14 de fevereiro de 2019

181 Por que descentralizar o poder é sempre melhor que concentrá-lo em um só



Imagine que alguém possua uma bomba atômica que possa usar para destruir por completo a sua cidade, estado ou país, e que para acionar essa bomba basta que um único louco decida isso. Eu não sei você, mas eu viveria com muito, muito medo – e pensaria seriamente em mudar da cidade, estado ou país que estivesse ao alcance da bomba desse maluco. Agora mudemos um pouco o cenário, e imaginemos que para esse louco acionar sua bomba ele precisasse da aprovação de dez outros loucos como ele. Eu ainda estaria muito preocupado, um pouco menos do que com a bomba que depende de um único louco, mas estaria.

Agora pense que para o louco acionar essa bomba fosse necessário a aprovação de centenas de loucos, e que esses loucos precisassem primeiro passar pelo voto popular competindo contra milhares de pessoas mais sóbrias, e que mesmo se eles conseguissem isso, ainda passariam por uma pressão popular tão forte que temeriam perder seus cargos, aos quais se apegam de corpo e alma. Neste cenário, eu, como o “alvo”, talvez ainda não me sinta plenamente confortável, mas incontestavelmente preferiria viver nessas condições do que nas outras duas.

Essa é a vantagem da descentralização em relação à centralização. O poder, em si, é algo extremamente perigoso, como uma bomba. Há um velho ditado que diz que se você quer conhecer uma pessoa, então dê poder a ela. A história, o cotidiano e a própria Bíblia estão aí como a prova de que esse ditado é verdadeiro. O poder pode corromper as pessoas, extrair delas o seu pior, torná-las altivas, orgulhosas, autoritárias, arrogantes, insuportáveis. Uma pessoa má, sem nenhum poder, tem um potencial baixo de influenciar negativamente a vida dos outros, mas essa mesma pessoa com todo o poder em mãos pode levar um povo inteiro à ruína e ao desastre. Se Hitler fosse um síndico de prédio, teria provavelmente muito menos potencial destrutivo do que como o fuhrer. Da mesma forma, um metalúrgico tem uma possibilidade muito menor de assaltar os cofres públicos do que um presidente (independente do número de dedos na mão).

Isso nos leva a um complicado paradoxo: por um lado, nós precisamos de líderes para não cair na anarquia e no caos, mas, por outro, dar o poder a alguém é uma coisa extremamente perigosa, com um potencial tão assustador que às vezes parece ser melhor a anarquia. Em meio a essa aparente contradição, cuja única solução real seria um mundo governado por uma autoridade perfeita em todos os aspectos, existe um jeito mais factível, se não para resolver o problema, pelo menos para atenuá-lo. Ele consiste em limitar e dividir o poder, a fim de que nenhuma pessoa sozinha detenha tanto poder a ponto de fazer o que quiser. O poder concentrado em uma mão leva à ditadura; em muitas, à democracia.

Via de regra, o mundo viveu por milênios sob o governo de líderes despóticos, que mandavam e desmandavam quando bem entendiam. Esses reis levavam nações inteiras a guerras inúteis por razões frívolas, aumentavam os impostos desmedidamente, viviam em palácios esplendorosos enquanto o povo não tinha onde cair morto, não precisavam entregar resultados porque seus cargos eram garantidos pelo sangue que corria em suas veias, mandavam matar qualquer desafeto sem mais nem menos, não tinham que prestar contas a ninguém, moldavam o Estado a seu bel prazer, sem a mais mínima preocupação pelo bem estar social ou por outra coisa que não fosse os seus próprios deleites.

Os povos literalmente se prostravam aos pés desses reis e rainhas que, não obstante já possuíssem todo o poder, não buscavam outra coisa senão ampliá-lo – mesmo que para isso tivessem que tirar de outros reis. Cansados de viver sob a mão forte do Estado, os puritanos criaram um modelo inédito de sociedade: a descentralização. Inspirados no seu modelo religioso, no qual muitas igrejas conviviam sob um mesmo teto à parte de uma liderança centralizadora como no catolicismo, eles criaram um modelo político igualmente descentralizado, que era uma novidade fabulosa para o mundo da época. O resultado dessa descentralização política foi a criação dos Estados Unidos da América, a primeira democracia moderna, sob um sistema republicano que se afastava largamente da centralização monárquica predominante na época.

Essa descentralização americana impressionou o pensador francês Alexis de Tocqueville, que escreveu sobre A Democracia na América, em 1832, após viver alguns anos nos Estados Unidos. É assim que ele descreve a diferença de poder entre o presidente americano e o rei francês:

O rei, na França, constitui realmente uma parte do soberano, pois as leis não existirão se ele se recusar a sancioná-las; além disso, é o executante das leis. O presidente também é o executante da lei, mas não contribui realmente para fazê-la, pois que, ao recusar seu assentimento, não pode impedi-la de existir. Portanto, não faz parte do soberano; nada mais é que seu agente. Não apenas o rei, na França, constitui uma porção do soberano, mas também participa da formação da legislatura, que é a outra porção. Participa dela nomeando os membros de uma câmara e fazendo, à sua vontade, cessar a duração do mandato da outra. O presidente dos Estados Unidos não contribui em nada para a composição do corpo legislativo, nem pode dissolvê-lo. O rei partilha com as Câmaras o direito de propor a lei. O presidente não tem iniciativa semelhante. O rei é representado, no seio das Câmaras, por um certo número de agentes, que expõem seus pontos de vista, sustentam suas opiniões e fazem prevalecer suas máximas de governo. O presidente não tem entrada no congresso; seus ministros são excluídos deste, como ele próprio, e é tão-somente por vias indiretas que faz penetrar nesse grande corpo sua influência e suas opiniões. O rei de França caminha pois de igual para igual com a legislatura, que não pode agir sem ele, como ele não poderia agir sem ela. O presidente está colocado ao lado da legislatura, como um poder inferior e dependente. No exercício do poder executivo propriamente dito, ponto sobre o qual sua posição parece mais se aproximar da do rei da França, o presidente ainda tem várias e grandes causas de inferioridade. O poder do rei, na França, tem antes de tudo, sobre o do presidente, a vantagem da duração. Ora, a duração é um dos primeiros elementos da força. Só se ama e só se teme o que deve existir muito tempo. O presidente dos Estados Unidos é um magistrado eleito por quatro anos. O rei, na França, é um chefe hereditário. No exercício do poder executivo, o presidente dos Estados Unidos acha-se continuamente submetido a uma vigilância ciosa. Ele prepara os tratados, mas não os faz; designa para os cargos, mas não nomeia. O rei da França é senhor absoluto na esfera do poder executivo. O presidente dos Estados Unidos é responsável por seus atos. A lei francesa diz que a pessoa do rei da França é inviolável.[1]

O espantoso sucesso da descentralização americana logo influenciou o resto do mundo ocidental. Parte dele adotou o sistema republicano, e os que mantiveram a monarquia extraíram quase todo o poder real, razão pela qual a rainha Elizabeth é hoje basicamente um enfeite que está ali para acenar e sorrir, deixando o governo de fato nas mãos do primeiro-ministro. Ou seja, até as monarquias europeias tiveram que se descentralizar para continuarem existindo, copiando o modelo descentralizador americano, razão pela qual não se vê mais hoje entre eles as mesmas revoluções e golpes tão característicos da época em que os reis mandavam de fato.

É importante destacar, mais uma vez, que os puritanos só construíram a nação americana descentralizada porque a descentralização já era a característica de seu modelo religioso. Eles não estavam espiritualmente sujeitos ao rei (como na Inglaterra anglicana) ou a um papa (como na Igreja-Estado de Roma). Foi essa centralização no campo religioso que culminou na corrupção da Igreja, que só foi se acentuando na medida em que o poder se tornava cada vez mais centralizado. O papa proclama o dogma da assunção de Maria 1950 anos depois de Cristo? Tem que crer. Declara a si mesmo infalível? Tem que aceitar. Conclama toda a Cristandade a pegar em armas para “libertar a Terra Santa dos infiéis”? Tem que ir. Institui a Inquisição para perseguir e queimar até a morte os “hereges”? Tem que matar. Essa submissão incondicional ao pontífice romano é o fruto da centralização aplicada ao campo religioso, que faz com que baste este líder cair no buraco, que todos os que o seguem cairão junto com ele.

Os protestantes, divididos em suas “milhares de seitas”, como acusam os papistas, pelo menos estão imunes a isso. Se um falso profeta como Agenor Duque aparece com as suas heresias excêntricas e fanfarronices, os crentes não são obrigados a aceitá-lo e a seguir suas práticas e ensinos: basta mudar para uma igreja mais sadia e decente. Ele continuará sendo evangélico, mas evitará os maus evangélicos. Os católicos não têm essa opção, porque se os papas acrescentam um novo dogma ou instituem qualquer erro que seja, eles são obrigados a aceitar, se quiserem continuar católicos. Um evangélico revoltado com um erro patente em sua igreja pode até abrir outra igreja mais séria, mas um católico não tem outra opção a não ser aceitar o erro patente e iludir a si mesmo, fazendo de conta que o erro é na verdade um acerto.

Por isso o famoso lema de Inácio de Loyola, o fundador dos jesuítas, era: “Acredito que o branco que eu vejo é preto, se a hierarquia da Igreja assim o tiver determinado”[2]. Uma tarefa difícil, que basicamente exige abdicar totalmente à capacidade de raciocínio e de crítica, mas necessária, levando em conta a centralização monárquica que é a Igreja de Roma – cujos Estados Papais sempre foram monarquias absolutistas, como o Vaticano permanece sendo até hoje. Os Estados católicos se espelharam no modelo eclesiástico e criaram os estados absolutistas; os puritanos se espelharam na Bíblia e deram luz à democracia moderna.

Como cristãos, nós só temos uma autoridade centralizadora, que é justamente a única que pode ocupar este papel por ser perfeita e inerrante: o próprio Senhor Jesus Cristo. É ele quem reinará «com cetro de ferro» sobre as nações durante o milênio e no estado eterno (Ap 12:5; 19:15). Mas, entre os mortais, somos todos sujeitos às mesmas falhas e fraquezas humanas, razão pela qual é tão temerário colocar muito poder nas mãos de um só. Todos os exemplos que temos no campo político e religioso nos mostram o quão importante é a descentralização, que limita o poder individual e o dilui, não de forma a impedir que erros aconteçam, mas para evitar que contaminem o sistema por completo – até que o grande Rei dos reis assuma entre nós o seu lugar de direito.

• Compartilhe este artigo nas redes:

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,


- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.



[1] TOCQUEVILLE, Alexis de. A Democracia na América. São Paulo: Martins Fontes, 2005, p. 139-141.
[2] LOYOLA, Inácio de. Exercícios de Santo Inácio de Loiola. Petrópolis: Vozes, 1959, p. 333.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)  
 

181 comentários:

  1. Quando vivemos num país politicamente descentralizado, acho que temos mais chances de viver bem, até porque a falta de centralização abre portas para o pensamento crítico e estar no centro do poder invariavelmente significa que a pessoa terá que ouvir o contraditório daquilo que prega ou faz... mas no último parágrafo, quando todos estivemos no Reino, duas perguntas (1): quero ansiosamente reencontrar pessoas que amei e que acreditavam em Jesus, será que as encontrarei? Tipo, eu as reconhecerei e elas me reconhecerão? Pq tem aquele versículo que diz que esqueceremos do passado... (2) É capaz de a gente achar que alguém estava salvo e quando a gente estiver no céu, conscientemente nos daremos conta de que essa pessoa não está por lá????????? Só de pensar é triste. Me faz lembrar daquela pregação do Paul Washer, sobre santificação, que ele alerta que nem todo mundo que está na igreja é trigo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá:

      (1) Com certeza sim, sobre isso a propósito escrevi aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/05/nos-lembraremos-uns-dos-outros-na.html

      (2) De fato, muita gente que nós acreditamos que será salva não será. Isso deve ser doloroso em um primeiro momento, da mesma forma que quando perdemos um parente ou amigo próximo aqui nesta terra, mas o tempo cura todas as feridas. Essa deveria ser aliás mais uma razão para pregarmos o evangelho, a fim de que o maior número de pessoas seja transformada e herde a vida eterna.

      Excluir
  2. Lucas;
    Sobre sua postagem anterior, eu discordo de que o sistema episcopal de igreja se contraponha às escrituras. Talvez o nome seja equivocado sim, pelos motivos mostrados no texto. Mas observe o ministério de Paulo. Ele era um pastor de pastores, visitava as igrejas, plantava outras, levantava líderes, alinhava os ensinos das igrejas à sã doutrina, recomendava obreiros daqui pra igreja de lá. Portanto, é bíblico, embora um nome mais apropriado fosse: modelo eclesiástico apostólico.
    Sei que há riscos de centralização e burocratização. Mas tem seus prós também, de organização, estrutura, estabilidade e proteção. Nunca encontraremos um modelo perfeito, senão na nova Jerusalém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não acho que o exemplo de Paulo seja apropriado, porque Paulo escrevia com autoridade apostólica, Paulo fundou diversas igrejas que não existiam antes dele e trouxe muita gente a Cristo que nem sabia o que era Cristianismo antes dele, então ele escrevia a essas igrejas como um pai que escreve a um filho (neste caso, a um filho na fé):

      “Não estou tentando envergonhá-los ao escrever estas coisas, mas procuro adverti-los, como a meus filhos amados. Embora possam ter dez mil tutores em Cristo, vocês não têm muitos pais, pois em Cristo Jesus eu mesmo os gerei por meio do evangelho” (1ª Coríntios 4:14-15)

      O fato é que "modelo eclesiástico apostólico" também não seria apropriado porque não existem apóstolos hoje no sentido de Pedro e Paulo, de gente que viveu com o Senhor Jesus ou que foi arrebatada ao terceiro céu, de gente que escrevia sob a inspiração do Espírito Santo palavras com autoridade divina, isso não existe mais. Os "apóstolos" que existem hoje (ou pelo menos os que deveriam ser assim chamados) são missionários, evangelistas, mas com um peso de autoridade significativamente menor que o de Paulo, que precisava escrever àquelas igrejas porque nem as lideranças delas estavam entendendo direito a mensagem que ele lhes havia transmitido diretamente (em Corinto, por exemplo, eles já estavam duvidando da própria doutrina da ressurreição, em Colossos havia um princípio de gnosticismo, na Galácia haviam voltado para a lei, e assim por diante).

      Recomendo esses artigos do Bruno Lima onde ele escreve sobre isso:

      http://respostascristas.blogspot.com/2016/06/o-episcopado-monarquico-foi-instituido.html

      http://respostascristas.blogspot.com/2016/06/o-episcopado-monarquico-foi-instituido_13.html

      Excluir
  3. Ficou sabendo disso: comente please https://g1.globo.com/mundo/noticia/2018/10/15/igreja-ortodoxa-russa-rompe-com-patriarcado-de-constantinopla.ghtml
    https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/01/05/patriarca-de-constantinopla-oficializa-nova-igreja-ucraniana-independente-de-moscou.ghtml

    Acho triste essa briga, apesar de tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra mim isso é indiferente, mas só mostra que a independência de pensamento é o destino natural da humanidade, quando chega a um impasse como esse. O importante é que continue havendo tolerância mútua, respeito e amor cristão apesar de tecnicamente não serem mais a mesma "igreja" (no sentido institucional).

      Excluir
  4. Excelente! Lucas, você podia escrever mais sobre essa relação entre protestantismo-capitalismo/ democracia/ liberalismo. Creio que nos próximos volumes dos livros da reforma você deva abordar isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse segundo volume do livro da Reforma vai estar cheio desse tipo de conteúdo, na verdade o livro é basicamente só sobre isso, e tem previsão de 825 páginas tomando por base a quantidade de citações e comparando com o volume anterior, então vem muita coisa por aí :)

      Excluir
  5. Banzolao a que vc atribui o crescimento do número de católicos tradicionalistas entre jovens?Eu sempre associei esse catolicismo tradicional,medieval,a velhinhas de 80 anos a amigas da minha avó rss,até então só conhecia pessoas dessa idade que pensavam desse modo,por isso fiquei sem entender o pq desse boom entre pessoas jovens que até escrevem blogs sobre esse tema

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso tem muito a ver com a ascensão do reacionarismo católico no campo político, impulsionado principalmente pelo olavismo. Você pode notar que praticamente todos (senão todos mesmo) esses jovens tradicionalistas aí são ativistas políticos e até mais interessados em política do que em religião, e como eles detestam a esquerda vão para o seu extremo oposto, que é a valorização excessiva das tradições, uma volta à Idade Média (por isso eles exaltam tanto a Idade Média quando falam de história e política, e consequentemente pegam o modelo medieval de igreja e o transportam para os dias de hoje). Eu diria que é mais um "estado de espírito" do que uma convicção teológica, a maioria desses jovens tradicionalistas não vai à missa apesar de serem católicos fanáticos, também não tem por hábito ler o catecismo e muito menos a Bíblia, mas gostam de se dizer tradicionalistas por causa dessa obsessão pelas tradições, pelo padrão medievalista, esse saudosismo por aquilo que é antigo, vislumbrando um "passado glorioso" que jamais existiu realmente, mas que eles acreditam que seja melhor que o mundo moderno ao qual abominam.

      Excluir
    2. Loucura mesmo precisar querer a volta de um regime medieval so por causa de questões políticas,se fosse para se opor a esquerda poderiam virar evangelicos ,a Igreja Evangelica faz uma oposicao de muito mais qualidade tanto que o nosso voto elegeu o Bolsonaro e já nas eleicoes anteriores como vc mesmo mostrou em um artigo,o maior percentual de votos contra o PT vinha de nós ,mas eu ja percebi que ninguém se torna protestante por questões políticas ,na Igreja Protestante é uma consequência se tornar conservador não é ?E não a causa

      Excluir
    3. Eles não entendem assim. Para o Astrolavo, as igrejas evangélicas fizeram mais mal ao Brasil "do que a esquerda inteira". É por isso que esses caras são tão doentes, eles literalmente acreditam que o protestantismo é o culpado de tudo apesar de todos os fatos concretos demonstrarem o contrário.

      Excluir
    4. Sim doença mesmo,mesmo ha dez anos atrás quando o petismo estava no auge,vários pastores evangélicos ja batiam no PT,apesar de infelizmente alguns terem se aliado a eles como Magno Malta e Marco Feliciano ,mas esses logo abriram os olhos e fizeram posteriormente forte oposição a esquerda,mas vc concorda que ninguém se converte a igreja evangélica por ela ser conservadora?Acreditas que a conversao é sempre por uma necessidade espiritual e não política?

      Excluir
    5. Sim, as pessoas se tornam evangélicas porque tem anseio por Cristo. Tornam-se conservadoras como a consequência disso, não como a causa. No caso católico é o inverso, como não há Cristo ali, eles se tornam católicos por conveniência política (em se tratando dos casos que você citou) e para se sentir "no grupo" (no caso dos que estão na seita olavete, onde o catolicismo é praticamente uma condição para ser aceito entre os pares).

      Excluir
  6. Ótimo artigo! O que você acha da anarquia? Já vi pessoas que são contra a idéia de poder, logo falam a favor de tal sistema, onde teoricamente haveria igualdade, mas pelo amor, isso aí é só no papel mesmo, é impossível vivermos numa sociedade perfeita onde ninguém se destaque mais que ninguém, como as pessoas podem se cegar tanto com isso? Acho inclusive que pra essas pessoas que dizem ser contra a ideia de poder faria mais sentindo optar ao modelo puritano do que anarquia, pois o primeiro funciona e não deixa o poder centralizado, como vimos no artigo. Mas aí vem a questão de "naooo, capitalismo é opressor, polui a natureza, gera desigualdade, explora as pessoas e as deixa alienadas, os pobres sofrem muito!" Já vi muitos adolescentes da minha idade pensando assim, a maioria optando por apoiar sistemas mais próximos do socialismo. Essas ideologias esquerdistas revolucionárias conseguem atingir muito fácil a mente de jovens que ficam cegos com o tal mundinho perfeito da igualdade e tolerância. Porém da anarquia ainda não vi tanta coisa, por isso a pergunta no início do comentário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, o socialismo atrai mais os jovens não apenas por causa da doutrinação escolar, mas porque é mais simples (eu diria mais simplista), é quase como se tivesse saído de um conto de fadas, algo muito mais fácil para alguém de mente pequena e com pouca experiência de vida aprender e acolher. Aí quando o cara cresce ele começa a ver que o mundo não é tão simples assim, ele começa a olhar as coisas mais pragmaticamente, vê que o modelo que ele defende não deu certo em lugar nenhum do mundo, tem noções básicas de economia que já são o suficiente para descartar o socialismo por completo, e todo aquele mundinho "preto e branco" que ele criou na cabeça dele vai desmoronando diante da realidade que é muito mais complexa do que ele imaginava. Por isso alguém certa vez disse que um jovem que não é socialista não tem coração, e um adulto que continua socialista não tem cérebro.

      Sobre a anarquia, eu penso que é um caso extremamente parecido com esse exemplo acima dos socialistas, porque igualmente é uma coisa que "funciona" no mundo da imaginação, na pura teoria das coisas, é mais uma solução fácil e imaginária, mas que também resultaria no caos se fosse implementada na prática (infelizmente ainda não foi, mas deveria ser, para termos exemplos concretos do quanto ela é ruim da mesma forma que temos do socialismo). Como alguém já disse certa vez, trata-se de uma evidente “ficção política” que pressupõe um senso ético/moral quase que incorruptível da conduta dos indivíduos, e à medida que as pessoas mal conseguem se portar frente a uma abordagem discordante das suas ideias notarão que essa presunção é absolutamente utópica. Em uma tribo de 100 membros já seria difícil sustentar tal ideia, de modo que, tão logo, recorreriam à indicação natural de um “cacique” para dirimir os seus impasses tribais. Do contrário, acabariam resolvendo pela via da auto-tutela e remontariam à barbárie, se auto-destruindo, e oportunizando o levante de instintos autoritários de liderança, certamente resultando num caos total.

      Antes que se chegasse a esse ponto, ainda teríamos algumas questões insolúveis, como, por exemplo, em ocorrendo um homicídio ou estupro, quem executaria as decisões? Quem fiscalizaria a adequada execução das decisões? Se pensarmos a possibilidade de indicação de “especialistas” ou “conselhos” para cumprir essa tarefa, se estaria – ainda que indireta e singelamente – a fazer “transferência de poder” e aplicar-se-ia, “legitimamente” (ainda que se negue), a ideia de “Estado mínimo”, ou seja, já não estaríamos mais diante de uma verdadeira “anarquia” ou “anarcocapitalismo”. O melhor exemplo de uma situação concreta onde indiretamente o anarcocapitalismo está sendo testado – num verdadeiro laboratório sociológico real e prático –, a meu ver, tem ocorrido nas favelas do Rio de Janeiro. Sem um mínimo de Estado, do ponto de vista real e prático, as forças naturais sociais – lei do mais forte – estão ditando as regras, e, infelizmente, não consigo enxergar ninguém ali vivendo em “liberdade e plenitude”.

      Excluir
    2. Infelizmente percebo que você ataca muito um tipo de espantalho do anarcocapitalismo, deveria ler alguns livros que explicam mais a cerca disso (um bom para se começar é o Anatomia do Estado, de Rothbard).
      Anarquia e Anarcocapitalismo no sentido Libertarianismo são extremos opostos em seus ideais.
      Recomendo também o canal do ancap.su, vai desmitificar bastante.

      Excluir
    3. Lucas, sinceramente, você tem alguma teoria sobre o motivo de Marx ser tão popular no meio acadêmico? Quando eu vejo as coisas que muitos comunistas dizem ou disseram e o que aconteceu em países que aderiram ao Socialismo, não consigo deixar de imaginar a possibilidade de ser o próprio Satanás "sussurrando" essas abominações no ouvido dessas pessoas.

      Excluir
    4. "Infelizmente percebo que você ataca muito um tipo de espantalho do anarcocapitalismo, deveria ler alguns livros que explicam mais a cerca disso (um bom para se começar é o Anatomia do Estado, de Rothbard). Anarquia e Anarcocapitalismo no sentido Libertarianismo são extremos opostos em seus ideais. Recomendo também o canal do ancap.su, vai desmitificar bastante"

      Não vejo como podem ser tão opostos. Anarcocapitalismo é a junção de anarquia ("anarco") com capitalismo, ou seja, uma anarquia com propriedade privada (o que por si só já é uma contradição de termos, a meu ver). Na ausência do Estado, ninguém poderia impor um sistema capitalista (em vez de um feudalismo, por exemplo) ou garantir a propriedade privada (quem garante que a sua propriedade é sua mesmo?). Então eu não vejo nem como desvincular anarquia de anarcocapitalismo e muito menos como garantir um "capitalismo anárquico". Pode até ser que esses livros expliquem isso, mas a julgar por tudo aquilo que já ouvi e li até hoje, eles não tem qualquer explicação que soe muito racional ou viável.

      "Lucas, sinceramente, você tem alguma teoria sobre o motivo de Marx ser tão popular no meio acadêmico? Quando eu vejo as coisas que muitos comunistas dizem ou disseram e o que aconteceu em países que aderiram ao Socialismo, não consigo deixar de imaginar a possibilidade de ser o próprio Satanás "sussurrando" essas abominações no ouvido dessas pessoas"

      Também entendo essa hipótese como a mais provável. Com tantos exemplos de insucesso do socialismo, é preciso ser um monstro anti-humanidade, ou um monstro de ignorância, ou o próprio diabo para continuar defendendo esse sistema maligno.

      Excluir
  7. O que é a social democracia? A proposta de fazer algumas intervenções no mundo capitalista para não causar muitos danos, explorações e desigualdade parece sedutora, mas como a coisa é na prática?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade eles não defendem "pequenas intervenções", se fosse assim seriam a favor do Estado mínimo, eles são a favor de intervenções maiores e de uma política forte de distribuição de renda com o objetivo de se alcançar o socialismo "aos pouquinhos", por isso dá menos errado que o socialismo em si, mas também acaba com a economia a médio/longo prazo de qualquer país (um exemplo típico é a América Latina, que aderiu em peso a esse modelo econômico há muito tempo). Na verdade, o que mais faria com que a economia crescesse seria uma total não-intervenção do Estado na economia, porque quanto mais o Estado intervém na economia mais a economia é afetada por conta disso, mas um pouco de intervenção estatal é necessária para não se criar desigualdades sociais gritantes e para coibir algumas injustiças (e eventualmente, para atuar mais especificamente em situações de crise), mesmo porque se o Estado abolisse do dia para a noite todos os serviços públicos (como o SUS, as escolas e as universidades públicas) e acabasse com o pagamento de impostos abruptamente milhões de pessoas mais pobres seriam sacrificadas, ainda que a longo prazo isso pudesse ser vantajoso, mas é imoral. Por isso é necessário um Estado mínimo, que garanta condições de subsistência aos mais pobres, ao mesmo tempo em que evita intervir muito na economia para que o PIB de um país cresça e naturalmente beneficie dos mais pobres aos mais ricos (como aconteceu nos EUA e em grande parte da Europa desenvolvida, onde até os "pobres" de lá seriam classe média ou ricos em comparação ao Brasil ou a outro país de terceiro mundo).

      Excluir
  8. Banzolao e sobre a questão de jovens se tornarem católicos tradicionalistas,achas que o trabalho do astrolavo é a principal causa disso ou ha outros fatores?

    ResponderExcluir
  9. Melhor exemplo de centralização : PAPADO

    ResponderExcluir
  10. Respostas
    1. Esses caras veem o diabo em tudo, até em um filme que levou milhares de pessoas à conversão, e outros milhões de desviados que voltaram os seus olhos à fé através desse fantástico filme. Eles veem o Satã em tanto lugar que eu não ficaria surpreso se um dia eles descobrissem que o próprio site deles é do demônio.

      Excluir
    2. Eu gostei tanto do filme. Fortaleceu minha fé.

      Excluir
  11. Excelente artigo, Banzoli!
    Mas uma dúvida, o Sacro Império Romano Germânico já não era um exemplo de descentralização? Tendo em vista que eles eram uma monarquia eletiva onde os príncipes elegiam quem seria o próximo imperador quando o mesmo morresse, e também levando em conta o fato de que o império era cheio de reinos, ducados e cidades-estados autônomas, além das constantes desavenças entre os imperadores com o papa para disputar qual dos dois tinham mais poder sob o povo do império (como o saque de Roma em 1527 e a guerra da liga de cognac)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Sacro Império era descentralizado em relação à figura do imperador apenas, mas era centralizado em relação aos príncipes, que governavam seus territórios como se fossem verdadeiros reis, com poderes infinitamente maiores do que os governadores nos EUA, então na prática não surtia os efeitos desejados de uma verdadeira descentralização. Os Estados Unidos era, como o próprio nome sugere, Estados que estavam UNIDOS entre si, enquanto no Sacro Império era cada um por si, eles só se reuniam em circunstâncias extraordinárias e para eleger o próximo imperador. Quando os EUA entrava em guerra (como a da Independência) todos os estados participavam dela porque eles eram um, enquanto no Sacro Império era cada um por si, o fato de um estado entrar em guerra não implicava que os outros deveriam participar também, e às vezes até entravam uns contra os outros, por isso a Alemanha nunca conseguiu naquela época extrair todo o seu potencial do seu enorme exército (se estivesse unido), ficando sempre à sombra da França, Espanha, Reino Unido e etc. Todos nos EUA viviam sob uma lei (a Constituição), pagavam o mesmo imposto federal, se consideravam como um só povo, tinham uma mesma ética e compartilhavam os mesmos princípios gerais, enquanto o Sacro Império era mais um "catadão" de estados autônomos governados por príncipes centralizadores sob a fachada de um "império" que em prática jamais existiu (por isso alguns historiadores brincam dizendo que ele não era nem "Sacro", nem "Império" e nem "Romano", apenas "Germânico"). É importante haver descentralização, mas desde que haja uma unidade interna em torno dos mesmos propósitos para formar um país forte, do contrário será um Estado confuso e que será sempre uma presa fácil para qualquer inimigo.

      Excluir
  12. Avalie https://defendendoafecrista.wordpress.com/2016/12/08/quem-e-a-grande-meretriz-do-apocalipse/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu já disse (acho que ontem mesmo) eu não vejo lógica em nenhuma dessas teorias de "anticristo islâmico". Leia esse artigo onde eu exponho o meu parecer sobre isso:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/09/seria-uniao-europeia-o-novo-imperio.html

      Excluir
  13. Off-topic

    Vou deixar este artigo aqui,o outro te envio por messenger ou e-mail

    "Heródoto, historiador grego que viveu alguns séculos antes de Cristo, diz-nos que os egípcios foram os primeiros que ensinaram a imortalidade da alma humana. Logo depois Platão ensinou ao mundo grego a mesma verdade, dizendo ter aprendido essa doutrina de outro filósofo, chamado Pitágoras. Platão baseou uma boa porção dos seus ensinamentos morais nesta grandiosa crença. o ser bom ou o ser mau é que determina o futuro da alma, sendo pitorescamente descritos os tormentos dos maus, e a felicidade dos bons. 2. Na Sagrada Escritura, ‘E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente.(Gn 2.7). A alma é a combinação do corpo e do fôlego de vida, quer dizer, sem corpo não há alma e sem fôlego de vida também não há alma. O fôlego de vida é a mesma coisa que espírito (Jó 27:3). Quanto à vida futura, a Escritura claramente nos ensina que o corpo volta a ser pó e o espírito, ou fôlego de vida, volta para Deus. 'Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá.' Ezequiel 18:4. Nós aspiramos possuir a imortalidade. A Bíblia usa a palavra alma 1600 vezes, mas nunca usa a expressão: 'alma imortal'. Receberemos a imortalidade quando Jesus voltar (1Tim 6:16 e Rom 2:7).O termo “alma” é a tradução do hebraico nephesh. Em Gênesis 2:7, o termo denota o homem como um ser vivente depois que o fôlego de vida penetrou no corpo físico, formado com os elementos da terra. Nephesh enfatiza a individualidade existente em cada ser vivente e não representa parte de uma pessoa; é a própria pessoa, sendo, em muitos casos, traduzido exatamente como ‘pessoa’ (Gn 14:21; Nm 5:6; Dt 10:22; cf. Sl 3:2) ou “eu” (a própria pessoa) (Lv 11:43; 1Rs 19:4; Is 46:2). O uso do termo grego psuche em o Novo Testamento é similar àquele de nephesh no Antigo. O corpo e a alma existem em conjunto; ambos formam uma união indivisível. A alma não tem existência consciente separada do corpo. Não existe qualquer texto que indique a possibilidade de a alma sobreviver ao corpo, mantendo-se como entidade consciente."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se eu não me engano, esse trecho aí eu citei no meu livro (mas não o trecho completo, apenas parte dele).

      Excluir
    2. Eu achei este artigo recentemente em um dicionário bíblico,não lembro de ter lido em seu livro,possa ser que sim já que tem tempo que eu o li.

      ** UMA CLARA DESVANTAGEM DA NOÇÃO DO “MORRER E IR PRO CÉU” **
      Imaginemos um dedicado pai de família que se empenha em manter os filhos nos caminhos do Senhor, sendo um exemplo de fidelidade aos princípios bíblicos e assiduidade em assistir aos cultos. Mas, morre relativamente jovem, e vai para o céu com sua “alma imortal”. Daí, fica esperando que filhos e esposa ali apareçam anos depois.
      Contudo, passa o tempo, e. . . nada. Digamos que a esposa, agora viúva, casa-se com outro homem, mas este é um crente frouxo e finda se desviando da fé e a levando junto, bem como deixando uma má influência sobre os jovens filhos. Estes saem da Igreja, envolvem-se com drogas e crimes (o que não é tão raro), enfim, perdendo-se na senda da tentação.
      Daí, o pobre homem, nos páramos da glória, chega à triste conclusão de que após passar um tempo em que naturalmente todos teriam falecido e a ele se unido, isso não ocorrendo é porque não se salvaram. Ao contrário, torravam no inferno de fogo eterno, em torturas colossais, condenados por toda a eternidade. Como pode ter paz e alegria celestiais alguém em tais condições?!
      Também a ideia de que “não há lembrança” das coisas passadas é problemática. Imaginem situação diferente: a referida viúva se salva e vai para o céu. Chegando lá, nem se lembraria de quem foi, com quem conviveu, se teve filhos ou marido. Este cruza caminhos com ela, mas ninguém sabe quem é quem. . . Ignoram totalmente sua mútua história.
      Seria um céu tremendamente deficiente de emoções tão relevantes para a vida humana. Mais lógico é entender que TODOS juntos herdarão o Reino “naquele dia”, como diz Paulo ao expressar sua esperança de receber no porvir a coroa da glória.

      ** PAULO FALA DO TEMPO DE SUA PARTIDA **
      Declarou o Apóstolo já com idade avançada:
      “. . . o tempo da minha partida está próximo. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará NAQUELE DIA; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a SUA VINDA. – 2 Tim. 4:6-8.
      Isso se harmoniza com o que Cristo disse—sobre estar PARA SEMPRE com os Seus, não quando morressem e fossem para o céu, mas quando Ele retornasse para levá-los para os “lugares” que lhes foi preparar junto às moradas do Pai (João 14:1-3). Assim, a ênfase bíblica não é a IDA de pessoas para o céu, e sim a VINDA de Cristo para buscar os Seus, ressuscitando-os primeiro dentre os mortos.
      Também recorde-se que a Bíblia fala que “as obras acompanham” os que morrem (ver Apo. 14:13). Claro, há a influência para o bem ou para o mal sobre vidas individuais ou sobre toda a sociedade de uma pessoa enquanto viva, e ao morrer, suas “obras” acompanharão a trajetória dessas outras vidas por tempo indeterminado. Hitler, por exemplo, deixou admiradores e discípulos até os dias de hoje, então o potencial de maldade que a sua existência representou não se esgotou com a sua morte. Por isso o juízo final só fará sentido quando toda a história da humanidade chegar a seu fim, e as causas e consequências da vida de cada uma e todas as criaturas humanas forem devidamente pesadas na balança do Eterno.

      Excluir
    3. Muitas pessoas perguntam porque Deus vai ressuscitar os ímpios para depois "simplesmente" aniquilá-los.Já refleti sobre isso e a resposta não é tão difícil.Os justos participarão da primeira ressurreição,e serão justificados por Cristo,e por isso não haverá imputação de pena para estes.Os ímpios tbm serão ressuscitados para prestarem contas,acontece que eles não tem quem os justifiquem(e nem querem),portanto sofrerão por seus pecados.Notem que assim como Satanás e seus anjos,os ímpios escatologicamente falando tbm não demonstram qualquer sinal de arrependimento,muito pelo contrário,depois de serem mortos na segunda vinda de Cristo,e depois do milênio quando eles serão ressuscitados,ao invés de por exemplo pedirem perdão ou misericórdia a Deus eles se unirão a Satanás para a última peleja contra o Senhor e seus santos,e até mesmo antes de serem totalmente consumidos pelo fogo do juízo,durante o período de sofrimento no Geena,a Bíblia não diz que eles se arrependerão.Escrevo isso porque muita gente acha que eles vão estar lá clamando por perdão e misericórdia seja na segunda ressurreição ou no Geena e Deus "malvadão" não estará nem aí.O aniquilacionismo indireto só mostra que Deus usa de misericórdia para com o pecador até o final.

      Excluir
    4. Esses textos aí são do prof. Azenilto Brito, só de bater o olho já me lembrei, é difícil esquecer dos textos dele, ele foi fundamental na minha compreensão sobre o tema.

      Excluir
    5. Os textos "UMA CLARA DESVANTAGEM DA NOÇÃO DO “MORRER E IR PRO CÉU” e "PAULO FALA DO TEMPO DE SUA PARTIDA" foram postados por ele,mas como ele não deixou o autor no final,pensei que ele tinha encontrado esses textos na net.Sobre o meu comentário,o JFM chegou a dizer que uma vez quitados os pecados,Deus não teria motivo para aniquilar os ímpios,querendo comparar essa doutrina a do universalismo.

      https://hoshanarabbah.org/blog/2013/09/05/immortal-soul-idea-pagan/

      https://www.youtube.com/watch?v=Q1VFrTC1izs&t=528s

      Excluir
    6. Os textos que ele posta são sempre dele, ele tem muitos textos, é uma pena que não coloca todos no site dele.

      Excluir
  14. O Stf tá julgando aquele caso de homofobia. O ministro relator fez uma defesa que todos acharam histórica, mas para mim está evidente que nosso país é governado e julgado por pessoas que apenas sabem que Deus existe, mas não o temem. Nesse artigo https://r.amply.cloud/?url=https://guiame.com.br/gospel/noticias/se-voce-baseia-sua-visao-na-biblia-ficara-ofendido-diz-criadora-da-ideologia-de-genero.html fica claro para mim que eu gostaria de desembarcar do mundo . O mundo está indo nessa direção e enquanto isso acontece, fico triste e até desesperado vendo o Subirá com aquele vídeo criticando os novatos que querem espalhar a palavra de Deus pela net sem selo de pedigree enquanto esses mesmos novatos, muitos deles dão a cara a tapa e se insurgem contra o mundo... Muitos deles combatem essa ideologia de gênero, que para mim é a prova de que o mundo torceu a verdade de Deus. O que achas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não entendi direito o seu pensamento (pode ter sido por lerdice minha mesmo). Você é a favor ou contra a ideologia de gênero e esse projeto de lei?

      Excluir
    2. Sou contra essa ideologia de genero e sou contra esse julgamento do stf, que já sabemos que a tendencia é ir contra a ordem biologica da coisa, e no fundo no fundo, vai censurar religiosos de falar que Deus não aprova isso.

      Excluir
    3. Também sou contra, é um absurdo o que estão querendo fazer, sempre que o Congresso não aprova uma pauta progressista o STF inventa de legislar a respeito, essa corja colocada ali pelos governos do PT. Tem que se fazer uma limpeza urgente.

      Excluir
  15. Quando eu leio apenas um único capítulo da Bíblia, entendo o estado de miséria espiritual que estamos, em Romanos 1. Tipo, como vx fazia para ler o Nt todo em uma segunda feira? Tipo se trancava no quarto o dia todo? Eu acho que leio devagar...

    ResponderExcluir
  16. E vc acredita que essa onda de jovens se tornando católicos tradicionalistas durará muito?Ha uma base forte na fé deles?Ou será uma modinha passageira ? Isso me estranha porque há dez anos atrás não conhecia nenhum jovem católico tradicionalista ,a maioria dos meus amigos que se diziam católicos não eram praticantes,um ou outro que era praticante,frequentava a RCC,mas nenhum era católico tradicionalista ou tridentino,nem sabia que existia jovens assim até começar a ler seus artigos em que eles atacavam os protestantes ,como te disse em outro comentário ,isso sempre me pareceu coisa de gente idosa ,beata ,nunca de jovens do século XXI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É modinha sim, instigada pelo atual momento político e pelo guru da Virgínia, como expliquei em outro comentário. Essas coisas de "jovens tradicionalistas", "volta da monarquia", "intervenção militar", "imposto é roubo" e coisas do tipo vão e passam com o tempo, as pessoas precisam se apegar a alguma coisa nova quando as coisas andam mal, é uma tentativa de resolver os problemas do presente com soluções fáceis (e algumas até mágicas), então surgem esses modismos, mas depois que a estabilidade volta eles simplesmente evaporam.

      Excluir
  17. Banzolao e qual foi a sua experiência com jovens católicos tradicionalistas antes da criação de seu blog?Ja sabia que eles existiam ?Também achavas que eram inexistentes e que só velhinhas beatas tinham essa mentalidade ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já lido com eles desde o início, então pra mim não é surpresa. Na época do Orkut já tinham muitos desse tipo, quase todos os debatedores católicos são tradicionalistas, é bem nítido que o tradicionalismo atrai o fanatismo.

      Excluir
  18. Qual livro vc indica para que eup possa estudar melhor sobre as heresias grego platonicas que entraram no Cristianismo. Tipo, é sobre o helenismo que os macabeus tentaram combater ou tem a ver com interpretação do novo testamento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma forma de se ler a Bíblia com as lentes do helenismo, ou seja, com a forma grega de se pensar e de se entender o mundo, o que inevitavelmente acaba colocando em nossa cabeça conceitos prévios que trazemos para dentro da Escritura na hora de interpretar a Bíblia. Um exemplo é a questão da alma, que no conceito hebraico dizia respeito apenas a um ser vivo, mas que no conceito grego era um "ser dentro do ser", uma espécie de "fantasminha" incorpóreo que sobrevive conscientemente na morte, então hoje as pessoas leem a palavra "alma" em algum texto e já pensam nesse "fantasminha", e não no que um hebreu antigo tinha em mente. O Oscar Cullmann fala sobre isso em um livreto simples e fácil de se ler chamado "Imortalidade da Alma ou Ressurreição dos Mortos", esse aqui:

      http://www.mentesbereanas.info/download/imort-ressur_folheto.pdf

      Os helênicos também trouxeram para nós a dualidade de corpo e alma, com o corpo sendo a "prisão" da alma, o que inevitavelmente atraía uma concepção negativa em relação ao corpo, que se opõe ao conceito neotestamentário. Quando a Igreja adotou este conceito, surgiu aquelas barbaridades dos padres se auto-flagelando para pagar os seus pecados, e outros muitos que proibiam o próprio banho (teve até bispo excomungado por tomar banho, acredite), porque para eles tudo o que fazia bem para o corpo era ruim para a alma, e vice-versa (então quanto mais se destruía o corpo, mais se alimentava a alma). Já o conceito hebraico e bíblico é bem diferente, porque um corpo nada mais é senão a alma visível, então tentar acabar com ele não vai alimentar a alma, vai apenas desagradar a Deus. Por isso no NT o corpo é chamado de templo do Espírito Santo e Paulo diz que ele deve ser conservado irrepreensível até a volta de Jesus.

      Excluir
  19. Quando Salomão fez m, o povo inteiro sofreu, tanto que a nação foi dividida em duas. Quando Davi fez m, muitas pessoas morreram também... nosso país hj, claramente caminha para de alguma forma, ir violando a lei natural criada por Deus. Escaparemos do juízo?

    ResponderExcluir
  20. https://www.youtube.com/watch?v=6G2PkWbsIl8 , afinal de contas, o que eram esse bichos? Outra pergunta, vc acha mesmo que o petróleo é suco de dinossauros? Pq eles dizem que é um prensado de matéria organica a alta pressao por muito tempo, olha só.... ia ser preciso uma pilha de bicho junto misturado com plantas e uma baita prensa pra esmagar tudo, tipo uns tres planetas como o nosso... acho que o petroleo é pre existente, o que vc acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beemote e Leviatã no livro de Jó eram duas espécies de dinossauro, um da terra (Beemote) e outro do mar (Leviatã). Eu explico isso neste artigo onde mostro as evidências da co-existência entre humanos e dinossauros:

      http://ateismorefutado.blogspot.com/2015/04/evidencias-da-coexistencia-de-humanos-e.html

      Sobre o petróleo, eu não conheço muito dessas questões técnicas ligadas a biologia para comentar sobre isso com propriedade, mas há evidências de que o petróleo não é um combustível fóssil, como você pode ler aqui:

      http://www.criacionismo.com.br/2009/08/petroleo-e-gas-natural-podem-nao-ser.html

      Excluir
  21. Jesus respondeu, e disse-lhe: Tu és mestre de Israel, e não sabes isto? João 3:10, isso equivale nos dias de hoje a: vc é teólogo e nunca viu isso antes? Não sabia disso não? É mais ou menos esse o significado?

    ResponderExcluir
  22. Não entendi porque a heteronormatividade vem sendo criticada. O ministro do STF disse que biologia não define ninguém. What????? Eu acho que há um grande problema aqui que deveria ser exposto. A pessoa passa a vida defendendo essa pauta que nada tem a ver com os desígnios de Deus(talvez só na parte do homicídio em função de opção sexual porque realmente é uma coisa hedionda), mas por outro lado está se empurrando goela abaixo um valor que não é o nosso, isso se chama indigenização? E outra, as pessoas gostam de falar de Constituição e Direitos Humanos, mas na hora que morre ou alguém que a gente ama morre, a gente lê a Bíblia ou coisa do tipo para que Deus receba bem a pessoa, como se agora houvesse algo a ser feito. Por que as pessoas só se preocupam com o que Deus pensa quando encara a morte mas não enquanto vive? Até porque em um velório ninguém vai ler artigo nenhum da Constituição, as pessoas estão entretidas com outras coisas menos a palavra de Deus. O que achas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. É o fim da liberdade de expressão, e a julgar pela declaração do ministro, da própria razão.

      Excluir
    2. É pq tipo, eu olhei no youtube o discurso do ministro relator e acho que é uma coisa fora do eixo da razão pq se uma mulher não nasce mulher, mas se torna depois que ela se dá conta que é uma mulher ou não, de tabela isso valeria para homens também. Então se um cara estupra uma mulher, do tipo penetrar forçadamente o pênis nela e ejacular dentro dela, ele pode muito bem alegar que é uma mulher e que nasceu com pinto por culpa da natureza e que a natureza é culpada e não ele... eu sei que é meio tosco mas veremos isso em breve se essa coisa caminhar pra ser oficializada entre nós.

      Excluir
  23. Essa coleção de comentário do novo testamento, é boa: https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-987150795-kit-mateus-marcos-lucas-joo-nt-william-hendriksen-_JM?quantity=1 , pergunto porque um amigo meu, que estuda teologia, comentou que aquela coleção de comentarios da editora vida nova tem umas heresias mas ele não comentou mais nada depois... vc sabe de algo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sei se esse comentário é bom, mas dependendo da visão teológica que seu amigo tenha, ele pode classificar como heresia aquilo que não é. Por exemplo: se ele for calvinista e esse comentário da Vida Nova for arminiano, ele pode achar que o comentário ensina heresias quando não ensina (na visão de arminianos como eu). Particularmente quando eu preciso de comentários bíblicos eu prefiro conferir os do Study Light e os do Bible Hub, que disponibilizam dezenas de comentários bíblicos dos mais importantes para qualquer texto, o que é bom porque assim dá pra comparar as interpretações conflitantes e ver qual faz mais sentido:

      https://www.studylight.org/commentary/

      https://biblehub.com/

      Pessoalmente falando, não teve nenhuma vez em que eu não entendesse alguma coisa de um versículo e que não encontrasse uma explicação razoável nesses comentários bíblicos, e o melhor, é de graça e aberto para consulta a qualquer um. Lembrando que eu também tenho o meu próprio comentário aos evangelhos, que você pode baixar na página dos livros.

      Excluir
    2. Obrigado, espero economizar uma grana boa então.

      Excluir
  24. Por que temos a impressão de que milagres não acontecem mais como na época de JEsus? Acredito que eles acontecem sim, mas ficam parece que escondidos, uma coisa é vc ser curado de leucemia ou aids, outra é fazer um braço crescer ou uma perda crescer, que seria bem mais evidente, não querendo desqualificar nada. Como entender isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas mesmo nos tempos bíblicos não era comum cura de pessoas amputadas, o único caso que me consta é o da cura da orelha do servo do sumo sacerdote. O próprio John Wimber, criador da Vineyard (a igreja que eu congrego), tinha o dom de cura e em suas reuniões centenas de pessoas eram curadas todos os cultos, tem até pastor herege com dom de cura que cura um monte de gente, só que as pessoas que veem a coisa de longe pensam que é tudo armação, aí não creem e acham que "os milagres acabaram" (da mesma forma que os ateus não creem nos relatos de milagres da Bíblia).

      Excluir
  25. https://www.youtube.com/watch?v=jpMqMW5ilFQ crianças que pregam, como explicar isso? Tem fundamentação teológica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou contra essas crianças que pregam. A Bíblia diz que o pastor não pode ser neófito, tem que ter experiência. Em muitas dessas igrejas uma criança dessas sequer poderia ser batizada, mas paradoxalmente pregar podem... na verdade elas apenas imitam os pregadores adultos, igual um papagaio consegue imitar o que um ser humano fala.

      Excluir
  26. Vi isso escrito uma vez: A grande maioria das pessoas vivem em grupo, pensam em grupo, decidem em grupo, olham com o olhar do grupo e interpretam conforme o espírito de seu grupo! Isso é um obstáculo terrível para a inteligencia, consciência e conhecimento individual, pois desde que a maioria das pessoas nasceram, cresceram e se desenvolveram em grupo, a dependência do grupo é tão visceral que é impossível conceber qualquer construção individual fora dos parâmetros do grupo! A tudo que interfere na interpretação, os elementos que atual na interpretação da mensagem, ou seja, elementos que pré definem a visão de mundo, o pré contexto, o pré significado de símbolos e toda a simbologia que determina a pré significação utilizado para "decifrar" e "decodificar" a mensagem, já é pré determinada com o espírito e com os significados e simbologias do grupo. Então, tornam-se incapazes de compreender a mensagem no que se refere e se dirija no âmbito pessoal e individual, no qual requer um nível de desenvolvimento, capacidade e conhecimento individual e pessoal para que a mensagem seja devidamente interpretada no que se refere a nível individual. Sendo que, a mensagem de Deus em toda a escritura é para indivíduos, e de destina a consciência individual e particular de cada indivíduo. Deus não lida e nem trata com grupos! Já viram algum profeta sair do meio de um grupo? Algum mensageiro de Deus andar em grupo? Já viram Paulo se fixar em algum grupo, ou se deixar guiar por algum grupo? Não! Todos os que de fato transmitiam a mensagem de Deus não dependiam de grupo algum, mesmo que estivessem no meio de um grupo, eles ainda assim permaneciam independentes desse grupo! A Inteligencia a Consciência e a Sabedoria sempre ocorre e se desenvolve a nível individual e nunca no âmbito coletivo! Eu sou alguém que faço parte de uma família que não pertence a nenhum grupo, cresci e me desenvolvi fora de grupos e hoje ainda permaneço fora de grupo. Por isso, tenho uma consciência individual desenvolvida, tenho um conhecimento individual profundo e portanto, tenho uma facilidade de interpretação e compreensão no qual ultrapassa até mesmo quem tem formações e graduações, devidamente por eu ser independente de grupo e ter uma experiencia e consciência individual significativa para olhar, observar, compreender e acoplar. Quem vive em grupo e depende do grupo até mesmo para pensar e tomar qualquer decisão sobre qualquer coisa, possui uma individualidade e uma personalidade tão atrofiada, tem dificuldades em se conhecer, pois não se auto conhecem. E no que tange a auto reflexão o máximo que se faz é se auto-confirmar se sua individualidade está de acordo com os desígnios e com o espírito do grupo! Portanto, quem em grupo assim se firma e se coloca sob dependência visceralmente, jamais conseguirá ser um bom Servo de Deus e muito menos bom Seguidor de Cristo! Pois, a tudo que se chega de mensagem salvadora para essa pessoa será distorcida, passará por ela e ela não enxergará, pois ela sempre colocará o grupo na frente, sempre fará do grupo sua chave de interpretação, de modo que a tudo o que for contra o grupo, ela descartará, permanecendo então, na ignorância e na surdez no que de fato a tudo o que Deus queira dizer para essa pessoa!

    Vc concorda?

    ResponderExcluir
  27. Concordo com seu argumento mas pontuaria que a extrema descentralização é também muito nociva. Defendo o modelo de estado nação forte descentralizado. O que seria exatamente algo similar aos EUA. Só imagino como seria o mundo se de fato o sul tivesse se dividido no norte americano. Poderíamos viver em períodos bem perigosos sob a égide de uma ditadura soviética ou chinesa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu comento sobre isso numa resposta anterior:

      http://www.lucasbanzoli.com/2019/02/por-que-descentralizar-o-poder-e-sempre_14.html?showComment=1550312601601#c7857835273274243997

      Excluir
  28. Fale sobre o comunismo primitivo e o porquê, dele ser um ilusão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu escrevi sobre isso aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/10/entenda-de-forma-simples-o-que-e.html

      Excluir
  29. Shabbat Shalom meu amigo e irmão em Cristo!

    ResponderExcluir
  30. Vc acha contraditório que alguém que se defina como "de direita" seja beneficiário de projetos socias como o Prouni ou Fies?

    O MBL é liberal mas apoia a expansão do prouni para o ensino médio, fundamental e infantil, e apoia o sistema de saúde alemão, obrigatoriedade de adoção de um plano de saúde, custeado pelo governo no caso de pessoas de baixa renda.

    O que vc acha da social democracia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre o sistema de saúde alemão, ele é melhor que o sistema brasileiro mesmo, mas não deveria ter a obrigatoriedade de adoção de um plano de saúde. Se por algum motivo alguém preferir não adotar plano nenhum, é um direito dele, mesmo que ele se lasque depois por conta disso, mas ele não deve ser forçado a nada. Sobre o Prouni, eu sou contra. Acredito que esse investimento seria muito mais bem usado na promoção de ensino à distância por parte de universidades públicas, que é para onde caminha a modernidade, o que permitiria que uma massa muito maior de jovens tivesse ensino universitário com o mesmo investimento com o qual uma minoria entra através do Prouni. Mas como aqui a gente é sempre resistente a ideias novas e modernas, prefere insistir naquilo que é tradicional e superado.

      Excluir
    2. Mas alguém que se defina "de direita" pode ser beneficiário dessas políticas públicas? Pq eu vejo muito petista criticando conservadores ou liberais pois são contra o pt e usam o rouni, por exemplo. Eu acho que fazer parte de um programa social não quer dizer que vc deva necessariamente concordar com tudo o que o partido faz. E msm achar melhor um outro tipo de investimeto, não vejo problema usar o que tem hj.

      Excluir
    3. Não vejo problema em ser beneficiário dessas políticas públicas, na hora de pagar nossos impostos excessivos nós pagamos mesmo sendo contrários a isso por sermos de direita, então se nós nos sujeitamos a isso também temos o direito de usufruir daquilo que esses impostos estão custeando.

      Excluir
  31. Por favor, comente:

    https://youtu.be/V8gD8djKIrE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse vídeo é humor negro ou algo assim?

      Excluir
    2. Não, por mais que pareça um vídeo de humor, não é não, eles estavam falando bem sério. Mas sinceramente não dá pra levar nada do que eles disseram à sério.

      Excluir
    3. Então esses caras são doidos de pedra mesmo. Eu até comecei a listar uns erros deles, mas em poucos segundos eles se multiplicavam tanto que tornou o meu trabalho impossível.

      Excluir
  32. Respostas
    1. Só Deus sabe (e o site "espada eti").

      Excluir
    2. Kkkkk e eles dizem que so seguem a biblia e são fundamentalistas sendo que 87% do site são extrabiblicos como sociedades secretas mataram Jesus,profecias sobre o anticristo(ja foi Charles,Bush,William,Obama,O candidato mormon que esqueci o nome e etc),Salomão foi maçom,tudo é Illuminants e tudo que discordam dele 1% é herege,Se te conhecessem voce era maçom,ocultista,lobisomem,herege,Pior que Macabeus e etc

      Excluir
    3. Eu até admitiria ser chamado de maçom, ocultista, lobisomem, herege e etc, mas de Macabeus não por favor ;p

      Excluir
  33. Poderia me indicar livros sobre interpretação bíblica e sobre os erros de interpretação? Gostaria de estudar melhor o assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho um chamado "Exegese de Textos Difíceis da Bíblia", você pode baixar na página dos livros:

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      O Dr. Antonio Renato Gusso (meu professor de hermenêutica no mestrado) tem um chamado "Como Entender a Bíblia", e o Norman Geisler tem um "Manual de Dúvidas, Enigmas e 'Contradições' da Bíblia" (em co-autoria com Thomas Howe). Dos Pais da Igreja, Agostinho tem um livro de interpretação bíblica chamado "Da Doutrina Cristã".

      Excluir
  34. Duas considerações sobre o sábado, se eu fosse casado com essa mulher, eu guardaria o sábado coladinho https://youtu.be/-kb-LcBU1Y4 , levando-se em conta que apesar de não ser necessário , não é proibido. O que achas?

    ResponderExcluir
  35. Como que é que vc faz pra escrever um livro? Vc pega uma bibliografia a ver com o assunto, lê, separa trechos... Depois comenta? Como é o processo da coisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende do tipo de livro, mas se for um com temática de história, sigo os seguintes passos:

      1) Ler os livros que julgo importantes para escrever o meu.

      2) Selecionar as citações dos trechos mais importantes e transcrevê-los em um documento Word.

      3) Organizar esas citações por capítulo e por tema (por exemplo, em um arquivo com 700 páginas de citações, ir agrupando uma a uma na parte específica em que vai ser citada no livro, pra depois não ter que ficar procurando uma citação entre outras mil).

      4) Agora que está tudo lido, copiado e devidamente organizado, só falta escrever, dando coesão às citações para não ficar parecendo um "catadão" de citações desorganizadas e acrescentar o que foi relevante para a argumentação. Esse é o processo que se leva para escrever um TCC também.

      Excluir
    2. Caramba! Deve dar um trabalho danado 😱

      Excluir
  36. lucas, você já foi budista?

    https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://www.montfort.org.br/bra/cartas/quadro/20100131015918/&ved=2ahUKEwjFuPK1mL_gAhVMILkGHXnVDNEQFjAAegQIBBAB&usg=AOvVaw1qh0aH1jR3zl4UmuRKmT41

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso era segredo, agora todo mundo vai saber que eu sou um budista disfarçado de protestante e que moro em "São Orlando Fedeli" nas "Ilhas da Macronésia" (AC).

      Excluir
    2. Era você mesmo, ou alguém se passando por você?

      Excluir
    3. "Era você mesmo, ou alguém se passando por você?"

      Era eu com 16 anos fazendo gracinha, não faria mais isso hoje.

      Excluir
    4. Ahaha. Vc tem quantos anos agora?

      Excluir
  37. Avalie:
    http://www.evo.bio.br/LAYOUT/CriaExemplo.html
    E se souber inglês, aqui estão as paródias:
    http://foo.ca/wp/chick-tract-satire/whos-your-daddy/
    http://www.skepticfriends.org/forum/showquestion.asp?faq=4&fldAuto=46&page=2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não vou comentar aqui temas que não me dizem respeito.

      Excluir
  38. Lucas é verdade que o numero de católicos está aumentando nos eua enquanto o numero de protestante esta diminuindo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí é um mito inventado há anos atrás para enganar gente boba que não vai atrás das fontes. Eu já abordei aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2016/03/a-igreja-catolica-esta-crescendo-nos.html

      Excluir
  39. O que você acha do Carl Sagan?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não o suficiente para emitir uma opinião a seu respeito.

      Excluir
    2. Pra mim Carl Sagan foi um brilhante cientista. Pena que, no seu entendimento, a religião deve ser abolida e só a ciência é capaz de explicar a realidade. A filosofia, para ser válida, deve passar pelo crivo da ciência.

      Excluir
  40. Lucas, cara tenho uma dúvida em relação a escatologia. Recentemente, vi uma matéria em um jornal israelense, onde um rabino afirmava que o "messias" (O anticristo para nós) já iria vir antes das eleições para presidente em Israel (Isso é aproximadamente entre Março e Abril). Eu particularmente fiquei em choque a primeira vez que vi isso e gostaria de saber a sua opinião como cristão a respeito disso. O link da notícia eu vou deixar abaixo.

    Link da notícia: https://www.breakingisraelnews.com/120689/airstrike-syria-israeli-elections/

    É só isso msm meu irmão, graça e Paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí é só um achismo de um rabino, se fôssemos levar a sério achismos do tipo Jesus voltaria todos os anos, já que todo ano surge alguém datando o "fim do mundo" ou o "arrebatamento" para tal data e chega na hora dá tudo errado. Essas coisas só a Deus compete saber, provavelmente vai passar março e abril e esses caras vão estar marcando uma nova data para um novo "messias".

      Excluir
  41. Eu tenho um pensamento: o nível de degradação moral e ética que estamos hoje é porque perdemos o temor e tremor a Deus. Digo isso porque quando um bandido faz m, a gente se assusta mas nem tanto porque a gente já não espera coisa boa mesmo... mas quando alguém que se declara cristão faz m, aí a coisa muda, porque se espera coisa boa de nós e a sujeira quando chega num lugar limpo, ela fica mais evidente. Eu tenho uma amiga que é crente e ela sempre questionou divórcio, essas coisas... depois ela casou e quando teve que se separar, a exegese mudou e o divórcio veio a ser opção. Casou de novo e se separou de novo e casou de novo... isso me escandaliza. Quando se critica esse tipo de conduta, é capaz de ambos os lados se acusarem se satanismo e se excomungarem mutuamente. Aí olho para os judeus, daqueles praticantes mesmos, que apesar de não terem aceitado Jesus, tem um zelo profundo e autêntico com relação a antiga aliança, e não fazem isso por mal, eles realmente acreditam estar honrando a Deus e é somente no nosso entendimento que eles estão errados, mas aos próprios olhos eles não estão, e se a gente analisa a árvore pelos frutos que ela produz, não posso negar que o índice de divórcio entre eles é bem baixo mesmo. Não deveria ser nós, os cristãos, quem mais deveria se revoltar com o estado espiritual de nós mesmos? Afinal de contas aceitamos Jesus... como explicar o fruto que nós produzimos? Não só em termos de casamento, mas em termos de pastores pedindo dinheiro, os que não pedem grana se exageram na autoridade e tratam a igreja com tirania, os nao pedem grana e nao sao tiranos, sao comedores de mulheres alheias, ou então são pedófilos, ou entao se não vemos nada de errado, é porque não vimos ainda..... , e por aí vai... como nos entender quanto a isso? Como escaparemos do dia do juizo? No que somos melhores dos que os que crucificaram Jesus? Se aceitando Jesus, produzimos esse tipo de gente, com esse tipo de comportamento, eu falando no sentido genérico, claro que não são todos e nem somos nós, no sentido estrito, mas sim amplo... é apenas jeito de falar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o fato dos judeus terem casamentos mais duradouros não significa que esses casamentos sejam melhores, às vezes eles só não se divorciam por causa da religião ou para não serem maus vistos pela sociedade. Hoje em dia há muito mais divórcio do que há duas gerações atrás quando o divórcio ainda era ilegal no Brasil, mas só um louco diria que os casamentos de antes eram mais felizes, todas as histórias que eu conheço são de homens que espancavam e maltratavam suas esposas, e a esposa continuava com o marido porque vivia numa espécie de "prisão mental", uma mentalidade de gente que vivia sob o jugo e que pensava que seu destino era esse, por isso não se libertava. Hoje os homens melhoraram um pouco o tratamento para com as esposas (no geral, não pormenorizadamente) mas há mais divórcios, não porque as pessoas estejam piores, mas porque estão mais independentes, já não aturam mais tanta coisa como aturavam antes, já conseguem dizer "chega", já tem a consciência de que possuem direitos e não são apenas um pedaço de carne para serem usadas por outra pessoa. Eu pessoalmente admiro os judeus, mas dizer que eles dão mais frutos que os cristãos é um tanto precipitado, só Deus conhece o coração e a vida particular e oculta de cada um, provavelmente se os fariseus da época de Jesus vivessem entre nós hoje nós os consideraríamos judeus ortodoxos exemplares com uma conduta rigorosamente "certinha", que era justamente a forma com que eles gostavam de serem vistos aos olhos do povo, mas Jesus conhecia os seus corações e sabia que eles eram na verdade uma "raça de víboras". Não estou dizendo que os judeus atuais são víboras, só estou dizendo que as aparências muitas vezes enganam, não dá pra bater o martelo pra dizer que A ou B é melhor, esse tipo de julgamento só cabe a Deus.

      Excluir
    2. Entendi, e realmente me toquei agora dessa parte da aparência de ser bom quando não se é, é porque a aparência realmente engana e muito bem... verdade isso. Mas tipo, da forma como vc colocou a primeira parte, fica parecendo que os divórcios aumentaram porque os homens sempre foram ogros e reconheço que o que mais tem é homem escroto mesmo, mas tipo, um exemplo contrário, uma amiga minha se divorciou de um militar, mas dentre outras razões, ela tipo deu um conselho para ele: olha, não deixa tão solta a tua próxima mulher... então tipo, é meio punk no geral, acho que a realidade de excesso de divorcio hoje em dia realmente mostra a sociedade que somos, é isso aí mesmo que estamos vendo. Falo igual em relação ao BBB, todo mundo odeio agora com essa onda de conservadorismo, as audiências estão caindo, mas acho que o povo se cansou se ver na TV aquilo que realmente o povo é, exatamente aquilo que mostra no BBB, intrigas, fofocas, interesses, Deus longe de tudo and de todos, e a galera que se diz crente e temente a Deus não são muito diferentes do que o mundo faz, igual aquela pregação do Paul Washer...sabe qual é?

      Excluir
    3. Sim, sim, eu concordo que o estado atual das coisas esteja deplorável (embora discorde de que em algum momento a humanidade já foi melhor, na Bíblia mesmo vemos cenários terríveis, e já naquela época João dizia que o mundo jaz no maligno), o que eu não concordo (a priori) é que os judeus sejam melhores que os cristãos porque isso não tem como afirmar com precisão, eu discordaria da mesma forma se alguém dissesse o contrário citando exemplos de judeus ruins. Claro que como cristão eu acredito que as pessoas realmente regeneradas pelo Espírito Santo são diferentes, mas isso se aplica à minoria dos que se dizem cristãos, quanto ao restante eu não creio que tenha uma diferença substancial para melhor ou para pior em relação às pessoas de outras crenças.

      E a propósito, essa pregação do Paul Washer é sensacional ^^

      Excluir
  42. Lucas, não compreendia interesse igreja católica com ecologia e Amazônia ate este video: Espiritualidade ecológica JIPC franciscanos.

    A parti do minuto 44:00 fala Espiritualidade religiosa X espiritualidade cristo cósmico:
    https://www.youtube.com/watch?v=-vLRH34iEKE&t=2955s

    Cristo segundo ele esta presente em Tudo, uma árvore é Deus, uma montanha é Deus, um animal é Deus, o céu é Deus, o sol é Deus, você é Deus, etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Virou um "panteísmo católico", não pensei que viveria para presenciar isso...

      Excluir
  43. O metodismo é algo bom ou ruim?

    ResponderExcluir
  44. Banzoli, é errado eu ser cristão mas gostar de ouvir música pagã? Eu por exemplo gosto muito da banda Wardruna que faz música de poemas sobre a mitologia nórdica e sobre a era dos vikings, eu até canto alguma delas por achar as línguas nórdicas muito bonitas, mas eu gostaria de saber se esse tipo de coisa é errado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso tudo depende das letras dessas músicas, se forem músicas de adoração a deuses pagãos aí seria errado sim, ou músicas de exaltação ao pecado (apologia às drogas, por exemplo), mas eu não conheço essas músicas que você se refere para saber se elas fazem isso ou não. Contudo, o simples fato de se fazer poemas sobre mitologia não seria um impedimento em si.

      Excluir
  45. Foi correta a criação das Assembleia de Deus que aconteceu em Belém do Pará?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei bem pouco sobre isso e na net não achei fonte segura para estudar o assunto, por isso perguntei...

      Excluir
    2. É que a sua pergunta meio que deixa subtendido que houve alguma coisa errada na criação da Assembleia de Deus, mas particularmente eu não tenho conhecimento de nenhum problema.

      Excluir
  46. Como explicar o Holocausto no sentido bíblico? Há alguma fonte fidedigna que de um bom motivo para aquilo ter acontecido. Porque realmente foi muito triste. Aquilo foi um derramamento do espirito de satanas em milhoes de pessoas que toleraram aquilo ou não fizeram nada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não foi "milhões de pessoas" que toleraram aquilo, a grande maioria do povo alemão não estava sabendo do que ocorria nos campos de concentração, naquela época a notícia não chegava tão rápido como hoje e os nazistas fizeram de tudo para esconder bem. O que se pensava na época é que os campos de concentração fossem locais de trabalho forçado para os inimigos da Alemanha na 2ª Guerra, algo que nem era anormal já que na época a Alemanha não era a única a ter campos de concentração, mas poucos sabiam as experiências humanas que se faziam ali, as torturas, os assassinatos em massa nas câmaras de gás, e assim por diante. Uma minoria poderia até saber de algo, mas estava tão amedrontada e sem força política para resistir que não conseguiria mudar nada, pois qualquer um que dissesse um pio contra o regime nazista incorreria no mesmo destino. Por isso houve pouca resistência aos nazistas, um deles foi o pastor luterano Dietrich Bonhoeffer, o líder da "Igreja Confessante" e da resistência anti-nazista, que foi decoberto e morto pelos nazistas (tem até um filme sobre ele, além de vários livros).

      Excluir
  47. A coleçao de comentários que meu amigo disse ser herético era essa: https://vidanova.com.br/139-1-corintios-introducao-comentario.html tipo eu li o de Tiago e não achei nada de esquisito. Vc já leu essa coleçao ou algum volume?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho esse comentário bíblico mas a Vida Nova costuma ser uma editora séria, eu duvido muito que publicariam uma obra flagrantemente herética. Seu amigo deve estar exagerando (é melhor perguntar a ele o que ele viu de herético nesses comentários).

      Excluir
    2. Pois é, eu gostei bastante desses comentário e gosto da editora. Vou ver com ele qual o papo. Obrigado.

      Excluir
  48. Avalie:

    https://youtu.be/ybpHMrw5eVw

    https://youtu.be/smZG92289a4

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também tenho as minhas reservas em relação ao homeschooling. Poderia ser até menos ruim do que ser doutrinado pelos professores marxistas nas escolas atuais, mas está muito longe de ser o ideal. Além do visível despreparo da grande maioria dos pais e da falta de tempo para eles darem aula para seus filhos apropriadamente, tem o fato de que o convívio social é importante para o desenvolvimento psicológico da criança, para que ela não se torne muito retraída e antissocial. Então eu acho perigoso tanto em relação ao aprendizado quanto em relação ao desenvolvimento da maturidade social do estudante.

      Excluir
  49. Avalie:

    https://youtu.be/6vGdqEyjPIA

    https://youtu.be/UG5hZrTpw2g

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sinceramente não vi nada aí que merecesse ser comentado. É o típico vídeo de dez minutos com pura encheção de linguiça sem dizer nada com nada e chegando a lugar nenhum.

      Excluir
  50. Esse livro sobre maus argumentos: https://bookofbadarguments.com/pt/?view=allpages , tipo quando alguem tá debatendo com outra, sempre tem alguem que diz que "isso é uma falácia", essa premissa não é válida... como as pessoas aprendem a debater? Que tipo de leitura vc me sugere? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tipo de livro pode até ajudar, mas na prática, ele não é necessário para se vencer um debate ou para estar com a razão. Muito antes desses catálogos de falácias existirem, já haviam debates e pessoas refutando umas às outras. Esses livros servem apenas para catalogar as falácias, para torná-las mais claras e facilitar que alguém as identifique e desmascare em um momento oportuno, mas ninguém precisa ser um chato de galocha e ficar toda hora dizendo "essa é a falácia x", "essa é a falácia y", "agora você cometeu a falácia não sei das quantas"... ao contrário, na maior parte das vezes apenas se refuta o argumento em si, mostrando a ignorância do mesmo e onde ele é falho, sem precisar levar a discussão para uma disputa de egos para ver "quem conhece mais falácias catalogadas". Debater é algo que se aprende na prática, debatendo, alguém pode comer esses livros aí de falácias e mesmo assim não saber debater um assunto, porque mais importante do que ter conhecimento em falácias é ter conhecimento no tema que está sendo debatido, caso contrário o proponente em questão será apenas um sofista e nada a mais (ou seja, alguém que simula um conhecimento que não tem, mascarando isso com termos técnicos e sofisticados para confundir o oponente).

      Excluir
  51. No meio dos cristãos, quem seria a raça de víboras? Ou seria mais fácil perguntar quem não seria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há muitas realmente, alguns legalistas, falsos profetas, charlatões e extremistas bem notórios, mas não vem ao caso pormenorizar aqui.

      Excluir
  52. Olá pessoal! Como vão vocês? Esse meu comentário vai ser meio técnico para algumas pessoas, mas vou tentar deixar ele fácil de entender.

    Vocês conhecem a partenogêneses? Para quem não conhece, esse é um processo ao qual um organismo fêmea(dragão de komodo, por exemplo) da a luz a outro organismo(fêmea também) sem a necessidade do esperma do macho. Basicamente elas forçam o ovulo a se desenvolver para crescer e ter outra fêmea.

    Pode parecer bobo, mas isso me fez questionar como e quando realmente a vida começa; e para mim, a minha definição mudou para quando a gameta começa a desenvolver e virar um feto, e não mais quando as duas gametas se encontram.

    A partenogêneses pode, na teoria, acontecer em humanas também(novamente, só pode nascer outra fêmea). Existe um caso de uma camundongo que foi criada a partir desse processo, e usando o DNA de duas fêmeas(LGBTs adoraram)¹.

    Enfim, acho que entenderam meu ponto, e acho que essa definição nova que dei para a vida começar pode chamar algumas implicações para o uso de anticoncepcionais(camisinha, pílula, etc.).

    (Nota: acredito eu que seja possível de "enganar" o esperma para fazer ele se desenvolver sem a necessidade do ovulo)

    [1] https://en.wikipedia.org/wiki/Kaguya_(mouse)

    Sobre a partenogêneses(em inglês): https://en.wikipedia.org/wiki/Parthenogenesis

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
  53. Tenho uma duvida: vocês acham que seria um tanto hipócrita de um cristão ser contra hipnose, mas não vê problema nenhum com cientistas fazendo transplantes de órgãos, clonando animais, mexendo em células tronco, etc.?

    Afinal, qual seriam os bons argumentos para se usar contra a hipnose?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por mim, se alguém quer ser hipnotizado, é um problema dele, ele que arque com as consequências disso depois (da mesma forma que eu não impediria ninguém de se lançar do último andar de um prédio, por mais errado que eu ache que isso seja). Eu acho esse negócio de "controle da mente" é muito perigoso, não precisa nem envolver espiritualidade no meio para perceber isso.

      Excluir
  54. Você viu a matéria que a Record fez a respeito dos sem terrinha? Vários esquerdistas ficaram nervosinhos dizendo que estavam querendo manchar a imagem do MST mas nem é necessário fazer isso.Contra fatos não há argumentos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vi uma parte dessa matéria, é realmente uma lavagem cerebral das mais grotescas isso que fazem com as crianças, é inadmissível, quem faz isso deveria ser preso.

      Excluir
  55. Eu me congregava em uma igreja até que um dia meu pai compartilhou com o pastor um sonho que ele teve e que ele gostou, tipo ele disse que viu o céu, umas coisa bem diferente com detalhes legais que ele ficou maravilhado e começou a ler a Bíblia mais ainda, então acredito que veio de Deus. O pastor, por sua vez, não deu muito crédito e acabou tipo que dando uma indireta do púlpito da igreja dizendo que não devemos acreditar em sonhos mostrando o céu ou coisa do tipo e meu paí ficou bem chateado e ficou pistola tb. O que mais me deixou indignado é que, mais ou menos, de que adianta ser pastor e querer pastorear uma igreja pra quando chegar nesses momentos o pastor acaba agindo dessa forma, cagando na cabeça das ovelhas? Aconteceram umas outras coisas também que, no final das contas, para mim, o pastor no fundo no fundo serve o Diabo, porque esse tipo de atitude escandaliza até quem visita a igreja, pq a pessoa pensa: eu venho pra cá pra me sujeitar a isso? Vou servir Jesus pra que? (acredite, já me falaram isso e a pessoa até hj não dá bola para Cristo). Mas meus pais disseram que esse meu linguajar chamando a pessoa de serva do diabo não procede pq "quem está em Cristo está selado pelo Espírito". Mas na minha opinião, quem pratica o mal não conhece a Deus (Paulo falou isso de Diotréfes) e então em Cristo não está, o que reforça a minha opinião. Estou errado em algum ponto? A minha revolta é injusta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez o que o pastor falou no púlpito seja por causa dessa gente que começa a defender ou inventar doutrinas novas baseada puramente em "revelações" sobrenaturais que Deus supostamente lhes teria dado, o que no fim das contas acaba virando uma bagunça já que cada um conta uma história diferente de uma coisa diferente, tornando Deus "esquizofrênico" caso realmente tudo isso aí viesse dele. Eu não creio na possibilidade de revelações doutrinárias para os nossos dias (de acordo com textos como Gálatas 1:8-9), mas se o seu pai apenas sonhou com o céu sem ter tido nenhuma "nova revelação bombástica" para a igreja (no sentido de adicionar doutrinas novas mediante essas revelações) eu não vejo por que condenar desse jeito. Pode até ser que fosse um sonho normal como qualquer outro que é produzido pela nossa cabeça, mas se serviu para o crescimento espiritual dele, não pode ser desprezado. Mas aí teria que saber se foi mesmo uma indireta do pastor, porque da mesma forma que o pastor pode ter julgado precipitadamente que o sonho não era de Deus, vocês também podem ter julgado prematuramente que o pastor estivesse falando do seu pai e não de qualquer outro caso (ou dos casos em geral). Sobre a questão de falar "servo do diabo", eu até concordo que há uma certa base bíblica para usar termos assim porque algumas vezes foi usado por um ou outro escritor bíblico, mas é o tipo de coisa que se possível devemos evitar falar na frente dos outros senão pode gerar brigas, atritos e contendas desnecessárias, pois irá acirrar os ânimos e isso não é bom. Às vezes é melhor simplesmente entregar o sujeito nas mãos de Deus para que Ele faça a justiça no tempo certo e se afastar da pessoa, ou repreender usando termos mais leves, se necessário for. Esse tipo de coisa seria apenas a casos muito extremos mesmo.

      Excluir
    2. Olha, tipo o sonho que o papai teve foi apenas uma visão que ele atribuiu a ser o céu, paraíso, coisa desse tipo, tipo doutrinário não foi não com certeza rs.. mas ele se sentiu muito feliz mesmo, muito mesmo. Acho q ele tentou compartilhar essa felicidade depois de um tempo. Foi com relação ao sonho do meu pai sim, pq na hora que o pastor falou do púlpito, ele olhou para meu pai, segundo o meu pai disse, e ele se sentiu bastante envergonhado. Essa metodologia de vergonha pública para gerar conformidade de pensamento e compreensão acho uma coisa hedionda mesmo, mas entendi perfeitamente o seu ponto de vista.

      Excluir
    3. Então nesse caso o pastor foi imprudente mesmo, concordo com você.

      Excluir
  56. Banzoli, mais um pra série de "católicos que querem a volta da inquisição/cruzadas"!
    Estava no meu Twitter procurando gente pra debater (de vez em quando eu faço isso, mesmo que debater nessa rede seja um saco) quando me deparo com dois comentários ridículos. Um deles é esse aí:
    http://prntscr.com/mm4lvj

    O outro fazia parte de um tweet que perguntava "por que você é a favor/contra o catolicismo?". Respondi com meus melhores argumentos e quando fui ver o resto do pessoal, vi um erro histórico tremendo:
    http://prntscr.com/mm4mzc

    Mal sabe ele que foi o protestantismo que trouxe uma vasta coleção de intelectuais que libertaram nosso pensamento hoje hahaha. Só você mesmo pra me estimular a caçar essas "pérolas" só pra ter o prazer de refutar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa gente aí é uma coleção de pérolas inacabáveis. Quando eu comecei a caçar pérolas tridentinas para escrever a série dos "zumbis tridentinos" em poucos dias eu já tinha centenas delas (neste momento eu tenho 328 guardadas aqui), eu tive que parar porque senão iria ocupar toda a memória do meu computador em poucos dias. É realmente inacreditável o que sai da boca desse pessoal, parece que saíram de um hospício mesmo (ou de uma cruzada contra os protestantes).

      Excluir
    2. Pois é, eu vou começar a reunir alguns argumentos que utilizei em outros sites (como disse, Twitter não é lugar pra isso) para já ter preparado quando questionarem de novo. É sempre a mesma história, é bom ter guardado um conjunto de explicações pra ver se assim eles aprendem

      Excluir
  57. Avalie:
    http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-PreservacaoTT/QualBiblia-ParenteseJoanino-Fuller.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra mim eles não refutaram nada da crítica. Se está presente em 4, ou em 8, ou se na verdade é em 9 manuscritos, isso ainda é nada em comparação aos mais de cinco mil existentes. A possibilidade desse trecho ser uma parte fidedigna do original da Bíblia é extremamente baixa.

      Excluir
    2. E como fica a questão da inerrância da Bíblia?

      Não sou o mesmo daí de cima.

      Excluir
    3. A inerrância da Bíblia se refere à Bíblia original, aquilo que foi escrito pelos escritores bíblicos, e esse trecho é uma adição posterior, então dizer que ele não é inspirado não é o mesmo que dizer que a Bíblia não é inspirada, significa apenas dizer que ele não é parte da Bíblia.

      Excluir
  58. Com relaçao a teoria de obediencia devida ou indevida, qual a sua opiniao a respeito desse experimento: https://pt.wikipedia.org/wiki/Experi%C3%AAncia_de_Milgram (experiencia de milgram). Essa explica muita coisa dentro das igrejas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conhecia esse experimento, mas lendo agora, faz muito sentido mesmo.

      Excluir
  59. https://imgur.com/a/Zzw2Y0v

    Na foto, o Marcos Lisboa, Adam Smith e o Milton Friedman. O que achou dessa imagem Banzoli ? kkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  60. Notícia boa, Banzolão:

    https://www.mackenzie.br/noticias/artigo/n/a/i/a-caixa-preta-de-darwin/

    ResponderExcluir
  61. As passagens bíblicas tais como Ex. 20:5; 34:7 e Deut. 5:9-10 falam que Deus castiga a iniquidade de uma geração até a terceira e quarta geração de seus descendentes. Mas em Ezequiel 18 vemos o povo lançando mao daquele ditado “Os pais comem uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotam?” (v. 2 NVI). Mas depois sabemos que a responsabilidade é pessoal. Como interpretar esses dois pensamentos? Eles se excluem entre si ou o que?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses textos citados são hipórboles para declarar o fato de que Deus exerce muito mais misericórdia do que juízo, porque após dizer que "castiga a iniquidade até a quarta geração de seus descendentes", diz que abençoa até a milésima geração dos que são fieis a ele (e nem por isso achamos que literalmente alguém está sendo abençoado hoje por causa de um justo que viveu há umas 50 gerações atrás). Se tomado literalmente, isso levaria até a contradições lógicas, por exemplo se alguém é a terceira geração de um ímpio e a décima de um justo (o que em tese o faria estar dentro da bênção e da maldição ao mesmo tempo). Ou seja, era apenas uma forma de expressar o quanto o atributo da misericórdia divina pesa mais do que o da ira ou do juízo, o que está de acordo com Tiago, que diz que "a misericórdia [de Deus] triunfa sobre o juízo" (Tg 2:13).

      Excluir
    2. Não devo toma-las pela literalidade então né..

      Excluir
    3. Exato, o cerne da questão é saber discernir o espírito da lei (aquilo que a lei apontava ao dizer aquilo), em vez da "letra" da lei.

      Excluir
  62. Banzoli,sei que você não é psicólogo, mas tipo, eu tenho 19 anos e nunca beijei ninguém,você tem algum conselho ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é só se tornar um celibatário.

      Brincadeira, o meu conselho é não se preocupar com isso ainda, você ainda tem muito tempo de vida para pensar nisso e, honestamente, a maioria dos relacionamentos nessa idade terminam em nada porque geralmente uma das partes (ou ambas) ainda não tem maturidade pra isso. Mas se o que você quer é alguma coisa como "técnicas de conquista", aí eu sou certamente o menos indicado pra isso.

      Excluir
  63. Lucas, qual conselho você daria para quem quer cursar história como eu ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É preciso se preparar para ouvir muita doutrinação marxista, o que não faz diferença se você já está firme no que você crê, mas se você não está, eles podem fazer a tua cabeça. Por isso quanto mais você confrontar o que os professores dizem em sala de aula com outros autores que dizem o contrário (seja em livros, artigos, vídeos ou o que for) melhor. Não vale a pena ficar discutindo com professor e criando um mal estar geral na turma, mas também não aceite acriticamente tudo o que eles dizem, tenha autonomia, faça as suas próprias pesquisas, leia livros que vão além da bibliografia dada por eles (porque a bibliografia deles só tem livro que favorece a visão deles), enfim, amplie os seus horizontes. E principalmente: não seja o tipo de militante de direita chato que vai tirar satisfação com professor e aluno por causa disso ou aquilo e que arruma briga com todo mundo por razões políticas, mantenha uma postura equilibrada e sã, não é porque alguém pensa diferente que é um inimigo, tem muita gente com quem dá pra se dialogar amigavelmente mesmo com pensamentos opostos (embora haja uma ala mais radical que fecha as portas para qualquer diálogo). E também não é porque um professor é de esquerda que tudo que ele vai dizer estará automaticamente errado, às vezes você encontra reflexões interessantes em posições divergentes.Acho que o resumo de tudo é como disse Paulo: "Examinei tudo e retém o que é bom" (1Ts 5:21).

      Excluir
  64. Se a Igreja Católica romana é falsa, por que Deus nos deixou no erro durante 1500 anos? Essa pergunta é meio cretina e fizeram no facebook. O que responder?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu respondi lá no facebook mas repito aqui: a Igreja nunca deixou de existir, sempre houveram cristãos sinceros e até igrejas (grupos cristãos) que ensinavam um evangelho mais puro, desde muito antes da Reforma. Recomendo a leitura desses artigos:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/01/a-reforma-antes-de-lutero_27.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/12/as-portas-do-inferno-nao-prevalecerao-e.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2017/12/a-igreja-somos-nos-e-nao-uma.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/03/entenda-as-divisoes-do-cristianismo-e.html

      E outros que você pode encontrar no índice:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-catolicismo.html

      Abs.

      Excluir

Fique à vontade para deixar seu comentário, sua participação é importante e será publicada e respondida após passar pela moderação. Todas as dúvidas e observações educadas são bem-vindas, mesmo que não estejam relacionadas ao tema do artigo, mas comentários que faltem com o respeito não serão publicados.

*Comentários como "Anônimo" ou "Unknown" NÃO serão publicados, identifique-se através da sua conta Google, de um modo que seja possível distingui-lo dos demais.