20 de janeiro de 2018

14 A parábola do rico e Lázaro prova a imortalidade da alma? [VÍDEO]


Eu já tenho alguns estudos sobre a parábola do rico e Lázaro, principalmente este aqui, mas decidi elaborar também um vídeo sobre o assunto, respondendo objetivamente aos argumentos imortalistas rotineiramente utilizados em torno dessa parábola. O vídeo é provavelmente mais longo do que a maioria aqui estará disposta a assistir, o que deve significar que eu preciso melhorar minha capacidade de síntese, mas de todo modo é uma boa introdução a quem tem interesse em estudar o assunto.


Se você estiver muito sem tempo para assistir o vídeo todo e quiser apenas um resumo bem resumido, confira os slides abaixo (que são parte do vídeo).



Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,


- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.

ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post :)

14 comentários:

  1. vc poderia fazer um artigo respondendo essas perguntas

    https://frontcatolico.blogspot.com.br/2018/01/voce-tem-amigos-evangelicos-veja-se.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em primeiro lugar essas perguntas não são desse site, esse site apenas plagiou do "Programa Falando de Fé", do meu amigo Evaldo Gomes, com quem debatia no Orkut há muitos anos atrás, época em que ele escreveu essas perguntas. Como lhe é habitual, essas perguntas não foram feitas para serem respondidas, foram escritas justamente no propósito de permanecerem "irrespondíveis", obviamente não pela qualidade das perguntas mas sim pela sua enorme extensão (além de serem 95 perguntas, cada pergunta vem com uma pancada de outras perguntas junto, ou seja, no único propósito de torná-las tão numerosas que ninguém perderá tanto tempo debatendo cada uma delas). Alguém que quisesse responder apropriadamente a cada uma dessas questões teria praticamente que escrever um livro, e é claro que não vale a pena desperdiçar tanto tempo e energia para rebater argumentuzinhos que vemos por aí todos os dias e que já foram refutados milhares de vezes em centenas de artigos sobre cada um dos temas que toca. Por isso na época eu respondi com um artigo, não que caísse na armadilha dele de dar resposta uma por uma e não terminar nunca, mas sim um que destrói o cerne de todas as questões dele:

      http://apologiacrista.com/a-igreja-catolica-e-a-igreja-fundada-por-cristo

      Mande o artigo pra ele, ele não deu mais nenhuma resposta e ficou nisso. Agora, se você quiser uma resposta ponto a ponto, é só consultar os artigos divididos por temas na página abaixo, não há nenhuma dessas perguntas que já não tenha sido abordada extensivamente em artigos próprios e elaborados sobre cada tema:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-catolicismo.html

      Assim cada um pode consultar as respostas às questões que mais lhes sejam de interesse, pois se eu for escrever um artigo único como ele quer rebatendo cada uma das trocentas perguntas que faz, meu texto iria ficar tão gigantesco que absolutamente ninguém iria ler.

      Excluir
  2. Anônimo do Avalie21 de janeiro de 2018 14:25

    A Bíblia fala que a cobra é o capeta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A cobra em si é um animal como qualquer outro ser criado por Deus, mas em relação especificamente à cobra do Jardim que foi usada por Satanás para tentar Eva há uma afirmação a esse respeito em Ap 12:9 e em Ap 20:2, que dizem que o diabo é "a antiga serpente" (pois falou por meio dela).

      Excluir
    2. Anônimo do Avalie21 de janeiro de 2018 22:40

      Entendi.

      Excluir
    3. Anônimo do Avalie21 de janeiro de 2018 22:44

      Avalie: https://youtu.be/Bvpw-VQKsSg

      Excluir
    4. Anônimo do Avalie22 de janeiro de 2018 21:14

      Avalie o vídeo desse calvinista japonês: https://youtu.be/zpMJk4hfbLg

      Excluir
    5. Não concordo com os argumentos dele e nem vejo coerência. Partindo pela linha que ele analisa o segundo texto, o primeiro também teria que ser uma imposição universal e atemporal pelo verso 7 (que fala da imagem de Deus), pelos versos 8 e 9 (que falam da proveniência do homem e da mulher, exatamente igual no texto que "proíbe" a pregação de mulheres) e pelo verso 10 (que fala dos anjos). Ou seja, se ele fosse lógico ou coerente, teria que obrigar o véu na igreja dele sim. O que ele argumenta em favor da atemporalidade da proibição ao ministério feminino é exatamente aquilo que serve (e que de fato é usado) para exigir o véu em outros ministérios.

      Excluir
  3. Lucas como harmonizar tantas divergências teológicas com as palavras do Senhor Jesus que disse que o Espírito Santo ia guiar a igreja a toda verdade e não meias verdades?será que o Espírito iria falar verdades primárias só e esquecendo das secundárias que também são importantes como por exemplo arminianismo x calvinismo,mortalidade x imortalidade e etc, ou Jesus estava se referindo que ele iria guiar a igreja só falando as verdades doutrinárias só concernente a salvação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Divergências doutrinárias sempre ocorreram ao longo da história da Igreja e em qualquer ambiente religioso de qualquer círculo religioso. Até a Igreja Romana tem inúmeras brigas e divisões internas, e as protestantes não ficam por menos. Esperar que chegue um dia em que todos os cristãos do planeta inteiro crerão exatamente da mesma forma em todas as doutrinas até nos mínimos detalhes é ilusório, é o mesmo que pensar que Deus um dia nos transformará em robôs que não são capazes de questionar ou duvidar de nada. Não há nenhum ramo do conhecimento humano que não tenha pensamentos divergentes, e com a teologia não é e nem será diferente até descobrirmos toda a verdade plena na eternidade (e então não haverá razões para debates do tipo, porque a verdade já estará revelada). O que é preciso para os cristãos genuínos é estarem unidos nas doutrinas fundamentais como você disse, embora eu pessoalmente creia que até a volta de Jesus Deus irá purificar a Igreja em muitas dessas questões ditas secundárias, mas não em tudo, o que seria impossível, e também não necessariamente nas denominações ou instituições religiosas em si, mas em cada cristão regenerado.

      Excluir
  4. Olá. Estava lendo Gênesis 21 a partir do versículo 9 e não entendi muito bem essa passagem. O filho de Agar (escrava de Abraão) estava zombando de Isaque e depois dela junto com o filho terem sido expulsos por Abraão Deus falou que o filho da escrava daria muitos descendentes? Poderia me explicar essa passagem, por favor? Não entendi muito bem...E também achei meio maldoso expulsar o filho de Abraão só porque ele tinha nascido de uma escrava...Ainda bem que Deus cuidou deles no deserto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, eu não sei se compreendi exatamente a dúvida, mas a parte que fala dos muitos descendentes se refere ao filho de Hagar, Ismael, de quem provém os árabes atuais. Era uma forma de dizer que Deus não desprezava Hagar e seu filho, embora eles tivessem sido desprezados por Sara (ainda que Sara tivesse feito isso como retaliação pela provocação que Isaque sofreu). Quanto à expulsão, ela não foi simplesmente por ser filho de uma escrava, mas sim por causa da zombaria que Isaque estava sofrendo de Ismael (veja o verso 9). Eu concordo que essa era uma atitude bem radical de Sara nesse contexto (ainda que os aspectos culturais da época possam falar mais alto para eles do que nosso julgamento racional dos dias de hoje), mas o verso 11 diz que o próprio Abraão se perturbou com a ideia, e só permitiu isso porque Deus deu o aval, pois tinha um outro propósito para com Hagar e Ismael.

      Excluir
  5. Sou adventista e acho interessante sua visão bem próxima a nossa, dentro dos aspectos que eu pude ler nos artigos...

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas sobre qualquer assunto são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas comentários desrespeitosos não serão publicados. Debates e discussões são aceitos, desde que saia do anonimato.