23 de junho de 2018

60 Quando a descrição vira prescrição e a exceção vira a regra, a heresia é certa



Há poucos dias o Bruno Lima postou em seu blog Respostas Cristãs um artigo sobre o culto às relíquias à luz dos escritos dos Pais da Igreja. O artigo, que é uma continuação deste outro, é uma excelente refutação à prática católica, que se apega a textos isolados (e muitas vezes adulterados) dos Pais da Igreja, da mesma forma que fazem com a Bíblia. Eu não tenho nada a acrescentar aos artigos dele sobre patrística, mas aproveito a ocasião para tratar do único texto da Bíblia inteira a ser frequentemente utilizado pelos apologistas católicos para fundamentar sua doutrina em torno do culto às relíquias, que é o famoso texto sobre os ossos de Eliseu:

“Certa vez, enquanto alguns israelitas sepultavam um homem, viram de repente uma dessas tropas; então jogaram o corpo do homem no túmulo de Eliseu e fugiram. Assim que o cadáver encostou nos ossos de Eliseu, o homem voltou à vida e se levantou” (2ª Reis 13:21)

Os apologistas católicos olham para este texto e dizem: “Está vendo? O homem foi ressuscitado por causa dos ossos de Eliseu. Então nossa doutrina das relíquias está provada!”. Se lhe parece em um primeiro momento que o argumento é ruim, parabéns, você está certo: é ruim mesmo. Primeiro porque o texto não diz que Eliseu fez o milagre. A doutrina dos judeus veterotestamentários sobre a morte sequer contemplava um mundo consciente onde o profeta pudesse estar vivo e realizando milagres em um mundo no “além” (Sl 6:5; 94:17; 146:4; Ec 9:5; 9:10; Is 38:18-19). “Abraão não nos conhece” (Is 63:16), já dizia Isaías, e presumivelmente Eliseu também não. E parte nenhuma do texto diz que o “espírito” do profeta ou sua intercessão foram responsáveis pela ressurreição.

“Ah, mas se Deus quis curar através dos ossos de Eliseu naquela ocasião, então isso é uma doutrina e ponto final!”. É este o ponto central deste artigo. Não devemos confundir descrição com prescrição, que é o erro mais primário em se tratando de hermenêutica. Eu já falei muito disso no meu livro “Exegese de Textos Difíceis da Bíblia” (disponível na página dos livros), mas vale a pena repetir um pouco aqui. Uma descrição é algo que o escritor bíblico está apenas descrevendo, mas não impondo como regra ou doutrina a todos os demais. Por exemplo, quando a Bíblia insinua que Jefté sacrificou sua filha em holocausto (veja aqui), ela não está impondo isso como doutrina. Ela não está dizendo que todos os pais devem sacrificar suas filhas, nem que isso agrade ao Senhor. Está apenas narrando um acontecimento, da mesma forma que narra os pecados de Davi e as negações de Pedro, sem colocar isso como um exemplo ou uma regra.

Em contrapartida, uma prescrição é mais do que apenas a narração de um acontecimento, consistindo antes em uma regra ou princípio que se aplica e se impõe aos leitores de uma forma atemporal. Por exemplo, quando Cristo diz “ame o seu próximo como a si mesmo” (Mt 22:39), ele está impondo um princípio, exigindo um padrão. O texto não está apenas descrevendo uma pessoa que amou outra pessoa, mas quer que nós mesmos amemos ao nosso próximo. É um imperativo, como o “ide” de Marcos 16:15.

A questão é que o texto dos ossos de Eliseu, como o do sacrifício de Jefté, é claramente uma descrição de um acontecimento, e não uma prescrição de um mandamento, de uma regra ou ordenança de Deus a todos nós. O texto apenas diz que naquela ocasião em particular Deus quis ressuscitar o morto daquela maneira, e não que para ressuscitar alguém devemos conduzi-lo aos ossos de gente morta. Em outras palavras, o texto não está estabelecendo doutrina nenhuma, padrão nenhum, regra nenhuma. É apenas a descrição de um fato isolado, que não se repete em mais lugar nenhum da Bíblia, nem mesmo como outra descrição.

E por falar em fato isolado, é importante acentuar este aspecto, pois os que “torcem as Escrituras” (2Pe 3:16) adoram apelar a exceções para reivindicar uma regra. Fazem isso o tempo todo. Há neopentecostais que se utilizam de um texto descritivo e isolado onde pessoas eram curadas com os lenços e aventais de Paulo (At 19:12) para fundamentar como doutrina que é só trazer lenços e aventais para o “bispo” x ou o “apóstolo” y que as pessoas vão ser curadas sempre. Há neo-ateus que se apropriam de textos isolados e distorcidos do Levítico falando sobre não cortar as extremidades da barba (Lv 19:27) e sobre não vestir roupas de tecidos diferente (Lv 19:19) para exigir tal coisa como regra para os cristãos atuais ou nos acusar de “hipócritas” por não seguirmos isso. E da mesma forma, há católicos que pegam o texto de Eliseu para fundamentar a doutrina do culto às relíquias, mesmo com o texto sequer falando de culto.

Se essa moda de pegar textos descritivos e isolados pega, a teologia cristã viraria uma zona muito maior do que se encontra hoje. Imagino a “Igreja de nudismo” (sim, isso existe) usando como base o texto em que Deus pede a Isaías que ande nu e descalço por três anos (Is 20:3), e então eles também devem ficar peladões em público. Imagino outros usando como base o texto em que Deus pede a Oseias que se case com uma adúltera (Os 1:2), possivelmente uma prostituta, para dizer que devemos todos nos casar com mulheres adúlteras como ela. Também imagino outros usando o texto em que Deus pede que Ezequiel se amarre durante mais de um ano virado para um lado e comendo bolos de cevada cozidos sobre esterco (Ez 4:4-15), para ensinar que é deste modo que devemos viver ou comer nos dias de hoje.

No artigo, o Bruno nos dá outros exemplos bíblicos:

Jesus por exemplo curou um cego utilizando-se do barro. Naamã foi curado ao mergulhar no rio Jordão. O fato de Deus ter utilizado tais meios não implica que o rio Jordão ou o barro sejam um canal especial de graça a ser recorrido regularmente. O fato de Deus utilizar um meio específico para um milagre não torna este meio em si possuidor de qualquer poder sobrenatural.

É isso o que os apologistas católicos não entendem, ou fingem não entender para poderem continuar inventando pretextos ridículos para fundamentar suas falsas doutrinas. O caso dos ossos de Eliseu era tão “doutrinário” quanto o cuspe de Cristo para curar o cego, que ninguém usa para fundamentar doutrina nos dias de hoje (ainda bem). De modo algum o método que Deus ensina na Bíblia para que as pessoas sejam curadas é cuspindo nelas (graças a Deus), mas apenas mediante a oração com fé (cf. Tg 5:13-15), a despeito do fato de que em um caso isolado e descritivo o milagre tenha ocorrido após um cuspe ou um toque em um osso.

Os apologistas católicos, desesperados em oferecer justificativa a um ensino antibíblico, pegam um texto isolado, não-prescritivo e referente a um caso extraordinário específico e o distorcem de tal modo a transformá-lo em um modelo e fazer disso uma doutrina – e ainda somos nós que interpretamos a Bíblia “de qualquer jeito”. É assim que vemos a diferença entre uma teologia autêntica e séria de uma que está preocupada apenas em arranjar qualquer pretexto infame para justificar suas práticas antibíblicas.

É essa a diferença fundamental entre exegese e eisegese. Enquanto o exegeta extrai do texto o que está nele e segue as prescrições que a Escritura ordena como regra ou norma, o eisegeta está preocupado apenas em justificar suas crenças prévias, muitas vezes de modo desesperado, justamente por saber que não há justificativa séria para o engano que prega. Assim, sua missão deixa de ser extrair da Bíblia o seu verdadeiro significado, consistindo unicamente em procurar o máximo de textos isolados e fora de contexto que ele acha que podem ser úteis para confirmar o que crê, mas que serão completamente inúteis em um debate inteligente.

Enquanto o eisegeta usa a Bíblia apenas para “encontrar” suas crenças prévias nem que para isso tenha que torcer muitos textos durante o processo e fazer alguns malabarismos dignos de Cirque du Soleil, o exegeta honesto está disposto a abrir mão de qualquer convicção prévia para seguir apenas o que a Bíblia realmente ensina. Não à toa a interpretação católica é assumidamente enviesada, pois lhes é proibido o livre exame, restando-lhes apenas aceitar a interpretação do magistério sendo boa ou não. Enquanto o intérprete católico já tem a “verdade” e busca usar a Bíblia apenas para confirmar suas crenças prévias, o intérprete evangélico vai à Bíblia para descobrir a verdade. É como demonstrado no quadro abaixo:

Método Cristão
Método Papista
“Aqui estão os argumentos. Qual lado tem a evidência mais forte? Quais conclusões podemos tirar dessas evidências?”
“Aqui está a conclusão. Quais evidências podemos encontrar para o nosso lado? Quais argumentos poderemos usar para sustentar essa conclusão?”
Em síntese, o eisegeta faz da descrição uma prescrição e torna a exceção uma regra, apenas para tornar sua heresia certa. Dizer que este é o modus operandi número um da apologética católica seria certamente uma obviedade desnecessária, mas infelizmente alguns protestantes estão indo pelo mesmo caminho.

• Compartilhe este artigo nas redes:

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.

ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post, que aqui respondo a todos :)

60 comentários:

  1. Olá, Lucas Banzoli.

    Poderia comentar sobre essa edição bíblica:

    Imagem 01: https://prnt.sc/jyd39r

    Imagem 02: https://prnt.sc/jyd4p4

    Imagem 03: https://prnt.sc/jyd545

    Apesar de não pertencer a mim... tenho a minha disposição. Por esse motivo, gostaria que você me passasse algumas dicas acerca de como avaliar qualquer versão bíblica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é a versão preferida de muitos estudiosos pois traduz o hebraico e o grego de forma mais literal (um site de fundamentalistas alega ser essa a "única versão inspirada e autorizada" em português), mas eu particularmente não gosto de versões que sejam muito literais, acho muito melhor as traduções que vertem de acordo com o sentido do texto do que ao pé da letra (palavra por palavra). Neste aspecto, a NVI (Nova Versão Internacional) e a NVT (Nova Versão Transformadora) são as melhores. Você pode ver uma defesa desse tipo de tradução menos literal neste excelente artigo do Pipe:

      http://www.dc.golgota.org/nvi/nvi.html

      Para deixar claro: isso não significa que "só a NVI e a NVT estão certas" e que as outras traduções são ruins ou que não possam ser usadas, é apenas uma questão de preferência pessoal, mas se alguém prefere traduções mais literais vai adorar a Almeida Corrigida e Fiel.

      Excluir
  2. Uma vez visitei um país cheio de canarinhos... Lá eles cantavam, dançavam e estudavam Português, Matemática, Física, Química, Biologia, História, Geografia, Sociologia, Filosofia e Artes. A princípio, fiquei impressionado pela quantidade de matérias. Achei incrível tudo aquilo. Até que um dia, por curiosidade, resolvi investigar minuciosamente o ensino dado àqueles passarinhos. Contudo, no final da minha análise, o que pude constatar foi algo tão inesperado. Não podia acreditar em tal coisa. É impossível que isso possa ocorrer! Jamais vi esse fenômeno em nenhuma parte do globo terrestre. Enfim, não vou passar o meu tempo tagarelando mais e mais em virtude disso. Deixo o meu relatório abaixo para que os meus caros leitores tirem as suas próprias conclusões:
    Português:

    - Gramática: Vivem cometendo erros de ortografia, pontuação e sintaxe. Além disso, não sabem definir o que é Gramática!

    - Literatura: Se um leu mais de oito livros de Literatura nacional... Certamente, é um “sábio” entre eles!

    - Redação: Mais de 80 % não sabem o que é uma dissertação, tampouco o tal texto dissertativo-argumentativo.

    Matemática: A decoreba domina desde a 1º série do E. Fundamental até o último ano do E. Médio. Ninguém pode contra ela. Nem mesmo o Enem. Restando apenas ao pobre educando, humildemente, decorar as fórmulas.

    Física: As Leis de Newton estão presentes no dia a dia dos canarinhos, mesmo assim, eles não as notam.

    Química: Apesar de ser uma ciência essencialmente experimental, ainda sim, o MEC (Ministério da Educação dos Canarinhos "evoluídos") não vê tanta importância nas aulas práticas. Preferem mesmo é discutir e incluir, posteriormente, aulas de sexo nas escolas. São mesmo "evoluídos".

    Biologia: Começam estudando células, e terminam a escola sem saber o que é uma célula. Parece piada, mas não é. É a pura verdade. Infelizmente.

    História: Tal Pedro Álvares Cabral é desconhecido. Não entra na cuca deles.

    Geografia: Se tiver um que conheça no mínimo, todas as capitais do seu próprio país... De fato, choverá. Talvez, através da chuva, eles aprendam alguma coisa de climatologia. Vai saber...

    Sociologia: O nome de Karl Marx é aclamado pelos docentes, mas o conceito de sociedade... Ah, que pergunta temível para as pobres aves. Espero que isso não caia na prova. Senão, as coitadinhas estarão fritas!!!

    Filosofia: As ideias da grande pensadora Valesca Popozuda invadem o exame e deixam todo mundo entusiasmado... De tanto cantarem e rirem!

    https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/eu-estudante/ensino_educacaobasica/2014/04/07/ensino_educacaobasica_interna,421852/valesca-popozuda-e-chamada-de-grande-pensadora-em-prova-de-escola-publica.shtml

    Artes: Pichação é arte! Ou qualquer rabisco, qualquer besteira, qualquer merda. Em resumo, é indefinida, subjetiva e qualquer coisa que você possa imaginar é arte.

    Depois de tudo isso, apresento a seguinte conclusão: "Em terra de canarinhos toda escola é um faz de conta".


    Ass: ₪ ₪ ₪ O Contista. ₪ ₪ ₪

    ResponderExcluir
  3. Lucas, tenho uma dúvida
    • Como satanás pode falar com Deus(Jó1:06), se a bíblia fala também que só santos podem ver a Deus????
    Ou
    •Como algo tão asqueroso como satanás pode entrar na presença do Criador??(Jó1.6)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade a cena era de um julgamento no conceito da época. Satanás chegou à presença de Deus para reivindicar (como a parte acusadora) o seu direito legal sobre a terra. O Rodrigo Silva explicou isso a partir do minuto 15 deste vídeo:

      https://www.youtube.com/watch?v=X-MiKlaG99I

      Excluir
    2. Lucas, Estou te seguindo há pouco tempo, e vejo que você tem muitas informações diversas. Sei que seu foco é destruir as mentiras pregadas pelo catolicismo (rs), mas gostaria muito de conhecer suas opiniões sobre assuntos que conheci no adventismo, e que a maioria das religiões nem ao menos conhece, por exemplo, profecias sobre a segunda vinda de Jesus, especialmente a das 2300 tardes e manhãs, sobre o sétimo dia, Miguel, 666, enfim, coisas que o adventismo traz como "verdades para o tempo do fim", e que dificilmente encontro outras explicações contrárias, só devaneios. Talvez uma artigo sobre o que acha sobre o adventismo seria bacana! Os defeitos da igreja eu já conheço mas sobre as doutrinas é sempre bom evoluir ou mudar o entendimento se preciso.

      Excluir
    3. Olá, a minha posição sobre os adventistas é moderada, eu os considero um grupo cristão como qualquer outro, com erros e acertos, mas não considero nem uma "seita" e nem a "igreja remanescente" (que são os dois extremos). Essas doutrinas por exemplo que você citou eu discordo de todas (sobre Miguel segue abaixo um link de uma resposta antiga minha em meu outro site), mas uma coisa que admiro nos adventistas é a seriedade deles, diferente de tantas igrejas por aí que só falam de dinheiro e só querem passar a perna nas pessoas eu vejo na IASD um exemplo de igreja séria e comprometida com seus princípios, e muitos dos teólogos mais respeitáveis que conheço são adventistas (ex: Rodrigo Silva, Leandro Quadros, Azenilto Brito, etc), então posso até dizer que admiro os adventistas embora eu não congregaria numa igreja adventista em função de discordância na questão do sábado e de Ellen White (que não são pequenos detalhes na visão deles, mas elementos de fé necessários de se crer para ser um membro da igreja, como o calvinismo é para os presbiterianos).

      https://apologiacrista.com/jesus-e-miguel (sobre Miguel)

      Excluir
  4. Eae Lucas, eu também não acredito nestas relíquias, mas eu vi um testemunho católico, que o cara falou que só de entrar na basílica, sentiu uma enorme paz...
    Não pode ser satanás, pois satanas nao nos trás paz, e nao pode ser psicológico, pois senão os ateus podem usar isso contra a presença de Deus tmb!!
    °Então o que é?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa coisa de "sentir paz" é muito relativa e subjetiva e não serve como argumento racional para nada. Os monges budistas também "sentem paz" quando meditam e nem por isso o budismo é necessariamente certo; milhões de evangélicos sentem paz nas igrejas evangélicas ou a sós com Deus e nem por isso eu uso isso como argumento nesse site, e há até ateus que sentem "paz" sendo ateus. Além disso, é natural que um católico sinta paz ao entrar em uma basílica católica, estranho seria se ele não sentisse paz na sua própria religião, neste caso nem católico seria. O homem é um ser com um aspecto psicológico muito forte, muita coisa do que sentimos vem das nossas próprias sensações e sentimentos, sem falar que o diabo também pode criar uma "falsa paz" e enganar as pessoas. Quando falamos sobre "sentir a presença de Deus" não estamos nos referindo apenas a uma boa sensação interna porque isso não define nada, estamos falando sobre ter uma vida com Deus que se revele na forma de frutos que demonstram que a fé é genuína, numa vida em santidade, numa consciência pura e limpa, num viver para Deus de acordo com os princípios da Sua Palavra, pois se alguém segue a homens em vez da Palavra de Deus não pode sentir nenhuma verdadeira "paz", mas apenas a paz que o mundo nos dá:

      "Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como O MUNDO A DÁ..." (João 14:27)

      Excluir
  5. Lucas, a veneração de relíquias é praticada pela Igreja ortodoxa também?

    ResponderExcluir
  6. Quero relatar algo que aconteceu com uma pessoa (que fez faculdade comigo) e que é evangélico. Esse amigo meu tem a mesma idade que eu - 22 anos - e ele está namorando com uma mulher de mais de 40 anos dentro da igreja...Ela inclusive tem filho e é divorciada. O que você acha dessa situação? Seria pecado esse tipo de relacionamento? Amigos meus que não são evangélicos estão meio que estado de choque por conta disso (se os de fora estão escandalizados, acho que era pros cristãos da igreja dele estarem também né), e eu, pessoalmente, acredito que esse tipo de relacionamento é uma espécie de 'escândalo' dentro da igreja, quase que pedofilia. Boatos estão rolando por ai e dizendo que eles estão juntos porque ele não tem coragem de chegar em nenhuma menina da igreja dele com a idade dele, e q a mulher que tem idade pra ser mãe dele teve coragem de dar em cima dele, e que agora eles estão juntos...Se eu fosse pastor ia repreender um negócio desses...E pior na cidade onde eu moro tá tendo muitos casos assim nas igrejas evangélicas, de mulheres velhas com meninos novos (com diferenças de 6 a 10 anos idade, ou ate mais), pelo fato da grande maioria dos rapazes terem preguiça ou não terem coragem de investir em amizades com as meninas da idade deles (que podem, futuramente, gerar um namoro ou casamento), e as mulheres mais velhas no desespero pra casarem pegam os novinhos mesmo. Aliciamento de menores kkkkkk brincadeira, mas eu acho isso muito bizarro...
    As vezes vou na igreja dos meus pais (igreja evangélica) e percebo também que além desses casamentos meio desiguais demais na idade, eles ainda são forçados. Por exemplo, nessa igreja dos meus pais tem um caso assim: A menina de 30 com um jovem de 23 / 24 anos. Eles se casaram quando ele tinha 21 anos e tipo como eu sento na galeria consigo ver a igreja em um ângulo maior, e consigo ver esse casal as vezes. Percebo que ela fica "mendigando" atenção dele, abraçando ele quando estão sentados no banco na hora do culto, e o rapaz não toca de jeito nenhum nela. Quem tá em cima, na galeria, vê tudo. Quais os casais frios e quais os casais com reciprocidade...é meio triste essa situação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só não entendo por que um casal onde o homem é 10 anos mais velho é normal, e um em que o homem é 10 anos mais novo é anormal e escandaloso. Tipo, não quero contrariar nada do que você disse e também acho que o ideal seria procurar alguém da mesma faixa etária, mas se o cara é feliz com uma mulher mais velha, pelo menos é melhor do que morrer sozinho em tristeza e solidão. A gente vê casos extremamente comuns de homens de 35 anos namorando mulheres de 20, 25 ou 30 e não vê nada de mais nisso porque o homem é o mais velho, mas se for o contrário vira o bicho, isso que não entra na minha cabeça de jeito nenhum. Podem alegar que isso é uma "convenção social", mas isso ainda não é uma justificativa real, se a maioria das mulheres prefere homens mais velhos isso não deveria ser uma razão para censurar aquelas que tem uma preferência oposta. O caso que você citou talvez seja mais escandaloso mesmo porque é quase o dobro da idade e seria estranho mesmo que fosse o inverso, mas o seu outro exemplo de "6 a 10 anos" eu achei uma forçação de barra, com todo o respeito. Se você ver a idade dos personagens bíblicos que se casaram verá que havia diferenças em alguns casos bem mais significativas que isso, embora eu concorde que eles não eram exatamente um modelo, como nós também não somos.

      Excluir
    2. Ótima opinião Lucas. Eu penso assim também. Não se pode negar que a sociedade usa dois pesos e duas medidas para julgar homem e mulher, não é atoa que o feminismo ganha adeptos cada dia mais porque esse tipo de preconceito idiota só ajuda a reforçar a retórica também idiota e idiotizante feminista. Sempre falo feminismo e machismo não os dois lados da mesma moeda e ver isso na igreja é deplorável já que em tese deveríamos ser o povo um pouco mais instruído nas coisas da vida.

      Excluir
  7. Lucas, uma fraude monarco romanista que pelo que tenho percebido foi pouco exposta - esmiuçada em dois artigos, se vc puder compartilhar nas suas redes, será de grande ajuda.

    https://medium.com/@Brigada/fraude-monarquista-golpe-republicano-é-fruto-do-protestantismo-maçônico-liberal-parte-1-77d700b2d49f

    https://medium.com/@Brigada/fraude-monarquista-golpe-republicano-é-fruto-do-protestantismo-maçônico-liberal-parte-2-b306f7d5259

    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Postei lá, amanhã posto também em outras páginas. Abs!

      Excluir
  8. https://muralcatolicobr.blogspot.com/2018/02/catolicos-sao-idolatras-adorar-imagens.html?m=1
    Avalie pra mim por favor.
    Deus abençoe banzoli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tentei abrir o link, mas meu antivírus (Malwarebytes) suspendeu a página apontando malware, e eu não quero arriscar a integridade do meu computador por causa de um site católico. De todo modo, consulte este artigo sobre o tema (link abaixo), que é o meu principal nesta área, e se algum argumento em particular não foi respondido ali, fique à vontade para transcrevê-lo aqui.

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2013/05/nao-adoram-so-veneram.html

      Excluir
  9. https://defendendoafecrista.wordpress.com/
    já viu esse site Lucas? É muito bom.
    Ele e esse aqui seu, são fenomenais.
    Mas o seu é melhor.
    recomendo fazer alguns artigos sobre ataques de judeus contra Jesus ser o Messias. Você tem livros de apologética nesse assunto pra recomendar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conhecia esse site, obrigado por compartilhar! Só pelo layout bonito eu já gostei, é raro ver sites agradáveis de se ler assim. Sobre refutações ao Judaísmo, há bastante coisa sobre isso no livro "Não tenho fé suficiente para ser ateu" (de Geisler e Turek), mas reconheço que essa não é muito a minha praia, se eu for começar a escrever sobre isso em artigos ou livros teria que me aprofundar mais.

      Excluir
    2. http://fortefundamento.blogspot.com.br/2013/05/jesus-e-o-messias-judeu-debate-entre-dr.html?m=1

      Veja esse vídeo de Michael Brown e um rabino.
      Existe um série de livros do Michael Brown, respondendo ataques de anti-missionários judeus.
      Tenho 18 anos, mas quero antes dos 30 aprender inglês para ler essas obras. Lucas, como você aprendeu? Considera uma língua fácil?

      Excluir
    3. Eu não tenho um inglês avançado, mas consigo conversar nesse idioma com outras pessoas porque faço isso há uns 8 anos jogando Age of Empires 3 online e fazendo amigos ali de muitas partes do mundo. Foi assim que consegui aprender o espanhol primeiramente e com bem mais facilidade, fazendo amigos latinos e conversando com eles diariamente. O inglês é indiscutivelmente mais difícil que o espanhol, mas também não é um bicho de sete cabeças, se você ler e conversar em inglês todos os dias você vai captando o significado das palavras naturalmente, o problema é a gramática que só dá pra aprender bem fazendo curso mesmo, e como eu não tenho curso de inglês então minha gramática não é boa, frequentemente cometo erros básicos como por exemplo trocar a ordem das palavras numa pergunta (por exemplo, "you can" em vez de "can you", ou comer o "do" a todo momento, embora numa conversação isso não mude muita coisa porque a outra pessoa entende o que quis dizer mesmo com a gramática errada).

      Excluir
  10. Lucas, qual a melhor explicação para o esvaziamento de Filipenses 2. Eu li o livro de Lee Strobel entrevistando D. A Carson. Mas não entendi essa parte, se Jesus se esvaziou dos usos dos atributos, como argumentar que ele é Deus por meio do perdão dos pecados e adoração?
    E se ele tem duas naturezas, quando ele disse que não sabia o dia da vinda,o que aconteceu com a natureza divina?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus era Deus, mas Deus encarnado (feito homem), não em forma de Deus, por isso ele não tinha mais os atributos divinos e não sabia o dia da sua volta (que hoje em sua condição celestial sabe).

      Excluir
  11. E aí irmão. Tudo bem? Antes do Concílio de Jâmnia, os deuterocanônicos eram aceitos? Frequentemente vejo católicos dizendo isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não eram e nunca foram, Jâmnia não mudou nem criou cânon nenhum, apenas confirmou o mesmo cânon do AT já aceito na época de Jesus. Sobre isso recomendo estes artigos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2014/02/o-canon-biblico-dos-judeus.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com/2013/06/os-judeus-e-o-canon-veterotestamentario.html

      Excluir
    2. Pesquisando em alguns sites católicos, vi que um tal de Rafael Rodrigues escreveu um livro fazendo uma suposta defesa desses deuterocanônicos. Você já viu esse livro dele? Já leu?

      Excluir
    3. É esse. Tem no Clube de Autores:

      https://www.clubedeautores.com.br/book/140770--Manual_de_Defesa_dos_Livros_Deuterocanonicos#.WzB4HERv8wg

      Excluir
    4. Não li e não conheço ninguém que tenha lido isso aí, acho que nem a mãe dele leu isso.

      Excluir
    5. E tem 276 páginas. Deve ser 276 páginas de distorção histórica rsrs.

      Excluir
    6. Qualquer um consegue encher linguiça, ainda mais quando tudo o que sabe fazer é apertar control c + control v de sites católicos americanos, que é a [única] especialidade desse rapaz.

      Excluir
  12. O que você acha da Astronomia? Vc já teve alguma vontade de estudar Astronomia? Ou então comprar algum telescópio para fazer observações?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Embora eu seja apaixonado pelo Universo (talvez por isso goste tanto de filmes de ficção científica) o meu conhecimento em astronomia é nulo, e se eu fosse estudar astronomia iria investir muito tempo que seria tirado da teologia/história, então prefiro deixar com quem entende.

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta. Além disso, você tem o costume de usar enciclopédias nos seus estudos? Agradeço a atenção e fico no aguardo.

      Excluir
    3. Quando necessário eu uso a Concordância de Strong (para o significado de termos hebraicos e gregos), um Interlinear que tenho em pdf e Comentários Bíblicos, como esses disponíveis online:

      https://www.studylight.org/commentaries/

      http://biblehub.com/

      Excluir
    4. Mas você não tem interesse pelo menos de aprender o básico de Astronomia? Sem se aprofundar.

      Excluir
    5. Amigo do Banzolão26 de junho de 2018 00:00

      Banzolão, o que é o Horizonte de Eventos de um buraco negro?

      Excluir
    6. "Interesse tenho." (Lucas Banzoli)

      Então vou passar alguns links de livros de Astronomia que eu tenho em PDF. Espero que goste.

      Astronomia Para Leigos:

      https://drive.google.com/file/d/0B3Di-Q6NUkRmUTdqVkdHZzRqQW8/view?usp=sharing

      Rodolpho Caniato - Redescobrindo a Astronomia:

      https://drive.google.com/file/d/1WvRbMzotdBt7nh3S0yjdehLYS7f3zefI/view?usp=sharing

      Astronomia e Astrofísica - INPE:

      https://drive.google.com/file/d/10ZLZukSNi_Ne_JroNtURhDqqux2lNNRs/view?usp=sharing

      Astronomia e Astrofísica UFRGS:

      https://drive.google.com/file/d/1Cu19J4eZbLZjqVUjuNFPI81ewHqzurYj/view?usp=sharing

      Ronaldo Rogério de Freitas Mourão - Dicionário Enciclopédico de Astronomia e Astronáutica:

      https://drive.google.com/file/d/1tKCRdltfqDI2_Qr9XdwkPIf6ILX4P-in/view?usp=sharing

      Halley, O Peregrino do Espaço:

      https://drive.google.com/file/d/1pFLd793hE9Vf2nO1RXaHzkgHz6_eWAJK/view?usp=sharing

      Agora essas enciclopédias abaixo são incríveis!!! Avalie de forma breve que você poderá constatar isso.

      Martin Rees - Enciclopédia Ilustrada do Universo - O Fascínio do Cosmos 1:

      https://drive.google.com/file/d/1xi5WRNiemoBjxSSmbcJLshveIKBYVa7U/view?usp=sharing

      Martin Rees - Enciclopédia Ilustrada do Universo - O Sistema Solar Vol. 2:

      https://drive.google.com/file/d/1i8KEvm0JbVeKPflK41AYlT8Jwyszeufq/view?usp=sharing

      Martin Rees - Enciclopédia Ilustrada do Universo - O Reino das Galáxias Volume 3

      https://drive.google.com/file/d/1tXLLT3bbET0AabphTlwf0h-VMOb10gdW/view?usp=sharing

      Martin Rees - Enciclopédia Ilustrada do Universo - As Constelações Volume 4:

      https://drive.google.com/file/d/19SawRKkVjEpatm7R9zDeO6uIt5j_xW5u/view?usp=sharing

      Martin Rees - Enciclopédia Ilustrada do Universo - Cartas do Céu Volume 5:

      https://drive.google.com/file/d/1fEzPSMC9Vig16wcZPl7Con8aBO9qnlWg/view?usp=sharing


      ///Anônimo da Astronomia///









      Excluir
    7. Amigo do Banzolão26 de junho de 2018 23:11

      "Não faço ideia"

      É o lugar ao redor do buraco negro onde a gravidade é tão forte, que nem mesmo a luz consegue se livrar. Até a luz é sugada.

      Incrível. Eu sou fascinado pela astronomia.

      Excluir
    8. Amigo do Banzolão26 de junho de 2018 23:16

      Muito obrigado, caro anônimo, por compartilhar esses livros sobre astronomia. Vou pagar um almoço pra você também. Vamos almoçar, eu, você e o Banzolão kkkk.

      Excluir
    9. "É o lugar ao redor do buraco negro onde a gravidade é tão forte, que nem mesmo a luz consegue se livrar. Até a luz é sugada"

      ^^

      Excluir
    10. De nada, Amigo do Banzolão.

      Qualquer coisa é só avisar.

      Depois postarei mais livros sobre Astronomia e de outras disciplinas também. Sendo assim, continue atento em relação à caixa de comentários.

      ///Anônimo da Astronomia///

      Excluir
    11. Amigo do Banzolão27 de junho de 2018 18:31

      Anônimo da Astronomia, onde você conseguiu esses livros excelentes? A digitalização é perfeita.

      Excluir
    12. Amigo do Banzolão27 de junho de 2018 18:41

      E você Banzoli, o que achou desses livros?

      Excluir
    13. Lucas na sua opinião, será que algum dia o ser humano conseguirá visitar outra galáxia? Será possível um dia viajarmos a velocidade da luz?

      Excluir
    14. Na Web.

      Não posso revelar de forma específica a minha mina de ouro. hehehe... ;D

      ///Anônimo da Astronomia///

      Excluir
    15. Amigo do Banzolão28 de junho de 2018 12:53

      "Não posso revelar de forma específica a minha mina de ouro"

      :(

      Excluir
    16. "E você Banzoli, o que achou desses livros?"

      Não dá pra ler no momento, talvez um dia.

      "Lucas na sua opinião, será que algum dia o ser humano conseguirá visitar outra galáxia? Será possível um dia viajarmos a velocidade da luz?"

      Sim, mas isso durante o estado eterno, não agora. Meu entendimento sobre a eternidade é bem diferente da monotonia da visão tradicional sobre o céu, e eu diria que bem mais próxima da ficção científica de muitos filmes (só que muito melhor, é claro).

      Excluir
  13. Isso é apenas a ponta do iceberg. Os católicos também usam a passagem da mulher do fluxo de sangue na tentativa de provar essa bizarrice.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, essa nem eu vi. A coisa deve estar feia mesmo.

      Excluir
    2. Os católicos, contrariando isais 42:8, usam essas passagens que afirma (na interpretação deles) que Deus divide sua glória.

      “Eu lhes dei a glória que me deste” (Jo 17,22)

      –“Deus concede graça e glória“ (Salmo 84,11) ou (Salmo 83,12);

      –“O que… Deus preparou para nossa glória“ (Cor 2,7);

      –“Os que chamou, também os justificou, e os que justificou, também os glorificou“ (Rm 8,30);

      – “Vi outro Anjo descendo do céu, tinha um grande poder e a terra ficou iluminada com a sua glória” (Apc 18,1);

      –“Glória, honra e paz para todo aquele que pratica o bem.” (Rm 2,10)

      Excluir
    3. Todas essas passagens se referem à glória que Deus nos revistirá depois da ressurreição, para desfrutar da vida eterna, e não a algo presente no sentido católico do termo. A glória que é devida a Deus ele não divide com ninguém, só Deus tem a capacidade de realizar milagres; o culto e à adoração que devem ser dados somente a ele, mas quando ressuscitarmos seremos glorificados (ou seja, viveremos para sempre em um corpo glorioso ressurreto), em um sentido totalmente diferente daquele que os católicos usam para a adoração aos "santos" e a Maria.

      Excluir
  14. Lucas, vc tem o cabelo comprido porque é um nazireu moderno? rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, inclusive fui amaldiçoado uma vez por ter comido mel da carcaça de um leão que matei com as próprias mãos (é bom não mexer comigo).

      Excluir
  15. Amigo do Banzolão26 de junho de 2018 23:59

    "Sim, inclusive fui amaldiçoado uma vez por ter comido mel da carcaça de um leão que matei com as próprias mãos (é bom não mexer comigo)"

    Eu não sabia que o Banzolão é perigoso desse jeito. Tô com medo já kk.

    ResponderExcluir
  16. Lucas, passei anos da minha vida acreditando que a Igreja a católica era a verdadeira Igreja de Cristo, por isso abri mão da minha opinião pessoal e decidi aceitar tudo o que a igreja dizia. Me disseram que quem não gostava da Igrega católica era porque não a conhecia, então me propus a conhece-lá. Tive minha fase de zumbi tridentina, onde achava que a idade média tinha sido a melhor época da história, onde não recomendava a leitura da Bíblia, porque podia desvirtuar do pensamento da igreja e até mesmo negar a Inquisição ( o que depois evoluiu pra achar que ela deveria voltar). Sempre fui uma pessoa muito questionadora,e por isso essa fase não demorou muito pra mim, cada dia mais ia vendo ose problemas e contradições da
    "Santa" igreja, além dos rachas que existem, mesmo que eles queiram esconder pra quem tá de fora; isso tudo foi tirando a minha paz, a ponto de achar que eu ia enlouquecer. Com a leitura de alguns sites ortodoxos e posteriormente de seus textos fui tirando a escama dos meus olhos.
    Não me considero protestante, porque com anos de catolicismo admitimo que ainda possuo um certo receio, o que creio é que Deus reconheceu a minha vontade de amá-lo verdadeiramente e por isso me mostrou a verdade sobre a Igreja católica, posso afirmar sem sombra de dúvidas que só é possível ser católico mediante desconhecimento sobre a história dessa igreja ou canalhice, que beira a loucura( o que é bastante nítido nos apologistas catolicos). Perdoe-me pelo longo texto, mas precisava desabafar.Deus te abençoe e continue na luta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por compartilhar seu testemunho, quem dera se mais militantes católicos pensassem criticamente como você faz, não à toa a Igreja Romana sempre se posicionou contra a liberdade de consciência. Infelizmente a resistência em se pensar criticamente é o que cria a triste e dura realidade de muitos que ainda estão presos e cegos no romanismo, especialmente esses do meio apologético. Não se preocupe com essa questão de "se tornar protestante", o que importa acima de tudo é ter Jesus como Senhor e salvador único e suficiente e viver intensamente por Ele e para Ele, e se algum dia Deus te orientar assim, que assim seja. Que Deus lhe abençoe e esteja sempre à vontade para expor seus comentários ou tirar suas dúvidas aqui.

      Excluir

Deixe o seu comentário. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas sobre qualquer assunto são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas comentários desrespeitosos não serão publicados. Confrontamentos e discussões são aceitos, desde que saia do anonimato.