30 de novembro de 2019

144 Por que a Igreja Católica é o baluarte da extrema-esquerda no Brasil e no mundo


*Nota: O artigo abaixo é um extrato do segundo volume do meu livro sobre a Reforma, ainda em fase final de escrita (você pode comprar ou baixar o primeiro volume na página dos livros). Ele é de certo modo um complemento ao artigo recém-publicado dos papas contra o capitalismo e o liberalismo econômico, cuja leitura é fundamental para compreender este novo artigo.

***

Dizer que hoje em dia uma grande parte do clero católico é esquerdista seria chover no molhado. Até mesmo os católicos mais tradicionalistas reconhecem isso. No entanto, para os católicos de direita, os “padres da libertação” e os “bispos vermelhinhos” não são “católicos de verdade”, mas gente infiltrada na Igreja. Seguindo uma narrativa de dar inveja a qualquer bom conspiracionista, eles sustentam que nas últimas décadas os marxistas conseguiram “se infiltrar” nas fileiras da Igreja para corrompê-la por dentro, razão pela qual há hoje tantos padres militantes de extrema-esquerda – mas isso não tem nada a ver com a doutrina da Igreja, trata-se apenas de uma “infiltração”.

Por essa ótica, o próprio papa Francisco seria um “infiltrado”, pois, como vimos, não há nada que os padres de esquerda digam que Francisco já não tenha afirmado em algum momento. Mas o buraco é mais embaixo: como vimos ao longo de todo este livro, a Igreja Romana adota posições estatistas desde sempre, e essa é a razão primordial por que os países católicos sempre estiveram mais alinhados com a esquerda (sobretudo na parte econômica), também sendo o motivo fundamental pelo qual até hoje há tantos padres (e papas) de esquerda. Em outras palavras, o fato do clero católico ser predominantemente de esquerda não se trata de uma “infiltração”, mas de uma consequência lógica da Doutrina Social da Igreja que ela sempre sustentou.

Segundo Eric Voegelin, um dos autores favoritos dos tradicionalistas, os franciscanos foram os primeiros a considerarem a ideia do comunismo como um ideal “cristão”:

Nem a indiferença escatológica à propriedade dos primeiros cristãos é uma forma de comunismo, como a maior parte dos franciscanos a considerava em função do ideal de pobreza intramundana da ordem. Não obstante, este debate representou na história das ideias o começo da discussão sobre "comunismo" dos primeiros cristãos ainda em andamento.[1]

O autor acrescenta ainda:

Quando Francisco de Assis ataca o "mundo", o mundus ou o saeculum, utiliza um vocabulário evangélico, mas nem sempre com o significado evangélico. O homem não é chamado a arrepender-se porque o reino de Deus está próximo, mas porque a vida de pobreza e obediência é aconselhada como constituição permanente do mundo [supostamente] em conformidade com a vida do salvador.[2]

A obsessão de Francisco de Assis pela pobreza chegava ao ponto de obrigar um de seus discípulos a colocar uma moeda de ouro entre os dentes e enfiá-la no esterco, dizendo-lhe que este era o lugar que cabia ao ouro[3]. Essa mentalidade voltada à pobreza ajudou a fomentar uma atitude passiva diante da miséria que assola todo o continente latino, tal como um anestésico que deixa as massas dormentes. Gloria Álvarez enfatizou este aspecto quando disse:

Eu fui católica os primeiros 22 anos da minha vida, fui à missa todos os domingos, e me dava conta que de um livro enorme sempre se citavam as mesmas escrituras e sempre se enaltecia a pobreza: quanto mais você sofrer neste mundo, quanto mais miserável for, maior será o Reino dos céus pra você. Por outro lado, o rico é mau. Então, se coloca na sua cabeça que ser pobre é uma virtude, e assim você se acomoda, não sente necessidade de mudar.[4]

E embora apologistas católicos adorem citar Voegelin por sua visão crítica da Reforma (embora ele próprio fosse um luterano), eles convenientemente omitem o fato de que para Voegelin até Tomás de Aquino “beirava o revolucionário”, constando “entre os pecadores”:

Mesmo Aquino, que segundo Voegelin obteve um equilíbrio e harmonia entre os muitos elementos de experiência humana e cristã, é descrito por Voegelin como «beirando o revolucionário" em alguns de seus pensamentos (sua ênfase na liberdade e participação no governo, e o papel do intelectual independente, por exemplo). Voegelin refere-se ainda ao «espiritualismo quase protestante de Santo Tomás».[5]

O problema não começou com Calvino, como o próprio Voegelin indica claramente. A este respeito, é imprescindível que o leitor deste volume da História das Ideias Políticas lembre que ela é parte de uma série maior. O que Voegelin chama «a má compreensão iluminada dos símbolos» e «a inclinação gnóstica a estender a operação do intelecto até o reino da fé e do mito» é um processo que já tinha começado no século XII. Nesse contexto, ele chega a colocar Santo Tomás «entre os pecadores».[6]

O próprio comunismo foi idealizado por um santo católico muito antes de Marx surgir pregando o mesmo para o mundo real. Trata-se de Thomas More (1478-1535), canonizado e reconhecido como mártir pela Igreja Romana (um dos muitos que morreram pelas mãos do católico nacionalista Henrique VIII, como vimos no volume anterior). Em sua obra Utopia – termo este que não sem razão foi apossado pelos comunistas do mundo todo – ele idealiza uma sociedade que não perde em nada para uma Coreia do Norte, excetuando o ateísmo de Estado:

O humanista inglês Thomas More, membro do Conselho Privado de Henrique VIII e chanceler da Inglaterra, publica em 1516 a Utopia, inspirada na evolução capitalista inglesa e na República de Platão. (...) A Utopia é uma ilha longínqua, cujo regime é uma ditadura comunista: todos os bens são comuns, os cidadãos não têm o direito de se deslocarem, pois se assim procedessem seria impossível controlar o trabalho e o consumo. Todos os funcionários são eleitos e os utopistas são consultados em todas as questões importantes, mediante referendos. Uma religião do Estado impõe a crença comum num Ser supremo e um culto cívico. O clero, também eleito, escolhe os trabalhadores, os cidadãos letrados, que executam os trabalhos intelectuais e fornecem os candidatos a funcionários. O governo dirige a economia mediante um plano de produção e detém o monopólio do comércio exterior. Os utopistas auxiliam os seus vizinhos a “utopizar-se” e transformam-nos em Estados protegidos. Tudo é válido no combate aos inimigos: põe-se a prêmio a cabeça de seus chefes e provocam-se revoltas.[7]

Na utopia de More não há propriedade privada, que é considerada uma abominação. Seguindo uma linha argumentativa de dar inveja a qualquer comunista, ele escreve: 

Onde existe a propriedade privada, onde o dinheiro é a medida de todas as coisas, não é possível governar de forma justa e próspera.[8]

Embora essas instituições possam parecer superiores (como na verdade são), ainda assim, aqui, afigurar-se-iam inapropriadas porque aqui vigora o regime da propriedade privada, ao passo que lá tudo é desfrutado em comum.[9]

O mais sábio entre os homens percebia claramente que o único caminho para o bem-estar de todos repousa sobre a igualdade na posse dos bens, e eu duvido que essa igualdade possa ser obtida onde a propriedade pertence a particulares. Por mais que os bens sejam abundantes, uma vez que cada homem procura agarrar o mais que pode para seu uso exclusivo, inevitavelmente uns poucos acabarão por possuir tudo, enquanto os demais ficarão na indigência. O resultado é, geralmente, o surgimento de dois tipos de pessoas cuja sorte deveria ser intercambiada: os ricos que são avaros, imorais e inúteis; e os pobres, que são irresponsáveis e tímidos, mas que trabalham duro, mais para o bem público do que para si mesmos.[10]

Assim sendo, estou plenamente convencido de que, a menos que a propriedade privada seja completamente abolida, não é possível haver distribuição justa de bens e nem a humanidade pode ser governada adequadamente. Se a propriedade privada permanecer, a grande e melhor parte da humanidade continuará oprimida por um fardo pesado e inevitável de angústia e sofrimento.[11]

Como Maurois afirma, “More anelava a morte do espírito de cavalaria; anunciava o comunismo, o desprezo do ouro, o trabalho obrigatório para todos”[12]. Lastimavelmente, este livro logo se tornou o mais popular da época[13], não demorando a inspirar autores que buscavam realizar a utopia de More aqui na terra. De fato, a ilha que More idealizou veio a se concretizar alguns séculos mais tarde, numa ilha próxima a Miami, que fez do bote o bem de consumo mais desejável da população dessa ilha (algo que More infelizmente não previu em seu livro). Se Marx estivesse vivo, teria aplaudido entusiasmado: era desse tipo de ilha que ele gostava!

Dois séculos mais tarde, a “utopia” de More serviu de inspiração para um outro inimigo da propriedade privada: trata-se de Étienne-Gabriel Morelly (1717-1778), um pensador e romancista utópico de um dos países mais fortemente católicos do mundo, a França do Antigo Regime. Seu livro O Código da Natureza serviu de base para os pensadores socialistas e comunistas posteriores, onde propunha “uma Constituição destinada a levar a uma sociedade igualitária sem propriedade, casamento, igreja ou polícia”[14]. Pirenne comenta:

O Direito se transforma em uma ideologia que, apresentando-se como única verdade, pretende se impor inclusive pela força, ideia de igualdade que se faz assim revolucionária. Em seu Código da Natureza (1755), Morelly afirma, de acordo com Rousseau, que a propriedade privada é causa de todos os males e invoca a instauração de um comunismo cujos princípios tenta fixar Mably em Da legislação (1776).[15]

Este Mably que Pirenne menciona se refere a Gabriel Bonnot de Mably (1709-1785), um filósofo também francês, que estudou no Colégio de Jesuítas de Lyon e no Seminário de Saint-Sulpice, em Paris. Foi subdiácono da Igreja Católica e confidente do cardeal Pierre Guérin de Tencin. Ele se notabilizou como um dos grandes oponentes da propriedade privada, foi um dos mais principais inspiradores da legislação revolucionária de 1789 e é considerado um dos precursores do socialismo ao lado de Claude-Henri de Rouvroy, mais conhecido como o Conde de Saint-Simon (1760-1825). Curiosamente, Saint-Simon, a quem a história consagra como o «fundador do socialismo», também era da França, que praticamente possuía o monopólio das ideias socialistas na época.

Não deixa de ser curioso o fato do pensamento socialista ter ganhado notoriedade e fama justamente na França posterior à revogação do Édito de Nantes (1685), quando todos os protestantes do país foram expulsos. Foi nestes cem anos seguintes à expulsão que a ideologia revolucionária ganhou corpo e força, se tornando extremamente popular na França, até mesmo entre os católicos mais devotos. Foi também na França que se deu a primeira experiência moderna de um governo socialista, com a Comuna de Paris (1871). Embora tenha durado apenas dez dias (o suficiente para constatar o fracasso de qualquer regime socialista), Marx e Engels a citavam como um exemplo de ditadura do proletariado[16].

Baker sustenta que “a perseguição católica romana contribuiu às misérias do período e desviou muitos para o ceticismo e a revolução”[17], o que ajuda a explicar por que a França era uma verdadeira fábrica de revolucionários e radicais. Em contraste, “a Inglaterra, enquanto isso, se movia para a democratização de sua monarquia. O Parlamento continuamente recebia mais responsabilidades governamentais e políticas. O avivamento de Wesley indubitavelmente salvou a Inglaterra de uma revolução similar à da França”[18].

Na Inglaterra também havia autores iluministas, mas nenhuma revolução se desenvolveu ali nos moldes da Revolução Francesa. Isso se deve sobretudo a dois fatores: a Inglaterra não se via agravada por tantos males como a França, nem o clero era tão imoral e desumano como lá. Por isso não se cultivou na Inglaterra um anticlericalismo como na França, nem um clima de constante indignação popular que se transformaria em revolta, e de revolta em revolução.

No século XX, o livro Humanisme Intégral (1937), do filósofo católico tomista Jacques Maritain, “foi um marco no caminho em direção ao que hoje conhecemos como pensamento social católico progressista”[19]. Maritain era mentor e amigo de longa data do papa Paulo VI, que o homenageou no final do Concílio Vaticano II. As obras de Maritain foram decisivas para a transição do pensamento católico tradicional para o “modernismo”, e influenciou diretamente o Vaticano II. Por volta da mesma época surgiu a JUC (Juventude Universitária Católica), que tinha como objetivo difundir os ensinamentos da Igreja no meio universitário, mas que logo se tornou um braço da esquerda católica.

A JUC tinha como presidente Plínio de Arruda Sampaio, um socialista católico (aquele mesmo que disputou as eleições presidenciais de 2010 pelo PSOL e virou um dos primeiros memes da internet). O grande expoente do pensamento da JUC era o padre jesuíta francês Jean-Yves Calvez (1927-2010), especialista em Doutrina Social da Igreja e autor de um livro sobre Marx que aproximou muitos católicos do marxismo. Sua obra O Pensamento de Karl Marx o tornou célebre no Partido Comunista Francês e lhe rendeu inúmeros convites para conferências comunistas em países da Ásia e do Leste Europeu. Ele nunca foi excomungado pela Igreja e poucos anos antes de morrer proferiu uma série de sermões na Catedral de Notre Dame a convite do cardeal Jean-Marie Lustiger.

O viés esquerdista da JUC não podia ser mais claro:

Em 10 de setembro de 1950, logo após a JUC ter sido lançada como movimento nacional, o bispo franciscano da pequena e antiga cidade de Campanha, Minas Gerais [D. Inocêncio Engelke], publicou uma carta pastoral por ocasião de uma semana (de estudos) ruralista, que reuniu 1.920 padres de paróquias rurais, 250 proprietários de terras, 270 professores rurais e muitas pessoas de ordens religiosas que trabalhavam em escolas secundárias. O título da carta pastoral era: Conosco, sem nós ou contra nós se fará a reforma social.[20]

Dez anos depois (1960), o Congresso da JUC se reuniu para aprovar o documento intitulado Algumas diretrizes de um Ideal Histórico cristão para o povo brasileiro, que incluía a “opção por um «socialismo democrático»”[21]. No início da década de 60, dos 95 mil estudantes universitários do país, quase 10 mil eram da JUC, o que denota a força do movimento que foi um «importante precursor da Teologia da Libertação»[22]. Dali surgiu a Ação Popular, outro movimento nacional de cunho católico, que “carregou a marca do catolicismo progressista até o golpe de abril de 1964”[23]. De acordo com Emanuel de Kadt, “a Ação Popular estava convencida de que somente estruturas em moldes socialistas tornariam isso possível”[24].

Embora tais movimentos tenham sofrido um duro golpe durante a ditadura, muitos dos bispos da CNBB surgiram dali ou foram fortemente influenciados por eles. O próprio Gustavo Gutiérrez, tido como o fundador da Teologia da Libertação, manteve contato com ex-integrantes da JUC antes de publicar o livro Teologia de la Liberatión, em 1971[25]. Ele declarou a Gómez de Souza que, enquanto redigia este livro, que se tornaria a Bíblia da Teologia da Libertação, “parou na metade e sentiu necessidade de vir ao Brasil para discutir certos detalhes e entrevistar alguns antigos militantes da JUC, sobretudo aqueles do período 1960-1963”[26].

A mentalidade esquerdista está tão impregnada no pensamento dos bispos da Igreja Católica brasileira que o pai da CNBB (a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) é ninguém menos que Dom Hélder Câmara, o patrono da esquerda católica e um dos ideólogos da Teologia da Libertação[27]. Cabe lembrar que a CNBB é um organismo permanente autorizado pelo Código de Direito Canônico da Igreja e aprovado oficialmente pelo papa Pio XII, em 1952. Não se trata, portanto, de bispos isolados em rebelião à Igreja, mas de um órgão vinculado ao Vaticano que congrega todos os bispos católicos brasileiros com jurisdição sobre todo o território nacional, ao qual todos os católicos deveriam (ao menos em tese) estar sujeitos.

Isso não impede, todavia, que católicos de direita esbravejem contra este órgão da Igreja, acusando os bispos – aos quais deveriam submissão – de serem comunistas e de militarem em prol de ideais socialistas (o que até certo ponto não deixa de ser verdade). Certo apologista católico conhecido por fazer saudações nazistas chegou a dizer que «a CNBB serve ao diabo» e chamou os bispos de «apóstatas»[28]. Outro youtuber católico, Bernardo Küster, tem um canal quase inteiramente destinado a denunciar a ligação entre a CNBB e a esquerda, particularmente com a esquerda petista. São toneladas de provas e um caminhão de evidências que expõem o modo com que a Igreja tem se aliado ao PT e profanado o altar com mensagens de “Lula livre”[29].

Um site apologético católico chega a dizer que a CNBB é “uma organização comunista revolucionária em favor da implantação do regime comunista no Brasil”[30], enquanto outro alega que a CNBB financia o MST e ONGs abortistas – tudo isso diante das “vistas grossas” do Vaticano[31]. O curioso é que eles não falam nada contra o Vaticano, embora o Vaticano não faça nada contra a CNBB e demonstre uma condescendência perturbadora. Não faz um mês da escrita desde capítulo que Dom Orlando Brandes, o arcebispo metropolitano de Aparecida e uma das maiores autoridades católicas do Brasil, atacou o «dragão do tradicionalismo» e descreveu a direita como «violenta» e «injusta» (sem mencionar que foi a própria Igreja quem criou esse dragão):

Temos o dragão do tradicionalismo. A direita é violenta, é injusta, estão fuzilando o papa, o sínodo, o Concílio Vaticano II. Parece que não queremos vida, o Concílio Vaticano II, o evangelho, porque ninguém de nós duvida que esta é a grande razão do sínodo, do concílio, deste santuário.[32]

O arcebispo de Aparecida não está sozinho. Um apologista católico e antiprotestante reconhece que “tirando alguns padres, 1% dos padres do Brasil, que se posicionam a favor de Jair Bolsonaro, o resto ou são comunistas, ou são relativistas”[33]. Ele também alega que o padre da sua própria paróquia prega abertamente o comunismo[34] e por causa disso ele deixou de ir à missa[35] – a despeito do fato de que faltar à missa é um pecado mortal na teologia católica.

Tamanha é a revolta contra a CNBB que católicos conservadores chegaram a invadir uma reunião dos bispos, os agrediram verbalmente e iniciaram um caos generalizado[36]. O mesmo aconteceu na PUC, quando um representante da CNBB defendeu o comunismo naquela instituição e foi enquadrado por um grupo de tradicionalistas que iniciou um bate-boca violento com direito a ofensas para todos os lados[37].

Até mesmo a maior autoridade católica do Brasil, o cardeal Odilo Scherer, já foi agredido durante a missa aos gritos de “comunista”. Uma mulher interrompeu sua missa e berrou: “Você e a CNBB são comunistas infiltrados; não podem fazer isso com a minha Igreja!”. Então ela avançou sobre o cardeal, arrancou sua mitra, o derrubou no chão e o feriu no rosto[38]. Além de agredido fisicamente, ele também é agredido verbalmente: sem saber que a Igreja também excomunga os astrólogos[39], Olavo declara que Dom Odilo é «um mentiroso e um excomungado» por ter incitado a votar no PT[40] (só falta avisar o Vaticano disso). Cabe lembrar que essas são as mesmas pessoas que acusam os evangélicos de serem divididos e se orgulham de sua pretensa “unidade”.

O cardeal recentemente se envolveu em outra polêmica, ao realizar um culto ecumênico na Catedral da Sé, com a presença de uma sacerdotisa do candomblé, de um xeique islâmico e, principalmente, de vários cartazes de “Lula livre” – o qual foi louvado pelo próprio cardeal, que também convidou para a cerimônia os maiores ícones da extrema-esquerda, tais como Ivan Valente, Eduardo Suplicy e Eduardo Jorge (só gente do bem)[41]. Até o Santuário de Aparecida virou palco de discurso político pró-Lula, numa missa que mais parecia comício eleitoral do PT[42].

Já em Canindé, no Ceará, um padre ao terminar a missa convidou os fiéis para a “manifestação Lula livre”, e recebeu em troca gritos de “Bolsonaro” e “mito”[43]. E pelo jeito não é apenas o “baixo clero” que clama por “Lula livre”: o próprio papa Francisco escreveu uma carta amigável ao presidiário, na qual, entre outras coisas, diz querer “lhe manifestar a minha proximidade espiritual e lhe encorajar pedindo para não desanimar e continuar confiando em Deus”[44]. Por falar em Lula, o próprio reconheceu que só chegou ao poder graças à Igreja Católica:

Por que eu cheguei aonde eu cheguei? Porque eu tenho por detrás de mim um movimento. Eu tenho por detrás de mim uma grande parte dos estudantes, do PT, a CUT, a base da Igreja Católica... eu sou fruto da Teologia da Libertação[45].

Não admira que o próprio PT tenha sido fundado em um convento de freiras por teólogos da libertação, que transformaram o Lula na figura de um líder sindical. Quem diz isso não sou eu, mas o professor católico Júlio Loredo de Izcue, em uma palestra dada no Instituto Plinio Corrêa de Oliveira, de linha rigidamente tradicionalista[46]. O PT não apenas foi fundado pelo clero católico, mas deve a ele o sucesso em seguidas eleições, sem o qual jamais teria chegado ao poder no país mais católico do mundo. Podemos mesmo dizer que se não fosse pelo voto evangélico, o PT estaria ainda no poder, dando uma opção a menos de país para os venezuelanos fugirem.

A pesquisa do Datafolha realizada em 25 de outubro de 2018 (três dias antes do segundo turno) indicou uma intenção de voto de 56% para Bolsonaro e de 44% para Haddad (números muito próximos do resultado efetivo, que foi de 55,1% para Bolsonaro e 44,8% para Haddad). Essa mesma pesquisa trouxe a intenção de voto por segmento religioso, que apresentou os seguintes resultados[47]:

Religião
Bolsonaro
Haddad
Católica
51%
49%
Evangélica
69%
31%
Afro-brasileiras
30%
70%
Espírita
55%
45%
Sem religião
45%
55%
Ateu ou agnóstico
45%
55%
Média total
56%
44%
O único segmento em que o petista perdia por uma vantagem expressiva era entre os evangélicos (entre os católicos houve praticamente um empate técnico, e Haddad ganhava entre as religiões afro e os irreligiosos). Em vista disso, é certo dizer que se o segmento evangélico não existisse, Haddad teria ganho – e com uma certa folga.

Na eleição anterior, de 2014, em primeiro turno, Dilma tinha o voto de 31% dos evangélicos pentecostais e 23% dos evangélicos não-pentecostais, em comparação a 39% de católicos, 39% de umbandistas, 32% dos espíritas e 30% dos sem religião[48]. Mais uma vez, era o segmento evangélico que concentrava a maior oposição à petista. Antes disso, em 2010, o percentual de evangélicos que votou em Serra, o adversário de Dilma, era 44% maior que o de católicos que votavam nele[49].

Mesmo em 2006, quando Lula ainda surfava na boa onda econômica, ele foi rejeitado em segundo turno por 35% dos evangélicos pentecostais e 47% dos não-pentecostais, frente a apenas 28% de rejeição dos católicos[50]. No primeiro turno, ele tinha a preferência de 43% dos pentecostais, 34% dos não-pentecostais e 47% dos católicos[51]. E em 2002, quando Lula obteve 46% dos votos no primeiro turno, o setor religioso que menos votou nele foi justamente o evangélico. Somente 27% dos evangélicos optaram por ele, índice bem abaixo da média de votos que obteve[52].

A primeira vez em que se produziu esse tipo de pesquisa no Brasil foi na eleição de 94, quando mais de dez mil pessoas foram entrevistadas em todo o país, num levantamento de dados que surpreenderia a muitos naquela época. O próprio autor da matéria da Folha, Antônio Flávio Pierucci, diz espantado: “Quem poderia imaginar que o candidato do PT à presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, fosse mais aceito pelos católicos?”[53]. Que surpresa!

O que os dados mostraram? Que a taxa mais baixa de intenções de voto em Lula vinha das mulheres pentecostais (apenas 15% delas tinha a intenção de votar nele), enquanto a taxa mais alta vinha justamente dos homens das CEBs (Comunidades Eclesiais de Base), entre os quais 52% pretendia votar em Lula. No total do eleitorado, Lula recebia 24% das intenções de voto, mas este percentual era muito mais alto nas comunidades católicas (38%) e muito menor entre os evangélicos (18%)[54]. Por que as comunidades católicas eram tão mais propícias a votar no PT em comparação ao resto da sociedade? Prandi e Pierucci explicam:

Por sua politizada concepção de mundo, as CEBs têm estado associadas aos mais diferentes movimentos sociais de reivindicação e de construção de identidades no campo e na cidade, muito próximas dos partidos políticos de esquerda, sobretudo o PT e, em menor grau, o PCdoB, tendo se mostrado eficientes na “produção de militantes”, ou seja, na formação de lideranças comunitárias e partidárias de esquerda.[55]

Isso explica muita coisa!

Infelizmente nós não temos dados concretos da eleição de 89, a primeira desde a redemocratização, mas uma matéria da Folha de 94 dizia que “o candidato do PT não quer repetir o erro de 89, quando perdeu a maioria dos votos dos evangélicos para Collor”[56]. A posição majoritária dos evangélicos podia ser resumida nas palavras do então pastor e deputado Salatiel Carvalho: “Pedirei votos para qualquer candidato que dispute com Lula no segundo turno”[57].

Também não é coincidência que a região mais esmagadoramente católica do Brasil – o Nordeste, a única região onde o protestantismo fez poucos avanços[58] – seja também o quartel-general da esquerda, o reduto eleitoral onde o PT e os partidos mais radicais de esquerda sempre conseguem eleger prefeitos e governadores com pouca ou nenhuma oposição, e onde criticar o Lula é o mesmo que falar mal de Jesus Cristo. Coincidência ou não, o Nordeste é também a região menos desenvolvida do Brasil[59], com mais problemas de todos os tipos. É a região mais pobre, com mais violência e com as piores condições de saúde e educação quando comparada a qualquer outra região do Brasil (e em alguns casos, do mundo todo[60]). Mais coincidência (ou não): a região menos católica (e mais evangélica), o Sudeste[61], é a mais desenvolvida do país[62].

Em síntese, os católicos tem um longo histórico de voto maciço nas candidaturas do PT, o que não é de se estranhar, visto que este partido é um produto do clero romano. De fato, não seria exagero concluir que se não fosse pela resistência evangélica, o Brasil de hoje estaria completamente entregue à extrema-esquerda, de modo análogo à Venezuela. Ao contrário do Brasil, que passou por um “boom” protestante a partir da década de 80, a Venezuela permanece ainda hoje esmagadoramente católica, como era o Brasil na época da ditadura. Como 92% dos venezuelanos são católicos[63] e quase não há protestantes no país, Chávez e Maduro encontraram um terreno fértil para a proliferação de seus ideais socialistas, se perpetuando no poder e deixando a Venezuela nas condições atuais.

Até mesmo Olavo de Carvalho foi obrigado a reconhecer isso, quando disse:

Tenho mil objeções filosóficas, teológicas e históricas ao protestantismo, mas devo reconhecer uma coisa: o clero católico nacional se rendeu tão completamente à Teologia da Libertação que, sem o trabalho das igrejas evangélicas, o sentimento cristão já teria desaparecido do Brasil. Obrigado, irmãozinhos. Orarei sempre para que Deus atenda as suas preces.[64]

O que impediu que Lula e Dilma fizessem no Brasil o mesmo que seus «companheiros» fizeram na Venezuela é porque encontraram pela frente uma resistência que lá praticamente inexiste: os evangélicos. Quem chegou a essa conclusão não fui eu, mas o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República nos tempos de Dilma Rousseff. Trata-se do petista Gilberto Carvalho, ligado à Pastoral Operária (movimento da Igreja Católica), que também atuou como assessor e conselheiro do presidente Lula, sendo uma das figuras de maior destaque e importância nos “bastidores” durante todo o período de governo petista. Quando perguntado sobre o principal inimigo do PT, ele respondeu abertamente e sem rodeios:

É preciso fazer uma disputa ideológica com os líderes evangélicos pelos setores emergentes. (...) Aí a necessidade importantíssima de uma disputa ideológica, de uma disputa de projeto frente a esse novo público que nós sabemos é um público homogenizado por setores conservadores. Lembro aqui, sem nenhum preconceito, o papel da hegemonia das igrejas evangélicas, das seitas pentecostais, que são a grande presença para o público que está emergindo.[65]

Se eles mesmos confessam que a principal resistência ao projeto de poder do PT são os evangélicos, quem somos nós para negar? Ironicamente, ninguém comentou isso com mais lucidez do que o padre Paulo Ricardo, que disse:

Agora a oposição não é mais o problema [para a esquerda]. O problema agora são os cristãos. O problema é a Igreja. A Igreja à qual ele [Gilberto Carvalho] se refere são os evangélicos. Por quê? Porque a Igreja Católica já está domesticada. Isso me fez cair a ficha. Isso me fez compreender que estes homens que estão no poder já não olham mais para a Igreja Católica como uma instância profética que irá questioná-los. (...) Me envergonha. Me envergonha que o governo não esteja planejando nem minimamente perseguir a Igreja Católica. Esteja planejando, sim, fazer algo, entrar numa batalha, mas com os evangélicos – porque são eles que estão representando o Cristianismo em nossos dias. Você que é católico e ouve isso não fica envergonhado? (...) Eu me envergonhei de ser católico... eu me envergonho que as pessoas olhem para mim, padre, e digam: “Você está no bolso do governo”. (...) Onde estão as vozes proféticas da Igreja Católica do Brasil? (...) Eu me envergonho deste silêncio vil. Eu me envergonho desta covardia. Eu me envergonho destes teólogos de corte.[66]

Quem também foi uma das poucas vozes no clero a se levantar contra a inércia da Igreja Católica e a reconhecer o trabalho quase único desempenhado pelos evangélicos foi o padre José Augusto, por ocasião das eleições de 2010. Em plena missa, ele corajosamente pronunciou esse discurso antipetista:

Estou falando para os cristãos que comungam, que rezam o seu ‘tercinho’, que adoram e dizem que adoram o nosso Senhor Jesus Cristo e que não se pronunciam, tudo com medo. Se os evangélicos se pronunciam, nós católicos devemos nos pronunciar também. Chega de sermos católicos mornos, frios e medrosos! (...) Se os outros estão falando, não é possível que os padres da Igreja Católica estejam calados. A gente fala tanto dos evangélicos, diz isso dos evangélicos, fala aquilo dos evangélicos, mas eles têm coragem de se pronunciar, e nós não temos, nós nos calamos. Medrosos! Bando de covardes! Bando de covardes que só querem o benefício de Deus![67]

Misteriosamente, depois disso o padre José Augusto «não foi mais visto em nenhum quadro da Canção Nova»[68] e recebeu uma nota de repúdio do presidente da Fundação João Paulo II, que em nome da Canção Nova disse que “não autorizamos o pronunciamento público do sacerdote padre José Augusto Souza Moreira sobre o Partido dos Trabalhadores, bem como a opinião do mesmo representa tão somente seu pensamento, não sendo em hipótese alguma o pensamento da instituição. Lamentamos o ocorrido e manifestamos mais uma vez nossa obediência aos princípios democráticos”[69]. Mais irônico ainda: o indivíduo que assinou nessa nota é o mesmo que pediu aos sócios da Canção Nova que votassem numa candidata do PT[70] e que convidou o presidente do PT para o seu programa de estreia em sua emissora católica[71]!

Mas não é só o ministro-chefe do PT que reconhece nos evangélicos a maior resistência ao seu projeto de poder. Isso tem sido percebido pelos extremistas de esquerda de toda a parte, incluindo na vizinha Bolívia, onde o socialista Evo Morales tentou criminalizar a evangelização pela criação de um novo Código Penal do país, que proibia o «recrutamento para a participação em conflitos armados ou organizações religiosas ou cultos», punível com sete à doze anos de prisão[72]. Até o início do ano os evangélicos não tinham direitos religiosos, razão pela qual as igrejas protestantes que existiam no país funcionavam de forma clandestina[73].

O detalhe é que a Bolívia é um país 88% católico[74], o que nunca foi impedimento algum à ascensão de líderes socialistas e de políticos populistas de extrema-esquerda. Morales não se preocupou com os 88% de católicos, mas precisamente com a crescente minoria protestante, esta sim encarada como uma ameaça. Nem ele nem ninguém da esquerda se incomoda com o catolicismo, que desde muito já não é uma força capaz de fazer resistência aos governos tirânicos e totalitários de esquerda ou de direita (isso quando não se alia a esses próprios governos).

A razão pela qual os católicos tendem a ser tão complacentes com os governos de esquerda, mesmo os mais radicais, é explicada pelo bispo argentino Marcelo Sánchez Sorondo, amigo de longa data do papa Francisco. Em entrevista ao jornal La Stampa, ele declarou o que se deduz das declarações do próprio papa Francisco: a China comunista é, “neste momento, quem melhor interpreta a doutrina social da Igreja”[75]. Classificando o regime comunista de «brilhante exemplo» e «extraordinário», ele não poupa elogios à ditadura chinesa: “Eles procuram o bem comum, subordinando todas as coisas ao bem geral”[76], diz ele. De forma bizarra, ele afirma que “a economia [na China] não domina a política, como acontece nos Estados Unidos”[77] (talvez porque na China nem existam eleições!).

Diz ainda que “o pensamento liberal liquidou o conceito de bem comum”[78] ao passo em que a China “propõe trabalho e bem comum”[79], e termina assegurando que entre o Vaticano e a China “existem muitos pontos de encontro”[80]. Uma vez que a China é o país que melhor aplica a Doutrina Social da Igreja e ela é uma ditadura de partido único comunista onde toda a economia é controlada pelo Estado (bem como os próprios cidadãos, que não tem qualquer liberdade), é fácil entender por que a ideologia esquerdista faz tanto sucesso nos países de orientação católica. Não é porque eles ignoram a Doutrina Social da Igreja, mas justamente porque a praticam. Assim como a China comunista, a Doutrina Social representa o oposto ao liberalismo americano – por isso o ódio aos Estados Unidos.

Não admira que o papa tenha atacado publicamente as políticas de Donald Trump, ao mesmo tempo em que jamais ergueu a voz contra as ditaduras sanguinárias de Cuba, China e Venezuela. Após Francisco dizer que Trump não é cristão[81] e que o confrontaria pessoalmente sobre muro na fronteira com o México[82], Trump chamou o papa de «manipulado» (embora de manipulado mesmo Bergoglio não tenha nada), e declarou: “Um líder religioso questionar a fé alheia é vergonhoso. Eu tenho orgulho de ser cristão”[83].

Um papa que elege Trump como inimigo e tem Maduro, Morales e Castro como aliados não pode ser coisa boa. Não à toa, o Planalto vê a Igreja Católica como uma «potencial opositora» que trabalha para uma «agenda da esquerda»[84]. Até mesmo o site de apologética católica e antiprotestante “Templário de Maria” recentemente reconheceu:

Quando Bolsonaro era deputado e falava contra o famigerado kit de sexualização precoce infantil, a CNBB virava as costas para ele e se juntava aos promotores do kit em pautas de esquerda que nada dizem respeito à doutrina e ao magistério da Igreja Católica. Ao seu lado estavam os pastores evangélicos e os políticos protestantes que se uniram ao parlamentar católico em defesa da família. Quando Bolsonaro levou uma facada, nenhum padre ou bispo de Juiz de Fora o procurou na Santa Casa. Da mesma forma, após ser transferido para São Paulo, Dom Odilo em momento nenhum se solidarizou por sua luta pela vida e levou um mês para que o primeiro sacerdote católico o visitasse. Ao seu lado estiveram desde o primeiro momento, durante todo o tempo em que permaneceu convalescente, os pastores e políticos evangélicos. Quando Bolsonaro foi eleito, o papa não lhe deu os parabéns e mandou como representante para sua posse um representante do Vaticano considerado alguém desprestigiado de escalão inferior. Com Bolsonaro eleito, o Vaticano e os bispos católicos se voltaram para o tal Sínodo da Amazônia, com foco político de oposição ao governo Bolsonaro e à soberania nacional brasileira numa clara afronta onde um Estado nacional soberano (Vaticano) visa ditar como outra nação deve proceder na condução de suas riquezas naturais e no domínio de seu território[85]

Mas mesmo entre os apologistas católicos há muitos que defendem o PT com unhas e dentes. Um exemplo é Paulo Leitão, o mais conhecido apologista católico brasileiro, um roqueiro e fisiculturista que se diz ex-protestante e tem um programa de TV numa emissora católica. Leitão vive basicamente de duas coisas: atacar o protestantismo e a direita. Nos comentários de uma publicação em que aparece ao lado de Dilma, um seguidor o parabeniza por «finalmente assumir seu lado comunista», ao que ele responde: “Pra combater a direita, nos unimos até com Satanás”[86]. Em seguida, outro seguidor lhe pergunta se ele apoia Fidel Castro e compartilha com o que ele fez, e a resposta não poderia ser melhor: “Sim, além de aplaudi-lo de pé”[87].

Isso não significa que não existam católicos conservadores de direita, mas são, nas palavras dos próprios padres e apologistas católicos, uma minoria acovardada diante de um órgão oficial da Igreja (CNBB) que promove ativamente a militância esquerdista e de um esquadrão de padres da Teologia da Libertação que fazem dos púlpitos um lugar de militância petista e socialista (tudo isso somado a uma maioria de leigos católicos de esquerda que vivem alienados e ajudaram a promover os governos petistas ao longo de todos esses anos).

Você pode ser levado a pensar que essa é uma realidade apenas do Brasil, como se no resto do mundo o cenário fosse um pouco melhor. Leda ilusão. Onde há esquerda no mundo, há uma forte colaboração de movimentos católicos. Quase toda a América Latina foi dominada pela esquerda e muitos deles sobrevivem por um fio, com crises que não parecem acabar nunca (em Cuba e na Venezuela, nem o “fio” existe mais). Os países católicos da África, como Angola, sucumbiram à revolução e são marcadamente esquerdistas, e na Europa aqueles mesmos países católicos que aderiram ao fascismo tiveram longas décadas de regimes esquerdistas em sequência (alguns que duram até hoje).

Na Espanha, o país mais tradicionalmente católico do mundo, a esquerda esteve no poder durante quase todo o período desde o fim da ditadura franquista até hoje. Pedro Sánchez, atual presidente do governo da Espanha desde o ano passado (2018), é do Partido Socialista Operário Espanhol, o mesmo partido de Felipe González (que governou de 1982 a 1996) e de José Luis Rodríguez Zapatero (que governou de 2004 a 2011). Somado os três períodos, o Partido Socialista esteve no poder durante 25 dos últimos 37 anos. No mesmo período, Portugal esteve em mãos dos presidentes Mário Soares (1986-1996) e Jorge Sampaio (1996-2006), ambos do Partido Socialista de Portugal. Após duas décadas de presidentes socialistas, Portugal tem sido governado nos últimos anos por sociais-democratas (uma esquerda mais moderada).

O Partido Socialista também faz sucesso na França, de tradição católica, que foi governada por mais de uma década pelo socialista François Mitterrand (1981-1995) e mais recentemente por François Hollande (2012-2017), também do Partido Socialista francês. Os socialistas também triunfam na Itália, que elegeu para a presidência Giuseppe Saragat (1964-1971), do Partido Socialista Democrático Italiano, e Sandro Pertini (1978-1985), do Partido Socialista Italiano. A última vez que a direita esteve no poder na Itália foi quando os dinossauros ainda existiam no governo de Luigi Einaudi (1948-1955).

Também não faltam primeiros-ministros socialistas na história recente da Bélgica, tais como Achille Van Acker (1945-1946 e depois de novo entre 1954-1958), Paul-Henri Spaak (1946), Camille Huysmans (1946-1947), Paul-Henri Spaak (1947-1949) e Elio Di Rupo (2011-2014), todos do Partido Socialista Belga. Embora nenhum deles tenha conseguido (ainda) fazer uma verdadeira revolução socialista à la cubana, estes dados nos mostram o quão suscetível os países mais católicos da Europa são a políticos socialistas, como alguém que não aprende com os erros do passado. De fato, nestes países o socialismo soa atrativo por boa parte do povo (que em sua maioria permanece católico).

Na década de 60, Boettner corretamente observava:

Durante os últimos cinquenta anos o comunismo fez grandes conquistas nas nações católicas romanas, tanto na Europa quanto na América Latina, enquanto as nações protestantes, os Estados Unidos, a Grã-Bretanha, o Canadá, a Holanda, a Noruega, a Suécia e a Dinamarca, têm sido seus mais efetivos oponentes. De uma Igreja totalitária para um Estado totalitário é um pequeno passo, uma vez que o povo tenha sido treinado a aceitar a autoridade como imposta sobre eles antes de pensarem por si mesmos e planejarem seus próprios negócios. (...) Hoje o maior partido comunista fora da Rússia e da China Vermelha é encontrado na Itália católica romana, morada do papado, precisamente onde, se o catolicismo romano fosse a defesa efetiva que afirma ser, nós encontraríamos o destino derradeiro do comunismo. Aproximadamente um terço de todos os eleitores na Itália hoje são comunistas, como são aproximadamente um quarto daqueles da França.[88]

A mesma tendência de votar em partidos de esquerda que se vê entre os eleitores católicos do Brasil também se faz presente nos outros países católicos do mundo e até mesmo onde os católicos são minoria, como é o caso dos Estados Unidos. Conquanto haja nos Estados Unidos uma grande rotatividade no poder entre o Partido Republicano (de direita) e o Partido Democrata (de esquerda), esse revezamento não existiria se dependesse apenas dos votos dos eleitores católicos do país, que tem uma longa tradição de fidelidade ao Partido Democrata.

Um dos estados mais católicos dos Estados Unidos é o Novo México, formado em grande parte por imigrantes, onde 42% da população é católica. Coincidência ou não, ele é também a principal fortaleza do Partido Democrata, que sempre ganha com larga vantagem todas as eleições municipais, estatuais e federais neste estado. Em contrapartida, os estados do assim chamado «Cinturão Bíblico» (Carolina do Sul e do Norte, Alabama, Geórgia, Mississipi, Tennessee, Kentucky, Arkansas, Texas, Virgínia, Missouri, Oklahoma e Louisiana), onde a tradição protestante está fortemente enraizada e os evangélicos são ampla maioria, são também o principal pilar do Partido Republicano, assim como o Novo México é para o Partido Democrata.

E mais: de acordo com os dados do Instituto Gallup, a ampla maioria dos católicos apoiou o candidato democrata na vasta maioria das eleições presidenciais desde 1952. Entre 1952 e 2000 houve treze eleições presidenciais: em nove delas os católicos apoiaram majoritariamente o candidato democrata, enquanto neste mesmo período os protestantes apoiaram o candidato democrata apenas uma vez[89]. Como afirma Jeffrey Jones, “os católicos apoiaram o candidato democrata em todas as eleições de 1952 a 1968, mesmo na vitória esmagadora de 1956 de Dwight Eisenhower sobre Adlai Stevenson”[90].

Os católicos também optaram por Barack Hussein Obama contra McCain, em 2008, e novamente contra Romney, em 2012 (em ambas as ocasiões o candidato republicano foi o mais votado pelos evangélicos)[91]. Nas eleições parlamentares de 2018, os protestantes apoiaram os republicanos com uma margem de 55% contra 40%, enquanto os católicos apoiaram os democratas numa margem de 51% contra 48%.

Os protestantes sempre foram o carro-forte do Partido Republicano desde a sua fundação em 1854, enquanto os católicos, judeus e pessoas sem afiliação religiosa sempre foram o carro-forte do Partido Democrata desde sua fundação em 1828. Não é surpresa que o único presidente católico da história dos Estados Unidos, John F. Kennedy, era um democrata (apoiado na ocasião por 78% dos católicos e 38% dos protestantes), assim como os outros candidatos católicos à presidência (Al Smith em 1928 e John Kerry em 2004)[92].

Em nossos dias, os políticos mais devotamente católicos e influentes na política americana são também do Partido Democrata, como Gavin Newsom, atual governador da Califórnia, e Andrew Cuomo, atual governador de Nova York. Ambos defendem o aborto, a legalização das drogas, o controle de armas e uma maior participação do Estado na economia. A congressista católica de maior destaque no Congresso americano é Alexandria Ocasio-Cortez, de ascendência porto-riquenha, uma das poucas que se declara abertamente socialista (contrariando toda a cultura americana).

Seus pais porto-riquenhos, em condições de miséria, fugiram de um país estatista para uma potência capitalista e conseguiram ganhar a vida ali, para agora ela querer transformar os Estados Unidos na mesma coisa de Porto Rico. Em vez dos imigrantes católicos assimilarem a cultura americana que os fez ser o que são, muitos deles querem transformar essa cultura à imagem e semelhança daquilo de onde fugiram. Se houvessem mais congressistas como Cortez, provavelmente seria o México que estaria interessado em construir o muro.

Isso não deve estimular um discurso racial ou xenófobo, mas devemos ter em mente que o que fez os Estados Unidos se tornar o que é hoje é justamente sua cultura protestante, capitalista e liberal, que em tempos recentes está sendo desafiada e posta em xeque por grupos tradicionalmente hostis ao capitalismo e à cultura americana como um todo. Diferentemente do que pensava a Klu Klux Klan, a superioridade americana não está na raça ou no sangue, mas na cultura. Não há raças superiores ou inferiores, mas há culturas diferentes vindas de mundos diferentes, algumas delas notoriamente nocivas aos princípios democráticos e liberais.

Não é surpresa pra ninguém que o Vaticano tenha fomentado por muito tempo a imigração de católicos para os Estados Unidos na esperança de que um dia essa nação se tornasse católica, o que lhe garantiria a nação mais poderosa e influente do planeta. De acordo com os dados internacionais de migração, os Estados Unidos possuem hoje quase 20% de população imigrante, índice quatro vezes maior que o segundo colocado, a Alemanha (com quase 5% de imigrantes)[93]. Os Estados Unidos possuem ainda um fluxo imenso de imigração ilegal incomparavelmente maior que qualquer outro, este predominantemente vindo dos países da América Central (como Porto Rico, da senhorita Cortez).

Da mesma forma que há infindáveis inimigos declarados dos Estados Unidos em todos os lugares do mundo, também não faltam inimigos dentro do próprio país, ansiosos por acabar com tudo o que o país tradicionalmente representa. Tal é o caso de uma parte (não todos, como é evidente) de imigrantes ou de descendentes de imigrantes vindos de países hostis a tudo aquilo que os Estados Unidos representa, e que mantém essa hostilidade mesmo dentro de seus domínios.

Boettner via no catolicismo romano uma dessas fontes de influência negativa e anticultural na nação americana, e talvez se ele estivesse vivo hoje se acharia um verdadeiro profeta. Foi dali que veio o movimento mais radical jamais visto na história da esquerda americana, que soaria como um escândalo e um disparate há tempos atrás entre os próprios esquerdistas do país: os “Socialistas Democráticos da América” (ou “DSA”, a sigla em inglês para Democratic Socialists of America).

Este movimento, que é a “esquerda da esquerda” do Partido Democrata, foi fundado por Michael Harrington (1928-1989), um socialista católico descendente de irlandeses[94]. Harrington era editor do jornal Catholic Worker e depois veio a se tornar ateu. Seguindo as diretrizes da Internacional Socialista desde a sua fundação, em 1982, o DSA visa estatizar toda a rede de saúde (ou seja, transformar os hospitais americanos de ponta em um grande “SUS” gringo), estatizar todo o setor financeiro, estatizar toda a propriedade privada e os meios de produção, e, por fim, abolir as classes sociais e toda a hierarquia (incluindo a hierarquia entre professor e aluno)[95].

A organização, que inicialmente era um partido fracassado e depois se tornou uma ala radical do Partido Democrata, tem como principais expoentes a já citada Alexandria Ocasio-Cortez, católica de ascendência porto-riquenha, e Rashida Tlaib, muçulmana de origem palestina[96]. Ambos países com intensa propaganda antiamericana que domina a mídia e os centros universitários. Entre as pautas defendidas por elas, além das já mencionadas, destaca-se a «faculdade gratuita para todos»[97] (leia-se: paga com o dinheiro de todos) e, o mais assustador, o «desmantelamento da polícia de fronteira»[98] e a «abolição da agência de imigração e alfândega dos EUA»[99].

Faz sentido. Se o objetivo é destruir a cultura americana, nada melhor do que abrir as portas para a entrada total e irrestrita de imigrantes hispânicos que não compartilham a mesma cultura que os norte-americanos nem cultivam o mesmo apreço aos seus princípios, valores e crenças historicamente estabelecidos. É a tentativa de “cubanizar” os Estados Unidos, de implodir a América de dentro pra fora.

Mas o pior ainda está por vir. Pense no seguinte: se você quisesse causar o caos, a violência e a anarquia para destruir uma nação a qual odiasse, por onde começaria? Se você pensou em abrir os presídios e acabar com a polícia, acertou na mosca. Parece inacreditável, mas é exatamente isso o que os “Socialistas Democráticos da América” defendem, com esses brilhantes argumentos:

À medida que a DSA cresce e adota campanhas mais ambiciosas, enfrentaremos a repressão estatal de maneiras totalmente novas. Prisões, polícia e um exército crescente de prestadores de serviços de segurança semi-privados são forças repressivas. São ameaças existenciais claras a qualquer movimento por socialismo e justiça. Portanto, a abolição da polícia e das prisões deve ser uma meta explícita e institucionalizada da DSA. (...) A abolição da polícia e das prisões é uma necessidade material do socialismo e, portanto, o futuro da DSA e da esquerda de maneira mais ampla. (...) Temos a convicção de que a polícia e o sistema penitenciário não têm lugar no mundo socialista. (...) Comunidades fortes e com bons recursos não exigem repressão para manter a ordem. Não há nada democrático nem socialista na polícia e nas prisões. A abolição do sistema policial e penitenciário pode parecer impossível, mas se a abolição é impraticável, o socialismo também é. Acreditamos muito que o socialismo é possível, até provável, e sabemos que muitos de vocês estão conosco.[100]

O que eles realmente querem pregando a abolição da polícia e dos presídios? A resposta é simples: causar o caos para destruir a América. Tudo o que gente como Alexandria Ocasio-Cortez mais odeia é o que os Estados Unidos representa com perfeição. Por isso, para eles é imperativo a destruição da cultura americana por meio de um processo revolucionário. É a velha máxima do “quanto pior, melhor”, levada aos seus maiores extremos. Só com os Estados Unidos dizimado e com sua cultura aniquilada é que o comunismo pode prosperar, sobre os escombros da velha grande nação. Portanto, tudo o que servir para destruir o sistema atualmente vigente e provocar a anarquia é bem-vindo na mentalidade psicopata de tais indivíduos. Era o que Boettner temia, e para o qual já alertava um século atrás.

A estratégia é conquistar para destruir, e então construir algo totalmente diferente no lugar – uma grande “cubanização” dos Estados Unidos da América. Este plano soa muito mais maquiavélico do que na Guerra Fria, quando a União Soviética representava um perigo externo muito menor que o perigo interno representado atualmente pela ala mais radical do Partido Democrata. Se a URSS enviava (na maior parte das vezes, sem sucesso) espiões para se infiltrar nas instituições americanas e implodir a nação americana por dentro, o Vaticano está conseguindo isso com muito mais êxito, simplesmente incentivando a imigração massiva de povos católicos com uma cultura totalmente diferente da americana.

Não poucos imigrantes receberam uma educação familiar que reflete antes a cultura de seus países de origem do que a cultura americana tradicional transmitida de pai para filho, geração após geração. Isso é particularmente perigoso quando consideramos que a cultura americana é a base da democracia moderna, das liberdades civis e dos direitos inalienáveis, sem a qual o mundo hoje certamente seria outro. Alguns nutrem um indisfarçado ódio dos Estados Unidos porque foram ensinados que a razão pela qual tiveram que migrar de sua terra natal não foi por causa da pobreza cultural e política de seus países de origem, mas por causa do “imperialismo americano” que supostamente é a causa do atraso e da pobreza desses povos, levando-os a pensar que para que o “imperialismo” acabe, a própria cultura americana precisa acabar.

Todos os grandes expoentes do DSA são imigrantes ou filhos de imigrantes, incluindo Bernie Sanders, filho de pai polonês, que quase ganhou as primárias do Partido Democrata contra Hillary Clinton na última eleição presidencial (2016). Isso obviamente não significa que todos os imigrantes sejam socialistas, e certamente há muitos que apreciam a cultura americana de liberdade e democracia e nela se inserem com prazer, compartilhando os mesmos valores e ideais republicanos. Não obstante, não há como negar que muitos deles tem uma visão muito mais simpática ao socialismo, refletindo a mentalidade predominante em suas terras natais. Não há nada de errado em ser imigrante; o erro é a mentalidade revolucionária (que entre os imigrantes é muito maior).

Alarmado com a recente e crescente onda de americanos socialistas filiados ao DSA, Trump foi aplaudido de pé em seu discurso no Capitólio. Na presença de socialistas como Bernie Sanders (em cuja face o camera man fez questão de dar um belo de um zoom), Trump afirmou:

Aqui nos Estados Unidos estamos preocupados com as novas tentativas de implantar o socialismo em nosso país. A América foi fundada na liberdade e na independência, não na coerção, domínio e controle do governo. Nós nascemos livres e permaneceremos livres. Esta noite, reafirmamos que os Estados Unidos jamais será um país socialista.[101]

Outro contraste entre a ética católica e a política americana é o direito ao porte de armas, garantido pela Segunda Emenda da Constituição, que diz: “Sendo necessária à segurança de um Estado livre a existência de uma milícia bem organizada, o direito do povo de possuir e usar armas não poderá ser infringido”[102]. Como se pode notar, o direito à posse de armas, diferente do que muitos pensam, não se relaciona primordialmente com a proteção do “cidadão de bem” da ameaça de bandidos de rua (pois para isso já existe a polícia, embora ela nem sempre seja eficiente), mas sim com proteger os cidadãos do próprio Estado, ou seja, da ameaça de um Estado totalitário que atue contra a liberdade dos próprios cidadãos.

O Estado pode proteger os cidadãos de criminosos comuns, mas se o próprio Estado for o vilão, não restará ao povo senão proteger a si mesmo contra os agentes do Estado. Por isso os ditadores de regimes totalitários dão prioridade absoluta para o desarmamento dos cidadãos, porque sabem que só assim podem implementar um Estado totalitário eficiente. Foi exatamente isso o que ocorreu em todos os regimes totalitários da história: primeiro o Estado desarma o povo, e então, com este indefeso e incapaz de resistência, ele implementa uma ditadura totalitária que oprime a população ao seu bel-prazer.

Não é de se admirar que o desarmamento tenha sido a primeira medida que Fidel Castro tratou de implementar em Cuba quando chegou ao poder[103], e também a primeira resolução de Hitler na Alemanha nazista[104]. Exatamente o mesmo fizeram a China comunista[105] e a URSS[106]. Mais uma vez, a Igreja Romana se alia aos regimes totalitários ao reservar uma sessão sobre «desarmamento» no Compêndio da Doutrina Social da Igreja, onde afirma: “A Doutrina Social propõe a meta de um desarmamento geral, equilibrado e controlado. O enorme aumento das armas representa uma ameaça grave para a estabilidade e a paz”[107].

Também prega que “medidas apropriadas são necessárias para o controle da produção, da venda, da importação e da exportação de armas leves e individuais”[108], e a “não-proliferação, produção, comércio e uso dos diferentes tipos de armamentos”[109]. Não basta «controlar severamente» os armamentos pesados do Estado, tem que coibir também as armas «leves e individuais»:

A postura dos Estados que aplicam severos controles sobre a transferência internacional de armamentos pesados, mas não preveem nunca, ou tão-somente em raras ocasiões, restrições sobre o comércio das armas leves e individuais, é uma contradição inaceitável. É indispensável e urgente que os governos adotem regras adequadas para controlar a produção, o acúmulo, a venda e o tráfico de tais armas.[110]

Copiando à risca o discurso dos regimes totalitários, a Doutrina Social da Igreja prega o monopólio estatal das armas:

O princípio de suficiência, em virtude do qual um Estado pode possuir unicamente os meios necessários para a sua legítima defesa, deve ser aplicado seja pelos Estados que compram armas, seja por aqueles que as produzem e as fornecem.[111]

O catecismo católico reproduz o mesmo discurso em sua sessão sobre armas, dizendo: “A produção e o comércio de armas afetam o bem comum das nações e da comunidade internacional. Por isso as autoridades públicas têm o direito e o dever de regulamentá-los”[112]. Quem também gosta muito dessa doutrina desarmamentista é o papa Francisco, que já disse que quem fabrica armas ou investe na indústria armamentista não é cristão[113], e condenou a “tendência cada vez mais difusa para se armar por parte tanto dos indivíduos como dos Estados”[114].

Mostrando que sua ignorância não se limita ao campo econômico, ele twitou: “Nós realmente queremos a paz? Então, vamos banir as armas para não ter que viver no medo da guerra”[115]. Com certeza o mundo vivia tempos incríveis de paz na época em que a Igreja dominava tudo e não havia armas de fogo (#sqn). Nos comentários, Bene Barbosa, um dos maiores especialistas em segurança pública e contrário ao estatuto do desarmamento, corrigiu o papa com o texto bíblico que fala da proibição dos israelitas fabricarem espadas e lanças na época em que estes eram dominados pelos filisteus (como se os papas alguma vez tivessem se importado com o que a Bíblia diz)[116]:

“Naquele tempo não havia nem mesmo um único ferreiro em todo o território israelita, porquanto os filisteus haviam proibido os hebreus de fazer espadas e lanças” (1ª Samuel 13:19)

Bene poderia também ter questionado o papa se quando os Aliados fabricavam armas contra os nazistas eles também não estavam sendo cristãos, e se eles deveriam ter ido à guerra com estilingues uma vez que não podiam ter fabricado armas.

Como se não fosse o bastante, os papas desde João XXIII pedem a existência de uma «autoridade política mundial» que possa «realizar um oportuno e integral desarmamento», novamente primando pela centralização política e violando o princípio da soberania dos povos, preparando o terreno para aquele a quem a Bíblia chama de anticristo. Relembrando as palavras de João XXIII, Bento XVI escreveu:

Para o governo da economia mundial, para sanar as economias atingidas pela crise de modo a prevenir o agravamento da mesma e em consequência maiores desequilíbrios, para realizar um oportuno e integral desarmamento, a segurança alimentar e a paz, para garantir a salvaguarda do ambiente e para regulamentar os fluxos migratórios urge a presença de uma verdadeira autoridade política mundial, delineada já pelo meu predecessor, o beato João XXIII.[117]

Isso é tão importante para a Igreja Católica que foi novamente lembrado pelo papa Francisco, poucos anos mais tarde, na mesma encíclica em que ataca o liberalismo:

O século XXI, mantendo um sistema de governança próprio de épocas passadas, assiste a uma perda de poder dos Estados nacionais, sobretudo porque a dimensão econômico-financeira, de caráter transnacional, tende a prevalecer sobre a política. Neste contexto, torna-se indispensável a maturação de instituições internacionais mais fortes e eficazmente organizadas, com autoridades designadas de maneira imparcial por meio de acordos entre os governos nacionais e dotadas de poder de sancionar. Como afirmou Bento XVI, na linha desenvolvida até agora pela doutrina social da Igreja, para o governo da economia mundial, para sanar as economias atingidas pela crise de modo a prevenir o agravamento da mesma e consequentes maiores desequilíbrios, para realizar um oportuno e integral desarmamento, a segurança alimentar e a paz, para garantir a salvaguarda do ambiente e para regulamentar os fluxos migratórios urge a presença de uma verdadeira autoridade política mundial, delineada já pelo meu predecessor, [São] João XXIII.[118]

Por que os papas fazem tanta questão de reiterar vez após vez a necessidade de uma autoridade política global que promova um desarmamento integral de toda a população mundial? Por que eles insistem que um único homem deva ter o poder de governar o mundo inteiro? O que poderíamos esperar de um governo desses, que nas palavras dos próprios bispos católicos tem como modelo a China comunista? O que mais precisa para um governo totalitário global do que alguém que governe o mundo inteiro e desarme todo o povo? Seria o papado uma peça-chave no tabuleiro de xadrez da Nova Ordem Mundial? Responder essas questões estaria além dos objetivos deste livro, mas o tempo e o bom senso se encarregam disso.

• Compartilhe este artigo nas redes:

Por Cristo e por Seu Reino,


- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.




[1] VOEGELIN, Eric. História das Ideias Políticas: Idade Média Tardia. São Paulo: Realizações, 2013. v. 3, p. 136.

[2] VOEGELIN, Eric. História das Ideias Políticas: Idade Média até Tomás de Aquino. São Paulo: Realizações, 2012. v. 2, p. 28.

[3] GONZÁLEZ, Justo L. História Ilustrada do Cristianismo. São Paulo: 2011. v. 1, p. 404.

[4] ÁLVAREZ, Gloria. Roda Viva. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=8EswUD6JSzk>. Acesso em: 14/11/2019.

[5] VOEGELIN, Eric. História das Ideias Políticas: Renascença e Reforma. São Paulo: Realizações, 2014. v. 4, p. 28 (Prefácio).

[6] ibid, p. 29.

[7] MOUSNIER, Roland. História Geral das Civilizações: Os Séculos XVI e XVII – Tomo IV. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1960. v. 1, p. 55-56.

[8] MORUS, Thomas. Utopia. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2004, p. 41-42.

[9] ibid, p. 39-40.

[10] ibid, p. 42-43.

[11] ibid, p. 43.

[12] MAUROIS, André. História da Inglaterra. Rio de Janeiro: Pongetti, 1959, p. 188.

[13] ibid.

[14] GOLDIE, Mark; WOKLER, Robert. The Cambridge History of Eighteenth-Century Political Thought. Cambridge: Cambridge University Press, 2006, p. 762.

[15] PIRENNE, Jacques. Historia Universal: las grandes corrientes de la historia, el siglo XVIII liberal y capitalista. Barcelona: Ediciones Leo, S. A., 1954. v. 4, p. 340.

[16] ROUGERIE, Jacques. Paris libre 1871. Paris: Points, 2004, p. 264.

[17] BAKER, Robert A. Compendio de la historia cristiana. El Paso: Casa Bautista de Publicaciones, 1974, p. 271.

[18] ibid, p. 259.

[19] KADT, Emanuel de. Católicos radicais no Brasil. Brasília: UNESCO, MEC, 2007, p. 81.

[20] ibid, p. 97.

[21] GÓMEZ DE SOUZA, L. A. A JUC: os estudantes católicos e a política. Petrópolis: Vozes, 1984, p. 101.

[22] BAPTISTA, Paulo Agostinho Nogueira. V Congresso Nacional da ANPTECRE – Religião, Direitos Humanos Laicidade. Teologia da Libertação e Geração Universitária, 2015 (Congresso).

[23] KADT, Emanuel de. Católicos radicais no Brasil. Brasília: UNESCO, MEC, 2007, p. 111.

[24] ibid, p. 117.

[25] RIDENTI, Marcelo. O romantismo revolucionário da Ação Popular: do cristianismo ao maoísmo. Prepared for delivery at the 1998 meeting of the Latin American Studies Association, The Palmer House Hilton Hotel, Chicago, Illinois. September 24-26, 1998.

[26] GÓMEZ DE SOUZA, L. A. A JUC: os estudantes católicos e a política. Petrópolis: Vozes, 1984, p. 9.

[27] KADT, Emanuel de. Católicos radicais no Brasil. Brasília: UNESCO, MEC, 2007, p. 97.

[28] LOPPEUX, Conde. A máscara da CNBB caiu. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=3mSqbC1zVzQ>. Acesso em: 06/11/2019.

[29] KÜSTER, Bernardo P. Profanação – Tirem o PT do altar! Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=1emyhCFbOcI>. Acesso em: 06/11/2019.

[30] Disponível em: <http://blogdeunojornal.blogspot.com/2011/06/cnbb-e-uma-organizacao-comunista.html>. Acesso em: 06/11/2019.

[31] PARACLITUS. Denúncia Grave – Coleta da Campanha da Fraternidade financiou MST e ONGS abortistas! Disponível em: <https://www.paraclitus.com.br/atualidades/denuncia-grave-coleta-da-campanha-da-fraternidade-financiou-mst-e-ongs-abortistas>. Acesso em: 06/11/2019.

[32] G1. Em sermão na missa de Aparecida, arcebispo critica 'dragão do tradicionalismo' e diz que 'direita é violenta e injusta'. Disponível em: <https://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/festa-da-padroeira/2019/noticia/2019/10/12/em-sermao-missa-de-aparecida-arcebispo-critica-dragao-do-tradicionalismo-e-diz-que-direita-e-violenta-e-injusta.ghtml>. Acesso em: 06/11/2019.

[33] Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=XrEHXYC_uO8>. Acesso em: 06/11/2019.

[34] Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=gx_Y46sRq8U&fbclid=IwAR3etWJFT2DqxCQu_2LwjaQmT_xnKa7yPN5LdYre8B3gbqy5vjYN_JRd2sY>. Acesso em: 06/11/2019.

[35] Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=XrEHXYC_uO8>. Acesso em: 06/11/2019.

[36] REPÓRTER DO DIA. Bolsonaristas ensandecidos invadem a CNBB e agridem verbalmente os bispos e a Igreja católica. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=3l5ZyoRDP8U>. Acesso em: 06/11/2019.

[37] ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS HOJE. Briga de estudante católico desmascara comunismo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=aazQo0R8_tE>. Acesso em: 06/11/2019.

[38] GENTEDEOPINIÃO. Dom Odílio é agredido em missa aos gritos de comunista. Disponível em: <https://www.gentedeopiniao.com.br/politica-nacional/dom-odilio-e-agredido-em-missa-aos-gritos-de-comunista>. Acesso em: 06/11/2019.

[39] SILVA, Eder. Olavo de Carvalho: católico ou astrólogo? Disponível em: <http://www.montfort.org.br/bra/veritas/igreja/olavo-de-carvalho-catolico-ou-astrologo>. Acesso em: 06/11/2019.

[40] Disponível em: <http://heresiascatolicas.blogspot.com/2015/05/o-que-podemos-aprender-com-o-fight.html>.

[41] KÜSTER, Bernardo P. Eu, o mentiroso! (resposta a Dom Odilo). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=ynebQmkNZHA>. Acesso em: 06/11/2019.

[42] KÜSTER, Bernardo P. Missa vergonhosa por Lula em Aparecida. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Ea_gOCZkuU4>. Acesso em: 06/11/2019.

[43] BRASIL RESISTENTE. Padre pede ato ‘Lula livre’ e o povo grita ‘Bolsonaro’. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=8_gDecBABiY>. Acesso em: 06/11/2019.

[44] SE LIGA PB. Lula divulga carta em que Papa Francisco lamenta perdas familiares e pede coragem para o petista ‘não desanimar’. Disponível em: <https://seligapb.com.br/politica/lula-divulga-carta-em-que-papa-francisco-lamenta-perdas-familiares-e-pede-coragem-para-o-petista-nao-desanimar>. Acesso em: 06/11/2019.

[45] SILVA, Luiz Inácio Lula da. Lula explica como a Igreja Católica ajudou-o no socialismo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=UgF_1tj7a7c>. Acesso em: 06/11/2019.

[46] IZCUE, Júlio Loredo de. Conferência: A Teologia da Libertação morreu? Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=6C1ebziX4nk>. Acesso em: 06/11/2019.

[47] INSTITUTO HUMANITAS UNISINOS. O voto evangélico garantiu a eleição de Jair Bolsonaro. Disponível em: <http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/584304-o-voto-evangelico-garantiu-a-eleicao-de-jair-bolsonaro>. Acesso em: 07/11/2019.

[48] G1. Datafolha para presidente por religião, renda, escolaridade, idade e região. Disponível em: <http://g1.globo.com/politica/eleicoes/2014/blog/eleicao-em-numeros/post/datafolha-para-presidente-por-religiao-renda-escolaridade-idade-e-regiao-3-9.html>. Acesso em: 07/11/2019.

[49] NICOLAU, Jairo. “Determinantes do voto no primeiro turno das eleições presidenciais brasileiras de 2010: uma análise exploratória”. Opin. Publica, vol. 20, n. 3, Campinas, Dec. 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-62762014000300311>.

[50] BOHN, Simone R. “Contexto político-eleitoral, minorias religiosas e voto em pleitos presidenciais (2002-2006)”. Opin. Publica, vol. 13, n. 2, Campinas, Nov. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-62762007000200006>.

[51] DATAFOLHA. Vantagem de Lula em relação à Alckmin se mantém estável; Heloísa Helena ganha quatro pontos. Disponível em: <http://datafolha.folha.uol.com.br/eleicoes/2006/07/1195090-vantagem-de-lula-em-relacao-a-alckmin-se-mantem-estavel-heloisa-helena-ganha-quatro-pontos.shtml>. Acesso em: 07/11/2019.

[52] G1. Eleição acirra debate sobre impacto do voto evangélico. Disponível em: <http://g1.globo.com/brasil/noticia/2010/10/eleicao-acirra-debate-sobre-impacto-do-voto-evangelico.html>. Acesso em: 07/11/2019.

[53] PIERUCCI, Antônio Flávio. Religião interfere em voto do eleitor. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/fsp/1994/8/28/caderno_especial/35.html>. Acesso em: 07/11/2019.

[54] ibid.

[55] PIERUCCI, Antônio Flávio; PRANDI, Reginaldo. “Religiões e voto: a eleição presidencial de 1994”. Opin. Publica, vol. 3 n. 1, Campinas, May. 1995, p. 37. Disponível em: <https://www.cesop.unicamp.br/vw/1IE*BMDM_MDA_01319_/v3n1a02.pdf>.

[56] TREVISAN, Cláudia. Quércia e Lula disputam voto evangélico. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/fsp/1994/6/12/brasil/32.html>. Acesso em: 07/11/2019.

[57] CARVALHO apud TREVISAN, Cláudia. Quércia e Lula disputam voto evangélico. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/fsp/1994/6/12/brasil/32.html>. Acesso em: 07/11/2019.

[58] IBOPE. Catolicismo mantém maioria dos fiéis. Disponível em: <http://www.ibopeinteligencia.com/noticias-e-pesquisas/catolicismo-mantem-maioria-dos-fieis>. Acesso em: 08/11/2019.

[59] BRANDÃO, Marcelo. Pnud comprova desenvolvimento desigual entre regiões do Brasil. Disponível em: <https://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2013/08/pnud-comprova-desenvolvimento-desigual-entre-regioes-do-brasil-6121>. Acesso em: 08/11/2019.

[60] Como se nota pelos dados, o Nordeste brasileiro não é apenas a região mais violenta do Brasil, mas também do mundo: <https://folhapolitica.jusbrasil.com.br/noticias/113786123/nordeste-brasileiro-e-a-regiao-mais-perigosa-e-violenta-do-mundo-aponta-estudo>. Acesso em: 08/11/2019.

[61] MIRANDA, Juliana. Religião na Região Sudeste. Disponível em: <https://www.grupoescolar.com/pesquisa/religiao-na-regiao-sudeste.html>. Acesso em: 08/11/2019.

[62] CERQUEIRA E FRANCISCO, Wagner de. Região Sudeste. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/brasil/a-regiao-sudeste.htm>. Acesso em: 08/11/2019.

[63] Disponível em: <https://www.suapesquisa.com/paises/venezuela>. Acesso em: 08/11/2019.

[64] Disponível em: <https://www.obuxixogospel.com.br/2019/05/depois-de-brigasolavo-de-carvalho-e-silas-malafaia-concordam-sobre-os-evangelicos>. Acesso em: 12/11/2019.

[65] GOSPEL PRIME. PT planeja disputar a classe C com líderes evangélicos. Disponível em: <https://www.gospelprime.com.br/pt-planeja-disputar-a-classe-c-com-lideres-evangelicos>. Acesso em: 08/11/2019.

[66] AZEVEDO JÚNIOR, Paulo Ricardo de. Padre Paulo Ricardo admite que evangélicos representam o Cristianismo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Jz_8IflZGVk>. Acesso em: 08/11/2019.

[67] AUGUSTO, José. Padre Jose Augusto denuncia o PT e Canção Nova se acovarda! Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=6Qln88pzEHU>. Acesso em: 08/11/2019.

[68] Disponível em: <https://peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR79590>. Acesso em: 08/11/2019.

[69] TENÓRIO, Marcelo. Em defesa do Padre José Augusto da Canção Nova. Disponível em: <http://www.montfort.org.br/bra/veritas/politica/defesa-padre>. Acesso em: 08/11/2019.

[70] FRATRES IN UNUM. Inacreditável! Nova nota da Canção Nova desautoriza publicamente Padre José Augusto. Disponível em: <https://fratresinunum.com/2010/10/05/nova-nota-da-cancao-nova-desautoriza-publicamente-padre-jose-augusto>. Acesso em: 08/11/2019.

[71] AZEVEDO, Reinaldo. A petização e a peemedebização da Canção Nova – Presidente do PT-SP ganha programa na TV da comunidade; na estreia, Gilberto Carvalho e Chalita! Disponível em: <https://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/a-petizacao-e-a-peemedebizacao-da-cancao-nova-8211-presidente-do-pt-sp-ganha-programa-na-tv-da-comunidade-na-estreia-gilberto-carvalho-e-chalita>. Acesso em: 08/11/2019.

[72] GUIAME. Evo Morales pretende criminalizar o evangelismo na Bolívia. Disponível em: <https://guiame.com.br/gospel/noticias/evo-morales-pretende-criminalizar-o-evangelismo-na-bolivia.html>. Acesso em: 13/11/2019.

[73] GONÇALVES, Marina. Oposição a Evo Morales usa religião como arma na Bolívia. Disponível em: <https://oglobo.globo.com/mundo/oposicao-evo-morales-usa-religiao-como-arma-na-bolivia-24075784>. Acesso em: 13/11/2019.

[74] Dados disponíveis em: <https://www.suapesquisa.com/paises/bolivia>. Acesso em: 13/11/2019.

[75] SORONDO apud ÁLVAREZ, Andrés Beltramo. “Chinos, quienes mejor realizan la doctrina social de la Iglesia”. Disponível em: <https://www.lastampa.it/vatican-insider-es/2018/02/02/news/chinos-quienes-mejor-realizan-la-doctrina-social-de-la-iglesia-1.33975278?refresh_ce>. Acesso em: 13/11/2019.

[76] ibid.

[77] ibid.

[78] ibid.

[79] ibid.

[80] ibid.

[81] G1. Papa diz que Trump não é cristão por suas opiniões sobre imigração. Disponível em: <http://g1.globo.com/mundo/eleicoes-nos-eua/2016/noticia/2016/02/papa-diz-que-trump-nao-e-cristao-por-sua-opiniao-sobre-imigracao.html>. Acesso em: 13/11/2019.

[82] G1. Papa diz que confrontaria Trump pessoalmente sobre muro na fronteira. Disponível em: <https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/05/28/papa-francisco-diz-que-confrontaria-pessoalmente-donald-trump-sobre-muro-na-fronteira-com-o-mexico.ghtml>. Acesso em: 13/11/2019.

[83] IG. Donald Trump rebate crítica e chama papa Francisco de “vergonhoso”. Disponível em: <https://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2016-02-18/donald-trump-rebate-critica-e-chama-papa-francisco-de-vergonhoso.html>. Acesso em: 13/11/2019.

[84] ESTADÃO. Planalto vê Igreja Católica como potencial opositora. Disponível em: <https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,planalto-ve-igreja-catolica-como-potencial-opositora,70002714758>. Acesso em: 13/11/2019.

[85] BELLOTE, Caio. Um recado aos católicos que promovem linchamento virtual ao Presidente Bolsonaro. Disponível em: <https://templariodemaria.com.br/um-recado-aos-catolicos-que-promovem-linchamento-virtual-ao-presidente-bolsonaro>. Acesso em: 08/11/2019.

[86] Disponível em: <http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/12/imperdivel-provas-incontestaveis-de-que.html> (na parte de “Material Bônus”).

[87] ibid.

[88] BOETTNER, Lorraine. Roman Catholicism. New York: P & R Publishing, 1962.

[89] JONES, Jeffrey M. The Protestant and Catholic Vote. Disponível em: <https://news.gallup.com/poll/11911/protestant-catholic-vote.aspx>. Acesso em: 10/11/2019.

[90] ibid.

[91] MARTÍNEZ, Jessica; SMITH, Gregory A. How the faithful voted: A preliminary 2016 analysis. Disponível em: <https://www.pewresearch.org/fact-tank/2016/11/09/how-the-faithful-voted-a-preliminary-2016-analysis>. Acesso em: 11/11/2019.

[92] JONES, Jeffrey M. The Protestant and Catholic Vote. Disponível em: <https://news.gallup.com/poll/11911/protestant-catholic-vote.aspx>. Acesso em: 10/11/2019.

[93] Dados disponíveis em: <https://migrationdataportal.org/?i=stock_abs_&t=2019>. Acesso em: 11/11/2019.

[94] DETTLOFF, Dean. The Catholic Case for Communism. Disponível em: <https://www.americamagazine.org/faith/2019/07/23/catholic-case-communism>. Acesso em: 11/11/2019.

[95] NEUFELD, Jennie. Alexandria Ocasio-Cortez is a Democratic Socialists of America member. Here’s what that means. Disponível em: <https://www.vox.com/policy-and-politics/2018/6/27/17509604/alexandria-ocasio-cortez-democratic-socialist-of-america>. Acesso em: 12/11/2019.

[96] DETTLOFF, Dean. The Catholic Case for Communism. Disponível em: <https://www.americamagazine.org/faith/2019/07/23/catholic-case-communism>. Acesso em: 11/11/2019.

[97] NEUFELD, Jennie. Alexandria Ocasio-Cortez is a Democratic Socialists of America member. Here’s what that means. Disponível em: <https://www.vox.com/policy-and-politics/2018/6/27/17509604/alexandria-ocasio-cortez-democratic-socialist-of-america>. Acesso em: 12/11/2019.

[98] MARS, Amanda. Alexandria Ocasio-Cortez, o fenômeno da nova esquerda em Washington. Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2019/02/14/internacional/1550183671_937782.html>. Acesso em: 12/11/2019.

[99] NEUFELD, Jennie. Alexandria Ocasio-Cortez is a Democratic Socialists of America member. Here’s what that means. Disponível em: <https://www.vox.com/policy-and-politics/2018/6/27/17509604/alexandria-ocasio-cortez-democratic-socialist-of-america>. Acesso em: 12/11/2019.

[100] DSA PRAXIS. Abolish Police and Prisons. Disponível em: <https://medium.com/@DSA_Praxis/abolish-police-and-prisons-fa263c44b3cb>. Acesso em: 12/11/2019.

[101] TRUMP, Donald John. President Trump: We will never be a socialist country. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=FKF_590azfw>. Acesso em: 12/11/2018.

[102] UNITED STATES SENATE. Constitution of the United States. Disponível em: <https://www.senate.gov/civics/constitution_item/constitution.htm>. Acesso em: 14/11/2019.

[103] GIACONI, Luiz. Breve história do desarmamento, parte 3: controle de armas no mundo comunista – O leste europeu e Cuba. Disponível em: <https://www.defesa.org/breve-historia-do-desarmamento-parte-3-controle-de-armas-no-mundo-comunista-o-leste-europeu-e-cuba>. Acesso em: 14/11/2019.

[104] GIACONI, Luiz. Breve história do desarmamento, parte 5: controle de armas na Alemanha Nazista. Disponível em: <https://defesa.org/dwp/breve-historia-do-desarmamento-parte-5-controle-de-armas-na-alemanha-nazista>. Acesso em: 14/11/2019.

[105] GIACONI, Luiz. Breve história do desarmamento, parte 4: controle de armas no mundo comunista – China. Disponível em: <https://defesa.org/dwp/breve-historia-do-desarmamento-parte-4-controle-de-armas-no-mundo-comunista-china>. Acesso em: 14/11/2019.

[106] GIACONI, Luiz. Breve história do desarmamento, parte 2: controle de armas no mundo comunista – A União Soviética. Disponível em: <https://defesa.org/dwp/breve-historia-do-desarmamento-parte-2-controle-de-armas-no-mundo-comunista-a-uniao-sovietica>. Acesso em: 14/11/2019.

[107] COMPÊNDIO DA DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA, §508. Disponível em: <http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/justpeace/documents/rc_pc_justpeace_doc_20060526_compendio-dott-soc_po.html>. Acesso em: 14/11/2019.

[108] ibid, §511. 

[109] ibid, §508. 

[110] ibid, §511. 

[111] ibid, §508. 

[112] §2316 do Catecismo Católico. Disponível em: <http://catecismo-az.tripod.com/conteudo/a-z/a/arma.html>. Acesso em: 14/11/2019.

[113] G1. Papa diz que fabricantes de armas não podem se dizer cristãos. Disponível em: <http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/06/papa-diz-que-fabricantes-de-armas-nao-podem-se-dizer-cristaos-20150621163504098059.html>. Acesso em: 14/11/2019.

[114] VATICAN NEWS. Francisco: mercado de armas é uma ameaça para a humanidade. Disponível em: <https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2019-01/papa-francisco-armas-nucleares.html>. Acesso em: 14/11/2019.

[115] Disponível em: <https://twitter.com/pontifex_pt/status/990553784274239488?lang=pt>. Acesso em: 14/11/2019.

[116] ibid.

[117] BENTO XVI. Caritas in Veritate, 67. Disponível em: <http://w2.vatican.va/content/benedict-xvi/pt/encyclicals/documents/hf_ben-xvi_enc_20090629_caritas-in-veritate.html>. Acesso em: 10/12/2018.

[118] PAPA FRANCISCO. Laudato si', 175. Disponível em: <http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si.html#_ftn129>. Acesso em: 10/12/2018.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui todos são respondidos :)

144 comentários:

  1. Banzolão excelente artigo como sempre!É fato que nos países católicos quase sempre a esquerda fica no poder muito mais tempo que a direita,mas me permita fazer uma observação sobre a Itália,nos últimos a direita esteve sim no poder neste país e está até hoje,Silvio Berlusconi é do Forza Italia,https://en.wikipedia.org/wiki/Forza_Italia_(2013), que é de centro direita,ele pode ser um corrupto,mafioso,promíscuo,mas o partido é considerado de direita,assim como o atual primeiro ministro,Giuseppe Conte,que é independente,mas seu gabinete é formado por membros do partido Lega Nord,que é de direita tbm,apesar de ser uma direita ultranacionalista,reacionária em vez de conservadora,como toda direita católica,eu te comentei em um post do outro artigo ao falar de casos de racismo no futebol italiano,que a direita nesse país e em outro países católicos como França(Frente Nacional) e Espanha(Vox) são direitas que muitas vezes defendem pensamentos racistas,xenófobos e a junção do catolicismo ao estado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu falei dos presidentes (releia o trecho em questão), Berlusconi foi primeiro-ministro da Itália e não presidente. Mas mesmo entre os primeiros-ministros é raro um declaradamente de direita; o último foi o Berlusconi, depois dele teve três de partidos de esquerda e dois independentes (e mesmo assim os de direita são desse tipo de direita que você descreveu bem).

      Excluir
  2. Sobre a rejeição dos protestantes ao PT e a esquerda em geral leia esse artigo do Júlio Severo em que ele conta a sua experiência através dos televangelistas norte americanos que eram exibidos no Brasil desde os anos 70 http://juliosevero.blogspot.com/2015/09/a-consciencia-antimarxista-do.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Artigo legal, pena que os dois exemplos que ele usou são de um herege master e um maníaco sexual. Julio precisa melhorar suas inspirações.

      Excluir
  3. Sobre os apologetas católicos eu noto que apesar de abomina-la existe uma certa coerência na Condessa,porque ela é crítica do capitalismo,do liberalismo econômico e do tal imperialismo norte americano,apesar de também rejeitar a esquerda,enquanto que Bernardo Kuster e outros olavistas defendem esses valores típicos do protestantismo e querem transportá-los para o catolicismo,sendo que oficialmente a ICAR rejeita esses pensamentos,mas vc acha que os olavistas podem crescer e se tornar um movimento relevante dentro da igreja ou estão condenados ao fracasso?Basta o astrolavo bater as botas que eles serão esquecidos e se tornarão irrelevantes?E pq eles não percebem que esses valores são protestantes e continuam no catolicismo?O próprio Bernardo Kuster já foi protestante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é que eles vão se tornar irrelevantes quando o astrólogo morrer, eles já são irrelevantes hoje. A Cúria romana não faz bulhufas de ideia sobre quem é o Olavo e os olavetes tem influência ZERO sobre o alto clero. Nem aqui no Brasil eles são relevantes (a esmagadora maioria dos padres permanece de esquerda), quanto menos em escala global. E pelo andar da carruagem, a tendência é piorar cada vez mais. Sobre por que eles não percebem que esses valores são protestantes, há várias formas de responder isso. A primeira e mais provável é também a mais simples: porque são burros. A segunda é porque são todos manipulados por um guru que de coerência não tem nada, tanto é que se diz católico mas ao mesmo tempo é astrólogo (sendo a astrologia condenada oficialmente pela ICAR) e diz que o atual papa é um antipapa e falso profeta. Diante disso, se dizer liberal e católico é fichinha. Qualquer um percebe que o único papa da seita olavete é o próprio Olavo, o catolicismo é apenas uma fachada conveniente, e ali quem faz as regras é ele.

      Excluir
  4. Hello Lucas,

    I know that I have shared the following link with you as of recently. However, I wanted to add it here again for you to check out because more excerpts have been cited:

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/search?q=Spiros+Zodhiates+

    I just finished reading this book...This guy actually seems pretty good overall, even though I do not agree with everything he says (he is a Pentecostal, etc.).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. I will read this book just because he is Pentecostal and etc :D

      Excluir
    2. I'm sorry, but I think you misunderstand me...I was simply giving you some details as to who this person was...He was born in Greece, etc. I was providing somewhat of a description as to who he was. I just thought you would find that book to be interesting, which obviously is not the case.

      Excluir
    3. It was just a joke, of course I'm interested in the book.

      Excluir
  5. Banzolão e vc atribui o sucesso econômico da Região Sul a forte presença da imigração alemã?Muitos deles eram luteranos,apesar que vieram muitos alemães católicos tbm,assim como outros povos majoritariamente católicos como italianos,poloneses,mas achas que os luteranos fizeram uma boa diferença para o sucesso econômico Região Sul?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não só por isso, na verdade qualquer povo europeu trouxe uma mentalidade mais favorável aos negócios do que a mentalidade tradicional trazida pelos portugueses (até porque Portugal era e continua sendo um dos países mais atrasados da Europa). Não é por acaso que as regiões mais atrasadas do Brasil sejam aquelas que receberam menos imigrantes (i.e, Norte e Nordeste), e as mais desenvolvidas sejam as que receberam mais (i.e, Sul e Sudeste). Se não fosse pela imigração, provavelmente o Brasil seria tão ou mais atrasado que um Peru ou Bolívia (que receberam poucos imigrantes), como era na época do Império.

      Excluir
  6. Banzolão entre os que deram mais votos ao petista Haddad o gráfico cita as religiões afro-brasileiras,vc acha que a perpetuação dessas religiões também é consequência do fraco fervor missionário católico e do sincretismo dessa religião?Porque nos EUA vc não vê religiões afro-americanas,são praticamente inexistentes,os negros norte americanos abandonaram totalmente suas crenças africanas e se tornaram protestantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respondi isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/11/por-que-igreja-catolica-e-o-baluarte-da.html?showComment=1575315270201#c7241887717051076004

      Excluir
  7. Banzolão eu citei as religiões afro-brasileiras no outro post,elas são tão demonizadas pelos protestantes,especialmente os pentecostais e eu como protestante penso que realmente cultuar orixás é cultuar demônios,assim como cultuar os ´´santos´´ católicos também,sei que duramente os cultos em muitos terreiros,pessoas ficam possuídas por demônios acreditando estarem possuídas pelos tais orixás,vc sabe que ocorre,há registros de pessoas sendo possuídas enquanto cultuam os ´´santos´´ católicos seja dentro da própria igreja ou em seus lares?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc já soube de algum caso de alguma pessoa católica que ficou possuída por demônios por estar cultuando imagens,assim como os praticantes de umbanda e candomblé ficam possuídos nos terreiros?

      Excluir
    2. A possessão não é algo que se manifesta assim. A maioria das pessoas que tem demônio passa a vida inteira sem se manifestar externamente desse modo; sem nunca passar por um exorcismo, falar com voz grossa, revirar os olhos ou coisa do tipo. Isso acontece na umbanda porque ali eles acreditam que os "orixás" realmente tomam conta do corpo deles e os "possuem", ou seja, trata-se de algo deliberado, os demônios jamais agiriam do mesmo modo no corpo de um ateu (que não crê no diabo, para o qual é ótimo que ele continue não acreditando) ou de um católico (que logo na hora sacaria que se trata de possessão demoníaca), então na maioria dos casos ele atua de forma sutil e discreta, sem alardes.

      Excluir
  8. Banzolão vc acha isso realmente possível? https://www.youtube.com/watch?v=j26ojL1Z5LU&t=246s

    ResponderExcluir
  9. Comente: https://www.youtube.com/watch?v=tSZeVQSQ1Vo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conhecia a história deste homem, mas gostei muito.

      Excluir
  10. Comente:https://www.youtube.com/watch?v=T6iT4LaTsPQ ,conheces os autores citados no vídeo?Se sim qual sua opinião sobre eles?

    ResponderExcluir
  11. Lucas, interessante artigo. De fato, o meu entendimento é que a Santa Igreja Católica é um sinal de contradição ao mundo moderno cuja matriz é o liberalismo, o subjetivismo e o individualismo que são matrizes das loucuras de esquerda, mas que mesmo assim a esquerda guarda algo que defende o cristianismo e a Igreja, mas de forma enlouquecida, por isso, parece evidente, a Igreja é mais condescendente com a esquerda do que com a direita liberal, individualista e muitas vezes farisaica, porque muito dura para com os pobres.

    Eis aqui a hiperligação para a minha postagem no meu blog que eu propus que tu lesses na tua postagem anterior, mas que a hiperligação anteriormente postada falhara: https://joaoemilianoneto.blogspot.com/2019/11/o-que-se-quer-com-o-cristianismo.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João Emiliano Martins Neto, já que você continua postando os seus devaneios, que tal falarmos de quanto os franciscanos, jesuítas e dominicanos que são muito piores que a tal “direita liberal, individualista e muitas vezes farisaica, porque muito dura para com os pobres”?!
      Poderíamos também falar sobre o feudalismo muito apoiado pela igreja católica, do qual os pobres não podiam nunca sair da pobreza?!
      Também podemos falar sobre o apoio ao comunismo, eco terrorismo, panteísmo, tribalismo, etc?!
      A maneira de se “preocupar” com os pobres que gente que nem você tem é bem assustador.

      Excluir
    2. Se a direita liberal fosse "dura para com os pobres", esperaríamos ver uma legião de miseráveis nos países de tradição liberal (como os Estados Unidos e a Suíça) e nenhum miserável nos países de tradição estatista (como a América Latina e a África), mas algo me diz que não é o caso...

      Excluir
    3. Luiz, tu fizestes um espantalho maniqueísta da esquerda como a encarnação de todo o mal com uma salada a misturar a Igreja Católica em toda essa confusão.


      Lucas, eu vejo a direita como dura para com os pobres, porque o mundo para uma certa direita liberal é como uma grande empresa aonde vige a lógica de mercado, do lucro, do consumo e do descartável em nome de uma ideia de meritocracia que não leva em conta o nível de desigualdade que há entre as pessoas ou classes sociais, por exemplo, para a disputa em uma vaga em uma universidade estatal em que um estudante de classe média ou alta tem mais chance de ingressar em uma USP ou UNICAMP do que um estudante pobre.

      Excluir
    4. Já existem cotas para estudantes pobres, isso não é um ponto em disputa e não afeta em nada o liberalismo (que diz respeito ao modo como se conduz a economia e não sobre quem vai ingressar na USP).

      Excluir
    5. Não, João Emiliano Martins Neto, eu não fiz nenhum espantalho maniqueísta da esquerda, pois ela é sim o que existe de pior no mundo.
      Não existe confusão nenhuma em mistura a igreja católica no meio, sendo que ela é criadora de várias teorias, tanto da esquerda (tem a preferência por esse tema) quanto da direita.
      A sua reposta para o Lucas me faz ter pena de você. Assim como todo o esquerdista você vive em um mudo de faz de conta.

      Excluir
  12. Sobre a aproximação do Brasil com a Hungria, https://noticias.uol.com.br/reportagens-especiais/a-hungria-de-viktor-orban-um-pais-onde-a-democracia-agoniza/index.htm#ajude-seu-comite-antifascista-local , tipo, acho um pouco exagerada a reportagem. Pra eles, qualquer país que se declare abertamente cristão agora é ultraconservador. E gostam de associar controle de imprensa (que é ruim) com controle de imigração (que é bom) sempre em uma mesma frase, aparentando que tudo é ruim. Sem falar que agora quem não é de esquerda, é fascista. E o autor do livro "Como morrem as democracias" é claramente contra o Trump. A esquerda (no sentido marxista completo) pregar democracia é a mesma coisa de Satanás pregar arrependimentos de pecados. Discordo de muita coisa que o governo Bolsonaro declara mas reconheço que dessa vez os cristãos estão sendo valorizados, os evangélicos estão tendo espaço agora de forma oficial e não de forma oficiosa, eu não vejo absurdo nisso. O que me chateia é ver a impressa associar o cristianismo como estrangulamento de direitos, naturalmente eles olham para trás e veem os absurdos que o Catolicismo produziu e associa a todo o Cristianismo. Mas não querem olhar para a liberdade que existe nos EUA, fruto de governos cristãos (protestantes, apenas um foi exceção). Fico com a impressão de que estão defendendo tudo que é contra o que Deus quer botando capa de direitos humanos. O aborto é um exemplo claro disso. Se um cristão diz que é contra aborto e pró-vida, do outro lado vão dizer que sou contra direito das mulheres (sem citar que aborto é homicídio, claro) e que sou machista e tudo mais. Vai chegar um dia em que ser cristão será crime mesmo, previsto em código penal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem destacado, é isso mesmo. Quanto mais nos aproximarmos do fim, mais o Cristianismo será rotulado como "fascista, machista, xenófobo, homofóbico" e etc, como um pretexto para se perseguir os cristãos (ou pelo menos os cristãos fiéis). Já vemos o início disso hoje, o que deve piorar bastante quanto mais aumentar a apostasia e o sentimento anticristão no mundo.

      Excluir
  13. Banzolão o que achas dessa história? https://debaixodoceu.wordpress.com/2013/07/30/o-menino-que-conheceu-jesus/

    Eu fiquei pensando nesse caso,pq é uma história muito bonita,o Segatashya era um adolescente de uma família pagã do interior de Ruanda que nunca tinha tido contato com o cristianismo,era bem simples,analfabeto e tem uma visão de Jesus,que lhe propõe responder todas as suas dúvidas,mas o problema é que é relatado que ele teve visões da Virgem Maria tbm?Eu vi vídeos do Setagashya que estão disponíveis, https://www.youtube.com/watch?v=goFI92CX0Hg e ele não me parece mentiroso nem ter inventado todas as histórias,eu não duvido que Cristo possa ter lhe aparecido,eu fiquei pensando que talvez as histórias da aparição da Virgem Maria podem ter sido inventadas pelo clero local na possibilidade de lucrar com a história dele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todas essas supostas "visões" de Jesus, do céu e do inferno são ou alucinações ou charlatanismo, é quase impossível achar um relato que seja minimamente razoável. Eu já falei sobre isso muitas vezes: não se estabelece doutrina baseado em testemunhos pessoais, mesmo porque em 99% dos casos esses testemunhos levam a heresias das mais grosseiras e extravagantes possíveis. Menos ainda quando é o testemunho de uma criança, pois criança mente por hábito e é facilmente manipulada por pessoas mais velhas.

      Excluir
  14. Banzolão e pq vc acha que os judeus dos EUA votam maciçamente no Partido Democrata se no geral os Republicanos são bem mais simpáticos ao estado de Israel?E eles nesse país não são uma minoria com um histórico de ter sofrido com racismo e pobreza,a maioria dos judeus dos EUA pertence a classe alta,então obter benefícios sociais,coisas grátis que eles não querem,pois não precisam disso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso vem de longa data, já que a maioria dos imigrantes judeus que os Estados Unidos recebeu no século XIX vinham da Europa Oriental e estavam envolvidos em movimentos socialistas, que já eram populares nessa época. Consequentemente, votavam no candidato que estivesse mais inclinado à esquerda, e essa tradição se conservou ao longo das gerações desde então. E embora os judeus mais ortodoxos sejam inclinados à direita, a grande maioria dos judeus dos dias de hoje não tem nada de ortodoxo, muitos não levam a religião a sério e vivem como ateus na prática, dando voto automático nos democratas.

      Excluir
  15. Muito bom!! Sem dúvidas um de seus melhores artigos, qualquer argumento dos apologistas católicos caiu por terra, mas duvido que a maioria reconheça pois insistem em permanecer no erro porque foram doutrinados assim e pensam exatamente como os esquerdistas comunistas fanáticos (porque são as mesmas pessoas).
    Lucas uma coisa que vale a pena ressaltar que é pouco falado, que a Igreja Ortodoxa Russa também é um tipo de catolicismo, um cristianismo pagão assim como o romano porem no caso não católicos romanos, mas sim católicos russos. Veja que durante mais de 300 anos e muito antes eles foram dominados pela nefasta família Romanov e anteriormente por outros tiranos, os czares e czarinas Catarina II, Alexandre III, Nicolau II, e o Ivan o terrível são de dar inveja em qualquer ditador comunista, seus massacres perpetrados contra os povos eslavos e sua própria população e a permanecia em pleno século 20 da chamada "servidão" que era uma escravidão por dívida que passava para a próxima geração do seu filho pro neto etc... acreditasse que mais de 20 milhões de russos eram servos ainda na primeira década do século 20. Mostra o quanto aquele pais era atrasado, confuso e corrupto e não tenho dúvidas de que a fonte é a sua Igreja Ortodoxa Russa .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, o mesmo desserviço que a Igreja Romana fez no Ocidente a Igreja Ortodoxa fez no Oriente. Inclusive foi lá que ocorreu a primeira revolução comunista bem-sucedida, a Revolução Russa de 1917. Ao longo da história, a Igreja Ortodoxa geralmente serviu como uma marionete do Estado, por isso apoiou as atrocidades do czarismo e por isso até hoje é um braço-direito de Putin. Nesse aspecto ela se diferencia da Igreja Romana, que tentava se sobrepor ao Estado, o que resultou em atrocidades ainda piores. Em comum, ambos ajudaram a criar um clima generalizado de inconformismo e revolta popular que daria luz aos movimentos mais radicais e destrutivos que os olhos humanos jamais veriam.

      Excluir
  16. irmão enviei uma mensagem para ele no Facebook

    ResponderExcluir
  17. Artigo Excelente!

    Agora sim, finalmente entendi o principal motivo de que praticamente todos os petistas (e esquerdistas no geral) que conheço serem católicos ou ateus. E os direitistas serem em sua maioria evangélicos (especialmente os evangélicos praticantes). Obrigado pelo artigo. 👍🏻

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PS. Que bom que os dados que te mandei foram úteis (sim eu era aquele anônimo que enviava dados). Espero sempre te ajudar quando precisar. Um grande abraço.

      Excluir
    2. Sim, eu salvo todos aqui para uma ocasião oportuna como essa :)

      Excluir
  18. Lucas, falando nas diferenças entre as culturas protestante e católica é que, em praticamente todas as ex-colônias protestantes (especialmente os EUA (com exceção da Louisiana, colonizada massivamente por franceses católicos) e Canadá (o Quebéc, apesar de ter sido colonizado por franceses católicos, praticamente não houve escravidão negra lá), salvo algumas exeções, não há sincretismo religioso entre as religiões de matriz africana. Por exemplo, não houve durante todo o período da colonização inglesa nos EUA sincretismo das religiões africanas com os protestantes, por exemplo não há uma espécie de umbanda nos EUA (pelo menos não como aqui). E Praticamente todos os escravos africanos trazidos para os EUA converteram-se para o protestantismo.

    Uma coisa que eu noto, é que em praticamente todas ex-colônias dos países católicos (especialmente Portugal e Espanha) que tiveram uma forte cultura escravagista baseada escravidão negra, é muito comum haver a existência de religiões africanas que foram sincretizadas com o catolicismo (como é o caso da Umbanda no Brasil e da Santería em Cuba). Contudo, nas ex-colônias protestantes, tais como os EUA e Canadá colonizados massivamente por ingleses protestantes, praticamente não houve sincretismo das religiões africanas com o protestantismo, e praticamente, a maioria dos afro-descendentes desses países são protestantes e praticamente inexiste religiões de matriz africana nesses países. Porque nas ex-colônias protestantes não houve tanto sincretismo religioso com as religiões africanas como aconteceu nas ex-colônias católicas?

    Ps. A Louisiana com o Voodoo não conta, porque foi colonizada por franceses católicos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque aqui no Brasil qualquer religião que não fosse a católica era proibida, enquanto os Estados Unidos tolerava todas as religiões. Então aqui no Brasil os escravos africanos que não gostavam do catolicismo precisavam se fingir de católicos (usando as imagens de santos católicos, por exemplo) para enganar seus senhores, mas no fundo continuavam adorando suas entidades tradicionais. Daí o sincretismo entre um e o outro. Como nos Estados Unidos nenhum escravo precisava dissimular nada, não houve o mesmo sincretismo. E essas religiões afro não fizeram muito sucesso nos EUA primeiramente porque lá eles tiveram muito menos escravos do que aqui, e os escravos se convertiam mais do que estavam dispostos a se converter aqui (havia muitas igrejas contrárias à escravidão nos EUA nas quais os negros encontravam amparo, enquanto a Igreja Católica brasileira nunca pregou abertamente contra a escravidão, então era vista como uma inimiga).

      Excluir
    2. Lucas, na sua opinião, a cultura católica ibérica romana também pode ter sido um dos fatores decisivos para que o Brasil não tivesse obtido uma independência no estilo iluminista (no qual o país nasce república)? Na sua opinião, por quê o Brasil não se tornou uma república após a independência como os nossos vizinhos?

      Um argumento muito comum que vejo dos monarquistas é que eles também frequentemente acusam a República de ser ilegítima pois nasceu de um golpe, e que somente a monarquia foi o único governo legítimo que o Brasil teve. Esse argumento procede?

      Excluir
    3. Concordo com você quando afirma que o catolicismo sofre com sincretismo.
      Entretanto não devemos esquecer que no protestantismo o problema são as seitas como mórmons, ciência cristã, testemunhas de Jeová que disseminam falsos ensinos.

      Excluir
    4. "Lucas, na sua opinião, a cultura católica ibérica romana também pode ter sido um dos fatores decisivos para que o Brasil não tivesse obtido uma independência no estilo iluminista (no qual o país nasce república)? Na sua opinião, por quê o Brasil não se tornou uma república após a independência como os nossos vizinhos?"

      Sim, o catolicismo sempre foi pró-monarquia (não à toa o Vaticano e os Estados Pontifícios sempre foram monárquicos), só em tempos recentes (no século passado) ele reconheceu a república como uma opção legítima. Mas no tempo da independência, o mais natural de uma nação católica era que fosse monárquica.

      "Um argumento muito comum que vejo dos monarquistas é que eles também frequentemente acusam a República de ser ilegítima pois nasceu de um golpe, e que somente a monarquia foi o único governo legítimo que o Brasil teve. Esse argumento procede?"

      A monarquia também nasceu com um golpe (o da independência, que nada mais foi do que uma revolta inconstitucional contra o governo de Portugal, o que configura um golpe), que depois foi mantida na base de outros golpes (como o de D. Pedro I fechando o Congresso e o golpe da maioridade para permitir que D. Pedro II reinasse antes da idade prevista em lei). Sem falar que é extremamente bocó usar um argumento desses baseado na "legitimidade", se fôssemos nos preocupar com a letra da lei desse jeito deveríamos mudar praticamente toda a história do mundo e voltar às formas mais primitivas, visto que toda a história humana é marcada por golpes, revoltas, revoluções e etc.

      Excluir
    5. "Entretanto não devemos esquecer que no protestantismo o problema são as seitas como mórmons, ciência cristã, testemunhas de Jeová que disseminam falsos ensinos"

      Sim. E heresias dentro das próprias igrejas evangélicas (em maior ou menor quantidade) que precisam ser extirpadas.

      Excluir
    6. Lucas,oq diferencia de fato um "golpe" de uma "revolução"??

      Excluir
    7. Geralmente se usa o termo golpe para uma tomada ilegítima do poder, e revolução para algo que rompe as estruturas sociais predominantes. Por exemplo, a Revolução Francesa rompeu o padrão do Antigo Regime, desmontando a pirâmide social e substituindo a antiga nobreza pela burguesia, por isso foi uma revolução e não apenas um golpe. Já o golpe de 64 não transformou as estruturas sociais então vigentes, apenas substituiu um governante por outro (ainda que com uma visão política diferente), por isso é golpe mas não é revolução. Para usar mais um exemplo: se alguém matasse ou destituísse Kim Jong-un para assumir o poder mas mantivesse socialismo norte-coreano do jeito que está, ele teria feito um golpe mas não uma revolução; mas se ele restaurasse a democracia e o capitalismo na Coreia do Norte aí seria um revolucionário, pois teria mudado a estrutura social do país.

      Excluir
    8. "Concordo com você quando afirma que o catolicismo sofre com sincretismo.
      Entretanto não devemos esquecer que no protestantismo o problema são as seitas como mórmons, ciência cristã, testemunhas de Jeová que disseminam falsos ensinos."

      "Sim. E heresias dentro das próprias igrejas evangélicas (em maior ou menor quantidade) que precisam ser extirpadas."

      Concordo plenamente com vocês, apesar da cultura protestante ser incrivelmente superior à católica, não devemos fechar nossos olhos para os defeitos do Protestantismo e para os falsos Profetas e Hereges (tais como Edir Macedo, Valdomiro Santiago, R.R. Soares e Agenor Duque), como diz o lema da Reforma Protestante: Igreja Reformada e sempre se Reformando.

      "Sim, o catolicismo sempre foi pró-monarquia (não à toa o Vaticano e os Estados Pontifícios sempre foram monárquicos), só em tempos recentes (no século passado) ele reconheceu a república como uma opção legítima. Mas no tempo da independência, o mais natural de uma nação católica era que fosse monárquica."

      Muito boa explicação meu caro, que a Cultura católica romana ibérica foi um dos fatores (senão o fator decisivo) para que o Brasil não tivesse se tornado uma República à la Americana isso foi inegável, contudo nossos vizinhos hispânicos também compartilham da mesma cultura católica ibérica, mas mesmo assim, nenhum deles se adotou a monarquia como forma de governo (com a breve excessão do México que foi uma monarquia por um curto período de tempo: 1821-1824, e logo se tornou República). Por quê ao contrário do Brasil nossos vizinhos preferiram adotar a forma republicana de governo apesar de compartilharem a mesma cultura católica ibérica caudilhista?

      Excluir
    9. Lucas, o conceito que tu dás de revolução como uma mudança nas estruturas sociais predominantes seria o clássico conceito de revolução ou o conceito que Olavo de Carvalho dá de revolução seria como que sui generis ou o mais estranho ou até de um absurdo de reacionarismo de plena autoria dele que é como Carvalho diz de revolução como uma proposta ou melhor uma outorga de uma concentração de poder pela inversão da noção de causa e efeito e de tempo com a ideia de nova sociedade ou de uma nova ideia como juiz de tudo que a antecedeu como pré-história de seu advento?

      Excluir
    10. Mas por essa logica o Impeachment da Dilmanta, teria sido de fato um golpe, como afirma os petistas?

      Já que não transformou as estruturas de governo, apenas a substituiu por outro politico?

      Excluir
    11. Estudante de Direito de Direita: no Brasil não houve o mesmo ódio e hostilidade entre colônia e metrópole que havia na América Espanhola; aqui nós só tivemos que pagar uma indenização a Portugal e ficou tudo de boa, lá eles tiveram que lutar e lutar muito, em guerras violentas que duraram muitos anos e mataram muita gente, então eles criaram um ódio à metrópole que não existe aqui. Por isso o Brasil não viu problemas em ter como rei alguém que já era rei por Portugal, o que jamais teria ocorrido nos outros países da América Latina (que optaram então pela república).

      João Emiliano Martins Neto: é o clássico conceito de revolução mesmo (não gosto de revisionismos).

      AssassinoPlayer: não foi golpe porque não se tratou de uma tomada ilegítima e ilegal do poder, uma vez que o impeachment é um rito formal previsto em lei. Mas se o impeachment não fosse um ato legal e mesmo assim ela tivesse levado um impeachment, aí seria golpe.

      Excluir
    12. Lucas, se como tu dizes Olavo de Carvalho agiu com revisionismo, então, com relação à revolução e o seu contrário, Carvalho produziu uma noção maniqueísta de bem no que seja reacionário ou conservador e malvado no que é revolucionário?

      Excluir
    13. É o que parece. Como eu disse, não há nada de intrinsecamente negativo em ser revolucionário, depende do tipo de revolução que se tenha em mente. O Cristianismo foi de certa forma revolucionário em sua época, assim como a Reforma em seu tempo, e só uma revolução poderia livrar países como Cuba e Coreia do Norte das ditaduras socialistas que atravessam. Podemos citar ainda a Revolução Gloriosa inglesa, que foi muito benéfica por ter acabado com o absolutismo inglês (sem precisar ter causado um morticínio, por isso mesmo é chamada de "Revolução Sem Sangue"). De modo que nem sempre a revolução é algo negativo, vai depender do que se tem em mente. Quem acha que qualquer revolução é sempre negativa é reacionário, não conservador.

      Excluir
  19. Comente:

    https://veja.abril.com.br/ciencia/pessoas-menos-religiosas-tendem-a-ser-mais-generosas-diz-estudo/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse deve ser de longe o "estudo" mais ridículo que eu já vi em toda a minha vida. Olha o tipo de coisa que eles usam como base:

      "...Em seguida, os participantes receberam moedas falsas e foram instruídos a doar uma quantidade qualquer a um estranho"

      Sim, MOEDAS FALSAS. Até o ser humano mais egoísta da face da terra é capaz de doar moedas falsas (afinal de contas o dinheiro não é dele e nem vale nada), desde quando isso é padrão para qualquer coisa? Quando se trata de DINHEIRO DE VERDADE, o resultado é esse:

      https://noticias.gospelmais.com.br/estudo-revela-estados-religiosos-praticam-caridade-religiosos-41888.html

      Excluir
  20. Avalie:

    https://www.semprefamilia.com.br/mulheres-sao-mais-religiosas-do-que-os-homens-exceto-no-judaismo-e-no-islamismo/

    https://www.gospelprime.com.br/mae-principal-influencia-fe-filhos/

    Uma coisa que eu notei quando vi esses estudos, é que isso é bem verídico, por exemplo, na minha sala, a maioria dos meus colegas que são ateus/irreligiosos são homens, enquanto os mais religiosos são as mulheres, além disso, sempre quando vou numa igreja, uma coisa que eu noto é que geralmente há mais mulheres do que homens, e os cristãos mais devotos que conheço são mulheres (inclusive a minha melhor amiga da faculdade é uma evangélica fervorosa, e tenho que admitir que ela é mais religiosa e devota do que eu).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, em geral os homens são mais céticos e menos abertos ao espiritual, por isso até mesmo os homens que vão à igreja tem em geral uma dificuldade maior em abrir o coração diante de Deus e ter intimidade com Ele (algo que as mulheres conseguem com mais facilidade). No Judaísmo e no Islamismo é diferente porque nessas religiões não existe a mesma ênfase no relacionamento pessoal com Deus, é tudo muito mais "racional", mais distante, mais impessoal, baseado em seguir ritos, cerimonialismos e tradições (algo que os homens tem mais facilidade).

      Excluir
  21. Como você refutaria os argumentos desse comunista ateu?

    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/6-motivos-por-que-a-religiao-faz-mal-para-a-sociedade/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia o meu livro "Deus é um Delírio?", onde eu respondo a esses ataques à religião.

      Excluir
    2. Onde posso baixá-lo? É que os únicos livros que li que você escreveu foram: a Bíblia e a Escravidão e o Primeiro Volume do seu livro sobre a Reforma, e gostaria de baixar mais alguns.

      Excluir
    3. É só ir na página dos livros, no menu de cima (tem no menu da direita também), pensei que você já conhecesse:

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      Excluir
    4. Muito obrigado querido amigo, vou baixá-los agora.

      Ps. Vou aproveitar que vou entrar de férias na semana que vem e vou lê-los, além disso, até agora só tenho tirado boas notas, minha nota mais baixa esse semestre foi 7,5 em Penal.

      Excluir
  22. E o Papa Francisco não se manifestou sobre o"golpe" contra o amigo que entregou esse crucifixo para ele né?Eu tô no celular e daqui nao consigo enviar link,mas vc pode dá uma googlada em "Papa Francisco Evo Morales Canção Nova",o site da Canção Nova afirmou que o Papa teria dito para o Evo que isso não está correto,o fato de o crucifixo estar junto ao símbolo comunista,mas como só o site da Canção Nova que afirmou isso,não há outras fontes,então é bem duvidoso,ainda mais conhecendo o histórico político do Bergoglio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo contrário, ele disse que não se incomodou com o crucifixo marxista (tanto é que o aceitou):

      https://exame.abril.com.br/mundo/papa-diz-que-nao-ficou-ofendido-por-crucifixo-comunista

      Excluir
  23. Lucas,

    What do you think of this article?:

    https://rationalchristiandiscernment.blogspot.com/2019/11/a-major-problem-for-jehovahs-witness.html

    ResponderExcluir
  24. This message is for Right Law Student. I couldn't reply to his message on the previous thread due to Lucas turning off the comments.

    I just wanted to say that I really appreciate your kind words to me. I hope that all is well with you and your loved fellows in Brazil. We can even express gratitude for the interaction that we have here on this blog.

    ResponderExcluir
  25. Vc é de extrema direita Lucas? Aprova tudo que esse governo tosco do bolsonaro está fazendo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nop. Tenho um capítulo no livro sobre a extrema-direita também.

      Excluir
    2. Não gostar de algo que o governo está fazendo é o direito de todos, porém chamar o ótimo governo Bolsonaro de tosco e ainda vir com esse termo manjado de “extrema- direita” achando que ataca alguém, demonstra o motivo pelo nosso país ter sido governado por tantos anos pela esquerda e ter virado o que virou.

      Excluir
    3. Luiz eu votei no Bolsonaro no segundo turno,mas por falta de opção,já que com mais um governo petista o Brasil quebraria,viraria uma Venezuela,o país não aguentaria mais um governo corrupto e de esquerda radical,mas nunca achei o Bolsonaro alguém preparado para governar o país,ficou 28 anos no Congresso e só aprovou dois projetos,além de não entender de economia,sempre que perguntado sobre o tema,ele fala que é com o ´´Posto Ipiranga Paulo Guedes´´ e algumas declarações dele,como a de ser simpático a ditadura militar e seu filho fazer apologia ao AI5 fazem dele algo próximo da extema direita,além da intolerância com membros da própria base que discordam dele e são rifados como Bebianno,Santos Cruz,Frota,Joice

      Excluir
    4. E o Bolsonaro continua ouvindo o astrólogo charlatão e católico reacionário do Olavo de Carvalho isso na minha opinião vai prejudicar muito o governo,já que as indicações do astrolavo se revelam um desastre como o Ernesto Araújo nas Relações Exteriores e o Ricardo Velez na educação que não durou três meses no cargo,o próprio astrolavo admitiu que mal o conhecia,só o indicou porque gostou de alguns textos do Velez que ele leu pela internet.

      Excluir
    5. Penso como o Gabriel neste assunto, também votei no Bolsonaro mas só em segundo turno por falta de opção, não o considero qualificado para o cargo em que ocupa e espero que em 2022 ele possa dar lugar a alguém mais competente (embora pelo andar da carruagem, o mais provável é que seja sucedido por um patife como Ciro Gomes ou pior ainda pelo presidiário, se continuar solto até lá).

      Excluir
    6. Sim, o Bolsonaro está mais perto da direita nacionalista do que da direita liberal e/ou libertária.
      E isso é um problema...

      Excluir
    7. É o seu direito votar em quem você quiser.
      Eu como conservador que sou, votei no Bolsonaro no primeiro turno e no segundo turno, pois eu sempre vi nele as qualidades para ser um presidente.
      É muito simplista avaliar o trabalho de um deputado por “ele aprovou apenas dois projetos”, sendo que para a aprovação de um projeto não depende de apenas uma pessoa. Tem que ver também quantos projetos ele apresentou, discutiu e aprovou. Se faz necessário também ver que em conjunto com os seus pares quantas vezes fiscalizou e controlou as ações do poder executivo, para só assim começar a avaliar algo.
      Um presidente da república não tem nenhuma obrigação de entender de economia, sim de escolher uma pessoa preparada que entenda do assunto para ocupar esse cargo. Se você um nome como o Paulo Guedes como ministro da como ministro da economia, você não precisa entender sobre o assunto.
      Ser simpático ao regime militar várias pessoas são, pois querendo ou não naquela época era melhor em algumas coisas do qual hoje se é muito pior.
      O filho do Bolsonaro não fez apologia ao Ai-5 coisa alguma, o que ele disse é que se acontecesse no Brasil o que está acontecendo no Chile, nós deveríamos ter uma ação efetiva do Estado, usando o A-5 como o exemplo.
      Esse termo “extrema-direita” inventada pela mídia e pela esquerda não deve ofender de maneira alguma nenhuma pessoa.
      Não existe intolerância alguma com os membros da própria base, o que existe é que com o tempo se descobre que é aliado, quem é de direita e quem está seguindo a linha pelo o que foi eleito. O Bebianno, Santos Cruz, Frota e Joice nunca foram da base e não foram rifados coisa alguma. Pesquise mais sobre o assunto ao invés de ser um mero repetidor.
      Você pode ter certeza ele ouve menos o Olavo de Carvalho do que você acha. O Olavo chama mais a atenção sua do de quem ouve o que ele fala e analisa se aquilo deve ou não ser levado em consideração.
      O Ernesto Araújo e o Ricardo Velez são excelentes nomes e muito competentes e como qualquer nome pode dar certo ou errado. Não gostar deles por eles terem sido indicados pelo Olavo não é um motivo a ser considerado.
      Repito, você se preocupa mais com o Olavo do que quem gosta dele.
      Com todo o respeito, criticas sempre são bem vindas, porém o que eu vi foi um monte de opinião inconsistente que nada mais é do que uma má vontade pelo seu candidato preferido não ter sido eleito. Vamos melhorar isso aí.

      Excluir
    8. Pedro Silva, qual seria o grande problema nisso?

      Excluir
    9. O nacionalismo é coletivista, coloca a nação acima dos interesses que cada indivíduo tem. Sempre foi incompatível com muitas idéias liberais/libertárias.
      O protecionismo (que é totalmente contrário ao livre mercado), por exemplo, é bastante comum nos nacionalistas, além de que muitos possuem um grande "amor" pelo seu país, mesmo que ele esteja falido e criando leis anti-liberais que atentam contra o livre mercado e as liberdades individuais. É aquela velha história, "Brasil, ame-o ou deixe-o"

      Apenas atualmente que vem surgindo os neoconservadores, aqueles que dizem aquela clássica frase "conservador nos costumes, liberal na economia" quando na verdade, os reais conservadores sempre foram liberais na economia.

      Se for possível, veja esses vídeos:
      - https://youtu.be/bP8xf6dxvwk

      - https://youtu.be/xJanldyUuZk

      - https://youtu.be/KPc7HJtXXKc

      - https://youtu.be/7epkcf-TTWk

      O Bolsonaro possui muitas idéias liberais e isso é ótimo! Grande parte devido ao Paulo Guedes. Mas muitas dessas idéias acabam entrando em conflito com as outras idéias que ele defende, que são coletivistas.

      Com certeza se ele abrisse o mercado em 100%, diminuísse a carga tributária (o melhor era que ele abolisse todos os impostos, mas nunca que ele faria isso... Enfim, não custa sonhar), diminuísse os gastos estatais (também seria melhor se ele abolisse, mas...) entre outras coisas, o Brasil poderia prosperar! Sei que é difícil com todos aqueles socialistas (e nacionalistas) no parlamento, mas com certeza seria melhor do que criar mais regulações estatais...

      E é isso, abraços! A paz em Cristo!

      Excluir
    10. Eu vejo o Trump como nacionalista e protecionista e nem por isso ele é coletivista
      O Bolsonaro já está começando a abrir o mercado e a diminuir a carga tributária, porem isso demora um pouco.
      Impossível ele abolir todos os impostos.
      Os gastos estatais estão sendo diminuídos e é impossível se abolir todos os gastos.

      Excluir
    11. Pessoal vcs não acham que estãoe xagerando um pouco? Digo, em relação ao Olavo? Pois Atualmente o Jair me parece estar longe de ser alguém que segue todos os conselhos do velhote a risca. Basta vermos a relação que o governo está tendo com a China, a poucos meses atrás o Olavo estava implorando para termos uma guerra comercial com ela, e já estamos fechando grandes negócios, e isso me parece algo de uma "Direita" Nacionalista . Creio que o olavo esteja entrando em decadência , eu mesmo conheço muitas pessoas conservadoras que antigamente o idolatravam e hoje o vêem como um oportunista canalha. Tem um vídeo do Fáio Rappo "Via Sensata" que explica justamente isso oq estou falando, que o governo Bolsonaro está para mais para a Centro-Direita, tentandose afastar desses setores mais radicais: https://m.youtube.com/watch?v=LPGxjRNNvDs

      Excluir
    12. Pedro Silva

      Concordo com suas colocações sobre a ligação do Nacionalismo com o coletivismo e de como os primeiros Conservadores foram economicamente liberais.
      Mas oq vc diria do Chesterton?
      Vejo muitos nacionalistas utilizando ele para afirmar que nem todo conservadorismo precisa ser Liberal.

      Excluir
  26. "Cuidado com esses grupos do Telegram, tem um gringo aí que tá louco pra publicar as conversas privadas dos outros"

    Quem? O Glenn Verdevaldo?

    "Desde o início de 2010"

    Quase dez anos. Já fizeram alguma refutação descente ao aniquilacionismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Quem? O Glenn Verdevaldo?"

      Quem mais poderia ser? 😂

      "Quase dez anos. Já fizeram alguma refutação descente ao aniquilacionismo?"

      Não que eu saiba...

      Excluir
  27. Meu nome é Roseli e sou de Brasília. Gosto muito dos seus estudos, parabéns. Aproveito para dizer que sou totalmente contra um crente publicar uma opinião no anonimato. Parabéns mais uma vez e já publiquei no meu face.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Concordo com o que você diz sobre publicações em anonimato. Eu tive problemas com isso no passado e por isso tive que tirar a opção de comentários anônimos. Embora a maioria fosse pessoas decentes e depois continuaram publicando sem o anonimato, uma minoria irritante de pessoas debochadas e mal-intencionadas se aproveitava do anonimato pra vandalizar (e melhorou extraordinariamente depois que eu bani o anonimato).

      Excluir
    2. Lucas, eu penso que o critério master não deveria ser estar ou não no anonimato mas o respeito e a educação à pessoa humana e uma contribuição positiva ao debate.
      A Bíblia possui livros, salmos de autoria desconhecida. A carta (anônima) aos Hebreus faz alusão à uma grande nuvem de testemunhas anônimas. Cristo ensinou a manter o anonimato na prática das boas obras e na oferta.
      Em suma, o problema não é o anonimato mas almas sebosas que o utilizam, mas o blog é seu, quem sabe onde o sapato aperta é você.
      Obrigado.

      Excluir
    3. Não me refiro a esse tipo de anonimato (da carta aos Hebreus), mas de quem se esconde no anonimato para práticas de trollagem, vandalismo ou spam, e como fica difícil discernir quem é quem o melhor é proibir o anonimato. No seu caso eu sei que é você por causa do acento ("Anónimo"), mas se outra pessoa usasse o mesmo nick e escrevesse um monte de coisas horríveis eu ficaria pensando que é você e não aceitaria mais os seus comentários, por isso é importante ter uma conta própria que remeta a algo com o qual possa ser claramente identificado e distinguido dos demais.

      Excluir
  28. Eu sei que eu já tinha te mandado essa notícia nos comentários passados, mas como não deu pra você comentar, vou enviar de volta:

    https://www.youtube.com/watch?v=iP8oPuv92iY

    Na boa, a Gleisi Hoffmann deve ter distribuído muitos dólares para conseguir ser reeleita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É normal que no partido mais corrupto do mundo quem seja eleito para a presidência seja a mais corrupta e despreparada. Essa Gleisi é o fracasso político em pessoa, nunca ganhou NADA aqui no Paraná, sempre perdia de lavada em todas as disputas para a prefeitura de Curitiba ou o governo do Paraná, nunca chegou perto nem mesmo de disputar o segundo turno (na última vez ela e o Requião juntos somaram menos votos que o Richa sozinho), e nessa última eleição ela já sabia que não ganharia de novo para nenhum cargo no executivo e por isso disputou para deputada federal, onde ainda tem alguns votos porque mesmo aqui tem gente imbecilizada que vota no PT (mas felizmente não a ponto de eleger um prefeito ou governador). O marido dela já foi preso por corrupção e ela é réu na Lava Jato, então com todo esse currículo maravilhoso era óbvio que seria escolhida para a presidência do PT.

      Excluir
  29. muito interessante e intrigante!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  30. Lucas, excelente texto amigo. Aqui em casa todos nos admiramos você. Eu sempre digo a eles; Lucas Banzoli não escreve, ele dá show! Cada texto seu é um espetaculo, continue assim meu amigo voce é show!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, mas quem dá show é o Flamengo do Jorge Jesus, eu só tento escrever bem 😁

      Excluir
  31. Banzolão vc concorda que um outro motivo para os países católicos terem tido tantos regimes ditatoriais não só na esquerda como na direita tbm,vide o exemplo da ditadura militar brasileira,Pinochet no Chile,etc,é pq o próprio papa é um ditador?Então os católicos já são criados com a normalização da ideia de obedecer a um líder sem questionamentos,diferente da maior parte das igrejas protestantes,onde se há a liberdade para questionar o pastor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu disserto sobre isso no livro. Os países católicos, principalmente no passado, tentavam refletir a forma de governo da Igreja, o que redundava num espetáculo de absolutismo, tirania, despotismo e ditadura pra todo lado. Por sua vez, os protestantes não possuíam um líder infalível e o poder nas igrejas evangélicas sempre foi descentralizado, o que na esfera política é compatível com o liberalismo. Por isso os estados católicos ao longo da história se alinharam ao totalitarismo, e os protestantes à democracia liberal.

      Excluir
  32. Lucas oq vc acredita que levou o aumento do dólar? Tenho muito esquerdinha e eleitor do Ciro Gomes culpando o liberalismo do PAULO GUEDES por isso, de uma olhada:

    "Existem fatores internos e fatores externos que impactam no valor do dólar.
    Sim, a guerra comercial entre China x EUA é um fator IMPORTANTÍSSIMO. Quanto mais o capital norte americano permanecer DENTRO dos EUA, menor a oferta de dólar no exterior, consequentemente, maior seu valor. Mas é de muita má fé ou apenas ignorância mesmo, que esse é o único fator relacionado ao aumento.
    Por exemplo, o mesmo argumento sobre investimento permanecer dentro dos EUA, vale pra cá. A taxa selic nunca foi tão baixa, ta a 5% e pode cair mais meio ponto percentual até o fim do ano. Com os juros tão baixos, o mercado externo não fica atraente, estamos tendo pouquíssimos investimentos por conta disso. Outro fator importante, MUITO aliás, é a imagem do país lá fora. Há especialistas que dizem que as declarações polêmicas de Guedes nos últimos dias foram a cereja do bolo pra que o dólar chegasse em seu recorde nominal na tarde de terça feira (26/11 R$4,27)."

    Eu vi esse comentário no face, oq tu acha dessa "analise" ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A alta do dólar ocorre por diversos fatores, externos e internos. Entre os fatores externos destaca-se a guerra comercial entre EUA e China (que eu já disse há muito tempo que era péssima para o Brasil e para o mundo, mesmo quando alguns diziam que isso era bom) e a instabilidade dos nossos vizinhos (Chile, Colombia, Bolívia, etc) que estão sendo tomados por convulsões sociais desastrosas para a economia (no Chile já estão dando passos pra trás nas reformas econômicas para acalmar os revoltosos), o que para os investidores representa uma ameaça séria (já que o Brasil tem sérias chances de ir pro mesmo caminho, e pretextos para isso não faltam). Entre os fatores internos, as falas do filho do Bolsonaro e do Guedes sobre o AI-5 não ajudam em nada (uma nova ditadura quebraria a economia outra vez, o que qualquer investidor quer é estabilidade política e tranquilidade para investir sem medo), e recentemente o Guedes disse não se preocupar com a alta do dólar e deu a entender que vai continuar aumentando mesmo (o que também não ajudou). Qualquer declaração polêmica ou escandalosa que o governo dá tem um impacto direto na Bolsa, é só lembrar de quando o Temer estava estabilizando a economia e logo em seguida vazou os áudios comprometedores e a Bolsa foi pro buraco de novo. E como esse governo é recordista em declarações polêmicas, em intrigas e rachas, a economia acaba sofrendo mais. Recomendo essa matéria da Gazeta do Povo que é a mais sensata que eu li sobre a alta do dólar:

      https://www.gazetadopovo.com.br/economia/por-que-cotacao-dolar-esta-subindo/

      De todo modo, os eleitores do Ciro não tem moral nenhuma pra falar nada, já que o próprio Ciro havia declarado em campanha que desejava a alta do dólar por causa do juros baixo (que favorece a alta do dólar), e agora ainda tem a cara de pau de atacar o atual governo por fazer aquilo que ele disse que faria se estivesse no poder.

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta Lucas. Vou dar uma olhada nesse artigo.
      Mas vc acha que o Dolar realmente vai aumentar ainda mais??? Sobre a fala do Guedes O Arthur do Val fez um vídeo mostrando que isso foi na verdade foi uma Fake News:

      https://www.youtube.com/watch?v=e_uqcrDLYAM&t=135s

      oq acha?

      Excluir
    3. Não dá pra saber se o dólar vai continuar aumentando ou não, mas depois dessa taxação do Trump provavelmente o governo brasileiro vai se esforçar mais em valorizar a moeda nacional. De todo modo, tudo depende dos rumos que o país vai tomar daqui pra frente, qualquer declaração descuidada pode ter efeitos nocivos.

      Excluir
  33. O que achas desse vídeo Banzolão?https://www.youtube.com/watch?v=_a8EHf-Dkm0

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei a análise dele muito fraca, é evidente que a culpa é da diretoria, desde que burlaram as regras do clube para permitir um terceiro mandato do Juvenal começou a bagunça, depois dele todos os presidentes e diretores de futebol foram incompetentes (e todos da turma do Juvenal). O fato de um ou outro jogador sair do SPFC e fazer sucesso em outros times não significa muita coisa quando considerada a quantidade infinitamente maior de perebas que saíram do clube e continuaram sendo perebas em outros clubes (ex: Sidão, Lucão, Denis, Wesley, Michel Bastos, Marlos, Edson Silva, Ganso, Carlinhos, Cueva, Edimar, Rodrigo Souto e etc). Sem falar que o Casemiro que ele citou como exemplo no vídeo já admitiu que era descompromissado quando jogava no São Paulo, que vivia bebendo e tudo mais, por isso jogava tão mal (e não porque a torcida do São Paulo queima jogador). Os treinadores que passaram também são todos meia-boca, com exceção dos dois gringos (Osorio e Bauza) que não foram demitidos porque saíram pra treinar seleções (um foi vice do Brasileirão de 2014 e o outro foi semi-finalista da Libertadores de 2016).

      Excluir
  34. olá Lucas! já leu o livro "Cristianismo pagão" de Frank Viola? Se já, que ilações tirou do livro?
    2- existe hierárquia religiosa, a questão do clero e leigos não é um meio de dividir o corpo de Cristo e criar elites, uns se colocando como superior aos outros, isso é bem visivel pelo facto de estes(clero) sentaram-se nos primeiros assentos, em plataformas que as distancia de certa forma do restante, com exclusividades e prerrogativas que só eles possuem. nao somos todos membros do mesmo corpo? existe uma classe de crentes superiores(por exercerem funções diferentes na igreja)? era este o pensamento que tinham os cristãos da igreja primitiva? Jesus disse aos discipulos que estavam preocupados em saber que era o maior dentre eles que não seria assim,(Mt 18:1-5; 20:25-27), os dons não fazem de ninguém melhor ou superior aos outros. confira este artigo do Roberto Sores: https://www.robertosoares.com/nao-existe-hierarquia-na-igreja/#.XedwBINKjcs.
    3- tenho acompanhado algumas publicações de desigrejados no facebook e eles dizem que o batismo e a santa ceia são rituais a que os cristãos não devem se submeter. a ceia ritualista que é feita hoje, não se parece com o que era feito pela igreja primitiva, e dizem que as pesssoas recebiam o baatismo de João o ultimo profeta da antiga aliança e depois da morte de Cristo já esta pratica se tornou inutil. o que acha?
    4- fora dessa questão dos desigrejados, o que é ser batizado no nome do Senhor Jesus? em Aos 8 diz que aquelas pesoas tinham sido apenas batizadas no nome do Senhor Jesus, já em Atos 19 aqueles discipulos já eram batizados no batismo de João e depois foram batizados no batismo do sENHOR E A POSTERIOR no batismo do Espirito Santo que como bem explicaste consiste no recebimento do Espirito Santo quando cremos. Que diferença havia entre o batismo de João e no nome do Senhor Jesus? Sendo que aquelas pessoas em Atos 19 já tinham sido batizadas pelo batismo de João, porque foram depois batizados no nome do Senhor Jesus?
    5- que diferença existe entre dom e talento? acho que talento é a capacidade inata que Deus pela sua graça comum derrama aos homens, sejam justo como injustos, por isso vemos peesoas com talentos para muita coisa, arte, desporto, invenção, ciência. mas dom é uma prerrogativa exclusiva da igreja, Deus deu dons a igreja para o seu fortalecimento o que achas? abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      1) Li um pouco há uns anos atrás e não gostei.

      2) Em nenhuma igreja da qual já fui membro os pastores sentavam lá na frente (exceto uma que ia quando era criança), e eu também acho errado isso, é um mau exemplo, uma mensagem errada que se passa aos outros, como se os pastores fossem superiores aos demais membros da igreja e por isso tivessem privilégios como esse. Geralmente em igrejas assim os pastores mandam mais do que deveriam, sobre isso recomendo a leitura do artigo abaixo:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/03/o-falso-ensino-da-autoridade-delegada.html

      Pela doutrina do sacerdócio universal de todos os crentes, todos somos sacerdotes espirituais, alguém que é do "clero" não é mais sacerdote do que um "leigo", a única diferença é que um é formalmente ordenado e reconhecido como apto para as atribuições eclesiásticas e o outro não (mas não existe hierarquia propriamente dita, os dois são iguais perante Deus). Sobre isso eu escrevi aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/04/entenda-o-que-e-o-sacerdocio-universal_20.html

      3) Quem diz isso é herege, não tem outra palavra. Batismo e ceia são bem claros no NT e não tem o que se discutir quanto a isso. Em Atos dos Apóstolos, já bem depois da morte de João Batista e da ascensão de Cristo, o batismo continuou sendo praticado (assim como a Santa Ceia). De fato a ceia era muito mais desprovida de cerimonialismo do que é hoje, e algumas igrejas protestantes tem excesso de cerimonialismo herdado da Igreja Romana (que tornou tudo extremamente ritualístico e engessado), mas isso não anula a existência do sacramento.

      4) Dependendo do contexto, o batismo em nome de Jesus pode significar o recebimento do Espírito Santo (também conhecido como batismo no Espírito Santo), ou pode se referir ao batismo nas águas feito em nome do Senhor Jesus (i.e, à fórmula batismal). Atos 19 é um exemplo do primeiro, e Atos 8 é um exemplo do segundo.

      5) Exatamente isso. Eu tenho um Power Point sobre esse tema, se quiser me contacte pelo facebook ou por email que eu envio em anexo.

      Excluir
    2. Fiquei interessado no PowerPoint sobre dons e talentos. Será que você poderia me enviar também? Ficaria muito agradecido!

      (Me mande através daquele e-mail meu, da concordância de Strong, sabe?)

      Excluir
  35. Lucas pensas em escrever artigos voltados para as questões práticas do quotidiano? como usos e costumes, ética cristã, relacionamentos, etc.
    tem algum artigo que refute a observância do sábado?
    sobre o dizimo... qual é o seu posicionamento, tem vigência na nova aliança?
    para terminar, e não querendo entrar em questões pessoais, acha que quando casar já não terá a mesma dedicação pelo blog? (1cor.7:32,34) receia que isto venha acontecer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Lucas pensas em escrever artigos voltados para as questões práticas do quotidiano? como usos e costumes, ética cristã, relacionamentos, etc"

      Tenho alguns artigos sobre isso, que você pode conferir neste índice:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-devocionais-e-doutrinarios.html

      "tem algum artigo que refute a observância do sábado?"

      Esse aqui:

      http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/devemos-guardar-o-sabado

      "sobre o dizimo... qual é o seu posicionamento, tem vigência na nova aliança?"

      Eu entendo como um padrão, não como uma obrigação no sentido legalista.

      "para terminar, e não querendo entrar em questões pessoais, acha que quando casar já não terá a mesma dedicação pelo blog? (1cor.7:32,34) receia que isto venha acontecer?"

      Pode ser, mas tem muita gente casada que é escritor, blogueiro, youtuber e etc, não significa que eu vá abandonar o blog (sem falar que casamento hoje é uma coisa que parece estar mais distante que título do SPFC).

      Excluir
  36. Lucas,
    Se lembra da Concordância de Strong e/ou bíblia grega-portuguesa que você ia me mandar por anexo?
    Então, eu já mandei um e-mail para você, é só me enviar agora :D

    ResponderExcluir
  37. Lucas,
    1- Não sei se você viu, pois já tinha chegado no limite de comentários na postagem anterior, mas de qualquer forma estarei mandando de novo o link para uma crítica feita por um ateu sobre o filme que te falei "A Última Tentação de Cristo".

    https://www.youtube.com/watch?v=Vaf-p_rMrpA

    Através das informações obtidas com a crítica, Comente o que você acha do filme. Se ele é herege ou não.

    2- Sabemos que há demônios malignos nas religiões afro-brasileiras. Mas minha dúvida é, essas mesmas entidades que os seguidores do candomblé e umbanda cultuam, existem mesmo (mas na verdade são demônios)? Ou não, essas entidades não existem, que os que estão nos terreiros são só demônios "aleatórios" e que não tem o mesmo poder que os "macumbeiros" acreditam que eles tem?
    Não sei se deu para entender, mas por exemplo, quando um médium recebe a pomba gira, ele tá recebendo um demônio "aleatório" que está se passando pela pomba gira ou ele está de fato recebendo o próprio demônio pomba gira?
    Digo isso porque vejo muitos pastores dizendo para tomar cuidado com 'a entidade afro-brasileira tal', ou se alguém é meio afeminado "ah você tá com a pomba gira".

    Tipo essa postagem: https://m.facebook.com/101305123373270/photos/a.101308343372948/123090877861361/?type=3

    Também quero saber se esse negócio de cada demônio ter um nome e função específica é bíblico ou não.

    Abraços! Paz em Cristo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Tipo essa postagem:"

      What!!!???
      Não sei porque deu esse espaçamento gigante kkk

      Excluir
    2. 1) Continuo pensando o mesmo. De um ponto de vista bíblico, o filme é herético. Pode até ser bom do ponto de vista cinematográfico, mas aí são outros quinhentos.

      2) É difícil responder isso. A Bíblia não diz que cada demônio tem uma função específica (também não diz que não tem), de modo que isso é um mistério, e é temeroso ir além do que está escrito (1Co 4:6). Independentemente de existir ou não um demônio específico chamado "pomba gira", o importante é que existem demônios responsáveis por nos tentar na área sexual e por conta disso devemos estar vigilantes, não pela "pomba gira" em si.

      "Não sei porque deu esse espaçamento gigante kkk"

      É porque no blogger todos os comentários são automaticamente justificados (i.e, não são alinhados nem à direita e nem à esquerda), então quando você posta um link grande como esse do facebook ele acaba fazendo isso com as palavras anteriores (se forem poucas). Por isso quando eu posto um link eu coloco um espaço entre a frase e o link (são macetes que a gente vai aprendendo com o tempo ;p).

      Excluir
    3. 1- ah tá, vlw! Eu só queria ver qual era sua opinião (pois não deu para saber na postagem anterior, devido ao limite de comentários). Eu também acho um filme herético, mais herético mesmo! O engraçado é que o cineasta é um católico... Vai entender... 🤷‍♂️

      2- Sim, você está certo! Eu só acho meio "zuado" alguns pastores (principalmente os neopentecostais) sempre estarem falando desses demônios, utilizando os nomes que a umbanda e candomblé usam, sendo que nós não sabemos...

      Quanto o espaçamento, eu não sabia rs Valeu pela dica!

      Excluir
  38. Seria esse o melhor Wolverine? 😂
    https://www.change.org/p/marvel-have-danny-devito-play-the-rebooted-wolverine-in-the-mcu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não for esse, é esse Wolverine politizado aqui:

      https://www.youtube.com/watch?v=HLQlSc6OkiE

      Excluir
    2. 😂😂😂😂 kkkkkkkk um dos vídeos mais engraçados que eu já vi kkkkkkk

      Excluir
  39. Lucas,

    What do you think of this article?:

    https://www.defendingthebride.com/bb/latinbible.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. I have already refuted this in this article:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/04/conheca-toda-perseguicao-e-proibicao-da.html

      Excluir
  40. Lucas, mas você sabe como funciona as coisas. Eles sempre vão dizer que o que vale realmente é o que a Igreja condenou oficialmente em concílio ou em uma encíclica, idenpendetemente o que um Santo, um bispo ou mesmo um papa afirmou exporadicamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior é que nem se trata de algo dito esporadicamente, mas de algo rotineiro e contemplado a olhos nus, quase todos os dias tem um episódio especial. E como eu mostrei no artigo anterior (dos papas contra o capitalismo), mesmo nesses documentos oficiais o que não falta são ataques ao capitalismo e o endosso a ideologias de esquerda.

      Excluir
  41. Lucas, você anda acompanhando o processo de impeachment contra o Presidente dos EUA Donald Trump?

    Pelo que eu ando vendo nas notícias, ele está sendo acusado de pressionar o Presidente da Ucrânia a fazer investigações clandestinas contra o filho do possível adversário nas eleições de 2020, e pelo que sei até agora o Congresso americano está parecendo um campo de guerra: os democratas querem a cabeça do Donald Trump a qualquer custo enquanto os republicanos estão tentando articular um meio para barrar esse processo de impeachment e permitir que ele seja candidato em 2020. O Que você está achando desse processo?

    Pessoalmente falando, apesar dele e eu termos posicionamentos políticos parecidos, me considero um grande crítico dele, principalmente com relação ao fato dele ser um tanto agressivo e até mesmo arrogante (não é porque eu e ele sejamos de direita que sou obrigado a concordar com algumas das atitudes dele), mas sou completamente contra o impeachment dele, não porque gosto dele, mas porque ele já está praticamente no último ano do mandato dele e a próxima eleição presidencial está se aproximando e dentro de 11 meses o povo americano irá as urnas escolher o novo Presidente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra falar a verdade estou acompanhando muito pouco desse processo de impeachment, até porque é quase certo que não vai dar em nada (eles precisam de 2/3 do Congresso e mesmo se todos os democratas votassem pelo impeachment ainda seria insuficiente). Como eu disse por ocasião das eleições presidenciais, o Trump estava longe de ser meu candidato favorito (eu gostava bastante do Ted Cruz, do Marco Rubio e do Ben Carson), na verdade ele era um dos que eu menos gostava, mas considerando as expectativas (baixas) que eu tinha, ele até que me surpreendeu positivamente (apesar do próprio caráter truculento do Trump, que lembra bem um outro político do continente, talkey). E de fato, iniciar um processo de impeachment às vésperas da corrida eleitoral é coisa de gente sem noção que só quer paralisar o país e não pensa nem um pouco no bem-estar da nação.

      Excluir
  42. Comente:

    https://revistaforum.com.br/politica/evangelicos-se-revoltam-com-a-possibilidade-de-moro-ser-vice-de-bolsonaro-em-2022/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei que evangélico é esse que se incomoda com a possibilidade do Moro ser vice. Falando por mim, eu só me incomodo com o fato de ele não ser o presidente.

      Excluir
  43. Pelo jeito o Verdevaldo (e a esquerda) deu um tiro no próprio pé:

    https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2019/10/18/interna_politica,798866/2022-moro-e-o-mais-popular-e-lula-o-mais-forte-da-esquerda.shtml

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que mais me assusta é a parte que diz "Luciano Huck, com 11%".

      Excluir
  44. Lucas, o que vc acha da teoria da terra plana ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra essa teoria ser verdadeira demandaria uma conspiração global envolvendo praticamente todos os governos mundiais e todas as agências espaciais do mundo durante séculos, algo extraordinariamente difícil de acontecer em realidade (sempre teria alguém que abriria a boca).

      Excluir
  45. Comente:
    http://libertesuamente13.blogspot.com/2014/08/criancas-expostas-religiao-tem-mais.html?m=1

    Para mim há muitas informações suspeitas, tipo, o estudo analisou apenas crianças de 5 e 6 anos (ou seja, não conhecem quase nada da vida e possuem uma imaginação fértil) e para representar as crianças religiosas, eles analisaram as que estudavam em escolas 'paroquiais' apenas, como se crianças cristãs não estudassem em escolas laicas também.

    E outra, qual é o problema de crianças usarem sua imaginação e se divertirem em brincadeiras e histórias onde animais falam, onde elas podem voar ou serem heróis e heroínas? Na boa, esses ateus devem ter uma vida chata, onde tudo, absolutamente tudo tem que ser provado e ser "racional" (como se a vida surgir do nada fosse algo racional).

    Não devemos cair em um extremo, acreditando em absolutamente tudo o que é crendice ou mitológico. Mas também não devemos cair no outro extremo, sendo cientificista e super céticos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois do maravilhoso estudo com moedas falsas, agora esse brilhante estudo com um punhado de crianças pequenas que estudam em paróquia. Algo me diz que eles estão cada vez mais desesperados em produzir "estudos" pra tudo o que vá na direção de qualquer coisa que eles queiram que seja provada...

      Excluir
  46. Banzolao na sua opinião como são as diferentes formas da possessão demoníaca?Em uma resposta anterior vc me falou que o Diabo usa outras formas para possuir um ateu,um católico adorador de imagens,ele não o possui como faz com um umbandista em um terreiro,que por sua vez acredita estar sendo possuído por um orixá,como o Diabo atua com pessoas que não acreditam em orixás?

    ResponderExcluir
  47. Melhorando a última pergunta que fiz:

    1-Banzolão e vc acredita que no geral os casos de possessão demoníaca em que as pessoas se comportam como loucas,reviram o olho,babam,engrossam a voz,a Bíblia apresenta alguns casos assim,dando mais destaque ao gadareno,apesar de não dizer o motivo de sua possessão,acreditas que ele frequentava algum culto pagão similar a umbanda?Já que a área de Gadara era uma região gentia.

    2-Como perceber que tal pessoa está sob influência maligna?Eu não sei diferenciar até que ponto a pessoa quando pratica algum mal o faz segundo sua própria convicção ou se é uma influência ou até possessão,já que vc disse que nem sempre a possessão se manifesta em alguém daquele modo clássico.

    3-Qual a diferença entre influência e possessão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Não sei se ele praticava esse tipo de culto, mas geralmente o demônio se manifesta assim por duas razões: ou porque é praticante desse tipo de culto, ou porque está exposto à luz, que é algo que ele não suporta (entenda "luz" aqui no sentido espiritual, de estar numa igreja ou na presença de pessoas genuinamente crentes). O diabo não suporta a mensagem do evangelho e não aceita perder aquela alma, por isso se manifesta desse jeito escandaloso quando vê que está prestes a ser expulso de qualquer jeito. Talvez tenha sido o caso que aconteceu nessa passagem do demônio com Jesus.

      2) Externamente é difícil saber mesmo, mas se alguém convive pessoalmente com o indivíduo é possível notar através de comportamentos estranhos e atitudes que ele não tomaria em circunstâncias normais. Quando o sujeito começa a mudar muito (e mudar pra pior) dentro de um curto espaço de tempo, pode ser possessão demoníaca. Mas mesmo assim não dá pra se afirmar com certeza, a não ser que tenha o dom de discernimento de espíritos pra saber que é demônio mesmo.

      3) Influência qualquer um pode ter, até Pedro teve (naquela passagem que Jesus o repreendeu). Como todos somos pecadores e todos somos tentados, todos podemos ceder às investidas do diabo em algum momento da nossa vida e agir sob a influência dele (ou seja, do modo que ele queria que a gente agisse). Possessão é algo mais profundo, é quando o diabo está no corpo de alguém de modo permanente (até ser expulso dali) e incide sobre toda a vida da pessoa e muitas das suas práticas. Praticamente o sujeito vira uma "marionete" do diabo; ele ainda tem consciência do que faz (a não ser que o demônio esteja se manifestando, neste caso o indivíduo perde até a consciência), mas o demônio toma conta dele de tal forma que seus sentimentos são um misto do que ele quer e do que quer o diabo que habita nele.

      Excluir
  48. Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão. I Tessalonicenses 5:3

    Acho que estamos já nessa paz. Sei lá, as pessoas pensam que vai ser aquela paz de Adão e Eva no Paraíso mas a realidade é que estamos agora mesmo em paz, comparado com os outros tempos. Mesmo com os fortes estresses na Síria, uns protestos aqui na América Latina, o homem foguete lá cantando de galo na Coreia do Norte, mesmo assim estamos em paz com certeza já e agora, comparado com os outros anos. Acho que quem espera que essa paz seja paz mesmo uma paz a ponto de os animais carnívoros passarem a comer capim na verdade está se enganando. Estou esperando a repentina destruição é agora em diante. O que falta mesmo é a declaração pública das autoridades mundiais, mas a rigor já estamos numa paz. O que vc acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo que podemos dizer que de um modo geral o mundo vive um período de paz (quando comparado às eras passadas), mas acho que para que a profecia se concretize plenamente ainda falta o principal, que é a paz entre judeus e árabes (que pode ser selada a qualquer momento pelo anticristo). Quando isso acontecer, aí sim o bicho vai pegar. Neste momento, tudo o que podemos saber é que isso está próximo.

      Excluir

Fique à vontade para deixar seu comentário, sua participação é importante e será publicada e respondida após passar pela moderação. Todas as dúvidas e observações educadas são bem-vindas, mesmo que não estejam relacionadas ao tema do artigo, mas comentários que faltem com o respeito não serão publicados.

*Comentários como "Anônimo" ou "Unknown" NÃO serão publicados, identifique-se através da sua conta Google, de um modo que seja possível distingui-lo dos demais.