4 de novembro de 2019

171 Weber tinha razão: o desenvolvimento e prosperidade dos países protestantes



*Nota: O trecho abaixo é extraído do segundo volume do meu livro sobre a Reforma (ainda em construção) e aborda a veracidade da tese do sociólogo Max Weber (1864-1920), que relaciona o capitalismo à ética protestante, a principal responsável pela explosão de riqueza produzida nos séculos mais recentes. Cabe destacar que Weber em seu livro não precisou argumentar em defesa da proposição de que os países protestantes eram os mais desenvolvidos porque isso todos em sua época tratavam como um fato notório e clarividente que precisava apenas ser explicado, não "provado". Ou seja, coube a Weber apenas demonstrar como a ética protestante se relaciona com o "espírito do capitalismo", uma vez que os fatos falavam por si só. Mas como hoje em dia há revisionismo pra tudo e há quem questione até o formato da terra, há quem critique Weber alegando que o próprio pressuposto da sua tese é falso – ou seja, que os países protestantes não prosperaram mais do que os países católicos. É para refutar mais este revisionismo que este artigo se destina.

                                                      ***

Nos últimos dois capítulos nós abordamos um pouco da trajetória econômica dos países católicos e protestantes desde a Reforma, e constatamos que a Igreja Romana conseguiu manter para si o domínio dos estados mais importantes, com mais riqueza e notoriedade na Europa, ao passo em que a Reforma teve êxito nos estados mais pobres do continente, alguns dos quais Roma fez pouco ou nenhum esforço em manter para si. No entanto, com o passar dos séculos, o que notamos é uma inversão completa neste panorama: os que se mantiveram católicos se estagnaram economicamente (quando não decaíram), e os que aderiram à Reforma passaram, dentro de pouco tempo, a serem os mais prósperos e poderosos do continente (e do mundo).

O mesmo se observa em suas colônias: embora os ibéricos tenham colonizado um século antes o território que hoje chamamos de América Latina, não demorou muito para que os países de maioria protestante (Estados Unidos e Canadá) se destacassem largamente sobre os demais e assumissem a supremacia continental, mesmo com uma terra menos produtiva, com menos riquezas naturais e com um clima mais hostil. O que explica esse cenário tão antagônico não é a mera coincidência ou acaso, mas a ética protestante quando comparada à ética católica tradicional – a qual, como vimos no capítulo 2, sempre foi avessa a todos os princípios mais elementares de uma economia capitalista. Os protestantes, ao contrário, seguiam uma ética do trabalho, pautada no sacerdócio universal dos crentes, que favorecia e impulsionava os negócios, o comércio e o empreendedorismo.

Mas nada melhor do que mostrarmos isso através dos gráficos econômicos mais aceitos universalmente, deixando os números falarem por si só.


Os índices de Angus Maddison


A principal fonte de referência acadêmica sobre o PIB per capita mundial ao longo dos séculos vem do Dr. Angus Maddison (1926-2010), o pioneiro no campo da construção de contas nacionais, onde as contas de um país são calculadas desde os tempos mais remotos. Maddison era um historiador econômico que chefiou o Departamento de Economia da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), uma das mais importantes organizações internacionais com foco em economia. Os dados que ele apresenta são frutos de décadas de pesquisas minuciosas e de estudo exaustivo, que fizeram dele um historiador multipremiado e amplamente reconhecido, sendo considerado o estudioso mais proeminente do mundo em sua área.

Os resultados são detalhados em sua obra The World Economy: A Millennial Perspective[1], que aborda não apenas o PIB per capita[2], mas outros aspectos extremamente importantes, como a expectativa de vida e a mortalidade infantil. Um deles coloca lado a lado os índices da Inglaterra e o do melhor país católico, a França:  

País e período
Expectativa de vida
Mortalidade infantil
(a cada mil nascimentos)
Egito (33-258)
24
329
Inglaterra (1301-1425)
24,3
218
Inglaterra (1541-1556)
33,7
(não informado)
Inglaterra (1620-1626)
37,7
171
Inglaterra (1726-1751)
34,6
195
Inglaterra (1801-1826)
40,8
144
França (1740-1749)
24,8
296
França (1820-1829)
38,8
181
As taxas informadas confirmam, em primeiro lugar, aquilo do qual já falamos no capítulo 1: na Idade Média, o nível de vida não era muito superior comparado à Antiguidade. Mais de mil anos se passaram entre o Egito dos séculos I à III e a Inglaterra dos séculos XIV e XV, mas a expectativa de vida de um e do outro era praticamente a mesma (apesar de uma melhora na mortalidade infantil). Note como isso começa a mudar a partir da Reforma: no período de 1620-1626 a expectativa de vida já estava em 37,7 (contra 24,8 da França) e, dois séculos depois, em 40,8 (contra 38,8 da França).

Vemos também que o salto no nível de vida que se viu na Inglaterra com a Reforma só acontece na França após a Revolução. Nos tempos do Antigo Regime, a França apresentava um índice de expectativa de vida semelhante ao da Inglaterra medieval, com uma mortalidade infantil ainda pior. Isso confirma o quadro paupérrimo e deplorável da França do Antigo Regime, como vimos no capítulo 4. Contudo, mesmo após os burgueses tomarem o poder, a França continuou atrás da Inglaterra protestante em ambos os quesitos. Na tabela abaixo podemos ver a expectativa de vida de mais países, a partir de onde a tabela anterior termina:

País
1820
1900
1950
1999
França
37
47
65
78
Alemanha
41
47
67
77
Itália
30
43
66
78
Holanda
32
52
72
78
Espanha
28
35
62
78
Suécia
39
56
70
79
Reino Unido
40
50
69
77
Estados Unidos
39
47
68
77
Rússia
28
32
65
67
Brasil
27
36
45
67
México
n.i.[3]
33
50
72
Perto do ano 2000, quando quase todos os países civilizados já haviam aderido ao capitalismo, os números de todos os países já eram similares. Mas dois séculos antes, em 1820, o Reino Unido liderava com 40 anos em média, seguido de perto pelos Estados Unidos, com 39, e pela Suécia, também com 39 (todos protestantes). Os piores números são do Brasil (quem diria), seguido da Espanha, também católica, ao lado da Rússia ortodoxa.

Maddison também apresenta os índices econômicos do Brasil em comparação aos Estados Unidos, o que refuta as pretensões revisionistas de grupos monarquistas que alegam que o Brasil Imperial era mais rico que os Estados Unidos da época. Os números do Brasil são os seguintes:

Ano
PIB (em milhões de $)[4]
PIB per capita
1500
400
400
1820
2.912
646
1890
11.267
794
1929
37.415
1.137
1950
n.i.
1.672
1980
639.093
5.199
1998
926.919
5.459
Observe que, contrariamente à fraudulenta narrativa monarquista, o PIB per capita brasileiro cresceu muito mais nas primeiras três décadas da república do que em todas as sete décadas da monarquia, e cresceu mais ainda no período seguinte, quando o Brasil se abriu um pouco mais à industrialização e ao mercado. Os monarquistas pegaram um país com um PIB per capita de 646 e o elevaram a 794; os republicanos pegaram esses 794 e o transformaram em 5.459 – ou seja, multiplicaram quase dez vezes a renda do brasileiro médio. Mesmo assim, o Brasil continuou longe dos Estados Unidos, que sempre teve números econômicos bem superiores, corroborando a descrição de Tocqueville que vimos no capítulo anterior:

Ano
PIB (em milhões de $)[5]
PIB per capita
1500
800
400
1820
12.548
1.257
1890
214.714
3.392
1929
843.335
6.899
1950
n.i.
9.561
1980
4.239.558
18.575
1998
7.394.598
27.331
Em 1500, a região que hoje compreende os Estados Unidos era quase inabitada, com exceção de alguns postos avançados espanhóis em alguns estados como a Flórida. Lembremos que originalmente o papa havia dividido toda a América em duas partes, entregando-a aos portugueses e espanhóis, através da bula Inter cætera (1493), confirmada um ano mais tarde pelo Tratado de Tordesilhas (1494), com pouca modificação. Os espanhóis ficaram responsáveis por todo o território da América do Norte e grande parte da América do Sul, enquanto os portugueses ganhavam uma terra menor na América do Sul e toda a África.

No entanto, os espanhóis não conseguiram dominar e povoar um território tão grande, abrindo uma lacuna que seria ocupada por outros povos, como os ingleses, que iniciaram sua colonização apenas em finais do século XVI e início do XVII. Isso explica por que o PIB per capita de ambos era igual em 1500, como notamos na comparação entre as duas tabelas. Note como isso mudou completamente após a colonização e dominação inglesa do território, e com a formação dos Estados Unidos em si.

Em 1820, no princípio do império brasileiro, os Estados Unidos já tinha um PIB per capita que dobrava o nosso, e ao final do império o PIB americano já era quase vinte vezes maior que o brasileiro, com uma diferença per capita superior a quatro vezes (o que significa que a renda média de um cidadão americano era mais de quatro vezes a do brasileiro médio). Isso significa que nas sete décadas de monarquia os Estados Unidos triplicaram a vantagem econômica que tinham sobre o Brasil. Desde então ela se manteve constante até o final do século XX, quando a renda média do americano era “apenas” cinco vezes maior que a de um brasileiro, não muito diferente do que já era em 1890.

Esses dados nos mostram com clareza que a pretensa “superioridade” econômica do Império do Brasil nunca passou de um grande mito que contraria diretamente não apenas a impressão de quem viveu na época, mas também os dados econômicos internacionais mais aceitos academicamente no mundo todo. Na tabela abaixo podemos comparar também o PIB per capita dos outros países ao longo dos séculos. Coloquei em azul os países predominantemente protestantes, em vermelho os predominantemente católicos, e mantive em preto os estados mistos:

País
1500
1700
1820
1913
1950
Grã-Bretanha
762
1.405
2.121
5.150
6.907
França
727
986
1.230
3.485
5.270
Itália
1.100
1.100
1.117
2.564
3.502
Holanda
754
2.110
1.821
4.049
5.996
Bélgica
875
1.144
1.319
4.220
5.426
Portugal
632
854
963
1.244
2.069
Espanha
698
900
1.063
2.255
2.397
Alemanha
676
894
1.058
3.648
3.881
Irlanda
526
715
880
2.736
3.446
Áustria
707
993
1.218
3.465
3.706
Escócia
596
1.096
1.505
n.i.
n.i.
Noruega
640
900
1.104
2.501
5.463
Dinamarca
738
1.039
1.274
3.912
6.946
Finlândia
453
638
781
2.111
4.253
Suécia
695
977
1.198
3.093
6.738
Suíça
742
1.044
1.280
4.266
9.064
México
425
568
759
1.732
2.365
América Latina
416
529
665
1.511
O que observamos aqui? Dos seis países com melhor PIB per capita em meados do século passado, cinco são predominantemente protestantes (Dinamarca, Grã-Bretanha, Suécia, Holanda e Noruega). A “exceção” é a Suíça, um Estado misto que, como vimos no capítulo anterior, só chegou a esse patamar graças ao extraordinário sucesso dos cantões protestantes, que estavam muito à frente dos cantões católicos e formavam um contraste incontestável com os mesmos. Considerando os Estados Unidos (já citado anteriormente), que lidera o PIB per capita desta época (com 9.561), chegamos à conclusão que dos sete países mais prósperos do mundo em 1950, todos eram protestantes, com a ressalva de que na Suíça também havia estados católicos (mas eram os estados protestantes que se sobressaíam).

Agora vejamos os piores classificados. O Brasil (já citado na outra tabela) é o último em disparado, com ínfimos 1.672 de PIB per capita em 1950. Em seguida aparecem outros seis países quase tão pobres quanto, todos eles católicos (Portugal, México, Espanha, Irlanda, Itália e Áustria). Já estou desconsiderando a América Latina por não ser um país, mas o fato da média ser uma das piores (com 2.554) já nos mostra que se tivéssemos a lista de cada um deles estariam todos dividindo as últimas posições (sim, o Brasil estava consideravelmente abaixo da média dos nossos vizinhos, que já eram muito pobres).

Dentre os estados mais ricos, todos são protestantes; dentre os mais pobres, todos são católicos. É preciso ser extraordinariamente ingênuo – para não dizer incrivelmente desonesto – para pensar que todos esses números são apenas mera coincidência, como se não houvesse nada na cultura protestante que estimulasse uma vantagem tão avassaladora como essa. A única coisa que poderia justificar isso seria se tivesse sido assim desde o começo – ou seja, se os países protestantes já fossem os mais ricos desde a época em que ainda eram católicos, e apenas mantiveram esse padrão linear desde então. Mas basta um olhar simples na tabela para notar como este argumento não se sustenta.

A Reforma Protestante é um evento de 1517, mas em 1500 os países europeus estavam todos mais ou menos no mesmo patamar de riqueza (ou melhor, de pobreza), que no geral varia entre 600 e 750. A grande exceção é a Itália, a única que poderia ser considerada “rica” para os padrões da época, que tinha 1.100 per capita, graças ao ativo comércio das cidades italianas como Florença e Veneza do qual já falamos no capítulo 2. Também vimos que isso acontecia não por causa da Igreja, mas apesar dela, razão pela qual esse comércio vai cada vez mais definhando, e a Itália vive uma estagnação econômica até o século XIX (quando finalmente o papado perde o poder sobre eles).

Vemos que dos oito melhores colocados em 1500, quatro estão entre os que permaneceram católicos (Itália, Bélgica, França e Áustria), três estão entre os que aderiram à Reforma (Grã-Bretanha, Holanda e Dinamarca) e um é misto (Suíça). Portanto, é simplesmente falso que os países protestantes já eram os mais ricos desde o início. Pelo contrário: dos quatro países mais pobres da Europa da época (Finlândia, Irlanda, Escócia e Suécia), três aderiram à Reforma, incluindo o mais pobre deles, a Finlândia (com apenas 453). E em relação às colônias, já vimos que Estados Unidos e Brasil começaram do mesmo patamar, e a superioridade de um sobre o outro foi se construindo com o tempo (o que também é verdade na comparação entre Canadá e Austrália, colonizados pelos britânicos, com todo o restante da América Latina, colonizada pelos espanhóis).

O caso australiano é ainda mais contundente, pois a Austrália foi colonizada já em finais do século XVIII e era usada como prisão para onde eram enviados os piores tipos de criminosos que a colônia queria ver bem longe dali[6]. Mesmo assim, a Austrália chega a 1950 com um PIB per capita de 7.493 (compare com os 1.672 do Brasil ou com os 2.554 da América Latina no geral!). Para se ter uma ideia, no início (em 1820) o PIB per capita australiano era de 517 – um índice quase tão miserável quanto o Brasil em 1500 –, mas apenas cinquenta anos depois já estava em 3.645, um índice mais de quatro vezes superior ao Brasil do mesmo período, ao final da monarquia. Em termos simples, a Austrália precisou de 50 anos para fazer o que o Brasil só conseguiu em 450.

Se isso fosse uma corrida de 100 metros rasos, a Austrália seria Usain Bolt e o Brasil seria o André Marques (de antes da cirurgia). Mesmo que este começasse a corrida 90 metros à frente, saberíamos bem quem ganharia no final. Diante deste quadro, qualquer um poderia facilmente concluir que é melhor ser uma colônia cheia de criminosos mas com a ética protestante e o espírito do capitalismo do que ser uma colônia católica qualquer, que já está fadada ao fracasso desde o princípio, independentemente do tipo de gente que a habita.

Está claro que a superioridade dos países influenciados pela Reforma não é uma “herança” da época em que eram católicos, pois nenhum deles era rico quando católico, e poucos se sobressaíam na comparação com os estados que permaneceram católicos. A maior parte dos países que aderiram à Reforma era pobre até mesmo para o padrão europeu, que já estava longe de ser grande coisa para o mundo da época. Como já vimos no capítulo 1, na Idade Média a Europa era apenas um apêndice que mal conseguia fazer sombra ao seu “primo rico”, o continente asiático. Foi o capitalismo estimulado pela Reforma que criou a verdadeira grandeza da Europa, deixando os asiáticos para trás, estranhos que eram a este novo sistema que chegou pra ficar.

No gráfico abaixo consideramos todos os países europeus citados na tabela de Maddison[7] e traçamos uma média, colocando lado a lado os países católicos e protestantes. Observe como que, apesar dos países católicos serem mais ricos em 1500, pouco antes da Reforma (quando os «países protestantes» ainda eram católicos), eles logo são ultrapassados, e essa diferença só tende a aumentar com o passar do tempo (principalmente após a Revolução Industrial):
        

Agora consideremos os países que já nasceram protestantes ou católicos, ou seja, que puderam implementar sua cultura, ética e estilo de vida desde o princípio. Estamos falando das colônias católicas e protestantes, onde essa discrepância é ainda mais impressionante. Consideramos aqui a média da América Latina citada por Maddison (à esquerda), ao lado das colônias protestantes que ele registra (Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia)[8]. Embora as colônias católicas e protestantes iniciem no mesmo patamar, não demora para as colônias protestantes dispararem na frente:
              

Se tirarmos a média dos dois gráficos, chegamos ao seguinte resultado:
                     

Os dados falam por si só e não demandam maiores explanações. Não se pode honestamente negar que a Reforma Protestante transformou a vida econômica dos países por ela influenciados, convertendo países pequenos e pobres nas maiores potências do mundo, além de torná-las um símbolo do triunfo do capitalismo, do liberalismo econômico e da Revolução Industrial. Obviamente, a vantagem sobre os países asiáticos ou africanos (com outras confissões religiosas) é ainda mais absoluta, o que dispensa o trabalho de detalhar um a um. Mas apenas a título de curiosidade, segue algumas comparações:





                           

Mesmo os países católicos só não ficaram tão ruins como os da África e Ásia porque eram vizinhos dos países protestantes, o que os forçava a comercializar com eles e a criar novos hábitos, compartilhando experiências que de outro modo dificilmente conceberiam e recebendo influências que seriam importantes para uma posterior adesão ao capitalismo. O sucesso do vizinho os fez olhar com outros olhos para aquilo que os fazia crescer, levando muitos dos países católicos a abandonar a doutrina social da Igreja para recorrer ao capitalismo industrial – ainda que numa escala mais modesta que os protestantes.

Alguns deles, como Bélgica e França, tiveram um significativo impulso econômico pela minoria protestante, responsável por levar nas costas os empreendimentos do país, algo que não ocorria com os asiáticos, alienados que estavam de tudo o que revolucionava a civilização ocidental – em especial, a Reforma Protestante e a Revolução Industrial. Essa superioridade dos países protestantes foi sendo construída aos poucos, século a século, até que a mentalidade capitalista fosse impregnada ao resto do mundo, fazendo cada qual se desenvolver a seu devido tempo. Isso também refuta as teorias de que a Europa só ficou rica porque “roubou as riquezas” das colônias do Novo Mundo.

Como já vimos, os dois países que “roubaram” mais riquezas – Espanha e Portugal – estavam entre os mais miseráveis de toda a Europa, durante este mesmo período de “saque”. Com certeza eles estariam ainda piores se não fosse por isso, mas dizer que a extração de riquezas foi o que tornou a Europa rica (quando não serviu para tornar ricos nem os próprios “ladrões”) é um exagero gigante. Ademais, países protestantes que jamais tiveram qualquer império colonial, nem sequer um mísero terreno baldio, como Dinamarca, Noruega e Suécia, encabeçam a lista de mais ricos do mundo.

A extração do ouro das colônias pouco contribuiu para a riqueza das metrópoles: foi o capitalismo que mudou de patamar os países que se alinharam ao liberalismo econômico (deixando para trás os que teimaram numa economia controlada pelo Estado). Tanto a Inglaterra como Portugal tinham colônias além-mar (sendo o império português por muito tempo maior que o britânico), mas basta um simples olhar nos gráficos para notar como a Grã-Bretanha se desenvolveu bem mais que Portugal, o qual permaneceu quase estagnado durante todo o tempo que seu império durou (o que implica que a prosperidade não está dependente ou diretamente atrelada ao colonialismo):


Agora comparemos um dos países mais pobres no século XVI – a Escócia, que aderiu à Reforma na mesma época que a Inglaterra –, com o estado mais rico da Idade Média, a Itália (que permaneceu católica):


Enquanto a poderosa Itália passa por três séculos de paralisação econômica quase total, a pequenina Escócia triplica o seu PIB per capita no mesmo período, tornando realidade algo inimaginável nos séculos anteriores: um simples escocês ter em média uma renda maior que um italiano da velha gloriosa Roma dos césares ou das outrora respeitáveis cidades mercantis.

Nos tempos de Lutero, ninguém daria nada na Escócia. A «pequena, pobre e devastada terra da Escócia»[9] era um país “pobre e atrasado, com condições sociais medievais, uma nobreza turbulenta e uma Igreja rica em terras, possuindo cerca de metade do país”[10]. Se a Igreja de Roma roubava-lhe as terras, a nobreza não ficava por menos. “Brutal e indisciplinada, a nobreza escocesa continuava inteiramente feudal” [11], comenta Maurois. Não havia país mais desprezado em toda a Europa. Como Grimberg escreve, “a Escócia não tinha dinheiro. O traço mais característico deste país era a sua pobreza”[12].

Em meio a este cenário desanimador, o protestantismo rapidamente atraiu a simpatia do povo escocês. O sucesso da Reforma na Escócia não se deu apenas pelas pregações de um John Knox, mas sobretudo pelo desgosto com toda a hierarquia secular e eclesiástica que lhes mantinha nessas condições. O povo não tinha mais perspectiva mantendo tudo como estava. Abraçar a Reforma foi consequência – consequência de alguém desesperado e que já não nutria mais esperança alguma. Como declara Maurois, “a nova religião reformada exercera imediata atração no povo escocês que, pobre e austero, nunca estimara o aparato feudal dos bispos católicos”[13].

Poucos séculos se passariam até que a Escócia tivesse uma das maiores economias do mundo, com um PIB per capita superior ao dos países católicos mais poderosos na Idade Média, como Itália, Portugal e Espanha. Aconteceu aquilo que ninguém jamais poderia esperar: aquele “país pobre, isolado e semibárbaro se torna uma força europeia”[14]. Este pequeno país, que em toda a Idade Média teve por principal característica sua extrema pobreza, se tornaria consideravelmente mais rico que os estados mais ricos na Idade Média.

Bastou a Reforma e a Contrarreforma para inverter tudo: de um lado, a ética protestante e o espírito do capitalismo, que desenvolveu a Escócia assustadoramente; do outro, um reacionarismo intransigente que reduziu a Itália a uma mera lembrança das glórias do passado, mergulhando-a num mar de obscurantismo, neutralizando o pouco de vida econômica que ainda era permitido na Europa católica.

Podemos ainda comparar uma nação que teve um grandioso império colonial, como a Espanha, com uma que estava na condição oposta, como colônia. Embora os Estados Unidos tenha sido fundado por puritanos dos mais simples possíveis, que colonizaram uma terra hostil e perigosa das menos propensas a riquezas, em poucos séculos eles conseguiram ultrapassar largamente o maior império colonial do mundo, que tirava riquezas das colônias como um mágico tira coelhos da cartola:


Um outro fenômeno que a Reforma causou foi a transição do campo para as cidades. Maddison nos dá o percentual de população que vivia nas cidades, que até o século XIX sempre foi menor do que o percentual de gente do campo, mas que nos países reformados crescia cada vez mais:

País
1500
1600
1700
1800
1890
Bélgica
21,1%
18,8%
23,9%
18,9%
34,5%
França
4,2%
5,9%
9,2%
8,8%
25,9%
Alemanha
3,2%
4,1%
4,8%
5,5%
28,2%
Itália
14,9%
16,8%
14,7%
18,3%
21,2%
Holanda
15,8%
24,3%
33,6%
28,8%
33,4%
Escandinávia
0,9%
1,4%
4%
4,6%
13,2%
Suíça
1,5%
2,5%
3,3%
3,7%
16%
Inglaterra e Gales
3,1%
5,8%
13,3%
20,3%
61,9%
Escócia
1,6%
3%
5,3%
17,3%
50,3%
Irlanda
0%
0%
3,4%
7%
17,6%
Portugal
3%
14,1%
11,5%
8,7%
12,7%
Espanha
6,1%
11,4%
9%
11,1%
26,8%
Com exceção países escandinavos, que permanecem essencialmente rurais, nota-se uma tendência dos países protestantes pelas cidades, enquanto a maioria dos países católicos continuam fundamentalmente rurais. Observe o caso da França, que durante todo o Antigo Regime tem uma população urbana inferior a 10%, só vindo a mudar de realidade após a Revolução. É nos países onde a mão de Roma pesa menos, como a Bélgica, que o processo de urbanização se acelera mais nos estados católicos. A própria Itália, embora termine o século XVIII com um índice relativamente elevado, de 18%, só consegue isso porque já era o lugar mais urbanizado da Europa desde os tempos dos césares.

Em contraste, a Inglaterra tinha nessa época apenas 3% de população urbana, que ao final do século XVIII já são 20%, e que fecha o século seguinte com mais de 60% (é a única que supera a população rural, junto com a Escócia, que começa o século XVI com apenas 1%). É lógico que a urbanização não é o único critério para definir o sucesso de um país. As cidades medievais costumavam ser tão poluídas e sujas que a expectativa de vida ali era ainda menor que no campo (para se ter uma ideia, as fezes eram deixadas nas ruas, e esperava-se que as chuvas as levassem por si), mas este quadro se inverte nos séculos seguintes à Reforma, quando passa a haver uma melhor higienização e a expectativa de vida nas cidades ultrapassa de longe a do campo.

A razão para isso não é difícil de adivinhar: uma vez que quem trabalha no campo depende exclusivamente de suas colheitas, basta uma peste, um clima desfavorável ou uma guerra devastadora para comprometer tudo, o que fazia com que milhões de pessoas literalmente morressem de fome, deixando a expectativa de vida em um degrau tão baixo. A vida de subsistência podia parecer mais simples, mas era muito mais arriscada e perigosa (além de descartar qualquer conforto adicional, que a tecnologia industrial nos oferece hoje).

Além disso, há uma razão óbvia pela qual as pessoas migram para as cidades: quanto mais a população cresce, mais começa a faltar campo para todo mundo plantar e colher o suficiente para o seu sustento e de sua família. Isso não era um problema na época em que a expectativa de vida era tão baixa que mesmo as pessoas tendo dez filhos ainda assim o contingente populacional se mantinha estável, mas após as melhorias proporcionadas pelo capitalismo – coisas como saneamento básico, energia elétrica, uma medicina avançada, mais ciência e tecnologia e uma produção industrial que eleva em muito o padrão de vida de toda a sociedade – a população mundial começou a crescer como nunca, tornando necessária a transição para as cidades.

E apesar de todas as histórias que ouvimos sobre o sofrimento e aflição do proletariado na primeira fase da Revolução Industrial, o fato é que a industrialização proporcionou com o tempo uma renda cada vez maior aos países que investiram nela. Em 1870, o Reino Unido e os Estados Unidos eram responsáveis por mais da metade da produção industrial do planeta (com os ingleses à frente, com 31,8%)[15]. A renda dos ingleses em 1870 era o dobro que a dos brasileiros em 1950 (quando a renda britânica já era mais de quatro vezes superior). Só no regime militar é que o Brasil chegaria ao patamar econômico da Inglaterra de 1870, com cem anos de atraso. Coincidência ou não, a indústria brasileira quase inexistia, enquanto a britânica era a maior do planeta.

Trinta anos depois (em 1900), a indústria americana já havia ultrapassado de longe a do Reino Unido e se tornava a maior do mundo, responsável por 35,5% da produção industrial mundial[16]. A mesma ultrapassagem notamos no gráfico de Maddison: se em 1870 o PIB per capita britânico era superior ao americano (3.487 contra 2.445), em 1913 a renda britânica aumentaria para 5.150, mas subiria muito mais nos Estados Unidos (5.301). Em outras palavras, quanto maior a indústria, maior o salário e o poder de compra.

Não é à toa que os piores salários do mundo eram pagos na América Latina, onde a indústria era insignificante. Todos os países latinos juntos não somavam sequer 0,1% da produção industrial mundial até 1900, e tinham menos de 1% da produção industrial dos Estados Unidos sozinho[17]. Não admira que o salário pago nos Estados Unidos em 1950 tivesse um poder de compra quase seis vezes maior do que no Brasil – o que explica a disparidade no nível de vida de um e do outro. A industrialização de um país tem tudo a ver com o grau de capitalismo que ele se sujeita, que tem tudo a ver com a prosperidade de seus cidadãos. Os países mais resistentes ao capitalismo foram também os que mais lentamente se industrializaram, como é o caso de toda a América Latina e da Espanha:

Passados mais trinta anos, em 1900, os Estados Unidos ultrapassavam de longe a Grã-Bretanha e fabricavam mais de um terço dos produtos do mundo. Em 1929 eram a maior potência industrial do mundo, produzindo 42,2% de todos os produtos, comparada com 11,6% na Alemanha e 9,4% na Grã-Bretanha. A Espanha ainda não aparecia nos rankings, mas pela primeira vez a América Latina produziu o suficiente para aparecer, embora apenas com cerca de 80% da produção do Canadá.[18]

Quando pensamos em Revolução Industrial, a primeira imagem que nossas mentes evocam é a de famílias inglesas miseráveis trabalhando o dia todo em condições sub-humanas para não ganhar quase nada, mas a verdade é que um trabalhador inglês ganhava mais por hora trabalhada do que qualquer outro trabalhador europeu, justamente porque foi o primeiro a se industrializar. Mais uma vez recorremos ao gráfico de Jack Goldstone, que nos mostra o salário real nas cidades da Europa entre os anos 1500-1913. Repare que Londres não apenas está à frente de todos os outros, como também é o que dá o salto mais elevado, justamente no período correspondente à Revolução Industrial:

(Fonte: GOLDSTONE, Jack. História global da ascensão do Ocidente – 1500-1850. Lisboa: Edições 70, 2010, p. 129)

Apesar de toda a propaganda marxista, o salário real pago na Inglaterra do século XIX era o maior da Europa – lembremos que o Brasil precisou de oitenta anos para chegar na metade do PIB per capita inglês de 1870, e ninguém diz que o trabalhador brasileiro em 1950 era um miserável vivendo em condições sub-humanas sem poder se sustentar. O fato é que dificuldades existiram, como não podia ser diferente, mas não há como negar que a Revolução Industrial representou uma evolução nos ganhos salariais e no poder de compra, quando comparamos com qualquer país que não seguiu o mesmo ritmo industrial.

Se achamos ruim a vida dos trabalhadores ingleses na Revolução Industrial, é porque não conhecemos a vida dos trabalhadores nos outros países, que, embora fosse muito pior, é convenientemente omitida dos livros escolares. Devemos lembrar que dificuldades já existiam – e existiam em escala bem maior – desde antes do capitalismo, com a diferença de que apenas o capitalismo foi capaz de realmente elevar o padrão de vida dos trabalhadores em comparação aos tempos remotos que hoje nos parecem tão distantes, mas que eram a realidade de todo o mundo até poucos séculos, e de alguns ainda hoje.

Até mesmo o trabalhador rural foi favorecido pela Revolução Industrial, pois através dela pôde contar com instrumentos mais modernos que cultivam a terra de forma muito mais rápida e eficaz do que os métodos antigos eram capazes. Graças às novas tecnologias proporcionadas pela Revolução Industrial, a produtividade agrícola aumentou incrivelmente, tornando possível alimentar uma quantidade muito maior de pessoas do que era possível antes. Hoje em dia, é produzido alimento suficiente para alimentar bem mais que as sete bilhões de pessoas que povoam o planeta, embora nem todos sejam alimentados devidamente, em virtude da cultura do desperdício[19].

• Compartilhe este artigo nas redes:

Por Cristo e por Seu Reino,


- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.



[1] Disponível online em: <https://theunbrokenwindow.com/Development/MADDISON%20The%20World%20Economy--A%20Millennial.pdf>. Acesso em: 29/08/2019.

[2] Enquanto o produto interno bruto (PIB) é a soma de toda a riqueza de um país, o PIB per capita diz respeito à riqueza média dos cidadãos, independentemente do tamanho da população. Por isso a China tem o segundo maior PIB do mundo, impulsionada por seus 1,3 bilhão de habitantes, embora seja apenas a 77ª em PIB per capita (ou seja, ela tem a maior economia do mundo porque é onde vive mais pessoas, embora grande parte dessas pessoas seja miserável). Em contrapartida, o Catar é o 2ª em PIB per capita (porque seus cidadãos são muito ricos), mas fica apenas em 49º no PIB absoluto (porque possui apenas 2 milhões de habitantes, que juntos não somam a riqueza total da China com seus mais de 1,3 bilhão). Em outras palavras, o PIB de um país muitas vezes mascara a pobreza do mesmo quando este país é muito povoado, não sendo, portanto, um bom parâmetro para medir a riqueza dos cidadãos. Por essa razão, é o PIB per capita que é usado como padrão neste livro.

[3] Número não informado na tabela de Maddison.

[4] Tomando como padrão o valor do dólar em 1990.

[5] ibid.

[6] HERMAN, Jacques. Guia de história universal. Lisboa: Edições 70, 1981, p. 164.

[7] Já excetuando os casos de Alemanha e Suíça, como explicado anteriormente. Se os considerássemos, a discrepância seria ainda maior (uma vez que ambos eram países pobres em 1500 e que após a influência protestante se tornaram ricos com o passar do tempo). Por outro lado, considera-se os países católicos cujos números só estão disponíveis na tabela de Maddison num momento posterior: a Hungria, com 2.098 em 1913 e 2.480 em 1950; a Polônia, com 2.447 em 1950, e a Tchecoslováquia, com 3.501 neste mesmo ano.

[8] Só temos dados do Canadá a partir de 1820 (1820 = 893; 1870 = 1.695; 1913 = 4.447; 1950 = 7.437). Como Austrália e Nova Zelândia foram colonizados muito tempo depois da América, são considerados os dados a partir de 1870. Para a Austrália: 1870 = 3 645; 1913 = 5.715; 1950 = 7.493. Para a Nova Zelândia: 1870 = 2.704; 1913 = 5.152; 1950 = 8.453.

[9] CURTIS, A. Kenneth. Os 100 acontecimentos mais importantes da história do Cristianismo: do incêndio de Roma ao crescimento da igreja na China. São Paulo: Editora Vida, 2003, p. 123.

[10] WALKER, Williston. História da Igreja Cristã. São Paulo: Associação de Seminários Teológicos Evangélicos, 1967. v. 2, p. 10.

[11] MAUROIS, André. História da Inglaterra. Rio de Janeiro: Pongetti, 1959, p. 225.

[12] GRIMBERG, Carl. História Universal: As lutas empreendidas nos séculos XVI-XVII. Estocolmo: Publicaciones Europa-America, 1940. v. 11, p. 69.

[13] MAUROIS, André. História da Inglaterra. Rio de Janeiro: Pongetti, 1959, p. 225.

[14] CLARK, Kenneth. Civilização. São Paulo: Martins Fontes, 1980, p. 278.

[15] STARK, Rodney. A Vitória da Razão: Como o Cristianismo gerou a liberdade, os direitos do homem, o capitalismo e o sucesso do Ocidente. Lisboa: Tribuna da História, 2007, p. 263.

[16] ibid.

[17] ibid.

[18] ibid.

[19] Confira em: <https://www.nexojornal.com.br/explicado/2016/09/02/Mundo-produz-comida-suficiente-mas-fome-ainda-%C3%A9-uma-realidade>. E também: <http://www.usp.br/portalbiossistemas/?p=5230>. Acesso em: 04/11/2019.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui todos são respondidos :) 

171 comentários:

  1. Boa tarde. Tá acontecendo um stress na África por causa da IURD: https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/2019/11/04/revolta-contra-igreja-universal-gera-morte-e-crise-diplomatica-na-africa.htm e já chegou a nível de Estado. Não ficou claro para mim se é na verdade um problema político ou religioso, no sentido de impedir a expansão evangélica lá, tem muita coisa por trás acho, nos bastidores, acho que tem coisa espiritual também e deve ter dedo da ICAR...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IURD envergonhando o evangelho e escandalizando os descrentes (e até os crentes) não é nenhuma surpresa. Conseguiram exportar a vergonha alheia para o resto do mundo com sucesso.

      Excluir
  2. Banzolão mas Weber falava do protestantismo histórico(luteranos,calvinistas,batistas,metodistas),vc acha que a vertente pentecostal e a neopentecostal possam incentivar o mesmo desenvolvimento econômico que vimos nos EUA e nos países protestantes europeus?Porque as últimas pesquisas apontam que o protestantismo vem decaindo nos EUA e na Europa Ocidental e crescendo nos países subdesenvolvidos da América Latina e África

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em comparação às outras religiões, tenho certeza que sim.

      Excluir
  3. https://www.youtube.com/watch?v=8iRxlZtoMjo&t=649s Banzolão o que achas dos muckers do Rio Grande do Sul?Achas que eles eram loucos e violentos como apontam algumas versões ou que foram perseguidos injustamente pelo Império?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aparentemente sim, mas é difícil definir isso porque as fontes daquela época não são muito confiáveis.

      Excluir
  4. Hey Lucas,

    Here are some excerpts from a book that you might want to get if it is available in your language:

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/search?q=Spiros+Zodhiates%2C+Was+Christ+God%3F

    ResponderExcluir
  5. Banzolao um fato que me chamou a atenção olhando um dos quadros, é que a Rússia saltou de uma expectativa de vida de 32(1900) para 65(1950) a mesma era inferior ao do Brasil no mesmo período,a do Brasil era de 36 e foi para 45 e a Rússia em 1950 era stalinista.Diante disso questiono

    1-Apesar do marxismo ser um sistema maligno,opressor,responsável por milhoes de mortos e Stalin especificamente ter sido o ditador mais radical e cruel da Rússia, matando os próprios membros do Partido Bolchevique como Trotsky,pode-se dizer que nesse sistema também existiam coisas positivas como esse aumento considerável da expectativa de vida?

    2-A Rússia atualmente segue sendo um país atrasado,muito mais pobre que os países europeus ocidentais,de tradição capitalista e protestante,mas se comparado com o Brasil ,ainda possui um melhor nível de vida,lá não há tantos homicídios,apesar da existência da máfia russa (que inclusive já investiu no Curintia,via MSI) eles não têm 60 mil homicídios por ano e não possuem tantas favelas,a taxa de alfabetização é alta e muitos historiadores ressaltam esses aspectos como herança do passado soviético,claro muitas vezes os mesmos são marxistas e querem fazer propaganda,mas de fato existe uma boa herança da Uniao Soviética?

    3-Se o Brasil tivesse passado por uma revolução comunista,claro que existiria totalitarismo, genocídio,diversas tragédias,sou totalmente liberal conservador e anticomunista,mas vc acredita que talvez estivéssemos similar a Rússia nos dias de hoje?Com problemas como corrupção,a pobreza existiria sim,mas com menos favelas,moradores de rua,tráfico de drogas, homicídios e com a taxa de alfabetização mais elevada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) O aumento da expectativa de vida da Rússia não se deve ao regime comunista, mas à transição do campo para a cidade por uma parcela significativa de russos (como eu explico no artigo, a vida no campo naquela época implicava numa chance muito maior de morrer precocemente por qualquer coisa como uma praga, guerra ou clima desfavorável que afetasse as colheitas). Como quase todos os russos viviam no campo na época do czarismo (era o país mais rural do mundo), a expectativa de vida em 1900 era extremamente baixa mesmo.

      2) Não acho que isso esteja atrelado à "herança soviética". A Rússia é um país europeu, por isso é natural que seja mais civilizado que os países latinos como o nosso. Mas em termos de PIB per capita, estão na mesma faixa que a gente.

      3) Como eu disse, isso não tem nada a ver com ser comunista ou não, mas sim com ser civilizado ou não. Querendo ou não, a Rússia já é civilizada desde muito antes do Brasil (desde muito antes da revolução também), é um país com uma história muito mais grandiosa que a nossa, é natural que lá as pessoas se comportem relativamente melhor quando comparado ao comportamento padrão daqui. Se tivéssemos aderido ao comunismo na mesma época que eles, seríamos hoje a mesma porcaria no aspecto social, com a diferença de que também seríamos hoje mais pobres em função do longo tempo perdido (a própria Rússia tinha de tudo pra ser uma grande potência econômica mundial igual aos EUA se não fosse pelo comunismo ter arruinado a economia deles a médio e longo prazo).

      Excluir
  6. Banzolão um detalhe que também me chamou a atenção é que muitos desses países capitalistas protestantes que se desenvolveram tiveram décadas de governos de esquerda e o desenvolvimento sequer foi ameaçado,continuam sendo países bem prósperos.
    https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_prime_ministers_of_Sweden

    A Suécia foi governada pelo Partido Social Democrata por 40 anos(1936-1976),parte da Alemanha foi socialista depois do fim da Segunda Guerra Mundial até 1989,44 anos,a Holanda teve bastantes governos do Partido Trabalhista e do Catholic People´s,apesar do país ser tradicionalmente protestante,votam no Partido Católico kkk ,mesma coisa que ser judeu e votar no Partido Nazista, https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_prime_ministers_of_the_Netherlands

    Você também acredita que a esquerda europeia ocidental é mais competente?Porque muitos falam que os serviços públicos desses países são excelentes ,ninguém morre na fila de hospital,os alunos da escola estatal não chegam ao Ensino Médio sendo analfabetos e não há toda essa corrupção que há nos países latino americanos,não tem mensalão,petrolão e os políticos não possuem todas essas regalias,são apenas funcionários públicos comuns,

    http://g1.globo.com/pop-arte/blog/maquina-de-escrever/post/sem-corrupcao-nem-mordomias-os-politicos-suecos-sao-eleitos-para-servir.html

    Os deputados suecos não têm assessores, dormem em quitinete e pagam pelo cafezinho

    https://www.bbc.com/portuguese/internacional-47198240

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alternância de poder entre esquerda e direita existe sempre em qualquer lugar em que haja democracia, isso é normal e natural, a diferença é o TIPO de esquerda e de direita que predomina em cada lugar. Por exemplo, a esquerda americana é uma social-democracia responsável, eles não costumam quebrar as finanças do país ou estatizar tudo quando chegam ao poder, então a economia americana consegue se sustentar bem, mesmo com rodízio de poder. O problema é que a esquerda dos países latinos não é uma esquerda moderada, mas uma esquerda radical que visa pura e simplesmente a revolução, é uma esquerda que ainda está presa no século XIX e que não evoluiu nada de Marx pra cá. Por isso quando essa esquerda assume o poder, eles destroem a economia dos seus países ou deixam uma herança maldita para o governo seguinte (que pode até ser de direita, mas vai governar com as mãos atadas). Do mesmo modo, a esquerda europeia também costuma ser mais "light" que a esquerda da América Latina, Ásia e África, por isso não se vê lá as mesmas mazelas daqui, embora vez ou outra haja uma crise. E é muito mais fácil dividir o bolo quando o bolo já cresceu (leia-se: depois que a política econômica liberal fez esses países se tornarem ricos) do que dividir o bolo enquanto ele ainda está crescendo, como é o nosso caso. Quando se divide o bolo sem que ele cresça tudo o que se consegue é dividir as migalhas, em vez de compartilhar riqueza.

      Excluir
  7. 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

    Artigo bonito, artigo formoso, artigo bem construído, artigo maravilhoso!

    👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

    ResponderExcluir
  8. Lucas, com relação à parte do PIB total comparando Brasil o com os EUA não estar disponível o ano de 1950 escrito n.i.; No ano de 1950, os Estados Unidos tinham uma população de 152,3 milhões de habitantes e um PIB per capita de 9.561, então no ano de 1950 o PIB total dos EUA era de 1.456.130 milhões de US$ (praticamente 1,4 trilhões), enquanto isso na mesma época o Brasil tinha uma população de 52 milhões de habitantes e um PIB per capita de 1.672 de US$, então o PIB brasileiro total no ano de 1950 era de 86.944 milhões de US$ (ou 87 bilhões de US$). Mas como você bem disse, o que realmente importa é o PIB per capita e não o total, contudo espero ter-lhe ajudado. Fique com Deus, e um grande abraço pra você irmão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, dá pra calcular facilmente o PIB total a partir do tamanho populacional e do PIB per capita, mas como o Maddison não passou os dados deste ano específico na tabela dele, eu preferi não colocar nada por conta própria para não estar adicionando coisas ao que ele disse e ser acusado de "adulterar" o estudo.

      Excluir
    2. Tudo bem, contudo se alguém quiser saber do PIB total dessa época pode ver sobre as estimativas que eu fiz. Espero ter-lhe ajudado, um grande abraço e Boa noite, Fica com Deus 👍🏻

      Excluir
  9. A caridade aumenta a miséria? https://www.youtube.com/watch?v=LWg6rDEOzg0 tipo acho que a forma que abordaram o assunto translada o ponto de vista da coisa da pessoa que faz a caridade para a que recebe, claro no sentido de desqualificar o ato. Se um grupo de usuários de crack prefere sopa à arroz com carne porque tem dois grupos oferecendo em uma mesma praça, o que posso fazer? Deixar de ajudar? Pra eu não pegar pesado, achei muito esquisito essa abordagem, por mais lógica que seja... o que vc acha desse tema?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentei sobre isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/08/quando-biblia-e-lida-com-as-lentes-do.html?showComment=1566078249788#c84822841478401618

      Excluir
  10. Esse artigo está incrível, contudo tenho algumas observações para fazer:

    Nos gráficos em que se compara o crescimento econômico dos EUA e Brasil, pode-se observar que entre os anos de 1820-1890, o PIB per capita norte-americano cresceu em média 2,4% a.a. (de 1820 a 1890 o PIB per capita americano cresceu no total 170%, o que divido nesse período de 70 anos dá uma média de 2,4% a.a.). Enquanto isso, nesse mesmo período o PIB per capita brasileiro teve uma média de crescimento de 0,3% a.a (de 1820 a 1890, o PIB per capita brasileiro cresceu no total 22%, que divido nesse período, dá uma média de 0,3% a.a.), ou seja, os EUA cresciam em média 8 vezes a mais que o Brasil na época da monarquia.

    No século seguinte (período que vai de 1890-1998), o PIB per capita norte-americano teve um crescimento médio de 6,5% a.a. (de 1890 a 1998, o PIB per capita americano teve um crescimento total de 706%, o que dá uma média de 6,5% a.a.), no começo desse mesmo período (1889), o Brasil deixa de ser uma monarquia e a passa a ser uma República, no começo da República o PIB per capita brasileiro era de US$ 794 em 1890 passou a ser US$ 5.460 em 1998, ou seja, nesse período o PIB per capita brasileiro cresceu em média 6,4% a.a. (só no período que vai de 1890-1929, o PIB per capita brasileiro teve uma média de crescimento de 3,5% a.a., também houve um crescimento total de 140%), e um crescimento total de 580% em comparação com o PIB per capita de 1890. Ou seja, enquanto na monarquia os EUA cresciam em média 8 vezes a mais que o Brasil, a República não só nos trouxe o mérito do crescimento econômico como ainda praticamente igualou o crescimento médio do PIB per capita brasileiro com o americano. Em outras palavras: Foi só depois da Proclamação da República que esse país começou a andar para frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A propósito, um Feliz Dia da Proclamação da República para todos! Viva à República! Viva ao Estado laico! Viva ao Capitalismo e ao Progresso!🇧🇷

      Excluir
  11. Lucas,

    What do you think of this article?:

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2019/01/is-wisdom-212-20-messianic-prophecy.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Good article. In fact, the "prophecies" of the apocryphal books used by Catholics are nothing more than copies of passages of canonical books (especially from Isaiah), and there is not a single occasion in the NT when such books are quoted as Scripture.

      Excluir
  12. "Ou se ele for são-paulino, pode presenteá-lo com um livro que estou lendo, "Os 20 Jogos Eternos do São Paulo", de Fábio Matos. Como o presente é uma verdadeira catástrofe, o jeito é rememorar as glórias do passado ;p"

    Haha provavelmente ele é flamenguista, então, certamente ainda terá o título desse ano pra celebrar! O que é péssimo de admitir, mas fazer o que né!? :v Achei interessante "o enigma da bíblia de gutenberg". Vou considerar este. Vlw Lucas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ele é flamenguista nem precisa de livros, basta ligar a TV e ver o time jogar. Mas como são-paulino, o jeito é recorrer aos livros mesmo, porque ver esse time jogar dá uma mistura de agonia com desânimo com ódio e com vontade de matar seres humanos :(

      Excluir
  13. Bravíssimo!!! E ainda naquele artigo (aquele que eu pedi para vc comentar em alguns posts atrás) o cara tem a coragem de dizer que foi o catolicismo que favoreceu o capitalismo e que o protestantismo leva ao socialismo, Meu Deus...

    Lucas,
    1- Comer alimentos (geralmente os mais chiques) que levam em sua receita bebidas alcoólicas como vinho tinto, conhaque e até cachaça e outras bebidas, é pecado??

    2- Poderia explicar melhor o conceito de "aliança com Deus", tão pregado em algumas igrejas neopentecostais?

    3- Falando em neopentecostalismo, há campanhas que utilizam esses objetos ungidos. Isso tem base bíblica? Não tem problema utilizar se for apenas como um objeto símbolico (por exemplo, ter uma campanha de fazer uma aliança com Deus (bem estilo neopentecostal) e a igreja entregar uma aliança real nos dedos que tem que ungir com azeite todos os domingos durante a campanha, mesmo sabendo que a aliança é algo símbolico)?

    Desculpa se ficou muito longo. XD
    Desde já eu agradeço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vlw! :D

      1) Se isso vai te levar à embriaguez, é pecado sim.

      2) Esse termo é muito comum e não está restrito a igrejas neopentecostais, se bem que em se tratando de neopentecostalismo eu tenho receio de que se trate de algo ($$$) totalmente diferente do que tenho em mente. Mas do que eu já ouvi nas igrejas que frequentei, fazer uma aliança com Deus significa se comprometer com Ele, se firmar na palavra, não se desviar, não ceder ao pecado, essas coisas.

      3) Eu sou totalmente contra o uso de objetos desta maneira. A fé é invisível, misturá-la com objetos visíveis é materializar a fé e trocar o transcendente pelo elemento material. E ainda que se diga que isso é "mero simbolismo", a massa de pessoas simples, ingênuas e neófitas na fé não vai entender isso, vão pensar que é realmente necessário o objeto ali para que o milagre (seja ele qual for) aconteça. Foi exatamente assim que a Igreja Católica começou até se tornar esse império de idolatria que vemos a olhos nus, cheio de imagem, de misticismo e de superstição pra tudo que é canto. Quanto mais pura e simples a fé for, e destituída de ritualismos e objetificações, melhor. E mesmo que se alegue que em um ou outro texto da Bíblia Deus tenha feito um milagre usando um objeto, estes são casos tão raros, específicos e isolados que não servem de base doutrinária; são descrições, não prescrições (eu explico a diferença entre essas duas coisas no meu livro "Exegese de Textos Difíceis da Bíblia").

      Excluir
    2. Vlw por me responder!! :)

      1-A algum tempo atrás eu andei vendo os artigos da série "Como funciona o mundo na cabeça de um zumbi tridentino" e queria lhe perguntar, quando é que a aventura irá continuar??!! rs
      Sério, por favor, traga uma continuação, é muito engraçado ver os tridentinos sendo tridentinos em seu habitat natural kkkkkk

      2-Você toparia um debate com o tema: "Thnetopsychism vs Psychopannychia"? Rs

      Vlw! :)
      A Paz de Cristo!

      Excluir
    3. 1) Neste momento eu tenho aqui guardadas 338 pérolas católicas para serem usadas futuramente. Mas como se trata de um artigo meramente jocoso eu dou prioridade para os temas mais sérios, mas vou voltar com a série sim dia desses :D

      2) Primeiro eu precisaria saber que raios é isso de "Thnetopsychism" e "Psychopannychia", depois eu digo se debato ou não ;p

      Excluir
    4. 1) no aguardo :) kk

      2) o primeiro é referente a Morte da Alma e o segundo ao Sono da Alma (literal, zzzz) 👻

      Excluir
    5. Não tenho muito tempo pra debates, mas podemos começar perguntando: quem foi a pessoa de péssimo gosto que inventou esses termos?

      Excluir
  14. Já vi papista afirmando que se fossemos colonizados pela Inglaterra, seríamos uma Jamaica tamanho gigante.
    Ademais, lucas, eu estava refletindo sobre os seus livros sobre a reforma; e um romanista poderia alegar que são obras de cunho meramente apologético, e que por isso esses livros não deveriam ser levados a sério. Um papista poderia alegar que você não fala nada a respeito sobre a questão da iconoclastia na reforma ou mesmo sobre a questão da irlanda. O que você teria a dizer sobre essa hipotética acusação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Já vi papista afirmando que se fossemos colonizados pela Inglaterra, seríamos uma Jamaica tamanho gigante"

      É incrível o desespero em encontrar qualquer caso isolado de um "país protestante que não deu certo" pra se usar como argumento contra a tendência universal e óbvia (como se as exceções invalidassem a regra). Mas neste caso nem isso poderia ser feito, já que a Jamaica foi colonizada por católicos e não por protestantes, sendo possessão espanhola até 1655 e impregnando ali sua cultura similar a todas as outras colônias espanholas.

      "Ademais, lucas, eu estava refletindo sobre os seus livros sobre a reforma; e um romanista poderia alegar que são obras de cunho meramente apologético, e que por isso esses livros não deveriam ser levados a sério"

      De cunho apologético são mesmo, isso é declarado logo no início do livro, mas não são de cunho "meramente" apologético. Duvido alguém encontrar uma obra apologética católica com tantas fontes, referências, citações e aprofundamento como esses livros, que esmiuçam cada assunto com riqueza de detalhes, evidências e argumentos para não deixar brechas ou pontas soltas. Não é por nada não, mas muitas obras da apologética católica que vejo por aí tem de conteúdo menos do que eu tenho só de referência bibliográfica, são obras porcas feitas às pressas e claramente sem um estudo prévio, não dá comparar. Quase tudo o que eles dizem é baseado em blogs de internet (deles mesmos) e contraria todo o consenso acadêmico, qualquer historiador de quinta percebe isso. E por ter finalidades apologéticas não significa que seja falso, o que além de ser uma falácia lógica ainda derrubaria toda a apologética católica a priori, pela mesma razão.

      "Um papista poderia alegar que você não fala nada a respeito sobre a questão da iconoclastia na reforma ou mesmo sobre a questão da irlanda"

      Eu não tenho nenhuma pretensão de abordar TODOS os assuntos que podem ser levantados pela mente de um católico (mesmo porque a cada dia que passa eles surgem com ataques e teorias novas e mais malucas, tornando virtualmente impossível abordar cada caso). Se eu fosse escrever um livro com todas as abordagens possíveis de todos os aspectos possíveis de se levantar sobre a Reforma ele teria pelo menos um milhão de páginas, então eu tive que priorizar e tratar do que julgo mais relevante. Sobre o culto às imagens, por exemplo, eu tenho vários artigos sobre isso, o Bruno Lima também, não havia necessidade de tratar no livro, é uma questão de cunho mais doutrinário do que histórico, e o meu livro não é doutrinário.

      Excluir
    2. Mas se tratando do caso da Inglaterra, há a acusação muito verdadeira de que o império Britânico, no início, incentivava e praticava a pirataria. O Nail Ferguson diz no seu livro sobre o império Britânico que tal império começou com um redemoinho de violência e ladroagem marítimas. Ademais, fazendo um adendo sobre essa obra, acho incrível como vlogueiros e militantes católicos adoram fazer recortes de citações feitas por algum autor. Eles citam as partes onde o Nail Ferguson fala sobre a questão da morte aborígenes australianos,ou da pirataria, mas não dizem nada sobre a parte onde o autor alega que parece ser bem plausível que o império aumentou a prosperidade global ou mesmo sobre os trabalhos missionários na África, inclusive o autor dedica um capítulo inteiro só pra falar disso.

      Excluir
    3. Lembrando que pirataria nunca foi uma prática exclusiva dos ingleses. Os portugueses e espanhóis, por exemplo, também praticavam pirataria largamente, só que os ingleses ficaram mais conhecidos por fazerem isso com mais êxito (assim como eram mais exitosos em qualquer coisa que seja):

      https://www.dhakatribune.com/uncategorized/2014/11/28/portuguese-pirates

      http://www.cindyvallar.com/spanishadventurers.html

      Excluir
  15. Banzolão, qual a categoria de filmes cujos atores são cachorros? :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://www.youtube.com/watch?v=6pMWx5ibK-w

      Excluir
    2. Não tem jeito. Vou ter que me aposentar mesmo kk.

      Excluir
    3. Com a Reforma da Previdência, você só pode se aposentar com 65 anos e pelo menos 35 anos de contribuição (aqui no site).

      Excluir
  16. Banzolão pq achas que o Nando Moura apesar de ter deixado de vender os livros do astrolavo e não fazer mais o COF evita ser agressivo com o Olavo?Aqui nesse vídeo ele reclama do astrolavo usar outros canais,canais irrelevantes para atacá-lo,dizer mentiras contra ele,são canais todos desconhecidos que só ganharam views porque o guru da Virgínia os publicou,ninguém nunca tinha ouvido falar no tal do Mauro Fagundes,um dos usados pelo astrolavo para atacar o Nando Moura e o Nando Moura não xinga o guru de volta,em alguns momentos ainda o chama de ´´Professor Olavo de Carvalho´´,não o chama de astrolavo,guru,ele até xinga alguns olavetes que se voltaram contra ele,como o Allan dos Santos do Terça Livre,a quem apelidou de Gengivão e o Lilovlog,mas nunca o próprio Olavo,parece que por incrível que pareça,o Nando Moura ainda aprenta ter algum respeito pelo Veio da Virginia,apesar de toda a trairagem e falta de consideração do guru com ele,já que o Nando foi um dos maiores divulgadores do trabalho´´filosófico´´ dele,vendendo todos seus livros e alguns deles com preço descontado,muita gente só conheceu o Olavo por causa do Nando Moura,já que as redes sociais do Nando Moura possuem mais views e inscritos que as do astrolavo.

    O vídeo em questão citado por mim:https://www.youtube.com/watch?v=KJGX94X0Qws

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele ainda tem respeito pelo Olavo porque ainda é um olavete, embora um olavete magoado por ter sido ofendido pelo próprio Mestre. Ele só vai tratá-lo da forma que ele merece (e como costuma tratar os outros) quando de fato deixar de ver o Olavo como o salvador da pátria, o maior intelectual brasileiro, o rei da cocada preta e todas aquelas idiotices que os olavetes acreditam (o que é bem diferente de ter um desentendimento em particular).

      Excluir
  17. Viu essa treta que rolou hj no Pânico?Teve até cenas lamentáveis... https://www.youtube.com/watch?v=BiZQ6TX26D8

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Você é um cônvardi"

      "Covarde mas apanhou na cara!"

      É pra isso que eu pago internet.

      Excluir
  18. Apesar de no geral ter me decepcionado bastante com o governo Bolsonaro,por ele viver dando crédito ao astrolavo e de radicalizar a ponto de estimular ataques contra pessoas da própria base do governo que fazem críticas,como por exemplo a Joice Hasselmann,atacada pelos filhos do Bolsonaro,nessa atitude eu apoio o governo,mas vc acha que esse embargo é suficiente para derrubar a ditadura cubana?Os EUA fizeram o embargo na época do Kennedy e até hoje o governo cubano apesar de capengar muito,sobrevive,não há uma revolta popular capaz de derrubá-lo

    https://www.gospelprime.com.br/apos-27-anos-brasil-vota-com-eua-e-israel-por-embargo-economico-a-cuba/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O embargo não é pra derrubar o regime cubano, é uma retaliação justa pela expropriação de empresas americanas em solo cubano por ocasião da revolução. A ditadura cubana confiscou (roubou) as propriedades americanas e não as devolveu até hoje, por isso o embargo continua. Se o objetivo fosse derrubar o regime, bastaria invadir o país "com um soldado e um cabo", não precisariam nem fazer esforço para tomar aquela ilha paralisada no tempo desde a década de 50.

      Excluir
  19. Banzolão o que achas do Bolsonaro indicar o filho do R.R Soares para comandar a secretaria de cultura?,esse artigo apresenta uma opinião contrária a atitude do presidente https://www.gospelprime.com.br/presidente-nao-precisa-nomear-filho-de-pastor-para-nos-agradar/

    ResponderExcluir
  20. https://www.obuxixogospel.com.br/2019/11/imigrantes-estao-evangelizando-a-america/
    Eu já vi comentários afirmando que a imigração hispânica para os EUA irá catolicizar ainda mais esse país,mas essa reportagem mostra o contrário,registra o crescimento do número de igrejas hispânicas por lá,alguns países hispânicos como a Guatemala https://en.wikipedia.org/wiki/Demographics_of_Guatemala#Religion já possuem números de evangélicos próximo ao de católicos,estão mais perto de se tornarem maioria por lá do que no Brasil,então em breve poderemos ver um protestantismo latino nos EUA,acreditas que o mesmo fenômeno possa ocorrer na Europa,uma renovação e um avivamento cristão através da imigração de latinos e africanos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o artigo mostra é que os imigrantes hispânicos convertem mais pessoas "per capita" do que os nativos da região, mas isso não anula o fato de que a grande maioria dos imigrantes que vem aos EUA são não-protestantes, e a maior parte deles não se converte (isso sem mencionar o proselitismo religioso para outras religiões, como a católica que praticamente inexistia nos primeiros séculos da história americana). Ou seja, mesmo considerando o ímpeto missionário (que é louvável), no fim das contas o saldo é mais negativo que positivo, religiosamente falando.

      Excluir
  21. Bem, o Lula foi solto. O que mais me espanta é ver evangélicos dando "graças a Deus" por ele ter sido solto, como se a prisão dele fosse uma injustiça e como se ele fosse evangélico também, lembrando que nesse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=DADSef4hpvE ele revela o que pensa a respeito do grupo evangélico do MPF. A realidade é que nunca vi esse sujeito defendendo santidade e apontando para a mensagem da cruz de Cristo, e ver evangélicos defendendo ele me dá dor de barriga. Por causa disso tenho que concordar o Silas Malafaia aqui: https://www.youtube.com/watch?v=R70-lVXQbfI e acho que agora o Brasil fica numa situação difícil e mais polarizado ainda...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso era tudo o que os dois extremos queriam. Um queria ver esse bandido livre pra disputar as próximas eleições ou tomar o poder antes mesmo; o outro podia não querer isso mas precisava disso para acirrar a polarização política que é tudo o que eles querem neste momento, pra desviar o foco das caga*** do governo. Agora as duas militâncias estão com os ânimos à flor da pele e só quem perde com isso é o Brasil. Quanto ao Lula, ele inevitavelmente deve voltar pra cadeia um dia, mas é lastimável vê-lo solto por causa dessa justiça frouxa, patética e medíocre que há no Brasil, um país onde os corruptos tem passe-livre pra roubar e onde o crime compensa.

      Excluir
  22. Comente:
    https://youtu.be/jP65_3PbqBE

    Acredito que isso seja a mesma ladainha católica de sempre, não estou certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TODO vídeo católico é a mesma ladainha de sempre, os argumentos que eles dão hoje são exatamente os mesmos que davam há dez anos atrás, quando eu entrei para a apologética (e eles já eram refutados naquela época, imagine hoje). Eles simplesmente não evoluem, porque os argumentos deles são tão fracos e superficiais que não tem como ou para onde evoluir. É tão cansativo e repetitivo que eu nem perco mais meu tempo lidando com isso. Já tenho centenas de artigos abordando todas as temáticas do vídeo dele, é só ir no índice de artigos sobre catolicismo e ler:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-catolicismo.html

      Excluir
    2. Eu sei, sou fiz você ver porque sou mal, MWAHAHAHAH!!! (brinks)

      O mais curioso foi ele falar que a palavra em aramaico para "pedrinha" não é Kephas, é uma outra lá (que eu sinceramente esqueci rs, sorry)...

      Outra coisa, ele também veio com aquela bizarrice que os católicos falam (e eu não sei de onde eles tiram isso) que se você ler a patrística, você vai ver que a Igreja primitiva era católica apostólica romana, quando na verdade é o contrário...
      Eu não sei de onde eles tiram isso...

      Excluir
    3. Eles insistem nessa palhaçada de "o aramaico isso, o aramaico aquilo", como se não soubessem que o NT foi escrito em GREGO e que no grego já havia distinção entre uma coisa e outra (o que foi feito por Mateus, que poderia ter usado a mesma palavra em ambas as ocasiões mas fez questão de distinguir um e outro). De fato, se Jesus falou mesmo em aramaico naquela ocasião, provavelmente ele usou "kepha" e "kepha" porque o aramaico era um idioma pobre sem muitos recursos, mantendo assim a ambiguidade (ambiguidade essa que foi desfeita por Mateus, que distinguiu o tipo de "pedra" que Pedro era da "pedra" que Jesus se referia como a fundação da Igreja, que em toda a Bíblia se refere a ele mesmo):

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2014/01/estudo-exegetico-completo-sobre-mateus.html

      Sobre a patrística, o que eu acho engraçado é que todos os maiores eruditos patrísticos que já existiram eram protestantes ou pelo menos ortodoxos, inclusive muitos desses são bastante citados pelos católicos (tais como J. N. D. Kelly e Philip Schaff), mas na cabeça deles esses estudiosos protestantes que passaram a vida toda estudando patrística não sabem nada sobre os Pais da Igreja e quem sabe tudo são eles que tiram meia dúzia de citações isoladas do contexto para dizer que os Pais da Igreja eram católicos apostólicos romanos. Chega a ser deprimente...

      Excluir
    4. Vlw pela recomendação, vou dar uma olhada ;)
      Poderia me indicar também youtubers protestantes que refutam doutrinas católicas?

      Tchau tchau, A Paz em Cristo!

      Excluir
    5. Eu não costumo acompanhar canais teológicos no youtube, o youtube eu uso mais pra relaxar e assistir coisas leves sobre futebol, xadrez, cinema e etc. O único canal do tipo que eu acompanho de vez em quando é o do Yago (Dois Dedos de Teologia).

      Excluir
    6. É já conheço o Yago :)
      Eu também uso mais o YouTube para entretenimento. Vejo vídeos sobre jogos, filme e séries, às vezes zueiras (kkkk) etc.
      Mas as vezes eu gosto de ver vídeos sobre Deus, como os do Rodrigo Silva, Nicodemos, Yago etc.
      Acho que eu acabo vendo de tudo no YouTube haha

      Excluir
    7. Os dez canais que eu mais gosto no Youtube (não necessariamente nessa ordem):

      1) Xadrez Brasil:

      https://www.youtube.com/user/rafa18sp/videos

      2) Barolo Vídeos:

      https://www.youtube.com/channel/UC0GUaQ6lVzvu0FWklbsKFhg/videos

      3) De Placa:

      https://www.youtube.com/channel/UCdkhkda5VQPbKSzx03HohMw/videos

      4) Resenha Tricolor:

      https://www.youtube.com/channel/UCOgLgKAPhonRcIr2xhp3BnA/videos

      5) Meus 2 Centavos:

      https://www.youtube.com/user/tiagobelotti/videos

      6) Amigo Gringo:

      https://www.youtube.com/user/canalamigogringo/videos

      7) Ei Nerd:

      https://www.youtube.com/user/einerdtv/videos

      8) Futirinhas:

      https://www.youtube.com/user/CanalChickenUnited/videos

      9) GM Krikor:

      https://www.youtube.com/user/randon2009/videos

      10) Profa Anelize:

      https://www.youtube.com/channel/UCFyNAPz9HEJJTU2GNa21bHQ/videos

      Excluir
  23. Lucas, qual sua opinião sobre a igreja luterana, seu catecismo e liturgia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade existem duas igrejas luteranas, a IECLB (Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil) e a IELB (Igreja Evangélica Luterana do Brasil). Uma se aproxima mais do catolicismo e é ecumênica, e a outra é mais protestante propriamente dita. Entre luteranos de internet é muito comum ver muitos atacarem os outros ramos do protestantismo e o tratarem com desprezo, ao mesmo tempo em que puxam saco do catolicismo (o que faria Lutero se revirar do túmulo). Por outro lado já tive contato com luteranos que mantém as tradições da igreja e se reconhecem como evangélicos, vendo-nos como irmãos que comungam de uma mesma fé. Então tudo depende de qual tipo de luterano estamos falando, se é de um sectário ou de um irmão.

      Excluir
  24. O STF é uma vergonha Nacional:

    https://valor.globo.com/politica/noticia/2019/11/08/stf-derruba-prisao-em-2a-instancia-e-lula-pode-sair.ghtml

    https://oglobo.globo.com/brasil/analise-decisao-do-stf-que-derrubou-segunda-instancia-afasta-toffoli-de-bolsonaro-24068950

    https://noticias.r7.com/economia/apos-580-dias-preso-lula-pode-ser-solto-apos-decisao-do-stf-08112019

    https://extra.globo.com/noticias/brasil/lula-deixa-cadeia-em-curitiba-apos-stf-derrubar-prisao-em-2-instancia-24070612.html

    Como se já não bastasse soltar esse bandido ele ainda atacou as Instituições do Estado Democrático de Direito (Ministério Público, Polícia Federal e a Justiça como um todo):

    https://www.terra.com.br/noticias/brasil/apos-deixar-prisao-lula-ataca-lava-jato-em-discurso,3f79c71b1609a43e0981b694bce27be3c4wnix1v.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bizarro mesmo. Esses bandidos de toga mudam as leis ao seu bel-prazer, sempre no mesmo intuito de privilegiar bandidos como eles e proteger criminosos para que nunca sejam presos (ou se forem, passam pouquíssimos anos na cadeia). Com essa decisão milhares de presos dos mais perigosos vão ser soltos (incluindo o molusco) e até a "justiça" ser feita os crimes já vão ter prescrevido, já que vão poder apelar e apelar por anos e anos impunemente, e sabemos o quão lenta a nossa justiça é. Em minha opinião, alguém que é condenado em primeira instância já tem que ser preso, ele já foi condenado, já passou pelo processo formal, já não é mais considerado um inocente. Ele pode até apelar pra tentar reverter isso, mas a partir do momento em que é considerado culpado tem que pagar pelo que fez e pronto. Mas aqui os criminosos precisam ser condenados em cinco milhões de instâncias diferentes até ser preso, isso é ridículo. Agora todo mundo vai recorrer ao STF, que vai ficar tão abarrotado de recursos que não vai conseguir julgar todos os casos e no final vai ficar todo mundo solto enquanto "espera" o julgamento. É literalmente um passe-livre para a corrupção e o crime. Cada vez mais me surpreendo com o esforço desses caras em tornar o nosso país ainda pior do que já está. Mas não poderíamos esperar nada diferente vindo de um Supremo nomeado por Collor, FHC, Lula e Dilma.

      Excluir
    2. " Mas não poderíamos esperar nada diferente vindo de um Supremo nomeado por Collor, FHC, Lula e Dilma."

      Agora você disse tudo irmão, esses Malditos fariseus de toga nomeado por esses outros bandidos (especialmente Lula e Dilma) transformaram a nossa Suprema Corte num covil de ladrões. (se bem que o STF sempre foi um covil de cães selvagens e raposas, mas Lula e Dilma conseguiram fazer o que nenhum outro governante fez na história desse país: usar a corrupção e a cachorrada como uma forma de perpetuassem no poder e aplicar seu plano nefasto de implantar o socialismo em nosso país - Tal como aconteceu na Venezuela de Chávez e Maduro.)

      Excluir
  25. Ainda há uma Esperança: 😊

    https://www.redebrasilatual.com.br/politica/2019/11/moro-diz-respeitar-decisao-do-stf-mas-lembra-que-congresso-pode-mudar-lei/

    https://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI314601,101048-Senadores+entregam+a+Toffoli+carta+em+apoio+a+prisao+em+2+instancia

    https://www.camara.leg.br/noticias/611752-ccj-vota-pec-da-prisao-em-segunda-instancia-na-segunda-feira/

    https://oglobo.globo.com/brasil/presidente-da-ccj-da-camara-quer-aprovar-pec-da-prisao-em-2-instancia-ate-proxima-terca-feira-24070847

    https://www.jornalcruzeiro.com.br/brasil/apos-julgamento-parlamentares-pressionam-por-pec-da-prisao-em-2-instancia/

    Em praticamente todos os países do mundo, os condenados são presos em primeira ou segunda instância, a nossa Constituição só a permite após o trânsito em julgado e até lá a pena já foi prescrita, e por conta disso existe tanta impunidade nesse país. A PEC 410/18 precisa ser aprovada urgente! ✊🏻 O POVO UNIDO JAMAIS SERÁ VENCIDO!✊🏻

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou seja, nossa "esperança" é um Congresso lotado de corruptos da mesma estirpe que o STF que tomou essa decisão. Esperar que os deputados de Brasília aprovem uma lei anti-corrupção é como esperar que um condenado à morte providencie a forca na qual ele vai ser morto.

      Excluir
    2. Realmente, tanto o Congresso Nacional quanto o STF são um covil de ladrões, mas se o Povo for às ruas e pressionar (pressionar mesmo, mandado e-mails, fazendo passeatas e cobrando) os deputados e Senadores essa PEC pode ser aprovada, quando o Povo foi às ruas em 2015-2016, após muita pressão popular, o Congresso aprovou o impeachment da Presidanta Dilma. Ou seja, caso o Povo for às ruas e determinar ao Congresso que quer a aprovação dessa PEC, caso ela seja aprovada, os novos processos que o Lula está recebendo nas costas vão cair como parte dessa nova PEC. Inclusive o Joel Pinheiro e o Políbio Braga comentaram sobre essa aprovação através da Pressão Popular:

      https://www.youtube.com/watch?v=AZQLTStinMk

      https://www.youtube.com/watch?v=o0H5kQbiBy0

      Sem deixar de mencionar que ontem no Sábado passado houveram manifestações de rua organizadas pelo MBL e Vem pra Rua em favor da aprovação dessa PEC:

      https://www.terra.com.br/noticias/brasil/politica/manifestantes-pedem-para-congresso-votar-pec-da-2-instancia,d3ff616485a6b9904481854b5af1839etxsxmum0.html
      https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/politica/2019/11/manifestantes-pedem-pec-por-segunda-instancia.html

      Contudo, devemos orar pelo futuro do nosso país, para que tenhamos um país melhor.

      Excluir
  26. O Lula é tão inocente que foi mais fácil tira-lo da cadeia alterando uma interpretação da lei do que conseguindo provas que o inocentasse, é impressionante...
    De qualquer modo, essa soltura não é sinônimo de impunidade, logo logo ele passará por mais julgamentos e é aí que vai ser engraçado. Ah, vale lembrar que junto dele até 5.000 outros criminosos podem ser soltos, e ficar livres por aí, cara é bem triste uma situação dessas.
    Olha, não sou nem um pouco otimista com o governo Bolsonaro, sinceramente, nunca coloquei fé. Então nessa confusão de agora eu até cheguei a rir dos bolsonaristas fanáticos e dos olavetes que ficaram desesperados, está tudo desmoronando pro lado deles.
    Mas agora a noite decidi parar de olhar o twitter porque não dá mesmo, os lulistas são insanos, eles e vários outros esquerdistas que estão aí comemorando essa 'vitória da democracia'. É impressionante como eles chamam os minions de gado mas tem a cara de pau de fazerem o mesmo, idolatrar político, é revoltante esse pessoal, e acho que conseguem ser mais perigosos que os do lado da direita, porque tem uma militância organizada. Eles estão atacando em massa todos os que demonstram de alguma forma não entender a obsessão pelo Lula. O Leon do coisa de nerd ta sendo bastante atacado por eles. O brasileiro realmente tem a síndrome do messianismo, medo do que possa acontecer com o nosso futuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeito sua opinião mas é sinônimo de impunidade sim, porque mesmo se ele for condenado novamente (e vai) pelos outros trocentos crimes que ele cometeu, ele só poderá ser preso depois de julgadas todas as instâncias, ou seja, depois que o STF decidir isso (leia-se: o mesmo STF nomeado por ele próprio e pela Dilma durante os governos do PT). Em outras palavras: provavelmente ele não vai voltar para a prisão nunca, ou vai voltar pra ficar pouquíssimo tempo até morrer (ou até ser considerado velho demais para ficar na cadeia e então ser transferido para uma prisão domiciliar em um belo e luxuoso domicílio que ele adquiriu com o dinheiro que roubou).

      Excluir
    2. É, você realmente tem razão.
      E Lucas, em um dos discursos do Lula ele fez referência ao Evo Morales, que considerou um irmão de batalha. É verdade mesmo que a Bolívia é o país que mais cresce na América do Sul? Já faz um tempo que o Morales está no poder e ele tem orientação socialista, pelo o que vi o IDH boliviano realmente está crescendo, o que se pode dizer sobre isso?

      Excluir
    3. A Venezuela também não era o que é hoje na época do Chávez, que governou por mais de uma década. Essas medidas estatizantes podem fazer sucesso durante um tempo, mas a médio e longo prazo a conta vem, e vem alta. Foi assim na Venezuela chavista, na Argentina dos Kirchner, no Brasil do PT, na URSS e em todo lugar. A Bolívia já dá indícios disso aumentando o déficit comercial e o déficit fiscal, as reservas internacionais do Banco Central que garantem uma aparente estabilidade já se reduziram pela metade nos últimos quatro anos e a dívida externa saltou de 30% a 50% do PIB no mesmo período. Ou seja, a "boa" economia boliviana está caminhando para um colapso irreversível se continuar nessa política econômica, por isso o Morales pulou do barco. Não existe almoço grátis, uma hora a conta sempre vem, e quem paga a conta é o povo. Como dizia Margaret Thatcher, "o socialismo dura até acabar o dinheiro dos outros".

      Excluir
    4. Entendi, e você sabe o que foram essas coisas que aconteceram no Chile recentemente?

      Excluir
    5. Tudo começou por causa do aumento de alguns centavos na tarifa do metrô (algo bem parecido com as manifestações de 2013 aqui no Brasil, aquela dos "vinte centavos"), que depois ganhou uma proporção bem maior (igual aqui), embora as pautas sejam extremamente genéricas e sem direção específica (igual aqui...). O que ocorre é que embora o Chile tenha o melhor índice de IDH da América Latina e seja também um dos países mais ricos da região, lá há uma forte doutrinação ideológica nas escolas e universidades (igual aqui...) que os convencem de que esse crescimento todo não é o bastante e que o único jeito de vencer mesmo é através de uma revolução, então buscam qualquer pretexto para isso e se infiltram em manifestações pacíficas para vandalizar, quebrar tudo e atacar policiais. Ironicamente, a única pauta concreta das manifestações foi a tarifa do metrô, que é um monopólio estatal (foi uma das coisas que os governos liberais decidiram não privatizar). Ou seja, embora tenha muita gente aí dizendo que os chilenos estão protestando contra o "neoliberalismo", o que os enfureceu não foi nenhum aumento de um serviço privado (que sempre tende a ser mais baixo por causa da livre concorrência), mas justamente o aumento de um serviço público e ineficiente, uma das poucas coisas que não funciona no Chile.

      Excluir
  27. O lula ta solto, o que vc acha desta decisão do STF? Que ira beneficiar milhares de criminosos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentei sobre isso nos comentários acima (os mais recentes).

      Excluir
  28. Banzolão o que achas desse vídeo? https://www.youtube.com/watch?v=SodsTFWXLJY O vídeo é de dois meses atrás e nessa época surgiu no twitter do Marlos Apyus uma teoria da conspiração de que Bolsonaro e Lula teriam fechado um acordão para arquivar a investigação contra o Flávio,impedir que o caso da rachadinha resultasse em perdas maiores para o bolsonarismo e justamente quem arquivou esse caso foi o Toffoli,ex advogado do PT e indicado por Lula para o STF,então segundo tal acordo,Lula seria solto para livrar o Flávio,o que achas dessa teoria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em teoria eu não levaria muito a sério por se tratar de uma conspiração sem provas concretas, mas em se tratando de Brasil, eu não duvido é de nada, nada mesmo (não duvido nem que a terra seja redonda mas que o Brasil seja plano). É como disseram: "Há dias bons, há dias ruins e há Dias Toffoli".

      Excluir
  29. Banzolão encontrei mais um artigo que fala de um suposto ´´acordo´´ entre Bolsonaro e Lula,se bem que nesse texto não é bem um acordo que é citado e sim o fato de ambos se beneficiarem com a polarização,tanto que o título é ´´Bolsonaro é Lula livre e PT é ´´ele sim´´, https://www.otempo.com.br/politica/ricardo-correa/bolsonaro-e-lula-livre-e-pt-e-ele-sim-1.2251490

    ´´Publicamente pode parecer impensável ou incoerente, mas nos bastidores de Brasília sabe-se que o presidente Jair Bolsonaro não se opõe em nada à possibilidade de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva saia da prisão, assim como o Partido dos Trabalhadores não faz qualquer esforço por um eventual impeachment do atual chefe do Executivo.´´

    O PT pediu o impeachment de todos os presidentes da república que não eram membros de seu partido,menos o do Bolsonaro e o Bolsonaro não deu nenhuma declaração criticando a liberdade de Lula,vc pensa que ambos querem uma polarização ainda maior,para que mantenham suas bases mais fortalecidas através do discurso do medo do inimigo?Por exemplo o Lula afirmar que só ele,que tirou 50 milhões de gente da pobreza é capaz de derrotar o Bolsonaro nas urnas e o Bolsonaro afirmar que só ele,um honrado capitão do exército,defensor da moral,da família cristã é capaz de derrotar o chefe máximo do Foro de São Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "vc pensa que ambos querem uma polarização ainda maior, para que mantenham suas bases mais fortalecidas através do discurso do medo do inimigo?"

      Com certeza. Inclusive já tinha comentado exatamente isso numa resposta anterior a essa:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/11/weber-tinha-razao-o-desenvolvimento-e.html?showComment=1573386561232#c7285757574115669452

      Excluir
  30. Bem, agora essa articulação à vista: https://www.gazetadopovo.com.br/republica/breves/lula-se-reune-com-dirceu-que-fala-em-retomar-o-poder-e-radicalizar-o-discurso/ acho que o Bolsonaro deve reajustar conduta e tomar cautela com as reformas que fizer porque se forem traumáticas demais, capaz do PT ser o primeiro partido a ganhar eleições em primeiro turno em 2022 na história desse país. Acho que a prioridade deve ser a tributária porque essa administrativa vai traumatizar meio mundo. Tiro pela parte das prefeituras, as pessoas são apegadas nessas coisas e ver a própria cidade deixar de existir para melhor administração é uma coisa "inaceitável" para a maioria do povo que até ontem sequer sabia o que é uma PEC. Dias difíceis virão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, também acho que deveriam priorizar as pautas mais importantes e menos impopulares, um passo de cada vez. Embora a ideia de tirar parte das prefeituras seja algo louvável, a reforma tributária é infinitamente mais importante.

      Excluir
  31. Olá Lucas, amigo, em se tratando de cultura brasileira não precisa ser profeta e nem filho de profeta pra prever soltura do ex presidente Lula.
    Aqui o raciocínio é: "se as regras não permitem uma infração a solução é muito simples, muda-se as regras."
    Mas como disse há alguns comentários atrás, basta o Flamengo ser campeão e chegar o próximo carnaval que o brasileiro esquece.... e os desmandos continuam...

    ResponderExcluir
  32. É impressionante como a Reforma teve impactos até mesmo para a formação do direito moderno:

    https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=3286074

    https://www.researchgate.net/publication/334707583_Law_and_the_Protestant_Reformation

    https://politicaltheology.com/the-legacy-of-the-protestant-reformation-in-modern-law/

    https://books.google.com.br/books?id=y1jVrbOD5HYC&printsec=frontcover&dq=law+and+protestantism&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwjq8-nMmODlAhVBILkGHWljCLoQ6AEIKDAA#v=onepage&q=law%20and%20protestantism&f=false

    Caso algum dia queria escrever um artigo sobre os impactos da Reforma Protestante no Direito moderno espero que esses artigos lhe sejam muito úteis. Abraços 😊😊

    ResponderExcluir
  33. Lucas, como anda o governo do Ratinho Júnior? Como estão as coisas aí no Paraná? Muitas pessoas te perguntam o que você acha do governo do Presidente Bolsonaro, mas ninguém nunca te perguntou o que você acha do Governador do seu estado de residência, então gostaria de te fazer essa pergunta? Como você avaliaria o desempenho do seu governador?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto do Ratinho Jr, é um dos pouquíssimos políticos que eu admiro (o que é sempre altamente arriscado, em se tratando de políticos...), ele tem uma mente inovadora e uma visão moderna, é bem diferente dos políticos convencionais, habituados a repetirem sempre os mesmos discursos enjoativos e jargões nauseantes. Se ele vai conseguir implementar tudo o que diz eu não sei, mas até agora não vi ninguém reclamar da gestão dele, e geralmente quanto mais discreto um governo é, melhor ele está sendo.

      Excluir
  34. Varão Poderoso, varão maravilhosissimo, artigo sensacional!!
    Veja isto que Fabio Blanco escreve;

    http://www.fabioblanco.com.br/a-licao-dos-terraplanistas/
    O que vc acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimo artigo. Dei uma lida em outros textos que ele escreveu nesse site e realmente ele tem umas reflexões muito boas.

      Excluir
  35. O ditador canalha do Evo Morales renunciou!!! 🍾🍾🍾🥂🥂🥂🎉🎉🎉👏👏👏

    Saludos a amigos bolivianos! ¡Que tengas fe y valor en Dios para alcanzar tu libertad! 🇧🇴🇧🇴🇧🇴!!



    Ps: 🍾 não tem álcool rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim o cara queria se eternizar no poder,com um governo de extrema-esquerda,reprimindo a oposição,é hora de alternância,mas por outro lado,há também legados positivos de seu governo,a inclusão dos indígenas sempre marginalizados desde a época da colonização,a Bolívia possui uma pequena elite de brancos descendentes dos colonizadores espanhóis e uma massa indígena excluída,o Evo ao menos representou durante um tempo essa população,quer dizer que um índio não pode ser presidente?

      Excluir
    2. Na verdade os índios da Bolívia detestam o Evo e o consideram um traidor. Parece bizarro, mas é o que acontece:

      https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/10/16/indigenas-na-bolivia-marcham-contra-politica-ambiental-de-evo-morales.ghtml

      Excluir
    3. Menos um governo "full socialista" da América Latina!
      Agora só resta esperar para que o Maduro também caia...

      O mais engraçado (para não dizer trágico) disso tudo é que os socialistas estão dizendo que foi um golpe (GÓPI!), sendo que foi o próprio Evo Morales que renunciou...
      Olha é complicado viu, meu Deus...

      Excluir
    4. Sim nesse artigo, o Felipe Quispe,um líder indígena opositor,afirma que o Evo queria se eternizar no poder,https://www.latercera.com/mundo/noticia/felipe-quispe-dirigente-campesino-boliviano-evo-queria-eternizarse-poder/897038/

      É que eu sempre vi o Evo como um mal menor do que Maduro por exemplo,eu li muitas notícias sobre uma redução da miséria da Bolívia e ele não ter deixado um legado econômico catastrófico como na Venezuela,apesar das ideologias serem semelhantes,e aconteceu dele ter caído de maduro,antes do próprio Maduro kkkk

      Excluir
    5. Tem um vídeo do PragerU falando sobre esta inclusão politica desse grupos "marginalizados":

      https://www.youtube.com/watch?v=52jE9AgHChE

      Embora o vídeo se foque em um grupo especifico, ele serve bem para ilustrar que no geral todos estes que se apresentam como representantes das "minorias oprimidas" não se passam de uma cambada de oportunistas vagabundos que se utilizam do mesmo discurso populista para seduzir as massas.
      Eu pessoalmente, nao vejo nada de positivo no governo do Evo, ele é apenas um índio safado que se usou a sua origem étnica para tentar cativar um povo pobre e sem instrução.Nada muito diferente do que o Lula faz até os dias de hoje no Brasil, se auto-intitulando um representante do "povo Nordestino marginalizado" pela "elite branca paulista e opressora".

      Excluir
    6. Oq me alegra é ver que existe um grande grupo de "minorias" que já não estão mais engolindo este discurso furado usado para os enganar.
      Aki no Brasil a maioria dos índios ainda não acordaram para isso, porém, já temos muitos negros e homossexuais que já estão combatendo esta praga que é a esquerda, como o Fernando Holiday, por exemplo.

      Excluir
    7. Minha reação ao saber que o Evo Morales caiu:

      https://www.youtube.com/watch?v=V0q2fclc2CA

      Excluir
    8. A minha:

      https://www.youtube.com/watch?v=iEM1qEMyyP8

      Excluir
    9. A música que eu ouvi depois de saber da notícia (eu juro):

      https://youtu.be/IV6L92DA8nU

      Excluir
    10. Já conhecia essa música, uma baita música digassi di passagi (e bem apropriada para o momento).

      Excluir
  36. O que você acha o que esta acontecendo na Bolívia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cronologicamente falando:

      1) Evo Morales pisa na Constituição e faz um plebiscito para saber se o povo aprova que ele governe indefinidamente (como um ditador).

      2) O povo rejeita a proposta neste plebiscito, impedindo que Evo disputasse as próximas eleições (essas deste ano).

      3) Chegando a época da eleição, ele ignora sumariamente a Constituição e a decisão popular do referendo e disputa as eleições assim mesmo.

      4) Não satisfeito com isso, ele adultera as urnas para vencer as eleições (como TODO governo de extrema-esquerda faz na América Latina inteira).

      5) A OEA (Organização dos Estados Americanos) descobre fraudes escandalosas nas urnas e pede novas eleições.

      6) O povo fica puto da vida e em vez de querer novas eleições pede pela saída imediata de Evo.

      7) Sem o apoio do exército (que é o distingue Evo de Maduro, o qual conseguiu aparelhar as Forças Armadas do seu país), Evo não vê outra saída senão renunciar e dizer que foi alvo de um "golpe internacional" para se passar de vítima, gerando uma convulsão social na Bolívia e deixando o país como "terra de ninguém" (já que todos os sucessores da linha presidencial renunciaram também).

      Excluir
  37. Banzoli, você acha que a corrente filosófica do estoicismo é compatível com o cristianismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acho que seja compatível, vejo muita diferença entre as doutrinas dos dois. Quem quiser pode conferir um resumo das doutrinas estoicas neste artigo e chegar às suas próprias conclusões:

      https://brasilescola.uol.com.br/filosofia/os-estoicos.htm

      Excluir
  38. Hello Lucas,

    I was wondering what you thought of these articles?:

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2018/07/the-scriptural-definition-of-repentance.html

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2018/11/are-christians-sinners-saved-by-grace.html

    ResponderExcluir
  39. Lucas,

    I have my own potential retorts...But I was wondering what do you thought of this article excerpt?:

    "As Greek scholars—even non-Catholic ones—admit, the words petros and petra were synonyms in first century Greek. They meant “small stone” and “large rock” in some ancient Greek poetry, centuries before the time of Christ, but that distinction had disappeared from the language by the time Matthew’s Gospel was rendered in Greek. The difference in meaning can only be found in Attic Greek, but the New Testament was written in Koine Greek—an entirely different dialect. In Koine Greek, both petros and petra simply meant “rock.”

    https://www.catholic.com/tract/peter-the-rock

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. There are dozens of lexicons that confirm this difference between "petros" and "petra", as I explained in this paper study:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2014/01/estudo-exegetico-completo-sobre-mateus.html

      The mere fact that Matthew uses two different words (instead of repeating the same, which would be the most logical) already shows that he had a distinction in mind - that Peter was not the same as the stone. In addition:

      1) Throughout the Bible, the stone is always Jesus, never Peter (in fact, Peter himself recognizes Jesus as the stone and claims to be built in it together with the other Christians in 1 Peter 2:4-7).

      2) "Peter" (petros) is in the second person and in the male; "stone" (petra) is in the third person and is a feminine noun.

      3) It would be stupid to think that the Church is built on a flawed human being, such as Peter, rather than the very Son of God, who redeemed the Church with his own blood (Acts 20:28).

      4) Even if Peter were the stone of Matthew 16:18, there is nothing to suggest that this church is the Roman Apostolic Catholic Church (which is nowhere near said in the text). There are even Protestant theologians who believe that Peter is the stone of this text without it having anything to do with a papacy.

      5) The Papist argument is faltering: Peter is the foundation stone of the Church; Peter was bishop of Rome; therefore, the Roman Church is the only Church of Christ. But with this same argument we could hold: Peter is the foundation stone of the Church; Peter was bishop of Antioch (as attested by many Church Fathers); therefore the Church of Antioch is the only Church of Christ. The difference is that at least for Antioch there is historical evidence and biblical evidence that Peter shepherded, while for Rome there is absolutely NOTHING.

      Excluir
  40. Lucas,

    What do you think of this article?:

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2018/05/how-miracles-illustrate-foolishness-of.html

    ResponderExcluir
  41. O Nando Moura já fez um vídeo chamando o Evo Morales de índio e filho da p... https://www.youtube.com/watch?v=gzvhuhAhnMo acho super injusto fazer esses ataques racistas a ele,eu penso que já era hora desse sair,como disse anteriormente não apoio a sua ideologia de extrema esquerda,mas achei importante que a Bolívia tivesse um presidente oriundo do campesinato indígena e achei nojento usar essa origem do Evo para atacá-lo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No dia em que vi esse vídeo eu pensei a mesma coisa. Se a intenção é xingar o Evo, ele poderia fazer isso sem precisar enfatizar o fato de ser um índio (como se isso fosse alguma coisa depreciativa). Depois que o YouTube desmonetiza o canal dele, ele não sabe por que...

      Excluir
  42. Lucas, vc já estudou as demais obras do Weber? "Economia e sociedade", "Sociologia das Religiões", "Ciência e Política" etc
    Oq vc acha da Obra/ideias dele como um todo??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Li pouca coisa, não o bastante para fazer juízo de valor. Pretendo ler mais das outras obras dele quando terminar a escrita do livro.

      Excluir
  43. Sei que o assunto nao tem muito haver com o artigo, mas gostaria que vc analisasse os argumentos desse texto de defesa do Paulo Freire:

    https://aminoapps.com/c/cienciashumanaseexatas/page/blog/3-mentiras-difundidas-sobre-paulo-freire/1wql_r0s6uD40mP7ZWZ30EJb7dqXRlJ0N

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo com a crítica feita ao modo usual com o qual os professores "passam conteúdo" nas salas de aula, o problema é que na prática tudo o que o Freire fez na secretaria de educação de São Paulo foi implementar o sistema de aprovação automática que EMBURRECEU COMPLETAMENTE os alunos e fez com que este que antes era de longe o estado com a melhor educação do país caísse assustadoramente nos índices. O problema dos métodos de Paulo Freire é o mesmo problema do socialismo como um todo: algo bonitinho na folha do papel, mas quando colocado em prática se demonstra irrealizável ou praticável pra pior. É um método que ignora alunos reais em um ambiente real de uma sala de aula, como se todos os alunos fossem a priori completamente comprometidos, educados, conscientes e predispostos a aprender, o que sabemos que em realidade configura uma minoria das crianças e adolescentes. Numa sala de aula de verdade (refiro-me sobretudo ao Ensino Fundamental), o simples fato de um professor conseguir falar alguma coisa já é grande coisa, um feito notável. Os professores hoje em dia perderam o respeito dos alunos, não existe hierarquia, na maioria das vezes o que predomina é a bagunça e a desordem, e parte disso é de responsabilidade direta dos novos conceitos de Freire, que afrouxaram a autoridade do professor ao comprometer a hierarquia. Eu não sou a favor de um método de ensino militarizado ou como se praticava no começo do século passado (quando os alunos apanhavam por não saber alguma coisa ou por falarem fora de hora), mas hoje o aluno é quem realmente manda na sala de aula, e quando o aluno é o dono do pedaço, coisa boa não vai ser.

      Excluir
  44. Interessante que Webber foi um dos primeiros estudiosos a observar que é a cultura que influencia a economia (e não o contrário).

    Lucas, vendo a situação do Brasil e de toda a América Latina, digo que este continente sofre daquilo que chamo de "cultura caudilhista ibero-americana". Explico: o latino-americano tem uma tendência "quase natural" a idolatrar pessoas como "líderes que querem ajudar o povo, em especial os mais pobres", o que é um pensamento completamente messiânico, que abre portas do autoritarismo, e que perverte o real significado do que é ser político dentro de uma democracia: ser apenas gestor do bem público e que está À SERVIÇO da sociedade. Na prática os latino-americanos não elegem gestores, mas sim "reis" para chamarem de "seus". Na prática dizem odiar políticos corruptos... desde que não sejam os seus PRÓPRIOS. Em suma, resumindo, o grande mal do latino é a sua forte tendência à IDOLATRIA.

    Os motivos da existência dessa mentalidade nos latino-americanos são diversos. Mas tem dois componentes da psique latina que não podem passar batido: o seu processo de colonização e formação nacional, e sua religião.

    O primeiro diz respeito aos formadores desta região, que foram as monarquias portuguesa e espanhola. E o que vimos aqui no continente dentro do período de colonização: dois regimes altamente centralistas, personalistas, patrimonialistas, extrativistas, exploradores, escravocratas e inquisitórios de colonização e formação social. E mais: o negócio é tão fadado ao fracasso que nem mesmo as metrópoles conseguiram desenvolver A SI MESMAS, visto que tanto Espanha quanto Portugal são os países mais atrasados da Europa Ocidental ATÉ HOJE. Ou seja, não é apenas uma questão de colonizadores e colonizados, mas sim de uma "cultura" de atraso em comum nos dois.

    Já como segundo componente de formação psicológica do continente está a religião. Lucas e demais, pensem comigo: vendo que o latino tende a adorar políticos e até o próprio estado, qual é a religião ocidental que mais flerta com a idolatria? E se a visão religiosa de um povo influencia nas suas decisões seculares? Não precisa responder, porque a resposta é óbvia.

    Observando a cosmovisão das religiões, o catolicismo tem, na prática, o seguinte resultado para o mundo (se tiver sucesso no seu empenho): um regime mundial de religião única, sob uma organização religiosa e política (Vaticano é um ESTADO) e regida por um “líder supremo”, o Papa. Ou seja, dentro desta religião se prega como modelo um regime totalmente centralista e personalista, muito similar ao que se chama hoje de globalismo (o curioso é que os articulistas católicos sempre dizem combater o globalismo... desde que não seja o globalismo DELES). Então, novamente pergunto: como a democracia, a liberdade e o capitalismo podem florescer nesse regime político-religioso? Será que precisa responder?
    Com relação ao protestantismo, sua doutrina fundamental diz que a salvação está pautada num único mediador transcendente e que a única forma de revelação divina está nas Escrituras, assim ambas as teses rechaçam a interferência de uma instituição humana dentro do processo da salvação. Ou seja, o cristão protestante é treinado a pensar que sua salvação não está nas mãos de um “papa” (assim nega a idolatria personalista), que a sua salvação é individual (assim estimula a individualidade e nega o coletivismo e o “comportamento manada”), e que o único meio de revelação é a Bíblia (assim estimula as suas faculdades mentais, o debate intelectual e o senso de descoberta individual). Portanto, não é de se admirar que a religião protestante seja mais influente no progresso econômico e social, não sendo necessário um acadêmico constatar algo que já é intuitivo e evidente.
    Apesar de que hoje o meio protestante (em especial o do Brasil) esteja muito manchado pela idolatria personalista “macedista”, no catolicismo esse comportamento é SINE QUA NON para o sustento da sua doutrina.

    Enfim é isso, desculpa o textão rs rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba, que texto bom! Vai exatamente ao encontro do que eu expresso no livro. Você me autorizaria a publicar isso na forma de citação ou mesmo como o prefácio? Abs!

      Excluir
    2. Pode Lucas. Meu nome é Roberto Gomes.

      Excluir
  45. Lucas é verdade que as nomes "Elohim e Eloah" vem do paganismo? Do deus cananita "El"??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A origem do termo é disputada, mas mesmo que este seja o caso, não seria nada diferente do que ocorre no NT, onde os autores bíblicos usam "Theos" (que na mitologia grega se refere ao panteão de deuses deles) para se referir a Deus. Isso não significa que o Deus bíblico seja o mesmo Deus do paganismo, mas sim que ao usar termos que eles conheciam, poderiam ter uma noção do que estavam falando.

      Excluir
  46. Eu tava vendo aquela série Jesus - His Life https://www.dailymotion.com/video/x74tg9a o episódio 2, sobre João Batista esse episódio. Acho que ficou um pouco legalista e um pouco zombado essa prática hoje e dia, porque pelo que entendi, na época de Jesus, João veio preparar o caminho de Jesus, a nova aliança. Ele fez uma novidade: o batismo de arrependimento de pecados, coisa inexistente até então pois para o Judaísmo os sacrifícios no templo limpava os pecados. Outro paralelo que tem é que assim como os hebreus, no final dos 40 anos do deserto, precisaram atravessar o Rio Jordão para adentrar na terra prometida, as pessoas precisavam "se batizar" para acessar o reino que João anunciava, fazendo aquele mergulho e "renascendo" para uma nova vida, um novo reajuste de conduta e um forte compromisso de fé, desqualificando assim as atividades do Templo, pelo menos de forma inicial. Ou seja, bem ou mal tava tudo meio que avacalhado a ponto de Deus levantar um homem como aquele para pavimentar o que viria por meio de Jesus. O episódio é fantástico. Hoje em dia se a pessoa quiser se batizar ela tem que fazer um curso para entender os rudimentos da fé cristã, mas algumas igrejas batizam crianças que sequer entender nada com nada, o batismo deveria ser uma coisa de adultos. Fora aquelas coisas de batismo em tobogã que já vi, tira até a solenidade da coisa... o episódio também é um tapa na cara dessa doutrina de prosperidade. João passou os ultimos dias numa prisao provavelmente pisando no próprio mijo e nas próprias fezes - e de outros também - antes de ser decapitado. As prisões daquela época eram com certeza piores das que temos hoje, e as de hoje jã é uma tristeza... e depois foi decapitado, sem ter vivido a prosperidade material que tanto se prega por aí. A realidade que me tocou é que no fundo, nos somos aquilos mesmo, peregrinos numa terra distante, não temos morada fixa nesse mundo e estamos de passagem, e que devemos estar dispostos a abrir mão das nossas vidas por causa da fé em Cristo. Essas doutrinas de hoje são um perigo...

    ResponderExcluir
  47. Há nessa polarização partidária que o país vive um perigo para o Evangelho? Esse artigo: https://www.chamada.com.br/mensagens/partidarismo.html aborda como esse tipo de coisa corrompe a fé. O que vc acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em linhas gerais eu concordo com o ponto dele, mas acho que aquele primeiro exemplo que ele passou foi um tanto radical e infeliz. Eu francamente não consigo imaginar como um nascido de novo pode defender um regime totalitário genocida que defende o assassinato de crianças no ventre das mães, um ateísmo de Estado com proibição e perseguição a todas as religiões e a abolição da propriedade privada (leia-se: o roubo de todas as propriedades por parte do Estado), que são inerentes a todo e qualquer regime comunista e fazem parte do propósito do mesmo. Pode até ser que um cristão verdadeiro se diga comunista por não entender realmente o que é o comunismo, mas se alguém conhece realmente a coisa e mesmo assim a defende conscientemente, eu seria o primeiro a dizer que tal pessoa não pode ser considerada cristã.

      Excluir
    2. A minha sala de aula está cheia de gente puxando o saco do comunismo... inclusive o professor de história, que é evangélico. Ele disse abertamente que os socialistas são a favor do Estado Laico e respeitam todas as religiões. Decepcionante.

      Excluir
    3. Respeitam tanto as religiões que destroem todas as igrejas e matam todos os clérigos ou os levam a campos de concentração para os sujeitarem a trabalho forçado e tortura (é tanto respeito que chega a lacrimejar meus olhos).

      Excluir
  48. Banzoli, você acredita seriamente que o Olavo de Carvalho sofra com uma doença psiquiatrica ?
    Eu imagino que ele tenha o Transtorno de personalidade narcisista :
    https://en.wikipedia.org/wiki/Narcissistic_personality_disorder
    https://www.vittude.com/blog/transtorno-de-personalidade-narcisista/

    Honestamente falando creio que ele adquiriu isso depois da "fama" que deram pra ele. No inicio da carreira você percebe que ele não era tão arrogante. Outra coisa é que ele nunca admite que está errado em absolutamente nada, nunca vi ele se redimir porque ele errou (se é que na cabeça dele ele acha que ele errou alguma vez).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tbm penso isso Amigo, creio que ele ficou arrogante dessa forma gracas a idolatria que muitos passaram a ter por ele.
      O Olavo antigamente era fantástico! Fico me perguntando como é que um sujeito que já escreveu livros e artigos incríveis no passado pode falar tanta merda hoje dia? O Pior é que tudo que ele defende atualmente acaba contradizendo as coisas boas que defendia há 8 anos atrás.
      É triste.

      Excluir
    2. Também acho. Na definição de "transtorno de personalidade narcisista", deveria ter uma foto dele ao lado.

      Excluir
    3. Lucas, prepotência e má educação é com sr Olavo mesmo.
      Agora, infelizmente ele não é o único. As redes sociais tá abarrotada de insensatos autoproclamando-se conhecedores do bem e do mal e julgando-se irrefutáveis.
      Nas palavras de Paulo
      "E à semelhança de Janes e Jambres (...) esses também se opõem à verdade. São homens que tiveram suas mentes corrompidas; são reprovados na fé.
      Todavia, os perversos e impostores andarão de mal a pior, enganando e sendo enganados."

      Excluir
  49. Banzoli, como satanás um ser perfeito se tornou imperfeito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele era "perfeito" no sentido de não ter pecado, não no sentido de não poder pecar.

      Excluir
  50. Banzolão o que vc acha disso? https://www.youtube.com/watch?v=HiKFAmR6dRE Se for verdade mesmo que o tal dossiê exista e o Luiz Philippe de Orleans e Bragança é um gay que participa de surubas quero ver a cara dos católicos monarquistas que são super reacionários ao saberem que o ´´príncipe deles ´´ é uma bichona kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ele participa de suruba gay eu não sei, mas o Jean Wyllys e o Frota devem saber.

      Excluir
  51. Acho que a história do dossiê com as fotos do Luiz Philippe na suruba gay é mentira,pq o Bolsonaro disse ter se arrependido de ter escolhido o Mourão em vez do Luiz Philippe,ou seja,inventaram essa história para o Bolsonaro sabendo que ele jamais aceitaria ter como vice um homossexual que participa de orgias https://istoe.com.br/bolsonaro-diz-que-principe-luiz-philippe-de-orleans-e-braganca-deveria-ser-vice-casei-errado/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa fonte que disse isso também não é confiável, o Luiz Philippe já desmentiu que o Bolsonaro tenha falado isso sobre o Mourão (embora não dê pra confiar nem na fonte que disse isso e nem na que negou...).

      Excluir
  52. E aí, Lucas, faz tempo que não escrevo por aqui!

    Não tem a ver com o texto, mas é uma grande dúvida que tenho tido: a Igreja Adventista é "legítima"? Eu sou luterano, tenho 17 anos e estou interessado em uma moça que pelo que eu saiba é adventista, e essa dúvida me incomoda bastante.

    Abraços e Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem? Pra mim os adventistas são tão evangélicos quanto qualquer outro, não vejo nada de mais em namorar uma adventista. O único possível "problema" seria que como um casal é mais apropriado que os dois congreguem na mesma igreja, aí um dos dois teria que "dar o braço a torcer", mas isso é o de menos, é uma questão que seria levantada com qualquer pessoa de qualquer denominação (e também não há uma obrigatoriedade de congregarem na mesma igreja, só é o ideal). Abs!

      Excluir
    2. É que eu vejo muita gente acusando o Adventismo de ser uma seita, sabe? Por causa da questão de certas regras, doutrinas e a Ellen White.

      Excluir
    3. Divergências com o Adventismo do Sétimo Dia eu também tenho, mas nada maior do que divirjo em relação a outras igrejas (sobre outros assuntos) e nada que chegue no nível de ser considerado uma seita. Igreja perfeita só existe no céu, aqui todas as igrejas são naturalmente imperfeitas por serem governadas por homens pecadores e falhos, por isso o nosso dever não é nos iludir na busca de uma "igreja perfeita sem erros", mas sim buscar igrejas sérias que sejam comprometidas com o evangelho, ainda que haja discordâncias acerca de um ou outro elemento doutrinário periférico e não-fundamental para a salvação.

      Excluir
  53. Lucas,

    What do you think of this article?:

    http://catholicnick.blogspot.com/2013/06/a-catholic-grand-slam-against.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wow, does he have four patristic quotes that favor Roman Catholicism? He would be frightened to hear of the thousands of patristic quotations expressly condemning Mary's immaculate conception, the worship of images, the apocryphal books, the obligatory celibacy, the transubstantiation, the auricular confession, the intercession of the saints, the doctrinal "oral tradition", the papacy, purgatory, justification by works, and all. Nor do I know which translation he used to say that the council refers to Sirach 32:19, all translations that I have consulted in any language render the text quite differently from the one quoted by the council.

      Excluir
  54. What do you think of this article?:

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2019/11/refuting-roman-catholic-apologist-de.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. This "De Maria" is a comedy. How much does he think it takes to be fair to be considered saved? Does a little over 50% already fit? Or is it 60%? Or 70%? Or maybe 80%? Or even 95%? Every day we commit sins and wickedness, and we also do acts of righteousness; if it is these acts of justice that save, then he must stipulate how much justice is necessary for us to be "above average" and be saved. This guy must surely live in anguished and tormented conscience all day long...

      Excluir
  55. Ótimo artigo Lucas! I am here. Sem tempo pra nada. Mas here.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você sumiu tanto que eu já tinha pensado que havia se esquecido deste humilde blog :(

      Excluir
  56. Banzoli, minha dúvida não é referente a este artigo mas sobre outro assunto. Pesquisando sobre a origem de satanás, pois queria ter um esclarecimento melhor sobre, acabei me deparando com inúmeros estudos apontando para uma suposta cópia de crenças do povo persa da parte dos hebreus. Mas pra mim n faria sentido os hebreus passarem a crer em satanás somente após essa mistura de culturas, como algo meramente subjetivo, uma vez que Jesus afirma a existência de satanás e seus anjos, creio que esteja errado essa crença de que satanás foi criado após essa mistura de culturas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles afirmam que os judeus só passaram a crer na existência do diabo após a diáspora judaica e por influência do zoroastrismo, o que não faz sentido já que essa religião só surgiu no século VI a.C e só ganhou relevância a partir do século V a.C, quando quase todos os livros do AT já tinham sido escritos. A existência do diabo é bem clara em textos do AT, como estes:

      “Certo dia os anjos vieram apresentar-se ao Senhor, e Satanás também veio com eles” (Jó 1:6)

      “Satanás levantou-se contra Israel e levou Davi a fazer um recenseamento do povo” (1ª Crônicas 21:1)

      “Depois disso ele me mostrou o sumo sacerdote Josué diante do anjo do Senhor, e Satanás, à sua direita, para acusá-lo” (Zacarias 3:1)

      “O Espírito do Senhor se retirou de Saul, e um espírito maligno, vindo da parte do Senhor, o atormentava” (1ª Samuel 16:14)

      “Quando Deus enviou um espírito maligno entre Abimeleque e os cidadãos de Siquém, e estes agiram traiçoeiramente contra Abimeleque” (Juízes 9:23)

      “Sacrificaram a demônios que não são Deus, a deuses que não conheceram, a deuses que surgiram recentemente, a deuses que os seus antepassados não adoraram” (Deuteronômio 32:17)

      “Sacrificaram seus filhos e suas filhas aos demônios” (Salmos 106:37)

      Excluir
  57. Lucas, há o pdf do seu livro A VERDADE SOBRE O INFERNO? Ou ele está incluso no outro, A LENDA DA IMORTALIDADE DA ALMA?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é o equivalente ao oitavo capítulo do livro da alma, eu só tive que dividir em dois livros diferentes por causa do limite de páginas para a publicação de um livro impresso, mas fui burro e preferi colocar dois títulos diferentes em vez de pôr "vol. 1" e "vol. 2" e por isso confundi todo mundo...

      Excluir
  58. Vc ja escreveu algo que defenda a livre interpretacao pessoal da biblia e o estudo pessoal? Vz por outra vejo um catolico ou outro falando que nao se deve fazer isso, citando ate um versiculo la que nao me recordo no momento. Mas com relacao a esse assunto, ja escreveu algo? Se sim, poderia colar o link?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja o tópico chamado "Artigos sobre livre exame" no índice de artigos sobre catolicismo (link abaixo), que reúne todos os artigos que escrevi sobre isso:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-catolicismo.html

      Excluir
  59. Vc conhece esse site: https://www.islam-watch.org/IW/aboutus.htm . No Globo Reporter da ultima sexta-feira o assunto foi a capital da Jordania, Aman. Ao longo do programa a reporter disse que o Alcorao eh um livro sobre "amor ao proximo" . Tipo, acho que ela nao sabe ou fingiu nunca saber que apostasia no Islamismo da pena de morte, atualmente. Ou seja, se a pessoa eh muculmana e aceita Jesus, o jeito eh fugir. Ai andei fucando na net e achei esse site, parece ser interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles são obrigados a dizerem isso na Globo porque é o "politicamente correto", o único grupo religioso que a Globo se permite falar mal são os evangélicos, o resto ela defende e até incita. Obviamente essa tal repórter jamais leu nada do Alcorão, está apenas lendo um script preparado previamente.

      Excluir
  60. Paz do Senor.
    Lucas cuidado com ‘pecado ecológico’.https://br.noticias.yahoo.com/papa-francisco-estuda-a-criacao-de-um-novo-pecado-233048563.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ICAR é tão pica das galáxias que consegue descobrir a existência de pecados novos dois mil anos depois de Cristo (que passaram totalmente despercebidos por todos os papas infalíveis que reinaram até hoje). Esse Sínodo da Amazônia está servindo para muita coisa mesmo, deveriam fazer um desses todos os anos.

      Excluir

Fique à vontade para deixar seu comentário, sua participação é importante e será publicada e respondida após passar pela moderação. Todas as dúvidas e observações educadas são bem-vindas, mesmo que não estejam relacionadas ao tema do artigo, mas comentários que faltem com o respeito não serão publicados.

*Comentários como "Anônimo" ou "Unknown" NÃO serão publicados, identifique-se através da sua conta Google, de um modo que seja possível distingui-lo dos demais.