29 de maio de 2020

200 O que acontece com os bebês e deficientes mentais que morreram antes da idade da razão?



Há poucos dias me perguntaram o que eu acho que acontece com os bebês e deficientes mentais que morrem antes da idade da razão. Embora a indagação pareça ter uma resposta simples, há no meio teológico uma infinidade de respostas. Resumidamente (mas longe de esgotar todas as respostas), há os que dizem que serão todos salvos, há os que dizem que irão todos pro inferno, há os que acham que vão para o limbo (um lugar “intermediário” entre o céu e o inferno), há os que dizem que só serão salvos os que puderam ser batizados antes de morrer, há os que dizem que só serão salvos os que foram predestinados à salvação, há os que dizem que a criança é salva ou condenada dependendo da fé dos pais, e também os que dizem que Deus em sua presciência olha para o futuro que a pessoa não teve e com base no que ela faria se continuasse viva (ou se não tivesse a deficiência) decide se ela será salva ou não.

Com tantas explicações diferentes, não é de se espantar que seja mesmo necessário escrever um artigo sobre isso. Desde já, quero deixar claro que eu repudio essas três ideias: (1) a que inventa um lugar intermediário que biblicamente não existe, só pra tentar resolver um problema aparente; (2) a que lança bebês no inferno, batizados ou não; (3) a que usa da presciência de Deus de uma forma indevida, como se Deus nos punisse por aquilo que não praticamos, só porque ele sabe que iríamos praticar (se fosse assim, Ele já teria criado todo mundo direto no céu ou no inferno, e evitaria tantos transtornos). A opção que sobra é a que eu defendo: serão todos salvos.

É claro que se a questão fosse tão simples assim, não haveria tanta polêmica. De fato, essa resposta dada por mim e por tantas outras pessoas esbarra em um problema sério: a doutrina do pecado original. De acordo com Agostinho, a fonte da qual o Ocidente mais bebeu, o pecado original consiste não em uma simples “inclinação” ao pecado (como entende a teologia oriental), mas em um pecado mesmo. Em outras palavras, nós herdamos não apenas as consequências da Queda de Adão, mas também sua culpa. E essa culpa seria transmitida automaticamente a cada pessoa de geração a geração, como se todos já nascessem condenados na condição de pecadores.

Por essa ótica, seria realmente impossível salvar bebês que morreram antes de serem batizados (para aqueles que creem na regeneração batismal, que é uma outra discussão), já que eles morreram no pecado, e ninguém que morre no pecado pode ser salvo. Em outras palavras: se todos já nascem condenados, então não poderia haver salvação para quem morreu antes de ter tido tempo de aceitar a Cristo ou de receber o batismo. Como resolver este problema?

Na verdade, o “problema” só existe para quem tem esse conceito específico a respeito do pecado original. Biblicamente falando, não há razão alguma para pensar que o pecado original consiste em um pecado transmitido de pai pra filho, como na teologia agostiniana adotada pelos católicos e mais tarde por muitos protestantes (que vieram desse contexto católico ocidental). Pelo contrário: a Bíblia é clara ao dizer que “o que condena o justo é abominável ao Senhor” (Pv 17:15), e que ninguém carrega a culpa de outro:

“A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniquidade do pai, nem o pai, a iniquidade do filho; a justiça do justo ficará sobre ele, e a perversidade do perverso cairá sobre este” (Ezequiel 18:20)

Muitos usam o texto de Êxodo 20:5 («visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração») para justificar o ensino de “maldição hereditária”, mas se esquecem que o verso seguinte diz que “trato com bondade até mil gerações aos que me amam e guardam os meus mandamentos” (Êx 20:6). O objetivo não é dizer que Deus literalmente amaldiçoa a quarta geração de alguém que pecou e que abençoa literalmente até a milésima geração de um justo (se fosse assim, todos nós estaríamos sob bênção e maldição ao mesmo tempo por causa de algum antepassado remoto, o que seria um tanto paradoxal), mas era uma hipérbole usada para nos dizer o quanto Deus é muito mais inclinado a abençoar do que a amaldiçoar.

Sim, Adão desobedeceu a Deus e deixou que o pecado entrasse no mundo, corrompendo toda a criação e, por conseguinte, toda a posteridade. Mas isso não significa que Deus automaticamente transfere o pecado de Adão na conta de cada um de nós antes mesmo de cometermos pecados pessoais, o que seria uma injustiça incompatível com o caráter de um Deus justo. Significa que nós sofremos as consequências do pecado, mesmo que não herdemos a culpa em si.

Cada pessoa é responsável por sua própria culpa. Isso não anula, porém, as consequências de ações para terceiros. Por exemplo, uma mãe fumante que engravida pode passar ao seu filho uma doença respiratória, um motorista que dirige bêbado pode levar à morte pedestres ou outros motoristas que não beberam, um jogador que perde um pênalti decisivo numa final de Copa do Mundo compromete toda a equipe e decepciona milhões de torcedores (Baggio que o diga), e um presidente incompetente pode levar à ruína a economia de um país inteiro. Em todos esses exemplos e muitos outros, o culpado é um só, mas as consequências do erro incidem de uma forma ou de outra na vida de outras pessoas.

Seria injusto punir a esposa pelos crimes do marido, mas se o marido for punido e preso, isso inevitavelmente irá piorar a vida da esposa de alguma forma, seja pelo vínculo emocional com ele, seja pela ausência paterna na criação dos filhos, seja por possíveis dificuldades econômicas. O mesmo ocorre com o pecado de Adão: embora apenas Adão seja culpado pelo seu próprio pecado, o que ele fez trouxe consequências para toda a posteridade, porque as vidas humanas não estão desconectadas umas das outras. Tanto o bem como o mal que fazemos impacta outras vidas, e isso é particularmente verdadeiro para o primeiro homem, que de certa forma representava toda a humanidade.

Graças ao pecado de Adão, nós nascemos não com o pecado em si, mas com uma natureza inclinada para o pecado – aquilo que a Bíblia costumeiramente chama de “carne”, e que está sempre desejando coisas contrárias à vontade de Deus (coisas que prejudicam a nós mesmos e ao próximo). Isso significa que em um momento ou outro iremos pecar, mas não que já nascemos “pecadores” por causa dos pecados de outro. Quando Davi diz que “em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe” (Sl 51:5), o sentido não é que ele peca desde o ventre ou que os pecados de sua mãe lhe foram transmitidos, mas que sua natureza é voltada ao pecado desde o nascimento, desde que sua mãe o concebeu em pecado. Nós nascemos com a potência do pecado, não com o ato.

Em toda a Bíblia, ninguém é condenado pelo pecado de Adão ou de algum parente: todos pagam o preço pelo seu próprio pecado. É sempre pelo mal que a própria pessoa fez que ela é condenada: “...os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação” (Jo 5:29), nunca pelos pecados de um antepassado. É por isso que Paulo disse que “cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus” (Rm 14:12), e não que prestará contas do pecado de Adão. E logo após dizer que o pecado entrou no mundo por um homem e pelo pecado a morte, ele completa que “a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram(Rm 5:12).

A morte passou a todos os homens porque todos os homens pecaram, e não porque Adão pecou. O pecado de Adão não foi automaticamente colocado na conta de cada criatura antes mesmo de nascer, mas propiciou que outras criaturas pudessem vir a pecar e receber também elas o seu próprio julgamento. Quando Paulo diz que “muitos morreram por causa da transgressão de um só” (Rm 5:15), não é porque toda a humanidade foi condenada à morte pelos erros de Adão, mas porque o erro de Adão abriu as portas para a humanidade toda ser condenada pelos seus próprios pecados.

Note com atenção o verso 19, onde Paulo conclui seu raciocínio dizendo:

“Assim como por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores, assim também, por meio da obediência de um único homem muitos serão feitos justos” (Romanos 5:19)

Obviamente, ninguém diria que a obediência de Jesus por si só tornou muitos homens justos. Todos sabemos que é preciso crer em Jesus para que essa fé lhe seja imputada como justiça (Rm 4:5). Se nós não o aceitarmos, o ato de Jesus por si só não nos valerá nada. Se isso é verdade em relação à segunda metade do verso, então também é verdadeiro para a primeira parte: a desobediência de Adão não nos torna pecadores por automático, mas propicia que sejamos pecadores caso sigamos o caminho que ele abriu.

Observe que Paulo não diz que “todos foram feitos pecadores”, assim como não diz que “todos serão feitos justos”, porque a desobediência de Adão não é imputada automaticamente a todos os homens, assim como a obediência de Cristo (se fosse assim, toda a humanidade seria condenada por causa de Adão e toda a humanidade seria salva por causa de Cristo, o que nos levaria ao universalismo, a crença na salvação universal até dos ímpios). Em vez disso, o ato de Adão tornou possível que muitos fossem condenados por seus próprios pecados, e o ato de Jesus tornou possível que muitos fossem salvos pela fé nEle.

A ideia de condenar alguém pelos pecados de outra pessoa não é diferente de alguém te multar porque o seu pai dirigiu bêbado, com a diferença de que no caso do pecado original o seu pai paga a multa, você paga a multa, seus filhos pagam a multa e todos pagam a multa pelos erros de um só. Isso não apenas ofende o bom senso cristão, como leva a absurdos teológicos do mais grotescos. Um deles é a ideia do limbo, que durante a Idade Média era tão popular no Ocidente quanto o purgatório. Sem saber o que fazer com os bebês pecadores que morreram sem receber o batismo, eles criaram um “meio-termo” que os livrava do tormento do inferno, ao mesmo tempo em que lhes fechava as portas do Paraíso.

Se por um lado a doutrina do pecado original exigia uma forma de punição pós-morte pelos pecados não purgados em vida, por outro lado pensava-se ser desumano demais dizer que os bebês vão para o fogo do inferno, ainda mais nessa época, quando já acreditavam em um tormento eterno. A “solução” foi criar um lugar onde os infantes não podem ver a face de Deus ou estar em comunhão com seus entes queridos, mas também não estão amargando um terrível sofrimento sem fim. Este lugar passou a ser chamado de “limbo”, e com o tempo quem não cresse nele estava sujeito à Inquisição e a penas das mais diversas. Ironicamente, em pleno ano de 2007, a Comissão Teológica do Vaticano aprovada pelo papa Bento XVI “extinguiu” o limbo (embora não tenha dito para onde foram aqueles que se acreditou por tanto tempo estarem lá).

Entre os protestantes, o problema não foi menor. Herdando a princípio a mesma teologia agostiniana, os calvinistas se viram em um dilema onde o limbo não era uma solução, tendo em vista a completa ausência de textos bíblicos falando sobre esse tal lugar. Isso fez com que muitos chegassem à conclusão de que tais bebês vão simplesmente ao inferno (e pasme, alguns continuam defendendo isso em pleno século XXI), não obstante a maior parte dos evangélicos concordar que os bebês serão salvos, já que não cometeram pecados pessoais (até porque é difícil imaginar Jesus dizendo «vinde a mim as criancinhas porque o Reino dos céus pertence a quem é semelhante a elas», se elas na verdade vão para o fogo do inferno).

O limbo e os “bebês do inferno” são só um pequeno exemplo de como equívocos teológicos podem levar a outros equívocos teológicos ainda maiores para tentar explicar ou remediar seus evidentes problemas, que com o passar do tempo vão se tornando uma bola de neve: cada vez mais erros são inventados para dar sustentação aos anteriores, porque toda a base está contaminada. Isso explica em grande parte as doutrinas medievais criadas pela Igreja Romana ao longo dos séculos, quase todas elas frutos de conjectura teológica para tentar salvar uma crença notoriamente falsa.

Em suma, os bebês, assim como os deficientes mentais que morrem sem atingir a idade da consciência, são salvos porque não cometeram pecados pessoais. Eles têm uma natureza pecaminosa no sentido de uma inclinação ao pecado, mas não chegam a cometer pecado de fato porque não estão na condição de escolher desobedecer a Deus (e o pecado é sempre uma escolha, escolha essa que um bebê ou deficiente mental é incapaz de fazer). Tome como exemplo o texto de Isaías, que diz:

“Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel. Ele comerá coalhada e mel até a idade em que saiba rejeitar o erro e escolher o que é certo. Mas antes que o menino saiba rejeitar o erro e escolher o que é certo, a terra dos dois reis que você teme ficará deserta” (Isaías 7:14-16)

Como se vê, existe um período em que a criança não pode escolher entre o certo e o errado, que alguns chamam de “estado de inocência”, uma fase em que a criança é incapaz de fazer maldade de forma consciente e deliberada, porque não está em condições de fazer julgamentos morais. No caso do deficiente, ele se encontra nesse estado de inocência por toda a vida, pois seu cérebro não evoluiu da mesma forma como as demais pessoas, portanto o que é válido para as crianças pequenas é válido para o deficiente mental de qualquer idade (lógico que nos casos em que essa deficiência é bastante aguda, não em todos os casos).

É curioso notar a semelhança com Adão e Eva em seu estado antes da Queda. Eles não eram deficientes mentais (bem pelo contrário, o fato de Adão conseguir nomear e decorar o nome de todos os animais criados mostra que tinha uma capacidade mental bem maior que a nossa), nem nasceram bebês. No entanto, o relato bíblico indica claramente que antes deles comerem da árvore do conhecimento, eles estavam no mesmo “estado de inocência”, onde eram incapazes de escolher entre o bem e o mal:

“Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais selvagens que o Senhor Deus tinha feito. E ela perguntou à mulher: ‘Foi isto mesmo que Deus disse: Não comam de nenhum fruto das árvores do jardim?’. Respondeu a mulher à serpente: ‘Podemos comer do fruto das árvores do jardim, mas Deus disse: Não comam do fruto da árvore que está no meio do jardim, nem toquem nele; do contrário vocês morrerão’. Disse a serpente à mulher: ‘Certamente não morrerão! Deus sabe que, no dia em que dele comerem, seus olhos se abrirão, e vocês serão como Deus, conhecedores do bem e do mal’” (Gênesis 3:1-5)

É curioso notar que embora a serpente tenha mentido no que se refere a não morrer (porque a partir do momento em que eles comeram, se tornaram mortais), ela não mentiu sobre “ser como Deus”, no sentido de se tornarem conhecedores do bem e do mal. Tanto é que mais à frente é o próprio Deus que diz:

“Então disse o Senhor Deus: Agora o homem se tornou como um de nós, conhecendo o bem e o mal. Não se deve, pois, permitir que ele também tome do fruto da árvore da vida e o coma, e viva para sempre” (Gênesis 3:22)

Em outras palavras, ao comerem da árvore do conhecimento, Adão e Eva saíram do estado de inocência (como as crianças pequenas) e se tornaram como Deus (no sentido de conhecer o bem e o mal). Por isso descobriram que estavam nus (um bebê não tem consciência de que está nu, ele não sente vergonha disso) e se cobriram. Ou seja, a partir daquele momento, a malícia começou a habitar no coração deles, e com ela toda sorte de maldades. A natureza do homem se tornou essencialmente má, e é neste sentido que podemos falar em um “pecado original” (não no sentido de transferência de culpa).

Quando um bebê nasce, ele se encontra no mesmo estado de inocência de Adão e Eva antes da Queda, ou seja, sem maldade, sem malícia, sem discernir entre o bem e o mal, um estado que Deus queria que se mantivesse para o próprio bem da humanidade. Mas na medida em que ele cresce, ele naturalmente vai ganhando uma consciência maior e com ela o discernimento entre o bem e o mal, o que faz com que muitas vezes escolha o mal. A diferença é que no nosso caso nós não temos a escolha que Adão e Eva tiveram: nós naturalmente atingimos essa consciência à medida em que crescemos, porque herdamos a mesma natureza corrompida do primeiro casal após a Queda. A escolha do primeiro casal foi definitiva, embora ela seja revertida na ressurreição dos justos.

Agora imagine se Adão e Eva tivessem morrido antes de comerem da árvore do conhecimento (o que certamente não aconteceria já que a morte estava condicionada a comer do fruto, mas imagine como uma mera hipótese): qual seria o seu destino? Certamente não seria o inferno, nem um limbo, nem qualquer uma das hipóteses estravagantes que alguns dão. Eles obviamente ressuscitariam no Paraíso, já que não tinham ainda pecado algum. Este é o caso dos que morrem na infância: embora eles herdem as consequências do pecado (o que inclui a morte e a tendência ao pecado ao atingir a idade da consciência), eles não herdam o pecado em si, ou seja, são tão inocentes e puros quanto Adão e Eva eram antes da Queda, e seu destino na ressurreição só pode ser o Paraíso.

É interessante como a criação do Gênesis nos faz compreender tanta coisa sobre o destino eterno, não apenas dos que morrem na infância, mas basicamente de todo mundo. Os primeiros capítulos do Gênesis nos falam de um homem criado do pó da terra com um fôlego que anima o corpo (Gn 2:7), diz que quando esse fôlego se vai o homem volta ao pó (Gn 3:19), e que isso não aconteceria se o homem não tivesse comido da árvore que Deus proibiu comer (Gn 2:17).

O Novo Testamento complementa essas verdades revelando o antídoto que Deus nos deu para a morte: a salvação e a ressurreição no último dia através de seu filho Jesus, que nos levará de volta ao mesmo Paraíso do qual o primeiro homem foi expulso, na “regeneração de todas as coisas” (Mt 19:28). Entender o começo é o caminho para entender o meio e o fim de todas as coisas que Deus planejou para nós, que não é simplesmente apagar tudo e fazer de novo, mas resgatar o plano e o propósito original de Deus para com a Sua criação.

• Compartilhe este artigo nas redes:

Por Cristo e por Seu Reino,


- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)  

200 comentários:

  1. 1-De acordo com a doutrina calvinista,que Deus predestina o homem a ser salvo ou condenado,um bebê ou uma pessoa doente mental poderia ser condenada ao Inferno se fosse predestinada,meu pastor mesmo me disse isso,por conta desse extremismo calvinista da minha igreja estou pensando em voltar para a Assembléia de Deus.

    2-Comente https://www.youtube.com/watch?v=TyaVV8D4-Iw&list=PLAr322Yg8UkDHJLDZxZZ5Arvd2uD1P7nr muitos dizem que ele foi até mais genial que Einstein,mas infelizmente não ficou tão famoso,muita gente nunca ouviu falar dele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Eu não sei como alguém consegue acreditar numa coisa dessas. Eu preferiria não ser cristão do que acreditar num absurdo grotesco e bizarro desses. Um Deus que condena a uma eternidade no inferno bebês e deficientes mentais sem escolha não pode ser menos que um monstro assustador e sádico.

      2) Dizem que quando perguntaram para Einstein como era o sentimento de ser o homem mais inteligente do mundo, ele respondeu: "Pergunte para Tesla". Tesla era realmente genial, é uma pena que Edison tenha ficado com todo o crédito.

      Excluir
    2. Tesla é tao injusticado q se vc oesquisar so tesla aparece a empresa dobelom muske

      Excluir
    3. kkkkk pior que é verdade. RIP Tesla...

      Excluir
  2. https://www.youtube.com/watch?v=UCoVPao9tFU&t=433s Comente.Vc acha que isso de fato pode ter ocorrido?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As informações que ela traz no vídeo só existem em sites de curiosidades, as fontes mais sérias desmentem isso e dizem que se trata de teoria de conspiração (pesquise sobre o "Experimento Filadélfia").

      Excluir
  3. Obrigado Senhor por colocar o lucas em minha vida com esses maravilhosos artigos

    ResponderExcluir
  4. Lucas, poderia fazer um artigo falando sobre evolução? Tipo aquele dos dinossauros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho esses aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/06/dez-motivos-que-me-tornaram-um.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/07/como-as-origens-da-escrita-e-da-fala.html

      Excluir
  5. Comente https://bertonesousa.wordpress.com/2014/03/04/a-reforma-protestante-e-a-modernidade/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel, vi que você postou aqui um monte de artigos desse Bertone Sousa (além de outros links de vídeos e etc), mas eu não tenho como respondê-los pois se fosse ler e responder cada um desses artigos eu ficaria o dia todo só nisso, não poderia responder mais ninguém e nem fazer as minhas coisas. Então se tiver alguma dúvida ou se quiser destacar algum trecho (como fez abaixo) eu respondo sem problemas, mas não posso responder a vídeos e artigos longos, infelizmente eu não tenho tempo, então peço para evitar os links. Obg!

      Excluir
  6. "O ateu é alguém que encontrou estabilidade em sua vida emocional e social sem precisar de valores religiosos (uma postura que a maior parte da sociedade não pode adquirir). Isso só pode ser resultado de muitos anos de estudos e reflexões e da aquisição de uma cultura histórica e científica a partir da qual o indivíduo adota referenciais de vida e de conduta que prescindem da experiência e dos dogmas religiosos. Isso não torna o ateu necessariamente mais inteligente, mas deve torná-lo apto a entender que não é viável e talvez nem mesmo desejável que as crenças religiosas desapareçam."
    O Bertone Sousa essa definição de ateu no Facebook dele,durante um tempo eu li bastante o blog dele e até flertei com o ateísmo até voltar a igreja em 2016,me chamava a atenção o fato dele sempre rejeitar o neoateismo toddynho da ATEA e de outras páginas ateístas,tanto é que eu comentei no texto dele que te enviei no post anterior o fato de que muitos ateus só sabiam fazer piadinha com religiosos,e ele respondeu que esse tipo de ateu é o verdadeiro atoa,ignorante,que acha que ser ateu é zombar da religião e eu perguntei sobre o Craig,ainda não o conhecia,ele me disse que o Craig não era um intelectual acadêmico e sim teólogo fundamentalista,por isso te enviei alguns textos dele para vc refutar,eu até ter uma experiência com Cristo em 2016,apesar de ter sido criado na igreja,nunca tinha vivido nenhuma experiência com Deus,tentava seguir o que ensinavam lá,mas não tinha me dedicado a estudar a Bíblia,nem conhecia autores cristãos que faziam apologética,por isso disse anteriormente que seu livro mais importante para mim foi ´´Deus um Delírio´´?Me ajudou muito no meu processo de volta a fé cristã,mas eu tenho amigos da minha época de adolescência da igreja que hoje são ateus,um inclusive é filho de pastor,por isso também te pedi para refutar os textos do Bertone,um argumento ateísta mais acadêmico,sofisticado,diferente do pessoal da ATEA,aí vou mostrar para meu amigo as suas refutações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho melhor passar para o seu amigo os meus dois livros sobre o tema ("As Provas da Existência de Deus" e "Deus é um Delírio?") e os artigos do meu blog "Ateísmo Refutado", além de outros livros muito bons como o "Não tenho fé suficiente para ser ateu" (a leitura apologética mais básica e imprescindível sobre isso) e os artigos e vídeos do Craig. Eu pouco poderia acrescentar escrevendo aqui em poucas linhas, e como eu disse acima, infelizmente não tenho tempo para ler, assistir, comentar e refutar tudo o que me passam.

      Excluir
  7. Hello Lucas,

    I was wondering whether you thought this could be used to show transubstantiation to be unhistorical?:

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2018/04/roman-catholic-tabernacles-for.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. I want to put this article on my website:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/09/a-igreja-ortodoxa-e-o-canon-do-antigo.html

      Not quite sure how to give the credit. I'll just list the name of the author at the top of the article.

      Excluir
    2. In fact, there is much historical evidence that transubstantiation is a very late invention. Bruno Lima has some articles on this, including:

      http://respostascristas.blogspot.com/2016/02/os-pais-da-igreja-e-eucaristia-inacio.html

      http://respostascristas.blogspot.com/2016/02/os-pais-da-igreja-e-eucaristia-irineu.html

      http://respostascristas.blogspot.com/2016/02/os-pais-da-igreja-e-eucaristia-hipolito.html

      http://respostascristas.blogspot.com/2016/02/os-pais-da-igreja-e-eucaristia.html

      http://respostascristas.blogspot.com/2016/02/os-pais-da-igreja-e-eucaristia-papa.html

      Excluir
    3. "Not quite sure how to give the credit. I'll just list the name of the author at the top of the article"

      Can it be like this, np.

      Excluir
  8. Comente:

    "Os monarquistas, por seu lado, lembram que o império brasileiro tinha conhecido um período de paz de quase 50 anos inédito no mundo, de 1840 a 1889. Como, ao contrário do Império, houve na República Velha, muitos conflitos armados e violência, a república velha foi acusada, pelos monarquistas, de ter sido a causa de tantas revoltas políticas."

    Fonte: https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Primeira_República_Brasileira&mobileaction=toggle_view_desktop#Legado

    Vi muitos monarquistas afirmando que a Monarquia além de ter mantido a União do país, também promoveu quase 50 anos de paz, afirmando que não houveram grandes conflitos internos como nos primeiros anos da República.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Brasil vive um período muito maior de paz depois desse início turbulento da república (uma turbulência natural, visto que havia muitos interesses políticos em jogo e muitos grupos lutando pelo poder, até que a república se consolidasse). E também não é verdade que foram 50 anos de paz durante a monarquia, pelo contrário, teve mais revoltas do que a república (mesmo a república tendo durado mais), como você pode ver nesse compilado de revoltas que incluem ambos os períodos:

      https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_lutas_e_rebeli%C3%B5es_no_Brasil

      Foram 32 no império (sem contar a própria proclamação da república) e 30 na república, apesar da república ter 127 anos e a monarquia apenas 67.

      E sobre a monarquia ter "mantido a União do país", eu não sei por que isso é apontado como uma coisa boa. Se o sul tivesse conseguido se separar do resto da União, estaríamos agora numa condição análoga à do Uruguai e da Argentina, muito melhores do que estamos hoje. Em geral quanto mais autonomia um estado tem, melhor ele se autogoverna (ou seja, melhor pra ele). Essa é uma das razões pelas quais os EUA sempre foi tão superior ao Brasil, lá cada estado tinha uma autonomia quase que total, diferente do Brasil onde o presidente (e ainda mais o monarca no século XIX) tem amplos poderes sobre toda a União.

      Excluir
    2. "Foram 32 no império (sem contar a própria proclamação da república) e 30 na república, apesar da república ter 127 anos e a monarquia apenas 67."

      Só uma correção: a República tem 130 anos de idade (e se Deus quiser vai durar mais 130 anos), já se passaram ao todo 130 anos e 6 meses desde que o Marechal Deodoro proclamou a República.

      Excluir
    3. Sim, tive preguiça de fazer as contas direito 🤣

      Excluir
  9. Lucas, você já se perguntou porque o Nando Moura ainda continua sendo monarquista? Agora pouco ele postou um vídeo muito bom com várias críticas ao Bolsonaro porém ele diz numa parte do vídeo o Seguinte:

    "A República por si só já é uma grande vergonha nacional"

    Ele rompeu com o Olavo de Carvalho, mas ainda me parece que ele continua sendo parcialmente olavista, especialmente em quesitos como História e Ciência. Porque Ele ainda continua sendo monarquista?

    A propósito, o vídeo é esse aqui:

    https://youtu.be/q3Natenvg00

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vi esse vídeo, como também vi outro onde ele defende o mesmo revisionismo das cruzadas que já defendia antes (ele não tem falado mais sobre a Inquisição, mas aposto que também mantém os mesmos pensamentos). Mas não dá pra exigir que alguém evolua totalmente da noite pro dia, às vezes a pessoa se liberta do que há de pior mas ainda guarda consigo certos conceitos e falsas convicções que tinha antes, talvez até pela falta de pesquisa independente na área (o que leva a repetir os mantras do grupo, mesmo quando não faz mais parte do mesmo).

      Excluir
    2. Pois é, após ler o seu comentário, refleti um pouco sobre o que você me disse e cheguei a seguinte conclusão: o Nando Moura só se libertou do Olavo de Carvalho e sua gangue há bem menos de 1 ano, mas em compensação ele passou 5 anos fazendo parte dessa seita e muitas desinformações que foram lhe passadas pelo Astrolavo e o Gengivudo ainda continuam frescas em sua memória, contudo lembremos que as pessoas mudam completamente de idéia a medida que vão envelhecendo, o Nando Moura ainda é relativamente jovem (ele tem 36 anos), mas creio que nos próximos 4 ou dez anos ele possa rever seus conceitos de conservadorismo e possa deixar de defender o monarquismo, as cruzadas e a Inquisição. Provavelmente quando ele chegar aos 40 anos (botei 40 anos porque tradicionalmente essa é a idade que a pessoa está completamente madura e já tem os seus princípios plenamente estabelecidos) ou mais ele nem sequer talvez defenda mais essas atrocidades. Também oremos a Deus para que o Nando Moura se liberte dessas mentiras olavistas e se torne um conservador autêntico.

      Excluir

  10. Comente:

    https://youtu.be/yWBhn7ZmV3s

    https://youtu.be/b4aVW3wt_cI

    https://www.google.com/amp/s/revistaforum.com.br/politica/moro-faz-comparacao-infeliz-entre-cancelamento-de-palestra-na-argentina-com-ditadura-militar/amp/

    https://www.google.com/amp/s/www.cartacapital.com.br/politica/apos-protestos-contra-palestra-moro-diz-ter-sofrido-censura-de-argentinos/amp/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhuma surpresa, já que na Argentina kirchnerista a doutrinação ideológica é tão ou mais forte do que aqui, com o mesmo aparelhamento institucional.

      Excluir
  11. Lucas me encanta tus dos libros de la reforma, ya llevo gran parte de tu segundo volumen traducido al español, te mandare los PDF para que le des un vistazo, espero con entusiasmo tu tercer volumen, esos libros son una joya.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muchas gracias! Puede enviarme el PDF en Facebook, estaré encantado de verificar la traducción. Gran abrazo!

      Excluir
  12. Lucas, há algumas semanas atrás eu estava conversando com a minha amiga (da faculdade) sobre se a quarentena é realmente útil (eu estava defendendo o consenso científico do isolamento social horizontal, enquanto ela defendia o isolamento social vertical, bem como o modelo sueco de quarentena), eu em meu argumentos defendi o que é consenso entre os economistas: a História nos mostra que não importa o quão destruída seja a economia de um país em um grande período de adversidade ela sempre vai se recuperar, e ela me disse o seguinte:

    "Da mesma forma que não somos a Suécia para ter uma população muito civilizada que respeita regras sanitárias, também não somos a Alemanha ou o Japão para experimentar uma recuperação econômica como eles no pós guerra. Antes do corona já estavamos iniciando a querer conseguir uma modesta recuperação fiscal"

    Além disso para justificar o motivo dela defender o modelo sueco foi porque ela argumentou o seguinte:

    "E o problema não é só o econômico, como também a insurreição de despostas ou medidas tiranicas que podem surgir em tempo de crise, É o que está acontecendo no Brasil. Aproveitadores como o George Soros já estão falando em constituição global, Isso é muito pior do que uma doença que independente de qualquer medida vai cumprir seu ciclo natural de infestação".

    P.S: Eu gosto muitíssimo dela (e ela também de mim, inclusive ela é uma evangélica fervorosa e que me ensinou muita coisa boa e tirou muitas das minhas dúvidas teológicas, ela é uma pessoa realmente incrível), temos uma ótima relação como amigos, porém dessa vez eu acho que ela vacilou um pouco, mas também ninguém no mundo inteiro pensa 100% como você pensa".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O erro é pensar que a economia vai funcionar se acabar a quarentena e o comércio abrir, é um raciocínio muito inocente e raso. Se o Brasil tomasse as medidas que nosso até agora presidente tanto deseja, o vírus se espalharia com muito mais rapidez, ninguém conseguiria trabalhar porque estaria todo mundo doente, e dos que tem mais condição econômica muitos optariam por permanecer em casa em vez de arriscar sua vida consumindo algo. Ou seja, no fim das contas o comércio continuaria paralisado e a economia sofreria o mesmo impacto, com a diferença de que muito mais gente morreria por falta de leitos hospitalares. É só estudar a história das pandemias do passado, a Gripe Espanhola por exemplo devastou muito mais a economia de quem não fez quarentena do que a de quem fez. Então não se trata de "vamos deixar o povo morrer pra não entrar em recessão" (o que já seria altamente questionável moralmente), porque a recessão vamos ter de um jeito ou de outro, mas podemos sair melhor dessa se seguirmos as regras como todos os cientistas sérios do mundo todo orientam. Tanto é que os países que seguiram o exemplo e tomaram medidas rígidas de isolamento já estão voltando aos poucos com a vida normal, mas nós não podemos fazer isso porque graças ao imbecil que estimula as aglomerações e que incentiva o povo a sair às ruas estamos ainda no auge da crise.

      Excluir
    2. O que você acha do modelo sueco de quarentena? Minha amiga usou esse modelo para defender seu posicionamento de que Lockdowns violam os direitos individuais à liberdade de ir e vir. Ela disse que isso pode dar brecha para governantes autoritários que podem tirar a liberdade do Povo, também vi muitos na Internet defendendo esse modelo sueco de quarentena afirmando que com ou sem Lockdown a pandemia irá seguir seu curso natural. Esse argumento com base na defesa das liberdades individuais têm base nesse momento para você?

      Excluir
    3. A Suécia é disparado o país nórdico com maior número de óbitos, não vejo como possa ser um bom exemplo. Há muitos casos previstos em lei onde as liberdades individuais são suspensas, como por exemplo quando é decretado estado de sítio (como fizeram recentemente em Minneapolis devido às manifestações). Trata-se de um estado de exceção, não uma regra ou o modo como as pessoas devem viver permanentemente. Isso seria o mesmo que dizer que como o futebol parou nessa quarentena, ele vai parar pra sempre, já que se abriu um "precedente". É o tipo de raciocínio que não faz o menor sentido, pois uma exceção não invalida a regra. Nós não vamos nos tornar uma Coreia do Norte por temporariamente proteger as pessoas de contrair um vírus mortal.

      Excluir
    4. Só um adendo: me deparei ontem por um acaso com este artigo que mostra que o próprio governo sueco reconheceu o erro na sua estratégia de lidar com a pandemia, e ainda destaca que a economia da Suécia caiu tanto quanto as outras, mesmo não fazendo a quarentena que as demais fizeram:

      https://brasil.elpais.com/internacional/2020-06-03/suecia-admite-erros-em-sua-estrategia-contra-a-pandemia.html?rel=lom

      Isso só reafirma o que eu sempre tenho dito: acabar com a quarentena neste momento vai nos manter na mesma crise econômica, só que com bem mais mortes.

      Excluir
  13. Comente:

    https://www.google.com/amp/s/g1.globo.com/google/amp/mundo/noticia/2020/05/29/trump-diz-que-esta-encerrando-relacoes-com-a-oms-e-faz-criticas-a-china.ghtml

    https://www.google.com/amp/s/g1.globo.com/google/amp/mundo/noticia/2020/05/30/lideres-mundiais-criticam-ruptura-dos-estados-unidos-com-a-oms.ghtml

    Embora eu concorde com o motivo da saída (Com certeza absoluta a China está mentindo sobre a divulgação dos Dados, afinal, China e Transparência são duas palavras completamente antagônicas), ainda sim, acho que isso foi uma péssima hora para fazer isso. Nesse momento o mundo necessita de esforços para combater essa pandemia terrível que nos assola.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo que o mundo precisa de esforços, mas esses esforços não tem vindo da OMS. Desde o início da epidemia eles tem dado orientações confusas e contraditórias, se sujeitando sempre ao governo chinês, então financiar outras organizações de saúde em lugar da OMS me parece uma medida aceitável e compreensível.

      Excluir
  14. https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2018/03/roman-catholicisms-abnormal-exultation.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Not to mention that the entry §969 of the current Catholic catechism says that Mary has a "saving office", which is used by many Catholics to support the blasphemy of Mary's "coredentation".

      Excluir
  15. Oi Lucas!
    Como vencer o medo da morte?
    Sou cristã de criação, mas me sinto uma evangélica "fraude": morro de medo de morrer, não sei afinal pra onde irei após a morte, se para o céu, se vou para um local dormir (o tal seio de Abraão), se Jesus vai me receber. Eu me desespero e tenho crises reais de pânico e depressão de pensar nesse assunto. Por mais que eu ame a Deus e leia a bíblia, eu não consigo ter paz alguma a respeito disso.
    Também tenho dúvidas se realmente sou serva de Deus, porque não me encaixo nas categorias de crentes que falam "Deus me direcionou", "Deus me mostrou", "Deus colocou no meu coração"...fico esperando Deus me dar essas experiências, mas nada acontece. Como deixar de ser essa fraude?
    Obrigada :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que o medo de morrer, até certo ponto, é uma coisa boa. A gente só tem medo de perder algo que a gente valoriza; se temos medo de morrer, é porque gostamos de viver, e isso é bom. Alguém depressivo que não sente prazer pela vida ou vontade de viver não tem medo da morte, pois acha que não tem nada a perder. Mas nossa vida é preciosa, por isso Deus enviou seu filho para morrer por nós. É o medo de reprovar de ano que nos motiva a estudar, é o medo de perder alguém que nos faz valorizar a pessoa (por isso muitas vezes só valorizamos depois que perde), é o medo de se ferir ou de se meter em complicações que nos leva a agir com precaução e responsabilidade, e é o medo da morte que nos leva a buscar mais a Deus para estar com Ele quando tudo isso acabar. O problema não é o medo em si, mas a obsessão, a paranoia, um nível em que o medo se torna tão presente na nossa vida que nos amarra e impede que sigamos em frente. Quando é assim, devemos orar e fazer o que for preciso para vencer esse medo. Eu penso que o melhor que pode ser feito em relação a isso é fazer o nosso melhor: quanto melhor tratarmos o próximo, quanto mais fizermos pelo Reino de Deus, quanto mais comunhão tivermos com Ele, quanto mais semearmos coisas boas nesse mundo, mais paz teremos de que cumprimos a nossa missão na terra seja ela qual for.

      Eu estou certo de que existe vida após a ressurreição, mas mesmo se tivesse dúvidas sobre isso, eu poderia ter a consciência tranquila de que encontrarei a Deus mais cedo ou mais tarde, em um momento ou outro, seja qual for o lugar, porque vivi para ele e cumpri minha missão na terra (óbvio que ainda estou longe de chegar a este ponto, mas é o que espero chegar quando estiver próximo do fim da carreira, como disse Paulo). Eu creio na vida eterna na nova terra (inclusive escrevi sobre como eu entendo que será a vida eterna no artigo do link abaixo), mas mesmo que acreditasse que será no céu, no tal do "seio de Abraão" ou onde quer que seja, a única coisa que importa é que estar com Deus deve ser a coisa mais plena, regozijante e satisfatória que eu jamais poderia sentir nesta vida, de modo que faz pouca diferença o "quando" ou "onde", o que importa mesmo é o "quem", que é com Deus.

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/04/por-que-vida-eterna-na-terra-e-muito.html

      Em relação às experiências, eu também me encaixo na mesma categoria sua, não tenho as experiências extraordinárias que outras pessoas tem, mas tem uma citação de Lutero que resume o que eu acho que deveria ser o nosso pensamento:

      "Fiz uma aliança com Deus: que Ele não me mande visões, nem sonhos, nem mesmo anjos. Estou satisfeito com o dom das Escrituras Sagradas que me dão instrução abundante e tudo o que preciso conhecer tanto para esta vida quanto para o que há de vir"

      Particularmente eu gostaria de ter visões, de ter sonhos ou de ver anjos, e nem acho que Lutero era contra essas coisas, mas o ponto é que isso não deve ser o fundamento da nossa fé, nem mesmo deveria ser necessário para nos mantermos firmes em nossa caminhada cristã. A vida eterna é o maior dom que alguém de nós poderia receber, comparada à qual essas coisas são insignificantes. O que devemos buscar de fato é um relacionamento com Deus, não as experiências em si, embora elas possam acompanhar o relacionamento (ou não). Quem busca a experiência antes do relacionamento (ou em lugar do relacionamento) acaba como algumas igrejas por aí, que enfatizam tanto a experiência pela experiência que o indivíduo pode estar atolado num lamaçal de pecado sem fim, que o que importa é rodopiar e falar em língua estranha. Por isso Jesus disse que no dia do juízo final muitos que fizeram milagres, sinais e maravilhas em Seu nome, que expulsaram demônios e tiveram experiências fantásticas, serão condenados porque Ele não os conhece. O que realmente importa é conhecê-Lo, as experiências são um acréscimo que podem vir ou não, mas não devem desviar o nosso foco daquilo que é o principal. Abs!

      Excluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sei a partir de qual idade já dá pra escolher entre o bem e o mal, a Bíblia não toca neste ponto em momento algum, talvez porque a idade varie de pessoa para pessoa. Mesmo que uma criança nessa faixa etária possa fazer certas escolhas, são escolhas muito relativas, limitadas devido à sua pouca compreensão de mundo e o cérebro ainda pouco desenvolvido, não é como uma pessoa mais madura que pode fazer uma escolha consciente e racional. Mas entendo que só é um absurdo criança ir pro inferno se se trata de uma criança incapaz de fazer escolhas conscientes, pois se ela é capaz e mesmo assim escolheu fazer o que é errado, então não seria nenhum absurdo (obviamente considerando o inferno bíblico de castigo proporcional aos pecados de cada um seguido da morte eterna, não um tormento eterno, que seria um absurdo independentemente de com quem quer que fosse). Eu diria que esses casos são semelhantes aos dos povos que nunca ouviram falar de Jesus (pessoas já crescidas e que cometeram pecados, mas que não puderam se converter porque nunca tiveram essa opção), a respeito dos quais eu escrevi aqui:

      http://ateismorefutado.blogspot.com/2015/04/o-destino-dos-povos-nao-alcancados.html

      Excluir
    2. Try this article:

      https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2018/06/children-and-salvation.html

      Excluir
  17. COMENTÁRIO 1: Não sei como que alguém lê a bíblia, crê em Deus e se diz cristão ainda consegue imaginar Deus mandando crianças para um inferno eterno (se fossem só aniquiladas igual os ímpios já seria horrível, um inferno eterno então piorou infinitamente). É semelhante os calvinistas, que creem que Deus predestinou uns para o inferno, mas eles conseguem crer nisso porque acreditam que eles e as pessoas que eles amam são eleitos, da mesma forma as pessoas que creem que crianças vão para o inferno é porque eles não tiveram um filho, um irmão, etc, que morreu quando criança.

    COMENTÁRIO 2: O que você acha da renda básica universal? Eu acho uma armadilha para as pessoas se tornarem submissas e escravas do governo. No futuro (daqui uns 20-50 anos. Depende do quão rápido a tecnologia vai evoluir) muitas pessoas só vão ter duas escolhas, aceitar receber a renda básica universal ou morrer de fome. Muitas profissões serão substituídas por robôs e veículos autônomos, principalmente profissões que exigem trabalho braçal, e o Brasil definitivamente não está e nem estará preparado para as mudanças da revolução industrial 4.0/indústria 4.0. Eu acredito que ainda existirá algumas áreas que será exigido trabalho braçal humano, mas a maioria serão substituídas. Porém até algumas profissões que exigem trabalho intelectual serão substituídas (só que serão substituídas parcialmente, para serem substituídas completamente seria necessário criar robôs idênticos aos seres humanos, como robôs que possuam capacidade para construir e programar robôs, o que é muito difícil, isso só é possível com uma I.A que consiga simular o cérebro humano com perfeição). Até países de primeiro mundo com altos níveis de educação como Alemanha, Japão, Canadá, Singapura e etc, irão sentir os impactos da indústria 4.0, imagina como vai ser em um país onde a educação não é levada a sério. Alguém pode argumentar que surgirão novas profissões, até podem surgir algumas, mas não será suficiente pois diferente das outras três revoluções industriais a mão de obra humana não será mais necessária. Eu sempre serei favorável ao avanço da tecnologia, e acho incrível os avanços da I.A, da Internet das Coisas e da robótica. Todavia o problema é que os países não estão se preparando. As duas melhores formas de se preparar são melhorar a educação e reduzir a população (não é teoria da conspiração, é a realidade, pois mesmo que todo mundo tenha uma educação excelente não terá empregos suficiente), então países com educação boa e com taxa de natalidade baixa sofrerão menos, enquanto que países com educação ruim e taxa de natalidade alta sofrerão muito. Os reacionários dizem que todos os casais deveriam ter mais de 5 filhos (quando nem eles tem kkkkk) e dizem que os países europeus irão se dar mal por terem uma taxa de natalidade baixa, só que eles estão errados, como já escrevi são esses países que se sairão melhor. Me diga o que acha dos meus argumentos, se eles tiverem errados por favor me diga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com tudo o que você disse, me parece um futuro inevitável (a não ser que uma grande tragédia aconteça até lá que faça a humanidade regredir em vez de avançar para esse estágio). Teoricamente não seria um problema receber dinheiro do Estado e não precisar trabalhar porque os robôs já fazem tudo pra gente, acho que todo mundo sonharia com isso, o problema na verdade é que isso tornaria todo mundo como que "refém" do Estado, numa relação de superdependência que as fará aceitar qualquer coisa que o Estado impuser, para não perder sua renda básica sem a qual não poderão se sustentar e viver. Eu entendo que é neste contexto que surgirá o governo da besta e a imposição da marca sem a qual ninguém poderá comprar nem vender, o que significa que não podemos fazer nada para evitar que esse futuro se cumpra, já que se trata de uma profecia bíblica. Na verdade, se queremos que Jesus volte logo (que deveria ser o desejo de todos nós que dizemos "Maranata ora vem Senhor Jesus"), então deveríamos até desejar que esse futuro chegue logo (ainda que eu ache que vá levar pelo menos algumas boas décadas, senão mais).

      Quanto à taxa de natalidade, eu sou até mais radical que você: acho que deveria haver alguma política de controle de natalidade que proíba ter mais de três filhos, e os pais que tiverem mais do que quatro filhos deveriam ser imediatamente presos com uma pena bem severa que servisse de exemplo. Por mais radical que essas medidas pareçam, grande parte da criminalidade, da pobreza, da falta de emprego, do trânsito e do caos que esse mundo vive deve-se à superpopulação (pessoas que tem mais filhos do que são capazes de sustentar e educar, que acabam sendo criados na rua e se tornam marginais, ou que amargam uma vida de miséria por culpa dos seus pais irresponsáveis e levianos). De nada adianta uma lei que determina que um marginal seja incriminado e preso, se mais e mais marginais surgem todos os dias. De nada adianta a caridade e o empreendedorismo, se mais e mais miseráveis surgem devido às mesmas razões. Ou lidamos com a raiz do problema com seriedade, ou esses problemas vão se perpetuar infinitamente. As pessoas que acham rigorosas demais as políticas de controle de natalidade são as mesmas que depois reclamam dos males que isso acarreta, inclusive contra elas mesmas. Elas tem noção do quão terríveis são as consequências que a superpopulação gera, mas acham absurdo cortar o mal pela raiz. Se a punição para a causa do problema fosse tão severa quanto a do problema em si, ele seria reduzido drasticamente. Lembremos que a China só se tornou a potência que é hoje depois de implementar medidas rigorosas de controle de natalidade.

      Felizmente neste quesito as perspectivas são positivas, pois mesmo fora da Europa os casais atualmente estão tendo bem menos filhos do que antigamente, raramente vemos alguém ter mais de dois, e muitos sequer querem ter filhos (o que acaba de certa forma "compensando" o fato de outros terem mais do que deveriam). Há algum tempo atrás eu vi nos gráficos do Max Roser uma projeção populacional para 2100 um tanto quanto otimista, onde o Brasil teria 190 milhões de habitantes (hoje são 210 milhões), o que reforça essa perspectiva otimista (é esse gráfico abaixo).

      https://ourworldindata.org/grapher/un-population-projection-medium-variant?year=latest

      Excluir
  18. Olá.
    Você tem conta de policarpo sobre a triandade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não me lembro de Policarpo ter comentado sobre a trindade, mas neste artigo do Marcelo Berti há várias citações dos Pais pré-nicenos defendendo aquilo que hoje chamamos de trindade:

      https://marceloberti.wordpress.com/2010/05/21/doutrina-da-trindade-antes-de-niceia/

      Excluir
  19. https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2020/05/a-biblical-obstacle-for-catholic.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. For Catholics, Jesus returns every day, is sacrificed every day and is eaten every day in rituals of cannibalism. Nothing could be more bizarre.

      Excluir
    2. Hello Jesse, How are things here in America?

      I saw in the news that in the past week there have been many protests and riots caused by a white policeman strangling an African American man while detaining him on charges of shopping using a fake 20 dollar bill. This policeman's attitude rekindled the debate about racism in American society.

      So, I saw that it got so ugly there that the Governor of Minnesota had to call the state guard to stop the hooligans who prey on public and private property and set fire to police stations. And President Trump also threatened to use the US army to contain these Minnesota hooligans.

      Excluir
    3. But, despite vandals and hooligans, we must remember that these protests have a just cause and that the "policeman" (this is not a policeman, but a criminal) who committed this barbaric crime must pay for the unjustified homicide of the citizen. Chauvin must rot in jail along with his cronies!

      Excluir
    4. A number of the people are just rioters who come to steal and destroy things.

      Excluir
  20. Banzolao pq vc acha que o bolsolavismo sempre apoiou o estado de Israel anda flertando com a alt right de supremacistas brancos dos EUA?Primeiro houve a história do presidente tomar leite,aí o Allan dos Santos no Terça LivrerLivre o gesto na live e o Ítalo Lorenzon disse:"subliminar, subliminar" e o Allan completou:"Entendedores, entenderão",esse ato de beber um copo de leite puro é repetido seguidamente pelos membros da alt right, simbolizam que o branco é mais tolerante a lactose e também há o simbolismo do leite,que é branco,puro.Eles afirmaram que não,que foi uma alusão ao agronegócio,mas se fosse assim não precisava ser feito de modo subliminar,pq todos sabem que os agros apoiam o governo.E ontem a Sara Winter chegou em frente ao STF com os"300 marchando e segurando tochas em uma estética similar a da Ku Kux Klan,não digo que ela seja nazista e simpática a KKK apesar de já existir essa acusação há algum tempo,mas não entendo pq eles que apoiam Israel e sao simpáticos aos judeus flertarem com esse tipo de estética

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É assombroso mesmo. Isso sem falar naquele ministro que repetiu o discurso de Goebbels com uma música de Wagner ao fundo e toda a estética nazista (até no olhar e no jeito de falar), e o próprio Olavo que vira e mexe concede entrevistas a supremacistas brancos nos EUA em tom mais que amigável. Eu antes achava muito exagerado chamar essa extrema-direita bolsolavista de nazista, um tipo de retórica hiperbólica que costuma ser muito usada no jogo político, mas com tantos exemplos bizarros um atrás do outro eu já começo a ficar assustado. Talvez o termo "nazista" propriamente dito não seja o mais aplicável, já que eles ainda se mostram simpáticos aos judeus, estão mais para fascistas mesmo, do qual o nazismo é apenas um dos braços. E claro que isso não inclui todos os bolsonaristas, muitos dos quais continuam apoiando o governo apenas por ingenuidade ou falta de informação, não por compactuarem com tudo isso.

      Excluir
    2. Na época das eleições as acusações de Fascista eram muito viciadas mesmo, pura estratégia política. Isso embora o Bolsonaro e alguns outros do grupo dele inquestionavelmente tivessem um passado com viés autoritário, realmente. A coisa é que, parecia que o Bolsonaro tinha abandonado um pouco as declarações polêmicas, além de que a candidatura dele era por um partido com agenda ideológica moderada, e o ministro da economia é um liberal, assim vai, tudo dava a entender que aparentemente a semente autoritária estava "domesticada". Mas né, estamos no segundo ano de mandato e na prática já está muito claro que esse governo de fato cai dentro do espectro fascista. Essa sequência de tweets de uma liberal resume bem os traços autoritários no governo, recomendo a leitura rápida:

      https://twitter.com/ce_lopess/status/1259960936041000962

      E se não me engano foi ontem mesmo, um deputado bolsonarista pediu publicamente, no Twitter, para os apoiadores dele enviarem-lhe e-mails com o nome e a conta de todos os que eles vissem se declarando "antifascista" por aí na internet. Nem preciso falar o quão mal isso cheira.

      Excluir
    3. Muito lúcido os comentários dessa moça, vai ao encontro do que eu penso. Eu particularmente sempre entendi que o poder corrompe as pessoas, porque ele sobe à cabeça. Há um velho ditado que diz que se quer conhecer uma pessoa, dê poder a ela. O poder potencializa tudo aquilo que a pessoa tem de pior, por isso eu nem pensei em votar no Bolsonaro no primeiro turno, já estava óbvio que dar poder para alguém que já se demonstrava autoritário e desequilibrado não era coisa boa, mas é lógico que comparado a mais 4 anos de PT no poder eu votaria até no capeta encarnado. Para a nossa sorte, ninguém consegue implementar uma ditadura se não tiver forte apoio popular e militar, e até onde sabemos ele não possui nem um nem outro (senão já teria feito o mesmo que foi feito no regime que ele tanto adora e celebra, e que é requisitado nas manifestações bolsonaristas que ele próprio participa).

      Excluir
    4. Eu concordo com ela, mas discordo da questão do gênero e da anti-ciência. Então todo mundo tem que aceitar a asneira que é ideologia de gênero como se fosse algo de nascimento se não é um fascista? Mas de fato os fascistas veem homossexualidade como doença a ser curada e isso ta errado (pros cristãos, homossexualidade é um pecado, mas se a pessoa quer continuar sendo homossexual não devemos intervir nisso, ao contrario de fascistas que intervem a força na vida das pessoas). Sobre a questão das doenças é uma bobagem também a posição que o bolsonaro tem, mas novamente falando que se você acha que homossexualidade "não é normal" logo você é fascista, quando não é bem assim. E tem muita coisa ai que se adequa a um monte de gente e ideologias na verdade. Apelo a frustração social os comunistas usam toda hora, eles são fascistas então? Mobilização constante das massas também é algo usado por socialistas, e revisionismo histórico socialistas usam também, pra falar que o mundo antes do capitalismo era melhor porque o trabalhador "não tinha vendido a alma para a burguesia". Tem muita coisa ai que varias ideologias defendem, mas ela faz parecer que só fascista defende e que o bolsonaro seria um (que eu não duvido, ele quer dar um golpe em si mesmo a qualquer momento pra calar os opositores e salvar sua pele).

      Excluir
  21. Mt bom Banzoli. Qual sua opniao sobre Mc 8:24, porque voce acha que ele viu as pessoas como arvores?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele "via as pessoas como árvores" no sentido de que a visão dele estava embaçada, ele não tinha recuperado a visão totalmente, apenas parcialmente. Então Jesus colocou novamente suas mãos sobre os olhos dele e ele passou a ver tudo claramente (v. 25). Eu não faço a menor ideia do porquê que aquele homem não foi curado imediatamente, mas esse exemplo nos mostra que nem sempre obtemos a cura ou o milagre de forma completa na mesma hora, muitas vezes as coisas acontecem gradualmente, como foi com a cura do cego, e talvez seja isso que Jesus quis ensinar.

      Excluir
  22. Você vai se surpreender com isso:

    https://youtu.be/_qgpYfboaRA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra mim não foi uma surpresa. Surpresa seria se a Maria do Rosário apresentasse esses números...

      Excluir
  23. Aqui o vídeo da Sara Winter que eu havia citado no vídeo anterior https://www.youtube.com/watch?v=Fcgdi9pOMF8

    E o do Terça Livre

    https://www.brasil247.com/midia/blogueiro-do-gabinete-do-odio-tambem-fez-ritual-de-supremacistas-brancos-video

    Hoje rolou um tumulto na Avenida Paulista e existiam bandeiras neonazistas entre os bolsonaristas e foi a própria PM que disse isso,não foi nem o Brasil 247 como foi no caso do Allan dos Santos,mas pq neonazistas apoiariam um governo pró Israel?

    https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2020/05/31/pm-diz-que-bandeiras-neonazistas-foram-estopim-de-tensao-em-ato-na-paulista.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não vi a tal bandeira nazista, tem alguma foto ou vídeo da mesma? Acho que seria o cúmulo levarem uma bandeira nazista pra manifestação, mesmo esse gado bolsonarista não seria tão burro a ponto de fazer uma coisa dessas em plena Avenida Paulista.

      Excluir
  24. Banzolão só complementando o que disse no post anterior,na notícia o PM não diz em que lado estavam as bandeiras neonazistas,mas aqui nesse post do Twitter há fotos de pessoas no lado bolsonaristas as carregando,é um símbolo tradicional ucraniano,mas que foi apropriado pelos neonazistas, https://twitter.com/procureporjobs/status/1267181748816875520/photo/1

    Mas por outro lado a CNN tbm vacilou em dizer que os manifestantes antifa eram pró democracia

    https://twitter.com/alexcru08983091/status/1267179520949456903/photo/1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah bom, pensei que estivesse falando da suástica. De todo modo não deixa de ser repugnante. Não faz sentido nenhum um brasileiro levar a bandeira da Ucrânia para a manifestação se não for com essa intenção.

      Excluir
  25. 1- https://www.youtube.com/watch?v=jsxRBaNNj48
    2-https://www.youtube.com/watch?v=2b95E1oz_60

    Comente esses vídeos

    ResponderExcluir
  26. Lucas qual a sua onpiao sobre o conceito da reprensatitividade de Adao, de que ele reprensatava a humanidade e quando ele pecou todo nos pecamos com ele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Responsabilidade não implica em transferência de culpa. Por exemplo, o presidente da república representa o Brasil (todos nós brasileiros), mas se ele praticar um ato de corrupção e for condenado só ele vai preso, não todos nós. Nós pagamos o preço pelos erros do representante/presidente (por exemplo, se ele for um mau presidente pode levar toda a nação a uma crise econômica terrível), mas não somos responsáveis pelos atos dele. Da mesma forma, nós pagamos o preço do pecado de Adão (uma natureza mortal, corruptível e com inclinações pecaminosas), mas não somos pecadores por causa do pecado de Adão, somos pecadores por nossos próprios pecados (é isso o que eu explico no artigo).

      Excluir
  27. Lucas, o que você achou desses protestos e tumultos em massa que estão acontecendo nos EUA por causa da trágica morte de um afro-americano George Floyd que foi estrangulado por um policial branco (que já foi afastado e responderá criminalmente pelos seus atos). E isso reacendeu a terrível chama do racismo nos EUA, apesar de eu realmente amar e admirar muito os EUA por suas qualidades (como uma Democracia Estável e Longeva, aplicação da Lei e da Ordem, dos destaques nos Esportes e muito mais...) ainda sim, se tem uma coisa (duas para ser mais exato: o racismo e a prática legalizada do aborto são as duas coisas que mais me deixam chateado com os EUA) que realmente me deixa chateado com os EUA é o fato de eles infelizmente ainda não terem superado o racismo e isso é muito triste, e nesse quesito o povo americano precisa evoluir muito.

    A morte de Floyd deixou muita revolta no povo americano e eles começaram a fazer passeatas e manifestações exigindo justiça para Floyd, contudo dentre esses manifestantes começaram a surgir grupos arruaceiros depredando o patrimônio público e privado, saqueando lojas, incendiando delegacias de Polícia, queimando e depredando viaturas policiais. A coisa ficou tão feia que o Governador do Minnesota (que é um democrata inclusive) teve que chamar a guarda estadual para conter os arruaceiros, e o Presidente Trump também ameaçou pelo Twitter que iria mandar o exército americano pra cima desses arruaceiros. Embora eu concorde plenamente que o objetivo das manifestações é fazer com que a Justiça seja feita, eu abomino esses arruaceiros que depedram o patrimônio público e privado e incendeiam delegacias de Polícia. Inclusive o Fernando Holiday fez um vídeo muito bom falando sobre esse assunto:

    https://youtu.be/TvCfFt06cbY

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Permitam-me entrar no assunto,

      O caso do Floyd é muito triste mesmo, foi um absurdo. E ele reflete toda uma realidade. Esse vídeo aborda as consequências da escravidão que permanecem até hoje nos EUA:

      https://youtu.be/9QjKIAGy4Os

      O racismo é o pecado original dos EUA. E o nosso também. O caso do João Pedro aqui no Brasil foi outra tragédia, a propósito ele era conhecido de pessoas que são próximas de mim.

      Infelizmente muita gente vai se aproveitar das manifestações pra se infiltrar nesse meio e ir saquear lojas e fazer outras coisas do tipo, promovendo o caos, o que é extremamente condenável. Mas isso não anula a necessidade de não ficar calado nessa situação. Estive pensando muito nessa questão de até quando usar a violência é legítimo.

      Não acho que a gente tem que sair condenando os jovens exaltados que estão nas ruas, muito pelo contrário, a causa é justa e urgente, é um problema de séculos e que mata indivíduos. Não entendo como tem gente que vai se escandalizar mais com a destruição de propriedade - que nem é o que todas as manifestações estão fazendo - do que com um problema racial de séculos que já tirou vidas incontáveis. O que tem que ser feito é canalizar as manifestações e propor lideranças claras, objetivos diretos e concretos, para impedir que o caos tome conta e os atos de protesto se tornem coisas sem significado, violência por violência. Se não isso pode acabar virando uma Revolução Francesa da vida. Mas a indignação popular não pode parar de jeito nenhum, o problema é muito sério. Indignação popular não implica diretamente em atos violentos e bárbaros, é ótimo ressaltar.

      Lembro de uma frase do George Washington que diz que, na opinião dele, uma das únicas coisas capazes de dissolver a República Americana era a questão da escravidão, um dos grandes temores dele. E isso se confirmou como a mais pura verdade na Guerra Civil Americana, o triste é que o fantasma do racismo continua por aí.

      Excluir
    2. Não tem muito o que comentar sobre isso, sempre que há manifestações sinceras e espontâneas (como as de 2013 no Brasil, embora por outras razões) há vandalismo e quebra-quebra, porque um monte de vândalo e marginal se infiltra nessas manifestações e se aproveita delas para praticar atos criminosos e sair impune. Mas lógico que isso não anula a legitimidade das manifestações, que tinham que acontecer mesmo, foi assim que Luther King lutou pelos direitos dos negros e conseguiu o fim da segregação racial, e é só com manifestações volumosas desse tipo que a sociedade vai acordar para a realidade e o tamanho do problema estrutural que o racismo envolve. Eu aposto que da próxima vez que um policial abordar um negro na rua ele vai pensar mil vezes antes de fazer uma coisa horrenda dessas, o que não aconteceria se não fosse por toda a exposição do caso e tudo o que isso gerou. É preciso medidas drásticas pra lidar com problemas drásticos (embora tudo dentro da lei, não com o vandalismo que implica na morte de outros inocentes). Creio que o que causa mais revolta não é nem a execução em si (o que também acontece no Brasil e no mundo todo com certa frequência), mas sim a indiferença dos órgãos públicos, que nunca punem o policial com o rigor necessário. Já houve casos idênticos a esse em que o policial assassino saiu totalmente ileso, e mesmo neste caso o policial em questão está sendo acusado de "homicídio culposo", quando não se tem a intenção de matar (quando ali claramente houve a intenção de matar), o que fará com que pegue uma pena mais leve mesmo se for condenado. Infelizmente nos EUA a polícia é protegida demais pelo governo, é um órgão tão intocável quanto o STF daqui, então eles sabem que podem fazer o que quiser que vão permanecer impunes.

      Excluir
  28. Na Net todo mundo é valente:

    https://youtu.be/r-Hbm1_PsFU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse canal do "Allan dos Panos" é um dos melhores que eu já vi :D

      Excluir
  29. https://www.youtube.com/watch?v=Vu7MsP8jjQY O que achas desse vídeo Banzolão?Eu o critiquei recentemente em alguns posts por causa do apoio acrítico que ele vem dando ao Bolsonaro,mas aqui eu acho que ele acertou,vc tbm?

    ResponderExcluir
  30. https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2018/08/basics-on-biblical-transmission-and.html

    ResponderExcluir
  31. http://juliosevero.blogspot.com/2019/09/suecia-se-torna-paraiso-islamico-de.html O que achas do texto?Ele não apresenta nenhuma fonte para corroborar que os estupradores são muçulmanos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o que ele diz sobre os estupros serem extremamente raros na Suécia de uns tempos atrás (quando a grande maioria era protestante) é verdade. Então se algo mudou radicalmente pra pior, alguma coisa tem que ter acontecido, e a imigração islâmica (que aumentou muito em tempos recentes) é uma das respostas (o aumento do ateísmo pode ser outra).

      Excluir
  32. Lucas, você já ouvio falar que a história de moises foi plagio da História de sargão da acadia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse eu não sei especificamente, mas o que sei é que pra estes historiadores liberais, tudo é valido desde que a bíblia seja mentira, porque eles usam um método histórico com a bíblia que eles não aplicam a mais nenhuma religião, somente a bíblia eles aplicam isso. Por exemplo, nenhum deles vai dizer que uma religião copiou a outra, mas a bíblia, não, essa copiou todo mundo. Nenhum deles nega que os livros foram escritos na época que eles alegam, mas Daniel e Apocalipse? Nãoo, estes ai foram escritos depois das supostas profecias. Essa do Sargão deve ser a mesma coisa, deve ter alguma semelhança entre as histórias e pronto, Moisés é uma copia. Esse é o grande estudo parcial que eles fazem, tudo pra dizer que a bíblia copiou.

      Excluir
    2. É bem isso, eles notam uma similaridade (no caso, o fato de ambos terem sido colocados num cesto e lançados ao rio) e pronto, já concluem que houve um plágio (e sempre um plágio da Bíblia, nunca o contrário, apesar das histórias sobre Sargão serem datadas depois do Pentateuco). Inclusive isso já foi refutado aqui:

      https://defendendoafecrista.wordpress.com/2016/01/25/moises-e-um-plagio-de-sargao

      Agora imagine os "críticos" do futuro ao verem as similaridades entre Abraham Lincoln e John Kennedy, será que vão dizer que foi plágio?

      • Abraham Lincoln foi eleito para o Congresso em 1846.

      • John F. Kennedy foi eleito para o Congresso em 1946.

      • Abraham Lincoln foi eleito presidente em 1860.

      • John F. Kennedy foi eleito presidente em 1960.

      • Os nomes Lincoln e Kennedy têm sete letras.

      • Ambos estavam comprometidos na defesa dos direitos civis.

      • As esposas de ambos perderam filhos enquanto viviam na Casa Branca.

      • Ambos os presidentes estavam preocupados com os problemas dos negros norte-americanos.

      • Ambos os presidentes foram baleados numa sexta-feira.

      • Ambos os presidentes foram assassinados com um disparo na cabeça.

      • Ambos os presidentes foram assassinados na presença da esposa.

      • A secretária de Lincoln chamava-se Kennedy e lhe disse para não ir ao teatro.

      • A secretária de Kennedy chamava-se Lincoln e ela avisou a ele para não ir a Dallas.

      • Ambos os presidentes foram assassinados por sulistas.

      • Ambos os presidentes foram sucedidos por sulistas.

      • Ambos os sucessores chamavam-se Johnson.

      • Andrew Johnson, que sucedeu a Lincoln, nasceu em 1808.

      • Lyndon Johnson, que sucedeu a Kennedy, nasceu em 1908.

      • Ambos os assassinos eram conhecidos pelos seus três nomes.

      • Os nomes de ambos os assassinos têm quinze letras.

      • Booth saiu correndo de um teatro e foi apanhado num depósito.

      • Oswald saiu correndo de um depósito e foi apanhado num teatro.

      • Booth e Oswald foram assassinados antes de seu julgamento.

      • O assassinato de Kennedy foi filmado por um homem chamado Abraham.

      • O teatro de Ford era propriedade de um homem chamado John.

      • Lincoln foi morto no Teatro Ford.

      • Kennedy foi morto num carro Ford, modelo Lincoln.

      • Antes de ser morto, Lincoln esteve em Monroe, Maryland.

      • Antes de ser morto, Kennedy esteve com Marylin Monroe.

      Excluir
    3. Caramba, quanta semelhança. Onrigado!

      Excluir
    4. A lógica, Lucas, na cabeça de bagre desses críticos é se houver similaridade entre dois eventos um deve ser plágio.

      Excluir
    5. Essas coincidências entre Abraham Lincoln e JFK são assustadoras, porém é válido ressaltar uma coisa: pelo menos Abraham Lincoln não era um galinha sem vergonha do mesmo jeito que JFK era. Nenhum Presidente americano (nem Bill Clinton com a Mônica Lewinski) até hoje supera JFK no quesito de ser mulherengo.

      No quesito de moralidade e de integridade Lincoln estava anos-luz à frente de JFK, toda vida ele sempre foi marido de uma só mulher e nunca (pelo menos até onde eu sei) quebrou o laço da Fidelidade conjugal com sua esposa.

      Além disso também não há nenhuma coincidência entre eles nesses quesitos: JFK nasceu em 1917, enquanto Lincoln em 1809, Lincoln nasceu pobre e humildade e teve que trabalhar muito duro a vida toda para alcançar seus objetivos, JFK já nasceu numa família rica bem sucedida e quase sempre teve tudo de mão beijada (como uma tal de Princesa Isabel), além disso Abraham Lincoln era protestante enquanto JFK era Católico romano e mais uma última coisa JFK era um Democrata bem progressista para a época, enquanto Lincoln era um Republicano e tinha visões consideradas "centristas" pelos seus contemporâneos (embora hoje em dia, com certeza Lincoln seria considerado um conservador).

      Excluir
  33. Esse video:
    https://www.youtube.com/watch?v=IRmkR_nSNws

    Bem, eh uma analise interessante. Assim como nos dias de Noe, assim sera nos dias do Filho do Homem. Que paralelo eh esse que Jesus quis dizer? O video aborda que o que Jesus disse se refere tanto a destruicao quanto a motivacao da destruicao: a depravacao humana devido o intercurso sexual de anjos com as mulheres, que por suas vez geraram os nefilins. Toda a carne havia se corrompido, inclusive a de animais, pois embora Genesis nao diz isso diretamente, os anjos eram tao perversos que tiveram intercurso sexual com animais e geraram monstros (dinossauros e coisas do tipo). O video tambem fala que enquanto o povo de Israel estava 400 anos no Egito, Satanas teve tempo suficiente para minar Canaa com suas tribos hibridas novamente, os gigantes. Nao eh a toa que Josue recebe ordem pra matar tudo: mulheres, homens e criancas. A sugestao eh que o dna deles estava corrompido. Muita gente alega que Deus ordenou um genocidio, mas a realidade eh que Deus tinha um bom motivo pra mandar exterminar todos eles: o dna corrompido e nao natural. Ai o video evolui e termina alegando que os aliens na verdade sao o retorno dessa corrupcao carnal e espiritual, e que ha uma negligencia em seminarios quanto ao estudo de Genesis, no que se refere aos gigantes, e que esse trecho da Biblia deveria ser levado bem a serio.
    O livro que te falei que comprei, sobre o livro de Enoque, eu que tava pensando que seria meio esoterico, na verdade eh um trabalho academico bem honesto, como todo trabalho academico deve ser. Estou lendo a primeira parte mas olha, confesso que me surpreendi. O livro de Enoque, por exemplo, eh um grande alerta fulminante para que as pessoas nao pratiquem idolatria de qualquer forma, sob qualquer pretexto, porque esse comportamento eh um oficio de Sanatas. Isso explica a repulsa da ICAR quanto a esse livro, por exemplo. O proprio autor fala que sabemos que os apocrifos nao sao canonicos porque eles foram meticulosamente estudo por protestantes, mas o livro de Enoque foi meio que posto a escanteio e deveria ser estudado a serio, como foi todos os outros, nao com o proposito de torna-lo canonico mas tentando entender a cultura da epoca. Esse argumento eh bom, investigar nunca eh demais. Outro fato apontado eh que, lendo Enoque, tah na cara que o Messias eh Jesus cristo, o que explica tambem a repulsa dos lideres judeus em nao dar credito, ainda que cultural, ao livro. Eh uma coisa diferente se se ler e vale a pena. Outra coisa, nao tem a menor chance de eu virar terraplanista, na verdade quem le Enoque e vira terraplanista nao entendeu nada com nada. Ah, e outra coisa, a questao do calendario enoquiano, que tem no livro. Ele eh diferente do calendario hebraico, que eh lunar. Andando pela nat, achei um sujeito ficou lendo e tentando entender o calendario de Enoque, o porque do anjo ordenar 364 dias para equivaler a um ano, a necessidade do ano bissexto neles e por aeh vai, vou postar o link do estudo quando eu achar de novo. O cientista alegou que o calendario dado a Enoque marcava eventos no ceu de tempos em tempos, pq havia 3 tipos de astros: as estrelas normais, as errantes (os planetas) e as que caiam (meteoros). Usando o calendario dado a Enoque, dah pra pever um alinhamento entre uma estrela errante com uma estrela fixa, que produziria um sinal muito importante no ceu que apontava que algo extraordinario aconteceria: um nascimento de um certo bebe, num certo lugar, com um certo proposito... soa familiar essa narrativa? Pois eh... dah uma olhada nesse link:
    https://www.johnpratt.com/items/docs/lds/meridian/2001/enoch_cal.html
    Resumindo: pode ate nao ser canonico, mas o calendario dado a Enoque aponta sim para o nascimento do Messias, que sabemos ser Jesus, o que eh mais um bom motivo para que a lideranca judaica descartasse o livro. Pelo menos eh isso que o cara alega.
    Quanto ao livro que comprei, posto depois um resumo do que ele alega nos capitulos, eh bem interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkk, interessante no artigo passado nos falamos sobre os aliens serem na verdade demonios, bom eu não sei se o livro de enoque é verdadeiro, mais isso que você falou sobre os anjos terem corrompido o DNA humano me fez pensar se no futuro os "aliens" irao modificar o DNA humano assim como teria acontecido antigamente...

      Excluir
    2. Em tempo:

      https://epublications.marquette.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1044&context=dissertations_mu

      Essa eh uma dissertacao de PHD que eh citada no livro. Ela aborda aquela questao da genealogia de Cristo em Mateus, sobre as 4 mulheres citadas no meio de nomes masculinos, e que aquilo foi proposital. Trata de outros assuntos tambem, eh uma leitura muito interessante. No final a tese faz um contraste entre varios pecados que os anjos vigilantes cometeram e que Jesus veio para cancelar cada um desses pecados, um por um, tipo por tipo.
      Pra quem tiver tempo nessa quarentena, vale o mergulho na leitura. Essas teses academicas, dependendo da faculdade, saos boas porque elas passam por crivo de especialistas, entao apesar da dissertacao ser uma tese, estamos lendo uma tese de qualidade (phd nao eh qualquer titulo), e nao apenas uma especulacao barata.
      Eu tb acho que a Sociedade Biblica do Brasil e de outros paises deveriam padronizar os capitulos e versiculos do livro de Enoque, ateh pra efeito de estudo. Fica chato ficar refem de material meia boca, acho que nao fizeram isso ainda para nao dar um ar de "canonicidade", ai por exemplo to com duas versoes, uma em ingles e outra em portuga, e elas diferem na numeracao de uns versiculos, mas no de capitulos sao iguais. A versao em portugues que eu tenho tem muitos erros de portugues, parece eu escrevendo sem revisar, fica um monte de furo :)

      Excluir
    3. Eu não concordo com a parte de que os anjos tiveram relações com animais e geraram "monstros" como os dinossauros, pelo menos parte nenhuma da Bíblia aponta tal coisa, e presumivelmente isso nem seria possível (e se tivesse acontecido, provavelmente teria sido mencionado em Gênesis 6 também). Mas de fato essa tese de que Deus mandou exterminar os cananeus por causa do DNA corrompido dos mesmos faz sentido, já que algo semelhante havia ocorrido por ocasião do dilúvio e por isso Deus enviou o juízo sobre toda a terra. Hoje em dia já tem um tanto de cientista fazendo experiências com animais e humanos pra tentar mudar o DNA, se eles conseguirem fazer um ser humano geneticamente modificado vão estar se igualando às condições de Gênesis 6, o que torna ainda mais notória a similaridade entre os dias do dilúvio e os da volta de Jesus. Em relação ao livro de Enoque, eu li meio por cima o artigo que você linkou mas não vi eles falando que nasceria um bebê em tal dia específico, parece mais uma interpretação que ele faz do que algo propriamente dito no livro. E isso suscitaria certos problemas já que sabemos que Jesus não nasceu no ano 1 e nem morreu em 33 d.C, já que fizeram o calendário errado e Jesus nasceu na verdade entre 4 e 7 a.C (o que puxa a data da morte e todos os eventos relacionados para alguns anos antes). Eu fico sempre com um pé atrás em relação a essa gente que fica "ligando os pontos" da astronomia pra tudo porque lembra muito o método dos astrólogos, e é muito fácil forçar uma interpretação baseada numa grande quantidade de eventos astronômicos que acontecem todos os anos.

      Excluir
    4. Eu também acho que dinossauros não são criações de anjos caidos, tipo, não faria sentido eles se reproduzirem com um bicho e do nada nascer um dinossauro, na minha opinião dinossauros são criaturas de Deus.

      Excluir
    5. A ordem para exterminar os cananeus foi por causa da maldade deles, que incluía uma série de pecados (Levitico 20:22-23), e não por causa das pessoas altas que existiam ali, tanto é que Deus iria parecer um genocida que destrói povos apenas por que alguns possam ter se "contaminado" com estas relações com demônios. Deus destruiu aqueles povos porque eles perpetuavam aquelas maldades. Se tivesse haver com gigantes ou demônios a bíblia teria mencionado isso, mas ela não menciona isso como a razão para a destruição. Tanto é que Raabe e sua família, os gibeonitas e muitos outros foram poupados da destruição, porque eles se arrependeram dos pecados, e eles eram cananeus. Se fosse para destruir todos os cananeus por causa da contaminação com demônios, então estes mesmos deveriam ser destruídos, mas não foram, porque quem foi destruído foram os pecadores, os que se arrependeram foram poupados da destruição e foi permitido que eles vivessem entre os Israelitas. E esse negócio de que anjos caídos produziram dinossauros ou outras criaturas assim é bizarro, é provavelmente uma tradição posterior que surgiu com base na história dos anjos caídos tendo as relações com mulheres, ai eles incluíram animais também. Tudo aponta que Deus forma todas as criaturas, incluindo dinossauros e demais criaturas pré-históricas, são os homens que decidiram pecar (incluindo estas mulheres se deixarem seduzir pelos anjos caídos) e acabaram trazendo a destruição, os animais não têm nada haver.

      Excluir
  34. Em 1 Timóteo 2:15 está escrito:
    Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação.

    O que significa a frase "Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos"?

    Quando eu lí isso, primeiro eu pensei que a mulher vai pro inferno se não der filhos. Mas aí eu pensei: A salvação é só pela fé, e fé não tem nada a ver com dar a luz filhos.

    Depois eu pensei que quando a mulher dá a luz filhos ela recebe o direito de ter autoridade sobre o marido e de ensinar na igreja. Eu pensei isso por causa do que está escrito no versículo 12. Mas pra eu acreditar nisso eu vou precisar acreditar que a mulher que não tem filhos não pode ensinar na igreja.

    Depois eu pensei que se a mulher permanecer com modestia na fé, no amor e na santificação, as consequencias disso são que ela vai ter filhos e que ela será salva. Mas aí eu pensei: por que Paulo está prometendo que as mulheres teram filho se o texto não está falando sobre esterilidade? Será que "filhos" é no sentido figurado e significa "filhos na fé, filhos espirituais"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza o sentido não era o de que ter filhos é a causa ou condição para a salvação, o que não apenas contrariaria toda a teologia paulina da justificação pela fé, mas também tornaria sem sentido seu apelo aos coríntios de que "gostaria que todos os homens fossem como eu" (1Co 7:7), no sentido de permanecer solteiros (ele diz o mesmo sobre as mulheres em 7:36-38), e obviamente alguém que vive em celibato não tem filhos. Eu li vários comentários bíblicos a este respeito e embora haja muitas opiniões diferentes e das mais diversas, entendo que Paulo estava aludindo à maldição que a mulher recebeu em Gênesis 3:16 (de que Deus multiplicaria grandemente o sofrimento para dar a luz). É curioso que no grego não consta o termo "filhos" mas sim "parto", o que enfraquece a posição de que ele estivesse se referindo a filhos espirituais, mas por que ele falou especificamente do parto? Porque tinha acabado de falar do pecado de Eva, um pecado seguido de maldição, que foi justamente o sofrimento no parto. Então quando Paulo menciona a salvação no parto, ele está como que dizendo que apesar da maldição que a mulher recebeu por sua desobediência a Deus, ela pode ser salva mesmo assim - e então estabelece em seguida as condições disso, "se elas permanecerem na fé, no amor e na santidade, com bom senso" (v. 15). Ou seja, Paulo não estava dizendo que a salvação vem pelo parto, mas estava dando uma palavra de consolo, de que apesar da maldição relacionada ao parto as mulheres poderiam ser salvas mesmo assim (para que ninguém viesse a tirar a conclusão errônea de que como a mulher pecou, então as mulheres não poderiam ser salvas). É basicamente isso.

      Excluir
  35. https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2020/05/does-unlimited-atonement-necessitate.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. The analogy with the bronze snake was very pertinent. God sent the serpent to heal anyone who was bitten by the snakes, but for that it was necessary to look at the serpent, it was not enough for the serpent to be there. In the same way, God sent his son to die for all of us, but for that it is necessary to believe in him, it is not enough simply that he sacrificed himself for us if we refuse the sacrifice. It is worth remembering that Jesus himself made the analogy with the serpent of the desert (John 3:14).

      Excluir
  36. https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2020/04/moral-characteristics-of-psalms.html

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2020/04/prophetical-character-of-psalms.html

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2020/06/notes-on-authorship-of-ephesians.html

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2020/06/notes-on-authorship-of-colossians.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. This William Smith dictionary looks good :)

      Excluir
    2. It is very old, but has a lot of worthwhile information.

      Excluir
  37. Banzolão o que vc acha de pregadores mirins?Eu assisti a um documentário de um ex pregador mirim dos EUA chamado Marjoe Gortner,ele foi pregador mirim nos anos 50,o documentário é de 1972 quando ele já era adulto e confessa que não acredita no que prega,só faz isso profissionalmente e em seguida abandona o ministério e se torna ator,ele já era ator como pregador kkkk,ao menos ele foi sincero e abriu mão do ministério https://www.youtube.com/watch?v=QNt8VUvvBEU não sei até que ponto ele ter sido obrigado pelos pais a ser pregador desde criança o influenciou a perder a fé e desistir de tudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não concordo com esse tipo de prática. Se procurar no youtube, vai achar também vídeos de papagaios pregando, e pregando bem. Essas crianças apenas repetem o discurso que ouvem dos pregadores nos púlpitos, funciona de forma análoga aos papagaios (sem querer igualar as duas coisas). Um amigo meu que hoje tem 21 anos foi "pregador mirim" de uma certa igreja pentecostal por muitos anos na infância e diz que é assim mesmo, tudo o que ele pregava era repetindo aqueles jargões e mantras que ele ouvia, não consistia num "culto racional" como Paulo diz (Rm 12:1). E o curioso é que experiências como essa o fizeram se frustrar com igrejas e hoje ele não quer saber mais de igreja nenhuma (embora pelo menos continue sendo cristão). Esse tipo de abuso que fazem com as crianças dessas igrejas acaba traumatizando muitas delas depois que crescem e tomam consciência de quem são e do que as constrangeram a fazer, por isso tantos pregadores mirins se rebelam depois que crescem. É tentar criar "maturidade" na criança antes da hora, igual quem tenta sexualizar crianças (guardadas as devidas proporções), e muitas vezes fazem isso para ganhar destaque em cima das crianças e atrair multidões. Vale lembrar que entre os requisitos básicos para ser pastor (em 1ª Timóteo 3) está o de "governar bem sua própria família, tendo os filhos sujeitos a ele" (v. 4), e o de que não pode ser novo na fé (v. 6). Uma criança é necessariamente nova na fé, porque é nova pra qualquer coisa na vida, só mais tarde é que ela vai adquirir maturidade em algumas coisas.

      Excluir
  38. Eae Banzoli, tudo bem?
    Já pensou em fazer algum artigo falando sobre racismo estrutural (sei que é algo complexo mas envolve bastante história que é sua área?
    Vejo que algumas pessoas na direita acha que isso não existe, mesmo você explicando sobre a escravidão e suas consequências ( marginalização do negro na sociedade).
    Enfim, fica como uma sugestão ai, abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma boa sugestão mesmo, quem sabe um dia. Obrigado pela sugestão, abs!

      Excluir
  39. https://www.youtube.com/watch?v=MrZSOSJOoZ0 O que achas desse vídeo Banzolão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tio Chico é um dos maiores exemplos de como as pessoas são inclinadas a acreditar em literalmente qualquer coisa. Ele praticamente inventou o conceito de fake news muito antes do tal "gabinete do ódio"...

      Excluir
  40. Terei de discordar da sua ideia de Pecado Original. Não são só as consequências do pecado de Adão mas igualmente a sua culpa é colocada sobre nós. A Confissão de Fé Batista (1689) expressa bem isso ao dizer:

    Sendo eles os ancestrais e, pelo desígnio de Deus, os representantes de toda humanidade, a culpa do pecado foi imputada a toda a sua posteridade, e a corrupção natural passou a todos os seus descendentes, [6] por nascimento, visto que todos são concebidos em pecado. [7] E são por sua natureza filhos da ira, [8] escravos do pecado e passíveis de morte; [9] e estão todos sujeitos às misérias espirituais, temporais e eternais, a menos que o Senhor Jesus os liberte. [10]
    (Cap.6, art. 3°)

    6 Rm.5.12-19; 1Co.15.21,22,45,49
    7 Sl.51.5; Jó 14.4
    8 Ef.2.3
    9 Rm.6.20; Rm.5.12
    10 Hb.2.14,15; 1Ts.1.10

    A visão tradicional sempre foi a de que o pecado original transmite não somente o resultado mas a culpa.provinda de Adão, presente em toda a humanidade desde seu nascimento. Nós somos conhecidos em pecado e assim morremos se o dom da fé provindo de Deus não nós atingisse (Ef 2:8).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeito sua opinião, mas a ideia de colocar a culpa em alguém pelos erros de outra pessoa é grotesca, bizarra, antibíblica e completamente incompatível com o caráter de Deus (como eu mostro ao longo de todo o artigo), e nenhum dos textos citados pela Confissão Batista de 1689 afirma isso, eu posso responder um por um se quiser (vários já foram explicados no artigo). E eu não sei de onde você tirou que "essa sempre foi a visão tradicional", quantos Pais da Igreja você já leu pra chegar a essa conclusão? Eu duvido que encontre algum antes de Agostinho defendendo imputação de culpa a nós por causa de Adão, isso não existe. Até hoje o Oriente desconhece esse conceito de pecado original, no Ocidente isso só pegou porque os escolásticos adoravam Agostinho e o tomavam como regra de fé, e lastimavelmente os primeiros protestantes (que surgiram do meio católico) compraram a ideia (da mesma forma que compraram a ideia da virgindade perpétua de Maria, da imortalidade da alma, do batismo infantil e etc). Chamar isso de "visão tradicional" é se igualar aos católicos que consideram qualquer doutrina medieval como parte da "tradição", mesmo que seja completamente desconhecida dos Pais mais antigos. Sem falar que a própria ideia de se apoiar em uma "visão tradicional" como se isso fosse sinônimo de veracidade da doutrina já é algo muito errado, mas aí entraria numa outra discussão, porque a imputação de culpa pelo pecado original nem isso é.

      Excluir
    2. Exagerei em dizer que essa sempre foi a visão tradicional e minha intenção não é colocar isso como prova da veracidade. Os cristãos primitivos acreditavam na salvação por divinização, quase todos eles na verdade, e isso não significa que nós devemos necessariamente crer nisto.

      Pois bem, como explicar Ef 2:3? Como alguém é merecedor da irá por natureza sem ter sobre si a culpa do pecado? A irá de Deus recai apenas sobre os que a merecem e como somos merecedores e sofremos apenas consequências? Não é uma fúria póstuma pelo erro inicial de Adão, mas uma ira divina perante a nossa má natureza que nos compõe desde que nascemos, fazendo parte da nossa essência.

      O trecho de Romanos 5 não trata da individualidade do pecado mas sim da representação de Adão perante todos nós. Todos pegaram em Adão e permanecem em transgressões contínuas até que pela graça sejam salvos,sem nunca se libertarem pelos próprios méritos (Rm 7:18-19; Cl 1:21-23; Ef 2:8)

      Por fim, essa doutrina de que o pecado original não inclui a culpa sobre os seres humanos é estranha a maioria dos protestantes. Os batistas a negam em uma de suas confissões primordiais, as confissões Belga (1561) e a Segunda Confissão Helvética (1536) asseveram o mesmo tal como os 39 Artigos de Religião (1571) a Confissão de Augsburgo (1530). A única que fica mais ambígua quanto a culpa seria a confissão dos metodistas mas ela é semelhante a dos anglicanos porém revisada, logo era de se esperar mudanças.Por si só isso não prova nada, é apenas um fato que gostaria de atentar

      Excluir
    3. Efésios 2:3 não fala nada do pecado original de Adão ou de transferência de culpa. O contexto (na verdade o próprio versículo em si, na parte que precede esse final que você citou) fala dos nossos próprios pecados em vida:

      "Anteriormente, todos nós também vivíamos entre eles, satisfazendo as vontades da nossa carne, seguindo os seus desejos e pensamentos. Como os outros, éramos por natureza merecedores da ira" (Efésios 2:3)

      Se Paulo estivesse falando do pecado original aí, ele teria dito que "anteriormente, quando Adão pecou, nós todos nos tornamos pecadores", mas ao contrário, ele fala apenas dos pecados que nós cometemos durante a vida, e são ESSES pecados que nos fazem merecedores da ira. E como eu expliquei no artigo, nós temos uma natureza pecaminosa no sentido de ser inclinada ao pecado, não no sentido já nascer em pecado. Nós nascemos pecadores em potencial, não em ato (por isso as crianças pequenas, que morreram antes de transformar a potência em ato, morrem salvas e não condenadas). Tudo isso já foi explicado no artigo que aparentemente você não leu. Inclusive explico o próprio texto de Romanos 5, que não fala em parte alguma de transferência de culpa, pelo contrário, diz que nós recebemos a morte por NOSSOS PRÓPRIOS pecados. "A morte passou a todos os homens PORQUE TODOS PECARAM” (Rm 5:12), diz Paulo, e não "porque Adão pecou". O pecado de Adão abriu as portas para a humanidade toda ser condenada por SEUS PRÓPRIOS pecados, não "transferiu" o pecado para a conta de cada um antes mesmo de nascer, este conceito não existe na Bíblia, que prega expressamente o contrário:

      “A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniquidade do pai, nem o pai, a iniquidade do filho; a justiça do justo ficará sobre ele, e a perversidade do perverso cairá sobre este” (Ezequiel 18:20)

      Em suma, a interpretação agostiniana do pecado original é uma inovação doutrinária do final do século IV sem precedentes históricos e fruto de uma interpretação errônea de Agostinho, que foi incorporada no Ocidente e consequentemente se tornou a posição oficial da Igreja Católica e mais tarde das igrejas protestantes históricas (que nasceram do meio católico/agostiniano). Até agora eu estou sem entender por que você fica citando essas confissões de fé, qual é o propósito disso? Provar que as igrejas protestantes históricas pensam da forma que você defende? Mas isso é justamente o que eu disse no artigo! Isso só me faz pensar que você realmente não leu o artigo. Se o "consenso da maioria" me constrangesse de alguma forma a mudar uma opinião mesmo em desacordo com a Bíblia, eu jamais rejeitaria a imortalidade da alma por exemplo (que é aceita por 99% das igrejas protestantes até hoje). Eu francamente não dou a mínima se uma posição é majoritária ou minoritária, se foi defendida pelos protestantes históricos ou não, se a Confissão de Fé x ou y diz isso ou aquilo, eu só me importo com o que a Escritura diz (e com o que os primeiros Pais disseram em conjunto, por se tratar de uma evidência histórica de curto prazo e não de mera opinião ou interpretação de alguém).

      Fica na paz!

      Excluir
    4. Alguém poderia dizer que pelo fato de não sermos condenados pelo pecado de Adão, mas apenas pelos nossos próprios pecados, então quem morreu sem pecar como os bebês seriam salvos sem a necessidade do sacrifício de Jesus. Porém isso não é verdade, até os bebês são salvos por causa do sacrifício de Jesus, e se não fosse Jesus morrer no nosso lugar até os bebês seriam condenados. Porque a bíblia é bem clara em dizer que se Adão pecasse ele morreria e que como consequência toda a humanidade também, então se Deus não quisesse nos salvar e não tivesse se sacrificado por nós, toda a humanidade estaria condenada a morte eterna, até os bebês. Só temos a esperança da vida eterna por causa de Jesus, se Deus escolhesse não nos salvar a vida seria igual os ateus acreditam, só iria existir essa vida e portanto os bebês não viveriam essa vida e nem a outra já que não teria vida eterna aos seres humanos.

      Excluir
    5. Exatamente, em teoria Deus não tem obrigação nenhuma de dar vida eterna a ninguém, ele poderia simplesmente criar um mundo onde é normal morrer com uns 100 anos e acabou, ele a dá por sua graça, através de seu filho Jesus.

      Excluir
    6. Irmão Banzoli, o respeito muito e assevero que a intenção de mostrar as confissões não é te constranger a mudar de ideia apenas por elas e sim para apontar a ortodoxia protestante a este ponto. Deixou claro que isto para você é irrelevante então não mais citarei isto.

      Sobre o artigo, eu o li sim. Gostaria de dizer que há um certo problema em como você interpreta Rm 5:19. Começou o artigo dizendo que o assunto da salvação para bebês só é um verdadeiro problema para aqueles que concebem a ideia do pecado original como um imputador de culpa e não uma herança de tendência ao pecado. De modo parecido, esse trecho só apresentaria um problema se desconsiderássemos a efetiva justificação de Jesus e aí que entra o ponto importante.

      A sua linha de raciocínio é a de que assim como o sacrifício de Jesus não é efetivo a não ser que individualmente creiamos, a condenação do pecado original não é efetiva (ou plena, se preferir) a não ser que individualmente pequemos. Há dois problemas nessa lógica:

      1 - A anulação dos efeitos da justificação de Cristo por uma escolha humana. A justificação parte completamente do sacrifício do Filho de Deus na cruz e a fé é a apenas o instrumento utilizado para realizar essa ligação (Fp 3:8-9). Como eu poderia recusar os efeitos do sacrifício de Cristo por não possuir uma fé que provém do próprio Deus (Ef 2:8)? Isto não faz sentido. Em suas palavras:

      "Obviamente, ninguém diria que a obediência de Jesus por si só tornou muitos homens justos. Todos sabemos que é preciso crer em Jesus para que essa fé lhe seja imputada como justiça (Rm 4:5). Se nós não o aceitarmos, o ato de Jesus por si só não nos valerá nada. Se isso é verdade em relação à segunda metade do verso, então também é verdadeiro para a primeira parte: a desobediência de Adão não nos torna pecadores por automático, mas propicia que sejamos pecadores caso sigamos o caminho que ele abriu."

      A obediência de Cristo, sozinha, CLARAMENTE nos justifica, a fé é só um modo utilizado por ele. O "justificado pela fé" (Rm 3:28) não denota uma relação de causa, mas de intermédio, algo como através da fé. Sendo assim, a Bíblia aponta a obra de Cristo como causa primária da justificação (1 Co 1:30; 1 Pe 3:18) e que se estende aos filhos puramente por sua graça, sendo completamente efetiva (Rm 8:30)

      2- A ineficácia da condenação sem o pecado pessoal. Se a justificação é plena e efetiva para a nova humanidade constituída em Cristo a partir de sua obra redentora, assim é a transgressão de Adão completa e eficaz sobre toda a humanidade fundamentada nele como representante (1 Co 15:21-22; Rm 5:15). As Escrituras assinalam que nascemos na carne (Jo 3:6; Rm 7:24), uma natureza inteiramente INCLINADA (e uma natureza ativa, não potencial) ao mal (Gn 8: 21) e a imagem de Adão, uma imagem pecadora (1 Co 15:49). Assim afirmam os Pais da Igreja antecessores a Agostinho, somos herdeiros da sua condenação. Apesar de Ireneu crer que seríamos libertos desta condenação a partir da livre-arbítrio que conduziria o ser humano a divinização, distinto de Agostinho, sua concepção de Cristo como substituto pleno e efetivo de Adão era a mesma e a correta interpretação dos textos de Paulo.

      A condenação foi efetiva e perpétua sobre toda a humanidade e assim é a justificação e ressurreição trazida por Cristo.

      Excluir
    7. Caro Luigi,

      1 - A anulação dos efeitos da justificação de Cristo por uma escolha humana. A justificação parte completamente do sacrifício do Filho de Deus na cruz e a fé é a apenas o instrumento utilizado para realizar essa ligação (Fp 3:8-9). Como eu poderia recusar os efeitos do sacrifício de Cristo por não possuir uma fé que provém do próprio Deus (Ef 2:8)? Isto não faz sentido.

      A fé é um dom de Deus, mas um dom que pode ser aceitado ou rejeitado, que pode ser cultivado ou extinto, depende de como a pessoa procede. É como alguém que recebe uma planta de presente (e “dom” no grego significa “presente”), ele pode aceitar o presente, pode rejeitá-lo, pode cultivar a planta pra ela crescer mais, pode deixar de regar a planta e fazê-la morrer, e assim por diante. Nada disso vai mudar o fato de que a planta foi um presente dado pela outra pessoa, só significa que quem recebeu o presente agiu bem ou mal com ele. Isso eu já expliquei exaustivamente aqui:

      http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/monergismo-ou-sinergismo

      Texto nenhum da Bíblia diz que a fé é algo totalmente unilateral da parte de Deus ao longo de todo o processo de modo a não envolver qualquer envolvimento humano. Isso tornaria ridícula a repreensão que Jesus várias vezes fez a pessoas que tem pouca fé:

      “Mas Jesus disse a eles: ‘Por que estais com tanto medo, homens de pequena fé?’. E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e houve plena calmaria” (Mateus 8:26)

      “E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste?” (Mateus 14:31)

      “Então os discípulos, aproximando-se de Jesus em particular, disseram: Por que não pudemos nós expulsá-lo? E Jesus lhes disse: Por causa de vossa incredulidade; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível” (Mateus 17:19-20)

      Imagine o quão ridículo seria Jesus criticar a falta de fé das pessoas quando na verdade elas não podiam fazer absolutamente NADA para ter fé ou para aumentar a fé. Neste caso, Jesus deveria é repreender não as pessoas que tem pouca fé, mas sim a Deus que não colocou fé nas pessoas. É simplesmente surreal a leitura que os calvinistas fazem dos textos, levando às conclusões mais bizarras e insanas. Eu nem vou comentar mais sobre isso porque já tenho um livro inteiro escrito a este respeito, refutando a heresia calvinista do monergismo e da expiação limitada.

      Excluir
    8. A obediência de Cristo, sozinha, CLARAMENTE nos justifica, a fé é só um modo utilizado por ele.

      Meu Deus, o que é isso? Quer dizer que basta apenas o que Cristo fez, que automaticamente somos salvos? Isso ultrapassa qualquer limite da heresia. É claro que a fé é o meio que nos liga a Deus, mas se este meio não existir, o sacrifício de Cristo por si só não vai ter adiantado nada para o indivíduo que se recusa a aceitá-lo (da mesma forma que o sacrifício de Cristo por si só não salva ímpio algum, a não ser que você seja universalista, e neste caso o seu problema é mais sério do que eu pensava).

      Se eu desse um cheque num valor gigantesco e impagável como fiança a uma pessoa que está no corredor da morte e ela não aceitasse o cheque e morresse por causa disso, eu teria sido o salvador dela do mesmo jeito, mas ela não teria sido salva porque recusou a oferta de salvação. E se a pessoa aceitar o cheque e consequentemente for salva do corredor da morte, ela não poderá dizer que salvou a si mesma só porque aceitou o cheque, eu que a teria salvo fazendo por ela aquilo que ela jamais poderia ter feito por si mesma (só um louco diria que aceitar o cheque constitui um “mérito pessoal”, embora seja este o espantalho que os calvinistas ridiculamente criam contra os arminianos).

      Da mesma forma, a Bíblia diz claramente que Deus deseja a salvação DE TODOS OS HOMENS (1Tm 2:4) e que Jesus entregou a si mesmo como resgate POR TODOS (1Tm 2:6), mas você insinua que ele morreu só pelos eleitos e o resto que se lasque. Que raios de deus é esse que deseja a salvação de todos os homens mas só morreu por uma minoria, deixando os demais sem nenhuma possibilidade de salvação? Esse deus calvinista é no mínimo esquizofrênico, pra não dizer coisa pior.

      O "justificado pela fé" (Rm 3:28) não denota uma relação de causa, mas de intermédio, algo como através da fé. Sendo assim, a Bíblia aponta a obra de Cristo como causa primária da justificação (1 Co 1:30; 1 Pe 3:18) e que se estende aos filhos puramente por sua graça, sendo completamente efetiva (Rm 8:30).

      Ninguém aqui está discutindo que a obra de Cristo é a causa primária da salvação, o que está em discussão é essa heresia de que a fé não é necessária, basta o sacrifício por si só. Isso não apenas anula toda a necessidade da fé para a salvação como torna os seres humanos completamente autômatos nas mãos de um deus que decide de forma unilateral quem vai ser salvo ou não e que condena a uma eternidade no inferno quem ele decidiu de antemão que iria sofrer eternamente (sem poder fazer nada para mudar isso). Por este ponto de vista, o lamento de Jesus deveria teria sido sobre a dureza do coração de Deus, não sobre a dos homens (que nada podiam fazer para mudar isso):

      “Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedrejas os que lhe são enviados! Quantas vezes EU QUIS reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, MAS VOCÊS NÃO QUISERAM!” (Lucas 13:34)

      Excluir
    9. O texto é claro: Jesus QUIS reunir os seus filhos, MAS ELES NÃO QUISERAM. Não temos aqui apenas a vontade unilateral da parte de Deus, mas uma vontade de Deus que se choca com a vontade dos homens. É por isso que nem todos são salvos: porque muitos REJEITAM a salvação que Deus oferece, e não porque Deus não deseja a salvação deles. E nem me venha com esses malabarismos bizarros que os calvinistas fazem no texto, que é de cair o queixo. Na visão calvinista tudo isso não passou de puro teatro: Jesus fingiu de forma cínica que queria o arrependimento deles, mas no fundo sabia que Deus já havia predestinado que não haveria arrependimento algum. Deus me livre de um “Jesus” desses... esse “Jesus” calvinista pode ficar com vocês.

      O resto do seu texto eu nem preciso comentar, porque é um monte de repetições já refutadas tanto no artigo, como nas minhas respostas anteriores. Você pega um texto que claramente fala que a natureza é INCLINADA para o mal (Gn 8:21), que é exatamente o que eu disse, e o transforma numa prova de que nascemos culpados pelo pecado de Adão, é bizarro. Não sei como consegue fazer uma coisa dessas. Ninguém aqui está negando que a natureza do homem é inclinada ao pecado desde a concepção, isso foi afirmado no próprio artigo um monte de vezes, a questão é que você não consegue achar UM ÚNICO texto que fale de um pecado efetivo cometido por um bebê ou uma criança pequena, e muito menos um texto que fale que nascemos culpados pelo pecado de Adão. Por isso precisa enrolar com um monte de textos que não dizem NADA do que você pretende, numa tentativa incansável de encontrar nos textos aquilo que não está lá.

      Assim afirmam os Pais da Igreja antecessores a Agostinho, somos herdeiros da sua condenação.

      Ser “herdeiro da condenação” não tem nada a ver com transferência de culpa, significa apenas que herdamos o mesmo mundo corrompido desde o pecado de Adão. Eu já fiz o desafio na minha primeira resposta, cite-me um único Pai da Igreja anterior a Agostinho que tenha falado em transferência de culpa. Se você não for capaz de fazer isso, pare de ficar citando Pais da Igreja que você nunca leu, para defender uma suposta ortodoxia que nunca existiu.

      A condenação foi efetiva e perpétua sobre toda a humanidade e assim é a justificação e ressurreição trazida por Cristo.

      Mais uma heresia das bravas: se a condenação de Adão é a condenação de TODA a humanidade, então por que a justificação trazida por Cristo também não justificou TODA a humanidade? Note que o texto emprega o mesmo termo “muitos” em ambas as partes, seria muita hipocrisia e cinismo dizer que o “muitos” da primeira parte do verso significa “todo mundo”, e o “muitos” da segunda parte do verso significa “apenas uma minoria predestinada à salvação”:

      “Assim como por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores, assim também, por meio da obediência de um único homem muitos serão feitos justos” (Romanos 5:19)

      Excluir
    10. Se o “muitos” aqui está no sentido de todos – ou seja, que todos foram feitos pecadores em Adão, que é como você interpreta – então o mesmo termo utilizado na sequência do verso implicaria que todos foram condenados em Adão e todos foram feitos justos em Cristo, e se todos foram feitos justos em Cristo, então todos são salvos (=universalismo). Eu não sei se é isso o que você está argumentando esse tempo todo ao dizer que o sacrifício de Cristo salvou por automático, sem precisar do meio que é a fé. Se é isso mesmo, eu só lamento. Se não é, então RIP a exegese.

      Veja o tanto de coisa maluca que você é obrigado a concluir por causa dessa interpretação miseravelmente ruim de textos bíblicos que não dizem nada do que você pretende (só pra salvar a doutrina do pecado original):

      (1) que Deus nos culpa por ações que não fizemos; (2) que somos condenados não pelos nossos próprios pecados, mas pelo pecado de alguém que viveu há seis mil anos; (3) que bebês que morrem na infância vão passar a eternidade no inferno porque já nascem condenados (ou vão para sabe-se lá onde, já que você esse tempo todo enrolou e não explicou isso, que é justamente o tema principal do artigo); (4) que a justificação é um processo totalmente unilateral da parte de Deus sem que o homem possa fazer nada para recusá-lo ou aceitá-lo, tornando a fé um acessório totalmente dispensável e desnecessário, já que na verdade a salvação é por predestinação; (5) que Jesus critica a pouca fé de pessoas que não podiam fazer nada para aumentar a fé delas; (6) que Jesus fingiu que queria a salvação de pessoas que ele já tinha predestinado pro quinto dos infernos; (7) que Paulo mentiu quando disse que Jesus se ofereceu em resgate por todos e que Deus deseja a salvação de todos os homens, ou que (8) Deus deseja mesmo a salvação de todos, mas mesmo assim predestinou a maioria ao inferno, porque é um esquizofrênico e não precisa fazer sentido.

      Eu nunca vi tanta maluquice em toda a minha vida, e tudo isso só pra se apegar a uma interpretação sofrível de um ou dois textos, em vez de humildemente reconhecer que a interpretação estava errada, como cabe a qualquer pessoa honestamente de mente aberta. Eu nem vou mais perder tempo numa discussão dessas porque sei que quando chega nessa treta de calvinismo vs arminianismo a discussão entra num loop infinito e não termina nunca, por isso eu escrevi um livro de 500 páginas sobre isso, pra não ter o desprazer de discutir esse assunto de novo nunca mais. Sem falar que eu perco o maior tempo nisso, olha o tempão que eu perdi só pra responder essa mensagem, imagina as próximas. Sendo assim qualquer nova mensagem sobre isso neste post ou em qualquer outro será suprimida, já está bem claro o que você pensa e o que eu penso, eu não vou mudar a sua cabeça e muito menos você a minha, então daqui em diante não aceitarei novos comentários.

      Se futuramente quiser comentar sobre outras coisas aqui fique à vontade como qualquer outro leitor, mas este assunto já deu o que tinha que dar. Eu lhe sugiro que simplesmente assuma que Deus me predestinou a ser arminiano e a não crer no pecado original agostiniano, e também predestinou por um decreto imutável antes da fundação do mundo que esse debate terminaria agora (e quem és tu ó homem para questionar a Deus?).

      Excluir
  41. https://youtu.be/EOmdhOhIdFo

    O que acha desse vídeo e dessa "refutação"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É incrível como eles não entendem o Big Bang e nem o argumento cosmológico. Qualquer físico ou astrônomo sério (mesmo os ateus e agnósticos) reconhece que a energia do universo não existe desde sempre como ele diz, mas teve um INÍCIO, o universo não é eterno (veja nos artigos abaixo). Se o universo não é eterno, então ele não pode ser autocausado, ele teve uma causa externa a ele, ou seja, uma causa transcendental ("transcendental" é algo que TRANSCENDE a nossa realidade). É por isso que é estúpido ele pedir pra "mostrar Deus", se é transcendental então está fora dessa realidade física, ou seja, não pode ser visto. Esses argumentos bobos só mostram o quão ignorante eles são sobre os pressupostos mais básicos dos argumentos teístas, não dá pra saber se é por burrice ou desonestidade, mas de todo modo o amadorismo é vergonhoso.

      http://ateismorefutado.blogspot.com/2014/12/o-argumento-cosmologico-dr-william-lane.html

      http://ateismorefutado.blogspot.com/2014/12/o-argumento-cosmologico-norman-geisler.html

      http://ateismorefutado.blogspot.com/2015/04/dawkins-refutou-o-argumento-cosmologico.html

      Excluir
    2. Interessante, vou dar uma olhada nesses artigos. Um dia eu estava discutindo com um ateu e falei sobre o argumento teleologico, e ele disse que o argumento não faz sentido porque o Universo mostra muitas falas. (por exemplo, estrelas morrem,galáxias são destruídas, etc). E não consegui refutar muito bem esse argumento.

      Outra coisa que eu queria entender é porque muitos cientistas atuais são Ateus e agnósticos? Stephen Hawking era ateu, aquele cientista moreno da NASA se considera um ateu, e muitos outros famoso. O único que eu vejo que realmente é Cristão é o Francisco Collins.

      Excluir
    3. Eu não sei por que a morte de estrelas ou galáxias destruídas seriam "erros" de um projeto. Nós humanos soltamos fogos de artifício que se dissolvem no ar e deixam de existir (embora a energia deles continue existindo, mas me refiro ao elemento visível, da mesma forma que o exemplo das galáxias e estrelas), mas nem por isso a ação é uma "falha" no projeto, ao contrário, faz parte do espetáculo. E para Deus, todo o universo é tão "pequeno" quanto os fogos de artifício em nossas mãos. O erro está em pensar "perfeição" como significando necessariamente ordem ou organização, quando Deus pode estar mais para um pintor de arte abstrata, onde os quadros são muitas vezes irreconhecíveis ou difíceis de se explicar, mas a pintura não deixa de ser tão bela e fascinante quanto (e todo o universo é uma obra divina).

      Sobre por que a maioria dos cientistas atuais são ateus, penso que há duas respostas para isso que se complementam: primeiro porque a grande maioria é da Europa (por ser o continente mais desenvolvido e com mais recursos para a pesquisa científica), onde o número de ateus ou agnósticos é muito alto, e segundo porque muitos cristãos se preocupam mais com a realidade espiritual do que com a natural, priorizando salvar almas (o que não está errado, bem pelo contrário). Mas como os ateus e agnósticos não tem essa preocupação maior (pois pensam que essa vida é tudo o que existe), acabam investindo toda a sua energia nas coisas terrenas, o que inclui uma preocupação maior com a ciência (como também pode incluir uma vida hedonista que não se preocupa com ninguém, aí vai depender do tipo de ateu que a pessoa é).

      Excluir
    4. Interessante notar também que os ateus dizem que no processo de evolução do Universo, as antigas estrelas explodem, e expelem uma série de materiais pesados que antes não existia (ou seja, no inicio só existia hidrogênio e hélio, as primeiras estrelas formadas destes dois elementos então iniciaram uma espécie de fusão nuclear, que produziu novos elementos como ferro, oxigênio, carbono, etc), e é neste ato que novos planetas e satélites podem ser formados, inclusive a vida, que é feita dos elementos pesados formados no núcleo das estrelas. Ou seja, o próprio ateu diz que estrelas explodindo seria uma falha na Criação de Deus, mas na própria visão deles, é necessário estrelas explodirem para o universo continuar tendo novos elementos e formar mais coisas variadas, como a própria vida. Se estrelas não explodissem nem haveria vida no modelo da evolução, logo porque eles dizem que isso seria uma prova que o universo não foi projetado? Se Deus quer que estrelas explodam em Supernovas é coisa dEle, afinal estas explosões não nos afetam nem um pouco e não trás nenhum impacto negativo na nossa vida, muito pelo contrario, embeleza ainda mais o universo e forma novos materiais, é incrível a perfeição como estas coisas trabalham.

      Excluir
  42. Lucas, porque hoje em dia quando Campanhas antidrogas são promovidas pelo Estado ou por qualquer organização social, esse tipo de propaganda sofre tanto repúdio por parte da sociedade? Certa vez eu estava assistindo a um vídeo do Andrei Bedene que falava sobre desenhos animados que fizeram campanhas contra as drogas nos EUA nos anos 1980 e 1990:

    https://youtu.be/_mYCaq6vrDg

    Também um comentário me levou a este maravilhoso crossover feito com vários desenhos com uma ótima mensagem antidrogas:

    https://youtu.be/5hz1UaEVyoo

    Também me lembrou aquelas propagandas nacionais que tinham na década de 90 contra as drogas (na época eu nem sequer era nascido):

    https://youtu.be/jQr40cAjFmE

    https://youtu.be/sAnQFmz3OqE

    https://youtu.be/eNLxP_eoOxY

    Essas campanhas antidrogas eram realmente incríveis e passavam ao público infantil uma ótima mensagem: de que drogas fazem mal à saúde, mas me parece que dos anos 2000 pra cá o cenário mudou muito, hoje em dia infelizmente não vemos mais esse tipo de propaganda nas televisões, e hoje em dia esse tipo de propaganda é muito mal-vista por muitos setores sociais (especialmente os da esquerda política). Porque de uns tempos pra cá a Defesa das drogas ficou tão forte em nossa sociedade? Porque cada vez mais pessoas insistem em defender esse mal terrível (como a maconha, o crack, a cocaína e cia)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem isso que você disse, no passado os esquerdistas eram antidrogas assim como os conservadores, se você procurar no youtube vai encontrar um antigo debate para a prefeitura de SP com o Enéas e a Marta Suplicy onde ele acusa o PT de ser a favor da legalização das drogas e a candidata petista acuada tenta se defender de todos os jeitos, nessa época era feio defender legalização das drogas, soaria escandaloso, então eles precisaram moldar a opinião pública durante anos para tornar o discurso mais aceitável, e parte disso implicou em eliminar a propaganda e o discurso antidrogas que fazia com que a sociedade tivesse repulsa às drogas e consequentemente não aceitasse sua legalização.

      Excluir
    2. Isso é realmente triste, seria muito bom se até hoje tivéssemos essas propagandas de Não às Drogas (ainda mais hoje que temos softwares de animação mais realista e bonito do que os das décadas de 80 e 90, seria realmente incrível ver os Personagens da Disney, Pixar, Universal Studios, Warner Bros., Marvel, seria incrível você ligar a TV e vendo uma propaganda antidrogas o Homem de Ferro, o Capitão América, Thor e os Vingadores dizendo às crianças para não utilizarem drogas e que assim elas estariam sendo heróis como eles, seria incrível) , se elas tivessem continuado muito provavelmente o narcotráfico poderia estar hoje com seus dias contados.

      Mas como o narcotráfico é um dos meios pelos quais a esquerda política se sustenta (especialmente aqui na América Latina, inclusive há fortes indícios que o Ditador Nicolás Maduro sustenta o seu regime com base no narcotráfico e no terrorismo), assim que eles assumiram o poder, na primeira oportunidade tiraram essas propagandas e esse discurso antidrogas das Televisões, e doutrinar a população a aceitar esse comportamento nocivo (através de novelas e séries), bem como defender sua legalização.

      Excluir
    3. Exatamente. Mas a direita também tem sua parcela de culpa nisso, pois ao reassumir o poder poderia (e deveria) voltar a investir na propaganda antidrogas, mas não é o que vemos que o governo está fazendo (infelizmente nos dias de hoje todo governo só se preocupa em fazer propaganda de si mesmo, de seus supostos feitos e realizações, em vez de se preocupar com o bem-estar social).

      Excluir
  43. Banzolão comente https://www.youtube.com/watch?v=LUIc3WUJpkY

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se este não for o melhor vídeo do youtube, eu não sei qual é.

      Excluir
  44. Banzolao e vc acha que o Nando Moura tá amadurecendo e criando equilíbrio emocional aos poucos?Pq recentemente o Whindersson Nunes o mandou se f...se fosse nos "bons tempos" do Nando olavista ele devolveria o xingamento e ainda mandaria o Whindersson tomar no cu...mas dessa vez ele só chamou o Whindersson de moleque e reclamou de sua ingratidão a Deus,já que o Nando havia citado um versículo bíblico na ocasião em que foi xingado,o Nando fala rapidamente desse caso no último vídeo dele,que eu te pedi para comentar no outro link

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o Nando de outrora era bem mais desequilibrado e boca suja, ele evoluiu bastante de uns tempos pra cá. Não acho que vá se tornar um "gentlemen" e nem faz o perfil dele, mas está bem mais leve do que estava antes.

      Excluir
    2. Verdade, eu acompanhava o nando e comparando com oque ele é hoje, realmente, mudou muito

      Excluir
  45. Lucas, muitas vezes me deparei com esse questionamento (e muito outros) levantado no artigo.
    Hoje minha mãe está idosa e senil, às vezes agressiva, fala pornografia... muitas vezes fico pensando para onde foi aquela pessoa cristã de outrora...
    Intuitivamente sempre entendi que os anos de insanidade não entram na "contabilidade divina" porque
    " (...) onde o pecado abundou, superabundou a graça"
    Romanos 5:20
    Concordas Lucas?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a pessoa está insana ou com o raciocínio seriamente debilitado devido à idade ou qualquer outro fator, eu também penso que Deus vai considerar o período de vida em que ela estava sã e com base nisso decidir a salvação dela, até porque qualquer um de nós está sujeito a enlouquecer e seria muito trágico perder a salvação por coisas que não faríamos e nem fizemos em nosso estado mental normal.

      Excluir
  46. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola amigo, acho q posso te ajudar vc em algumas questoes. A IELB é conservadora, ja a IECLB é mais progressista, eu ja frequentei a IELB, tive ate aulas pra pode participar da comumhao, mas c vc n acredita em regeneração batismal e consubstanciacao ela n serve pra vc, eles n vao deixar vc participar da ceia deles. A igreja q eu fui n tinha mt joven n sei c vc leva isso em consideração, mas o grupo de jovens e as reunioes q eles fazem sao legais, o culto na mimha opniao era mt truncado, eles repente mt vezes a mesma musica, é uma missa na qual o padre se chama pastor, faltsva algo q a assembleia de Deus q fui uma vez tem, q eles davam espaco pra q alguem (qualquer um) falasse sobre a biblia, e e n so nessas igrejas mais trdicionais c v isso mas tbm em outras mais modernas, parece q so o pastor tem o dom da palavra e os outros n tem nada a acrecentar. Bem é isso q eu lembro, epero ter ajudado Deus lhe ilumime na sua escolha

      Excluir
    2. Oi Gabriel, blz? Bom, você provavelmente não vai gostar nada da minha resposta, porque eu sou o oposto neste aspecto, sou bem avesso a liturgias. Não chego ao ponto de dizer que o Espírito Santo não pode se manifestar em igrejas litúrgicas, mas uma das razões por que o Novo Testamento não nos oferece literalmente nenhum modelo de liturgia é porque o culto era bem simples, desprovido de ritualismos e cerimonialismo. Se você ler a descrição que Justino Mártir faz do culto cristão em sua Primeira Apologia, em meados do segundo século, verá que esse modelo simples de culto permaneceu assim durante pelo menos os 150 anos seguintes. Basicamente havia um momento da palavra, um momento de partilhar o pão (uma forma bem simples de celebração da eucaristia, bem diferente dos cultos atuais, mesmo das igrejas menos litúrgicas), um momento de comunhão entre os irmãos (com compartilhamento mútuo de dons espirituais e dúvidas tiradas entre os irmãos) e era isso. Eu diria que era muito semelhante a uma célula nos dias de hoje, essas que geralmente são feitas nas casas de alguém da igreja, do que propriamente dos cultos aos domingos nos templos. Era uma reunião caseira (nessa época os cristãos nem podiam se reunir em templos por causa da perseguição), não um compilado de rituais em um mega templo luxuoso.

      Eu inclusive vejo o cerimonialismo posterior como um desvio grave na história da Igreja, embora compreensível já que com o passar do tempo temos a tendência de querer "organizar" mais as coisas e transformar hábitos em tradições, e foi nesse contexto que a Reforma nasceu, por isso as igrejas reformadas mais históricas são bem litúrgicas (embora não tanto como a católica, é claro). Eu vejo essa Igreja litúrgica (seja qual for) como muito similar ao Judaísmo da época do AT, quando tudo era baseado em ritos e cerimônias, com vestes litúrgicas e tudo mais, mas quando chegamos ao NT vemos que tudo isso que os judeus faziam era apenas para prefigurar a realidade da nova aliança, isto é, apontavam para uma realidade maior, por isso o Judaísmo era tão ritualista.

      Por exemplo, na tiara usada pelo sumo sacerdote estava escrito "Santidade ao Senhor", isso não é para ser literalmente copiado nos dias de hoje, apenas apontava para o fato de que os ministros devem andar em santidade. Os judeus sacrificavam cordeiros pelos pecados (algo extremamente ritualista), mas nós não temos que sacrificar nada hoje, porque isso apenas apontava para o sacrifício único e definitivo do Cordeiro de Deus, Jesus. O óleo da unção, por sua vez, tipificava a unção do Espírito Santo que permanece em nós quando estamos em Cristo, e as leis de "impureza" e "purificação" eram uma sombra da nossa necessidade de buscar o perdão dos pecados em Cristo.

      Excluir
    3. Cada cerimônia que Deus ordenava aos judeus repetirem, mesmo aquelas que pareciam não ter o menor sentido na época, tipificava alguma verdade espiritual na nova aliança. Ou seja, o ritualismo do Judaísmo servia apenas para tipificar as verdades espirituais que estavam por vir; hoje nós não vivemos mais na "sombra", mas na realidade (cf. Hb 10:1 e Cl 2:16-17), por isso não precisamos mais de rituais, não temos que "tipificar" nada, vivemos e andamos pelo Espírito, e "onde o Espírito do Senhor está, ali há liberdade" (2Co 3:17). Eu estou dizendo que é errado congregar em igrejas litúrgicas? Claro que não, mas sim que o ritualismo não é mais necessário em nossos dias e que muitas vezes pode até atrapalhar (não é à toa que as igrejas litúrgicas são as que mais perdem fiéis no mundo todo em ritmo acelerado, porque poucos são os que se agradam ou suportam esse estilo de culto mais "amarrado", com muitas repetições e previsibilidade).

      Mas um dos pontos fortes do protestantismo é justamente por não possuir uma liturgia única universal, assim aqueles que preferem um culto mais "livre" podem procurar uma igreja menos litúrgica, e os que preferem um culto mais cerimonialista (como o seu caso) podem procurar uma igreja mais litúrgica, sem problema algum. Só não dá pra dizer que tal liturgia é a "mais certa", porque como eu disse, nem a Bíblia nos dá essa resposta, já que a Igreja primitiva não era nem mesmo litúrgica. Quem gosta de dizer que a igreja deles é a "mais certa" em razão da liturgia são os tradicionalistas católicos, que acham que tradição é sinônimo de veracidade (mesmo que essa tradição passe longe de remontar aos apóstolos). O mais importante é cultuarmos a Deus em espírito e em verdade (Jo 4:23), e não "como" fazemos isso (qual parte vem primeiro, qual vem depois, como começa e encerra o culto, isso são pormenores que cada igreja tem a liberdade de escolher, sem estar ferindo doutrina alguma).

      Excluir
    4. Acrescentando, Lucas, que Cristo já respondeu essa questão ao ser indagado pela mulher samaritana sobre legítima adoração.
      Nosso desafio é evitar os extremos do ritualismo e a bagunça de Corinto, lembrando sempre que a nossa atenção deve está voltada pra Cristo.

      Excluir
  47. https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/marcelo-r-paiva-sobre-alexandre-moraes-quem-diria-que-um-tucano-teria-mais-coragem-do-que-indicados-pelo-pt/ O tucano Alexandre de Moraes indicado pelo Temer,que foi secretário de justiça do Geraldo Alckmin está sendo mais corajoso e tomando medidas contra o gabinete do ódio,enquanto isso o Toffoli ,ex advogado do PT,está quieto e inclusive barrou uma investigaçao contra a rachadinha do Flávio,me surpreende um tucano ser mais oposição que os petistas,os petistas sempre se colocaram como os maiores inimigos do ´´fascista Bolsonaro´´ e agora estão quietos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Na política tem muita gente que não tem um "time", não é petista ou bolsonarista, simplesmente escolhe um lado por conveniência do momento. Veja por exemplo o histórico de gente como Maluf, Sarney e Renan Calheiros, eles estavam sempre do lado de quem está no poder independentemente de quem quer que fosse, porque eles mesmos não tem ideologia nenhuma, a "ideologia" deles é o poder (e o $$$). Por isso o Gilmar Mendes defende qualquer bandido seja de direita ou de esquerda, enquanto outros como o Toffoli viram a casaca dependendo da circunstância. Que me conste, só o Lewandowski é realmente da ala ideológica, no sentido de ser fiel aos seus princípios petistas (sempre vota a favor do PT e contra os que estão no outro lado). Também tem os que votam de acordo com suas próprias convicções (critérios técnicos), como eu creio ser o caso da Cármen Lúcia.

      Excluir
  48. Lucas, em sua opinião o dia 13 de maio (data da Abolição da Escravatura no Brasil) deve ser comemorado? Você acha que D. Pedro II e a Princesa Isabel eram racistas?

    Certa vez eu estava lendo um artigo sobre a história da imigração europeia no Brasil e vi que ela começou a ocorrer em massa a partir da década de 1870, nesse mesmo período surgiu a chamada política do "branquamento" que foi instituída pelo imperador D. Pedro II na década de 1880, pois ele era muito influenciado pelas ideias de eugenia racial da época e via o branqueamento da população como uma tentativa de apagar as cicatrizes da Escravidão no Brasil, bem como da cultura afro-brasileira. Além disso, também li outro artigo que expunha o racismo da Princesa Isabel, a considerada "redentora" pelos monarquistas. Esse artigo também falava que Isabel tratava muito mal pessoas negras e utilizava-se de termos racistas para referir -se aos negros escravos, além disso ela era constantemente criticada pelos abolicionistas pelo incrível descaso que ela tinha com a causa abolicionista (para se ter uma ideia ela foi criticada até mesmo por Machado de Assis, um monarquista convicto) até mais ou menos às vésperas da Assinatura da Lei Áurea em 1888.

    Fonte:

    https://midianinja.org/spartakussantiago/porque-a-princesa-isabel-nao-e-a-elsa-de-frozen/

    http://moraesdidascalia.blogspot.com/2013/04/livro-mostra-que-princesa-isabel-era.html?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente eram racistas mesmo, naquela época as teses eugenistas eram muito populares e bem aceitas nos círculos "intelectuais" da elite, então quase todo mundo pensava ser científico que os negros eram inferiores aos brancos por razão genética (ainda mais nessa época em que o darwinismo social era moda). Até Abraham Lincoln, que lutou tanto pela liberdade dos escravos, tem cartas explicitamente racistas. Era a mentalidade que se tinha na época, não só no Brasil mas no mundo todo. Só em tempos relativamente recentes é que o racismo estrutural foi superado, e mesmo assim não totalmente (o caso do Floyd mostra bem isso).

      Excluir
    2. Verdade.

      Contudo é válido ressaltar que apesar da Política de branqueamento ter sido instituída pelo imperador D. Pedro II na década de 1880 (nos últimos anos da monarquia), como forma de tentar substituir a mão de obra escrava negra para a mão de obra assalariada branca numa época em que era cada vez mais nítido que a Escravidão iria acabar uma hora ou outra (contudo também é importante lembrar que muitos imigrantes europeus também viviam em condições análogas à escravidão nas plantações de café do Brasil, inclusive muitos deles recebiam salários tão baixos que tornava completamente inviável a compra da tão sonhada casa própria), ela foi continuada pelos governos republicanos que sucederam a monarquia, inclusive ela ganhou força total logo após a Proclamação da República e com o advento da Constituição de 1891 que instituiu o direito à naturalização de estrangeiros no Brasil, algo que estava completamente indisponível na Constituição do Império.

      Para se ter uma ideia, só nos 20 primeiros anos da República, 1890-1910, cerca de 2,5 milhões de europeus imigraram para o Brasil, contra apenas 636 mil dos últimos 20 anos da monarquia (1870-1890). E um dos grandes motivos para esse aumento foi a instituição da naturalização de estrangeiros no Brasil instituída pela primeira Constituição Republicana, além dos maciços investimentos em propaganda que os governos federal e estaduais faziam para atrair ao máximo imigrantes europeus, bem como da significativa melhora da qualidade de vida que ocorreu nos primeiros anos da República, como a industrialização, urbanização, saneamento, vacinação em massa e erradicação de doenças como a Febre Amarela (que era mortal para os Europeus, pois não tinham imunidade contra a doença e muitos morriam em decorrência dela). Inclusive a política de branqueamento racial durou até mais ou menos a Era Vargas (mais precisamente até o advento da Segunda Guerra Mundial).

      Mais uma prova do que você disse: "Era a mentalidade (do Racismo) que se tinha na época, não só no Brasil mas no mundo todo."

      Fonte:

      https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Imigração_no_Brasil&mobileaction=toggle_view_desktop#Impacto_da_imigração

      Excluir
    3. Em suma: os Erros da República eram os mesmos da monarquia e TODOS (de Pedro II a Getúlio) eram Racistas.

      Excluir
  49. 1-Qual a sua opinião sobre a guerra cultural?
    2-Por que os olavistas que afirmam levar a cabo essa guerra cultural contra o esquerdismo usam os mesmos métodos destes,tal como assassinato de reputações de opositores,exaltação a um líder,como foi com Lula,agora com Bolsonaro?

    3-A despeito de defenderem certas bandeiras da direita como a liberação das armas,a valorização da religião,a oposição a legalização das drogas e do aborto e ao menos na teoria o liberalismo econômico,por mais que o Paulo Guedes não consiga realizar as reformas liberais,o bolsolavismo pode ser considerado um movimento de esquerda por usarem métodos similares?Ou vc acha que eles são de direita mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os métodos em si não são de esquerda e nem de direita, é de gente desonesta que se encontra em ambos os lados. Desde que o mundo é mundo existe gente que pratica assassinato de reputação, que propaga fake news, que idolatra figuras públicas e assim por diante, tanto dentro como fora da política, para conseguir alguma vantagem em qualquer coisa que seja. A esquerda só se apropriou dessa estratégia mais cedo, mas ambos os lados se apropriam desses métodos como forma de manter o gado pastando. Mentira, desinformação, corrupção e idolatria são milenares e independem de espectro político.

      Excluir
    2. Sim o nosso próprio Jesus Cristo sofreu assassinato de reputação e fake news quando os fariseus diziam que ele expulsava demônios através de Belzebu e quando seus irmãos diziam que era insano,então isso sempre existiu,apenas foi apropriado primeiramente pela esquerda e agora pela direita bolsolavista,mas e a ideia de guerra cultural,vc acha válida,o que pensa sobre isso?

      Excluir
    3. A história do corpo roubado de Jesus foi outra fake news

      Excluir
    4. A ideia de guerra cultural é uma coisa. Os meios usados é outra, totalmente diferente. Não devemos lutar com as armas do diabo para derrotá-lo, devemos mostrar que somos melhores do que ele, não apenas no "o que", mas também no "como". Quando nos sujeitamos a táticas sujas e a manobras desonestas para conseguir alguma coisa, estamos mostrando que, no fundo, não somos moralmente melhores que ninguém, somos apenas pessoas que pensam estar certas e usam de qualquer meio pra exprimir isso, que é a mesma coisa que os outros fazem.

      Excluir
  50. https://oglobo.globo.com/cultura/pai-do-astro-mel-gibson-catolico-ultraconservador-hutton-gibson-morre-aos-101-anos-1-24463629 Lamento a morte,inclusive sou muito fã do Mel Gibson como ator e diretor de cinema,adorei ´´Coração Valente ´´ e ´´A Paixão de Cristo´´ ,mas o texto afirma que o pai dele era ultraconservador,eu não consegui ler a matéria toda,já que não sou assinante do O Globo,mas no pouco que consegui ler,afirma que ele era opositor do Concílio do Vaticano,acreditava que esse foi uma conspiração dos judeus dentro da Igreja Católica e defendia missas em latim,isso me parece reacionário e não conservador,aliás até o Nando Moura que até ontem era olavista já está dizendo que o bolsolavismo é um movimento reacionário e não conservador que ou vc é conservador ou vc é bolsolavista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sou muito fã do Mel Gibson, acho o melhor ator e diretor de cinema de todos os tempos (pelo menos na minha opinião de leigo em crítica de cinema). Mas ele parece ter sido influenciado pelo pai dele em algumas coisas, pois já foi pego fazendo certos comentários antissemitas, embora não seja um fanático igual o pai.

      Excluir
  51. Bom dia. A respeito dessas manifestações sobre a morte do rapaz la nos USA, essa coisa de se ajoelhar e tudo mais, da uma olhada nesse vídeo de 3 minutos:

    https://www.youtube.com/watch?v=MkatQlVUYp8

    Eu vi e nao acredito que seja de verdade, pq se for eh pra ficar muito pistola da vida com isso, ate pensei que fosse montagem para emocionar as pessoas mas sei la, eu nao me ajoelharia para ninguem, so pra Jesus Cristo. Daqui a pouco quem for branco dos olhos claros vai ter que pedir desculpas por ter nascido assim. Eu ja sofri racismo no sul do Brasil e mesmo assim ainda acho que nao se deve ajoelhar para ninguem, nem pra pedir em casamento, serio...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O vídeo que ela mostra é bizarro mesmo, mas tem toda a cara de ser fake, produzido na intenção de causar esse espanto. Eu duvido muito que alguém que é realmente do movimento chegaria ao ponto de fazer uma coisa dessas, e ainda gravar e postar na internet. É caricato demais pra ser verdade. Em relação ao ato de ajoelhar em si, eu não acho errado se não estiver em um contexto religioso (de prestação de culto, que é algo que só deve ser dado a Deus), no caso dos que fazem isso de própria vontade nessas manifestações (e não forçado por outra pessoa, como no vídeo) é apenas um gesto simbólico de humilhação em respeito ao homem negro assassinado daquele jeito cruel, como um pedido de desculpas por séculos de opressão e racismo. Não que todos os brancos sejam culpados por isso, e nem é disso que se trata, mas é uma forma de reconhecimento do que foi feito no passado e que continua sendo feito por muitos no presente. No Apocalipse vemos o próprio Deus fazendo com que pessoas se prostrassem aos pés de outras em sinal de humilhação (não de adoração ou de culto, como mais tarde João faz com o anjo e é solenemente repreendido):

      "Vejam o que farei com aqueles que são sinagoga de Satanás e que se dizem judeus e não são, mas são mentirosos. Farei que se prostrem aos seus pés e reconheçam que eu amei você" (Apocalipse 3:9)

      Se todo ato de se prostrar fosse necessariamente errado Deus jamais faria isso ou diria tal coisa, só é errado quando se faz isso para cultuar alguém (e que me conste ninguém está cultuando George Floyd, apenas honrando sua memória).

      Excluir
  52. Hey Lucas,

    I was wondering what you thought of this post?:

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2018/05/galatians-211-14-rebuke-of-papal.html

    Also, I was wondering whether you thought this post by a Catholic apologist does any refutation to my post (even though mine is not in view)?:

    https://www.patheos.com/blogs/davearmstrong/2016/04/paul-rebuked-peter-disproof-of-papacy.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Your article touched on the central point: no Catholic pope would be rebuked in this way by a subordinate, as Paul would have done with Peter. The Catholic apologist's response is simply ridiculous, as if Paul was wrong in rebuking Peter(!) or as if Paul recognized Peter as the supreme leader of the Church, which is clearly a suffering eisegesis.

      Excluir
  53. Hello Lucas,

    I need your brain on something. I have somewhat of a dilemma on my hands. As you can see, there have been a lot of articles this month at this point in time on the authorship of the Pauline Corpus (the body of New Testament letters written by him). My are of concern relates to Colossians and Ephesians which can be found here:

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2020/06/notes-on-authorship-of-ephesians.html

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2020/06/notes-on-authorship-of-colossians.html

    I gave you two links instead of one because the two letters actually seem to go together. In the Colossians article (which I am asking about specifically, the statement I find troublesome is this:

    "But to go no further than the present epistle, the notices of the Apostle's imprisonment in ch. iv. 3, 4, 11, certainly seem historically inconsistent with the nature of the imprisonment at Caesarea. The permission of Felix (Acts xxiv. 23) can scarcely be strained into any degree of liberty to teach or preach the Gospel."

    Would that statement not go against the veracity of the New Testament? Would it be a problem or the doctrine of inerrancy if it is true? What are your thoughts?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. From what I understood in reading the article, he is not saying that Paul's letter to the Colossians is not authentic, but that it was not written in the period when some believe it was written (that is, between AD 58 and 60, when Paul was imprisoned in Caesarea). That's because Paul actually wrote in Rome, around AD 62, when he had greater freedom to preach the gospel (as we see reported at the end of Acts). You can check a reliable chronology of the New Testament books here:

      https://biblehub.com/timeline/new.htm

      Excluir
    2. Thank you very much. That makes sense to me.

      Excluir
  54. http://juliosevero.blogspot.com/2020/06/brasil-perde-para-eua-israel-e-ate.html Comente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes de pensar em gastar bilhões em armas nucleares seria melhor pensar em superar a pobreza, em melhorar a saúde precária, em investir na educação, em aumentar a segurança de um povo sofrido como o nosso. EUA e Israel podem se dar a esse luxo porque são países ricos e além disso tem um monte de inimigos políticos desejosos em destruí-los ao menor sinal de fraqueza, então precisam estar bem armados. O Brasil é um país pobre e que não tem nenhum inimigo no momento, então essa não deveria ser uma prioridade. Eu tenho até medo do que um Bolsonaro, Lula ou Dilma da vida poderiam fazer com uma arma nuclear em mãos, é melhor nem pensar. Me sinto mais seguro com a arma nuclear da Índia do que com uma eventual do Brasil. E usar a Índia como um exemplo de país com arma nuclear para dizer que o Brasil também deveria ter uma é um argumento bem pobre, já que a Índia tem um PIB per capita muito inferior ao brasileiro, enquanto fica brincando de fazer arma nuclear. Certamente se o povo indiano pudesse escolher entre ter uma vida melhor ou ter essa arma nuclear que nunca foi usada, eles não pensariam duas vezes antes de optar por uma vida melhor (infelizmente a Índia é uma ditadura e lá o povo não pode escolher nada, nem a própria profissão).

      Excluir
  55. Banzolao vc viu que o Donald Trump criticou o Brasil em relação ao combate da covid?Pois disse que se os EUA agissem igual ao Brasil poderiam ter dois milhões de mortos?E deixou de seguir o Bolsonaro no Twitter,não sei se o Twitter quer dizer muita coisa,afinal é uma rede social privada,mas vc acha que essas críticas do Trump podem mudar as relações Brasil-EUA,podem ficar estremecidas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até o Trump já está percebendo que esse cara de direitista não tem nada, é só um doido de pedra mesmo. Pra ver como a coisa tá feia, o Bolsonaro é radical demais pro gosto do Trump. É como eu disse: a quarentena não tem nada a ver com uma discussão ideológica de esquerda vs direita, só aqui no Brasil é que tem uma "direita" doente que acha que isso é coisa de comunista pra quebrar a economia de propósito, em todos os outros países do mundo trata-se de uma questão humanitária e racional que transcende a discussão ideológica. Mas num país onde as pessoas tem como guru o Olavo de Carvalho, qualquer coisa vira discussão ideológica e eles aproveitam pra meter conspiração no meio. Se as relações vão estremecer eu não sei, mas provavelmente o Trump não ganha a eleição do fim do ano, então não faria muita diferença de todo jeito.

      Excluir
  56. Mais um na Lista de Comunistas do Bolsolavismo (agora o Trump também é Comunista):

    https://www.google.com/amp/s/blogs.oglobo.globo.com/sonar-a-escuta-das-redes/post/amp/javier-bolsonaro-e-unfollow-de-trump-onda-de-desinformacao-sobre-relacao-dos-presidentes-toma-redes.html

    https://www.google.com/amp/s/noticias.uol.com.br/colunas/leonardo-sakamoto/2020/06/05/trump-cita-brasil-como-mau-exemplo-para-covid-e-toma-distancia-de-bolsonaro.amp.htm

    https://www.google.com/amp/s/www.terra.com.br/amp/noticias/mundo/trump-cita-estrategia-do-brasil-teriamos-ate-2-mi-de-mortes,fc03ad6f81abbff8517b405206f43c45vuz4asur.html

    Pelo jeito o Gado Bolsolavista vai apoiar o democrata Joe Biden 🤣🤣🤣

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O gado vai apoiar a candidatura independente de Olavo de Carvalho para a presidência dos EUA. Por mais que ele não seja americano, já mora lá há muitos anos, e o Obama também não era (é um agente comunista queniano infiltrado pelos globalistas pra quebrar os EUA e fazer a Nova Ordem Mundial) e mesmo assim ganhou, então...

      Excluir
  57. Avalie http://fabiosalgado.blogspot.com/2016/12/sao-paulo-rezou-por-um-homem-morto.html?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem certas coisas que não dá pra não se impressionar com o nível de burrice. É simplesmente surreal que alguém consiga interpretar aquele texto como uma reza para a alma de Onesíforo sair do purgatório mais cedo, parece o tipo de coisa de quem já fumou demais. Primeiro que o texto não diz em lugar nenhum que Onesíforo estava morto. Isso se trata de mera especulação, já que Paulo não afirma isso e nem deixa claramente subtendido. Tudo o que ele diz é que:

      “O Senhor conceda misericórdia à casa de Onesíforo, porque muitas vezes ele me reanimou e não se envergonhou por eu estar preso; pelo contrário, quando chegou a Roma procurou-me diligentemente até me encontrar. Conceda-lhe o Senhor que, naquele dia, encontre misericórdia da parte do Senhor! Você sabe muito bem quantos serviços ele me prestou em Éfeso” (2ª Timóteo 1:16-18)

      No verso 16 Paulo deseja que a casa de Onesíforo tivesse concedida a misericórdia da parte de Deus, e no verso 18 ele expressa o mesmo sentimento em relação ao próprio Onesíforo. O que garante que ele estava morto? Só porque ele quis que Onesíforo encontrasse misericórdia da parte do Senhor? Ele desejou o mesmo em relação à família dele no verso 16, e no final da carta vemos que eles não tinham morrido, já que são saudados ao final (2Tm 4:19). Então se Paulo desejou misericórdia à família de Onesíforo e mesmo assim eles não tinham morrido, por que o próprio Onesíforo, a quem Paulo expressa o mesmo desejo, tinha que estar necessariamente morto?

      Mas o problema é pior do que isso, porque mesmo se supormos que ele tinha mesmo morrido, note que Paulo NÃO pede misericórdia para sair do purgatório (o qual não é nem mencionado, nem aqui e nem em parte nenhuma da Bíblia), ele diz apenas que quer que ele alcance a misericórdia de Deus NAQUELE DIA. A expressão “naquele dia”, em toda a Bíblia, se refere ao dia do juízo final, na volta de Jesus. É só nesse dia que Onesíforo seria julgado para Deus exercer misericórdia sobre ele, não em algum suposto estado intermediário pós-morte (antes da ressurreição para o juízo). Ou seja, o texto não apenas não fala nada de oração pelos mortos, como ainda REFUTA a própria existência de um estado intermediário, se no caso Onesíforo estava mesmo morto.

      Se Paulo estivesse falando de um purgatório, seria muito mais simples e lógico que ele simplesmente rezasse para que a alma dele fosse liberta o quanto antes desse lugar e fosse logo pro céu, que é como os católicos rezam pela alma dos falecidos. Nada que se pareça minimamente com o teor das palavras de Paulo aqui ou em qualquer outra parte da Bíblia. O argumento só mostra a que ponto eles são capazes de apelar para dar sustento a doutrinas que eles SABEM que não tem amparo bíblico algum.

      Excluir
  58. Lucas neste vídeo do dois dedos de teologia o yago diz que, pra ele, a maior parte daquela emoção em igrejas pentecostais é apenas hipnose, apenas uma emoção que passa de pessoa pra pessoa pois ta todo mundo agindo assim (um começa a falar em "linguás" ai outro decide falar também, e assim vai), e que pra ele não é assim que Deus age de forma sobrenatural (ele não nega os milagres em igrejas pentecostais, mas apenas diz que muito ali é exagerado): https://www.youtube.com/watch?v=xXsQ0Bl1oxg

    -O que você também pensa sobre estas criticas a igrejas pentecostais e neopentecostais? Você acha que tem muito exagero mesmo ou que Deus realmente esta agindo ali (claro que existem umas certas igrejas bizarras, como uma que falava pro povo lá comer grama, acho que era uma igreja do Eua, não me lembro, mas não to me referindo a estas e sim a grande maioria, ou seja, as normais). Como responder a estas pessoas (reformados e católicos são os que mais criticam) sobre esta questão dos milagres e da presença do Espirito?

    -O que você pensa sobre a universal e mundial, que é tido como referencia sobre igrejas neopentecostais (não sobre o Macedo e o valdemiro, porque estes nem quero saber mesmo, mas sobre o ensino destas igrejas e como elas agem).

    -O Julio severo disse em um determinado artigo que teologia da prosperidade é melhor que a da missão integral, pois uma encima a buscar a prosperidade vinda de Deus, enquanto a outra ensina você a buscar o Estado para ser próspero, você concorda com essa visão?

    -Na igreja que eu frequento, eu lembro uma vez que usaram colocaram óleo (ou unção) para sarar um machucado (tava feio a ferida) na perna de um dos presbíteros, pouco depois ele estava melhor, todos deram graças a Deus, mas não sei o que pensar da questão do óleo, claro que não duvido que Deus possa ter curado, mas não sei se o tal óleo é necessário. Mas Tiago 5:14-15 diz sobre isso, para ungir com óleo, logo o óleo é necessário? Ou necessário é a fé que Deus pode curar tudo, inclusive através deste óleo especial?

    -O batismo que foi realizado em bebês é valido? Vi uma pagina de luteranos no facebook, e a maior critica da pagina é direcionada aos batistas, é que para eles (para os luteranos), o batismo infantil é o ideal, e que os batistas não acreditam no poder do batismo. Católicos também dizem isso, que para a pessoa que é contra o batismo infantil, é porque o batismo não tem nada de especial e é apenas uma cerimonia, e não uma ação real do poder de Deus. Eu sou contra o batismo infantil pela mesma razão do artigo acima, que eles não tem pecado nem consciência disso, mas se um cristão foi batizado como bebe em uma igreja luterada por exemplo e viveu a vida toda assim, ele sera salvo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Po amigo, desculpa mais vou aumentar tua lista de exemplos pra darem uma luz, gosto daqui das perguntas pq as diferentes opinioes me edificam:

      -Aqui perto de casa tem uma igreja batista na qual o pastor tem o habito de pregar e apagar umas luzes, fica tipo uma penumbra e ele comeca a fazer o apelo para a pessoa se entregar a Jesus e se arrepender de pecados, ai comeca uma musica dramatica tipo a trilha sonora do filme A Lista de Schindler, sei la eu sei que eh pra Jesus mas tipo, isso mais me parece pratica de sugestao mental / lavagem cerebral que eu li num livro chamado A possessao da mente / A luta pela mente . Eu comentei com uns amigos que estudam teologia e parte discorda, e parte concorda. Eu levantei o questionamento falando que se isso fosse feito num terreiro de macumba ou num centro espirita, nos crentes iamos criticar, mas como eh igreja, a galera abaixa a cabeca, ficaram pistola comigo...

      -Outra coisa tb que comentei foi quando eu taba depressivo por causa de mulher e tals, eu comecei a ler muito a Biblia e a orar, meus pais tavam pagando 100 reais cada sessao de terapia. Eu resolvi jejuar e aqui em casa foi como um escandalo, uma bomba atomica... tipo podia gastar 100 reais numa terapia, isso era normal, agora jejuar... jejuar nao, isso nao, JAMAIS!!!




      Excluir
    2. Respondendo de acordo com a ordem dos tópicos:

      1) Eu acho uma baita prepotência e uma falta de respeito total ficar julgando as experiências que os outros tiveram com Deus, quem são eles pra dizer se foi de Deus ou não? Eu tenho certeza que os reformados não gostariam que alguém dissesse que as experiências deles com Deus são falsas, que são puro emocionalismo do momento e etc, e a bem da verdade cientificamente falando nós não podemos provar que a experiência veio de Deus em nenhum dos dois casos (nem do pentecostal, nem do reformado). Da mesma forma que a gente não pode provar que ama alguém (provar no sentido matemático ou científico do termo, como uma ciência exata ou algo que se possa provar em laboratório), nós não podemos "provar" que uma experiência veio de Deus, mas nós sentimos e sabemos disso, da mesma forma que sentimos e sabemos que amamos alguém.

      Eu poderia acrescentar ainda casos de pessoas que eu conheço que eram extremamente tradicionais e tiveram uma experiência com Deus ao estilo pentecostal, como por exemplo um velho amigo dos meus pais que não acreditava no dom de línguas e até discutia sobre isso com a minha mãe, achava uma coisa uma coisa ridícula e debochava disso, até que um dia ele mesmo passou a falar em línguas enquanto tomava banho (em um ambiente sem nada de emocionalismo, justamente para que ele não pensasse que foi fruto de suas emoções). Na minha opinião, grande parte desses ataques ao pentecostalismo vem de gente que gostaria de ter as mesmas experiências com Deus mas não tem, então por inveja fala mal de quem tem, por se achar melhor do que a "ralé" pentecostal (se os pentecostais tem e eles não tem, então deve ser porque os pentecostais estão inventando que tem, já que eles são “melhores” e mesmo assim não tem). Ou seja, ao invés de ficar feliz por quem tem, eles ficam é com raiva e inveja, porque muitos deles se acham os bam-bam-bam da teologia e se eles não têm isso então ninguém mais pode ter.

      2) Não dá pra desvincular o Macedo da Universal e o Valdemiro da Mundial, porque o que essas igrejas pensam e praticam é exatamente aquilo que seus líderes são. Se você entrar numa igreja universal ou mundial que não seja a sede (que tenha um pastor comum pregando) vai ver que eles se utilizam dos mesmos métodos, porque são ensinados assim. Então eu acho essas igrejas tão ruins quanto os seus líderes.

      3) As duas estão erradas, não é porque a TMI é um erro que a teologia da prosperidade é um acerto, e pra falar a verdade o estrago que a TP já causou até agora na Igreja é infinitamente maior que o estrago causado pela TMI, não tem nem comparação. Dá tristeza e pesar no coração ver tanta gente simples ser iludida por promessas de riquezas que elas nunca vão alcançar, e colocando a fé no que há de mais materialista no mundo. Isso é exatamente o oposto da mensagem do evangelho. Isso sem falar das ofertas especiais e "sacrifícios" que eles são constrangidos a fazer para conseguir a "bênção", que no final só servem pra encher o bolso do pastor. Não é à toa que todos os pastores dessas igrejas são incrivelmente ricos e bem de vida, enquanto quase todos os fiéis dessas igrejas são pessoas extremamente simples, que mal tem o que comer. É mais do que uma heresia, é algo revoltante e de embrulhar o estômago, em determinados casos a Justiça devia intervir pra coibir isso (como fez recentemente com a semente de mil reais que o Valdemiro disse que curaria o coronavírus).

      Excluir
    3. 4) Sobre essa questão da unção com óleo, ela era feita mais na época do AT (na época da lei), que era uma "sombra dos bens vindouros" (ou seja, apontava tipologicamente para as realidades da nova aliança em que vivemos). Por exemplo, o sacrifício de cordeiros apontava ao sacrifício do Cordeiro de Deus (Jesus) na cruz, a circuncisão apontava para o batismo, o descanso do sábado apontava para o descanso celestial da vida eterna, as cidades de refúgio apontavam para a igreja, e assim por diante. No caso da unção com óleo, era um símbolo do agir do Espírito Santo em nossas vidas, por isso João diz que nós já temos essa unção que permanece em nós:

      "Quanto a vocês, a unção que receberam dele permanece em vocês, e não precisam que alguém os ensine; mas, como a unção dele recebida, que é verdadeira e não falsa, os ensina acerca de todas as coisas, permaneçam nele como ele os ensinou" (1 João 2:27)

      Uma vez que nós já temos essa unção dentro de nós através do Espírito Santo, não há mais a necessidade de ungir pessoas ou objetos, que era apenas um símbolo que apontava para essa realidade maior. Tem um artigo do Voltemos ao Evangelho que explica bem isso:

      https://voltemosaoevangelho.com/blog/2011/05/devemos-ungir-com-oleo/

      O único caso do NT que poderia ser usado neste sentido seria o da unção de enfermos, pois não dá pra ter certeza se a unção que Tiago se refere diz respeito apenas a algo medicinal, ou também a algo espiritual (como o Nicodemus argumenta no vídeo abaixo, que eu também recomendo):

      https://www.youtube.com/watch?v=GEnexPGPGG8

      De todo modo, mesmo no caso em que Tiago se refere em sua carta, ele diz que a "oração com fé curará o enfermo", e não a unção com óleo em si. Ou seja, seja por razões medicinais ou como um símbolo espiritual, a unção pode ser usada sobre os enfermos, mas tem que estar claro ao enfermo e também a quem unge que o que levará à cura não é a unção em si, mas a oração com fé.

      5) O batismo não salva, a salvação é só pela fé, não existe nenhum sacramento que por si só tenha a capacidade de salvar o homem (como se alguém pudesse viver como um ímpio a vida toda mas ser salvo só porque foi batizado na infância ou porque recebe a eucaristia e etc), por isso ninguém será condenado por ter se batizado na infância. O batismo é um sinal externo do arrependimento, por isso João Batista pregava o “batismo de arrependimento” (Lc 3:3; Mc 1:4), é uma forma da pessoa mostrar publicamente que se arrepende dos seus pecados e que pretende se inserir na comunidade da fé, logicamente o ideal é que isso aconteça quando a pessoa tiver consciência dos seus pecados para que possa se arrepender deles (e não quando bebê), mas isso não significa que o batismo de um bebê vai comprometer a salvação dele (se ele crescer e publicamente levar uma vida piedosa, cumprindo na prática aquilo que o batismo representa).

      Excluir
  59. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Judas cita uma profecia messiânica de Enoque (Jd 14-15), e nem por isso o livro de Enoque é canônico. Nem tudo o que está fora da Bíblia é falso, Deus pode falar através de outros meios, Ele falou através do Seu filho quando se encarnou na terra e fala até hoje através de profetas. Muitos profetas do AT nunca deixaram nada escrito (por exemplo, Natã, que repreendeu Davi por seu pecado com Bate-Seba), mas suas profecias não eram menos verdadeiras por causa disso. Então nada impede que esse trecho em questão provenha de uma profecia verdadeira, ainda que o livro como um todo não seja totalmente verdadeiro (e por isso mesmo não seja canônico, assim como o de Enoque), bem como você disse.

      Excluir
  60. https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2020/06/criticizing-roman-catholic-ecumenical.html

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2019/06/on-pope-john-paul-ii-kissing-islamic.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. It is ironic that the same Church that for so long was the most exclusivist of all, that defended the impossibility of salvation outside the Roman Catholic Church and that said that it was absolutely necessary for salvation the subjection to the Roman pontiff, now preaches an ecumenical discourse diametrically opposite to that.

      Excluir
  61. O Gengivudo arrumou emprego na Fórum (uma revista de esquerda):

    https://www.google.com/amp/s/revistaforum.com.br/politica/criminalistas-querem-impedir-inscricao-de-moro-na-oab-por-ilicitos-na-lava-jato/amp/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem certeza que você mandou o link da matéria certa? Ela não é do Allan...

      Excluir
  62. Lucas, qual a sua opinião sobre encontros/orações/jejuns de pastores com Bolsonaro gerando (no meu entender) uma ideia de "apoio do clero evangélico"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se eles estão indo a esses encontros falando por si mesmos apenas (e não em nome de toda a comunidade) eu não vejo nenhum problema; cada um em sua individualidade vota em quem quer, apoia quem quer, faz o que quiser. O erro seria fazer isso na condição de representante de toda uma comunidade evangélica, já que muitos reprovam o atual governo por diferentes razões. Pastor que faz campanha política no púlpito pra mim nem pastor é.

      Excluir
  63. 1 Com a sola scriptura não da pra saber qual livro é inspirado.
    R Sola scriptura não serve para definir o canon, porque a sua definição e de q toda regra de fé e salvação tem q estar na bíblia, então logico q não serve como base primaria para definir um canon, mas nem por isso devemos rejeitala.
    Oq a ireja faz é reconhecer q algo foi inspirado, e n de dar inspiração a tal documento, e tbm se usa vários outros critérios para se reconhecer se é ou n é inspirado, como por exemplo se é coerente com o antigo testamento e outros documentos reconhecidos, se foi escrito por um apostolo ou por alguem próximo do mesmo, etc...
    2 N é bíblico
    R E dai se n está na bíblia, a palavra trindade e o credo de Atanásio n estão na bíblia e nem por isso deixamos de crer, ambos são doutrinas fundamentais da fé, mas n estão de modo explícito na biblia, mas se tem base para tal então cremos. A definição É de q toda regra de fé e salvação tem q estar na bíblia, logo, como n é necessário crer na sola scriptura ela n precisa estar na bíblia.
    3 A biblia fala para seguirmos a tradição
    Sobre aos versiclo 1Co 11:2 e 2Ts 2:15 n se pode negar que ali se fala da tradição, mas quando vcs usam a escritura para validar a tradição oral de roma, vcs usam sola scriptura pois a tradição d roma tbm interfere na salvação (purgatório, maria cooredentora, indulgencias etc..). Os protestante n negao nenhuma tradição oral, por exemplo, os luterano fazem o sinal da Cruz, mas isso fica a critério de cada denominação, a questão esta em Mt 15:6 “esse não esta obrigado a honrar pai ou mãe. E assim invalidaste a Palavra de Deus por causa da vossa tradição”, se a tradição n invalida a escritura então tudo bem, mas devemos usa la para ver oq é valido para Deus e o q n é.
    Porem vamos esquecer td oq eu falei certo? Se ali da suporte para tradições orais como sei q ali n fala q são as tradições ortodoxas q estão corretas? Com q base posso dizer q tradição de roma é verdadeira e n a ortodoxa?
    4 Sola causa divisão
    É pq as pessoas (católicas) n conhecem o culto da arena da baixada ou União das Igrejas Evangelicas Congregacionais do Brasil Uiecb. Nos somos unidos nas 5 solas.
    Mas logos vcs q excomungaram os ortodoxos se dizem unidos e indivisíveis? Q são dividos em tradicionalistas, sedevacantistas e ccarismaticos?
    Ate os evangelhos n Concordam entre em oisas secundaria, como por exemplo um fala q Jesus curou um cego quando saia da cidade, o outro quando entrava e etc, mas eles concordam no essencial, e nos evangelicos tbm.
    Sobre o argumento d q ateus e agnósticos n c convertem por causa da “divisão” protestante, tanto mais por causa da inquisição, o silencio do vaticano com relação a Mussolini, a opressão durante a idade média e a promoção do obscurantismo de roma, das cruzadas, das indulgencias. Entao c nos impedimos a converção das pessoa por causa da “divisão”, vcs n falem nd por causa do q já foi citado.
    http://www.montfort.org.br/bra/cartas/rcc/20040906194644/

    5 n existe só uma forma de seguir a bíblia
    É o mesmo argumento de antes basicamente, pois fala q isso causa divisão e etc. Vc cita 2Pe1:20, mas n refuta a sola, ali so fala q nenhuma das profecias da escritura aconteceram por causa de uma interpretação particular, e n q nenhuma doutrina surgiu por interpretação particular, oq são coisas distintas.
    Vc citou os ortodoxos e deu um tiro no pe, pois qual é interpretação correta? A de roma ou de Constantinopla? Edai q vcs tem o papa, os ortodoxos fala q sucedem os 12 apostolos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci d mandar o video q tem os argumento, dpeois d velo, poseria analisar minha argumentação?
      https://m.youtube.com/watch?v=Paqx42xzGwY

      Excluir
  64. 6 com a sola vc chega a leituras opostas da mesma passagem

    Meu Deus, vcs n conhecem o principio protestates d q a biblia interpreta biblia? Quando temos passagens conflitantes como essa devemos usar esse principio, ali em Ex 21:21-25 se usarmos a sola isso torna a biblia conflitante pois da base para defender a aborto é so vc olhar o contexto q fala do aborto ali como causa indireta d uma briga a qual a intenção n era causar o aborto, e c vc olhar em outras passagens como Jr1:5; Sl 71:6; Jó31:15. Sem contar q em êxodo há uma punição na quele contexto para o aborto causada de forma indireta e n intencional.
    Sobre Jo 6 é so usar o principio protestante q vc va v ali no versículo 63 o seguinte “... as palavras q vos disse são espirito e vida”, vcs com a sua tradição causam conflito com o texto, pois n faz sentido uma hora fala q é carne d vdd e na outra fala q as palavras eram espirito.
    Sem contar q vc tem q provar q judeus (pescadores) criam na logica aristotélica e q aplicavam ao q jesus dizia.
    Aplicamos o mesmo principio a 1Co7:5, é so vc ver 1 Tm 2:15 a q vc entende q Paulo n estava incentivando o controle de natalidade, e tbm pelo contexto fica claro q n por mt tempo deveriam ficar separados para q voltassem a ter relações sexuais (oq naquela época era quase sinônimo de filho visto q n tinha métodos contra ceptivos).

    7Com a sola o cristianismo se torna algo relativo

    Mesmo argumento da divisão, “como eu sei qual igreja é a verdadeira c existem 33000 dela?”, e a tradição apostólica n causa a mesma coisa entre vcs e os ortodoxoS?
    Blz como é q fica 1Tm 3:2-4? D o celibato obrigatório? Nos q relativisamos?
    Super unidos: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-37998143

    8As escrituras requerem interpretação
    Pois é, mas de quem, dos ortodoxos ou de Roma? Vou citar Agostinho aqui pra fica claro “ A interpretações diferem; a inteligência das obscuridades apoia-se no testemunho das passagens claras, que não admitem duvida alguma. E quer, na diversidade de opiniões, se descubra o verdadeiro sentido do autor inspirado, quer permaneça escondido, sempre se retira alguma verdade desses profundos abismos. Ora, segundo penso...” (Agostinho de Hipona; Cidade de Deus, Cap XIX; Parte II, Ed: Vozes de Bolso) Cortei bem na parte do eu penso pra mostra q, mesmo agostinho dava opnioes, o resto, bem, fala por si só.

    9N tem base histórica
    Os protestantes n estudam história da igreja? Pergunte pra qualquer católico se ele sabe oq foi o concilio d nicea?
    “N tinha biblia, então n tinha sola”, ata, então eles n tinha o antigo testamento (AT)? É nele então q c aplicava a sola, so pq o novo testamento n estava pronto, n quer dizer q n pudessem usar o AT. É so vc v os bereanos aplicando a sola em At 17:11 do modo q eu falei.
    “ Eu argumentaria q todo catolicismo pode ser rastreado ate um versículo bíblico”, A definição É de q toda regra de fé e salvação tem q estar na bíblia, vc acabou d usar a sola. Tiro no pé.

    10Basicamente Jesus falo q havia um papa
    Pq vc usam a sola scriptura ao citar Mt 16? Parece q afimar q a trduição é apostólica n basta pra convencer né, e tem q te base na biblia? No grego o nome de Pedro é petrus e para a pedra petra. Oq contexto inteiro é a confissão de fé de Pedro e n ele em si.
    Sobre Mt 23:1-3 quer dizer q devemos procurar os fariseus como magistério e n a igreja e o papa.
    É so vc olhar 1Co3:11 pra v qual é o fundamento.
    Conversem com os ortodoxos sobre o papado
    https://www.ecclesia.org.br/biblioteca/dialogo_ecumenico/entrevista_metropolita_hilaryon_alfeyev_uma_visao_ortodoxa_russa_do_papado.html
    http://ww1.antiochian.org/node/17076

    Como podemos saber oq aconteceu no passado? Atraves de fontes certo? Mas quais fontes são mais confiáveis, a oral ou escrita? C eu falar q DPedro segundo era gay om base em uma tradição oral e vc me apresentar documentos d q ele teve filhos e esposa, parabéns vc vai ter entendido oq é sola scriptura na pratica. Quando vamos analisar um perido histórico sempre c levanta as fontes escritas como mais confiáveis, e pq n podemos fazer o mesmo para chegar a doutrina do apóstolos?


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Ele estava se referindo a esse vídeo:

      https://m.youtube.com/watch?v=Paqx42xzGwY

      É basicamente um compilado de argumentos-clichê contra a Sola Scriptura, do tipo que já foi exaustivamente refutado no meu livro sobre o tema e em um monte de artigos. Gostei da refutação do Vitor, eu só acrescentaria que a Sola Scriptura em si mesma não é propriamente uma doutrina, é um princípio pelo qual nós chegamos à doutrina. A Sola Scriptura é como um baú e as doutrinas são como as coisas que colocamos no baú. Perguntar então "onde está a Sola Scriptura na Bíblia" é como perguntar "onde está o baú no baú", o que não faz o menor sentido. A Sola Scriptura não é "mais uma" doutrina além das doutrinas bíblicas, ela é o próprio conceito de que devemos encontrar as doutrinas na Bíblia, portanto se ela pudesse ser provada biblicamente seria nada a mais que um argumento circular (do mesmo tipo que os católicos fazem com a tradição romanista). Nós sabemos que as doutrinas estão na Bíblia porque naquela época só se preservava um conteúdo a longo prazo por escrito, e as Escrituras é tudo o que nós temos do que foi escrito pelas testemunhas oculares que vivenciaram tudo o que aconteceu. Ou seja, a Sola Scriptura é um princípio epistemológico provado pela lógica e a pela razão, e é esse princípio lógico e racional que nos leva à conclusão de que as doutrinas estão na Bíblia. Mesmo se houvesse um versículo bíblico com uma lista de livros inspirados, ainda haveria quem perguntasse "e como você sabe que que quem escreveu essa lista era inspirado?", o que nos levaria a um loop infinito. Por isso a argumentação católica é uma falácia, pois se trata de um tipo de "argumento" não-falseável.

      Excluir
  65. Viu que o astrolavo mandou o Bolsonaro enfiar a condecoração no c... e pediu ajuda para sobreviver nos EUA,disse que não tinha como sobreviver nos EUA sem um tostão e conseguiu ajuda,o Veio da Havan irá ajudá-lo https://www.metropoles.com/brasil/politica-brasil/hang-sugere-vaquinha-a-empresarios-para-olavo-manter-luta-pelo-brasil ,muito provavelmente deve ter dinheiro público aí tbm,pq o Bolsonaro não manda o astrolavo tomar no c... tbm?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele perdeu um processo movido pelo Caetano Veloso e foi condenado a pagar 2 milhões de indenização para não ser preso, e como o velho vive de doação até hoje, obviamente não tem esse dinheiro, então precisa mendigar desse jeito patético, fazendo birra e ameaçando causar uma crise no governo se não fizerem o que ele pede. É o cúmulo do ridículo, desceu ao mais baixo nível. Nunca pensei que eu sentiria pena de um cidadão desses, mas é onde ele conseguiu chegar.

      Excluir
  66. https://www.youtube.com/watch?v=zGn76OcGrQE Comente

    ResponderExcluir
  67. Um usuário "Unknown" postou aqui o link de um site católico pra "avaliar", mas para além do fato de que eu prefiro que se identifique com uma conta (eu já tinha proibido comentários anônimos no passado, e embora abra exceções hoje não é o tipo de coisa que eu gostaria que acontecesse) aqui não é permitida a divulgação de sites católicos, no dia em que eles permitirem que nossos sites sejam divulgados nos deles aí eu permito que se divulgue os deles aqui. Do que eu li, é só mais ladainha do mesmo tipo de coisa que já foi exaustivamente refutada nas centenas de artigos sobre catolicismo disponíveis neste índice:

    http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-catolicismo.html

    Se tiver algum argumento que ainda não tenha sido refutado nos artigos do índice, é só trazer aqui os argumentos em questão (os argumentos, não o link do site, e algo resumido, não uma cópia gigante de um artigo inteiro) que eu respondo sem problemas.

    ResponderExcluir
  68. Lucas, porque Deus tirou as pernas das serpente? Tipo eu sei que foi uma punição e tal mais como isso teria acontecido? A cobra foi possuida, e se manifestou em forma de serpente ou a cobra que deichou? Se eu não me engano na biblia fala que a cobra e sagaz então isso significa que a cobra é racional? Ou mesmo ela sendo um animal ela tinha de alguma forma permitido?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostaria de ter a resposta, mas infelizmente não faço a menor ideia. Já ouvi uma teoria de que quando o texto bíblico diz no singular que "a serpente era o mais astuto de todos os animais selvagens que o Senhor Deus tinha feito" (Gn 3:1), ele não estava falando de todas as serpentes, mas daquela em específico, que seria mais astuta (inteligente) que todos os outros animais. Hoje nós sabemos que há animais inteligentes a ponto de ter a capacidade mental de uma criança de cinco anos ou até mais, mas essa cobra era mais inteligente ainda, já que era a mais astuta de toda a criação (excetuando o homem, é claro). Pode ser o caso de que essa maldição também se refira especificamente àquela serpente, não a todas as serpentes do mundo (as outras já foram criadas rastejando). Se este for o caso, a serpente foi usada por Satanás, mas não no sentido de uma possessão demoníaca propriamente dita, mas no mesmo sentido em que Pedro foi usado pelo diabo em Mateus 16:23 (sem perder o uso da razão). Mas mesmo que isso faça sentido é apenas uma teoria, não dá pra bater o martelo porque a Bíblia não nos oferece muitas informações sobre o que aconteceu.

      Excluir
  69. https://www.patheos.com/blogs/davearmstrong/2020/06/bishops-nt-early-church-baptists-vs-james-white.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. I wrote about it here:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/02/voce-sabia-que-pastor-presbitero-e.html

      Excluir
  70. O artigo chegou aos 200 comments e por isso a caixa de comentários daqui será fechada. Quem quiser postar um novo comentário ou responder a algum daqui, fique à vontade para fazer no artigo mais recente 👍

    ResponderExcluir