29 de dezembro de 2018

112 Como era o mundo antes do capitalismo


Na escola, na mídia, na política, na televisão, numa mesa de bar ou seja lá onde for, somos sempre bombardeados com ataques dos mais inflamados ao capitalismo, seja atribuindo ao mesmo a pobreza que há no mundo, seja o responsabilizando pela desigualdade social. A impressão que se tem é que antes do capitalismo o mundo era uma maravilha, não havia pobreza, eram todos felizes, imperava uma invejável igualdade social e viviam todos em um Paraíso terrestre maculado pelo capitalismo malvado. Acho que não há quem tenha cursado ao menos o primário sem ter essa impressão muito forte. Eu também a tinha, até começar a estudar a história do mundo – especialmente aquela parte tão constantemente esquecida, a de quando não havia capitalismo.

Eu poderia transcrever aqui milhares de citações, passar um monte de gráficos e mencionar uma porção de especialistas e estudiosos, mas um único dado resume absolutamente tudo: antes do capitalismo a miséria no mundo girava em torno da impressionante casa dos 94%, enquanto hoje é de 10%. Sim, o “capitalismo selvagem” abaixou a miséria no mundo em “apenas” 84% dentro de dois séculos – enquanto milênios sem capitalismo nos deram apenas miséria generalizada, época em que dizer que um camponês morreu de fome era quase que uma redundância. E não termina aí: as regiões mais notoriamente miseráveis do mundo moderno são justamente aquelas que têm pouco ou nada de capitalismo, nomeadamente a África (que passou por diversas revoluções socialistas no século passado, e que continua sendo esmagadoramente governada por regimes de esquerda) e a Ásia (da China e URSS socialistas, e que ainda hoje não estão muito longe disso). Por contraste, aqueles que mais aderiram ao capitalismo são justamente os mais prósperos, como a maior parte da Europa, Estados Unidos, Canadá e Oceania.

Perca quatro minutos bem gastos do seu tempo para assistir a este vídeo do médico Hans Rosling, que mostra a história do desenvolvimento do mundo nos últimos dois séculos, transformando as estatísticas em animação gráfica interativa:


“Ok”, dirá você, “você venceu sobre a questão da pobreza, mas e quanto à desigualdade? É totalmente provado que os 2% mais ricos ganham mais que os outros 98%, isso é tudo culpa do capitalismo!!!”. Calma lá. Eu não vou nem discutir a desonesta metodologia no mínimo altamente questionável usada por esses “estudos” que dizem que tantos por cento tem mais dinheiro que todo o resto somado (você pode ver uma crítica simples e concisa neste vídeo), que na prática consideram qualquer pessoa sem casa própria no mesmo patamar de um mendigo para forçar a barra o máximo possível. Por hora, foquemos apenas em como era o mundo antes do capitalismo, pois se o capitalismo é o grande vilão responsável pela desigualdade então presume-se que antes do capitalismo o mundo era bem mais igualitário.

Só que não.

A realidade do mundo todo durante milênios que precederam o capitalismo foi de muito mais desigualdade social do que há hoje. Para começo de conversa, existia em todo o lugar a escravidão, com os escravos na base piramidal da sociedade – pessoas essas que não tinham literalmente nada além da obrigação de trabalhar forçosamente e acima das suas forças até morrer. Um pouco acima delas, mas ainda miseravelmente pobres, estavam os servos, cuja experiência de vida não se distinguia muito do escravo, no geral. E acima dos dois estavam os nobres, que tinham literalmente tudo: a terra, o dinheiro e o poder político.

Era basicamente essa a estrutura piramidal simplificada de praticamente todas as sociedades na história, com pequenas variações dependendo da época e lugar. É curioso notar que mesmo quando Colombo descobriu o Novo Mundo, embora totalmente desconectado dos hábitos do mundo então conhecido, sua estrutura social era fundamentalmente a mesma vigente no Ocidente e no Oriente da época: escravos, servos e nobres constituíam os três blocos sociais em qualquer povo indígena minimamente civilizado, como os maias, astecas e incas.

Embora muitos tenham uma visão romanceada dos servos (em parte devido aos filmes), sua realidade era quase tão dura e triste quanto a dos escravos, como eu demonstro neste artigo. Na Idade Média, por exemplo, os servos eram proibidos de participar das assembleias civis, não podiam entrar para a vida religiosa, estavam excluídos dos tribunais públicos, não podiam nem testemunhar nem prestar juramento, podiam levar chibatadas tal como os escravos, eram obrigados a regressar à força caso tentassem fugir, e eram basicamente “coisas” de seu senhor, que dispunham do seu corpo e do seu trabalho enquanto aproveitavam as regalias de seu castelo.

Talvez o pior aspecto de todos era a total falta de perspectiva que qualquer não-nobre tinha de “crescer na vida”, ou daquilo que chamamos hoje de “progressão de carreira”. Um escravo nascia escravo, vivia escravo e morria escravo, com raríssimas exceções de alforria (que nem sempre representava uma melhoria na prática). Da mesma forma, um servo nascia servo, vivia como servo e morria como servo. A propriedade em que vivia não era dele e nem se tornaria dele, e ele já sabia que a condição de seus filhos e netos seria tão dura e sem perspectiva quanto a de si próprio. Por contraste, um nobre era sempre nobre, título este que era automaticamente transmitido de pai pra filho. Estes podiam se tornar senhores feudais, ou clérigos, ou integrar o exército real, mas estavam sempre em condições incomparavelmente vantajosas em relação à imensa massa que formava mais de 95% da população de qualquer época.

Em outras palavras: se você nascia nobre tinha a garantia da manutenção de seus privilégios e regalias independentemente do que fizesse (a não ser, é claro, se perdesse guerras e virasse prisioneiro de outro nobre), mas se você tivesse o azar de nascer na “plebe” podia tirar o cavalinho da chuva e era melhor jair se acostumando com uma vida desgraçada e miserável até o seu fim, bem como de toda a sua família e descendência. A sociedade era fixa e virtualmente isenta de mobilidade social, o que obviamente apenas aumentava a desigualdade e a tornava não apenas gritante, mas aparentemente impossível de ser evitada ou revertida.

Então vem o capitalismo. Então vem um camelô chamado Senor Abravanel, que se torna o nosso Sílvio Santos. Então vem um varredor de chão de loja chamado Jan Koum, que virou programador e criou o WhatsApp, vendido ao facebook pela bagatela de 22 bilhões de dólares. Então vem Oprah, a moça que precisou de bolsa para cursar universidade e se tornou a maior apresentadora da TV americana de todos os tempos. Então vem o zelador e atendente de posto de gasolina Won Chang, que se torna o dono de uma das maiores redes de lojas de roupa do mundo. Então vem Roman Abramovich, o menino órfão de dois anos que se tornou o dono do Chelsea (embora eu prefira o Liverpool, então esqueça ele). Então vem Li Ka-shing, que precisou largar a escola aos 15 anos para sustentar a família com a morte do pai, antes de se tornar o empresário mais rico de Hong Kong.

Então vem Samuel Klein, o adolescente polonês aprisionado nos campos de concentração nazista que se tornou vendedor ambulante e depois fundador das Casas Bahia. Então vem Luiza Trajano, a balconista na loja dos tios que se tornou a pioneira em lojas virtuais e fundou a Magazine Luiza. Então vem Leonardo Del Vecchio, que foi criado em um orfanato porque sua mãe viúva não tinha condições de alimentá-lo, e se tornou o maior fabricante mundial de óculos, com um patrimônio superior a 24 bilhões de dólares. Então vem Larry Ellison, que abandonou a faculdade depois que sua mãe adotiva morreu e sobreviveu fazendo bicos por oito anos, até se tornar o fundador da Oracle. Então vem Howard Schultz, um menino que cresceu em um complexo de habitação para pobres e se tornou CEO da Starbucks. Então vem Shahid Khan, que sobrevivia lavando pratos a um dólar por hora, e hoje é um dos empresários mais ricos do mundo.

Então vem milhões e milhões de casos bem-sucedidos de pessoas totalmente marginalizadas na sociedade, que em qualquer outra época não teriam qualquer perspectiva de vida e nem a mais mísera chance de crescer profissionalmente, mas que graças ao que o capitalismo lhes proporciona subiram altos degraus na escada social (ainda que não se tornem bilionários). É lógico que nem todo mundo vai se tornar um ricaço apenas tendo esforço e vontade, mas é incontestável que nunca antes na história houve um sistema que facilitasse tanto a mobilidade social, mesmo que seja para sair da extrema-pobreza para uma classe média, e ainda que isso não aconteça da noite pro dia.

Da mesma forma, os ricos de hoje não continuam no topo por terem “sangue azul” como os de antigamente, que não precisavam fazer basicamente nada para assegurar sua riqueza que já estava garantida por direito de nascimento. Ao contrário: ou ele rala suado, ou se lasca e se torna mais um entre tantos. Eu poderia ficar até amanhã citando exemplos de indivíduos extremamente ricos que por falta de esforço, competência ou humildade perderam tudo e vieram à falência, como você também deve conhecer. O “nobre” de hoje não é mais alguém que pode passar o dia todo coçando o saco sem fazer nada, mas tem que criar, inovar, ser esforçado e ter aptidão para se manter lá em cima, ou senão hasta la vista – outro vai tomar o seu lugar, mesmo que venha lá de baixo.

Essa ideia de que “o capitalismo é bom para os ricos” é a maior imbecilidade de todos os tempos, bastando comparar a vida dos ricos pré-capitalistas com os de hoje. O rico de hoje, via de regra, é um rico produtivo, gerador de riquezas e de empregos que propiciam dignidade aos menos abastados, e não um tipo que vive só de privilégios sem mover um dedo pra trabalhar. Embora a propaganda marxista pregue o contrário, é fato que grande parte dos patrões modernos trabalha mais na gerência de suas empresas do que os próprios empregados. Isso é exatamente o oposto da propaganda marxista, que é bem mais apropriada para os sistemas pré-capitalistas e para eles mesmos.

No mundo capitalista, você pode subir ou descer, dependendo da sua dedicação, criatividade, esforço e genialidade, numa medida maior ou menor. Já no estacionário mundo pré-capitalista a sua condição já estava determinada desde antes do seu nascimento até a sua morte. Os nobres eram fundamentalmente inúteis, improdutivos e inteiramente despreocupados, enquanto o burguês é por definição alguém que arrisca o seu capital e põe tudo a perder para poder fazer bons negócios, gerar empregos e produzir riqueza num nível que nenhum senhor feudal jamais sonharia, e que é bem melhor distribuída do que nas eras passadas.

A própria “classe média” seria totalmente anacrônica na pirâmide do mundo pré-capitalista, onde ou você era o ricaço de nascimento, ou era um pobre diabo. A classe média existe justamente porque o capitalismo criou essa ponte entre o pobre e o rico, ponte essa na qual ambos podem atravessar para um lado ou para outro. Por isso é tão comum ouvirmos histórias de antepassados nossos que eram tão ricos ou tão miseráveis, em contraste com a nossa situação atual. Isso é devido às escolhas que cada um toma na vida, as quais geram consequências não só para nós mesmos, mas para as futuras gerações, que por sua vez também poderão trilhar seu próprio caminho para melhor ou pior.

É por isso que hoje em dia vemos greves, mas não os surtos de violência bestial que víamos tão rotineiramente no passado. Os trabalhadores não tinham direito a virtualmente nada no mundo pré-capitalista – direitos esses que foram conquistando com o tempo a partir do capitalismo – e por isso revoltas de camponeses eram tão frequentes. Fala-se muito na Revolta dos Camponeses de 1525 por ter ocorrido na época de Lutero, a qual resultou em um conflito que teria gerado a morte de 100 mil camponeses, mas o fato é que revoltas desse tipo eram extremamente comuns no mundo antigo e basicamente ocorriam a qualquer hora e em qualquer lugar, como demonstro aqui e aqui.

E não pense que essas revoltas eram light igual as greves pacíficas contemporâneas, porque eram das mais violentas possíveis, que causavam destruição e morte em todo lugar, sendo combatidas com a mesma violência e impetuosidade pelo Estado. Isso tudo era fruto da condição extremamente deplorável dos camponeses, sujeitos a inúmeras restrições que os deixavam praticamente na condição de escravos, sem qualquer comparação com o capitalismo moderno no pior cenário que seja. O resultado inevitável eram conflitos desse tipo, que irrompiam vez após vez, mesmo sabendo que a morte era um destino quase inevitável, a qual eles encaravam sem medo por não terem nada a perder.

Então se você pensa que o capitalismo é o culpado pela pobreza e desigualdade que há no mundo, eu peço apenas uma coisa: estude a história pré-capitalista do mundo e faça a comparação. O mundo teve milênios para evoluir e não chegou no dedo do pé até o capitalismo moderno, impulsionado sobretudo graças aos princípios da Reforma Protestante que desamarrou todas as amarras das outras religiões. Isso não significa dizer que no capitalismo todo mundo está isento de qualquer desigualdade ou pobreza, mas significa, como Churchill dizia, que o capitalismo é o pior sistema... excetuando todos os outros.

• Compartilhe este artigo nas redes:

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)   

112 comentários:

  1. Respostas
    1. http://www.lucasbanzoli.com/2018/10/entenda-de-forma-simples-o-que-e.html?m=1

      Uma correção ao seu artigo:

      Na verdade comunistas não são contra a propriedade privada de bens pessoais, mas apenas dos meios de produção (que seriam coletivos)

      Excluir
    2. Eles são contra isso também, lá em Cuba a casa de ninguém é da própria pessoa, é tudo do Estado, que permite que as pessoas morem ali por concessão estatal.

      Excluir
    3. Eu vi comunistas dizendo que não, mas vou estudar a respeito. Que leitura você recomenda?

      Excluir
    4. Em Cuba não existe propriedade privada de nada, tudo é do Estado, você não pode por exemplo vender a casa onde você mora e ganhar dinheiro para ir morar em outro lugar, você é obrigado a morar onde o governo indica e a casa continua sendo do Estado, você apenas mora lá tal como um residente de hotel (com a diferença de que o "hotel" aqui é o Estado socialista cubano, e as casas são horrorosas). Foi só recentemente, depois de quase 60 anos, que o governo cubano começou a querer mudar isso, e mesmo assim com muitas limitações e restrições (ainda precisa ser aprovado em referendo popular):

      http://www.ilisp.org/opiniao/depois-de-59-anos-cuba-reconhece-a-propriedade-privada/

      https://noticias.r7.com/internacional/cuba-aprova-nova-constituicao-com-direito-a-propriedade-privada-22122018

      Excluir
  2. Qual a diferença entre escravidão e servidão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O servo é um "escravo da terra", e não um escravo de alguma pessoa (como os escravos propriamente ditos). Ou seja, em teoria os servos não podiam ser comprados ou vendidos tal como os escravos, como se fossem uma mercadoria, embora na prática a condição de um e do outro não era muito diferente dependendo da época e lugar.

      Excluir
  3. Nessa última eleição, meu medo não era o Andrade ganhar. Ela a vice dele tomar o lugar dele no caso de impedimento, dá pra imaginar, um partido comunista na presidência da república?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os dois dão no mesmo, o Andrade escreveu um livro chamado "Em Defesa do Socialismo" (se eu não me engano foi a tese de mestrado dele), os dois tem exatamente o mesmo pensamento, só são de partidos diferentes.

      Excluir
  4. Macho Alfa, que surpresa voce aqui, achei que tu só voltaria a postar ano que vem, pois tinha tirado férias. Alias nao sabia que você tirava ferias do blog tambem so do teu ganha pão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você entendeu errado, eu tinha tirado férias de uma semana até uns dias atrás (quando voltei a escrever no blog).

      Excluir
  5. Te desejo feliz réveillon e 2019 Macho Alfa, o SENHOR é contigo Varão Maravilhoso!

    ResponderExcluir
  6. Lucas, mateus 2:23 e mateus 23:2-3 seriam textos que invalidam o Sola Scriptura? Em mateus 2:23 afirma que jesus seria chamado nazareno pelos profetas, mas isso, a princípio, não está em lugar nenhum do antigo testamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Ele será chamado nazareno" era uma forma de dizer que ele seria desprezado, o que é atestado por vários profetas (por isso Mateus usa o termo no plural, e não no singular como de costume). Que Nazaré era sinônimo de desprezo isso é confirmado historicamente e biblicamente em textos como João 1:46. Passando para os dias atuais, aqui no sul quando alguém faz algum serviço mal feito alguns dizem que fez uma "baianada" (o que é um certo preconceito contra os baianos, da mesma forma que havia contra os nazarenos na época de Jesus), é neste sentido que "nazareno" é usado, de uma coisa "desprezível" e "sem valor", e não algo ipsis litteris. Quanto a Mateus 23:2-3 eu não entendi de que forma esse texto poderia invalidar a Sola Scriptura, poderia me explicar melhor?

      Excluir
    2. O argumento em relação a mateus 23:2-3 é que quando jesus se refere a cadeira de Moisés, ele estaria validando essa tradição judaica. Eu mesmo não entendi esse argumento, pois o próprio Jesus rechaça as tradições dos fariseus quando confrontada com as escrituras.

      Excluir
    3. Exato. A meu ver ele estava apenas manifestando o que os fariseus diziam, e não confirmando isso como sendo uma verdade, o que o faria cair em contradição já que ele mesmo havia condenado as tradições deles várias vezes. Também incorreria em uma contradição lógica, pois no AT não há nenhuma linha ininterrupta de Moisés até os fariseus, nem mesmo haviam fariseus no tempo de Moisés.

      Excluir
  7. Olá Lucas. O que você acha dos escritos de Ludwig von Mises? Alguns dizem que ele foi o melhor economista da história (o que acho questionável). Li apenas um pouco até agora as obras as "Seis Lições", e um pouquinho do "Ação Humana". Ao ler o pouco que li das "Seis Lições" os meus olhos foram clareados, ainda mais pra mim que sou leigo em economia.
    Você poderia indicar para nós leitores do seu blog autores de economia que você acha essenciais nos lermos para termos uma mínima noção sobre esse assunto? (Tanto liberal quanto socialista)
    Obrigado e que Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sou economista e nem faço economia, minha área é teologia e história, por isso eu não tenho um conhecimento amplo de economistas e nem o conhecimento técnico necessário para ler livros da área numa linguagem mais rebuscada e complexa. Eu defendo o liberalismo por uma razão muito simples: historicamente falando, é o sistema que mais deu certo na história do mundo, simples. Um livro que ajudou a clarear este fato é o "História Global da Ascenção do Ocidente", de Jack Goldstone, que não tem por objetivo defender o liberalismo em si, mas que conta como e quando o Ocidente ultrapassou o Oriente em termos econômicos e como os países mais liberais foram os que mais contribuíram para isso. E que o liberalismo tem mais lógica interna para funcionar na prática para isso precisa apenas de um cérebro funcionando, não é uma conclusão difícil de se chegar e nem precisa ser um especialista da área, basta acompanhar a dinâmica do mundo e entender um básico de economia. Um livro que resume o pensamento da escola liberal mostrando o entendimento de vários téoricos liberais (Mises, Hayek, Lackmann, Rothbard, Kirzner, Ron Paul, Reisman, Block, Rockwell, Hoppe, Dilorenzo e outros) em cada capítulo é o "Economia do Indivíduo: O Legado da Escola Austríaca", de Rodrigo Constantino. Você pode baixar o livro aqui:

      https://www.mises.org.br/Ebook.aspx?id=26

      Abs!

      Excluir
    2. Obrigado pelas dicas Lucas! Irei pesquisar sobre elas.

      "historicamente falando, é o sistema que mais deu certo na história do mundo, simples."

      Concordo plenamente com você. Mesmo eu, pelo pouco que entendo sobre economia, consigo enxergar que sem dúvidas, não só o liberalismo é o melhor sistema econômico, mas o único que realmente funciona (a não ser é claro que o povo queira miséria e mais miséria rs).

      Até onde eu sei o Rothbard defende o Libertarianismo (corrija-me se eu estiver errado). O que você acha dessa vertente do liberalismo (se é que pode ser chamada assim)?

      Abraços e Deus lhe abençoe!

      Excluir
    3. O "libertarianismo" de Rothbard é conhecido como "anarcocapitalismo" (eu já comentei aqui contra isso em diversas ocasiões). Diferente dos liberais que querem um Estado mínimo, eles querem o fim do Estado, ou seja, a anarquia, embora paradoxalmente defendam a propriedade privada (que é impossível à parte do Estado), como uma forma de se distinguir do tipo comunista de anarquismo. De todo modo é uma ideia utópica, perigosa e arriscada, que teria praticamente chances zero de funcionar em um cenário real do mundo real em qualquer lugar que não se resumisse a tribos pequenas (e olhe lá). Fazendo uma analogia: os liberais veem um homem gordo e querem que ele emagreça (ou seja, que perca gordura), mas não que perca toda a gordura do corpo, senão ele morre. Os libertários ao contrário são totalmente contra a gordura em si, então extraem ela totalmente, resolvem o problema da obesidade mas matam o homem.

      Excluir
  8. Os dados apresentados no vídeo mostram que os países mais pobres atualmente são mais ricos do que os países mais ricos em 1810, mesmo os países mais pobres atualmente não sendo capitalistas.

    Esses tempos eu li O Manifesto Comunista, e vi que realmente o comunismo é algo diabólico, lá está escrito declaradamente que o objetivo do Comunismo é a abolição da Família, da Moral, da Religião e da Propriedade Privada. Caso nunca tenha lido e quiser ler(só tem 68 páginas), deixo aqui o link: http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/manifestocomunista.pdf

    Feliz Ano Novo para ti e para todos o leitores do teu Blog. Deus abençoe todos vocês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Os dados apresentados no vídeo mostram que os países mais pobres atualmente são mais ricos do que os países mais ricos em 1810, mesmo os países mais pobres atualmente não sendo capitalistas"

      Isso se dá devido à tecnologia moderna que proporciona aos países mais pobres bens materiais que nem o rei mais rico e poderoso do mundo tinha em séculos passados, coisas como televisão, computador, celular, carro e etc. Coisas essas criadas pelos capitalistas em países capitalistas e devido sobretudo à Revolução Industrial capitalista, e que são importadas por esses países mais pobres que acabam de certa forma se beneficiando da alta produtividade dos países mais capitalistas, mas ficando para trás porque eles próprios se recusam a seguir o mesmo caminho.

      Excluir
  9. Paz do Senhor
    Excelente como sempre
    E pra"refutar" vão vir com algum filme e/ou novelinha "baseado" (leia-se:delirando)na vida real daquele tempo maravilhoso e saudoso (mas que´por "coincidência", eles não querem (se fosse possível)ir pra lá, do mesmo jeito que só querem ir pros países capitalistas e protestantes.)
    Não sei é pra dar risada ou se é pra chorar de tanta incoerência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Acho que a maioria deles iria querer ir pra lá sim, só não iriam querer continuar lá...

      Excluir
  10. Uma dúvida com relação à hegemonia da igreja católica: o poder dela durou até o século 18?(digo em um sentido total; um sentido de ditar regras em países, etc.)

    Espero que eu tenha me expresado corretamente.

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende do país. Entre os séculos XI e XV ela tinha um domínio sobre toda a Europa ocidental, mas depois disso perdeu entre os países que aderiram à Reforma no século seguinte (mais ou menos metade dos países e um terço da população). Depois disso o poder político da Igreja foi se esgotando com a ascensão do iluminismo (principalmente no caso francês), mas no século XVIII ainda era relativamente forte (principalmente na Espanha, Portugal e Itália). No século XIX a influência papal no campo político foi sendo cada vez mais minada de pouco em pouco, até que em 1870 eles perderam totalmente os Estados Papais, onde governavam diretamente. No início do século XX eles ainda estavam lutando contra o mundo moderno para tentar restaurar o poder dos tempos áureos (combatendo o que eles chamavam de "modernismo"), mas vendo que essa luta era vã e que eles perdiam cada vez mais espaço no mundo moderno decidiram se aliar a ele (o Concílio Vaticano II foi o ponto culminante nisso, por isso ele é tão odiado pelos católicos mais tradicionalistas), o que nos deu a Igreja que vemos hoje (do papa Francisco "comunista", da teologia da libertação, dos padres petistas e tudo mais, mas sem o poder político de antes para continuar matando pessoas na fogueira ou proibindo a liberdade de consciência e de culto).

      Excluir
    2. Na América Latina perdeu poder pela ascensão do pentescontalismo e fim do estados confessinais latino americanos

      Excluir
  11. Gostaria de pedir a você um favor: Eu vi que existe um artigo que aborda Daniel 7(esse aqui, no caso http://www.lucasbanzoli.com/2018/09/seria-uniao-europeia-o-novo-imperio.html), então eis o meu favor: você poderia fazer um artigo, sobre uma perspectiva histórica com autores recentes e/ou confiáveis provando a veracidade da profecia? Não que eu não tenha pesquisado, eu fiz isso, porém achei bem confuso algumas coisas e explicações. Por exemplo, eu tentei achar mapas, mas ele são confusos de entender, ao meu ver, ou não aparentam está em conformidade com o texto de Daniel. Vi também os sites que você linkou, e os livros que eles colocaram de referencia; um deles o "Decline and Fall of the Roman Empire" de Edward Gibbon aparentemente é (de acordo com a Wiki https://en.wikipedia.org/wiki/The_History_of_the_Decline_and_Fall_of_the_Roman_Empire) "uma introdução muito legível para o período, mas um progresso considerável já foi feito na história e arqueologia, e suas interpretações não representam mais o reconhecimento acadêmico ou pensamento atual." (é recomendável ler todo o artigo da Wikipedia para entender um pouco melhor; ele teve até um visão bem antissemita, apresentada no artigo). Um outro que foi citado em um dos sites que você linkou foi o Norman Cantor, autor do livro "Western Civilization: Its Genesis and Destiny", que foi acusado de umas paradas ae(veja aqui: https://en.wikipedia.org/wiki/Talk:Norman_Cantor).

    Enfim... Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só citei eles na questão das dez tribos bárbaras, nada além disso.

      Excluir
  12. Achei dois artigos da Wikipedia para você analisar. Talvez seja só minha impressão, mas esses artigos parecem "babar magma" contra a historicidade do livro de Daniel. É sempre recomendável ler tudo.

    https://en.wikipedia.org/wiki/Darius_the_Mede

    https://en.wikipedia.org/wiki/Belshazzar

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses artigos retratam o "amplo consenso" dos teólogos liberais, apenas, que naturalmente não podem tratar Daniel como uma fonte histórica senão teriam que assumir a autenticidade da Bíblia que não creem. Isso aliás eu já abordei neste artigo:

      http://ateismorefutado.blogspot.com/2015/04/profecias-biblicas-que-se-cumpriram.html

      Excluir
    2. Achei umas coisas curiosas lendo outros artigos da Wiki. No livro de Daniel, diz que o "rei" Belsazar perdeu o trono para um cara chamado Darius, o Medo. A wiki fala que esse cara não tem registo dele na história, e que não tem um rei entre Belsazar e Cyrus, o grande, e os invasores da Babilônia eram Persas e não Medos. Tem um paralelo interessante entre esses Darios e Cyrus: Cyrus tinha sangue Medo; sua mãe era a princesa da Média, e seu pai era Persa. A Persia era um reino vassalo da Média. Será que esse Dario da Media, descrito em Daniel, era Cyrus, o grande? Existe também a teoria de que Ugbaru, que foi um general de Cyrus, era esse Dario. Ou quem sabe, esse Ugbaru não foi simplesmente forjado ou o Dario enganado por Cyrus? Se tem uma coisa que aprendi nessa indústria vital é que tem muita coisa podre na história, e muita coisa perdida para sempre.

      Esse Dario, o Medo é um cara que gostaria de saber quem realmente é...

      Deus lhes ilumine!

      Excluir
    3. Tem algo importante também: eu, em minha ignorância, achava que ficção histórica era sinônimo de mentira; mas não é bem assim. Um exemplo de ficção histórica é o filme/musical "Os Miserareis" que fala sobre a época da Revolução Francesa, a vida do povo, dos nobres, etc. Não quer dizer que tudo nesse filme é mentira!

      Sobre a definição de ficção histórica: https://www.storyboardthat.com/pt/genres/fic%C3%A7%C3%A3o-hist%C3%B3rica

      Deus lhes ilumine!

      Excluir
    4. Muitos desses reis antigos tinham outros nomes, isso é a coisa mais comum em se tratando de história, então não me surpreenderia se Dário fosse o próprio Ciro ou outro personagem. Além disso essas listas antigas de reis vem constantemente com lacunas, e muitos dos personagens bíblicos antes contestados ou até ridicularizados pela crítica a arqueologia provou em algum momento que existiram mesmo (ex: Davi, Pilatos, o próprio Belsazar descrito por Daniel, e assim por diante).

      Excluir
    5. Um possível personagem que poderia ser o Dario, o Medo. O artigo é bem problemático, como a própria Wikipedia diz; existe evidências contra é a favor da historicidade desse personagem.

      https://en.wikipedia.org/wiki/Cyaxares_II

      Excluir
    6. Achei também na aba "Talk", desse artigo sobre Cyaxares II, uma coisa interessante. Parece que a existência dele é mais consenso do que a não existência; de acordo com as palavras de um dos principais editores(em inglês): "Still working through the second part of the copyedit, and there are serious POV problems. The article is using 'Wikipedia's voice' to argue against what actually seems to be the mainstream view. This seriously calls into question whether the recent addition of information—much of which appears to be original research—adequately presents the arguments against his existence, particularly since even the 'against' section is dominated with apologetics in favour of what does not seem to be the mainstream view."

      Deus lhes ilumine!

      Excluir
  13. Falando em países capitalistas (pelo menos essa é a intenção), sob o ponto de vista teológico, o que vc achou da visita do primeiro ministro de Israel ao Brasil e sob o ponto de vista teológico, o que vc acha do reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel pelo Brasil? Thanks.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Politicamente estreita os laços com Israel mas afasta um pouco os países muçulmanos, embora pragmaticamente seja um tanto indiferente já que nem Israel nem esses países muçulmanos vão deixar de comercializar com o Brasil apenas por conta disso. Teologicamente Jerusalém é a capital de Israel independentemente do reconhecimento do Brasil, mas esse reconhecimento humano é importante mesmo assim. Quando o Estado de Israel foi fundado em 1948 apenas a parte ocidental de Israel era considerada território israelense, mas quando os árabes se reuniram sorrateiramente para exterminar Israel na famosa Guerra dos Seis Dias (de 1967) e perderam, a parte oriental de Israel foi anexada pela parte vencedora (algo normal em se tratando de guerras). Desde então isso tem sido alvo de polêmica, pois os palestinos querem criar o "Estado da Palestina" tendo como capital Jerusalém e reivindicam esse território pra eles (e cabe ressaltar que o Vaticano foi o primeiro Estado do mundo a reconhecer o Estado da Palestina, em um ato hostil a Israel, como lhe é de costume), enquanto Israel mantém que Jerusalém é deles. Nesse impasse a comunidade internacional tem evitado declarar que Jerusalém é capital de Israel (oficialmente é Tel-Aviv, embora na prática Jerusalém seja ocupada por Israel e todos os órgãos do governo estejam lá, assim como é o Distrito Federal para os brasileiros), mas países em específico tem declarado apoio ou a Israel ou aos palestinos (ou se mantido neutros). A mudança da embaixada para Jerusalém é um ato significativo pois todas as embaixadas do mundo ficam na capital de seus respectivos países, então se o Brasil defende que Jerusalém é de Israel é óbvio que a embaixada deve estar lá, por coerência e lógica. Não à toa o primeiro-ministro israelense disse que eles não tem melhores amigos que a comunidade evangélica (a que elegeu Trump e Bolsonaro e que mais defende Israel no mundo):

      https://www.guiame.com.br/gospel/mundo-cristao/nao-temos-melhores-amigos-no-mundo-do-que-comunidade-evangelica-diz-netanyahu.html?fbclid=IwAR0THNFUAmnYFmGxjo0cfG09kYLrsCDXmzEO4PC_i6XBnG1WYcpRraI3pag

      Excluir
  14. Lucas, tenho uma pergunta q ñ tem nada a ver com o artigo e pesso perdão por isso. Lucas a pergunta é se espírito é simplesmente o folego de vida ou respiração, os demônios tbm são folego de vida? Por q eles tbm são chamados de espíritos. Desculpe a pergunta boba é só uma coisa q n entendo. Fica na paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A palavra "ruach" do hebraico pode ter vários significados dependendo do contexto, ela é por exemplo a palavra que consta nos textos que falam de "ar", de "sopro" ou de "vento", como também é o termo usado para se referir ao Espírito Santo (que é Deus) e a anjos e demônios, e por fim, ao espírito humano (que é uma coisa diferente, que consiste no fôlego da vida). Por isso é errado tomar um significado em particular e impor esse significado a todos os outros, isso poderia transformar o ruach humano em uma "pessoa" em si da mesma forma que poderia transformar o Espírito Santo em um simples "sopro". Cada significado depende sempre do seu contexto, de acordo com a hermenêutica.

      Excluir
  15. Avalie:

    https://youtu.be/xDijc1JdQF4

    https://youtu.be/IFcFuQgjn6I

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O vídeo dele sobre apoiar o Bolsonaro apesar de discordar das posições dele é bem coerente, é uma oposição muito mais sensata do que a petista que é a "oposição pela oposição", que torce e reza pelo fracasso do Brasil para que eles possam retomar o poder. Já o vídeo dele sobre a "direita cristã conservadora" eu entendo o pensamento dele e respeito o fato dele ser "progressista" e por isso naturalmente não vá se identificar com o conservadorismo, mas eu não tenho problema nenhum em me dizer da "direita cristã conservadora" porque eu sou de direita, sou cristão e sou conservador. É fato que grande parte dos que assim se dizem acabam manchando esse nome com atitudes que de fato são anticristãs e anticonservadoras (como os olavetes, por exemplo), mas se fosse assim eu não poderia nem me chamar de "evangélico", já que há tantos evangélicos por aí que são maus exemplos também. Independentemente dos maus exemplos eu sou cristão, sou conservador e sou de direita, nem que seja para tentar resgatar a dignidade que lhe é devida.

      Excluir
    2. Muito obrigado pela avaliação, concordo com tudo o que você disse. Apesar de eu discordar do cartunista Maurício Ricardo em alguns aspectos, eu o admiro muito e devemos admitir que as charges que ele faz são ótimas, com críticas bem construitivas e reflexivas a respeito da política. Enfim, um Feliz Ano Novo! Que Deus lhe abençoe e te dê muita paz, prosperidade, inteligência e sabedoria. Abraços.

      Excluir
    3. Deus lhe abençoe igualmente e feliz 2019 :)

      Excluir
  16. Banzoli, voce acha que o Bolsonaro vai realmente ter coragem de mudar a embaixada do Brasil em Israel de Telaviv para Jerusalem? Pois segundo os especialistas isso trara serios problemas diplomaticos e comerciais para o Brasil, o que vc acha disso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acho que algum país muçulmano seria burro a ponto de deixar de fazer comércio com o Brasil só por causa dessa decisão; de todo modo se fizerem isso quem vai perder mais são eles e não nós, apenas um percentual pequeno de importações brasileiras vem dos países árabes. Se ele vai ter coragem de fazer isso é outra coisa, mas ele já confirmou ao Benjamin Netanyahu que o fará.

      Excluir
    2. Lembrando que na atualidade comprar/vender possui prevalência sobre a religião, seja ela qual for.

      Excluir
  17. Excelente artigo como sempre.

    Achei que vice ia usar este gancho do capitalismo x feudalismo para mostrar que a gênese do capitalismo foi no sistema judeu, e que justamente a influência dele nos EUA que propiciaram o surgimento do capitalismo.
    Vale também ressaltar o livro de Max Weber sobre o protestantismo e como ele foi a força motriz para o surgimento do capitalismo abolindo a visão medieval de que os pobres agradam mais a Deus.

    ResponderExcluir
  18. Sim mas sem esse exagero,pois Trump mudou a embaixada de Israel e tem relações com a Arabia Saudita(Um pais islamico)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o fato de apoiar Israel não significa cortar relações diplomáticas com países muçulmanos, a não ser que eles desejem isso.

      Excluir
  19. Banzolao excelente texto, mas permita-me um contraponto não achas que a ideologia liberal capitalista pode levar as pessoas a se tornarem mesquinhas e egoístas so pensando no lucro, em enriquecer e pouco se importando com os seus semelhantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pessoas egoístas que só pensam no dinheiro já existem desde sempre, basta ler a Bíblia que você encontra muitas delas, mesmo sem haver capitalismo. Essa ideia de que os nobres de antigamente eram desprovidos de interesses materiais, de avareza e ganância e que quem criou isso foi o capitalismo é uma ideia totalmente utópica.

      Excluir
  20. E você considera que o capitalismo pode ter falhas tbm? O colonialismo na África e na Ásia que vitimou muitas pessoas também e a Primeira Guerra Mundial como consequência

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que o capitalismo não é perfeito isso eu já deixei claro no final do último parágrafo. A Primeira Guerra Mundial não teve nada a ver com capitalismo como causa e o colonialismo embora condenável eticamente falando deixou a África numa condição relativamente melhor para os padrões da época do que ela se tornou depois (e também é discutível se o capitalismo tem alguma relação direta com o colonialismo).

      Excluir
  21. Eu não sou contra o capitalismo concordo quando você cita a frase de Churchill afirmando que é o pior sistema excetuando os outros, mas eu tinha uma decepção com o sistema até ppr um motivo pessoal, meu pai que trabalhou muitos anos na gerência de grandes redes de hipermercados como Carrefour e Pão de Açúcar, foi muitas vezes perseguido e não conseguiu chegar a diretor, justamente por não compactuar com falcatruas que ocorriam ali, mas também sei que não é culpa exatamente do capitalismo, a corrupção está na natureza humana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato. As pessoas culpam o capitalismo por coisas que em essência não tem nada a ver com ele e que na maior parte das vezes sempre existiu na história humana em função da própria natureza humana.

      Excluir
  22. Só passando pra desejar um feliz ano novo! Deus lhes abençoe e ilumine sempre!

    ResponderExcluir
  23. Achei essa seção de um artigo da Wiki bem interessante. Ao meu ver, embora o Cilindro de Ciro não diga expressamente uma ordem marcial para os povos voltarem as suas terras e/ou seus cultos e templos, ele não exclui essa possibilidade.

    https://en.wikipedia.org/wiki/Cyrus_Cylinder#Biblical_interpretations

    ResponderExcluir
  24. Lucas, uma pergunta em off:

    Sobre downloads de livros (principalmente cristãos ou de teologia):
    Até onde vai a ética cristã na venda de livros e downloads não autorizados?

    A primeira na questão dos preços relativamente altos, como se o norte fosse o lucro (tá, as editoras poderiam dizer que precisam do lucro extra para lançar novas obras, mas até quando?)

    A segunda é até que ponto é moralmente coreto baixar? Pode-se dizer que baixar livros de autores que já morreram está bem e baixar livros de autores vivos, não?


    Não quero de maneira nenhuma justificar coisa alguma. Mas, como tudo isso se relaciona com o "seguir a Jesus"?

    Não sendo injusto, gostaria de acrescentar que não estou falando como se as editoras fossem totalmente vilãs.
    A Editora Fiel mesmo permite que seus e-books estejam no Amazon Unlimited ou, as vezes, vende todos por 5 reais cada.
    Em compensação, os livros em papel são caros.

    Então... Gostaria de algum opinião sua sobre essa questão, já que envolve ética cristã, tecnologia e obediência a Deus.

    Obrigado



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu realmente não sei até que ponto a lei permite ou não permite, nunca cursei direito e nem entendo dessas coisas envolvendo leis, e do que já li superficialmente por aí cada um diz uma coisa diferente. O que eu sei é que de minha parte eu disponibilizo meus livros de graça porque não gosto de "guardar" conhecimento, pra mim o conhecimento serve pra ser compartilhado e expandido, por isso só coloco à venda a versão impressa dos livros para quem tiver dinheiro e quiser pagar, mas deixo a opção do download do pdf. Se for pecado ou contra a lei Deus que me perdoe, mas eu já baixei muito livro pela internet, livros esses que eu teria literalmente possibilidade zero de comprar caso não pudesse baixar. Se eu só pudesse ler aquilo que dá pra comprar seria um crasso ignorante e basicamente só rico poderia ler livros com frequência, eu não acho isso muito justo, mas eu jamais coloquei ou colocaria à venda livros baixados de outras pessoas, o que seria imoral e certamente criminoso, porque estaria lucrando com o trabalho alheio. Abs.

      Excluir
  25. Olá Lucas! Como vai? Eu achei um artigo que diz que o livro de Isaías foi escrito por mais de um autor, e que é dividido em Primeiro Isaías(1-39), Segundo Isaías(40-54) e Terceiro(55-66). Recomendo ler todo o artigo e tirar suas conclusões(eu tenho a impressão que a Wiki adota somente o método racionalista e não empirista em seus artigos; consequentemente sendo um tanto tendenciosa algumas vezes)

    https://en.wikipedia.org/wiki/Book_of_Isaiah#Summary

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso daí é a mesma balela sobre o livro de Daniel, eles pegam as teses da teologia liberal e tomam como verdadeiras.

      Excluir
    2. Mas... Você não acha que deveria haver alguma contra-argumentação do por que achamos que é de um autor só? Tipo...: na seção Composition(aqui: https://en.wikipedia.org/wiki/Book_of_Isaiah#Composition ), eles dão alguns argumentos(achei até bons argumentos) do porque é mais de um autor.

      Será que teria como fazer um artigo explicando, e contra-argumentando esses os pontos "ditos" pela Wikipedia(ou se você conhece algum artigo de outro site)?

      Deus lhe ilumine!

      Excluir
    3. Lucas, tenho uma bíblia católica (edição pastoral) que no seu comentário introdutório a Isaías endossa essa ideia de 1,2 e 3 Isaías. Pelo que eu sabia não é recente esse entendimento. Por que você não concordas, Lucas? Qual o problema desta tese?
      P.S. O livro é Isaías e não Daniel. Obrigado amigo.

      Excluir
    4. "Será que teria como fazer um artigo explicando, e contra-argumentando esses os pontos "ditos" pela Wikipedia (ou se você conhece algum artigo de outro site)?"

      São todos "argumentos" bobos e fracos que não provam nada. "O nome de Isaías não aparece depois do capítulo 39", e daí? Ele aparece em pouquíssimos capítulos antes disso. Isso só seria um argumento caso o nome fosse rotineiramente usado nos capítulos anteriores e a partir de então desaparecesse. A mudança de "estilo e teologia" é pura bobagem, há inúmeros paralelos entre a primeira e a segunda parte que provam que são do mesmo autor. Os capítulos 40-55 não "pressupõem que Jerusalém já foi destruída", eles são capítulos proféticos (em um livro de profecia...), era extremamente comum um profeta profetizar sobre algo futuro como se já estivesse lá, isso ocorre por toda a Bíblia.

      "Lucas, tenho uma bíblia católica (edição pastoral) que no seu comentário introdutório a Isaías endossa essa ideia de 1,2 e 3 Isaías. Pelo que eu sabia não é recente esse entendimento. Por que você não concordas, Lucas? Qual o problema desta tese?"

      Essas bíblicas católicas são repletas de teses liberais, a ICAR bebe do liberalismo teológico há muito tempo. Eu recomendo a Bíblia de Estudo NVI, que no prólogo a Isaías reduz a pó essa tese de que Isaías foi escrito por mais de um autor (eu não vou copiar aqui por ser longo demais para transcrever manualmente, mas se precisar depois posso resumir uma coisa ou outra).

      Excluir
    5. Acho que não há muita necessidade de copiar aqui todo o prólogo de Isaías da Bíblia de Estudo NVI. somente um resumo seria bom(se tiver uma versão online grátis da Bíblia de Estudo NVI seria bom também).

      Deus lhe ilumine!

      Excluir
    6. Eu tirei foto da página (dividida em duas partes), veja se está legível:

      https://uploaddeimagens.com.br/images/001/814/231/full/1a.JPG?1546659286

      https://uploaddeimagens.com.br/images/001/814/232/full/2a.JPG?1546659302

      Excluir
  26. Banzolao e sobre a crise venezuelana o que achas do argumento de alguns esquerdistas,inclusive dos que fazem resistência ao olavismo no YouTube e estão crescendo atualmente ,como o Clayson e o Henry Bugalho em seus vídeos sobre a Venezuela culpam exclusivamente a pessoa do Maduro,a quem acusam de ser ignorante,despreparado,e que com Hugo Chavez apesar deles fazerem críticas também ,afirmam que o país não estava tão mal com ele,mas você acha que se ele estivesse vivo hoje,o país estaria do mesmo jeito ,igualmente muito mal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A crise na Venezuela não é só por causa de um despreparo pessoal do Maduro, nenhum país entra em crises tão profundas como essa somente por despreparo de um presidente, entram por terem ideias (ideologias) erradas. O Chavez não passou por isso somente porque na época em que ele governou o mundo vivia um tempo de prosperidade e o preço do petróleo estava valorizado, se ele estivesse governando hoje aconteceria a mesma coisa já que Maduro apenas deu continuidade ao regime chavista (inclusive foi o candidato apoiado por ele, e que só ganhou por causa dele, e a quem apoiou até o último suspiro de vida). O problema é que o chavismo não criou NENHUMA política de abertura do mercado, de industrialização ou de investimentos que tornassem o país menos dependente do petróleo, em vez disso ficou com ridículas políticas esquerdistas de político populista que quer dividir as migalhas com o povo com assistencialismo barato sem geração de empregos, aí estava na cara que bastaria os ventos do mercado mudarem que daria nisso que deu.

      Excluir
  27. Feliz Ano Novo. Falando de capitalismo, e aproveitando a deixa para falar do presidente que tomou posse e dele ter dito que o socialismo acabou no Brasil e tals... como vc (1) enxerga o fato da mulher dele ter discursado antes dele e nenhuma feminazi feminista ter aprovado a conduta dele de ter feito essa gentileza a ela. (2) Ela atua em favor de uma minoria que foi negligenciada, a de surdos e murdos. Por que nenhum defensor de minoria a elogiou? e última, onde é mais fácil encontrar Satanás agindo, na direita ou na esquerda? Thanks.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei de toda a cerimônia de posse, as "feminazis" só não gostaram do discurso da Michelle em libras porque ela é esposa do Bolsonaro, pra elas só é "empoderamento" se for esquerdista, se não for não tá valendo. Elas não estão nem um pouco preocupadas com empoderamento feminino, estão preocupadas apenas com ideologia e propaganda política, se não for conveniente politicamente elas se opõem a qualquer empoderamento (não apenas as feministas, mas essas outras "minorias" de "movimentos sociais", que estão atoladas com a esquerda até o talo e já perderam totalmente o seu propósito original, se é que já tiveram algum). Sobre onde é mais fácil encontrar Satanás agindo, acho que Satanás criou o "inferno sem partido", ele pode atuar em ambos, com a diferença de que o marxismo veio do dedo do próprio capeta, o resto ele apenas influencia e manipula para tentar piorar.

      Excluir
  28. Gostaria de saber como você responde esse texto:
    https://cdn.discordapp.com/attachments/439179797390819328/439180156599271425/Apologetica_Catolica_resumida_30_paginas.pdf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí é apenas um compilado tosco de tolices já refutadas há muito tempo em artigos específicos sobre cada tema:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-catolicismo.html

      Excluir
  29. Lucas o que você achou da posse do bolsonaro ou o discurso dele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentei acima:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/12/como-era-o-mundo-antes-do-capitalismo.html?showComment=1546490458204#c1689482093963557960

      Excluir
  30. Avalie: https://www.youtube.com/watch?v=qMh3-VUHWoM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles estão se contradizendo, primeiro dizem que toda a imprensa está com Bolsonaro (o que é obviamente falso, apoiado em argumentos esdrúxulos como aquele do cavalo), depois dizem que os bolsonaristas odeiam a imprensa, então quer dizer que a imprensa decidiu se aliar justamente com aqueles que a odeiam? Bolsonaro falou repetidas vezes sobre cortar verbas federais para a Rede Globo, o que ganharia a Globo defendendo o Bolsonaro? Será que eles assistiram a todas as sabatinas com jornalistas, sempre tentando "destrui-lo" por todos os meios com perguntas perniciosas? Daqui a pouco só falta eles dizerem que a Folha de S. Paulo é fã de Bolsonaro. Eles falam sobre "paranoia", e realmente existe certa paranoia na direita atual, mas eles estão ficando ainda mais paranoicos.

      Excluir
    2. Banzolao ppr que vc acha que a Globo mudou de ideologia? Ela surgiu em 1965 como aliada do governo militar, muito elogiado por Bolsonaro, evitou noticiar os comícios das diretas já nos anos 80,beneficiou o Collor nas eleicoes de 1989,que era um candidato, apesar de corrupto, mas mais a direita que o Lula, mas nos últimos anos, apesar dela nao ter se tornado petista nem socialista, apoia pautas defebdidas pela esquerda como ideologia de gênero, até no programa matutino dadFátima Bernardes já se discutiu esse tema, direitos LGBT, feminismo, atualmente toda novrla tem personagens LGBT e feministas, além do programa Amor & Sexo, por que achas que isso ocorre? E a Globo deu essa guinada mais a esquerda?

      Excluir
    3. A Globo gosta de "se vender" a quem está no poder porque isso ajuda a manter sua hegemonia. Agora que Bolsonaro diz que vai cortar verbas da Globo ela está contra ele, mas se voltar atrás e manter seus privilégios e interesses ela provavelmente mudará de postura de novo e se tornará mais "amigável" ao novo governo, como sempre fez.

      Excluir
  31. Sobre esse tema gostaria que vc Avaliaste esse tema, e se puder refute Bonzolao:

    https://medium.com/@rntpincelli/condenar-o-comunismo-%C3%A9-f%C3%A1cil-mas-o-capitalismo-tem-seu-hist%C3%B3rico-de-horrores-dd8db7ff230c

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro eles confundem capitalismo com colonialismo que são duas coisas distintas, depois ignoram que a África e Índia colonialistas eram menos atrasados em relação a seu tempo do que a África e Índia atuais, depois pegam dados adulterados de expectativa de vida da ditadura chinesa enquanto reconhecem que dezenas de milhões morreram de fome (enquanto não morreram na Índia, com a qual eles comparam, embora a Índia nunca tenha sido um grande exemplo de capitalismo), depois culpam o capitalismo pelo tráfico negreiro que de novo não teve nada a ver com o capitalismo em si (quem mais praticou o tráfico foram Espanha e Portugal, os países mais resistentes ao capitalismo em toda a Europa), depois mentem dizendo que o Ocidente ficou rico devido às riquezas roubadas do Novo Mundo (quando os países que mais se apropriaram dessas riquezas se tornaram os mais pobres), depois mentem de novo associando Hitler ao capitalismo quando na verdade Hitler odiava o capitalismo e por isso mesmo era de um partido nacional-socialista, depois inventam um tal "socialismo democrático" que jamais existiu exceto no mundo da imaginação, e por fim querem ser "livres do Estado" através do socialismo, que consiste justamente no oposto, ou seja, no agigantamento do Estado. Então termina o texto falando de aquecimento global e com uma frase de efeito que não faz nenhum sentido, já que o sistema que menos deu certo é justamente aquele que eles querem trazer.

      Excluir
    2. Mas o Reino Unido tbm nao traficava escravos?
      O "Socialismo Democrático" não estaria se referindo a "Social-Democracia"?

      OBS: se importa de eu postar o seu comentário nesse site?

      Excluir
    3. "Mas o Reino Unido tbm nao traficava escravos?"

      Sim, mas nem era o que mais praticava, então não dá pra dizer que tráfico = capitalismo, isso tinha outras razões.

      "O "Socialismo Democrático" não estaria se referindo a "Social-Democracia"?"

      Talvez, ele não explicou no texto e dá a entender que está falando do próprio socialismo marxista sem ser totalitário.

      "OBS: se importa de eu postar o seu comentário nesse site?"

      Fique a vontade.

      Excluir
  32. Lucas queria que você me explicasse o por que de Lutero utilizar a palavra SOMENTE pela fé, já que no original não tem a palavra somente?digo isto,por ser uma das acusações dos líderes católicos.Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Bíblia de Lutero não era uma tradução literal e técnica, era uma tradução coloquial de equivalência de sentido para que o povo simples pudesse ler e entender a Bíblia. Ou seja, era mais próximo ao que a NVI, NVT ou NTLH são para os dias de hoje. Sua intenção manifesta nunca foi de traduzir os textos literalmente ao pé da letra mas sim de transmitir o SENTIDO pretendido pelos autores bíblicos, e neste aspecto ele não cometeu erro algum, já que o texto em questão diz que nós somos justificados por fé E NÃO por obras, então se é pela fé e não pelas obras logicamente é "somente pela fé".

      Excluir
  33. Olá Lucas, eu gostaria de falar com você um assunto que foi bastante discutido entre os conservadores há alguns anos: A sexualização infantil, certa vez eu estava fazendo uma pesquisa sobre os perigos e sequelas da sexualização infantil e descobri que a maioria das crianças começam a serem sexualizadas por volta dos 8-10 anos, e ela continua sendo sexualização por muitos anos até chegar na fase adulta, e, um caso de sexualização infantil que particularmente me afetou foi o caso da atriz mirim Millie Bobby Brown, da série Stranger Things (da Netflix), quando a série foi lançada em 2016, ela apareceu pela primeira vez usando roupas adequadas para a idade dela (ela tinha 12 anos na época), mas no ano seguinte em 2017, quando foi lançada a segunda temporada de Stranger Things ela apareceu vestindo roupas curtas de couro, muita maquiagem e tentando mostrar curvas que nem sequer apareceram ainda, ela nem parecia que tinha 13 anos, e ela também é modelo, e já fez várias fotos onde ela faz poses sensuais e lascivas, e esse não é um dos primeiros casos de sexualização infantil em Hollywood, inúmeras outras atrizes quando eram crianças já foram sexualizadas como a Emma Watson, Sandy, Chloe Moretz, Larissa Manoela, enfim, a lista é muito longa. Sabe, infelizmente vivemos em uma sociedade em que atualmente ao invés de proteger as crianças estamos as sexualizando. E para piorar ainda teve até mesmo conservadores que não condenaram a sexualização da Millie Bobby Brown, sinceramente falando, acho que nossa sociedade está voltando para a idade média.

    Esse escândalo da sexualização infantil da Millie Bobby Brown também aconteceu numa época em que estavam sendo denunciados vários casos de assédio sexual de diretores, produtores e empresários contra atrizes.

    Caso queira saber mais sobre o caso veja:

    https://medium.com/@yatahaze/a-sexualização-de-millie-bobby-brown-e-finn-wolfhard-de-strange-things-acende-o-alerta-vermelho-54cd1be0578a

    https://www.google.com/amp/s/emais.estadao.com.br/blogs/nana-soares/millie-bobby-brown-e-a-vitima-da-vez-da-sexualizacao-de-meninas/%3famp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Li o artigo que você me passou e concordo totalmente com a análise dele, a sexualização infantil não apenas é um alimento pra pedófilo como corrompe a cabeça das próprias crianças que um dia crescem e se tornam prematuramente promíscuas, só pensando "naquilo". E também tem o outro lado, de crianças que tem livre acesso à internet por pais irresponsáveis e que acabam tendo contato com pornografia mais cedo, e quanto antes a criança tem acesso a isso mais difícil é para se libertar depois.

      Excluir
    2. Pois é, isso é realmente uma situação deplorável, isso me faz pensar que estamos voltando para a idade média, onde meninas de 12-13 anos eram tomadas como esposas, seja pelos senhores feudais ou pelos camponeses. E com 15 anos já tinham filhos, mas infelizmente ainda existem muitos lugares do mundo em que o casamento infantil ainda é aceito socialmente e praticado.

      Também há casos em que as próprias crianças já entram em sites de conteúdo adulto e começam a ter comportamentos erotizados, vide essas garotas de 13-14 anos que usam roupas extremamente curtas e vão para "bailes" funk, eu sou do Rio de Janeiro (da Baixada fluminense) e isso é o que mais tem aqui.

      Mas se for parar para pensar, a sociedade sempre estimulou a sexualização infantil ao longo da história. Isso é deplorável e imoral.

      Excluir
    3. Além disso, o que você achou desse caso de sexualização infantil envolvendo a Millie Bobby Brown? Olha, eu acompanho a série Stranger Things e a terceira temporada já vai ser lançada em julho, e provavelmente quando estrear, ela ainda vai estar usando roupas inadequadas, pois até mesmo a própria indústria cinematográfica (em especial para Hollywood) incentiva a sexualização infantil.

      Excluir
    4. Tu deve ser meu vizinho, e nem sei! XD

      Excluir
  34. Banzolão qual a sua opinião sobre o sucesso econômico dos judeus?Apesar terem sido um povo que foi perseguido durante praticamente toda a história,desde o mundo antigo,e ainda assim,em sua maioria,conseguem ter êxito empresarial e em sua maioria,moram em Copacabana,Higienópolis,em bairros ricos das grandes cidades, raramente vc vê um judeu morando na rua ou na favela,enquanto que outros grupos que foram tbm muito perseguidos ao longo da história,tais com os ciganos,os negros,os nativos da América não conseguiram o mesmo sucesso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na Idade Média a Igreja proibia a usura e o empréstimo a juros por parte dos cristãos, com isso essa atividade naturalmente recaía aos judeus (que não estavam sujeitos à lei canônica), e a partir daí foi se criando entre eles uma mentalidade coletiva voltada às finanças e ao empreendimento, que gera o sucesso profissional que a grande maioria dos judeus são até hoje. Ou seja, é uma "tradição" passada de pai pra filho, cada um deles tem muita responsabilidade e consciência nessa área pois é educado nisso desde o início, é uma coisa que não se vê entre outros grupos no geral.

      Excluir
  35. Victor Ferreira,em Pv 30:30 a palavra usada para forte pode significar valente tbm,se vc for ver o contexto,valente é mais adequada.Sobre a mostarda ser a menor das sementes vc pode verificar pelo contexto que estava se referindo às sementes usadas para o plantio.

    ResponderExcluir
  36. Banzolão complementando o que eu disse no post anterior,em relação a povos que não possuem muito sucesso econômico,por exemplo os povos indígenas brasileiros,muitos deles nem desejam isso,principalmente os que estão na Amazônia e no Parque do Xingu,gostam de viver em um modo simples,o Bolsonaro disse que não demarcará mais nenhuma reserva indígena e quer que eles se integrem,usem roupas,vivam nas cidades grandes,como os demais brasileiros,achas essa atitude correta? Que o melhor para o país crescer é integrá-los aos demais brasileiros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sei se o Bolsonaro disse isso, mas o melhor para os índios é aquilo que eles acharem que é o melhor pra eles. Não deveríamos forçá-los a se manterem presos no século XV e também não deveríamos obrigá-los a viverem um estilo de vida urbano em contraposição à sua cultura.

      Excluir
  37. Aqui a reportagem em relação a política para os índios do governo Bolsonaro: Ele diz que manter os índios isolados os faz parecerem animais no zoológico,que o melhor para o país,seria integrá-los, https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2018-12-01/bolsonaro-indios-zoologico.html,concordo que teríamos melhor desenvolvimento econômico,com eles integrados,mas se muitos desejam viver como na época pré colonial,seria um autoritarismo do governo querer integrá-los a força,o que achas?

    ResponderExcluir
  38. Uma coisa que notei prestando bastante atenção no desenho abaixo ao título do artigo, além da óbvia desigualdade do castelo e das pequenas casas, o que se reduziu com oocapitalismo,e não se aprofundou como a esquerda afirma, mas o outro detalhe é a enorme presença de áreas verdes,e de fato muitas foram derrubadas por motivos capitalistas, inclusive muitos esquerdistas vem dizendo que o Bolsonaro será conivente com o desmatamento da Amazônia em seu governo, pq ele tem aliados do agronegócio e esses querem criar plantações no lugar da floresta, achas que isso de fato pode acontecer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nós não sabemos como serão as coisas, mas ao longo de todos esses anos de governos de esquerda o desmatamento da Amazônia só tem crescido, então eles não tem muita moral para falar algo.

      Excluir
  39. Lucas, parabéns pelo artigo. Em relação a citação de Chruchill, eu já tinha lido que era sobre a democracia. Poderias confirmar por favor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu realmente fiz uma confusão com a citação, citei de cabeça e não me lembrava que era sobre a democracia (embora na prática dê no mesmo, já que quando Churchill disse isso só havia democracia nos países capitalistas). Eu devo ter me confundido por causa de uma frase similar de Churchill sobre o capitalismo, essa aqui (que também cairia como uma luva no contexto do artigo): "A desvantagem do capitalismo é a desigual distribuição das riquezas; a vantagem do socialismo é a igual distribuição das misérias".

      Excluir
  40. Fala Banzoli, como vai? Como sempre o capitalismo nos salvando, uma verdadiera beleza de se ver.
    Acho interessante quando paramos para pensar que sempre houve culturas mais desenvolvidas que outras na história. Quando li informações no artigo fiquei oensando: "Mas e os europeus nos Paises Baixos, na Inglaterra, na SuícS, etc." E me lembrei que eles eram minoria populacional em um mundo onde a América era dominada por índios que não viviam numa boa condição de vida, a África passava por diversos povosz tribos e até impérios mas sem se aproximar dos europeus e a Asia vivia uma diversificacao porém se levarmos em consideração países como Índia não é difícil imaginarmos como era a qualidade de vida da maioria das pessoas no passado.

    Gostaria aqui de aproveitar e elogiar o seu livro "Como o Protestantismo Mudou o Mundo: Liberdade, Tolerância e Democracia". Recentemente fiz uma viagem e baixei a obra em PDF para acompanhar e me interessei tanto que li mais de 200 páginas em 6 dias. Fenomenal a quantidade e qualidade das informações, fontes, explicscoes e etc. Aprendi muito sobre como o protestantismo de fato alterou nossos valores sobre tolerância e direitos pessoais de cada um, sendo que muitos ateus proclamam tal progresso para si (sem razão ou fundamento).

    Um assunto que me interesso muito é o progresso econômico que o protestantismo trouxe e que ocorria em tais nações, tanto que comprei o livro de Weber tão constantemente aqui citado e aceito academicamente. Venho aqui humildemente lhe solicitar que logo publique o segundo volume do "Como o Protestantismo Mudou O Mundo" pois estou deveras interessado e admiro muito toda a sua didática, linguagem e organizacao de fatos. Este já teve alguns trechos que deram uma ideia de tal desenvolvimento, porém não era o foco da vez. Anseio ler seus capítulos que explicam correta e claramente a influência do protestantismo na nossa economia moderna.

    Já está escrevendo a continuacao? Se sim, tem uma ideia de quando irá lanarl?

    Fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom saber que gostou do livro! Sobre o segundo volume, há um longo processo de colher citações dos livros, depois organizar todas essas citações agrupando-as por capítulo e por tópicos, e só então começa a escrita em si. Eu estou atualmente nessa fase de agrupar as citações, o que não é tão rápido já que são mais de 600 páginas só de citações. Mas ainda este mês pretendo começar a escrever, daí são mais alguns meses até ficar pronto (talvez em julho ou por aí). Mas enquanto eu for escrevendo os capítulos eu vou postando aqui por partes no blog, da mesma forma que fiz com os capítulos do outro volume, assim os mais interessados não precisarão esperar até ficar tudo pronto. Abs!

      Excluir
    2. Sim, eu imagino o trabalho que deve dar. São muitas citações para embasar o conteúdo sem contar que a escrita é muito bem feita e cativante. Aguardo futuros artigos relacionados a esse tema, está na hora de acabar com os ateus e católicos com seus argumentos. Tenha um bom dia!

      Excluir
  41. O que achas desse vídeo Banzolão? https://www.youtube.com/watch?v=h0GM0xcQrbA

    ResponderExcluir
  42. Banzolao ooque você achou do PSL apoiar Rodrigo Maia para a presidencia da Câmara? Eu achei lamentável já que o Maia foi citado na Lava Jato com o nome de "Botafogo", ainda bem que não foi o meu Fluminense kkk, mas eles vêm com o discurso que e pela governabilidade, o mesmomdiscurso petista para justificar as aliancas com o centrao e sabemos no que deu esse toma lá da cá , o Bolsonaro se elegeu prometendo acabar com isso, na minha opiniao comeca mal se aliando ao "Botafogo"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lamentável memo. Antes diziam que ele era "pior que o PT", e agora dizem que precisam apoiá-lo "para não correr risco do PT assumir". Todo mundo sabe que o governo precisa do "toma lá dá cá" para ter governabilidade, só acho ridículo essa postura de se passar de "diferentão" na época das eleições (como se fosse diferente de todos os outros justamente por não agir assim) e ainda mais ridículo esses que acreditaram nesse discurso fajuto. Eu votei nele no segundo turno mas já sabendo que seria assim, meu lamento é por aqueles que votaram esperando algo a mais.

      Excluir

Fique à vontade para deixar seu comentário, sua participação é importante e será publicada e respondida após passar pela moderação. Todas as perguntas e comentários educados são bem-vindos, mesmo que não tenham a ver com o tema do artigo, mas comentários que faltem com o respeito não serão aprovados.

*Comentários como "Anônimo" ou "Unknown" NÃO serão publicados, identifique-se de alguma maneira através de um perfil do Google, de um modo que possa distingui-lo dos demais.