20 de abril de 2018

127 Trump repete na Síria o erro de Bush no Iraque


Todos sabem a minha admiração pelos Estados Unidos da América como nação, principalmente pela sua história vitoriosa, sua ética historicamente protestante e seu pioneirismo na democracia. Para início de conversa, devemos aos EUA o fato dos nazistas não terem prevalecido na Segunda Guerra Mundial e dominado o mundo, e dos soviéticos não terem prevalecido na Guerra Fria e estendido seu regime comunista ao restante do planeta. Só essas duas coisas já seriam mais que o suficiente para mostrar a demência de “anti-estadunidenses” fanáticos (em sua esmagadora maioria, comunistas alienados ideologicamente para odiar tudo aquilo que tem a ver com capitalismo e Cristianismo).

Mas isso nem de longe significa apoiar cada medida adotada por cada presidente americano ao longo da história – nem na consciência dos próprios americanos. Lembro-me de ter assistido a quase todas as prévias do Partido Republicano nas últimas eleições presidenciais, em geral com nove candidatos debatendo entre si (incluindo Ted Cruz e Marco Rubio, meus preferidos), e era praticamente um consenso entre eles que a invasão do Iraque por George W. Bush foi um completo fracasso – exceto na opinião de Jeb Bush, que sustentava que a culpa era de Obama por ter retirado as tropas, e não do seu irmão por tê-las colocado ali.

De todo modo, o fato é que valorizar a cultura ou história de um país não significa apoiar cada ação de cada presidente específico, especialmente quando causam danos desastrosos. Até os próprios americanos reconhecem isso, inclusive quando os erros vêm de um político do mesmo partido. Hoje, quase não há mais debates sobre se a invasão ao Iraque foi um erro estratégico. Essa resposta já está claríssima – sejam nos milhares de soldados americanos mortos, ou nas centenas de milhares de civis iraquianos que também perderam a vida, ou no enorme custo aos cofres do governo para financiar essa guerra quando poderia investir em áreas muito mais pertinentes, e que talvez aliviasse a crise econômica do segundo mandato de Bush.

Mas tudo isso se torna muito mais vívido quando se conversa com alguém que vivenciou os acontecimentos. Há muitos anos (não posso precisar, mas talvez por volta de 2011 ou 2012) sou amigo de um iraquiano, nascido no Iraque e lá residente até hoje, que ainda era criança na época da guerra. Nos conhecemos jogando Age of Empires 3 online e desde então nos falamos quase todos os dias. Ele conta em primeira-mão como era a situação do Iraque antes e depois da guerra: de um dos países mais desenvolvidos do Oriente Médio para uma nação, literalmente, em ruínas.

Essas são algumas fotos do “antes e depois”:





É verdade que antes da invasão americana quem governava o Iraque com mão de ferro era Saddam Hussein, um ditador responsável por milhares de mortes e perseguições políticas – o que, aliás, forneceu um belo pretexto para a invasão (não entrarei aqui na questão do petróleo, que levantaria uma outra discussão). O fato é que, de um modo simplista e bobo, os EUA tentou resolver as coisas afastando e executando Hussein. Resultado: além da destruição, do caos e das milhares de vidas perdidas nos dois lados, quem ganhou espaço na região ocupando a lacuna deixada pelo ditador foi ninguém menos que o ISIS (Estado Islâmico), cujas atrocidades dispensam qualquer comentário e cuja monstruosidade é incomparável a qualquer outra coisa do mundo moderno.

Esse é o resultado de se forçar a democracia em um país que não tem por cultura ou tradição regimes democráticos, e que estão acostumados com um ditador que coloque “ordem na casa” do pior jeito possível. Em tradições que só valorizam “quem fala mais alto”, quando você tira o ditador do poder só consegue piorar as coisas – um outro ditador ainda mais sanguinário vai tomar o poder pelos meios mais violentos possíveis, como ocorreu no Iraque. Pode parecer incrível, mas a única coisa pior que uma não-democracia é uma democracia forçada, sem apoio popular. Foi o que aconteceu no Iraque, cuja tentativa americana de democratizar o país fracassou miseravelmente.

O novo governante colocado pelos EUA no lugar de Hussein não tinha o respeito da população local – era visto apenas como um “fantoche dos americanos”. Consequentemente, muitos decidiram se aliar a quem entendiam ser “sangue puro” – daí se entende por que o ISIS cresceu tanto, tão pouco tempo após a invasão americana. Resultado: ao tirar Saddam Hussein de seu “trono” no Iraque, os EUA causaram o empobrecimento da nação e milhares de mortes como efeito imediato, e fez surgir o ISIS como efeito colateral. Um desastre total, que aumentou significativamente as mazelas do povo iraquiano.

Talvez por isso, na primeira vez que eu perguntei ao meu amigo iraquiano o que ele achava de Saddam Hussein, ele respondeu que no início achava um homem mau, mas que hoje “sente falta” dele. Na prática, tirar o ditador apenas agravou a ditadura, em vez de curá-la. A diferença é que essa ditadura passou a ser implementada por outros, ainda mais radicais e sem respeito à vida humana.

O Iraque de Saddam Hussein era uma ditadura cruel, mas não sofria com terrorismo, não passava por guerras civis intermináveis, não existia Al-Qaeda, Estado Islâmico e o caramba a quatro. As condições básicas de vida também eram bem mais respeitáveis. Osama bin Laden, fundador e líder da Al-Qaeda, odiava Hussein e o chamava de “demônio”, mas não ousava entrar em confronto com ele porque sabia que iria se dar mal. Saddam contava com o apoio da grande maioria do seu povo e isso não significava pouca coisa. Todos tinham medo dele – até o Bin Laden. Mas quando os americanos invadiram o país em 2003 e obrigaram Hussein a se esconder no subterrâneo, a Al-Qaeda aproveitou a oportunidade para “sair do armário”, se aproveitando da desordem causada pelo governo estadunidense. Mais tarde, o ISIS fez o mesmo, e hoje o Iraque é “terra de ninguém”.

Isso tudo que você acabou de ouvir sobre o Iraque é na verdade apenas uma introdução para um tema bem mais atual, que não sai dos noticiários do mundo inteiro: Síria. Longe de querer entrar na polêmica “teológica” da questão, que parece ser o interesse maior de muitos e que o Yago Martins já explicou apropriadamente neste vídeo, a ênfase aqui recai na questão política novamente. Como ela é muito mais confusa e envolve diversos elementos que vão além da questão iraquiana, eu recomendo este resumo didático e de fácil assimilação elaborado pelo Castanhari há um ano atrás, antes de prosseguirmos a discussão:


Se você não tem paciência de assistir o vídeo todo, pelo menos vá ao minuto 6:48 para compreender um pouco da complexidade das alianças.


Os EUA, já desde Obama, se aliou aos rebeldes contra o ditador Bashar al-Assad, juntamente com a Arábia Saudita, sua aliada política. Mas os EUA, assim como Assad, são contra o ISIS, que tem ligações com a Arábia Saudita, aliada dos EUA. E ao mesmo tempo em que Assad combate o ISIS em seu território (e até agora com sucesso), ele também é combatido pelos rebeldes, que por sua vez também estão em hostilidade com o ISIS e até mesmo entre si. E para aumentar ainda mais a confusão, tem a Rússia entrando no lado de Assad, o que retoma uma velha rivalidade EUA-Rússia que, para alguns, pode descambar em uma terceira guerra mundial (o que eu ainda considero improvável no momento).

Nessa guerra de “todos contra todos” onde quem mais tem a perder é o povo sírio, ninguém está isento de sangue inocente derramado. Assad é um ditador linha-dura à la Saddam Hussein, o ISIS é muito pior, e até os rebeldes apoiados pelos EUA não são nada inocentes como alguns pensam. Na verdade, tratam-se de grupos muçulmanos extremistas que são qualquer coisa menos “manifestantes pacíficos”, e que se utilizam dos mesmos métodos empregados por facções terroristas islâmicas – inclusive contra os cristãos. Ou seja, temos aqui uma guerra civil que envolve Assad vs ISIS vs rebeldes (todos contra todos, e alguns grupos rebeldes contra outros rebeldes), onde nenhum dos lados é o “mocinho” da história. Fora do cinema, só existem vilões.

A grande questão é que essa guerra poderia ter tomado dimensões bem menores se não fosse pela intromissão internacional de ambos os lados – tanto dos EUA e seus aliados, como da Rússia e seus aliados. Todos eles, com seus soldados, mísseis e principalmente com um generoso e maciço financiamento econômico ao grupo que defendem, só ajudam a perpetuar uma guerra que poderia talvez já ter acabado, mas que tomou proporções absurdamente maiores a partir do momento em que deixou de ser apenas mais uma guerra civil dentre tantas outras, para se tornar uma guerra de nível internacional.

Com tanto financiamento externo de todos os lados, todas as facções nessa história tem muito mais recursos para continuar lutando: é literalmente munição que não acaba mais. É em grande parte graças a essa política de financiamento duplo que a guerra já matou impressionantes 511 mil pessoas em sete anos, entre as quais mais de 100 mil civis e quase 20 mil crianças (o número só não é maior por causa da imensa quantidade de refugiados). Através desse jogo (ou seria teatro?) internacional envolvendo EUA e Rússia, uma guerra que estaria quase certamente findada a essa altura parece mais longe do que nunca de um fim, armando cada vez mais os dois lados para que o confronto não termine nunca – ou não termine até que cumpra os interesses de sabe-se lá quem.

Recentemente saiu o mais novo capítulo desse enredo: mísseis lançados pela coalizão EUA/França/Inglaterra contra Assad, por este ter supostamente feito uso de armas químicas (que matam civis em massa). Ironicamente, esse ataque estratégico provocado para enfraquecer o poderio militar de Assad aconteceu pouco antes dele bombardear o último reduto do Estado Islâmico em Damasco (fonte). Também foi uma violação à Carta das Nações Unidas, que determina que ataques desse tipo só podem ser realizados com a aprovação do Conselho de Segurança da ONU, e o pior de tudo é que não há provas concretas, definitivas ou cabais que mostrem que o uso de armas químicas veio mesmo de Assad, que sequer precisava disso neste momento.

Sobre isso, o canal “Tradutores de Direita” legendou um vídeo de Paul Joseph Watson, publicado no canal do Nando Moura, a partir do minuto 10 do vídeo abaixo:


Há uma ironia nisso tudo, e essa ironia não é apenas que Nando Moura tenha apoiado com entusiasmo quando Trump fez a mesma coisa no ano passado (fonte), e sim que o próprio Trump, que se posicionou contra a guerra do Iraque na época dos acontecimentos, também se posicionava contra a intromissão americana na guerra da Síria na época do Obama, mas mudou radicalmente de posição a partir de quando assumiu o poder:


“Não ataque a Síria”, dizia Trump a Obama quando este era o presidente, e então ataca a Síria, logo após assumir a presidência no lugar dele. E isso, repito, quando Assad estava prestes a ter o controle da Síria e, talvez, colocar um fim a essa longa e catastrófica guerra. Isso nem de longe é uma defesa a um ditador sanguinário e assassino como Assad, mas a perpetuação da guerra em si é uma catástrofe muito maior do que qualquer ditadura anterior. O ideal que todos sonhamos é que um dia a Síria se torne um país democrático e livre de qualquer opressão, mas enquanto isso está longe de ser concretizado deveria se priorizar o mais importante no momento, que é pôr um ponto final na guerra para depois se pensar nos próximos passos.

O próprio pretexto utilizado para atacar o governante de um outro país, se levado a sério, deveria levar irremediavelmente ao ataque a todas as outras ditaduras do planeta, principalmente a pior ditadura de todos os tempos – a Coreia do Norte, onde os presos políticos são sujeitos à tortura e a tratamentos desumanos[1], além de execuções públicas[2] (inclusive de crianças) e infanticídio por meio de aborto forçado ou assassinato de bebês depois do nascimento[3]. São muitos os que morrem em decorrência das torturas, da fome ou de doenças[4]. Estima-se que haja 200 mil prisioneiros em campos de concentração[5], sendo 50 mil deles em Hoeryong[6]. A existência destes campos só foi reconhecida recentemente pelas autoridades norte-coreanas[7].

Um relatório de 400 páginas da ONU com duzentos testemunhos de prisioneiros fugitivos e ex-guardas norte-coreanos[8] registrou, entre outras coisas, crianças lutando sobre quem poderia comer um grão de milho obtido a partir de esterco de vaca[9], guardas cortando o dedo de um homem[10], forçando presos a comerem sapos[11], obrigando uma mãe a matar seu próprio bebê em uma vasilha com água[12], crianças dadas como “prêmio” para cães[13], crianças sendo enterradas vivas[14], pessoas obrigadas a delatar seus familiares em troca de uma ração completa de arroz para encher o estômago e depois vê-los sendo enforcados publicamente[15], e centenas de milhares de prisioneiros sobrevivendo apenas com uma ração diária de 400 gramas de mingau de milho, tendo que comer ratos vivos para não morrer de fome[16].

O país é governado por uma família de maníacos há gerações, não há acesso à internet e toda a televisão é estatal, fazendo lavagem cerebral constante e propaganda incessante do regime comunista em vigor. Um relato de um viajante brasileiro à Coreia do Norte pode ser lido aqui, ou então você pode conferir esses testemunhos de norte-coreanas que conseguiram fugir do lugar mais fechado do mundo, o verdadeiro “inferno na terra”:



Assad pode ser um monstro, mas não é um monstro pior que Kim Jong-un. Mas quando foi que Trump, Macron, Theresa May ou qualquer outro governante que atacou Assad por pretextos morais fez o mesmo com o norte-coreano? Vemos apenas conversas, ameaças e um joguinho de intimidação que mais parece um teatro ou briguinha de quinta série – um chamando o outro de “velho lunático” e o outro de “gordo e baixo” (fonte). Mas, na prática, rigorosamente nada é feito. Nenhum míssil é disparado, nenhum exército é enviado, nenhum esforço real é feito para se acabar com o regime norte-coreano de terror, o que joga uma sombra de dúvida muito grande sobre os verdadeiros interesses em torno da Síria.

Pelo andar da carruagem, Trump está perto de cometer o mesmo erro que tanto condenou em Bush, quando invadiu o Iraque. Esperemos que este não seja o desfecho da história, e que Deus dê dias melhores à Síria.

 Atualização

Descobri recentemente uma entrevista do Assad a um repórter americano que o confrontou com todas as questões polêmicas que cercam o seu regime. Achei importante incluir este vídeo como adendo, pois estamos geralmente acostumados a ouvir apenas a versão ocidental dos fatos, e é sempre necessário estar a par dos dois lados da moeda:


 Compartilhe este artigo nas redes:



Por Cristo e por Seu Reino,


- Siga-me no Facebook para estar por dentro das atualizações!


- Baixe e leia os meus livros clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.




[1] KRISTOF, Nicholas D. Survivors report torture in North Korea labor camps. Disponível em: <http://www.nytimes.com/1996/07/14/world/survivors-report-torture-in-north-korea-labor-camps.html>. Acesso em: 13/03/2017.

[2] Amnesty International. North Korea: torture, death penalty and abductions - information sheet. Disponível em: <http://www.amnesty.org/en/documents/ASA24/003/2009/en/>. Acesso em: 13/03/2017.

[3] HAWK, David. The hidden gulag – Part Five: summary of torture and infanticide information. Disponível em: <http://www.hrnk.org/uploads/pdfs/HRNK_HiddenGulag2_Web_5-18.pdf>. Acesso em: 13/03/2017.

[4] Revista TIME. Running Out of the Darkness. Disponível em: <http://content.time.com/time/magazine/article/0,9171,1186569,00.html>. Acesso em: 13/03/2017.

[5] Amnesty International. North Korea: torture, death penalty and abductions - information sheet. Disponível em: <http://www.amnesty.org/en/documents/ASA24/003/2009/en/>. Acesso em: 13/03/2017.

[6] ibid.

[7] O Globo. Coreia do Norte admite existência de campos de concentração para ‘reformar’ cidadãos. Disponível em: <http://oglobo.globo.com/mundo/coreia-do-norte-admite-existencia-de-campos-de-concentracao-para-reformar-cidadaos-14179373>. Acesso em: 13/03/2017.

[8] United Nations Human Rights. Report of the Commission of Inquiry on Human Rights in the Democratic People's Republic of Korea.Disponível em: <http://www.ohchr.org/EN/HRBodies/HRC/CoIDPRK/Pages/ReportoftheCommissionofInquiryDPRK.aspx>. Acesso em: 13/03/2017.

[9] National Geographic: Inside North Korea, transmitido pelo The History Channel em 2006.

[10] Revista EXAME. Horrores de campos de concentração norte-coreanos expostos. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/mundo/coreanos-sao-expostos-em-comissao-da-onu/>. Acesso em: 13/03/2017.

[11] ibid.

[12] ibid.

[13] Portal Terra. Crianças eram dadas como 'prêmio' para cães na Coreia do Norte. Disponível em: <https://noticias.terra.com.br/mundo/asia/criancas-eram-dadas-como-premio-para-caes-na-coreia-do-norte,4f4243ec72e64410VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html>. Acesso em: 13/03/2017.

[14] ibid.

[15] El País Internacional. Um desertor norte-coreano: “Delatei minha mãe por uma ração de arroz”. Disponível em: <http://brasil.elpais.com/brasil/2014/02/18/internacional/1392732706_750079.html>. Acesso em: 13/03/2017.

[16] ibid.

ATENÇÃO: Sua colaboração é importante! Por isso, se você curtiu o artigo, nos ajude divulgando aos seus amigos e compartilhando em suas redes sociais (basta clicar nos ícones abaixo), e sinta-se à vontade para deixar um comentário no post :)

127 comentários:

  1. Excelente artigo Lucas. O que você sabe sobre o cristianismo na Síria? Pelo que sei eles são minoria ante maioria mulçumana. Se em condições normais já não seria fácil, imagine num ambiente de guerra!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade eles são apenas 5% no país. Metade disso são cristãos ortodoxos, a outra metade é dividida entre católicos e protestantes. Ou seja, a coisa está feia mesmo. O Islamismo radical, principalmente os sunitas (que representam mais de 70% da população), soma mais de 90% e a coisa piorou depois que o ISIS se instalou por lá.

      Excluir
    2. Oremos pois por nossos irmãos que se estão sofrendo.

      Excluir
  2. Lucas, já reparou que todos (ou quase todos) os países de tradição protestante são muito mais resistentes a governos ditatoriais? Desde a consolidação do estado moderno democrático a partir do século XVIII, os países protestantes tendem a serem muito mais democráticos do que os países católicos. Você não vai encontrar na história da democracia inglesa ou americana um ditador como um Francisco franco, um Pinochet, um Salazar, um Fidel Castro ou qualquer outro déspota; já nos países católicos não podemos dizer o mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Esse texto do Lorraine Boettner destaca isso:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/04/as-diferencas-entre-paises-protestantes.html

      Excluir
    2. Craig explica o porquê não é católico:

      https://youtu.be/RfVJR6sf6ao

      Excluir
  3. Vc então é contra a intervenção de países democráticos em ditaduras? Ou há excessões em que um país democrático e com grande poderio militar, como os EUA, podem e DEVEM, por uma obrigação moral, intervir?

    Para vc qual é o limite de intromissão que um cristão deve ter em outra cultura? Como índios que enterram suas crianças deficientes vivas ou tribos africanas que circuncidam meninas nas situações mais precárias que se possa imaginar... devemos intervir de alguma forma? A intervenção deve ser apenas no âmbito da evangelização (não digo "apenas" querendo diminuir o sentido da palavra), ou é válido usar em certos casos algum outro meio (engajamento em ongs de modo pacífico, luta armada)?

    Vc é a favor do porte de armas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha opinião a intervenção militar em outro país deve ser feita em última instância, e não de um modo regular que fira a soberania de um país ou de um governante com apoio popular (ainda que seja um tirano). Se os EUA tivessem que intervir em cada país que tivesse um ditador ou algo do tipo, eles teriam que declarar guerra contra meio mundo, desde o Maduro aqui na Venezuela até o Kim na Coreia do Norte, passando por quase todos os regimes muçulmanos na Ásia e outros tantos na África. Ou seja, seria impossível e completamente impraticável. Um caso concreto em que esse tipo de intervenção poderia (e deveria) ser praticada foi por exemplo no horrível genocídio de Ruanda, em que não apenas os EUA como todas as forças ocidentais ficaram de braços cruzados enquanto quase um milhão de cidadãos foram massacrados a sangue frio em poucos meses. Esta era uma ocasião extremamente propícia para se realizar uma intervenção militar com caráter de urgência, mas não foi feita.

      Em relação ao porte de armas, para a realidade do Brasil eu sou a favor, mas não de uma forma tão desregulada como no sistema americano (pessoas com problemas mentais, psiquiátricos, com ficha criminal ou histórico de violência, e pessoas muito jovens, não deveriam ter armas na minha opinião).

      Excluir
    2. Eu entendo que Jesus estava nos aconselhando a andarmos armados (para defesa, óbvio) em Lc 22:36. Pois até aconselhou a comprarmos uma arma caso não tenhamos!

      Excluir
  4. Anônimo do Avalie20 de abril de 2018 22:53

    "essa ironia não é apenas que Nando Moura tenha apoiado com entusiasmo quando Trump fez a mesma coisa no ano passado"
    Mas nesse outro ataque o Trump estava certo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre fácil mudar de opinião conforme a conveniência.

      Excluir
  5. Eu fico muito triste, por tudo o que acontece na síria, crianças que perdem seus pais, e pais que perdem seus filhos, famílias que ficam arrasadas, as vezes quando eu penso sobre isso me da vontade de chorar.
    infelizmente não temos nenhum poder político para mudar essa situação então só nos resta orar pela Síria, pela Coreia do Norte etc.

    Em épocas que surgem notícias de guerras e terremotos, muitas pessoas dizem que são os sinais do fim dos tempos e que a volta de Jesus está perto, eles quando dizem isso fazem referência a Mateus 24. Mas tipo assim, sempre houve guerras, terremotos, doenças e fome na história da humanidade. Me explique por favor o que isso significa. Como saber se realmente essas profecias falam da nossa época, ou são de alguma época muita distante como daqui há 500 anos ou mais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podemos pressentir que se trata da nossa época porque essas coisas existem em maior quantidade hoje do que no passado. Doenças, fome e guerras existem em maior escala pelo simples fato de que nos dias de hoje a população global é imensamente maior do que em qualquer outra época da humanidade e por isso muito mais gente vai sofrer com esse tipo de coisa, mas até em relação aos terremotos foi provado que ocorrem mais hoje do que no passado (algo que teoricamente não tem influência humana). Sobre isso eu lhe recomendo este artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/03/nos-estamos-no-fim-dos-tempos-parte-1.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/07/resumo-cronologico-do-apocalipse.html

      Excluir
    2. Lucas, com a massificação dos meios de comunicação, o Evangelho vem alcançando cada vez mais pessoas, eu acredito que a volta de Cristo está próxima.

      Excluir
    3. Também acho, mas cabe lembrar que há regiões muito pobres ainda sem acesso à internet, outras que são Estados muito fechados cuja única programação televisiva é estatal (e que não vai nunca admitir uma programação evangelística, pelo menos não enquanto o regime político durar).

      Excluir
  6. Ótimo comentário político, gosto ainda mais por ser minha área. Queremos mais ! Haha.

    Deus lhe abencoe e continue com o ótimo trabalho ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Nataly, Deus lhe abençoe igualmente :)

      Excluir
  7. Lucas,vc acha que uma pessoa traída pode se casar de novo?.Sei que sua resposta pode ser "sim" baseado em Mateus,a questão é que algumas pessoas afirmam que Jesus estava na antiga aliança falando para judeus(a nova aliança só começa com sua morte).Também em I Co 7:15 Paulo fala que a mulher pode se apartar do marido descrente caso ele não queira conviver com ela,mas ela pode se casar de novo?.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No texto que você citou, Paulo diz que "em tais casos, o irmão ou a irmã NÃO FICA DEBAIXO DE SERVIDÃO" (1Co 7:15), ou seja, ela está livre, inclusive para se casar novamente, não está mais atrelada ou vinculada ao seu relacionamento anterior. Então não vejo Paulo contradizendo Jesus, ele cria da mesma forma de que existem exceções que validam o divórcio e novo casamento.

      Excluir
  8. Lucas,o que eu penso sobre este tema é a questão dos limites.A partir do momento em que os direitos humanos são desrespeitados ou sequer observados,que um povo está sendo massacrado dentro de um país,que armas químicas estão sendo usadas contra indefesos,algo deve ser feito.Não acho que a intervenção no Iraque foi um erro,acho que a transição,o planejamento pós guerra é que não foi bem feito.Sei que muitas vezes os EUA e aliados agem com 2 pesos e 2 medidas,como por exemplo a indiferença,por outro lado existem casos onde a pressão internacional é muito grande.Um ataque à Coréia do Norte pode ser uma provocação contra a China,os republicanos são mais ousados,os democratas mais passivos e pusilânimes,acho que um dos problemas são essas mudanças de governo republicano para democrata e vice-versa,por exemplo:Entrou um democrata e retirou as tropas do Iraque,um país em reconstrução,isso foi um erro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade quem mais apoiou esse novo ataque do Trump foram justamente os democratas, e muitos republicanos se posicionaram contra (veja no segundo video do artigo). A visão de que os republicanos são "pró-guerra" e os democratas são "anti-guerra" não se sustenta historicamente; Obama retirou as tropas do Iraque mas as manteve lá por um bom tempo e o próprio Bush já havia assegurado que as retiraria, e quem começou a atacar a Síria foi o Obama (na época em que o Trump condenava os ataques), apoiado fortemente pela Hillary Clinton, que se fosse eleita presidente talvez fosse ainda mais "bélica" do que Trump.

      Excluir
  9. Trump atacou a Síria pelo uso de armas químicas,os EUA como a polícia do mundo acaba se vendo como obrigado a tomar atitudes junto à comunidade internacional,acredito que se a Coréia do Norte tivesse atacado tbm haveria resposta militar.No caso do Iraque tudo começou com a invasão do Kwait.O problema é que a comunidade internacional é muito passiva até se posicionar com embargos,sanções,etc,só quando a coisa está muito feia é que ficam analisando analisando e tudo acaba em guerra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Trump atacou a Síria pelo uso de armas químicas,os EUA como a polícia do mundo acaba se vendo como obrigado a tomar atitudes junto à comunidade internacional,acredito que se a Coréia do Norte tivesse atacado tbm haveria resposta militar"

      Mas não foi provado que o uso de armas químicas veio mesmo de Assad, e o ditador norte-coreano mesmo sem uso de armas químicas comete atrocidades muito maiores contra o seu povo e ninguém faz nada.

      "No caso do Iraque tudo começou com a invasão do Kwait"

      Mas neste artigo eu me refiro à outra guerra (a mais recente, de 2003, que não foi uma "continuação" da outra guerra), embora essa da década de 90 também tenha sido um erro.

      Excluir
  10. Lucas, uma pessoa escreveu um artigo te refutando https://www.maisrelevante.com.br/2017/02/12-razoes-pelas-quais-o-sabado-moral.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já comentei sobre este artigo aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2018/04/o-dia-em-que-o-papa-incentivou-leitura.html?showComment=1522856102724#c3273809812897574889

      Excluir
    2. Se vc pretende fazer um novo artigo sobre o sábado acho que vc deveria citar a patrística,tudo indica que os pais da igreja primitivos deixam claro que os cristão não guardavam o sábado.Isso destruiria os argumentos de EGW e de outros sabatistas de que o sábado foi trocado pelo domingo apenas no séc.IV.

      Excluir
  11. Holanda é um pais protestante ou não? muita gente diz que é mas eu vi que hoje tem mais catolicos que protestantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Holanda é um país historicamente protestante, mas atualmente não é mais de maioria protestante (tem mais ateus e católicos do que protestantes, o que explica o declínio moral do país).

      Excluir
  12. É verdade Lucas que a igreja católica usou hitler e mussolini para criar a primeira e a segunda guerra mundial conforme afirmam certos escritores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho essa informação, gostaria de saber quem são esses escritores e em quais livros eles escreveram isso para eu pesquisar a respeito.

      Excluir
  13. Excelente artigo Lucas, está de parabéns, realmente essa guerra na Síria já causou muitos desastres e mortes de pessoas inocentes. É sempre bom uma vez ou outra comentar sobre a geopolítica global para nós saberemos o que está ocorrendo.

    Em relação a essa guerra, acho que ela vai ficar entre os curdos e o governo sírio, pois nesse últimos tempos, o Assad já reconquistou muitos territórios perdidos e quase aniquilou o Estado Islâmico, já os curdos avançaram muito nos últimos anos.

    Tenho ainda algumas perguntas para te fazer e um vídeo que lhe recomendo.

    1 - Qual a sua opinião sobre o canal "Casando O Verbo", que fala sobre geopolítica?


    2 - Em relação ao 11 de Setembro, vc acha que foi um ataque False Flag apenas para Bush pegar petróleo, ou foi realmente um ataque terrorista?

    3 - Você acha que os Curdos deveriam ter o direito de ter a sua Nação? Eu acho que sim.

    Agora vou te enviar o vídeo falando sobre a guerra na Síria, que vai desde 2011 ate 2018.

    Link do video: https://youtu.be/BnM2bQJitjw

    Graça e Paz a vc e a sua família, e que Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, xará, como vai?

      1) Eu não acompanho esse canal, acho que vi uns dois vídeos dele há muitos anos atrás e achei só mais um olavete bem tendencioso, mas não posso julgar o canal dele como um todo porque não assisto.

      2) Eu realmente não faço ideia. É possível que tenha sido uma armação interna, há vídeos que passam essa impressão, mas por outro lado é bem maluco pensar que Bush iria ordenar a destruição de um dos maiores símbolos americanos e sacrificar a vida de milhares de pessoas apenas para atacar um outro país quando poderia fazer isso por outros pretextos, e quando a própria queda do World Trade Center iria abalar a reputação do governo e qualificá-lo como fraco na questão da segurança. Então: (1) não seria necessário, e (2) seria prejudicial a princípio ao próprio governo. Por isso eu acho difícil defender a lógica do "False Flag", embora eu não descarte em absoluto a possibilidade.

      3) Com certeza sim, inclusive esse meu amigo iraquiano é curdo, mas é considerado iraquiano porque o Curdistão não é considerado um Estado reconhecido (é como a Catalunha, que ainda é parte da Espanha).

      Abs!

      Excluir
    2. Valeu pela resposta.

      Eu ainda tenho algumas perguntas bem variadas agr:

      1 - Como eu posso refutar essa frase de Karl Marx que afirma "Não existe verdade absoluta, tudo o que o homem elege como verdade nada mais é do que uma ideologia criada pela classe dominante para explorar os trabalhadores". se possível me envie links sobre isso.

      2 - Como eu poderia refutar o materialismo histórico/dialético de Marx, ou seja aquela frase "O mundo é movido a economia". se possível envie links.

      3 - Quem vc acha que nos dias de hj é o candidato mais propenso a ser o Anticristo? Muitos estão afirmando que é Emmanuel Macron.

      4 - Vc possui algum console tipo PS4 ou Xbox One, caso tenha o PS4, quais jogos?

      5 - Que jogo é esse chamado Age of Empires? eu ainda n joguei.

      Agora vai uma pergunta BEM alternativa. Por acaso vc vai assitir o filme "Vingadores Guerra Infinita"? Eu vou.

      Excluir
    3. 1) Sobre a inexistência de verdade absoluta, há um capítulo inteiro do livro "Não tenho fé suficiente para ser ateu" que é a mais completa refutação a essa bobagem. Se você ainda não tem o livro, me contacte inbox no facebook ou por e-mail (lucas_banzoli@yahoo.com.br).

      2) Veja aqui:

      http://portalconservador.com/marxismo-refutado/

      https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=254

      3) Macron, Jared Kushner e Al Gore seriam os nomes mais fortes se a tribulação começasse nos próximos anos.

      4) Tenho o velho e bom PS2, apenas... mas só jogo PES 2009 com o meu irmão de vez em quando, então nem uso muito. E comparando aos jogos mais modernos, eu realmente prefiro o PES 2009 pela melhor jogabilidade e tudo mais. Pra mim os Fifas e Pes mais recentes evoluíram nos gráficos mas regrediram no demais.

      5) Eu tenho um canal onde postava alguns dos meus jogos, por exemplo esse aqui:

      https://www.youtube.com/watch?v=w31ZZ71JOwg

      6) Com certeza vou, sou fã de Vingadores e de todos os filmes de super-heróis ;p

      Excluir
  14. Você já leu os livros do bispo Edir Macedo, o estudo do apocalipse? Saõ livros confiáveis? Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não leio livros do Edir Macedo e com certeza não os considero confiáveis dado o que ele prega nos púlpitos. Abs!

      Excluir
  15. Lucas, você acredita ser possível a salvação pelo fato de alguém ser apenas teista?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a pessoa não tem conhecimento do evangelho, pode ser. Como eu escrevi neste artigo:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2015/04/o-destino-dos-povos-nao-alcancados.html

      Excluir
    2. E se o "Evangelho" na qual a pessoa conheceu for falso (testemunha de Jeová, mórmon, etc) como fica?

      Excluir
    3. O evangelho falso é um não-evangelho. Mas pelo menos nesses casos as pessoas tem acesso à Bíblia e podem perceber seus próprios erros e mudar de direção.

      Excluir
  16. o que achas da doutrina da subistuição

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou contra. Ainda pretendo escrever um artigo sobre isso.

      Excluir
    2. Lucas, aproveitando a pergunta do amigo, gostaria de saber a diferença entre doutrina e dogma. Obrigado.

      Excluir
    3. Em geral usa-se o termo "dogma" para se falar de uma doutrina inegociável, um fundamento básico da fé (por exemplo, que Jesus veio em carne, nasceu de uma virgem, morreu pelos nossos pecados e ressuscitou ao terceiro dia, etc). Nem todas as doutrinas são basilares, ou seja, nem todas as doutrinas se negadas vão tornar alguém um "herege" ou "não-cristão", mas quem nega uma doutrina primordial (=dogma) não pode ser considerado legitimamente cristão.

      Excluir
  17. Lucas, podemos pedir perdão a Deus no lugar de outra pessoa ou o pedido é pessoal e intransferível?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é algo que compete à própria pessoa fazer, mas podemos orar para que Deus toque no coração da pessoa a ponto dela sentir necessidade de arrependimento e assim pedir perdão.

      Excluir
  18. Lucas, existe diferenças entre o Conservadorismo protestante e o Conservadorismo católico? Na sua opinião o que difere ambos? Aliás você tem algum artigo sobre o Olavo de Carvalho? Ele certa vez disse que é obrigatório ser conservador e católico e ele disse que não existe conservadorismo protestante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olavo de Carvalho é um louco psicótico que (literalmente) fugiu do hospício e que não serve de referência para nada. Seus ataques histéricos ao protestantismo são apenas fruto de delírios e fanatismo católico, a respeito do qual eu já abordei nestes artigos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/09/o-que-ha-de-errado-com-olavo-de-carvalho.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/09/olavo-de-carvalho-excomunga-o-papa.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/09/os-protestantes-odeiam-virgem-maria.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/09/vinte-sinais-de-que-voce-esta-em.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/04/a-igreja-catolica-contra-o-capitalismo.html

      Excluir
    2. A respeito da questão "Conservadorismo protestante e o Conservadorismo católico": esses católicos tridentinos NÃO são conservadores. São reacionários, o que é bem diferente. Ainda vou escrever sobre isso e desenvolver o tema.

      Excluir
    3. Que Bom, aliás finalmente alguém conservador da direita teve coragem de refutar esse Astrólogo, aliás sou conservador de direita e ele não me representa! Eu era olavete, mas seus artigos me curaram. Aliás sempre discordei da visão dele sobre Protestantismo, Conservadorismo e Monarquia. Olavo não representa a direita!

      Excluir
    4. O professor astrólogo é um prato cheio pra quem é masoquista ou quer perder tempo com lorotas, estórias e falácias.

      Excluir
  19. Lucas, analisa este site, e dê sua opinião:(bancodapracca.blogspot.com.br) Autor deste site é: Arnolph Bblumentritt Arntritt. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aparece mensagem de "blog não encontrado" :(

      Excluir
  20. Lucas vc acha que o Trump,assim como essa nova direita olavete,podem ser considerados fascistas,pelo flerte com o nacionalismo,e até por certa xenofobia contra imigrantes,no caso do Trump contra os mexicanos e latinos em geral,a questão do muro,e pelo populismo?Ou você acha isso um exagero e uma mera calúnia esquerdista contra eles?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fascismo já seria demais, porque ele não defende um Estado grande (inclusive diminuiu bastante os impostos nos EUA). Mas liberal também está longe de ser, não apenas por essas razões que você apontou mas também pelo protecionismo. Mas cabe lembrar que ele não é contra "os imigrantes" em si, mas sim contra os imigrantes ilegais, que de fato causam um dano econômico no país (Bill Clinton enquanto presidente já dizia isso, até de forma mais incisiva que Trump).

      Excluir
  21. Porque na tradição liberal conservadora clássica não há esse apelo ao nacionalismo e a um líder forte que seja o salvador da pátria,pelo contrário,o político não deve ser adorado,ele é um mero funcionário público,tampouco há restrições a imigração

    ResponderExcluir
  22. Lucas. Gostaria que me ajudasse com algumas questões apresentadas por alguns testemunhas de Jeová e unicistas. E sinceramente estou bem angustiado por não entender muito. Eis aí os 7 argumentos e uma dúvida pessoal:

    1- Todas as vezes que a Bíblia fala do Espírito "pensando", "agindo" e etc. São personificações apenas e não prova de uma pessoalidade. Porque se não teríamos que dizer que o pecado é uma pessoa, pois ele "reina", do mesmo jeito da sabedoria em provérbios. As ações do Espírito Santo são meras metonímias.

    2- "Eu e pai somos um" não trata de divindade, pois nos versículos posteriores Jesus fala para os discípulos serem assim como ele é com o pai. (Jo 10. 30 em diante) Seríamos divinos?

    3- Em Apocalipse 3.12, Jesus disse três vezes, Meu Deus! Então seria, Deus de Deus?

    4- Miqueias 5. 2 afirma que o filho tem origens!

    5- O Filho de Deus antes mesmo de “esvaziar” de sua divindade foi visto. Antes mesmo Dele se tornar
    homem e nascer de uma mulher foi visto. Ele comeu com Abrahão (Gênesis 18:1-33), foi visto por Josué (Josué
    5:13-15), foi visto pelos pais de Sansão (Juízes 13:1-23) e foi visto por outros. O Filho de Deus várias vezes se
    apresentou e foi visto no Antigo Testamento. Porém está escrito que Deus nunca foi visto. Aqui podemos ver uma
    grande diferença entre o Pai e o Filho. Entre Deus e o Filho de Deus.

    6. Jesus as vezes se apresenta como Deus, da mesma forma que Moisés (Ex.7:1; 4. 16) Ele era o representante! E não Deus!

    7. Perdoar pecados não faz Jesus Divino, os discípulos também receberam essa missão em Jo 20. 23.

    8. (É uma pergunta minha mesmo) Porque os filhos do profeta se dobraram diante de Eliseu? (2 Rs 2.15) O que ocorreu ali? Adoração?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Jesus disse que o Espírito não falaria DE SI MESMO (Jo 16:13), o que mostra que o Espírito Santo é um ser pessoal sim, não se fala assim de seres impessoais. Além disso o Espírito Santo também TESTEMUNHA (Rm 8:16), o que um ser impessoal não pode fazer. Um ser impessoal também não pode se personificar em uma forma literal e materializada como na pomba (por ocasião do batismo). Nenhuma metonímia da Bíblia trabalha com estes aspectos.

      2) Este texto fala de unidade de pensamento, realmente não está falando sobre divindade.

      3) Em Hebreus 1:8 Deus Pai também chama Jesus de Deus, então isso não prova nada.

      4) "Suas origens estão no passado distante, em tempos antigos". A nota textual da NVI diz que neste texto o hebraico também pode ser traduzido por "desde os dias da ETERNIDADE". Vale lembrar que Jesus é chamado de o "pai da eternidade" (Is 9:6), o que não faria sentido se não fosse eterno.

      5) Nenhum desses textos se referem a Jesus, todos eles são teofanias (Deus aparecendo em forma humana). Deus em sua glória jamais foi visto por ninguém, realmente.

      6) Nenhum desses textos diz que Moisés é Deus, no máximo faz uma analogia com Deus, não uma afirmação:

      "Assim como Deus fala ao profeta, você falará a seu irmão, e ele será o seu porta-voz diante do povo" (Êxodo 4:16)

      "O Senhor lhe respondeu: Dou-lhe a minha autoridade perante o faraó, e seu irmão Arão será seu porta-voz" (Êxodo 7:1)

      Compare com os textos que falam de Jesus, por exemplo:

      "No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus" (João 1:1)

      "Disse-lhe Tomé: 'Senhor meu e Deus meu!'" (João 20:28)

      7) O que os discípulos receberam foi a capacidade de confirmar a um irmão que o seu pecado foi perdoado por Deus ou não, e não de efetivamente perdoar ou reter os pecados de alguém. Sobre isso eu já escrevi aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/08/a-confissao-auricular-e-biblica.html

      8) Naquela época e dentro daquela cultura se ajoelhar perante uma pessoa era apenas um gesto de reverência, e não de adoração como entendemos hoje. Ainda em certas culturas há algo do tipo, por exemplo os japoneses que inclinam a cabeça e se curvam diante de outra pessoa apenas como um gesto simbólico de respeito, não de adoração.

      Excluir
  23. E olhe que ainda não é o último prego no caixão do Preterista. Vai ficar pior!

    Contradições do Preterismo III acaba de sair...

    https://agrandecidade.com/

    Um presente para a família Macabeus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As contradições do preterismo nunca acabam. Quando a gente acha que não tem como superar aquelas trocentas páginas, surge a parte 3 com mais conteúdo ainda :)

      Excluir
  24. Lucas, você concorda com a opinião de alguns que por trás dos ataques a Síria existe a indústria bélica
    sendo favorecida?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A indústria bélica é sempre favorecida em qualquer guerra, mas isso não significa que foi a indústria bélica que criou a guerra ou conspirações do tipo.

      Excluir
  25. Lucas, qual a sua opinião sobre a teologia do processo que parte do pressuposto que o caos, a incerteza e o acaso governam o universo e Deus é tão sujeito a tudo isso quanto nós, simples mortais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho bem herética, na verdade.

      Excluir
    2. Uma piada chamarem isso de "teologia", pois se Deus fosse incapaz de vencer o caos, a incerteza e o acaso, estes demonstrariam falhas em Deus, e Ele automaticamente deixaria de sê-lo. Ou há um Deus todo poderoso, que vence tudo, ou ele não é Deus. Simples. Isso é teoria ateísta entrando na teologia, com certeza.

      Excluir
  26. Oque acha da visão do Mario Persona sobre a besta e o anticristo? https://www.youtube.com/watch?v=GoXz7ChIKOU Isso que é o chamado Preterismo? E falando em besta e anticristo, como eu me confundo com isso! Besta, Anticristo, Falso profeta, etc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não falou nada de preterismo aí, eu só não concordo com o pré-tribulacionismo dele. Sobre besta, anticristo e falso profeta, eu lhe recomendo este artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/06/um-resumo-completo-do-apocalipse.html

      Excluir
  27. Lucas eu tenho uma opinião, não sei se você vai concordar, mas venho pensando que as vertentes do protestantismo que crescem no Brasil não são benéficas para o país, pois ao menos pelo que noto, não vejo os pentecostais e neopentecostais terem uma preocupação com a educação,que para mim é o fator preponderante para um país crescer, os protestantes históricos desde o começo sempre investiram nessa área, por exemplo Lutero traduziu a Bíblia para o alemão e os alemães pobres foram alfabetizados para lerem a Bíblia,e com o passar do tempo passaram a frequentar a universidade, a própria Igreja Protestante criou inumeras por toda a Europa, criou o Erasmus, um programa de intercâmbio,nos EUA ocorreu a mesma coisa, a maior universidade do país, Harvard, foi criada por John Harvard, um pastor Calvinista, e aqui no Brasil há a Ulbra,a Universidade Metodista,o Mackenzie, enquanto que não há nenhuma universidade pentecostal ou neopentecostal, isso me preocupa, por isso tenho minhas desconfiancas que caso esses segmentos do protestantismo continuem crescendo, se isso será mesmo bom para o Brasil, já que segundo uma pesquisa que fiz, estou no celular, não posso mandar o link por aqui, mas você pode dar uma googlada, o maior país evangélico latino americano e a Guatemala, onde já são quase metade da população, estão quase ultrapassando os católicos, mas continuam a ser um dos países mais pobres da América Latina,com os mesmos problemas de antes, corrupção, violência urbana,população mal instruída,apesar de metade da população ser ligada às igrejas pentecostais e neopentecostais e do próprio presidente Jimmy Morales também ser pentecostal

    ResponderExcluir
  28. Aqui um link com uma reportagem sobre a Guatemala:A metade dos habitantes do país já são de evangélicos,e a reportagem é antiga,de 2009,hoje em dia já devem ser até a maioria,e um trecho me chamou a atenção,´´A menudo, según el informe de AIN, las iglesias evangélicas se valen de alimentos, ropa y medicamentos para atraer a nuevos prosélitos. «Parece que lo que atrae a la gente hacia las sectas no es una cuestión de fe, sino económica. Es la promesa de llegar a ser rico enseguida´´.Isso é bem típico das igrejas neopentecostais,ao pregarem a teologia da prosperidade,atraem as pessoas por causa da questão financeira,e até mesmo dando uma cesta básica para a pessoa,ou algum tipo de ajuda,fazendo o que o estado não faz,até por isso essas igrejas crescem muito mais na periferia das grandes cidades,e claro trazem um conforto para a pessoa,que tem a autoestima muito baixa,é negligenciada pelo estado,então ao saber que Jesus a ama,e ao receber atenção do pastor e dos irmãos,faz com que ela se sinta melhor,e muitas vezes até de fato muda de vida em algum aspecto,se recupera de alguma doença,vício,e da condição de criminoso,já que essas igrejas fazem um trabalho forte no presídio,tem o casamento restaurado,mas o que eu não vejo,e o que eu falei na outra postagem,é um investimento em educação em modos gerais,porque vejo muita ignorância nesses ambientes,tanto de conhecimento bíblico,quanto de conhecimentos gerais,para vc ter uma ideia no último culto de jovens que assisti na AD,o pastor pediu para abrirmos a Bíblia no livro de Juízes,que é um livro do Antigo Testamento,um dos primeiros,fácil de achar,e o rapaz que estava sentado ao meu lado,que havia sido criado em um lar evangélico,não conseguia achá-lo,então por conta desses problemas,não vejo um bom futuro para o Brasil ao se tornar um país de maioria pentecostal ou neopentecostal,veria com bons olhos se as vertentes protestantes históricas crescessem,essas sim,criaram boas universidades e possuem grandes intelectuais entre seus membros,até por isso atualmente estou frequentando a Igreja Luterana,não mais a Assembléia de Deus,gostaria de perguntar Lucas,vc se sente bem sendo pentecostal?Não achas as pregações superficiais,de autoajuda?Porque na AD eu notava o pastor ler alguns versículos bíblicos para aplicar na nossa vida atual,dizer coisas do tipo´´meu irmão se vc tá desempregado,sofrendo,doente,se sua esposa,ou seu marido não te quer mais,Deus vai dar vitória,vai restaurar tudo´´,eu creio que Deus faz milagres,mas o problema é que isso cria uma enorme expectativa na pessoa,que pode frustrá-la se aquilo não se cumprir,já que em João 16:33,Jesus disse:´´Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.´´,ou seja diz para termos disposição para lutar e enfrentar os problemas,mas não nega que eles fazem parte da vida,na igreja pentecostal,meu pai mesmo,apesar de ter uma origem católica,está frequentando a AD e infelizmente está desempregado há vários meses,te peço até para orar por ele,mas ele acha que isso era porque ele não vinha buscando a Deus quando era católico,e daí acha que Deus está punindo-o por isso,ou que o Diabo o está impedindo de ser abençoado,ele até usou a base do texto de Daniel 10,quando os príncipes da Pérsia e da Grécia também impediram uma bênção para Daniel

    ResponderExcluir
  29. Lucas desculpa se nos últimos posts me alonguei muito,mas gostaria de saber exatamente qual a sua opinião sobre o pentecostalismo e o neopentecostalismo,e se vc acha que caso essas vertentes do protestantismo continuem a crescer,se isso será benéfico para o Brasil?E qual sua opinião sobre Deus e os momentos de crise?Porque como relatei no post anterior,meu pai acha que como agora é cristão pentecostal tem de ser abençoado,porque segundo ele Deus quer o melhor para seus filhos e está certo,ele cita uns versículos como Mateus 6:33´´ Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.´´,então ele concluiu que se está buscando o reino de Deus e sua justiça,terá de ser abençoado,ele me pediu para ler Deuteronômio 28 também,que são várias benções que serão concedidas aos servos de Deus,mas essas bençãos são válidas para nós da nova aliança,nós que somos cristãos?Ou são apenas para os judeus da antiga aliança?E o que vc pensa em relação aos cristãos que estão há muito desempregados,com problemas financeiros?Achas que há algo de espiritual nisso?Eu não penso que Deus tem a obrigação de prosperar alguém,a pessoa pode trabalhar muito,meu pai tem MBA em administração,sempre foi trabalhador,honesto,nunca teve vícios,foi gerente de vários supermercados,viveu bons momentos ,mas nunca chegou aonde gostaria de chegar e agora não está conseguindo encontrar um emprego,mas eu igualmente não entendo,que se Deus quer de fato o melhor para seus filhos,por que muitas vezes o servo Dele vive com pouco e o ímpio prospera?

    ResponderExcluir
  30. Uma outra questão que me veio a mente agora é em relação a bancada evangélica,qual a sua opinião sobre esta?Eu particularmente até venho pensando em votar no Marco Feliciano para senador de São Paulo,pois quero uma renovação,as outras opções seriam Aloysio Nunes que já está lá há 8 anos e é do PSDB,Suplicy que quer voltar,depois de ter ficado por lá 24 anos,já que o mandato de Senador dura 8 anos e permite reeleição ilimitada,diferente de um mandato executivo.Tenho de ver os outros candidatos,mas prefiro o Feliciano a esses dois,já que ele ao menos seria uma novidade,porém quero esperar começar a campanha e ver as propostas dele,porque até o momento,não vejo nenhuma proposta dele em relação a educação,saúde,cultura,ele só se manifesta para criticar a esquerda,ou reclamar de benefícios para os gays,apenas se resume a questões morais típicas da cristandade,esse é um defeito grave que vejo nele e em outros políticos evangélicos,só pensam em questões relacionadas a igreja e não na sociedade como um todo,concordas comigo nisso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gabriel, vou responder aqui um resumo em relação a todos os seus comentários:

      1) A cultura das igrejas tradicionais é realmente superior às pentecostais, mas quando eu me defino como pentecostal eu me refiro especificamente à questão doutrinária que determina se alguém é isso ou aquilo (porque eu creio na atualidade dos dons, especialmente no dom de línguas), e não a usos e costumes. Essa é aliás uma das razões pelas quais não devemos vangloriar um grupo em detrimento do outro, porque se um é melhor num aspecto, o outro ganha em outro aspecto, ninguém é perfeito.

      2) A teologia da prosperidade é de DNA neopentecostal, que infelizmente muitas igrejas pentecostais tem copiado, por isso o pastor assembleiano Ciro Sanchez tem criticado a "neopentecostalização" da Assembleia de Deus. Mas não é assim em todas as igrejas pentecostais, eu posso dizer que em todas as igrejas pentecostais que já congreguei eram pentecostais moderadas e sóbrias (sem teologia da prosperidade, sem reteté, sem "manto", sem bagunça, sem desordem, sem ênfases materialistas). A única igreja que já congreguei e que era adepta da teologia da prosperidade era uma assumidamente neopentecostal.

      3) O nível baixo de parte significava das igrejas pentecostais e neo se deve ao nível baixo dos países onde elas se instalam. Você não encontra teólogo da prosperidade na Europa porque lá as pessoas são evoluídas intelectualmente e não caem em um engodo desses. Lá as coisas são mais sérias. Mas aqui tem muito lobo em pele de cordeiro com esse tipo de discurso para se aproveitar da ingenuidade e ignorância das pessoas daqui. Não estou dizendo que esse tipo de coisa não deva ser combatida, mas estou dizendo que ela passará naturalmente na medida em que os países latinos forem se desenvolvendo e se tornando como os de primeiro mundo são hoje. Não se derrota a teologia da prosperidade teologicamente porque ninguém que crê nisso crê por causa da Bíblia, na verdade a esmagadora maioria desse meio jamais leu a Bíblia inteira na vida. É um caso que você pode mostrar trocentos versos bíblicos para alguém, que se o cara for lobo, vai continuar ensinando o erro do mesmo jeito, porque ele sabe que está errado e o objetivo dele é lucrar por meio do evangelho e nada mais.

      4) Dt 28 é específico para os israelitas daquela época, e a prova disso é a quantidade tão grande de servos de Deus leais e tementes ao Senhor que passam fome e privações de todo tipo, e o tanto de ímpio que prospera e tem tudo do bem e do melhor. Nesta vida todos somos iguais; a diferenciação entre o justo e o ímpio será feita quando estivermos frente a frente com Deus no dia do juízo, aí sim os justos serão recompensados por suas boas ações e os maus serão castigados pelas suas impiedades.

      5) Entre os nomes que você citou o Feliciano é com certeza o melhor, e eu não vejo sentido em se exigir de um senador uma competência em todos os assuntos como se ele fosse uma espécie de presidente da república, na verdade se um senador apenas não atrapalhar já estará fazendo muito mais e melhor do que a média que está ali. Ser apenas um "anti-esquerda" é extremamente significativo em se tratando de um senador, que está ali justamente para barrar os projetos esquerdistas que visam destruir o nosso país. Seria bom termos políticos competentes em todas as áreas, mas fazer o que, é o que temos pra hoje (melhor que o Suplicy).

      Excluir
  31. Lucas, se o Sol só foi criado no 4° dia, a terra girava em volta de que? E qual será que foi o propósito de Deus ao criar os outros planetas que giram com a gente em volta do Sol?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Lucas, se o Sol só foi criado no 4° dia, a terra girava em volta de que?"

      Ou não girava ainda, ou girava sem ser em torno do sol. Vale ressaltar que no modelo heliocêntrico o sol não está estático parado no meio do universo, mas em movimento assim como a terra e os outros planetas.

      "E qual será que foi o propósito de Deus ao criar os outros planetas que giram com a gente em volta do Sol?"

      Isso é igual perguntar a um pintor: por que você desenhou tal coisa em vez de tal coisa? Não faz sentido, porque depende da individualidade do pintor, se Deus quis criar assim ele certamente pensou que o universo seria mais belo assim do que de outra maneira.

      Excluir
  32. Lucas, você acredita que o universo possui uma estrutura mecânica que possa ser conhecida pela mente humana?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, Lucas. Mas, "espiritualmente" (ou moralmente), você acredita na existência de uma "legislação" moral na qual podemos conhecer e usufruir a nosso favor? No meu entendimento os primeiros capítulos de Provérbios parece afirmar que sim.

      Excluir
    2. Eu não entendi direito a questão, poderia reformular por favor? Se você quis dizer que existem princípios espirituais que se seguidos irão nos fazer bem na vida, a resposta é certamente sim, mas não tenho certeza se foi exatamente isso que você perguntou.

      Excluir
  33. Existe no Brasil algumas cidades onde os protestantes passaram os católicos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez, mas não dá pra saber porque o último censo do IBGE foi em 2010 e até onde eu sei não passa cidade por cidade, mas região por região, e até 2010 todas as regiões ainda apresentavam maioria católica, embora esta fosse bem mais forte no norte/nordeste do que no sul/sudeste.

      Excluir
  34. "Como você sabe que o que você sabe é verdadeiro?" Que resposta você daria a essa pergunta, Banzoli?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se esta lógica for aplicada às suas consequências lógicas, nos levaria a um niilismo e a um relativismo extremo onde ninguém poderia estar certo de nada na vida, nem que a grama é verde. Os católicos poderiam dizer que sabem que tal coisa é verdadeira porque o papa disse e o papa é infalível, mas eles não tem como saber infalivelmente que o papa é infalível, isso depende de argumentos humanos e avaliações de um cérebro humano. Os ateus e relativistas em geral por outro lado poderiam usar isso como argumento para dizer que não existe verdade e que tudo é subjetivo. Na verdade nós não temos que ter "certeza absoluta" de nada, apenas seguir as evidências para onde elas levarem, sempre com a mente aberta para a verdade independentemente de que lado ela irá nos levar. Eu posso dizer que "sei" que estou certo em relação a temas que estudei a fundo e com a mente aberta para a verdade, mas mesmo em relação a esses temas se me provarem que estou errado eu mudaria meu ponto de vista, é uma questão de honestidade intelectual, não é como muitos que estão presos a um sistema x ou y e não podem mudar de ideia em nada. Por outro lado há assuntos em que eu posso até ter opinião, mas por não ter estudado o assunto em toda a sua profundidade eu reconheço uma margem de erro maior, e vou fazer questão de estudar mais a fundo quando tiver oportunidade. E por fim há os assuntos em que eu não sei nada e por isso não é bom nem ter opinião sobre o tema ainda, pra não falar do que não sei. Enfim, tudo depende de estar sempre com a mente aberta para a verdade, de ser honesto consigo mesmo, de estudar os temas na máxima profundidade possível, de seguir as evidências para onde elas indicarem e de estar aberto para a possibilidade de estar errado (e não como alguém que pensa ser infalível ou que pensa seguir alguém infalível e assim se fecha numa bolha).

      Excluir
  35. já vi gente dizendo que é impossível ser conservador moral e liberal na economia, porque o liberalismo econômico vai gerar degradação moral (pois todos terão a liberdade de comprar e vender o que quiser, e as empresas sabem que o que gera lucro é aquilo que vicia as pessoas, o que a bíblia chama de pecado, por exemplo bebidas, pornografia, etc), ou seja, seria lógico apenas ser conservador e protecionista (um governo que protege valores nacionais, mas permite que as empresas tenham concorrência e liberdade de produção a ponto do pais poder se desenvolver, mas não de chegar na tal degradação cultural e moral), o que você acha disso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um engano pensar que ser protecionista vai "salvar" a moral de uma nação. Os EUA tentou isso em 1920 com a "Lei Seca" que tornou as bebidas alcoólicas ilegais, e o resultado foi catastrófico: aumento de traficantes e comerciantes ilegais, aumento da criminalidade, aumento e enriquecimento das máfias, aumento da corrupção e assim por diante. Na Idade Média a questão sexual era bem reprimida (não existia a pornografia propriamente dita porque não havia imprensa, nem tv ou internet, mas se existisse certamente seria proibida, pois o próprio sexo recreativo entre casais casados era considerado pecado), e qual foi o resultado? Muito mais imoralidade, muito mais prostituição, muito mais estupros, um nível moral muito mais degradante. Só em Roma a população de prostitutas chegava a 6%, embora outras fontes falem em 10%, de qualquer forma um número absolutamente surreal para os dias de hoje - e era justo no centro do papado. Mesmo em pleno século XXI um dos locais com mais downloads de filmes pornográficos é o Vaticano, o menor país do mundo, onde basicamente só vivem as maiores autoridades católicas:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/04/enquanto-isso-na-grande-meretriz.html

      Em síntese, você proibir ou reprimir algo nunca vai resolver o problema, só vai aumentar o desejo de "libertação" da parte dos indivíduos, que mais cedo ou mais tarde irá levar as pessoas a "chutar o balde" e se entregar de uma vez no que há de pior no mundo.

      Excluir
    2. Mas então seria válido o argumento dos liberais e esquerdistas para liberar a comercialização de qualquer tipo de droga. Proibir a maconha, dizem eles, só faz aumentar o número de traficantes e comerciantes ilegais, aumento da criminalidade, aumento e enriquecimento das máfias, aumento da corrupção e assim por diante.

      Como vc responderia esse argunto? Apontaria outros problemas oriundos da legalização das drogas?







      Excluir
    3. Sim, porque a bebida e a pornografia (dos exemplos acima citados) só causam dano à própria pessoa que as consome (pelo menos de uma maneira mais direta), enquanto as drogas afetam a sociedade de uma maneira bem mais direta, ou seja, prejudica a todos inclusive aos que não se drogam. As drogas conduzem ao vício, levam à drogas mais pesadas, essas drogas não apenas matam quem as consome mas também leva à criminalidade, pois o indivíduo sem recursos irá querer sempre mais, é um vício, um ciclo sem fim. Essa é a razão número 1 pela qual há tanta criminalidade, a esmagadora maioria dos marginais roubam por isso, para poder comprar drogas depois, então o problema é a droga em si, e se trata de algo que destroi e corrompe a sociedade como um todo e não apenas o indivúduo em particular, por isso deve ser proibida. Mas se as drogas não tivessem esse efeito tão destrutivo (tanto na capacidade de levar ao vício quanto nos danos diretos e colaterais) e fosse prejudicial apenas ao indivíduo que as consome, aí eu seguiria a mesma lógica da bebida e da pornografia e não veria como produtivo ou benéfico uma proibição na lei, deixe que o sujeito se ferre pelas suas próprias escolhas, o problema é quando as escolhas do sujeito A acaba interferindo e prejudicando o sujeito B que não tem nada a ver com isso, é nestes casos que o Estado tem que intervir.

      Excluir
  36. Anglicanos sao considerados protestantes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ué!? Você já não tinha dito que era?!
      "A Igreja Anglicana é protestante, mas não a Igreja Anglicana de Henrique VIII. Ela se tornou protestante oficialmente no reinado de Isabel, durante a segunda metade do século XVI. Antes disso Eduardo VI (filho de Henrique VIII e irmão de Isabel) já havia implementado uma reforma religiosa no país, mas que não foi adiante porque ele morreu muito cedo e logo depois Maria a Sanguinária ocupou o trono e restaurou o catolicismo como antes. Tudo isso estará detalhado no meu livro, não se preocupe. Abs."

      Excluir
    2. Eu disse que sim antes e repeti que sim agora, onde está o problema?

      Excluir
    3. Ops! O problema foi onde você disse "claro que SÃO" eu li claro que NÃO. Desculpe Lucas.

      Excluir
    4. Ah, blz, eu tava sem entender direito aqui rsrs

      Excluir
  37. Lucas e como você explica o sucesso da Teologia da Prosperidade nos EUA? Ela surgiu lá através de Kenneth Hagin e com o passar dos anos diversos outros pregadores a adotaram e foram bem sucedidos no sentido de arrematar fiéis, Morris Cerullo,Mike Murdock, Benny Hinn, o último recentemente declarou que está arrependido de te-la pregado, espero que seja realmente um arrependimento sincero e que ele passe a pregar o evangelho verdadeiro. O povo americano lê em média menos que o típico europeu ocidental, mas é mais instruído que a média dos africanos e dos latino americanos, não deveria cair no engodo desses caras, aliás o povo americano tem umas outras diferenças, uma taxa de homicídios maior, vira e mexe aparece um louco em algum espaço público e sai atirando, o que pouco ocorre nos países europeus, a que você atribui isso? Eu nao acho que seja culpa de não haver restrição a compra e venda de armas, penso que há outros fatores envolvidos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema dos EUA é a intensa onda de imigração ilegal que atrasa um país que de outro modo seria tão desenvolvido quanto os europeus ou mais. Nenhum país do mundo recebe uma quantidade tão esmagadoramente grande de imigrantes ilegais quanto os EUA, a grande maioria de pessoas pobres da América Latina que trazem consigo a sua cultura atrasada, é deles principalmente que os teólogos da prosperidade se aproveitam da mesma forma que fazem nos países latinos. Só de imigrantes regulares há por lá mais de 43 milhões, isso sem falar da enorme quantidade de imigrantes ilegais, isso explica a queda vertiginosa do protestantismo também, que era muito maior na época em que a onda imigratória era menor. Eu não estou dizendo pra deportar todo mundo ou discriminar os imigrantes, nem estou dizendo que 100% dos imigrantes sem exceção seguem esse perfil, mas a verdade é essa. Pegue um país europeu desenvolvido padrão como a Alemanha e bote lá milhões e milhões de imigrantes ilegais de países de terceiro mundo, espere algumas décadas e veja se eles vão continuar tão desenvolvidos e cultos como hoje, eu duvido. Não daria nem dez anos para começar a surgir teólogos de prosperidade por lá também.

      Excluir
  38. Um detalhe interessante é que Saddam Hussein apesar de ser um ditador cruel, protegia os cristãos e seu vice presidente Tariq Aziz era cristão, Bashar Al Assad faz o mesmo, nao entendo porque Trump está contra ele se Trump foi eleito e justamente por um forte eleitorado cristão, na promessa de defender esses valores e ele falou durante a campanha em defender os cristãos do Oriente Médio e até trazer alguns como refugiados para os EUA, ele só não queria refugiados muçulmanos, mas ao mesmo tempo continua aliado da Arábia Saudita, o pais muçulmano mais radical de todos e o que mais persegue os cristãos, lá nem e permitido portar Bíblia,venho achando o Trump um baita de um hipócrita, eu achei que ele fosse romper essa aliança com os sauditas que já vem desde os anos 40,época em que foram descobertas jazidas de petróleo, desde entao todos os presidentes dos EUA, sejam democratas ou republicanos, os apoiam incondicionalmente,acho que até por conta do regime saudita e de ignorância que parte dessa nova direita olavete é tão islamofobica, tratam todos muçulmanos como fanáticos e possíveis terroristas,acheiauma grande maldade eles protestarem contra a lei de migração no ano passado, tantos muçulmanos pacíficos e trabalhadores que só queriam fugir da guerra, e que ate sao perseguidos pelo próprio Isis por serem considerados moderados por eles e se vc for moderado é um traidor de acordo com a doutrina do Estado Islâmico, aí querendo fugir disso terminam sendo discriminados pelos olavetes, na sua opinião é apenas ignorância, desconhecimento, que leva os olavetes a odiarem os muçulmanos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse ódio aos muçulmanos, infelizmente, dá-se em função principalmente do péssimo exemplo dado por uma minoria de muçulmanos radicais (terroristas), que acabam passando para o mundo a imagem de que Islamismo = terrorismo. É a mesma coisa que fez o ateísmo crescer na época em que o "Cristianismo" que eles conheciam era a ICAR caçando e exterminando a torto e a direito na Idade Média e Moderna. É muito fácil associar uma minoria extremista a todo um movimento, então quem não tem muito estudo acaba comprando discursos do tipo.

      Excluir
  39. o que vc acha de Rousas Rushdoony?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou contra o homeschool e o reconstrucionismo, as duas coisas que ele mais defendia, então...

      Excluir
    2. Por que vc é contra o homeschool?

      Excluir
    3. Porque no "homeschool" pessoas sem preparo na área e nem formação ensinam o que quiser aos seus filhos, que vão obviamente estar defasados em relação àqueles que tem um estudo formal (na escola).

      Excluir
  40. O que você acha do Terça livre? Sinceramente eu detesto aquele canal, aliás o Brasil para lerdos não passa de uma cópia cagada e cuspida do Terça lixo. São tudo um bando de olavetes safadas, aliás porque será que o Astrolavo têm tantos seguidores?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faço minhas as suas palavras sobre o Terça Lixo (ops, "Terça Livre"). A razão pela qual o astrolavo tem bastante seguidores é estupidamente simples: estamos no Brasil.

      Excluir
  41. Você acha que Matusalém morreu no dilúvio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele morreu no ano do dilúvio, mas antes do acontecimento.

      Excluir
  42. Avalie:

    https://www.youtube.com/watch?v=ZPrEt4lcY9U

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ezequiel 4:6,13 não fala nada sobre o Messias vir imediatamente após o cativeiro babilônico, tampouco Jeremias 25:8-11, 27:6 ou 29:10-14. São todas referências falsas para enganar incautos que ele aposta que não vão checar os textos para desmascarar a fraude.

      Ezequiel 45:22 sequer está falando do Messias. Outra referência fraudulenta.

      Isaías 60:10-14 é uma descrição pós-milenar, não tem nada a ver com os 33 anos de ministério terreno de Jesus. Outra citação totalmente tirada do contexto.

      Tem que ser muito burro pra seguir Fábio Sabino. É picaretagem demais.

      Excluir
    2. "Tem que ser muito burro pra seguir Fábio Sabino. É picaretagem demais"

      Valeu Banzolão kkkkkkkkk

      Excluir
    3. Quem é mais burro quem segue o Sabino ou o Olavo?

      Excluir
    4. Amigo, o nível de burrice é o mesmo.
      Católicos burros seguem o Olavo. Protestantes burros seguem o Sabino.

      Agora, protestantes que seguem o OLAVO possuem um nível de burrice simplesmente indescritível.

      Excluir
    5. Apenas ressaltando que o Sabino NÃO é protestante, nem mesmo cristão. Ele se intitula deísta e liberal, se diz ex-evangélico, hoje não crê em nenhuma doutrina cristã basilar (nem que Jesus é o Messias, muito menos que seja Deus, ou que tenha ressuscitado e etc). De fato tem alguns protestantes que dão alguma moral a ele, principalmente alguns que acabaram de conhecer o seu "trabalho" e o chamam de "irmão" por não saber do que a coisa se trata de fato, muitos veem um ou outro vídeo dele e pensam que se trata de mais um teólogo cristão como qualquer outro, mas nem ele se define assim.

      Excluir
    6. "Quem é mais burro quem segue o Sabino ou o Olavo?"
      Seguidor do Sabino = burro
      Seguidor do Olavo = burro + astrólogo.

      Excluir
  43. O que você acha do Augusto Cury?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca tive interesse em ler os livros dele porque muitos dizem que ele é um herege que escreve livros de autoajuda. Não posso julgar o que não li, mas não tenho interesse nesse tipo de literatura.

      Excluir
    2. Seus livros são de autoajuda mesmo e, na minha opinião, achei muito superficiais. Mas são bons pra quem é principiante e curte a temática.

      Excluir
  44. Lucas e outros, avaliem:
    https://www.youtube.com/watch?v=FeoREQgNUFQ "No End in Sight for US-Backed Yemen War as Airstrike Kills At Least 20, Including Bride, at Wedding"

    ResponderExcluir
  45. Lucas, o número da besta é 666 ou 616?Lembro de ouvir falar que tinha sido encontrado uma tradução muita antiga do Apocalipse em que está escrito 616 e não 666, você tem algum artigo a respeito disso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que dizem é que tem um manuscrito antigo que traz 616 no lugar de 666. Mas em meio a mais de cinco mil outros manuscritos antigos que trazem o 666, o 616 é claramente apenas um erro de copista, e não a tradução correta.

      Excluir
    2. rapaz o numero do endereço lá de casa é 666 kkkk. Algum problema?

      Excluir
    3. O meu é "66" e eu não vejo problema (embora fique aliviado por não ter tido outro "6" xD)

      Excluir
  46. Olá Lucas, você é citado no vídeo, no minuto dez:

    https://www.youtube.com/watch?v=y_SxcNh5PhE

    Graças a seu trabalho, este assembleiano deixou a crença na imortalidade da alma. Quem dera que mais pessoas tenham interesse e busquem conhecimento sobre assuntos realmente importantes, tais como esse.

    Sid Oliveira

    ResponderExcluir
  47. OS INTERESSES AMERICANOS SÃO APENAS DE RIQUEZAS NO ORIENTE MÉDIO.
    NÃO ACHARAM PROVAS DOS TAIS ATAQUES QUÍMICOS NA SÍRIA E FOI TUDO UMA FARSA COMO COMPROVADO AGORA!

    OS REBELDES (TIPO EI) MATAM CRISTÃOS APOIADOS PELOS EUA E ARÁBIA.
    ASSAD QUE SEMPRE DEIXOU OS CRISTÃOS EM PAZ; ESTÁ APENAS DEFENDENDO SEU PAÍS DOS INVASORES MUÇULMANOS E ESTRANGEIROS.

    ResponderExcluir
  48. Lucas, vc conhece a jornalista Chadia Kobeissi?
    Ela escreveu "Estado Anti- Islâmico - o relato da jornalista brasileira que viveu na pele os conflitos e as distorções causadas pelo grupo radical e o ocidente".

    Bom, ela é muçulmana e defende um islã pacífico, chegando a dizer que o islamismo colocou a mulher em um patamar mais elevado do que fez o judaísmo e o cristianismo. Cita a boa convivência entre cristãos, muçulmanos e judeus no passado, versículos do Corão que aparentemente favorecem a paz ( até mesmo um que proclama a salvação de judeus, cristãos e sabeus)e até mesmo profecias de Maomé e seus sucessores sobre o aparecimento de falsos muçulmanos que seriam as piores pessoas do mundo e tentariam criar um Estado.

    Mas na verdade não é sobre nada disso que eu quero perguntar kkkk

    É que ela aparente apoiar o Hezbollah, enfatizando a inocência dos jovens que participam do grupo, a luta deles contra o EI e boa convivência com cristãos. Somado a isso, ela critica os atentados À bomba de Israel e seu envolvimento na matança de encarceramento de inocentes. Ela também mostra gravuras de cristãos apoiando o hezbollah.
    Uma Igreja no Líbano - acho que Ortodoxa - Com um pôster enorme do grupo ao lado. Ela escreve que está em um bairro onde cristãos apoiam o Hezbollah. Uma outra gravura de um jovem do Hezbollah em uma Igreja na Síria, enviado para lá para protegê-la.

    O que vc acha disso disso tudo? Digo, do Hezbollah e o apoio dos cristãos orientais ao grupo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa de que as mulheres são melhor tratadas no mundo islâmico do que no mundo judaico-cristão é uma patifaria total, acho que não preciso nem citar exemplos. Sobre o Hezbollah, de fato eles são bem menos radicais que o ISIS, mas ainda assim é um grupo radical islâmico, que não tem por hábito perseguir cristãos sistematicamente (e talvez por isso ganhe o apoio de alguns deles), mas que é fundamentalista e ferrenhamente anti-Israel. Israel não pratica "atentados à bomba" e muito menos "matança e encarceramento de inocentes", essas coisas são justamente o que os radicais islâmicos fazem contra Israel. Sobre isso eu já escrevi neste artigo abaixo, altamente recomendável:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com.br/2015/08/minha-opiniao-sobre-guerra-em-israel_7.html

      O Estado de Israel sempre foi uma criação bastante controversa, por isso é natural que líderes cristãos de países anti-Israel se apropriem dessa mentalidade, e consequentemente passem a dar apoio aos grupos que lutam contra o sionismo. Na minha opinião a criação do Estado de Israel naquela região específica foi um erro grosseiro, mas isso não justifica os constantes atentados que se praticam contra eles há 70 anos, que não é fruto apenas da criação do Estado em si, mas sim de um verdadeiro e profundo ódio aos judeus (Estados que surgem como resultado de guerra ou outros fatores e tomam territórios de outros sempre existiram e sempre vão existir, mas não conheço nenhum que seja alvo de tanta hostilidade mesmo depois de tanto tempo, como Israel).

      Excluir
    2. Esqueci de comentar sobre os trechos do Corão: é verdade que existe um compilado de "textos bons" do Corão, da mesma forma que uma pesquisa rápida te leva a "textos maus" do Corão, o livro não se intimida em ser contraditório. Na verdade isso se explica facilmente estudando a própria tragetória de Maomé, que no início era mais tolerante e pacífico, mas que com o tempo foi arrumando brigas e conflitos com muita gente (e nesta segunda parte é que constam os "textos maus", que na verdade são apenas o fruto da mudança de mentalidade do próprio Maomé para uma postura mais agressiva e violenta). Nota-se que por contraste na Bíblia é o contrário, o AT que aparenta ser mais "violento" (embora não na medida generalizada do Islã), e com a revelação completa do NT vai se tornando cada vez mais tolerante e pacífico, mesmo porque não havia mais um Israel nação escolhida por Deus para ser usado como instrumento de Deus para o juízo das nações (e deles mesmos).

      Excluir
  49. Os EUA só não atacou a Coreia do Norte por causa da China e por outros motivos. Logo, não dá para comparar o caso da Síria com a Coreia. Além do mais, se a América invadi-se a Coreia do Norte, Seul, capital da Coreia do Sul, sofreria grandes danos. Como expõe o vídeo abaixo:

    https://www.youtube.com/watch?v=PGTlDERvZ4I

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas sobre qualquer assunto são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas comentários desrespeitosos não serão publicados. Confrontamentos e discussões são aceitos, desde que saia do anonimato.