar a vida dos velhinhos ao mesmo tempo em que querem tirar a de bebês no ventre das mães, ao que parece nem todas as vidas importam mesmo. Obs: se você tiver problema para postar um comentário ou se o comentário não for publicado, é só reenviá-lo até que dê certo, porque às vezes dá bug nos comentários e o comentário não chega.

      Excluir
  67. Lucas, os ateus gostam de utiliza como argumento contra a ressurreição as aparições de maria em portugal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que diabos uma coisa tem a ver com a outra?

      Excluir
    2. pois é , eu também não sei, acho q é relacionado as aparições e tal

      Excluir
    3. Pra começo de conversa, nenhum católico jamais afirmou que Maria apareceu fisicamente pra eles, essas "aparições" são apenas visões oriundas de alucinação ou de aparições demoníacas (o diabo se transfigura até em anjo de luz, como disse Paulo em 2Co 11:14). Ninguém jamais alegou ter tocado em Maria como os discípulos tocaram em Jesus, nem existem provas materiais como o Sudário de Turim, nem foi vista por muita gente de uma só vez como o Jesus ressurreto (alucinações são muito comuns de acontecerem individualmente, só não acontecem coletivamente), muito menos alguém chegou a aceitar o martírio pela crença na aparição mariana.

      Excluir
  68. Lucas, porque nos países islâmicos a apostasia é punida com a Pena de Morte? Alguma vez na história do Cristianismo a apostasia já foi punida com Morte???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Inquisição era basicamente isso, só que com mais burocracia. Felizmente o Ocidente cristão já passou dessa fase (graças às revoluções causadas pela Reforma Protestante e pelos ideais iluministas), mas o Oriente muçulmano, que nunca passou por reforma religiosa alguma e onde as novas ideias ocidentais pouco adentraram, continua preso ao passado como se nada tivesse acontecido.

      Excluir
  69. Este é o comentário que eu ia postar em um artigo seu sobre Pedro e Cefas, mas não deu certo porque tem que ser membro pra comentar nele.

    Esse artigo é excelente e rico para quem gosta de estudar história da Igreja como eu. Parabéns, Lucas!

    1) Eu reparei uma coisa muito interessante. Se vc ler a lista de Hipólito, vai ver que tem dois Marcos ali: João Marcos e outro Marcos. Isso me faz pensar o seguinte: talvez o João Marcos seja o Presbítero João, que escreveu o Evangelho e as 3 epístolas, e o outro Marcos seja o autor do Evangelho de Marcos, o companheiro de Pedro (1Pd 5.13).

    2) Se esta hipótese estiver correta, então eu posso chegar a outra conclusão interessante: a tradição diz que Barnabé foi queimado vivo em Chipre, quando se separou de Paulo e viajou pra lá com João Marcos, depois João Marcos pegou um navio para Alexandria e foi o primeiro bispo dali. Eu cheguei a uma conclusão interessante baseada nessas informações e algumas outras:

    a) Na verdade, quando Barnabé foi martirizado em Chipre, João Marcos foi para a Ásia, o que pode ser confirmado nas epístolas de Paulo. Isso reforça minha hipótese de que talvez o Presbítero João seja o João Marcos.

    b) O Marcos que acompanhou Pedro nas viagens e escreveu o Evangelho de Marcos em Roma é o que, na verdade, foi para Alexandria.

    Se essa hipótese estiver correta, a tradição que citei era baseada no fato de que Marcos esteve em Alexandria e no falso pressuposto de que Marcos e João Marcos fossem a mesma pessoa.

    3) Se o Apocalipse foi escrito por uma pessoa e os demais escritos joaninos por outra, então como explicar o fato de que tanto o Apocalipse quando os outros livros joaninos tem a mesma teologia peculiar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriel: "...talvez o Presbítero João seja o João Marcos".

      E por aí ...

      Excluir
    2. 1 e 2) Pode ser mesmo. É interessante notar que todas as vezes que o João Marcos é mencionado em Atos, ele é mencionado ou como João apenas, sem o "Marcos" (At 13:5,13) ou como "João que também se chamava Marcos" (At 12:12,25) - ou seja, João é sempre identificado como o nome principal dele, pelo qual ele era mais conhecido. Já o Marcos citado nas cartas (de Paulo e Pedro) é citado apenas como Marcos, nunca acompanhado do prenome João, o que seria estranho se se tratasse da mesma pessoa, já que ele em Atos é mais chamado de João do que de Marcos (e nunca é chamado apenas de Marcos).

      3) O que você quer dizer com "ter a mesma teologia"? Em certo sentido, todos os livros do NT tem "a mesma teologia", já que nenhum contradiz um ao outro. Mas eles se diferem por diferenças linguísticas, de vocabulário, estilo e etc, e neste aspecto nenhum livro é mais diferente de outro do que o Apocalipse em relação às três cartas e o evangelho de João.

      Excluir
    3. Lucas no ponto 3 acho que ele esta se referindo as diferenças teológicas que os secularistas também falam. Se você procurar a opinião deles sobre a Bíblia, se vai ver eles dizendo que Paulo e Tiago tinham teologias completamente opostas (alguns até dizem que Tiago escreveu sua carta porque ele não gostava da teologia paulina), eles vão dizer também que Mateus e Marcos quando escreveram pensavam que Jesus fosse só um homem, e que quando João escreveu a teologia cristã já estava avançada a ponto de colocar Jesus como sendo o próprio Deus. Existem outros exemplos do Novo e do Antigo, eles falam que no Antigo Testamento também era assim, que no Genesis Deus é apresentado como El Elyon ou El Shaddai, e que Deus ali tem as mesmas características do deus ugarítico de mesmo nome, e que mais tarde em Samuel Deus é apresentado como um batalhador, chamado de Senhor dos Exércitos, ou seja Deus teria "mudado" de um deus criador para um deus guerreiro. Eu não acredito nestas opiniões, mas acho que seria interessante se você fizesse algum artigo refutando estas opiniões que os secularistas tem, onde eles dizem que existe diferenças teológicas na Bíblia, pois isso obviamente colocaria a Bíblia em cheque, bem como apresentaria um Deus mutante que muda conforme a cultura e não que Ele é sempre o mesmo, acho que muitas pessoas que procuram em fontes seculares ficam com esta duvida, e ficam pensando se a Bíblia muda a imagem de Deus ao longo dos livros e se apresenta diferenças teológicas, que se for verdade significa que não existe um mesmo Deus inspirando todos os autores.

      Excluir
    4. Posso escrever sobre isso sim, embora eu ache nem ser necessário já que eu já tenho vários artigos sobre esses temas, por exemplo harmonizando Paulo e Tiago ou provando a divindade de Cristo nos evangelhos sinópticos:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/07/jesus-e-deus-as-provas-biblicas-da.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2014/01/tiago-ensinava-justificacao-pelas-obras.html

      Excluir
    5. 1 e 2) Lucas, na verdade a passagem de Atos 15.39 se refere a João Marcos só como "Marcos". Então o Marcos que Paulo disse que estava na Ásia deve ter sido ele.

      3) Cada escritor bíblico tem uma teologia diferente, mas não contraditória. Me desculpe a palavra, mas eu ODEIO quando alguém se diz "cristão" e aponta supostas "contradições" bíblicas. Rejeito essa idéia diabólica completamente! E ela me dá nojo!

      Mas a teologia peculiar de Apocalipse e nos demais escritos joaninos são

      a) Ênfase no TESTEMUNHO.

      b) Referências a Jesus como PALAVRA ou VERBO.

      Excluir
    6. Mas isso é muito pouco pra dizer que são do mesmo autor, até porque todo livro da Bíblia tem referências correlatas a outros livros, nenhum deles é totalmente "peculiar" no sentido de ser desprovido de vínculos com outros livros. Só pra citar um exemplo, Pedro chama os seus leitores de "crianças" que precisam do "leite espiritual" (1Pe 2:2), que é a mesma linguagem usada pelo autor de Hebreus (Hb 5:12-13), mas nem por isso alguém diz que Pedro escreveu Hebreus. Na própria questão da palavra, por exemplo, Tiago usa o mesmo termo "palavra da verdade" (Tg 1:18) usada por Paulo (2Co 6:7), e nem por isso eles são o mesmo. Mesmo a carta de Judas sendo tão pequena, com apenas um capítulo, há pelo menos três versículos que são quase que uma repetição idêntica de 2 Pedro, e nem por isso nós acreditamos que Pedro escreveu Judas, ou que Judas escreveu Pedro, ou que outra pessoa escreveu os dois. Apenas deduzimos que um conhecia a carta do outro e se inspirou nas mesmas ideias.

      Excluir
  70. lucas, em seu artigo sobre os relatos da ressurreição, você trata sobre mateus 28:8 e marcos 16:8, pois um cético diz que se elas não falaram nada, como o autor sabia disso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mateus 28:8 não diz que elas não falaram nada, pelo contrário, diz que elas falaram. Marcos diz que elas a princípio “não contaram isso a ninguém” (Mc 16:8) de tão amedrontadas que estavam, mas presumivelmente tomaram coragem depois de saber que Maria Madalena também havia visto Jesus e contado aos discípulos, e contaram também. Os outros evangelistas provavelmente acharam desnecessário incluir este fato e por isso só disseram que elas contaram (Mt 28:8; Lc 24:9). Importante ressaltar que enquanto da primeira vez elas contaram apenas do túmulo vazio, dessa vez foram contar que viram Jesus, então elas não vieram contar a mesma coisa duas vezes.

      Excluir
  71. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sem ofender cara, eu não quero te limitar nem nada, somente um conselho.
      não pode fazer um caderno de anotações de coisas para falar em um comentário? ou fazer uns 3 no máximo ou até 4, e que vc faz muitos comentários só aqui vi uns 11 e ainda tem questão de resposta.
      Vc tem o direito de comentar quanto quiser, nem vejo Banzoli reclamando disso, somente que muitos deles poderiam ser resumidos em 1 comentário só e é até melhor pois teria suas dúvidas respondidas nem rápido, mas é só uma opinião, eu não estou reclamando mas aconselhando

      Excluir
    2. ok, peço desculpas por isso

      Excluir
    3. Não precisa se desculpar, você não fez nada de errado.
      Não há nada no site que diga um limite de comentários, então você não descumpriu regra nenhuma.
      eu recomendo pois fica melhor de ver eles e de ser respondido.
      Não precisa apagar nada ou deixar de comentar algo nem algo assim, digo para as próximas vezes que quiser comentar, tenta fazer uma reunião de coisas que quer comentar primeiro, pois vejo que alguns como o das refutações bíblicas e o que Banzoli acha de tal coisa poderiam ser comentadas juntos, só me refiro a essa situação.

      desculpa se pareci meio brava nessa hora, não quero que se sinta culpado, vc não errou.

      Excluir
    4. Eu também acho melhor postar os comentários juntos em vez de muitos comentários curtos separados (é algo que eu já havia dito pro Gabriel Tavares que às vezes faz a mesma coisa), e também evitar o uso de links pois mesmo eu dizendo que não aceitaria mais links você continua enviando links pra comentar e eu tive que apagar alguns comentários por causa disso, mas sei que você não faz por mal, é só corrigir esses detalhes.

      Excluir
    5. eu fazia comentários soltos pois eu sempre tinha duvidas únicas então só dava pra comentar dessa forma. Eu apaguei o comentário pois já me responderam

      Excluir
  72. Vi duas séries fantásticas:

    In Pursuit of Peter: https://www.youtube.com/watch?v=WFdi65-UF30&list=PLPOUA7GLxXIEWDQmDqp2h5r6dss6JwTuI

    In Pursuit of Paul: https://www.youtube.com/watch?v=Wi_A1vSyXsI&list=PLPOUA7GLxXIE8fVIvSB5zex_puERrXYkD

    O interessante foi o comentário que ele fez, quando Pedro e Paulo basicamente escreveram cartas para igrejas que estavam em cidades hoje localizadas na Turquia, um país totalmente muçulmano no que outrora já foi o coração do Cristianismo. Ele comenta que os cristãos se esqueceram de como era ser um alien ou peregrino em umaterra distante e passaram a impor rapidamente o reino de Deus na Terra e tudo se estraçalhou de forma institucional, a ponto da Teologia no momento em que os muçulmanos invadiram já era totalmente diferente da Teologia nos primeiros 200 anos de Cristianismo, é importante olhar para trás e tentar ver e aprender com os erros dos cristãos passados. Devemos lutar nessa vida pela justiça de Deus sabendo que ela só será plena no Reino que está sendo preparado por Jesus e não agora. Muito legal as paisagens também.

    ResponderExcluir
  73. 1) Por favor, não apague os meus comentários.

    2) Sem querer ser chato, mas vc está demorando porque está trabalhando em algum livro? Lembro que vc comentou que ia atualizar seu livro sobre a imortalidade da alma. Se não for isso, nem precisa contar o que está acontecendo. Não é da minha conta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Não apaguei nada.

      2) Eu até estou trabalhando em um livro no momento mas não neste, embora o que tenha ocupado o meu tempo ultimamente não seja isso mas sim os estudos de inglês e francês.

      Excluir
  74. lucas, rodrigo silva falou q jesus tinha um escriba anotando suas palavras, ele se baseia no relato de papias de cesaréia, o sky kunde falou q n tem lógica pois é necessário saber de jesus não de papias, eu abordei que é plausível afirmar q jesus também tem um escriba pois na história nos se baseamos as evidências em relatos posteriores

    ResponderExcluir
  75. Banzolao pq vc acha que os times brasileiros são seguidamente roubados pelas arbitragens na Libertadores e os argentinos favorecidos?O Rica Perrone fez um vídeo falando que isso não faz sentido,já que são os times mais ricos,o Brasil dá muito mais dinheiro para a Conmembol que a Argentina e isso é tão forte que já roubaram fortemente até o Corinthians rss,na Libertadores de 2013 em um jogo contra o Boca,teve dois gols legais anulados,pênalti não mercado ene depois foi provado que foi intencional mesmo em um audio vazado do Grondona,presidente da AFA(Asociacion de Futbol Argentino) na época ,o Santos na semifinal da Libertadores desse ano teve um pênalti não marcado no jogo de ida contra o Boca,não fez falta,porque no jogo de volta eles jogaram muito bem e fizeram 3x0 no Boca,mas os casos são bem repetitivos e sempre contra os brasileiros e favorecendo os argentinos,o meu Fluminense já foi prejudicado contra o Boca tbm nas Libertadores de 2012,o zagueiro do Boca meteu a mão na bola e não marcou nada,o Palmeiras tbm na semifinal de 2001,eu vi no canal Futirinhas que o São Paulo tbm na final da Libertadores de 1994 contra o Velez teve um pênalti não marcado,eu não sou de acreditar em teoria da conspiração,erros são passíveis de ocorrer em qualquer jogo de futebol,mas como é sempre contra os brasileiros e a favor dos argentinos fica bem suspeito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra mim tem a ver com o idioma, pode parecer uma explicação boba e sem sentido mas a língua é um dos elementos culturais de unidade identitária, ou seja, nós nos identificamos mais com aqueles que falam a mesma língua que a gente, por isso nós sentimos uma afeição maior por um gringo que fala português (tipo o Seth Kugel e o Gavin Roy) do que por um gringo que não fala o nosso idioma, isso acontece até mesmo em relação a zonas dentro de um mesmo país, um baiano em SP vai se simpatizar mais com outro baiano falando com o sotaque baiano, assim como um gaúcho com alguém de sotaque gaúcho, e assim por diante. No caso da Libertadores, o Brasil é o único país da competição que não fala espanhol, então cria uma distância maior como se fosse um "ente estranho" ali, enquanto os demais tem uma identificação maior entre si, como se fossem um mesmo povo. Consequentemente os brasileiros são de certa forma marginalizados, ou seja, tratados como de fora do grupo, não há uma sensação de pertencimento como há entre os demais latino-americanos, então sempre que um brasileiro enfrenta um argentino o árbitro é "deles", mesmo não sendo argentino.

      Excluir
  76. O artigo chegou aos 200 comments e por isso a caixa de comentários daqui será fechada. Quem quiser postar um novo comentário ou responder a algum daqui, fique à vontade para fazer no artigo mais recente 👍

    ResponderExcluir