5 de dezembro de 2018

81 Como e por que a esquerda se tornou odiosa?



Voltemos para 2002. Após quase levar em primeiro turno, Lula é eleito no segundo turno com 61% dos votos, se tornando o segundo presidente mais votado na história do mundo (atrás apenas de Reagan, em 1980). As igrejas, incluindo católicas e protestantes, lhe declaram apoio em grande parte, ou pelo menos neutralidade. Lula tem a simpatia até mesmo de seus adversários – FHC disse ter ficado “emocionado” ao lhe passar a faixa presidencial. Nem mesmo o mensalão conseguiu abalar sua popularidade, pois foi reeleito com quase a mesma quantidade de votos. Agora volte a 2018. A esquerda é odiada, o PT é execrado, a direita cresceu muito e se radicalizou tanto quanto, assumiu o poder nos braços do povo e o Lula tá preso, babaca. O que explica uma reviravolta tão inesperada e gritante?

Alguns dizem que foi a corrupção. Embora ela de fato tenha arranhado a imagem do PT de forma justa e inegável, eu duvido que ela tenha sido o fator preponderante – não apenas porque Lula se reelegeu com facilidade depois do mensalão, mas porque se este fosse o caso o povo estaria votando em outros partidos de esquerda que se vendem como “mais puros”, como o PSOL (o que claramente não é o caso). Outros dizem que foi a Dilma. Eu também discordo, apesar de concordar que ela também contribuiu bastante. Mas se fosse só pela Dilma, Haddad teria sido eleito, já que ele não é a Dilma. Ou então um Ciro Gomes da vida, uma Marina Silva ou o cara dos bolos. Mas também não aconteceu.

Outros dirão que foi a própria ascensão da direita que causou a repulsa à esquerda. Que formadores de opinião de direita nas redes sociais e no youtube foram os responsáveis por mudar o pensamento de quase toda a nação, à exceção do Nordeste. Da mesma forma que as outras hipóteses, eu também concordo que isso pesou, mas também está longe de ser o fator preponderante. Se somar os inscritos de todos os canais de direita ou os seguidores de todos os direitistas no facebook, mesmo assim não dá 10% dos votos que recebeu. E querendo ou não, a maioria dos brasileiros comuns não perde tempo lendo textos como este, seguindo “filósofos” no facebook ou canais de política no youtube. Nem o Whindersson consegue ser tão popular, muito menos eles. Temos a impressão do contrário porque vivemos dentro de uma “bolha” e pensamos que todo mundo vive na mesma bolha, mas o mundo real é bem diferente.

Mas se tudo isso apenas ajudou a aumentar a antipatia pela esquerda, qual teria sido seu fator preponderante? Na minha modesta opinião, a resposta não pode ser outra senão a própria esquerda. Para entender isso, precisamos recapitular um pouco as coisas. O PT, assim como a esquerda em geral, nasceu da luta de classes, que é historicamente a tônica central do marxismo. Por isso mesmo se chama “Partido dos Trabalhadores”. Essa estratégia basicamente funciona colocando os trabalhadores contra os patrões, criando artificialmente um conflito entre eles. A intenção é que o trabalhador veja no patrão o culpado por todos os seus problemas, e então vote na esquerda como a “solução”, já que só ela entende o patrão como um vilão. Esse era o PT de 2002, que o povo em geral via com bons olhos.

Mas o tempo passou, e nestes dezesseis anos a esquerda mudou muito. Em 2002, não se falava ainda em ideologia de gênero, casamento gay, “kit gay” nas escolas e outras coisas relacionadas à agenda LGBT; também não se falava que os brancos são opressores, que o ladrão é uma vítima da sociedade, que a classe média é odiável, que os sulistas são nazistas preconceituosos, que os evangélicos são fundamentalistas radicais, que os homens são estupradores potenciais, que a polícia é fascista e racista por prender bandidos negros, que o aborto e as drogas devem ser legalizados, ou em alianças com ditaduras latino-americanas. Tudo isso foi entrando depois, com o tempo, aos pouquinhos, ano a ano.

Claro que ninguém aqui é ingênuo para acreditar que eles não pensavam assim desde antes – eles apenas não tinham a coragem de se manifestar assim abertamente porque sabiam que a sociedade era bem contrária a esses valores. Então apelaram à “estratégia do sapo fervido”. Para quem não conhece, vou resumir: o sapo ao ser colocado em um recipiente com água fervente pula dali na mesma hora, mas se ele for colocado numa água comum e ela for fervendo aos pouquinhos, ele não tem reação a esse aumento gradual da temperatura e morre lá dentro. Foi isso o que a esquerda planejou e implementou ao longo desses anos, nos tratando como se fôssemos sapos – só que esse sapo percebeu e pulou antes que fosse tarde demais, porque viu outros sapinhos morrerem na Venezuela, em Cuba e em cada um dos outros parceiros de água.

Em outras palavras, a esquerda se cansou do paradigma da “luta de classes” envolvendo apenas os trabalhadores, e decidiu ampliá-lo para aumentar ainda mais a divisão na sociedade, desta vez colocando os pobres contra a classe média, os negros contra os brancos, os homossexuais contra os heterossexuais, as mulheres contra os homens, o Nordeste contra o Sul e todos contra os evangélicos. Essa é a “luta de classes 2.0”, que supera largamente o velho paradigma de “trabalhadores vs patrões”. Assim como a estratégia de Loki no primeiro Vingadores foi colocar os vingadores uns contra os outros, a estratégia da esquerda é disseminar o ódio na sociedade – não mais apenas entre as classes, mas também entre sexos, gêneros, raças, regiões e religiões, colocando uns contra os outros para se destruírem mutuamente enquanto ela se perpetua no poder.

Exemplos dos mais surreais têm surgido em toda a parte, sendo o mais recente o do jovem pardo que quebrou seu notebook sem querer e que pediu doações aos seus inscritos para comprar um novo e caríssimo, que praticamente ninguém tem. Isso até seria perdoável se não fosse pela justificativa que ele usa no vídeo – “para não ficar atrás dos brancos” (entenda o caso aqui e aqui). Como um típico esquerdista, ele foi convencido de que está numa “guerra” contra os brancos malvados e opressores, então “não pode ficar atrás deles” nem no notebook utilizado (imagine se fosse o contrário!). Essa é a mentalidade da “luta de classes” trazida para o campo racial: os que são influenciados por eles literalmente se convencem de que o ser humano com uma cor de pele diferente é um inimigo, um opressor, alguém para ser derrotado e destruído.

O problema com isso é que a esquerda começou a declarar guerra a tanta gente que não sobrou mais quase ninguém do lado deles. Ninguém melhor explicou isso do que Clarion de Laffalot – que não é conservador e nem cristão – neste excelente artigo do seu blog, onde escreve:

As similaridades entre os dois [Trump e Bolsonaro] são muito mais profundas que as críticas repetidas exaustivamente de machista, racista, homofóbico. Muito mais importantes que o diagnóstico raso de que representam “o ódio das elites golpistas” e aquela ladainha toda. Mas podem ser resumidas em um ponto central que pode ser chocante para todos: tanto Trump quanto Bolsonaro fazem o povão finalmente se sentir ouvido e representado. Calma. Respira fundo. É isso mesmo que eu escrevi. Prometo que vai fazer sentido se você continuar lendo. Vamos lá. Eu sei que você acredita que a esquerda é a única, verdadeira e legítima representante do povo. Eu também acreditava. Quase todo mundo que passou pelo ensino médio ou superior nos anos 90-00 pensa assim. Mas vamos parar pra analisar um pouquinho.

Imagine que você é um membro do mítico povão. Você acorda cedo, rala pra caramba pra sobreviver com o seu salário. Volta pra casa em ônibus lotado, um caldeirão de gente se acotovelando. Morre de medo de ser assaltado todo dia. Passa por um tiroteio no caminho de casa, e a única segurança que sente é a fé que tem em Jesus (e a confiança de que está com o dízimo em dia). Quando finalmente chega em casa, tudo que você quer é relaxar assistindo o futebol e a novela. O que a esquerda moderna tem a dizer sobre você? Que você é tudo que ela odeia.

Que você é um imbecil por acreditar em Deus, um alienado por assistir a Globo, um reacionário maldito por ter medo de bandido. Que você é machista por gostar de ver a dançarina rebolando no Faustão, e ao mesmo tempo homofóbico por não gostar do clipe do Pabllo Vittar. E além de machista e homofóbico, você também é racista, fascista, transfóbico, heteronormativo e mais um monte de outros palavrões sofisticados que você não sabe nem pronunciar. Do alto de sua torre de marfim, os intelectuais de esquerda idealizaram um pobre que só existe na mente deles – um pobre que está muito preocupado com apropriação cultural, islamofobia, agricultura orgânica, laicidade do Estado e veganismo.

Essa enorme elite burguesa – quase sempre sustentada por dinheiro de impostos cobrados de você – está lá, falando palavras difíceis e preocupada com temas completamente alheios ao seu dia-a-dia, enquanto fala mal de tudo que você gosta e te chama de idiota. E o pior de tudo, petulância das petulâncias: ela acredita que te representa. A esquerda fala muito de alienação mas, de tão alienada em si mesma, se convenceu de que representa os pobres. Nada mais longe da verdade. Na verdade, ela não tem o menor interesse de representar, mas sim de controlar os pobres. A esquerda ama o pobre no mesmo jeito que alguém ama seu bichinho de estimação – eu te dou comida e limpo seu cocô, em troca você me deve lealdade e obediência eternas.

Eis que chega um Trump. Eis que chega um Bolsonaro. Eles não querem ditar o que você deve pensar. Pelo contrário, parecem dar voz ao que você pensa. Eles não estão preocupados com a ararinha azul ou com a representatividade trans-quilombola no congresso, mas com os seus problemas reais. Finalmente um político promete prender o bandido que roubou o celular que você ainda está pagando prestação, em vez de dizer que ele é uma vítima da sociedade que precisa de carinho. Finalmente um político que fala de Jesus, em vez perseguir o Cristianismo e proteger o Islã. Finalmente um político que promete acabar com a boca de fumo que destruiu a vida do seu filho, em vez de falar de legalizar a maconha. Finalmente o seu Zé, dono do botequim da esquina, vê um político que o reconhece como um empreendedor que rala pra caramba, e não como um empresário malvadão explorador.

Parece incrível, mas nenhum intelectual, filósofo, youtuber ou jornalista de direita ou de esquerda conseguiu discernir e definir com tanta precisão o cerne da questão, como Clarion faz aqui. A esquerda não consegue mais se impor como antes, simplesmente porque ela declarou guerra a todo o “mítico povão”. Ao tentar “dividir para conquistar”, tudo o que ela conseguiu foi atrair para a direita os votos de muita gente que antes se via representada pela esquerda. Como Loki nos Vingadores, o feitiço virou contra o feiticeiro – e dessa vez nem precisamos do incrível Hulk.

• Compartilhe este artigo nas redes:

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!



- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)  

81 comentários:

  1. Mas essa que você definiu é a extrema esquerda, PT e PSOL não é Banzolao? Porque Ciro Gomes falou em combater a criminalidade e não é tão chegado nessas lutas de branco contra negro, gay contra hetero, mulher contra homem, inclusive ele próprio já foi chamado de machista pela Luciana Genro, ele seria uma esquerda mais moderada, mas não teve chances porque o povo tava cansado de qualquer esquerda, assim como Geraldo Alckmin e Marina Silva também sao mais moderados se comparados se comparados com PT e PSOL não é

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, verdade. Mas como foi o PT quem esteve no poder nas últimas décadas recentes, então ele que acabou criando o estereótipo de esquerda no Brasil. Seria até bom que essa esquerda fosse substituída por uma esquerda mais moderna, mas acho difícil, aqui a tendência é as coisas sempre piorarem.

      Excluir
    2. Realmente, o Ciro representa um outra esquerda que não tem muito foco na luta de classes em si, sendo que ele está mais próximo da social-democracia (acredito eu). O sucesso relativo dele no primeiro turno demonstra que a própria esquerda estava mudando o seu foco e ficando mais diversificada porém isso não foi suficiente para combater o estado de queda livre em que eles estavam.
      Sinceramente eu acho que a esquerda teria de se renovar para continuar sobrevivendo. Esse foi um porém grande exemplo de como a conscisncco beasilebra está mudando e torço pra que continue assim.
      Por enquanto a esquerda se mantem atraves dos ignorantes e das minorias

      Excluir
    3. "Sinceramente eu acho que a esquerda teria de se renovar para continuar sobrevivendo"

      Foi exatamente isso o que aconteceu na América do Norte e Europa: a esquerda de lá é uma social-democracia, que mesmo quando se chama de "socialistas" tem um conceito totalmente diferente do que é chamado de "socialismo" aqui, é um tipo de socialismo moderno que não contempla pautas radicais como a estatização total ou o fim da propriedade privada e etc. Ou seja, eles precisaram se reinventar para continuar existindo, se colocando mais "à direita" no espectro político, porque todo mundo viu que aquela esquerda mais tradicional é completamente obsoleta, ultrapassada e falida, que não dá certo em lugar nenhum. Mas esse tipo obsoleto de esquerda continua predominando nos países de terceiro mundo, principalmente na América Latina e África, presumivelmente porque ainda não chegamos ao nível de instrução e civilidade dos europeus e norte-americanos para compreender verdades óbvias como essa. Então ainda estamos presos ao tipo mais tacanha e radical de esquerda, até que ela seja definitivamente "extinta" e dê lugar a uma esquerda mais moderna, com a qual dá pra se dialogar racionalmente.

      Excluir
  2. É triste ver que o plano diabólico de Antônio Gramsci de fazer as pessoas serem socialistas sem saber está dando certo. Muitas pessoas hoje em dia, até mesmo os leigos em política tem uma inclinação ideológica à esquerda sem nem mesmo saberem o que significa esquerda ou direita, o mesmo também ocorre com "militontos" que defendem a esquerda ferrenhamente e sequer possuem capacidade para escrever um mísero parágrafo defendendo suas ideias ou explicando o motivo de defendê-las. E quando você tenta explicar tudo isso para alguém, é taxado de conspiracionista maluco. Já desisti de tentar explicar sobre marxismo cultural e doutrinação para esquerdistas, pois acabei chegando à conclusão de que uma vez que o vírus adentra no cérebro do cidadão, não tem mais volta, infelizmente.

    ResponderExcluir
  3. Gostei bastante do artigo, Lucas! Meus parabéns(como quase sempre)!

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
  4. Banzolao hoje eu assisti ao ultimo debate do segundo turno feito pela Globo do Lula contra o Collor em 1989 e ali o Lula explicitamente afirma ser socialista,coisa que ele não disse nas últimas eleições que disputou e vencer em 2002 e 2006,você acreditava que ele nunca tinha afirmado ser socialista, mas ele fez isso sim em 1989

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me passa o vídeo indicando o minuto do debate em que ele disse isso, que eu me lembre ele havia sido acusado pelo Collor de ser marxista e negou.

      Excluir
    2. Olha aqui o vídeo com o trecho Banzolão

      https://www.youtube.com/watch?v=F4agfb-Cykk

      Excluir
    3. O Lula diz no vídeo:´´É preciso continuar lutando pelo socialismo,mas por um socialismo democrático ´´,ou seja,nega ser um marxista totalitário,mas não nega o rótulo de socialista,mas nas eleições posteriores,nem socialista ele se disse mais

      Excluir
    4. Verdade, tinha me esquecido dessa parte, e você tem razão sobre isso.

      Excluir
  5. Quem é macho é varão. Quem é muito macho é Banzolão!

    ResponderExcluir
  6. Banzolli, Paz Seja Contigo.
    Primeiramente Parabéns pelo artigo, muito esclarecedor, No entanto, percebe-se palavras tendenciosas no texto acima, sútil claro, mas, apologético, que é uma característica do seu trabalho. Sobre essa ideia de esquerda e direita, creio que ela foi criada na intenção de nos dividir. O que é ser de direita? É ser cristão, neoliberal, anti-aborto, anti-legalização da maconha, pró-USA? O que é ser de Esquerda? é ser Ateu, Socialista, pró-aborto, pró liberação das drogas? Pró-China/Rússia? Creio ser difícil fazer essa dicotomia, porque tudo está intrínseco. A maioria da nada sabe do pensamento de Marx ou as ideias de Hayeck ou Friedman. O que percebe-se Nobre Banzolli, é alguns intelectualóides se autodenominado Marxistas ou Neoliberalistas. Mas que na prática todos jogam no mesmo time, são fantoches nesse teatro de sombra, e nós, apenas espectadores. Não votei no Jair Bolsonaro, mas desejo que ele governe bem, seria idiotice se desejasse o contrário, afinal estou no mesmo barco, Obstante, não nos esqueçamos quem os cerca, ou pensemos que os falsos profetas que os ungiram (Mâcedo, Valdomiro, R.R. Malafaia,Etc.) estavam preocupados com os princípios morais da fé cristã, ou as camadas mais pobres do povo Brasileiro? O mais, façamos o que a Bíblia nos ensina, Oremos para que eles governe bem, mas, não nos associemos com eles, nem juremos em suas honestidade, afinal, Justo só houve um. Paz seja Contigo, Boa noite.

    ResponderExcluir
  7. Lucas, eu ouvi muita gente falando o seguinte em relação as eleições desse ano:
    "É engraçado como a maioria dos cristãos deixará de votar em um candidato que ama a bíblia (Cabo Daciolo) pra votar em um candidato que ama armas (Bolsonaro)."

    Eu ouvi isso até mesmo de cristãos que não gostam do Bolsonaro, você acha que esse argumento tem alguma credibilidade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daciolo não é somente "um candidato que ama a Bíblia", é um fanático perigoso, que mistura religião com política, que há pouquíssimo tempo estava exaltando o socialismo publicamente em eventos do PSOL e que repentinamente aderiu até a teorias de conspiração anti-socialistas, que defende um tipo tacanha de nacionalismo a ponto de atacar a Havan por ter "estátuas da liberdade" no Brasil, que deu uma falsa profecia dizendo que seria eleito em primeiro turno com 51% dos votos, etc e etc. E Bolsonaro é a favor da legalização das armas, o que é diferente de "amar" armas (embora ele possivelmente seja um amante das armas mesmo, mas como um instrumento de legítima defesa e não de ataque).

      Excluir
  8. Desde os anos 80, ainda no Período Militar, lideranças de esquerda, como as de Lula, F.H.C. e outras, já eram discutidas e preferidas, em salas de aula, até de Ensino Médio. Quando fiz Pedagogia, entre 1991 e 1994, principalmente nas aulas de Sociologia, o papel destas lideranças era muito enfatizado. Numa das aulas, só pra citar um exemplo, foi-nos dado (a nós alunos), um texto para reflexão, uma fábula chamada “A greve dos urubus” (até publiquei-o no meu blog, um tempo atrás, in: (), cujos comentários, principalmente do professor, eram sempre depreciativos e com muito desprezo à chamada classe burguesa, classe política, à polícia, aos militares, aos cristãos (principalmente evangélicos, porque a maioria dos padres da Igreja Católica, nesta época, apoiava a esquerda com sua Teologia da Libertação), que eram dominados pelo “ópio” da alienação etc. As discussões descambavam e nossas aulas caríssimas se perdiam em (quase) lorotas intermináveis. Ou seja, já naquela época, havia “doutrinação” em sala de aula. E isto e outros fatores, até pela minha posição cristã definida, me deixavam arredio e sem interesse nenhum em seguir a maioria dos meus colegas. Nunca votei no Lula, até porque, alguns anos antes, um colega do curso de Teologia (estudamos juntos entre 1986 e 1990), policial (na época) que tinha sido encarregado de prendê-lo, no governo do Maluf, em São Paulo, nos disse (em sala) como era o caráter agressivo do arruaceiro Lula, que chegou até exigir (apesar de sua 4ª série) cela especial. A esquerda nunca teve minha preferência, mas chegou a alcançar voos altos no Brasil, tendo seu início nos anos 80, após a Lei de Anistia (1979) do último militar João Figueiredo. Bem, quando fiz o curso de História – na FAI – que terminei em 2000, nesta escola não havia doutrinação (exceto tentativas de colegas, que também eram professores) e o esquerdismo, principalmente o PT, estava no seu auge no Brasil. Ainda bem que a maioria dos brasileiros pulou fora da panela antes que ela esquentasse demais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só ficou faltando o link do artigo (você colocou "in: ()", mas não colocou o link dentro). Abs!

      Excluir
  9. Lucas Banzoli, voce aceita homossexualidade no Corpo de Cristo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão não é o que eu aceito ou não, mas o que Deus aceita. Biblicamente falando a prática homossexual é pecaminosa, mas é claro que Deus compreende aqueles que sentem desejos homossexuais desde que lutem contra isso e não se entreguem aos seus desejos.

      Excluir
  10. Ignore o jogo em que ele está falando, basicamente ele está falando que o estado de direito e a democracia é ruim(cita até alguns livros no vídeo e na descrição do vídeo)...

    https://www.youtube.com/watch?v=tZ4VYw37xjI

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que ele fala é com base no cenário do jogo, não da realidade. Ao que parece naquele jogo o mundo se envolve em uma guerra nuclear e depois disso vira anarquia, e pra ele essa anarquia é melhor do que o mundo pré-guerra. Mas como essa guerra e o mundo anárquico posterior não existem no mundo real, fica tudo muito supérfluo e inverossímil.

      Excluir
    2. Não é bem esse lance de que o mundo fica anárquico, e sim que o mundo não tem mais a figura de um estado controlando as coisas(como o EUA), e sim assentamentos e cidades que são independentes, com seus próprios líderes, polícia, médicos, etc. E eles vivem suas vidas sem incomodar(as vezes) as outras terras de outros assentamentos ou cidades. Ou seja, para ele, o mundo está melhor sem um estado(governo).

      Da a entender que ele fala que imposto é roubo, e que as coisas deveriam ser privatizadas... Eu só não sei se um tribunal privado ia ser melhor que um público, pois pode ter esse lance dele ser mais brando com aqueles que o pagam. Mesma coisa a polícia.

      Enfim...

      Deus lhes ilumine!

      Excluir
    3. "... e sim assentamentos e cidades que são independentes, com seus próprios líderes, polícia, médicos, etc"

      Mas isso é Estado.

      Excluir
  11. Tenho um artigo e um livro(o livro está completo em PDF, então eu não espero um analise tão cedo assim...) para sua analise:

    https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=373

    http://rothbardbrasil.com/wp-content/uploads/arquivos/deus-que-falhou.pdf

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não entendo esses caras do Mises. São anarcocapitalistas, coisa que o próprio Mises jamais foi. Eles tem até alguns artigos bons, mas se utilizam do nome de alguém indevidamente para propagar ideologia contrária à seu pensamento (mais ou menos o mesmo que alguns comunas fazem com o "Jesus Cristo comunista"). Mises nunca foi ancap, era a favor de impostos e jamais disse que "imposto é roubo", era a favor de um Estado mínimo porém existente, defendia que o Estado deveria manter a ordem e a propriedade, todas coisas óbvias que esses caras se opõem no artigo por analisarem a questão sob uma ótica anarcocapitalista. Ou seja, basicamente o que eles argumentam é que a monarquia é melhor porque se compatibiliza mais com uma visão de mundo ancap do que a democracia, ou seja, o artigo já começa errado pelo próprio pressuposto errôneo que toma, e a partir daí desce ladeira abaixo.

      Excluir
  12. É outra coisa: você acha que o Velho Oeste era "selvagem e sem lei" como os filmes falam?

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem tanto, o índice de homicídios era menor do que no Brasil atual.

      Excluir
  13. Respostas
    1. Dizem que em Daniel 11:37 confirma

      Excluir
    2. Esse versículo é uma profecia sobre Alexandre o Grande, rei da Macedônia que conquistou a Pérsia e matou muita gente, e era homossexual.

      Excluir
    3. Paz, fiquei curioso e fui conferir (como o irmão Lucas sempre recomenda): 37 "Ele não terá consideração pelos deuses dos seus antepassados nem pelo deus preferido das mulheres, nem por deus algum, mas se exaltará acima deles todos.". Lendo dá pra ver que ele não saber de Deus (ou de deuses). Não dá pra falar que ele será um homo

      Excluir
    4. O problema é que uma tradução erroneamente verteu por "não terá o amor das mulheres", em vez de "desues das mulheres", o que levou alguns intérpretes a acharem que o texto indica que o anticristo é homossexual, mas isso é apenas um erro de tradução. Se o anticristo for homossexual, não vai ser por causa desse versículo.

      Excluir
    5. O anticristo ser homossexual ou não fará alguma diferença?

      Excluir
  14. Você viu tão dizendo que Bolsonaro é o Anticristo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vários profetas como esse https://youtu.be/rcJoJf98BV0

      Excluir
    2. E Fernandes h Hermes disse que ele é semelhante ao anticristo

      Excluir
    3. Isso aí é picareta que não tem mais o que fazer, nem vale a pena perder tempo com isso. Mesmo que eu fosse 100% esquerdista igual eles jamais pensaria que o Bolsonaro é o próprio anticristo, como se o Brasil tivesse envergadura para tal... gostando ou não o Brasil ainda é um "anão diplomático", nunca que o mundo inteiro iria se dobrar perante a autoridade de um presidente brasileiro.

      Excluir
    4. Amigo Banzoli, num mundo tão pluralista como atual, crer que todos irão aceitar autoridade de única pessoa não parece improvável?

      Excluir
    5. O Afonso responde a isso aqui:

      https://www.youtube.com/watch?v=qLLm3t7F1tM&t=0s

      Excluir
  15. Lucas avalie http://www.esquerdadiario.com.br/Nao-a-Venezuela-nunca-foi-socialista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Venezuela não é socialista (considerando a definição clássica de socialismo), ela está se "socializando" (se tornando cada vez mais próxima do socialismo através de medidas estatizantes dos últimos governos), é isso o que está causando a crise no país. As justificativas que ele dá são totalmente hilárias, coisa de professorzinho marxista ainda preso no século XIX que acha que ainda estamos numa "guerra contra o imperialismo yanque" e coisa do tipo, sempre buscam uma teoria de conspiração mais esdrúxula que a outra para colocar a culpa nos EUA (esse aí chegou até a dizer que a culpa é dos EUA porque a Venezuela paga a dívida externa pra eles, como se alguém fosse muito malvadão por cobrar o empréstimo que fez).

      Excluir
  16. Lucas, acredita que e verdade relato video?
    https://youtu.be/_dLjnueKlbI

    ResponderExcluir
  17. Lucas avalie esse vídeo:

    https://youtu.be/5Lmntw0QS8c

    Realmente, se os EUA não existisse o mundo estaria bem pior, por favor assista o vídeo e faça uma avaliação minuciosa e detalhada (se puder), uma parte do vídeo que ela fala é que provavelmente teria tido uma espécie de guerra fria entre britânicos e soviéticos, mas sinceramente falando, acho que sem a revolução americana, a revolução francesa nunca teria acontecido e sinceramente falando, acho que também até hoje seríamos colônias europeias e teríamos uma monarquia com o catolicismo sendo a religião oficial.

    Em síntese: Sem os EUA, o mundo estaria F**** (desculpe o palavrão).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Em síntese: Sem os EUA, o mundo estaria F****"
      Discordo. Se olharmos com atenção pra história veremos Impérios que vem e vão. O poder nunca fica órfão, se império americano (EUA) não estivesse aí outro estaria no seu lugar.

      Excluir
    2. O que ele quis dizer é que o mundo estaria bem mais atrasado em relação a hoje, não que teria deixado de existir. É lógico que sempre vai haver uma potência principal, mas não necessariamente uma que seja benéfica para o resto do mundo. Por exemplo, se os EUA caíssem hoje numa crise profunda e a China assumisse essa predominância, isso seria muito ruim para o mundo, não tenha a menor dúvida. Ele continuaria existindo, avanços continuariam surgindo, mas numa escala bem inferior à que seria com os EUA, e com muitos perigos potenciais.

      Sobre o vídeo em si, na verdade eles não abordam "como o mundo seria se os EUA não existissem", mas sim como seria se os EUA ainda fosse uma colônia da Inglatera. Neste caso o meu palpite é que os EUA seriam hoje mais ou menos como o Canadá (que alcançou sua independência política bem tardiamente), mas muitas das invenções e contribuições dadas ao mundo continuariam existindo (as treze colônias não eram um "pedaço de nada" quando não eram independentes, nelas havia um respeitável grau de desenvolvimento mesmo na condição de colônias inglesas). Mas de fato, a democracia a nível mundial chegaria mais tarde, o que comprometeria o grau de liberdade e consequentemente de desenvolvimento que temos hoje. Mas acho que revoluções europeias viriam mais cedo ou mais tarde, inevitavelmente, com ou sem o exemplo norte-americano.

      Excluir
  18. Banzolão e o que achas desses vídeos?:

    https://www.youtube.com/watch?v=Iyv8gB8f1dc
    https://www.youtube.com/watch?v=N4E4059RuPQ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dois vídeos de mais de uma hora cada um fica difícil de assistir :(

      Excluir
    2. Assista o primeiro pelo menos e muito bom, uma informação que ele trouxe que eu não sabia, é que a família do Marx era seguidora de um rabino cabalista chamado Sabbatai Zevi, que declarou que para o Messias judeu chegar os fiéis teriam que pecar muito, porque essa seria a condição para ele surgir,e daí vem a relação do Marx com o ocultismo, ele escreveu poemas exaltando Satanás, isso eu já sabia através do livro "Marx&Satan" do Richard Wumbrand, um pastor romeno que foi preso e torturado por comunistas desse país

      Excluir
  19. Avalie : https://www.terra.com.br/noticias/nao-e-a-politica-que-vai-mudar-esta-nacao-e-a-igreja-diz-damares-alves,d44154a84afa2357b1ebf1679ec70e2apzjmtact.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No geral eu concordo com o que ela disse.

      Excluir
    2. Tem gente falando que essa frase e uma frase teocrata.

      Excluir
    3. Que teocracia? Teocracia é quando uma autoridade possui o poder espiritual e temporal em suas mãos e as leis se confundem entre si. Ela só disse que a política por si só não é capaz de mudar a nação, o que é uma realidade, não há nada que tire mais jovens da criminalidade, das drogas e de vícios em geral do que as igrejas, quando esses indivíduos tem um encontro com Deus que transforma suas vidas. A política de Estado pode ajudar, pode diminuir, pode fazer sua parte (e deve), mas não tem o potencial de transformação geral que a religião tem (quando usada para o bem). Isso é uma análise social, não uma teocracia.

      Excluir
  20. Mudando um pouco de assunto (ou nem tanto, pois tem um pouco haver rs), qual a sua opinião sobre este vídeo de um articulista judeu: https://www.youtube.com/watch?v=wPkQH7AtADI. Eu tendo a me afastar dessa teologia que tenta superdimensionar a importância dos judeus e do Estado de israel (às vezes tratando-os como uma espécie de "amuleto", do tipo de que se tu puxar o saco dos judeus tu será abençoado). Porém, de fato é muito grande a coincidência de alguns fatos históricos que ele apresentou. Até mesmo aqui no Brasil, em que o Bolsonaro ganhou depois de apoiar explicitamente o Estado de Israel e um possível reconhecimento de Jerusalém como capital daquele país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo com tudo o que ele disse, mas não da forma como ele diz. De fato, Deus abençoa quem abençoa os judeus e amaldiçoa quem os amaldiçoa, como a Bíblia diz, mas do jeito que ele fala fica parecendo que não precisamos fazer nada além de abençoar os judeus, como se o Brasil pudesse se tornar comunista e não teria problema nenhum desde que fosse pró-Israel (o que é absurdo). Há muitas coisas que contam, não apenas esse quesito mais espiritual (e que também não é o único quesito espiritual, mas um deles).

      Excluir
  21. Lucas você acha que o termo que os missionários usam para descrever toda uma região do planeta que o evangelismo ainda é pouco e que predomina a fome, guerras, ditaduras etc (indo do norte africano até pra perto da índia) como sendo a ultima fortaleza de Satanás está correta? https://noticias.gospelprime.com.br/missionario-morto-tribo-acreditava-estar-ultima-fortaleza-satanas/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é porque um país é pobre e passa por fome e guerras que é uma "fronteira de Satanás", eu aposto que em muitas regiões da Europa há menos crentes verdadeiros do que nessas regiões da África, apesar de terem tudo do bom e do melhor. E usar esse tipo de terminologia é uma coisa perigosa pois pode incentivar a discriminação racial ou o preconceito contra os pobres (como se alguém tivesse que ser rico por ser crente, o que não é verdade). Melhor dizer apenas que são locais que precisam de Cristo, da mesma forma que outros tantos (inclusive o nosso).

      Excluir
  22. Gostaria de deixar meus pensamentos e um link bem interessante sobre psicologia: Vendo o programa, eu tenho que concordar com os apresentadores; "você é seu cérebro", foi o que um deles falou(mais ou menos). E realmente eu creio nisso que ele falou, por motivos científicos e religiosos.

    A bíblia deixa bem clara que a natureza humana é holística; o ser humano é um todo indivisível, e essas divisões que as vezes falamos, isso é: corpo, mente(ou alma)e "espírito"(em alguns casos) são apenas artificiais e didáticos; elas não existem, necessariamente. Por esse motivo, um corpo saudável cria uma mente saudável, e uma mente saudável cria um corpo saudável.

    O programa não fala só desse assunto, por isso, recomendo que vejam todo ele.

    https://jovemnerd.com.br/nerdcast/quem-sou-eu/

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assisti inteiro (excetuando os primeiros 30 minutos que é só enrolação e propaganda de outras coisas) e gostei muito.

      Excluir
  23. Esqueci de dar um exemplo mais didático: o marketing, marketing não é só a propaganda ou só tratar bem o cliente; são as duas coisas! Ambas são fragmentos ou elementos do marketing, que juntas são o próprio, e se as separar, não terá um resultado bom ou até falhar miseravelmente. A mesma coisa pode se falar da natureza humana! Embora a mente(cérebro, alma, etc.) seja, em minha opinião, o fragmento ou elemento mais importante da natureza humana, ele sozinho não faz nada(afinal, a mente precisa de nutrientes como ferro, água, entre outros para sobreviver).

    Espero que tenham compreendido e eu não tenha falado besteira...

    Deus lhe ilumine!

    ResponderExcluir
  24. Amigo Banzoli, você concorda que a vontade política (vontade de trabalhar), já não é suficiente pra uma nação se desenvolver independente da escola política-filosófica-ideólogica do governante?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que isso por si só nunca foi o suficiente. Sempre teve algo a ver com a política/religião de cada lugar.

      Excluir
    2. É porque eu vejo muita discussão ideológica (PT x PSDB/PFL, democratas x republicanos, monarquia x república, conservadores x liberais ...) onde cada um atribui a sua vertente política atributos messiânicos excluindo o diálogo e contraponto. Eu entendo que, apesar de insuficiente, a boa vontade, o interesse, o trabalho, precede a cartilha política-ideológica. Vivemos num país onde o atraso é visível em todos os setores e a política resume-se a busca pelo poder maquiado por discussão ideológica. Seremos um grande nação quando o trabalho tiver seu valor reconhecido, exercido e preponderante.

      Excluir
    3. Sim, mas o povo em geral já é trabalhador e esforçado, o problema é que há leis duras contra a iniciativa empreendedora e uma burocracia sem fim, além de impostos pesados que consomem a renda dos brasileiros e a circulação da moeda no país. Você trabalha mais de meio ano apenas para pagar impostos e não vê a retribuição de volta, isso sem falar em toda a corrupção política e a "corrupção branca", que são os altíssimos e totalmente desproporcionais salários dos políticos e juízes, além de seus inúmeros e absurdos privilégios que tornam o Congresso brasileiro o mais caro do mundo. Ou seja, aqui quebram a perna dos investidores e empreendedores logo de cara, e depois asfixiam os trabalhadores com impostos elevados e com um uso deplorável desses impostos, aí não tem jeito, não adianta só a boa vontade do povo.

      Excluir
    4. Verdade. Trabalhar no Brasil é andar com freio-de-mão puxado.

      Excluir
  25. Lucas; quando paulo, em Gálatas 2:11-14, repreeende pedro, ele o repreendeeu pela sua hipocrisia ou por uma questão doutrinaria? A resposta católica que ouço é que esse texto não é evidência contra a infalibilidade papal, pois tal passagem não se trata de paulo repreeedendo um erro doutrinário por parte de pedro, mas sim paulo repreeedendo pedro pelo seu comportamento dúbio com gentios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O fato de se tratar ou não de um "erro doutrinário" é irrelevante, porque na doutrina católica eles são proibidos de criticar o papa (ainda mais com a severidade que Paulo usou) sobre qualquer assunto. Eu recomendo a leitura da encíclica chamada "Como Amar o Papa", escrita por Pio X, onde esse pensamento é explicitado:

      https://www.veritatis.com.br/como-amar-o-papa-2/

      Essa coisa de que "pode descer o pau no papa que não tem problema desde que não toque em um ponto doutrinário" (ou que não seja em "ex cathedra") é coisa de católicos modinhas (olavetes, quase sempre, porque o Olavo é quem mais desce a porrada no papa) que não conhecem nada da doutrina da própria Igreja.

      Excluir
  26. Ignorando o(s) jogo(s) em si, esse aqui é um bom vídeo de um tema até bem polêmico. Gostaria de saber a opinião de todos os que viram(ou verão) esse vídeo:

    https://www.youtube.com/watch?v=f2U7xYJZbKg&t=792s

    Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
  27. (sobre o vídeo que acabei de mandar; "Does Good Or Bad Karma exist... What is Evil?", eu mandei o link, mas a ideia é para ver o vídeo do começo até o fim... eu esqueci de tirar os minutos que eu parei de ver o vídeo ><)

    ResponderExcluir
  28. Banzolão, você acredita que o povo estadunidense seja um povo conservador? e/ou que eles estão se despertando da ameaça da Esquerda assim como os brasileiros se despertaram? Pergunto isso pois sempre houve nos EUA uma verdadeira divisão de poder entre os Republicanos e os Democratas, uma vez um vence e na outra é a vez do outro vencer, o que você acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em geral sim, inclusive há vários democratas que são conservadores (pró-vida e etc) ainda hoje, e historicamente falando mais ainda.

      Excluir
    2. Mas você acredita que é possível que após o governo Trump os Democratas possam acabar voltando ao poder?

      Excluir
    3. Com certeza, eles sempre voltam, nos EUA a coisa é bem diferente do Brasil (onde a esquerda ou direita assume o poder e fica lá por décadas, democraticamente ou não), lá eles sempre elegem um do partido oposto depois dos dois mandatos de quem governa, para que haja rodízio no poder em vez de um partido único se agigantando. Por exemplo, o recém falecido George H. W. Bush era republicano e foi sucedido pelo democrata Bill Clinton, que foi sucedido pelo republicano George W. Bush (o filho), que foi sucedido pelo democrata Obama, que foi sucedido pelo republicano Trump, que provavelmente será sucedido por algum democrata. Lá eles raramente elegem um político do mesmo partido após ele completar seus oito anos de mandato.

      Excluir
  29. Lucas cara, vc poderia me recomendar sites além daquele do PR Fernando Galli que refutam os TJS?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse aqui também é bom:

      https://testemunhadecristo.wordpress.com/

      Excluir

Fique à vontade para deixar seu comentário, sua participação é importante e será publicada e respondida após passar pela moderação. Todas as perguntas e comentários educados são bem-vindos, mesmo que não tenham a ver com o tema do artigo. Críticas serão publicadas desde que não faltem com o respeito e não sejam feitas em anonimato.

Caso o seu comentário não tenha sido publicado dentro de 24h, reenvie-o.